Issuu on Google+

P. 3 | No arranque da festa do CRG no dia 13 de Julho

inauguração marcada

MCR

Pavilhão desportivo com

Preço 0,80 € (IVA inc.)

Caixa da Batalha

Morada Estrada do Baçairo, 856 2440-234 GOLPILHEIRA Tel. 965 022 333 910 280 820 Correio electrónico geral@jornaldagolpilheira.pt

O Banco da (nossa) terra.

Sítios na internet jgolpilheira.blogspot.pt facebook.com/jgolpilheira twitter.com/jgolpilheira

www.jornaldagolpilheira.pt

PUB

CA Seguros | CA Consult | CA Gest

Director: Luís Miguel Ferraz | Mensal | Ano XVII | Edição 192 | Junho de 2013

P. 6 | Encerramento do ano

P. 4 e 5 | Reportagem

Feira de ATL juntou centenas de crianças

cada vez mais FIABA Rui Gouveia

R. Inf. D. Fernando, 2 • 2440-901 BATALHA Tel. 244 769 270 • Fax 244 769 279

P. 7 | Festa do 49.º aniversário

Escuteiros preparam bodas de ouro P. 11 | Veteranos organizaram

Torneio da Amizade P. 15 | Leiria-Fátima

Uma diocese em verdadeira festa

Cumpriu-se mais um certame de artesanato e gastronomia da Batalha. O clima ajudou ao sucesso e o programa tem crescido. Este ano a novidade foi o I Concurso Hípico.

Última | Festa em Julho

CRG faz 44 anos

PetroFM

PUB

---------------------

Das 07h30 às 21h00 Domingos até às 15h30

---------------------

Combustíveis --------------------Lubrificantes --------------------Produtos Auto Desco t/litro s ---------------------e n õ ceas promoç 0 Gás (BP/REPSOL/GALP) 1 a 5 Consultemanais!!! --------------------Lavagem/Aspiração se ---------------------e RAÇÕES Rua Forno da Telha, 1385 • Quinta do Retiro • Barreira • 2410-251 LEIRIA ntos!

Tlf. 244834445 • Tlm. 919701359 • Fax 244892250 • petro.fm@hotmail.com

para animais


2

Jornal da Golpilheira

. abertura .

Junho de 2013

Luís Miguel Ferraz Director

A prenda O Centro Recreativo da Golpilheira comemora este ano o seu 44.º aniversário. Nos próximos dias 13, 14 e 14 vai estar em festa e a prenda já foi anunciada: a inauguração do novo pavilhão desportivo municipal, paredes-meias com a sede da colectividade. É uma nova e bem equipada infra-estrutura que vem servir o desporto no concelho da Batalha, onde se incluem numerosos atletas afectos ao CRG. Apesar de o pavilhão não ser nosso, é óbvia a mais-valia que traz à freguesia, por nela se situar. É também óbvia a responsabilidade especial que temos em zelar por ele e em garantir que tenha uso, pois só assim se justificará o avultado investimento. Estão de parabéns os que sonharam este dia, os que por ele lutaram e os que deram o contributo da sua dedicação e do seu trabalho para que se tornasse realidade. Este será um motivo acrescido para que os golpilheirenses venham participar na festa da sua associação. Esta sim é nossa e precisa do carinho de todos para continuar viva e activa.

O retábulo da Paixão do Senhor da ermida de Santo Antão Vizinha da Golpilheira está a Faniqueira e paredes-meias com esta Santo Antão, que é uma sua extensão, bordejando a antiga estrada nacional n.º 1. Naquele mesmo ano de 1758, a que me referi no mês passado, tinha a Faniqueira trinta e uma casas habitadas e noventa pessoas e o Casal da Faniqueira onze casas e quarenta e nove pessoas. O nome da Faniqueira, ou seja, o seu topónimo – à semelhança de tantos outros da paróquia da Batalha como Ledos, Adrões, Relvas, Mil Homens, Quinta, Brancas, Palmeiros – foram buscálo ao apelido ou alcunha do seu primeiro morador. A família Faniqueira já existia por cá, nomeadamente na Vila Facaia, nos primeiros anos do século XV. Profissionalmente, “faniqueiro” era quem andava ao fanico, alugando os seus serviços para transportar em carros de bois ou em muares as mais diversas cargas. Curiosamente, os pescadores do rio Douro chamavam faniqueira a uma linha de pesca. Da ermida de Santo Antão, guardiã do precioso retábulo da Paixão do Senhor, que tem sabido cuidar extremosamente, não há a certeza de quando foi fundada, parecendo que aquela de “Sancti An-

tonij de Oliueto”, conforme o historiador professor doutor Saul António Gomes, que vem designada no documento datado de 1211 (era cristã) que contém a composição e o compromisso entre os Cónegos Regrantes de Santa Cruz de Coimbra e os seus clérigos Raçoeiros de Leiria, não seria a de Santo Antão, mas a de Santo António dos Olivais, de Leiria. Neste mesmo documento vem nomeada a de “Sancti Leonardi de Ciuitate”, que agora tem a invocação de S. Bento da Cividade. O “Couseiro” pouco adianta quanto à data da fundação da ermida de Santo Antão, apenas dizendo que é antiquíssima: “Juncto do logar da Faniqueira, ao longo da estrada, está uma ermida da invocação de Santo Antão, é antiquíssima, devotos a fabricam, e a confraria que tem, posto que sem renda; o Santo é de vulto, tem um retábulo, antigo, com figuras, tudo dourado”. À luz de novos documentos e investigações, põe-se hoje em causa a datação e a proveniência do retábulo que, conforme o professor doutor Pedro Dias (de Coimbra), teria resultado duma encomenda da notável Infanta D. Isabel, filha de el-Rei D. João I e de D. Filipa de

LMF

.editorial.

Lencastre, que viria a ser Duquesa de Borgonha pelo seu casamento com Filipe o Bom, e mãe de Carlos o Temerário. Tendo esta Infanta, nascida em 1397 e falecida em 1471 (em Dijon, em cuja catedral está sepultada), feito a oferta do retábulo já depois do seu casamento com o Duque de Borgonha, casamento que se teria realizado em 1429 ou 1430, datará aquela valiosa peça de escultura de madeira, que tudo indica ser da escola flamenga, dos anos 30 do século XV, não sendo portanto trecentista, nem tendo pertencido ao espólio do rei invasor, João I de Castela, vencido na batalha real de Aljubarrota. A Infanta D. Isabel, a

que Portugal ficou a dever uma defesa inteligente e intransigente nos meios internacionais e a família de Avis o apaziguamento depois da funesta batalha de Alfarrobeira, teria ofertado o retábulo ao Mosteiro de Santa Maria da Vitória, se se confirmar a nova hipótese, panteão da sua família origem. Desta mesma Infanta havia no Mosteiro um quadro que a retratava em oração aos pés da Santíssima Virgem, acompanhada pelos seus marido e filho, obra atribuída ao holandês Rogier van der Weyden. O quadro desapareceu, segundo se crê, por altura da 3.ª Invasão Francesa, mas em 1808 Domingos de Sequeira ainda fez o seu esboço agora reproduzido

num álbum editado pelo Museu Nacional de Arte Antiga. O retábulo de Santo Antão, capturado aos castelhanos ou mandado executar pela Infanta D. Isabel, trecentista ou quatocentista, é sempre uma obra do maior valor histórico e religioso, de grande interesse documental e extremamente representativo da arte de um daqueles séculos. Preciosidade que pertence ao melhor do tesouro patrimonial e artístico português, tem sabido o povo de Santo Antão e da Faniqueira zelá-lo com carinho e, com certeza, com justificado orgulho. Compete-nos a todos nós acompanhá-lo na louvável missão que se impôs. José Travaços Santos

Centro Recreativo da Golpilheira

Assembleia Geral Ordinária Convocatória No dia 5 de Julho de 2013, pelas 20h30, reúne-se a Assembleia Geral Ordinária, pelo que convoco todos os sócios para a reunião com a seguinte ordem de trabalhos: 1. Relatório da Direcção, Contas do Exercício de 2012 e Parecer do Conselho Fiscal. 2. Eleição dos novos Corpos Gerentes para o próximo biénio. 3. Outros assuntos de interesse para a colectividade. Nos termos dos estatutos, não comparecendo a maioria dos associados à hora marcada, será a reunião efectuada às 21h30 do mesmo dia, com qualquer número de sócios, não podendo os restantes discordar daquilo que foi deliberado. Dada a importância da reunião, agradecemos a comparência de V/ Ex.as. Com os nossos cumprimentos, O Presidente da Mesa da Assembleia, Pedro José Meneses Monteiro


Jornal da Golpilheira

. destaque . . actualidade

MCR

Junho de 2013

3

No arranque da festa do CRG, no dia 13 de Julho

Pavilhão desportivo com inauguração marcada O novo pavilhão desportivo municipal da Batalha, construído na freguesia da Golpilheira, irá ser oficialmente inaugurado no próximo dia 13 de Julho, data em que se iniciam as festas do 44.º aniversário do Centro Recreativo. Segundo fonte da autarquia, a cerimónia inaugural será pelas 15h30, com a presença do presidente do Município, António Lucas, seguindo-se uma demonstração de modalidades que poderão disputar-se neste recinto. Estão já confirmadas as presenças da Associação Tigre Shotokan Karatedo Batalha, que fará uma demonstração de karaté, do BAC – Batalha Andebol Club, que realizará algumas partidas de andebol masculino e feminino, das turmas de hip-hop do CRG, que animarão a festa com a sua dança e, como não podia deixar de ser,

das equipas de futsal feminino da Golpilheira, que estão no topo da modalidade a nível distrital, em especial a equipa sénior que irá disputar o primeiro campeonato nacional desta categoria. Uma história longa… A construção de uma infraestrutura desportiva coberta na Golpilheira era uma reclamação antiga da população, em especial, do Centro Recreativo, cujas equipas de futsal andaram sempre “de casa às costas”, para além de outras modalidades não conquistarem muitos adeptos entre os mais novos da freguesia. Depois de décadas de “sonho” e de algumas tentativas frustradas de concretização, até com projectos elaborados e fundos “prometidos”, a colectividade chegou a lançar mãos à obra e avançar com

a construção de um ringue descoberto, que acabou por nunca ser finalizado, nem utilizado. Entretanto, constava no programa eleitoral de há uma dúzia de anos atrás a construção pela Câmara Municipal de umas piscinas descobertas em cada freguesia. Nos últimos dois mandatos, uma das sugestões que foram sendo apresentadas ao executivo, entretanto reiterada em várias sessões do orçamento participativo anual do município, era a “troca” das piscinas pelo pavilhão. O presidente da autarquia, António Lucas, reconhecia a razoabilidade da proposta e, como o concelho da Batalha estava a precisar urgentemente de aumentar a sua oferta de recintos cobertos, face à procura das equipas existentes em várias modalidades, ponderou-se a localização de uma nova estrutura

municipal descentralizada em relação à vila. Via-se, assim, a “luz ao fundo do túnel”. A ideia vingou, mas foram precisos ainda alguns anos para resolver questões burocráticas, relacionadas com o terreno onde o pavilhão viria a implantarse, inscrito – sem lógica alguma – em zona de reserva ecológica do leito de cheio do rio Lena. Finalmente, em Maio de 2011, era colocada a placa de adjudicação da obra à empresa Abílio Guerra Rodrigues, pelo valor de cerca de 1,2 milhões de euros. A construção avançou em Agosto desse ano e foi agora dada por concluída. É uma bela obra de arquitectura e engenharia, esperando-se que o venha a ser também em funcionalidade e adequação à sua finalidade, o que só o uso virá comprovar. No exterior, ostenta

em grande formato o logótipo do Município e as palavras “Pavilhão Desportivo”, não tendo sido ainda divulgada a designação oficial que o distinga do actual pavilhão desportivo da Batalha. Resta referir que, paralelamente, estão a ser concluídos os arranjos exteriores nos arruamentos anexos, com melhoria do piso existente, redefinição de traçados da via e dos passeios e construção de espaços de estacionamento. A obra vem, assim, contribuir para o embelezamento daquela zona nobre da freguesia, onde se situa a colectividade, o Restaurante Etnográfico, o jardim-de-infância e o edifício da ex-extensão de saúde da Golpilheira, infelizmente ainda desocupado e que esperamos venha a ter algum tipo de utilidade pública em breve. Luís Miguel Ferraz pub

CONSTRUÇÕES


4

>> Foto-reportagem em www.jgolpilheira.blogspot.pt

. reportagem .

Jornal da Golpilheira Junho de 2013

Artesanato, gastronomia e animação…

Normalmente, a nossa colectividade está representada na FIABA, tanto na animação musical e de diversas actividades, como numa das tasquinhas gastronómicas. Este ano, a sua organização foi da responsabilidade da Equipa de Veteranos, em colaboração com a direcção da Associação. Foram quatro dias de muito trabalho, principalmente, o sábado e o domingo, mas tudo correu dentro da normalidade, quebrada aqui e ali por algum stresse, mas que em nada afectou o desempenho dos intervenientes. Todos contribuíram, assim, para que a nossa tasquinha, mais uma vez, fosse um êxito. Parabéns a todos os colaboradores, assim como àqueles que frequentaram o nosso espaço. Manuel Carreira Rito

MCR

Tasquinha do CRG

Sempre cheia

e recreativas do Concelho, onde centenas de voluntários deram o seu melhor para servir os bons pratos tradicionais estremenhos, tais como as morcelas de arroz, o bacalhau, os grelhados, entre muitos outros paladares característicos. Lá estava também o Centro Recreativo da Golpilheira, sem mãos a medir para a numerosa clientela. Também os mais novos tiveram uma atenção especial, com uma zona a eles dedicada, com insufláveis e espaços de leitura e de jogo dinamizados pela Biblioteca Municipal. No topo do bolo, a cereja foi a animação que ajudou a criar um verdadeiro ambiente de festa. Para além dos saraus das escolas, passaram pelo palco ou pelo recinto o hip-hop da Academia Vanda Costa, os ranchos folclóricos Rosas do Lena, O Penedo e Lavadeiras do Vale do Lena (Golpilheira), os grupos de música tradicional Sons do Lena, O Penedo e Os Canários – Gaiteiros de Pombal, a Fanfarra dos Bombeiros Voluntários da Batalha, e ainda alguns convidados para todos os gostos: Rock & Blues, Kaja Bucalho, FH5 e Toques do Caramulo. Luís Miguel Ferraz

MCR

zer do 2.º passeio “FIABA BTT – Pelos Trilhos do Centro” e do I Concurso Hípico da Batalha, duas iniciativas que contribuíram para a maior participação do público e para a inovação no cartaz (ver caixas). Mas o centro da acção é, como sempre, o artesanato e a gastronomia. Mais uma vez, cerca de 50 artesãos, oriundos de Norte a Sul do País, mostraram o que de melhor se produz neste âmbito, alguns deles trabalhando ao vivo e explicando as técnicas utilizadas e os processos de execução dos seus produtos. Tecelagem, latoaria, trapologia, marroquinaria, sapataria e olaria foram apenas algumas das vertentes em destaque. Também os doces, licores, queijos e enchidos ajudaram, a alargar a oferta de produtos tradicionais à disposição dos visitantes. Ainda na área de exposição, é de sublinhar a presença de mais de uma dezena de instituições concelhias, desde as autarquias locais e entidades multi-municipais às associações juvenis, empresarias, profissionais e de acção social, escolas, bombeiros, IPSS, entidades de saúde, etc. No que toca à gastronomia, o protagonismo foi para as associações culturais, desportivas

Momento da inauguração

MCR

A XXII edição da FIABA – Feira de Artesanato e Gastronomia da Batalha voltou a assentar arraiais no largo Cónego Simões Inácio, no centro da vila, entre os dias 20 a 23 de Junho. Foi mais uma iniciativa de sucesso, a vários níveis, com algumas novidades e a habitual afluência de multidões, este ano com a ajuda das excelentes condições climatéricas que se fizeram sentir neste fim-de-semana. Podemos dizer que, apesar da crise que assola a sociedade, esta FIABA comprovou o seu crescimento como um dos certames de referência regional da gastronomia e do artesanato, muito por via do envolvimento das pessoas e instituições do concelho. Foi o caso dos grupos artísticos e das escolas, que animaram os serões do certame. O destaque vai para o espectáculo, respectivamente, nas noites de sexta-feira e de sábado, do Agrupamento de Escolas da Batalha e do Colégio de S. Mamede. Para além de serem interessantes mostras do trabalho e do talento dos alunos e professores do Concelho, são um modo de trazer os pais, familiares e amigos até ao recinto da feira, contribuindo para a sua dinamização. O mesmo se poderá di-

Actuação do rancho da Golpilheira

LMF

Cada vez mais FIABA

Animação até ao último minuto


Jornal da Golpilheira

. entrevista . . reportagem

Junho de 2013

5

I Concurso Hípico da Batalha Uma inovação nesta FIABA foi a realização do I Concurso Hípico da Batalha, no dia 22 de Junho, no campo de futebol António Gomes Vieira, anexo ao recinto da feira. Organizado pelo Centro Hípico da Quinta do Lago, situado no Vale do Horto, este foi também um evento marcado pelo sucesso e que “superou as expectativas em número de participantes e de público”, referiu Jorge Macedo, responsável da organização. Com cerca de 80 conjuntos – cavalos e cavaleiro – a prova recebeu inscrições de todo o País, com alguns participantes de renome a nível nacional, vindos

de Lisboa, Porto, Aveiro, Coimbra e outras localidades. Muitos compareceram também da região e do concelho da Batalha, nomeadamente, na categoria de gincana nas provas de escola, entre os 30 cm e os 120 cm, já que aquele complexo tem uma componente de formação para crianças e adultos neste modalidade. Os prémios eram também motivadores, no valor de 2.000 euros, mas foi sobretudo a novidade e a beleza do espectáculo que foram sublinhadas pelos participantes e pelo público. “Havia a reserva pelo facto da prova se realizar num campo de futebol, mas o modo como o piso foi preparado,

a beleza da instalação, com o Mosteiro como cenário de fundo, e o profissionalismo da organização superaram todas as expectativas e foram do agrado geral, com muitos pedidos para que voltassem a repetir-se ali iniciativas deste género ao longo do ano”, refere Nuno Monteiro, um dos colaboradores na promoção do evento. Segundo este batalhense, natural da Golpilheira, “esta primeira edição de um concurso hípico trouxe maior dinamismo à vila e à FIABA, em particular, sendo também uma forma de desmistificar alguns preconceitos em relação ao hipismo, nomeadamente,

quanto aos custos, já que é uma modalidade acessível e com muitas vantagens para a formação de crianças e adultos, desde a postura corporal à destreza e coordenação de movimentos e às vantagens para a saúde física e psíquica que advêm do contacto com estes animais”. Resta referir que o concurso contou com o apoio logístico do Município da Batalha e com o acompanhamento televisivo da Bola TV e da Equitação TV, com transmissão a ser efectuada nestes canais nas próximas semanas, o que será mais uma forma de promoção mediática do concelho. LMF

2.º FIABA BTT – Pelos Trilhos do Centro No programa desta FIABA decorreu, também, a segunda edição da prova de BTT “Pelos Trilhos do Centro”, organizada pelo grupo Batalhabikers, associação criada oficialmente em 2010, com o objectivo de participar em eventos desportivos essencialmente ligados à prática do BTT, representando a vila da Batalha nestas provas, na região e no País. Este evento, realizado no domingo, dia 23, visava

também divulgar o Centro de BTT da Batalha/Pia do Urso, contando com o apoio desta infra-estrutura, da Câmara Municipal da Batalha e de várias entidades ligadas a esta modalidade. No ano de 2012, a primeira edição da prova contou com 260 participantes, apesar de ter sido inicialmente limitada a 200. Este ano, as inscrições estavam limitadas a 300 participantes por motivos de segurança e voltou a superar as

expectativas. O passeio teve dois tipos de percursos, um com 42 km, de dificuldade média, e outro de 16 km, de fácil realização, para que todos pudessem participar com família, filhos ou avós. No final, o contentamento era geral, com uma manhã soalheira e num ambiente de confraternização entre centenas de atletas de todas as idades e de várias categorias competitivas. LMF

PUFF em mais uma FIABA

publireportagem

A empresa PUFF, sedeada na Torre, tem sido presença assídua na FIABA nos últimos anos. Em 2013, lá esteve com as suas propostas de estofos, sofás e outros produtos em napa e tecido. Os empresários Carlos Pias e Cecília Silva, esta natural da Golpilheira, confessaram que, apesar da crise, o balanço é positivo: “Notamos uma diminuição das vendas directas, mas em contrapartida aumentaram os pedidos de orçamentos, pelo que a perspectiva é de virmos a fazer a alguns bons negócios a partir deste certame”. Um dos aspectos positivos é, também, a maior procura registada nas áreas do restauro de sofás degradados e da elaboração de sofás novos por medida, vertentes em que a empresa tem procurado apostar mais nos últimos tempos. “Para esta FIABA trouxemos algumas novidades que foram bem acolhidas, como a construção de sofás a partir de paletes velhas e outros materiais reciclados, uma proposta de decoração arrojada que alia o conforto do estofo à irreverência e imagem ecológica dos materiais”, adiantam os gerentes da PUFF. “A ideia é aumentar o leque de ofertas, para responder com mais eficácia aos pedidos dos clientes que, cada vez mais, pedem sugestões personalizadas para um toque final na decoração dos seus espaços interiores e exteriores”. Em conclusão, Carlos e Cila estão satisfeitos com mais esta presença na FIABA. “É bom participarmos, não só pelos novos contactos que fazemos, mas também pela oportunidade e pelo prazer de encontrarmos pessoalmente muitos dos nossos clientes que ficaram nossos amigos”.


6

. sociedade . educação .

Jornal da Golpilheira Junho de 2013

Encerramento de ano lectivo

Feira de ATL juntou centenas de crianças os artistas de palmo-e-meio que passaram pelo palco e a movimentação permanente junto às tendas de exposição e às oficinas de desenho, pintura e expressões foram a prova de que o público, tanto infantil como adulto, apreciaram muito mais esta edição da iniciativa que tem registo anual no centro da vila. Claro que também, os meninos e as educadoras e auxiliares da Golpilheira deram um ar da sua graça, contribuindo para o animado ambiente que se viveu naquela tarde festiva. MCR

Insufláveis, oficinas de pintura e trabalhos manuais, jogos tradicionais, música e muita animação foram os ingredientes de mais uma Feira dos ATL, no passado dia 16 de Junho, na praça Mouzinho de Albuquerque. Numa organização conjunta da rede concelhia de ATL e do Município, esta actividade teve neste ano a temática das “Profissões” e serviu, uma vez mais, para dar a conhecer aos pais e encarregados de educação as actividades desenvolvidas pelas crianças nos tempos livres. Os muitos aplausos para

...e também muitas centenas de pais

Associação de Pais do Agrupamento de Escolas da Batalha

“A voz dos pais” no Reguengo do Fetal Município e vereador responsável pelo pelouro da Educação, esta reunião serviu para ser feito um breve ponto de situação relativamente aos resultados da recente avaliação externa ao desempenho do Agrupamento de Escolas, por parte do Ministério de Educação. De resto, diga-se, esta avaliação veio confirmar aquilo que tem sido o desempenho de uma forma geral de todos os agentes educativos envolvidos quotidianamente na actividade educativa, com resultados muito satisfatórios na aprendizagem dos alunos da Batalha, espelhados mais uma vez no ranking de escolas a nível nacional. Mas se este assunto mereceu algum regozijo, a questão da reorganização da rede escolar e consequente encerramento de escolas no

concelho merecem alguma preocupação por parte da população e responsáveis autárquicos. É o caso da escola do 1.º ciclo e jardimde-infância da Torre, há muito com os dias contados, fruto da redução demográfica com que Portugal tem vindo a ser confrontado e que no concelho da Batalha tem sido patente nos últimos anos.

DR

A Associação de Pais do Agrupamento de Escolas da Batalha tem promovido diversos encontros, no âmbito do seu projecto “A voz dos pais”, como acontecer a 24 de Abril em S. Mamede e a 31 de Maio no Reguengo do Fetal. Pretende-se levar aos pais e encarregados de educação algumas informações sobre o funcionamento das diversas escolas do agrupamento e ouvir deles as críticas, os problemas e as sugestões para melhoria do ensino no concelho. Sobre a última sessão, no Reguengo do Fetal, a Associação colocou no seu mural do Facebook uma comunicação com o resumo do encontro e que aqui partilhamos, com ligeiras adaptações: “Com a presença do director do Agrupamento de Escolas, presidente do pub

IC2 - Santo Antão 2440-053 BATALHA Tel. 244 765 523 / 244 767 754 Fax. 244 767 754 E-mail. cruzarte@gmail.com Comércio Grossista de Flores e Artigos de Decoração Fabrico de Artigos em Vime

O encerramento das unidades educativas da Torre poderá estar em iminência, situação recorrente de anos anteriores e que em nada tem contribuído para a inscrição de maior número de crianças, mas há alguns factores a ponderar. O envio dos alunos para a escola de acolhimento, na sede da freguesia do Reguengo do Fetal, está a provocar al-

gum constrangimento, nomeadamente financeiro, já que esta medida implicará obras de vulto naquela escola centenária, deixando de fora a oferta na freguesia de um serviço público de pré-escolar. Se a primeira medida esbarra em questões financeiras, a segunda, o encerramento do pré-escolar da Torre, merece alguma preocupação, já que as unidades mais próximas distam largos quilómetros, o que cria um problema adicional aos pais/encarregados de educação, cuja solução será o eventual recurso ao privado. De fora não ficou a possibilidade de ser criada uma sala do pré-escolar, caso venham a acontecer as obras de requalificação naquela escola, de forma a satisfazer e a minimizar a ansiedade manifestada pelos pais das crianças da Torre.

Sem uma posição definitiva, mas ciente dos diversos constrangimentos que os encarregados de educação manifestaram nesta reunião, o presidente do Município, António Lucas, referiu que esta avaliação irá ser objecto de ponderação na reunião a ter lugar com responsáveis pelo Ministério da Educação e com o Conselho Municipal de Educação, procurando garantir a abertura destas infra-estruturas ainda este ano, até que estejam reunidas condições para uma decisão definitiva. O fundamental é que se tenha sempre presente os interesses das crianças e respectivos encarregados de educação, uma linha igualmente defendida pela Associação de Pais, como frisou na ocasião o seu presidente, Nuno Monteiro.


Jornal da Golpilheira

. sociedade .

Junho de 2013

7

Festa do 49.º aniversário juntou mais de 200 antigos e actuais membros do 194

Escuteiros da Batalha preparam bodas de ouro

Secções existentes na Batalha

O Mosteiro de Santa Maria da Vitória acolheu, no passado dia 15 de Junho, a Missa de comemoração do 49.º aniversário do Agrupamento 194 dos Escuteiros da Batalha, onde se juntaram mais de duas centenas de actuais e antigos membros, bem como muitos seus familiares e amigos. Apesar de algumas experiências escutistas logo no início dos anos 60, dinamizadas pelo pároco de então, padre Manuel Simões Inácio, foi a 16 de Junho de 1964 que se oficializou o agrupamento. Muitos desses “pioneiros” e outros que passaram pelo grupo ao longo da história marcaram presença, devidamente fardados, dando corpo ao lema “escuteiro uma vez, escuteiro toda a vida”, defendido por

Exploradores – São os escuteiros com o lenço verde, com idades entre os 10 e os 14 anos. Cheios de energia e de vontade de explorar o mundo, a descoberta do escutismo é um marco na vida de cada um, tendo a aventura como modo de vida e o “sempre alerta” como lema. Baden-Powell, igreja da GolPioneiros – São os escuteiros com o lenço azul, entre os 14 e os fundador deste pilheira, onde 18 anos. É nesta fase que se começam a fazer as primeiras opções e a movimento. a partilha de vida em comunidade torna-se uma realidade cada vez mais essencial. No início experiências, O empreendimento é a forma de deixarem a sua marca na construção da celebração, fotos, memóde um mundo melhor. o actual chefe rias e projecCaminheiros – Membros que vivem em Clã, entre os 18 e os 22 do 194, António tos foi a tónianos. Descobrem o seu papel na sociedade e escolhem que caminho Guerra, sublica dominante. querem percorrer. O Clã é uma mini sociedade, onde se dão os nhou a importânA ocasião serviu, primeiros passos na vida adulta, rumo a um mundo novo, cia dessa colaboraigualmente, para o feito por homens novos. Servir é o seu lema. ção inter-geracional e anúncio e o convite referiu a vitalidade que à participação de tocontinua a alimentar o agrupa- Escuteiro; é também uma oportu- dos no programa comemorativo mento, como se manifestava neste nidade para cada escuteiro poder do cinquentenário, a decorrer até mesmo dia com as promessas de renovar a sua Promessa”, conside- Junho de 2014. 11 Exploradores, 8 Pioneiros e 7 rou aquele responsável. “Quisemos convidar os anCaminheiros. “Estes adolescentes tigos escuteiros, para promover e jovens vão hoje assumir, perante Golpilheira acolheu jantar o conhecimento mútuo com os os seus irmãos escuteiros e a comuNo final da celebração, mais actuais e dizer-lhes que estas bonidade, o seu compromisso de se de 250 pessoas participaram num das de ouro são também um festa manterem fiéis à sua Promessa de jantar de convívio, no salão da deles e para eles”, referiu António

Escutismo há mais de um século... Em 1907, Baden-Powell sonhou um mundo onde a fraternidade entre jovens poderia ser instrumento para o deixarem um pouco melhor do que encontraram. No Verão desse ano, foi com um grupo de 20 rapazes, separados em 4 patrulhas (Maçarico-Real, Corvo, Lobo, Touro) para a ilha de Brownsea, no Canal da Mancha, para realizar o primeiro acampamento escuteiro da história. O êxito da iniciativa foi tal que, nos primeiros meses de 1908, lançou em seis fascículos quinzenais o seu manual de adestramento, o “Escotismo para Rapazes”, sem sequer sonhar que este livro iria por em acção um movimento que afectaria a juventude do mundo inteiro. Em 1923, o movimento chega a Portugal, com o nascimento em Braga do Corpo Nacional de Scouts, que mais tarde se chamaria Corpo Nacional de Escutas. Sempre em crescendo, com centenas de agrupamento a proliferarem por todo o País, têm passado pelo CNE milhares de jovens durante estes anos. É hoje a maior associação juvenil do País e assume-se como “aquela que leva os seus jovens associados a viverem as mais ricas experiências”.

Novos Exploradores são a garantia do futuro do Agrupamento

Guerra, anunciando algumas das iniciativas já programadas, como um passeio nocturno em Outubro deste ano e, em 2014, a inauguração de uma casa de campo em S. Mamede em Janeiro, uma exposição da história do escutismo batalhense no primeiro trimestre, um acampamento com antigos membros em Maio e uma grande actividade para toda a população em Agosto. A numerosa participação e o ambiente de confraternização que se registou neste 49.º aniversário são, sem dúvida, bons indicadores para uma grande celebração deste ano de cinquentenário. Texto e fotos: Luís Miguel Ferraz


8

Jornal da Golpilheira

. cultura .

Junho de 2013

Margarida Sequeira expõe “Qual é a cor da tua sombra?” De 5 a 21 de Julho, a galeria Mouzinho de Albuquerque, na Batalha, acolhe a exposição “Qual é a cor da tua sombra?”, de Margarida Sequeira, que define a sua pintura como “uma mistura de cores, movimentos, emoções e alegria”, tal como é a perspectiva que tem da vida. Segundo a própria, “cada pessoa tem a sua carga emocional no olhar e sentir, sendo aí que encontra a cor da sua sombra”, pelo que, nesta mostra, deixa “ao visitante a possibilidade de ele mesmo responder à questão” em título.

Dias 29 de Junho a 1 de Julho

Festa na Quinta do Sobrado Decorrem de 29 de Junho a 1 de Julho, as tradicionais festas em honra de São João Batista, na localidade da Quinta do Sobrado. O programa compreende a realização do 1.º Festival de Acordeão, a realizar no domingo, e a actuação do grupo JC Power, no dia seguinte, para além de outros espectáculos e motivos de interesse.

Reguengo do Fetal

IX Fim de Semana Gastronómico

DR

Decorre de 19 a 21 de Julho a nona edição do festival gastronómico do Reguengo do Fetal, na praça da Fonte, numa organização da Casa do Povo local. Para além da animação musical, poderá apreciar os sabores tradicionais da morcela branca de arroz, da chanfana, do bucho recheado e de outras especialidades locais.

Na praça Mouzinho de Albuquerque

Concerto com os D’Callaos Realiza-se a 13 de Julho, às 21h30, na praça Mouzinho de Albuquerque, um concerto com os D’Callaos, um grupo espanhol que oferece uma fusão de rumba catalã, flamengo, um cheirinho de jazz e de pop-rock, contando com o talento e a frescura da sua vocalista, “La Canija”. Numa parceria do Município da Batalha com a d’Orfeu - Associação Cultural, espera-se uma noite muito agradável neste espectáculo de “reinvenção flamenca” no seu melhor.

Mosteiro da Batalha acolhe concertos

OCP com Beethoven à conquista dos mosteiros nacionais A Orquestra de Câmara Portuguesa (OCP) é uma das protagonistas da iniciativa “Música nos Mosteiros”, uma acção com entrada livre, organizada pela Rede de Mosteiros Portugueses Património da Humanidade, que decorreu durante o mês de Junho. O primeiro espectáculo foi nos Jerónimos, a 8 de Junho, o segundo foi na Batalha, no dia 16, e o último em Alcobaça, a 23. No caso do Mosteiro de Santa Maria da Vitória, muitas dezenas de pessoas puderam apreciar este concerto num espaço de beleza ímpar, como é a Sala do Capítulo, sob a sua monumental e lendária abóbada. O ensemble do maestro Pedro Carneiro trouxe-lhes Ludwig van Beethoven, com a trágica Abertura Coriolano, op. 62, e a de, e a “Heroica” Sinfonia n.º 3 em Mi bemol maior, op. 55, obra que muitos estudiosos classificam como um marco do fim da Era Clássica e o princípio da música romântica. Mais música no Mosteiro da Batalha Mas a música vai continuar a visitar o monumento batalhense nos próximos meses, em diversas iniciativas já calendarizadas, todas com localização prevista nas Capelas Imperfeitas, embora condicionado o espaço às condições climáticas. Assim, no dia 13 Julho, às 16h00, mais uma sessão dos “Concertos em Rede”

LMF

Na galeria Mouzinho de Albuquerque

irá trazer o trio Mário Laginha, Bernardo Moreira e Alexandre Frazão. Logo no dia seguinte, às 18h00, actua o Leids Barock Ensemble, com direcção musical de Theo Goedhart e a participação da solista Nicola Wemyss. Ainda nesse mês, no dia 28, também às 18h00, ocorre o Concerto Final do 10.º Estágio Internacional de Orquestra do Orfeão de Leiria, com direcção artística de Jean-Sébastien Béreau. No dia 10 Agosto, às 16h00, os “Concertos em Rede” regressam com a Orquestra de Jazz de Matosinhos, com direcção musical de Carlos Azevedo e Pedro Guedes. A 6 Setembro, às 18h30, o espaço será da Orquestra XXI, considerado o melhor

projecto da diáspora portuguesa, com direcção musical de Dinis Sousa. No dia 28 desse mês, às 16h30, será dada expressão à música tradicional, com um concerto no âmbito das Jornadas Europeias do Património. Mosteiro “aberto” à população Em declarações ao Jornal da Golpilheira, Joaquim Ruivo, que tomou posse como director do Mosteiro no passado dia 1 de Abril, considerou que a aposta num programa de animação mais regular é um dos seus objectivos para “trazer cada vez mais vida e cultura a este monumento, no seguimento do trabalho que vinha a ser desenvolvido pelos anteriores directores”. Para este responsável, “para além da

missão de gerar motivos de atracção para públicos mais alargados a nível nacional e internacional, é muito importante que a população local seja a primeira a usufruir cada vez mais deste seu Mosteiro”. Nesse sentido, a entrada será sempre livre em todos estes concertos. Como o programa poderá sofrer alterações ou novas ofertas, os interessados poderão sempre acompanhar a informação no sítio www. mosteirobatalha.pt. Quanto a outros serviços, recordamos que o horário de funcionamento dos serviços administrativos é das 09h00 às 12h30 e das 14h00 às 17h30, sendo as visitas abertas no período das 09h00 às 17h00 de Outubro a Março e até às 18h00 entre Abril e Setembro.

Rosas do Lena organiza Festibatalha Inserido nas comemorações do cinquentenário do agrupamento, o rancho folclórico Rosas do Lena vai organizar, no dia 14 de Julho, a 8.ª edição do Festibatalha. Com lugar no centro da vila da Batalha, na praça de D. João I e no largo do

Condestável, o evento começa pelas 15h30, com a mostra/venda de produtos regionais, tendo início às 17h30 um festival de folclore com o rancho anfitrião e os convidados Rancho Folclórico de S. Guilherme (Santa Catarina da Serra/ Leiria), Rancho da Região

de Leiria, Grupo de Folclore HUOT da Turquia e o Rancho Folclórico e Etnográfico de Vale de Açores, Mortágua. Às 21h30 será a já habitual exibição de marchas populares, estando previstas as participações das marchas de Leiria (Bairro dos

Anjos), Pedreiras e Ribeira de Porto de Mós. Nos intervalos música folclórica e no final haverá bailarico. A Câmara Municipal da Batalha apoia e patrocina a iniciativa.


Jornal da Golpilheira

entrevista . ..campanha

Junho de 2013

9

Jornal da Golpilheira volta a apoiar campanha

“Sécur’été 2013” pela segurança rodoviária

Objectivos da campanha Com esta campanha, a Cap Magellan procura sen-

nocturna (discotecas e festivais), em várias cidades portuguesas, durante o mês de Agosto. José Carlos Malato apadrinha campanha pela 2.ª vez O conhecido apresentador televisivo José Carlos Malato aceitou o convite da Cap Magellan para ser padrinho da campanha de segurança rodoviária 2013, depois de já o ter sido em 2012, e já confirmou que estará presente no lançamento da campanha em Paris, a 5 de Julho.

DR

DR

A Cap Magellan, principal associação de jovens luso-descendentes de França, organiza pelo 11.º ano consecutivo uma campanha de segurança rodoviária, intitulada “Sécur’été”. À semelhança do que tem acontecidos nos últimos anos, também o Jornal da Golpilheira se associa, como um dos parceiros na divulgação da iniciativa. Recordamos que esta é uma campanha que se dirige aos portugueses e lusodescendentes residentes em França que se deslocam de carro a Portugal durante as férias de Verão. Decorre em três países – França, Espanha e Portugal – e tem como principal objectivo a redução do número de acidentes durante os trajectos longos e depois das saídas nocturnas.

sibilizar o público para os perigos das viagens longas (fadiga, excesso de velocidade, etc.) e para as precauções a ter (preparação do veículo, parar de 2 em 2 horas para descansar, etc.). Pretende também informar os automobilistas sobre dos códigos da estrada dos países atravessados (velocidades autorizadas, álcool, coletes reflectores, etc.). Por últi-

mo, quer alertar os jovens para os perigos da condução sob efeito do consumo de álcool e/ou de drogas, nomeadamente, aquando das saídas nocturnas.

Os principais eixos As acções de sensibilização são desenvolvidas por equipas de voluntários ao longo de todo o percurso, principalmente no sul de

França e norte de Espanha, em algumas das áreas de serviço das auto-estradas mais frequentadas pelos automobilistas que rumam a Portugal e ainda nas principais fronteiras portuguesas, entre a segunda quinzena de Julho e inícios de Agosto. Ta m b é m s e r ã o d e senvolvidas acções de sensibilização junto dos jovens, em locais de diversão

Compromisso Cap Magellan A Cap Magellan trabalha em prol de uma cultura de segurança e de uma maior cidadania rodoviária desde 2003. É signatária da Carta Europeia da Segurança Rodoviária desde 2006. Mais informações sobre a actividade e a campanha poderão ser consultadas em www.capmagellan.sapo.pt.

pub

Garantimos o profissionalismo do nosso serviço. Porque cuidamos da sua segurança.


10

Jornal da Golpilheira

. desporto .

Junho de 2013

Futsal Sénior Feminino | Segundo lugar no grupo não chegou…

Equipas do CRG Futebol 7 • Benjamins “A”

16-06 - Garcia – 0/Golpilheira – 3. Participação no torneio de encerramento da época de 2012/2013 do G.D. Garcia, Marinha Grande. Próximos jogos 30-06 – Participação no IV Torneio Infantil Júlio Viegas, no campo sintético de Porto de Mós: 09h30 – Golpilheira – Boavista 10h30 – Andorinhas – Golpilheira 15h00 – Golpilheira – Pedro Roma 17h00 – Golpilheira – Avelar 18h30 – Batalha – Golpilheira

Futebol 11 • Veteranos

01-06 – Golpilheira – 0/Alcobaça – 2. IV Torneio da Amizade organizado pela equipa dos Veteranos do CR Golpilheira, disputado no campo municipal da Batalha: CR Golpilheira – 0/NVC Ansião – 1 Alcácer do Sal FC - 0/VCD Gouveia – 2 Apuramento 3.º e 4.º classificados: Golpilheira – 0/Alcácer do Sal – 2 Apuramento do 1.º e 2.º classificados: Ansião – 1/Gouveia – 2 Próximos jogos 23-06 – Participação no torneio dos veteranos do Alcácer do Sal FC

Futsal Seniores Femininos • Taça Nacional • 2.ª Fase

01-06 – Golpilheira – 5/Estrelas de Feijó – 2 08-06 – Ourentã – 0/Golpilheira – 7 15-06 – Quinta dos Lombos – 6/Golpilheira – 1

Futsal Senior Masculino • X Torneio Município da Batalha 04-06 – CR Golpilheira – 2/AR Alcaidaria – 5 10-06 – CR Golpilheira – 2/AT ShotoKan – 5 12-06 – Bombeiros Voluntários – 2/CR Golpilheira – 6 14-06 – CR Golpilheira – 5/CR Pinheiros – 3 19-06 – CR Alcanadas - /CR Golpilheira – Próximos Jogos 25-06 – CR Golpilheira/CC Quinta do Sobrado 01-07 – SR Relvense/CR Golpilheira

Sonho da Taça Nacional esfumou-se, mas estaremos no campeonato nacional A prestação da equipa do CR Golpilheira na Taça Nacional foi notável. Vencemos com alguma facilidade todos os jogos, baqueando apenas com a forte equipa da Quinta dos Lombos. Já tínhamos perdido em casa o jogo com esta equipa e sabíamos que era extremamente difícil anular a desvantagem no reduto do adversário. No entanto, conseguimos causar bastantes dificuldades a esta equipa e até estivemos a vencer, no último encontro, por 1-0. Mas foi ainda antes do intervalo que conseguiram empatar e, apesar da entrega das nossas jogadoras, não foi possível evitar a derrota. Assim, como só o primeiro lugar do grupo dava acesso à “Final Four” da Taça Nacional, não seguiremos para essa fase final, que será disputada em Vila Real de Trás-os-Montes, com as

equipas Vermoim, Restauradores de Avintes, Quinta dos Lombos e Benfica. Apesar disto, conforme já noticiámos, na próxima época vamos disputar o primeiro Campeonato Nacional desta modalidade, integrados na série Sul, com oito equipas na primeira fase. Em princípio, os jogos em casa serão disputados no novo pavilhão desportivo municipal, na Golpilheira. Por fim, lembramos que ainda temos um troféu a disputar, a Superta-

Associação da Quinta do Sobrado promove

Associação Tigre Shotokan Karatedo Batalha

O Centro Cultural e Recreativo da Quinta do Sobrado e Palmeiros via lançar este ano o seu projecto “Férias Desportivas C.C.R.Q.S.P.”, que visa proporcionar às crianças a ocupação de parte das suas férias escolares de forma divertida e criativa, privilegiando a prática desportiva e enfatizando os valores como a autonomia, a capacidade de iniciativa, a confiança e a auto-estima, elementos fundamentais no processo de sociabilização, aprendizagem e relacionamento. “Com os professores Marisol Pinto e Hugo Rodrigues, duas pessoas excepcionais, só pode correr às mil maravilhas para os nossos filhotes passarem uma semana ou duas em perfeita aventura e felizes”, refere a associação na sua página do facebook. Destinado a crianças dos 6 aos 10 anos de idade, a actividade decorrerá diariamente entre as 09h00 e as 18h00, em turno de uma ou duas semanas, durante os meses de Julho e Agosto. O preço para uma semana será de 55 euros para sócios e de 60 euros para não sócios, sendo para duas semanas de 100 e 110 euros, incluindo já a alimentação e um seguro. Contacto para inscrições: 919323580.

Realizou-se nos passados dias 4 e 5 de Maio, no pavilhão desportivo da Batalha, um estágio com os mestres Vilaça Pinto, 7.º Dan de Portugal, e Daniel Baur, 7.º Dan de França, promovido pela Associação Tigre Shotokan Karatedo Batalha. Este evento contou com a participação de muitos karatecas e foi presenciado por numeroso público. Esta associação é membro da JSKA-Portugal e localiza-se na vila da Batalha, desde 2005, sob a orientação do sensei Álvaro Carvalho, 2.º Dan de Karaté e Treinador de nível 2. O karaté é uma arte marcial e um sistema de autodefesa. Literalmente, “Karate-do” significa caminho de mãos vazias, referindo-se ao facto de os praticantes usarem apenas as mãos, pés e corpo. O karaté está assente na tradição filosófica e espiritual e desenvolve, não só o corpo, mas também a mente e o carácter do individuo. “Em última análise, refere Álvaro Carvalho, o objectivo do karaté não é desenvolver a força física, mas sim o desenvolvimento do equilíbrio, harmonia e espírito, por meio de treinos disciplinados envolvidos em paz e integridade de carácter”. Mais informações sobre a modalidade e esta associação batalhense podem ser consultadas em www.shotokanbatalha.pt. MCR

“Férias Desportivas C.C.R.Q.S.P.”

X Torneio de Futsal “Município da Batalha”

Golpilheira luta pela 2.ª fase

Este torneio está a decorrer na Demó, freguesia de São Mamede, até ao próximo dia 7 de Julho, com organização da colectividade local e o apoio da Câmara da Batalha e do Núcleo de Árbitros de Porto de Mós. Até esta data, a jovem equipa do CRG não tem estado nada mal. O objectivo é o apuramento para a segunda fase. Já foram disputados cinco jogos, com 3 vitórias e 2 derrotas. Faltam apenas dois jogos para terminar a primeira fase. Esperamos consegui-lo. MCR

pub

AGENTE PRINCIPAL

de Franclim Sousa

Seg em t uros os raodos mos

Rua do Outeirinho, 20 • 2440-234 GOLPILHEIRA Tel/Fax 244 767 863 • Tlm. 914 961 543 • jcferraz.seguros@gmail.com

R. Leiria, 73 - Cividade 2440-231 GOLPILHEIRA Tel/Fax 244767839 Tlm. 919640326 reciklena@iol.pt

Joaquim Vieira Reciclagem e comercialização de consumíveis informáticos

ça Distrital, com a equipa dos Vidais, antes do arranque da próxima época. Mas, para já, seguem-se umas merecidas férias para todos os intervenientes. Excepto para Liliana Salema (“Licas”), que acaba de ser convocada para os treinos da selecção nacional... Na próxima edição publicaremos uma entrevista com a treinadora Teresa Jordão e o dirigente Belarmino Videira, sobre esta época fantástica. Texto e foto: Manuel Carreira Rito

Aberto das 9h00 às 13h00 e das 15h00 às 19h30 Telefone 244 768 256 | Telemóvel 917 861 577

Profissionais de Caixilharia

Rua do Depósito de Água Tojeira • 2460-619 ALJUBARROTA

Tel. 262 596 896 geral@caixifer.com www.caixifer.com

Estágio de karaté na Batalha


Jornal da Golpilheira

>> Foto-reportagem em www.jgolpilheira.blogspot.pt

. entrevista desporto .

Junho de 2013

Golpilheira

Ansião

Gouveia

Alcácer do Sal

11

Veteranos do CR Golpilheira organizaram

IV Torneio da Amizade marcado pela camaradagem Organizado pela equipa de veteranos do Centro Recreativo da Golpilheira, com a colaboração da Câmara Municipal da Batalha, da Junta de Freguesia da Golpilheira e da nossa colectividades, decorreu no passado dia 15 de Junho, no campo municipal da Batalha, o IV Torneio da Amizade. A parte desportiva decorreu muito bem, com desportivismo e camaradagem. A classificação final foi a seguinte, conforme resultados indicados na tabela ao lado: 1.º Gouveia; 2.º Ansião; 3.º Alcácer do Sal; 4.º Golpilheira. A terceira parte, como é costume, teve o seu início na Batalha:

umas boas bifanas e umas boas imperiais prepararam o estômago para o almoço, servido no salão de festas do CRG. Chegados aqui, não faltaram os aperitivos e o depois cada um serviu-se da forma que mais lhe agradou. A conversa não faltou, assim como a animação musical, por alguns improvisados cantores. As horas iam avançando sem se dar por isso… mas as equipas nossas convidadas tinham algumas centenas de quilómetros a percorrer. Chegou a altura da distribuição dos troféus e algumas lembranças. Antecedendo esta cerimónia, Manuel Rito, em nome dos veteranos

da Golpilheira, agradeceu a todos os aletas e directores das equipas presentes neste torneio. Agradeceu também à Câmara Municipal da Batalha e à Junta de Freguesia da Golpilheira, aqui representadas pelo vereador Carlos Henriques e pelo presidente Carlos Santos, respectivamente. Os agradecimentos foram também extensivos aos responsáveis pelo campo de jogos, Carlos e Serrano, equipas de arbitragem, direcção do CRG, representado pelo vice-presidente Joaquim Cardoso, patrocinadores dos novos equipamentos estreados nesse dia e às cozinheiras e serventes de mesa do Restaurante

Etnográfico do CRG. Também o vereador Carlos Henriques tomou a palavra, para dar as boas-vindas a todos os presentes e os parabéns à organização do evento. Salientou a importância destes convívios, que contribuem para a troca de algumas experiências e principalmente o estabelecimento de novas amizades. Seguiu-se a entrega de uma lembrança para o Município da Batalha, outra para a Junta da Golpilheira e outra para o CRG. Aos responsáveis de cada uma das equipas foi entregue um troféu, executado no mesmo molde. Ao receber o troféu, foi unânime a

cada um dos representantes, a boa maneira como foram recebidos e tratados. Nesta altura também subiu ao palco o nosso atleta Cunha, que fez um discurso emocionado, chamando o presidente dos veteranos, Virgílio Lucas, para lhe entregar o troféu conquistado hoje. Para finalizar, desejámos uma boa viagem de regresso às equipas convidadas e um… até breve. No entanto, e como acontece nestes encontros, alguns aguentaram até mais tarde… Texto e fotos: Manuel Carreira Rito

V Grande Prémio “Município da Batalha”

Ciclismo passa na Golpilheira Decorreu no passado dia 10 de Junho o V Grande Prémio de Ciclismo “Município da Batalha”, promovido pela Associação de Ciclismo de Santarém e apoiado pelo município batalhense.. Com as categorias de Sub-23, Elites, Masters e Femininos, o percurso total foi de cerca de 70 quilómetros, num circuito que incluiu di-

versas passagens pela estrada das Abrunheiras, até junto ao Centro Recreativo da Golpilheira. Foi uma prova bastante animada, que pouco a pouco começava a seleccionar os favoritos. Depois de algumas fugas sem sucesso, foi nas derradeiras voltas que um grupo de quatro ciclistas se destacou.

A vitória coube a Rui Rodrigues (Peçamodovar), seguido por Cláudio Paulinho (Viv. Victor Lourenço) e Bruno Sousa (Peçamodovar). Por equipas, venceu a Peçamodovar/CB Almodôvar. Em femininos, triunfou Célia Vieira (UC Leiria). A prova decorreu sem incidentes a registar. Texto e foto: MCR


12

. pub .

Jornal da Golpilheira Junho de 2013 Procura a casa dos seus sonhos? Quer reduzir a prestação do empréstimo?

A Solução na Habitação...

Pç. Município, Lt.5-r/c D. 2440-107 BATALHA Tel. 244766202 / 912230888 SOCIEDADE DE MEDIAÇÃO IMOBILIÁRIA, LDA. Licença AMI n.º 7416

Pesquise as promoções a nível nacional:

! o id t n a r a g o t n e m ia Financ

www.leninveste.pt

• Oficina de reparações gerais • Testes computorizados a motores • Serviços de ar condicionado

Urbanização Aldeia de Santa Marta Zona calma na Calvaria de Cima Vivendas individuais • 140.000 euros

Conheça os imóveis em promoção dos

BANCOS

Adelino Bastos

Veja uma nova forma de construção super-económica... VIVENDAS MODELARES com 20 anos de garantia! Tempo de construção = 90 dias!

SEDE: TRV. DO AREEIRO, 225 • ZONA IND. JARDOEIRA • 2440-373BATALHA FILIAL: CASAL DE MIL HOMENS • 2440-231 GOLPILHEIRA TELS: 244 768 766 • 917 504 646

em todo o País!!!

Venha confirm ar os nos sos bon s negóci os de terreno s!

Licença de Exploração Industrial N.º 50/2010

Figura ilustrativa

dar! s Temos, Appaarrtaamaenrtorsene Es critório Vivendas

Telas • Esculturas • Azulejos Móveis • Peças Decorativas Sempre exclusivo e original!

os! VisiOtLeP-I LnH E I RA na G

Um toque de arte na decoração da sua casa...

Hélio Videira

Rua da Freiria – Lt 7 – r/c • 2440-046 BATALHA • Telm. 919 327 418

• Electricidade • Sistema de Alarmes • Telecomunicações • Canalização Água • Aspiração Central • Climatização • Ar Condicionado • Painéis Solares • Aquecimento Central

Rua do Choupico, 129 Casal de Mil Homens 244765498 / 965170426 nelson.c.gomes@hotmail.com


Jornal da Golpilheira

. infantil .

Junho de 2013

Olá a todos!

13

Jardim-de-Infância da Golpilheira

Pedimos desculpa por não termos participado na última edição do Jornal, mas atrasámonos a enviar os trabalhos. Entretanto, a nossa educadora Gena ficou doente e teve que vir uma nova educadora; chama-se Lúcia e é de Penafiel. Durante este tempo, temos feito e participado em muitas coisas. Fizemos a Festa do Pai e da Mãe, a quem oferecemos chávenas de café pintadas por nós, recebemos uma amiga nova, a tartaruga Joana, que nos foi oferecida por um amigo. Fomos ao Jardim Zoológico, à Feira do Livro e à Semana Cultural do Agrupamento de Escolas. Trabalhámos muito, fizemos ginástica no Centro Educativo da Batalha e divertimo-nos a aprender e a fazer experiências. Uma novidade muito boa é que já temos baloiços na nossa escola! Pendurámo-los numa árvore que plantámos no nosso recreio há 7 anos atrás e que já está muito grande. Agora, andamos a preparar o final do ano lectivo e para a próxima mostramos as fotos da festa que vamos fazer com os pais. Até à próxima!

pub

Quinta da Fonte Velha 2440-234 GOLPILHEIRA Tel. 244767375 • Tlm. 919854478


14

. religião .

Jornal da Golpilheira Junho de 2013

Novo jornal da Diocese

DR

Nasceu o “Presente Leiria-Fátima”

Na igreja de S. Bento

Encerramento do Mês de Maria Cumprindo uma tradição antiga da população da Golpilheira, realizou-se no domingo 9 de Maio, na igreja de S. Bento, o encerramento do Mês de Maria, depois de ali se ter realizado durante todos os domingos de Maio a oração mariana. Presidiu a esta celebração o padre José Gonçalves, pároco da Batalha. No final, houve o habitual onvívio com os participantes, aonde não faltou a boa sardinha e carapaus assados, acompanhados com o bom vinho da região. A Comissão da Igreja de S. Bento

Grupo “Os Samaritanos” convida

Missa, sopa e concerto “Juntos pela Liberdade” A Associação de Visitadores dos Estabelecimentos Prisionais de Leiria – Os Samaritanos vai organizar, no próximo dia 29 de Junho, a partir das 19h30, uma acção de solidariedade para com os reclusos destas instituições. A decorrer no Convento da Portela, nos Franciscanos de Leiria, o programa intitulado “Juntos pela Liberdade” começará com a celebração da Missa, seguindo-se o serviço de um jantar de “sopa solidária” e concluindo num “concerto orante” com a irmã Maria Amélia Costa. A participação terá um custo de 5 euros por pessoa, revertendo para as actividades que este grupo de acção social carcerária promove durante todo o ano nas duas prisões da cidade.

O jornal “Presente Leiria-Fátima” apresentou a sua primeira edição no passado dia 31 de Maio. Trata-se do novo título que a Diocese escolheu para o semanário que virá dar continuidade aos dois que detinha desde há muitas décadas, “O Mensageiro” e “A Voz do Domingo”. Segundo afirma o director, o advogado leiriense Carlos Magalhães de Carvalho, esta decisão “não vem acabar com os jornais existentes, mas assumir-se

como filho e continuador de ambos, procurando ser merecedor da história que herda e tentando, na medida do possível, melhorar a qualidade do serviço informativo aos diocesanos”. Os responsáveis pelo sector da comunicação da diocese de Leiria-Fátima vinham anunciando em ambos os jornais, desde há algum tempo, a proximidade desta decisão, que foi assumida pelo Bispo, D. António Marto, como um passo necessário para ga-

rantir “um jornal que seja financeiramente sustentável e que cumpra a missão evangelizadora da Igreja através dos meios de comunicação social”. O próprio jornal tem afirmado querer dar essa resposta “no momento presente, conforme as actuais exigências da comunicação, na articulação entre a imprensa escrita e os meios digitais, marcando presença nas várias comunidades, serviços e iniciativas de toda esta Igreja particular”.

Bispo diocesano convida para festa em Fátima

Jubileu de casais, padres e consagrados Como tem acontecido anualmente, D. António Marto convida os casais, sacerdotes, religiosos, religiosas e outros consagrados da diocese de Leiria-Fátima a celebrarem juntos o seu jubileu vocacional. Assim, todos os que comemoram este ano o 25.º, 50.º ou 60.º aniversário do seu matrimónio, ordenação ou consagração poderão inscrever-se para a celebração a ter lugar em Fátima, no próximo dia 29 de Junho de 2013. O programa começa com

o acolhimento, às 09h00, na Basílica da Santíssima Trindade, seguindo-se a apresentação e os testemunhos dos participantes, às 09h30, na capela da Ressurreição de Jesus. Aqui será celebrada a Eucaristia, às 11h00, terminando o encontro em ambiente de festa e confraternização, no Albergue do Peregrino, num almoço partilhado entre todos. No seu convite, D. António Marto recorda o motivo e os objectivos desde Jubileu das Vocações: “Será

um momento alto para reviver e reavivar o encanto e a frescura do primeiro ‘sim’, para celebrar o caminho percorrido e correspondido ao longo da vida, para agradecer a Deus os frutos que, através destas vocações, suscitou ao serviço da vida e do amor, e para renovar os compromissos vocacionais. Assim manifestar-se-á também a beleza das várias vocações que adornam a Igreja de Jesus e fazem dela um jardim florido com o esplendor dos mais variados

Para os pais poderem ter férias... tivo. Dada a sua especificidade, esta iniciativa não se destina aos deficientes que residem em instituições, mas apenas aos que estão ao cuidado das suas famílias. Contando com a colaboração de um grupo de voluntários, coordenados pelo Movimento da Mensagem de Fátima (MMF), o programa inclui momentos de celebração da fé e de formação sobre a Mensagem de Fátima e momentos lú-

dicos, de passeio e de confraternização. As principais atividades realizam-se no Centro de Espiritualidade Francisco e Jacinta Marto, em Montelo. À semelhança dos anos anteriores, ainda que a maioria dos pais opte por fazer férias neste período, aceita-se a possibilidade de os que o desejarem acompanharem os filhos durante este programa. O primeiro turno será de 1 a 7 de agosto, destinado a pessoas com deficiên-

cia entre os 7 e os 21 anos. Para maiores de 21 anos, seguir-se-ão 3 turnos, de 10 a 16 de agosto, de 20 a 26 agosto e de 29 de agosto a 4 setembro. Os interessados deverão inscrever-se até ao dia 30 de junho. A ficha de inscrição está disponível na  página do Santuário  e outras informações podem ser solicitadas para os contactos do MMF (249539679 ou mmf@fatima.pt).

Luís de Oliveira

Santuário acolhe pessoas com deficiência Uma das muitas iniciativas solidárias promovidas pelo Santuário de Fátima tem registado o apreço especial dos pais que têm ao seu cuidado os filhos com deficiência. “Durante uma semana, os pais de crianças ou adultos com deficiência podem dedicar-se a outras áreas da sua vida, deixando os seus filhos entregues aos cuidados do Santuário de Fátima”, esclarece uma nota do Santuário sobre esta iniciativa que realiza pelo oitavo ano consecu-

Na mesma linha, os responsáveis pelo projecto têm solicitado o apoio aos diocesanos, “para que se tornem assinantes e leitores assíduos, bem como para que apresentem sugestões e críticas construtivas, ajudando o jornal Presente a crescer e melhorar a cada semana”. Mais informações sobre este assunto podem ser consultadas em www.jornalpresente.pt.

dons e vocações”. A organização envolve a cooperação dos serviços diocesanos das Vocações, da Pastoral Familiar e da Vida Consagrada, bem como a direcção diocesana da Conferência dos Institutos Religiosos (CIRP). Os interessados deverão contactar com urgência o telefone 919371149 ou o email jarmachado@gmail. com.


Jornal da Golpilheira

>> Foto-reportagem em www.leiria-fatima.pt

. religião .

15

Junho de 2013

Três dia especiais para a Igreja de Leiria-Fátima

Uma diocese em verdadeira “Festa da Fé” deu vida à cidade Entre 15 a 20 mil pessoas terão passado pela Festa da Fé, organizada pela diocese de Leiria-Fátima, de 31 de Maio a 2 de Junho. “Ó, como é bom e agradável viver unidos como irmãos; é bom e belo estarmos aqui e sentirmo-nos irmanados num povo em festa para testemunhar a sua alegria de crer em Cristo e o seu entusiasmo em levar o Evangelho ao coração da cidade dos homens”, exclamou D. António Marto nas palavras de abertura do evento. Sob o lema geral “Caminho(s) de vida, razões de esperança”, seriam três dias que pretendiam “dar visibilidade à beleza e à alegria dos caminhos da vida com Jesus Cristo, centro da nossa fé, e ao mesmo tempo manifestar as razões de esperança, tão necessárias nestes tempos que vivemos de dificuldades e desafios acrescidos”, referia ainda Bispo. E concretizava que vir fazer festa “no meio da cidade dos homens” não era um “acto de exibicionismo triunfalista” ou de “campanha eleitoral”, mas um “testemunho de como a fé cristã constitui um contributo de primeira grandeza para a sociedade, particularmente num momento de crise”, porque “o olhar da fé descobre e cria cidadania, melhorando a vida da cidade com a oferta da vida boa do Evangelho”. Exposições, espectáculos, animação infantil e juvenil, cultura... Na praça Paulo VI e no Jardim de Camões estiveram montadas em permanência tendas de exposição das nove vigararias e dos diversos serviços e movimentos diocesanos, cada um tentando mostrar o que de melhor oferece a sua estrutura pastoral, ao serviço da Igreja e da sociedade. A maioria primou pela criatividade e diversidade, revelando de forma apelativa

as suas actividades, as suas estruturas e as suas características mais peculiares, tanto no que se refere à vida cristã, como em relação à sua realidade social e cultural. Refira-se, a este propósito, que a vigararia da Batalha ficou bastante aquém do que poderia ter feito, destoando das restantes pelo aspecto pobre e “despido” do seu espaço. E como se tratava de festa, houve muita música, animação de rua, espectáculos variados e as indispensáveis tasquinhas de comes-e-bebes. O grande destaque vai para a numerosa participação das catequeses e dos escuteiros, que levaram mais de seis mil crianças, adolescentes e jovens a invadir o cento da cidade, em jogos de pistas “na pegada

Tenda da vigararia da Batalha demasiado “despida”

da fé” e em múltiplas outras actividades, com especial incidência no castelo de Leiria, onde dificilmente se terá visto tanta movimentação desde os tempos medievais… Também importantes foram os momentos culturais, concentrados na igreja de S. Francisco, onde decorreram visitas guiadas e diversas conferências sobre a ligação da fé com a arte e a cultura. Oração e grandes celebrações... E como é de uma festa cristã que falamos, os momentos de oração foram igualmente cuidados e diversificados. O Santíssimo Sacramento esteve exposto durante todo o dia de sábado na igreja do Espírito Santo, a Sé recebeu diversos actos religiosos e o Serviço de Pastoral Juvenil garantiu em pleno

recinto de exposição uma tenda de oração animada quase em permanência por muitos grupos de jovens vindos das paróquias. Mas as grandes celebrações atravessaram a margem do Lis, para o parque do Avião. Mais uma vez, a Missa presidida pelo Bispo com os milhares de alunos da catequese, na tarde de sábado, foi um dos momentos altos, digno de entrar no livro dos recordes diocesanos. A mais numerosa participação de fiéis foi, no entanto, na Missa e procissão do Corpo de Deus, que marcou o encerramento do evento. Sendo uma das grandes celebrações comunitárias anuais desta Igreja particular, este ano registou uma multidão bem superior à média, na ordem das sete a oito mil pessoas, talvez também pelo facto de se realizar pela primeira vez ao domingo, depois de decretada a extinção deste feriado religioso de quinta-feira. Na ocasião, D. António Marto afirmava, comovido, que era bela esta “participação viva, festiva e envolvente que trouxe milhares de crianças, adolescentes, jovens e adultos ao coração da cidade e a encheram de vida e alegria como talvez nunca tinha visto e experimentado”. E, por isso, dava os “parabéns” a todos os presentes: “Quem fez a festa, fostes vós! Vós sois a festa em pessoa com o vosso coração ardente de fé como os discípulos de Emaús”.

Uma Igreja com futuro... Já depois da procissão e da bênção com o Santíssimo Sacramento, o Bispo voltava a afirmar o seu “contentamento por este povo maravilhoso que vejo crescer na fé e que hoje deu um grandioso testemunho”, confessando que “tenho aprendido muito de vós, homens e mulheres fortes na fé”. A palavra final foi para os “amiguitos e amiguitas”, crianças, adolescentes e jovens. “Sois o encanto desta Igreja, não tenhais medo de sonhar coisas novas, boas e belas, coisas grandes para a vossa vida”, disse, apontando o que tinha observado do envolvimento dos mais novos nesta festa como a prova de que “temos futuro” e devemos “ir em frente com alegria, coragem, ânimo e esperança, com Cristo nosso irmão”. Era a chave-de-ouro desta festa, que contou ainda com um número de conjunto executado por todas as filarmónicas que colaboraram na procissão deste ano – Maceira, Marrazes, Pousos, Soutocico e Vermoil –, com o posterior cumprimento musical, uma a uma, ao Bispo da Diocese. Os interessados em “ver” como foi, poderão consultar as notícias, centenas de fotos e dezenas de vídeos disponibilizados no portal www.leiria-fatima.pt. Texto e fotos: Luís Miguel Ferraz


16

. temas . Europa .

Jornal da Golpilheira Junho de 2013

Um ano dedicado à Cidadania Europeia O ano de 2013 celebra o vigésimo aniversário do Tratado de Maastricht, que estabeleceu o conceito de Cidadania da União Europeia (UE). A cidadania europeia é um vínculo especial entre cada europeu e a UE, um estatuto que complementa as cidadanias nacionais. Sob o lema “Tem a ver com a Europa, tem a ver Consigo – Participe no Debate”, este é um ano dedicado a escutar o que desejam os cidadãos europeus para o futuro da União Europeia. A liberdade, a democracia, a protecção dos direitos fundamentais e o Estado de Direito são, entre outros, os valores comuns partilhados por todos os europeus. Esta é uma marca que nos distingue de outros povos. Contudo, é importante reconhecer que os cidadãos portugueses sentem uma distância em relação às instituições europeias, que tem vindo a agravar-se num momento que deveria ser de reforço. Não se trata de um fenómeno único na União, com os restantes Estados-Membros a acompanharem-nos neste afastamento. O objectivo deste ano passa por perguntar aos cidadãos como é que a União vai responder aos actuais desafios impostos pela crise e aos futuros desafios da integração europeia. Qualquer passo a dar no sentido de uma maior integração política e económica deverá ter por base uma escolha dos cidadãos europeus e não ser apresentada como “facto consumado”. Para fazerem esta escolha, os cidadãos europeus devem estar informados sobre os seus direitos, deveres e sobre as consequências democráticas das suas escolhas. Este ano importa discutir que Europa queremos para fazer face aos actuais desafios dos EstadosMembros. É necessário consciencializar os cidadãos, em especial, os mais jovens sobre os direitos de que podem beneficiar como cidadãos da União Europeia. Os cidadãos têm que voltar ao centro do processo político na Europa. A cidadania europeia permite fazer escolhas, influenciar leis, apresentar petições, promover a responsabilidade das instituições. Por toda a Europa está a decorrer um diálogo alargado sobre o futuro da União. A Coordenação do Ano Europeu dos Cidadãos em Portugal tem como missão contribuir para a divulgação da cidadania europeia e os direitos e deveres que lhe estão associados, porque só uma cidadania consciente e participada poderá ter um papel na construção da União.  Inês Saraiva Azevedo Nota: para mais informações, consulte www.anoeuropeudoscidadaos.gov.pt.

2013 - Ano da Cidadania Europeia

Os seus direitos de cidadão europeu Direito de petição O direito de petição permite aos cidadãos da UE assinalar problemas ou apresentar queixas ao Parlamento Europeu. Qualquer cidadão pode, assim, solicitar ao Parlamento que analise uma questão por necessidade pessoal ou por razões de interesse público. O assunto deve inserir-se no âmbito de competência da UE e afectar directamente o cidadão em causa.

A cidadania da União Europeia corresponde a um estatuto concreto que se exprime num conjunto de direitos atribuídos aos cidadãos nacionais de todos os Estados-Membros pelo Tratado da União Europeia e destina-se a tornar o processo de integração europeia mais relevante para os cidadãos, incrementando a sua participação, reforçando a proteção dos seus direitos e promovendo a ideia de uma identidade europeia. A cidadania é uma noção dinâmica que deverá evoluir acompanhando o progresso da União. O reforço da ideia de uma União efectiva desencadeia o aumento das expectativas dos cidadãos em relação aos seus direitos, liberdades e garantias, bem como à efectivação da sua participação cívica como via de integração no projecto europeu que se pretende ser vinculativo e inclusivo. Por estes motivos, todos os cidadãos europeus devem conhecer os seus direitos e poder exercê-los plenamente no seu dia-a-dia. Os direitos dos cidadãos da UE estão consagrados na segunda parte do  Tratado sobre o Funcionamento da União Europeia e no capítulo V da Carta dos Direitos Fundamentais da União Europeia.

Direito de apresentar uma queixa ao Provedor de Justiça Se tiver queixas relativas a casos de má administração por parte de uma instituição ou organismo da UE, pode dirigir-se ao Provedor de Justiça Europeu. Direito a protecção consular para cidadãos da UE sem representação diplomática Se tiver necessidade de ajuda num país situado fora da UE, tem direito, enquanto cidadão europeu, a beneficiar de protecção consular por parte de uma embaixada ou consulado de outro país da UE. Poderá beneficiar de assistência em caso de falecimento, acidente ou doença grave, prisão ou detenção, crime violento e repatriação.

Direito à liberdade de circulação e de residência na UE, sem discriminação em razão da nacionalidade Enquanto cidadão da UE goza do direito de circular e de permanecer  livremente no território da UE.  Porém, este direito está sujeito a determinadas condições. Por exemplo, poderá ter de se identificar ao entrar no território de outro país da UE ou de cumprir determinadas condições para poder residir mais de três meses nesse país consoante pretenda trabalhar, estudar, etc. Direito de eleger e de ser eleito em eleições nacionais Se viver noutro país da UE, goza do direito, enquanto cidadão da UE, de eleger e de ser eleito nas eleições municipais e europeias organizadas nesse país, nas mesmas condições que os cidadãos nacionais.

Direito de contactar as instituições e órgãos consultivos da UE na própria língua Os cidadãos da UE têm também o direito de se dirigir às instituições e órgãos consultivos da UE numa das 23 línguas oficias e de obter uma resposta na mesma língua. Direito de solicitar à Comissão que proponha nova legislação A iniciativa de cidadania europeia permite aos cidadãos solicitar à Comissão Europeia a apresentação de uma proposta de acto jurídico. A petição deve ser assinada, no mínimo, por um milhão de cidadãos provenientes de, pelo menos, um quarto dos países da UE. Direitos fundamentais A UE assenta nos valores da dignidade humana, da liberdade, da democracia, da igualdade, do Estado de direito e do respeito pelos direitos do Homem, incluindo os direitos das pessoas pertencentes a minorias. Outros direitos transnacionais Graças à evolução registada no direito da UE, e em particular das regras relativas ao Mercado Único Europeu, hoje a cidadania europeia exprimese num conjunto mais vasto de direitos e oportunidades.

Segurança social Na UE, os cidadãos europeus só pagam contribuições para a segurança social num único país, ainda que trabalhem em vários países. Regra geral, também só receberão as prestações de segurança social pagas por esse país. Além disso, se está a receber o subsídio de desemprego do país onde ficou desempregado, ir para o estrangeiro para procurar trabalho não afectará os seus direitos (ou os da sua família). Cuidados de saúde Ao abrigo da legislação da UE, os cidadãos da UE têm direito a receber tratamento médico noutro país da UE e a ser eventualmente reembolsados dos respectivos custos pelo organismo responsável pela sua cobertura médica. Estudar no estrangeiro Tem direito a estudar em qualquer país da UE nas mesmas condições que os nacionais do país em causa. Fazer compras em linha Os cidadãos europeus estão protegidos pela legislação da UE ao fazerem compras em linha na UE. Direitos dos passageiros Se um cidadão da UE tiver problemas numa viagem internacional de comboio ou de avião efectuada com uma companhia europeia a partir de um país da UE ou que tenha como destino um país da UE a partir de um país terceiro, poderá ter direito a um reembolso, bem como a uma eventual indemnização. Chamadas mais baratas a partir do telemóvel Quando utiliza o telemóvel noutro país da UE, existe um limite máximo para a tarifa que o seu operador lhe pode cobrar. Energia segura a preço acessível Graças à UE, está agora mais bem protegido enquanto consumidor e tem direito a escolher o contrato de gás e electricidade mais adequado à suas necessidades.

DR

Mensagem da coordenadora

Fonte: Comissão Europeia | Centro de Informação Europeia Jacques Delors


Jornal da Golpilheira

. temas . Europa . Vida .

Junho de 2013

17

DR

Iniciativa de Cidadãos Europeus

Mensagem da coordenadora

Quando está em causa UM DE NÓS

Quem promove?

Como aderir?

A Iniciativa de Cidadãos é um instrumento legislativo da União Europeia (UE) aprovado no Tratado de Lisboa, pretende aproximar as Instituições Europeias dos cidadãos e melhorar a vivência democrática dentro da UE. “Um de nós” (“One of us”) é uma destas iniciativas que nasceu da sociedade civil empenhada em promover uma cultura de Vida na Europa, pondo cada pessoa e a sua dignidade incomparável no centro dessa cultura. Para tal, procurará recolher um milhão de assinaturas para pedir à UE a defesa da dignidade, o direito à vida e a integridade de todo o ser humano desde a sua concepção, de acordo com o apresentado pelo Tribunal da UE na sentença do caso Brüstle/Greenpeace, em 2011, onde reconheceu no embrião o princípio do desenvolvimento humano. Deste modo, pede-se à UE que estabeleça formas de controlo dos fundos públicos que impeçam experiências médicas com embriões e que protejam o embrião nas áreas da saúde pública, da educação, da propriedade intelectual, e do financiamento da investigação e a cooperação para o desenvolvimento. Concretamente, pede-se aos legisladores europeus para consagrarem os seguintes princípios: 1. A inclusão do princípio pelo qual “não poderá ser aprovado o financiamento de actividades que destruam embriões humanos ou que pressuponham a sua destruição”. 2. A modificação dos “princípios éticos” em matéria de investigação que regem o Programa Quadro de Investigação e Inovação da UE (2014-2020) “Horizonte 2020”. 3. A alteração dos objectivos do Instrumento de Financiamento da Cooperação ao Desenvolvimento em países externos à UE, garantindo que a ajuda comunitária tenha em conta o respeito pela vida do embrião.

A iniciativa é promovida por um Comité de Cidadãos composto por pessoas de Portugal, França, Alemanha, Espanha, Reino Unido, Hungria, Polónia e muitos mais países, tendo apoio de diversas personalidades e organizações nos 27 Estados Membros da UE. Depois do Papa Bento XVI o ter feito a 3 de Fevereiro, o novo Papa Francisco veio já manifestar a sua união com esta causa, afirmando, no passado dia 12 de Maio, no Vaticano: “Tenho o prazer de recordar a recolha de assinaturas que está sendo realizada em muitas paróquias, a fim de apoiar a iniciativa europeia “Um de Nós”, para garantir a protecção legal ao embrião, tutelando todos os seres humanos a partir do primeiro momento de sua existência”. Também muitas conferências episcopais da Europa o têm feito, como foi o caso da portuguesa, que deu o seu apoio explícito à iniciativa, na sua última assembleia plenária, neste mês de Junho. Em Portugal a Federação Portuguesa pela Vida é membro fundador do Comité de Cidadãos e é uma das muitas outras organizações que promovem esta iniciativa e a recolha de assinaturas até ao próximo dia 1 de Novembro de 2013 Em Portugal, deveriam atingir-se no mínimo 16.500 e ainda está longe desse objectivo. O prazo para assinar termina a 15 de Outubro, com uma primeira verificação já a 30 de Junho.

Em primeiro lugar, assinar a petição e arranjar mais assinaturas. Depois, divulgar no Facebook, Twitter, Blogs, etc. Pode consultar mais informações, bem como descarregar folhetos e documentação explicativa da iniciativa em www. umdenos.org. As assinaturas podem ser recolhidas online, em www.oneofus.eu, onde está tudo explicado. No caso de ser em papel, pode fotocopiar-se a folha de recolha ou retirar da internet, sem fazer qualquer alteração à folha de recolha, nem escrever no verso da mesma. Quem tem cartão de cidadão deve incluir os 8 ou 9 dígitos do antigo BI, seguido dos 4 dígitos adicionais (1 número, 2 letras e 1 número). Devolver para: Teresa Margarido Correia (secretariado), Rua Artilharia 1, 48, 3.º Dt., 1070-013 Lisboa.

DR

O que é?

Os portugueses são característicos pela sua capacidade de solidariedade. Basta pensar que nos anos de crise as recolhas do Banco Alimentar superam sempre as expectativas. Porquê? Algo genético deste grande povo? Penso que não será uma biologia da pátria mas sim a sensibilidade dos portugueses para a preocupação com os mais desprotegidos. Estes merecem sempre uma atenção da parte de todos, mesmo que a maioria viva também em dificuldades. De um modo ou de outro, todos sentimos que se estivéssemos no lugar desse desprotegido, gostaríamos que fosse feito connosco o mesmo. Mas um de nós – o mais desprotegido de todos os seres seja pela sua pequenez, seja pela sua incapacidade de pedir ajuda ou de mostrar as suas necessidades – é muitas vezes negligenciado. Falo daquele ser humano que existe desde o momento da união do óvulo com o espermatozóide e que a ciência afirma existir: o Embrião, o nome que a ciência dá ao bebé na barriga da mãe nos primeiros dias de vida. Desde esse momento maravilhoso temos um ser humano, um de nós, que, totalmente dependente da sua mãe, cresce e se desenvolve até estar pronto para enfrentar a vida cá fora.. Eu nasci, tu nasceste, mas quantos não chegaram a desenvolver-se como deveriam e seria desejável…? Tantos que são gerados em laboratório e depois usados como material de investigação, sendo rejeitados quando já não são necessários. Tantos que por decisão dos próprios pais são eliminados porque não vêm em boa altura ou porque não eram “perfeitos”. O mais chocante é que tudo isto que, parece desumano, é algo legislado e permitido por aqueles que têm o dever de proteger os seus cidadãos e contribuir para o bem comum. Será o embrião menos cidadão que todos os outros? Não. Esta é a resposta que várias associações europeias pró-vida dão e, por isso, não abdicam de lutar pelos direitos daqueles que são os mais desprotegidos, pois não são vistos como o que são: pessoa humana com dignidade. Assim, ao ser permitido as iniciativas de cidadãos europeus, criou-se a Petição Europeia “Um de nós”. Os seus promotores querem fazer com que a Comissão Europeia discuta a dignidade do embrião e querem desafiar a mesma a recomendar aos países membros da União Europeia a ter leis que não permitam a destruição de embriões, nem financiem programas em países em vias de desenvolvimento que promovam o aborto. Como qualquer iniciativa de cidadãos europeus são exigidas um milhão de assinaturas a recolher nos 27 estados membros da União Europeia. A Portugal é pedido um mínimo de 16.500 assinaturas para defender o embrião. Será que neste desafio mostraremos a mesma sensibilidade que sempre tivemos perante os mais desprotegidos? Assine e divulgue a petição em www.oneofus.eu ou procure na sua paróquia. Teresa Margarido Correia


18

Jornal da Golpilheira

. temas . economia . ambiente . civismo .

Junho de 2013

. combatentes .

Jantar/conferência com Luís Amado e entrega Prémios Empresa e Personalidade

Coluna da responsabilidade do Núcleo da Batalha da Liga dos Combatentes

Para assinalar os 28 anos de existência, a NERLEI – Associação Empresarial da Região de Leiria vai realizar no próximo dia 25 de Junho, pelas 19h00, na sua sede, em Leiria, uma Gala de Aniversário. A iniciativa contempla uma conferência proferida por Luís Amado, sobre “Os Desafios das Empresas Portuguesas Perante o Contexto Actual”. O convite ao ex-ministro dos Negócios Estrangeiros resulta, não só do conhecimento que tem da economia portuguesa, como também pela pertinência das intervenções cívicas e políticas que vai tendo, a par das responsabilidades profissionais. Por outro lado, conhece bem as características do tecido económico da região, dado que é natural do concelho de Porto de Mós. Antes da intervenção de Luís Amado, serão entregues os Prémios NERLEI Empresa, nas categorias de Inovação, Responsabilidade Social, Emprego e Exportação. A fase de candidatura aos prémios, destinado a empresas associadas da NERLEI, decorreu entre 10 de Maio e 5 de Junho, tendo sido recebidas um total de 29 candidaturas de 21 empresas. Além destes prémios, neste dia a NERLEI distinguirá ainda uma personalidade que se destacou nos últimos anos pela disponibilidade e competência no trabalho prestado ao tecido empresarial da região. A Gala do 28º Aniversário da NERLEI acolherá também a exposição “Ensino Superior e Investigação na Região”, espaço em que as instituições de ensino superior da região foram convidadas a apresentar o seu trabalho na área da investigação empresarial. Haverá ainda uma prova de vinhos e um momento musical, proporcionado por músicos do Orfeão de Leiria - Conservatório de Artes.

No Dia Mundial do Ambiente

SimLis promoveu Rio em Festa Para assinalar o Dia Mundial do Ambiente, a SimLis promoveu a actividade “Rio em Festa”, uma oficina de expressão plástica e corporal que, a partir da lenda dos rios Lis e Lena, proporcionou aos alunos interpretações da história e dos poderes especiais dos rios, que se transformam em danças de água habitadas por seres fantásticos. Realizada no dia 5 de Junho em Ourém, no dia 6 em Leiria e Batalha e no dia 7 na Marinha Grande, esta iniciativa marcou o encerramento do concurso escolar “Um Rio às Cores”, em que participaram 16 escolas, com 25 trabalhos, dos quais foram premiados dez, três de cada escalão, e atribuídas quatro menções honrosas. No 1.º escalão foram premiadas as escolas do 1.º ciclo do ensino básico de Quinta do Alçada (Leiria), Atouguia (Ourém), Azóia (Leiria), Amieira (Marinha Grande) e Faniqueira (Batalha), com o 1.º, 2.º, 3.º e menções honrosas, respectivamente. No 2.º escalão foram distinguidas as escolas do 1.º ciclo do ensino básico de Cortes (Leiria), Batalha, Jardim Escola João de Deus (Leiria), João Beare (Marinha Grande) e Pisão-Matas (Ourém), com o 1.º, 2.º, 3.º e menções honrosas, respectivamente. Todos os trabalhos estão publicados num livro digital que se encontra disponível no blogue da SimLis, em www.simlisblog.blogspot.pt.

DR

NERLEI realiza gala dos 28 anos

Mensagem

Dia da Criança Quem és tu? Não te vejo ainda. Mas vives. Vives dentro de mim.  Serás tanto! Nasceste e transformaste tudo. As nossas rotinas, a nossa casa. E parecia que todo o amor que tínhamos até então era pouco. Muito pouco. As noites mal dormidas, os passeios, as festas, as brincadeiras passaram a fazer parte da nossa vida. E o sentido dela mudou. Mudou tudo. Somos tão agradecidos pela tua existência! Educamos-te para que possas crescer e ser um homem uma mulher plenamente consciente do teu papel nesta vida, neste mundo. Seremos uma família. Uma grande família! Quem és tu? Não te vejo ainda. Mas vives. Vives dentro de mim. Serás tanto! Nasceste e transformaste tudo. E parecia que o amor que tínhamos era pouco, muito pouco. Mesmo que não tenhas todas as capacidades. Por seres dependente não quer dizer que não possas ou não devas nascer e receber todo o amor... Quem sabe até devas receber mais do que qualquer outro menino? E depois, saberemos ver, através de ti, toda a beleza da gratuitidade, do dar sem esperar nada em troca e, afinal, receber muito mais! E, tão naturalmente, esperamos ver-te crescer e quem sabe se poderás ultrapassar tantos obstáculos, tantos preconceitos...? Bem-vindo à família! Quem és tu? Não te vejo ainda. Mas vives. Vives dentro de mim. Serás tanto! Nasceste e transformaste tudo. As nossas rotinas, a nossa casa. Pusemos mais uma cama no quarto dos teus irmãos. Eles esperam também poder ver-te crescer e brincar com eles! E quando nasceste, parecia que todo o amor que tínhamos até então era pouco. Muito pouco. Que grande família! Quem és tu? Não te vejo ainda. Mas vives. Vives dentro de mim. Lisboa, 1 de Junho de 2013 Associação Portuguesa de Famílias Numerosas

Países: sua dimensão territorial e recursos naturais versus desenvolvimento Um pouco na sequência das nossas “notícias” de Maio, decidimos, neste mês de Junho, procurar aprofundar certos aspectos a que algumas vezes se dá intencional relevo, tentando justificar o nosso atraso cultural e, em particular, socioeconómico, com a dimensão territorial do nosso país. É também com estes argumentos que, em especial os políticos, particularmente quando em períodos de paz, vão tentando justificar as reduções sucessivas nos contingentes das Forças Armadas, bem como no seu sofrível apetrechamento em equipamento bélico, que, além de escasso, é também em grande parte já quase obsoleto, pois não raro é adquirido a outros países, entre os sistemas de armas e afins que estes já estão a substituir por material mais moderno. Reportando-nos mais em concreto à Europa, continente de que fazemos parte, apesar deste ser bem mais pequeno que os restantes (asiático, americano, africano…), percentualmente tem mais países, pois, salvo erro ou omissão, é constituído por 38 estados independentes, havendo ainda seis protectorados (Andorra, Islândia, Liechtenstein, Mónaco, São Marino e o Vaticano). Todos os 38 países europeus dispõem de Forças Armadas, enquanto os protectorados, como a própria designação indica, se colocaram sob a protecção de países vizinhos amigos. Portugal é um destes 38 países e, como já referimos, por cá diz-se amiúde que somos um país pequeno, expressão que é apenas desculpa para o nosso atávico atraso cultural e socioeconómico. Estas afirmações, quase sempre pouco inocentes, são, pois, basicamente falsas, não só porque Portugal, em termos geográficos, está na primeira metade dos países europeus, como ainda o tamanho pouco tem a ver com desenvolvimento, como se vê, por exemplo, pela Suíça, Holanda, Bélgica, Luxemburgo, para só citarmos estes bem nossos conhecidos, em que sendo todos menores que Portugal, no entanto, qualquer deles está bem mais desenvolvido que o nosso e as suas populações têm um nível de vida bem acima do nosso. E se ainda quisermos fazer outras comparações, tal como nós, também eles não têm recursos naturais significativos. Aliás, se fizermos esta comparação, até é possível que fiquemos a ganhar, pois não só dispomos dum clima bem melhor, só que ainda não devidamente aproveitado turisticamente, tal como dispomos da mais extensa costa marítima europeia, fonte de riqueza importantíssima, enquanto alguns destes países nem sequer são banhados pelo mar (Suíça, Luxemburgo…). Portanto, caros combatentes e concidadãos, quando, nas últimas décadas, os políticos que nos vêm governando tentam justificar o nosso atraso com a nossa relativa pequenez territorial e falta de recursos naturais, a maioria deles não está mais do que a tentar justificar a sua própria impreparação e incompetência para a governação do País, ainda por cima em aliança com a sua insaciável sede de poder, quase sempre a sua principal razão para se meterem na política e quererem governar-nos. Se a estes condimentos juntarmos instituições críticas que funcionam mal (à cabeça destas ocorre-nos a Justiça) e ainda ao “fascínio” que os tais políticos nutrem pelos mais poderosos, em detrimento da esmagadora maioria da população anónima do País, o resultado só pode ser o que há três ou quatro anos nos vem atingindo ainda mais fortemente, com os de mais escassos bens a serem humilhados e espoliados até dos seus recursos de sobrevivência, com destaque para alvos bem definidos e que já nem têm qualquer hipótese de darem outro rumo às suas vidas. À cabeça destes estão pensionistas e reformados, grupo socioeconómico que, presentemente, inclui já a generalidade dos combatentes. Nestas alturas, temos tendência para denegrir a política e culpá-la de todas as nossas desgraças. Todavia, não é a política, em si, a responsável pelo estado calamitoso em que nos encontramos. A política, quando exercida com isenção e desapego ao poder, dá origem à real democracia e é uma nobre e justa arte de governação. O problema está, sim, na forma incompetente, interesseira, partidária e até sectária como uma boa parte da classe política nos vem (des)governando. No próximo artigo esperamos ser um pouco mais optimistas, falando de algo que ainda nos orgulha de sermos portugueses.


Jornal da Golpilheira

19

. temas . saúde . solidariedade .

Junho de 2013

. saúde .

Ana Maria Henriques Enfermeira

Fisioterapia

Este é um tipo de tratamento bem diferente dos outros abordados até agora. É realizado por um técnico específico (fisioterapeuta)  e pode implicar poucos ou nenhuns fármacos. As técnicas são muitos específicas e reflectem anos de aprendizagem.  A fisioterapia é um tipo de tratamento recomendado e prescrito pelo médico e deve ser cumprido o tempo de tratamento até à próxima consulta de reavaliação do médico. A fisioterapia é realizada em clínicas especializadas e em meio hospitalar e tem muitas indicações e objectivos diferentes. A face mais conhecida da fisioterapia é o acompanhamento e a reabilitação de doentes que sofreram perda de mobilidade, quer após um acidente, um AVC, etc. Nesta vertente, o fisioterapeuta tenta reabilitar as capacidades físicas de movimentos, força, elasticidade... Cada doente tem um potencial diferente, mas o objectivo maior é retomar as capacidades anteriores ao evento. Outro exemplo conhecido é a fisioterapia respiratória, em que as capacidades pulmonares são trabalhadas, através de exercícios respiratórios que aliviam sintomas de doenças respiratórias graves e atrasam a sua evolução. O acompanhamento de muitas doenças degenerativas também é benéfico, pois as limitações podem ser diminuídas e a evolução natural e inevitável da doença pode ser retardada. O objectivo maior do seguimento deste tipo de doenças pelo fisioterapeuta é a manutenção do máximo de capacidades possíveis. Para fazer os exercícios fisioterapeuticos podem ser necessários aparelhos muito sofisticados (o treino da marcha pode ser feito em suspensão num aparelho que percorre uma sala), pode ser realizado na água, numa bola elástica, ou podem ser feitos, simplesmente, com as mãos do fisioterapeuta com o doente deitado numa cama. A fisioterapia é muitas vezes complementada com outra terapêutica (comprimidos, inaladores, etc.), ser realizada com aplicação de cremes e pomadas, quente, frio, ou utilização de outros artefactos, como ligaduras, imobilizadores, etc. É fundamental para uma recuperação, essencial para o acompanhamento de doenças e ideal para o alívio de algumas dores. Quando realizada por profissionais treinados e devidamente acompanhada pelo médico, pode ser responsável por uma boa recuperação.

Convívio de S. João

Sardinhada no Hospital das Brancas Realizou-se no passado dia 23 de Junho a tradicional sardinhada anual, por altura do S. João, no Centro Hospitalar de Nossa Senhora da Conceição, da Misericórdia da Batalha, nas Brancas. É mais uma iniciativa que envolve a administração desta unidade hospitalar, funcionários, voluntários, familiares dos utentes internados e outras pessoas que anonimamente desejam colaborar. Para além do degustar das sardinhas, o evento proporciona, sobretudo, uma excelente tarde de convívio entre utentes, familiares e amigos. Uma vez mais, o fim foi conseguido, conforme espelhava o rosto de quantos participaram nesta sardinhada. Texto e foto: MCR divulgação

Misericórdia em festa

Centro comunitário da Batalha remodelado A Santa Casa da Misericórdia da Batalha realizou nos últimos meses algumas obras de requalificação e renovação do seu Centro Comunitário, na vila da Batalha. O espaço está agora melhor equipado e com condições propícias ao bem-estar e ao desenvolvimento das actividades regulares que ali se oferecem aos mais idosos do concelho. Estas novas instalações vão ser solenemente inauguradas no dia 28 de Junho, pelas 15h00, com uma cerimónia de bênção, seguida de um lanche de convívio com os utentes do Centro de Dia. divulgação

Dia 30 de Junho 09h00-13h00

Pão para as crianças do padre João Campanha de solidariedade O padre João Monteiro da Felícia, missionário da Consolata natural da Golpilheira, está em missão no Brasil, onde oferece o seu amor a Jesus Cristo no serviço aos mais desfavorecidos. Aqueles que, ainda antes da fé, precisam de pão para a boca. Desde 2006, o Jornal da Golpilheira tem uma campanha permanente para ajuda ao seu trabalho. Neste momento, será para as três casas de acolhimento a crianças e jovens com Sida na sua paróquia, em S. Paulo.

Desde 2006, já enviámos um total de 8.827 euros! Este mês recebemos 150 euros: - Vitor Martins - 150 euros

Colabore! Seja solidário... Contacte:

• CRG - R. Baçairo, 856 - 2440-234 GOLPILHEIRA • Pe. José Gonçalves (Pároco da Batalha) • António Monteiro Rosa (Casal Mil Homens)

...e poupe nos impostos!

Os Missionários passam recibo da sua oferta, que poderá deduzir no IRS. Basta que junte ao donativo o seu nome, morada e o n.º de contribuinte.

pub

Salão Paroquial da Batalha

CLÍNICA DENTÁRIA E OSTEOPÁTICA DA BATALHA Direcção Clínica: Dr.ª ANA FREITAS • Medicina Dentária Geral • Psicoterapia e Hipnose Clinica • Osteopatia • Psicologia de Crianças e Adolescentes • Terapia da Fala • Aulas de Preparação para o Parto • Acunpuntura Médica, Estética e Tratamento da Dor Acordos: SSCGD, SAMS, Multicare, Advance Care, Associados do Montepio, WDA e outros

Contactos: 911 089 187 • 964 108 979 R. dos Bombeiros Voluntários, Loja D - BATALHA

Consultas de Segunda-Feira a Sábado

Filipa Silva Solicitadora

Telf./Fax. 244 765 466 | Telm. 910 865 979 E-mail: 4830@solicitador.net Estrada de Fátima, n.º 16 - B, R/C Esq., 2440-100 Batalha (Junto à escola de condução Espírito Santo e Reis, Lda)


20

Jornal da Golpilheira

. temas . livros .

Junho de 2013

. espiritualidade . Paulus Editora .

Horizontes para uma Nova Evangelização

Raniero Cantalamessa

Este livro reúne as meditações realizadas na Casa Pontifícia, na presença do Papa Bento XVI, no advento de 2010 e de 2011. É um grande contributo para o esforço actual da Igreja em re-evangelizar o mundo secularizado. A primeira parte apresenta quatro momentos fundamentais na história da evangelização, com os seus respectivos protagonistas. A originalidade do autor é apresentar o momento actual como a quarta “nova evangelização” na história da Igreja. Na segunda parte analisa os principais desafios para a evangelização do mundo actual.

Rolando Teixo Pedro Bidarra Guerra e Paz Editores

Rolando é um homem normal que vive uma anormalidade sem explicação. Rolando é gestor de carreira, casado, com duas filhas, casa própria e um Audi. É um homem de rotinas, hábitos e normalidades. É um homem do seu tempo, só que o tempo está a mudar e Rolando, inesperadamente, a mudar com ele. Rolando Teixo é um romance sobre a natureza de cada um, a natureza que se esconde, se nega e se olha como doença mas que às vezes se abraça – em qualquer caso, sempre com um preço. Pedro Bidarra nasceu em Lisboa, estudou Psicologia Social na Universidade Clássica de Lisboa e Composição e História da Música no Instituto Gregoriano de Lisboa. Trabalhou como psicólogo, pianista, professor de composição, produtor de discos e radialista, antes de começar uma carreira de sucesso como redactor e criativo publicitário que durou duas décadas. Como criativo trabalhou em Lisboa, Paris, Hamburgo, Madrid, Nova Iorque, Londres e Moscovo, tendo oportunidade de verificar que, no fundo, isto é tudo igual.�

Eugénio Perregil( Coord.)

Ser Fit ‘Bora Lá!

Teresa Branco Guerra e Paz|Clube Livro SIC Este livro é para ti, rapaz ou rapariga, que tens entre 12 e 25 anos e queres ter um estilo de vida saudável. Ser Fit ‘Bora Lá! dá-te as melhores dicas para conseguires controlar o teu peso e a tua saúde, independentemente de o teu objectivo ser o aumento, a perda ou a manutenção do peso. É também para todos aqueles que vivem, trabalham e se relacionam com jovens e adolescentes. O controlo do peso nesta fase da vida depende de múltiplos factores e variáveis e o envolvimento dos pais, professores, avós e amigos é essencial. Nele encontrarás: tabelas nutricionais e indicações adaptadas ao teu diaa-dia; conselhos específicos para rapaz e rapariga; um programa de 4 semanas de alimentação e exercício concebido para atingires os teus objectivos. Como dia a autora, “o quanto gostamos de nós está muito pouco relacionado com o nosso corpo, mas muito mais relacionado com o que somos, com aquilo que conseguimos fazer e com a forma como nos vemos”.

O Miúdo Advogado

Nancy fugiu ao sofrimento do seu primeiro casamento, à morte macabra dos dois filhos pequenos, às histórias de capa dos jornais e às chocantes acusações feitas contra si. Mudou de nome, pintou o cabelo e foi viver para outro sítio. Agora, feliz com um novo marido e dois filhos lindos, Nancy sente que pode por fim esquecer a sua história trágica e começar a acreditar em segundas oportunidades. Até que, uma manhã, olha pela janela para ver os filhos, mas encontra apenas uma luva vermelha e percebe que o pesadelo começou do novo…

Na pequena cidade de Strattenburg há muitos advogados e, embora tenha apenas treze anos, Theo Boone julga-se um deles. Theo conhece todos os juízes, polícias, funcionários do tribunal e sabe imenso sobre a lei. Sonha com uma vida futura na sala do tribunal. Mas dá por sim numa muito antes do esperado. Por saber tanto, talvez de mais, é arrastado para o meio de um processo sensacional de homicídio. Um assassino de sangue frio está prestes a sair em liberdade e Theo é o único que sabe a verdade. A fasquia é elevada, mas Theo não vai desistir até que se faça justiça…

Mary Higgins Clark Bertrand Editora

Evangelho da Alegria

Este livro nasce a partir do musical Alegria da Fé, que pretendeu responder ao apelo do Papa Bento XVI aquando da sua mensagem do ano passado para o Dia Mundial da Juventude «Alegrai-vos sempre no Senhor», desafiando os jovens a serem Missionários da Alegria. Além da estrutura e canções do musical, este livro contém diversos textos reflexivos sobre o tema do “evangelho da alegria”, de autores como D. Manuel Clemente, D. António Couto, Pe. Eduardo Novo, entre outros. É também uma excelente preparação para a JMJ do Rio, trazendo por isso a mensagem do Papa para esta ocasião.

Onde Estão as Crianças?

Milagres e parábolas de Jesus Daniel Londoño Silva

Esta colecção infantil composta por 2 volumes, cada um com 12 pequenas histórias, apresenta as principais parábolas e milagres de Jesus contadas nos evangelhos. É uma óptima opção para oferta e para usar na catequese e em família, a fim de contar as histórias de Jesus às crianças.

Páginas do Páginas Soltas

Bárbara Guimarães Guerra e Paz|Clube Livro SIC Das conversas nasce um extraordinário alimento para o espírito. Por exemplo, José Saramago, Bernardo Sassetti, Graça Morais falam e oferecem-nos armas para sermos mais humanos, para sermos mais livres, para sabermos e podermos sonhar. Páginas do Páginas Soltas reúne as entrevistas de 30 grandes personalidades. É um livro indispensável para os leitores de Gonçalo M. Tavares ou Valter Hugo Mãe. Um livro indispensável para quem ouve Sassetti, para os espectadores dos filmes de Fernando Lopes. «Que livro é este?», perguntou-se Bárbara Guimarães, a sua autora. Ela mesmo nos esclarece: «Gosto de pensar que este livro é uma biblioteca ambulante.» É uma caverna de Ali Babá: estão aqui guardados, como se fosse uma memória riquíssima, os livros que os grandes escritores e artistas roubam ou dão uns aos outros. Este é um livro onde se pode viver.

Bésame Mucho Carlos González Pergaminho

Costuma dizer-se que os bebés não vêm com manual de instruções; contudo, nos nossos dias, o problema parece ser o oposto. Os pais vivem rodeados de «manuais de instruções», seja sob a forma de livros, de revistas especializadas, de blogues e fóruns online, ou simplesmente de conselhos de pediatras. Proliferam as opiniões, e as filosofias das diversas escolas de puericultura e pedagogia são cada vez mais diversificadas. Neste sentido, é difícil para os pais confiarem no seu instinto ou no seu primeiro impulso. Este livro vem devolver aos pais a confiança naquele sentimento que está por trás de tudo aquilo que os pais sentem, desejam e fazem pelos filhos: o amor. O Dr. Carlos González, pediatra e autor de renome, sugere que, seja qual for o problema com que um pai se depare – uma birra, uma crise de choro, uma aparente insónia, um caso de ciúme –, este só será verdadeiramente resolvido através de uma atitude razoável e de respeito pela criança como pessoa.

John Grisham Bertrand Editora

Uma Lágrima Salvou-me

Angèle Lieby com Hervé de Chanlendar Pergaminho No início do Verão de 2009, Angèle Lieby dá entrada nas urgências do hospital de Estrasburgo com uma enxaqueca muito intensa. O seu estado piora ao ponto de ser induzida em coma artificial e assim permanece vários dias, sem dar sinal de vida. Passam semanas e os médicos perdem a esperança, aconselhando os familiares a desligar as máquinas. O que ninguém sabe é que ela está a viver um inferno: presa neste corpo inerte, está completamente desperta e tem plena consciência de tudo o que se passa à sua volta. Até que se dá o milagre, no dia 25 de Julho, dia do seu aniversário de casamento: a filha repara que ela tem uma lágrima ao canto do olho. Apesar dos médicos afirmarem que isso é impossível, começa, muito lentamente, a recuperar. Tem assim início um processo intenso de fisioterapia e recuperação. Hoje em dia, Angéle está de perfeita saúde e dedica o seu tempo a participar em conferências médicas e a advogar os direitos dos pacientes e um cuidado médico mais atento e centrado nas necessidades de quem sofre.

Obsessão

Maya Banks Bertrand Editora Quando o milionário Gabe Hamilton viu Mia Crestwell entrar no salão de baile na grande inauguração do seu hotel, soube que os seus planos haveriam de o levar direitinho ao inferno. Ela é a irmã mais nova do seu melhor amigo, mas já não é uma menina. E Gabe esperou muito tempo para realizar os seus desejos. Mia tem também um fraquinho por Gabe desde a adolescência. Ele é catorze anos mais velho e de um meio completamente diferente do dela, mas a atracção que sente não para de crescer. Agora é adulta e não há razão nenhuma para não realizar os seus desejos mais secretos. Quando Gabe começa a arrastá-la para o seu mundo provocador, Mia apercebe-se de que há muitas coisas que não sabe sobre ele ou sobre a precisão das suas exigências. A relação que partilham é intensa e obsessiva, mas, ao atravessarem a fronteira da odisseia sexual secreta para algo mais profundo, correm o risco de expor a natureza da sua relação e de ficar vulneráveis a uma traição mais íntima do que esperavam.


Jornal da Golpilheira

. temas . livros . museu .

Junho de 2013

. museu de todos.

António José Teixeira Geólogo/Arqueólogo

Cabeça de Minerva em mármore – século I d.C

A peça escolhida para este mês de Junho é uma belíssima cabeça de Minerva em mármore, datável do século I d.C, encontrada na zona da cidade perdida de Collippo. Vem a propósito, pois o seu pai, Júpiter, faz parte da principal tríade de divindades romanas – com Marte e Quirino –, cujo culminar dos festejos era no mês de Junho, no grande tríplice CELA do Capitólio, onde se evocavam os três sacerdotes maiores, os três flamines – dialis, martialis e quirinalis. Minerva era a deusa da sabedoria, das artes e das estratégias de guerra. A peça arqueológica que mostramos foi descoberta com o seu elmo de guerra, mas as vicissitudes das intempéries a que esteve exposta durante décadas foi oxidando as partes em metal do elmo, até desaparecer completamente, lamentavelmente para a ciência arqueológica. A mitologia romana pode ser dividida em duas partes: a primeira, tardia e mais literária, consiste na quase total apropriação da grega; a segunda, antiga e ritualística, funcionava diferentemente da grega. O romano, que impregnava a sua vida pelo numen, uma força divina indefinida presente em todas as coisas, estabeleceu com os seus deuses um respeito escrupuloso pelo rito religioso – o Pax deorum – que consistia muitas vezes em danças, invocações ou sacrifícios. Ao lado dos deuses domésticos, os romanos possuíam diversas tríades divinas, adaptadas várias vezes ao longo das várias fases da história. Assim, à tríade primitiva constituída por Júpiter (senhor do universo), Marte (deus da guerra) e Quirino (o rei Rómulo, mitológico fundador de Roma), os etruscos inseriram o culto das deusas Minerva – como se disse atrás deusa das artes, da guerra e da sabedoria – e Juno, rainha do céu e esposa de Júpiter.

Com a república, surge Ceres, deusa da terra e dos cereais, Líber e Libera. Mais tarde, a influência grega inseria uma adaptação para o panteão romano do seu deus do comércio e da eloquência, Mercúrio, sob as feições de Hermes, e o deus do vinho, Baco, como Dionísio. Equivalente romana da deusa grega Atena, Minerva era filha de Júpiter. Após este engolir a deusa Métis (Prudência), ficou com uma forte dor de cabeça e pediu a Vulcano que lha abrisse com o seu melhor machado. Da cabeça aberta saiu Minerva, já adulta e transportando o escudo, a lança e a armadura. Era, por conseguinte, considerada uma das três deusas virgens, ao lado de Diana e Vesta. Minerva era para os atenienses a deusa da excelência, da misericórdia e da pátria. Além de padroeira das artes úteis e ornamentais, tanto as dos homens – como a agricultura e a navegação – quanto as das mulheres – como a fiação, a tecelagem e os trabalhos de agulha –, era também uma divindade guerreira. Só protegia, porém, a guerra defensiva e não simpatizava com o selvagem amor de Marte pela violência e pelo derramamento de sangue. Atenas era, de facto, o seu santuário legítimo e a sua cidade, que lhe fora oferecida como prémio de uma disputa com o deus Neptuno, que também aspirava a tal glória. A lenda diz que, no reinado de Cécrope, o primeiro rei de Atenas, as duas divindades disputaram a posse da cidade. Os deuses decidiram que o prémio seria dado àquela que oferecesse aos mortais o presente mais útil. Neptuno ofereceu o cavalo e Minerva a oliveira. Os deuses decidiram então que a oliveira era mais útil e concederam-lhe a cidade que tomou o seu nome, pois Minerva em grego é Atena.

21

Depois de Saul Gomes, José Travaços Santos

Última tertúlia no MCCB Tem sido um verdadeiro sucesso, sobretudo para a reflexão e promoção da cultura regional, as tertúlias que o Museu da Comunidade Concelhia da Batalha tem promovido, nas primeiras sextas-feiras do mês. A mais recente, no passado dia 7 de Junho, contou com a presença do historiador Saul António Gomes, que abordou a temática da origem das freguesias do concelho da Batalha, numa conversa de grande interesse histórico. As primeiras menções aos nomes das freguesias, topónimos, os monumentos e outras curiosidades foram alguns

dos assuntos apresentados por este distinto académico, que publicou já dois volumes de documentação histórica das duas freguesias da Golpilheira e do Reguengo do Fetal, muitos deles inéditos, e está a preparar obra semelhante sobre a Batalha. A próxima tertúlia, a 5 de Julho de 2013, terá como convidado o batalhense José Travaços Santos, etnógrafo galardoado com um Óscar Mundial do Folclore na Capital Europeia da Cultura, Guimarães 2012, que irá falar das “Tradições da Alta Estremadura”. Numa actividade permanente ligada ao rancho

Rosas do Lena, que comemora neste ano o 50.º aniversário, este investigador local muito tem contribuído para o desvendar das raízes desta região estremenha, através da música, dos trajos, das habitações e dos instrumentos musicais. Nesta conversa, que encerra o II Ciclo de Tertúlias no MCCB, Travaços Santos vem partilhar algumas destas tradições, trazendo consigo alguns dos elementos do rancho para recriar rimances, mezinhas, entre outros costumes. Como sempre, a entrada é livre.

Actividades para crianças

Férias de Verão no Museu O Museu da Comunidade Concelhia da Batalha vai dinamizar actividades lúdicas e pedagógicas destinadas ao público jovem, nas férias de Verão. Visitas de exploração, oficinas de expressão plástica, visitas temáticas a algumas atracções da região

são algumas das actividades que compõem o programa, a decorrer entre os dias 9 a 12 de Julho (para crianças entre os 6 e os 9 anos) e de 16 a 19 de Julho (para crianças entre os 10 e aos 12 anos). Registe-se que, para além de actividades a realizar no Museu, o programa

vai facultar visitas a espaços como as Grutas da Moeda, Mata do Cerejal, Quartel dos Bombeiros Voluntários da Batalha, entre outros. As inscrições são limitadas e podem ser realizadas até ao dia 5 de Julho, no MCCB, ou através do email geral@museubatalha.com.

Biblioteca da Batalha Hora do conto para bebés A Biblioteca da Batalha vai acolher sessões de contos para bebés dos 0 aos 3 anos de idade, nos próximos dias 29 de Junho e 27 de Julho, às 16h00, com o tema “Conto do Tigo”. A mesma iniciativa decorrerá no pólo de S. Mamede, nos dias 30 de Junho e 28 de Julho, às 10h30.

“Conto do Tigo” pretende assumir-se como uma experiência diferente e enriquecedora para os bebés, visando aproximar os mais pequenos do livro, com recurso a diversas técnicas e estratégias específicas para estas idades. A acção é gratuita mas limitada nas inscrições, sen-

do realizada pela Clínica Contigo – Clínica do Desenvolvimento, em Fátima. Informações e inscrições para biblioteca@cm-batalha.pt ou biblioteca.smamede@gmail.com, com o nome da criança e do acompanhante, idade, contacto e morada, e local pretendido para a sessão.

“Dos livros de aventuras à aventura de escrever livros” A Biblioteca da Batalha recebeu, no dia 7 de Junho, o conhecido escritor leiriense Rui Matos, recentemente eleito director da Escola Superior de Educação e Ciências Sociais de Leiria, do IPL, numa acção

de sensibilização dirigida a pais, docentes e jovens, subordinada ao tema “Dos livros de aventuras à aventura de escrever livros”. Licenciado e mestre em Educação Física, doutorado em Motricidade Humana, o

docente é autor de inúmeros artigos, sendo conhecido do grande público pelas muitas obras infantis que já publicou, nomeadamente, a conhecida colecção “As aventuras de Rafa”.


22

Jornal da Golpilheira

. poesia . obituário . institucional .

. poesia .

Junho de 2013

Um retrato de vida Ao nosso novo patriarca D. Manuel Clemente Um amigo de infância Com o qual de perto convivi A vida mudou com a distância Mas esse bom amigo nunca esqueci. Companheiros da catequese e escuteiros E das brincadeiras no largo da Batalha De Torres Vedras somos filhos e herdeiros A vida e a distância o relata. O passado sempre o recordei E o valor deste ilustre torreense Que respeitosamente sempre acompanhei Sinto honra e nos pertence. Amigo verdadeiro e leal Conhecia e acolhia com amizade Na sua casa cada momento era real Numa dádiva oferecida com humildade. Sua obra tem sido valiosa A justiça de Deus o tem contemplado Sua terra sempre orgulhosa Pelo seu trilho bem caminhado. A humildade tem sido o seu nobre valor Que não deixa esquecer qualquer memória Onde tem passado deixa carinho e amor É este o justo retrato de vida com história. Um bem-haja para a futura caminhada É o voto sincero do amigo de sempre, José António Carreira Santos, residente na Marinha Grande

O sol ao pôr-se no mar

DR

Parece um fogo ardente Faz-nos perturbar o olhar Deslumbra no horizonte Vaidoso e contente. Esconde-se das montanhas Em silêncio suavemente O reflexo cai sobre o mar Calmamente quer descansar. Cremilde Monteiro

. in memoriam . Dr. Ruy de Moura Ramos

CARTÓRIO NOTARIAL DA BATALHA Notária: Sónia Marisa Pires Vala

Morreu no dia 19 de Junho de 2013, o Dr. Ruy de Moura Ramos e com a sua morte desapareceu uma figura notável de cidadão, de patriota e de homem de Cultura. Natural da Batalha, onde nasceu em 15 de Dezembro de 1917, aí iniciou a sua vida profissional como chefe da secretaria da Câmara Municipal, após ter tirado o curso de Direito na Universidade de Coimbra. Poucos anos depois, foi nomeado director do Instituto Reeducação de S. Fiel, daí passando para a Prisão-Escola de Leiria. Em ambos os estabelecimentos, o primeiro para menores com problemas de comportamento e o segundo para rapazes entre os 16 e os 25 anos já sujeitos à Lei Penal, exerceu uma acção inovadora que marcou de forma indelével estes serviços. No seu tempo, na Prisão-Escola chegaram a beneficiar simultaneamente do regime de meia-liberdade perto de trinta internados, vários autorizados a frequentar a escola Domingos Sequeira e a participar nas actividades do Orfeão de Leiria. Depois do 25 de Abril de 1974, foi alvo de injustificada incompreensão no período revolucionário da mudança política, o que em breve foi reconhecido, tendo-lhe sido pedido, após a imposição duma reforma compulsiva, o regresso com todos os direitos aos serviços. Nomeado, então, director do Estabelecimento de Vale de Judeus, conseguiu repô-lo em completo funcionamento após as destruições aí perpetradas. Era por natureza um educador e um humanista e imprimiu sempre essas características à sua acção. Foi ainda professor do Seminário Diocesano de Leiria e da Escola de Educação Social Rural dos Marrazes, de que foi director após o falecimento do fundador, Monsenhor Dr. José Galamba de Oliveira. Em duas legislaturas, a partir de 1962, foi deputado à Assembleia Nacional, um deputado empenhado e preocupado com o circulo eleitoral que representava, o do distrito de Leiria, e com o nosso país, sendo inúmeras as suas intervenções. Entre elas: sobre a valorização urbanística da vila da Batalha, sobre a situação dos lavradores do vale do Lis, sobre a previdência social e o estatuto de saúde e assistência, sobre os Serviços Tutelares de Menores, saúde mental, restituição das circunscrições de exploração dos C.T.T. às sedes dos distritos, insuficiência da capacidade de lotação do liceu e da escola técnica de Leiria, problemas da juventude, casamento das enfermeiras, situação do pessoal dos serviços prisionais, crise agrícola e as medidas a tomar, reforma do Código Administrativo, turismo, solicitação sobre a construção do porto de abrigo da Nazaré, problema hospitalar no distrito de Leiria, problema do pão, vários aspectos da viticultura, etc., etc. O ciclo preparatório foi instalado na Batalha devido à sua acção, e à Câmara da Batalha doou a sua biblioteca, composta por milhares de volumes. Durante vários anos presidente da mesa da Assembleia Geral da Santa Casa da Misericórdia da Batalha, tendo também, ele e a esposa, distinguido esta instituição com um generoso apoio. A Câmara Municipal galardoou-o, a 14 de Agosto de 2005, com a Medalha de Mérito, grau ouro, do Município. Homem de grande cultura, era um excelente orador, deixou vários opúsculos e inúmeras cartas que são verdadeiras peças literárias. O Dr. Ruy de Moura Ramos era casado com a Dr.ª D. Maria Helena dos Prazeres Gens Moura Ramos, pai do Professor Doutor José Manuel Gens Moura Ramos, que foi presidente do Tribunal Constitucional e é professor catedrático da Universidade de Coimbra, Dr.ª Leonor, Dr.ª Maria Helena, Dr. Gonçalo e Dr. Luís Gens Moura Ramos. Dos seus irmãos, são vivos a D. Edite Moura Ramos Coelho Ribeiro e o engenheiro Francisco Ramos de Moura, que foi presidente da Câmara Municipal da Batalha. O Jornal da Golpilheira presta-lhe, assim, uma derradeira homenagem e apresenta os mais sentidos pêsames à família enlutada. José Travaços Santos

Certifico, para fins de publicação, que por escritura lavrada hoje, exarada de folhas setenta a folhas setenta e duas, do Livro Cento e Noventa - B, deste Cartório. Emília de Jesus Silva, NIF 150 665 164, solteira, maior, natural da freguesia de São Mamede, concelho da Batalha, residente na Rua Capitães de Abril, nº 41, 2° Esq., Alfornelos, Amadora, declara que com exclusão de outrem, é dona e legítima possuidora de um quinto indiviso do prédio rústico, composto de terra de cultura com oliveiras, com a área total de dois mil quinhentos e quarenta metros quadrados, sito em Tapada, freguesia de São Mamede, concelho da Batalha, a confrontar no todo de norte com caminho, de sul e de nascente com António Joaquim Vieira e de poente com João Ribeiro Dias, não descrito na Conservatória do Registo Predial da Batalha, e inscrito na matriz predial rústica sob o artigo 9.672, com o valor patrimonial correspondente à fracção para efeitos de IMT de €49,43. Que, adquiriu o identificado direito predial, no ano de mil novecentos e cinquenta e nove, por doação verbal de seu pai António da Silva, viúvo, residente que foi no lugar de Moita do Martinho, São Mamede, Batalha, que por sua vez o havia adquirido por doação verbal de Manuel Vieira Júnior, residente que foi no dito lugar de Casal Duro, São Mamede, sem que no entanto ficasse a dispor de título formal, mas desde logo entrou na posse e fruição do mesmo. Que em consequência daquela doação verbal, possui o referido direito predial em nome próprio há mais de vinte anos sem a menor oposição de quem quer que seja desde o seu inicio, posse que sempre exerceu sem interrupção e ostensivamente com o conhecimento de toda a gente e a prática reiterada dos actos habituais de um proprietário pleno, com o amanho da terra, recolha de frutos, conservação e defesa da propriedade, pagamento das contribuições e demais encargos, pelo que, sendo uma posse pacífica, contínua, pública e de boa fé durante aquele período de tempo, adquiriu o direito predial da verba um por usucapião. Batalha, sete de Junho de dois mil e treze. A funcionária com delegação de poderes Lucília Maria Ferreira dos Santos Fernandes – 46/3 Jornal da Golpilheira, ed. 192, 24 de Junho de 2013

CARTÓRIO NOTARIAL DA BATALHA Notária: Sónia Marisa Pires Vala

Certifico, para fins de publicação, que por escritura lavrada hoje, exarada de folhas noventa e uma a folhas noventa e duas, do Livro Cento e Noventa - B, deste Cartório. Hugo Filipe da Silva Damásio, solteiro, maior, natural da freguesia e concelho da Batalha, onde reside na Rua Infante D. Fernando, lote 10, 3.º Dtº, Batalha, que outorga na qualidade de único sócio e gerente, em representação da sociedade unipessoal por quotas “DAMÁSIO UNIPESSOAL, LDA” número único de matricula e pessoa colectiva 502 429 062, com sede no lugar de Casais dos Ledos, freguesia e concelho da Batalha, matriculada na Conservatória do Registo Comercial da Batalha, com o capital social de cinco mil euros, qualidade e poderes para o acto, que verifiquei por consulta da certidão permanente disponível no portal da empresa, com o código de acesso nº 5512-3034-6282, nos termos do artigo 75.º, n.º5 do Código do Registo Comercial, declara que com exclusão de outrem, a sociedade “Damásio Unipessoal, Lda.”, que representa, é dona e legítima possuidora do prédio rústico, composto de terra de semeadura, com a área de mil e oitenta metros quadrados, sito na Rua da Fonte – Casais dos Ledos, freguesia e concelho da Batalha, a confrontar de norte com Albino Matias, de sul com Edmundo Damásio Ferreira, de nascente com Rua da Fonte, lavadouro e fontanários públicos e Damásio Unipessoal, Lda, e de poente com Jaime Patrocínio Pedroso, não descrito na Conservatória do Registo Predial da Batalha, inscrito na respectiva matriz predial no artigo 10.313, com o valor patrimonial de €1.200,00. Que a sociedade que representa, adquiriu o identificado prédio no ano de mil novecentos e noventa e um, por compra meramente verbal a Jaime Patrocínio Pedroso, solteiro, maior, residente no dito lugar de Casais dos Ledos; Que, tendo a referida compra sido meramente verbal, não tem a dita sociedade, título formal de aquisição do identificado prédio, porém, possui o mesmo em nome próprio há mais de vinte anos sem a menor oposição de quem quer que seja desde o seu inicio, posse que sempre exerceu sem interrupção e ostensivamente com o conhecimento de toda a gente e a prática reiterada dos actos habituais de um proprietário pleno, com a ocupação do prédio, amanho da terra, recolha de frutos, conservação e defesa da propriedade, pagamento das contribuições e demais encargos, pelo que, sendo uma posse pacífica, contínua, pública e de boa fé durante aquele período de tempo, a sociedade “Damásio Unipessoal, Lda.”, que representa, adquiriu o referido prédio por usucapião. Batalha, vinte e um de Junho de dois mil e treze. A funcionária com delegação de poderes Lucília Maria Ferreira dos Santos Fernandes - 46/3 Jornal da Golpilheira, ed. 192, 24 de Junho de 2013

pub

Agência Funerária Santos & Matias, L.da SERVIÇOS

FÚNEBRES

Brancas (Residência e Armazém) –  244 765764 Batalha (Escritório) -  244 768685 fune_santosematias@sapo.pt • 96 702 7733

Obituário

Informamos que a publicação dos agradecimentos por ocasião de falecimento é gratuita para naturais e residentes na Golpilheira. Publicaremos apenas quando nos for pedido pelos familiares ou agências funerárias.


Jornal da Golpilheira

. a fechar .

Junho de 2013

Bombeiros Voluntários da Batalha G.N.R. Batalha Junta de Freguesia Golpilheira Câmara Municipal Batalha Extensão de Saúde da Golpilheira Centro de Saúde da Batalha Centro Hospitalar N. S. C. - Brancas Hospital de Santo André Farmácia Padrão – Golpilheira Farmácia Padrão (Batalha) Farmácia Ferraz (Batalha) Escola Primária da Golpilheira Jardim-de-Infância da Golpilheira Agrupamento Escolas Batalha Segurança Social (Geral) Conservatória R. C. P. C. Batalha Finanças da Batalha Misericórdia da Batalha Correios (CTT) - Batalha Posto de Turismo da Batalha Biblioteca Municipal Batalha Cinema/Auditório Municipal Museu Comunidade Concelhia Batalha Mosteiro de Santa Maria da Vitória EDP - Avarias (24 horas) Águas do Lena (Piquete: 939 080 820) Rodoviária – Agência Batalha Táxis da Batalha Rádio Batalha Centro Recreativo da Golpilheira

244 768 500 244 769 120 244 767 018 244 769 110 244 766 836 244 769 920 244 769 430 244 817 000 244 767 856 244 765 449 244 765 124 244 766 744 244 767 178 244 769 290 808 266 266 244 764 120 244 765 167 244 766 366 244 769 101 244 765 180 244 769 871 244 769 870 244 769 878 244 765 497 800 506 506 244 764 080 244 765 505 244 765 410 244 769 720 244 768 568

Gostei muito de ir à Festa da Fé que a nossa diocese organizou! Tantas crianças, tanta actividade, tanta coisa bonita! ...até pinga boa havia, vê lá tu!

Eu sei... também passei por lá e vi isso tudo! Mas... reparaste na “pobreza” da barraca da nossa vigararia da Batalha?! Até fechou mais cedo do que as outras!...

Assinatura anual

Portugal: 8 euros • Europa: 12 euros • Resto Mundo: 15 euros

Nome ________________________________________ Rua __________________________________________ _______________________________ Nº ___________ Localidade ____________________________________

Pois foi... só espero que não tenha sido por alguém ter levado demasiado “à letra” aquela recomendação de cada barraca ser o espelho da realidade cristã e social da vigararia!...

Barraca da Fé

. foto do mês. LMFerraz Agarradas ao osso... Na Festa da Fé da Diocese (ver pag. 15), estiveram muitos golpilheirenses. Várias catequistas com os seus grupos de catequese, diversos escuteiros e, claro, muitos fiéis que passaram pelas inúmeras actividades que encheram aquele fim-de-semana. Não podemos colocar as fotos de todos... deixamos apenas estes dois exemplares de alguém que esteve (mesmo) agarrado ao osso. As outras fotos (para aí 2.000) estão em www.leiria-fatima.pt.

Ficha Técnica Registo ICS . 120 146 / Depósito Legal . 104.295/96 Contribuinte . 501 101 829 Director . Luís Miguel Ferraz (CP 5023) Director-adjunto . Manuel Carreira Rito (TE-395) Composição . Paginação . Luís Miguel Ferraz Colaboradores . Ana Maria Henriques, António Ferraz (assinaturas), Carolina Carvalho (secretária), Catarina Bagagem, Célia Capitão, Cremilde Monteiro, Cristina Agostinho, Filomena Meneses (assinaturas), Joaquim Santos, José António Santos, José Jordão Cruz, José Travaços Santos, Marco Ferraz (publicidade), Pedro Jerónimo, Rui Gouveia, Sofia Ferraz. Propriedade/Editor . Centro Recreativo da Golpilheira (Instituição Utilidade Pública - D.R. 239/92 de 16/10) Presidente: Belarmino Videira dos Santos Almeida Sede . Estrada do Baçairo, 856 - 2440-234 Golpilheira Tel. 965022333 / 244 768 568 . Fax 244 766 710 Composição. Est. do Vale, 100 - 2440-232 Golpilheira Impressão . Empresa Diário do Minho, Lda . Tel. 253303170 Tiragem desta edição . 1500 exemplares Sítio: www.jornaldagolpilheira.pt Blog: www.jgolpilheira.blogspot.pt Facebook: www.facebook.com/jgolpilheira Twitter: www.twitter.com/jgolpilheira Email: geral@jornaldagolpilheira.pt

23

divulgação

80 anos da Nequinha No passado dia 1 de Junho, Maria Irene Coelho Pereira, mais conhecida por “Menina Nequinha”, completou a bonita idade de 80 anos. Os familiares e amigos mais próximos organizaram uma bonita festa de homenagem, a que o Jornal da Golpilheira também se associa, em nome dos muitos golpilheirenses que beneficiaram e continuam a beneficiar da sua dedicação à comunidade. É bem conhecido o seu trabalho pe-

las pessoas da sua terra, nomeadamente, ao serviço da Igreja da Golpilheira, em que foi durante décadas a responsável pela organização da catequese e pelos paramentos e alfaias litúrgicas,

participante no grupo coral, entre outras actividades que ainda hoje continua a desempenhar. Desejamos-lhe muitos anos de saúde e felicidade no nosso convívio.

CP _ _ _ _ - _ _ _ ______________________________ Tel. _________________ Data Nasc. ___ / ___ / _____ Email: ________________________________________ Entregar ou enviar para: Centro Recreativo Est. Baçairo, 856 • 2440-234 GOLPILHEIRA

QUOTAS e ASSINATURAS Caro Sócio do Centro Recreativo ou Assinante do Jornal da Golpilheira

Lembre-se que poderá pagar as suas quotas ou assinaturas ao balcão do CRG.

Ajude a sua Associação!

Bodas de Ouro Matrimoniais O casal Maria do Carmo Menezes e Manuel Ascensão Prior, residentes na Golpilheira, festejam as suas bodas de ouro matrimoniais a 28 de Julho de 2013. Para comemorar esta data tão especial, vão juntar os seus familiares e amigos mais próximos numa celebração eucarística, no Convento dos Franciscanos, em Leiria, às 10h30. De seguida, oferecerão um almoço de confraternização, nos Morgatões. Ao casal aniversariante desejamos uma festa feliz e muitos anos de sempre renovado amor.


. divulgação . apoio .

. Jornal da Golpilheira . Junho de 2013 .

24


1306 Jornal da Golpilheira Junho 2013