Page 1

ALÉM DOS B A L A N Ç O S O C I A L TRILHOS

2 0 0 8

Futuro

Oportunidade

Transformação

Crianças do Instituto Compartilhar


MENSAGEM do Presi den te

02 Metrô Rio

“O Metrô Rio é transparente em suas ações e preocupa-se em manter a ética no relacionamento com colaboradores, clientes, acionistas, governo, concorrentes e cidadãos” José Gustavo de Souza Costa, Presidente do Metrô Rio

O ano de 2008 foi marcado pelo início do Metrô Século XXI. Paralelamente a este que é o maior projeto já executado por nossa Empresa, não deixamos de lado outras ações em prol do desenvolvimento humano — treinamentos, cursos, programas ambientais, sociais, artísticos, culturais e educacionais —, como você acompanhará nas páginas a seguir. No Metrô Rio, enxergamos a Responsabilidade Social como um instrumento de retribuição e agradecimento à sociedade — por confiar em nossos serviços —, mas também aos nossos colaboradores, que vestem a camisa da Empresa, garantem a segurança e a qualidade de nossas operações e nos tornam uma referência em transporte público no país. O bem-estar e a satisfação dos colaboradores são os pilares do crescimento, pois cada integrante da Companhia é imprescindível para manter nossa engrenagem funcionando ininterruptamente. Patrocinamos e apoiamos projetos de educação, de incentivo à prática de


Balanço Social 2008

esportes, de conscientização sobre o Meio Ambiente e sobre o futuro do planeta para crianças e adolescentes da rede pública de ensino. Oferecemos aos nossos colaboradores a chance de embarcar na era digital, através de cursos de iniciação à informática. Damos a oportunidade de cursar e concluir os ensinos Fundamental e Médio sem qualquer custo aos que precisaram interromper os estudos. Aos membros das comunidades vizinhas ministramos cursos profissionalizantes e disponibilizamos nossos voluntários em diferentes programas ao longo do ano. O Metrô Rio é transparente em suas ações e preocupa-se em manter a

03

ética no relacionamento com colaboradores, clientes, acionistas, governo, concorrentes e, principalmente, com os cidadãos. Por isso, esperamos que o Balanço Social 2008 informe a você, concidadão, as principais atividades que desenvolvemos por um Rio de Janeiro mais justo e sustentável. O Presidente José Gustavo com os colaboradores Fonseca, Carolina, Felipe, Crespo e Eduardo


04 Metrô Rio

“Identificamos a demanda Segundo Miceli, as ações na linha 2 começaram devido a ocorrências policiais de cada instituição e nas estações. “Era preciso realizar todo um trabalho de conscientização da população para comunidade. O grupo que isso não acontecesse. Começamos com as associações de moradores e daí com as comunidades de voluntários está em si”, conta a colaboradora que há mais de 15 anos é voluntária. “Visitamos diversos lugares e identificamos a crescendo a cada dia” Tereza Cristina Miceli, Assistente Social

Toda atividade econômica de grande porte afeta diretamente as comunidades mais próximas. E o impacto do Metrô Rio tem sido cada vez mais positivo graças ao trabalho de colaboradores voluntários e do apoio a instituições sediadas nos arredores das estações. De acordo com a Assistente Social Tereza Miceli, o trabalho voluntário já existia dentro da Empresa, mas apenas em 2007 foi criado formalmente o programa de Voluntariado. O objetivo é incentivar profissionais do Metrô Rio interessados em ajudar comunidades e instituições carentes.

SOLIDARIEDADE Voluntariado Responsabilidade

Cidadania

demanda de cada instituição e comunidade. O grupo de voluntários está crescendo a cada dia”, completa. A Analista de Responsabilidade Social Viviane Barros acrescenta que, atualmente, há cerca de cem colaboradores inscritos no programa. “Nossa intenção é plantar uma semente para incentivar o trabalho voluntário fora da Empresa também”, afirma Viviane.

Além das visitas a creches e a ONGs, os voluntários do Metrô Rio realizam ações comemorativas, como o Dia da Árvore, e ações pontuais, como a do Instituto Lecca, onde foi realizado um trabalho com crianças superdotadas de baixa renda. Há também o programa de Doação Voluntária, que, de

De Matos e Miceli recebem o carinho das crianças da Casa de Apoio à Criança com Câncer Santa Teresa


Balanço Social 2008

acordo com Miceli, recebe muitas adesões. “Começamos por causa da epidemia de dengue que tomou conta do Rio de Janeiro em 2007. Fazíamos coleta semanal de sangue e os colaboradores formavam fila para doar”, relata. Hoje este programa acontece mensalmente e continua com um grande número de doadores. Graças a esta ação o Agente de Segurança Anderson de Matos começou sua vida de voluntário dentro da Companhia. “Eu estudava Enfermagem e fazia exames de rotina em idosos gratuitamente. Meu grupo verificava a pressão arterial e níveis de glicose. Eu me inscrevi assim que o programa começou”, conta. Atualmente, Anderson não realiza mais este tipo de

ação com os colegas, pois trancou a faculdade. Mas não deixou de lado sua responsabilidade. “Fui mordido pelo bichinho do voluntariado. Agora não largo mais”, brinca. Também contagiado pelo voluntariado, o Analista de Auditoria Ricardo Gurgel se emociona: “Ser voluntário é saber compartilhar o que temos de mais precioso, que é amor, sabedoria e conhecimento.” Casos como o do Ricardo são, para o Metrô Rio, mais do que exemplos de solidariedade. O voluntariado faz com que ele e seus colegas pratiquem a cidadania e se realizem como seres humanos. Deste modo, se fortalece o tecido social e se ampliam as chances de um futuro melhor para a cidade.

Voluntários em ação nas creches próximas à linha 2

05


06 Metrô Rio

Comunidade

ESPORTE I n stituto Compa r t i l h a r Crianças preparam-se para jogar vôlei (ao lado); abaixo, na roda de capoeira

“Queremos dar oportunidades para que essas crianças tenham um futuro melhor” Gigi, professora do projeto

Participar da formação e da inclusão social de crianças e adolescentes por meio de práticas esportivas. Esta é a intenção do Metrô Rio ao apoiar desde setembro de 2007 o Núcleo Forte do Leme — Rio/RJ do projeto Esporte em Ação, do Instituto Compartilhar. O núcleo também conta com a parceria do Exército, que abriga as atividades nas instalações do Forte do Leme. A ONG oferece aulas de vôlei e capoeira a aproximadamente 130 alunos, entre nove e 14 anos, da Escola Municipal São Tomás de Aquino, no mesmo bairro. As crianças são incentivadas a trabalhar em equipe e a cultivar o espírito esportivo.


Balanço Social 2008

todo mundo tem que cantar, ajudar o outro e jogar ofensivamente, mas sem agredir”, explica.

“Todas as crianças nessa idade são agitadas, não adianta reclamar. Mas dá para ver que elas estão mais obedientes”, comemora Cristiane Bernardo, mãe de Natália, de nove anos, aluna do Compartilhar. Aluno da escolinha de vôlei, Dênis de Lima Rodrigues Marques, de 13 anos e matriculado no 8º ano na escola, se aproximou da leitura por meio do esporte: "É muito legal, porque não fico de bobeira. Jogando vôlei fiz amigos e aprendi coisas novas. E com a Equipe do Livro ainda pratico mais minha leitura, pegando livros emprestados. Isso tem me ajudado muito na escola." De acordo com "Gigi", como é chamada a professora de capoeira Gisela Folly, o esporte é uma filosofia de vida. “Além de ser um jogo, é disciplina. É preciso aprender a respeitar. Cumprimentar o colega quando for entrar na roda, bater palmas se estiver assistindo,

Segundo Karina Lins e Silva, a coordenadora do projeto, mais do que o esporte, o Compartilhar trabalha valores como: Autonomia, Respeito, Responsabilidade e Cooperação. Estes ensinamentos são fortalecidos através das atividades esportivas. “O voleibol, por exemplo, propicia isso. Trabalhamos muito em equipe. Devemos ter respeito pelo outro, cooperação, sentido de responsabilidade, devemos desenvolver o hábito de cuidar das próprias coisas, do próprio material”, explica. Segundo Karina, a participação do Metrô Rio viabiliza o material utilizado nas aulas, pagamento de pessoal e demais recursos que fazem o projeto funcionar.

Jeferson Silva é um dos alunos da escolinha de vôlei do projeto Esporte em Ação

A intenção da direção do Instituto Compartilhar é estender o projeto para a parte da manhã e ampliá-lo de 130 para 180 vagas, em 2009. “Queremos dar oportunidades para que essas crianças tenham um futuro melhor”, conclui a professora Gigi. O Metrô Rio, ao apoiar o Núcleo Forte do Leme do projeto Esporte em Ação, oferece aos participantes a chance de uma vida mais saudável, levando em consideração os aspectos socioculturais e os benefícios trazidos pela prática esportiva. O desenvolvimento de aptidões físicas, motoras, psicológicas e sociais — como equilíbrio, força, consciência corporal, resistência, cooperação, autodisciplina, autoestima, respeito, integração com os colegas e espírito esportivo — afasta nossos jovens da margem da sociedade, tornando-os capazes de fazer melhores escolhas.

07


e d a d e i r a d i l So Zezão voltou para a escola e faz planos para continuar estudando mesmo depois da aposentadoria

08 Metrô Rio

Balanço Social 2008

destaca o baiano de 60 anos, que chegou ao Rio de Janeiro com 24. Segundo Zezão, o apoio de seu gerente foi fundamental para sua participação no programa. “No ano que vem eu me aposento, mas, mesmo assim, decidi me aprimorar”, afirma.

Com o objetivo de complementar a formação dos colaboradores que não tiveram a chance de concluir os Ensinos Fundamental e Médio, é ministrado o Metrô Rio Educa. Os macro-objetivos permanentes da Companhia — desenvolver os seres humanos e apoiar a comunidade — se somam neste projeto para estimular o progresso pessoal e profissional dos participantes.

Já para o Oficial de Manutenção II Israel Marcelino, a vontade de acompanhar os filhos nos estudos foi o grande incentivo para se inscrever no projeto. Aos 42 anos, Israel, que parou de estudar há 15, viu neste programa do Metrô Rio uma chance de concluir o Ensino Médio. “Meus filhos veem meu esforço e se empenham mais na escola. Agora posso Desde a criação do programa, em 2006, acompanhá-los de perto”, conta. José Geraldo cerca de 100 pessoas já participaram da de Souza, Oficial de Manutenção, vê outras iniciativa. “Fazia mais de 30 anos que eu vantagens. “É bom para a gente e é bom tinha parado”, conta o Oficial de Manutenção para a Empresa, que ganha qualificando Metroferroviário I José Oliveira Santos, o melhor seus colaboradores”, conclui “Zezão”, como é carinhosamente chamado pelos José Geraldo, que começou o colegas de trabalho. “Entre outras coisas, aprendi curso no Ensino Fundamental História do Brasil. Acho esta matéria muito linda”, em 2007 e já está no 1º ano do Ensino Médio. Aprender

EDUCAÇÃO

FACA

Primeira formatura do Metrô Rio Educa Devido à necessidade de trabalhar, o Oficial de Manutenção II Jorge Santos ficou 30 anos longe da escola. “Fiz a inscrição sem perspectiva alguma, porque já tenho 52 anos e me achava velho para estudar. Mas foi dando certo e vi que eu tinha chances de aprender”, conta. E deu tão certo que Jorge ganhou dois concursos de redação em 2008. “Minha vida mudou muito depois que voltei a estudar. A família ficou bastante orgulhosa em ver minha superação”, emociona-se. Seus próximos planos são expandir mais os conhecimentos, crescer profissionalmente, fazer um curso técnico e, quem sabe, uma faculdade. “Acho que de Engenharia Mecânica. Por enquanto é um sonho, mas pretendo concretizá-lo muito em breve”, projeta.

Segundo a Consultora de RH Fernanda Rondinelli, o programa está aberto a todos os colaboradores. “Qualquer colaborador pode se inscrever e entrar a qualquer momento”, explica. Fernanda ainda complementa: “É um grande impulso para a autoestima deles.” E é a garantia de profissionais mais confiantes, orgulhosos de suas conquistas e satisfeitos por pertencerem a uma Empresa que os motiva e reconhece seus esforços.

“Minha vida mudou depois que voltei a estudar. A família ficou orgulhosa em ver minha superação” Jorge Santos, Oficial de Manutenção II

Metrô Rio Educa Vontade

Perspectiva

09


e d a d e i r a d i l So Zezão voltou para a escola e faz planos para continuar estudando mesmo depois da aposentadoria

08 Metrô Rio

Balanço Social 2008

destaca o baiano de 60 anos, que chegou ao Rio de Janeiro com 24. Segundo Zezão, o apoio de seu gerente foi fundamental para sua participação no programa. “No ano que vem eu me aposento, mas, mesmo assim, decidi me aprimorar”, afirma.

Com o objetivo de complementar a formação dos colaboradores que não tiveram a chance de concluir os Ensinos Fundamental e Médio, é ministrado o Metrô Rio Educa. Os macro-objetivos permanentes da Companhia — desenvolver os seres humanos e apoiar a comunidade — se somam neste projeto para estimular o progresso pessoal e profissional dos participantes.

Já para o Oficial de Manutenção II Israel Marcelino, a vontade de acompanhar os filhos nos estudos foi o grande incentivo para se inscrever no projeto. Aos 42 anos, Israel, que parou de estudar há 15, viu neste programa do Metrô Rio uma chance de concluir o Ensino Médio. “Meus filhos veem meu esforço e se empenham mais na escola. Agora posso Desde a criação do programa, em 2006, acompanhá-los de perto”, conta. José Geraldo cerca de 100 pessoas já participaram da de Souza, Oficial de Manutenção, vê outras iniciativa. “Fazia mais de 30 anos que eu vantagens. “É bom para a gente e é bom tinha parado”, conta o Oficial de Manutenção para a Empresa, que ganha qualificando Metroferroviário I José Oliveira Santos, o melhor seus colaboradores”, conclui “Zezão”, como é carinhosamente chamado pelos José Geraldo, que começou o colegas de trabalho. “Entre outras coisas, aprendi curso no Ensino Fundamental História do Brasil. Acho esta matéria muito linda”, em 2007 e já está no 1º ano do Ensino Médio. Aprender

EDUCAÇÃO

FACA

Primeira formatura do Metrô Rio Educa Devido à necessidade de trabalhar, o Oficial de Manutenção II Jorge Santos ficou 30 anos longe da escola. “Fiz a inscrição sem perspectiva alguma, porque já tenho 52 anos e me achava velho para estudar. Mas foi dando certo e vi que eu tinha chances de aprender”, conta. E deu tão certo que Jorge ganhou dois concursos de redação em 2008. “Minha vida mudou muito depois que voltei a estudar. A família ficou bastante orgulhosa em ver minha superação”, emociona-se. Seus próximos planos são expandir mais os conhecimentos, crescer profissionalmente, fazer um curso técnico e, quem sabe, uma faculdade. “Acho que de Engenharia Mecânica. Por enquanto é um sonho, mas pretendo concretizá-lo muito em breve”, projeta.

Segundo a Consultora de RH Fernanda Rondinelli, o programa está aberto a todos os colaboradores. “Qualquer colaborador pode se inscrever e entrar a qualquer momento”, explica. Fernanda ainda complementa: “É um grande impulso para a autoestima deles.” E é a garantia de profissionais mais confiantes, orgulhosos de suas conquistas e satisfeitos por pertencerem a uma Empresa que os motiva e reconhece seus esforços.

“Minha vida mudou depois que voltei a estudar. A família ficou orgulhosa em ver minha superação” Jorge Santos, Oficial de Manutenção II

Metrô Rio Educa Vontade

Perspectiva

09


INOVAÇÃO I ncl usã o D i g i t a l

10 Metrô Rio

“É uma possibilidade de crescimento para os colaboradores, não só no plano profissional como no pessoal” Richard Wagner, professor do curso de Inclusão Digital do Metrô Rio

Oportunidade

O Metrô Rio, preocupado com o aperfeiçoamento de seus colaboradores frente às novas demandas do mercado, oferece desde novembro de 2007 o programa Inclusão Digital. São ministradas aulas gratuitas de informática aos participantes, incluindo os módulos básicos de Windows, Word, Excel, PowerPoint e Internet. A ideia é que o aluno se anime a dar os primeiros passos rumo ao domínio de uma das mais importantes ferramentas de trabalho e de uso pessoal na atualidade. “Quando lançamos o programa, 200 pessoas se inscreveram em apenas três dias”, comemora Viviane Barros, Analista de Responsabilidade Social do Metrô Rio. Cerca de 150 colaboradores já se formaram nos ciclos iniciais. O programa, que tem parceria com a escola profissionalizante Microlins, dura três meses, e os alunos aprendem desde o processo de ligar o computador até a utilização das ferramentas do pacote Office (Word, Excel e PowerPoint). Para Márcia Cristina Rochel Soares, da área de Segurança Operacional e Estações do Metrô Rio, este tipo de iniciativa é muito importante para a qualificação do colaborador. “Hoje em dia a informática está em todos os lugares. Participar do curso foi fundamental para ter noção de como usufruir disso”, comenta. Além disso, Márcia conta que o programa fez com que ela tivesse uma relação mais


Balanço Social 2008

harmoniosa com o computador que tem em casa. “Sempre gostei de fuçar, mas antes era praticamente uma luta entre mim e o computador”, brinca. Outro colaborador que “perdeu o medo” de computador depois do curso foi o Instrutor da Escola de Transportes, Ricardo Nascimento. Para ele, o projeto foi fundamental para tirar a poeira do computador de casa e utilizar alguns programas no trabalho. O curso também aproximou Ricardo do filho de sete anos, que aprende informática no Ensino Fundamental. “Ele sabe até mais do que eu, mas hoje podemos falar sobre o assunto e brincar juntos no computador”, conta. “Não há limite de idade para aprender”, diz Richard Wagner, professor do

Ricardo e Márcia: participantes do programa buscam qualificação profissional

curso de Inclusão Digital do Metrô Rio. Colaborador da Microlins, ele acredita que qualquer pessoa pode aprender informática desde que queira. “Aluno é aluno, não importa quantos anos tenha, basta se interessar”, completa, revelando que a média de idade dos estudantes é de 40 anos. Para ele, mesmo quem tem algum receio em relação à máquina se supera, pois entende as vantagens que o aprendizado pode proporcionar. “É uma possibilidade de crescimento para os colaboradores, não só no plano profissional mas também no pessoal”. Dentre os Valores existentes na Identidade Cultural Estratégica do Metrô Rio está a “vontade de desenvolver”. E, justamente pelo compromisso de desenvolver o capital humano da Empresa, são realizados projetos como esse, que visa preparar os profissionais para atuação em diversas frentes do Metrô Rio e traz a autonomia digital para suas vidas.

Colaboradores durante a aula (à esquerda) e em momento de integração (ao lado)

11


12 Metrô Rio Mais e melhores profissionais para o Rio de Janeiro. Este é o propósito do projeto Primeira Estação, que oferece curso técnico de Eletromecânica, com formação em Eletricidade e Mecânica de Manutenção, a jovens de 18 a 24 anos. O programa, que tem duração de um ano, incentiva o crescimento profissional e o talento individual de membros das comunidades carentes próximas à linha 2, os quais muitas vezes não têm acesso ao mercado de trabalho.

Nossos jovens aprendizes seguros para encarar o mercado de trabalho

A primeira turma formou-se no fim de fevereiro de 2008. “Recebemos mais de duzentas fichas de inscrição. Foi um processo seletivo rigoroso e

Educação

PROFISSÃO J o v e m Aprendiz

Rodrigo e Alan foram contratados pelo Metrô Rio depois de participarem do Primeira Estação


Balanço Social 2008

selecionamos 30 candidatos”, explica Danielle Alves, Assistente de Recursos Humanos do Metrô Rio. “Nossa expectativa é bem grande em relação aos alunos. Todos serão qualificados para se posicionar melhor em um mercado de trabalho competitivo”, assegura.

Pavuna Monique Gonçalves, de 19 anos, não sabia que carreira seguir quando terminou o Ensino Médio. Chegou a passar no vestibular de Enfermagem, mas decidiu mudar de área quando uma amiga falou sobre o Primeira Estação, no fim de 2007. “Essa coisa de só homem na área acabou. Mulher também gosta e sabe fazer este tipo de trabalho. São sete meninas na minha turma. Quando entrei, percebi que era isso que queria fazer na vida”, diz.

Erlan Carvalho, de 19 anos, morador de Acari, estudava para o vestibular quando soube do curso do Metrô Rio. Erlan concilia a faculdade de Matemática pela manhã com o projeto à noite. E ainda estuda para outra graduação: Comunicação Visual. “É puxado, mas muito gratificante”, conta ele, que nunca trabalhou em uma empresa de grande porte. “É bom conhecer o Segundo Danielle, é este tipo de profissional dia a dia de uma Companhia apaixonado que a Empresa procura. "Hoje em dia é deste tamanho", atesta. muito difícil encontrar pessoas para cargos tão técnicos. Por que não adequar o jovem a essa realidade?”, Já a aluna do curso indaga. O Oficial de Manutenção II Igor Feitosa é um bom técnico de Eletricidade exemplo de colaborador apaixonado. Em 2008, Igor foi e moradora da monitor voluntário do Primeira Estação; deu aulas sobre sistemas de energia, normas de segurança e de instalação e

“É bom conhecer o dia a dia de uma Companhia deste tamanho” Erlan Carvalho, Estudante do programa Primeira Estação

compartilhou com os alunos seus conhecimentos em eletricidade. “Foi muito gratificante dar aulas e perceber nos alunos o desejo de aprender. Queria passar as técnicas necessárias para que eles estivessem aptos a conquistar o mercado. Nossa troca foi grande e aprendi muito com eles também. Essa experiência despertou em mim a vontade de voltar a estudar e fazer uma licenciatura para continuar dando aulas. Tenho a expectativa de pegar novas turmas do Primeira Estação e seguir como professor voluntário”, comenta Igor. Para Danielle, o projeto é uma chance de encontrar novos talentos. “Oferecemos o curso dentro da oficina do Centro de Manutenção e ainda damos bolsa-auxílio a estes jovens. Assinamos a carteira e eles têm direito aos benefícios de um contratado”, explica. O ex-aluno Rodrigo Oliveira foi incorporado à Empresa após o curso e atualmente é Auxiliar de Manutenção de Material Rodante. Rodrigo diz ter aprendido muito no projeto e ganhou uma nova perspectiva profissional. “Quero fazer uma graduação em Engenharia Elétrica, seguir carreira, crescer e me desenvolver no Metrô Rio”, revela. Para o Metrô Rio, o Primeira Estação vem se somar aos demais esforços da Empresa para que todos tenham as mesmas oportunidades e possam garantir o exercício de seus direitos como profissionais e como cidadãos.

13


14 Metrô Rio Reciclagem

A extensa área de atuação do Metrô Rio é proporcional à sua responsabilidade de promover a cidadania na capital fluminense. Por este motivo, foram desenvolvidos projetos como os de Capacitação Profissional, de Ensino Fundamental e Médio e de Inclusão Digital. Contudo, para o Metrô Rio, a educação torna-se completa quando há valorização da consciência ambiental. Em 2008, nos bairros das estações de Maria da Graça, Colégio, Acari e Pavuna, por exemplo, a Companhia promoveu o projeto Ecologia em Ação, realizado pela ONG Defensores da Terra. Aproximadamente 4,5 mil crianças de escolas municipais dessas localidades foram envolvidas diretamente, recebendo aulas e oficinas sobre Educação Ambiental. De acordo com Marcel Martinez, Coordenador Executivo do projeto, o principal objetivo é mobilizar a população sobre a importância de melhorar a qualidade de vida com a redução da geração de lixo, a reutilização de materiais antes descartados e a implantação da

Najla passou a fazer coleta seletiva em casa depois de virar uma Defensora da Terra

reciclagem. “O consumo consciente é uma das nossas premissas neste programa. Fazemos um trabalho não só com as crianças, mas com os professores e os pais”, explica. Segundo Marcel, foram organizadas oficinas para incentivar o reaproveitamento de materiais e foi implantado o ComVida — programa que discute soluções para, a partir da escola, defender a preservação do Meio Ambiente. “O objetivo é mostrar que cada um dos participantes pode ser um agente transformador, criando arte e objetos úteis com aquilo que antes era visto como lixo”, conta. A programação do Ecologia em Ação permitiu que os participantes pusessem em prática tudo que aprenderam em sala de aula. Materiais como papel, jornal, retalhos, garrafas pet e sucatas diversas serviram de base para os trabalhos criados por eles. “O meu interesse pelo Meio


Balanço Social 2008

Najla e mais nove alunos representam o projeto em sua comunidade. A diretora, Ana Lúcia Fernandes, comemora o sucesso da iniciativa, que rendeu à escola o primeiro lugar no concurso “Natal: Tempo de Reciclar”. Pelos trabalhos apresentados no fim do ano passado, a escola ganhou um aparelho de DVD e material didático. “As oficinas foram maravilhosas. Os alunos aprenderam como reciclar o que poderia ser jogado fora", entusiasma-se Ana Lúcia. Para Maria Aparecida dos Santos, mãe de Roberta, aluna da Escola Municipal Luís de Camões, em Colégio, a participação no projeto mudou o comportamento da filha. Segundo ela, a jovem “defensora da natureza” conversa mais sobre o assunto e pede que o lixo seja separado. “Eu não me preocupava,

Marcel Martinez, coordenador executivo do projeto Defensores da Terra

mas agora tento separar o lixo como ela diz. Guardo as caixas de leite e tubos de pastas de dente para que ela faça brinquedos”, orgulha-se a mãe de Roberta. A menina já fez até brinquedos para os primos com caixas de leite que seriam jogadas fora. Por meio da educação ambiental, pessoas como Roberta passam a vivenciar conceitos importantes de coletividade e de cuidado com o bem comum. A responsabilidade socioambiental é um dos dez Valores defendidos pelo Metrô Rio em sua Identidade Cultural Estratégica e, consequentemente, em seus projetos. Buscamos oferecer, através de nossos serviços e programas para as comunidades, ações indispensáveis para a melhoria da qualidade de vida no Rio de Janeiro.

Oficina de sucatas

MEIODefensores AMBIENTE da Terra

“O consumo consciente é uma das nossas premissas neste programa”

Ambiente só aumentou depois que passei a ser uma Defensora da Terra. Comecei a separar o lixo em casa e a conscientizar meus vizinhos de que é preciso fazer o mesmo”, conta Najla Pitangueira, aluna do 8º ano do Ensino Fundamental da Escola Municipal Pernambuco, em Maria da Graça.

Consciência

15


2008 Valor (Mil reais)

2007 Valor (Mil reais)

Receita líquida (RL) Resultado operacional (RO) Folha de pagamento bruta (FPB)

325.750 68.974 90.931

282.483 73.369 80.096

2 - Indicadores Sociais Internos Alimentação Encargos sociais compulsórios Previdência privada Saúde Segurança e saúde no trabalho Educação e Cultura Capacitação e desenvolvimento profissional Creches ou auxílio-creche Participação nos lucros ou resultados Outros Total - Indicadores sociais internos

Valor (mil)

% sobre FPB

% sobre RL

Valor (mil)

% sobre FPB

% sobre RL

10.475 17.542 713 4.781 891 135 548 1.238 3.440 0

11,52% 19,29% 0,78% 5,26% 0,98% 0,15% 0,60% 1,36% 3,78% 0,00%

3,22% 5,38% 0,22% 1,47% 0,27% 0,04% 0,17% 0,38% 4,99% 0,00%

10.191 16.396 731 4.239 650 209 520 1.017 0 2.670

12,72% 20,47% 0,91% 5,29% 0,81% 0,26% 0,65% 1,27% 0,00% 3,33%

3,61% 5,80% 0,26% 1,50% 0,23% 0,07% 0,18% 0,36% 0,00% 0,95%

39.612

43,56%

12,16%

36.623

45,72%

12,96%

Valor (mil)

% sobre RO

% sobre RL

Valor (mil)

% sobre RO

% sobre RL

423

0,61%

0,13%

433

0,59%

0,15%

4 - Indicadores Ambientais

Valor (mil)

% sobre RO

% sobre RL

Valor (mil)

% sobre RO

% sobre RL

Total dos investimentos em Meio Ambiente

427

0,62%

0,13%

382

0,52%

0,14%

3 - Indicadores Sociais Externos Total das contribuições para a sociedade

5 - Indicadores do Corpo Funcional Nº de colaboradores(as) ao final do período Nº de admissões durante o período Nº de colaboradores(as) terceirizados(as) Nº de estagiários(as) Nº de colaboradores(as) acima de 45 anos Nº de mulheres que trabalham na Empresa Nº de negros(as) que trabalham na Empresa Nº de pessoas com deficiência

6 - Informações relevantes quanto ao exercício da cidadania empresarial

2007

2.058 548 306 30 267 503 815 15

1.958 617 424 43 263 465 524 53

2008

Metas 2009 ( x ) todos(as) colaboradores(as) ( x ) todos(as) colaboradores(as)

( ) direção

( ) direção

( ) direção e gerências ( ) direção e gerências

( ) não se envolve

( ) apoia

na Empresa 78%

0

A previdência privada contempla:

( ) direção

A participação dos lucros ou resultados contempla: Quanto à participação de colaboradores(as) em programas de trabalho voluntário, a Empresa: % de reclamações e críticas atendidas ou solucionadas:

2008

( ) direção

( ) direção e gerências ( ) direção e gerências

( x ) todos(as) colaboradores(as) ( x ) todos(as) colaboradores(as)

( x ) organiza e incentiva

( ) não se envolverá

( ) apoiará

( x ) organizará e incentivará

0

0

0

0

INDICADORES

1 - Base de Cálculo

Transparência


Metro Rio Annual Report 2008  

Metro Rio Annual Report 2008

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you