Issuu on Google+

Biografias René Goscinny nasceu em 1926, em Paris. Filho de mãe ucraniana e de pai polaco, passou grande parte da sua infância na Argentina, onde chegou com quase dois anos. Frequentou o Liceu Francês de Buenos Aires, distinguindo-se como bom aluno e colaborando activamente nos boletins Notre Voix e Quartier Latin, onde publicou os seus primeiros textos e desenhos. Com a súbita morte do pai, no Natal de 1942, a hipótese de ser admitido em BelasArtes foi posta de parte, começando a trabalhar em publicidade. Em 1945 partiu para os EUA com a mãe. Em 1948 iniciou-se como desenhista-assistente num pequeno estúdio de desenho. Em 1950 conheceu Joseph Gillain (Jijé) e Maurice de Bévere (Morris) que, como ele, tentavam a sua sorte no país de todas as oportunidades. Deste encontro, nascerão vários projectos e a hipótese de tentar a sua sorte na Bélgica e em França. Regressado à Europa, abandonou a expectativa de vingar nos desenhos, confiando em tirar partido dos seus textos. Acabou por conhecer Albert Uderzo em 1951, em Paris, iniciando-se uma cumplicidade que terá o seu apogeu com a criação de "Astérix", em 1959. Antes disso, colaborou em diversos periódicos, como Moustique e Spirou. Neste último começou a sua longa colaboração com Morris, assegurando os argumentos de Lucky Luke, série criada a solo pelo primeiro, em 1949. Um conflito pelo reconhecimento dos direitos dos autores acabou por levar a que Goscinny, Uderzo e ainda Jean-Michel Charlier, também argumentista, fundassem a Édipresse/Édifrance, agência especializada na imprensa de comunicação. Aí nasceram publicações de natureza diversa, multiplicando-se as personagens e as colaborações com outros autores. Em 1955 surgiu Le Petit Nicolas (O Pequeno Nicolau), com ilustrações de Jean-Jacques Sempé. Em 1956 inicia a sua colaboração na revista Tintin, onde pontificou em diferentes séries, destacando-se: Spaghetti (com Dino Attanasio), Modeste e Pompon

(com André Franquin) e Humpá-Pá, (com Albert Uderzo). Goscinny, Uderzo e Charlier lançaram-se numa outra aventura conjunta, ao criarem a revista Pilote, em 1959, que marcou fortemente a BD europeia da década seguinte. Logo no número inaugural surgiu Astérix, a mais célebre das várias criações de Goscinny e de Uderzo que, em poucos anos, se tornou num verdadeiro fenómeno de popularidade e motivo de orgulho para a República Francesa. Pegando num emblemático momento da História de França, a resistência ao invasor romano, e beneficiando de argumentos portentosamente escritos por Goscinny e um registo gráfico que foi sendo aprimorado por Uderzo, a série foi multiplicando o número de títulos e de edições no estrangeiro, sobretudo na Europa, onde a sua popularidade não tem parado de crescer. Os autores foram impondo um ritmo de dois novos álbuns por ano, cujas tiragens foram batendo sucessivos recordes. No entanto, Goscinny não esmoreceu nas suas outras séries e criações, continuando a trabalhar para vários autores e publicações. No início da década de 70, reflexo do Maio de 68, retirou-se da chefia de redacção da sua Pilote, contestado pelos autores mais novos, que pretendiam dar outra dinâmica à revista, concentrando-se nas suas múltiplas criações. Fundou nessa época, com Uderzo, o Studio Idéfix, dedicado à realização de desenhos animados das suas séries e a sua própria editora, a Éditions AlbertRené. Faleceu na sua cidade natal, a 5 de Novembro de 1977, vítima de uma crise cardíaca, no auge da sua popularidade, trabalhando a um ritmo frenético, com muita energia, criatividade e talento. A sua obra, de tão vasta que é, deu origem ao Dictionnaire Goscinny (Dicionário Goscinny, 2003), volumoso livro que inclui todos os seus trabalhos editados em livro/álbum. As dezenas de livros editados com o seu nome, alguns com tiragens de vários milhões de exemplares, tornaram-no no autor francês mais traduzido em todo o Mundo.

Albert Uderzo nasceu em Fismes, no Marne, em 1927. Durante a infância desejava ser mecânico de aviões, embora já mostrasse algum talento para as artes. Durante a 2ª Guerra Mundial, o jovem Uderzo viajou até à Bretanha, onde trabalhava numa quinta, e ajudava o pai no negócio de mobílias. Muitos anos mais tarde, quando foi necessário decidir a localização para a aldeia de Astérix (Goscinny deixara-lhe essa decisão), este, prontamente, escolheu a Bretanha. Uderzo iniciou a sua carreira como desenhista em Paris, a seguir à guerra, em 1945, com Flamgerge ou Clopinard, um pequeno idoso perneta, que vence todas as contrariedades. Em 1947-1948, cria novas personagens, tais como Belloy e Arys Buck. Uderzo conhece Goscinny em 1951. Tornamse grandes amigos, e decidem trabalhar juntos em 1952, na delegação de Paris da empresa belga World Press. Em 1959, Goscinny torna-se editor, e Uderzo director artístico, da revista de banda desenhada para crianças, Pilote, criada em 29 de Outubro. A primeira edição da revista publica, pela primeira vez, Astérix, e é um sucesso em França. Paralelamente, Uderzo também trabalhou com JeanMichel Charlier, na série Michel Tanguy, mais tarde chamada de As Aventuras de Tanguy e Laverdure.

Aos 82 anos de idade, é muito provável que Uderzo tenha assinado a última aventura de Astérix & Obélix, no álbum de aniversário posto à venda na semana passada. Mas, seja como for, já declarou que Astérix lhe sobreviverá. Sites consultados http://www.publico.clix.pt/Cultura/asterix-mais-50anos-a-bater-nos-romanos_1407394 http://pt.wikipedia.org/wiki/Albert_Uderzo http://blog.uncovering.org/archives/2005/07/uderzogo scinny_1.html site da Porto Editora


Personagens

[F11 Novembro de 2009]

Astérix & Obélix uma dupla imbatível com 50 anos A dupla criada por René Goscinny e Uderzo em 1959 é muito mais do que um herói popular. É um ícone da BD franco-belga que tem alimentado, com as suas divertidas aventuras, o imaginário de gerações sucessivas de leitores. E constitui também um símbolo, por excelência, da consciência colectiva francesa, que se revê nas histórias que envolvem a aldeia gaulesa que resiste aos romanos. Surgiu pela primeira vez em 29 de Outubro de 1959 no nº1 da revista Pilote, desde então, sucederam-se 33 aventuras, filmes de animação, três longasmetragens com actores reais, um parque temático e um sem-número de produtos derivados que alimentam o merchandising da série. Enredo Este é o prólogo de todas as edições dos livros de Astérix, o gaulês: "Estamos no ano 50 antes de Cristo. Toda a Gália foi ocupada pelos romanos... Toda? Não! Uma aldeia povoada por irredutíveis gauleses ainda resiste ao invasor. E a vida não é nada fácil para as guarnições de legionários romanos nos campos fortificados de Babaorum, Aquarium, Laudanum e Petibonum..." Astérix reside com os seus amigos numa pequena aldeia gaulesa situada numa península na Armórica, ao norte da antiga Gália, a única a não cair nas mãos de Júlio César. Chefiada por Abraracourcix, a vila à beira mar é um paraíso: de um lado há o mar, fonte de peixe e de novos mundos; do outro, uma floresta repleta de javalis e de romanos para espancar. Para resistir ao domínio romano, os aldeãos contam com a ajuda de uma poção mágica que lhes dá uma força sobre-humana, preparada pelo druida Panoramix. A excepção é Obélix, que caiu dentro de um caldeirão cheio da poção quando ainda era um bebé, e adquiriu uma super força permanentemente.

Astérix, o herói gaulês e o melhor amigo de Obélix. O seu nome provém da palavra francesa asterisque (asterisco). Obélix, o distribuidor de menires e o melhor amigo de Astérix. Adquiriu força sobre-humana permanente ao cair dentro de um caldeirão cheio de poção quando era um bebé. Adora o cachorrinho Idéiafix, o qual o acompanha nas suas aventuras com Astérix. Só pensa em duas coisas: comer javalis e bater nos romanos. O seu nome provém do francês obelisque (obelisco). Panoramix, o velho druida que aconselha Astérix, Obélix e o chefe Abraracourcix – é o único a saber preparar a poção mágica.

Abraracourcix, o chefe da aldeia. O seu nome provém do original francês à bras raccourcis (braço partido).

Assurancetourix, o bardo. O seu nome provém do francês assurance tous risques (seguro contra todos os riscos). Idéiafix, o cão–mascote da aldeia e o companheiro inseparável de Obélix. O seu nome provém do francês ideé fixe (idéia fixa).

Uderzo (à esquerda) e Goscinny (à direita) celebram o 10º aniversário de Astérix, o gaulês. (foto de 1969)



1_perfil_biografico_Goscinny_e_Uderzo