Page 1

C Y M K

Ano 5 - n°69 - Dezembro de 2012

A atual Economia

Agrícola na

região noroeste página 12

DISTRIBUIÇÃO GRATUITA

Nesta edição

O JORNAL QUE FALA COM O HOMEM DO CAMPO

CLIMA

Excesso de chuvas prejudica Safra de mel página 10

GENÉTICA

Célula e o Material Genético

página 33


2

Dezembro de 2012

Editorial Extrativismo

Vegetal Orgânico

O

extrativismo vegetal ou agroextrativismo combina técnicas de cultivo, criação e beneficiamento que buscam reproduzir a estrutura e respeitar os padrões do ambiente natural das espécies. As atividades são orientadas para o uso do conhecimento e as práticas tradicionais. No extrativismo vegetal é considerado orgânico o produto extraído ou coletado em ecossistemas nativos ou modificados, onde a manutenção da sustentabilidade do processo produtivo não dependa do uso sistemático de insumos externos, especialmente os químicos. Além disso, o princípio é o respeito à singularidade cultural dos povos e comunidades tradicionais e dos agricultores familiares, aliado à manutenção da estrutura dos ecossistemas e suas funções. O Manejo Extrativista Sustentável Orgânico deve adotar práticas que atendam aos seguintes princípios gerais: I - conservação dos recursos naturais; II - manutenção da estrutura dos ecossistemas e suas funções; III - manutenção da diversidade biológica; IV - desenvolvimento socioeconômico e ambiental local e regional; V - respeito à singularidade cultural dos povos e comunidades tradicionais e agricultores familiares; e VI - destinação adequada dos resíduos de produção, buscando ao máximo o seuaproveitamento.

Mandioca

Butiá

Beterraba

É o nome pelo qual é conhecida a espécie comestível e mais largamente difundida do gênero Manihot, composto por diversas variedades de raízes comestíveis. O nome dado ao caule do pé de mandioca é maniva, o qual, cortado em pedaços, é usado no plantio. Trata-se de um arbusto que teria tido sua origem mais remota no oeste do Brasil (sudoeste da Amazônia) e que, antes da chegada dos europeus à América, já estaria disseminado, como cultivo alimentar, até a Mesoamérica (Guatemala, México). Espalhada para diversas partes do mundo, tem hoje a Nigéria como seu maior produtor. No Brasil, possui muitos nomes, usados em diferentes regiões, tais como: aipim, castelinha, macaxeira, mandioca-doce, mandioca mansa, maniva, maniveira, pão-de-pobre, mandioca-brava, a que contém o venenoso ácido cianídrico; e variedades como aiapuã e caiabana, ou nomes que designam apenas a raiz, como caarina.

O termo butiá é a designação comum às palmeiras do gênero Butia, com nove espécies conhecidas, nativas da América do Sul. Possuem em geral estipe médio, com cicatriz de pecíolos antigos, longas folhas penatífidas, em obras trançadas, e pequenas drupas comestíveis, com semente oleaginosa. O butiá pode remeter ainda, mais especificamente, à Butia capitata, uma palmeira de até 7 m, nativa do Paraguai, Brasil (de Minas Gerais ao Rio Grande do Sul), Argentina e Uruguai, cujo estipe é utilizado no fabrico de papel. De seus frutos, alaranjados, se faz geleia, licor, cachaça e vinagre, e das sementes, comestíveis, se extrai óleo. Também é conhecida pelos nomes de butiá-açu, butiá-azedo, butiá-branco, butiá-da-praia, butiá-de-vinagre, butiá-do-campo, butiá-miúdo, butiároxo, butiazeiro, cabeçudo, coqueiroazedo, guariroba-do-campo e palmapetiza. No estado do Rio Grande do Sul esta palmeira também é conhecida como jerivá.

São classificadas em três tipos: a açucareira, usada para produção de açúcar, a forrageira, usada para alimentação animal e aquela cujas raízes são consumidas como hortaliça, sendo a mais conhecida no Brasil. Embora produza melhor em épocas de clima ameno, a beterraba é cultivada durante todo o ano. Quanto aos solos, são preferíveis aqueles leves e bem drenados. O cultivo pode ser feito direto no canteiro ou por meio de mudas, porém, a segunda forma apresenta melhores resultados. Em ambos os casos, tanto no preparo das mudas nas semeadeiras como no plantio direto na terra, a distân- c i a deve ser de 25 a 30 centímetros entre as fileiras e a mesma distância entre si.

Pontos de Distribuição do Jornal Correio Rural na região AJURICABA SINDICATO RURAL MERCADO DEPIERI FERRAGENS COTRIJUI SUPERM. COTRIJUI POSTO CENTRAL MILKTEC OSTER PNEUS AUGUSTO PESTANA SINDICATO RURAL AGRIPLAN CASA COLONIAL MERCADO PESTANENSE LOJA JOST SUPERM. COTRIJUI BOM GOSTO AGROAMBIENTAL SÃO RAFAEL BOA VISTA DO CADEADO CORREIO PADARIA BOA VISTA POSTO IPIRANGA SICREDI BOZANO AGRO-VETERINARIA BOZANO POSTO BOZANO COTRIJUI CATUÍPE SINDICATO RURAL AGROP. GIRASSOL CASA RURAL POSTO BURMANN AGROCENTRO LOJA JOST NEDEL DALLA CORTE AGRO CAMPO EMATER S.M. BARONI CORONEL BARROS CASA DO PRODUTOR LOJA JOST POSTO LARA COTRIJUI EMATER CONDOR SINDICATO RURAL POSTO LATINA DO CENTRO MERCADO AVENIDA POSTO COTRIPAL JOSCIL

Boldo Deve-se plantar logo após a retirada do ramo (pedaços de ramos de uma planta-mãe ) e, de preferência, em período chuvoso, para facilitar a pega. Na ausência de chuvas, regar diariamente até a pega, e depois mais espaçadamente. Não é exigente quanto a solos. As folhas já podem ser colhidas poucos meses após o plantio (a cada 4 meses ). Durante a floração, as folhas perdem parte de suas propriedades terapêuticas, por isso devem ser colhidas antes desse período. Óleo essencial rico em guaieno e fenchona; contém ainda barbatol, barbatesina, cariocal e barbatusol. Não se deve confundir o nosso boldo-nacional, erva aromática de 60-80cm de altura, com o verdadeiro boldo-do-chile (Pelmus boldus ), árvore originária do Chile, de mais de 8m de altura. O boldo-nacional possui as mesmas propriedades do boldo-do-chile. Pode ser usado em afecções hepáticas, como hepatite, cólicas e congestões, bem como afecções febris, afecções gástricas, dispepsias, flatulência, obstipação, inapetência, cálculos biliares, debilidade orgânica, insônia, ressaca alcóolica.

Vaga-lume

Tatu-bola

Também conhecido como pirilampo, é um inseto muito conhecido pela produção e emissão de luz. A luz dos vaga-lumes ocorre em função da presença da luciferina que são pigmentos responsáveis pela bioluminescência (emissão de luz por alguns animais). A parte iluminada, geralmente na cor verde florescente, dos vaga-lumes fica na parte inferior da região abdominal. Estes insetos possuem, de acordo com a espécie, de 1 a 3 centímetros em média de comprimento, além de uma coloração que vai do amarelo claro ao marrom escuto. Algumas espécies possuem faixas pretas no corpo. Os vaga-lumes da espécie dos elaterídeos emitem faixos de luz de aproximadamente um metro de diâmetro. Voam acima das copas das árvores. O acasalamento ocorre na fase do verão, período que ficam mais ativos. Os vagal u m e s adultos vivem somente no verão, e podem viver de 1 a 3 anos.

É a denominação comum para as espécies de tatu do gênero Tolypeutes, Tolypeutes tricinctus e Tolypeutes matacus, conhecidas respectivamente como tatu-bola-da-caatinga e mataco. Essas espécies são também conhecidas em algumas regiões como tatuapara, apara e apar. As espécies de tatu do gênero Tolypeutes contam com cerca de 30 cm de comprimento, têm coloração marrom anegrada e, geralmente, três cintas móveis. São os únicos tatus capazes de se enrolar completamente dentro da carapaça, assumindo o formato de bola. De acordo com a União Internacional para a Conservação da Natureza e dos Recursos Naturais (IUCN), enquanto o tatu-bola-da-caatinga é uma espécie ameaçada, com estado de conservação vulnerável. O tatu bola da caatinga foi anunciado em 16 de setembro de 2012 como mascote da copa do mundo de 2014.

CRUZ ALTA AGROLAK STARMAQ CRUZAUTO MARASCA SEMENTES CENTROSUL NEG. RURAIS GARRAFA AGROCOM. RAZERA REDEMAQ REBELATTO FARM. VET. CRUZ ALTA AGRÍCOLA AGRICRUZ SUL PEÇAS JÓIA SINDICATO RURAL POSTO STA. TEREZINHA COTRIJUI SEMEAR LOJA JOST VET. BICHO DE 7 CABEÇAS EMATER IJUÍ SINDICATO RURAL EMATER SCHULZ MAT. CONSTRUÇÃO I SCHULZ MAT. CONSTRUÇÃO II TRATOR SUL REDEMAC AGROVEL IROPEL CENTRAL DA CONSTRUÇÃO SUPERM. COTRIJUI I SUPERM. COTRIJUI II ASSOCIAÇÃO ARAI NOVA RAMADA SUPERM. COTRIJUI PANAMBI SINDICATO RURAL VET. IVO GAERTNER CASA PRODUTOR DE LEITE COMERCIAL TRENTINI POSTO BR CENTRAL SEMENTES VAN ASS PEJUÇARA SINDICATO RURAL SIND. TRAB. RURAIS REBELATTO FARM. VET. SICREDI COTRIMAIO SANTO AUGUSTO SIND. TRAB. RURAIS COOMACEL PLANTASUL LUPA AGRÍCOLA GERAL AGROPECUÁRIA TARUMÃ PREFEITURA MUNICIPAL EMATER SANTA BARBARA DO SUL POSTO DO DICO SANTO ÂNGELO SINDICATO RURAL SIND. TRAB. RURAIS POSTO STA. TEREZINHA

C Y M K


C Y M K

Dezembro de 2012

3


4

Dezembro de 2012 Luiz Fernando Mainardi

SAFRA 2013

Safra de grãos deve atingir 180,2 milhões de toneladas, aponta Conab

A

safra de grãos brasileira para o período 2012/2013 deve atingir 180,2 milhões de toneladas, conforme estimativa divulgada pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) e pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), em Brasília. O volume representa um incremento de 8,4% ou 14 milhões de toneladas a mais do que a safra anterior, que

foi de 166,17 milhões. Assim como no levantamento divulgado em novembro, a soja continua sendo o principal produto entre as culturas quanto ao crescimento de produção. A oleaginosa teve um aumento de 16,24 milhões de toneladas em comparação com o período passado. O milho primeira safra manteve a elevação de 607,4 mil toneladas, enquanto o feijão teve acréscimo de

66,6 mil toneladas. Já a área cultivada teve uma elevação de cerca de 2% ou 1,05 milhão de hectares se comparado à safra anterior, atingindo 51,94 milhões de hectares. O maior crescimento neste aspecto entre as culturas foi a de soja, com alta de 8,8% ou 2,2 milhões de hectares, se comparado ao mesmo período em 2011/2012, quando foram cultivados 25,04 milhões

de hectares. Este é o terceiro levantamento realizado para a safra 2012/2013. Os técnicos da Conab estiveram em campo entre os dias 19 e 23 de novembro nas principais regiões produtoras para fazer a apuração dos dados. Uma vez que o plantio está em fase final, a Conab passará a acompanhar o comportamento climático que poderá alterar as produtividades estimadas.

IBGE Segundo levantamento do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) também divulgado nesta quinta-feira, a safra brasileira de grãos em 2013 deve ser 6,9% maior do que a safra de 2012. A produção de cereais, leguminosas e oleaginosas para 2013 foi estimada em 173,8 milhões de toneladas, em comparação com 162,6 milhões colhidos em 2012. A área a ser colhida deve somar 51,511 milhões de hectares, um aumento de 5,4% em relação à área em 2012. Em 2013, entre os dez produtos de maior importância analisados para a próxima safra de verão, seis mostraram aumento na produção em relação a 2012, segundo o IBGE: arroz (1,3%), feijão 1ª safra (26,5%), fumo (6,9%), mandioca (2,8%),milho 1ª safra (7,4%) e soja (23,9%).

Houve estimativa de redução, entretanto para a safra de algodão (-22,5%), amendoim 1ª safra (-7,8%), batata-inglesa 1ª safra (-1,1%) e cebola (-4,0%). Quanto à área colhida em 2013, a estimativa é de aumento para o arroz (0,1%), feijão 1ª safra (18,4%), milho 1ª safra (4,6%) e soja (7,5%). Os produtos que devem ter redução na área em relação a 2012 são o algodão herbáceo (-22,4%), amendoim 1ª safra (-0,3%), batata-inglesa 1ª safra (-3,9%), cebola (-0,6%), fumo (-0,3%) e mandioca (-4,8%). Para 2012, o Levantamento Sistemático da Produção Agrícola (LSPA) de novembro projeta safra de 162,6 milhões de toneladas, montante estável em relação ao levantamento de outubro, informou o IBGE. Se confirmada, a safra será

Levantamento do IBGE estima produção de cereais, leguminosas e oleaginosas para 2013 em 173,8 milhões de toneladas

1,6% superior à do ano passado, que foi de 160,1 milhões de toneladas. A área a ser colhida em 2012 será de 48,9 milhões de hectares, aumento de 0,4% em relação à área colhida em 2011. No entanto, houve redução de 0,2% na comparação com a avaliação do mês anterior. O arroz, o milho e a soja respondem por 85,2% da

área a ser colhida e 91,3% da estimativa da produção. Em relação ao ano anterior o arroz apresenta redução na área de 13,6%, o milho um acréscimo de 7,9% e a soja, aumento de 3,6%. Quanto à produção, a do milho será 27,3% maior, enquanto a de arroz sofreu redução de 15,1% e a de soja, de 12,5%, na comparação com o ano passado.

SAFRA 2013

Plantio antecipado garante qualidade no processo de certificação de sementes Enquanto a maioria dos produtores rurais semeou a soja no final de outubro ou no início de novembro, na Fundação Pró-Sementes este trabalho começou antes. Isso porque o processo de certificação de sementes oferecido pela Fundação está baseado no sistema de pré e pós-controle. Para a realização deste trabalho, foram plantadas, entre os dias 16 e 18 de outubro, no interior de Passo Fundo (RS), parcelas de cultivares de soja (RR e convencional) e feijão. A semeadura foi realizada em solo com umidade adequada e com boa palhada. Essas condições, aliadas a chuvas esporádicas, têm garantido o bom desenvolvi-

mento das plantas. A antecipação do plantio das parcelas para a certificação de sementes permite a obtenção de informações prévias das condições que o sementeiro encontrará no seu campo. Esses dados são informados aos produtores de sementes, que têm a possibilidade de tomar medidas para corrigir possíveis inconformidades, como a realização do roguing, (limpeza do campo). As parcelas foram acompanhadas pelos profissionais da Fundação Pró-Sementes, que realizram os mesmos tratos culturais indicados para campos de produção de sementes. No campo de Passo Fundo, foram testados os

lotes certificados nos estados do Rio Grande do Sul e Santa Catarina. Da mesma forma, são implantados campos de pré e pós-controle no Paraná (para a certificação de sementes do Paraná e São Paulo), e em Mato Grosso (para a certificação de sementes do Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e da Bahia). “O pré-controle é a base do processo de certificação de sementes da Fundação Pró-Sementes”, explica o biólogo Renan Canzi Comin, responsável pela condução dos campos. O sistema foi adaptado do padrão europeu e permite o acompanhamento da pureza varietal e identidade genética das cultivares certificadas. De acordo com

Comin, no atual estágio de desenvolvimento das plantas já é possível avaliar o vigor e a germinação das sementes. Além disso, são realizadas análises no período de floração e pré-colheita. Entre os diferenciais do uso de uma semente certificada destacam-se o seu controle de gerações, padrão de qualidade garantido pelo produtor de sementes e por laboratórios credenciados pelo Ministério da Agricultura e a segurança de estar utilizando um insumo registrado. Além disso, é através da semente certificada que são introduzidos no campo os mais recentes avanços do melhoramento genético vegetal.

Secretário da Agricultura, Pecuária e Agronegócio do Estado do Rio Grandedo Sul

• Um fundo para a Erva Mate Encaminhamos à Assembléia Legislativa projeto de lei que propõe medidas importantes para a cadeia produtiva da Erva Mate. Planta símbolo do Rio Grande do Sul a Erva Mate tem grande importância econômica, social e cultural para o nosso Estado, que é responsável por 61,2% da produção nacional. No Estado, a atividade ocupa cerca de 13 mil famílias. Fruto de amplos debates que tivemos na Câmara Setorial, estamos propondo, entre outras coisas, a criação do Fundo de Desenvolvimento da Erva Mate, de caráter público, e a criação de um selo de qualidade. Apontamos, ainda, para a criação do Instituto da Erva Mate, entidade de caráter privado, com a participação de representantes de todo o segmento, que terá como objetivo estabelecer as políticas para o setor. • Baco Móvel Assinamos convênio com o Ministério da Integração Nacional, no valor de R$ 1.388.889,00, com a finalidade adquirir equipamentos e veículo para implantação do sistema móvel de engarrafamento de vinho produzido por micro e pequenas empresas vitivinícolas da faixa de fronteira do Rio Grande do Sul. O veículo, já apelidado de Bacomóvel, percorreria propriedades oferecendo possibilidade de padronização do engarrafamento, atendendo as exigências do mercado, visando a valorização do produto. • A economia gaúcha Participamos, na semana passada, juntamente com o presidente da Fiergs, Heitor José Müller, e com o diretor do BRDE, José Hermeto Hoffmann, do painel de encerramento do AVISULAT2012 - III Congresso Sul-Brasileiro de Avicultura, Suinocultura e Laticínios, Feira de Equipamentos, Serviços e Tecnologia. Nossas manifestações, mediadas pelo jornalista Irineu Guarnier Filho, versaram sobre a economia gaúcha e suas potencialidades. • Grandes perspectivas Utilizamos exemplos do que vimos nas missões realizadas neste mês de novembro, acompanhando o governador Tarso Genro e uma comitiva de empresários gaúchos a Cuba, e participando da delegação da Expodireto Cotrijal que foi a Dubai e a Tóquio, para dizer que estamos cada vez mais convencidos da grande potencialidade dos produtos gaúchos no mercado externo. Reafirmamos que precisamos continuar aperfeiçoando nos sistemas de defesa sanitária, criando condições para ampliar a produção com menores custos e sermos mais agressivos na prospecção de novos mercados.

Crédito emergencial: novos recursos O superintendente do Banco do Brasil no Estado, Tarcísio Hubner, esteve na sede da Fetag, na primeira semana de dezembro, para assinar um termo de parceria e cooperação da instituição financeira com a Cooperativa Habitacional da Agricultura Familiar (Coohaf) com a finalidade de viabilizar o Programa Nacional de Habitação Rural (PNHR). Na oportunidade, ele adiantou ao presidente da Federação, Elton Weber, que acredita numa suplementação de recursos do crédito emergencial para atender as famílias que ficaram de fora. Hubner disse que até o dia o RS vai superar os R$ 200 milhões liberados. “A expectativa, após ouvir os gerentes pelo interior, é de que teríamos uma demanda superior a R$ 200 milhões. Quem sabe não será o presente de Natal para essas famílias”, brincou o superintende. Weber acredita numa definição por parte do Ministério da Fazenda. Caso contrário, a Fetag, juntamente com sua Comissão Estadual de Política Agrícola, irá definir possíveis ações.

C Y M K


C Y M K

Dezembro de 2012

5


6

Dezembro de 2012

AGRICULTURA

Problemas na concessão de aposentadoria rural são debatidos por Comissão de Agricultura Segundo deputado que propôs a audiência, o INSS muitas vezes nega o direito dos produtores ao benefício, que está previsto em lei

A

Comissão de Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural da Câmara dos Deputados realizou uma audiência pública que tem como tema a discussão dos problemas na concessão de aposentadoria a trabalhadores rurais. A audiência foi sugerida pelo deputado Assis do Couto, segundo ele, em muitos processos, o INSS nega a aposentadoria ao produtor rural, apesar da legislação garantir esse direito. Foram convidados para o debate o ministro do Desenvolvimento Agrário, Pepe Vargas, o ministro da Previdência Social, Garibaldi Alves Filho, o secretário de Políticas Sociais da Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura

(Contag), José Wilson Gonçalves, e a presidente do Instituto Brasileiro de Direito Previdenciário, Jane Lucia Berwanger. O deputado Assis do Couto, cobrou do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) que oriente seus servidores para emissão de pareceres de aposentadoria para segurados especiais, de acordo com o previsto na Lei n° 11.718/08. “É urgente uma orientação relacionada à limitação de renda, não há questionamento na legislação sobre isso. A renda não é um critério de enquadramento. Também não se pode tipificar a função como dirigente de sindicato ou cooperativa como outra fonte de renda. Nesses casos, o agricultor recebe uma compensação para se afastar da

atividade no campo. Isso está muito claro na legislação. É papel do INSS orientar seus servidores sobre isso”, exemplificou Assis. Muitas mudanças propostas pela Lei 11.718, que reformulou a aposentadoria rural e cuja relatoria foi do deputado Assis, não estão sendo colocadas em prática. Segundo a presidente do IBDP, Jane Lúcia Berwanger, não há problemas com a legislação e nem com a normatização do INSS, mas sim com a aplicação das normas. “A legislação mudou para mostrar de forma clara quem é o segurado social. Mas está havendo um problema dessa nova leitura. O INSS precisa falar uma mesma linguagem, não pode haver interpretações regionalizadas”, afirmou.

SOJA

por Chico Schröer

VERDE

NÚMEROS - Técnicos da Conab apresentaram neste início de dezembro, números mais precisos do que na estimativa divulgada no mês passado e produção de grãos da safra deve chegar a 180,2 milhões de toneladas, 8,4% a mais do que o obtido na safra anterior. A soja é o produto que deve ter maior crescimento. A previsão para 2013 é de 82,6 milhões de toneladas, 24,5% mais do que na safra anterior. O feijão primeira safra é o destaque nesta terceira estimativa da Conab. A área diminuiu, mas a produção aumentou 5,4% e pode chegar a 1,3 milhão de toneladas. O clima ajudou a cultura no Paraná e no Rio Grande do Sul. O IBGE também divulgou a estimativa da safra de grãos de 2013. O Instituto, que usa um calendário diferente da Conab, prevê 173,8 milhões de toneladas, aumento de 6,9% na comparação com 2012. AQUISIÇÃO - A Yara International S.A, controladora da Yara Brasil e maior fornecedora mundial de fertilizantes minerais, anunciou nesta sexta, dia 7, em São Paulo (SP), que firmou um acordo para adquirir o negócio de fertilizantes da Bunge Brasil. O investimento de US$ 750 milhões inclui 22 unidades de mistura, duas unidades produtoras, 500 representantes comerciais (100 lojas próprias) e cerca de 18 mil clientes. Em 2011, a Bunge entregou no Brasil 4,8 milhões de toneladas de fertilizantes. Todas as marcas da Bunge Fertilizantes, segundo Egil Hogna, vice-presidente sênior da Yara International, também entram no negócio. “A Bunge deixa de atuar na área de fertilizantes, mas a Yara continuará fornecendo os produtos nas operações de barter (troca-troca) da companhia”, explica Hogna. Se houve tamanho interesse é porque o mercado é promissor. Mundo dos negócios na área agrícola sempre movimentado...

AMARELO

Valor de produção de soja ultrapassa

recorde anterior em R$ 9,7 bi

Um dos principais itens da pauta de exportações brasileiras, a soja atingiu novo recorde histórico no acumulado do Valor Bruto de Produção (VBP) até outubro, alcançando R$ 67,1 bilhões em 2012. O maior resultado anterior foi no ano passado, de R$ 57,4 bilhões. De acordo com as infor-

Sinal

mações da Assessoria de Gestão Estratégica (AGE) do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), considerando os últimos seis anos, o valor mais que dobrou. Era de R$ 32,7 bilhões em 2006, uma diferença de 105%. A região Centro-Oeste, com cerca de R$ 34,6 bilhões, respondeu

por 51,3% do VBP nacional da oleaginosa. O Mato Grosso, principal estado produtor do país, chegou a R$ 21,8 bilhões, seguido por Goiás (R$ 8 bilhões), Mato Grosso do Sul (R$ 4,6 bilhões) e Distrito Federal (R$ 180,4 milhões). A segunda maior região produtora do país de soja, o Sul somou R$

17,9 bilhões. Destaque para o Paraná, segundo maior produtor nacional, com R$ 11 bilhões. Em seguida vêm Rio Grande do Sul, com R$ 5,8 bilhões, e Santa Catarina (R$ 1,1 bilhão). A Bahia se consolidou como o maior estado em VBP fora das regiões Centro-Oeste e Sul, alcançando R$ 3,3 bilhões.

ENFERMIDADE - Região de Sertanópolis no Paraná em alerta! Um caso não clássico da chamada doença da vaca louca foi detectado em uma propriedade rural daquele município. De acordo com o Ministério da Agricultura e a Secretaria de Estado da Agricultura, o animal tinha a proteína que pode causar a doença, mas não manifestou os sintomas da Encefalopatia Espongiforme Bovina, o nome oficial da enfermidade. Secretaria informou que não há risco à saúde pública” e a Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) continua classificando o Brasil como país com risco insignificante para a doença. Segundo o secretário da Agricultura, Norberto Ortigara, em dezembro de 2010 uma criadora de Sertanópolis procurou o serviço de defesa animal do Estado sobre a suspeita de raiva bovina em um animal. Houve uma avaliação técnica que não detectou a doença. Dias depois, o animal teve uma morte súbita. “Como praxe no serviço de vigilância, o serviço de defesa coletou material e apurou negativo para raiva. Dentro do protocolo, encaminhamos dois dias depois para laboratório do Instituto Mineiro de Agropecuária e deu negativo também”, relata. O material foi então encaminhado para um laboratório de referência em saúde animal, na Inglaterra. “Nesta quinta, dia 06, o Ministério da Agricultura foi informado sobre o resultado, um caso não clássico da chamada doença da vaca louca. O animal não morreu em virtude da doença. Quando tem, a vaca sofre para morrer”, explicou Ortigara. Não há conclusão sobre a causa da morte do animal. Mas foi ressaltado que foi descartada a possibilidade da morte pelas consequências da doença. De acordo com o governo, não será necessário intensificar os protocolos e fiscalizações já existentes. De qualquer forma, casos assim são sempre preocupantes.

VERMELHO

POSITIVO – É chegado o mês de dezembro. Culturas de verão plantadas. Natal. Chuvas acontecendo. Vamos pensar positivo e esperar um 2013 maravilhoso. Portanto, sem tópicos vermelhos nessa edição. Feliz Natal e Próspero Ano Novo aos amigos leitores do Sinal Rural...

C Y M K


C Y M K

Dezembro de 2012

7


8

Dezembro de 2012

www.emater.tche.br Rua do Comércio, 1721 CEP: 98700-000 Fone: (55) 3333-8040 E-mail: ijui@emater.tche.br

Paixão pela atividade leiteira é destaque em encontro da Rede Leite em Humaitá Evento foi realizado na UO da família Silva, na localidade de Sanga Severina

A

paixão pelos animais e pela atividade leiteira fizeram com que a família de Simone e Adelar Rodrigues da Silva, de Humaitá, decidisse abandonar a produção de grãos. “Resolvemos dar mais atenção à atividade leiteira. Podemos dizer que valeu a pena trocar os grãos pelo leite”, disse Simone. A escolha, segundo a produtora, foi tranquila, pois a família do marido produz leite há anos. A decisão tomada há apenas quatro anos já proporcionou bons resultados, no encontro do Programa Rede Leite, realizado na propriedade do casal, na localidade Sanga Severina. Aproximadamente 50 pessoas participaram, entre extensionistas da Emater/RS-Ascar e produtores de leite das proximidades. A propriedade dos Silva é uma das 68 Unidades de Observação (UO) da Rede Leite. A família também investe na suinocultura e planta milho e pastagem, como tifton e aveia, em 18,5 hectares, com o objetivo de produzir a própria ração para os animais. O plantel da família é de 34 animais, dos quais 30 estão em lactação. A produção diária de leite é um dos destaques, em média são produzidos 635 litros , equivalente a mais de 21 litros de leite vaca/dia. O casal se preocupa constantemente em melhorar a qualidade do leite e da genética e aumentar a produção. “Temos um controle da árvore genealógica dos animais e um médico veterinário acompanha mensalmente os animais, a fim de prevenir as doenças”, contou o produtor de leite de Humaitá. As professoras da Unijuí, Denise da Rosa Fraga e Luciane Viana Martins, no encontro juntamente com a acadêmica do curso de agronomia, Isadora Lorenzoni, destacaram o alto

índice de vacas em lactação, que hoje é de 86% na propriedade. O plano futuro é aumentar a produção de leite, porém, com menor número de vacas. A família também manifestou preocupação em relação à sucessão na atividade. Os filhos Gustavo, de dez anos, e Augusto, de um ano e sete meses, são a aposta dos pais. “O Gustavo já nos ajuda. E o melhor: ele gosta muito do trabalho com as vacas. Caso os dois queiram continuar na atividade, daremos o apoio necessário”, confessou a mãe. Desde que ingressaram na Rede Leite, há mais de dois anos, esse é o segundo encontro realizado na propriedade. Momentos como este, na avaliação de Simone, são de extrema importância. “A troca de ideias e de conhecimento são o ponto forte do programa, pois

tiramos dúvidas e sempre levamos alguma novidade para casa em relação à atividade”, diz Simone. Os extensionistas da Emater/RS-Ascar, Carlos Turra e Michele Wagner, auxiliaram os anfitriões do evento a explanarem questões sobre a qualidade do leite, manejo dos animais e higiene na ordenha, bem como os equipamentos utilizados, como mangueiras e conjunto de teteiras e detergentes e outros produtos utilizados. Foram apresentadas as mudanças ocorridas na propriedade desde o ingresso no programa, como a construção de um silo para formulação de ração, do botijão inseminação, resfriador e de um gerador de energia. Foram parceiros no evento a Cresol, Sicredi e secretarias municipais de Agricultura e Meio Ambiente.

Soja volta a superar milho e puxa produção agrícola em 2013 A soja volta a mostrar força na produção agrícola brasileirano ano que vem. O segundo Prognóstico da Produção de 2013, divulgado pelo IBGE, aponta um aumento tanto na produção quanto na área colhida, o que está puxando o crescimento de 6,9% previsto para a safra nacional de grãos no ano que vem. A produção de soja deve aumentar 23,9% em 2013, em relação a 2012, de 65,6 milhões de toneladas para 81,3 milhões de toneladas. A área destinada ao plantio deve aumentar em 1,741 milhão de hectares, dos 24,9 milhões de hectares em 2012 para 26,8 milhões de hectares colhidos em 2013. “A participação da soja volta a ser maior que a do milho. É a soja que está puxando o aumento na safra em 2013”, afirmou Mauro Andreazzi, gerente

da Coordenação de Agropecuária do IBGE. “Está chovendo bem, o clima está bom, por enquanto. Mas não sabemos o que vai acontecer daqui para frente”, ponderou. A soja mostra crescimento na produção em todas as unidades da federação, segundo Andreazzi. O preço do produto no mercado foi determinante para impulsionar a produção do ano que vem. “O que determina o que o produtor vai preferir plantar é o preço. Os estoques de soja estão baixos, os preços estão lá em cima. A saca de 60 kg de soja está em torno de R$ 65 a R$ 70, enquanto a do milho está em torno de R$ 27 a R$ 29. O milho produz o dobro do volume, então, dobrando o preço do milho, vai dar quase o mesmo que a soja. O milho é mais resistente, mas a

segurança de comercialização do milho é menor que a da soja”, explicou o gerente do IBGE. A expectativa para o milho 1ª safra é de aumento de 7,4% na produção em relação a 2012, de 33,3 milhões de toneladas para 35,7 milhões de toneladas. Já a área plantada aumentará de 7,1 milhões de hectares para 7,4 milhões de hectares. O IBGE mostra que tanto o milho quanto a soja estão ganhando área plantada do algodão. “O preço do algodão não está bom. Com a crise europeia, o preço caiu. Estão trocando a área do algodão por soja e milho”, afirmou. O prognóstico do IBGE para 2013 prevê uma queda de 22,4% na área colhida de algodão herbáceo, com uma perda na produção de 22,5% em relação a 2012. Fonte: Estadão Conteúdo

C Y M K


C Y M K

9

Dezembro de 2012

Dados da atividade leiteira em Humaitá Em 2010, Humaitá ocupava a 74ª posição no ranking gaúcho de produção de leite, com 13.500 milhões de litros, e o 78º lugar em relação à produtividade, com 3.293 litros/vaca/ano, ou seja, 9,02 litros vaca/dia. Em 2011, a produção subiu para 14 milhões de litros e a produtividade, para 3.333 mil litros de leite vaca/ano, o que equivale a 9,13 litros vaca/dia. Os dados são do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Governo planeja

aproximação com prefeitos eleitos

O Governo do Estado tomou a iniciativa de se aproximar dos prefeitos eleitos em outubro deste ano. Por essa razão, órgãos vinculados ao executivo gaúcho têm promovido encontros nos 28 Conselhos Regionais de Desenvolvimento do Rio Grande do Sul (Coredes). “O governo quer se apresentar aos futuros prefeitos para facilitar a conexão entre eles”, disse o representante da Secretaria de Planejamento, Gestão e Participação Cidadã (Seplag), no Corede Noroeste Colonial, Ângelo Schiavo. No dia 06 de dezembro Schiavo e representantes institucionais das áreas da saúde, educação, trabalho e do setor agropecuário planejaram a apresentação realizada no dia 13 de dezembro em Ijuí, no encontro agendado com prefeitos da Associação dos Municípios do Planalto Médio (Amuplam). “O objetivo é apresentar o que faz, onde atua e quais os responsáveis por cada órgão”, disse o gerente da Emater/RSAscar da região administrativa de Ijuí, Geraldo Kasper. Ainda segundo Kasper, os programas e projetos de governo devem ser destacados na apresentação.

O ano novo da soja O Departamento de Agricultura dos Estados Unidos, o Usda, reduziu os estoques finais de soja do país da temporada 2012/13 (a ser aferido em agosto de 2013) a 3,54 milhões de toneladas, abaixo da expectativa do mercado, que era de 3,67 milhões de toneladas. Por outro lado, manteve a produção brasileira em 81 milhões de toneladas e a argentina em 55 milhões de toneladas. O plantio na América do Su está terminando e, para atingir esses patamares na colheita, os dois países dependem de chuvas equilibradas até fevereiro. Na Bolsa de Chicago, a avaliação foi de leve aumento na oferta de grãos. O contrato para entrega em janeiro caiu de US$ 14,75 para US$ 14,72 por bushel. Nos contratos de março, a baixa foi de US$ 14,76 para US$ 14,72. A demanda continua aquecida e o mercado sustenta cotações próximas de US$ 15 por bushel. Expansão - 14,5 milhões de toneladas de soja serão colhidas a mais no Brasil em 2012/13 do que na última temporada, um aumento de 22%, conforme o relatório do Usda. Fonte: Gazeta do Povo Online

Governador instala novo Regional da Emater/RS-Ascar em Frederico Westphalen Com aproximadamente 800 km

O

governador Tarso Genro finalizou o terceiro dia da Semana de Interiorização - Prestação de Contas, com a instalação do novo Escritório Regional da Emater/RSAscar de Frederico Westphalen. A nova regional irá atender 42 cidades dos Coredes Médio Alto Uruguai e Rio da Várzea. Serão atendidas nesses municípios 33 mil famílias. Segundo o governador do Estado, Tarso Genro, é por meio da Emater/ RS-Ascar que o governo gaúcho se comunica com a agricultura familiar. “A Emater tem um quadro técnico de alta competência e é um orgulho para o Rio Grande do Sul”. Para ele, a Instituição é quem leva até a casa dos agricultores as diversas políticas públicas, possibilitando o desenvolvimento econômico e social do Estado. O secretário de Desenvolvimento Rural, Pesca e Cooperativismo (SDR), Ivar Pavan, enfatizou a importância da assistência técnica no Estado. “Só em 2011/2012 foram 2,5 milhões de atendimentos para 220 mil famílias”. Ele ressaltou que o investimento de R$ 153 milhões feitos pelo governo na Emater/RS-Ascar reflete diretamente na vida dos agricultores, como por exemplo, no período de estiagem, que afetou 42% da safra de grãos. “Foram realizados 48 mil laudos do Seguro Agrícola, o que representou mais de R$ 300 milhões em indenizações aos agricultores”, afirmou Pavan. Para o presidente da Emater/RS e superintendente geral da Ascar, Lino De David, a inauguração desse regional representa o comprometimento e o compromisso do governo em dar apoio ao desenvolvimento rural. “A equipe regional tem o papel de dar suporte técnico aos escritórios municipais e de trabalhar no planejamento estratégico da região. Com esse novo regional, conseguiremos ampliar a capacidade técnica e de Apoio, tanto aos escritórios quanto aos agricultores familiares”, avaliou De David. Da mesma opinião é o agrônomo Leonir Bonavigo, que assume como gerente regional, juntamente com a extensionista de Bem-Estar Social, Ana Cláudia Pedon, que será a gerente adjunta. Para Bonavigo, a nova região vai permitir proximidade com as entidades, maior atuação junto aos Planos Municipais e qualificação no atendimento às famílias rurais. “Com menos municípios na região, é possível ser mais atuante no suporte aos extensionistas de campo, o que, consequentemente, reflete em um melhor atendimento aos agricultores familiares”, concluiu. Na oportunidade da inauguração, foram entregues pelo governador dez veículos, que serão usados no trabalho da Extensão Rural na região de Frederico Westphalen. Também foi realizada a entrega de veículos para a Brigada Militar e a Polícia Civil.


10

Dezembro de 2012

AGRICULTURA

SAFRA

Clima sem rumo sugere prudência Excesso de chuvas prejudica Safra de Mel nas projeções sobre a safra de verão no RS Apicultores preveem uma grande queda na produção

O

Rio Grande do Sul é o estado que mais produz mel no Brasil, entretanto, o excesso de chuva dificultou o trabalho das abelhas. Mudanças no clima do estado afetaram o desenvolvimento das colmeias. Em alguns casos, apicultores não vão colher nada do produto. A safra da primavera está totalmente comprometida, e em Ijuí essa realidade não é diferente. De acordo com o presidente da Associação dos Apicultores, Aldair Luis Cossetin, a apicultura foi fortemente prejudicada

no município. “No mês de outubro e novembro não houve a safrinha, o clima não favoreceu, e a colheita que deve iniciar no mês de janeiro, fevereiro, também pode ser afetada. O clima nos prejudicou, foi muita chuva, depois tivemos frio no mês de setembro”, revela Aldair. O mel também serve de alimento para as abelhas. Sem comida, elas estão morrendo de fome. Para garantir a sobrevivência do enxame para a próxima safra, os produtores te-

S

ão otimistas os economistas da FEE e da Fecomércio, que mesmo sem notícia alguma segura sobre o clima durante o verão, já apostam em abundante safra agrícola no RS, o que retiraria a economia gaúcha da recessão em que se encontra. Há incógnita total sobre o clima durante a safra que se inicia, a mais importante do ano. Depois de cinco anos seguidos de supersafras, 2012 fechou com a produção de 20,9 milhões de toneladas de grãos, tudo por conta de El Niño. Este ano não haverá El Niño e nem La Niña, mas não se sabe o que acontecerá. O PIB do RS fechará o ano em recessão, porque a economia chegará ao

rão que alimentar os insetos. O presidente destacou que apesar dos problemas climáticos, já esperava-se que a safra pudesse ser ruim, tendo em vista que a última foi muito boa. “A passada foi boa, geralmente é assim, uma boa outra ruim. Além disso, estamos perdendo enxame de abelha, enfraquecendo a quantidade de abelha por caixa”, conclui.

LTU ICU R AG

RA

final de dezembro com crescimento de menos 2% a 3%. O número será muito menor do que aquele que já é admitido pelo governo federal (1,3% positivo), embora economistas de todo o País estimem um número parecido com 1%. O editor possui desde ontem o estudo completo do Banco Santander, que projeta1%. Para o ano que vem, o Santander projeta algo como 3,1% a 4,3%, o que parece muito otimismo do banco. No caso da economia gaúcha, os números do PIB dependem totalmente do que acontece na agricultura, porque o chamado complexo do agronegócio responde por 40% do bolo total. Fonte: Políbio Braga

Segunda geração da soja transgênica chega em 2014

A

segunda geração da soja transgênica, também de propriedade intelectual da Monsanto, deve ser plantada comercialmente somente na safra 2013/14. A intenção da multinacional era lançar a tecnologia Intacta RR2 nesta safra, mas, por questões ligadas aos países exportadores, decidiu segurar o lançamento do produto, que já vem sendo testado nas lavouras de todo o país. Estados Unidos

e União Europeia aprovaram a tecnologia, mas a China ainda não. O país asiático é o principal comprador de soja do mundo. Segundo a companhia, a decisão da Justiça de Mato Grosso em autorizar a retomada da cobrança dos royalties da primeira versão da variedade não interfere nos planos da empresa e não há nenhum prejuízo em relação ao ‘atraso’ do lançamento. “Já estava previsto que poderíamos lançar ou não neste ano. A intacta já está aprovada na Comissão

Técnica Nacional de Biossegurança (CTNBio)”, afirma Márcio Santos, diretor de Estratégia e Gerenciamento de Produtos da Monsanto. Levantamento de campo da Expedição Safra Gazeta do Povo aponta que, na última safra, mais de 21 milhões de hectares foram plantados com soja transgênica no Brasil, 87% de todo o terreno destinado à cultura no país. Fonte: Gazeta do Povo

Emenda que reabre refinanciamento dos débitos

em DAU de agricultores é aprovada

O

plenário da Câmara dos Deputados aprovou a medida provisória (MP) 578, e a emenda do deputado federal Luis Carlos Heinze, que prevê a reabertura do programa de refinanciamento dos débitos dos produtores rurais inscritos em Dívida Ativa da União – DAU. No texto, os parlamentares recuperaram a sugestão incluída na MP 574 que prescreveu sem ser analisada pelos senadores. Através da proposta acertada com o go-

verno, os mutuários terão até o dia 31 de agosto de 2013 para aderirem ao benefício que prevê bônus que vão de 33% a 70%, de acordo com o tamanho da dívida. Porém, só terão direito aos descontos e ao parcelamento em até 10 anos as operações inscritas até outubro de 2010. “Sabemos que não é o ideal. Muitos produtores não serão beneficiados, mas tira a pressão das contas mais antigas e abre portas para nova negociação”, afirma.

Iniciativa semelhante já havia sido apresentada pelo deputado Heinze na MP 565, convertida na lei 12.716/08. Entranto, a presidência da República vetou o dispositivo. A sugestão de Heinze, que não foi acatada pelo Planalto, previa, além do novo prazo e da inclusão de todos os contratos inscritos, a suspensão das execuções até dezembro de 2013. Na MP 578 a cobrança judicial só cessará a partir da confirmação do pagamento da primeira parcela.

Dívida: Conforme a Procuradoria Geral da Fazenda Nacional – PGFN - 110.361 contratos estão inscritos em DAU e envolvem pelo menos 500 mil produtores entre os devedores principais e avalistas. Essas operações somavam, em fevereiro passado, R$ 11,5 bilhões. A lei 11.775/08 possibilitou o refinanciamento de 15.940 contratos – pouco mais de 10% do total. Porém, até o início deste ano 6.441 acordos foram rescindidos por falta de pagamento. “Esses números provam que algo está errado. Não há como pagar essa conta da forma como está. São valores absurdos, carregados de juros e correções. Nenhuma atividade agrícola tem rendimento suficiente para acompanhar juros tão elevados”, destaca.

Benefícios: Originária da MP 432, a lei 11.775/08 em seu artigo 8º, estabeleceu um rebate de 33% para pagamento em até 10 parcelas dos débitos inscritos em DAU acima de R$ 200 mil. O desconto chegava a 38% caso o mutuário optasse por liquidar a operação integralmente. Além disso, foi fixado um bônus de R$ 19,2 mil sobre o total da conta. Para valores inferiores a R$ 200 mil, o abatimento variava entre 36% até 70%, de acordo com o tamanho da dívida. Em todos os casos, a correção do saldo devedor ainda é feito pela taxa Selic mais 1% ao ano. Esse índice, em alguns períodos após a sanção da lei, chegou a ultrapassar 15%.

C Y M K


C Y M K

Dezembro de 2012

11


12

Dezembro de 2012

TA

IS V E R T EN

A atual Economia Agrícola da região Noroeste

O ano de 2012 foi marcado pela grande estiagem que atingiu todo estado, principalmente a região noroeste do Rio Grande do Sul. Motivo pelo qual houve um enorme prejuízo aos produtores de soja, que perderam boa parte da produção, e viram os preços das sacas aumentarem em questão de meses. Posteriormente, as culturas de inverno, como o trigo foram fortemente atingidas pelo excesso de chuvas, granizo e geada. Devido a todos esses problemas climáticos a economia local foi diretamente abalada. Sendo assim, o Jornal Correio Rural traz nesta edição, uma matéria especial com o economista, Argemiro Luís Brum, em que apresenta-se a situação das culturas de soja, milho e trigo em Ijuí e região.

CR - O que a produção/safra de miCR - Em um parâmetro geral como está

atualmente a economia agrícola na região de Ijuí?

Argemiro - Por razões basicamente climáticas, a mesma está, infelizmente, enfrentando enormes dificuldades. Tivemos perdas severas na safra de verão, particularmente em soja. E tivemos agora perdas importantes, em volume e qualidade, nas culturas de inverno, especialmente no trigo. Nesse meio tempo, a produção suinícola sofreu com altos custos de produção e preços recebidos muito baixos, em termos médios anuais (fato que determinou a falência da maioria dos produtores independentes), enquanto o leite conseguiu se manter, porém, com custos elevados igualmente e perdas de produção. Além disso, as perdas em hortigranjeiros e frutas igualmente foram importantes em diferentes momentos do ano. CR- Com as perdas na safra de trigo, há

um grande prejuízo para os produtores, consequentemente para o comércio local?

Argemiro - Sem dúvida, o trigo frus-

trou, no final, as expectativas que se tinha de, através do mesmo, e graças a um mercado promissor neste ano, com preços elevados, a região começar a se recuperar dos prejuízos da safra de verão. Infelizmente as intempéries (geadas tardias, granizo, temporais e excesso de chuvas em outubro) se encarregaram de frustrar o restante do ano. Tivemos uma perda superior a 60% se contabilizarmos também a queda na qualidade do produto. O que ajudou um pouco foi o fato de que mesmo o triguilho (trigo que virou ração animal), graças aos elevados preços do milho, ter sido melhor valorizado neste ano. Afinal praticamente não há trigo de qualidade no país no momento e a produção geral do Mercosul, assim como seus estoques, recuaram muito neste ano.

lho representa na nossa economia?

Argemiro - A safra de milho, embora não seja a mais importante em nossa economia, pois perde para a soja, é de extrema relevância, pois com a diversificação produtiva que a região realizou, especialmente em direção ao leite, mas igualmente com o suíno, aumentou a necessidade do cereal. Não só na região como em todo o estado. Não somos autossuficientes em milho e isso exige constantes importações do cereal de outros estados, encarecendo os custos de produção das criações animais. Além disso, indiretamente o milho colabora para o melhor desempenho da soja, pois a rotação de culturas em nossos solos é essencial para melhores produtividades. CR - Quais são as perspectivas econômicas para a comercialização da safra 2012/2013? Argemiro - Em primeiro lugar, tudo irá, como sempre, depender muito do clima que teremos nesse verão. Em considerando que tenhamos clima normal, como se espera, teremos uma produção muito melhor de soja. Os preços deverão recuar dos níveis absurdamente altos que chegaram neste ano. Os mesmos, em considerando o atual

nível de câmbio (entre R$ 2,00 e R$ 2,10) no momento da colheita, deverão ficar entre R$ 48,00 e R$ 52,00/saco no balcão. Ora, esses preços, diante de safra normal, são excelentes e permitirão uma rentabilidade importante aos produtores, finalmente. Dito isso, é importante afirmar que muitos produtores já venderam parte de sua futura produção a preços ainda melhores, em muitos casos superiores a R$ 60,00/saco, aproveitando-se das ofertas que existiam no mercado meses atrás. Quanto ao milho, a tendência é de os preços se manterem muito elevados pelo menos até a colheita. Depois haverá um recuo nos mesmos, porém, não parece que o mesmo venha a ser muito significativo, pois o Brasil está exportando muito o cereal e nossos estoques baixaram, enquanto a demanda tende a se manter aquecida.

CR - A economia da região noroeste irá se restabelecer com a nova safra? Argemiro - Se a nova safra de verão vier cheia, e isso dependerá do clima, iniciaremos um processo de recuperação, sem dúvida. Porém, os estragos de uma seca como a que vivemos, considerando as questões de endividamento, perdas de receita etc... Se estendem por muitos anos e precisaríamos de safras normais pelo menos pelos próximos cinco anos para cobrirmos todos os prejuízos de 2012, além de recuperarmos o que se deixou de ganhar. Pois não podemos esquecer que tivemos uma frustração de safra num ano em que o mercado pagou os melhores preços nominais de sua história, tanto em soja quanto em milho.

C Y M K


C Y M K

13

Dezembro de 2012

Conab libera R$ 15 milhões para compra de suco de uva

no Rio Grande do Sul Medida vai liberar estoques para entrada da nova safra, a partir de janeiro

do nteú o Co ã d sta te: E Fon

O governo comprará até R$ 8 mil de cada produtor que tenha o Documento de Aptidão ao Pronaf (DAP)

O

diretor de Política Agrícola da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), Silvio Porto, assinou um contrato para compra de suco de uva de agricultores familiares do Rio Grande do Sul. A operação será feita em duas etapas: R$ 10 milhões na primeira e R$ 5 milhões na segunda. O governo comprará até R$ 8 mil de cada produtor que tenha o Documento de Aptidão ao Pronaf (DAP). A avaliação do Instituto Brasileiro do Vinho (Ibravin), que junto com a Federação das Cooperativas Vinícolas do Rio Grande do Sul (Fecovinho), articulou a negociação, é de que a venda da produção a preço de custo deve auxiliar naliberação dos estoques, para a entrada da nova safra, a partir de janeiro.

Batavo investe R$ 15 milhões em novas combinações de sucos Marca une os nutrientes do soro do leite ao sabor do pessêgo, uva e maracujá

A

Batavo investiu R$ 15 milhões na idealização e desenvolvimento da Hidra, bebida que combina soro do leite com frutas. O produto chega às gôndolas paulistas em janeiro de 2013, nos sabores uva, pêssego e maracujá. O lançamento da linha Hidra revela a intenção da empresa em atender ao mercado brasileiro de alimentos saudáveis que, até 2014, segundo estimativas, deve movimentar cerca de R$ 38 bilhões uma expansão de 39% em relação ao volume atual. Considerada pela Batavo “a evolução do suco”, a bebida contém proteína, composto orgânico de participação fundamental no sistema de defesa

do organismo e na formação da massa muscular. É também rico em vitamina C, fonte de selênio, e contém magnésio, potássio, fósforo e cálcio. Uma porção de 330 ml de Hidra equivale ao potássio de 1 unidade grande (92g) de banana prata, ao magnésio de 10 unidades (10g) de amêndoa, ao selênio de 1 ½ colher de sopa (14g) de farelo de trigo e ao fósforo de 2 ½ fatias grandes (100g) de queijo minas frescal.

Exportações de carne bovina do Rio Grande do

Sul crescem em novembro Quantidade exportada e faturamento aumentaram 0,5% e 1,6%, respectivamente, em comparação a outubro s nde Fagu t ato , da Sco n e te: R ourt ria FonBittenconsulto C

A

s exportações de carne bovina do Rio Grande do Sul, considerando as carnes in natura e industrializada, somaram 9,74 mil toneladas equivalente carcaça (tec) em novembro deste ano, segundo dados do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC). O total representa um aumento de 0,5% em relação a outubro, quando foram embarcadas 9,69 mil tec. Na comparação com o mesmo período no ano passado, quando o volume exportado somou 7,10 mil tec, o incre-

mento é de 37,2%. O faturamento também cresceu em novembro – a alta foi de 1,6% frente a outubro e totalizou US$ 19,85 milhões. Em relação ao mesmo período de 2011, quando a receita ficou em US$15,22 milhões, houve aumento de 30,4%. O preço pago pela tonelada do produto em novembro (US$ 2.038,86) foi 1,1% maior que o preço médio do mês anterior (US$ 2.016,50) e 5,0% menor que no mesmo mês em 2011 (US$ 2.145,34).

Cada tonelada de carne gaúcha valeu US$ 2038 em novembro, 1,1% a mais que no mês anterior.

Indústria de alimentação animal prevê produção 3% menor em 2012

S

indicato aponta o alto custo da soja e do milho e a desaceleração das exportações de carne como principais causas. Segundo o Sindirações, o ano do setor deve terminar com 62 milhões de toneladas de ração e dois milhões de toneladas de sal mineral produzidas. A indústria de alimentação animal no Brasil deve fechar 2012 em queda. Segundo números divulgados na última semana pelo Sindicato Nacional da Indústria de Alimentação Animal (Sindirações), a previsão é de que o setor acabe o ano com um recuo de 3% na produção, na comparação com o registrado em 2011. A estimativa da entidade é de que as empresas terminem dezembro com 62 milhões de toneladas de ração e dois milhões de toneladas de sal mineral produzidas, enquanto, no ano passado, esses valores chegaram a 64,5 milhões e 2,35 milhões, respectivamente. Segundo o vice-presidente do Sindirações, Ariovaldo Zani, são três os problemas que possibilitam essa baixa na indústria de alimentação animal. O primeiro é o alto custo do farelo de soja e do milho. Informações divulgadas pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) no início de dezembro mostra que a saca de 60 kg de soja está em torno de R$ 65 a R$ 70 atualmente, valor duas vezes maior do que o registrado em janeiro, devido à forte estiagem na Argentina e no Brasil. Já o preço da saca do milho cresceu 40% nos primeiros 20 dias de julho por causa da estiagem no cinturão produtor dos Estados Unidos e está em torno de R$ 27 a R$ 29. O vice-presidente do sindicato destacou, por exemplo, que as rações produzidas apenas para a indústria de frangos de corte e de suínos são formuladas com quase 90% da mistura de milho e de farelo de soja. O impacto é ainda maior porque, juntas, essas duas áreas demandam mais de 70% das rações produzidas no Brasil. Outra questão listada por Zani envolve o valor pago aos produtores, que, segundo ele,

é muito baixo. “A descapitalização de muitos produtores independentes vem reduzindo o rebanho de suínos ao longo do ano, além do alojamento de matrizes, pintinhos e o abate de aves, que perdeu fôlego nos últimos meses”, diz Zani. Além disso, a desaceleração no ritmo de exportação da carne também empurrou o setor para baixo, o que deve se acentuar agora que países ameaçam suspender as compras do produto, devido ao caso “não clássico” de vaca louca registrado no Paraná. “A indústria de alimentação animal local tem se esforçado para mitigar os desafios contemporâneos e contribuído sobremaneira para a sustentabilidade da cadeia de produção de proteína animal brasileira”, disse o vice-presidente executivo do Sindirações. Ele destacou que é possível que as indústrias de alimentação animal global e brasileira consigam compensar as perdas acumuladas de 2012 no próximo ano. No entanto, será necessária a convergência de alguns fatores, como a emergência da nova classe média brasileira e seu potencial de consumo, a recuperação dos empregos nos EUA e o redirecionamento dos investimentos para o mercado doméstico na China. Fora isso, é preciso também “depositar muito otimismo” no fim do “caos” econômico na União Europeia, segundo Zani.


14

Dezembro de 2012

Região AJURICABA

Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Ajuricaba • Mais um número telefônico – Agora o Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Ajuricaba conta com mais um novo número de telefone fixo: (55) 3387-1231, mas ainda continuamos com o número (55) 3387-1215.

• Oculista - Comunicamos também aos interessados que o Oculista atenderá no STR Ajuricaba no dia 10/01/2013 (quinta-Feira) as 13h30 da tarde. O valor das consultas para associados é R$ 40,00 e para não sócios é R$ 80,00, não necessita agendamento.

• Contribuição Sindical – A contribuição Sindical 2012 esta em vigência até o dia 20 de dezembro de 2012, para os que ainda não pagaram levar o CPF para todos os dependentes, lembrando que é um imposto obrigatório para todos os Trabalhadores Rurais que possuem até 2 módulos rurais.

• Milho troca-troca safrinha – Para os agricultores interessados em retirar o milho BT (resistente a lagarta) já devem passar no sindicato e retirar as suas variedades, com cheque para 15/04/2013.

• Crédito emergencial especial – resolução 4112 – A Fetag busca junto ao Governo Federal a liberação de mais recurso para atender os agricultores do nosso estado, já que o recurso terminou em 60 dias. Dentro dos próximos dias o governo vai se pronunciar sobre a solicitação da FETAG. Portanto hoje não estão mais abertas as inscrições, somente quando tivermos um sinal verde do Governo Federal. EMATER/RS - ASCAR

Agrônomo da Emater/ RS-Ascar participa de missão em país africano O engenheiro agrônomo e assessor especial da Presidência da Emater/ RS-Ascar, Alberto Bracagioli Neto, representou a Instituição em Cabo Verde, para onde embarcou no mês de novembro, a convite do Ministério de Desenvolvimento Rural do país africano. A missão faz parte de um protocolo de cooperação entre a Universidade de Cabo Verde e a Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), onde Bracagioli

IJUÍ

é professor e doutorando do Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Rural, e durou três semanas, tendo todos os custos pagos pelo Ministério de Desenvolvimento Agrário de Cabo Verde. Foram feitas visitas às principais ilhas agrícolas do país (Santiago, Santo Antão, Fogo e Maio) para conhecer a realidade local e palestras sobre Metodologias da Extensão Rural dirigidas a técnicos, alunos e professores, além de encontros e reuni-

ões de trabalho com extensionistas locais. “É um país caracterizado por propriedades com pouco menos de um hectare, escassos recursos hídricos e a falta de um sistema adequado que atenda aos agricultores familiares. Vem daí a necessidade de repassarmos um pouco do nosso conhecimento e experiência em assistência técnica e extensão rural”, explica Bracagioli. Conforme Bracagioli, Cabo Verde importa grande parte dos alimentos que

consome, principalmente da Europa. O governo local vem trabalhando para adotar um modelo agrícola de produção e comercialização que diminua a dependência de produtos externos, investindo, para tanto, nos serviços de assistência técnica e extensão rural. ”Será um desafio entender novos enfoques do trabalho de extensão em uma realidade que contrasta com a nossa, marcada pela pobreza e limitação de recursos naturais”, afirma Bracagioli.

TIRADENTES DO SUL

Tomate aumenta renda de agricultor familiar no Natal O Natal da família Schirmann, do interior de Tiradentes do Sul, será mais alegre, porém isso pouco tem a ver com a figura do Papai Noel. Os 500 pés de tomate plantados em agosto pelo casal de pequenos agricultores Raquel e Neuri Schirmann estão frutificando e engordando a renda da família. “Eles recebem R$ 2,50 pelo quilo do tomate”, contou o técnico em agropecuária da Emater/RS-Ascar, André Rodrigues da Silva. Pelos cálculos da Emater/RS-Ascar, cada planta deverá produzir 12 kg de tomate. Há dois anos, quando o técnico da Emater/RS-Ascar começou a estimular e orientar o cultivo de tomate, os Schirmann plantavam apenas fumo, milho e soja na propriedade de 10 hectares, adquirida através do Programa Nacional de Crédito Fundiário. “Dava pouco dinheiro e muito serviço”, lamentou Schirmann. Percebendo a dificuldade financeira dos agricultores, Silva sugeriu adaptações: os tomates foram plantados na mesma estufa de cobertura plástica usada na cultura do fumo. “A estufa é pequena, tem cerca de 30m²”, descreveu Silva. “A gente sabe que não está muito bom, por isso estamos vendo com o técnico da Emater para melhorar a estrutura no ano que vem”, projetou Schirmann. O sistema de irrigação é por gotejamento – a água pinga no tomateiro e evita o desperdício.

A Emater/RS-Ascar também tem prestado esclarecimentos a Raquel e Neuri Schirmann sobre o mercado institucional, viabilizado aos agricultores familiares brasileiros pelo Governo Federal através do Programa Nacional de Alimentação Escolar (Pnae) e Programa de Aquisição de Alimentos (PAA). “A produção de hortaliças tem espaço e surge como alternativa de produção para as pequenas propriedades de Tiradentes do Sul”, disse o técnico André Rodrigues da Silva. No Rio Grande do Sul, segundo a Emater/RS-Ascar, o tomate é cultivado por aproximadamente 2.674 famílias em uma área de 1.675 hectares. A produção gaúcha anual passa de 104.797 toneladas.

C Y M K


C Y M K

15


C Y M K

16 to ou casa, do sexo masculino Fone:(55)9134-0674. (E35EF-2) Corretor de imóveis procura outro corretor para trabalharem juntos ou imobiliária. Fone:(55)9134-0674. (E3630-4) Vende-se móveis para salão de manic/pedic novo contendo: estufa p/ esterilizar material, apoio p/ pé, suporte de esmaltes c/ rodinha, mesa e cadeira p/ manicure, cadeira c/ gaveta, armário branco. R$ 700,00 tudo. Fone:55 91365961. (E3628-5) Vendo balcão, pia e aéreo usados, fogão de 6 bocas. R$150,00 Fone:(55)9166-6319. (E3619-8) Vende-se dois conjuntos de sofá. Um de 3+2 lugares (R$200,00) e outro de 3+1+1 lugares (R$150,00). Ambos em bom estado. Fone:559159-3277. (E3616-5) Vende-se máquina de fabricar tela de cerca, faz n°3,5,7. R$500,00. Fone:(55)9110-3892. (E3614-3) Vendo expositor de bebidas horizontal. R$900,00 Fone:91440950. (E3613-2) Vendo raque de canto, cor vinho, com vidro na frente, muito lindo. Fone:55 9116 4053. (E3612-1) Vende-se uma esteira para caminhada, marca Drean, semi-nova, foi usada 2 vezes, tem nota fiscal. R$ 700,00. Fone:9116 3287 . (E3611-9) Vende-se roupeiro, 2 anos de uso, estado de novo, 6 portas e 3 gavetas, cor mogno. R$ 400,00. Fone:9208 6068. (E360B-3) Vende-se gaiolas metálicas para criação de peixe Fone:(55)8421-8837. (E35FF-9) Vende-e Esteira elétrica. R$150,00 Uma cama de casal com colchão. R$150,00 Uma geladeira 240L. R$300,00 Um sofá tipo de consultório. R$50,00 Fone:(55)9132-8203. (E35FC-6) Vende-se lavatório de cabelo para salão R$ 200,00 acompanha a cadeira. Fone:(55)9175-3472. (E35FB-5) Vendo lancheria, com clientela formada, ao lado da loja de 1 Real, na rua Benjamin Constant. R$30.000,00. Aceito carro de até R$20.000,00. Fone:(55)9161-4556. (E35F8-2) Vende-se rádio toca fitas para carro, com cd, em ótimo estado. R$250,00 Fone:(55)9134-3446. (E35F6-9) Vendo som automotivo completo, com 1 caixa com 2 Pionner, uma corneteira 4 drives Seleniun, 2 super Twiter(1 Seleniun e 1 Hinor) de 300rms, e 2módulos, 1 Taramps 2000 e outro Sound Digital 800. Preço a combinar. 3333-3471 Fone:(55)8152-9999. (E35F1-4) Vendo smartphone Galaxy S GT-I9003. Exelente conservação, 1 ano de uso. Ótimo aparelho p/ acessar Facebook, e-mail, Youtube, internet, Tweeter, Instagram, Skype, bancos, etc. Câmera 5MP, funciona em qualquer operadora 3G e GSM. Fone:5591625476. (E35F0-3) Procura-se pessoa para dividir apartamen-

(E35ED-9) Vendo brasília-gaiola para trilha, pronta, verde. Vendo Capota de fibra envodracada, para Mitsubisch L200 Sport ou Outdoor. Fone:(55)91156983. (E35E3-8) Compro Gaita (acordeon) usada, de 80 ou 120 baixos. Pago até R$400,00. Aceito proposta. Fone:05591109435. (E35E2-7) Vendo um capacete San Marino Taurus, automático, preto, tamanho 56, em estado de novo. Fone:55 8126- 8000. (E35DA-8) Vende-se uma máquina de assar frangos, com capacidade de até 12 frangos. R$1.000,00 Fone:(55)91795160. (E35D3-1) Vende-se fardamento do Colégio Tiradentes da Brigada Militar, feminino, para moça de altura próxima de 1m 55cm. Fone:84263788. (E35D0-7) Vendo 3 mesas sextavadas em material bp na cor mogno de 120 de altura p/ 80 de largura, material de exel qualid e 6 banquetas cromadas de 80 cm de alt. Fone:(55) 99664236. (E35CF-6) Vende-se conjunto de sofá 2 e 3 lugares, na cor verde. R$350,00 á vista. Fone:91976025. (E35CB-2) Vendo livros de 7 e 8° série do Colégio Sagrado Coração de Jesus. Compro livros do Ensino Médio do mesmo. Fone:(55)8404-9706. (E35C9-9) Vende-se 2 bicicletas, sendo 1 Caloi 10, semi nova, R$350,00. E uma Sundown, 18 marchas, quadro de alumínio, amortecedores, 2 parede dupla, R$300,00. 9183-4999 Fone:(55)9159-7781. (E35C1-1) Vendo um colchão de casal em bom estado. R$100,00. Densidade 33. Fone:91669569. (E35BF-8) Vendo ROLLER Preto, 38 ao 41,com joelheira, cotoveleira,proteção de mão e capacete. Muito Lindo.R$ 80,00. Fone:55 9116 4053. (E35BD-6) Vendo Playstation 2 com 1 controle, 20 jogos, com memoria card, estado de novo. R$330,00. Fone:(55)96013669. (E35BB-4) Vendo espingarda de pressão, 5.5, mola dupla, com luneta, estado de nova. R$250,00. 8439-5465 Fone:(55)9186-3615. (E35B8-1) Vende-se fogão á gáz usado c/ 04 acendedores Cônsul R$ 80,00 Fone:(55)91883364. (E35B3-5) Vendo um Kit de poste de luz completo. R$550,00 Vendo 2 jogos de Xbox, original, Resident 5, Sraccry 2. R$100,00 os 2. Fone:(55)9177-4720. (E35AD-8) Vendo Notebook, HP, modelo DV6, processador Core I7, 4 GB, HD de 500 GB. R$1.600,00. Fone:(55)91095317. (E35A6-1) Vendo geladeira duplex, branca, 390L, Consul. R$350,00 Fone:(55)3332-3507.

(E35A3-7) Balcao com pia inox em bom estado, medindo 0,53X1,20m, marfim com branco. R$180,00. Fone:5599711226. (E35A2-6) Mesa de jantar de madeira(para 6 cadeiras) 0,80X1,60m com quatro cadeira de madeira estofada, tudo em estado de novo, R$380,00. Fone:5599711226. (E35A0-4) Vendo um poste galvanizado para energia elétrica com caixa acrílica. Fone:5591849675. (E359B-8) Compro playstation 2, com dois controles e memoria card, em bom estado. Fone:5591392574. (E3597-4) Vende-se Vídeo Locadora completa, com aproximadamente 1500 dvds, pc tela plana com sistema SISLOC e 800 clientes cadastrados, 4 playstation 2 com 4 tvs 21” tela plana e 100 jogos para os mesmos. Fone:55 84045340. (E3593-9) Vendo de molas originais do Fone:91567677.

jogo golf.

(E3590-6) Vende-se Computador Intel Dual-core 3.0 ,512 MB, HD 80GB, gravador de DVD, placa de vídeo Radeon 256 MB, monitor 17” CRT. R$ 450,00 Fone:(55)9173-9920. (E358A-9) Vendo rodas 17’’ modelo do Golf. furação 4 x 100 mm. Com pneus 215 x 45 x 17, valor R$: 1.500,00 Aceito troca por material de construção ou climatizador no valor. Contato após as 18:30 hs. Fone:55 9117-4777. (E3577-8) Vendo geladeira branca e balcão com pía de inox. R$150,00 cada. Fone:(55)33330253. (E3576-7) Vendo roupeiro de 6 portas com gavetas desmontado. R$250,00. Fone:(55)96441408. (E3575-6) Vendo ra, 390L, duplex, Fone:(55)3332-3507.

(E35F2-5) Vendo ou troco por chácara, uma casa no bairro Glória, de alvenaria, com 158 m² de área, com garagem para 2 carros, próximo do asfalto e do posto de saúde. Fone:(55)9961-4834. (E35DE-3) Vendo Apto no bairo Morada do Sol, rua Rubem Mendes, 60 m², 2 quartos, sacada. R$ 95.000,00 aceito carro até R$20.000,00 Fone:99933214. (E35D4-2) Vende-se ou troca uma casa de alvenaria com três quartos sala cozinha e banheiro no bairro São Jose,final da rua 24 de fevereiro, n° 1650. Fone:91043346. (E35C2-2) Vende-se ou alugase apartamento no B. Assis Brasil, no Cond. Morada do Leste, na Rua Mato Grosso, 618 apto 201, c/ 02 dorm., sacada c/ churrasqueira e 02 box p/ garagem o aluguel no valor de R$ 800,00 Fone:(55)9141-1636.

nova com 185 m², terreno 750 m², com pre laje, gesso decorado, porcelanato polido, portas internas sob medida,3 quarto, 2 bh, sala coz. americana, sala jantar, lareira,muito linda, por R$ 230.000,00 + DIVIDA. Fone:5591303444. (E3570-1) Vende-se na cidade de Jóia, casa de alvenaria 107 m², estado de nova, dois quartos, banheiro, cozinha, sala jantar, sala de estar, garagem fechada, área aberta para mais um carro, pátio pechado. R$85.000,00 Fone:55 9969 5051. (E3556-2) Vende-se casa de alvenaria 8 m x 9 m c/ 02 dorm. R$120.000,00 no Bairro Independência. Fone:(55)91167254. (E3607-8) Camboriú-SC. Alugo apartamento de 2 dormitórios e demais dependências para no máximo 5 pessoas, a 70m da praia, com vista para o mar, 8° andar. Completamente equipado. A partir de 15/01/2013. R$200,00 á diária. 3332-9755 Fone:(55)33322786.

(E359A-7) vendo dois terrenos dentro do Parque Hawai, cada um medindo 12x30. Fone:84447627.

(E35F5-8) Alugo apartamento no 1° piso, próximo ao estádio 19 de outubro, centro, 2 quartos, sala, cozinha e banheiro. sem garagem. No valor de 1 salário minimo + água e luz. Fone:33325218.

(E3587-6) Vende-se casa bairro Luiz Flogliatto, inacabada, com contrato de compra e venda,tereno 10x30,5 peças. Fone:5533331399.

(E35CD-4) Aluga- se casa com terreno situada na rua das Palmeiras n° 157, bairro Elizabete. Reformada. R$650,00. Fone:99524914.

(E357B-3)

(E35C6-6)

Vende-se

casa

Aluga-se

apar-

geladeiConsul.

(E3573-4) Vendo kit de prevenção de rugas e hidratação de pele. Fone:(55)9126-0456. (E356A-4) Vendo PC p games de mesa, quad Core 4 GB de Ram, 1 TB de HD, Vídeo Geforce 8400GS, ideal para jogos. R$800,00 á vista. Fone:91537047. (E3567-1) Vendo uma assadeira de frango, até 24 frangos, ótimo funcionamento, R$800,00 á vista. Fone:(55)3332-9543. (E3564-7) Vende-se guitarra Ibanez G10, preta, semi nova, com estojo. 9151-5929. Fone:(55)9994-3384. (E3563-6) Vende-se 1 jogo de auto falantes 6x9 Pioneer 250w cada. 9151-5929 Fone:(55)9994-3384. (E3562-5) Vende-se amplificador SKP Bering 1.000 por canal, Crossover, compressor, equalizador Bering e 2 microfones Schure SM 58. Todos novos, sem uso. 9151-5929 Fone:(55)99943384. (E3561-4) Vendo barraca de camping, para 6 pessoas, com divisória. Usada uma única vez. R$250,00. Fone:(55)91287151.

Implementos Novos:

- Raspo Transportador mod. 2000 marca IBL. - Twister 1500 STARA ano 2011, com taxa variável. - Pulverizador Condor AM-14, 800Lt, com barra automática de 14m, ano 2011. - Plantadeira STARA, mod. 3150 7/7 linhas. - Plantadeira STARA, mod. 3150 7/8 linhas.

Implementos Usados:

- Plantadeira SFIL Hi-Tech geração 2, ano 2000, 10/9 linhas. - Plantadeira SFIL 6 linhas 5300, ano 97, hidráulica. - Plantadeira SFIL Hi-Tech geração 2, ano 2000, 12/11 linhas. - Plantadeira EICKHOFF 6 linhas, com rotor, hidráulica. - Pulverizador Advanced 3000Lt, barra com 24m, automático. - Distribuidor de ureia NOGUEIRA, mod. Rota Flw RS-N, ano 2002. - Classificadores de Semente marca WEILLER, mod. HW 4, e HW 12. - Pulverizador Autopropelido c/ Ford 6610 e Colubia Cross 2000Lt, 18m de barras.

Utilitários:

- Ford F-4000 bordô ano 93, carroceria alongada, com boiadeira. - Caminhão MB mod. 710, ano 2000, carroceria alongada com boiadeira.


C Y M K

17 tamento mobiliado para moças, com 2 dormitórios. Próximo a EFA. Rua José Ceretta, 158, bairro São Geraldo. Fone:(55)3333-7495. (E3588-7) Aluga-se casa na praia para veraneio, na cidade de Balneário Gaiovata-SC, com 3 quartos, sendo 1 suite, garagem e demais dependências, a 2 quadras do mar. 9941-6346 Fone:(55)9107-0703. (E356C-6) Alugo ótimo apartamento, 02 quartos, sala, cozinha, garagem, segundo andar, próximo do HCI. R$ 600,00. Fone:(55)9203-5275. (E355A-6) Aluga-se peça para 01 quarto prox. a Fidene. Fone:(55)9121-2854. (E362F-3) Barbada. Vendo terreno de 225 m², no bairro Lulu Ilgenfritz. R$60.000,00. 9952-4190 Fone:(55)91355577. (E35F9-3) Vendo 370 hequitares, com bem feitorias, terras para agricultura, próximo a Jóia. Fone:(55)8445-5453. (D34FC-2) Vendo casa de alvenaria com 3 quartos, garagem para dois carros, churrasqueira, demais dependências e pátio amplo. Área privativa: 100 m², área do Terreno: 380m². Bairro Burtet. Fone:55 9681 - 8593. (D34FA-9) Vendo ou troco terreno no bairro Modelo. R$35.000,00. Na troca, acei-

to uma caminhoneta 608, ou F4.000. Fone:(55)9115-5683. (D34F5-4) Vende-se duas casas no mesmo terreno, sendo uma de material e outra de madeira, as duas estão alugadas. R$130.000,00. Aceito carro no negocio. Fone:96262769. (D34F3-2) Vendo uma casa com terreno (12x30m²), no bairro Alvorada. R$32.000,00 Fone:(55)8425-9612. (D34BA-8) Vende-se um terreno de 11x34 = 374m² na Rua Anibal Lourenço Dalla Corte, na cidade de Catuípe. Fone:(55) 9170-4570. (D34B2-9) Vende-se casa nova, com 2 pavimentos, parte superior 185 m²,( térreo 164 m² comercial, faltando acabamento), terreno de 380 m², centro a 1 quadra da Sogi. R$ 300 mil + financiamento Fone:(55) 8115-9939. (D34A0-9) Compra casa de madeira para retirar e levar para cruz alta. Em bom estado. Fotos para o e-mail (silva_deoclar@hotmail.com) Fone:4584146280. (D3495-7) Vende-se uma casa de madeira para retirar do local. 3333 6243 Fone:(55)96745805. (D3494-6) Vendo ou troco casa, mista, mo bairro São José. 2 pisos, com terreno de 11x48m. Fone:(55)9621-9724.

Fone : 3332 - 1366 /9109-6009 9176.6885

Rua do Comércio, 806 - Ijuí/RS

ÁREAS RURAIS À VENDA Cód.XX - Área rural com 6 ha, sem benfeitorias. A propriedade se divide em 3,5ha de área de campo, podendo ser usada para lavoura e 2,5ha de mato e açudes. Distrito de Barreiro, distante 8 KM do centro de Ijuí. Acesso pela RS522, que liga Ijuí à Augusto Pestana, somente 700m de estrada de chão em perfeito estado. Cód.417 – Área 1 ha, toda terraplanada, próxima do asfalto e Sabeve, segunda entrada do Barreiro. Cód.418 – Área 1.48 ha, sem benfeitorias. Linha Gramado, em frente Armazém da Cotripal - Panambi. Cód.419 – Área 145.000m², sem benfeitorias - Alto da União, próximo área militar Cód.446 – Área de 517.8344 ha sem benfeitorias – Darcinópolis – TO (40KM da cidade e 30 KM da Bunge) CHÁCARAS À VENDA Cód.346 – Área de 41.517,12m² (1,5 ha de mato nativo), sem benfeitorias. Margem esquerda do Rio Potiribú, Linha 3 p/ 4 Leste. Cód.350 – Área 8.61 ha, sem benfeitorias. Barreiro. Cód.351 – Chácara 2.1 ha com casa alvenaria 100m², 3 dorm, banh, coz, sala, garagem c/churrasqueira, varanda. 2 galpões madeira, água de poço artesiano comunitário, luz, arvoredo, prox. ao Rio Potiribú, 2 Km da BR. Linha 08 – Ijuí. Cód.355 – Chácara 1.000m², casa mista 66m², 3 dormitórios, sala, varanda, cozinha, banheiro e lavanderia. Alto da União. Cód.360 – Área 9,6 ha com casa madeira, açude, luz, poço artesiano, potreiro, área p/planta e p/criação de gado. Jóia. Cód.361 – Chácara de 19,5 ha. com casa de alvenaria de 60m², açude, mato, 04 vertentes, Poço artesiano coletivo, água, luz, estábulo, galinheiro, 4.000 pés de eucaliptos plantados recentemente. Linha 08 para Linha 09 Leste (direção à Bozano). Cód.362 - Chácara de 15.133,9350 com casa mista 02 dormitórios, sala, coz, banh, varanda, água encanada, poço, luz. Linha 04 Leste (próximo Escola Fazenda Imeab). Cód.363 – Chácara 41,500m², área cercada com Casa alv 2 pisos 456m². Térreo: Gar 4 carros portão eletrônico, lav, 2 dorm, 2 salas, 2 adegas, banh. Superior: Cód.448 – Chácara de 110,3520 ha, com Casa de alv 70m², estrutura montada para vacinar e carregar gado com divisórias, pranchas, pomar cercado, poço, energia. Fazenda Progresso - MA Cód.451 – Chácara de 4 ha com cancha de bocha, mato (pode-se fazer campo de futebol), açude, casa mista. Linha 6 Leste.


C Y M K

18 (E3604-5) Vendo Gol Mil, 94, em ótimo estado. Fone:(55)9131-2951. (E35EC-8) Vende-se Saveiro CL 99, motor AP 1.8, vermelha, capota marítima, alarme, travas elétricas. Fone:55 9126 9000.

(E3620-6) Vende-se um Fusca, 75, cor bege, motor 1.300. R$2.000,00. Fone:(55)91150170. (E361C-2) Vende-se Gol, 96, branco, 2 portas, TE, AL, rodas de liga leve, CD, R$8.500,00. Aceito moto de menos valor. Fone:(55)8402-3922. (E360D-5) Vendo Gol G5 2010/11, preto, básico, trava elet, único dono, 46mil km. A vista R$23.300,00 (FIPE) ou R$13.000,00 entrada mais assumir financiamento(primeira parcela venc 04/2014). Fone:81178661. (E360A-2) Vende-se Saveiro ano 88, diesel, doc. quitados, lataria, pneu, motor em ótimo estado Fone:(55)8421-8837. (E3605-6) Vendo Golf, 97, verde metálico, 4 portas, em ótimo estado. Fone:(55)91312951.

(E35E8-4) Vende-se Gol, 1.0, Trend, ano 2011/12, G5, completo, impecável, 40mil Kms rodados. Fone:(55)9718-0891. (E35D7-5) Vende-se Brasília ano 77, de cor rosa R$ 5.000,00 e uma camionete S-10 2.4, branca, ano 2001 por R$ 25.000,00 Fone:(55)33326781.

(E3626-3) Vende-se Fiorino City, ano 85, preto, lataria em ótimo estado, bancos de S10, motor bom. R$3.000,00 Fone:(55)9115-6983. (E35F4-7) Vendo Fiat 147, Rallye, vermelho, ano 77, bancos de couro e original, 2° dono, roda 15”, interior personalizado. Aceito propostas. Fone:(55)9115-6983. (E35EB-7) Vendo Palio ELX, 1.0, 2005, prata, 4 portas, completo, vidros e travas elétricas, ar condicionado, direção hidráulica, segundo dono, ma-

(E35D6-4) Vendo Gol, 96, branco, 1.6. R$8.500,00 Fone:(55)9118-9816. (E35D5-3) Vendo Variante, 74, 4 pneus novos, em bom estado. R$3.000,00 Fone:(55)9949-3962. (E35CE-5) Vendo Logus 1.8, ap, gasolina, completo, azul metálico, com rodas esportivas originais, em ótimo estado. Aceito proposta. Fone:5591750893. (E35C7-7) Vendo Gol, 2007, vermelho, básico, 2007, 4 portas, 34mil kms. R$17.000,00. Fone:(55)9962-2512.

(55) 3331.6000


C Y M K

19 nual e chave reserva. A vista R$17,000,00. Estudo troca. Fone:91740805.

diferença em dinheiro. Fone:55 9146 2970.

(E35EA-6) Vendo Uno, 91, branco, aceito Fiorino, Pampa, Saveiro. Fone:(55)9137-4001.

(E35A7-2) Vendo Uno, ano 85, vermelho, pintura nova, documentação em dia. Fone:(55)9127-7105.

(E35E6-2) Vende-se Fiat Uno Esmart, ano 2001, R$10.000. E um Siena, ano 98, 1.6, completo, ótimo estado. Fone:(55)91173120.

(E3581-9) Vendo Strada 99, branca, ve + al + rd. Aceito troca por moto. Fone:55 3505 9508.

(E35CC-3) Vende Strada, 1.4, ano 2008, C/S, airbag, ar condicionado, ótimo estado, estudo troca. R$23.000,00 á vista. 99942515 Fone:(55)9117-1116. (E35B4-6) Vento Fiat Palio Weekend, 1.6, 16v, Estile, 2001, completo. R$20.800,00 á vista. Aceito veiculo de menor valor e

(E357F-7) Troco Fiorino 1995, por veículo popular em bom estado, preferencialmente acima de 2005, pago diferença avista. Fone:55-91017495. (E357D-5) Vendo Uno Mille Eletronic, ano 95, rodas liga leve, som , bom estado. R$8.900,00. Fone:5591412474.

(E355C-8) Vende-se Uno Fire 2007/2008 cor vermelha , duas portas , bom de Pneus e doc. em dia R$16.000,00. Fone:(55)8118-6309. (D3527-9) Vendo Uno eletronic, 1.0, ano 93, impecável, com ar quente, limpador e desembaçador traseiro, trava e alarme, 4 pneus novos. R$8.000,00 Fone:05591512531. (D351F-1) Vendo Fiorino Furgão, modelo 147, toda reformada, pneus novos, banco de couro. Fone:91216790. (D3509-6) Barbada! Urgente. Vendo Uno ano 92, 1,5 aceito moto na troca, financio também. Fone:(55)9194-1572.

(E362C-9) Vendo Ka, 97, vidros e trava elétrica, rodas esportivas e 4 pneus semi novos. 3333-4964 Fone:(55)99836628. (E360C-4) Barbada. Courier 99, Zetec - DH - VE - alarme. Por apenas R$10.000,00. Não faço troca. Fone:3333-2222. (E3606-7) Barbada.Vendo Fiesta, 97, vermelho bordo, em ótimo estado. Estudo propostas. Fone:(55)9126-7575.

(E35E9-5) vende-se Fiesta, 4 portas, 2007, 45.000kms, 4 pneus novos, alarme, trava, ar cond, direção hid, calha de chuva, insufilme, 2° dono. R$12.000,00 + 34x R$465,00. Financiado pelo Itau. 96999620 Fone:(55)9118-8437. (E35D8-6) Vendo Ford Ka, bordo, 99. Aceito troca por fusca ou gol até 94. Fone:(55)91559103. (E35B0-2) Vende-se Ford Ka 1.0, ano modelo 2010, cor vermelha, ótimo estado, 4 pneus novos, preço de tabela FIPE, R$ 20.000,00. Fone:91174773. (E3599-6) Vendo Focus 1.8, 2003, completo, som orig + rodas. R$20.000,00 a vista. Fone:55 3505 9508. (E358B-1) Vendo Pampa GL, 1.6, ano 86, dourada, em ótimo estado. R$6.000,00 Fone:(55)9138-4428. (E3580-8) Barbada. Vendo Escort ano 86, motor CHT, 1.6 motor feito a pouco tempo, carrinho econômico em bom estado. R$3.000,00. 8118-1206. Fone:3333-3173. (E357C-4) Vendo Escort ano 89, motor 1.6 cht, RLL, DT, VE com teto solar doc 1012 em dia. R$5.000 sem troca. Fone:91911354. (E356B-5) Vendo Ford Royale GL 2.0, 96/96, completa, tudo funcionando em bom estado, barbada. R$ 8.500,00 somente a vista. Na troca R$10.000,00. Fone:55 9981 0158 . (E3558-4) Vendo f-250 xll 2001, 6 cil, turbo diesel, 180cv, cinza metálica, revisada,ar condicionado, direção, trio elétrico, alarme, som, rodas, protetor caçamba, capota marítima. Fone:55 9961 2300. (D351E-9) Vendo Verona, LX, ano 90, em ótimo estado de conservação, todo revisado, alarme com trava elétrica, R$5.000,00. Fone:91216790. (D350F-3) Vendo Ka GL, ano 2004, motor zetec rocam. R$ 11.600,00. 9148-2105 Fone:3332 1797. (D34EC-4) Vende-se Focus Sedan, 2008, prata,completo,baixa km,estado de novo. Fone:(55)9191-9744. (D34E5-6) Vende-se Belina, 90, dourada, 1.8, gasolina, GLX, original, coim limpador e desembaçador traseiro, ar quente, em perfeito estado de conservação. Fone:(55)97109420. (D34DA-4) Vendo Focus, 1.6, 2005/06, preto. R$23.000,00 Fone:(55)9193-2025.


C Y M K

20

(E3633-7) Vendo Celta Life 1.0, 2007, preto, 2º dono, AQ, VDE, LDT, trava, AL, DVD. Em ótimo estado. R$ 15.000,00 sem troca. Fipe: R$16.000,00. Fone:913 6-2793. (E362D-1) Vende-se Montana, 2008, preta, com ar condicionado e direção hidráulica. 3333-4964 Fone:(55)99836628. (E362A-7) Vendo Chevette ano 1982, cor bege, som,

4 6x9, alarme e travas elétricas, películas, muito conservado por dentro como por fora, painel inteiro, mando fotos se necessário. R$5.500,00. Fone:99933214. (E3615-4) Vendo ótimo Chevette ano 79, vermelho, 1.4, 4 marchas, gasolina,rodas,bancos altos reclináveis. Aceito moto no negocio. R$3.500,00. Fone:5591668868. (E360E-6) Vendo Chevette ano 84, ótimo estado, preço a combinar. Fone:55 91748195. (E3603-4) Vende-se Corsa Classic 2007/2008 AC/ Dir/ Trav/Alarme/Som/Rack de Teto. Fone:81146379. (E3602-3) Vendo Montana LS, Econoflex, 1.4, Vermelha, Zero KM. Modelo basic. R$26.500,00 á vista. Fone:55 91202214. (E3601-2) Vende-se Corsa Classic 2007/2008 AC/ Dir/ Trav/Alarme/Som/Rack de Teto. Fone:81146379. (E35FE-8) Compro Golf, vermelho, 2000 para cima. Fone:(55)9171-2035. (E35FD-7) Vendo Kadett, 93, bordo. R$9.000,00 Fone:(55)9171-2035. (E35F7-1) Vendo ou troco Corsa Super 98, 1.0 mpfi, 4 portas, ar quente, alarme e trava elétrica, 2°dona, R$13.000,00 á vista ou na troca R$14.500,00, 9155-5581 Fone:33325218.

(E35DF-4) Vendo chevette ano 1982, cor bege, ótimo carro, alarme e travas elétricas, com som. R$ 5.300,00. Fone:99933214. (E35DC-1) Vendo Corsa Sedan Life 1.0, flexpower, motor vhc, ar condicionado, manual e chave reserva, estepe nunca rodado, 39.000km, alarme e travas elétricas, desembaçador traseiro. R$20.500,00. Fone:99933214.

Fone:84322202. (E35A5-9) Vendo S10 Rodeio, 2011, a diesel 4x4, completa, 29mil kms. R$70.000,00 Fone:(55)99384581. (E359D-1) Vendo Astra Sedan CD, preto, 2.0, 2003,

completo, abaixo da tabela FIPE, R$19.000,00. Aceito proposta. Fone:(55) 99351944. (E358C-2) Vende-se S-10, gabine simples cor prata ano 98,completa á gaz. 2.2, c/ 04 pneus novos, aceita troca por Saveiro, Monta-

(E35C3-3) Vende-se S-10 Cabine Simples, 2.8 Turbo Diesel Intercooler, bancos em couro, ar, direção, vidros. Uma branca outra preta, ambas 2001. Fone:55 8458 5989. (E35B9-2) Vendo Kadett 89. R$6.500,00 Fone:(55)99421614. (E35B6-8) Vendo Corsa Sedan Classic, 1.0, Life Flex 4P prata, único dono, 39.000 Km, original. R$ 19.900,00 a vistá ou aceito veiculo de menor valor então fica por R$ 21.400,00. Carro Impecável (Parece novo). Fone:55 9146-2970. (E35AF-1) Vende-se Astra Sedan, 1.8, 2000, completo, ótimo estado. Aceito propostas. Fone:(55)9175-6559. (E35A8-3) Vendo Agille LTZ, 2011,dourado, único dono, 40.000Km. Trio elétrico, rodas de liga, computador de bordo, ar condicionado, piloto automático, mp3 com bluetooth, estepe zerado, revisões feitas. R$34.000,00.

(N1E1C-5) Vende-se moto Web Sundown, IPVA e doc em dia, ano 2006, cor vermelha, 12.500km. Estudo proposta. Fone:(55)9156-2189. (N1DEF-5) Vende-se uma moto Fly, 125, 2008, vermelha em ótimo estado, ipva 2012 ok, aceita-se carro ou moto menor. Fone:(55)9637-7653.


C Y M K

21 na ou Ford Currier. C/ Paulo Fone:(55)9122-1037. (E3585-4) Vendo Kadett Esporte, 2.0, 96, completo. R$9.900,00. Fone:(55)99819170. (E3571-2) Vende-se Chevette 1.6S, ano 89, rodas esportivas, pneus em bom estado, todo revisado e bem conservado. Aceito troca por carro mais novo de preferência VW Gol. Fone:84422298. (E356F-9) Vende-se Corsa ano 96, doc. pago , aceita-se carro semi novo na no negócio, R$ 9.000,00 Fone:(55)8107-8464.

Caminhões (E35E4-9) Vende-se Caminhão VW, 7.90, ano 88, e Mercedes 708 ano 87, em ótimo estado. Aceito troca de carro ou caminhão de menor valor. Fone:(55)91173120. (E356E-8) Vende-se S-350 ano 63, á diesel, com doc. pagos. R$12.000,00 Fone:(55)84447579. (C33FB-6) Vendo Mercedes, 1214, ano 98. E uma F4000, ano 80. Fone:(55)3332-4265. (C33C9-1) Vendo Mercedez Benz, 1313, ano 79, azul, truck, preço especial. Jorge Fone:(55)9987-2249. (C33C4-5) Vende-se um cavalo Mercedes 1934 ano 90, com tomada de força. Fone:(55)33327265. (C3395-3) Vende-se caminhão MB 1513,ano 80 truck, todo completo,placa IFH 2736 ótimo estado,trabalhando e bom preço. Fone:(55)3332-8836. (C3348-7) Vende-se caminhão Mercedes 708 ano 87, em ótimo estado e um VW 7.90, ano 88. Fone:91173120.

Máquinas Implementos Agrícolas (E3632-6) Vendo roçadeira nova, 42cc. R$650,00 ou R$600,00 á vista. 33321198 Fone:(55)9122-0686. (E361D-3) Vendo trator Valmet 85. 9175-7383 Fone:(55)3332-4265. (C3410-9) Vendo trator Valmete, 3 cilindros, ano 64. Fone:(55)9175-7383. (B32DA-5) Vendo trator, Valtra DM110, 2012, semi novo, R$78.000,00. 1+1. Ainda passa por financiamento. 9672 4151 (B3288-4) Vendo colheitadeira SLC 1000, ano 79, em ótimo estado. 9178 6017

(B32BD-3) Vende-se Caminhão 608, vermelho, ano 81, placa IHD4744, aceita-se carro ou caminhoneta de menor valor. 9908 2725 Fone:.

(B327B-9) Vende-se colheitadeira 6850, 16PÉ, gabinada, turbinada de fábrica. Aceito troca. 9903-0282

(B329A-4) Vendo caminhão frontal, azul fosco, com baú branco, fechado, 2004. R$95.000,00. Negocio. 9188 0501 ou 9931 0668

(2FE2-1) Vende-se SLC 1000,ano 79, em ótimo estado de conservação. Fone:(55)9178-6017.


C Y M K

22


C Y M K

23

Dezembro de 2012

Mercado do leite

Preços do leite em pó recuam no mercado internacional Produção está em queda na Europa e em alta na Oceania

Expectativa de estabilidade com possibilidade de queda nos preços ao produtor em curto prazo O preço ao produtor registrou a maior alta neste semestre no pagamento de novembro, referente ao leite entregue em outubro. Considerando a média nacional, o preço pago ao produtor subiu 1,7% no pagamento de novembro, referente à produção entregue em outubro. O produtor recebeu, em média, R$0,818 por litro. O aumento traduz a maior concorrência entre os laticínios, visto que a captação caiu até meados de outubro nas principais bacias leiteiras. Para o próximo pagamento, em dezembro, a expectativa é de estabilidade, com possibilidade de queda. A pressão de baixa é maior

no Sudeste e no Centro-Oeste, onde o incremento na produção deve ser mais significativo em curto prazo. Na região Sul, para o pagamento de dezembro a expectativa é de manutenção dos preços, mas uma boa parcela dos laticínios acredita em ligeira alta. No Rio Grande do Sul, o produtor recebeu, em média, R$0,78 por litro de leite. O preço atual é 1,0% menor em relação ao mesmo mês do ano passado.

Atacado e varejo

Na segunda quinzena de novembro, os preços dos lácteos no atacado ficaram praticamente estáveis consi-

derando a média de todos os produtos pesquisados. Houve ligeira alta, de 0,1% em relação a quinzena anterior. Dentre os produtos cujos preços subiram estão o creme de leite, o leite condensado, alguns queijos e requeijão. A valorização destes produtos é normal neste período em virtude das festas de fim de ano. No varejo, os preços dos lácteos na comparação com a primeira quinzena do mesmo mês subiram 0,6%. Os maiores reajustes foram para o grupo dos queijos, cuja alta foi de 1,7%. No caso do leite longa vida, os preços ficaram estáveis no varejo e caíram no atacado, aumentando a margem

de comercialização. A expectativa é de mercado frouxo em curto prazo. Além do aumento da oferta de matéria prima daqui em diante, a demanda por lácteos deverá ser menor nos próximos meses.

Custo de produção

Com relação ao custo de produção, o Índice Scot Consultoria para o Custo de Produção de Leite registrou alta de 0,9% em novembro em relação a outubro. Destaque para o milho e para os suplementos minerais, cujos preços subiram. Os farelos e fertilizantes ficaram mais baratos em novembro.

Figura 1. - Preço do leite ao produtor (média nacional ponderada), valores nominais – em R$/litro.

Fonte: Scot Consultoria – www.scotconsultoria.com.br

O valor por tonelada de leite em pó está mais barato na Europa e na Oceania, em comparação ao mesmo período do ano passado. O valor pago pela tonelada é de US$ 3825 na Europa e US$ 3375 na Oceania – uma queda de 5,8% e 6,3%, respectivamente. Entretanto, levando-se em conta os preços da quinzena anterior, o preço na Oceania aumentou em 2,3%. Na região, a produção de leite está perto do pico e o leite em pó acompanha esta alta. Na Europa, o cenário é o oposto, com a produção de leite perto dos níveis mínimos. Os estoques de leite em pó são suficientes para atender a demanda até o momento. Entretanto, os preços estão acima do que os compradores internacionais estão dispostos a pagar, ficando a negociação restrita ao bloco europeu. O preço do produto é 1% menor que o registrado na quinzena anterior.

Rafael Ribeiro de Lima Filho - Scot Consultoria


24

Dezembro de 2012

Ceagesp dá dicas para economizar nas ceias de fim de ano Especialista indica alternativas para adquirir produtos de qualidade e economizar na hora das compras

P

or conta do aumento da demanda no final de ano, o preço de alguns produtos consumidos nessa época sobe bastante. Em dezembro, as frutas, por exemplo, representam 60% das vendas na Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo (Ceagesp). “É nessa época que vale a pena apostar em produtos convencionais como laranja, banana, mamão, limão, maracujá, maçã e pera, já que a tendência é que o seu preço se mantenha estável, contrabalanceando com o preço de outros produtos mais tradicionais como as nacionais (uva, pêssego, ameixa, melancia, manga, figo, lichia e abacaxi) e as importadas (cereja, uva passa, pêssego, ameixas, avelãs e castanhas, entre outras)”, explica Flávio Godas, economista da Ceagesp. Ainda assim, de acordo com o Índice Ceagesp, houve casos de frutas bastante procuradas para a ceia que apresentaram queda expressiva no mês de novembro, como é o caso do figo (-30,5%), do morango (-27,9%) e da manga Tommy (-5.2%). “A queda desses valores ocorre primeiro na central de abastecimento, cuja comercialização é realizada no atacado. Dessa forma, é inevitável que os preços sigam essa tendência e também caiam no varejo”, completa o especialista. Realizar as compras em feiras ou mercados especializados também pode

ajudar a economizar. Afinal, esses estabelecimentos sabem onde comprar os melhores produtos, como conservá-los e manipulá-los. Nas centrais de abastecimento a escolha entre produtos nacionais e importados não interfere muito no valor da compra. “O que causa elevação no custo dos importados é o frete e a taxa cambial, mas essa importação é necessária e traz equilíbrio aos preços, já que os nacionais ganham novos concorrentes e substitutos”, justifica Godas. Outra dica é realizar as compras em grupos. “Os grupos de compras podem ser um grande aliado na hora de pagar menos. A única observação é que o comprador escolhido deve conhecer o mercado, saber analisar a qualidade dos produtos e, principalmente, ser uma pessoa de confiança”, conclui o economista.

Ministério facilita registro de estabelecimentos avícolas

E

stabelecimentos deverão seguir um padrão de manejo de biossegurança e realizar vigilância com amostras, visando a detecção precoce da entrada de doenças avícolas O Ministério da Agricultura e Pecuária divulgou esta semana que atualizou a Instrução Normativa 56/2007 para acelerar os processos de registro de estabelecimentos avícolas. A medida deve simplificar os procedimentos, diminuir entraves e esclarecer definições tanto de locais de reprodução como comerciais. Dentre as mudanças na norma, está a exclusão da obrigatoriedade do uso de telas de proteção nos galpões do tipo californiano clássico ou modificado utilizados em granjas de postura comercial de ovos para consumo. A exigência foi descartada com base em um estudo realizado pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), que demonstrou a inviabilidade técnica de colocação da tela nesses tipos de galpões. Os estabelecimentos, no entanto, deverão seguir um padrão de manejo de biossegurança e realizar vigilância com colheita de amostras, visando a detecção precoce da entrada de doenças avícolas em seus plantéis. Isso porque esses locais, juntamente com os que não se adequaram aos procedimentos de registro, representam um maior risco para a entrada e disseminação de enfermidades, por não terem implementado procedimentos mínimos de biossegurança. O modelo dessa vigilância diferenciada será definido até março de 2013, pela Secretaria de Defesa Agropecuária (SDA). Além disso, o Mapa reduziu a quantidade de documentos necessários para o registro. Conforme previsto pela IN 56/2007, granjas de reprodução devem apresentar a documentação para a Superintendência Federal de Agricultura, Pecuária e Abastecimento da sua unidade federativa e as comerciais para os órgãos estaduais de defesa sanitária animal.

C Y M K


C Y M K

25

Dezembro de 2012

SINDICATO DOS TRABALHADORES RURAIS DE IJUÍ Plenária Regional Nos dias 06 e 07 de dezembro, aconteceu a Plenária Regional em preparação para o Congresso da Contag, que será de 04 a 08 de março de 2013. A Plenária foi realizada em Catuípe, na casa Família Rural, e contou com 13 sindicatos regionais de Ijuí. Durante o evento foram definidos os delegados, que debateram a temática do congresso, o qual contará com representantes dos sindicatos, entre eles homens, jovens e aposentados.

Produtor de soja deve redobrar cuidado com lagartas

Assembleia define previsão orçamentária para 2013 No dia 12 de dezembro, houve uma assembleia extraordinária, contando com, representantes de agricultores familiares e assalariados rurais. A assembleia debateu a possibilidade da implementação de uma convenção coletiva de trabalho, regras sociais, e econômicas entre trabalhadores rurais e patronais.

Plantações locais

De acordo com o presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Ijuí, Carlos Karlinski, apresentam-se boas expectativas em relação à safra de soja. “Estamos na dependência do clima, por enquanto a soja está normal. A grande maioria semeou, alguns tiveram problema de plantio dentro da normalidade, mas no geral tem-se conseguido. A gente aposta nisso. Porém, é preciso ter cuidado com as lagartas, para não afetar a produção”, diz Karlinski. Já quanto ao milho o presidente relata que no geral o pessoal replantou, e a recuperação foi razoável, mas o momento é crítico. “O milho precisa de umidade, pois a formação do grão pode falhar”, diz o presidente.

Soja crescendo na lavoura requer muitos cuidados do produtor rural e sua equipe. Quem não quer ter perdas com invasão de pragas deve ficar atento com as lagartas, principalmente a lagarta da maçã e a lagarta falsa-medideira. De acordo com a entomologista Lúcia Vivan, além do controle das lagartas nas lavouras de soja, é preciso ter atenção com a invasão dos percevejos que também podem causar dano à produção. De acordo com a pesquisadora, caso seja verificado o aumento de população de percevejos, o controle com produto químico deve ser realizado imediatamente. “Importante é fazer o monitoramen-

to de toda a área. O acompanhamento da lavoura diariamente possibilita a identificação da praga, qual espécie, o tamanho da população e a forma de controle mais eficiente para a espécie da lagarta ou do percevejo”, esclarece Vivan. A detecção da população da praga no início da infestação é, conforme a pesquisadora, primordial para a efetividade do controle da praga. No caso da lagarta da maçã, se o controle não for realizado no período vegetativo o risco é essa população estar alta no período reprodutivo e acarretar danos nas vagens da planta de soja. Fonte: Globo Rural Online


26

Dezembro de 2012

C Y M K


C Y M K

27

Dezembro de 2012 AGRICULTURA

Preços do arroz fecham novembro com baixa de 3,2% Os preços do arroz em casca estão fechando o mês de novembro com baixa no Rio Grande do Sul, em Santa Catarina e estabilidade nos demais estados

N

o último dia de novembro, a média do indicador de preços do arroz em casca ESALQ/Bolsa Brasileira de Mercadorias - BM&F Bovespa, para o cereal (50kg – 58x10) colocado na indústria e com pagamento a vista, manteve-se em R$ 37,56, com 93 centavos de desvalorização em 10 dias. Em dólar, a saca fechou, pela cotação do dia, ao equivalente a US$ 17,66, ou 65 centavos de dólar abaixo da cotação. Isso graças ao momento de recuperação do dólar. No acumulado do mês, o indicador registra queda de preços de 3,22% nos preços ao pro-

Setorial O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) confirmou ao presidente da Federarroz, Renato Rocha, que até a próxima colheita será concluído e colocado em prática o Programa de Refinanciamento das Dívidas Arrozeiras, o que poderá reduzir a pressão de oferta nos primeiros meses após a colheita. Os arrozeiros também pediram a suspensão dos leilões de arroz em casca, pela Conab, mas o governo informou que os leilões cujos editais já foram publicados serão mantidos. Em dezembro serão suspensos e retornam a partir de meados de janeiro, à medida em que houver preços compensadores.

Safra Alertas com o anúncio de que as chuvas que acontecerão no RS e SC serão abaixo da média histórica, os produtores catarinenses e gaúchos estão dando por concluída a nova safra nos próximos dias. Em Santa Catarina a área cultivada já supera a marca de 99%. No Rio Grande do Sul, a Emater/ RS estima que a área cultivada já chega a 95% da expectativa. Segundo a Emater/RS, neste momento o clima vem ajudando para a formação da lavoura.

dutor. Ainda assim, em comparação com os preços da mesma época no ano passado, a alta nos preços se mantém acima de 40%. No mercado livre os preços oscilam entre R$ 37,00 e R$ 38,00 nas principais praças. As variedades nobres alcançam R$ 44,00 de remuneração no Litoral Norte (64x6) e R$ 38,50 na Fronteira-Oeste (60x8). É baixo o volume de arroz ainda nas mãos dos produtores, as empresas de maior porte estão abastecidas até a safra e ainda contam com a oferta de grão do governo, caso seja necessário repor estoques. Ainda assim, indústria

Mercado A Corretora Mercado, de Porto Alegre, indica desvalorização de R$ 1,23 na saca de arroz nos últimos 11 dias, e o preço referencial de 50 quilos em casca (58x10) no mercado gaúcho agora é R$ 37,38. A saca de 60 quilos de arroz branco teve queda de 50 centavos, agora cotada a R$ 75,00 sem ICMS/FOB e chega a São Paulo entre R$ 90,00 e R$ 97,00 com os tributos. Os quebrados de arroz registraram queda para o canjicão, referenciado em R$ 39,00/60kg. A quirera, em R$ 38,00, para 60 quilos (FOB/ RS) e o farelo de arroz, tonelada FOB/Arroio do Meio (RS) em R$ 380, mantiveram cotações estáveis.

Última hora Produtores de arroz poderão renegociar as dívidas de crédito de custeio e investimento contratadas até 30 de junho de 2011. A medida foi informada pelo ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Mendes Ribeiro Filho, ao governador do Rio Grande do Sul, Tarso Genro. A proposta do Ministério da Agricultura (Mapa) será aprovada pelo Conselho Monetário Nacional (CMN) nos próximos dias.

e produtores solicitaram ao MAPA a suspensão dos leilões e direcionamento, por meio de políticas de apoio, destes volumes para o mercado externo. Quatro fatores principais estão definindo essa trajetória de mercado: os leilões de oferta de arroz dos estoques domésticos pela Conab; um avanço nas importações de arroz do Mercosul, pelo Brasil; a retração das exportações nacionais diante de um mercado externo altamente competitivo; e a repetição de área cultivada nas safras gaúcha e catarinense, com redução menor do que o

previsto nos demais estados. O fato novo é o anúncio pelos institutos de meteorologia de que o fenômeno El Niño arrefeceu e a previsão é de chuvas abaixo da média no Sul do Brasil. Desta forma, muitos produtores que estão realizando a chamada “aguação” para o arroz emergir, poderão ter problemas de recomposição das barragens para cumprir toda a rotina de irrigação desta safra. Dias secos, muito quentes e com vento, têm predominado no Rio Grande do Sul, exigindo que em muitas lavouras o arroz seja banhado para nascer.

“Essa é uma conquista histórica para o setor, fruto do esforço dos produtores e dos governos Federal e estaduais. Espero que não tenhamos problemas com o setor até 2020”, afirmou o ministro Mendes Ribeiro Filho. O total disponibilizado para a amortização de dívidas será de até R$ 1,5 bilhão por meio do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Para as dívidas até R$ 1 milhão de reais, a taxa de juros será de 5,5% ao ano, com juros especiais também para débitos acima deste valor. O prazo de financiamento é de até 10 anos, em parcelas anuais, e a primeira parcela deverá ser paga apenas em maio de 2014. Também poderão ser refinanciadas as dívidas de operações de Empréstimos do Governo Federal (EGF) de arroz da safra 2009/10 e aquelas ao amparo de linha de crédito FAT Giro Rural. Os interessados devem procurar a instituição financeira credora até 30 de abril de 2013, a qual deve formalizar a operação até 31 de julho de 2013. Para a renegociação, o produtor deverá pagar 10% do saldo devedor até a data de formalização do novo contrato.

Novembro acumula redução de 3,2% nos preços ao produtor

ECONOMIA

Ceia de Natal está 18,6% mais cara este ano, diz FGV A ceia de Natal vai custar, em média, 18,6% a mais neste ano do que no ano passado. O levantamento feito pela Fundação Getulio Vargas (FGV) mostra que a inflação dos produtos usados na ceia é três vezes maior do que a registrada na média acumulada pelo Índice de Preços ao Consumidor (IPC) no período de dezembro de 2011 a novembro de 2012, que foi de 5,77%. Entre os itens que apresentaram maior aumento de preço estão o arroz (33,49%), a cebola (48,37%), a batata inglesa(51,82%) e as frutas como mamão papaya (66,88%),

manga (26,17%), abacaxi (23,52%) e maçã (22,13%). Outros produtos também subiram acima da inflação, como a azeitona em conserva (11,79%), o frango (10,45%), os pães e biscoitos (8,55%) e o bacalhau (5,96%). Alguns itens, no entanto, tiveram aumento de preços menos intenso do que o registrado pelo IPC: azeite (3,48%), lombo suíno (2,84%) e vinho (1,61%). O pernil suíno foi o único produto pesquisado pela FGV que teve queda de preço – de 1,26% – entre 2011 e 2012.


28

Dezembro de 2012

Cláudio de Jesus

JÓIA

Pronaf

Presidente da APROMILHO

Investimento I - Milho na região

A primeira safra de milho do Rio Grande do Sul teve no início no mês de setembro, um prejuízo em torno de 20% das áreas plantadas, devido à geada, acarretando alguns problemas. Mas nesse momento se encontra em uma frase excelente. Devido a lavouras de milho que não foram afetadas pela geada, e com as chuvas que estão ocorrendo nas últimas semanas nós esperamos que o primeiro milho no Rio Grande do Sul, principalmente a região noroeste e a região de fronteira já defina a colheita. Nós acreditamos que o Rio Grande do Sul deve colher em torno de 5 milhões de toneladas de milho, porque houve um pequeno prejuízo pela geada e também uma admissão diária. O clima está favorável até agora, acredita-se que possamos ter boa produtividade. Nós produtores de milho dessa região aqui de Ijuí, o milho se encontra bem, mostrando potenciais de atividade bons, acima de seis toneladas por hectares. As lavouras em geral no Rio Grande do Sul também se encontram bem, foram afetadas pelas geada, mas estão mostrando potencial de desenvolvimento bons. A nível de Brasil a grande expectativa é com a chamada segunda safra, em que o Brasil possa a chegar a colher mais de 70 milhões de toneladas, mas não acredito nisso porque em Mato Grosso houve dificuldade na sofra de soja, então possivelmente eles vão ter dificuldades na safra de milho. Em termos de preço nós acreditamos que o preço está bom para o produtor para esses patamares, em torno de R$ 27 a R$ 36, até porque as exportações de milho estão sendo favoráveis tanto quanto para o produtor do Rio Grande do Sul como para o Brasil, que está exportando em torno de 20 milhões de toneladas. Então, o preço de mercado para aquele produtor que investiu no milho certamente terá um bom retorno, se tiver logicamente uma boa colheita, que acredito que o clima seja favorável nos próximos trinta dias como está previsto. Em termos de participação a Apromilho tiveram uma participação em um evento em Bento Gonçalvez, na Visulate, no dia 22 de novembro, onde tiveram a participação da Apromilho Rio Grande do Sul, dentro desse evento a participação era para motivar a produção de milho no Rio Grande do Sul, já que o Rio Grande do Sul está importando mais da metade do milho. Nós acreditamos que a partir da evolução da irrigação no Rio Grande do Sul, e a evolução de um seguro de produção ao produtor seja possível avançar em termos de produção de milho, já que existe áreas, existe tendências.

II – Nucleação

Lideranças de Ijuí e da região estão discutindo, que á a nucleação de núcleos que são reuniões que estão acontecendo, com a motivação e a participação do poder público municipal. Várias lideranças têm se encontrado e participado dessas discursões, foram feitas algumas experiências aqui na região, que tem dado resultados positivos, já que a grande quantidade de umidade que nós temos em cima das nossas cabeças são suficientes para nós aprendermos. Aqueles que observaram e perceberam que os resultados tende a ser positivo. Como é um tema novo, uma tecnologia nova, isso tudo não se tem nesse sentido, as lideranças se reuniram buscando integração, participação, lideranças, produtores, pessoas interessadas; Nós acreditamos as próximas experiências que vão acontecer aqui na região, nós precisamos muito da participação do produtor, não só participação física, mas também financeira para essas experiências continuar e futuramente ter um projeto maior, ajudando a corrigir as deficiências internas. Nós acreditamos através da Apromilho que é possível evoluir nesse sentido de que se tenha participação dos produtores, empresas, políticos, secretaria da agricultura, liderança sindicais, entre outros. É impossível avançar esse tema, a região aqui terá experiências mais agradáveis em termos de clima. Então, esperamos que a participação, principalmente do produtor esteja cada mais forte nesse sentido de nós avançarmos, em um período curto de tempo podemos melhorar as tecnologias, e o desenvolvimentos das tecnologias para diminuir os problemas de falta de chuva em vários momentos aqui na nossa região.

Especial

O Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Jóia vem informar que está temporariamente suspensa à contratação de operações usando a linha Pronaf Investimento Especial. Informaremos quando a linha for reaberta para contratação. Além disso, também foram liberados, até o momento, 47 contratos assinados, via convenio Banco do Brasil e Sindicato.

Custeio lavoura de verão (soja e milho)

O sindicato de Jóia, através de um convênio com o Banco do Brasil, agência de Augusto Pestana, liberou até o momento 165 contratos de lavoura de soja, e 5 de lavouras de milho. Além destes custeios, o sindicato liberou até o momento 100 contratos assinados de Pronaf Custeio Pecuário, o qual é realizado o ano todo.

Micro crédito Sementes de via Banco forrageiras e milho do Brasil Informamos que a linha de Micro Crédito via Banco do Brasil, destinado aos micros empresários (pessoa física e jurídica) funcionará até o dia 15 de dezembro.

O Sindicato tem a disposição para o quadro social sementes de forrageiras e de milho.

Convênio Estará atendendo na sede do Sindicato de Jóia, dia 21 de Janeiro de 2013, na parte da tarde a terapeuta iridóloga naturalista, Evanir Bonatto Wess, interessados marcar horário.

SANTO AUGUSTO

Sedagro entrega alevinos A Secretaria da Agricultura, Pecuária e Meio Ambiente (Sedagro), fez a entrega de quase 14 mil alevinos para 41 produtores de Santo Augusto. As inscrições com os pedidos dos mesmos podiam ser feitas na secretaria e abrangeu

todas as localidades do interior do município. E já estão abertas novas inscrições para pedidos de alevinos, podem ser feita junto a Sedagro até o dia 27 de dezembro. A entrega está prevista para acontecer no dia 4 de janeiro de 2013.

SANTO AUGUSTO

Celebrado Dia Nacional da Extensão Rural No dia 6 de dezembro foi comemorado, em todo o país, o Dia Nacional da Extensão Rural. Nesse mesmo dia, no ano de 1948, foi fundada a Emater de Minas Gerais, a primeira experiência brasileira direcionada para a introdução de novas técnicas de agricultura e economia doméstica, de incentivo à organização e de aproximação do conhecimento gerado nos centros de ensino e de pesquisa aos produtores rurais. Hoje, a Extensão Rural desenvolve ações imprescindíveis para o desenvolvimento rural, ajudando a democratizar espaços e validando os anseios das comunidades,

além de levar a seus públicos prioritários - agricultores familiares, assentados da reforma agrária, descendentes de quilombos e pescadores artesanais - princípios de cidadania. No Rio Grande do Sul, os serviços de assistência técnica e extensão rural oficial do Estado são prestados pela Emater/RS-Ascar desde a década de 1950. Atualmente, a Instituição atende a cerca de 280 mil famílias em 492 dos 496 municípios gaúchos. Para dar conta de tanto trabalho, a Instituição conta com a dedicação de 2.299 empregados com as mais diversas formações. Hoje, a agricultura fami-

liar é responsável por mais de 70% dos alimentos que chegam à mesa dos brasileiros, e os extensionistas rurais atuam, principalmente, na promoção deste setor, enfrentando os desafios da produção através de ações voltadas à cadeia produtiva em sua totalidade, ampliando as oportunidades e promovendo a melhoria da renda familiar no meio rural, sem perder de vista a necessidade cada vez mais premente de produção de alimentos saudáveis e sem a utilização de agrotóxicos. Para o presidente da Emater/RS, Lino De David, o extensionista se soma, diariamente, com seus sa-

beres e conhecimentos, à vida das famílias com quem trabalha e atua, contribuindo de forma decisiva para o desenvolvimento e a melhoria das condições de vida das pessoas atendidas. “E neste momento, sem dúvida, há um resgate e a valorização do papel do extensionista, neste novo momento da Ater no Brasil. Isso porque o extensionista é um profissional que não mede esforços, nem dia e nem hora, na dedicação àqueles que são, não só seus assistidos, mas também amigos, parceiros e companheiros de lida no dia a dia”, destaca De David.

C Y M K


C Y M K

29

Dezembro de 2012

Região PANAMBI

AUGUSTO PESTANA

Governador Tarso Genro é recebido

em Panambi pelo Grupo Fockink

T

erceiro polo metalmecânico do Estado, Panambi recebeu a caravana liderada pelo Governador Tarso Genro, durante a Semana de Interiorização – Prestação de Contas. O governador e sua comitiva almoçaram com trabalhadores e dirigentes do Grupo Fockink, importante parceiro de programas de irrigação do Governo do Estado. “Obrigado a todas as empresas que apostaram na credibilidade política do Rio Grande do Sul”, disse Tarso Genro.

Em função do programa Mais Água Mais Renda, do Governo do Estado, o número de funcionários da Fockink, instalada há 65 anos no município, cresceu 70%. “Estamos extremamente satisfeitos com esse programa”, disse o diretor superintendente no Grupo Fockink, Siegfried Kwast. A irrigação é uma das onze linhas de produção da empresa, que tem 715 funcionários. São fabricados em Panambi pivôs fixos, móveis e lineares. “Temos modelos que irrigam de

três a 200 hectares”, detalhou Kwast. “A necessidade de tecnologia gerada pela agricultura acelera o desenvolvimento da indústria”, disse o secretário de Desenvolvimento Rural, Pesca e Cooperativismo (SDR), Ivar Pavan, responsável pelo programa Irrigando a Agricultura Familiar. “Os equipamentos de irrigação estão integrados com os setores primário, secundário e de serviços”, completou o gerente da Emater/RS-Ascar da região administrativa de Ijuí, Geraldo Kasper.

Associações de agricultores recebem equipamentos

IJUÍ

Projeto para indução de chuvas é discutido na prefeitura de Ijuí Uma reunião para discutir questões referentes à indução de chuvas foi realizada em Ijuí. Na oportunidade foram debatidas propostas acerca da possibilidade de realizar uma experiência com profissionais

locais e da região devido a escassez de chuva que é predominante nesta época. Durante o encontro, o prefeito Fioravante Ballin ressaltou que “alguma medida deve ser tomada para

apoiar o agricultor neste momento difícil”. Sugestões e críticas foram escutadas para otimizar os resultados da operação. Fizeram-se presentes representantes do segmento agrícola.

ABASTECIMENTO ALIMENTAR

Ceasas do Brasil reúnem-se em Porto Alegre para discutir abastecimento alimentar Porto Alegre sediou o Encontro Nacional da Associação Brasileira das Centrais de Abastecimento – Abracen, entre os dias 11 e 13 de dezembro. Em destaque, estão os lançamentos do Plano Nacional de Abastecimento (PNA) e da Campanha de Consumo de Alimento Saudável. Assuntos como segurança alimentar, monitoramento de agrotóxicos, classificação dos alimentos e sistema de informações também estavam em pauta. No Brasil, menos de 20% dos adultos consomem a quantidade mínima de frutas, legumes e verduras recomendada pela Organização Mundial da Saúde. Para estimular a alimentação saudável, as Ceasas brasileiras uniram-se a ministérios e entidades. Além de contribuir para a melhora da saúde da população, o projeto vai estimular o mercado de hortifrútis, beneficiando, principalmente, os pequenos produtores. A Campanha de Consumo de Alimento Saudável é fruto da parceria entre os ministérios da Saúde (MS), do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS) e da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). Também estão envolvidos

a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), o Instituto Brasileiro de Horticultura (Ibrahort) e a Confederação Brasileira das Associações e Sindicatos de Comerciantes em Entrepostos de Abastecimento (Brastece), além da própria Abracen. O lançamento será no dia 12, às 9h45, com apresentação de Maya Takagi, secretária nacional de Segurança Alimentar do MDS.

Oito associações de pequenos produtores de Augusto Pestana foram contempladas com implementos agrícolas. A entrega dos equipamentos ocorreu na secretaria de obras. Os agricultores foram beneficiados com duas caretas agrícolas, cinco carretas basculantes e uma roçadeira. Estes equipamentos foram adquiridos através de uma emenda da Senadora Ana Amélia Lemos, Consulta Popular 2011/2012 e contrapartida do município. Mantendo sempre a constante de estar “antenado”, nos pedidos e prioridades do povo pestanense, a Prefeitura Municipal, através da Secretaria de Agricultura e Meio Ambiente, desenvolveu um programa voltado a atender as necessidades estruturais dos produtores rurais de Augusto Pestana. Com recursos oriundos de emendas parlamentares, Consulta Popular e recursos próprios, o município está conseguindo atender todos os produtores que se organizaram nas associações. Para o prefeito Vilmar Zimmermann, o maquinário é um incentivo ao pequeno produtor rural, para produzir com mais qualidade. “Em nosso mandato, realizamos em Augusto Pestana um dos maiores programas de distribuição de implementos agrícolas do município. Foram entregues mais de 40 equipamentos aos agricultores, demonstrando toda a nossa atenção a este setor que é uma das bases da economia. Queremos parabenizar as associações que foram contempladas e desejar sucesso no uso destes equipamentos. Já viabilizamos recursos em diversas áreas e desta vez estamos contentes em poder entregar estes implementos agrícolas que irão melhorar as condições de trabalho dos nossos agricultores, proporcionando menor custo na produção e, consequentemente, um aumento na renda”, comentou.


30

Dezembro de 2012

C Y M K


C Y M K

31

Dezembro de 2012 MERCADO ORGÂNICO

AGROECOLOGIA

Crescimento do mercado de orgânicos é influenciado pela expansão da classe média Para diretor do MDA, preocupações com saúde e alimentação saudável se intensificam com aumento da renda

Alface com alto teor de ácido fólico

é desenvolvida pela Embrapa

A Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia está desenvolvendo uma pesquisa para aumentar o teor deácido fólico - vitamina B9 - nas plantas de alface. As pesquisas começaram em 2006. A primeira vertente resultou em linhagens de plantas com até 15 vezes mais ácido fólico e a segunda, com duas vezes mais. Agora, os pesquisadores pretendem iniciar o cruzamento entre as duas variedades para tentar alcançar

índices ainda maiores da vitamina nas plantas. A dose diária de ácido fólico recomendada pela Organização Mundial de Saúde (OMS) para um adulto a partir de 15 anos é de 0.4 mg (=400µg), o que representa que a ingestão de apenas duas folhas das alfaces GM da Embrapa representa 70% da vitamina necessária diariamente. O consumo de ácido fólico meses antes da concepção pode prevenir em

mais de 50% a ocorrência dos nascimentos de bebês com anencefalia. As plantas produzidas pela Embrapa estão prontas, aguardando para iniciar as análises de biossegurança para, então, encaminhar o pedido de liberação à Comissão Técnica Nacional de Biossegurança – CTNBio.

Duas folhas da variedade GM possuem 70% da vitamina B necessária diariamente

AGRICULTURA O mercado de produtos orgânicos movimenta hoje, no Brasil, em torno de meio bilhão de reais

A

produção de alimentos orgânicos no Brasil é vista pelo diretor de Agregação de Valor do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), Arnoldo de Campos, como uma grande oportunidade para a agricultura familiar. “Graças ao crescimento da economia, a gente tem um aumento muito significativo da classe média, e quando a pessoa tem mais renda, fica mais exigente. As preocupações com a saúde, alimentação saudável e livre de agrotóxicos, se intensificam na sociedade. Isso acaba sendo uma boa oportunidade para os agricultores familiares, que têm mais vocação para esse tipo de sistema produtivo”, disse Campos. Segundo o diretor do MDA, o mercado de produtos orgânicos movimenta hoje, no Brasil, “em torno de meio bilhão de reais”. Esse mercado cresce entre 15% e 20% ao ano e é abastecido por cerca de 90 mil produtores

que “têm alguma produção orgânica ou agroecológica”. Desse total, cerca de 85% são agricultores familiares. Arnoldo de Campos não tem dúvida de que a tendência é a expansão da demanda por produtos verdes. “As redes de supermercados pretendem elevar a oferta de produtos orgânicos porque seus consumidores estão demandando isso. A indústria de alimentos quer ter mais fornecedores com essa característica. Os restaurantes, bares e hotéis cada vez mais querem ter uma parte dos seus cardápios para atender aos clientes que consomem produtos orgânicos”, informou. O diretor assegurou que há uma demanda em diferentes setores da economia por esse tipo de produto. “É uma demanda crescente que hoje está represada pela oferta ou pela desorganização das cadeias produtivas do setor, que é um setor novo no Brasil”. Fonte: Agência Brasil

Câmaras debatem ações de cadeias produtivas O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) promoveu na primeira semana de dezembro, reuniões de Câmaras Setoriais de sete cadeias produtivas: fruticultura; carne bovina; culturas de inverno; algodão; caprinos e ovinos; açúcar e álcool; e hortaliças. A Câmara Setorial da Fruticultura debateu, os desafios e oportunidades para a exportação de frutas brasileiras e a inclusão do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC) como membro da Câmara. A Assessoria de Gestão Estratégica do Mapa apresentou o projeto de Inteligência Organizacional e Competitiva para os membros da Câmara Setorial da Cadeia Produtiva de Carne Bovina. O grupo também revisou a agenda estratégica do foro e apresentou relato do workshop sobre pastagem degradada. Já a conjuntura do setor do trigo foi apresentada durante a reunião da Câmara Setorial

da Cadeira Produtiva de Culturas de Inverno. A Câmara Setorial do Algodão debateu a proibição de aplicação aérea de defensivos na cultura do algodão. Também apresentou o trabalho da revisão das instruções normativas 63 – que trata do regulamento técnico de identificação e qualidade para algodão em pluma –, além da 54 – que dispõe das condições de credenciamento de laboratórios. No mesmo dia a Câmara Setorial de Caprinos e Ovinos discutiu a planta de referência para abate e aquisição de caprinos e ovinos por meio da Compra Direta da Agricultura Familiar e a agenda estratégica do grupo da cadeia. Já a pauta da reunião da Câmara Setorial da Cadeia Produtiva de Açúcar e Álcool, antecipou a semana da bioenergia e tecnologias para aproveitamento da palha. Além disso, a Câmara Setorial da Cadeia Produtiva de Hortaliças revisou a agenda estratégica para definir temas e ações prioritárias para 2013.

AGRICULTURA

Reforma agrária pode ter seu pior ano desde 1995 A reforma agrária está patinando no governo da presidente Dilma Rousseff, segundo últimos dados sobre assentamentos. O sinal mais evidente está nos números acumulados pelo Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra). Segundo o último dado sobre assentamentos disponível no órgão, o

governo assentou 10.815 famílias neste ano. É a taxa mais baixa registrada neste mesmo período em dez anos e representa apenas 36% da meta estabelecida para 2012, de 30 mil famílias. A menos que haja uma dramática alteração no ritmo de assentamentos nos próximos dias, a marca de assentamentos

deste ano corre o risco de ficar atrás da registrada em 2011 - a pior dos últimos 16 anos, com 21.933 famílias beneficiadas pela reforma agrária. Segundo informações da agência Estadão Conteúdo, nos dois mandatos do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB), a quem o PT acusava de menosprezar a

reforma agrária, a marca mais baixa foi de 42.912 assentamentos - foi em 1995, primeiro ano de governo. Neste ano, o Incra parece ter engatado a marcha lenta. Do total de R$ 3 bilhões destinados neste ano àquela instituição no Orçamento da União, só 50% foram liquidados até agora, segundo in-

formações do Siga Brasil - sistema de acompanhamento de execução orçamentária do Senado. No caso específico da verba para aquisição de terras para a reforma agrária, o resultado é mais desalentador: até a semana passada haviam sido autorizados gastos de 41% do total de R$ 426,6 milhões desta rubrica.

No Movimento dos Sem Terra (MST), o maior do país e historicamente próximo do PT, a insatisfação é crescente. “Estamos insatisfeitos e decepcionados. O governo Dilma abandonou completamente o projeto da reforma agrária”, diz Alexandre Conceição, integrante da coordenação nacional e porta-voz do movimento.


32

Dezembro de 2012

C Y M K


C Y M K

33

Dezembro de 2012

Análise Econômica

CELULA E O MATERIAL GENETICO

Fonte: Daniel Perotto, Engenheiro Agrônomo, M.Sc. e Ph.D. - Raças e cruzamentos na produção de bovinos de corte. • http://criareplantar.com.br/pecuaria

Todos os organismos vivos são constituídos de células. Entre os vários constituintes celulares está o “material genético”

A

maior parte desse material está nos cromossomas, localizados no núcleo celular. Os bovinos possuem 30 pares de cromossomas. É nesses cromossomas, mais especificamente no acido desoxi-ribonucleico, do qual os mesmos são constituídos, que se encontra a codificação genética do animal. Basicamente existem dois tipos de células no organismo: células sexuais e células somáticas; - A células sexuais (óvulo e espermatozóide) são aquelas cujo comportamento especial durante a divisão celular fazem a reprodução sexual possível. - Células somáticas são aquelas que constituem o resto do corpo. Todas as células somáticas se dividem e se reproduzem através do processo chamado mitose, enquanto as células sexuais se reproduzem através do processo denominado meiose. A diferença entre os dois processos é que na mitose cada célula paterna origina duas células filhas que são essencialmente cópias idênticas da célula de origem, ao passo que na meiose cada célula paterna sofre um processo que resulta na divisão do número de cromossomas à metade do número original. Esse processo é essencial para que da união do espermatozoide com o óvulo, o número de cromossomas característico da espécie seja reconstituído.

Melhoramento genético animal

C

om os novos rumos do comércio ao nível nacional e internacional, e o aumento da competitividade na busca de novos mercados, a produção de alimentos, tende a buscar saídas para um crescimento em quantidade e qualidade. Assim, o estudo do melhoramento genético se mostra fundamental para um progresso destas atividades. O melhoramento genético animal, tem como objetivo principal a utilização da variação genética entre os indivíduos, para aumentar qualitativa e quantitativamente a produção dos animais domésticos (TONHATI,1998).

Prof°Dr. Argemiro Luís Brum Departamento de Economia e Contabilidade da UNIJUÍ

Mercado da Soja

O melhoramento animal, apesar de ter a sua fundamentação teórica desenvolvida há alguns anos, recentemente tem recebido grandes contribuições que são as principais responsáveis tanto pela expansão quanto pelos progressos genéticos que têm sido observados nas mais diferentes espécies de animais domésticos explorados comercialmente, já que o mercado exige que aconteçam melhorias. Fundamentalmente, a melhoria genética se processa com base na escolha correta daqueles que participam, ou melhor, daqueles aos quais é dada a possibilidade de participar, do processo de constituição da geração seguinte. Isso vale para a escolha dos indivíduos que produzirão filhos, ou mesmo, para escolha de raças.

Papel do melhoramento genético animal

O

melhoramento é considerado importante por representar resultados de longo prazo. É fundamental ter consciência de que o momento, apesar de ser propício para se fazer modificações no setor, sinaliza que qualquer falha pode ser extremamente maléfico em relação a novas tecnologias. É importante ressaltar que os erros na tomada de decisão serão penalizados, ficando o lucro muito reduzido ou mesmo nulo.

Critério de seleção do objetivo final de um programa de melhoramento genético

U

m programa de melhoramento genético, para que haja sucesso, deve estar baseado em metas muito bem definidas, coerentes com o mercado vigente e condimentes com o ambiente. O objetivofim de um programa em melhoramento genético é a combinação de características presentes no animal, a qual se procura melhorar. Portanto, essa mudança deve ocorrer para que possa suprir o mercado, atendendo a demanda do mundo capitalista. Só assim haverá retorno para tal investimento. Depois de definido o objetivo principal do programa de melhoramento, deve-se adotar um critério de seleção - característica a ser medida, a partir de qual será feita a escolha do indivíduo. Esse critério de seleção pode ser a combinação de várias características, resultando, assim, num índice final de seleção.

As cotações da soja em Chicago subiram bem nesta semana, se aproximando novamente dos US$ 15,00/bushel. O fechamento desta quinta-feira (06/12) ficou em US$ 14,91, enquanto a média de novembro chegou a US$ 14,50/bushel e o fechamento da semana anterior foi de US$ 14,48. Esse movimento tem um fundamento plausível e dois outros puramente especulativos. No primeiro caso, a demanda por soja dos EUA continua firme, por ser o único grande fornecedor mundial no momento, diante de uma safra parcialmente frustrada. O novo relatório de oferta e demanda do USDA, previsto para o dia 11/12, trará números mais consistentes a respeito. No segundo caso, o mercado está valorizando em demasia o excesso de chuvas na Argentina, que estaria atrasando o plantio da nova safra. Sabe-se que o vizinho país tem ainda um bom espaço temporal para semear a oleaginosa e as chuvas, por enquanto, são até bem-vindas. Porém, isso está sendo ignorado pelo mercado. Por outro lado, fala-se de seca no Centro-Sul brasileiro, algo que não vem ocorrendo, salvo em pequenas regiões pontuais. A umidade dos solos nesta região brasileira, no momento, está muito boa e o plantio avança, embora mais atrasado do que o do ano passado. Em sendo assim, a volatilidade dos preços em Chicago deverá ser grande em dezembro, até a situação de plantio se consolidar. Ou seja, assim como subiu agora, o mercado pode descontar logo em seguida, caso a semeadura da nova safra sul-americana realmente se confirme positiva. Ajudou a aquecer o mercado, além do tradicional movimento financeiro de final de ano, a demanda importante por soja no mercado interno chinês. Dito isso, os registros de exportações de soja pelos EUA, na semana encerrada em 22/11, ficaram em 319.100 toneladas, ou seja, muito abaixo do que o mercado esperava. Já os embarques realmente efetivados, na semana encerrada em 29/11, ficaram em 1,39 milhão de toneladas, acumulando desde 1º de setembro um total de 16,3 milhões de toneladas, contra 11,7 milhões em igual período do ano anterior. Enquanto isso, na Argentina, apesar da especulação jogar ao contrário, o plantio da soja atingiu a 58% da área estimada (19,36 milhões de hectares) nesta semana. No mesmo período do ano passado o plantio chegava a 66%. Portanto, o mesmo não está tão atrasado assim, ficando dentro da média histórica para a época do ano. Tanto é verdade que os argentinos esperam colher entre 58 e 60 milhões de toneladas (um recorde histórico) se o clima ajudar até o final da safra. Por outro lado, o Conselho Internacional de Grãos confirma a tendência apontada pelo USDA, em seu relatório de novembro, e indica uma produção mundial de soja ao redor de 267 milhões de toneladas. Um aumento de 12% sobre o ano anterior, apesar da quebra nos EUA. Paralelamente, a China deverá mesmo produzir apenas 12,8 milhões de toneladas de soja neste ano de 2012, com um recuo de 12% sobre o ano anterior. Com isso, suas importações ficariam mesmo em 57,5 milhões de toneladas neste ano e 60 a 63 milhões de toneladas em 2013. Por sua vez, os prêmios nos portos brasileiros, para março/13, se mantêm dentro da média para o período, ou seja, entre 28 e 40 centavos de dólar por bushel. Já no Golfo do México (EUA), os mesmos oscilam entre 75 e 80 centavos, enquanto em Rosário (Argentina), para abril/13, os valores ficam entre 8 e 25 centavos. No Brasil, a recuperação de Chicago e a nova desvalorização do Real (antes das intervenções do Banco Central brasileiro, na semana, a moeda nacional chegou a ser cotada a R$ 2,13) deram certo suporte aos preços de balcão, com a média gaúcha batendo em R$ 67,12/saco. Enquanto isso, os lotes se mantiveram entre R$ 75,00 e R$ 76,00/saco no mercado gaúcho. Nas demais praças, os mesmos oscilaram entre R$ 67,35/saco em Sapezal (MT) e R$ 75,50/saco no oeste e norte do Paraná. O plantio da nova safra brasileira, até o dia 30/11, chegava a 86% da área, com 58% no Rio Grande do Sul, 88% em Goiás, 68% em Minas Gerais, 70% na Bahia e 87% em Santa Catarina. Nas demais principais praças nacionais o mesmo estava praticamente encerrado. Já a comercialização da safra passada (2011/12), em 30/11, atingia a 99% no Brasil, com 96% no Rio Grande do Sul e 97% no Paraná. Quanto a nova safra, a venda antecipada, na mesma data, atingia a 50% no Brasil, sendo 26% no Rio Grande do Sul, 32% no Paraná, 70% no Mato Grosso, 42% no Mato Grosso do Sul, 62% em Goiás, 31% em São Paulo, 48% em Minas Gerais, 53% na Bahia e 29% em Santa Catarina. Sobre os preços futuros praticados neste início de dezembro, a BM&F/Bovespa apontou, para março, US$ 31,70/saco, e para maio US$ 30,75/saco. Quanto aos preços futuros no mercado físico, o Paraná apontou US$ 31,90/saco em Paranaguá (porto), para março; o interior gaúcho ficou em R$ 64,50/saco na compra para maio; o Mato Grosso cotou em Rondonópolis o saco a R$ 56,00 para março; Dourados (MS) ficou em R$ 55,00/saco, igualmente para março; Goiás trabalhou com US$ 27,50/saco para fevereiro e março próximos; Minas Gerais (Uberlândia) em R$ 57,50/saco para abril; na Bahia preços a US$ 27,20/saco para maio; no Maranhão R$ 57,00/saco em Balsas; no Piauí valores a R$ 58,30/saco na compra, para maio; e em Tocantins o saco, também para maio, esteve a R$ 56,50.


34

Dezembro de 2012

C Y M K


C Y M K

35

Dezembro de 2012 ‘‘Causos’’

Rurais

O fim está próximo! Dois amigos estavam pescando à beira de uma estrada. Perto do lugar onde se situavam, eles fixaram uma placa com os dizeres: “O fim está próximo! Mude de rumo antes que seja tarde!” Um motorista que estava passando no local gritou para os dois: — Não me encham a paciência, seus malucos ! Você não sabem o que estão falando. Que bobagem é essa? Pouco tempo depois, eles ouviram um barulho muito alto. Um dos amigos falou para o outro: — Eu estava pensando... — Diga. — Você não acha que era melhor a gente só ter escrito na placa “Ponte quebrada à frente”?

Milho O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) mantém as projeções otimistas para a produção de milho na safra 2012/2013, de 72,5 milhões de toneladas. As recentes oscilações do clima nas regiões produtoras não são motivos de preocupação, segundo o ministério. Mesmo que possa haver alguma retração na produção, o mercado não terá problema de abastecimento, pois começa 2013 com um estoque de 10,5 milhões de toneladas do produto.

Café A safra de café para o ano de 2013 sofrerá uma quebra de 25,1% em relação ao ano de 2012. A cafeicultura brasileira tem por característica a bienalidade, ou seja, safras altas alternadas com safras baixas. Em 2012, foram produzidas 9,68 mil sacas de café. Para o próximo ano, a primeira estimativa de produção é de 7,25 mil sacas, o que totaliza uma quebra de 25,1%.

Açucar A Organização Internacional do Açúcar (OIA) projetou a produção brasileira 2013/2014 em 39,6 milhões de toneladas, aumento de 3,9% ante as 38,1 milhões de toneladas de açúcar previstas para o atual ciclo 2012/2013. Os números foram apresentados no 21º Seminário da OIA. Apesar do crescimento, o volume ainda é menor que as 40,878 milhões de toneladas produzidas na safra 2009/2010.

?? ? ? ? CURIOSIDADES ? ?? ? ?? ? A influência da

lua na agricultura Poucas pessoas sabem que além do sol existe outro astro muito importante para a agricultura e estamos falando da lua, na verdade ela vai muito além de apenas ajudar na agricultura porque trás energias para animais, água, plantas e até mesmo para a terra. Ela passa por quatro fases que conhecemos e que estão em nosso calendário, tratam -se da minguante, cheia, nova e crescente que são conhecidas pela beleza que proporcionam em nossas noites. Com a ajuda do sol a lua consegue emitir as ondas que chegam até a terra e causam todos os benefícios que estamos acostumados a ver, a minguante por sua vez influencia muito a terra e sua força é significante para nós por isso é que os mais velhos diziam que no período da lua minguante tudo o que estava debaixo da terra tendia a crescer, mas isso não ficou no passado até hoje ainda é assim e plantas como beterraba, cenoura, inhame, batata, cebola, e outras da mesma qualidade tendem a crescer bastante neste período. Durante o período desta lua é bom tirar madeiras e bambus para construções porque vão ficar firmes visto que tudo vai se fortificar, as empresas ligadas a isso conseguem colher materiais muito bons para revendas e os clientes que conseguem comprar não têm problemas com eles. Quando está na fase nova à lua começa a exercer grande influência sobre a terra e a seiva, manifestando-se em maior quantidade na seiva das plantações é nesta faze que os fazendeiros costumam plantar couve, almeirão, cebolinha, plantas medicinais e espinafres que vão ficar ainda mais ricos em suas vitaminas e minerais e as medicinais vão ter mais forças para agir no corpo da pessoa podendo realizar seus principais afazeres no corpo das pessoas. Também é bom para o plantio de arvores nas quais serão utilizadas para retirar a madeira, são bem mais simples de crescer do que nos outros períodos e podem ser aproveitadas rapidamente por isso que em alguns lugares você pode ver que quando arvores são plantadas crescem rapidamente. A lua crescente exerce uma ótima função diretamente no caule, nos ramos e também nas folhas fortificando as plantas que vai ficar mais fortes contra as pragas que as atacam em grandes quantidades principalmente em plantações extensas. Essa lua é muito boa para quem quer plantar tomate, feijão, pepino, milho, arroz, abobora, jiló, quiabo e até mesmo cereais que vão ficar simples para serem podados e terem o crescimento acelerado. Vale ressaltar que em especial quem se destaca mesmo nesta época é o tomate que vai produzir mais, tendo suas pencas próximas uma das outras diferente das outras estações lunares que diminuem a velocidade do crescimento. A lua cheia é muito boa porque é onde a terra sofre influência máxima dos poderes da lua, mas infelizmente isto acontece apenas nos primeiros dias porque depois de sofrer com o impacto da minguante ela deixa de mandar toda a energia que pode. Esse é um ótimo período para quem quer plantar repolho, couveflor, alface e outras plantas hortaliças parecidas.


C Y M K


Correio Rural - Edição 69  

Jornal Correio Rural - O Jornal que fala com o homem do campo

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you