Page 1

revista eletrônica maiss

salvador-ba #4

TECNOLOGIA TABLET, TABLET E TABLET

A apple ataca novamente

CINEMA VINHOS DE BOA SAFRA

O cinema nacional começa dar sinais

CULTURA NATUREZA EM POESIA

Débora Knittel, a Bienal, a natureza e as crianças em prosa e verso

Risque e rabisque Deixe a meninada se soltar sem estresse

Tecnologia. Gastronomia. Cultura

Alexandre Mascarenhas em perfil


SUMÁRIO 3 | EXPEDIENTE 4 | CARTAS DOS LEITORES 6 | CARTA DO EDITOR 10 | VITRINE As novidades do mês 14 | CULTURA Natureza em poesia - Débora Knittel, a Bienal, a natureza e as crianças em prosa e verso 20 | CINEMA Vinhos de boa safra – O cinema nacional começa a dar sinais de continuidade 26 | INFORME PUBLICITÁRIO 1 Neojibá - Núcleos estaduais de orquestras juvenis e infantis da Bahia 32 | PERFIL Alexandre Mascarenhas 38 | MODA Vaidade masculina – O mercado nunca esteve tão em alta 42 | ESTILO PESSOAL Atitude desde o berço – A criançada se expressa com independência 46 | AMBIENTE Risque e rabisque! – Deixe a meninada se soltar sem estresse 48 | ESTÉTICA Rímel - Em mínimos detalhes! 54 | INFORME PUBLICITÁRIO 2 Semana da criança especial com o espetáculo - Baseada na obra original de Sir James Matthew Barrie, a superprodução promete fascinar crianças e adultos no melhor estilo broadway 60 | SUGESTÕES MAGISTRAIS Carro de Boi – A tradição familiar à mesa 64 | VIDA E SAÚDE O melhor amigo das mulheres 68 | ESPORTE E AÇÃO As crianças e o esporte - Criança saudável, adulto saudável 74 | MÚSICA Simplesmente... Starla! – Rock Baiano jogando duríssimo 80 | TECNOLOGIA Tablets, tablets e tablets - A Apple ataca novamente, mas dessa vez... 86 | ESPECIAL O Salvador Shopping que a criançada queria! - Woody e Buzz no dia das crianças!

46

20 2 I SUMÁRIO

60


EXPEDIENTE Editor Wellington Lacerda editor@revistamaiss.com.br

Arte Vitor Pacheco arte@revistamaiss.com.br

Comercial Cleber Castro / Sérgio Barreto comercial@revistamaiss.com.br

 Relações Públicas Vera Raupp relacionamento@revistamaiss.com.br

Articulistas Ita Oliveira / Maria Costa / Wellington Lacerda / Yara Barros

Fale com a gente fale@revistamaiss.com.br

maiss revista eletrônica

3 I EXPEDIENTE


ASSIM NÃO RESOLVE! O DIÁLOGO É A MELHOR SOLUÇÃO

4 I CARTAS DOS LEITORES


Envie um e-mail para nós com suas críticas e sugestões.

cartas@revistamaiss.com.br


A criançada está à solta. Tem flores por todo lado na cidade. A primavera marca uma mudança cósmica no planeta a cada ano: tudo ganha vida e cor. Não é à toa que a moda primavera-verão é completamente diferente da moda outono-inverno: o inverno é frio, o verão é vibrante. E a primavera é a entrada em um novo ciclo de cores. E a criançada é parte desta festa. Entra a primavera, e chegam as comemorações do dia das crianças logo em seguida. Nada no planeta representa melhor a vida, a vibração do verão quanto a gurizada. Mas não é só o humor da gente que muda na primavera. O mundo muda com ela. E nós mudamos também. Mudamos. Logo de cara, o nosso tratamento ao tema MODA e ESTILO, que antes era representado pela coluna ESTILO, mudou. Yara de Barros vai continuar falando do mundo da moda. Nossa agente secreta infiltrada no eixo Rio - São Paulo, Yara continua a assinar a coluna doravante intitulada MODA. Neste número Yara fala daquele personagem que é O Melhor Amigo das Mulheres. A ela se junta a colunista Catarina Ribeiro, aqui em Salvador, falando sobre ESTILO PESSOAL, a atitude, as pessoas que impõe a sua visão do mundo da moda, as personalidades que fazem a nossa cabeça, até literalmente. Em seu primeiro desafio, Catarina nos apresenta os pequerruchos e suas visões personalíssimas a respeito da moda que pensamos para eles. Bem vinda Catarina! Mas as mudanças não param por aí. Outra estreante, Cléo

6 I CARTA DO EDITOR

Marques assume a coluna CULTURA, até agora a cargo deste que vos escreve, e que passa a se chamar LIVROS. Cléo nos trouxe uma entrevista inédita com a Débora Knittel, que representou a Bahia na Bienal Internacional do Livro em São Paulo, com nada menos do que dois lançamentos para crianças, em que a escritora aborda temas como natureza, espécies ameaçadas e relações familiares em forma de poesia. Bem vinda, Cléo, vida longa e próspera conosco! As novidades não param por aí. Leônidas Gondim, atleta, medalhista em mais de uma modalidade, professor e árbitro esportivo, e trilheiro especializado, nos apresenta o mundo dos esportes, da natureza e das trilhas desta Bahia adentro. E, como não poderia deixar de ser, aborda o assunto das crianças e o esporte. Ele mesmo atleta mirim pluri medalhista pelo Yatch Clube da Bahia. Professor, a turma o aguarda! Tecnologia fala da febre dos Tablets iniciada pelo iPad, mas que ganhou concorrentes poderosos nos últimos tempos. Ila Fidalgo presenteia nossas leitoras e leitores com uma tabela detalhada de dicas excelentes. Em cinema o cardápio é vasto, assim apresentamos opções para a garotada e para os marmanjões, com potenciais blockbusters e ainda a programação que o Salvador Shopping preparou para os pequenos. Até a próxima edição!


A PRIMAVERA É TEMPO DE MUDANÇAS POR WELLINGTON LACERDA


Gueixas As bonecas estilo japonesas são muito utilizadas na decoração de ambientes dando um toque de sofisticação e beleza. São produzidas com um ótimo acabamento e suas qualidades são valorizadas de acordo com o nível de detalhamento.

A...Z - Shopping Salvador

212 Sexy, 212 Man Refrescante Amadeirado. País de produção: Espanha. Com notas de gengibre, sândalo, mandarim e folhas verdes. Para o homem sexy, sofisticado, sutil e espontâneo. A embalagem com linhas modernas possui funcionalidade na tampa magnética e transparência nas letras que permite ver o produto. Floral oriental possui notas de bergamota, tangerina, pimenta rosa, pétalas de flores, gardênia, algodão doce, sândalo, almíscar branco e baunilha. Uma fragrância Charlote - Shopping Salvador sensual, profunda e ardente que traz a certeza da sedução no primeiro encontro. 212 Sexy foi especialmente concebido para a mulher sofisticada e sensual. O nome da marca, 212, é o prefixo telefônico da cidade de Nova Iorque.

Tom Ford Uma combinação de metal e acetato de estilos, projetados para pessoas elegantes transpiram uma sensação de sofisticação e de luxo, os óculos Tom Ford foram concebido para ser desejados.

Ótica Ernesto - Shopping Salvador 10 I VITRINE


VITRINE

AS NOVIDADES DO MÊS

Frigobar Retrô É o primeiro mini refrigerador do mercado que remete aos modelos do passado, mantendo o que há de melhor na atualidade. Os pés de palitos cromados foram especialmente desenhados para não riscar o chão. Vem com a logo Brastemp e puxadores originais dos anos 50. O espaço é suficiente para armazenar até oito latas, separador de garrafas, congelador e gaveta multiuso.

Cold Air - Salvador Shopping

Luminárias Buscando toda a modernidade, irreverência, colorido, encantamento em um visual atemporal. Com cores vibrantes ou quem sabe um pouco mais leves, a pretensão é apaixonar. Apaixonese pelas luminárias de glitter ou bolha... Não importa. Apaixone-se!

A...Z - Shopping Salvador


14 I LIVROS


NATUREZA EM POESIA DÉBORA KNITTEL, A BIENAL, A NATUREZA E AS CRIANÇAS EM PROSA E VERSO

POR CLÉO MARQUES

O Museu Carlos Costa Pinto foi palco, no dia 25 de setembro, do lançamento dos livros infanto-juvenis “Margarida Bem-me-quer” e “Saíra Sete Cores” da escritora Débora Knittel com selo da casa Editora Solisluna. A festa foi completa, com direito a tarde de autógrafos, músicas e histórias contadas pelo grupo Ereotá de teatro de bonecos. Os livros contam histórias sobre a natureza, a preservação das espécies e a importância do meio-ambiente. Margarida Bem-me-quer apresenta a temática sob a forma de poemas, com capa de Eneas Guerra. Já Saíra Sete Cores usa o texto poético, com capa de Naara Nascimento. A garotada participou ativamente das brincadeiras, enquanto seus livros eram autografados com carinho e atenção pela autora. Débora Knittel participou em agosto da 21ª Bienal Internacional de São Paulo com o lançamento desses livros. Após o evento, a autora encontrou forças para trocar dois segundos de prosa com esta colunista acerca dos lançamentos, do escrever, das crianças e da natureza de seu trabalho.


Dois segundos de prosa com Débora Knittel: RMaiss - Como nasceu seu amor pelos livros? Débora Knittel - Desde pequena meu avô me estimulou a leitura e amor pelos livros e logo depois da minha segunda gestação, surgiu essa oportunidade de parceria com a Solisluna editora. Então eu mergulhei nesse universo maravilhoso.

texto poético que fala sobre as dificuldades de sobrevivência desse pássaro da Mata Atlântica ( pois ele está em extinção) que nasce no verão e, com liberdade, voa para conhecer o mundo, passando pelas três estações do ano e retornando no verão, que é quando reencontra sua família. Este livro traz a questão do valor da família e o amor pela natureza e a preocupação com esses animais que estão em extinção, a exemplo também da arara-azul que é citada no final do livro.

RMaiss - Como foi participar da Bienal internacional do Livro? Débora Knittel -Foi emocionante! Mesmo com a grande oferta de livros, nosso stand foi muito visitado, as pessoas se interessavam, faziam perguntas, ficavam curiosas a respeito dos livros. RMaiss - Como surgiu o interesse de escrever livros infanto-juvenis? Débora Knittel - Sou psicopedagoga por isso me interesso pelo universo infantil. RMaiss - Sobre o que fala o livro “Margarida Bem-me-quer”? Débora Knittel - Sobre o despertar de uma margarida num jardim e tudo o que ela observa ao despertar: o céu, as nuvens, os pássaros, os sons, enfim... a harmonia da natureza em forma de um poema. RMaiss - Sobre o que fala o livro “Saíra Sete Cores”? Débora Knittel -Saíra Sete Cores é um

16 I CULTURA

Mais informações no site da autora:

www.deboraknittel.com.br


VINHOS DE BOA SAFRA

O CINEMA NACIONAL COMEÇA A DAR SINAIS DE CONTINUIDADE POR WELLINGTON LACERDA

20 I CINEMA


Outubro é mês da gurizada, mas os lançamentos prometem diversão para todos: guris, adultos, pais e bagunceiros. Vamos lá:

best seller de Elizabeth Gilbert.

Os Vampiros Que Se Mordam Finalmente alguém se tocou que a s a g a d o s v a m p i r o s a p a i xo n a d o s era... uma metáfora! Falávamos de problemas existenciais e universais dos e das adolescentes, em eterna crise de identidade com a própria vida, a sexualidade emergente, a confusão provocada pelos pais que tentam encontrar sentido numa vida em tempos de transição. Pais que não querem, não conseguem deixar seus filhos e filhas crescerem, e a humilhação infinita e injustificada que esses filhos sentem, ao querer serem entendidos como adultos e serem tratados como crianças. Quão difícil para um pai controlador é tratar a sua filhinha como mulher? E a filha, o que pode fazer quanto a isso? E se, misturado a tudo isso, os vampiros invadirem a Terra? Vale conferir com muito bom humor.

Eu e Meu Guarda-Chuva E o cinema nacional começa a mostra r e ntros a me nto, re gula r idade e produzir filmes para vários segmentos com qualidade. Assim como os vinhos de boa safra, o cinema brasileiro começa a ofecer um conjunto de obra mais bem produzido, dirigido, iluminado e distribuído. E oferecer boas histórias para adultos e crianças. Neste Eu e Meu Guarda-Chuva a gurizada vai passar por maus bocados nas mãos do diretor Toni Vanzolini quando resolve visitar a futura escola. A partir daí começa uma história com muita ação para Eugênio, seu guardachuva, Frida e Cebola. Promete muita diversão.

T2 – Tropa de Elite 2

Comer, Rezar, Amar Liz faz o impensável: sai da sua zona de conforto em meio a um duro processo de divórcio. Aventura-se, vai pelo mundo em busca de mudar a sua vida de um modo real e decisivo. E em cada lugar uma peça cai no lugar certo, ela redescobre prazer por prazer o prazer pela vida. Baseado em

22 I CINEMA

Tropa de Elite virou franquia. E dispensa maiores apresentações. É filmasso na cer ta, em que bandido é bandido e honesto é honesto. Wagner Moura retorna ao papel que o elevou à categoria de astro, o monumental Capitão Nascimento. Dessa vez o inimigo é outro: as milícias ilegais do Rio. Zé Padilha retorna com a direção da continuação do filme, o que deve ser uma indicação do uso do estilo semi-documental que foi um dos fatores de sucesso do primeiro filme, afinal Zé é especializado em docu-


mentários. A dupla Zé Padilha + Wagner Moura é garantia da construção de uma narrativa poderosa, humana e mordaz. Deverá ser tão imperdível quanto foi o primeiro, e tão violento quanto. Quem não agüenta que peça pra sair!

e Anne Heche a comédia Os Outros Caras, em que policiais (Walberg e Ferrell) vão investigar roubos ocorridos numa empresa a mando de sua executiva (Heche). O elenco promete.

Homens em Fúria (Stone) The Runaways – Garotas do Rock A vida de roqueiro foi muito bem representada por Mark Wahlberg em Rock Star (2001). The Runaways analisa agora a mesma idéia, a vida alucinante de uma banda de rock e o desafio de mergulhar neste mundo louco e crescer enquanto pessoa, mas do ponto de vista feminino, na pele da jovem e talentosa Dakota Fanning. Fanning faz o papel de Cherrie Currie, narradora da história (que é baseada na vida da verdadeira Cherrie) e ambientada nos não menos enlouquecidos anos 70. Vale conferir.

Os Outros Caras O próprio Wahlberg protagoniza, ao lado de Will Ferrell, Samuel L. Jackson

De Niro, Edward Norton, Milla Jovovitch, juntos? Num filme que envolve a culpabilidade de um incendiário e sua mulher, analisados por um detetive durão em crise? É pra comprar MUITA pipoca e um balde de refrigerante e se afundar na poltrona. De Niro e Norton já trabalharam juntos antes no eletrizante e surpreendente The Score (2001), com química explosiva. Milla Jovovitch está linda como nos tempos de No Good Deed (2003). Precisa mais? ÀS SEGUNDAS-FEIRAS, TODOS OS FILMES TEM INGRESSOS PROMOCIONAIS Em outubro, continua a promoção Segunda Imperdível, da Rede Cinemark, que oferece ingressos a preços promocionais para os espectadores do Salvador Shopping. Todas as segundas-feiras do mês - exceto dia 11 -, o público poderá assistir a qualquer filme (exceto na sala 3D), em todos os horários, pelo valor de R$ 6 (inteira) e R$3 (meia) por ingresso. Nestes dias, o snack bar irá vender um combo especial (pipoca promocional + refrigerante + bombom Serenata de Amor) por R$ 3,50. A programação completa pode ser consultada no site da Rede (www.cinemark.com.br).


NEOJIBÁ

NÚCLEOS ESTADUAIS DE ORQUESTRAS JUVENIS E INFANTIS DA BAHIA

INFORME PUBLICITÁRIO

26 I ESPECIAL 1


O Neojibá é um programa de formação de orquestras e corais infanto-juvenis na Bahia criado em julho de 2007 com o objetivo promover a integração social por meio da prática coletiva da música. Gerido pela Associação Amigos das Orquestras Juvenis e Infantis e do Neojibá – AOJIN, com apoio da Secretaria de Cultura do Estado e do Teatro Castro Alves, o Neojibá é o primeiro programa governamental brasileiro baseado no “El Sistema”, programa venezuelano criado há 35 anos e que hoje conta com mais de 300 mil jovens, em 180 orquestras em todo o país. O diretor-fundador do Neojibá é o pianista e maestro Ricardo Castro. Na primeira fase de implantação do projeto, os integrantes selecionados, que já possuíam iniciação na área musical, recebem formação pedagógica específica para atuarem como monitores. Como continuidade do projeto, estes monitores ensinarão novos integrantes e participarão da criação de Núcleos de Prática Orquestral e Coral - NPO em diversos municípios do interior da Bahia e em bairros periféricos de Salvador. Por este motivo, o lema do programa é “Aprende quem ensina”, representando a multiplicação do conhecimento que é a chave do Neojibá. O programa proporciona gratuitamente a todos os integrantes, sem distinção social, instrumentos musicais para a prática orquestral, material pedagógico, ensino de prática e teoria musical dispensado por profissionais quali-

28 I ESPECIAL 1

ficados, auxílio transporte e lanche, além de uma bolsa auxilio (com faixas de valor de acordo com a orquestra, idade e função do integrante). O Neojibá conta com um Núcleo de Gestão e Formação Profissional - NGF, em funcionamento no Teatro Castro Alves e que formou duas orquestras: a Orquestra Sinfônica Juvenil 2 de Julho (J2J), com 94 integrantes entre 12 e 25 anos, e a Orquestra Castro Alves (OCA), com 59 integrantes entre 8 e 18 anos. Em maio de 2010, foi criado também um coral com 40 jovens do Colégio Estadual ICEIA, em Salvador. Em virtude da alta demanda de jovens para entrar no programa, identificada durante as audições de agosto de 2010, foi criada uma nova Orquestra Pedagógica E xperimental – OPE, para capacitar inicialmente 10 músicos de cordas, entre 8 e 15 anos. O mais importante diferencial entre o Neojibá e a maioria das outras iniciativas de arte-educação realizadas no Brasil é sua função de real integração social, estimulando o convívio entre crianças e jovens de vários segmentos da sociedade. As orquestras do Neojibá realizaram, desde 2007, 94 apresentações, para um público estimado de 65 mil pessoas. A Orquestra Juvenil 2 de Julho realizou em agosto de 2009 uma turnê em sete capitais do Nordeste e participou, em janeiro de 2010, como Orquestra convidada do V Festival de Música de Santa Catarina – FEMUSC,


em Santa Catarina. Em julho de 2010, a Orquestra Juvenil da Bahia (Youth Orchestra of Bahia – YOBA), grupo formado pelos 100 melhores integrantes do Neojibá, foi a 1ª orquestra juvenil do Brasil a se apresentar na Europa, representando o Brasil na programação do Festival Brazil em Londres, no Queen Elizabeth Hall, no dia 7 de julho, e em Lisboa, no Centro Cultural de Belém, no dia 9 de julho. Após os concertos na Europa, a Orquestra Juvenil da Bahia realizou, entre os dias 13 e 18 de julho, sua 1ª turnê Sudeste, com apresentações em Belo Horizonte, São Paulo e, pelo segundo ano consecutivo, no Festival Internacional de Inverno de Campos de Jordão. O reconhecimento artístico naciona l e i nte r n ac i o n a l a l c a n ç ad o e m apenas três anos é resultado de um trabalho de capacitação focado no intercâmbio pedagógico, com a vinda constante a Salvador de profissionais renomados na área da música de concerto. Desde sua criação, o Neojibá já recebeu 103 professores convidados oriundos do Brasil e de

países como Venezuela, Suíça, Alemanha, EUA, França dentre outros. O Neojibá mantém também parcerias para intercâmbio de músicos com instituições como a National Youth Orchestra of Great Britain – NYO (UK) e a Juilliard School of Music, em Nova Iorque e conta com parceiros como: Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), Luthiers Sans Frontières (Suíça), Brasil Classical (EUA) e Jeunesses Musicales International (JMI), a maior rede de projetos musicais para a juventude, sendo o 1º programa brasileiro a entrar na rede em julho de 2010. O 1º núcleo fora de Salvador será aberto em outubro de 2010 no Centro Educacional Santo Antônio – CESA, escola mantida pelas Obras Sociais Irmã Dulce em Simões Filho (Região Metropolitana de Salvador), beneficiando 150 alunos entre 6 e 14 anos. Para saber mais sobre o Neojibá e suas atividades, acesse: www.neojiba.org


PERFIL

A PESSOA POR TRÁS DOS NÚMEROS DA IN THE STREET

ALEXANDRE MASCARENHAS POR EQUIPE MAISS

Quando se descobre a história da In the Street, ainda mais num mês em que Nosso Lar está bombando nas telas, não dá pra não pensar naqueles encontros de espíritos com afinidade completa, ou, como preferem alguns, de almas feitas uma para a outra. Descrever a trajetória de Alexandre Mascarenhas é impossível sem analisar a trajetória de Fernanda, e vice-versa. É um caso em que duas pessoas se completam de tal forma que é impossível ocorrer outra coisa que o sucesso. Alexandre entrou no curso de engenharia civil ao mesmo tempo que para o curso de administração de empresas. Cursou, num primeiro momento, os dois ao mesmo tempo. Mas acabou tendo de optar por um deles. Resolveu seguir o curso de engenharia, um curso da área de ciências exatas, com o qual ele tinha muita afinidade. Mas aí a precariedade das universidades brasileiras acabou atrapalhando seus planos. Devido às circunstâncias da vida, às greves intermináveis na faculdade, estágios desestimulantes, e, principalmente, à oportunidade de encarar um novo desafio, seu caminho mudou. Ele voltou para o curso de administração, ao lado de Fernanda, e abandonou a engenharia. O desafio era a oportunidade de entrar para o comércio e ajudar a administrar uma rede composta por dez lojas e uma fábrica, de propriedade dos sogros. A breve passagem pela área da construção não deixou saudades nem mágoas,

32 I PERFIL

mas uma grande admiração pela área. Alexandre se vê como uma pessoa prática e objetiva. Assim, com toda a turbulência do curso, a mudança de rumo era a opção mais lógica a tomar. O casamento com Fernanda, por sua vez, conseguiu unir a praticidade dele à sensibilidade dela para vendas. “Não sou uma pessoa de frente de loja e nem aspiro em ser, na verdade, não tenho jeito e..., seria um desastre!!!” – diz ele, bem humorado. Fernanda se encarrega do trato com o cliente. Ela tem esse dom e tudo mais do comércio correndo nas veias. A divisão das tarefas aconteceu naturalmente, cada um foi ocupando o seu espaço. Alexandre fica com a organização, os processos, administração dos recursos, do estoque e ela com o comercial. E quando a decisão é sobre marketing ou novos negócios, é tomada em conjunto. Mas Alexandre não é apenas uma pessoa de números. Ele se descobriu gostando do jogo do comércio, do arriscar. Logo no início da In the Street durante a primeira temporada de Natal, houve um momento do planejamento de compras em que faltava o capital de giro para deixar o estoque no ponto para as vendas. Não pestanejou, e a confiança “no taco” de Fernanda pesou: Alexandre vendeu o carro que tinha na época e comprou mercadoria! Eram recém formados em administração, mal haviam começado a In the Street juntos, e o episódio do carro obrigou o casal a dividir um carro por um período de seis meses. O resultado então chegou, e com ele um carro novo. Alexandre não se considera frustrado profissionalmente pelo episódio com a engenharia, pois adora o que faz. Quando provocado, confessa que ainda é vidrado por arquitetura e engenharia e, ainda que tenha tido pouca experiência na área, a


engenharia ajuda a resolver e decidir várias situações na administração dos negócios. A vontade de atuar na área ele mata com as reformas de lojas . A In the Street surgiu quando o casal decidiu andar com as próprias pernas. Foi um processo simples, mas planejado. A experiência em trabalhar em shopping centers adquirida na rede dos pais dela os fez permanecer nessa linha de comércio. O nome sugere uma moda “de rua”, tipo street wear. Hoje continua atuando em grandes shoppings centers e, devido a isto, aproveita a oportunidade de crescimento deste seguimento em Salvador para abertura de mais 2 lojas em 2009. O planejamento, objetiva atravessar a fronteira do estado, partindo inicialmente para o nordeste do país. A forma, se em através de franquia ou lojas próprias, ainda está sob avaliação. Alexandre e Fernanda Mascarenhas, o casal de ouro da In the Street. Alexandre Mascarenhas em mínimos detalhes: RMaiss - Qual é a sua maior qualidade ? Difícil me julgar mas, me considero uma pessoa “DO BEM”. Seriedade, honestidade e humildade sempre andam juntas

34 I PERFIL

RMaiss - E seu maior defeito? Sou fechado demais... RMaiss - Qual característica julga mais importante em uma pessoa? A pessoa justa. Tenho certeza que esta abrange todas as outras também importantes. RMaiss - O que você mais aprecia no seu melhor amigo/a? Como ele (s) me conhece (m) mais do que eu próprio? Fico impressionado... RMaiss - Qual é a sua atividade favorita? Viajar..., aprendo muito com isso. RMaiss - Que eventos em seu passado você aponta como os mais importantes para o seu sucesso? Cada dia da educação que recebi dos meus pais. RMaiss - Que profissão exceto a sua gostaria de tentar? Arquitetura. RMaiss - Que profissão JAMAIS gostaria de tentar? Medicina. RMaiss - Além de Salvador, onde mais no mundo gostaria de viver? San Diego, CA. RMaiss - Qual sua pala-

vra favorita? Felicidade. RMaiss - E qual você mais detesta? Tristeza. RMaiss - O que lhe entusiasma? - A luta pela dignidade mesmo sob muitas dificuldades. RMaiss - E o que lhe desanima? A injustiça. RMaiss - Qual seu estado de espírito mais usual? Varia muito. RMaiss - Qual é o defeito mais fácil perdoar? O nervoso! Perdoe que acalma... RMaiss - E o mais difícil? A prepotência. RMaiss - Qual é a melhor das 24 horas do dia? Sempre a seguinte da anterior e a anterior da seguinte. RMaiss - Qual é o lema da sua vida? Crescer sem passar por cima de ninguém. RMaiss - Se pudesse voltar no tempo e dizer uma única frase a si próprio no inicio, qual seria ela? Uma boa consciência é um travesseiro macio.


VAIDADE MASCULINA O MERCADO NUNCA ESTEVE TÃO EM ALTA POR YARA DE BARROS As mulheres em sua infatigável luta pela valorização e igualdade entre os sexos trouxeram inúmeros e valiosos benefícios aos homens. Elas não só dividem as contas de casa como também seus cremes de beleza e o espaço no guarda roupa. Nas temporadas de desfiles, grifes pa ra ho m e ns te m tid o c ad a vez mais relevância e o mercado da vaidade masculina que antigamente se restringia a loções de barba e perfumes, hoje oferece incrível variedade de produtos para deixar a pele do macho lisinha como bumbum de neném. Tanta vaidade assumida recebeu até nome: Metrossexual, termo inventado pelo escritor inglês Mark Simpson, que dizia que os Metrossexuais preferiam fazer compras em vez de fazer sexo. O ex poe nte má x imo d e s s a linha da ultravaidade masculina é o jogador inglês David Beck ham, que che ga ao re quinte de de pilar as sobrancelhas. Mas atenção meninos ! na vida real os Metrossexuais não estão com essa bola toda não. As mulheres ainda não aceitam com n atu r a l i d ad e a i d é i a d e h o m e n s

38 I MODA

que passam mais tempo em frente ao espelho do que elas próprias. De qualquer forma, um homem cheirosinho e bem cuidado, sem grandes produções, continua garantindo sucesso entre o sexo oposto. O básico para manter a cotação em alta ainda é: Cabelos - Limpos e cheirosos, de preferência ao natural. Excessos - São itens problemáticos, elimine brilhos na roupa, roupas justas demais, roupas ultrafashion, perfume muito forte. Estilo - Uma calça jeans com tênis e camiseta pode ter grande estilo, desde que tenham sido escolhidas com carinho para a ocasião. Atenção no detalhe - Fazer um esforço para causar uma boa impressão, causa realmente uma boa impressão. Saúde - cuide da sua saúde. Aparência saudável de quem vive com equilíbrio atrai qualquer uma. Enfim, alie sua aparência impecável às boas maneiras e sua noite já estará praticamente garantida.


Enfim, nunca foi tão fácil ficar linda. É só uma questão de tecnologia.


42 I ESTILO PESSOAL


ATITUDE DESDE O BERÇO A CRIANÇADA SE EXPRESSA COM INDEPENDÊNCIA POR CATARINA RIBEIRO

Moda e Estilo são duas coisas que caminham juntas. Mas apesar de pertencerem ao mesmo universo, na prática, são diferentes. A moda é um caminho delicioso por onde percorremos até chegar a um estilo próprio que nos diferencia dos demais. Os interessados em moda sabem e elegem periodicamente suas musas do mundo fashion. São modelos, ex-modelos, estrelas de Hollywood, apresentadoras de T V, etc. Cada uma tem seu estilo, que as diferencia do resto dos mortais e as faz arrecadarem simpatizantes ao redor do mundo. Mas isso é mais velho que a roda. A novidade mesmo é a quantidade de crianças e adolescentes descobrindo o mundo da criação. A maioria começa brincando, claro. Customizam tecidos, cortam os cabelos e fazem as roupinhas de suas próprias bonecas. O segundo passo é a escolha do que vestir. Muitas vezes isso vira um problema para as mamães que insistem em determinar o que os filhos vão usar. Mas os pequenos “teimosos” já começam a demonstrar a personalidade desde cedo e a escolha das roupas é apenas um dos

meios. Combinações não convencionais, cores não complementares, tudo deve ser encarado como forma de expressão. É nessa fase da vida que descobrimos o que vira referência. Uma revista, um programa de TV, o jeito dos pais. E é nessa época que o estilo de cada um começa a ser desenhado. Um exemplo de criança cheia de personalidade na escolha das roupas é a americana Tavi Genvinson. Hoje com 14 anos, aos 11 criou o blog http://www.thestylerookie.com/ que faz o maior sucesso, inclusive entre estilistas como Karl Lagerfeld e John Galliano. O sucesso e o estilo da garota são tão marcantes que inspiraram a criação da personagem Mabi (Clara Tiezzi), da novela da Rede Globo Tititi. Na novela, Mabi, filha do estilista Jacques Leclair (Alexandre Borges) é cheia de atitude e, assim como a inspiração da personagem, tem um blog onde critica as criações do pai, o estilo da irmã e assim por diante. Mabi e Tavi têm per fis parecidos, mas a americana não tem familiares ligados ao mundo da moda, como


a garota da ficção. Seus interesses são originais e frutos da sua imaginação. Assim como ela, existe uma nova geração buscando se expressar através das próprias roupas e imprimindo um estilo que chama a atenção pela personalidade. Q ue m nunc a ou v iu fala r e m Sur i Cruise, filha do astro Tom Cruise e da atriz Kate Homes? Ou em Kingston Rossdale, filho da cantora americana Gwen Stefani? Ou ainda em Shiloh, filha dos atores Brad Pitt e Angelina Jolie? Os três, desde muito pequenos roubam a cena onde quer que estejam. Aproveitando esse fashionismo infantil, a cada nova estação diversos estilistas criam peças originais e empolgantes para a garotada. Ronaldo Fraga, Cris Barros, Isabela Capeto e a grife Maria Bonita Extra são exemplos brasileiros na busca pela criação de um diferencial no guarda-roupa das crianças. Seja como for, o importante mesmo é permitir que os pequenos se expressem, brinquem, (se) fantasiem e busquem suas próprias referências para que mais tarde saibam definir com muita atitude e segurança seus estilos. Porque, afinal de contas, a moda passa, e o estilo fica.

44 I ESTILO PESSOAL


Foto: Kingston

Foto: Shiloh


46 I AMBIENTE


RISQUE E RABISQUE DEIXE A MENINADA SE SOLTAR SEM ESTRESSE POR ITA OLIVEIRA E MARIA COSTA

Com a chegada da primavera, o mês de outubro absorve esta energia e propicia um clima de mudanças, nada melhor que dar um toque especial de alegria, conforto e bem estar para a garotada. É hora de fazer algumas modificações no quarto do seu filho. Não se preocupe, decorar o cantinho do seu pequeno pode ser muito mais divertido do que se imagina! Comece por estudar bem as dimensões do quarto em questão para não comprar móveis muito grandes dificultando a circulação. Observe a ventilação e iluminação, procure colocar a cama protegida de corrente de vento e exposição da luz solar. Os móveis devem ter pontas arredondadas, para evitar acidentes. A segurança e o seu bem estar diário devem estar acima de tudo. A cor é um elemento muito importante na decoração, principalmente no quarto, onde se passa boa parte do tempo. Prestar atenção na escolha das cores que vão predominar este ambiente

pode trazer tranqüilidade, conforto e relaxamento na hora de dormir. Cores e informações em grande variedade deixam as crianças com bastante energia. Durante o dia elas geralmente ficam agitadas com tudo que vêem e ouvem, para acalmá-las e prepará-las para dormir é recomendável usar cores pálidas para as paredes e reservar as outras, mais fortes, para acessórios da decoração. A criançada gosta de rabiscar e muitas vezes as paredes ficam sujas de lápis de cor. Pensando nisso os fabricantes de tintas criaram tintas especiais e bem resistentes, que facilitam a remoção de manchas e riscos. Nas paredes pintadas com essas tintas a garotada poderá expressar angustias ou alegrias através de seus rabiscos. Após a brincadeira as manchas e rabiscos podem ser simplesmente lavados, deixando as paredes prontas para outra sessão. Existem ainda as de fundo magnético, que permitem a fixação de magnetos na parede, possibilitando a aplicação de fotos, postais, etc.


RÍMEL EM MÍNIMOS DETALHES POR ILA FIDALGO

Modelo Lancôme usando Hipnôse Drama

48 I ESTÉTICA


Um dos itens de maquiagem mais usados pelas mulheres é a máscara para cílios, o popularmente conhecido como rímel. O mercado de cosméticos diversificou bastante os tipos

Resultado

Indicação

Aplicador

Volume

Para cílios finos e ralos

Grossos, com um grande número de cerdas, todas bem juntinhas

Alongamento

Para cílios curtos

de aplicação – com texturas; novas formulações; aplicadores diferenciados e cores –, que devem ser considerados na aquisição de um bom produto.

Cerdas curtinhas, espaçadas e firmes, como um pente

Efeito Engrossamento temporário, à medida que as camadas do produto se sobrepõem, além da escova alcançar todos os fios As fibras e materiais aderem rapidamente aos fios e formam um prolongamento do fio, através da sobreposição das camadas

Cerdas em espiral ou Côncavos /Curvados ou Cílios caídos Definição

Cílios muito juntos

Curvatura

Primer

Cílios retos

Para condicionar, evitar a queda e proteger os fios de qualquer tipo de cílio

Cerdas fininhas ou Ouriço

Define e dá um up no olhar

Cerdas como linhas de pentes flexíveis ou aplicador com 2 lados

Define e separa os fios

Curvados ou

A fórmula, que deve secar rapidamente, esculpe a curvatura dos fios

Cerdas fininhas ou Bola de espinhos (ouriço)

Variados, mas deve alcançar todos os fios

O aplicador “ouriço” garante o alcance dos cílios mais difíceis e curva tufo a tufo

Melhora o desempenho da máscara habitual que a consumidora usa, devendo ser usado antes do rímel


Para o uso da cor:

Cor

Uso

Efeito - Natural, quase imperceptível

Transparente - Para definir de forma natural os cílios

- Apropriado para controle de fios rebeldes nas sobrancelhas

- Para pentear as sobrancelhas Marrom

- Look natural

- Natural clean

- Deve ser combinado com o uso do lápis de olhos marrom

- Para o dia, ambientes de trabalho e para quem faz questão de destacar o olhar, sem o peso das máscaras negras

- Loiras ou morenas que desejam aparência clean Preto - Destaca e valoriza o olhar - Para a noite - Olhos marcados e expressivos,

Colorido

- Deve ser combinado uso de lápis preto - Artístico

-Dramático, expressivo e marcante, o negro deve ser reservado para a noite ou para eventos especiais - Quanto mais camadas, mais arrumado o evento/ambiente deve ser

- Destaca, de forma divertida e ousada

- Usado como forma de destacar ou chocar com a ousadia no olhar - Deve ficar restritos à balada moderninha, aos ambientes altamente informais - Para apresentações artísticas, carnaval, etc

50 I ESTÉTICA


54 I ESPECIAL 2


SEMANA DA CRIANÇA ESPECIAL COM O ESPETÁCULO BASEADA NA OBRA ORIGINAL DE SIR JAMES MATTHEW BARRIE, A SUPERPRODUÇÃO PROMETE FASCINAR CRIANÇAS E ADULTOS NO MELHOR ESTILO BROADWAY INFORME PUBLICITÁRIO Efeitos especiais, imagens em 3D, recursos de levitação, pirotecnia, gelo seco e equipamentos de alta te cnologia s ão alguns dos ar tifícios utilizados pelo diretor italiano Billy Bond que fazem do espetáculo Peter Pan – O Musical uma das melhores produções teatrais já vistas no país. Depois de passar por São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília, obtendo recorde de público, chegou a vez do público baiano conferir a superprodução, que estreia neste final-de-semana, no Teatro Castro Alves (TCA), em duas sessões: 16 e 19 horas. A história do personagem que nunca cresce e vive na Terra do Nunca já migrou dos livros para a telinha, perpassando pelo cinema. Desta vez, ela ganha um formato inovador no palco graças à alta tecnologia desenvolvida ao longo do espetáculo que traz mais de 180 figurinos, quatro cenários giratórios principais, 15 trocas de palco e 10 toneladas de equipamentos. A montagem leva a assinatura das produtoras Black &

Red Produções (São Paulo) e NER Entretenimento (Salvador), repetindo o sucesso da peça A Bela e a Fera, no ano passado. Segundo o diretor, a nova roupagem tem agradado ao público brasileiro. “A história por si só é mágica e com todo esse aparato tecnológico fortalece ainda mais o imaginário infantil não apenas da garotada, mas também dos adultos. Afinal, quem não se encanta por uma trama que envolve sonho, fantasia, conflito e amor?”, destaca Bond ao explicar, ainda, que a encenação é cantada ao vivo, em português, e conta com 27 atores que interpretam 40 diferentes personagens. Os ingressos, que custam entre R$ 50 e R$ 140 (inteira), estão à venda na bilheteria do Teatro Castro Alves e nos balcões do TCA no SAC do Shopping Barra e do Shopping Iguatemi. O adulto acompanhado de uma criança paga meia-entrada. Mais informações: www.ner.com.br.


Sinopse - Peter Pan vive na Terra do Nunca com os Garotos Perdidos e a fada Sininho. Certo dia, ele visita a casa da família Darling e convence Wendy, John e Michael a conhecerem o lugar onde vive. Lá, todos enfrentarão a ameaça do perverso Capitão Gancho. Os personagens dessa bela aventura são inesquecíveis e possuem características singulares. Peter Pan, por exemplo, não quer crescer e acredita que as mães só ser vem para contar histórias; a cintilante fada Sininho é endiabrada e ciumenta; o sinistro Capitão Gancho é maldoso; Wendy é a doce menina que Peter Pan ensinou a voar para acompanhá-lo à Ilha da fantasia; o temível crocodilo é a fonte de informação sobre a hora na Terra do Nunca e, por fim, sereias, pelesvermelhas, fadas, piratas e aves encantadas. Sobre o autor - Sir James Matthew Barrie (1869-1937) foi bem sucedido dramaturgo e novelista escocês. Iniciou a sua carreira como jornalista em Edimburgo e Londres e os seus escritos, que esboçavam episódios da vida na Escócia, fizeram sucesso em 1888. Quatro anos mais tarde, surgiu o reconhecimento como dramaturgo. Peter Pan, inicialmente escrito para teatro, é, sem dúvida, um grande referencial para a vida de Barrie. Sobre as produtoras - A NER Entretenimento é uma empresa que atua na produção de eventos e ar tistas

56 I ESPECIAL 2

locais e nacionais. Na área teatral, a NER conquistou o público infantil e também adulto trazendo as peças Backyardgans (2008/2009), A Bela e A Fera (2009) e O Homem-Aranha (2010). A Black & Red Produções iniciou em outubro de 2003 o mais importante e significativo projeto cultural dos últimos tempos: o “Ciclo de Homenagem aos Grandes Clássicos da Literatura Infantil”. O projeto contempla quatro grandes produções no melhor estilo Broadway. A primeira foi “O Mágico De Oz”, em 2003; o segundo espetáculo, em 2006, foi “Pinocchio - O Musical”; o terceiro, em 2009, “A Bela e a Fera” e agora é a vez de “Peter Pan – O Musical”. FICHA DA PEÇA O que: Peter Pan – O Musical Quando: sábado (09) e domingo (10), em duas sessões: 16 horas e 19 horas Pré-estreia: quinta (07), às 20 horas (só para convidados) Onde: Teatro Castro Alves - Praça Dois de Julho, Campo Grande Ingressos: Filas “A” a “P” – R$ 140 (inteira)/R$ 70 (meia)* Filas “Q” a “Z” – R$ 120 (inteira) / R$ 60 (meia)* Filas “Z1 a Z9” – R$ 80,00 (inteira) / R$ 40 (meia)* Filas “Z10” a “Z11” – R$ 50,00 (inteira) / R$ 25 (meia)* Onde comprar: Bilheteria TCA, das 12h às 18h – Tel: (71) 3117-4899 Balcão do TCA no SAC do Shopping Barra – Tel: (71) 3264-5955 Balcão do TCA no Shopping Iguatemi


– Tel: (71) 3450-5922 Censura: LIVRE – menores de 14 anos somente acompanhados dos pais ou responsáveis. Informações: www.ner.com.br Realização: NER Entretenimento e Black & Red Produções *IMPORTANTE: A venda de meia-entrada é direta, pessoal e intransferível e está condicionada ao comparecimento do titular da carteira estudantil

no ato da compra e no dia do espetáculo, munido de documento que comprove condição prevista em lei. O adulto acompanhado de uma criança também paga meia. Mais informações: Alice Gabriela Costa | Assessoria de Imprensa Peter Pan Tel: 71 3111-3954 | 71 8793-8585 E-mail: imprensa@ner.com.br Twitter: @Nernoticias Acesse: www.ner.com.br

Fotos: CHICO AUDI


CARRO DE BOI A TRADIÇÃO FAMILIAR À MESA POR EQUIPE MAISS

Nada poderá ser mais adequado numa edição dedicada à criançada, que poder mostrar um forte e belo exemplo de tradição familiar que resulta em sucesso. Sim, porque quem se senta à mesa do Carro de Boi, está na verdade convidado a sentar-se à mesa da fazenda do Seu Meira, avô de Denise e Tânia Meira, irmãs e sócias no restaurante. Seu Meira tinha um dia puxado, produtor de arroz e criador de cabras e cordeiros. As meninas foram criadas na tradição de fazenda da família. Quando veio a idéia de abrir um restaurante, a inspiração familiar falou mais alto.

Culinária regional com carnes na brasa. Nosso carro chefe é o Pernil de Cordeiro, que vem na Brasa e regado ao alho e ervas.

A empreitada começou com Denise Meira e o irmão, que veio a faltar. Pas sada a comoção, De nise re solveu levar a mãe para ajudá-la no restaurante. Deu muito certo. A filha Cibele substituiu a avó quando esta se aposentou “para virar cliente da casa”. Quando decidiu abrir a filial no Salvador Shopping, a irmã Tânia juntou-se a ela.

RMaiss - Que sabor essa culinária oferece em particular, diferente de todos os outros? Um tempero especial? Um molho? Uma forma de preparo particular? Tempero bem tradicional de roça, de fazenda mesmo. Não usamos ervas sofisticadas, ou aromáticas, nossa comida não permite abuso desses temperos.

RMaiss - Qual é a culinária proposta pelo seu restaurante e de onde ela veio?

RMaiss - Qual é o prato ícone dessa culinária e que é oferecido no restaurante e porque este

60 I SUGESTÕES MAGISTRAIS

RMaiss - O que o motivou a trazer essa cozinha para Salvador? Faz parte das raízes, viemos de uma tradição de fazenda, o meu avô criava cordeiros, então muitos dos pratos que trouxemos para o restaurante em sua fundação, em 93, são pratos que nós tínhamos cotidianamente servidos na fazenda de nosso avô. São pratos muito saborosos e feitos do jeito mais tradicional, na brasa mesmo.


prato é considerado ícone? É o pernil de cordeiro na brasa, feito em churrasqueira a carvão. RMaiss - Algum prato do cardápio tem alguma história peculiar e que história é essa? É um clássico? É revolucionário? Mãe, pratos que faziam na fazenda. O avô acordava 3 ou 4 horas da manhã para iniciar o dia, então mais tarde, quando tomava café, tinha de ser reforçado. Era comum ele levar pirão de queijo coalho. Nós também, quando pequenas, costumávamos comer raspa de requeijão na panela, que minha avó preparava em casa, com

raspa de rapadura. RMaiss - A lgum p r ato do seu c a r d á p i o fo i a d a p t a d o p a r a a nos s a c u l t u r a d e a lg u m mod o criativo? Quais foram os desafios dessa adaptação? No inicio tínhamos muita dificuldade com o carneiro. Comprar o carneiro no padrão que exigimos era muito complicado quando iniciamos na matriz, na Boca do Rio, em 1993. Somente com o passar do tempo os fornecedores começaram a se sensibilizar para as exigências do mercado atual. Mesmo com a mudança no atendimento, ainda temos certa dificuldade com os cortes do animal.


RMaiss - Você segue alguma escola de pensamento em arte culinária? Quem são seus heróis? Não tivemos nenhuma influência direta para a criação do nosso cardápio, a gente busca em nossas raízes a inspiração para criarmos uma cozinha nossa. Como coloquei antes, nossa culinária não é algo de escola, é algo de infância, de nossa avó para nossa mãe, de nossa mãe para nós e de mim para minha filha Cibele (que atualmente administra o restaurante da Boca do Rio). RMaiss - O que é terminantemente proibido nesta cozinha? P o d e - s e p e d i r, p o r e x e m p l o , ketchup/most arda pra colocar no prato?

54 I SUGESTÕES MAGISTRAIS

Proibir jamais! Nossos pratos têm acompanhamento, mas o cliente fica à vontade. A gente sugere um acompanhamento, tipo “isso com isso aqui é fantástico”. Mas é claro que o cliente pode combinar os sabores que quiser. RMaiss - E o acompanhamento “imperdível”? Ah, o Arroz Caipira! Ele é um prato muito versátil, que vai muito bem com quase tudo. RMaiss - E o prato mais esquisito que encontrou? Um dos pratos bem diferentes que eu achei, e que me intriga sempre, é a maniçoba. Eu fico imaginando quem inventou aquilo, por que é uma folha muito tóxica, e quando é bem feita é


um prato muito bom.


64 I VIDA E SAÚDE


O MELHOR AMIGO DAS MULHERES POR YARA DE BARROS

...é o bom vendedor. Ele entende o que a gente quer, muito além das aparências. O bom vendedor é aquele que sabe que muitas vezes um jeans de caimento perfeito faz mais para o ego do que dez sessões de terapia. O bom vendedor sabe que as mulheres querem muito mais que aparência. Q uerem o passapor te para a felicidade, garantido por um impecável scarpim. O bom vendedor sabe que depois de um dia duro, o que as mulheres mais precisam é de um carinho. Seja

do marido, namorado, seja do cachorrinho ou da sensação maravilhosa do tecido do vestido caindo perfeitamente em nossos corpinhos cansados. O bom vendedor sabe como nos fazer perder mais de 3kg apenas nos apresentando à roupa certa. O b o m ve n d e d o r s a b e q u e n ã o existe mulher feia. Existe mulher mal produzida. E além de tudo isso, o bom vendedor é mágico. Ele tem o poder de transformar simples mulheres em divas absolutas.


68 I ESPORTES E AÇÃO


AS CRIANÇAS E O ESPORTE CRIANÇA SAUDÁVEL, ADULTO SAUDÁVEL POR LEÔNIDAS GONDIM - EDUCADOR FÍSICO As mudanças sociais das últimas décadas influenciam cada vez mais a qualidade de vida das pessoas, principalmente a das crianças. Aumentou o conforto, aumentaram as opções do lazer doméstico e com elas o sedentarismo. As práticas espor tivas se apresentam como ferramentas insubstituíveis no combate ao sedentarismo de hoje e suas conseqüências ao corpo e mente dos futuros adultos. O aume nto das ativ idade s e sco lares, a disponibilidade tecnológica, o medo da violência, a redução dos espaços de la zer nas grandes cidades são alguns dos fatores que favorecem a procura por atividades sedentárias como: assistir televisão, jogar videogames, utilizar computadores para jogar games em rede ou participar das próprias redes sociais, entre outros, e com elas o surgimento do sedentarismo infantil e seus inúmeros problemas (que trarão conseqüências ao futuro adulto). A infância é o período mais adequado para o início de atividades saudáveis, pois a criança aprende rápido. O esporte fortalece o corpo e acelera o metabolismo, melhora a capacidade de concentração (a

criançada fica mais atenta, inclusive nos estudos), a agilidade, o raciocínio e criatividade. Mais ainda, ensina a criança a reagir de forma apropriada às situações adversas, a encarar adversários maiores que elas próprias e com isso ganharem auto-estima. As conseqüências sociais, como o aprendizado da disciplina, o cumprimento de horários e de metas auxiliam no desempenho escolar, além do respeito aos adultos, representado pelo profissional de educação física ou treinador. No esporte, ela vivencia a alegria da vitória e a frustração da derrota. A derrota no esporte não é tida como definitiva, pelo contrário, os esportistas, principalmente as crianças, são sempre motivados a continuarem treinando para a próxima competição, aprendendo com isso que a derrota não impossibilita as vitórias futuras. Isso gera uma mentalidade vencedora na criança que ela vai levar consigo pelo resto da vida. No esporte a criança tem a oportunidade de cometer erros e aprender valores essenciais que a ajudará durante toda a sua vida. O esporte é mais do que entretenimento e diversão. Ensina lições de comporta-


mento social e de integração, além de ajudar no autoconhecimento e respeito aos outros. Para crianças muito novas, o ideal é a prática de esportes básicos como natação, atletismo e ginástica olímpica que desenvolvem a força, resistência cardiorrespiratória, flexibilidade preparando o corpo para esportes mais específicos como ar tes marciais e esportes coletivos. As práticas esportivas devem ser estimuladas desde cedo e é fundamental que as pessoas que as cercam tenham hábitos saudáveis de alimentação e atividades físicas, pois são os modelos no processo de formação. Essas atividades devem ser sempre estimuladas pelos pais. Quanto mais cedo, maiores os benefícios. È importante respeitar a vontade das crianças na hora de escolher o esporte. Conhecer diversas modalidades dá oportunidade para a criança escolher a que mais lhe agrade. O prazer em realizar a atividade esportiva deve estar acima de cobranças por bom desempenho ou perfeição nos resultados o que pode, do contrário, levar a frustração e desmotivação. Os pais devem atuar como mediadores mantendo os valores pregados pelo esporte, como busca da superação dos limites individuais e não de recordes. O mais importante é manter a prática esportiva como forma de ocupação e de desenvolvimento psicossocial e

70 I ESPORTES E AÇÃO

motor da criança. Se ela vai ou não se destacar na sua modalidade é uma conseqüência e não a principal motivação da realização de qualquer esporte. Se os treinos não servirem para que ela se transforme em atleta de competição vai ao menos poder tor ná-la um indivíduo saudável e m e nos su sc etí ve l ao mu ndo d a s drogas e outros problemas sociais.


SIMPLESMENTE...STARLA! ROCK BAIANO JOGANDO DURÍSSIMO POR IVAN FIDALGO

74 I MÚSICA


Foto : Vinicius Xavier


O rock deles é brasileiro, é baiano, é em Português. É resultado de influências que os acompanham por toda a vida, somadas e filtradas pelo que se encontra na intercessão de cinco pensamentos: de Ricardo, de Ted, de Daniel, de Zuma e de Bruno. Amigos de longas datas, parceiros de música também há muito tempo, o quinteto forma a banda Starla, nascida em 2004. No caminho destes mais de quatro anos de estrada, eles criaram e aperfeiçoaram o repertório autoral que representa o grupo juntos. Repertório que é apresentado em Euforia, o álbum de estréia, gravado e lançado independentemente. A atitude da Starla vai por aí: produzir em conjunto boa música, com identidade própria, letras diretas e arranjos bem cuidados. Com influências tanto do rock alternativo americano como do britpop dos anos 90, a banda ainda se revela inspirada pelo rock cantado em português, como o das brasileiras Pato Fu, Paralamas do Sucesso, Engenheiros do Hawaii e da portuguesa Ornatos Violeta – tudo sustentado pelo incontestável denominador comum do grupo, que são os Beatles. O nome da banda é fruto, inclusive, desta relação com o universo musical que os guia: Starla é título de uma canção obscura dos Smashing Pumpkins. Em estúdio e nos palcos, o quinteto faz uso das habilidades múltiplas que seus músicos, todos autodidatas, desde muito jovens desenvolveram. Na chamada “cozinha”, Rafael Zumaeta,

36 I MÚSICA

conhecido como Zuma, responde pelo baixo e Bruno Guimarães, o Grilo, fica na bateria. Os violões, guitarras e teclados passeiam pelas mãos dos outros três integrantes: Ricardo Longo, vocalista, se reveza entre violão e guitarra; Ted Simões e Daniel Rebouças, além dos vocais, ora assumem guitarras, ora vão para os teclados. As trocas enriquecem as canções e o modo de executá-las, o que pode ser ouvido nos shows e no trabalho que chega ao público neste momento. Euforia, um CD com doze faixas, foi produzido por Luisão Pereira (músico ex-integrante da banda Penélope, atualmente no Dois em Um, produtor executivo e musical) e gravado por ele, Jorge Solovera e Glauco Neves, a partir de janeiro de 2007, após cinco meses de ensaios, escolha de repertório e ajustes necessários. O disco contou com diversas participações especiais de importantes nomes do cenário baiano: Fernanda Monteiro, Fábio Cascadura, Tadeu Mascarenhas, Ricardo Cury, Dudu de Carvalho e os próprios Luisão, Solovera e Glauco deram suas contribuições. Foram cerca de seis meses de gravação, mais um mês dedicado à mixagem, que ficou sob a responsabilidade da dupla Solovera e Luisão. A masterização, feita no Magic Master (Rio de Janeiro), é de Ricardo Garcia (O Rappa, Los Hermanos, Maria Rita). Das doze canções, apenas uma não é assinada pelos cinco integrantes da Starla: “Julia e Flávia”, da extinta ban-


da Soma, é de Rafael Cavalcanti. Três das músicas autorais vieram do EP O Amanhecer em Minas Gerais (produzido por Tadeu Mascarenhas e Toni Oliveira), que a Starla lançou em 2005 e que abriu as portas de sua trajetória. Agora, o grupo, com todo orgulho diante do trabalho que realizaram, investe na divulgação deste primeiro ál-

bum com o mesmo afinco que tiveram na sua concepção. A intenção é de que a Starla possa ser prestigiada como um dos bons frutos da atual geração roqueira da Bahia e do país, e que alcance o reconhecimento público que move os esforços de fazer música com dedicação e qualidade.

www.starla.com.br www.tramavirtual.com.br/banda_starla www.myspace.com/starlaweb www.twitter.com/starlaweb www.pirigulinobabilake.com.br


80 I TECNOLOGIA


TABLETS, TABLETS E TABLETS A APPLE ATACA NOVAMENTE, MAS DESSA VEZ ... POR WELLINGTON LACERDA A tecnologia do momento é o iPad. Com ele a Apple revigorou um segmento no mercado de computadores pessoais (o iPad é um computador, não é um telefone), que é o dos Tablet PCs. Um tablet é um computador e m for ma de prancheta. Ele não tem teclado nem mouse, toda a relação entre o usuário e o tablet acontece através da tela sensível ao toque. Ao lançar o iPad a Apple está tentando aproveitar uma opor tunidade óbvia: o iPhone treinou milhões (nem tantos assim) de usuários para interagirem com telas de toque e “gestos” (movimentos dos dedos sobre a tela que o sistema do aparelho interpreta de maneira especial). Então, na rasteira do sucesso que foi o iPhone surgiu um mercado preparado para uma nova geração de tablets. Bom, o conceito de tablet não é nada novo. O conceito nasceu (pasmem) e m 1956. Q ue m as siste a sé r ie s como Jornada nas Estrelas vai encontrar o “tricorder”, o computador com cara de gravador de fita cassete (ih... quem não conhece vai ter

de procurar isso na Wikipédia...), e volta e meia o capitão Kirk assinava os despachos administrativos da nave num dispositivo em forma de prancheta. As primeiras versões de tablets funcionais usavam uma interface de caneta e eram chamados de Pen Computers. Não, a Apple não “inventou” o tablet com o iPad, da mesma maneira que não inventou o telefone celular. Acontece, porém, que, se com o iPhone a Apple foi capa z de reinventar a interatividade do celular nas barbas do mercado de celulares, que demorou uma barbaridade de tempo para reagir, com o iPad o buraco é enormemente mais embaixo. Aí ela joga com concorrentes que a conhecem profundamente, sabem exatamente o que fazer e sabem fazer mais e melhor do que ela. Não foi à toa que, em seguida ao lançamento do iPad, surgiram concorrentes fortíssimos no mercado rapidamente. Alguns dos que se têm destacado no noticiário são o HP Slate, o Folio 100 da Toshiba, o Samsung Galaxy Tab e o Playbook da Blackberry, que de-


verá chegar ao mercado no começo de 2011, mas já está fazendo barulho. O próprio iPad deixa algumas lições por fazer para a Apple. Uma coisa é usar um sistema operacional típico para as limitações de um smartphone em um smartphone. Outra coisa é usar um sistema pensado para um smartphone num computador muito maior e mais ambicioso do que um smar tphone. Na opinião deste colunista, esse é um ponto fraco do iPad: ao usar o iOs do iPhone no iPad, ao invés de usar o sempre excelente Mac OS, a Apple pretendeu fazer do iPad não um Mac, mas um iPhone “maior”, para criar um elo entre os dois, e já jogar com o lado emocional do mercado. Mas ele não é um iPhone, e usar o sistema no iPad apenas ressalta as suas fragilidades para computação mais ambiciosa. Os concorrentes imediatamente viram isso e bateram duramente aí. Por exemplo, o Galaxy Tab, assim como o Folio 100, usa o Android 2.2, o sistema operacional da Google, que é mais rico neste tipo de aparelho que o iOS do iPhone. O Slate da HP usa o Windows7. O Playbook vai usar uma versão do conhecidíssimo (e rapidissimo) QNX Unix, e várias outras companhias estão preparando tablets baseados no Ubuntu Linux, um adversário formidável para o iOs pela interatividade e facilidade de uso do sistema. E nem estamos falando de futuro ainda. Sony Ericsson e LG estão tra-

48 I TECNOLOGIA

balhando para lançarem seus novos aparelhos, quiçá já com Android 3. E ninguém se esqueça de que Samsung, Sony e LG são fabricantes pioneiras de fantásticas TVs 3D, ou seja, elas já estão trabalhando paralelamente numa tecnologia de vídeo que irá revolucionar os próprios tablets quando chegar a eles. Um indício disso é que o Sony Dash, um pseudotablet (ele é posicionado como um “navegador internet pessoal”), já vem equipado com o sistema de vídeo Bravia, o mesmo das TVs da marca, e a LG vem falando num lançamento “extraordinário” para breve. Enquanto isso a Google e a HTC (parceiras de longa data) aparentemente estão planejando algo portentoso para novembro.

Resumo da ópera, o iPad reinaugurou um segmento que desde sempre esteve nos corações e mentes de todos nós, mas, por conta da reação rápida e contundente de seus concorrentes, pode acabar se tornando um participante secundário no mercado. É ficar atento ao que virá por aí, por que desta guerra sairão maravilhas para nós.


O SALVADOR SHOPPING QUE A CRIANÇADA QUERIA WOODY E BUZZ NO DIA DAS CRIANÇAS! POR EQUIPE MAISS / AGÊNCIA DE TEXTOS / SALVADOR SHOPPING Para comemorar o mês das crianças, o Salvador Shopping traz evento do filme Toy Storty 3 e o Festival Internacional de Cinema Infantil

transformam em um dos brinquedos, além das imagens dos personagens: Buzz, Woody, Sr.Batata e os E T’s verdes, que estão presentes em todas as edições da animação.

O mês das crianças está chegando e o Salvador Shopping preparou algumas ações especiais para atrair os consumidores e entreter a meninada. O mundo de fantasia e encantamento proporcionados por Andy e seus brinquedos, personagens do filme Toy Story 3, é a primeira ação que chega ao shopping para fazer a festa da criançada. O evento “A brincadeira tem que continuar”, que acontece entre os dias 27 de setembro a 18 de outubro, na Praça Central, Piso L1, para comemorar o Dia das Crianças, traz um espaço onde os pequenos podem desfrutar de atividades e aventuras inspiradas nos personagens do filme.

A garotada com idade entre 3 e 12 anos pode participar da montagem do quebra-cabeça gigante, fazer pintura de desenhos, assistir o trailer do novo filme, jogar videogame e muito mais. O espaço, que comporta 18 participantes por vez, contempla também crianças que precisem de cuidados especiais, como cadeirantes.

Num cenário do Sunnyside Day Care - local onde os brinquedos de Andy vão parar – a turminha vai dividir o ambiente com móveis e imagens gigantes que dão a impressão que se

86 I DO LADO DE CÁ

A brincadeira é uma boa oportunidade para os consumidores do shopping, que querem fazer suas compras com tranqüilidade e levar seus filhos a um lugar agradável e seguro, pois conta com o apoio de sete monitores para se dedicar à garotada que permanece por cerca de 30 minutos no local de pura diversão. Além das aventuras, o público pode participar de uma promoção especial: a cada R$ 150 em notas de compras no Salvador Shopping e mais uma taxa de


O Bahia tem torcida O Esporte Clube Bahia apresentou no último dia 19/08 um novo conceito em relacionamento entre clube e torcida: o programa Torcida Oficial do Bahia. Com este novo programa, o clube vem agregar em torno de si não apenas seus torcedores, sempre fiéis e entusiasmados, mas também parceiros e amigos da Instituição. O objetivo maior do programa é fortalecer o clube para o retorno e permanência

na série A do campeonato brasileiro de futebol, o maior anseio de seus seguidores, e este fortalecimento passa por uma revisão do relacionamento do clube com a sociedade baiana. Diferentemente de programas anteriores, o novo programa contempla todo o universo social que compõe a torcida tricolor. O programa se baseia em produtos da nova geração de tecnologias de relacionamento para chegar a todos os torcedores,


R$10, pode trocar por um jogo para computador da Disney – Pixar, no balcão montado ao lado da entrada do evento. Dando continuidade as ações do mês das crianças do Salvador Shopping, a partir do dia 18 é a vez do Festival Internacional de Cinema Infantil (FICI), realizado em parceria como Cinemark, que segue até o dia 31 de outubro, que será destinado a crianças de 04 a 12 anos, é um projeto idealizado pela atriz e diretora de cinema, Carla Camutari, e acontecendo em todo o Brasil. A programação conta, além das exibições dos filmes infantis, com a apresentação de: “A tela na Sala de Aula”, que atende a crianças de escolas públicas (municipais e estaduais), projetos sociais e escolas particulares; a “Sessão O Pequeno Jornalista”, onde os pequenos espectadores aprendem a refletir sobre o tema, justificar a sua opinião e conhecer as motivações dos diretores e suas escolhas por determinada forma de fa zer cinema, com um profissional do jornalismo; e a “ Sessão Dublagem ao VIVO, oportunidade para a criançada ver e saber como é feita uma dublagem. Para Fernando Rocha, superintendente do Salvador Shopping, esses tipos de evento têm o objetivo de criar um ambiente diver tido e aconchegante no empreendimento. “Assim, pais e filhos se sentem a vontade tanto para fazer as compras do Dia das Crianças, como para curtir o clima especial que essa época propícia”, destaca.

88 I DO LADO DE CÁ


Sou mais

Salvador

REVISTA MAISS 4  

revista maiss 4

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you