Issuu on Google+

Psicografia realizada na

Casa Francisco de Assis Dia 31/08/2010 Pelo mĂŠdium

Kleber Torres


Boa noite queridos irmãos que a luz se faça bastante viva em suas mentes e em seus corações. Jesus amado e querido por multidões nada possui de seu, não construiu castelos ou mesmo templos, nos deixou o caminho que nos conduz ao Pai, a vida de Francisco de Assis, abnegado servidor do Mestre, foi também simples e com muita caridade. Devemos nos nortear buscando através destes ensinamentos a conquista da iluminação, que precisamos para alcançarmos, moradas melhores quando de nosso desencarne, feliz daquele que serve, feliz daquele que não cobra pelos trabalhos na senda da boa aventurança, somos devedores e precisamos alijar de nossas almas, a cobiça e a cupidez, irmãs que acabam com as melhores intenções de progresso, necessitamos trabalhar com afinco retirando a maledicência e tomando consciência de nossos atos, antes de julgar ao nosso próximo por suposições quase sempre infundadas e enlameadas pelos nossos algozes, que se divertem com nossa falta de vigilância e a nossa pouca fé. Devemos fazer esforços para não deixar que nossas queixas se tornem um tormento futuro, a maledicência deve ser extinta entre vocês. Que Jesus possa vos esclarecer e ajudá-los a viver em fraternidade. Deixo meu abraço carinhoso ao meu amigo Kleber, na esperança que ele consiga a ter as condições necessárias, para que a paz e a harmonia reinem na Casa Francisco de Assis. Do seu amigo, irmão e mentor. Albino Luciani


Os passos do viajante, Que sem rumo estava, Hoje se gaba, Em conquistas de, Apenas polidez externa. Quando em seu coração, Permaneça a mesma, Sentença de falta, De compreensão. São mundos distintos, Onde a matéria, Se contrapõem, Ao espírito. São ligações, De outrora, Alimentadas pelo crescimento, Mas que no esquecimento, Alimentam, Ódio e falta de amor. Onde esta a felicidade, Para os eleitos, Do senhor.


Esta no esquecimento, Da ambição, do cargo E da posição. Esta em esquecer, Sua tirania e, Sua eloqüência. Em não compreender, As verdades eternas. Que após a morte, Estarão presentes, Em sua imortalidade. Não façamos desta vida, A mesma de tantas, Encarnações. Trabalhemos com amor, Retirando o joio de, Nossos corações. Não há amor sem desprendimento, De si mesmo. Não fraternidade, Com ódio ao peito. Porque estar aqui,


Se não queremos, Seguir estes princípios. São minutos vazios, De almas vazias. Encham suas almas, Com a reforma intima, E trabalhem para vocês, Pois o resultado virá, Em forma de bênçãos, E não de festas, Ou mesmo no aplauso, Dos que cultivam os, Mesmos desatinos, Que ora batem em, Nossas mentes. O amor é a pérola, Que deve ser cultivada, Na alegria e na dor, Ressaltada em verso e prosa. Pois o mestre, Nazareno, Apenas deixou o caminho,


De flores coma a caridade, E o amor triunfante. Mas se ainda não, Consegue ter paz, Para dar a teu próximo. Melhor é que você, Cale e siga para dentro, De suas emoções, Retirando o joio, Que causa sofrimento, No seu próximo. Esperamos que todos, Consigam a viver, Com amor, Fé e caridade. Pois aqui só deixaremos, Aqueles que querem, Progredir, Na paz e no amor. Abraços fraternos. Frei Antão


Psicografias Kleber 31-08-2011