Issuu on Google+

Biografia

Em 1922, alista-se na polícia de Faro.

altura, Aleixo começa a ser divulgado e

Em 1924 casa-se e regressa a Loulé. O rápido

apreciado no meio cultural algarvio e, em 1943,

Considerado um dos maiores poetas

aumento da família obriga-o, em 1928, a

é, finalmente, editado, pelo Círculo Cultural do

populares algarvios de sempre pela crítica

emigrar para França, onde trabalha como

Algarve, o seu primeiro livro de poesia. Com

sócio-filosófica que as suas quadras encerram,

servente de pedreiro até 1931, data em que

uma tiragem de 1.100 exemplares, o livro foi

António Aleixo deixou um vasto repertório

regressa

estabelecendo-se

muito bem acolhido pela opinião pública e

literário que continua por reunir numa obra

novamente em Loulé, agora como pastor,

esgotou em poucos dias. Este sucesso editorial

completa que faça jus ao seu talento e

cauteleiro e vendedor de gravatas.

não foi, no entanto, suficiente para poupar à

a

Portugal,

Estas duas úlitmas actividades levam-no

morte uma das filhas do poeta, com apenas 14

Nascido em Vila Real de Stº António, em

a percorrer o Algarve à boleia com amigos e

anos, que sofria de tuberculose em estado

Fevereiro de 1899, no seio de uma família

conhecidos que o vão encorajando na sua

avançado, devido à falta de meios económicos

operária, António Aleixo acabará por fixar

actividade literária. Alguns vendem folhetos

para os tratamentos.

residência em Loulé, terra para onde se mudara

avulsos com quadras do poeta com o intuito de

A tuberculose acabará também por

com a família, em 1906, devido ao ofício do pai

o ajudar no sustento da família que é numerosa.

contaminar António Aleixo que, a 28 de Junho

como tecelão. Em Loulé, frequenta a escola

E Aleixo vai vendendo cautelas e cantando os

de 1943, dá entrada no Hospital-Sanatório dos

primária e logo dá que falar, pois apenas com a

seus versos pelas feiras algarvias, o que lhe

Covões, em Coimbra. Aqui irá passar a maior

segunda classe, compõe e improvisa, para o

valeu a alcunha de “poeta-cauteleiro”.

parte do tempo internado para tratamentos,

contributo genuínos para o mundo das letras.

Em 1937, António Aleixo fica classificado

entre 1943 e 1949, apenas regressando a Loulé

em 4º lugar nos jogos florais, organizados pelo

para passar as festas – Natal e Páscoa - com a

Com a escolaridade básica incompleta,

Ginásio Clube de Faro. Entre 1939 e 1940, José

família. Aqui também se inicia uma vida nova

devido às dificuldades económicas da família,

Rosa Madeira, um dos amigos do poeta,

para

começa a aprender e a trabalhar no ofício do pai

começa a reunir algumas quadras em folhas

amizades e admiradores, tais como o Dr.

aos doze anos, apurando a arte de versejar em

soltas que serão o núcleo do seu primeiro livro

Armando Gonçalves (director do Hospital), o

festas, a convite de amigos. Assim se mantém

Quando Começo a Cantar. Mais tarde, entrará

escritor

até 1919, data em que vai cumprir o serviço

em cena o professor e admirador do poeta,

(Tóssan), o artista plástico e autor da mais

militar, em Faro. Após a instrução militar

Joaquim

a

conhecida imagem do poeta algarvio, que se

ingressa no exército, em 1920, como soldado

compilar, a rever e a passar os versos, muitas

tornou no amigo de todas as horas e se

aprendiz de corneteiro.

vezes, ditados pelo próprio Aleixo. A partir desta

manteve ao seu lado até ao fim.

grupo de amigos, versos para cantar as Janeiras, de porta em porta.

Magalhães,

que

se

dedicará

António

Miguel

Aleixo

Torga

que

e

descobre

António

novas

Santos


[F13 Dezembro de 2009] Entra sempre com doçura

Estilo literário As suas quadras e sextilhas cumprem os preceitos

da

tradição

popular

portuguesa.

Através de versos lapidares e incisivos, que recorrem à rima e à redondilha maior, a poesia de Aleixo é a expressão espontânea e sintética

A mentira, pr’a agradar; A verdade entra mais dura, Porque não quer enganar.

Em não tenho vistas largas Nem grande sabedoria

de conceitos filosóficos profundos que revelam o

Mas dão-me as horas amargas

olhar atento e a sabedoria do poeta para fixar

Lições de Filosofia.

pensamentos

e

refinar

críticas,

ditos

ou Uma mosca sem valor

trocadilhos acerca da realidade. A capacidade de improviso e de trabalho com as palavras, bem como a sua visão do mundo onde nos revemos como homens,

Poisa c'o a mesma alegria na careca de um doutor como em qualquer porcaria.

reflectem um intelecto único e poderoso, que consegue

ultrapassar

a

sua

formação

académica

rudimentar

e

enfrentar

com

dignidade e humor as muitas limitações da sua vida e saúde.

Obras publicadas Quando Começo A Cantar… , 1943 Intencionais, 1945 Auto da Vida e da Morte, 1948;

Sem que o discurso eu pedisse, Ele falou; e eu escutei.

Auto do Curandeiro, 1949;

Gostei do que ele não disse;

Este Livro Que Vos Deixo… Volume I,

o que disse não gostei.

Este Livro Que Vos Deixo… Inéditos – Volume II

Os que bons conselhos dão Às vezes fazem-me rir, Por ver que eles próprios são Incapazes de os seguir.

Inéditos , 1978

O homem sonha acordado; Sonhando a vida percorre…

Bibliografia consultada: http://www.fundacao-antonio-aleixo.pt/Quadras.asp http://pt.wikipedia.org/wiki/Ant%C3%B3nio_Aleixo

E desse sonho dourado Só acorda, quando morre!



3_Perfil_biografico_antonio_aleixo