Issuu on Google+

LITURGIA

9 JUNHO 2011

P. 8

ANO 97 - N.º 4863 FUNDADOR José Ferreira Lacerda DIRECTOR Rui Ribeiro

PREÇO: 0,80 euros (IVA incluído) SEMINÁRIO DIOCESANO – 2414-011 LEIRIA TEL. 244 821 100/1 • FAX 244 821 102 E-MAIL: jornal@omensageiro.com.pt WEB: www.omensageiro.com.pt

ECONOMY DE00982011SNC/GSCCS

DESTAQUE

Simpósio na comemoração do Centenário das Aparições

“Adorar Deus em espírito e verdade”

ECLESIAL

Corpo de Deus em Leiria | P. 9

Filarmónicas ajudam a dignificar as festas religiosas Visita do Papa Bento XVI | P. 12

Rosto luminoso da Croácia CULTURA

EB1 da Freixianda | P. 4

Biblioteca Escolar já é realidade No Dia de Portugal | P. 5

Camões ceia no Castelo de Leiria IV Festival Internacional de Guitarra | P. 5

Festa no Orfeão de Leiria

SOCIEDADE

Turismo de Leiria-Fátima | P. 6

Paulo Fonseca eleito presidente Integrado na celebração do Centenário das Aparições, o Santuário de Fátima irá realizar um simpósio sobre o tema deste primeiro ano, que sublinha a centralidade de Deus na fé e na vida. Com o tema “Adorar Deus em espírito e verdade – Adoração como acolhimento e compromisso”, o simpósio decorrerá de 24 a 26 de Junho. A este propósito, publicamos uma entrevista a Borges de Pinho, membro da Comissão Científica do Simpósio. Páginas 2 e 3

Convento dos Capuchos e Antigo Seminário | P. 7

Leiria adquire património estatal

PSD cantou vitória. CDS acompanhou o ritmo. Esquerda perdeu maioria. No distrito de Leiria, o mesmo.

O País mudou de cor e de música… O PSD escolheu a palavra “mudar” para lema da sua campanha eleitoral e o País fez-lhe a vontade. Com 38,63%, 2.145.452 votos e 105 deputados eleitos (podendo ainda somar mais, quando forem apurados os quatro que faltam dos círculos da emigração), foi o grande vencedor destas eleições legislativas, descolando largamente dos resultados obtidos em 2009 (29,09%, 1.646.071 votos e 78 deputados). Em Leiria, um habitual bastião laranja (único distrito a sustentar a maioria PSD em 2005), a situação não podia ser diferente da festa nacional. O PSD ganhou em 16 dos 14 concelhos do Distrito, deixando ao PS a maioria apenas em Castanheira de Pêra e Marinha Grande. No concelho de Leiria, o PSD ganhou em todas as freguesias. E o vizinho distrito de Santarém passou

também de hegemonia rosa para laranja, beneficiando para isso do excelente resultado do PSD em Ourém (61%). De facto, foi em Leiria que o PSD conseguiu a sua quarta maior votação a nível nacional, o que se converteu na eleição de seis deputados, mais dois do que em 2009, roubando um ao PS (de quatro passou para três) e o único que o BE tinha ganho nas últimas legislativas. O CDS subiu ligeiramente o seu nível de votação no distrito, mas não conseguiu cumprir o objectivo de eleger mais um deputado, ficando com apenas um eleito por Leiria. Assim, os deputados pelo círculo de Leiria são: Teresa Morais, Fernando Marques, Feliciano Barreiras Duarte, Maria Conceição Pe-

reira, Paulo Batista Santos e Pedro Pimpão (PSD); Basílio Horta, João Paulo Pedrosa e Odete João (PS); e Assunção Cristas (CDS/PP). Última


2 DESTAQUE

O Mensageiro 9.Junho.2011

Rui Ribeiro prui@iol.pt

Simpósio integrado nas comemorações do Centenário das Aparições

“Adorar Deus em espírito e verdade” Integrado na celebração do Centenário das Aparições, o Santuário de Fátima está a promover a realização de um simpósio sobre o tema deste primeiro ano, que sublinha a centralidade de Deus na fé e na vida, procurando compreender aquilo que é próprio da atitude crente. O tema do simpósio é “Adorar Deus em espírito e verdade – Adoração como acolhimento e compromisso”. O plano temático inclui diversos núcleos: a questão de Deus na cultura contemporânea, um aprofundamento da atitude crente, a adoração

Jogos de amor

Tendo como referencia a primeira aparição do anjo em Fátima, em que os pastorinhos foram convidados a uma atitude de adoração, vai realizar-se um simpósio com o tema genérico Adorar Deus em espírito e verdade – Adoração como acolhimento e compromisso. O tema enquadra-se num primeiro núcleo teológico a aprofundar sobre o Mistério de Deus Uno e Trino. O elemento catequético a transmitir é o rosto trinitário de Deus e a atitude crente a explicitar é a adoração. A preocupação é clara: Fátima encerra em si uma mensagem em que Deus ocupa o centro, sendo Nossa Senhora a mediadora da mesma. O cariz marcadamente popular em que o fenómeno de Fátima cresceu quase fez esquecer este aspecto teocêntrico, tendo-se desenvolvido uma espiritualidade mariana de forma mais intensa. Os últimos anos, porém, têm revelado a intenção de enquadrar a mesma espiritualidade num contexto mais amplo e mais real. De facto o fenómeno de Fátima enquadra-se na história da salvação e por isso mesmo é expressão da identidade de Deus e da Sua revelação. O que ali aconteceu não foi unicamente a aparição de Nossa Senhora a três crianças. Foi antes um encontro entre Deus e a humanidade. A nossa história pode ler-se como uma contínua forma de diálogo e encontro entre estes dois interlocutores. Por um lado Deus que teima em comunicase, porque é amor e por isso de dar-se; por outro Deus sozinho precisa lado a humanidade inteira não existe, e a que precisa encontrar razão humanidade para a sua existência e precisa sozinha não conhecer melhor o que é. E existe. Deus só em Deus encontra a sua precisa da identidade. O amor exige humanidade para sempre um amante e um ser o que é; e esta amado. Deus quer, precisa, precisa dele para ser esse amante e esse amadescobrir o que é. do, encontrando na humanidade o parceiro mais lógico. Tal como no início o homem procurou entre os seres criados um outro que fosse igual a si mesmo e o encontrou na mulher. Há em todo este processo como que um jogo que precisa ser jogado a dois. Mas estes dois encontram-se a si mesmos no momento em que encontram o outro. Deus sozinho não existe, e a humanidade sozinha não existe. Deus precisa da humanidade para ser o que é; e esta precisa dele para descobrir o que é. Em Fátima deu-se um passo mais neste encontro entre ambos os sujeitos. A mensagem e o apelo à conversão, valem pela força e pela novidade que trazem a este encontro. Uma humanidade mais purificada tornar-se-á mais imagem de Deus e poderá assim transformar-se no parceiro ideal para a identidade do próprio Deus. Por isso, Fátima fala de Deus e dos homens, não apenas de Nossa Senhora e dos pastorinhos. Por isso também a primeira atitude que marca a mensagem de Fátima é a adoração. Não entendida como submissão inglória ou escravizante, mas como gesto de louvor e de serena descoberta da verdade. Adorar é deixar-se envolver na verdade, numa atitude de profundo agradecimento enriquecedor. Estes e outros temas estão a ser desenvolvidos pelo Santuário de Fátima no momento em que está já a comemorar o centenário. Uma ocasião para aprofundar mais o mistério de Deus e uma oportunidade a não perder aqui tão perto. O Mensageiro vai estar atento e vai (in)formando.

como expressão da fé, a figura de Maria enquanto modelo de todo aquele que acredita. Este simpósio teologico-pastoral realiza-se de 24 a 26 de Junho de 2011, no Santuário de Fátima (Capela da Morte de Jesus no edifício da igreja da Santíssima Trindade). As inscrições estão ainda em aberto, contando-se já muitos inscritos. A propósito do tema, O Mensageiro publica nesta edição excertos de uma entrevista a José Eduardo Borges de Pinho, membro da Comissão Científica do Simpósio, publicada na página do Santuário.

Entrevista a José Eduardo Borges de Pinho, membro da Comissão Científica do Simpósio

“A fé é uma atitude de vida” Porque foi escolhido este tema para o simpósio deste ano? Como é sabido, a escolha do tema insere-se no itinerário pensado pelo Santuário de Fátima a partir das Memórias da Irmã Lúcia para o período 2010-2017 (não participei directamente nessa fase dos trabalhos), que culminará nesse último ano na celebração do centenário das Aparições. Dentro desse plano temático, a concretizar em cada ano mas interligado entre si, procurou-se definir uma frase inspiradora, um núcleo teológico, um elemento catequético e uma atitude crente a desenvolver. Este primeiro tema, proposto para 2010/11 e centrado na adoração, tem como referência a primeira aparição do Anjo (“Meus Deus, eu creio…” - Memórias da Irmã Lúcia, 4ª Memória, Fátima 2007, 169): o núcleo teológico a aprofundar é o Mistério de Deus Uno e Trino, o elemento catequético a transmitir é o rosto trinitário de Deus, a atitude crente a explicitar é a adoração. Parece-lhe que adoração é um tema importante da mensagem de Fátima? O tema da adoração ajuda-nos a compreender a mensagem de Fátima? E o que tem a mensagem de Fátima a ver com adoração? A referência acabada de fazer indica já a importância do tema da adoração na Mensagem de Fátima. No meu entender, a abertura espiritual para acolher os sinais de Deus e o sentido profundo do Mistério desse mesmo Deus, vivido nas circunstâncias, nas potencialidades e nos limites de uma experiência crente de crianças, está na raiz dos acontecimentos de Fátima como resposta humana a um dom de Deus. Apoiados na linguagem e nas imagens de uma tradição recebida e fundamentados numa verdadeira experiência crente, os videntes mostram desde o início um enorme sentido do Mistério de Deus e uma

grande disponibilidade para o acolhimento desse mesmo Deus. A questão de Deus, do modo como o acolhemos na nossa vida individual e colectiva, a centralidade que damos a Deus na vida quotidiana e na leitura dos aconteci mentos do mundo, é a experiência básica, a trave-mestra, o ponto unificador que atravessa todo o conjunto das Aparições. Falar de adoração, mais do que um aspecto particular de oração ou da expressão orante, é nomear uma dimensão nuclear de toda a atitude verdadeiramente crente. Habitualmente liga-se “adoração” a um espaço orante, quase um refúgio intimista. Parece-lhe que pode ser algo concretizável no quotidiano de pessoas com uma vida comum e agitada? Exactamente é essa particularização do sentido da adoração que importa ultrapassar, sem deixar de reconhecer no seu valor indispensável a vivência de formas particulares de adoração. De facto, há certamente momentos e expressões de vida cristã que sinalizam de modo muito singular a possibilidade e a importância da adoração como síntese significativa do viver crente e sua dimensão orante: desde expressões gestuais e corporais (posição de joelhos, inclinação da cabeça, silêncio interior e acolhedor…) a lugares e momentos próprios (capela do Santíssimo Sacramento ou Adoração ao Santíssimo Sacramento, Adoração da Cruz em Sexta-feira Santa) ou a formas de vida consagrada e contemplativa onde a adoração ocupa um lugar singular em termos de espiritualidade e de prática. Mas sendo sempre embora “muito pessoal” (no sentido de envolvimento e expressão próprios de cada pessoa com a sua história de vida e a sua vivência espiritual), a adoração não pode, não deve ser entendida nunca como algo “intimista”. Pelo contrário,

DR

EDITORIAL

mesmo quando se vive e exprime na solidão do próprio coração e dos momentos, espaços ou formas de vida específicos, está-se em profunda comunhão com outros, com todo este nosso mundo – com as suas alegrias, dores, sofrimentos e esperanças – em que vivemos e de que fazemos parte. Para mim, este é um ponto que deverá muito ser tido em consideração, por exemplo, na actual renovação da prática da Adoração ao Santíssimo Sacramento. É isto concretizável no quotidiano de pessoas com uma vida comum e agitada? Nem sempre é fácil, frequentemente é muito difícil, está talvez aqui um dos maiores desafios que se coloca hoje a uma espiritualidade cristã verdadeiramente encarnada: por um lado, a atitude orante/adorante tem de atravessar a vida quotidiana tal como ela é; por outro, os momentos/tempos específicos de maior densidade, de oração/adoração expressa e reflexa são indispensáveis. Não é possível que Deus seja mesmo o centro do nosso viver crente sem algumas opções pessoais nesta matéria, em termos de disponibilidade de tempo, de capacidade de parar um pouco o ritmo da vida e de se encontrar silêncio interior e exterior. Há aqui aspectos muito importantes, mesmo decisivos, de desenvolvimento de uma espiritualidade pessoal e de educaç&at ilde;o da fé a ter em conta. Mas – devo dizer – estou convencido de que há muitos cristãos (deixe-me dizer: “anónimos”, porque simples no seu modo de viver como membros da Igreja) que vivem em atitude de adoração e o deixam pressentir também por vezes de for-


DESTAQUE 3

O Mensageiro 9.Junho.2011

ma visível. Dá que pensar, por exemplo, que as várias igrejas no centro de uma cidade como Lisboa nunca estejam completamente vazias.

Fala-se de adoração e de atitude. Podese falar de uma “atitude adoradora”? Não só se pode como se deve, como aliás já o sugeri atrás, e aqui estará até o ponto mais importante a ter em conta, tanto em termos de reflexão teológica como no aspecto de vivência crente. A fé é uma atitude de vida, que envolve as camadas mais profundas do nosso ser pessoa e tem a ver com tudo o que somos e fazemos. Pode ser descrita como um olhar o mundo com os olhos de Deus, como um viver no mundo como se vivêssemos no Reino de Deus. Isto é, tem como raiz uma opção fundamental de vida que vê em Deus a força e a graça que tudo envolve. A adoração emerge como síntese englobante e culminante da vivência da fé. Nos temas agendados para o simpósio está incluída a questão de Deus na cultura contemporânea. Muitos analistas concordam que Deus foi afastado das sociedades contemporâneas. Concorda com esta afirmação? Se as pessoas puseram Deus de lado, será que é porque vivem melhor sem ele? É uma questão muito complexa, porque aquilo que chamamos cultura(s) contemporânea(s) é uma realidade multifacetada. Há consenso generalizado de que vivemos nas últimas décadas fenómenos de duplo sentido: por um lado, prosseguem e até se refinam sintomas e expressões de um processo de secularização que continua; por outro, a busca de Deus e os sinais de que a questão de Deus não pode ser abafada, eliminada, são também indesmentíveis. Há ainda formas de expressão e comportamentos não religiosos onde a questão de Deus se

Santuário de Fátima

O termo “adorar” é usado vulgarmente em sentidos não religiosos. Como lê este fenómeno? Alterámos só o significado do verbo “adorar”, ou substituímos Deus por outras coisas que adoramos? Haverá sintomas das duas coisas ao mesmo tempo. Por um lado, as palavras e o funcionamento da linguagem são realidades vivas, mutáveis em termos de uso e significação. O que representa também a possibilidade de usos em que se acaba por banalizar, senão mesmo deturpar o significado original, mais profundo das mesmas. É verdade que há um uso excessivo, meramente profano, por vezes até idolátrico da palavra “adorar”. Mas isso pode também acontecer – acontece a maior parte das vezes! – sem se usar a palavra “adorar”… E também não podemos esquecer que usamos muitas vezes o nome de “Deus” em vão… Por outro lado, é verdade que a insensibilidade e os sinais de banalização que aí se manifestam revelam uma certa perda do sentido mais profundo das coisas. E mais ainda: às vezes, nessas formas de linguagem poderão vir mesmo ao de cima sinais indicativos de uma grande inversão de valores. Poderá encontrar-se aqui um bom ponto de partida existencial-prático para uma catequese sobre a fé que se queira e se deve fazer (por exemplo, na preparação para o baptismo, para o casamento, etc.).

Programa

coloca, mesmo que as pessoas não usem expressamente a palavra “Deus”. É verdade, sem dúvida, que, no quotidiano perceptível e na agenda dos interesses e preocupações determinantes de um número muito significativo de pessoas, a questão de Deus não ocupa o lugar primordial, é muitas vezes vista como dispensável, a maior parte das vezes partir de uma atitude de indiferença. O mais decisivo, porém, passa, a meu ver, por três aspectos. Por um lado, apesar desse indesmentível silenciamento de Deus ou dessa indiferença pela questão de Deus no quotidiano, nós não sabemos bem o que se passa na profundidade do coração das pessoas, e sempre de novo somos surpreendidos por factos e expressões que indiciam essa presença de Deus apesar de todo o silêncio, indiferença ou negação. Por outro lado, a questão verdadeiramente importante tem sempre a ver – para todos, particularmente para os cristãos – com o Deus de que estamos a falar: trata-se do verdadeiro Deus de Jesus Cristo, estamos disponíveis para acolher o verdadeiro Deus, com todas as consequências que tal implica, ou procuramos um Deus à nossa imagem e semelhança, um Deus que resolva de forma imediata os problemas que nós devemos enfrentar e, se possível, solucionar, um Deus que corresponda simplesmente aos nossos desejos e ideias, um Deus que, afinal, não existe nem pode existir porque é uma mera criação humana? Finalmente – este é o terceiro aspecto –, o problema fundamental é saber se, como pessoas e como humanidade, podemos construir sem Deus um mundo verdadeira e autenticamente humano: conseguimos sempre certamente fazer coisas maravilhosas, mas o verdadeiro e definitivo progresso humano passa pela verdade, pelo amor, pela justiça, pela liberdade, pela paz, ou seja, por todo um conjunto de atitudes e valores de vida que só a revelação cristã de Deus no seu Mistério tematiza e possibilita em termos de permanência, plenitude e validade definitivas. Claro que a verdade aqui contida só pode ser apresentada como proposta a ser reconhecida pela experiência vivida, e é por aqui que passa a importância da credibilidade do testemunho cristão. Tudo isto sugere como o tema do Simpósio, nos seus vários matizes, toca em assuntos extremamente importantes. O simpósio abordará também a figura de Nossa Senhora. O que nos ensina Maria quanto à atitude crente? A tradição da Igreja sempre o reconheceu, desde o início, mas a sensibilidade católica das últimas décadas (recolhida e sublinhada pelo Vaticano II) e a atenção renovada ao testemunho bíblico sobre Maria nos últimos anos fazem ressaltar hoje mais claramente Maria como figuratipo da atitude crente, tanto em termos

individuais como numa perspectiva eclesial. Verdadeiramente, Maria é figura típica do que a fé significa, é expressão exemplar do caminhar na fé, é concretização vivida do ser discípulo/a de Jesus (em verdade, ela é a primeira discípula do seu Filho). A devoção a Nossa Senhora de Fátima pode pôr em causa o apelo a uma centralidade de Deus na vida dos crentes? Correctamente entendida e praticada, não. Pelo contrário: Maria é sempre caminho para Jesus, indicativo do que Deus, na sua graça, fez e faz a favor da humanidade. Nada há na Mensagem de Fátima que ponha em causa essa centralidade. Certamente que pode haver formas individuais, expressões da devoção a Maria (em Fátima e não só) que podem pôr em causa essa centralidade ou não tê-la devidamente em conta. Desvios são sempre possíveis e existem, de facto. Mas mesmo naquelas expressões que, pelo menos à primeira vista, possam parecer que põem em causa essa centralidade, há sempre que “deixar a Deus o que a Deus pertence”, ou seja, é preciso reconhecer que não sabemos o que se passa no mais profundo da consciência das pessoas, o que acontece em cada história concreta de vida e sua relação com o Mistério de Deus. Isso não dispensa, obviamente, toda a ajuda que deve ser dada em ordem ao discernimento da verdadeira prática da fé, todo o empenho na apresentação de uma criteriologia que deve existir à luz do Evangelho, todo um caminho longo, persistente, de uma pedagogia da fé em ordem a uma correcta percepção da “hierarquia das verdades” e a um caminhar progressivo no amadurecimento da mesma fé. Mas aqui a nossa responsabilidade de teólogos, ministros eclesiais, pessoas com maior formação cristã, etc., deve partir sempre de uma atitude de grande escuta das histórias reais de vida e seus pressupostos culturais. Como se deve entender a consagração a Nossa Senhora que muitos católicos vivem? Creio que é uma forma de as pessoas expressarem existencialmente a sua disponibidade de vida para o acolhimento de Deus, seguindo traços fundamentais do discipulado que em Maria se concretiza e tipifica: o “sim” incondicional da fidelidade a uma chamada vocacional concreta; o sentido da gratuidade dos dons de Deus que suporta toda uma vida; a tradução da misericórdia de Deus na vida quotidiana; o acolhimento dos dramas da dor e do sofrimento como interpelação a uma mais profunda comunhão com Deus e com os outros seres humanos, etc. Numa palavra: trata-se de seguir a Jesus dentro do que poderíamos chamar como os sinais e as interpelações de uma “espiritualidade mariana”.

Sexta-feira, 24 Junho 9h00 – Abertura do Secretariado 1ª Sessão • Mod.: Vítor Coutinho 10h30 – Sessão de Abertura 11h00 – Conferência I: Deus na cultura contemporânea [Arnaldo de Pinho] 11h50 – Intervalo 12h15 – Conferência II: Deus que nos interpela no seu Espírito – A importância de uma leitura crente dos sinais dos tempos [Isabel Varanda] 12h45 – Diálogo 13h00 – Almoço 2ª Sessão • Mod.: Ângela de Fátima Coelho 15h00 – Conferência III: Dimensão teocêntrica da mensagem de Fátima: O esplendor da Trindade [Eloy Bueno] 16h00 – Intervalo 16h30 – Painel 1: Expressões contemporâneas do transcendente: – A busca da transcendência na música [Paulo Antunes] – Deus no cinema [Rui Nunes SJ] – Da iconografia à mediação: a arte como narrativa e elemento da adoração [Marco Daniel Duarte] 17h40 – Diálogo 18h00 – Encerramento da sessão 18h30 – Missa, Capela da Morte de Jesus (ISST) [Virgílio Antunes] Sábado, 25 Junho 9h00 – Momento de Oração 3ª Sessão • Mod.: Emanuel Silva 9h10 – Conferência IV: A atitude crente como caminho de realização humana [Santiago del Cura] 10h30 – Intervalo 11h00 – Painel 2: Caminhos para a maturidade da fé – A fé como opção de liberdade [Eduardo Borges de Pinho] – Fátima e a pedagogia da fé [Adelino Guarda] – A experiência de Deus nos limites e esperanças do quotidiano [Graça Lameiro] 12h10 – Diálogo 13h00 – Almoço 4ª Sessão • Mod.: Gonçalo Diniz 15h00 – Conferência V: Adorar Deus em espírito e verdade [D. António Couto] 16h00 – Intervalo 16h30 – Painel 3: Caminhos de adoração – Adoração e liturgia: a centralidade do agir de Deus [Bernardino Costa, OSB] – Adoração de Deus na vida quotidiana [Margarida Alvim] – A adoração no contexto da Mensagem de Fátima [Carlos Cabecinhas] 17h40 – Diálogo 18h00 – Encerramento da sessão 18h30 – Missa, Capela da Morte de Jesus (ISST) [D. António Couto] Domingo, 26 Junho 9h00 – Missa, na igreja da Santíssima Trindade [D. António Marto] 5ª Sessão • Mod.: Peter Stillwell 10h30 – Conferência VI: Rezar a Deus por Cristo no Espírito Santo com Maria [João Paulo Quelhas] 11h30 – Intervalo 11h45 – Conferência VII: Caminhos de busca e de anúncio de Deus no Mundo contemporâneo [Pierangelo Sequeri] 12h40 – Sessão de Encerramento: [Virgílio Antunes]


4 CULTURA

O Mensageiro 9.Junho.2011

EB1 da Freixianda Teatro José Lúcio da Silva (Leiria) • ATÉ ONDE? | thriller | de Carlos M. Barros | de Ana Rocha, Núria Madruga, Patrícia André | 11 de Junho, 22h00; dia 12, 21h30 Teatro Miguel Franco (Leiria) • ATÉ ONDE? | 13 a 15 de Junho, 21h30; dia 15, 18h30 Cine-Teatro de Monte Real • HOP | animação | de Tim Hill | 10 e 11 de Junho, 21h30

Espectáculo para ajuda das vítimas das catástrofes do Japão

“Canção da Terra”

No dia 5 de Junho, no Teatro Miguel Franco, o espectáculo “Canção da Terra” realizado pela SAMP e Câmara Municipal de Leiria, teve como objectivo angariar fundos para ajudar alguns dos bebés que perderam as suas famílias nas recentes catástrofes do Japão, e algumas das famílias que perderam os seus bebés. Pela primeira vez se juntaram em palco as equipas do Berço das Artes SAMP e dos Concertos para Bebés da Musicalmente que produziram um espectáculo conjunto tendo como convidados uma família de músicos japoneses. Tocaram piano Yukiko e Keito Hishizuka (avó e neto respectivamente), e tocou guitarra Hibiki. No saltério esteve Yumiko Ishizuka acompanhando a sua irmã Fumiko. Dançando e cantando esteve o pequeno Geito de 18 meses que por várias vezes conseguiu levar às lágrimas público e intérpretes durante concerto e ensaios.

Em Pombal

Duo Palatium ao vivo No dia 15 de Junho, pelas 21h30, o Teatro-Cine de Pombal recebe a actuação do Duo Palatium, no âmbito do 29.º Festival Música em Leiria 2011, numa organização do Orfeão de Leiria, com o apoio do Município de Pombal. O Duo Palatium, composto por Teresa Valente Pereira (violoncelo) e Paulo Oliveira (piano), irá interpretar peças de Bach, Liszt e Chostakovitch.

Biblioteca escolar já é realidade Foi inaugurada no dia 1 de Junho, Dia Mundial da Criança, a nova Biblioteca da Escola Básica nº1 da Freixianda, um espaço onde os mais pequenos podem encontrar vários livros, “instrumentos muito importantes para sermos felizes”, disse Paulo Fonseca, presidente da Câmara Municipal de Ourém, isto porque “é nos livros que se aprende e as pessoas que não aprendem não podem ser felizes porque vivem na ignorância”. Esta ideia

foi partilhada por Deolinda Simões, presidente da Assembleia Municipal de Ourém. “Espero que esta sala vos ajude a fomentar o bichinho da leitura”, sublinhou. A apresentação do espaço contou com uma participação das crianças do 4º ano que leram textos e encenaram algumas passagens de leituras. Actualmente a EB1 da Freixianda conta com 69 alunos, distribuídos por quatro salas de aula.

Marrazes

Arquitectura do Centro Cultural aprovada O projecto de arquitectura do Centro Cultural de Marrazes foi aprovado, por maioria, na última reunião de Câmara Municipal de Leiria. O espaço será constituído pela Escola de Música, Museu Escolar dos Marrazes e um anfiteatro. O investimento ascende a 2,5 milhões de euros, 50% dos quais serão financiados por fundos comunitários. A Escola de Música terá

uma sala da direcção, uma sala de reuniões e uma sala multiusos para o desenvolvimento de workshops e acções educativas. Já o Museu Escolar dos Marrazes será dotado de uma sala de exposições permanente e temporária de grande dimensão, sala de restauro, sala de espólio e sala de expurgo. O anfiteatro prevê 261 lugares sentados, camarins e sala de arrumos para

material de cenário e ainda uma zona de café e espaços de carácter administrativo. O Centro Cultural de Marrazes será implantado numa parcela de terreno situado na freguesia de Marrazes, pertencente à Junta de Freguesia de Marrazes e localizado junto desta e ainda da Igreja de Marrazes e do Agrupamento de Escolas da Freguesia. Pretende-se com o pre-

sente projecto a construção de um equipamento cultural digno, que consiga albergar diversos eventos, afirmando-se como um espaço que privilegiará o conhecimento, a formação, a educação e o lazer, respondendo assim às três componentes fundamentais do projecto: cultural, de lazer e de formação.

Marinha Grande

Biblioteca Municipal com novo horário

No Centro de Interpretação Batalha de Aljubarrota

Actividades nas férias de Verão

De Julho a Setembro de 2011, no Centro de Interpretação Batalha de Aljubarrota, localizado em São Jorge, realizam-se várias actividades durante as férias de Verão, de Julho a Setembro. As acções são direccionas a crianças e jovens dos 6 aos 16 anos.

Informar e formar a comunidade educativa

DR

“Escolas contra a Pobreza”

No âmbito do projecto “Escolas contra a Pobreza”, a EAPN Portugal/Núcleo Distrital de Leiria tem desenvolvido, desde 2010, um conjunto de acções com vista a sensibilizar, informar e formar a comunidade educativa para as questões da pobreza e da exclusão social. Neste sentido, irá ser apresentada uma experiência de intervenção na área dos direitos humanos, realizada durante o mês de Maio de 2011, através de um microprojecto, intitulado “Agarra os teus direitos!”, desenvolvido em 2 turmas, do 5.º e 6.º ano da Escola E.B. 2/3 Dr. Correia Mateus, em Leiria. Esta acção destina-se a estudantes, professores/as, educadores/as sociais e a todos/as os interessados/as nesta temática.

DR

CINEMAS

A Biblioteca Municipal da Marinha Grande tem novo horário de funcionamento ao público, de 3 de Junho a 30 de Setembro, devido ao período de Verão. Assim, até final de Setembro, a Biblioteca funciona-

rá de segunda a sexta-feira, das 09h00 às 12h30 e das 13h30 às 17h00, encerrando ao sábado. Inaugurada a 30 de Novembro de 2001, a Biblioteca Municipal está situada em pleno centro da

cidade da Marinha Grande e instalada num espaço pertencente ao conjunto edificado da Fábrica Escola irmãos Stephens. Ladeada pelo Museu do Vidro e pela Escola Profissional e Artística da Marinha Grande (EPAMG), o edifício ocupado pela Biblioteca Municipal passou por uma fase de obras de recuperação e adaptação, envolvendo uma parceria técnica e financeira repartida entre a autarquia e o ex. Instituto Português do Livro e das Bibliotecas, actual Direcção-Geral do Livro e das Bibliotecas/ Ministério da Cultura. A Marinha Grande passou então a integrar a Rede Nacional de Bibliotecas Públicas, tendo recebido todo o espólio documental pertencente à Biblioteca Fixa da Fundação Calouste Gulbenkian existente na cidade e constitui-se como um pólo de acesso

à cultura, à informação, à educação e ao lazer, de utilização livre e aberta a todos, sem qualquer tipo de discriminação. No rés-do-chão existe a Sala de Periódicos, o Balcão de Atendimento e o Auditório. No 1º Piso estão situadas a Sala de Leitura de Adultos, a Sala InfantoJuvenil e a Sala de Áudio / Vídeo. O acesso ao 1º piso pode ser feito através de escada ou elevador. Para uma pesquisa mais pormenorizada e concreta poderá consultar o catálogo bibliográfico, informatizado, utilizando as várias formas de pesquisa disponíveis (pelo nome do autor, por título, por assunto, por editora, etc.). Em caso de necessidade de orientação na pesquisa, terá sempre ao dispor o apoio de técnicos com formação adequada.


CULTURA 5

O Mensageiro 9.Junho.2011

No Dia de Portugal

Luís Vaz de Camões ceia no Castelo de Leiria A Câmara Municipal de Leiria e o Restaurante Tromba Rija vão voltar a organizar uma ceia no Castelo de Leiria, no dia 10 de Junho, alusiva a Luís Vaz de Camões, já que, nessa data, se comemora o Dia de Portugal. A iniciativa “Ceias com

história” pretende ser uma reconstituição de refeições alusivas a diferentes períodos históricos. Depois da primeira, que se realizou no dia 27 de Maio, sobre o período de D. João III, agora é a vez de Luís Vaz de Camões. O Tromba Rija, em

colaboração com o historiador e chefe Marques da Silva, vai recriar tradições, cheiros e sabores da nossa história que, associados a trajes, música e animação, permitem aos convidados “regressar” ao passado para experienciar essas vivências.

MÚSICA | TEATRO | EVENTOS No dia 9 de Julho decorrerá uma ceia alusiva a D. João III, no dia 6 de Agosto a D. Dinis, no dia 2 de Setembro ao reinado de D. Manuel I e, por fim, no dia 8 de Outubro será a vez de recriar o período Republicano.

IV Festival Internacional de Guitarra regressa a 25 de Junho

A guitarra vai estar em festa no Orfeão de Leiria A guitarra vai estar em festa no Orfeão de Leiria Conservatório de Artes (OL CA) durante o IV Festival Internacional de Guitarra de Leiria, que regressa de 25 de Junho a 7 de Julho. A edição de 2011 incluirá ainda o IV Concurso Nacional de Guitarra, o IV Estágio de Orquestra e Ensembles de Guitarra, o IV Encontro Nacional de Ensembles de Guitarra, o VIII Concurso Internacional de Guitarra, e a VIII Master Class de Guitarra, dirigida pelo italiano Carlo Marchione, considerado um dos melhores guitarristas da sua geração. Com direcção artística e executiva de Ilda Coelho, José Mesquita Lopes e Sónia Leitão, o Festival tem

o objectivo de colmatar a inexistência de um evento com estas características, principalmente no centro e sul do País, e conta também com nove concertos, uma exposição da AVA Editions, uma conferência com o tema “Do violinismo ao guitarrismo”, e um workshop de Pilates para guitarristas. O Festival tem início nos dias 25 e 26 de Junho, com o IV Concurso Nacional de Guitarra, que incluirá cinco escalões, e que terá como jurados os professores Aires Pinheiro, José Mesquita Lopes, Ilda Coelho, Sónia Leitão e Neuza Bettencourt, directora pedagógica da Escola de Música do Orfeão de Leiria. Já nos dias 30 de Junho e

1 de Julho, terá lugar o IV Estágio de Orquestra e Ensembles de Guitarra, que tem como objectivo desenvolver aspectos do trabalho orquestral como a coordenação e a audição global, a experiência de ser dirigido, a sincronização, entre outros, que são diferentes para solistas ou membros de pequenos grupos de câmara. O IV Encontro Nacional de Ensembles de Guitarra tem lugar no dia 1 de Julho, que pretende ser um ponto de encontro de vários ensembles, de todas as idades, e com maior ou menor experiência, para partilhar experiências e conhecimentos, assistir aos ensaios de outros grupos, reforçar laços de amizade

e motivação para aprender ainda mais. De 2 a 7 de Julho decorre a VIII Master Class de Guitarra, dirigida por Carlo Marchione, e que se destina a alunos de todos os níveis, com um mínimo de um ano de estudo deste instrumento, que poderão tocar individualmente, em ensemble e em orquestra. Nascido em Roma em 1964, Carlo Marchione é professor no Conservatório de Maastricht, na Holanda. Ao longo da sua carreira tem sido laureado com vários prémios em concursos internacionais, e convidado regularmente para actuar em Festivais por toda a Europa, quer como solista, quer integrado em ensembles e orquestras.

Iniciativa SIMLIS

Espectáculo “Sons do Rio”

No dia 3 de Junho, a SIMLIS preencheu o Teatro Miguel Franco, em Leiria, com o espectáculo final do Concurso “Sons do Rio”. O evento contou com a presença de 180 crianças do 1º ciclo do ensino básico, pertencentes aos municípios de Batalha, Leiria, Marinha Grande e Ourém, que tiveram a oportunidade de ver as suas obras expostas e partilhadas com todos os presentes, num espectáculo que foi de todos para todos, e onde a descoberta, exploração e interpretação de novos sons foi uma constante, tendo como fonte inspiradora os nossos rios. No final do espectáculo, foram conhecidos os ven-

cedores de cada escalão, tendo sido distinguidos quatro dos cinco escalões a concurso. A Escola Básica do 1º ciclo de Moita Redonda, do concelho de Ourém, foi premiada no 2º e 4º escalão, a Escola Básica e Secundária da Batalha foi vencedora do 3º escalão e por último, a Escola Básica do 1º ciclo de Brancas, também do concelho da Batalha foi premiada no 5º escalão. A entrega de prémios contou com a presença de representantes dos municípios abrangidos pela SIMLIS, que tiveram o prazer de poder oferecer como prémio a estas escolas, um instrumento musical. Todos os participantes

no concurso foram presenteados com um certificado de participação e com um passarinho de água, um instrumento musical que simula o som da água. O concurso contou com o apoio da SAMP – Sociedade Artística e Musical dos Pousos e da Câmara Municipal de Leiria, em parceria com os municípios de Batalha, Marinha Grande, Ourém e Porto de Mós. O “Sons do Rio” constituiu uma das iniciativas previstas no Plano de Educação Ambiental da empresa. E visou estimular a descoberta dos rios como elementos centrais na história do ser humano, alertar para a importância da água

como elemento primordial à vida e sensibilizar toda a população para a preservação da fauna e flora dos ecossistemas ribeirinhos. Consciente da sua missão, a SIMLIS aposta na realização de campanhas que visam a Educação Ambiental. Neste sentido, tem vindo a desenvolver um Plano de Educação Ambiental, que pretende ser uma ferramenta de educação para o desenvolvimento sustentado da comunidade, e como tal, é composto por diversas actividades que a empresa desenvolve nas escolas da sua área de intervenção.

Município de Leiria • Festival de fanfarras - animação de rua (10/06, 10h30) • Festival de Folclore na cidade (12/06, 17h00) Teatro José Lúcio da Silva - Leiria •”Ensia fade IN” - música (12/06, 17h00) •”Uma coisa em forma de assim” - festival de música (16 e 17/6, 21h30) Teatro Miguel Franco - Leiria •”Drakula” - teatro (9/06, 21h30) • Jovens cantores juntam-se - música (10/06, 21h00) •”A galinha da minha vizinha” - animação infantil (12/06, 16h00) Biblioteca Municipal Afonso Lopes Vieira - Leiria •”Avô, conta-me uma história” - animação infantil (11/06, 16h00) •“Como organizar a nossa colecção” - formação (11/06, 16h30) •”BEBETECA” - animação infantil (16/06, 15h00) •”O beijo da palavrinha” - contos e cantigas ( 17, 24 e 29/06, 11h e 15h) m|i|mo -Museu de Imagem e Movimento - Leiria •”Jordi Savall” - festival de música em leiria (11/06, 21h30) •”Ver,imaginar e criar até onde a imaginação te levar” (25/6, 15 e 16h) •”Câmara obscura” (14, 21 e 28, 10h00 e 14h30 e 18/06, 14h30)) •”Oficinas criativas” (22/06, 14h00 e 15h00) •”Pedro Carneiro e André Sier” - festival de múscia (9/06, 21h30) • Oficina de cianotipia (9, 16 e 30/06, 10 e 14h30) Igreja do Convento da Portela - Franciscanos - Leiria • Concertos corais - festival de música em Leiria (14/06, 21h30) Fórum Fnac - LeiraShopping • Academia de Cultura e Cooperação (14/06, 15h00) Casa-Museu João Soares - Cortes •”A girafa que comia estrelas” - hora do conto (9/06) Coimbrão • Festival Gasronómico da Feguesia do Coimrão (10~12/06) Escola Primária João Leal - Coimbrão •”Agenda Coimbrão Gourmet” - encontros intergeracionais (11/6, 18h00) Concelho - Batalha •”Município da Batalha” IV Grande Prémio de Ciclismo (10/06, 15h00) Monte Real •”Cultura a monte” Real - animação de rua (10~12/06) Associação Recreativa Amarense - Batalha • VII Torneio de Futsal (13/06~9/07) Teatro-Cine - Pombal • Concerto do clube de Música (9/06, 21h00) •”Drakula” - teatro (11/06, 21h30) •”Paisagens em Trânsito” - teatro (12/06, 16h00) •”Música em Leiria” - concerto do orfeão de Leiria (15/06, 21h30) Salão Paroquial de Vermoil - Pombal •”Ulisses” - teatro(10/06, 21h30)

EXPOSIÇÕES

Teatro José Lúcio da Silva - Leiria •”Expressões” - pintura de Kim Cruz (~30/06) Teatro Miguel Franco - Leiria •”Olhares” - fotografia (10~25/06) Biblioteca Municipal Afonso Lopes Vieira - Leiria •”Naturarte” (~17/06) • Pintura de Paulo Cruz (~18/06) Biblioteca José Saramago - IPL Leiria •”Cores de Leiria” - pintura de Arnaldo Barateiro (~30/06) Turismo - Leiria •”Academia de Cultura e Cooperação” (~15/06) Edifício Banco de Portugal - Leiria • VI Bienal de Artes Plásticas Inter. de Sta. Catarina da Serra (~9/06) m|i|mo -Museu de Imagem e Movimento - Leiria •”Oficina do Olhar” (exposição permanente) •”Provas de cor” - arte da fundação EDP (~23/10) •”About the neck tie” - fotografia de Dietmar Schmaler (~2/07) •”The animation workshop” - cinema de animação (~30/06) Centro de Interpretação Ambiental - Leiria • Trabalhos escolares (~31/06) Museu Joaquim Correia - Marinha Grande •”Retratos” (3ªs~6ªs) Agromuseu Municipal Dona Julinha - Ortigosa •”Jogos e brincadeiras de outros tempos” (~31/08) Galeria dos Paços do Concelho -Tomar • Joaquim Rodrigo - pintura (~30/06) Teatro-Cine - Pombal • Concerto do clube de Música (9/06, 21h00) Arquivo Municipal - Pombal • Trabalhos de alunos do Curso de Artes Visuais (~15/06) Museu Marquês de Pombal - Pombal •”Pombal Iluminista” (~30/06) Paços do Município - Pombal •”Pombal e a Guerra Peninsular 1811-2011” (~30/06)


6 SOCIEDADE Entidade Regional de Turismo de Leiria-Fátima

Paulo Fonseca eleito Presidente

Sucedendo a David Catarino, o Presidente da Câmara Municipal de Ourém, Paulo Fonseca, foi ontem eleito Presidente da Entidade Regional de Turismo de LeiriaFátima. Paulo Fonseca encabeçava a lista A, única lista candidata à Direcção da Entidade Regional de Turismo de Leiria – Fátima. Fazem ainda parte desta nova Direcção, os vogais António Lucas, Narciso Mota, Álvaro Pereira e João Salgueiro. Cíntia Silva e Nazareno do Carmo compõem o leque de suplentes. Raul Castro, Presidente da Câmara Municipal de Leiria, foi eleito Presidente da Assembleia-geral. Dada a difícil situação financeira da Entidade por falta de verbas devido aos recentes cortes orçamentais, nenhum dos membros da Direcção será remunerado. A tomada de posse de Paulo Fonseca está marcada para o próximo dia 9 de Junho, pelas 15H00, na sala de conferências do Posto de Turismo de Leiria.

Concurso “Região com Futuro”

Entrega de prémios aos vencedores A Direcção da ADLEI- Associação para o Desenvolvimento de Leiria e o Instituto Politécnico de Leiria realizaram no dia 8 de Junho a sessão de entrega de prémios do concurso “Região com Futuro”. Participaram neste ano lectivo, 14 escolas secundárias e profissionais do distrito de Leiria e concelho de Ourém, com 37 projectos. Estiveram envolvidos 143 alunos e 21 professores de área de projecto.

Agrupamento de Escolas de Marrazes promove

Mediação de conflitos no Dia Mundial da Criança

No dia 1 de Junho, Dia Mundial da Criança, o Agrupamento de Escolas de Marrazes sensibilizou professores, colaboradores e alunos, para a importância da mediação de conflitos através da construção de uma trança única, que serviu de elo de ligação a uma gigantesca roda humana. “Os conflitos são trapalhadas, as trapalhadas conjuntos de trapos, e com trapos podemos fazer tranças, laços e outros artefactos com que reforçamos os elos de amizade. As tranças simbólicas construídas por alunos e restante comunidade educativa, proporcionaram a envolvência e união entre todos”, referiram os responsáveis pela iniciativa. Esta actividade surge do recém-formado gabinete de mediação de conflitos do agrupamento, inserido num tecido social degradado, que tem como princípios de base sensibilizar os alunos para a importância do diálogo/escuta activa, como forma de encontrar soluções satisfatórias para conflitos e reforçar os laços de união através da mediação. No final da actividade foram ainda distribuídas pulseiras da mediação por todos os alunos.

Alteração da sintonia dos 4 canais públicos

Batalha apresenta queixa à ANMP O Município da Batalha apresentou uma queixa à Associação Nacional de Municípios Portugueses, solicitando uma intervenção dos serviços da Provedoria de Justiça face à recente alteração da sintonia dos 4 canais públicos pela TDT – Televisão Digital Terrestre sem aviso prévio junto dos munícipes. Refira-se que a alteração das sintonias de frequência dos canais obriga a intervenção dos instaladores para novas sintonias, acarretando despesas para os munícipes pelo que, de acordo com António Lucas, “parece licito concluir que se trata de mais um atropelo grave aos direitos dos cidadãos deste concelho, que já pagam este serviço através da taxa do audio visual”. As alterações das sintonias decorreu sem qualquer aviso e faz-se sentir de forma mais concertada na Freguesia de Reguengo do Fetal.

O Mensageiro 9.Junho.2011

Conferência internacional

«Novas Oportunidades criaram um movimento social sem precedentes...» As «Novas Oportunidades criaram um movimento social sem precedentes na procura de qualificações» referiu Luís Capucha, presidente da Agência Nacional para a Qualificação (ANQ), na conferência internacional “Centro Novas Oportunidades - passaporte para o futuro”. O evento, organizado pelo Instituto Politécnico de Leiria (IPL), decorreu na passada sextafeira, dia 27 de Maio, com o objectivo de ser um espaço de debate sobre os programas de formação ao longo da vida, que analisasse o ca-

minho percorrido até agora e identificasse os desafios para o futuro Nuno Mangas, presidente do instituto, abriu a conferência sublinhando a necessidade de abordar de forma aberta e descondicionada do programa Novas Oportunidades e justificando a pluralidade de contributos como um exemplo de isenção académica. Luís Alcoforado, especialista de Ciências da Educação da Universidade de Coimbra, defendeu que «o programa Novas Oportu-

nidades é um sucesso», e que apesar de se estar «no bom caminho precisamos melhorar». José Manuel Silva, da comissão organizadora, defendeu que a conferência teve como objectivo «fazer uma análise aos programas de educação e formação para adultos, tentar perspectivar o futuro, perceber o que falta fazer, sugerir caminhos e mudanças a introduzir para responder da melhor forma aos desafios da actualidade e do futuro». Uma mesa redonda reuniu representantes de

diversos Centros Novas Oportunidades, de vários pontos do País, que debateram os projectos e as práticas e mais de uma dezena de especialistas apresentaram comunicações livres sobre o tema. Richard Thorn, dos Institute of Technology, da Irlanda, perspectivou a educação de adultos e os programas de educação ao longo da vida na Europa, permitindo um olhar especializado e crítico sobre o contexto mais amplo em que se insere a iniciativa Novas Oportunidades.

Na Zona Industrial da Cova das Faias (Zicofa)

Centro de Formação Profissional vai ter novas instalações A Junta de Freguesia de Marrazes, a Câmara Municipal de Leiria e o Instituto de Emprego e Formação Profissional assinaram no dia 1 de Junho a escritura de transmissão do direito de superfície de um lote de terreno, destinado à construção de um edifício

Na Fonte Luminosa

Feira Solidária Dia 11 de Junho, a Associação Cultural e Recreativa dos Naturais e Ex-residentes de Moçambique (Acrenamo) organiza a Feira Solidária de Brinquedos Usados, na Fonte Luminosa, Leiria, com o apoio da Câmara e Junta de Leiria, bem como o Pe. Gonçalo Dinis, da Sé de Leiria. Esta actividade tem como objectivos promover a Solidariedade e Empreendedorismo, nas crianças e ajudar o Lar Santa Isabel e o Internato Masculino, ambos de Leiria. Pretende-se, portanto, envolver crianças e pais nesta iniciativa. A Acrenarmo é uma associação sem fins lucrativos com sede em Leiria, localizada junto ao Castelo de Leiria.

do Centro de Formação Profissional de Leiria, na Zona Industrial da Cova das Faias (Zicofa). As obras de construção da infra-estrutura deverão estar concluídas no prazo máximo de três anos, a contar da data da escritura, e após a aprovação

do projecto pela Câmara Municipal de Leiria. Se tal não suceder, o direito de superfície, cedido a título gratuito pelo período de 50 anos, reverte para a Junta de Freguesia dos Marrazes. Raul Castro, Presidente da Câmara Municipal de Leiria, considera a assina-

tura desta escritura um passo determinante para a construção de instalações condignas do Centro de Formação Profissional, que funciona, desde o ano 2000, em instalações provisórias, localizadas na Rua de S. Francisco, em Leiria.

No Hospital de Santo André

Novas consultas para tratar incontinência urinária O serviço de medicina física e reabilitação do Hospital de Santo André (HSA) vai iniciar, durante o próximo mês de Julho, a nova Consulta de Reeducação do Pavimento Pélvico, com o objectivo de tratar algumas formas de incontinência urinária de homens e mulheres. Esta consulta, coordenada por Lília Martins, coordenadora do Serviço, colocará em prática um conjunto de técnicas de reabilitação e decorrerá mensalmente, a cada terceira sexta-feira do mês. «A incontinência urinária feminina é uma situação clínica muito frequente, durante anos considerada como um tema tabu, mas

que, em Portugal, nos últimos 10 anos passou a ter uma orienta��ão terapêutica na área da reabilitação», explica Lília Martins. Com o objectivo de colmatar as necessidades crescentes nesta área, as técnicas de tratamento terapêutico passam pela estimulação eléctrica, o reforço muscular e o biofeedback (o HSA adquiriu recentemente um aparelho para esta técnica). Esta consulta é indicada para as pacientes que sofram de incontinência urinária do pós-parto, triada na consulta de revisão pós-parto, realizada às oito semanas depois do parto, de incontinência urinária feminina de esforço em

qualquer idade e também para a incontinência masculina após prostatectomia parcial, ainda que com menos hipótese de sucesso no tratamento. A coordenadora deste serviço explica que o êxito destes processos depende, em grande medida, de certos factores comportamentais, como «o conhecimento da sua patologia e anatomia, a tomada de consciência da repercussão da incontinência urinária na qualidade de vida, bem como a elaboração de um registo diário do número de micções por dia, bem como das perdas», destacando ainda «a importância da relação do doente com o terapeuta».


SOCIEDADE 7

O Mensageiro 9.Junho.2011

Convento dos Capuchos e Antigo Seminário de Leiria

Após um longo processo negocial com o Ministério da Defesa e com a DirecçãoGeral do Tesouro e Finanças, o executivo liderado por Raul Castro conseguiu obter autorização do Estado para adquirir o Convento dos Capuchos, o antigo Seminário Diocesano e a Carreira de Tiro de Marrazes, a um preço mais vantajoso para o Município. Raul Castro negociou o Convento dos Capuchos e o antigo Seminário Diocesano por valores bastante

inferiores aos acordados em Fevereiro de 2007, o que se traduz numa poupança de 1,1 milhões de euros para o Município. No caso do Convento dos Capuchos, a avaliação do imóvel em Fevereiro de 2007 era de 748.196 euros. Já em Março deste ano passou para 297.251 euros, ou seja, menos 450.945 euros. Em relação ao antigo Seminário Diocesano, em Maio de 2005 o Estado pedia por este edifício cerca de um milhão de euros (âmbito

do Polis), dois anos depois 1.346.754 euros e, em Março deste ano, 612.551 euros, isto é, menos 734.203 euros. Quanto à Carreira de Tiro dos Marrazes, em Fevereiro de 2000 estava avaliada em 225.000 euros e em Março de 2011 em 131.031 euros. A aquisição destes três imóveis foi aprovada ontem, por unanimidade, na reunião de Câmara, pelo montante de um milhão de euros. O presidente da Autarquia explicou que a

compra só se concretizará em Janeiro de 2012 e que o montante será liquidado em prestações semestrais, pelo período máximo de seis anos. O Convento dos Capuchos será vendido em hasta pública e o antigo Seminário Diocesano ficará na posse do Município para ali instalar um Museu de Arte Sacra. Esta deliberação será submetida à Assembleia Municipal, que reunirá no dia 30 de Junho.

DR

Leiria adquire património do Estado Sardinhada e animação cultural

Abertura da época balnear na Praia da Vieira A Praia da Vieira, na freguesia de Vieira de Leiria, recebe a tradicional festa de abertura da época balnear, de 10 a 12 de Junho, que decorre no Largo junto ao Monumento ao Pescador. Trata-se de uma iniciativa já bem conhecida na região, que atrai, todos os anos, milhares de pessoas, oriundas de vários pontos da Região e até do País, pela sardinhada, pelos espectáculos de animação musical e etnográficos. Esta grande festa popular é organizada pela Câmara Municipal da Marinha Grande, com o apoio da Junta de Freguesia de Vieira de Leiria e de colectividades da freguesia. Estas festividades pretendem assinalar o início de uma importante época do ano para o concelho da Marinha Grande. Através da dinamização da animação cultural, a Autarquia pretende divulgar os costumes das gentes e as potencialidades turísticas relacionadas com a arte xávega, restauração e animação nocturna.

Câmara de Leiria adere à campanha nacional “Direito à Alimentação”

Candidaturas a apoio alimentar já abriram Os munícipes com menos recursos financeiros interessados em beneficiar de apoio alimentar, através da Campanha Nacional “Direito à Alimentação”, já podem apresentar as suas candidaturas no Gabinete de Acção Social da Câmara Municipal de Leiria, localizado no Mercado de Sant’Ana, ou nas Juntas de Freguesia da sua residência. Os destinatários desta

campanha são os agregados familiares residentes no concelho de Leiria, cujo rendimento mensal não ultrapasse 100% do valor do Rendimento Mínimo Mensal Garantido a que esse agregado familiar teria direito no ano civil a que respeita. A Câmara Municipal de Leiria desafiou os cerca de 80 restaurantes do concelho a participarem nesta

iniciativa, convite que foi aceite pelos restaurantes Bife Club, Casa da Nora (Cortes), Charneca do Bailadouro (Pousos), Escola Profissional de Leiria (Pousos), O Paço, Reis e Saloon (Ortigosa). As refeições são constituídas por sopa, prato principal, pão e fruta. Nos casos em que os beneficiários do “Direito à Alimentação” vivam em freguesias longe dos res-

taurantes, a Autarquia irá contar com o apoio das Juntas de Freguesia. Vai ainda continuar a sensibilizar os restaurantes que não aderiram à campanha para reverem a sua posição. A Câmara Municipal de Leiria tem como parceiros a Associação Nacional de Municípios Portugueses e a Associação da Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal.

Conheça o concelho visto de forma diferente

Exposição “O Concelho em Mapas” No passado dia 1 de Junho, Dia Mundial da Criança, a Câmara Municipal da Marinha Grande inaugurou na sede do Agrupamento de Escolas Guilherme Stephens – Escola Básica 2º e 3º Ciclos Guilherme Stephens, uma exposição subordinada ao tema “O Concelho em Mapas”. A exposição, da responsabilidade da Divisão de Ordenamento, Planeamento e Projectos – Área de Informação Geográfica, estará patente até ao próximo 16 de Junho e visa dinamizar acções de divulgação e sensibilização junto da população escolar na área dos Sistemas de Informação Geográfica. Uma vez que o ano lectivo 2010-2011está a terminar, esta exposição estará no próximo ano lectivo patente na Escola Básica 2º e 3º Ciclos Prof. Alberto Nery Capucho, na Escola Secundária Eng.º Calazans Duarte, na Escola Secundária José Loureiro Botas, na Escola Secundária Pinhal do Rei e novamente na Escola Básica 2º e 3º Ciclos Guilherme Stephens, em datas a definir e a divulgar oportunamente.

“7 Maravilhas da Gastronomia”

Marco Horácio apadrinha Arroz de Marisco da Praia da Vieira

Duas centenas de bicicletas

Eco-bike na Marinha Grande A Câmara Municipal da Marinha Grande realizou mais uma edição da Ecobike, no dia 25 de Maio. Destinada aos alunos e professores das Escolas do 2º e 3º ciclo do concelho, esta actividade desportiva teve partida no Parque da Cerca, na Marinha Grande. A Ecobike consistiu num passeio de bicicleta pela Mata Nacional com passagem pelos seguintes locais: Parque da Cerca junto ao Arquivo Municipal, Rotunda do Atrium, Avenida João Beare, Rotunda do Matadouro, Rua da Portela, Parque de Merendas da Portela, “Estrada dos 7”, Pedreanes, Estrada do Pinhal Manso, EN 242-2, Marinha Grande.

Fotos: DR

presenciado pelo Presidente da Associação de Desenvolvimento da Alta Estremadura (ADAE), António Lucas; pelo Vice-Presidente da Câmara, Paulo Vicente; pelo Presidente da Junta de Freguesia de Vieira de Leiria, Joaquim Vidal; pelo Presidente da Junta da Marinha Grande, Francisco Duarte; pelo crítico de gastronomia, Manuel Poças das Neves; por proprietários dos res-

taurantes da Praia da Vieira que confeccionam o Arroz de Marisco; representantes da comunicação social e por técnicos da Autarquia e ADAE. O momento visou assinalar o reconhecimento do Município pelo facto do Arroz de Marisco da Praia da Vieira ter sido seleccionado como finalista do concurso às “7 Maravilhas da Gastronomia”, o que resulta de uma candidatura conjunta

apresentada pela ADAE; pelos Municípios de Marinha Grande, Batalha e Leiria; e pela Entidade Regional de Turismo Leiria/Fátima. A candidatura pretendeu divulgar e promover “as artes Culinárias” da nossa região, através do vasto património culinário existente e que importa preservar, valorizar e divulgar. DR

O actor e humorista Marco Horácio (na foto, à direita), de Vieira de Leiria, apadrinha o Arroz de Marisco da Praia da Vieira, prato finalista do concurso “7 Maravilhas da Gastronomia”. O anúncio foi feito pelo Presidente da Câmara Municipal da Marinha Grande, Álvaro Pereira no dia 30 de Maio, no Salão Nobre dos Paços do Concelho, na cerimónia de entrega oficial dos selos do concurso aos proprietários dos restaurantes da Praia da Vieira que confeccionam aquela iguaria. O autarca fez questão de agradecer publicamente ao actor, que não esteve presente naquela sessão por compromissos de agenda, e afirmou “que a associação de Marco Horácio à votação será mais um factor que dignifica e reforça a eleição”. O momento foi ainda


8 ECLESIAL

O Mensageiro 9.Junho.2011

Reflexão para o Pentecostes

A liderança pastoral sob acção do Espírito Santo

1. Todos os fiéis recebem dons que devem saber gerir com ousadia prudente. Não apenas para proveito pessoal, mas para utilidade comum. Não apenas atendendo ao presente, mas abrindo-se confiadamente ao futuro. É o próprio Deus quem os concede, por meio do Seu Espírito. Uma boa gestão glorifica o Senhor e serve os irmãos. Esta forma de actuação constitui a liderança fundamental por graça do Espírito Santo. Importa, por isso, descobrir e reconhecer a sua qualidade, apreciar e difundir o seu alcance inovador, promover com diligência as múltiplas formas que reveste e, tantas vezes, redimensiona os dotes naturais e adquiridos CAMPANHA

comuns a tantas pessoas de boa vontade. A título ilustrativo, basta lembrar os cristãos na família e no voluntariado de vizinhança, nos espaços socioculturais, económicos e políticos, nas missões humanitárias, nas corporações de bombeiros e nas respostas de emergência. Nem sempre esta forma de liderar mostra o dinamismo que dá sentido à vida e seus acontecimentos; também raramente é devidamente considerada e apreciada; apenas esporadicamente desperta a atenção dos meios de comunicação que preferem noticiar a insignificância da presença cristã na sociedade, o apagamento da instituição ou o episódico de alguma situação. A imagem elaborada e “publicada” surge desfigurada da realidade e avoluma a “impressão” de que os cristãos estão ausentes da vida na sociedade e a fé não provoca qualquer impacto público. 2. Os dons do Espírito especificam-se conforme as funções e os ministérios ao serviço daquela liderança fundamental. O exemplo de Jesus testemunha-o de forma expressiva. Os ensinamentos de São Paulo são muito claros. Quem recebe um dom assume uma responsabilidade. Nas várias áreas da missão da Igreja, designadamente da animação e coordenação pastoral. Sirvam de referência os líderes de grupos, os animadores de equipas, movimentos e associações, os facilitadores da comunicação entre comunidades e

da busca da melhor solução para o desempenho da missão, os encarregados da prestação de serviços ou da gestão de obras apostólicas em comunhão com a hierarquia, embora com relativa autonomia. Este conjunto representa uma vasta área de animação e intervenção. Basta mencionar a rede de quantos se dedicam a quem pretende libertar-se da miséria e ganhar possibilidades e confiança para se auto-governar e ajudar outros que se encontram em condições semelhantes: conferências vicentinas, organizações para o desenvolvimento, misericórdias, agrupamentos de escuteiros, associações de famílias. 3. O líder que interage de forma participativa, animando pessoas e coordenando projectos ou programas, há-de ter uma visão clara da sua função e saber situá-la no âmbito da missão da Igreja e no contexto social envolvente. Ser líder é ter capacidade de motivar, de exercer uma influência positiva, de acolher propostas e de estabelecer parcerias, de captar o dinamismo e o sentido das mudanças, de gerar consensos, de infundir esperança. O líder coordenador deve ser realista, conhecer a situação da equipa e da comunidade, cultivar atitudes de serenidade e confiança, evitar o pessimismo e a ansiedade, prosseguir os objectivos traçados, dedicando especial atenção às pessoas. Na parábola do Bom Pastor, encontram-se outros elementos significativos.

DR

Sede bons administradores da graça que Deus vos concedeu e cada um de vós ponha ao serviço dos outros os dons que recebeu – exorta São Pedro os cristãos destinatários da sua primeira carta dispersos por várias regiões do Império. Ilustra a sua recomendação com os exemplos do anúncio da palavra e com a dedicação ao serviço. A mensagem transmitida faz parte de um conjunto de atitudes que expressam e fomentam a esperança activa, a relação mútua, o estilo sóbrio de vida, a doação recíproca por amor. Constitui um bom ponto de referência para o tema sobre “as lideranças na missão da Igreja”, e está em consonância com outros textos do novo testamento e com o pensar do magistério pósconciliar do Vaticano II.

Forjar um bom coordenador exige o uso de meios adequados, designadamente a integração efectiva na comunidade de que faz parte, a experiência de membro de equipa, a capacidade de intervir com acerto, de acolher e de gerar consensos. Pode assim captar com mais facilidade as necessidades e experimentar o ritmo de grupo com o qual caminha. (Coordenadores “desencarnados” da realidade correm o risco de ser técnicos especializados e não pessoas de comunhão). 4. A liderança pastoral tem em conta o que acaba de ser referido, mas lança as suas raízes mais profundas no ministério ordenado, fruto de um carisma especial celebrado num sacramento e configurado num múnus. Daí, brota o serviço dos pastores e daqueles que, por delegação ou especial mandato, são responsabilizados por funções reconhecidas de “utilidade” eclesial. Todo o ministério ordenado está ao serviço da comunhão e da missão, agindo em nome de Jesus Cristo. Radica na Trindade que se expressa na unidade das legítimas diversidades. Reconhece e fomenta os dons concedidos pelo Espírito em ordem ao bem comum. A prática pastoral tem de ser coerente e consequente.

Ser responsável pela prática da comunhão na Igreja (cf. ChL 31) e nas suas múltiplas instituições e comunidades significa o empenho total para que haja uma correcta compreensão da comunhão, se fomente a correspondente cultura comunional e se superem antagonismos e divisões. Envolve ainda o apreço por aquilo que é diferente e o reconhecimento do que é comum e a todos irmana e congrega. A missão decorre da comunhão e edifica-a. O ministério da Palavra, o serviço da Liturgia e a prática da Caridade constituem as vias normais por onde circula a seiva revigorante da comunhão. O serviço dos pastores à missão configura o seu perfil e marca o estilo da sua liderança pastoral. As relações fraternas na Igreja favorecem e alimentam o estilo de vida que testemunha a novidade do Evangelho: “Vede como se amam”. “Pai, que todos sejam um como Nós somos um a fim de que o mundo creia”. Edificar a comunhão eclesial como sinal de evangelização é prioridade constante, mas sobretudo no nosso tempo com marcas de acentuada fragmentação e de critérios relativistas. A liderança dos pastores realiza-se não apenas no ministério, mas, e de

modo peculiar, no modo como o ministério é exercido. Não pode pretender em abstracto a glória de Deus e esquecer a pessoa humana, a vida em abundância que o Senhor Jesus lhe quer transmitir. 5. A sinodalidade da Igreja surge como o legado mais precioso para o exercício adequado deste ministério e como a via mais qualificada para suscitar a consciência comum da missão que a todos foi confiada, das funções diferentes que cabe a cada um, da complementaridade que enriquece a comunhão. Este modo de ser Igreja sinodal expressa a sua dimens��o de peregrina em busca da verdade mediante o discernimento pessoal e comunitário, realiza-se em assembleias periódicas e estrutura-se em órgãos permanentes: as instâncias de participação. A liderança dos pastores, sendo função pessoal e colegial, está muito condicionada pela capacidade de constituir e gerir estes órgãos sinodais em articulação com o sentir do povo de Deus e em solidariedade com o mundo, espaço onde os sinais dos tempos apontam caminhos a seguir com sabedoria. Também aqui são necessárias novas e ousadas iniciativas. Pe. Georgino Rocha


DIOCESE 9

O Mensageiro

9.Junho.2011

Corpo de Deus em Leiria

Breves

Filarmónicas ajudam a dignificar festas religiosas

Outono, no qual se deverão reflectir novas formas de actuação das filarmónicas, de promoção da criação de novas marchas musicais e de cooperação com a Igreja. Padre Jorge Guarda

Santuário de Lourdes

DR

O MEC em peregrinação Todos os anos, o Movimento diocesano de Educadores Católicos (MEC) costuma ir em devota peregrinação a um santuário de Nossa Senhora. Visitou já os maiores santuários marianos do nosso País, entre outros Fátima, Sameiro, Lamego, Peneda, Vila Viçosa, Senhora da Lapa e Senhora do Almurtão. Este ano foi escolhido o santuário de Lourdes, no Sul de França. Com um autocarro cheio de elementos e simpatizantes do Movimento (mais de meia centena), viajámos até aos pés da Virgem de Lourdes. Acompanhou-nos o Assistente eclesiástico, padre Adriano Brites, e ou-

tros elementos da equipa diocesana. Foram quatro dias de viagem (27 a 30 de Maio), ricos de vivência espiritual, de são convívio, de encantadoras paisagens e de extraordinárias lições de arte e cultura. Em Lourdes tivemos tempo para uma pormenorizada visita guiada ao Santuário e à casa onde nasceu a vidente santa Bernardete, para cumprirmos as nossas devoções e rezarmos em conjunto ou individualmente. Pontos altos da nossa peregrinação foram a celebração eucarística, a procissão das velas e a oração junto da Senhora de Lourdes, na Gruta de

Massabielle. Ninguém pode ficar indiferente à força espiritual que se respira naquele espaço encantador, santificado pela presença da Virgem Maria. Mas a nossa viagem, ao longo dos quatro dias, teve outros momentos altos: a visita às Grutas de Betharram, perto de Lourdes, a paragem em Loyola, para visitar o Santuário de Santo Inácio, a visita à catedral de Burgos e o passeio maravilhoso pelas ruas de Toledo. À chegada, era unânime a conclusão: Foi bom de mais! Valeu a pena! Ambrósio Ferreira

“Verdade, anúncio e autenticidade de vida, na era digital”

Santuário assinalou Dia Mundial das Comunicações Sociais O Santuário de Fátima assinalou no dia 5 de Junho o 45.º Dia Mundial das Comunicações Sociais, fazendo desta celebração a principal intenção no terço rezado às 10h00 na Capelinha das Aparições. A prece mariana pediu “por todos aqueles que estão por detrás dos meios de comunicação social, para que trabalhem com autenticidade e ao serviço da verdade”, refere o site do

santuário da Cova da Iria. Na missa das 11h00, o bispo de S. Tomé e Príncipe, D. Manuel dos Santos, sublinhou que cada católico “tem de assumir a sua responsabilidade de mensageiro do Evangelho”, colocando as “novas tecnologias de comunicação ao serviço da verdade”. Para o prelado português, Deus também se quer fazer presente na internet e nas redes sociais,

pelo que os fiéis devem ser “anunciadores corajosos” da mensagem cristã nos media digitais. D. Manuel dos Santos frisou que o investimento da Igreja na tecnologia não pode esquecer as relações humanas, “fundamentais na transmissão da fé”, nem abandonar as pessoas que “sofrem, choram, morrem”. Os católicos viveram este domingo o 45.º Dia

Mundial das Comunicações Sociais, dedicado ao tema ‘Verdade, anúncio e autenticidade de vida, na era digital’. De acordo com as orientações da Igreja em Portugal, os ofertórios das missas referentes a este domingo revertem para os meios de comunicação social eclesiais, indicação que deve ser dada aos fiéis durante as eucaristias.

A imagem peregrina de Nossa Senhora de Fátima que esteve em S. Tomé e Príncipe desde 29 de Abril, em visita a todas as paróquias católicas, regressou à Cova da Iria. A entrega decorreu na missa de Domingo, 5 de Junho, presidida pelo bispo local, o português D. Manuel Santos, revela o site do Santuário de Fátima, adiantando que a celebração contou com a participação de “várias famílias santomenses a residir em Portugal”. “De avião, de barco, de carro, transportada aos ombros, a Mãe do Céu fez-se peregrina pelos caminhos das ilhas verdes deste arquipélago do Golfo da Guiné”, disse o prelado na eucaristia, cujos cânticos foram interpretados pelo coro do Santuário e o grupo ‘A Voz da Esperança’, constituído sobretudo por santomenses. D. Manuel dos Santos afirmou que a recepção foi “muito positiva”, e mesmo em lugares “onde as pessoas não se mobilizam muito para manifestações públicas religiosas” registou-se “uma participação considerável”, a que se juntou a “excelente colaboração” das autoridades. Um dos pontos altos da visita ocorreu a 8 de Maio, com a inauguração do Santuário de Nossa Senhora de Fátima Peregrina, em Bate-Pá, “anseio muito antigo” da diocese de S. Tomé e Príncipe, explicou o bispo. “Durante um mês e uma semana, a Virgem Maria semeou esperança, foi aclamada, ouviu as preces e os cantos dos seus filhos, disse D. Manuel Santos, acrescentando: “Foi sem dúvida um momento de graça que, esperamos, dê fruto no coração de todos”. A peregrinação pretendeu “criar um momento de reflexão sobre o significado de Maria na História da Salvação, num tempo onde as seitas têm semeado confusão em muita gente”, esclareceu o prelado. A imagem peregrina que esteve em S. Tomé e Príncipe, antiga colónia portuguesa na costa ocidental de África, é uma das réplicas da que foi oferecida ao Santuário de Fátima em 1947, e que foi construída de acordo com as indicações da irmã Lúcia dos Santos, a única testemunha das aparições viva nessa altura.

Comunidade de Picassinos, Marinha Grande

Festa em honra de Santo António

Nos próximos dias 18 e 19 de Junho a comunidade de Picassinos, Marinha Grande, vai estar em festa em honra de Santo António. No dia 18, sábado, pelas 17h00, será a abertura dos festejos com serviço de restaurante, café da avó e bar. Segue-se ainda uma animação musical no arraial. Durante o dia 19, Domingo, às 10h00, haverá a recolha de andores e ofertas, percorrendo as ruas dos lugares. Às 15h00 celebra-se a Missa Solene, seguida de procissão com andores e ofertas, acompanhada pela “Bandinha do Castelo”. Às 17h00 realiza-se a venda dos produtos dos andores e ofertas, assim como a reabertura das actividades do dia anterior. Às 18h00, actuará um grupo musical até ao encerramento dos festejos.

DR

musicais na procissão do Corpo de Deus em Leiria no dia 23 de Junho próximo. Neste ano de 2011 actuarão as filarmónicas de Soutocico, Maceira, Marrazes, Monte Redondo e Pousos. Elas contribuem para exprimir alegria e dar um ambiente de arte que ajuda a concentração e a harmonia dos fiéis na caminhada de fé, de adoração a Jesus Cristo e de testemunho que são características da procissão eucarística. A procissão sairá do jardim de S. Agostinho e percorrerá o itinerário até à Sé, onde haverá a bênção sobre os fiéis e a execução de uma peça musical por todas as filarmónicas em conjunto. Em relação ao futuro, as duas partes concluíram ser útil continuar este género de encontros. Por isso, projectou-se um outro a realizar no

Imagem Peregrina regressou de S. Tomé e Príncipe

LMFerraz

Há uma longa tradição de presença das bandas filarmónicas nas festas religiosas. Estas sem o contributo musical daquelas não teriam o mesmo brilho e encanto; e as procissões ficariam privadas de um apoio musical que lhes dá beleza e ritmo. Por outro lado, também estas bandas musicais encontram nas festas religiosas um apoio importante para a sua subsistência e para a promoção da educação musical dos jovens que as integram. Esta é uma importante conclusão do encontro entre os directores de cinco filarmónicas do concelho de Leiria e responsáveis da Diocese de Leiria-Fátima que teve lugar no passado dia 2 de Junho. O encontro visava preparar a participação daquelas organizações

“Virgem Maria semeou esperança”


10 ECLESIAL

O Mensageiro 9.Junho.2011

(12/06/08)

Antífona de Entrada: Sab 1, 7 Leitura I: Actos 2, 1-11 Salmo Responsorial: Salmo 103 (104), 1ab e 24ac.29bc30.31.34 (R. 30); Refrão: Enviai, Senhor, o vosso Espírito e renovai a face da terra. Repete-se Leitura II: 1 Cor 12, 3b-7.12-13 Aclamação ao Evangelho: Refrão: Aleluia. Repete-se; Vinde, Espírito Santo, enchei os corações dos vossos fiéis e acendei neles o fogo do vosso amor. Refrão EVANGELHO: Jo 20, 19-23 Na tarde daquele dia, o primeiro da semana, estando fechadas as portas da casa onde os discípulos se encontravam, com medo dos judeus, veio Jesus, apresentou-Se no meio deles e disse-lhes: «A paz esteja convosco». Dito isto, mostrou-lhes as mãos e o lado. Os discípulos ficaram cheios de alegria ao verem o Senhor. Jesus disse-lhes de novo: «A paz esteja convosco. Assim como o Pai Me enviou, também Eu vos envio a vós». Dito isto, soprou sobre eles e disse-lhes: «Recebei o Espírito Santo: àqueles a quem perdoardes os pecados ser-lhes-ão perdoados; e àqueles a quem os retiverdes ser-lhes-ão retidos». Palavra da salvação.

Cânticos | Solenidade da

Santíssima Trindade (19/06/08) INÍCIO:

Pai, Filho, Espírito Santo - Lau 639 Toda a terra Vos adore - Lau 813

Janela Sobre a Missão

O nosso amigo Neto “Mana Sara! A minha mana veio!” Normalmente é assim que ouvimos o Neto chamar sempre que chegamos ao Uquende. Em 2007, quando fiz o meu primeiro tempo de Missão no Gungo, junto com as manas Sara, Lina e Sónia, encontrámos o Neto, um menino com paralisia cerebral, que nessa altura tinha uma grande queimadura no joelho que o impedia de andar. A Lina fez-lhe o curativo e a mana Sara fisioterapia para lhe devolver o andar. A partir daí, todas as manas que fizeram missão no Gungo, passaram a ser “Mana Sara”, porque todas representavam o bem que ela lhe fez. Numa sexta-feira o Neto veio a correr gritando alegremente “Mana Sara, me leva no Sumbe inda”. Reparei que tinha um lenço amarrado ao tornozelo mas como estava com alguma pressa não pude ver com atenção o que o pano escondia. Domingo, quando ao descer da Donga, parámos no Uquende; o Neto correu de novo “Mana Sara, mi quimi inda…”. Foi aí que eu percebi que se tinha queimado. Sentado, debaixo de uma árvore,

DR

Leituras | Pentecostes

porque as dores não permitiam que ficasse de pé, mostrou-me o pano; conseguia adivinhar que não escondia coisa boa. Trouxe-o para dentro de casa para poder fazer um curativo e ao tirar o pano encontrei uma das piores imagens que já vi: uma queimadura, em carne viva, preta, com terra por cima, com pedaços de carne infectada, outros já a apodrecer. Olhei para ele e ele sorriu para mim, com aquele olhar profundo que diz que gosta de mim e que confia naquilo que eu lhe

vou fazer. E eu pensei… mas que posso eu fazer? O que é que eu deveria fazer? Mas ele estava nas nossas mãos e a saúde dele também. Com calma fomos limpando, desinfectando, cortando os pedaços que estavam podres. Eu só pedia a Deus para que não me faltasse as forças para fazer o melhor que podia. Ele não chorava, não tirava o pé, não tremia e aquilo estava a doer tanto… eu sei, eu também sentia a dor. Mas, ao olhar para o Neto, ele continuava sempre a responder-me com o seu

sorriso. Fiz o melhor que sabia e no final fui falar com a mãe dele par ter alguma atenção durante essa semana. (continua) Mana Inês No dia 10 de Junho, haverá uma apresentação do Grupo Missionário Ondjoyetu, no Seminário Diocesano de Leiria, às 21h00. Destina-se a pessoas que queiram conhecer melhor o trabalho que este grupo desenvolve na nossa diocese e na do Sumbe, Angola. Quem estiver interessado também poderá integrar este grupo missionário.

e a rotina acaba por tirar a beleza das coisas, porque rouba a capacidade de nos espantarmos com as coisas que surgem à nossa volta. Celebramos neste domingo o Pentecostes, e neste dia muitas pessoas, sobretudo jovens recebem o Crisma, o sacramento pelo qual lhes é transmitido o Espírito Santo, que conjugado com o seu crescimento na Fé e pela adesão a Jesus Crito, feito durante os anos da catequese, os leva a ser cristãos mais conscientes. E um cristão consciente é aquele que cada dia é capaz de se maravilhar com as obras que Deus vai realizando em favor dos homens. Mas Deus age hoje no mundo sobretudo através desses mesmos homens. Por isso é necessário que cada um seja capaz de ver esta acção de Deus nos irmãos, e sobretudo, que cada um seja Sua imagem, colaborando com ele na Edificação do Reino. Jesus no Evangelho diz: “A paz esteja convosco”. Esta saudação tem como

objectivo mostrar que Ele está para nos ajudar, para nos dar a paz, mas não uma paz passiva, à maneira das religiões ou filosofias orientais, não a paz no nirvana, do aniquilamento total que nos desliga do que é humano. A paz que Jesus nos traz é uma paz inquieta, simbolizada no fogo que desceu sobre os discipulos reunidos no cenáculo, porque nos obriga a sair de nós mesmos, dos nossos comodismos. É isto que aconteceu aos que estavam reunidos no cenáculo: estavam aí com medo dos judeus, mas depois de ficarem cheios do Espírito de Deus, o mesmo Espírito que Jesus recebeu quando foi baptizado no Jordão, saíram para fora e começaram a anunciar a boa nova, a anunciar a paz que Deus lhes dera. A primeira maravilha depois deste acontecimento é que todos os estrangeiros que estavam na cidade percebiam o que dizia cada um dos apóstolos, pois ouviamnos na sua própria língua.

A nossa abertura a Deus e ao seu espírito leva-nos também a perceber cada vez melhor aquilo que ele nos quer dizer. Mas não podemos guardar este dom só para nós, assim como os apóstolos não continuaram fechados no cenáculo, temos de sair para fora, temos de manifestar o Espírito que está em nós, como nos diz o Apóstolo S. Paulo na 2ª leitura. Mas a manifestação do Espírito tem de estar ordenada ao bem comum e não apenas para nosso crescimento pessoal. A todos aqueles que vão receber o Crisma neste fim de semana peço que nunca percam a capacidade de se maravilharem com as obras de Deus que nos ama de tal maneira que nos deu tudo, sobretudo aquilo que ele tem de maior: o Seu AMOR. E assim seremos capazes de dizer “Jesus é o Senhor” com a consciência de que é Deus que realiza tudo em todos.

SALMO RESPONSORIAL:

Digno de louvor e de glória - Lau 293 APRESENTAÇÃO DOS DONS:

Deus é amor - Lau 275 Tarde vos amei - Lau 804

AO SABOR DA PALAVRA

COMUNHÃO:

Deus amou de tal modo o mundo - Lau 274 Deus enviou ao mundo - Lau 277 PÓS-COMUNHÃO:

Glória ao Pai que nos criou - Lau 413 Glória a Ti, Jesus Cristo - Lau 411

Final: Hinos de glória - Lau 424 Ditosos os que Te louvam sempre - Lau 297

Pe. Francisco Pereira pe.francisco@mac.com Sábado 19h00 – Sé 19h30 – Franciscanos

MISSAS DOMINICAIS

Domingo 08h30 – Espírito Santo 09h00 – Franciscanos 09h45 – Paulo VI 10h00 - S. Francisco 10h30 – Franciscanos 10h00 – S. Romão 11h00 – S. Agostinho 11h00 – Hospital 11h30 – Cruz da Areia 11h30 – Seminário e Sé 18h30 – Sé 19h30 – Franciscanos 21h30 – Sª Encarnação

Shalom 12 de Junho de 2008 Solenidade do Pentecostes

Cada dia que passa encontramos coisas novas que nos enchem os olhos de alegria e de felicidade, mas à medida que vamos envelhecendo vamos perdendo a capacidade de nos maravilharmos com as coisas que nos rodeiam, porque se tornam habituais ou banais. O hábito cria a rotina


PORTUGAL 11

O Mensageiro

9.Junho.2011

«Visitas encenadas» dinamizam Sé da Guarda

BREVES

do Centro. As visitas, com a duração de uma hora, decorrem até 31 de Agosto, com sessões das terças às sextas-feiras, às 10h30 e 16h00, e aos sábados, a partir das 17h00. Na sua viagem pelos principais espaços do monumento, os participantes serão acompanhados por um “cicerone”, personagem interpretada pelos actores André Amélio e Miguel Moreira, que revelará todas as “histórias e segredos” do edifício.

Os textos proferidos pelos “guias” foram desenvolvidos por Pedro Dias de Almeida e toda a encenação está a cargo de Antónia Terrinha. Para o cónego Eugénio da Cunha Sério, à espera dos turistas estará sobretudo “uma construção forte, bela e elegante, segundo a arte do gótico”. Trata-se de “uma edificação com medidas exactas, com perfeição das naves e das alturas” acrescenta o presidente da Comissão de

Funchal

Arte Sacra da Diocese da Guarda, uma das entidades envolvidas neste projecto. Os participantes poderão ainda enriquecer os seus conhecimentos através da leitura do livro “Esboceto histórico-artístico da Sé Catedral da Guarda”, monografia da autoria do historiador João Paulo Martins das Neves, que será distribuída a cada visita guiada. Este novo roteiro turístico da Sé da Guarda é comparticipado em 80 por cento por fundos comunitários, no âmbito do Projecto de Teatralização do Centro Histórico da Guarda. Recorde-se que aquele edifício é também um dos monumentos que aderiu à “Rota das Catedrais”, que prevê não só a conservação e restauro dos edifícios religiosos como também a sua dinamização cultural e artística.

Delegação da Santa Sé na Comissão Paritária O bispo de Bragança, D. António Montes, foi nomeado, pela Secretaria de Estado do Vaticano, presidente da delegação da Santa Sé na Comissão Paritária prevista no artigo 29 da Concordata entre a Santa Sé a República Portuguesa de 2001. Uma nota da secretaria episcopal da diocese, publicada pelo jornal «Mensageiro de Bragança», de 2 de Junho, sublinha que D. António Montes subs-

Ana Preto

D. António Montes nomeado presidente

titui D. João Alves, bispo emérito de Coimbra, “que

solicitou dispensa do cargo por motivos de idade e de saúde”. Segundo as duas alíneas do nº 2 do referido artigo, são atribuições desta comissão “procurar, em caso de dúvidas na interpretação do texto da Concordata, uma solução de comum acordo” e “sugerir quaisquer outras medidas tendentes à sua boa execução”. O texto da secretaria episcopal, com data de 23

de Maio de 2011, refere que os restantes membros da delegação da Santa Sé na Comissão Paritária são o padre Manuel Saturino da Costa Gomes, director do Instituto Superior de Direito Canónico da Universidade Católica Portuguesa e Paulo Adragão, professor da Faculdade de Direito da Universidade do Porto.

“Alimente esta ideia … agora também online”

Nova iniciativa do Banco Alimentar A Federação dos Bancos Alimentares Contra a Fome conseguiu quase 68 toneladas de alimentos via Internet, no âmbito da campanha iniciada a 26 de Maio até ao dia 5 de Junho. “Às 3962 pessoas que alimentaram mais esta ideia, aqui fica o agradecimento em nome das pessoas carenciadas que vão beneficiar dos alimentos”,

assinalam os responsáveis pela iniciativa, no site www.alimentestaideia.net Para a Federação Portuguesa dos Bancos Alimentares, “a quantidade de alimentos recolhida online neste curto período de tempo é um bom exemplo da generosidade de todos os portugueses que não ficam indiferentes aos mais necessitados”.

Os produtos serão agora encaminhados para o Banco Alimentar da região onde foram doados e entregues por instituições de solidariedade a 319 mil pessoas comprovadamente carenciadas sob a forma de cabazes ou de refeições confeccionadas. Denominada ‘Alimente esta ideia … agora também online’, a nova plataforma

baseada na Internet funciona como complemento ao canal tradicional de recolha nas superfícies comerciais, nas quais se recolheram 2309 toneladas de géneros no final de Maio. A plataforma electrónica de recolha de alimentos permite a sua integração nas principais redes sociais e móveis como o Facebook e o Messenger.

Bispo escreve mensagem para os 500 anos da diocese O bispo do Funchal, D. António Carrilho, redigiu uma mensagem para as comemorações dos 500 anos da diocese, onde apela à participação na missa e no concerto agendados para domingo, dia em que arrancam as celebrações. Na missiva divulgada no site da diocese, confirma-se que a evocação da efeméride começa na tarde de 12 de Junho, com uma missa na sé do Funchal, presidida pelo núncio apostólico em Portugal, o arcebispo italiano D. Rino Passigato. À noite realiza-se um concerto na igreja matriz de Machico, “localidade onde foi celebrada a primeira Missa pelos padres franciscanos, na chegada à Madeira”, refere o prelado, lembrando que o lema das comemorações é “Igreja em Missão”. “Deixo um convite a todos os sacerdotes, membros de Institutos de Vida Consagrada e outras instituições da Igreja, e a todo o Povo de Deus em geral – um convite, especialmente, para a grande assembleia Eucarística, na Sé do Funchal, mas também, sendo possível, para o Concerto, em Machico”, escreve António Carrilho. Até 12 de Junho de 2014, dia em que se perfazem cinco séculos de presença da Igreja Católica no arquipélago, a diocese pretende “fazer um percurso conjunto de renovação pastoral e comunhão eclesial”, assinala o prelado. A diocese do Funchal, criada pelo Papa Leão X a 12 de Junho de 1514, compreendia não só as ilhas do arquipélago mas também todos os territórios descobertos ou a descobrir pelos portugueses, estendendo a sua jurisdição por todo o território africano ocidental e oriental, Brasil e Ásia.

DN

A Catedral da Guarda abriu os seus tesouros ao mundo, através de visitas encenadas que pretendem evidenciar “a importância histórica, religiosa e cultural do principal monumento da cidade”. Em declarações ao jornal “A Guarda”, Américo Rodrigues, director do Teatro Municipal da Guarda e coordenador geral desta produção, destaca “o avanço enorme” que a iniciativa significará, “para dinamizar o centro histórico” e “renovar a atenção” dos turistas para aquela que é “uma das mais antigas catedrais de Portugal”. O projecto, intitulado “Passos à volta da memória – uma visita encenada à Sé Catedral da Guarda”, está estimado em cerca de 22 mil euros e é organizado pela empresa municipal Culturguarda, em conjunto com a diocese local e a Direcção Regional de Cultura

DR

Projecto envolve entidades políticas, religiosas e culturais

Escutismo

Portugal leva a maior delegação de sempre ao Jamboree A delegação de escuteiros portugueses no Jamboree da Suécia será a “maior de sempre”, revelou à ECCLESIA Ana Rute Costa, chefe de contingente da Federação Escutista de Portugal. O Jamboree decorre de 25 de Julho a 8 de Agosto, naquele país nórdico, e contará com 866 escuteiros portugueses dos 14 a 17 anos. Segundo a interlocutora, a Suécia (Kristianstads) irá acolher cerca de 38 mil escuteiros de mais de 150 países. “Será uma oportunidade única para os jovens portugueses” e “para muitos deles a primeira experiência internacional”, referiu Ana Rute Costa. Nesta “actividade de excelência” está também previsto um dia da lusofonia. As delegações lusófonas estão a trabalhar nesta área e irão “partilhar algumas actividades em conjunto”, assim como “lançar a insígnia da lusofonia”, adianta. Ao longo do ano, os escuteiros portugueses realizaram encontros preparatórios onde foram explicados alguns detalhes sobre “a interculturalidade e a vertente interreligiosa” O 22.º Jamboree mundial subordinada ao tema «Simply Scouting» (simplesmente escutismo) vai promover encontros entre as diferentes culturas, religiões, países e contingentes. O Jamboree Mundial é um acampamento internacional de escuteiros, que se realiza periodicamente, de 4 em 4 anos.


12 MUNDO

Organização abre processo de acreditação para os media Já se encontra oficialmente aberto o processo de acreditação para todos os órgãos de comunicação social que queiram acompanhar de perto a Jornada Mundial da Juventude (JMJ), em Madrid, entre os dias 16 e 21 de Agosto. De acordo com uma nota enviada à Agência ECCLESIA, “as candidaturas deverão ser apresentadas através de um formulário, no site da organização das JMJ, onde devem ser fornecidos dados pessoais dos jornalistas, de identificação e contacto, e outros documentos que sejam solicitados”. “Os pedidos de acreditação só serão aceites e validados pelo gabinete de comunicação das JMJ depois dos dados enviados serem todos devidamente comprovados” pode ler-se ainda no mesmo texto. O prazo para realizar este processo termina no próximo dia 31 de Julho e todos os jornalistas com acreditação confirmada poderão começar a recolher a documentação a partir de 15 de Agosto, mediante a apresentação de um documento válido de identificação. Nos próximos dias, a organização conta ainda disponibilizar a toda a imprensa, através da web, uma página específica para reservas de meios técnicos e de acompanhamento dos diversos actos. As Jornadas Mundiais da Juventude foram criadas por iniciativa do beato João Paulo II, em 1985, e têm-se afirmado como o maior evento juvenil da Igreja Católica. Este ano, em Madrid, é esperado cerca de um milhão de participantes, vindos dos cinco continentes. Segundo os últimos dados fornecidos pela organização do evento, Portugal conta até agora com perto de 10 mil jovens inscritos.

«Estado palestiniano independente é aspiração legítima»

Papa concedeu audiência ao presidente da Autoridade Palestiniana Bento XVI defendeu que a criação de um “Estado palestiniano independente” é uma “aspiração legítima” daquele povo. De acordo com a sala de imprensa do Vaticano, o Papa tomou esta posição durante uma audiência concedida ao presidente da Autoridade Palestiniana, Mahmoud Abbas, que se encontra em Roma por ocasião do 150º aniversário de unificação da Itália. As conversações, que decorreram de “forma cordial”, tiveram como assunto de destaque a “situação complicada” que se vive na Terra Santa, em particular “a necessidade de se encontrar uma solução pacífica para o conflito israelo-palestiniano”. Foi reiterado que Israel e Palestina “devem procurar viver em segurança o mais rapidamente possível, fomentando a paz com os territórios vizinhos e dentro de fronteiras reconhecidas internacionalmente”. “Só através de um espírito de cooperação, abertura, e reconciliação, com o apoio da comunidade internacional, é que a Terra Santa poderá conhecer a paz” concordaram ainda Bento XVI e Mahmoud Abbas. Espera-se que os trabalhos levados a cabo entre as delegações da Santa Sé e da Organização para a Libertação da Palestina (OLP) possam produzir frutos no sentido de um “acordo global” entre todas as partes envolvidas no conflito. Durante este encontro, houve ainda espaço para reflectir sobre a situação dos cristãos nos territórios palestinianos e no Médio Oriente. O Papa e o líder palestiniano apontaram para o “insubstituível contributo” que aquelas comunidades têm dado para a construção da sociedade local.

Visita do Papa Bento XVI

Rosto luminoso da Croácia No passado dia 5 de Junho Bento XVI concluiu uma visita de 33 horas à Croácia, em que manifestou a sua preocupação pela defesa da herança e da mensagem cristã na Europa, lembrando o exemplo de mártires como o beato Alojzije Stepinac (18981960). “A oração junto do túmulo do Beato Cardeal Stepinac fez-nos recordar de modo especial todos aqueles que sofreram, e sofrem também hoje, por causa da sua fé no Evangelho”, indicou, diante de autoridades civis e religiosas. No discurso que proferiu no aeroporto internacional de Zagreb, sobre o qual se abateu uma forte chuva que atrasou a partida, o Papa passou em revista os principais momentos da viagem, com a qual, segundo o próprio, quis “confirmar na fé em Jesus Cristo, único Salvador, a Igreja peregrina na Croácia”. “Unânime e sentida foi, a participação na Santa Missa por ocasião da Jornada Nacional das Famílias. O encontro no Teatro Nacional permitiu-me partilhar algumas reflexões com os representantes da sociedade civil e das comunidades religiosas”, elencou. “Depois, durante a intensa vigília de oração, os jovens mostraram-me o rosto luminoso da Croácia, voltado para o futuro, iluminado por uma fé viva, como a chama de uma lâmpada preciosa, recebida

dos pais e que requer ser guardada e alimentada ao longo do caminho”, prosseguiu Bento XVI. O Papa considerou “motivo de alegria constatar quão viva está ainda actualmente a antiga tradição cristã na Croácia. “Esta vitalidade eclesial, que se há-de manter e reforçar, não deixará de produzir os seus efeitos positivos na sociedade inteira, graças à colaboração – que espero sempre serena e profícua – entre a Igreja e as instituições públicas”, observou. Bento XVI deixou votos de que “neste tempo, em que parecem faltar pontos firmes e fidedignos de referência, possam os cristãos, todos «juntos em Cristo», pedra angular, continuar a ser como que a alma da nação, ajudando-a a desen-

volver-se e a progredir”. No primeiro dia da visita, o Papa tinha pedido que a história croata e a sua integração na União Europeia, seja “motivo de reflexão para todos os outros povos do Continente, ajudando cada um deles, e a União inteira, a conservar e reanimar o património comum inestimável de valores humanos e cristãos”. Nesse mesmo dia, falou num risco para “as grandes conquistas da idade moderna, ou seja, o reconhecimento e a garantia da liberdade de consciência, dos direitos humanos, da liberdade da ciência e, consequentemente, de uma sociedade livre”, esperando que a Europa mantenha “a racionalidade e a liberdade abertas ao seu fundamento transcendente, para evitar

que tais conquistas se autodestruam, como infelizmente temos de constatar em não poucos casos”. Durante a missa que decorreu no hipódromo de Zagreb, Bento XVI apelou a um combate católico diante da “secularização” da Europa. “Infelizmente temos de constatar, sobretudo na Europa, o aumento de uma secularização que leva a deixar Deus à margem da vida e a uma crescente desagregação da família”, alertou, na homilia da celebração. Esta foi a 19ª viagem do Papa alemão ao estrangeiro, desde o início do seu pontificado, em Abril de 2005, e a 13ª em solo europeu, o que representa mais de dois terços do total.

“Testemunhas do amor”

Mês de Junho consagrado a sacerdotes e missionários No passado dia 1 de Junho Bento XVI desafiou o Apostolado da Oração a consagrar o mês de Junho a todas as vocações sacerdotais, para que “unidas ao Coração de Cristo”, elas sejam “testemunhas do amor solícito e misericordioso de Deus”. Num período normalmente dedicado pela Igreja ao Sagrado Coração de Jesus, o Papa propôs também uma intenção especial por todos os missionários. “Que o Espírito Santo faça ressurgir nas nossas

comunidades numerosas vocações missionárias, dispostas a consagrar-se plenamente á difusão do Reino de Deus” afirmou Bento XVI, segundo declarações publicadas pela Rádio Vaticano. O Apostolado da Oração teve origem numa casa de estudo da Companhia de Jesus, em França (Vals, perto de Le Puy), na festa de S. Francisco Xavier do ano de 1844. Apresenta-se como um serviço à Igreja e à Humanidade, procurando que

DR

JMJ201

9.Junho.2011

DR

BREVES

O Mensageiro

as pessoas rezem umas pelas outras, formando assim uma grande “família orante”. Com mais de 50 milhões de leigos católicos envolvi-

dos, a nível mundial, o movimento está actualmente presente em todas as dioceses de Portugal e em grande parte das suas paróquias.


OPINIÃO 13

O Mensageiro 9.Junho.2011

TESTEMUNHAS DO AMOR

Pe. Jorge Guarda

Vigário Geral da Diocese

Filipe Néri

O

amor é criativo, capaz de inspirar soluções novas para se exprimir. Assim aconteceu com Filipe Neri, apelidado pelas outras crianças “Filipe bom” e, mais tarde, denominado “o santo da alegria”. Nasceu em Florença (Itália) no ano de 1515. Cedo ficou órfão. Gostava das belezas do campo, da poesia e da música. Aos 18 anos foi viver para a região do Monte Cassino, próximo da famosa abadia beneditina que influenciou a sua vivência religiosa. Três anos depois, transferiu-se para Roma onde frequentou a universidade,

COMENTÁRIO POLÍTICO

Orlando Fernandes Jornalista

Missão impossível

E

m 1917, Almada Negreiros, imbuído num forte espírito de agitação das águas e, como Filippo Marinetti, que declarara guerra às tradições e à cultura hegemónica, declamou seu “Ultimatum Futurista

estudou teologia e foi ordenado sacerdote. Dedicou-se ao apostolado da juventude e à pratica da caridade nos bairros pobres, hospitais e prisões. Faleceu em Roma no ano de 1595. Foi canonizado em 1622 com Inácio de Loyola, Francisco Xavier e Teresa de Ávila. A sua personalidade era cativante. Dotado de bom humor, jovialidade e religiosidade profunda, conseguia reunir à sua volta grupos de jovens que gostavam da sua companhia e se tornavam seus amigos. Ele aproveitava a oportunidade para os orientar, dar-lhes catequese e ensiná-los a rezar. Tornou-se assim para muitos um líder que nele tinham uma ajuda para passarem bons momentos e aprenderem. Ele levava-os a passear, jogava com eles e depois instruía-os. Sabia bem conjugar as exigências da piedade cristã com a necessidade de liberdade e divertimento dos jovens. O amor e a ternura marcavam a sua relação com os mais novos. O amor para com as pessoas levou Filipe Néri a ir visitar os doentes nos hospitais de Roma. Levava-lhes ajuda, conforto e encorajamento. Fazia de

enfermeiro, cuidava da limpeza, fazia as camas, lavava a louça, falava da bondade e da misericórdia de Deus, exortava a suportar a doença pensando nos sofrimentos de Jesus na cruz e nas graças e promessas divinas. Reservava uma atenção especial aos que estavam em situação mais grave e preparava-os para receberem os sacramentos da Igreja. Nestas obras de misericórdia procurava também envolver os seus companheiros e amigos. Também os pobres de Roma mereceram os seus cuidados. Entre eles havia muitos peregrinos, gente de visita aos lugares sagrados que ficavam na penúria. Para os ajudar, Filipe Néri batia às portas das pessoas com disponibilidade de meios pedindo esmolas. Mesmo sendo por vezes mal tratado, não desistia e encarava com o seu característico humor esses casos. Conta-se que, um dia, alguém enfastiado lhe deu uma bofetada. Ele, sorrindo, disse-lhe: “Esta é para mim e agradeço-lhe. Agora dê-me alguma coisa para os meus rapazes” A sua fama tornou-se bem conhecida e quase proverbial na cidade.

Verificando haver muitos peregrinos pobres que deambulavam pela cidade, criou, com a ajuda de alguns amigos, uma obra social a que deu o nome de Confraria da Santíssima Trindade dos Peregrinos. Alugava casas para acolher quem chegava à cidade sem meios para pagar a sua hospedagem. Nos anos santos de 1550 e 1575 chegou a prestar assistência material e espiritual a 500 peregrinos por dia. Os membros da Confraria, além do alimento e alojamento, ofereciam apoio espiritual aos peregrinos e proporcionavam-lhes a visita às basílicas romanas e às catacumbas. Esta mesma Confraria acabou por fundar um hospital para receber os doentes no período de convalescença, assistindo-os até ficarem completamente curados. Também os peregrinos doentes eram ali tratados até se restabelecerem e poderem regressar à sua terra. Para formar as pessoas que se dedicavam generosamente ao cuidado dos carenciados instituiu uma “escola”. Ele dizia. “É preciso desejar fazer coisas grandes para o serviço de Deus e não se contentar com uma bondade medíocre”.

Para formar jovens e adultos, fundou o “Oratório”, um espaço de oração, evangelização, divertimento e cultura, com a finalidade de fazer crescer na vida espiritual. Nestes encontros participavam gente nobre e populares, leigos e eclesiásticos, personalidades de cultura e da arte, entusiasmados pela forma espontânea com que vinham expostas as verdades cristãs. Ali nasceu o drama lírico musical, a “oratória”, construído sobre palavras religiosas com solos, coros e orquestra. Para dar continuidade ao seu apostolado, Filipe Néri fundou em 1575 a Congregação do Oratório, que reunia padres e leigos ligados entre si pelo vínculo da caridade sob uma regra comum. Os ditos e ensinamentos de Filipe Néri estão sempre cheios de humor e profunda sabedoria. Terminada a celebração religiosa, despedia-se dos fiéis dizendo: “Coragem, a vossa hora de oração está acabada, mas não está terminado o tempo de praticar o bem!”

às Gerações Portuguesas do século XX”: “Eu não pertenço a nenhuma das gerações revolucionárias. Eu pertenço a uma geração construtiva. (…) É preciso criar a pátria portuguesa do século XX. O povo completo será aquele que tiver reunido no seu máximo todas as qualidades e todos os defeitos. Corram Portugueses, só vos faltam as qualidades”. Estamos no século XXI e só nos continuam a faltar as qualidades. O drama é que elas existem, dispersas e escondidas, só emergindo quando há um projecto que as faça realçar. O que acontece, normalmente, fora de portas. Portugal precisa de um novo “Ultimatum Futurista”, para que possa ultrapassar este círculo vicioso onde depressão emocional se cruza com a

incapacidade para ultrapassar a degradação económica e financeira e a anemia que tolhe a vontade de demolir o labirinto de interesses e subserviências criadas à sombra do Estado tutelar. O dinheiro que alguns julgam que vai cair do céu vamos pagá-lo caro. Até porque ele não servirá para que o País reforme o seu modelo económico e crie um modelo de crescimento sustentado em que não vivamos iludidos pela democracia de consumo onde temos andado. Os dados são fulminantes: seremos o único país em recessão em 2012 e o desemprego cresce. Os cortes vão ser em todo o lado e não vai haver costura. Mas, paralelamente à crise imediata, a que qualquer primeiro-ministro não conseguirá escapar fora das regras definidas pela UE/FMI/BCE, Portugal

não poderá deixar de dar atenção ao vulcão que está a eclodir na Europa. É por isso que, ao mesmo tempo que deverá esforçar-se por pagar o buraco financeiro que ajudou levianamente a criar, o País tem de reflectir sobre que lugar quer ocupar no mundo após os choques sistémicos que atirarão esta pretensa Europa unida para o caos. A unidade política europeia implodiu. A forma como a Grécia tem sido tratada (a própria ameaça do BCE ao corte de financiamento aos bancos gregos é reveladora disso) e o caminho irreversível de regresso à dracma, mostram o que vai na cabeça bem pensante dos líderes da Alemanha e dos seus satélites. O regresso da GrãBretanha à sua aliança com os EUA, a situação político/militar no Medi-

terrâneo que não preocupa minimamente a Alemanha mas que põe em pânico a administração Obama, a cada vez maior fricção entre franceses e alemães (a França se os seus aliados do sul, da Espanha à Grécia, forem forçados a sair do euro, ficará isolada face ao norte da Europa), que está a esgotar a santa aliança que dava à França a liderança política e à Alemanha a liderança económica, são dados que poderão levar a uma nova tempestade sobre esta UE. O problema é financeiro mas é já, sobretudo, político. Se a Espanha for forçada a sair da zona euro, esta UE desintegrar-se-á. E é para isso que Portugal necessita de estar preparado. De invenção em invenção, a Europa preparase para se reagrupar e Portugal tem de voltar a olhar para o seu mundo atlântico e africano que, desajeitada-

RECORTES

Aura Miguel

Vaticanista e jornalista

Não nos deixemos anestesiar*

U

ma civilização é evoluída na medida em que favorece o valor de cada pessoa. Mas estamos numa época em que, pelo contrário, se favorece uma grande confusão sobre o conteúdo da palavra eu”. Esta preocupação manifestada pelo padre italiano Luigi Giussani, no final do século XX, não pode ser mais actual, porque não diminuiu esta pressão por parte do mundo que nos cerca – através dos media, da escola, da política – que influencia e acaba por bloquear qualquer tentativa de tomada de consciência de si próprio. João Paulo II alertou, aliás, para “o perigo da abolição do homem pelo poder”, que altera o sentido de si mesmo, que atrofia o coração, ao ponto de o anestesiar totalmente. Por isso, em tempo de eleições, é fundamental despertar desta espécie de sonolência que o poder tenta incutir em nós. Não nos deixemos, por isso, reduzir nem formatar por outros. O valor de cada português é único e precioso. * In RR Online (03/06/11)

mente, menosprezou. Destas eleições terá de sair um governo minimamente forte para gerir a degradação social e económica no meio das regras severas do FMI. Mas não poderá esgotar-se nessa missão impossível. Precisa de ter forças para criar um projecto de futuro que projecte Portugal para o resto do século XXI. Temos Tudo. Só falta descobrirmos as nossas qualidades, como diria Almada.


14 OPINIÃO / DESPORTO cabaram as desculpas, indecisões, adiamentos: agora só nos resta aplicar o plano de emergência. Não será fácil, mas por acaso até somos especialistas no tema. Este é já o terceiro acordo que assinamos com o FMI. Será que os outros dois nos ensinam alguma coisa? Existem semelhanças evidentes nos três casos: as dificuldades seguiramse sempre a fortes crises internacionais. Desta vez foi o colapso global após a falência do Lehman Brothers, nas anteriores os choques do petróleo de 1973 e 1979. Mas, além do impacto externo, a verdadeira causa esteve sempre em enormes erros nacionais. Antes do primeiro acordo, assinado a 8 de Maio de 1978, foram os excessos revolucionários que arruinaram empresas com reinvindicações insustentáveis: em 1975 os salários reais cresceram 9,4% enquanto o

produto caiu 5,1%. Mas, temos de o dizer, no meio da euforia e tumulto as tolices eram inevitáveis. Assim os disparates que forçaram o segundo e terceiro acordos são menos aceitáveis. Os dois governos Balsemão, de Janeiro de 1981 a Junho de 1983, ignoraram o choque do petróleo e enveredaram por políticas expansionistas precisamente quando o mundo apertava o cinto. O resultado foi um espantoso défice corrente de 13% do PIB que forçou o acordo de 9 de Setembro de 1983. Passados 25 anos, repetiu-se a proeza, com um acrescento. A balança externa já andava com défices acima dos 9% desde 2005 mas, começada a crise financeira global, o nosso foi o único governo do planeta a ignorar essa situação. Um descarado populismo eleitoral, sem paralelo na história portuguesa, levou a uma subida

assinedivulgue anuncieleia

Ficha de Assinatura Assinaturas normal/benfeitor: 20/40 Euros (Nacional), 30/60 euros (Europa) e 40/60 (Resto do Mundo) Nome: ___________________________________________ ____________________________________________ Rua: _____________________________________________ _______________ N.º _______________ Localidade: ____________________________ C. Postal: _____ - ____________________ Telf.: _______________________________ E-mail:___________________________@_______________

9.Junho.2011

de salários reais de 5,2% no próprio ano em que a economia contraiu 2,7%, loucura só comparável aos excessos de 1975. Assim José Sócrates conseguiu combinar os erros dos dois buracos anteriores. Existem porém diferenças importantes. Nos três casos o primeiro-ministro era socialista, mas os acordos iniciais foram solicitados e assinados por governos maioritários de coligação, o primeiro do PS e CDS, o segundo do PS e PSD. Desta terceira vez foi um governo minoritário, para mais demissionário, que o pediu e assumiu. Mais relevante é a aplicação dos programas, e aí as experiências foram bastante distintas. Muitos dizem hoje que é importante o próximo governo ser de maioria. Essa foi a situação no segundo acordo, em que o bloco central, que assinou o compromisso, aplicouo durante dois anos até Novembro de 1985. Mas o caso anterior foi muito diferente. Os ministros que se comprometeram com o FMI em 1978 caíram menos de três meses após a assinatura. A execução das medidas ficou a cargo de três breves governos de iniciativa presidencial até Janeiro de 1980, seguidos de um ano da primeira maioria AD. Isto mostra que a imposição externa tem uma dinâmica própria, que ultrapassa a fragilidade dos líderes do momento. Será o problema actual semelhante aos anteriores ou toda esta comparação é inválida? Existem diferenças importantes. Primeiro no grau de endividamento. Em ambos os primeiros casos a recuperação era de quatro anos de défices. Desta vez são quinze. A consequência é que a dívida externa bruta total,

RECORTES

João César das Neves

FÁRMÁCIAS DE SERVIÇO Oliveira (9), Sanches (10), Tomáz (11), Maio (12), Avenida (13), Baptista (14), Central (15) e Godinho Tomáz (16).

Registo no ICS N.º 100494 Semanário - Sai à 5ª Feira Tiragem média - 3.000

Trail Louco de Reixida Realiza-se, dia 19 de Junho, a partir das 9h15, a iniciativa “2.º Trail Louco de Reixida”, na freguesia de Cortes, Leiria. A prova divide-se em duas partes, de 7 e 16 quilómetros, destinada a caminheiros e atletas, respectivamente. No final da actividade segue-se o almoço e a entrega de prémios. A organização está a cargo da Associação Cultural Recreativa e Desportiva de Reixida.

Economista

Não há duas sem três* que em 1978 estava em 41% do PIB e em 1983 em 90%, agora anda pelos 238%. Além disso a economia, que apesar dos choques nos anos 1970s e 1980s, tinha alto crescimento potencial, está estagnada há dez anos. Por isso é que o programa de 2011 é muito mais vasto e abrangente, lidando não apenas com pagamentos, mas com a liberalização e reestruturação do tecido produtivo. Dois factos ainda merecem referência. Primeiro, ao contrário de antes, Portugal é hoje um país rico. Há 25 anos o nível de vida era menos metade do actual. Isto não significa que não existam pobres e grave sofrimento na austeridade, mas que a sociedade reage de forma diferente. Também por isso demorámos tanto tempo a actuar e a dívida subiu tanto mais, porque os credores confiavam em nós. Finalmente é importante dizer que os dois programas foram êxitos estrondosos, dos melhores da história do FMI. Cabenos manter a tradição. * In DN (07/06/11)

Enviar esta ficha, recortada ou fotocopiada, para: O Mensageiro - Lg. Padre Carvalho - 2414-011 LEIRIA ou forneça-nos os seus dados através do endereço de correio electrónico jornal@omensageiro.com.pt

JOGOS | Confirme sempre em www.jogossantacasa.pt Euromilhões (26/2011): 4, 39, 40, 49, 50 + 2, 5 Totoloto (35/2011): 29, 30, 42, 44, 48 + 3 Joker (23/2011): 6 9 3 2 5 0 7 Totobola (23/2011): 111 221 XX2 1121 10

Desporto | Leiria

Futsal | Batalha

Torneio concelhio Catorze equipas, em representação de outras tantas associações do concelho, defrontam-se no Pavilhão da A.R Amarense, Batalha, de 13 de Junho a 9 de Julho, para a oitava edição do “Torneio de Futsal Município da Batalha”. A prova, que constitui uma organização do município e da A.R. Amarense, pretende aproximar as colectividades desportivas e culturais pela via do desporto, estando o torneio aberto a naturais e a residentes naquele concelho. A final do torneio terá lugar a 9 de Julho, cabendo à equipa vencedora, conjuntamente com aquele município, a organização da prova em 2012..

Futebol | Encontro antecede final da Taça Distrito

Benjamins no Estádio Municipal

Os “craques” de palmo e meio reuniram-se no Estádio Dr. Magalhães Pessoa, a 29 de Maio, antes do Guiense x Portomosense (1-3, final da Taça Distrito, seniores masculinos).

LMFerraz

A

O Mensageiro

PUB

MOREIRA VICTOR Reparador e afinador desde 1960 PIANOS, HARMÓNIOS E ÓRGÃOS DE TUBOS Praceta Artur Portela, N.º 14, 2F 2400-103 Leiria | Tlm.: 966 749 081

TELEFONES ÚTEIS

Bombeiros Municipais - 244 832 122 | Bomb. Vol. Leiria (Ger.) - 244 882 015 | Bomb. Vol. Leiria (Urg.) - 244 881 120 | Bomb. Volunt. Batalha - 244 765 411 | Bomb. Volunt. P. Mós - 244 491 115 | Bomb. Volunt. Juncal - 244 470 115 | Bomb. Volunt Ourém - 249 540 500 | Bomb. V. M.te Redondo - 244 685 800 | Bomb. Volunt. Ortigosa - 244 613 700 | Bomb. Volunt. Maceira - 244 777 100 | Bomb. Vol. Marinha - 244 575 112 | Bom. Volunt. Vieira - 244 699 080 | Bom. Voltun. Pombal - 236 212 122 | Brigada de Trânsito - 244 832 473 | Câmara M. de Leiria - 244 839 500 | Câmara Eclesiástica - 244 832 539 | CENEL (Avarias) - 800 246 246 | C. Saúde A. Sampaio - 244 817 820 | C. Saúde Gorjão Henriques - 244

816 400 | C. P. (Est. de Leiria) - 244 882 027 | Cruz Vermelha - Leiria - 244 823 725 | Farmácia Avenida - 244 833 168 | Farmácia Baptista - 244 832 320 | Farmácia Central - 244 817 980 | Farmácia Coelho - 244 832 432 | Farmácia Higiene - 244 833 140 | Farmácia Lino - 244 832 465 | Farmácia Oliveira - 244 822 757 | Farmácia Sanches - 244 892 500 | Governo Civil - 244 830 900 | Guarda N. Republicana - 244 824 300 | Hospital de S.to André - 244 817 000 | Hospital S. Francisco - 244 819 300 | Polícia Judiciária - 244 815 202 | Polícia S. Pública - 244 859 859 | Polidiagnóstico - 244 828 455 | Rádio Táxis - 244 815 900 | Rádio Alerta - 244 882 247 | Rodoviária do Tejo - 244 811 507 | Teatro JLS (Cinema) - 244 823 600

Fundador José Ferreira Lacerda Director Rui Ribeiro (TE416) Redacção Luís Miguel Ferraz (CP5023), Joaquim Santos (CP7731), Ana Vala (CP8867). Paginação O Mensageiro Colaboradores Ambrósio Ferreira, Américo Oliveira, André Batista (Pe.), Ângela Duarte, Carlos Alberto Vieira, Carlos Cabecinhas (Pe.), José Casimiro Antunes, Francisco Pereira (Pe.), D. João Alves, João Filipe Matias (CO798), Joaquim J. Ruivo, Jorge Guarda (Pe.), José António C. Santos, Júlia Moniz, Maria de Fátima Sismeiro, Orlando Fernandes, Paulo Adriano Santos, Pedro Jerónimo (CP7104), Pedro Miguel Viva (Pe.), Saúl António Gomes, Sérgio Carvalho, Verónica Ferreirinho, Vítor Mira (Pe.). Administração / Publicidade André Antunes Batista (Pe.). Propriedade/Sede (Editor) Seminário Diocesano de Leiria - Largo Padre Carvalho - 2414-011 LEIRIA - Reitor: Armindo Janeiro (Pe.) Contribuinte 500 845 719 Contactos Tel.: 244 821 100/1 - Fax: 244 821 102 - Email: jornal@omensageiro.com.pt - Web: www.omensageiro.com.pt Impressão e Expedição Empresa do Diário do Minho, Lda - Tel: 253 303 170 - Fax: 253 303 171 Depósito Legal 2906831/09

Tabela de Assinaturas para 2011 Destino Nacional Europa Resto do Mundo

Normal Benfeitor 20 euros 40 euros 30 euros 60 euros 40 euros

Preço avulso - 0,80 euros


DESPORTO 15

O Mensageiro 9.Junho.2011

Basquetebol | Gaeirense a um jogo do título nacional

FOTOJORNALISMOS

David contra Golias na final

Campeões universitários | O Sector Desporto do Instituto Politécnico de Leiria (IPL) homenageou, na sua gala anual, os campeões universitários pela instituição leiriense, bem como outros atletas que também se destacaram a nível desportivo, em 2010/11. Marco Afra (treinador do ano - andebol), Gizelle Vieira (atleta do ano - andebol), João Gonçalo (atleta do ano - futsal) e atletismo (modalidade do ano), foram alguns dos cerca de 40 homenageados. Foto: DR/IPL

PUB

Três Victoria(s) Victoria Kaminskaya (Os Pimpões, Caldas da Rainha) conquistou três medalhas de ouro – 200 e 400 metros estilos e 200 metros bruços – no IV Meeting Internacional de Coimbra, realizado nos dias 28 e 29 de Maio. Entretanto, Ana Neves, sua colega de equipa, também venceu, mas na IV Prova Águas Abertas Barragem dos Minutos, realizada no dia 4 de Junho.

Artes marciais | Leiria

Trio campeão Valter Ribeiro

“Prata” na casa | A selecção da Associação Distrital de Aletismo de Leiria (ADAL) terminou a final do Torneio Olímpico Jovem Nacional no 2.º lugar, atrás da sua congénere de Lisboa. Entre iniciados e juvenis as melhores prestações surgiram dos atletas mais velhos, com as vitórias dos leirienses Artur Koshchuk, Miguel Lavrador e Juliana Pereira, que competiram no Estádio Dr. Magalhães Pessoa. Foto: DR/ADAL

A final do Campeonato Nacional de Basquetebol 1 (CNB1) joga-se a 11 de Junho, 18h00, no Pavilhão de Ílhavo, Aveiro. Frente-afrente os campeões zonais, Gaeirense Basket (sul) e U.D. Oliveirense (norte), ambos já com a subida à Proliga garantida. Resta saber quem será o campeão nacional. Um jogo que conjuga a surpresa chamada Gaeirense, Óbidos, distrito de Leiria, e a experiência Oliveirense, Oliveira de Azeméis, distrito e Aveiro do Porto. Um verdadeiro embate de David contra Golias, tal como adianta o clube de Óbidos, em comunicado. “A U.D. Oliveirense soma vários títulos conquistados ao longo dos anos, nomeadamente a Taça de Portugal (2002/2003), Supertaça (2003/2004) e o Campeonato Nacional da 2ª Divisão [CNB2] (2009/ 2010), tendo participado inclusive em competições Internacionais. Quanto ao Gaeirense Basket, surpresa absoluta do Campeonato Nacional da 1ª Divisão [CNB1], chega a esta final com todo o mérito e vai tentar conquistar o título apesar de todas as dificuldades previstas”, refere.

O mesmo considera Filipe Canha, 30 anos, um leiriense que joga no Gaeirense (na foto, com o dorsal número 24). “A Oliveirense tem uma equipa muito forte e experiente, com vários jogadores que já jogaram em divisões superiores e profissionais. E é uma equipa com história no basquetebol nacional. Não vai ser nada fácil, mas já estamos habituados a conquistas difíceis, continuamos a acreditar no nosso valor, e vamos para a final com o ob-

jectivo de proporcionar um bom espectáculo de basquetebol e no final podermos festejar como campeões nacionais!”, adiantou ao desportoleiria.com. Apesar do desnível teórico entre as duas equipas que se vão defrontar na final do CNB1, convém referir que a formação de Óbidos deixou pelo caminho, entre outras, a equipa do Imortal, uma das favoritas à subida à Proliga. Pedro Jerónimo

F. Costa Pereira Médico Especialista Doenças da boca e dentes

Rua João de Deus, 25- 1º Dt. - LEIRIA liga zon sagres

I LIGA

CONSULTAS COM HORA MARCADA 2ª, 4ª e 5ª: 11h-13h e 15h-19h, 3ª: 10h-13h e 15h-19h, Sábados: 9h30-15h

liga orangina

Dr. Rui Castela Médico Especialista - Doenças dos Olhos Operações - Contactologia

CONSULTAS ÀS TERÇAS E QUINTAS FEIRAS POR MARCAÇÃO Consultório - R. João de Deus, 17-1ºEsq. - Leiria

Telefones: 244 832 288 e 244 870 500

zona centro

II LIGA

Tel. 244 832406 1.º 2.º 3.º 4.º 5.º 6.º 7.º 8.º 9.º 10.º 11.º 12.º 13.º 14.º 15.º 16.º

Equipa Porto Benfica Sporting Sp. Braga V. Guimarães Nacional P. Ferreira Rio Ave Marítimo U. Leiria V. Setúbal Olhanense Beira-Mar Académica Portimonense Naval

J 30 30 30 30 30 30 30 30 30 30 30 30 30 30 30 30

V 27 20 13 13 12 11 10 10 9 9 8 7 7 7 6 5

E 3 3 9 7 7 9 11 8 8 8 10 13 12 9 7 8

D 0 7 8 10 11 11 9 12 13 13 12 10 11 14 17 17

Pts 84 63 48 46 43 42 41 38 35 35 34 34 33 30 25 23

1.º 2.º 3.º 4.º 5.º 6.º 7.º 8.º 9.º 10.º 11.º 12.º 13.º 14.º 15.º 16.º

Equipa Gil Vicente Feirense Trofense Oliveirense Arouca Leixões Moreirense D. Aves Santa Clara Estoril Freamunde Penafiel Belenenses Sp. Covilhã Varzim Fátima

II DIVISÃO J 30 30 30 30 30 30 30 30 30 30 30 30 30 30 30 30

V 15 17 15 12 11 10 10 10 10 9 8 9 8 9 6 5

Campeão Porto

Campeão Gil Vicente

Qualificados para a Liga dos Campeões Porto e Benfica

Sobem à I Liga Gil Vicente e Feirense

Qualificados para a Liga Europa Sporting, Sp. Braga,V.

Guimarães e Nacional Descem à II Liga Portimonense e Naval

Equipa Tocha Marinhense B.C. Branco Ág. Moradal V. Mocidade Gândara

J 10 10 10 10 10 10

V 5 4 4 2 2 2

Pts 55 55 54 45 43 42 40 40 38 38 37 36 35 32 31 23

1.º 2.º 3.º 4.º 5.º 6.º 7.º 8.º 9.º 10.º 11.º 12.º 13.º 14.º 15.º 16.º

Equipa Padroense Boavista Tondela Gondomar Sertanense Tourizense Sp. Espinho Coimbrões Esmoriz Al. Lordelo Anadia Sp. Pombal Pampilhosa U. Serra Cesarense Eléctrico

J 30 30 30 30 30 30 30 30 30 30 30 30 30 30 30 30

V 16 16 16 13 14 13 11 11 9 10 10 10 10 8 7 2

E 8 8 7 11 7 6 10 7 11 9 7 6 6 10 9 7

D 6 6 7 6 9 11 9 12 10 11 13 14 14 12 14 21

E D Pts 4 1 32 3 3 31 4 2 31 5 3 23 3 5 19 3 5 11

Equipa Caldas 1.º Dezembro Sacavenense Sintrense Alcochetense Peniche

J 10 10 10 10 10 10

V 6 4 4 3 2 1

14 medalhas Entretanto, no torneio de encerramento da Associação de Judo de Leiria, realizado no mesmo fim-de-semana, o Lis Tiger Club amealhou mais 14 medalhas. Destaque para as vitórias de Mariana Ramos, Alexandre Sousa, Pedro Ferreira, Luana Domingues, David Flores, Miguel Flores e João Ferreira.

associação de futebol de leiria

HONRA

Campeão de zona (juntamente com os resntantes vencedores de zona, norte e sul, vai disputar o título de campeão da II Divisão e um de dois lugares de subida à II Liga) Padroense

Descem à II Divisão “B” Varzim e Fátima

1.º 2.º 3.º 4.º 5.º 6.º

Gonçalo Pereira (-74 Kg) e João Pedro Severino (-89 Kg) sagraram-se campeões nacionais de kickboxing, na categoria de “semi-contacto”, tal como Beatriz Campos (+50 Kg), em “light kick”, no campeonato que decorreu em Miranda do Corvo, nos dias 28 e 29 de Maio. O Lis Tiger Clube, Leiria esteve representado por mais nove atletas, que no total conquistaram 11 medalhas, nas categorias de “semi-contacto”, “light kick” e “K1”.

Pts 56 56 55 50 49 45 43 40 38 37 37 36 36 34 30 13

Descem à III Divisão Sp. Pombal, Pampilhosa, U. Serra,

III DIVISÃO

Descem aos distritais Águias Moradal,Vigor da

Mocidade e Gândara

D 5 9 6 9 9 8 10 10 12 10 9 12 11 16 11 17

série e

III DIVISÃO 1.º 2.º 3.º 4.º 5.º 6.º

E 10 4 9 9 10 12 10 10 8 11 13 9 11 5 13 8

Cesarense e Eléctrico

série d

Natação | Caldas

E D Pts 3 1 41 6 0 41 2 4 33 1 6 30 4 4 29 4 5 23

Sobem à II Divisão “B” Caldas e 1.º Dezembro

1.º 2.º 3.º 4.º 5.º 6.º

Equipa Bombarralense Oeiras Crato Malveira Odivelas Tojal

J 10 10 10 10 10 10

V 5 4 3 4 3 1

E D Pts 4 1 34 3 3 29 4 3 28 2 4 22 3 4 20 4 5 18

Descem aos distritais Atlético da Malveira, Odivelas e

Alético Tojal

1.º 2.º 3.º 4.º 5.º 6.º 7.º 8.º 9.º 10.º 11.º 12.º 13.º 14.º 15.º 16.º

Equipa Alcobaça Beneditense Portomosense Pataiense GRAP/Pousos Nazarenos Guiense Alvaiázere Alq. Serra Marrazes Pedroguense Biblioteca Fig.Vinhos Ansião Marinha Gaeirense

J 30 30 30 30 30 30 30 30 30 30 30 30 30 30 30 30

V 22 18 15 14 14 12 12 13 9 10 8 8 8 6 5 2

E 5 6 5 8 7 12 12 8 11 7 11 9 8 7 9 3

D 3 6 10 8 10 6 6 9 10 13 11 13 14 17 16 25

Campeão Alcobaça

Pts 71 60 50 50 49 48 48 47 37 37 35 33 32 25 24 9

Descem à I Divisão da AFL Ansião, Marinha e Gaeirense Sobem à Honra da AFL Atouguiense,Vieirense e

Avelarense


ÚLTIMA 9JUNHO2011

Em política, tal como na moral, é um grande mal não fazer bem, e todo o cidadão inútil deve ser considerado um homem pernicioso. Jean Jacques Rousseau, filósofo e escritor francês [1712-1778]

PSD cantou vitória. CDS acompanhou o ritmo. Esquerda perdeu maioria.

O País mudou de cor e de música… O PSD escolheu a palavra “mudar” para lema da sua campanha eleitoral e o País fez-lhe a vontade. Com 38,63%, 2.145.452 votos e 105 deputados eleitos (podendo ainda somar mais, quando forem apurados os quatro que faltam dos círculos da emigração), foi o grande vencedor destas eleições legislativas, descolando largamente dos resultados obtidos em 2009 (29,09%, 1.646.071 votos e 78 deputados). Vitória à direita O mapa cor-de-rosa com que Portugal se identificara em 2009 desapareceu e é agora em tons de laranja que a maioria do território se pinta, com a excepção dos distritos alentejanos de Setúbal, Évora e Beja. Bem se pode dizer, também, que agora a música é outra, com

o fim de um ciclo político de seis anos de governo PS com José Sócrates na regência, e uma decisiva viragem à direita. Pedro Passos Coelho será o novo primeiro-ministro da Nação, tendo já afirmado no discurso de vitória que quer “pôr Portugal a crescer”. Com muitas referências patrióticas e de confiança no futuro, num momento em que tanto se fala de perda de autonomia financeira e mesmo política com o pedido de ajuda externa e a vinda da “Troika”, a encenação do discurso terminou com a música do hino nacional, com Passos Coelho como solista. Sozinho no palanque, referindo diversas vezes que “os próximos tempos serão difíceis”, com medidas de austeridade necessárias para livrar o País da ban-

carrota, o social-democrata lembrou que não prometeu algo diferente na campanha e que “essa é a única forma verdadeira e duradoura de defender o nosso Estado social, de poder realizar a justiça social para quem dela precisa e para poder garantir uma melhor distribuição do rendimento e da riqueza no nosso país”. Pedindo “coragem e paciência” a todos os portugueses, prometeu da sua parte “transparência total e trabalho absoluto”. Absoluta não foi, ainda assim, a maioria conseguida pelo PSD, pelo que Passos Coelho terá de negociar um Governo estável com o CDS-PP, o terceiro partido mais votado, mas que foi o segundo vencedor, com 11,74%, 652.194 votos e 24 deputados (em 2009, registou 10,46%, 591.938 votos

e 21 deputados). Mesmo sem música, o ritmo foi o mesmo, com Paulo Portas a manifestar de imediato a sua disponibilidade para garantir um governo de maioria. Apesar ter ficado “aquém das melhores expectativas e daquilo que o trabalho do CDS merecia” (tinha apontado a meta dos 14%), Portas celebrou esta vitória com entusiasmo, rodeado no estrado do protagonismo por dezenas de outros rostos da sua equipa, lembrando que o partido cresceu para “o melhor resultado dos últimos 28 anos” e igualou o número de deputados de CDU e BE juntos, numa conjuntura de crescimento do PSD, o que “é difícil de conseguir”. A ala direita do parlamento fica, assim, em vantagem na próxima le-

gislatura, cumprindo-se 30 anos depois o sonho de Sá Carneiro para a AD: “uma maioria, um governo e um presidente”.

nada tem a ver com a política”. Em consequência deste resultado, o ex-primeiro-ministro anunciou: “deixarei a primeira linha da actividade política e não pretendo ocupar qualquer cargo político”. Com esta decisão de “regressar à honrosa condição de militante de base”, pretende não condicionar o “processo de nova liderança para o PS” que pediu já ao presidente do partido. Por fim, Sócrates disse desejar “sinceramente” a Passos Coelho “o que desejaria para mim próprio ou para qualquer outro que os portugueses escolhessem: que encontre no fundo de si mesmo a sabedoria, a prudência e o sentido de justiça para liderar este país”. Apesar desta perda de terreno pela esquerda, a CDU aguentou o embate e, embora com menos votos, conseguiu eleger mais um deputado. Teve agora 7,94%, 440.850 votos e 16 deputados, quando em 2009 havia registado 7,88%, 446.172 votos e 15 deputados. No caso do BE, a história foi bem diferente, com um rude golpe nas expectativas dos bloquistas, perdendo metade dos votos e dos parlamentares que tinha conquistado nas últimas eleições. Dos 9,85%, 557.091 votos e 16 deputados de 2009, ficaram-se em 2011 pelos 5,19%, 288.076 votos e oito deputados. Mais nenhum partido conseguiu representação parlamentar. Quem voltou a ganhar pontos foi a abstenção. Pontos negativos para a democracia que somos. Luís Miguel Ferraz

Derrota à esquerda Também sozinho no palco do directo televisivo, José Sócrates assumiu a responsabilidade pela grande derrota do PS, que teve 28,05%, 1.557.864 votos e 73 deputados (em 2009, teve 36,56%, 2.068.560 votos e 96 deputados). Reconhecendo que “todas as lideranças políticas cometem erros e eu cometi alguns”, Sócrates disse não “recear o julgamento da História”, mas fugiu à questão dos possíveis processos judiciais que poderão agora avançar sobre si, afirmando “não compreender a pergunta” feita por uma jornalista, porque “a justiça

Votação Nacional por Distritos (resultados dos cinco partidos com assento parlamentar) Distritos e Regiões Autónomas

N.º de Inscritos

Aveiro Beja Braga Bragança Castelo Branco Coimbra Évora Faro Guarda Leiria Lisboa Portalegre Porto Santarém Setúbal Viana do Castelo Vila Real Viseu a) Madeira Açores Total Nacional

651.367 135.739 775.167 153.945 191.043 395.231 145.929 360.564 172.396 425.014 1.880.814 106.444 1.570.611 402.597 712.133 257.155 235.558 379.142 255.928 222.247 9.429.024

N.º de Votantes N.º 384.346 74.882 484.506 75.628 110.118 226.833 86.102 201.179 92.869 248.642 1.169.598 61.598 993.006 237.332 421.387 134.902 119.549 202.754 139.003 90.347 5.554.581

%

Brancos N.º

%

Nulos N.º

59,01 11.046 2,87 4.757 55,17 1.697 2,27 1.017 62,50 12.783 2,64 5.253 49,13 1.428 1,89 1.107 57,64 2.948 2,68 1.934 57,39 8.160 3,60 3.101 59,00 1.839 2,14 1.050 55,80 6.029 3,00 2.953 53,87 2.242 2,41 1.749 58,50 8.585 3,45 3.911 62,19 31.132 2,66 15.830 57,87 1.536 2,49 817 63,22 24.723 2,49 12.289 58,95 7.056 2,97 3.506 59,17 10.742 2,55 5.818 52,46 4.004 2,97 1.740 50,75 2.043 1,71 1.471 53,48 5.178 2,55 3.025 54,31 1.655 1,19 3.041 40,65 3.250 3,60 912 58,91 148.076 2,67 75.281

N.º Man% datos

1,24 1,36 1,08 1,46 1,76 1,37 1,22 1,47 1,88 1,57 1,35 1,33 1,24 1,48 1,38 1,29 1,23 1,49 2,19 1,01 1,36

PPD/PSD N.º

%

16 170.857 3 17.711 19 194.217 3 39.321 4 41.799 9 91.123 3 23.652 9 74.491 4 43.016 10 116.872 47 398.789 2 19.992 39 388.650 10 89.526 17 105.965 6 58.806 5 61.462 9 98.098 6 68.649 5 42.784 230 2.145.780

44,45 23,65 40,09 51,99 37,96 40,17 27,47 37,03 46,32 47,00 34,10 32,46 39,14 37,72 25,15 43,59 51,41 48,38 49,39 47,36 38,63

PS ManN.º datos 8 99.646 1 22.308 9 159.158 2 19.736 2 38.316 5 66.197 1 25.032 4 46.174 3 26.294 6 51.503 18 321.952 1 19.978 17 318.100 5 61.343 5 114.358 3 35.319 3 34.814 5 54.107 4 20.401 3 23.195 105 1.557.931

CDS-PP %

25,93 29,79 32,85 26,10 34,80 29,18 29,07 22,95 28,31 20,71 27,53 32,43 32,03 25,85 27,14 26,18 29,12 26,69 14,68 25,67 28,05

Mandatos 5 1 7 1 2 3 1 2 1 3 14 1 14 3 5 2 2 3 1 2 73

N.º

%

49.523 5.462 50.355 8.380 10.535 22.389 7.513 25.561 10.436 31.819 161.227 6.247 99.338 29.196 50.660 18.129 10.373 25.090 19.101 10.944 652.278

12,89 7,29 10,39 11,08 9,57 9,87 8,73 12,71 11,24 12,80 13,78 10,14 10,00 12,30 12,02 13,44 8,68 12,37 13,74 12,11 11,74

PCP-PEV Man- N.º datos 2 15.704 0 19.011 2 23.708 0 1.962 0 5.386 1 14.112 0 18.990 1 17.233 0 3.232 1 12.349 7 111.729 0 7.890 4 61.819 1 21.416 2 82.816 1 6.645 0 3.662 1 5.816 1 5.096 0 2.287 24 440.863

% 4,09 25,39 4,89 2,59 4,89 6,22 22,06 8,57 3,48 4,97 9,55 12,81 6,23 9,02 19,65 4,93 3,06 2,87 3,67 2,53 7,94

B.E. Mandatos 0 1 1 0 0 0 1 1 0 0 5 0 2 1 4 0 0 0 0 0 16

N.º

%

19.338 3.890 20.435 1.738 4.614 13.033 4.230 16.414 3.102 13.351 66.833 2.743 50.985 13.747 29.620 5.925 2.801 5.786 5.567 3.966 288.118

5,03 5,19 4,22 2,30 4,19 5,75 4,91 8,16 3,34 5,37 5,71 4,45 5,13 5,79 7,03 4,39 2,34 2,85 4,00 4,39 5,19

Mandatos 1 0 0 0 0 0 0 1 0 0 3 0 2 0 1 0 0 0 0 0 8

a) Votação não realizada em duas freguesias: Cabril e Lajeosa. /•/ Dados: DGAI (07-06-2011)

Votação no Distrito de Leiria por Concelhos N.º N.º Ins- N.º Votantes Brancos Freguesias critos N.º % N.º % Alcobaça 18 49.288 30.945 62,78 1.070 3,46 Alvaiázere 7 7.255 4.320 59,55 88 2,04 Ansião 8 12.511 7.572 60,52 216 2,85 Batalha 4 13.902 8.904 64,05 259 2,91 Bombarral 5 12.272 6.905 56,27 212 3,07 Caldas da Rainha 16 44.414 25.935 58,39 904 3,49 Castanheira de Pêra 2 3.116 1.789 57,41 41 2,29 Figueiró dos Vinhos 5 6.420 4.004 62,37 94 2,35 Leiria 29 112.101 70.275 62,69 2.672 3,80 Marinha Grande 3 32.849 18.958 57,71 665 3,51 Nazaré 3 14.342 6.943 48,41 197 2,84 Óbidos 9 10.531 5.973 56,72 221 3,70 Pedrógão Grande 3 3.743 2.134 57,01 52 2,44 Peniche 6 25.270 13.231 52,36 415 3,14 55.451 27.550 49,68 1.037 3,76 17 Pombal 21.549 13.204 61,27 442 3,35 13 Porto de Mós Concelhos

Nulos N.º 603 51 140 163 120 342 27 67 1.063 290 91 99 47 161 451 196

% 1,95 1,18 1,85 1,83 1,74 1,32 1,51 1,67 1,51 1,53 1,31 1,66 2,20 1,22 1,64 1,48

PPD/PSD N.º 14.699 2.738 4.471 4.826 2.794 11.803 679 2.222 34.476 4.922 2.644 2.528 1.308 5.037 15.300 6.425

% 47,50 63,38 59,05 54,20 40,46 45,51 37,95 55,49 49,06 25,96 38,08 42,32 61,29 38,07 55,54 48,66

PS N.º 6.694 537 1.506 1.366 1.500 5.367 723 884 13.038 5.102 1.967 1.524 424 3.287 4.967 2.617

% 21,63 12,43 19,89 15,34 21,72 20,69 40,41 22,08 18,55 26,91 28,33 25,51 19,87 24,84 18,03 19,82

CDS-PP N.º 3.709 678 706 1.318 1.150 3.670 153 385 10.163 1.758 654 708 182 1.450 3.270 1.865

% 11,99 15,69 9,32 14,80 16,65 14,15 8,55 9,62 14,46 9,27 9,42 11,85 8,53 10,96 11,87 14,12

B.E. N.º 1.466 73 172 443 318 1.539 52 137 3.867 1.853 539 301 45 799 1.046 701

% 4,74 1,69 2,27 4,98 4,61 5,93 2,91 3,42 5,50 9,77 7,76 5,04 2,11 6,04 3,80 5,31

PCP-PEV N.º 1.430 50 140 176 542 1.178 50 83 2.107 3.279 572 314 28 1.397 551 452

% 4,62 1,16 1,85 1,98 7,85 4,54 2,79 2,07 3,00 17,30 8,24 5,26 1,31 10,56 2,00 3,42

PAN N.º 342 27 56 110 91 400 15 27 860 309 86 92 12 187 274 121

% 1,11 0,63 0,74 1,24 1,32 1,54 0,84 0,67 1,22 1,63 1,24 1,54 0,56 1,41 0,99 0,92

PCTP /MRPP N.º % 307 0,99 31 0,72 58 0,77 74 0,83 90 1,30 230 0,89 14 0,78 33 0,82 599 0,85 366 1,93 94 1,35 68 1,14 9 0,42 213 1,61 202 0,73 115 0,87

MEP N.º 148 12 21 34 21 114 5 7 392 73 19 31 2 78 74 53

% 0,48 0,28 0,28 0,38 0,30 0,44 0,28 0,17 0,56 0,39 0,27 0,52 0,09 0,59 0,27 0,40

MPT N.º 141 12 17 32 17 122 10 15 297 77 30 25 6 52 81 44

% 0,46 0,28 0,22 0,36 0,25 0,47 0,56 0,37 0,42 0,41 0,43 0,42 0,28 0,39 0,29 0,33

PTP N.º 74 7 28 25 13 59 4 16 170 59 11 16 3 28 66 56

% 0,24 0,16 0,37 0,28 0,19 0,23 0,22 0,40 0,24 0,31 0,16 0,27 0,14 0,21 0,24 0,42

PNR N.º 85 5 7 32 14 73 4 7 156 49 10 9 5 43 66 33

% 0,27 0,12 0,09 0,36 0,20 0,28 0,22 0,17 0,22 0,26 0,14 0,15 0,23 0,32 0,24 0,25

PPV N.º 74 1 14 14 9 54 5 9 174 47 7 14 5 30 66 27

% 0,24 0,02 0,18 0,16 0,13 0,21 0,28 0,22 0,25 0,25 0,10 0,23 0,23 0,23 0,24 0,20

PPM N.º 58 7 9 17 9 43 3 6 139 34 10 8 3 24 51 29

% 0,19 0,16 0,12 0,19 0,13 0,17 0,17 0,15 0,20 0,18 0,14 0,13 0,14 0,18 0,19 0,22

POUS N.º 45 3 11 15 5 37 4 12 102 75 12 15 3 30 48 28

% 0,15 0,07 0,15 0,17 0,07 0,14 0,22 0,30 0,15 0,40 0,17 0,25 0,14 0,23 0,17 0,21


4863#OMENSAGEIRO#6JUN