Page 1

A vida plural de Layka Roteiro (+ storyboard) de neco tabosa, Greg贸rio Holanda, Henrique Koblitz e Diogo Tod茅 Baseado na obra de Greg贸rio Holanda e Henrique Koblitz


1

Cena 1 – introdução sombria EXT & INT / NOITE – do quintal para o grande banheiro branco CAM na mão acompanha pelas costas a chegada de UM HOMEM ao GRANDE BANHEIRO BRANCO. Na pós-produção ele será todo recortado (por isso gravar em contraste total) e preenchido com os SÍMBOLOS ANIMADOS. CAM circula o personagem e para quando ele se vê refletido no espelho. O homem se esvazia, vira uma mancha branca. Efeitos ao redor do personagem em animação gráfica. BG de recortes de som ambiente distorcidos. Tom sombrio. Loc (off): Não discuto razão e moral, são questões difíceis! E há muito tempo não me reconheço. Naquela manhã parei para ver meu rosto no espelho mas ele se desfigurou ... E aquelas lembranças perturbadoras e deliciosas se desenharam de novo na minha cabeça.

Uma das fagulhas dos traços flutuantes que circula o personagem parece um oito deitado; o símbolo do infinito. O símbolo toma a tela. Agora o BG se funde com as cinco badaladas de um relógio num efeito mântrico. A animação se dissolve, e vai - em fusão - do símbolo do infinito para o relógio de parede da Cena 2.


2 Cena 2 – sala de Josael INT / DIA – Josael sai para o trabalho ZOOM OUT do relógio antigo na parede que, enquadrado de lado, parece o símbolo do infinito. CAM corrige o plano e abre o quadro. Na parede, ao redor do relógio, e em cima da mesinha da sala – de classe média baixa recifense – várias fotos da família feliz. SOMBRA DE JOSAEL passa pela cena.

JOSAEL (off): Olá, meu nome é Josael e sou um pai de família dedicado. Acordo às 5h da manhã para ir trabalhar. No BG, som da porta da rua batendo. E do carro sendo ligado. O ronco do motor continua no som do noticiário policial da cena 3. Corte seco. Cena 3 – Agnes INT / DIA & NOITE – Hiper close de Agnes + cenas na cadeira de tortura sexual Zoom out de um hiper close no canto da boca de AGNES. Cena entrecortada com closes de Agnes na cadeira de tortura sexual vermelha. Fotos, vídeo e desenho para o movimento. No BG, sons de programas policiais. Música tensa. Mulher arfando bem sexy. Loc (off): Agnes era um amor de mulher mas tinha tara por coisas mórbidas, era delicada mas só gozava ao ver “o sangue escorrendo na calçada” ou ver as fotos da folha ou qualquer outra atrocidade. E essas coisas já não me excitavam mais.


3 Cena 4 – armazém no Porto INT / DIA – Anos de trabalho de Josael O rosto de AGNES então vira uma foto na coluna social de um jornal largado no chão. O jornal sai voando quando fecham o portão interno de um armazém no Porto. CAM passeia pelo céu do Porto visto pela janela de dentro do galpão. Daí corrige pro travelling... Travelling lento “acompanha” 16 anos de encomendas recebidas no armazém e catalogadas por Josael. Na animação, as caixas são empilhadas e reempilhadas. Sobre o vídeo serão inseridos rótulos nas caixas que indicam a passagem do tempo. O movimento também enquadra uma ratoeira que nos últimos 16 anos pegou alguns ratos, deixou escapar outros... O movimento para quando a ratoeira chega ao centro da tela. Josael (off): Trabalho no cais e sou fiscal. Passo o dia recolhendo dados de caixas e isso já dura 16 anos. Close no olho do rato morto. Dissolve em blur para close da pele branca de ARIANA.


4 Cena 5 – Ariana INT / NOITE – Corpo-tela de pinturas Sobre um corpo de mulher - branco e nu - várias mãos de homens deixam suas digitais, de 4 em 4 mãos, sugerindo as Duplas Penetrações. Dos toques, vão sendo deixadas marcas de digitais em tinta preta, digitais com tintas coloridas e até letras. Até que as mãos de um velho entram em cena e as outras desaparecem. Loc (off): Ariana multiplicava, eu dividia, e descobri o real sentido de uma boa DP. Eu sempre conhecia um novo amigo todas as noites, moluscos, poetas marginais, músicos quase famosos ou simplesmente ela chamava Seu Antônio. Até que um dia ela aparece com aquele filho da puta do meu avô que tinha sumido em 1975. Hoje ele tenta manter contato. Corte seco.


5 Cena 6 – mercadinho / sala de tv de Josael INT / DIA – esposa blá blá blá Área de hortifrutigranjeiros de um mercado na periferia. Inserts de alguns takes gerais com o mercado vazio. Muita sujeira desenhada em cima do vídeo. Na animação, cifrões nas prateleiras de frutas e verduras. Uma imagem geral do mercado vira imagem no telejornal que Josael assiste em casa. Saímos num ZOOM OUT da tela para a sala de televisão na casa de Josael. O que parece ser um vaso de flores é um detalhe do vestido da MULHER DE JOSAEL, que reclama e reclama e reclama. Josael (off): Chegando em casa todos os dias às 17h, escuto reclamações da minha mulher. Ela começa reclamando da feira porque está tudo muito caro e daí pra frente são mais três horas ! Mulher de Josael sai andando de cena e a CAM deriva abruptamente para teto, onde vemos espelho de teto de motel. No espelho, identificamos AS DUAS GÊMEAS nuas.


6 Cena 7 – GÊMEA 1 em primeiro plano INT / NOITE - Motel Hiper closes dos corpos das duas juntas compondo imagens sensuais e abstratas. Essas imagens são entrecortadas com closes da GÊMEA 1. No BG, um som impactante acompanha o texto: “.. são mais três horas”. O tempo da cena simula a duração de um orgasmo feminino. Ahhhhh ..... (fade out) e se funde ao som etéreo.

Num dos takes, o foco corrige da gêmea 1 - em primeiro plano - para focar a gêmea 2, mais atrás. No BG, ouve-se um novo orgasmo feminino. Que vira o som da CARTEIRA GIGANTE passando mal até vomitar. Cena 8 – o vômito (de cartões) da carteira gigante INT / STOP MOTION Na animação, cédulas queimam em auto-combustão e moedas espocam como bolhas de sabão. CARTEIRA GIGANTE engulha, cospe, segura o gofo, mas não agüenta. E vomita tripa de cartões de crédito e fotos 3x4. Josael (off): E no fim reclama do meu salário falando que eu devia pedir um aumento. Todo fim de mês me confisca uma grana para sustentar o mais antigo componente da nossa família, o seu cartão de crédito.

BG funde OFF com reclamação da Mulher de Josael.


7

Cena 9 – GÊMEA 2 INT / NOITE – CAM de celular no quarto de motel Voltamos ao quarto de motel com as gêmeas. Num dos takes, o foco corrige da gêmea 2 - em primeiro plano - para focar a gêmea 1, mais atrás. Hiper closes dos corpos das duas juntas compondo imagens sensuais e abstratas. Essas imagens são entrecortadas com closes da GÊMEA 2. CAM na mão vai de um rosto para o outro, quando as meninas estão fazendo sexo. No BG, batida sensual. Baixo, bateria e sax. Loc (off): Para Bela e Bia, as gêmeas, eu era mais um vibrador exótico, um objeto intransformável no canto do quarto. Sexo a três era só um pretexto pras duas se curtirem. Isso nunca me incomodou, mas teve fim. Ciúme. Um dia chamei Bia de Bela.

(Discussão de alcova / conversa que não se ouve) Gêmea 1 : cara de gozo Gêmea 2 : cara de gozo Gêmea 1 : cara de goz .... “o que foi que vc disse?” BG : corta o som abruptamente Gemea 2 : porra, sacanagem ! Gêmea 1 : fora daqui ! (joga um travesseiro) Gêmeas juntas : fora daqui ! Corta com travesseiro tomando a tela. Fade out.


8 Cena 10 – adolescentes na sala de televisão de Josael INT / FIM DO DIA – sessão da tarde para grupo de malas Animação em stop motion - sem continuidade - monta e remonta bagunça na sala. Copo gigante é colocado em primeiro plano e “assiste” a toda movimentação de jovens que empilham bolsas, sacolas e sujeira pela sala. Durante a cena, o gelo vai derretendo.

Josael (off): Às 19h meu filho chega com seus amigos, eles comem e bebem até depois da novela ... No BG: reggae + ruído da porta do quarto se fechando. PAN toda descontinuada, vira para porta do quarto do FILHO DE JOSAEL. Vemos aí a maior concentração de fumaça já gravada na história do cinema digital. Porta – cheia de adesivos – é fechada com força. A fumaça continua saindo pelo buraco da fechadura e por baixo da porta.

Josael (off): ...e sempre com aquela maresia de maconha. Eu e minha mulher preferimos fingir que não sabemos pois o menino nunca deu muito problema. ZOOM IN no adesivo roxo na porta do quarto. DISSOLVE para reprodução do desenho na camisa de um folião no CARNAVAL.


9 Cena 11 – carnaval EXT / NOITE – projeção de imagens sobre um casal nu num beco sujo Festa de carnaval multicolorida é projetada em dois corpos nus. Imagens dos dois fantasiados são projetadas em tamanho real sobre os corpos. Loc (off): Já Cristiana Olhos Tristes eu comi naquela festa em Olinda ... No mesmo beco em que conheci Averróis, um gringo muito legal, mas muito legal mesmo!

Imagens da área de serviço da cena 12 são projetadas sobre casal. Azulejos animados são inseridos digitalmente depois, um a um. Cena 12 – área de serviço da casa de Josael EXT / NOITE – botando comida pra Layka No chão, um cesto de lixo. Do lado dele, um saco de ração. Aventais e uma coleira pendurada na parede. No balcão da pia, uma saboneteira e um único movimento: o das bolhas de sabão desenhadas. Josael (off) : Às 21 horas tenho que botar a cachorra do meu filho no canil e este é o momento mais esperado.


10

Cena 13 – Layka EXT / NOITE - Layka virgin O tratamento mais sensual de todas as mulheres do filme. Vários takes: closes, de cima do muro, a CAM lambe Layka de cima a baixo. Em primeiro plano: trecho restrito do quintal, com muro ao fundo... Em cima do muro vemos a sombra de alguém que fica observando Layka, ameaçando pular pro quintal de Josael. Noite com iluminação vermelha, difusa. Josael acende a luz da área de serviço. O vulto sobe numa árvore do quintal para se esconder. Edição intercala a visão do vulto com o PLANO MÉDIO.

Loc (off): Layka, a cadela do vizinho, foi das mais verdadeiras figuras com quem me relacionei. Ela só podia ser ela mesma e nos entregamos incondicionalmente um ao outro. Pouco falávamos, e em sua sabedoria e completa falta de culpa, sempre me convencia a praticar todo tipo de fornicação. PAN mostra o quintal inteiro de cima da árvore. A casinha de Layka. Ela aparece botando a cabeça pra fora e sai da penumbra pra luz.

Josael (off) : Desde que minha mulher deixou de me visitar à noite tenho me dedicado à minha relação com Layka. Teatro de sombras. Projetado no muro, Josael aparece com comida, Layka abana o rabo para o dono. Vulto desce da árvore e pula o muro de volta, saindo do quintal de Josael.


11 Josael (off): E ela quem começou tudo isso. Sinceramente não sei como ela aprendeu essas coisas, só sei que no dia que ela morrer eu vou embora! Mais closes da cadela, numa declaração de amor à Layka. Love total. Loc (off): Sem escudos e sem armaduras de aço. Assim era Layka, de seus grandes olhos, que nunca escondiam nada, transbordava aquela poderosa harmonia. Cena 14 – o fim e o começo EXT & INT / NOITE – do muro, para o quintal. E de lá, para o grande banheiro branco CAM na mão acompanha pelas costas a trajetória de UM HOMEM que pula o muro da Cena 13 de volta para casa vizinha à de Josael. Entra em quadro e se dirige ao GRANDE BANHEIRO BRANCO. Na pós-produção ele será todo recortado (por isso gravar em contraste total) e preenchido com os SÍMBOLOS ANIMADOS. CAM circula o personagem e pára quando ele se vê refletido no espelho. O homem se esvazia, vira uma mancha branca. Efeitos ao redor do personagem em animação gráfica. BG de recortes de som ambiente distorcidos. Tom sombrio. Uma das fagulhas dos traços flutuantes que circula o personagem parece um oito deitado, o simbolo do infinito. O símbolo toma a tela.

Finis

a vida plural de Layka  

roteiro de greg, HKE, diogo todé e neco tabosa baseado na obra de greg e HKE

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you