Issuu on Google+

PS acusa Armindo de caluniar vereadores

Cor e alegria no Carnaval dos mais novos e mais velhos

Depois de ouvir Armindo rotular os seus vereadores de terem uma postura “cobarde”, o PS saiu em sua defesa para dizer que o edil “caluniou e difamou” aqueles eleitos socialistas. Pelo meio estranham como o líder do PSD parece saber de questões internas do partido, mas Nuno Sá diz que Paulo Cunha “pensa que sabe, mas não sabe”. p. 4

p. 6

ANO 16 • Nº 822 • Gratuito 6 A 12 DE FEVEREIRO DE 2008 DIRECTOR: JOÃO FERNANDES

opiniãoespecial:

Nesta edição revelamos as várias soluções de materiais de construção disponíveis no mercado. pp. 21 a 26

Maria de Lurdes Rodrigues apareceu, de surpresa, na escola secundária

MINISTRA FOI À CAMILO SEM PROMESSAS A ministra da Educação esteve, a semana passada, na Escola Secundária Camilo Castelo Branco. Foi numa visita surpresa até para os próprios responsáveis escolares. A governante quis conhecer as instalações da escola e foi novamente confrontada com a necessidade de construção do pavilhão gimnodesportivo. Maria Lur-

Enquanto director do Instituto de Gestão Financeira da Segurança Social

des Rodrigues nada garantiu a esse respeito, mas veio acompanhada com o responsável pelo parque escolar do ministério. O presidente do conselho executivo, apesar de surpreendido, ficou satisfeito com a visita. A Câmara é que não gostou de ter ficado à margem. p.8

Projecto ‘ligarfamalicão’ é um sucesso

Gente de todas as idades inicia-se na informática p. 3

Salgado acusado de ficar com cheque O famalicense Fernando Salgado vai sentar-se no banco dos réus, acusado dos crimes de peculato e falsificação de documento. Ele, enquanto director do Instituto de Gestão Financeira da Segurança Social de Braga, ter-se-á apropriado de forma indevida de um cheque de 20 mil euros de uma empresária destinado a pagamento de dívidas. p.4

Estudantes do Secundário aderiram à greve nacional

Alunos querem nova política de Educação

p.8

opiniãosport: “Dakar Series” substitui Lisboa-Dakar Ribeirão consegue vitória solitária no fim-de-semana de futebol

Recusada reconstituição da morte de André O colectivo de juízes que preside ao julgamento da morte à facada de André Gomes, em Março de 2007, considerou desnecessária a reconstituição do crime, pedida pelo advogado de defesa dos dois arguidos, por “não se saber ao certo o que aconteceu”. O julgamento continua a 27 de Fevereiro. p.5

Dois novos ecocentros O município de Famalicão vai acolher mais dois ecocentros, no âmbito do Plano de Acção do SIRVA até 2015, que foi apresentado a semana passada. Um deles deve ficar em Riba d’Ave, na ETRSU, e o outro irá para a zona Norte do concelho, entre Vale S. Cosme e Santiago p. 8 da Cruz.p.10

Famalicão na frente Continental Mabor investe 50 milhões da sinistralidade

p.9

A Continental Mabor, em Lousado, prepara-se para realizar um investimento de 50 milhões de euros, de forma a aumentar a produtividade de pneus. Metade deste montante está já a ser aplicado na ampliação que está em fase final de construção e que deverá iniciar a laboração a partir de Abril. p.13


02

pública: 6 de Fevereiro de 2008

espaço aberto

Objectiva Pública É neste estado que se encontram grande parte dos abrigos para passageiros, nas paragens de autocarro, ao longo da Estrada Nacional 14, na direcção FamalicãoBraga. Partidas, amolgadas, envelhecidas. Apresentam um aspecto degradante e de desleixo, que não fica bem numa estrada nacional, com tanto movimento.

Agenda

Questão Pública

Hoje, 6 2 0 h o ra s A Junta de freguesia de Castelões e o Centro Social levam idosos ao Tivoli no Porto para assistir ao musical e Filipe La Féria, “Musica no Coração”.

Remodelação vai mudar alguma coisa na política do Governo?

Amanhã, 7 09h30 O CITEVE realiza o seu Fashion Event. Quais os materiais, as cores e formas que vão ditar a moda Primavera/Verão 2009 é o que poderá assistir neste evento a decorrer nas instalações do CITEVE. 21h30 O Cineclube de Joane exibe o filme “Sicko”, de Michael Moore, no pequeno auditório da Casa das Artes.

Sexta, 8 2 1 h3 0 Os B.V. Famalicenses realizam mais umas jornadas sobre a Nova Legislação de Protecção Civil e Nova Legislação Aplicável aos Corpos dos Bombeiros. A iniciativa tem lugar no pequeno auditório da casa das Artes.

Maria Augusta Santos

Custódio Oliveira Na sociedade mediática em que vivemos é mais importante a forma que o conteúdo. Vale mais o que é comunicado e como é comunicado, que a realidade objectiva. Tem mais ênfase o mensageiro que a mensagem. O estilo e o método valem mais que os factos. O Governo é o mesmo, liderado pelo mesmo primeiroministro, com o mesmo programa, logo as políticas na Saúde e na Cultura serão as mesmas. O que vai mudar são a forma de as comunicar, o estilo, os processos e os métodos. Mas amanhã será natural que se considere que mudaram as políticas… até porque, como diz o ditado popular, as aparências iludem.

FICHA TÉCNICA

EDITOR DE TURNO:

GRAFISMO:

CONSELHO EDITORIAL:

Magda Ferreira (CPJ 4625) magda@opiniaopublica.pt

Carla Alexandra Soares, Elisete Santos, Pedro Silva.

EDITOR DESPORTO:

Alexandrino Cosme, António Cândido Oliveira, António Jorge Pinto Couto, Artur Sá da Costa, Cristina Azevedo, Feliz Manuel Pereira, Joaquim Loureiro, João Fernandes.

DIRECTOR: João Fernandes (CIEJ TE-95) jfernandes@opiniaopublica.pt CHEFE DE REDACÇÃO: Cristina Azevedo (CPJ 5611) cristina@opiniaopublica.pt

CHEFE DE REDACÇÃO ADJUNTO: Celso Campos (CPJ 4668) ccampos@opiniaopublica.pt

professora

dirigente associativo

Bruno Marques (CPJ 8022) brunomarques@opiniaopublica.pt

APOIO À REDACÇÃO: Jorge Alexandre

REDACÇÃO: informacao@opiniaopublica.pt Arcindo Guimarães (CICR-56), Carla Alexandra Soares (CICR-248), Celso Campos (CPJ 4668), Cristina Azevedo (CPJ 5611), Magda Ferreira (CPJ 4625), Marta Marques (CICR320) e Sofia Abreu Silva (CPJ 10952). DESPORTO: Bruno Marques (CPJ 8022), Jorge Humberto, José Clemente (CNID 297) e Pedro Silva (CICR-220).

A substituição dos ministros da Saúde e da Cultura, bem como de alguns secretários de estado, não constitui, na minha opinião, uma remodelação governamental, na verdadeira acepção da palavra, muito menos a mudança da política. Uma remodelação implica alterações mais profundas, no que diz respeito não só aos titulares de pastas, mas também à estrutura do próprio Governo. O que não se verificou. É natural que as reformas que este Governo decidiu promover e que ainda estão em curso tenham provocado desgaste nos titulares de algumas pastas, nomeadamente no da Saúde, sendo necessário fazer reajustamentos. Mas, isto não significa que o Governo tenha decidido alterar o rumo e as metas a que se propôs. Pelo contrário, continua a demonstrar vontade e capacidade na prossecução da política delineada e na implementação das reformas programadas.

CAPITAL SOCIAL: 350.000,00 Euros. DETENTORES DE MAIS DE 10% DO CAPITAL Feliz Manuel Pereira António Jorge Pinto Couto

GERÊNCIA: João Fernandes

Serviços Administrativos:

EDITAVE Multimédia, Lda. NIPC 502 575 387

Tel.: 252 308146 / 252 308147 • Fax: 252 308149

SEDE, REDACÇÃO E PUBLICIDADE:

IMPRESSÃO: Naveprinter - Indústria Gráfica do Norte, SA Estrada Nacional, 14 - Maia

EMBALAGEM E ETIQUETAGEM:

SERVIÇOS ADMINISTRATIVOS:

Rua 8 de Dezembro, 214 Antas S. Tiago - Apartado 410 4760-016 VN de Famalicão

Francisco Araújo

INTERNET

Almeida Pereira - Operador de Marketing e Impressão Documental, Lda Parque Industrial do Mindelo Vila do Conde

www.opiniaopublica.pt

TIRAGEM DESTE NÚMERO:

OPINIÃO: António Cândido Oliveira, Avelino Leite, Carlos Sousa, Domingos Peixoto, Gouveia Ferreira, J. Silva Lopes, João Casimiro, Joaquim Loureiro, Luís Paulo Rodrigues, Miguel Moreira Silva, Paulo Cunha e Vieira Pinto.

PROPRIEDADE:

TÉCNICOS DE VENDAS: comercial@opiniaopublica.pt Agostinha Bairrinho, Maria Fernanda Costa e Sónia Alexandra

15.000 exemplares, nº 822

CONTACTOS Redacção: Tel.: 252 308145 • Fax: 252 308149

NÚMERO DE REGISTO: 115673 DEPÓSITO LEGAL: 48925/91


espaço aberto

“LLigarfamalicão” ensina noções básicas de informática

Famalicenses enfrentam “medo” dos computadores

Cursos estão a ser promovidos por sete entidades famalicenses

Adelina Silva é empregada temporária e elogia esta formação

A reformada Ana de Sousa quer divertir-se a navegar na Internet

Celso Campos “Via os meus filhos dizer que iam à ‘net’ fazer isto ou aquilo e eu ficava de lado”, diz Adelina Silva, de 43 anos, uma das mais de mil pessoas que este ano devem aprender as noções básicas do mundo da informática e dos computadores, ao abrigo do projecto “ligarfamalicão.tic”. Ela quis obter mais formação porque vive, de forma permanente, o espectro do desemprego. É empregada temporária numa empresa de componentes electrónicos, mas diz que já

no próximo dia 15 pode estar “novamente desempregada”. Soube do projecto ‘ligarfamalicão’ na Junta de Freguesia e consciente de que “hoje em dia, isto dos computadores é preciso em todo o lado”, é uma das formandas do curso de 40 horas que decorre na Universidade Lusíada. Esta instituição de ensino superior famalicense é uma das sete entidades promotoras deste projecto, apresentado há um ano, mas que só agora começa a concretizar-se no terreno. A Agência de Desenvolvi-

mento Regional do Vale do Ave (Adrave), o Centro Tecnológico das Indústrias Têxtil e do Vestuário (Citeve), a Escola Profissional Cior, a Didáxis – Cooperativa de Ensino, a Engenho – Associação de Desenvolvido Local do Vale do Este e a Fundação Castro Alves são os outros parceiros que trabalham no âmbito do Profit – Plataforma InterInstitucional de Educação e Formação de Famalicão. Perceber, primeiro, de que é formado um computador, passando depois pela aprendizagem dos programas mais básicos como o Word ou o Excel, são os componentes desta formação, que inclui ainda a internet e o uso do correio electrónico. “O computador mete medo”, reconhece Adelina Silva que recorda ter terminado a primeira aula com a sensação de que “tudo era muito complicado”. “A segunda aula foi melhor e à terceira a minha filha dizia que eu já dava uns toques nisto”, revelou ao OP, enquanto já se aventurava pela internet e pelas notícias on-line de um jornal. Apenas com o sexto ano de escolaridade, esta mãe diz “precisar disto para acompanhar” os seus dois filhos. “Tenho um na universidade e outra a caminho. Ela diz que se for estudar para longe podemos comunicar através da net, mas isso era algo que julgava nunca poder fazer e agora já vou conseguir”, anunciou, satisfeita. Esta aluna vai acrescentar essa formação ao seu curriculum, esperando que isso possa trazer alguma vantagem se se candidatar a novo emprego. Sem essas preocupações está Ana de Sousa, de 63 anos e reformada. Ela é uma das alunas do ‘ligarfamalicao’ na Junta de Freguesia de Fradelos, uma das autarquias do concelho onde decorre também este curso. Tem apenas a quarta classe e nunca tinha operado com um computador. “Nunca é tarde para aprender e isto abre janelas para saber mais algumas coisas”, diz, reconhecendo que tem alguma dificuldade em acompanhar alguns exercícios. Aqui, a formação ainda não chegou à internet, está-se na fase de aprender os programas de processamento de texto e de folha de cálculo. “O Excel pouco me interessa, mas espero divertir-me na internet”, diz, enfatizando que está “muito curiosa” em aprender a navegar. O interesse é tal que Ana de Sousa já tem um computador semelhante ao da formação encomendado.

pública: 6 de Fevereiro de 2008 03

Promotores e formadores querem continuar dada a grande procura

Projecto ‘ligarfamalicão’ é um sucesso

Procura é sempre superior à oferta nestes cursos

“Tem sido um sucesso”, evi- e passatempo. dencia Miguel Guerreiro da UniHá ainda os desempregados versidade Lusíada. “Há muita e os empregados que espreitam gente inscrita” e a procura “é uma nova oportunidade na emsempre superior à oferta”. Este presa em que trabalham. É o responsável lamenta a redução caso do Jorge Silva, de Balasar do financiamento da iniciativa, (Póvoa de Varzim), mas que está que obrigou a baixar as expec- a frequentar o curso em Fradetativas e a reduzir o número de los. Trabalha numa empresa de acções e de formandos. “Espero metalomecânica em que é preque com o novo quadro comu- ciso lidar com computadores. nitário surjam novas acções “Este curso será, sem dúvida, com características idênticas”, uma mais valia para o meu traaugura Miguel Guerreiro. balho”, diz. A descentralização por todo Também Cidália Nogueira e o concelho deste projecto é ou- Artur Oliveira estão empregados tro argumento que ajuda ao su- e esperam algo de novo a partir cesso. O formador Ricardo Frei- desta formação. “É bom voltar a tas já deu aulas em Brufe e está uma sala de aula e reviver os veagora em Fradelos. “Desta forma chega- Murilo Sampaio atesta que nestes mos junto das alunos “ a motivação é superior” pessoas e elas à encontrada junto dos jovens, aderem muito mais”, evidenno percurso normal cia. de formação escolar Também para os formadores a experiência é “gratificante”. Murilo lhos tempos”, diz Cidália, ao Sampaio atesta que nestes alu- passo que Artur encara o ‘ligarnos “ a motivação é superior” à famalicão’ como um “desafio encontrada junto dos jovens, no novo”. E o computador lá de percurso normal de formação casa já não é para uso exclusivo escolar. Quer nas aulas minis- dos filhos, agora o pai também tradas na Lusíada, quer em Fra- o usa e como os mais pequenos delos, quer nas restantes fre- sabem mais que ele “são, neste guesias, os formandos caso, também professores”. constituem grupos muito heteTraço comum à maioria dos rogéneos, evidenciou Ricardo formandos é a ideia de que o Freitas. Há as pessoas ainda jo- programa está muito bem convens que procuram novas opor- cebido e defendem a realização tunidades e aumentar os pou- de mais cursos. E se houver cos conhecimentos que têm mais formação para um nível nesta área e há os idosos que mais avançado, aderem? A resprocuram estas aulas numa óp- posta é unânime: “Sim”. C . C. tica de enriquecimento pessoal

Em Fradelos, os cursos funcionam na sede da Junta de Freguesia


04

pública: 6 de Fevereiro de 2008

cidade

Nuno Sá alerta militantes para supostas fugas de informação

Em 2002, quando era director do Instituto de Gestão Financeira da Segurança Social

PS acusa Armindo de caluniar e difamar vereadores

Fernando Salgado julgado por ficar com cheque de 20 mil euros

Arquivo

Celso Campos

Fernando Salgado negou qualquer intenção de se apoderar da quantia

O famalicense Fernando Salgado foi pronunciado pelos crimes de peculato e falsificação de documento, num caso referente ao tempo em que era director do Instituto de Gestão Financeira da Segurança Social (IGFSS) de Braga. Em causa está a alegada apropriação indevida de um cheque de 20 mil euros que lhe foi entregue por uma empresária para o pagamento de prestações em dívida à Segurança Social, avançou o Jornal de Notícias na edição de segunda-feira. Aquele diário nacional relata que a decisão foi tomada recentemente pelo tribunal de Braga, que não aceitou a argumentação do arguido de que tudo não passou de um equívoco causado por dificuldades no funcionamento daquele instituto. O famalicense incorre agora em penas que poderão chegar aos oito anos de prisão para o crime de peculato e aos cinco anos para o crime de falsificação. Fernando Salgado, que é também advogado e deputado na Assembleia Municipal de Famalicão, está acusado de ter recebido, em Fevereiro de 2002, o referido cheque, passado à ordem do IGFSS, das mãos de uma empresária que pretendia deste modo evitar ser alvo de procedimento criminal. Só que, segundo o JN pôde ler no despacho de pronúncia, logo no dia seguinte, Salgado terá depositado o cheque numa conta de que era titular. Pouco tempo depois, terá transferido essa verba para a conta da sociedade de advogados a que pertencia. O próprio terá admitido que usou o dinheiro para adquirir obrigações. Durante o processo, e mesmo já na fase de instrução, o ex-director terá referido que apenas aceitou o cheque depois de muita insistência da empresária e explicou que optou

por depositá-lo na sua própria conta porque estava em curso uma profunda reformulação do sistema de contas-correntes do IGFSS, que ele próprio instituíra. Porém, em Abril de 2003, mais de um ano depois de ter recebido o cheque, quando a comissão de serviço de Fernando Salgado chegou ao fim, este ainda não tinha restituído a verba em falta à empresária ou à Segurança Social. Na instrução, o famalicense diz que tentou, persistentemente, encontrar a empresária e resolver a situação, mas não conseguiu. Negou ainda “qualquer intenção de se apoderar da quantia”. Porém, o tribunal deu como “claramente indiciada a apropriação” do dinheiro por parte do arguido, tendo rejeitado um pedido que este apresentou para que o processo fosse arquivado. Aliás, a juíza considerou que as justificações por ele apresentadas contêm “incongruências, contradições e inverosimilhanças que lhe retiram credibilidade” e que mesmo a posterior devolução do dinheiro à proprietária “não afasta a prévia intenção de apropriação, nem com esta se confunde”. Ainda segundo o JN, os vários funcionários do IGFSS ouvidos durante o inquérito confirmaram a existência de problemas com o sistema informático daquele organismo, mas todos negaram que essas dificuldades, designadamente as relativas a contas-corrente, tivessem alguma vez sido resolvidas através da entrega de cheques em mãos. Explicaram ainda que o procedimento normal era o depósito das quantias entregues numa conta do IGFSS. O OP tentou chegar à fala com Fernando Salgado, mas tal não foi possivel até ao fecho desta edição, na segunda-feira.

O secretariado do Partido Socialista de Famalicão diz que Armindo Costa caluniou e difamou os vereadores do seu partido. Em comunicado assinado pelo líder da concelhia, Nuno Sá, enviado às redacções na passada sexta-feira, o PS “repudia veementemente os insultos e o estilo mal-educado, grosseiro e de baixo nível” do presidente da Câmara face aos seus vereadores. Esta posição surge na sequência das declarações de Armindo Costa, que uma semana antes referiu que os vereadores socialistas tiveram uma postura “cobarde”, ao não falarem na reunião camarária da polémica em torno da filiação partidária dos funcionários do município, denunciada pelo PS. Agora, nesta contra-reacção, o PS diz que Armindo visou os vereadores, não apenas como autarcas, mas como pessoas, quando referiu que eles são “homens que não olham de frente”. “São ofensas graves à honra e dignidade”, por isso Nuno Sá entende que o edil “deveria retratar-se, pedir desculpa aos ofendidos e rapidamente mudar de atitudes, renegando as grosserias e o baixo nível”. Ao mesmo tempo, Nuno Sá faz questão de manifestar “reconhecimento e solidariedade” para com os vereadores visados pelas palavras de Armindo Costa. Apesar de alegar que os eleitos foram “injuriados e vilipendiados no seu carácter e valor”, Nuno Sá deixa ao critério de cada um dos deles a possibilidade de accionar judicialmente o edil [Ver caixa], reservando o partido apenas a crítica política.

O PS também não gostou de ver o edil frisar que falaria do assunto apenas aos vereadores e não ao secretariado do partido, atestando que Armindo tem uma “visão deformada da democracia local”, lembrando-lhe que o PS “tem o direito de intervir e exigir explicações do presidente da Câmara”. Nuno Sá estranha também como é que o líder do PSD, Paulo Cunha – que saiu em defesa da Câmara na polémica referida – supostamente sabe de assuntos apenas da vida interna do Partido Socialista, referenciados na conferência de imprensa que os sociais democratas promoveram, e que nunca foram divulgados publicamente. Aqui, Nuno Sá diz que Paulo Cunha “pensa saber” o que se passa no seio do PS, mas “não sabe”, adiantando que grande parte do que tornou pú-

blico “é desinformação e não corresponde à verdade”. Mesmo assim, o líder do PS reconhece que as supostas fugas de informação são um problema interno e lança o alerta para dentro do partido: “Os militantes terão de tirar ilações do que se está a passar e pensar quem são os responsáveis por esta situação e a quem ela interessa”. “Certamente – prossegue Nuno Sá – à concelhia e aos actuais órgãos do partido não interessa e não somos responsáveis por ela”. O responsável garante que este episódio terá uma análise cuidada pelo partido, mas garante que “não haverá intuito inquisitório”, nesta questão. Nuno Sá fica-se por aqui e não específica quem poderá estar na origem das alegadas fugas de informação.

Vereadores prometem “continuar a incomodar” Os vereadores do PS também se pronunciaram sobre as declarações de Armindo Costa. Em comunicado, datado de segunda-feira, os eleitos lamentam o “insulto” do presidente, feito “ironicamente nas suas costas, a despropósito e sem fundamento”. É “indigno da posição que ocupa” e algo que “o devia envergonhar”, defendem. Apesar disso, afirmam não estar disponíveis para “disputas públicas de insultos, nem para baixar o nível da actividade política”. Dizem estar já habituados a este “estilo” de Armindo fazer política, pois “convive mal com a independência e com a crítica, irritandose com excessiva frequência” perante alguém que pensa diferente dele. Apesar do “insulto pessoal”, sinal de “desespero de causa” por parte do edil, os vereadores do PS prometem “continuar a incomodar” com o trabalho de oposição, “sempre com elevação e respeito” pela Câmara Municipal que integram.

Falta de provas iliba “China” O jovem conhecido por “China” foi absolvido da acusação de furto ao “Café Café”, na cidade, por falta de provas. A sentença foi lida no passado dia 29 de Janeiro, no Tribunal Judicial de Famalicão. Com 17 anos, aquele jovem de Joane vinha sendo acusado de furto qualificado àquele estabelecimento, situado na Rua Luís Barroso, mas a juíza entendeu que a prova não era suficiente para o condenar. Mesmo assim, a magistrada não deixou de sublinhar que a ausência de condenação não queria significar que “China” não foi o autor do furto. O jovem saiu ilibado porque o Tribunal considerou insuficiente a única prova apresentada: uma impressão digital existente na parte exterior

do vidro da porta de entrada do café. “China” estava acusado de ter assaltado o “Café Café” em Dezembro de 2006. Terá partido um dos vidros da porta principal, por onde entrou, e roubou um LCD, uma box TV Cabo e garrafas de bebidas alcoólicas. O jovem negou ter sido o autor do furto, admitindo, porém, que frequentava aquele café algumas vezes. Refira-se que “China” é suspeito de vários assaltos na zona do Vale do Ave, pelos quais está em prisão preventiva. Aguardava julgamento detido no estabelecimento prisional de Guimarães, de onde fugiu em Setembro. Só foi apanhado em Dezembro pela GNR de Joane, debaixo da cama numa habitação em Pousada de Saramagos.

Associações juvenis reúnem-se em Famalicão A Casa das Artes de Famalicão recebe, no próximo fim-de-semana, cerca de 70 associações juvenis da região norte do país e da Galiza. O objectivo deste encontro é debater alguns dos principais problemas que preocupam a juventude na actualidade, trocar experiencias e divulgar as suas actividades. Trata-se do I Encontro Associativo Juvenil do Norte de Portugal e Galiza, uma organização da Federação de Associações Juvenis do distrito de Braga e com o apoio da Câmara Municipal de Famalicão, do Instituto Português da Juventude, da Xunta da Galiza e do Eixo Atlântico do Nordeste Peninsular. Nos dois dias do encontro serão várias as actividades promovidas pelas associações, como debates, workshops, teatro, apresentação de curtas-metragens e concertos de música. Paralelamente, no parque coberto da Casa das Artes, irá decorrer uma exposição com os trabalhos realizados pelas associações.


pública: 6 de Fevereiro de 2008 05

cidade

Julgamento do homicídio continua a 27 de Fevereiro

Tribunal recusa reconstituição da morte de André Magda Ferreira

Magda Ferreira

O Tribunal Judicial de Famalicão não autorizou a reconstituição da morte de André Gomes, com várias facadas, ocorrida em Março do ano passado, em Joane. O colectivo de juízes que preside ao julgamento entende que “até agora não há razões” para a reconstituição dos factos no local – pedida pela defesa dos dois irmãos que são suspeitos de terem morto aquele jovem de 16 anos – , pois ainda “não se sabe ao certo o que aconteceu”. Por um lado, os arguidos não explicam ao certo como praticaram os actos e, por outro lado, as testemunhas pouco acrescentam e apresentam versões diversas, explicou o juiz José Manuel Flores, que preside ao colectivo. O julgamento continuou na passada quarta-feira e esta segunda sessão ficou marcada pela acareação entre duas testemunhas presenciais – um amigo da vítima e outro amigo dos suspeitos –, efectuada a pedido do Ministério Público, que entendeu existirem contradições entre o depoimento de ambas, nomeadamente no que respeita à fase do homicídio consumado, ao número de pessoas presentes, à actuação de cada uma delas e aos instrumentos utilizados.

tribunal. “Não o atiramos ao chão e esfaqueamos, nem demos pontapés. Isso era impossível”, afirmou, para finalizar: “Se não querem acreditar, não posso fazer nada”.

Ministério Público pediu a acareação de duas testemunhas

Inquiridos novamente, os dois rapazes mantiveram os seus depoimentos iniciais, sendo que o amigo do André continuou a insistir ter visto a navalha durante a luta. Já a outra testemunha, amigo dos arguidos, voltou a afirmar que nunca viu a arma. Contradições existiam também na actuação dos arguidos durante os acontecimentos. O amigo da vítima diz que eles continuaram a esfaquear André e a dar-lhe pontapés mesmo depois de ter caído no

chão; algo que é desmentido pelo amigo dos suspeitos, que acrescentou só ter contado essa versão durante o interrogatório na Polícia Judiciária há época dos factos (e onde foi ouvido inicialmente na qualidade de arguido), porque foi pressionado a isso pelos inspectores. Terminada a acareação, o arguido mais velho, agora com 19 anos, pediu para usar da palavra, para declarar ter dito a verdade aquando do seu depoimento em

Amigo desfez-se da navalha “por instinto” Entre as várias testemunhas ouvidas na quarta-feira, destacase o tio dos arguidos a quem eles pediram ajuda. Foi este familiar, comerciante de profissão, que os foi buscar atrás da fábrica onde se esconderam depois do crime. Contou ao tribunal que lhe telefonaram a ele porque é “o tio mais chegado” e que os arguidos não lhe contaram o que tinha acontecido, pois também estavam convencidos que não tinha sido nada de tão grave. Aliás, diz que só tomou conhecimento da gravidade dos factos quando familiares ouviram a notícia na rádio no dia seguinte. Antes foi interrogado outro amigo dos suspeitos, conhecido por “Cassetes”, que também estava no bar, mas não viu o que aconteceu depois no exterior. Mesmo assim, escondeu-se com o grupo atrás de uma fábrica, segundo ele por ter medo que viessem as autoridades e lhe arranjassem depois problemas com os pais. A testemunha confessou

também ter sido ela quem, “por instinto”, se desfez da navalha que o suspeito mais novo já confessou ter usado, e que indicou depois aos inspectores da Judiciária para onde a tinha atirado. Este jovem também conhecia André Gomes, era seu colega “da noite”, e descreveu-o como um rapaz que gostava de provocar as pessoas e de se meter em confusões. Algo que foi contrariado pelas vários amigos e vizinhos da vítima, que falaram dele como um jovem “meigo” e “afável”. O mesmo que, de resto, uma vizinha dos arguidos disse a respeito deles. Referência ainda para o depoimento da mãe de André, que foi, naturalmente, emocionado. Referindo-se ao filho como “um moço alto, bonito”, Maria de Lurdes contou como a sua vida parou no dia em que ele morreu e só os medicamentos a ajudam a ultrapassar os dias e as noites, que passa agarrada à roupa que André usou naquele dia, antes de sair com os amigos. O julgamento continua no próximo dia 27 de Fevereiro. Nessa sessão já deverá ser possível ao tribunal interrogar a única testemunha presencial que ainda não foi ouvida e que não tem comparecido ao julgamento, alegando estar a ser ameaçada.


06

pública: 6 de Fevereiro de 2008

cidade

Chuva levou o Carnaval infantil para o pavilhão municipal

O Pavilhão Municipal de Famalicão encheu-se de cor e alegria

O mau tempo e a chuva que se fizeram sentir ao longo do dia de sextafeira obrigou a transferir os festejos de Carnaval reservados aos mais novos para o Pavilhão Municipal. Apesar do contratempo, a festa não deixou de ser menos animada e menos colorida, com os pequenos foliões a divertirem-se de igual forma. Alguns estabelecimentos de ensino optaram, no entanto, por brincar ao Carnaval nas próprias instalações, longe da intempérie. Mesmo assim o pavilhão encheuse e perto de duas mil crianças mostraram as suas fantasias no desfile in-door, improvisado pelo pelouro de

Educação da Câmara de Famalicão, que promoveu a iniciativa. “Compactar um desfile de rua num pavilhão é difícil, mas tentamos minimizar o mais possível o efeito das condições atmosféricas”, apontou o vereador da Educação. “Em todo o caso – sublinhou Leonel Rocha – não deixa de ser um espaço com condições mínimas, porque uma festa destas deve acontecer na rua”. Apesar das limitações, bonecos de neve, animais, frutos, personagens de quase todas as fábulas e superheróis com os mais diversos poderes juntaram-se num desfile pleno de cor e alegria.

Meio milhar de idosos brincou ao Carnaval

Cerca de 500 idosos provenientes de várias instituições de solidariedade do concelho encheram, na passada quinta-feira, o Pavilhão Municipal de cor e alegria. Recordando e revivendo o verdadeiro Carnaval português, os seniores deram largas à imaginação e encarnaram as mais diversas personagens desde os tradicionais palhaços, a extra-terrestres, aos índios entre outras figuras. Com esta iniciativa, os idosos mostraram que a imaginação e criatividade não têm idade e

houve mesmo grupos que se mascararam em conjunto, como um baralho de cartas, um grupo de prisioneiros ou ainda as bruxinhas. Mas os seniores, além de vestirem a pele das personagens, adoptavam também a sua postura, reinando um ambiente de grande alegria e entusiasmo. No final, houve um concurso de máscaras e entrega de medalhas. Assim sendo, em primeiro lugar ficou o Lar S. João de Deus, em segundo o Centro Social de Pousada de Saramagos

e em terceiro lugar o Lar Jorge Reis. A festa continuou durante toda a tarde, com muita animação, música e brincadeiras. Para o presidente da Câmara, Armindo Costa, “esta é uma iniciativa de grande importância social, tendo em conta que envolve os seniores numa das festas mais populares e animadas do concelho que é o Carnaval”, acrescentando que “esta foi também uma excelente oportunidade para os seniores se divertirem e mostrarem a sua energia e criatividade”.


publicidade

pĂşblica: 6 de Fevereiro de 2008 07


08

pública: 6 de Fevereiro de 2008

cidade

Questão do pavilhão abordada em deslocação surpresa à secundária

Ministra visitou a escola Camilo mas não deixou garantias escola, bem como da instalação de um anfiteatro, foram outras carências apresentadas. Quem lamentou não ter sido informado da deslocação da tutelar da pasta da Educação à escola Camilo foi o vereador da Cultura na Câmara Municipal. Aliás, foi Leonel Rocha quem deu a “novidade” aos jornalistas, quando recebeu uma delegação de alunos no salão nobre dos Paços do Concelho, no âmbito da jornada de luta do passado dia 31. “A senhora ministra não tem que nos dar satisfações, mas se tivesse tido a amabilidade de nos avisar, um dos assuntos que iríamos abordar seria a questão do pavilhão para que os alunos possam ter melhores condições”, disse o responsável autárquico à imprensa e aos estudantes.

Protesto mobilizou estudantes da Camilo e da D. Sancho

Alunos contra políticas do Governo

Alunos concentraram-se nos Paços do Concelho

Cristina Azevedo Algumas centenas de alunos das escolas Camilo Castelo Branco e D. Sancho I aderiram, na passada quarta-feira, à greve nacional do Ensino Secundário, realizando uma manifestação de protesto contra as políticas educativas do Governo. Os estudantes contestam as aulas de substituição e os exames nacionais, e reivindicam a implementação da educação sexual e melhores condições materiais nas escolas. Palavras de ordem que foram ouvidas também em Famalicão, numa marcha de protesto organizada pelas associações de estudantes das duas escolas secundárias e que se iniciou, junto à Camilo, por volta das 8h30. Depois, os alunos rumaram até aos Paços do Concelho, sempre acompanhados por agentes da PSP

que iam controlando o trânsito, sobretudo nos cruzamentos das ruas por onde a marcha passava. Chegados aos Paços do Concelho, os alunos queriam ser recebidos por Armindo Costa, mas como o presidente se encontrava ausente foi o vereador da Educação, Leonel Rocha, que recebeu os dirigentes das associações de estudantes, no salão nobre. Tomou nota das reivindicações e prometeu que Armindo Costa enviaria uma carta à ministra da Educação dando conta das preocupações dos estudantes. “Ouvimos várias queixas, muitas já recorrentes, como é o caso da educação sexual que já há muito tempo anda a ser reivindicada para as escolas e que anda a ser descorada”, disse Leonel Rocha, no final da reunião, aos jornalistas, considerando ainda premente a questão da

falta de pavilhão gimnodesportivo da Secundária Camilo. Aliás, a falta deste pavilhão foi um dos motivos que levou os alunos daquela escola a aderir à greve nacional. “Não queremos escolas de primeira e de segunda, queremos um ensino normal para toda a gente, em que todas tenham as mesmas condições e direitos”, disse ao OP, Miguel Tiago, da Associação de Estudantes da Camilo, sublinhando as dificuldades que se colocam ao nível das aulas de Educação Física. “Temo-nos de deslocar todos os dias para o Pavilhão Municipal e algumas vezes não está disponível. Quando isso acontece, temos de ir para uma sala de aula”. De qualquer modo, Leonel Rocha advertiu que a Câmara não tem competência para resolver as questões colocadas e que a única atitude que poderá tomar será a de alertar Maria de Lurdes Rodrigues para elas. Algo que os estudantes compreenderam, manifestando-se satisfeitos à saída do encontro com o responsável autárquico. Também a adesão ao protesto satisfez os líderes das associações estudantis, que a consideraram maior do que a que foi registada em jornadas de luta anteriores.

Arquivo

mações” que o estabelecimento de ensino tem apresentado, concretamente a construção do pavilhão gimnodesportivo. Maria de Lurdes Rodrigues veio acompanhada de vários responsáveis, entre eles o presidente da Parque Escolar e a directora regional de Educação do Norte, porém pouco ou nada concretizou. “Não tivemos nenhuma notícia por parte da senhora ministra relativamente à previsão da entrada da Camilo no pacote das escolas a serem intervencionadas pela Parque Escolar”, referiu Jones Maciel. Mesmo assim, manifestou-se satisfeito com a visita, “já que permitiu apresentar pessoalmente à senhora ministra as nossas preocupações”. A falta de pessoal não docente e a necessidade de algumas intervenções na cantina da

Maria de Lurdes Rodrigues não avisou ninguém da sua visita

C . A.

Armindo recebeu prémio cultural da Liga dos Chineses em Portugal

Município reconhecido pela comunidade chinesa

António Freitas

A ministra da Educação esteve, a semana passada, na Escola Secundária Camilo Castelo Branco, mas não deixou garantias quanto à construção do pavilhão gimnodesportivo. Maria de Lurdes Rodrigues realizou uma visita surpresa à escola, na terça-feira da semana passada, em que o próprio conselho executivo só foi avisado dessa deslocação cerca de 20 minutos antes de ela acontecer. Já a comunicação social só soube do acontecimento na quinta-feira, durante a manifestação dos estudantes das duas escolas secundárias da cidade, no âmbito da greve nacional do Ensino Secundário [Ver notícia nesta página]. Contactado pelo OP, Jones Maciel disse que a principal preocupação da governante foi ver as instalações, “por certo na sequência das muitas recla-

Momento em que Armindo recebe o prémio no Casino da Póvoa

A Liga dos Chineses em Portugal distinguiu o presidente da Câmara de Famalicão, Armindo Costa, com um prémio cultural, na festa de abertura do novo ano chinês, que decorreu na última sexta-feira, no Casino da Póvoa de Varzim. O galardão, atribuído pelo Conselho de Mérito e Reconhecimento daquela liga, representa o reconhecimento desta instituição pelo trabalho desenvolvido pelo município de Famalicão em relação à comunidade chinesa residente no concelho, refere a autarquia em nota à imprensa, nomeadamente através da promoção de iniciativas como a Semana Cultural Chinesa, o ano passado. A comunidade chinesa no concelho é formada por

cerca de uma centena de pessoas e, para Armindo Costa, este prémio “simboliza o espírito de cooperação com a comunidade chinesa em Portugal”. De resto, lembra o autarca, “o município de Famalicão possui uma ligação secular à China, fortalecida pela presença no Oriente do missionário jesuíta Tomáz Pereira, cuja memória está imortalizada num busto, na freguesia de Vale S. Martinho, sua terra natal”. Esse missionário famalicense chegou a receber o título de mandarim, por parte do imperador Kangxi, que o mandatou, em 1689, como intérprete e conselheiro da célebre missão que selou o famoso tratado de Nertchinsk, delimitando as fronteiras entre a China

imperial e a Rússia dos czares. Manuel Silva Mendes foi outro famalicense que se distinguiu no Oriente, neste caso em Macau, onde chegou a ser presidente do Senado. “Mas a nossa ligação com a China está agora mais forte e intensa, com a presença entre nós de várias dezenas de famílias chinesas, que, em Famalicão, desenvolvem a sua actividade comercial”, lembra Armindo Costa, adiantando ter sido “precisamente com o objectivo de descobrir esta civilização, que para nós é mítica e distante”, que a autarquia organizou a Semana Cultural Chinesa, iniciativa que mostrou um pouco da arte, da cultura, da gastronomia e da filosofia de vida chinesas.


pública: 6 de Fevereiro de 2008 09

cidade

Famalicão e Guimarães lideram estatística de mortalidade Dos quatro locais do distrito, tidos como mais problemáticos em matéria de sinistralidade rodoviária, dois situam-se no concelho de Famalicão, concretamente na EN 14, em Ribeirão, e na A3, em Cabeçudos. Os outros dois pontos negros situam-se em Braga, na EN 103 (Gondizalves), e em Vila Verde, na EN 101 (Alívio). A informação foi veiculada, a semana passada, pela Comissão de Segurança Rodoviária do Governo Civil de Braga, no balanço à sinistralidade em 2007 nas estradas do distrito. José Lopes, chefe de gabinete do governador civil, afirmou que vai ser criada uma comissão para avaliar as razões de tantos acidentes naqueles locais. “Queremos saber as causas, se é um problema de sinalização, se é um problema de traçado”, vincou. A Comissão vai ainda fazer uma avaliação dos traçados e das estradas nos concelhos de Guimarães e Famalicão, que lideram as estatísticas de mortalidade. Em 2007, Famalicão foi o segundo concelho com maior número de vítimas mortais, sete no total, superado apenas por Guimarães, que registou 13. O concelho famalicense foi também um dos que registou maior

número de acidentes, 440, ficando em terceiro lugar nesta lista negra Braga lidera com 502 acidentes e Guimarães, apresenta-se em segundo com 478. Mesmo assim, o ano que passou foi menos trágico em relação ao ano de 2006. Registou-se, no distrito, uma diminuição do número de mortos e de feridos graves. Em 2007 registaram-se 2602 acidentes com vítimas, de que resultaram 44 mortos, 206 feridos graves e 3388 feridos ligeiros. Comparando com os dados de 2006, houve menos 143 acidentes, menos 16 mortos, menos 17 feridos graves e menos 207 feridos ligeiros. José Lopes anunciou que “estão a ser cumpridos os objectivos propostos pelo plano nacional para o distrito”, em termos de redução da sinistralidade grave, mas considerou que se “pode fazer mais e melhor”, sobretudo “no que aos pontos negros diz respeito”. O acidente mais frequente foi a colisão (59%), seguindo-se os despistes (25% e os atropelamentos (16%). A velocidade excessiva continua a liderar em termos de causa mais provável para os sinistros.

José Lopes disse que o distrito está a cumprir os objectivos do plano nacional

A partir de sete entidades, programa envolveu 300 pessoas

Rede de parcerias é prova de sucesso do Inovar@ve Celso Campos A rede de parcerias criada em torno do projecto Inovar@ve é a prova do seu sucesso. É esta a convicção dos vários parceiros deste projecto anunciada, quintafeira, no arranque do segundo seminário promovido no âmbito desta iniciativa. O encontro decorreu ao longo de todo o dia na Universidade Lusíada de Famalicão e pretendeu abordar os rumos e os trajectos da qualificação das organizações. O projecto Inovar@ave destinou-se a qualificar as organizações sem fins lucrativos e públicas da região. Nesse âmbito foram promovidos três cursos de pós-graduação e outros de formação contínua, envolvendo um total de cerca de 300 pessoas, entre promotores, formadores e formandos. O número foi revelado, na ocasião, pela reitora da Universidade Lusíada – uma das entidades promotora – que revelou ter acompanhado o desenrolar dos trabalhos. Nesse sentido Rosa Moreira reconheceu ter havido, inicialmente, alguma retracção das várias entidades envolvidas, dada a novidade do trabalho em rede, no entanto, o projecto “foi avançando, foram definidas estratégias de trabalho em rede e o sucesso foi tornando-se maior à medida que as dificuldades foram sendo ultrapassadas, tendo em vista o objectivo comum da parceria no seio do Vale do Ave”. Ao fim de algum tempo os sete parceiros “estavam a pensar e a agir de forma integrada”, pelo que o Vale do Ave “está mais rico” a este nível. É que segundo Rosa Moreira, os benefícios do

Celso Campos

Balanço da sinistralidade no distrito em 2007

Segundo seminário do Inovar@ve decorreu na Universidade Lusíada

projecto já foram multiplicados várias vezes face aos 300 intervenientes directos no Inovar@ve. Na óptica da reitora, há três aspectos a salientar e a prosseguir: por um lado, as metodologias e técnicas inovadoras, por outro continuar a promover a qualificação e inovação de modo a reforçar a competitividade e a sustentabilidade contribuindo para um maior desenvolvimento estratégico local e regional e, finalmente, continuar a estruturar uma rede de competências e de modelos de planeamento dentro de um quadro de cooperação interinstitucional. Por sua vez, o presidente da Câmara de Famalicão, Armindo Costa, que preside também à Adrave, outra das entidades parceira deste projecto, sublinhou que as organizações aderentes “tiveram aqui uma excelente oportunidade de criar e desenvolver competências que, no curto prazo, resultarão no aumento da eficácia e eficiência das suas actividades”. O edil entende que a

“modernização e inovação” introduzida no seio dessas organizações por via das pessoas que aí trabalham e que participaram nos cursos de pós-graduação e formação contínua “constituem uma base fundamental para o aumento da sua competitividade”. De resto, Armindo vinca que “desenvolvimento e inovação são duas máximas fundamentais para a nossa estratégia que nunca devemos perder de vista”, vincando que estas organizações “desempenham um papel fundamental no desenvolvimento social e devem caminhar no sentido da profissionalização, introduzindo modernas práticas de gestão”. O projecto Inov@rave é promovido pela Associação de Municípios do Vale do Ave, em cooperação com outras entidades, designadamente a ADRAVE, a Universidade Lusíada de Famalicão, a Universidade Católica de Braga, a Sol do Ave, a Oficina de Inovação/BIC Minho, e a StudiaForum.


10

pública: 6 de Fevereiro de 2008

cidade

Equipamentos estão previstos no Plano de Acção do SIRVA até 2015

Famalicão vai ter mais dois ecocentros Paulo Couto O município de Famalicão vai ter mais dois ecocentros, no âmbito do Plano de Acção do SIRVA (Sistema Intermunicipal de Resíduos do Vale do Ave). Este novo documento foi apresentado no passado dia 29 de Janeiro, em Guimarães, durante o Fórum Ambiente Vale do Ave 2015, organizado pela Associação de Municípios do Vale do Ave (Amave). O novo Plano de Acção do SIRVA é para vigorar nos próximos 8 anos e tem como principal desafio a procura da sustentabilidade ao nível ambiental, social e económico. “Tem como meta principal a redução de custos e, ao mesmo tempo, a optimização da recolha de resíduos, completou o vereador do Ambiente da Câmara de Famalicão, José Santos, que representou o município naquele fórum, acrescentando ainda que, “com isso, vamos reduzir a colocação de resíduos em aterro e cada vez mais reciclar, de forma a tornar sustentável a recolha, seja ela selectiva ou a recolha normal”. Para cumprir estes objectivos, o Plano de Acção do SIRVA pressupõe também a construção de novas infra-estruturas, entre elas

Presidente da AMAVE (ao centro) pede envolvimento dos cidadãos

um aterro, já designado para o município de Fafe, e mais cinco ecocentros, sendo que dois deles vão ficar implantados no concelho de Famalicão. Assim, Famalicão junta ao ecocentro de Esmeriz mais dois novos postos de recolha selectiva, sendo que “um deles será implantado na zona intermédia entre Famalicão

e Guimarães, na ETRSU de Riba d’Ave, e o outro será colocado na zona Norte do concelho, entre Vale de S. Cosme e S. Tiago da Cruz”, adiantou o vereador. Este novo plano prevê ainda a criação de um tarifário único para todos os habitantes dos concelhos da bacia do Rio Ave, que pagarão o mesmo pela recolha dos

Deputado do PS esperava mais reforço da oposição e da Assembleia

Nuno Sá coloca reservas à lei eleitoral autárquica Cristina Azevedo O deputado famalicense Nuno Sá votou favoravelmente as alterações à lei autárquica, mas diz que ficam muito aquém do que seria desejável. O parlamentar do Partido Socialista, eleito pelo Círculo de Braga, tornou pública, a semana passada, uma declaração de voto, onde expressa algumas reticências à nova lei eleitoral autárquica, aprovada pela Assembleia da República (AR), mediante um pacto de regime entre o PS e o PSD. Enquanto deputado do Grupo Parlamentar do PS esteve sujeito à disciplina de voto, porém, Nuno Sá quis dar conhecimento da sua posição política pessoal, considerando que a nova legislação, “embota tenha méritos, poderia ir mais além, em questões para as quais continua a não dar resposta”. Para ele, “continua a subsistir desigualdade de meios e institucional” entre quem exerce o poder e a oposição. “A nova lei reforça a figura do presidente da Câmara Municipal eleito, que terá sempre a maioria no executivo e, a esse reforço, não corresponde, a meu ver, um reforço da figura de um presidente sombra por parte da oposição”, explicou ao OP, defendendo que “a via da dotação de mais poderes políticos e de mais meios logísticos e financeiros para uma oposição centrada na Assembleia Municipal (AM) seria a mais sensata, equilibrada e eficaz”.

Também no que diz respeito à AM, o deputado entende que o reforço que se tentou dar a este órgão não foi suficiente. “A única competência que a Assembleia Municipal tem a mais é a possibilidade de votar uma moção de rejeição ao executivo, que tem de ser repetida quinze dias depois dessa primeira expressão de rejeição”. Nuno Sá preferia “uma Assembleia Municipal mais reduzida, com menos elementos, mas com mais competência e disponibilidade para acompanhar a actividade da Câmara”. Por outro lado, manter a inerência dos presidentes de Junta na AM, apenas não podendo votar o Orçamento e as Opções do Plano, “não é também resposta ao problema de arbitrariedade política da Câmara na distribuição de meios e de obras pelas freguesias”. Em alternativa, Sá defende que se deviam instituir mecanismos de distribuição obrigatória de meios por todas as freguesias do concelho, que poderia ser calculada através de coeficientes territoriais, fiscais e de população. “Aí sim, nenhum presidente de Junta ficaria à mercê das vontades e dos caprichos do presidente da Câmara Municipal”, conclui. Nuno Sá espera agora que estas questões possam ser debatidas na AR, aquando da discussão do projecto de lei na especialidade.

resíduos, independentemente do local de residência. Ainda sem valor definido, essa taxa terá que entrar em vigor até 2009. A criação de um Observatório de Sustentabilidade Ambiental, capaz de supervisionar tudo o que diz respeito aos resíduos em todos os municípios do Vale do Ave, foi outra das medidas apre-

sentadas pela associação. A nova estratégia a implementar passará igualmente por uma redefinição da imagem deste Sistema Intermunicipal, que será integrada e articulada com os investimentos preconizados pelo Quadro de Referência Estratégico Nacional (QREN). Para a implementação do plano assumem particular destaque as acções de sensibilização da população, cuja participação é indispensável para que a sua execução seja possível. Para o presidente da Associação de Municípios, António Magalhães “a Amave tem um trabalho feito mas não pode ficar parada no tempo e, dentro daquilo que está consignado para o país, preparou um plano de acção que quer cumprir até 2016”. Esse plano passa por um conjunto de metas para poder ser levado à prática com sustentabilidade pelos municípios do Ave “quer racionalizando o que tem no terreno, quer passando a mensagem aos seus concidadãos, para que em conjunto nos permitam tornar a região melhor preparada para resistir aos desafios que o país tem de ter, ou o planeta tem de ter para que o ambiente seja mais saudável”, declarou o autarca.

Samanta Cabeleireiros na Praça D. Maria II

Nasceu mais um espaço em Famalicão, destinado a mulheres que gostam de cuidar da sua imagem: Samanta Cabeleireiros, um lugar onde pode cuidar do seu cabelo… e não só. Agora, no centro de Famalicão pode visitar Samanta Cabeleireiros, que se apresenta como “um espaço requintado, com um serviço personalizado, a preços fantásticos”. Este estabelecimento está aberto de segunda a sábado, com um horário feito à sua medida. Por isso, agora não tem motivos para não cuidar de si. Pode recorrer aos serviços da Samanta Cabeleireiros às segundas-feiras, das 13 às 20 horas; de terça a sexta-feira, das 10 às 20 horas; e aos sábados, das 9 às 20 horas. A Samanta Cabeleireiros está situada na Praça D. Maria II, nº 1268, r/c, Loja 7.


publicidade

pĂşblica: 6 de Fevereiro de 2008 11


12

pĂşblica: 6 de Fevereiro de 2008

publicidade


pública: 6 de Fevereiro de 2008 13

freguesias

Empresa está a terminar uma ampliação, mas já tem novo projecto

Continental Mabor investe 50 milhões

Arquivo

O proprietário de um veículo comercial ligeiro, residente na Travessa da Eira, em Vermoim, viu várias peças e elementos do seu automóvel desaparecerem, literalmente da noite para o dia. Quando, na manhã de sábado, se preparava para sair, chegou junto do automóvel e não acreditou no que viu. A viatura não tinha faróis, estava com as portas abertas e do seu interior tinha desaparecido quase tudo, desde os assentos, ao volante, passando pelo auto-rádio e pelas forras das portas. Apesar de ser uma zona densamente urbanizada, ninguém se apercebeu da “desmontagem” do veículo durante a noite. O proprietário participou o caso à GNR de Joane, que fez deslocar ao local uma equipa especializada para recolha de elementos, tendo em vista a detecção dos autores do crime.

Novos investimentos destinam-se a pneus de muito alta performance

A Continental Mabor, empresa produtora de pneus sediada em Lousado, preparase para realizar um investimento de 50 milhões de euros, de forma a aumentar a sua produtividade. Metade deste montante está já a ser aplicado na ampliação que está em fase final de construção e que deverá iniciar a laboração a partir do próximo mês de Abril. A empresa quer, no entanto, continuar a expansão e lançar novo investimento. Assim, as duas intervenções foram fundidas num único projecto apresentado à Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal (AICEP). Estes novos investimentos visam, sobretudo, aumentar a produção de pneus na chamada gama UHP

(Muito Alta Performance). “Este investimento não é apenas relevante para a nossa unidade, mas é também importante para o país. Com as alterações previstas na unidade de Lousado, esperamos atingir um aumento de produção de cerca de 2 milhões de pneus anuais”, explica Lopes Seabra, presidente da Continental Mabor, em nota à imprensa, acrescentando que visa a criação de mais de 40 novos postos de trabalho, a juntar aos cerca de 1.500 que a empresa já possui. O responsável da empresa acredita na aprovação do projecto, quer pela AICEP, quer pelo grupo Continental a que a unidade de Lousado está ligada. “Temos uma boa imagem junto da sede e a nossa é a fábrica mais eficiente do grupo, pelo que,

caso as condições da AICEP sejam favoráveis, a decisão final, que será tomada em Março, deverá ser em nosso benefício”, antevê. Com início previsto da segunda parte do investimento para o Verão, Lopes Seabra estima um volume de negócios na ordem dos 600 milhões de euros em 2010. De recordar que o ano de 2007 fechou com vendas na ordem dos 474 milhões de euros, mais 30 milhões que em 2006, ano em que os lucros ascenderam aos 92,9 milhões de euros. O ano passado produziu 15,3 milhões de pneus, dos quais 98% destinaram-se a exportação e a equipar, em 43% dos casos, as linhas de montagem de algumas marcas de referência da indústria automóvel.

Farmácia Paula Reis celebra 3º aniversário

José Clemente

Carro delapidado durante a noite em Vermoim

Noite de fado em Calendário No próximo sábado, em Calendário, pode assistir a um espectáculo de fado. A partir das 20 horas pode ouvir Maria do Sameiro, Augusta Cardoso, Joaquim Macedo e Ernesto Salgado acompanhados à gui-

tarra por Amável Carneiro e à viola por Manuel reis e Nanu. O evento terá lugar no Centro Social Cultural e Recreativo de S. Miguel o Anjo e conta ainda com uma ceia regional.

ATC promove curso de formação de motorista A Associação Teatro Construção, em colaboração com a PROTAXISÓ, vai realizar um curso de formação profissional inicial para motorista de transporte colectivo de crianças. Com a duração de 35 horas, a formação decorrerá entre o próximo dia 11 e 21 de Fevereiro. Os interessados devem pedir informações na ATC.

CONVOCATÓRIA Nos termos do Artº. 13º,14º e 15ºdos Estatutos da Casa do F.C.Porto de V.N.de Famalicão, convoco uma Assembleia Geral Ordinária da Casa do F.C.de Famalicão, para se reunir no dia 28 de Fevereiro de 2008, pelas 21h30 na sede desta Associação, Rua de S.Julião - Jardins do Penedo - Lote 1 4760-384 Calendário, com a seguinte ordem de trabalhos: 1) Leitura, discussão e votação da acta da Assembleia Geral de 31 de Janeiro de 2007; 2) Apreciação, discussão e votação do Relatório e Contas e parecer do Conselho Fiscal, relativo ao ano de 2007; 3) Aprovação do Plano de Actividades e Orçamento para 2008; 4) Outros assuntos de interesse para a Associação.

A celebrar o 3º aniversário, a Farmácia Paula Reis, em Calendário, continua com o objectivo de prestar um serviço de qualidade a toda a população. Agora, e para além da medição dos níveis de colesterol, triglicéridos e glicose, agora naquele espaço pode também fazer análises à próstata e ao ácido úrico, não esquecendo do peso, altura e tensão arterial. Na farmácia Paula Reis encontra, como habitualmente, produtos farmacêuticos, produtos para bebé e mamãs e uma secção de cosmética. A farmácia Paula Reis está situada em Calendário, na Rua José Elísio Gonçalves Cerejeira, nº 629. Agora a funcionar de segunda a sexta-feira, das 8H30 às 20 horas, e aos sábados das 8H30 à 13 horas e das 14 às 19 horas.

Nos termos da alínea b) do Artº. 15º. dos Estatutos se declara que, se à hora marcada, não estiver presente um terço dos sócios, ela reunir-se-á, com qualquer número de sócios meia hora depois. Vila Nova de Famalicão, 6 de Fevereiro de 2008

O Presidente da Assembleia Geral José Borges Pinto de Azevedo


14

pública: 6 de Fevereiro de 2008

publicidade

CARTÓRIO NOTORIAL DO NOTÁRIO RUI SÉRGIO TEIXEIRA DOS SANTOS, SITO NA RUA DANIEL SANTOS, Nº 25, 1º ANDAR, SALA 5, DA FREGUESIA E CONSELHO DE VILA NOVA DE FAMALICÃO. ficca, para efeitos de Rui Sérgio Teixeira dos Santos, notário, certifi publicação que, por escritura de vinte e nove de Janeiro de dois mil e oito, exarada de setenta e oito a folhas oitenta do livro de notas para escrituras diversas número “oitenta-A”, deste Cartório, a) JÚLIO DA COSTA BARROS, NIF 101 681 380, e mulher, MARIA NATÁLIA VILARINHO DA SILVA BARROS, NIF 101 681 399, casados no regime da comunhão de adquiridos, naturais, ele da freguesia de Antas e ela da freguesia de Joane, ambas as freguesias deste concelho, e residentes na Rua Vieira da Silva, nº 48, da freguesia e concelho de Vila Nova de Famalicão; b) FORTUNATO COSTA BARROS, NIF 139 788 506, solteiro, maior, natural da dita freguesia de Antas, onde reside na Praça D. Maria ll, nº 838, 2º andar; c) MARIA ARMINDA DA COSTA BARROS, NIF 166 958 387, e marido, ALCINO AUGUSTO FERREIRA DA COSTA, NIF 111 699 525, casados no regime de comunhão de adquiridos, naturais, ela da dita freguesia de Antas e ele da freguesia de Brufe, deste concelho, residentes na Praça D. Maria ll, nº 838, 2º andar, da dita freguesia de Antas; e d) HIPÓLITO DA COSTA BARROS, NIF 117 261 351, e mulher, MARIA DAS DORES SOUSA ALVES BARROS, NIF 158 772 016, casados no regime da comunhão de adquiridos, naturais, ele da dita de Antas e ela da freguesia de S. Sebastião da Pedreira, concelho de Lisboa, residentes na Rua do Loureiro, nº242, freguesia de Gavião, Concelho de Vila Nova de Famalicão; declaram que com a exclusão de outrem, são donos e legítimos possuidores, em comum e na proporção de um quarto indiviso para os da alínea a), um quarto indiviso para o da alínea b), um quarto indiviso para os da alínea c) e um quarto indiviso para os da alínea d), do seguinte imóvel: Prédio urbano, composto por casa de habitação de rés-do-chão e andar, com área coberta de oitenta metros quadrados, e quintal com cem metros quadrados, situado na Rua Domingos da Costa Simões, nº 81, lugar de Senra ou Covelo, freguesia de Calendário, concelho de Vila Nova de Famalicão, a confrontar actualmente, em virtude de alteração superveniente à descrição, do Norte com Noémio Macedo da Rocha, do Sul e Poente com Lucinda Augusta Laport Barbosa e do Nascente com a Rua Domingos da Costa Simões, descrito na Conservatória do Registo Predial de Vila Nova de Famalicão sob o número quarenta e sete mil duzentos e três, a folhas cinquenta e sete do livro B-cento e vinte e nove, cuja aquisição se encontra registada a favor de Abílio José de Barros, no estado de casado, com Palmira Gonçalves da Silva, pela inscrição número trinta e um mil trezentos e setenta e três, a folhas trinta e oito verso do livro G-trinta e nove, inscrito na respectiva matriz sob o artigo 817. Que não são detentores de qualquer título formalmente válido que legitime o seu domínio sobre o referido prédio e permita assim o registo a seu favor do mesmo. Que, no entanto, entraram na posse do referido prédio por doação verbal feita a eles pelos referidos Abílio José de Barros e Palmira Gonçalves da Silva, casados que foram no regime de comunhão geral, por volta do ano de mil novecentos e oitenta e cinco, não tendo nunca sido possível formalizar a projectada escritura de doação. Que, não obstante isso, têm, desde então, exercido no referido prédio todos os poderes de facto correspondentes ao direito de propriedade do mesmo, nomeadamente cuidando da sua conservação e limpeza, cultivando o quintal, colhendo os respectivos frutos, tudo sempre com ânimo de quem exerce direito próprio, sendo reconhecidos como seus donos por toda a gente, posse que adquiriram e sempre exerceram pacificamente, porque sem violência, contínua e publicamente, à vista e com o conhecimento de todos os interessados e sem oposição de ninguém, e, tudo isto, por lapso de tempo superior a VINTE ANOS. Que dadas as enunciadas características de tal posse adquiriram o referido prédio por USUCAPIÃO, título esse que, por natureza, não é susceptível de ser comprovado pelos meios normais. Está conforme e confere com o original na parte transcrita. Cartório Notarial do Notário Rui Sérgio Teixeira dos Santos, em Vila Nova de Famalicão, 29 de Janeiro de 2008. O Notário, Rui Sérgio Teixeira dos Santos. PUBLICAÇÃO ÚNICA - Jornal Opinião Pública 06/02/2008

Liberdade Futebol Clube

CONVOCATÓRIA Ao abrigo dos Estatutos, convoco os Sócios do Liberdade F.C., para uma Assembleia Geral, a realizar-se no dia 20 de Fevereiro (Quarta-feira), pelas 21h30, na Sede Social deste Clube. Ordem de trabalhos: • Eleição dos novos Corpos Gerentes para o Triénio 2008/2010: • Outros Assuntos de interesse para o Clube. Vila Nova de Famalicão, 6 de Fevereiro de 2008. O Presidente de Assembleia Geral (Fernando Domingues dos Santos)

PRECISA-SE Técnicos Ar Condicionado Superclima, Lda TLM: 917 337 391

AR CONDICIONADO ORÇAMENTOS Superclima, Lda TLM: 917 337 391

PRECISA-SE Empregados de mesa M/F com ou sem experiência Part-time Resposta para: info.allparty@gmail.com ou carta ao Jornal Opiniao Publica nº 822/3

Cavalheiro de 65 anos A viver sozinho Procura senhora a partir dos 55 anos para viver juntos. Assunto sério - Com casa própria Contacto 918 892 761 ou carta ao Jornal Opiniao Publica nº 822/2

Procuro um cavalheiro dos 40 aos 50 anos. Católico de preferência sem filhos Solteiro e amigo Que não beba nem fume Contacto: 937 285 280

ISOLOMINHO

ADMITE Aplicadores de telas asfalticas Contacto: 919 695 455

Empresa de Construção Civil e Obras Públicas admite:

Administrativo de Obra M/F PRETENDE-SE: Habilitações adequadas à função Experiência similar como administrativo de obra Disponibilidade para todo o país OFERECE-SE: condições adequadas às funções a assumir Resposta em carta a este jornal ao n.º 822

Associação Desportiva de Esmeriz

CONVOCATÓRIA Nos termos do art. 38 alínea b dos estatutos, convoco uma Assembleia Geral Ordinária da Associação Desportiva de Esmeriz, em 1ª convocação para dia 15 de Fevereiro de 2008, com início pelas 20h00 e términos pelas 22h00, na sede da Junta de Freguesia de Esmeriz, sita, na rua da junta, aldeia nova, Esmeriz, com a seguinte ordem de trabalhos: 1- Eleição dos órgãos dirigentes para o ano de 2008 da Associação Desportiva de Esmeriz. 2- Outros assuntos de interesse da Associação Desportiva de Esmeriz. A apresentação de candidaturas, é efectuada até 48 horas antes, no local onde se realizarão as eleições ou em mão, ao Presidente da Assembleia em exercício. Presidente da Assembleia-Geral (Ricardo Mendes)


pública: 6 de Fevereiro de 2008 15

freguesias

Carnaval na Forave A Forave assinalou o seu Carnaval na passada sexta-feira. Este ano, os heróis das fantasias foram as personagens de desenhos animados. Na quintafeira, os alunos começaram a criação dos fatos e como já vem sendo hábito, os materiais utilizados foram os reciclados e recicláveis. As turmas puseram a imaginação ao serviço da festa e escolheram as suas personagens favoritas – das mais tradicionais às mais irreverentes – e nem o célebre par Mickey e Minnie foram esquecidos, apesar da sua já respeitável idade. O desfile aconteceu durante a tarde de sexta-feira no ginásio da escola e os fatos foram apreciados por um júri que premiou as melhores fantasias. Os contemplados foram: 3º lugar - Serralharia Civil (Noddy) e Técnico de Processamento e Qualidade Alimentar (A Bela e o Monstro); em 2º lugar - Apoio Familiar e à Comunidade (Branca de Neve e os sete anões) e Técnico de Electrónica, Automação e Comando (Inspector Gadget); e em 1º lugar – Técnico de Gestão 2º ano (Mickey e Minnie).

Brasileiras detidas em bar de Pedome A GNR deteve cidadãs brasileiras num bar da freguesia de Pedome, no âmbito de um inquérito pelo crime de lenocínio, ou seja, favorecimento à prostituição obtendo lucro a partir dessa actividade. A operação foi liderada pelo Núcleo de Investigação Criminal (NIC) da Guarda Nacional Republica de Santo Tirso e desenvolveu-se na madrugada do passado dia 29 de Janeiro, visando desmantelar uma rede organizada de lenocínio. A acção desenrolou-se en-

tre a 1h30 e as 14 horas desse dia e teve como principal alvo a Residencial Cairense, que funcionava há mais de cinco anos no 11º andar de um prédio da Rua do Cairo, na cidade de Braga. Aí, foram detidas 15 brasileiras. A investigação deste processo iniciou-se há vários meses e deu origem ainda a mais duas buscas a estabelecimentos suspeitos de favorecerem igualmente a prostituição: o bar Ribaltas, em Pedome, e o bar Éden, na zona industrial de Var-

ziela, em Vila do Conde. Após o fim das averiguações nas casas de alterne, pelas 7 horas, o NIC colocou em curso cinco buscas em residências e num stande de automóveis dos suspeitos. Desta operação resultou a constituição de quatro arguidos – duas mulheres e dois homens, com idades entre os 28 e os 35 anos – e a identificação de 32 cidadãs brasileiras, tendo ainda sido identificados três estrangeiros. Foram também apreendidas nove viaturas.

Santander Totta inaugurado em Ribeirão

Inauguração foi assinalada com um brinde

Foi inaugurado, na passada sexta-feira, o novo balcão do banco Santander Totta na vila de Ribeirão. “A abertura deste novo balcão insere-se no programa de expansão da nossa rede comercial no concelho, onde passamos a dispor agora de seis balcões”, declarou Leite Maia, coordenador Norte do Santander Totta. O responsável salientou ainda a magnitude do Santander, frisando que o Banco Santander Totta “tem cerca de 1,8

milhões de clientes, conta com uma rede de 700 balcões e tem aproximadamente 6.000 empregados”, uma instituição “que passou a deter o melhor ‘rating’ da banca em Portugal e que foi considerado pela Euromoney como a melhor instituição bancária a operar em Portugal”. Na cerimónia de abertura marcaram presença várias entidades da vila de Ribeirão, nomeadamente o presidente da Junta. No seu discurso, José Reis

Moreira sublinhou que a aposta feita por esta instituição bancária é “um sinal de evidente progresso da nossa vila”. O balcão de Ribeirão será liderado por Graça Guerra, que na inauguração vincou o trabalho que será feito em Ribeirão, a disponibilidade e profissionalismo dos funcionários, salientando que “esta equipa estará sempre disponível para satisfazer da melhor maneira os clientes, no atendimento e a nível de prestação de serviços”.


16

pública: 6 de Fevereiro de 2008

publicidade VENDO TERRENO EM PARAÍSO - DELÃES ÁREA 732 M2

Postos de Distribui ção Abade de Vermoim Restaurante Costa e Silva Rua 25 de Abril Antas Quiosque Capões Lugar da Portela Quiosque Central Central Camionagem Sede do A.R.C.A. Lugar da Portela Quiosque Espaço Verde Rua 8 de De zembro Anta’s Café Edif. Jardins do Lago Retiro da Mariquinhas Lugar da Igreja Arnoso Santa Eulália Café Santo Amaro Rua Dr. Agost. Fernandes Café Bastos Rua da Car valheira, 111 Arnoso Santa Maria Café do Altinho Rua do Altinho Posto de Abastecimento Junto à Engenho Supermerc. Diamantino Lugar de Lages Casa Bola d’ouro Av. Conde Arnoso Mini Mercado Costa Rua 8 de De zembro Restaurante do Altinho Lugar do Altinho Foto Look Av. dos Moinhos Avidos Café-Restaurante Amaury Estrada Nacional 204/5 Fatipão Tra vessaQuinta da Ponte Pão & Companhia Estrada Nacional 204/5 Churrascão Sousa Rua Estrada Nacional 204/5 Bairro Papelaria Compasso Avenida Sil va Pereira Café Pastelaria Sonho Azul Av. Joaquim Leite Pastelaria Pão Quente Rosa Celeste Av. Joaquim Leite Bente Supermercado Belita Lugar de Cardal Churrasqueira O Toneco Avenida dos Emigrantes Café Sampaio Rua da Praça, 385 Brufe Electrokioske Rua Joaquim Pereira Supermercado Azevedo Rua D. Jorge Ortiga Mini-mercado Né Rua Manuel Moreira Maia Supermercado Teresinha Av. dos Emigrantes, nº 1707 Cabeçudos Bricoonda Rua Estrada Nacional 204 Quiosque Central Lugar do Souto Casa Carlos Rua 25 de Abril, 145 Calendário Casa Magote Rua de Rorigo Eugénios Health Club R. P. Avis de Brito Quiosque das Oliveiras Rotunda das Oli veiras Restaurante D. Antónia Ribaínho Sede Barrimau R. José Elísio G. Cerejeira Bodyline - Training Center Rua Visconde de Gemunde Casa FC Porto de Famalicão Rua S. Julião - Ed. Jardins Penedo Talho Morado Rua José Gonçal ves Cerejeira, 61 Supermercado Horácio & Sousa Av. D. Afonso Henriques, nº 3680 Dom Marco – Padaria Pastelaria R. Saint Fargeau Ponthierry - Ed. Eurofama Diogo Snack-Bar Rua José Oliveira Menezes - Recta Sr. dos Perdões Carreira Mini Mercado Bezerra Rua do Monte Café Santiago Rua da Estrada 204/5

Cafetaria Franlu Rua do Fojo, 152 Cabeleireiro Novo Visual Rua do Fojo, 152 Castelões Casa Chico Rua Ál varode Castelões Pastelaria Flôr da Ribeira Prta Ál varo de Castelões Pastelaria P. Quente Castelões Rua Georgiana Neto Pastelaria Sta Catarina Rua Vera Cruz Café Tocano Rua de S. josé, 152 Cavalões P. Repsol Os Emigrantes R. Dr. José A. Carneiro Cruz Mercearia Rego Av. S. Tiago da Cruz Peluche - Pastelaria Largo Sr. dos Aflitos Delães Papelaria Marques Avenida da Portela (Posto Galp) Papyrus Av. Albino Marques, Ed. Europa Pavilhão Delães Bairro Augusto Correia Quiosque junto à igreja Supermercado Belita Rua da Igreja Pastelaria Carmita Av. Albino Marques, nº 366 Pastelaria Doce Marco Zona Industrial Pocinhos Peixoto Sport Junto aos Correios Sapataria Peixoto Junto aos Correios

Café Europa Av. dos Lamosos Landim Lucyland Rua da Estrada Nacional Mercado Stª Marinha Rua Santa Marinha, 273 Quiosque Landinense Junto ao Mosteiro Cervejaria das Campas Rua do Sobreiral, nº 12 Junta Freguesia de Landim Alameda do Mosteiro, nº 62 Café Carvalhal Largo da Senhora das Dores, nº2 Café Vida Nova Lugar de Segures Café França Avenida da Tílias Lemenhe Café Avenida R. P. Domingos A. Pereira Café Costa Verde Aldeia No va Restaurante Fervenças Rua Papa João Paulo II Louro Taberna Ilha do Fogo Barradas Café Central Tra vassos Bar do GD Louro Rua Martires do Ultramar Carfoto R. Padre Domingos J. Pereira , 1155 Lousado Quiosque do Souto R. Cardeal Cerejeira Restaurante Linha Lugar do Souto Café Tae-Kwon-Do Loteamento Mabor, 52

Esmeriz Café Principal Avenida Carlos Bacelar Café Jota Largo do Souto, 86 Livraria e Papelaria Grafiarjo Junto às escolas primárias

Mogege Café Boavista Lugar da Boa vista Pastelaria Celiana Av. Padre António Ferreira, 470 Café Águia Rua da Liberdade, 166

Fradelos Posto Galp Junto à Junta de Freguesia Quiosque Reis Rua Sta. Leocádia TF Gest - Posto Combustíveis Lugar da Quinta

Mouquim Adega Reg. Stª Filomena Ançariz Mini Mercado Igreja Largo da Igreja

Gavião Estrela da Sorte Lotarias Junto à Rot. Stº António Posto Repsol Estrada N14 Mini-Mercado S. Vicente Rua 20 de Junho

Nine Estação Serviço Cepsa Lugar da Estação Café Santos Quintães CP Quiosque Edifício Estação Caminhos Ferro Nine

Gondifelos Casa das Prendas Parque das Tílias P. Abastecimento Sopor Av. São Félix

Novais Mini Mercado Azevedo Largo S. Simão Café Reguila Rua das Almas

Joane Bar ATC Biblioteca ATC Rua Dr. Agostinho Fernandes Café Central Lugar de Telhado Petro Joane Rua S. Bento Mercearia Olivia Lopes Lugar Rui vos Piscinas Rua de Leognan Quiosque da Feira Largo da Feira Quiosque Central de Joane Largo da República Snack-Bar O Rei dos Cachorros R. dos Laburins - Ed. Pérola do Vau Supermercados Dá-Cá Tv. Padre Sil va Rego, Lj.11 Supermercado Henrique Avenida dos Laborins Informarbelo Tra vessa de Barreiros, nº 105 Churrasco da Ponte Labruge Posto de Combustível de Joane Av. Dr. Mário Soares Snack Bar O Rei dos Cachorros II Labruje

Oliveira Santa Maria Café Riera São Cristo vão Delnet, Lda Av. 25 de Abril Scam- Posto Gasolina Rua do Sestêlo

Jesufrei Café Mercearia Ramos Rua da Igreja Café S. Miguel Rua P. Domingos A. Pereira Lagoa Casa Carvalho Rua EN 204

Portela Café Snack-Bar Nova Era Rua da Igreja

Oliveira São Mateus Café Esplanada R. Estrada Municipal 574 Mini Mercado Vieira Lugar do Quinteiro Piscinas Lugar do Quinteiro Pizzaria Topo Gigio Rua S. José Mini Mercado das Casas Rua 1º De zembro, 64 Papelaria Andrade Rua da Santana Outiz Papelaria Fernandes Av. Jorge Reis Pedome Café S. Cristovão Rua da Bemposta Café Centro Av. S. Pedro

Pousada Saramagos Pap. Carlos Carvalho Av. Stª Justa

Quiosque Pousada Avenida da Riopele Papelaria Livraria Nove Av. do Cru zeiro, 171 Associação Família Benfiquista Rua de Espanha, nº 128 Requião Bar do Salão de Festas Lugar do Mosteiro Estação Serviço Portela Estrada 206 Mini-Bazar da Portela Lugar da Portela Talho Ribeirais Rua de Ribeirais Restaurante Zé Costa Avenida S. Sil vestre Riba d’ Ave Café Latitude Trav. Camilo Cast. Branco Café Para Pedro Rua Joaquim Ferreira Junta de Freguesia de Riba d’Ave A. Tílias, nº 39 Parque das Tílias Pa vilhão Riba d’Ave Papelaria Riscos e Rabiscos Av. Narciso Ferreira Papelaria Maria Aurora Silva R. 25 de Abril - R/C - Dir Azoria - P. de Combustiveis Av. Cidade Abreu & Lima, nº2 Café Central Rua 25 de Abril Ribeirão Bar do GD Ribeirao Campo do Passal Quiosque Central Frente à Junta de Freguesia Restaurante Colina do Ave Rua do Vau, 11 Mercado Azevedo Av. 3 de Julho Café Paris Compl. Hab. Bragadela, Loja 28 Charly Pastelaria e Padaria Rua da Bragadela, nº3 Ruivães Café Juventude Rua Domingos Monteiro Café Sede Ruivanense Rua do Pereiró Livraria Pap. Campos Rua do Pereiró nº 68 Pastelaria Pão do Monte Rua Domingos Monteiro Vinha Super Lugar da Vinha JM Café Pastelaria Rua da Vinha Café Arco-Íris Rua Vasco da Gama, 209 Supermercado Rosa de Fátima Rua do Souto, 243 Seide S. Paio Café Snack-Bar Novo Milénio Edf. Agrinha, 879 Associação Juventude Alegre Largo Nossa Sra. Parto Seide S. Miguel Café Snack-Bar Camiliano Largo Dona Plácido Café Popular Covas Café São Miguel Rua Santo Amaro Sezures Café Mercearia Central Rua N. Srª Fátima Telhado Posto de Abastecimento Carneiro Araújo Avenida Principal Mercearia Barbosa Rua do Azideiro Vale S. Cosme Café da Pedra Rua da Pedra Pastelaria Miga Doce Avenida Central Café Restaurante Veiga Av Tibães Talho S. Cosme Av. Tibães Café Pão Quente Lamela Doce R. Sr. dos Bons Caminhos, 644 Junta de Freguesia Vale S. Cosme Rua da Igreja, 151 Café Tulipa R. Conde Vale S. Cosme Vale S. Martinho Auto – Mercado Minda Lugar do Outeiro Koppus Caffe Rua do Passo

Vermoim Avelino Lomba Pimenta Junto à Capela Café Floresta Lugar da Floresta Café FM Rua António Oli veira Costa Estação Serviço Esso Av. João XXI Café Zé Ringo Av. Monte dos Combros Café Breia Av. Breia de Cima, 90 Infor Bit Av. D. João XXI, 1820 Supermercado Flor de Liz Rua de Penelas Restaurante Rony Av. João XXI Arriva Central Camionagem Vila Nova Famalicão A Mascotinha da Sorte Praça D. Maria II Bar Pavilhão Municipal Av de França Casa Voga R. Adriano Pinto Basto Quiosque Abanca Av. Dr Carlos Bacelar Quiosque Avenida Centro Comercial Aro Quiosque E. Leclerc Hipermercado E. Leclerc Quiosque Hospital Junto ao Hospital Quiosque Kalifa Av. Rebelo Mesquita Tabacaria Fernandes Rua Santo António Tabacaria França Rua Ernesto Car valho Tabacaria Sampaio Rua Narciso Ferreira Quiosque Sagres Parque da Juventude Café Sousa Balaída - Mões Vida Sá Rua Barão da Tro visqueira Papelaria Armanda Lima Rua Cons. Santos Viegas, 58 Supermercado Bandeirinha Rua Cons. Santos Viegas, 162 Café Snack-Bar Luso Brasileira Av. 25 de Abril Café D. Sancho I Rua Augusto Corrreia Parque Estacionamento Sagres Rua Luís Barroso Casa Benfica de Famalicão Praça D. Maria II Versentido, Lda Rua Camilo Castelo Branco Cartercombe - P. Abastecimento Rua S. João de Deus Papelaria Quinta do Vinhal R. P. Freitas reis, Ed. Vénus Lj 12 Latino’s Bar Restaurante Av. do Brasil Salão de Jogos Sttropez Tras. Shopping Twon Fagricoop Rua Sr. da Agonia, 372 Quiosque da Estação Estação CP Famalicão Fagricoop Rua Sr. da Agonia, 372 Restaurante Lua Cheia Avª Barão Trovisqueira Vilarinho Cambas Café Castanhal Lugar de Castanhal Café Millénium Rua do Monte, 400 Junta Freguesia Vilarinho Rua da Saudade, 45 Pastelaria S. Paulo Rua da Roederstein 5 Café Snack-Bar Barreiras Rua da Cumieira, 659 Trofa Quiosque do Pedro Rua Conde S. Bento Bazar Tina Rua Júlio Dinis Quiosque Desporto 2004 Rua D. Pedro V Santo Tirso Pão Quente Areias Junto à igreja de Areias Pizzaria Snack-Bar Noddy Areias Viatodos P. Abastecimento Galp Viatodos R. S. Pedro, 201 - Monte Fralães

CONTACTO: 252 907 005

PEREGRINAÇÃO A LOURDES DE 1 A 4 DE MAIO DE 2008 Pensão Completa Contacto: José Abreu 252 905 769 / 962 728 651

VENDO / ALUGO - Ribeirão Armazém c/ 850 m2 Excelente Localização TELF.

967 150 367

ADMITE-SE PARA:

FAMALICÃO M/F

Com carta de condução MARQUE ENTREVISTA - 252 330 540 -

PASSA-SE Bazar em Riba d’Ave c/150 m2 exposição + 80 m2 de armazem Muito bem localizado c/ boa facturação Negócio garantido Contacto: 962 827 702 EMPRESA PROCURA 6 PESSOAS PARA ÁREA COMERCIAL 8 PESSOAS PARA ÁREA DISTRIBUIÇÃO BEM REMUNERADO Contacto: 963368581 - 914258486

ALUGA-SE Loja em Ribeirão Edif. das Oliveiras (frente às escolas) Contacto. 966 448 871


publicidade

pĂşblica: 6 de Fevereiro de 2008 17


18

pública: 6 de Fevereiro de 2008

publicidade

Falecimentos

NOVAS ACÇÕES DE FORMAÇÃO Aposte em Conhecimento, Informação e Formação A ACIF dá seguimento no primeiro trimestre do ano, ao seu objectivo de preservar o desenvolvimento económico do concelho, promovendo várias acções de formação que se adequam aos desafios colocados às pessoas e organizações. Dado que no contexto do mercado de trabalho actual é necessário o máximo de conhecimento e experiência possível, a aposta em formação é um trunfo essencial para quem quer desenvolver ou adquirir novas competências, e é uma aposta ganha também para quem quer dotar os seus trabalhadores ou colaboradores destas aptidões. A ACIF convida o público em geral a participar nos cursos de formação:

ACÇÕES DE FORMAÇÃO 1.º TRIMESTRE 2008

Laura da Silva, no dia 30 de Janeiro, com 92 anos, viúva, da freguesia de Nine.

Agência Funerária Carneiro & Gomes Oliveira S. Mateus – Telm. 91 755 32 05

Manuel Rodrigues da Silva, no dia 29 de Janeiro, com 88 anos, viúvo de Maria Ferreira Freitas, da freguesia de Santiago de Antas.

Joaquim Martins Dias, no dia 31 de Janeiro, com 89 anos, viúvo de Deolinda Martins da Costa Ferreira, da freguesia Monte Córdova (Santo Tirso) Joaquim da Silva Moura, no dia 2 de Fevereiro, com 93 anos, casado com Rita Gonçalves Carvalho, da freguesia de Santo Tirso

Agência Funerária de Burgães Sede.: Burgães / Filial.: Delães Telf. 252 852 325

Arminda da Silva Gonçalves, no dia 30 de Janeiro, com 63 anos, viúva de Carlos Costa Andrade, freguesia de Vermoim. Aurora Ferreira Martins, no dia 2 de Fevereiro, com 79 anos, solteira, da freguesia de Calendário.

Agência Funerária Rodrigo Silva, Lda Vila Nova de Famalicão – Tel.: 252 323 176

Francisco Pereira Araújo, no 25 de Janeiro, com 47 anos, solteiro, da freguesia de Brufe.

Agência Funerária Palhares Balazar– Tel.: 252 951 147

Adelaide Nunes de Miranda, no dia 2 de Fevereiro, com 87 anos, viúva de Gabriel Martins Fonseca, da freguesia de Lemenhe.

Agência Funerária Calendário Calendário - Telf. 252 377 207

Abílio Pereira de Faria, no dia 3 de Fevereiro, com 80 anos, casado com Maria Adelaide Marques, da freguesia de Ruivães. Joaquim Pereira de Castro, no dia 3 de Fevereiro, com 92 anos, viúvo, da freguesia da Carreira.

Agência Funerária da Lagoa Lagoa – Telf. 252 321 594

Maria de Fátima Sousa Azevedo Reis, no dia 1 de Fevereiro, com 60 anos, casada com António Fernandes da Costa Reis, da freguesia de S. Martinho de Bougado (Trofa). Luísa Ribeiro da Silva, no dia 31de Janeiro, com 83 anos, viúva de Domingos da Silva, da freguesia de S.Tiago de Bougado (Trofa).

Agência Funerária Trofense, Lda (S. Martinho de Bougado) Trofa Tel.: 252 412 727

Adelaide Nunes Miranda Agradecimento e Missa de 7º Dia Inscrições Abertas Centro de Formação ACIF Rua Senador Sousa Fernandes, n.º 19 - 1º 4760-164 Vila Nova de Famalicão Tel / Fax: 252 315 095 E-Mail: formacao@acif.pt CAER - CONGRESSO DAS ACTIVIDADES EMPRESARIAIS DAS REGIÕES A Associação Industrial Portuguesa – Confederação Empresarial comemora os 170 anos de existência ao serviço das empresas portuguesas. Para celebrar a data, no passado dia 28, tiveram lugar no Centro de Congressos de Lisboa, algumas iniciativas que contaram com a presença e participação da ACIF. A principal iniciativa foi o Congresso das Actividades Empresariais das Regiões (CAER), que vai já na quarta edição, constituído por três painéis com matérias de interesse para os empresários, e de debate apelativo ao alcance de um rumo para o desenvolvimento, o enriquecimento e o bem-estar social e nacional. Sessões paralelas sobre os Sistemas de Incentivos em vigor no âmbito do QREN (Quadro de Referência Estratégico Nacional) e pontos de informação com diversas entidades públicas e privadas de apoio às empresas resolverem as dúvidas dos empresários. Realizou-se seguidamente a sessão oficial de encerramento das comemorações dos 170 anos da AIP-CE, com a presença do primeiro-ministro, onde foram entregues os diplomas de novos associados entre Outubro e Dezembro de 2007. Os documentos apresentados no CAER (entre outros a intervenção do Ministro de Estado e das Finanças Públicas, Fernando Teixeira Santos, e do Ministro do Ambiente, do Ordenamento do Território e do Desenvolvimento Regional, Francisco Nunes Correia) estão disponíveis em www.caer.aip.pt COMUNICAÇÃO IMAGEM E MARKETING Com o intuito de dotar a ACIF de novas capacidades de resposta aos cenários actuais, procedemos ao reforço das competências internas com o alargamento do Departamento de Comunicação e Imagem à vertente de Marketing.

A família vem por este meio, muito reconhecidos, manifestar o seu mais sincero agradecimento a todos aqueles que se dignaram assistir ao seu funeral bem como a todas as manifestações de carinho e consideração prestada a este seu ente querido, cuja alma Deus chamou à sua presença. Participam ainda que a Missa de 7º dia será celebrada SEXTA-FEIRA DIA 08 DE FEVEREIRO PELAS 19:30 HORAS NA IGREJA PAROQUIAL DE LEMENHE. Igualmente aqui deixam o seu agradecimento a todos aqueles que participarem neste piedoso acto, pelo seu eterno descanso. Lemenhe 06 de Fevereiro de 2008 Funerária de Calendário. Telf. 252377207

A família


pública: 6 de Fevereiro de 2008 19

praça pública

Maré Alta José Luís Araújo

O marketing político A adaptação do conceito de marketing comercial à actividade política remonta aos anos 80, em que o cavaquismo se começou a preocupar na forma e nos modos com que a sua imagem era entendida pela opinião pública. Basicamente, tal como nos (outros) negócios, o marketing político tem como principal objectivo moldar a opinião das pessoas de forma a que tenham as acções que mais interessam em determinado momento. Dar ênfase às coisas positivas, por vezes de forma descarada, e fazer com que as coisas negativas ou menos boas passem despercebidas da maioria das pessoas, é um dos aspectos mais

importantes desta actividade. Este conceito básico é sistematicamente usado quer a um nível mais baixo, quer nas mais altas instâncias do poder. Quem é que nunca viu um presidente de junta ou candidato a pagar uma ou duas rodadas no café lá da terra? Ou então a entregar uns cabazes de Natal pelos coitadinhos que o sistema cria cada vez mais? Também se sabe que grande parte das despesas com esse marketing sai do erário público. A um nível mais acima, é norma uns quantos assessores principescamente pagos se encarregarem de tarefas mais complexas, como aconselhar as cores das gravatas e dos fatos do pre-

sidente de câmara, enviarem várias vezes a mesma notícia para os jornais de referência com algum tempo de intervalo, reclamarem quando a informação não sai como se pretendia, fazerem reverter como suas, obras ou actividades de privados, e até tirarem apontamentos nas assembleias municipais, sentados lá no fundo da sala. Transportado para um âmbito nacional, o marketing político assume contornos bem mais complexos. Nestes casos, além dos normais assessores, são contratados especialistas cuja influência se estende, como um polvo, aos mais variados domínios. Falando dessa influência nas televisões, é fácil

notar a forma como os diferentes canais apresentam uma mesma notícia: uns mostram um copo meio-cheio, enquanto outros o mostram meio-vazio. Isto já para não falar quando as televisões estão presentes em actividades de partidos ou de movimentos da oposição e depois, simplesmente, nada apresentam na sua emissão. A subtileza com que isto acontece é resultado de um eficiente marketing político. Mas o expoente máximo desta atractiva actividade foi a recente substituição dos ministros da Saúde e da Cultura. Aparentemente, José Sócrates terá percebido o descontentamento do povo. Se assim foi, andou

muito tempo completamente desligado da realidade do país. Efectivamente, a principal razão da substituição ministerial ficou a dever-se às declarações de Marinho Pinto, Bastonário da Ordem dos Advogados, acerca da corrupção nas altas esferas do Estado. A necessidade de desviar a atenção dos portugueses de um dos principais problemas que destroem o normal funcionamento das instituições obrigou a mudar de ministros e assim se desviou a maioria das atenções do maior cancro do Estado, a corrupção. É o marketing político a funcionar, infelizmente. http://sezuresvnf.blogsp ot .com

Carta ao Director

As “Grandes Superfícies e o Comércio Tradicional” Assisti há dias, nas instalações da ACIF, em Famalicão, a uma reunião com debate sobre o tema “Grandes Superfícies e o Comércio Tradicional”. Não sendo comerciante, mas sendo o debate aberto a todos e estando, naturalmente, interessado no tema, tive curiosidade em estar presente, dado até o leque de pessoas enunciadas para falar. Não foi gorada a expectativa. Fiquei inteirado do que pensam os comerciantes sobre o assunto, mas, sobretudo, dos grandes problemas que o comércio tradicional enfrenta, das possíveis relações e, sobretudo, da visão alargada, experiente e lúcida do Arq. Francisco Alves. Fiquei também agradavelmente surpreendido pela grande afluência de pessoas, naturalmente interessadas no tema em causa. Não fiz nenhuma intervenção porque entendi que estava ali mais para ouvir, aprender e entender um problema que, no fundo, nos interessa a todos. Posto isso, não quero deixar de expressar algumas ideias sobre o que ouvi e também sobre o que penso como cidadão famalicense interessado num problema da nossa terra. No meio do debate sobre a autorização das grandes superfícies (para Famalicão são mais duas) veio-me à lembrança, por associação de ideias, o condicionamento industrial levado a cabo pelo Dr. Salazar, que proibindo a livre iniciativa atrasou o progresso da Indústria em Portugal por mais de vinte anos. Fica-nos, portanto, a certeza que proibir é o pior caminho, no nosso entender. Agora, o que é um erro de lesa-cidade, é autorizar grandes superfícies dentro das portas da cidade. Este foi um dos grandes pecados da Administração Municipal de então, com o acrescento de se instalarem em terrenos com vocação habitacional, de que estamos carecidos nesta cidade. E aí sim, o Comércio Tradicional pode queixar-se amargamente de que não

foram tidos em conta os seus legítimos interesses. Portanto, a haver grandes superfícies, que o sejam fora do perímetro da cidade. Temos para nós o convencimento de que este percurso da corrida à instalação de grandes superfícies, tem para já o condão de ser benéfico para o público que compra mais barato, (embora com outras implicações que não vêm agora ao caso) e, por outro lado, pressinto que iremos assistir a uma “guerra mortal” entre estes grandes grupos. Estou até convencido da sua “implosão” dada a lógica do grande capital; dá lucro, que cobre o investimento, tudo bem; os lucros não cobrem os riscos, acaba

o negócio. É que, não crescendo a população os clientes não chegam para todos, e não há milagres! Dizem-me que uma parte dos lucros destes grandes grupos comerciais tem por base os contratos leoninos que fazem com uma grande parte dos seus fornecedores, que tendo pouco poder de negociação ficam reduzidos nos seus legítimos e necessários lucros. Mas tudo isto são problemas em que o comércio tradicional, tendo muito a ver, não pode intervir. Mas também não podem ser meros expectantes. Têm que enfrentar estes gigantes comerciais. Diz-se que a necessidade aguça o engenho. E houve no de-

bate em causa um testemunho, que todos nós conhecemos, que tendo uma pequena superfície comercial não tem receio de enfrentar, à beira da porta, os grandes grupos, e a experiência já dura há cerca de vinte anos com pleno êxito. Sabemos no entanto que o Comércio Tradicional tem potencialidades (algumas apresentadas pelo Arq. Francisco Alves) que são insubstituíveis. Mas também não há dúvida de que tem que haver uma estreita colaboração entre a Autarquia e o comércio citadino, e também a ajuda de fundos comunitários. A falta de oferta de aparcamento é talvez o primeiro óbice ao comér-

cio tradicional. A falta de planeamento comercial, como falou o Arq. Francisco Alves, é outro. Os arranjos urbanísticos, a modernização dos estabelecimentos, a formação profissional, etc., serão com certeza etapas a vencer no futuro. Tem que haver um perfeito entendimento entre o Município e os comerciantes para que, num esforço conjunto, haja um forte Centro Comercial no miolo da cidade. Braga é um exemplo disso. Famalicão foi nos anos cinquenta e sessenta uma potência comercial. Outros saberão falar disso melhor do que eu. Como cidadão, é o contributo que posso dar, expondo o que penso. Amândio Carvalho


20

pĂşblica: 6 de Fevereiro de 2008

publicidade


pública: 6 de Fevereiro de 2008 27

cultura

Durante inauguração de exposição organizada pela Milho D’Oiro

Qualidades de Bento Moreira enaltecidas O presidente da Associação Milho D’Oiro, de Gavião, considera que Bento Moreira “podia ser uma associação”. Sérgio Marques falava no sábado à noite, durante a inauguração da exposição “Recordar Bento Moreira”, organizada por aquela colectividade e que estará patente ao público até ao próximo dia 23 de Fevereiro, no salão nobre da Junta de Freguesia de Gavião. Na cerimónia participaram muitos gavienses, amigos e familiares de Bento Moreira, pessoas que conviveram com o autor, sendo de assinalar a presença de Antero Martins, antigo presidente da Câmara de Famalicão, cuja amizade com o homenageado remonta ao início dos anos 70, altura em que Bento Moreira foi trabalhar numa empresa da qual o ex-autarca era sócio-gerente. Presente esteve também o vereador da Cultura na autarquia famalicense, Leonel Rocha, que classificou esta como uma “grande iniciativa” da Milho

D’Oiro, adianta a associação em nota à imprensa. Em nome da família interveio Emanuel Moreira da Costa, neto do homenageado, que, emocionado, agradeceu à associação Milho D’Oiro e a todos os que levaram a cabo esta iniciativa. Agradeceu ainda a manifestação de carinho de que o avô estava a ser alvo e referindo-se às qualidades que lhe reconhecia, sublinhou a caridade como aquela que mais o tocava. De resto, a colectividade gaviense considera que esta exposição acabou por se transformar numa verdadeira homenagem “a um homem e artista multifacetado, que se dedicou com generosidade às várias instituições e organismos da freguesia e da paróquia, à cultura e ao desporto, pintando, esculpindo, restaurando obras de arte, escrevendo e ensaiando peças de teatro, criando cenários, organizando provas de atletismo, criando símbolos para as associações”.

Didáxis e Camilo Castelo Branco participaram na acção

Palavras Andarilhas” “P passaram por Famalicão O objectivo é promover de forma regular e continuada, a arte de contar, o gosto pela leitura e a literacia em Portugal. As “Estafetas do Conto”, actividade integrada na IX edição de “Palavras Andarilhas”, projecto promovido pela Biblioteca Municipal “José Saramago”, Beja, e pela Associação do Património de Beja, com o apoio da Fundação Calouste Gulbenkian e do Instituto Português do Livro e das Bibliotecas, passou por algumas instituições de ensino de Famalicão. Na quarta-feira da passada semana, a Didáxis de Riba d’Ave convidou Gracinda Lou-

renço, “Contadora Visitante”, em representação da Biblioteca Municipal de Penafiel, para apresentar um conto aos alunos delegados e sub-delegados das turmas do 5º e 6º anos e aos alunos representantes de cada ano do 1º ciclo. Já na quinta-feira, a actividade desenvolveu-se na Escola Camilo Castelo Branco, em Famalicão, com as palavras de Fernando Pessoas a serem lidas pela professora Helena Carrilho aos alunos do 9º ano. Na sexta-feira, foi a vez da Didáxis de Vale de São Cosme ser a anfitriã das “Estafetas do Conto” com alunos e professo-

res a participarem na leitura de contos e em declamações de poemas. Destaque ainda para vários momentos enriquecidos com música e dança. De resto, amanhã, quintafeira, 6, os representantes da Didáxis de Riba d´Ave e de S. Cosme estarão na Biblioteca de Montalegre, para a passagem do ‘testemunho’: um poema de João Pedro Mésseder. A iniciativa “Estafetas do Conto” iniciou-se em 19 de Outubro de 2007, em Loulé, e termina em 13 de Março, em Oeiras. J . H. B .

Musica Alternativa na Casa das Artes A Casa das Artes de Famalicão apresenta, neste sábado, um concerto de música alternativa pelos “Little Annie and Paul wallfisch”. Trata-se de um concerto único em Portugal. Nietzcshe, Freud, dinheiro, sexo, Sartre, demónio, drama, comprimidos, TV, OVNIS, fantasia, politica, fascismo, cocaína, lágrimas, moda, xamanismo, esperma, jóias, estrelas… Tudo isto e muito mais, é o que

pode encontrar no mundo submerso e desordenado de Little Annie. Do niilismo punk passando pelo cabaret pós-moderno, até á depuração do seu actual songwriting construiu uma ímpar e eclética carreira que desafia categorizações e limitações. O espectáculo começa às 21h30 no grande auditório e a entrada custa 12 euros.

Teresa Mesquita lança “Memórias de Famalicão” Teresa Mesquita lançou, a semana passada, um novo livro. Trata-se de “Memórias de Famalicão”, cujo objectivo, segundo a própria autora, é evidenciar as “gentes, história e tradição” da terra que a viu nascer, entendendo ser sua “obrigação manter bem viva e lembradas as suas memórias”. Dividida em várias partes, a publicação é composta de pequenos textos de figuras do passado que marcaram o Famalicão, passando pelas ‘alminhas’ que existem espalhadas pelo concelho e pelos cruzeiros e igrejas, dedicando ainda algum espaço às festas mais marcantes desta terra, as Antoninas. A obra é prefaciada por Luiz Folhadela de Oliveira e grande parte do seu conteúdo foi precedido de publicação, texto a texto, imagem em imagem, no Jornal de Famalicão, do qual Teresa Mesquita é directora.

ArtEduca lança III curso internacional de música Violino e violoncelo serão os instrumentos alvo do III Cimús – Curso Internacional de Música promovido pela ArtEduca – Academia de Música e Artes de Famalicão, em parceria com a Casa das Artes, que terá lugar entre 24 e 28 de Março deste ano. O russo Dmitri Ferschtman, no violoncelo, e a japonesa Keiko Wataya, no violino, serão os docentes desta formação que esta escola famalicense promove pela terceira vez. De acordo com o regulamento, o curso está aberto a todos os violinistas e violoncelistas que frequentem o curso complementar do conservatório, ensino superior ou profissional. Dmitri Ferschtman tem sido presença assídua neste curso. Músico consagrado, com residência na Holanda, onde é professor no Conservatório de Amesterdão e no Royal Conservatory em Den Hague. Já Keiko Wataya, apesar de ter nascido no Japão, foi na Suíça que ingressou no mundo da música, tendo mais tarde iniciado a docência, primeiro em Salzburgo (Áustria) e depois na Holanda, mas nesta altura, além de ser professora neste país, dá aulas também em Espanha e na Alemanha. As inscrições terminam no próximo dia 3 de Março.


28

pĂşblica: 6 de Fevereiro de 2008

publicidade


OP 5C