Issuu on Google+

24

especial: 8 de agosto de 2013

especial

Manuel Carvalho, presidente da AD Ninense

João Salgueiro, treinador da AD Ninense

“Somos amadores, mas trabalhamos como profissionais”

“A manutenção é o nosso grande objetivo” A estreia em campeonatos profissionais é o concretizar de um sonho, não só por parte da Associação Desportiva (AD) Ninense, mas também pela pessoa do seu presidente, Manuel Carvalho, que abordou esta nova fase na vida do clube de Nine com bastante contenção. Após uma disputadíssima vitória na divisão de honra da AF de Braga, o presidente do Ninense prepara esta nova etapa com a confiança na mesma equipa técnica, comandada pelo treinador João Salgueiro, e na maior parte dos jogadores que ajudaram o clube a ser campeão. “A manutenção é o nosso grande objetivo”, afirma com confiança o presidente do clube de Nine, ciente das dificuldades que a equipa enfrentará na série A deste novo campeonato nacional de seniores. Sendo o Ninense o único clube famalicense que não alinhará na série B, Manuel Carvalho não esconde a sua tristeza em relação à série onde a sua equipa calhou, pois preferia estar englobado com as outras quatro formações do concelho, o que lhe permitira melhores encaixes financeiros por ser uma série com equipas que levam mais adeptos aos estádios adversários, menos gastos em deslocações, e ainda participar nos emotivos e mediáticos dérbis concelhios. O presidente, em conjunto com o treinador João Salgueiro, conseguiu segurar 13 jogadores que foram importantíssimos para o título do ano transato, aos quais se

juntaram oito caras novas. Manuel Carvalho não fecha, contudo, a porta a possíveis entradas ao longo da época, apesar de referir que “neste momento o plantel está fechado”. Sendo a AD Ninense a única equipa da série A a estrear-se em competições profissionais, Manuel Carvalho garantiu que já estão em curso as obras necessárias para essa mesma entrada, impostas pela Federação Portuguesa de Futebol e que passam pela criação de uma zona para a comunicação social, sala de imprensa, melhores acessos aos balneários e uma remodelação da enfermaria do clube. pub

“É o ano zero para o Ninense”. É assim que João Salgueiro, técnico da Associação Desportiva (AD) Ninense, categoriza a primeira participação do clube de Nine em campeonatos profissionais. Mas não será esse fator a amedrontar o técnico barcelense, que em dois anos com o emblema famalicense ao peito, conseguiu outras tantas subidas de divisão. João Salgueiro abordou esta nova época jogando à defesa, mostrando-se satisfeito com os reforços disponíveis, relembrando que “a equipa que temos, é a equipa que podemos ter, e é a equipa que o nosso orçamento permite ter”. O treinador, em sintonia com o presidente do clube, também não fecha a porta a eventuais contratações, mas refere: “vamos trabalhar com estes jogadores e quando começarmos o campeonato vamos ver no que dá”. Com o jogo de estreia desta temporada a ser feito em casa, o Complexo Desportivo de Nine engalanar-se-á para aquele que será, também, o primeiro jogo da equipa em campeonatos nacionais. O treinador frisa, precisamente, a importância do primeiro jogo ser em casa, porque “é nos jogos em casa que podemos fazer um grande campeonato”. Quanto a objetivos, João Salgueiro não quer apontar outros para além da manutenção, que será a sua “linha orientadora”, mas relembra que “o ano passado” a AD Ninense “entrou na divisão de honra para descer e

acabou por subir de divisão”. O facto de a equipa ser constituída por amadores e disputar um campeonato profissional, também não amedronta o técnico, que afirma: “somos amadores, mas trabalhamos como profissionais, e não é por estarmos neste campeonato que vamos ter medo”. A mensagem que o técnico pretende passar aos associados e simpatizantes da AD Ninense não difere muito da das épocas anteriores, pedindo humildade e contenção, mas muito apoio e crença, relembrando que é nestes momentos de maior exigência que o apoio dos sócios é mais necessário. pub


Foto: Carlos Alberto

ASSOCIAÇÃO DESPORTIVA NINENSE

pub.

especial

especial: 8 de agosto de 2013 25


26

especial: 8 de agosto de 2013

especial

Nélson Pereira, presidente da AD Oliveirense

“Temos que ser todos oliveirenses” Após garantir a promoção para o campeonato nacional de seniores, a Associação Desportiva (AD) Oliveirense prepara-se para ‘atacar’ este novo modelo competitivo, sempre com a manutenção na mente. Nélson Pereira, presidente da equipa de Oliveira Santa Maria, está ciente das dificuldades, mas espera vencê-las. Para isso, conta com cerca de 260 mil euros de orçamento, que já serviu, entre outras coisas, para a sonante contratação de Fábio Paim, que foi amplamente divulgada pelos principais meios de comunicação do país. De facto, a contratação da antiga estrela do Sporting deve-se em grande parte ao atual presidente da Oliveirense, como confirmou o jogador, mas Nélson Pereira não fecha a porta a mais contratações, caso veja necessidade disso. Os objetivos desta época são muito diferentes dos da época passada, onde “o objetivo principal era a subida”. Agora, a disputar o campeonato nacional de seniores e numa série bastante competitiva, o presidente da Oliveirense só promete a manutenção, com consciência plena de que “será duro” e que a época será “a lutar com muitas equipas de grande nome”. Com uma visão bastante realista, Nélson Pereira realça que a Oliveirense “é um clube de uma freguesia” e se conseguir a manutenção, “já será uma grande vitória”. Para colmatar o alto investimento do

clube no orçamento, Nélson Pereira conta garantir boas assistências nos jogos em casa. “Este campeonato será de um bairrismo completo e estou a contar com boas receitas devido a isso”, realçou, pedindo também aos sócios “que se unam” à volta da freguesia e da associação desportiva, numa esperança de que “o caminho seja feito por todos, com o mesmo rumo, que é conseguir manter a Oliveirense nos campeonatos profissionais durante muitos anos”. Para já, graças a Fábio Paim, a AD Oliveirense já garantiu a manutenção por entre os clubes mais mediáticos desta pré-temporada, mas é ainda necessário comprovar em campo que este clube de freguesia veio para ficar.

António Carvalho, treinador da AD Oliveirense

“Respeitaremos os adversários, mas sem nunca ter medo” António Carvalho, que garantiu a promoção da Associação Desportiva (AD) Oliveirense na época transata, mantém-se no comando técnico da equipa e, apesar de cauteloso, está confiante numa boa época do clube neste novíssimo campeonato nacional de seniores. “Houve uma preocupação enorme em renovar com jogadores que subiram de divisão connosco”, referiu, lamentando o facto de “alguns jogadores não renovarem por motivos profissionais”. Numa abordagem às contratações, sendo Fábio Paim o nome mais sonante, António Carvalho garante que foram escolhidos em acordo com a direção, salientando o facto de “virem acrescentar maior qualidade”, esperando de todos os jogadores contratados o mesmo que espera dos que permaneceram no plantel: “trabalho, pois só assim se pode obter sucesso”. O técnico espera ainda que todos os jogadores se mantenham unidos num só grupo, onde inclui não só os jogadores, como toda a equipa técnica, sócios e direção, e salienta que é importante não virar as costas à equipa. “É um problema grave caso comecemos a perder e os adeptos deixem de apoiar”, alerta. Com o apoio dos sócios, e com boas assistências durante a época, o técnico promete “fazer coisas bonitas” e superar este campeonato “competitivo, cheio de dérbis”, prometendo “respeitar os adversários, mas sem nunca ter medo”. António Carvalho anuncia encarar a estreia

neste campeonato nacional de seniores mantendo o seu modelo de jogo, que tão bons resultados deram na época passada e refere ainda que pretende “tirar partido do campo sintético, pois será o único da série B”. Na partida inaugural, frente ao FC Lixa, o técnico espera aproveitar o ‘fator casa’ e garante que o clube tem “enormes possibilidades de os levar de vencida”. Em relação a Fábio Paim, o treinador garante que “se ele quiser” é um jogador repleto de qualidade, mas terá “que se adaptar ao clube, à equipa técnica e aos colegas”, referindo ainda que o jogador terá que “trabalhar e justificar a sua entrada nesta equipa”. pub


Foto: Carlos Alberto

ASSOCIAÇÃO DESPORTIVA OLIVEIRENSE

pub.

especial

especial: 8 de agosto de 2013 27


28

especial: 8 de agosto de 2013

especial

João Araújo, presidente do FC Famalicão

“Fazer melhor do que na época passada” É um Futebol Clube (FC) de Famalicão renovado que irá enfrentar o novo campeonato nacional de seniores, com um plantel construído de raiz e com uma equipa técnica jovem e ambiciosa, que faz parte da aposta do presidente João Araújo. À frente dos destinos diretivos do Famalicão pela quinta época, o presidente espera “fazer melhor do que na época passada”, mesmo que este novo modelo de campeonato seja ainda uma incógnita em termos competitivos, deixando o presidente com “algumas dúvidas de como é que irá decorrer este campeonato” e “apreensivo para ver como tudo ser desenrolará daqui para a frente”. A aposta em José Vieira, que se estreia como treinador, representa, nas palavras de João Araújo, uma “aposta sem riscos” devido ao passado do antigo jogador do FC Famalicão e do Desportivo das Aves. “É um homem do futebol, tendo jogado ao mais alto nível, conhecendo bem os balneários e o futebol por dentro como poucos”, acrescenta. Apesar das contrariedades deste defeso, em que o FC Famalicão perdeu quase todos os jogadores, o presidente está confiante no novo plantel e lamenta o facto de alguns jogadores não terem estendido o contrato por motivos profissionais, mas não lamenta a saída de alguns atletas que simplesmente não quiseram ficar, e “que não deixam pena absolutamente nenhuma”.

Em termos de orçamento, João Araújo diz que não haverá grande diferença em relação ao ano passado e estão disponíveis cerca de 300 mil euros para os objetivos da nova época, que passam por melhorar a prestação e por tentar uma subida de divisão, apesar de todas as dificuldades que o presidente espera enfrentar, como o “imenso reforço” de outros clubes. Garante, porém, “não entrar em concursos absolutamente loucos”, pois “a realidade é tentar fazer o melhor trabalho possível, mas sem ilusões”. A série B, onde o Famalicão está inserido, é considerada a mais competitiva, mas isso não assusta a direção, deixandoa ainda com maior ambição, levando o presidente a achar que “se não conseguimos lidar com esta série, também não conseguiremos lidar com a série seguinte”.

José Vieira, treinador do FC Famalicão

“Faço parte da história do clube” Domingo, 7 de março de 1993, Estádio das Antas. Aos 18 minutos, Celestino sai lesionado para dar lugar a José Vieira, que calou o estádio portista aos 64 minutos, com um golo de recarga, após defesa incompleta de Vítor Baía. Este foi, provavelmente, um dos golos mais mediáticos de sempre do FC Famalicão, que conseguiu assim uma vitória histórica no campo do campeão nacional da altura. Vinte anos depois, José Vieira estreia-se como treinador e logo na sua “segunda casa”, após uma experiência bem-sucedida como diretor desportivo no Desportivo das Aves. José Vieira sente-se preparado para este novo desafio, considerando que pode voltar a fazer história pelo clube. “Ao longo dos tempos estive ligado a este clube, faço parte da sua história, mas isso é passado e agora estamos noutra etapa, onde queremos fazer história recente”, realçando assim a afinidade com o clube famalicense. O treinador, de 43 anos, não garante a subida de divisão, mas promete montar uma equipa que irá “lutar sempre por um resultado positivo”, e isso corresponde, segundo o próprio, a “uma equipa que lute sempre pela vitória”. Ciente das dificuldades que o esperam, José Vieira espera dar a volta ao grande desfalque que o plantel sofreu, com “muito trabalho”, considerando que “a conversa com os jogadores vai ser fundamental” para dar a volta à situação pouco habitual que o clube sofreu neste defeso. Uma das principais preocupações do téc-

nico já foi resolvida, com a entrada de Élvis, que garante a “necessidade de um jogador com muita experiência e alguma rotina de posicionamento para liderar o sector defensivo”. Mas José Vieira promete manter-se atento ao mercado até ao fecho da ‘janela de transferências’. Para além dos reforços contratados, existe ainda muita confiança nos juniores promovidos e fica a promessa de “trabalhá-los para que possam ser uteis para o plantel”. Na abordagem aos primeiros jogos do campeonato, onde o Famalicão encontrará as equipas teoricamente mais fortes, José Vieira diz que o clube famalicense também é forte. “A série é complicadíssima e não terá jogos fáceis”, refere, garantindo que a equipa já só pensa no Ribeirão, primeiro adversário, e que estará a “200% para encarar o jogo de uma maneira onde os jogadores consigam impor o seu jogo e lutar por um resultado positivo”. pub


Foto: Carlos Alberto

FUTEBOL CLUBE DE FAMALICテグ

pub.

especial

especial: 8 de agosto de 2013 29


Oe1109