Page 1

Filho de ex-governador, refém do crack precisa de ajuda para se livrar do vício

Luiz Henrique, 30 anos, filho do já falecido ex-governador Wilmar Peres de Farias, (1986-1987) anda pelas ruas de Barra do Garças onde pede dinheiro para comer. Se ganha um marmitex troca por droga na boca de fumo mais próxima que encontrar a sua frente. Se recebe moedas, idem. Jovem, bonito, bem articulado, ele sabe que é herdeiro de um dos maiores fortunas da região, mas dorme de favores numa loja de automóveis. Castigado pelo uso do crack seu advogado e centenas de pessoas que o conhecem e querem seu bem esperam que a Justiça se manifeste e obrigue o representante do espólio de Wilmar Peres, o prefeito de Barra do Garças, Roberto Ângelo de Farias, faça dele legítimo herdeiro da família e o interne numa clínica especializada para salvar sua vida, antes que seja tarde demais. SAÚDE 11

ANO V - NO 97 - 5/NOV A 20/DEZ DE 2013 - BARRA DO GARÇAS-MT - FUNDADO EM 01/01/2009 - EMAIL: ASEMANA@ARAGUAIA.NET WWW.SEMANA7.COM

Blairo lidera e tem 10 pontos sobre Taques; Lúdio em 3º lugar Blairo Maggi teria hoje o respaldo do eleitorado mato-grossense para voltar à cadeira de governador. Pesquisa feita pelo instituto Mark, em parceria exclusiva com o portal Rdnews, aponta que, numa simulação com 5 possíveis candidatos, o nome do senador republicano aparece na liderança com 38,1% das intenções de voto, 10,3 pontos percentuais à frente do também senador Pedro Taques (PDT), que aparece com 27,8%. O petista Lúdio Cabral, derrotado a prefeito da Capital no ano passado, é o terceiro com 10,4%. Os pesquisadores ouviram 1.171 eleitores de 70 municípios entre 14 e 17 deste mês. A margem de erro é de 3,5% para mais ou para menos. Dos entrevistados, 50,2% são do sexo masculino e, 49,8%, do masculino.

POLÍTICA 4

Árvore de Natal de Aragarças é um verdadeiro fiasco CIDADE 8

Governador expande programa Panela Cheia para os 141 municípios

Vereadores denunciam Secretário de Saúde por ter dois salários Baiano Filho e Beto lançam obras da Casa do Atletismo Com o objetivo de ampliar a renda e garantir melhores condições de vida às famílias em situação de extrema pobreza, o programa estadual de transferência de renda, Panela Cheia, passou a abranger, na terça-feira (27.11), aos 141 municípios mato-grossenses Sob a execução da Secretaria de Estado de Trabalho e Assistência Social (Setas-MT), o Panela Cheia é integrado com o programa federal de transferência de renda Bolsa Família.De acordo com o secretário de Trabalho e Assistência Social em exercício, Jean Estevan Campos Oliveira, o valor mínimo estabelecido para a complementação financeira do Programa Estadual Panela Cheia é de R$10,00 e o máximo é de R$ 280,00 por família. POLÍTICA 7

O deputado estadual Baiano Filho (PMDB) com o prefeito Roberto Farias (PSD) lançaram na manhã de 26 de novembro o início das obras da Casa do Atletismo na Vila Olímpica, em Barra do Garças. A concorrida solenidade contou, entre outros, com a presença de vereadores, secretários da administração municipal, desportistas e populares residentes naquele setor da cidade. Licitada em agosto deste ano, a Casa do Atletismo é resultante de um compromisso de campanha do deputado Baiano Filho em parceria com a Secopa e Prefeitura de Barra do Garças. Na construção de área coberta com cerca de 550 metros quadrados serão investidos R$ 770.924,50, sendo R$ 400 mil da Secopa e R$ 370 mil do município. ESPORTE 14

O vereador de Água Boa Erick Rodrigo de Jesus da Silva, (PSD), entregou ao Ministério Público a denúncia de que o secretário de Saúde do município, Renato Beraldo, teria duplicidade de salários. Segundo Erick ele recebe do Hospital Regio-

nal (Cisma) como técnico em radiologia e secretário. Por telefone na manhã de domingo (22) Beraldo falou com a redação do jornal A Semana e confirmou que trabalha como técnico em radiologia no Hospital Regional. POLÍTICA 6

CRACK se estabelece Barra do Garças e em municípios da região

POLÍCIA 10


Opinião

2

A SEMANA NO ARAGUAIA - Ano V - nº 97 - 5 de novembro a 20 de dezembro de 2013 - BARRA DO GARÇAS - Municípios do Araguaia - Capital Matogrossense - Brasília

A Semana no Araguaia é uma publicação de Edição Publicidade. Rua Presidente Vargas, 938 - Sala 1 - Centro - Barra do Garças - Mato Grosso - CEP: 78.600-000 - Fone: (66) 3407-2976 - CNPJ. 10.828.250/0001-78 - Email: asemana@araguaia.net WWW.SEMANA7.COM Diretor Geral: RONAN DE SÁ - (66) 9630-6605 Redação: WANDERLEY WASCONCELOS Conselho Editorial: Wanderley Wasconcelos, Ronan de Sá, Adalberto Ferreira da Silva, Sérgio Santana Departamento Comercial: JERUSA HELENA - 9227-2740 SHEILA COSTA - 9292-7336 SÉRGIO SANTANA - 9988-3390 Diagramação e Arte: RONAN DE SÁ Fotos: SEMANA7.COM Infografia: RONAN DE SÁ/SERGIO SANTANA Circulação: Barra do Garças e Vale do Araguaia. Circulação Digirida: Cuiabá, Goiânia e Brasília Os artigos assinados não representam necessariamente a opinião deste jornal. Os originais impressos recebidos, tenham ou não sido publicados, não serão devolvidos.

Conquistas, desafios e oportunidades Por Rui Prado*

Estamos encerrando mais um ano com a sensação de dever cumprido. O ano de 2013 foi desafiante, pois conquistamos vários resultados positivos para a agropecuária de Mato Grosso. Isso se deve, em especial, à colaboração do próprio produtor rural que confiou no trabalho da Famato, Imea, Senar-MT e dos 87 Sindicatos Rurais espalhados pelo Estado. Um exemplo claro desta confiança e comprometimento foi o acordo celebrado com a Monsanto, que deixou de cobrar os royalties pela soja RR1 e atendeu outras exigências nossas. Este ato representou uma grande vitória que se estendeu para todo o país, mostrando que o produtor mato-grossense sabe lutar por seus direitos e deveres. Encerramos a ação judicial, iniciada em 2012, e somente os produtores de Mato Grosso tiveram um benefício de aproximadamente R$ 500 milhões. Também conhecemos os resultados do projeto Centro-Oeste Competitivo. Este trabalho, que contou com a parceria da Famato, Imea, Aprosoja, Ampa e outras entidades ligadas ao agronegócio, apresentou um raio X da logística da região. O estudo apontou os investimentos necessários nas obras que devem ser priorizadas para melhorar o escoamento da produção agropecuária. Muitas delas podem ser feitas pela iniciativa público-privada, o que é muito importante se considerarmos que dificilmente o poder público terá recursos suficientes para todas elas. A pesquisa é nossa nova bússola para guiar os gestores públicos sobre os projetos de infraestrutura e logística que ainda estão em andamento e devem ser concluídos, assim como aqueles que precisam começar, como é o caso das hidrovias em Mato Grosso. Não podemos mais continuar dependentes apenas do modal rodoviário. É necessário integrar o escoamento da produção agropecuária por meio de hidrovias e ferrovias também. Outro resultado positivo e que merece destaque foi a redução para 2,5% da alíquota do ICMS incidente nas operações de entrada de máquinas e implementos agrícolas no Estado. Para chegar a este percentual, enfrentamos uma dura batalha com a Sefaz, que insistia, por meio de decretos sucessivos, em cobrar uma taxa de 5,6%. Essa redução da alíquota representou uma economia de mais de R$ 30 milhões por ano aos produtores. A atual situação dos

moradores retirados da Gleba Suiá-Missú em Alto da Boa Vista em 2012, o andamento do processo de criação de uma Reserva de Desenvolvimento Sustentável (RDS) no município de Luciara e os diversos projetos de demarcação de novas Terras Indígenas em Mato Grosso também preocuparam a Famato em 2013. Considerando a dimensão dos problemas enfrentados pelos produtores rurais e a sociedade em geral nessas regiões, a Famato esteve presente em diversas reuniões e audiências públicas em Brasília e nos municípios do Estado. Participamos de reuniões com a Funai, Instituto Chico Mendes (ICMBio), MPF e o Incra. Voltamos, mais uma vez, a questionar o porquê de novas terras indígenas. Por que a Funai não se concentrar nos reais problemas dos índios como educação, saúde, saneamento básico, alternativas de lazer e opções para geração de renda? Nossa expectativa agora é com a aprovação da PEC 215, que registrou um avanço positivo com a instalação da comissão especial para avaliar a proposta. Ao transferir da Funai para o Congresso Nacional a responsabilidade pela demarcação de novas áreas indígenas no país, a PEC 215 pretende dar fim às arbitrariedades da fundação. Em 2013, também iniciamos o projeto Futuros Produtores do Brasil para despertar nos jovens, filhos de produtores rurais, o interesse em dar continuidade aos negócios da família. Para 2014, pretendemos dar continuidade ao projeto e a essa discussão que preocupa bastante os produtores: a sucessão familiar. Além de bastante trabalho, 2013 foi um ano de muito aprendizado. Fomos reeleitos para nosso segundo mandato, assumimos o compromisso de realizar a missão da entidade na sua essência que é fortalecer os sindicatos rurais por meio de ações representativas, institucionais e políticas. Aproveito este espaço para agradecer ao esforço coletivo de todos que fazem parte do Sistema Famato, ou seja, a Famato, Senar-MT, Imea e os 87 Sindicatos Rurais. Para o próximo ano, esperamos continuar com este mesmo pique e atentos aos desafios e oportunidades que a agropecuária de Mato Grosso traz para a sociedade e ao Brasil. É por meio da nossa união que vamos continuar alcançando resultados tão positivos. Boas festas! *Rui Prado é produtor rural e presidente do Sistema Famato (ruiprado@famato.org.br).

A CIDADE PARTIDA: DE UM LADO A ILUMINAÇÃO NATALINA, REGIÃO CENTRAL, Á ALTURA DO BARRA-GARCENCE. DE OUTRO A RUA DE UM BAIRRO DA DISTÂNTE PERIFERIA DE BARRA DO GARÇAS, ESQUECIDA, ENTRE OUTRAS, NESTE NATAL.

Editorial

E o Natal dos pobres?

A

quele que vota e tem o direito de eleger, não fosse o pulso firme da Justiça Eleitoral, já teria sido banido do mapa político para satisfazer o gosto daqueles que são extasiados pelo poder. Dessa forma eles chegariam mais fácil ao pódio e fariam como faz a maioria, esquecem, por conveniência, de dar satisfação àquele que torna legítimo seu mandato, o eleitor. Negaceando em dribles como convém a um craque em busca de seu feito final, que seria o gol, o povo pobre vive como lhe é possível. Há quem pense (da sacada de suas mansões), ou mesmo por falta de mente sã, que o programa do Governo Federal é suficiente para a pobreza deste país. Pois há quem conviva magistralmente com a miséria ao lado, sem reclamar. O Governo, de sua parte, divulga suas ações, enquanto os políticos folgam ao bem-viver do individualismo que grassa pelas dobras do nosso mapa. Este mapa, por questões óbvias se estende a Barra do Garças onde de antiquíssima data confundem assistencialismo com políticas públicas de qualidade, que seja capaz de engrandecer o cidadão, a cidadã. Neste limiar do terceiro milênio, o ano de 2013, foi marcado por muitas conquistas além das fronteiras municipais. A mais elevada a que assistimos foi o desfecho do Mensalão, o caminho estreito para o Presídio da Papuda, as queixas, as manobras para atenuar as penas impostas pela Suprema Corte, algo nunca visto neste país, como diria o ex-presidente Lula. Voltando ao nosso cotidiano, Barra do Garças começou o ano de 2013 com novo prefeito que logo a seguir foi visto abrindo o carnaval de rua da cidade naqueles seus dias de unanimidade de um jovem político que ganhou as eleições por WO. Roberto Farias saiu das urnas com mais de 46% dos votos. Não se passaram tantos dias depois daquele seu primeiro carnaval lá estava o prefeito Roberto Farias (Beto para os íntimos) como paraninfo dos formandos de uma faculdade local, numa concorrida solenidade onde foi muitíssimo aplaudido. Era seu começo de gestão e seria natural que a esperança aflorasse no coração daqueles que o aplaudiram. Não se sabe se muitos de seus eleito-

res sabiam que Roberto Farias foi eleito sustentado por uma liminar monocrática do ministro Gilson Dipp. Nos fervores dos dias eleitorais, no afunilamento da campanha, em um debate na TV Centro-Oeste ele foi indagado por Andréia Santos sobre sua condição perante a Justiça, já que havia sido acusado de abuso de poder econômico e uso indevido de veículo de comunicação social. Ele prontamente negou, numa estratégia oportuna em que levou para si o debate. Não bem assentou em sua confortável poltrona de prefeito vieram as surpresas que poucos esperavam como o imbróglio sobre licitação para se contratar a PSG, empresa responsável pela limpeza da cidade que substituíra a Evolu Service. Em paga desse seu capricho, janeiro de 2013 foi marcado por montanhas de lixo em vários quadrantes da cidade, conforme mostramos em nossas páginas e em nosso portal na internet. Como se isso não bastasse o Ministério Público mandou fazer apreensão de maquinários da prefeitura na fazenda do prefeito que negou que essas máquinas estivessem a serviço de sua propriedade, mas de vicinais de fazendas da região. A cena foi de constrangimento e seus argumentos não convenceram. O desgaste diante da opinião pública passou a ser o fantasma de sua gestão. Outros percalços próprios aconteceram e não se pode esquecer que ele negou-se atender um grupo de sem-teto sob pretexto de que não conversa com invasores. Era gente simples, do povo que ele deve ter abraçado em sua campanha na distante periferia de Barra. Não se pode esquecer também o pouco caso com os educadores da rede municipal que estiveram por cerca de 90 dias em greve, o corte de pontos na folha de pagamento e o descaso da Câmara de Vereadores tanto com professores em greve quanto aos servidores da Saúde. Por último o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) derrubou a liminar monocrática de Dipp e a condição de Roberto Farias permanecer no poder é crítica, embora ele insista que esteja tudo bem, talvez para não causar instabilidade a sua gestão. De nossa parte, como diria em bom português, “cá estamos a desejar Boas Festas a todos”.


Opinião

3

A SEMANA NO ARAGUAIA - Ano V - nº 97 - 5 de novembro a 20 de dezembro de 2013 - BARRA DO GARÇAS - Municípios do Araguaia - Capital Matogrossense - Brasília

Espinafre

É só uma agulhadazinha!

Mera Coincidência

O Fantástico mostrou na noite de domingo, 10, o descaso de atendimento médico na Bahia. Para o estarrecimento de todos, consultas pagas com o dinheiro público, demoram apenas alguns segundos. Houve caso de um médico que se quer olhou no rosto da paciente. Pergunta-se: ele terá feito estágio em Barra do Garças? A indagação soa agressiva, mas esta é uma realidade no município. Pena que a elite, que administra a saúde não se fantasie de gente pobre para ser atendida em hospital público da cidade. Com exceção de alguns médicos que honram o contrato estabelecido com órgãos públicos, maioria deles detesta pobre, atende de cara fechada, de calundu. Já em seus consultórios, qualquer mortal é tratado como semideus.

Os que sabem fazer fazem, os que não sabem fazer ensinam, os que não sabem ensinar ensinam aos professores, e os que não sabem ensinar aos professores fazem política - A Elegância do Ouriço (Companhia das Letras) - Muriel Barbery.

IMPROVISO De última hora tentaram um arranjo para o Natal do aragarcense e armaram uma árvore natalina na saída da cidade que levantou revolta a muita gente. Aliás, tentaram incendiá-la. Outros dizem que ficaria melhor que a data passasse em branco. Agora só resta esperar o próximo ano.

TRANSPORTE ESCOLAR

O prefeito de Confresa, Gaspar Lazari, possui a maior frota de ônibus de escolar na região. Não seria por falta de transporte que as crianças deixariam de ir à escola. Em tempo Gaspar além e prefeito preocupado com o ensino no município é presidente da Associação dos Municípios do Norte Araguaia (AMNA).

SAÚDE O Globo Repórter de sexta-feira (13) focou a saúde em várias regiões do país. Pena que a equipe do programa não tenha passado por Barra do Garças. Qualquer semelhança seria mera coincidência.

BUEIROS

Casa Vazia

TEMPO AO SEU TEMPO

Os primeiros anos de seu governo foram difíceis e estiveram à beira da desistência, no pensar de muitos. Este ano foi o da redenção de Silval Barbosa ao emplacar o Programa MT Integrado no momento em que se espelha no cenário político como forte nome ao Senado da República, depois de enfrentar greves, críticas, entre outros. Sobre sua eventual candidatura Silval sorri e descarta qualquer resposta extemporânea.

BURACOS

Insuportável a situação e algumas ruas em Barra do Garças. Os pontos mais críticos podem ser encontrados na distante periferia da cidade. A Câmara de Vereadores está em recesso. Ufa!

Em data recente m bueiro em frente o Posto Milênio mostrou a que veio e chegou até mesmo paralisar, parcialmente, o trânsito naquela avenida. Reclamar a quem, à Secretaria de Obras?

CIDADE VAZIA

Com as férias escolares deu pra sentir certo esvaziamento na cidade, a falta daquela gente jovem, bonita e reunida (como diria o cantor Belchior) que frequentam faculdades em Barra do Garças.

Sucata

FOGO

Se dependesse da avaliação da subsede do Sintep em Barra do Garças, a secretária de Educação do município Fátima Resende seria baixa. A greve dos servidores da rede municipal de ensino, que durou cerca de 90 dias, provocou desgastes, notadamente a professora Fátima que sendo membro de um governo centralizador (de Roberto Farias) não teve autonomia para mostrar seu poder de interlocução.

PROFESSORES

A Prefeitura de Barra do Garças, por determinação judicial terá que pagar o Piso Salarial aos professores da rede municipal de ensino, segundo noticiou o portal do Ministério Público de Mato Grosso.

Seu nome é Roberto Cruz. São muitos os que se lembram do ex-deputado ( já falecido) eleito várias vezes deputado estadual por Barra do Garças. Cunhado do ex-governador Wilmar Peres de Farias (1986-1987), Beto, como era conhecido, fez história política na região e foi um campeão de votos. Agora surge outro Roberto Cruz, seu filho, que segundo noticiou o portal cuiabano RDNEWS faz propósitos de vir a ser candidato a deputado federal pelo PDT de Pedro Taques. Voto é algo que não se transfere assim facilmente, mas há gente que está de olho nesta virtual candidatura, principalmente os que, como ele também pleiteia uma cadeira no parlamento seja estadual ou na Câmara dos Deputados. A obra é fenomenal e vai transformar o aspecto urbano de Água Boa. Estamos falando da avenida na BR 158 que corta a cidade, repleta de canteiros e maquinários, mas ausente de sinalizações que coloca em risco quem transita pelo local, considerado um dos mais movimentados. Em data recente foram registrados três acidentes. Seria necessário que a empreiteira responsável pela obra sinalizasse trechos para facilitar a vida dos moradores, de quem passa por Água Boa, de quem trabalha nas adjacências. É só uma agulhadazinha.

Em data recente a Secretaria de Cultura do município realizou confraternização entre os artistas da cidade. Mais de uma centena. Nunca se viu tanta gente assim reunida.

FALTOU DIÁLOGO

Roberto Cruz

Sinalização

CULTURA

Até meio-dia de quarta-feira (18), nem fósforo ou isqueiro de pedra, ou líquido ou gás inflamado poderiam ser encontrados nas gôndolas do Supermercado Mendonça. Solícita, diante da queixa de um consumidor, a gerência respondeu e pronto: “vamos providenciar”.

Vésperas de ano novo, de boas festas e a Câmara Municipal de Barra do Garças (de recesso) já acende seu facho nas especulações para saber quem assume no lugar de Miguel Moreira da Silva (Miguelão/PSD). O Jornal Cidade adiantou que “se tudo acontecer conforme o plano de muita gente”, esse nome é Kiko. Convenhamos, então. Em 2008 Kiko saiu das urnas com mais de 800 votos. Ano passado, esse mesmo colégio eleitoral baixou sua cota para pouco mais de 600. Soma-se a isto, primeiramente, sua adesão ao PSD do prefeito Roberto Farias. Logo depois, como era de se esperar, sua indiferença aos movimentos sindicais da Saúde e Educação que este ano tiveram que cruzar os braços. Sim, a Câmara de Vereadores merece Kiko como presidente.

SEM ALARDE

Sem tanto alarde o prefeito de Torixoréu, Odoni Coelho, tem superado as expectativas dos torixorinos com sua administração técnica e transparente. Bem articulado Odoni não deixa por menos e sempre que necessário ele bate à porta do governador Silval Barbosa se o assunto é de interesse de seu município. Atualmente ele aguarda o término do asfalto da MT 100 que vai ligar sua cidade ao Pontal do Araguaia. Nas reuniões em defesa dessa obra Odoni esteve presente, sempre.

NÚMEROS: Belo Monte Quando entrar em Energia suficiente para A Belo Monte fica atrás funcionamento, conforiluminar cerca de 18 da hidrelétrica chinesa me noticiou o caderno milhões de pessoas. Três Gargantas (22.720 Ilustríssima de dominEnquanto isso, protesMW) e da paraguaiogo, 15 de dezembro, a tos de ambientalistas e -brasileira Itaipu (14 mil Usina de Belo Monte, de indígenas da região MW). no Xingu, município de contrapõe ao projeto Altamira, poderá prodo Governo Federal, duzir 11.233 megawatts por reconhecidos danos (MW) de eletricidade. ambientais.

Ao custo de R$ 30 bilhões a Belo Monte deve começar a produzir energia em 44 meses. A obra emprega 25 mil trabalhadores, 87% deles, homens.

A estrada que liga Vila Varjão à rotatória da Escola Agrícola é uma calamidade só neste período de chuva. Não bastasse a areia que escorre do talhe de um morro, muitos fazem de sua margem despejo de entulho. A reportagem apurou que seus autores são carro de frete, carrocinha de moto taxis, particulares e outros que não se intimidam em descartar sofás, geladeira, fogão a gás, armários, camas, entulho de construção, animais mortos, ramagens, vaso sanitário, entre outros entulhos. Já ocorreram dois acidentes motivados pela sucata. Em tempo, a via não possui iluminação, há perigo fazer aquele percurso à noite. É só uma agulhadazinha.

Escudeiro

Nossa preocupação diz respeito ao eterno ex-vereador Ronaldo Couto no que diz respeito ao destino político de seu amigo, o prefeito de Barra do Garças, Roberto Farias. Estamos a nos referir à queda da liminar do ministro Dipp que foi a salvação de sua lavoura para disputar as eleições em outubro de 2012. Cabe agora à Justiça indicar o destino do prefeito. A decisão do Tribunal Superior Eleitoral (que derrubou a liminar) já chegou ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE), em Cuiabá, que por sua vez deve comunicar ao juiz Eleitoral da cidade. Não se sabe ainda o que fará o fiel escudeiro Ronaldo Couto em caso de Roberto Farias vir perder o cargo. Chorar ou esbravejar na TV do prefeito contra o jornal A Semana, a quem ele, com todos os dentes, chama “jornaleco”? Bravo, Ronaldo!


Política

4

A SEMANA NO ARAGUAIA - Ano V - nº 97 - 5 de novembro a 20 de dezembro de 2013 - BARRA DO GARÇAS - Municípios do Araguaia - Capital Matogrossense - Brasília

ELEIÇÕES/2014

Blairo lidera e tem 10 pontos sobre Taques; Lúdio em 3º lugar A Mark fez simulação de segundo turno. Nos confrontos, a diferença entre Blairo e Taques é de apenas 4,8 pontos percentuais (ver cenário A). Taques, por sua vez, ganha com ampla vantagem de Lúdio (44,2% a 11,6%) e de Eraí (46,2% a 5,2%). Das pessoas consultadas, 6,4% ganham até um salário mínimo; 66,5%, de 1 a 5 salários; 20,5%, de 5 a 10; 4,5%, de 10 a 20 mínimos; e 2% acumulam renda familiar acima de 20 salários. Sobre o grau de instrução; 7,3% dos eleitores consultados são analfabetos ou possuem o primário incompleto; 15,4% têm o primário completo e/ou 1º grau incompleto; 28,9% registram o 1º grau concluído e/ ou ensino médio por terminar; 38,9% contam com ensino médio completo e/ou superior incompleto; e 9,5% dizem ter concluído curso superior. Em relação à idade das pessoas consultadas pelos pesquisadores nos 70 municípios mato-grossenses, 3,2% dizem ter entre 16 e 17 anos; 15,6%, de 18 a 24; 23,4%, de 25 a 34; 24,9%, de 35 a 44; 23,1%, de 45 a 59 anos e 9,7% contam com mais de 60 anos.

Romilson Dourado RD News

Blairo Maggi teria hoje o respaldo do eleitorado mato-grossense para voltar à cadeira de governador. Pesquisa feita pelo instituto Mark, em parceria exclusiva com o portal Rdnews, aponta que, numa simulação com 5 possíveis candidatos, o nome do senador republicano aparece na liderança com 38,1% das intenções de voto, 10,3 pontos percentuais à frente do também senador Pedro Taques (PDT), que aparece com 27,8%. O petista Lúdio Cabral, derrotado a prefeito da Capital no ano passado, é o terceiro com 10,4%. Os pesquisadores ouviram 1.171 eleitores de 70 municípios entre 14 e 17 deste mês. A margem de erro é de 3,5% para mais ou para menos. Dos entrevistados, 50,2% são do sexo masculino e, 49,8%, do masculino. Ainda na sondagem estimulada, o nome do vice-governador Chico Daltro (PSD) só alcança a 2,2%. O “lanterna” é José Marcondes, o Muvuca (PHS), com apenas 0,3%. Indecisos somam 20,5%. Já na amostragem sem inclusão do nome de Blairo, que foi governador por dois mandatos, quem passa a liderar com ampla vantagem é Taques, com 40,9%. Lúdio aparece com 11,5%, seguido de Daltro (4,4%) e do empresário Eraí Maggi (PP), com 3,3%. Nesse caso, o universo de indecisos se amplia para 37,2%. Quando se inclui o nome do pecuarista e ex-prefeito de Água Boa, Maurição Tonhá como pré-candidato do PR no lugar

de Blairo, o cenário pró-Taques pouco alterna. O pedetista detém 41,8%, com Lúdio em segundo lugar, com 11,3%. Maurição só registra 1,4%. Na espontânea, Blairo e Taques estão tecnicamente empatados, com 6,2% e 5%, respectivamente. Lúdio aparece com 1,5%. Se declararam indecisos 84,6%.

CÂMARA FEDERAL

Wellington, Bezerra e Valtenir são mais lembrados Adilton Sachetti (PSB), está com 3,8%; a ex-deputada federal Thelma de Oliveira (PSDB) registra 3,5% e os deputados Eliene Lima (PSD) e Ságuas Moraes (PT) estão com 3,2% e 2,2%, respectivamente. Roberto Dorner (PSD), que assumiu neste mês a cadeira de Pedro Henry, aparece com 1,7%. Também pontuam o petista Ademir Brunetto (1,7%), o progressista Ezequiel da Fonseca (1,5%) e o peemedebista Neri Geller (1,4%). O ex-prefeito de Cáceres, Túlio Fontes (PSB) está com 1,3%. Os demais detêm menos de um ponto percentuais. Estão indecisos 36,4% dos eleitores consultados. Na espontânea, Valtenir, defensor público do Estado licenciado, ex-vereador pela Capital e no segundo mandato na Câmara, é o líder com 0,9%, embora dentro do empate técnico com Wellington (0,7%), com Eliene e atém com Wagner Ramos, que é deputado estadual e vai à reeleição. Neste caso, estão indecisos 92,6%

Romilson Dourado RD News

Três deputados federais são os mais lembrados à reeleição na pesquisa estimulada do instituto Mark, realizada entre 14 e 17 deste mês em 70 municípios, numa parceria exclusiva com o portal Rdnews. Wellington Fagundes (PR), pré-candidato a senador, aparece com 8,6%. O peemedebista Carlos Bezerra conta com 7,9%, assim como Valtenir Pereira, do Pros, com 7,3%. A margem de erro é de 3,5% para mais ou para menos. Foram ouvidos 1.171 eleitores. As eleições-2014 abrem 8 vagas para representação mato-grossense na Câmara. Segundo a amostragem, o ex-vereador por Cuiabá e derrotado a prefeito em 2012, médico Lúdio Cabral (PT), está com 5%. O deputado federal Júlio Campos (DEM) é lembrado como preferido por 4,9%, assim como o tucano Nilson Leitão (4,4%). O ex-prefeito de Rondonópolis,

ASSEMBLEIA LEGISLATIVA SENADO FEDERAL

Na briga ao Senado, Jayme seria reeleito; Wellington fica em 2º

Walter Rabello lidera para deputado; na espontânea, 86% estão indecisos Romilson Dourado RD News

Romilson Dourado RD News

O senador Jayme Campos seria reeleito hoje, aponta pesquisa Mark, feita em parceria exclusiva com o Rdnews, entre os últimos dias 14 e 17, abrangendo 70 municípios. O democrata está com 26,6% das intenções de voto. Em segundo lugar na estimulada aparece o deputado federal de seis mandatos Wellington Fagundes (PR), com 19%. No pleito do próximo ano vai estar em jogo uma das três cadeiras de senador, com vencimento do mandato de Jayme. O nome do governador Silval Barbosa (PMDB), que não demonstra mais interesse em renunciar ao mandato para ser candidato, figura na terceira colocação, com 12%. A ex-senadora Serys Marli (ex-PT e hoje no PTB) regis-

tra 6,1%. O empresário Eraí Maggi (PP) conta com 4,7%. A sondagem espontânea – situação em que o eleitor revela o nome naturalmente, sem auxílio da relação dos possíveis candidatos, Jayme também lidera. Ex-prefeito de Várzea Grande e ex-governador, o democrata figura com 3,9%; seguido por Wellington (1,8%), Silval (1,4%) e Serys (0,9%). O universo de indecisos chega a 90,6%. Sobre rejeição, curiosamente o nome do próprio Jayme enfrenta a maior resistência do eleitorado, com 13%, empatado tecnicamente com Silval, que aparece com 11,7%. Dos entrevistados, 9,9% disseram que não votariam de jeito nenhuma na petebista Serys e 5,2% resistem o nome de Eraí. A rejeição a Wellington e a menor. Enfrenta resistência de 3,5% - confira todos os dados no quadro.

O deputado e apresentador de TV, Walter Rabello (PSD), que no primeiro mandato foi cassado por infidelidade partidária e, em 2010, reconquistou nas urnas a cadeira na Assembleia, lidera as intenções de voto rumo às eleições de 2014. Pesquisa estimulada do instituto Mark, realizada entre 14 e 17 deste mês em parceria exclusiva com o portal Rdnews, revela que o social-democrata conta com 9,9%. O segundo colocado é o também deputado Emanuel Pinheiro (PR), com 4,1%. Foram ouvidos nesta amostragem 1.171 pessoas em 70 municípios. A margem de erro é de 3,5% para mais ou para menos. Vão estar em disputa 24 cadeiras de deputado estadual. Dos atuais parlamentares, além de Rabello e Pinheiro, seis figuram na pesquisa estimulada com percentuais entre 2 e 3 pontos. Mauro Savi (PR), por exemplo, está com 3,3%, seguido dos também republicanos Jota Barreto (2,6%) e Sebastião Rezende (2,5%) e do democrata Dilmar Dal Bosco (2,3%), assim como do suplente de deputado Luizinho Magalhães (PSD).

Há outros parlamentares que aparecem nas intenções de voto. Baiano Filho (PMDB) registra 2,1%; Wagner Ramos conta com 2%, assim como Teté Bezerra (1,8%), Ondanir Bortoline, o Nininho (1,7%), Zeca Viana (1,6%), Zé Domingos (1,5%), Guilherme Maluf (1,5%, Romoaldo Júnior (1,4%), Pedro Satélite (1,3%), Ademir Brunetto (1,2%), Antonio Azam-

buja (1%) e Luciane Bezerra (0,8%). O suplente Gilson de Oliveira está com 2%, o médico em Cáceres, Leonardo Albuquerque, derrotado a prefeito no ano passado, figura com 1,5%, mesmo percentual atribuído ao vereador várzea-grandense Perry Taborelly (PV). O empresário na região de Barra do Garças, Eduardo Moura, detém 0,9%. Outros

24 nomes aparecem na estimulada, embora com percentuais inferiores a 1%. Os indecisos somam 36,5%. Na espontânea, Rabello segue na liderança, com 2,1%. Também pontuam com 0,9% os deputados Wagner e Emanuel, seguidos de Barreto (0,8%), do ex-deputado Maksuês Leite (0,6%) e de Leonardo (0,5%). Nesta amostragem, o universo de indecisos sobe para 86%.


Política

5

A SEMANA NO ARAGUAIA - Ano V - nº 97 - 5 de novembro a 20 de dezembro de 2013 - BARRA DO GARÇAS - Municípios do Araguaia - Capital Matogrossense - Brasília

ÁGUA BOA

‘Administração está se alto propagando’, diz oposição Wanderley Wanconcelos/Sérgio Santana asemana@araguaia.net

A bancada de oposição da Câmara de Vereadores recorreu ao Ministério Público, através do promotor de Justiça Francisco Gomes de Souza Júnior, para que seja afixado nos canteiros de obras da Prefeitura de Água Boa somente o brasão do município e não as duas formas que vem sendo utilizado pela gestão Mauro Rosa da Silva, a de um portal, que muitos dizem reportar ao ‘M’, (de Mauro) assim como a um coração vazado. Todos esses símbolos são pintados em vermelho, a cor que predomina na logo de seu partido, o PPS. Seu antecessor, Maurício Tonhá (Maurição), utilizava do mesmo artifício para identificar seus feitos, (usava um coração branco). Diga-se de passagem, com dinheiro público, o que fere frontalmente a Constituição Federal, em seu artigo 37. Segundo disse o vereador Erik Rodrigo de Jesus Silva, “a letra M está substituindo o brasão municipal. Isso dá a entender que toda obra seja

de um só prefeito, ornado pelo portal vermelho que caracteriza sua gestão “além da promoção pessoal”, emenda Erik. O vereador disse ainda que foi apresentado um Projeto de Lei na Câmara de Água Boa para que fosse usado apenas um brasão do município, mas que foi sumariamente esmagado pelo rolo compressor que dá sustentação ao prefeito Mauro Rosa naquela Casa. Segundo Erick, “vivemos um período marcado pela imposição do prefeito Mauro Rosa. Se ele pinta ou reforma um prédio, lá está sua marca como se a obra fosse somente dele”, diz. Erick cita ainda a Lei 12.857, de 2011, que dispõe sobre informação e que obriga o município a declinar o custo de qualquer obra. “Quando solicitamos informações, seja ao secretário de Administração, Luiz Omar Pichetti ou a seu colega de Planejamento e Finanças, Fábio Tadeu Weiler, há demora ou informações erradas. Atitude dessa natureza pode culminar em cassação e mandato”, disse o vereador.

AMM

ZELO

Associação apresenta balanço de 2013 e estabelece prioridades para o próximo ano

Emenda de Julio Cesar garante asilo para Barra

Vicente de Souza Agência da Notícia da AMM

No ano em que comemorou 30 anos de fundação, a Associação Mato-grossense dos Municípios trabalhou pelo atendimento de vários itens da pauta municipalista e conseguiu muitos avanços. A instituição se fortaleceu politicamente e aprimorou a prestação de serviços, consolidando-se como referência na área técnica para outras entidades municipais. O repasse dos restos a pagar da Saúde referente a 2012 foi uma das principais conquistas do ano. Após meses de negociação, intermediada pela AMM, as prefeituras receberam R$ 46 milhões, sendo 50% no primeiro semestre e a outra metade, de forma escalonada, no segundo semestre. As negociações contaram com a participação do presidente da AMM, Valdecir Luiz Colle, Chiquinho, governador Silval Barbosa, prefeitos e secretários de estado. A visita das ministras do Planejamento, Miriam Belchior, e da Secretaria de Relações Institucionais, Ideli Salvatti, também foi um importante avanço. Elas vieram conhecer a Central de Projetos, criada para oferecer suporte técnico aos municípios na captação de recursos para investimento em setores essenciais. Na ocasião, Miriam Belchior declarou que o modelo de trabalho desenvolvido pode ser adotado em outros estados. A AMM também recepcionou representantes do Banco

Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social e da Secretaria de Assuntos Federativos, do Governo Federal. O grupo veio a Mato Grosso para conhecer melhor a área de atuação da AMM, visando uma possível parceria para apoiar a gestão dos municípios. Além disso, a associação recebeu representantes da Federação Goiana de Municípios, que vieram buscar informações sobre o trabalho técnico desenvolvido. As mobilizações também foram constantes, dentro e fora do estado. A AMM foi parceira da Ucmmat na realização de um manifesto municipalista, promovido para despertar os poderes constituídos e a sociedade sobre as constantes dificuldades que os gestores enfrentam no setor público. A Marcha a Brasília, que contou com a presença de dezenas de prefeitos de Mato Grosso, reivindicou o atendimento dos pleitos municipais. Na ocasião os gestores também se reuniram com parlamentares da bancada federal para pedir apoio no encaminhamento de projetos de interesse dos municípios. Os eventos e capacitações também foram priorizados para repasse de informações aos gestores. O tradicional Encontro de Prefeitos celebrou os 30 anos de fundação da AMM, e contou com a participação de autoridades estaduais e nacionais. A instituição também realizou reuniões para debater a renegociação dos débitos previdenciários, municipalização do Imposto Territorial

Rural, Contabilidade Aplicada ao Setor Público, Plano Plurianual e Lei de Diretrizes Orçamentárias, Regimes Próprios de Previdência, habitação, saneamento, Fóruns de Desenvolvimento Econômico e Social, audiências públicas para debater os resultados do estudo Mato Grosso mais Eficiente, Workshop de Secretários Municipais de Agricultura, Meio Ambiente e Turismo, entre outros. Além das capacitações presenciais, a AMM firmou uma parceria com o governo do estado, por meio da secretaria de Ciência e Tecnologia, para implantar uma ferramenta de transmissão via satélite que vai viabilizar a realização de teleconferências. Dessa forma, prefeitos e servidores poderão participar dos cursos no próprio município, em escolas estaduais preparadas pelo governo do estado. As aulas serão transmitidas ao vivo, e os participantes, nos municípios, poderão interagir com os instrutores para esclarecer dúvidas. A área técnica também foi bastante atuante, com a elaboração de projetos em diversas áreas, orientação para encaminhamentos dos planos de saneamento e resíduos sólidos, Regimes Próprios de Previdência Social, auxílio a municípios na recuperação de recursos de convênios estaduais e federais, incentivo para o fortalecimento da agricultura familiar, desenvolvimento econômico, acompanhamento de convênios nos ministérios, assessoria em comunicação, publicação de atos oficiais no Jornal Oficial, assessoria contábil às prefeituras, apoio para reativação da Associação dos Municípios com Potencial Turístico, acompanhamento da situação das prefeituras junto a órgãos federais e estaduais, arrecadação do ICMS e transferências constitucionais, entre outros. O presidente da AMM, Valdecir Luiz Colle, Chiquinho, destacou que os resultados de 2013 foram importantes, mas que os desafios terão continuidade em 2014. “Já estamos estabelecendo as prioridades para o próximo ano, e queremos trabalhar em parceria com os prefeitos para o atendimento da pauta municipalista, e aprimoramento da prestação de serviços técnicos”, assinalou. Além de eventos para orientar os prefeitos, a instituição vai participar das mobilizações pelo atendimento da pauta. A votação da Proposta de Emenda Constitucional que prevê o aumento de 2% do Fundo de Participação dos Municípios é uma das principais reivindicações de prefeitos de todo o país.

Midianews.com.br Da Redação

O vereador Julio Cesar (PSDB) apresentou na última desse não na Câmara Municipal, em 14 de dezembro, uma indicação para que a Prefeitura de Barra do Garças construa um abrigo para idosos na cidade, uma vez que há demanda “porque a maioria das pessoas que necessitam são acolhidas no asilo de Aragarças (GO). Boa parte dos idosos acolhidos em Aragarças é barra-garcense. A Prefeitura participa de uma ajuda de custo mensal da ordem de R$ 2 mil, segundo disse o vereador Julio Cesar em sua justificativa. A indicação de Julio Cesar não consta valores, mas deve ser incluída no orçamento de 2014 para que o prefeito analise seu pedido e construa o abrigo dentro das possibilidades financeiras do município. “Não se pode esperar mais, a situação é crítica e temos que zelar pelos nossos idosos”. Para Julio Cesar a administração precisa cuidar dos setores sociais, “mas há aqueles que são mais críticos como o amparo aos idosos, um grupo que não

merece negligência. Toda a sociedade é responsável por essa faixa etária que já fez o possível e agora espera acolhimento e zelo”, disse. EMASA O relator da Comissão de Obras Públicas, Transportes e Comunicação da Câmara de Vereadores de Barra do Garças, Julio Cesar dos Santos (PSDB) apresentou em data recente um requerimento para que seja en-

caminhado ao prefeito Roberto Farias (PSD), solicitando daquele gestor o nome completo da pessoa que assinou como representante do ‘Poder Concedente’ em 26 de junho de 2003, entre município e Emasa. O requerimento do ex-presidente daquele Legislativo chega no momento em que a concessão da Empresa Mato-grossense de Água e Saneamento (Emasa) passa para outro grupo privado que “para a indignação de muitos”, segundo disse Julio Cesar, “não veio a público explicar a população a que veio, até por dever de civilidade com a população que a tudo assiste, mas sem ter a quem reclamar”, disse ele. Na entrevista ao semana7 Julio Cesar disse que vai esperar a resposta do prefeito no limite dos 15 dias previstos em lei. “Caso ele não se pronuncie vou recorrer ao Ministério Público, apelar para o que determina a Lei da Transparência. Minha preocupação é a de saber de quem é a assinatura do ‘Poder concedente’ que não confere com as rubrica de Roberto Farias, se comparados com os documentos por ele assinado que chegam à Câmara de Vereadores”.


6

Política

A SEMANA NO ARAGUAIA - Ano V - nº 97 - 5 de novembro a 20 de dezembro de 2013 - BARRA DO GARÇAS - Municípios do Araguaia - Capital Matogrossense - Brasília

BARRA DO GARÇAS

Wanderley Wasconcelos/Ronan de Sá e Sérgio Santana/Pesquisas/Arquivo

Ah, esse conjunto de fenômenos de práticas relativas à sociedade a que denominamos de política, deu panos às mangas em 2013. Principalmente se estamos a falar da Câmara de Vereadores de Barra do Garças. No mandato anterior eram dez edis (conforme a gramática dos bacharéis). Acharam que estava pouco, subiram para 15. A maioria a serviço do rolo compressor de Roberto Farias, mas que também atende pelo nome de bancada que dá sustentação ao prefeito. O ano começou bem. Logo de início aprovaram por unanimidade um Projeto de Lei de Roberto Farias que autorizava a contratação de servidores da Educação. Outro projeto dava poder àquele gestor a abrir crédito de R$ 180 mil para o Meio Ambiente. Entre outros, tudo isso estava em completa ordem com Miguel Moreira da Silva (Miguelão) na presidência da Casa. Tempo antes dele acusar a equipe deste jornal de pertencer a turma do “quanto pior melhor”. Mas não se assustem não porque a oposição gritou por 50% de desconto do IPTU, mas não conseguiram convencer a bancada de sustentação que tem como líder do prefeito o petista Odorico Ferreira Cardoso Neto – Professor Kiko, do PT. Diante da birra política local esta Câmara de Vereadores foi a primeira a rejeitar a transparência sobre a empresa de limpeza PSG, que substituiu a Evolu Service. Negaram o pedido da oposição enquanto a cidade estava, em vários setores, coberto de lixo motivado pelo capricho do prefeito e de seus seguidores. Faltava um pouco mais. Por oito votos a cinco a Câmara rejeitou um requerimento assinado por Julio Cesar, Reinaldo Silva (Chocolate) e José Maria sobre a concorrência para o término das obras da UPA em Barra do Garças. A proposta de depósito de 5% do valor da obra R$ 2.530,756,96) para participar da licitação ex-

SEMANA7.COM/SÉRGIO SANTANA

Ano legislativo da Câmara de Vereadores foi marcado por vaias, xingamentos, repressão, censuras, privilégios e conveniências

PROFESSORA DO MUNICÍPIO, EM GREVE, DISCUTE DURANTE SESSÃO COM O LÍDER DO PREFEITO, PROFESSOR KIKO (PT), POR SUA VEZ EX-LÍDER SINDICAL DO SINTEP, MAS AGORA EM DEFESA DE OUTRA BANDEIRA

cluía as pequenas empresas de participarem do certame. A exemplo da maioria de seus pares, aquela gente que diz representar o povo parece detestá-lo. A pobre gente que vive na periferia da cidade não se esquece de Miguelão que ameaçou derrubar barracos em fase de construção numa quadra de sua propriedade no Jardim Nova Barra. Os moradores correram para o Roberto Farias, na esperança de que o prefeito recém-eleito intermediasse por eles, mas receberam o ríspida dizer: “Não converso com invasores”. Foi justamente por ocasião essa que o Ministério Público flagrou maquinários da prefeitura na fazenda de Roberto Farias. Em uma nota, na ocasião, publicada por este jornal o prefeito disse que a Prefeitura age com transparência. Mas nem tudo ainda estava perdido. O ex-prefeito Paulo César Raye de Aguiar pedia na ocasião para que a

‘Loca e Voadeira’, antigos locais de banhos da comunidade de Barra do Garças fossem reativados. Seu colega de parlamento, Coronel Barbosa pedia, por sua vez, 30% de abono sobre o mínimo dos servidores municipais. Seu projeto foi aprovado na Câmara, enquanto o Professor Kiko pedia segurança contra vândalos que invadem e depredam os cemitérios da cidade e seu colega Welinton Andrade da Silva (Mandioquinha) exigia a limpeza do complexo turístico do Porto do Baé. De todo modo fizeram alguma coisa para justificar o salário de R$ 8 mil. Veio, então, o drama da PSG. A denúncia colocou o prefeito Beto Farias em maus lençóis. Eduardo Moura concedeu uma coletiva à imprensa onde denunciou suposto esquema na contratação da empresa de coleta de lixo PSG. O suplente de deputado federal entregou então um dossiê à Câmara de Ve-

readores. A crítica mais pesa foi a dispensa de licitação. Não deu em nada, a empresa continuou trabalhando e a Câmara de braços cruzados. O secretário de Administração, Isaías Mariano, chamou a oposição de fajuta. Funcionários da Saúde no município ameaçam greve e o prefeito mostra sua indiferença à categoria em que ele bateu à porta do sindicato na campanha de 2012. Pela primeira vez os servidores tomaram o plenário da Câmara de Vereadores para protestar contra a política salarial. A Prefeitura, por sua vez lança com estardalhaço seu pacote de obras que pouco alterou o cotidiano de Barra do Garças ou do interior do município. O suplente de deputado federal indagou na ocasião de onde o prefeito iria tirar R$ 100 milhões. No momento em que o governador Silval Barbosa lançava a licitação do programa MT Integrado, nosso editorial

PAGAMENTO

GESTÃO

Vereadores denunciam Secretário de Saúde por ter dois salários executiva do Cisma, Salete Terezinha Lauernamm, alegou por telefone, na tarde de domingo (22), “corte de despesa e que ninguém foi contratado em substituição dos celetistas [CLT] demitidos”. A denúncia sobre a demissão de funcionários dá conta de uma funcionária que tinha 10 anos de casa e apenas três faltas ao longo deste período. Ao todo foram cerca de seis demissões, sem justificativa. “não temos dúvida que seja retaliação política”, assegura o vereador José Eugênio de Paiva. UPA

Wanderley Wasconcelos/Ronan de Sá asemana@araguaia.net

O vereador de Água Boa Erick Rodrigo de Jesus da Silva, (PSD), entregou ao Ministério Público a denúncia de que o secretário de Saúde do município, Renato Beraldo, teria

grifava “Cem dias sem ações”, se referindo a administração municipal, enquanto Miguelão impedia que a TV Cidade filmasse uma tumultuada sessão envolvendo a equipe de reportagem e assessoria de imprensa, enquanto os vereadores Celson Souza, Mandioquinha, Pebinha, Joãozinho, Coronel Barbosa, Neto, Paulo Raye e Kiko, não se sabe por quê, votaram contra requerimento que pedia informações sobre maquinários apreendidos na fazenda do prefeito Roberto Farias. A Semana estampa em sua capa manifestação pública em Barra do Garças com a palavra do momento: “Chega!”. Na página 5 “Manobra que favorece amigos do círculo do poder termina por abrigar servidores ...” e cita os vereadores que à época indicaram suas esposas para o quadro da prefeitura: Paulo Sérgio, Joãozinho, Paulo Raye, Biroska e Coronel Barbosa. Na presidência da Câmara Miguelão

culpa A Semana pelos erros da administração do município. O editor Ronan de Sá perguntou ao presidente se ele não achava estranha a coincidência de os donos da PSG (empresa que havia ganhado a licitação de limpeza pública) serem advogados do prefeito conforme afirmou Eduardo Moura. Foi aí que ele frisou a capenga frase do “quanto pior melhor”. Uma semana depois ele paraninfou a turma de jornalismo e parecia até um paladino da liberdade de expressão. Nunca foi, nunca será. Uma semana depois sua Câmara tenta implantar a Lei da Mordaça, impondo limite à participação do povo à Palavra Livre. Ufa! Professores em greve reclamam da indiferença do Partido dos Trabalhadores (PT), aliado de Roberto Farias (PSD). O clima se torna tenso. Ex-líderes do Sintep agora respondiam do outro lado. Sem interlocução com o prefeito professores da rede municipal recorrem à Câmara de Vereadores onde topam com Miguelão que encerra uma sessão como forma de retaliar o diálogo. Os sindicalistas cercam o vereador Kiko e cobram do ex-sindicalista uma posição em defesa de seus colegas, mas sem êxito algum. Em resposta ao corte de ponto dos servidores da Educação do município que estiveram em greve por cerca de 90 dias, um grupo de professores invadiu na noite de 4 de novembro o plenário da Câmara, para cobrar do líder do prefeito, Professor Kiko, do presidente Miguelão, uma posição em defesa do movimento que exigia piso salarial de R$ 1.567 e reposição de corte na folha de pagamento em agosto e setembro. Desse imbróglio sobrou Moção de Repúdio ao prefeito Roberto Farias e sua secretária Fátima Resende. Somado tudo isso é conveniente dizer que a Câmara de Vereadores recebe um repasse anual de R$ 3.8 milhões. É muito dinheiro para servir aos caprichos políticos de alguns que dizem representar o povo que só é lembrado em período eleitoral que, aliás, está por vir.

duplicidade de salários. Segundo Erick ele recebe do Hospital Regional (Cisma) como técnico em radiologia e secretário. Por telefone na manhã de domingo (22) Beraldo falou com a redação do jornal A Semana e confirmou que trabalha como técnico em radiologia no

Hospital Regional (onde era diretor até abril desse ano) e na Secretaria Municipal de Saúde. Erick, assim como a bancada de oposição da Câmara de Vereadores local, acredita que as demissões ocorridas em abril sejam provenientes de perseguições políticas. A diretora

O Governo Federal está construindo em Água Boa uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) no setor Universitário, que fica próximo a imóveis que pertencem ou são alvo da classe alta da cidade. A bancada de oposição contesta que a UPA seja construída naquele local, distante de outros bairros. Erick preferia que a Unidade fosse estabelecida na região central da cidade para atendimento médico de moradores dos bairros em torno da cidade. A Secretaria de Saúde de Água Boa não emitiu nenhum parecer a respeito dessa polêmica envolvendo local e construção da UPA.

Roberto Farias presta contas de sua gestão

Wanderley Wasconcelos/Ronan de Sá asemana@araguaia.net

Em reportagem publicada em um jornal local o empresário Roberto Farias (PSD) disse que está “aprendendo a ser prefeito”. Neste seu primeiro balanço, em 10 de dezembro no Spasso Ville Buffet, ao cabo de um ano de gestão, o prefeito inseriu como geração e emprego “a construção de casas populares, obras de infraestrutura e urbanização”. Roberto Farias ressaltou ainda que houve comprometimento de sua equipe de governo para que fossem atingidas as metas deste seu primeiro ano de governo, comemorado a mesa farta ao lado de seus secretários, vereadores e representantes de entidades de classe. O prefeito anunciou ainda, entre outros, as ‘melhorias’ na área de saúde pública, construção e reforma de PSFs, re-

tomada das obras da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) e lançamento do projeto Barra Feliz. O prefeito lembrou as obras em andamento da Praça da Matriz de Santo Antonio, que a golpes insensatos, a mando dele e de seu secretário de Meio Ambiente Macio David, do PV, deceparam dezenas de árvores para desespero de ambientalistas do município. Beto (assim ele era chamado antes do advento das eleições de 2012) citou também 950 casas populares, cursos profissionalizantes para 3 mil pessoas e a chegada de mais de 20 empresas para o Distrito Industrial, segundo sua previsão. Para o ano vindouro, logo depois de reclamar que a prefeitura antes de seu governo estava ‘engessada’, Roberto Farias prometeu um pacote de obras para o mês de março, priorizando a urbanização da cidade.


Política

7

A SEMANA NO ARAGUAIA - Ano V - nº 97 - 5 de novembro a 20 de dezembro de 2013 - BARRA DO GARÇAS - Municípios do Araguaia - Capital Matogrossense - Brasília

TRANSFERÊNCIA DE RENDA

Silval Barbosa expande programa Panela Cheia para os 141 municípios Jana Pessôa/Setas-MT Luana Braga Assessoria/Setas-MT

Com o objetivo de ampliar a renda e garantir melhores condições de vida às famílias em situação de extrema pobreza, o programa estadual de transferência de renda, Panela Cheia, passou a abranger, nesta terça-feira (27.11), aos 141 municípios mato-grossenses. Sob a execução da Secretaria de Estado de Trabalho e Assistência Social (Setas-MT), o Panela Cheia é integrado com o programa federal de transferência de renda Bolsa Família.De acordo com o secretário de Trabalho e Assistência Social em exercício, Jean Estevan Campos Oliveira, o valor mínimo estabelecido para a complementação financeira do Programa Estadual Panela Cheia é de R$10,00 e o máximo é de R$ 280,00 por família. “Devem receber esse benefício as famílias Cadastradas no Cadastro Único do Governo Federal e beneficiárias do Programa Bolsa Família, com crianças de 0 a 6 anos de idade, cuja renda familiar per capita, mesmo após o recebimento do Benefício Federal, continua abaixo de R$ 80,00”, explicou Jean Estevan. De acordo com ele, o pagamento será efetuado por meio de cartão magnético, pelo qual a família receberá tanto o benefício do Programa Bolsa Família como do Programa Estadual. Apenas em novembro, estão sendo beneficiadas 24.928 famílias, abrangendo todos os municípios do Estado, com um investimento mensal de mais de R$ 1 milhão.

TRIBUNAL

2014

Mariano, de Água Boa poderá TCE aprova contas Dr. disputar vaga na Câmara Federal de Maurício Tonhá Jacques Gosch Rd News

Jacques Gosch Rd News

Em sessão ordinária realizada no, o Tribunal de Contas do Estado de Mato Grosso (TCE) aprovou por unanimidade as contas da administração do ex-prefeito de Água Boa, Maurício Tonhá (PR), referentes ao exercício de 2012. A aprovação seguiu voto do Relator Conselheiro Substituto Luiz Henrique Lima. De acordo com Maurício Tonhá o resultado da aplicação correta e ordenada das políticas publicas de Água Boa “foi extremamente positivo e a prefeitura atingiu a meta de equilíbrio orçamentário a que determina a Lei de Responsabilidade Fiscal”. No decorrer da sessão o conselheiro Valter Albano exemplificou “Modelo de Gestão” de prefeitura e cidade. Em sua explanação ele registrou de forma técnica o modelo de gestão de Maurício Tonhá como sendo exemplo da última década em Mato Grosso, fazendo em Água Boa uma transformação cultural do município. “O Prefeito administra a prefeitura e administra a cidade. Isto foi feito em Água

Boa”, ressaltou Albano. O presidente eleito do Tribunal de Contas, Valdir Júlio Teis também fez referências à administração de Tonhá, destacando a infraestrutura da cidade, qualificando o serviço

de saneamento e pavimentação, registrando que o município possui 100% de ruas asfaltadas. Maurício Tonhá foi prefeito de Água Boa em duas gestões 2005/2008 e 2009/2012.

O PDT, que vislumbra a chance de conquistar o governo de Mato Grosso com o senador Pedro Taques, já prepara lista de 14 pré-candidatos a deputado federal. O desafio é alcançar o coeficiente estimando em 213 mil votos e garantir pelo menos um representante na Câmara Federal. Uma das apostas do PDT é o Doutor Tampinha, que após quase duas décadas de ostracismo, tenta ressuscitar politicamente. Ele exerceu mandato de deputado federal entre 1991 e 1994 pelo extinto PL e se notabilizou por ter dado o 191º voto pelo impeachment do então presidente Fernando Collor de Mello, hoje senador (PTB-AL), de quem se dizia grande amigo. Na região de Cáceres, o PDT trabalha a pré-candidatura de Wilson Kishi, que foi vice na gestão do ex-prefeito Túlio Fontes (ex-DEM, hoje PSB). Ex-vereador por diversos mandatos, ele foi candidato a deputado federal em 2010, quando obteve 10.792 votos. Suplente, ele legislou por 121 dias, este ano, na licença de Valternir Pereira (PROS). Outro nome do PDT é o líder estudantil Caiubi Khum. “ Figura carimbada” nas manifestações, esteve à frente dos protestos de junho e da recente ocupação da reito-

ria da UFMT contra a desativação das moradias estudantis. Outro pré-candidato é o anão Jurubeba, conhecido por suas participações em programas eleitorais. Em 2012, atuou na campanha do candidato derrotado à Prefeitura de Rondonópolis Ananias Filho (PR) quando aparecia nas peças televisivas fazendo ataques ao hoje prefeito Percival Muniz (PPS). Na lista, ainda constam os médicos Werley Peres e Washington Mansor, ambos de Cuiabá. Candidatos a vereador em 2012, obtiveram 2.217 e 1.816 votos, respectivamente, ficando na suplência. O médico Doutor Mariano, candidato derrotado à Prefeitura de Água Boa nas últimas eleições, quando conquistou 5.613

votos, o que representa 49,47% do total. O PDT ainda pretende lançar o advogado especialista em Direito Ambiental José Roberto Cruz, de Barra do Garças. Outro barra-garcense que integra a nominata é o diretor do Parque Nacional da Serra Azul Cleudison Gordim. Também ligado à área ambiental, o diretor do Centro das Indústrias Produtoras e Exportadoras de Madeira de Mato Grosso (Cipem) Ramiro Azambuja, pretende disputar uma cadeira na Câmara Federal. A lista é completada pelo presidente do PDT de Sinop Carlos Toledo, pela educadora cuiabana Isabel Silveira, além do produtor cultural da Capital Odinei Maurício. Onésimo Juruna representa Pontal do Araguaia.


Cidade

8

A SEMANA NO ARAGUAIA - Ano V - nº 97 - 5 de novembro a 20 de dezembro de 2013 - BARRA DO GARÇAS - Municípios do Araguaia - Capital Matogrossense - Brasília

ÁGUA BOA

Vereadores rejeitam projeto que pede transparência em licitações

Gilnei Macari Da Redação asemana@araguaia.net

O veto do prefeito Mauro Rosa neste inicio de mês ao projeto de lei 022/2013, aprovado em outubro e que determinava que todo licitação da Prefeitura de Água Boa fosse encaminhada além da Câmara de Vereadores à Associação Comercial e Empresarial (ACEAB) e à Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) causou certo mal-estar entre setores da sociedade do município. Embora tenha sido apro-

Ari Zandona

Luis Cesar Filho

Johnatan Silveira

Adelar Fusinato

Edgar Jose Oliveira

vado por maioria absoluta o projeto retornou à Câmara Municipal para nova apreciação, uma vez que a base governista da Casa não suportou a pressão do prefeito Mauro Rosa em derrubar o projeto. “Nossa intenção era a de dar publicidade e transparência às licitações para que os empresários locais pudessem participar desses certames”, disse o vereador autor do projeto José Eugênio de Paiva (PSD). Conhecido do água-boense como Doutor Eugênio, ele não esconde sua indignação

diante da desistência de seus colegas em levar adiante o projeto sob alegação de Mauro Rosa de que os certames licitatórios já têm publicidade suficiente. “Não entendi a posição do prefeito diante dessa oportunidade de fiscalizar com mais eficácia, do início ao fim, todo o processo licitatório”, diz. Segundo Doutor Eugênio “o que ele [o prefeito] deixa transparecer é que não quer que acompanhemos as licitações, isto não é bom para o município. O que se percebe

em todo o país é que o nicho da corrupção está justamente em licitações viciosas. Não queremos isto para Água Boa”, enfatiza.

poucos para servir à Prefeitura de Água Boa, logo não haveria necessidade desse projeto. Esta foi a maneira óbvia de justificar sua recuada ao que dissera antes, ao aprovar o projeto hoje a caminho do arquivo da Câmara de Vereadores. Edgar José não estava sozinho na noite em que a Câmara de Água Boa diminuiu a competência e o poder econômico de parte dos empresários do município ao preterir a categoria associada a um gesto civilizado de opinar, de indicar sugestões que possam

beneficiar uma sociedade. Ao seu lado estava o vereador Gilnei Macari (PR) com as mesmas posições em relação às duas instituições. Doutor Eugênio ressaltou ainda que em período eleitoral qualquer associação, independente de seu tamanho, tem significação para os políticos, enquanto muitos deles, “depois de eleitos, se esquecem dessas bases. Rejeitar a participação de uma associação de comerciantes e empresários é subestimar o valor e capacidade de todos eles”, disse.

O ESTRAGO Quando o projeto voltou à Câmara na noite de 2 de dezembro um vereador da base de sustentação de Mauro Rosa naquela Casa, Edgar José de Oliveira ((PR), disse que a ACEAB possui apenas 130 associados enquanto que a CDL outros 30, que seriam

ILUMINAÇÃO NATALINA

EDUCAÇÃO

Árvore de Natal de Aragarças é um verdadeiro fiasco

Sintep repudia atitude do governo em prorrogar 13º salário

Da Redação asemana@araguaia.net

A Avenida Waldir Maciel Matos, em Aragarças (GO), vai ficar mais bonita. Indignado com o abandono das ruas de seu setor o dono de um pit dog, Ailson Calaço, de 39 anos, resolveu, ele mesmo erguer uma pequena árvore de natal no canteiro central da avenida. “Cansei de esperar, aliás, cansamos de esperar por um aceno da Prefeitura que viesse melhorar o aspecto urbano da cidade. Vi que não ia sair nada, resolvi levantar essa árvore que serve pra mim, minha família, para meus sobrinhos e pra quem andar por aqui, feito vocês”, disse ele no início da tarde à equipe do Semana7 que passava pelo local. Ailson fazia o trabalho

observado pela filha Amanda, de seis anos e que ficou entusiasmada com a ideia de seu pai sair no jornal, embora tenha se recusado a falar com a reportagem. Em tempo a Prefeitura de Aragarças mandou erguer uma árvore de natal em frente ao supermercado Extra Forte, na saída da cidade, na Avenida Ministro João Alberto. O intento terminou por revoltar muita gente, principalmente comerciantes próximos ao local. O proprietário do Extra Forte, conhecido como Japão, não quis comentar o episódio que o deixou furioso, assim como seu vizinho de comércio, Rener Borges, de 44 anos, dono de uma frutaria. “Não sei quem, mas tentaram queimar esta árvore que mais parece uma piada de mau gosto”.

VUCU-VUCU

Diretora de hospital é agredida na frente do prefeito de Aragarças

Da Redação asemana@araguaia.net

Na tarde de terça-feira (26/11), a diretora do Hospital Getúlio Vargas, em Aragarças (GO), Joelza Peres foi agredida por uma funcionária da prefeitura. Segundo informações da diretoria daquele hospital, sem nenhum motivo Deriane Gouveia Oliveira, visivelmente des-

controlada agarrou no pescoço da vítima, resultando em várias marcas e arranhões. As duas estavam no hospital durante visita do prefeito Léo e do secretário de Saúde Alex Leão, momento em que começaram a discutir sobre infraestrutura do hospital. O fato ocorreu na farmácia no interior do hospital. Joelza disse que só não caiu no chão por que foi ampa-

rada por um gestor lotado naquela casa de saúde. As agressões teriam ocorrido na frente do prefeito interino Léo Leão e do secretário de Saúde Alonso Almeida Leão que também teria presenciado a cena segundo a diretora Joelza Peres. Informação foi negada pelo assessor de gabinete Mauricio (a atendente do Gabinete de Administração não

quis informar o nome completo do funcionário). Segundo ele, o prefeito estava naquele momento em uma reunião com a secretária de Educação Mônica Maracaipes e outros diretores de escolas do município. Há informações de que a diretora do Hospital Getúlio Vargas está prestes a ser demitida do cargo. Chorando ao falar com a imprensa, Joelza disse que não entendeu o que levou a ser vítima de agressões. “Ela voou no meu pescoço. Se ela tivesse alguma razão ela a perdeu ao me agredir. Ela voou em mim como se eu fosse um bicho”, disse a diretora. Joelza disse que estava fazendo alguns requerimentos referentes à administração do hospital. A gestora do hospital Getúlio Vargas afirma que a única coisa que ela pensa ter motivado a agressão é que Deriane discorda de algumas posições da administração do atual prefeito do município, mas não soube informar se seria por este motivo.

Assessoria asemana@araguaia.net

O Sindicato dos Trabalhadores do Ensino Público de Mato Grosso (Sintep/MT) repudia a postura do governo do Estado em prorrogar para o dia 30 o pagamento do 13º salário dos/as trabalhadores/ as contratados temporariamente. O não pagamento até o dia 20 de dezembro, conforme prevê a legislação, precariza ainda mais a situação dos profissionais, que contava

com este recurso para a data. Para o Sintep/MT, a atitude do governo demonstra falta de respeito e compromisso com os trabalhadores da rede estadual de ensino. A direção do Sintep/MT destaca, de acordo com as deliberações do Conselho de Representantes da categoria e manifestação do Tribunal de Justiça de Mato Grosso, que a partir do dia 23 os educadores contratados temporariamente deixam de ter obrigações trabalhistas com a Secretaria de Estado de Educação (Seduc).


Economia

9

A SEMANA NO ARAGUAIA - Ano V - nº 97 - 5 de novembro a 20 de dezembro de 2013 - BARRA DO GARÇAS - Municípios do Araguaia - Capital Matogrossense - Brasília

LOGISTÍCA

Governo estuda mais ajustes para destravar concessões de ferrovias A Fico, passou a ser considerada como o primeiro trecho ferroviário que será concedido à iniciativa privada Valor Econômico São Paulo

O governo estuda a possibilidade de fazer novos ajustes na proposta de concessão de ferrovias. O alvo, neste momento, é a Ferrovia de Integração Oeste-Leste (Fico), malha que passou a ser considerada como o primeiro trecho ferroviário que será concedido à iniciativa privada. Umas das mudanças que estão em análise, apurou o Valor, é a ampliação de prazo para construção da Fico, cujo traçado tem 1.084 km e liga o município de Lucas do Rio Verde, polo de produção de grãos do Mato Grosso, até Campinorte (GO), onde a malha se interligará com o traçado da Ferrovia Norte-Sul. O cronograma atual, que prevê 36 meses para construção de todo o traçado, é considerado muito curto pelas empresas interessadas no projeto. A crítica, segundo uma fonte que atua diretamente na elaboração dos editais de concessão, sensibiliza o governo, que está disposto a ampliar esse prazo. A ideia é adotar “prazos mais realistas”, que as empresas realmente possam cumprir.

Durante a etapa de consulta pública do empreendimento, a construtora Andrade Gutierrez chegou a sugerir que o prazo de construção da Fico dobrasse, saltando para 72 meses. O edital da concessão também trará outra mudança importante quanto ao período de execução da obra. Como será feito nas concessões de rodovias, o prazo de construção só passará a contar a partir do momento em que a estatal Empresa de Planejamento e Logística (EPL) obtiver, junto ao Ibama ou órgãos estaduais, as licenças ambientais prévia e de instalação, autorizando o início efetivo da obra. Dessa forma, o empreendedor fica protegido de ser prejudicado por um eventual atraso na liberação das licenças. O governo pretendia realizar o leilão da Fico ainda neste ano, mas o prazo da licitação foi jogado para a segunda quinzena de janeiro. As mudanças de planos no pacote de concessões ferroviárias também afetam a lista de prioridades dos trechos que serão oferecidos à iniciativa privada. O próximo trecho que deve ser oferecido ao mercado

é a ferrovia que ligará Estrela dOeste (SP) a Dourados, no Mato Grosso do Sul, traçado que tem uma extensão aproximada de 700 km e que também se liga à Norte-Sul, a partir do interior de São Paulo. O processo de concessão do Ferroanel de São Paulo também será acelerado, embora ainda não haja uma data fechada para o leilão desses trechos. O novo cronograma de concessões se baseia em demandas apresentadas pelo mercado. A avaliação do governo é que a ideia original, de iniciar as licitações de ferrovias pelo trecho da Norte-Sul entre Açailândia (MA) e Barcarena (PA), desconsiderou obstáculos como dificuldades de construção no trecho amazônico e limitações de infraestrutura do porto de Vila do Conde, no Pará. A Fico, também conhecida como “Ferrovia da Soja”, foi um dos projetos sacados da gaveta da estatal Valec, que passou anos tentando licitar os estudos de viabilidade do empreendimento, mas pouco avançou. Por conta dessas dificuldades, o governo decidiu retirar o empreendimento da lista de prioridades do Programa de Aceleração do Cresci-

mento (PAC), para inclui-lo no programa de concessões ferroviárias. Quando ainda estava sob a alçada da Valec, a ferrovia teve seu custo estimado em R$ 4,5 bilhões. Apesar de o governo assumir a responsabilidade pelo licenciamento ambiental do projeto, há ainda outro obstáculo a ser enfrentado: as desapropriações. Os estudos apontam que há cerca de 1,8 mil posses no caminho da Fico. Para os ruralistas, a ferrovia tem papel fundamental para ajudar no escoamento da região. A Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja) estima que a Fico tenha condições de baratear o custo do frete em cerca de R$ 1 bilhão por ano. O traçado entre Lucas do Rio Verde e Campinorte faz parte de uma malha bem mais ambiciosa desenhada pelo governo, mas que, por enquanto, ficará na gaveta. A ideia é que, a partir deste trecho, os trilhos avancem pelos dois extremos da América Latina. O projeto, batizado de “Ferrovia Transcontinental”, teria aproximadamente 4.400 km de extensão em solo brasileiro e ligaria os oceanos Atlântico e o Pacífico.

MT INTEGRADO

MT 100 começa a receber asfalto ao longo da região do Araguaia Francis Amorim RD News

Dois lotes das obras de pavimentação da MT-100, nas regiões de Barra do Garças à Araguaiana e Pontal do Araguaia a Torixoréu, começam a receber pavimentação do Programa MT Integrado. Ao todo são mais de 10 km de rodovias que o governo promete entregar ainda este ano. Lançado em julho pelo governador Silval Barbosa (PMDB) com o propósito de interligar os 141 municípios do Estado por vias pavimentadas, o Programa MT Integrado avança ao longo de toda a extensão da MT-100, mas os trechos mais avançados estão justamente entre as quatro ci-

dades. A obra prevê o asfaltamento dos 270 km ligando Araguaiana a Alto Araguaia, com previsão de conclusão para o final de 2014. No trecho Pontal do Araguaia a Torixoréu, a empresa Sanches Tripoloni, responsável pela execução das obras, estima que entre 14 e 20 km serão pavimentados ainda este ano, tendo já concluído 4 km. “Vamos trabalhar até o dia 20 e retornaremos após 6 de janeiro. Por isso que estamos em ritmo acelerado para cumprir o cronograma de pavimentar ao menos 14 quilômetros”, disse um funcionário da empresa. A mesma situação vive o trecho Barra do Garças à Araguaiana, 35 km já estão pavimentados, com meta de chegar aos 10 até o dia 20.

Nesse trecho, de 54 quilômetros, as obras foram subempreitadas a empresa Macro Construções. “Estamos aproveitando o período de estiagem para acelerar os trabalhos já com a colocação da camada asfáltica”, disse um dos funcionários da construtora, que preparava a brita para a recepção da camada fixa. Somente na pavimentação da MT-100, dividida em cinco lotes, o governo do Estado está investindo cerca de R$ 200 milhões por meio de financiamento do BNDES. Ao todo estão sendo investidos R$ 500 milhões, cuja primeira obra a ser entregue será o trecho Canabrava do Norte a BR-158, com conclusão prevista para janeiro de 2014.

Olhar Direto


Polícia

10

A SEMANA NO ARAGUAIA - Ano V - nº 97 - 5 de novembro a 20 de dezembro de 2013 - BARRA DO GARÇAS - Municípios do Araguaia - Capital Matogrossense - Brasília

Reprodução Internet

DROGAS

CRACK se estabelece Barra do Garças e em municípios da região O vício está tão arraigado que existem grupos que atuam em pontos nobre da cidade, como o complexo turistico do Porto do Baé, sem incômodo algum Wanderley Wasconcelos/Ronan de Sá Semana7.com

Vivaldo Olindo da Silva Filho, de 42 anos, queria apenas ganhar um extra para as festas de final e ano. Ele trazia para Barra do Garças 15 tabletes de pasta base no pneu de seu carro que foi interceptado pela Polícia Rodoviária Federal (PRF), no Km 33 da BR 070. Ele disse à polícia que queria presentear sua família. Não deu certo, Vivaldo. Crack é a cocaína solidi-

ficada em cristais. Seu nome é derivado do barulho de quando é fumado. Ele é a conversão do cloridrato de cocaína para base livre através de sua mistura com bicarbonato de sódio e água. É a forma de cocaína mais viciante, acima de todas as drogas. Ao usuário ele oferece euforia passageira, superior ao sexo, segundo especialistas. Em Nova Iorque, Los Angeles e Miami o crack surgiu no final de 1984. No Brasil ele chegou 1990 para depois invadir o país, por todos os

Maioria dos produtos de furtos têm ligação com a droga

seus flancos. Em Mato Grosso não poderia ser diferente. Sua incidência ultrapassa 75% dos municípios e nem a metade deles possuem ações de enfrentamento à invasão devastadora dessa droga de baixo custo, efeito rápido e que também infesta Barra do Garças. Que não se iluda o morador ou o visitante ao se deparar com pequenos grupos, mais visível à noite, seja no centro da cidade ou em sua distante periferia. Pode não se tratar de um grupo de camaradagem,

Wanderley Wasconcelos/Ronan de Sá Semana7.com

Para o delegado de Roubos e Furtos de Barra do Garças, Wilyney Santana Borges, a demanda de flagrante em sua delegacia “é motivada por droga, seja crack, maconha ou cocaína. Hoje [quinta-feira, 19] mesmo aprendemos duzentos gramas de pedras de crack”, disse ele numa entrevista no início daquela noite, em seu gabinete. Segundo Wilyney “existe uma rede de recepção que envolve compra, venda, troca de objetos resultantes de furtos e roubos”. Um aparelho de TV, apenas para citar um exemplo, custa R$ 1.500, mas

poderá ser entregue facilmente à razão de R$ 30, dependendo da fissura daquele que busque uma boca de fumo. Naquela mesma tarde (19/12) a equipe do Semana7 fotografou uma mesa atulhada de produtos roubados que Wilyney, cumprindo oito mandados de busca e apreensão, na operação Feliz Natal, em conjunto com a polícia de Aragarças, resgatou na manhã daquele dia na cidade goiana. “Grande parte disso aí foi trocada por entorpecentes. A operação que durou três meses envolveu dois delegados de polícia, 28 investigadores e resultou na prisão de cinco pessoas por tráfico, associação ao tráfico e por receptação”.

CAPS acolhe dependentes químicos

Wanderley Wasconcelos/Ronan de Sá Semana7.com

Para conter o avanço das drogas existe uma infinidade de siglas e todas elas, de uma forma ou de outra terminam por ajudar as famílias que possuem um ou mais dependentes químico em casa. Em Barra há o CAPS - AD (Centro de Atenção Psicossocial) que acolhe dependentes de álcool e drogas. A pedagoga Sílvia Braga dos Santos Doberstein, coordenadora daquela unidade, na Rua Pires de Campos, disse à reportagem que o maior número a que atende são dos dependentes do crack. A equipe da unidade do CAPS é formada, além da coordenadora Sílvia, por um médico psiquiatra, um clíni-

co, dois psicólogos, assistente social, pedagogos, enfermeira, uma técnica em enfermagem, fisioterapeuta ocupacional que atende ao redor de 20 pacientes por dia. Ali existe a demanda voluntária e a judicial. A primeira é difícil acontecer porque é raro que o paciente peça ajuda, enquanto a segunda acontece por mando da Lei. Na cidade há também comunidades terapêuticas como as casas Davi e Filadélfia, sem contar quatro leitos hospitalares no Pronto Socorro Municipal, destinados a pacientes com distúrbios mentais ou para desintoxicação. As internações podem ser voluntárias, involuntária (feita pela família) e compulsiva (através de ordem judicial). Há ainda o CAPS-2 (misto) em Aragarças.

Araguaia, no prédio da antiga estação rodoviária, a cerca de 100 metros da Polícia Federal, nos cemitérios, cercanias da Vila Varjão, Jardim Araguaia, Vila Maria, Novo Horizonte, São José, Morro do Calango (no setor Serrinha), apenas para citar alguns pontos cruciais aos que se entregam ao capricho irresistível desse vício nocivo, condenável. Essa satisfação provisória e danosa é conhecida por ‘Noia’ pelos usuários. Não se tem dúvida que a designação seja uma

partícula de paranoia. Psicopatia crônica de evolução lenta, progressiva, caracterizado por delírios de grandeza, de perseguição, outros. Logo não se deve confundir Noia com o município espanhol da província da Corunha, comunidade autônoma da Galiza ou mesmo com a cidade alagoana de mesmo nome. No mundo das drogas Noia é paranoia daqueles que optaram pelo equívoco diante de algum capricho ou uma dada circunstância de ordem emocional.

Comandantes da PM reconhecem dificuldade de conter o crack Wanderley Wasconcelos/Ronan de Sá Semana7.com

Delgado de Roubos e Furtos, Wilyney Santana Borges

mas de gentes de todas as idades em torno de um cachimbo. A manifestação maior desse vício está em Aragarças (GO), seguido de Barra do Garças e ramificações em Pontal do Araguaia, conforme apurou a reportagem. O vício está tão arraigado que existem grupos que atuam durante o dia em pontos nobres de Barra do Garças, como o complexo turístico do Porto do Baé, próximos a escolas, em terrenos baldios, nas pilastras das pontes sobre o Garças e

Outro referencial sobre consumo de drogas na região é a Polícia Militar que registra em torno de oito ocorrências diárias. Desse volume 35%tem envolvimento com O tráfico ou consumo, segundo disse o tenente-coronel Paulo Costa, comandante do 2º Batalhão da PM em Barra do Garças. Na entrevista ao jornal A Semana o oficial indica que a pasta base é a mais consumida na cidade, enquanto crack é para aqueles “que já se encontram em fim de linha, por si tratar de um produto mais barato”. Nas bocas de fumo estouradas pela Polícia Militar “é comum se encontrar o descarte de cachimbos utilizados para o consumo dessa droga”, disse. Em sua avaliação a cidade é espécie de corredor para escoamento da droga que vem da Bolívia para os grandes centros do país. “Embora estejamos atentos, há pouca fiscalização. De Cuiabá a Barra há apenas um posto policial em Primavera do Leste, apesar da presença da Polícia Rodoviária Federal ao longo de trechos da rodovia 070”. Paulo Costa disse ainda

que a classe pobre é a mais afetada porque a ‘Lei’ que predomina entre traficantes e usuários é rígida. “Eles não entregam seus fornecedores porque temem inclusive a morte. Dias destes um grupo invadiu uma fazenda nas proximidades de Barra para receber 30 mil de um dependente, mas salvo a tempo pela Polícia que segundo disse “tem um serviço de Inteligência muito forte”. As mulheres aparecem em menor escala neste universo do consumo de droga. Quando figuram neste quadro são como donas de bocas ou aviãozinhos na distribuição. Quem está do lado de fora não imagina a batalha travada entre policiais, traficantes , bocas de fumo e usuário. Este último, a polícia faz a detenção, lavra um termo circunstanciado (boletim), encaminha para o Ministério Público que avaliar a situação em conformidade com o dizer da Lei que é branda. Só em Barra do Garças são sete delegacias. PROERD - O Programa Educacional de Resistência às Drogas e à Violência (PROERD) mantém atividades em Barra do Garças para crianças que não tem contato com o mundo do crime. Suas instruções estão há mais de vinte anos em Mato Grosso. Na cidade sua atuação é nas esco-

Major Alifas da Silva, comandante da Polícia Militar de Aragarças

Pontos da cidade se transformam em ‘condomínios de indigentes’ Wanderley Wasconcelos/Ronan de Sá Semana7.com

Felizmente Barra do Garças não alcançou ainda as proporções de guetos que possam ser denominados cracolândia, embora o consumo se generaliza em todos os seus bairros, conforme frisou o tenente-coronel Paulo Costa que acentua que a

maior concentração esteja no mais populoso bairro da cidade, o Santo Antonio, onde reside a “antiga classe média da cidade “ segundo sua avaliação. Segundo o oficial PM as bocas se estabelecem perto de seus clientes. A contar pontos de vendas há clientes em demasia tanto em Barra do Garças quanto Aragarças, enquanto Pontal do Araguaia seja menos afetada, até pela proporção em número de habitantes se comparada às outras duas cidades. Mas, em qualquer delas, quem observa, encontra usuários durante o dia, já que a noite o consumo é desenfreado, conforme disse uma

Tenente Coronel Paulo Costa, comandante do 2. BPM

las da rede pública estadual, municipal e nas particulares, quando há interesse de seus gestores. Somente este ano forram instruídas 1.321 crianças do quinto ao sétimo ano. O curso é extensivo também aos pais no sentido de ajudá-los a identificar a proximidade de um primeiro contato com seus filhos, considerado por especialistas no setor como um caminho sem volta, já que a recuperação chega ao máximo a 20 por cento. Há dois meses no comando da Polícia Militar em Aragarças, o major Elifas da Silva Alencar, ao ser abordado pela equipe do jornal A Semana perguntou de início ao repórter: “Você já andou na madrugada por alguma avenida de Aragarças? Já viu zumbis?”, indagou referindo-se às pessoas sob efeito de crack (noias) ou chapados (efeito de maconha). Apesar desse cenário o major PM diz-se otimista diante de tudo isso e ressaltou que é preciso suporte, unidade entre forças, campanhas conjugadas e elogiou grandemente o trabalho da Polícia Federal em Aragarças no combate ao tráfico de drogas. “Faz um trabalho excepcional”, disse ele, referindo-se á Superintendência daquela corporação em Barra do Garças. Sobre consumo de droga o Major Elifas assegura “ser

dona de casa do bairro São José. Sem uma política de ação social capaz de conter a situação de abandono, sabe-se que há um contingente de drogados e moradores de rua em Barra e Aragarças capaz de lotar um condomínio de indigentes. Que este termo não seja entendido de modo pejorativo, mas do ponto de vista social. Este exército é formado por pessoas que aportam na região e de outros que são naturais da cidade que se dependesse apenas da maioria dos políticos seria cantada em prosa e verso como espécie de Shangri-la do Araguaia, mas não é. Ela está anos-luz daquela

uma doença; estamos no meio de uma epidemia”. Seu propósito em Aragarças, segundo disse em meio à confraternização da PM na Estância Zampa, na tarde do dia 20, é a de “implantar a Polícia Comunitária” de modo que as pessoas possam se sentir mais valorizadas.” Em novembro desse ano ele realizou um seminário sobre segurança comunitária e em janeiro do ano que vem pretende reunir-se com grupos, também para discutir segurança e, neste contexto é natural que surja acirrados debates sobre drogas. Voltando a Mato Grosso, os lugares mais afetados, de acordo com avaliação do delegado Gustavo Garcia, numa reportagem ao portal MídiaNews, “O crack existe em todo o Estado, mas, até pela concentração populacional, Cuiabá e Várzea Grande são as maiores prejudicados. Prova disso são as cracolândias que estão sempre lotadas de pessoas que se transformaram em verdadeiros zumbis, devido ao uso contínuo e desenfreado do crack, e também pasta-base. É importante frisar que essa droga alcançou todos os estágios sociais: pobres, ricos, esclarecidos ou não são reféns dessa droga”, afirmou o policial.

Shangri-la de Horizonte Perdido do escritor inglês James Hilton.


Saúde

11

A SEMANA NO ARAGUAIA - Ano V - nº 97 - 5 de novembro a 20 de dezembro de 2013 - BARRA DO GARÇAS - Municípios do Araguaia - Capital Matogrossense - Brasília

DROGA

Filho de ex-governador, refém do crack precisa de ajuda para se livrar do vício

Luiz Henrique, 30 anos, filho do já falecido ex-governador Wilmar Peres de Farias, (1986-1987) anda pelas ruas de Barra do Garças onde pede dinheiro para comer. Se ganha um marmitex troca por droga na boca de fumo mais próxima que encontrar a sua frente. Se recebe moedas, idem. Jovem, bonito, bem articulado, ele sabe que é herdeiro de um dos maiores fortunas da região, mas dorme de favores numa loja de automóveis. Castigado pelo uso do crack seu advogado e centenas de pessoas que o conhecem e querem seu bem esperam que a Justiça se manifeste e obrigue o representante do espólio de Wilmar Peres, o prefeito de Barra do Garças, Roberto Ângelo de Farias, faça dele legítimo herdeiro da família e o interne numa clínica especializada para salvar sua vida, antes que seja tarde demais. SEMANA7.COM Da Redação

O uso do crack afeta por uma questão financeira as pessoas mais pobres, embora essa droga, como a morte, não escolhe classe social. Aliás, o crack é o caminho mais curto para se chegar a este fim inevitável. Ao longo dessa reportagem que durou semanas se conheceu ou conversou com viciados em crack e em outras drogas. Entre eles estavam profissionais liberais, políticos, policiais, desempregados, ex-presidiários, estudantes, morador de rua, alcoólatra estabelecidos em botecos, entre tantos outros. Por esses caminhos a reportagem teve acesso a um vídeo em que um rapaz, na matinha ciliar do córrego do Voadeira, a cerca de 200 metros do Araguaia Park Hotel fumava pasta base de cocaína (crack) na lata. Assim que atingiu o êxtase ele acenou para a câmera, sorriu, depois abaixou a cabeça. Aquele rapaz é mais uma vítima das drogas que assim como outros jovens espalhados por todas as franjas da cidade. Ele teria tudo para ser um belo rapaz e de muito boa aparência. Ele é de boa família, é bem articulado, mas está se sucumbindo ao vício sem que ninguém faça nada em absoluto por ele. O hotel a que nos referimos a pouco é o mais suntuoso da cidade e de propriedade de sua família e ele sabe disso. Um de seus donos e que representa o espólio da família é o prefeito de Barra do Garças, Roberto Ângelo de Farias, que anunciou em data recente que sua secretária de Ação Social, Mara Kisner, fora escolhida a receber um prêmio na Costa do Sauipe, na Bahia, tida entre as melhores secretárias do

país, mas que parece ignorar situações dessa magnitude, a de estender a mão ao irmão do próprio prefeito a quem serve com enlevo. Imaginem então outros jovens anônimos da cidade. Apesar de ser maior de idade Luiz Henrique não é interditado, embora exista uma ação tentando interditá-lo (para que ele possa ter um curador que responda por ele) vez que é vítima e precisa de um tratamento especializado e que ninguém feche os olhos para sua condição física, emocional e social. É preciso que o poder público se manifeste não só a respeito de Luiz Henrique, mas de todos os outros jovens que passam pela mesma situação. Mesmo àqueles que queiram induzir a pecha de que a equipe do jornal A Semana pertença à turma “do quanto pior melhor”, (no dizer do vereador Miguelão), são milhares as pessoas que conhecem Luiz Henrique na cidade. É comum vê-lo transitando pela Câmara Municipal pedindo moedas e foi também por sugestões, de vereadores, de políticos, da gente do povo que levantamos esta matéria, consultando as galerias do site do Fórum de Barra do Garças, entre dezenas de outras fontes, mesmo que este gesto venha afetar a ira daqueles que defendem o prefeito na televisão de sua propriedade, a TV Serra Azul. Contudo, apesar dos percalços, Luiz Henrique briga na justiça pelo direito à parte do espólio de seu pai, o ex-governador de Mato Grosso (15 de maio de 1986 a 15 de março de 1987) Wilmar Peres de Farias (já falecido). Esse embate é de quando ele assinava Luiz Henrique Almeida de Matos, nascido no ano de 1983 e que teve

sua paternidade reconhecida em abril desse ano, conforme Certidão de Nascimento do Cartório do Registro Civil de Barra do Garças, quando passou então assinar Luiz Henrique Peres de Farias. Segundo o advogado de Luiz Henrique, Alexandro Takishita, foi feito um exame de DNA extrajudicial em um laboratório conceituado da cidade pedindo investigação de paternidade. Ele diz que quando entrou com a ação de reconhecimento de paternidade, em Aragarças, “Roberto Farias já havia estado no cartório do Manoelzinho, naquela cidade e celebrado com Luiz Henrique uma seção de direitos hereditários em seu favor e de sua irmã Eneida, (em outras palavras como se Luiz Henrique abrisse mão de sua herança). Foi por isso que ele [Roberto] não contestou a ação”, ressalta o advogado. Ainda, segundo o advogado Alexandro Takishita, foi dado ao seu cliente na ocasião R$ 700. “A p r o p r i a r a m da herança a que o rapaz tem direito”. Ele disse ainda que Roberto Farias teria dito na ocasião a Luiz Henrique: “Você é meu irmão mesmo”. Luiz Henrique não é interditado, embora exista uma ação com esse intento que ainda não foi julgada pela justiça, uma curatela que nomeie um curador responsável. Um laudo de 2007 dá conta de que Luiz Henrique, aos 23 anos de idade, já era incapaz por ser dependente químico. Ele foi criado com avó materna e as tias. Sua mãe Maria Lourdes Silva de Matos mora em Goiânia e conforme disse o advogado, quer pegar sua guarda, “mas por interesse”, conforme frisou Alexandro. Enquanto isso Luiz Henrique, dado seu avançado estado de saúde, nem sabe se espera uma decisão da justiça que possa salvá-lo das drogas. Herdeiro do fabuloso espólio de seu pai, Wilmar Peres de Farias, é preciso que a justiça se manifeste em seu favor, que obrigue o representante desta fortuna (Roberto Farias) a interná-lo em uma clínica de recuperação para que seu irmão possa usufruir desses bens antes que seja tarde demais. OUTRO LADO No final da tarde de segunda-feira (23) a redação telefonou para o prefeito Roberto Farias; deu caixa de mensagem. O secretário de Comunicação, Vander Lima disse (por telefone) que há cerca de 10 dias Roberto tentou leva-lo para uma clínica em Rio Verde (GO), mas sem êxito. Luiz Henrique não pode ser levado à força pelo fato de ser maior de idade, dono de sua própria razão. Vander Lima disse que o episódio de “Rio Verde” motivou Luiz Henrique ir à delegacia queixar-se de tentaram levá-lo à força.


Polícia

12

A SEMANA NO ARAGUAIA - Ano V - nº 97 - 5 de novembro a 20 de dezembro de 2013 - BARRA DO GARÇAS - Municípios do Araguaia - Capital Matogrossense - Brasília

CNH

Operação Fraus acontece em Barra do Garças

SEMANA7.COM Da Redação

A Polícia Judiciária Civil de Mato Grosso deflagrou na manhã de 27 de novembro a operação “Fraus” para cumprimento de 135 ordens judiciais, sendo 19 mandados de prisão temporária e 116 conduções coercitiva contra pessoas envolvidas em fraudes na emissão da Carteira Nacional de Habilitação (CNH) nos estados de Mato Grosso, Goiás e Tocantins. Outros 48 mandados de busca e apreensão também são cumpridos. A base da operação foi a cidade de Barra do Garças, onde investigações conduzidas pela Polícia Civil local descobriram esquema na compra e venda de carteiras de motoristas emitidas sem a realização de provas teórica e prática de direção, ou, simplesmente pela aprovação certa de candidatos quando se submetiam aos exames e ainda terceiros se passavam por candidatos para realização de provas. Os candidatos pagavam valores variados entre R$ 600 até 5 mil para

obter o documento. As investigações iniciaram em setembro de 2010 com denúncia encaminhada pelo Ministério Público de Barra de Garças, que informava que a uma autoescola do município estava oferecendo facilidades para retirar e revalidar a CNH. O delegado que preside as investigações, Joaquim Leitão Junior, informou que os alvos da operação são donos/ responsáveis por Centros de Formação de Condutores de Barra do Garças, instrutores e fiscais examinadores do Departamento de Trânsito (Detran) e Ciretrans dos municípios. “Acreditamos que exista ramificação desse esquema em outras localidades no Estado de Mato Grosso e Goiás. Por isso, outros mandados de prisões e inclusões de alvos serão realizados no decorrer das investigações, com intuito de reprimir essa prática perniciosa de venda ilegal de habilitação que persiste na lida criminosa”, destacou. A operação teve abrangência em 39 cidades com a possibilidade de aumentar o

número nos Estados de Mato Grosso, Goiás e Tocantins. São oito cidades de Mato Grosso, uma no município de Tocantins e 30 do Estado de Goiás. Os presos vão responder por crimes de corrupção passiva e ativa, formação de quadrilha, alteração indevida de sistema de dados e falsidade ideológica. Participam da operação 115 policiais civis de Barra do Garças (70 investigadores, 30 escrivães e mais de 15 delegados), com auxílio da Diretoria de Inteligência, das Delegacias da Polícia Civil de Cáceres, Rondonópolis, Várzea Grande, Cuiabá, Tangará da Serra, e das Polícias Civis dos Estados de Goiás e Tocantins. Na operação foram empregadas 25 viaturas policiais e um ônibus para conduzir os presos até a Delegacia de Barra do Garças. A operação contou com o auxílio do delegado Regional de Barra do Garças, Adilson Gonçalves Macedo e o delegado Willyney Santana Borges.

SEMANA7.COM/RONAN DE SÁ

70 investigadores, 30 escrivães e mais de 15 delegados trabalharam na operação da Polícia Civil

Operação Feliz Natal de Barra do Garças estoura boca em Aragarças

JORNALISTA RONALDO COUTO, EX-COORDENADOR DE INDÚSTRIA, EM FOTO PRETÉRITA DE SUA TRAJETÓRIA POLÍTICA: EQUÍVOCOS

A DERF de Barra do Garças não vem dando tempo para o tráfico de drogas. Dessa vez realizou a operação Feliz Natal em Aragarças GO estourando uma boca de fumo detendo 5 pessoas e recuperando vários objetos furtados em Barra do Garças. De acordo com o delegado Wilinei Santana, grande parte de todo o material encontrado é produto de furto em Barra das Garças e entregues em troca de drogas em Aragarças na boca, conhecida como boca de fumo da Maria. Foram recuperados 5 televisores LCD e de plasma, 4 já foram identificados sendo um de uma escrivã da policial civil de Barra do Garças que foi furtado a seis meses atras. Uma certa quantidade em jóias e bijuterias, maquinas , perfumes. Foi apreendido cerca de 6 mil reais em dinheiro.Tudo isso aconteceu na rua 19 na boca de fumo conhecida como sendo da Maria. A operação teve inicio por volta de 5 horas da manha dessa quinta feira. A investigação durou 2 meses, monitorando o local. Foram localizados ainda 200 gramas de pasta base de cocaína, onde as pessoas foram presas por tráfico de drogas e receptação. Cerca de 5 pessoas foram presas e encaminhadas para a polícia civil de Aragarças. As apreensões aconteceram em 8 residências do município Aragarcense. Em pelo menos 4 delas foram encontrados objetos provenientes de furtos em Barra do Garças. Em sua maioria cometida por usuários de entorpecentes. No momento do estouro uma mulher tentou esconder parte da droga nas partes intimas. Pelo menos dois dos cinco já tem passagem pela polícia. Inclusive a mulher já teria uma pena para cumprir de onze anos. Nem todas as residências eram boca de fumo, na maioria delas a polícia recebeu denuncias de que os moradores teriam comprado o material furtado em Barra do Garças. Cerca de 4 pessoas já tinham reconhecido seus objetos inclusive a dona de um Netbook que teve o objeto furtado no ultimo dia 17. A jovem tinha todo a vida acadêmica inclusive o trabalho de conclusão de curso armazenado no computador.Um dia antes da operação ela participou aos prantos de um programa de rádio pedindo que os ladroes fizessem a entrega. Entenda o procedimento No que diz respeito a Polícia Civil de MT fazer a detenção em GO.O delegado afirma que como a investigação apontava que os furtadores estavam atravessando a ponte de Barra para Aragarças. Solicitou um mandado para o juiz de Barra do Garças que encaminhou uma carta precatória para o juiz de Aragarças que estabeceu um cumpra-se.Esse documento é apresentado para a autoridade policial de Aragarças e ai é feito todo o tramite. A delegada de Aragarças dará continuidade na lavratura dos flagrantes e colocá-los na cadeia.


Geral

13

A SEMANA NO ARAGUAIA - Ano V - nº 97 - 5 de novembro a 20 de dezembro de 2013 - BARRA DO GARÇAS - Municípios do Araguaia - Capital Matogrossense - Brasília

HABITAÇÃO

Barra precisa de moradias para reduzir déficit habitacional

SEMANA7.COM Da Redação com Assessoria

Mato Grosso é o segundo estado com a maior falta de residências no Centro-Oeste. Uma pesquisa do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) aponta déficit de 78,7 mil moradias, ano passado. São 161,2 mil em Goiás, 115,9 mil no Distrito Federal e 64 mil no Mato Grosso do Sul. A região precisa de pelo menos de 420 mil casas. O déficit de moradias aumentou em Mato Grosso, passando de 65.306, em 2007, para 78.763, no ano passado (7,7% do total de habitações à época). Os números do Ipea apontam incremento de 20,6%. A metodologia para apuração dos números utiliza de dados secundários da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) que é atualizada e revisada sucessivamente. No país, o instituto destacou que entre 2007 e 2012 “houve redução sistemática do indicador do déficit habitacional, que passou de 5,59 milhões de domicílios em 2007 para 5,24 milhões de domicílios em 2012. Esta redução ocorreu ao mesmo tempo em que houve incremento do número total de domicílios”, consta um trecho. “Os resultados obtidos mostram que houve uma redução do déficit habitacional, passando de 10% do total dos domicílios brasileiros em 2007 para 8,53% em 2012. Contudo, o comportamento foi distinto para os componentes do déficit, vistos isoladamente”, é apontado em outro. De acordo com o Ipea o objetivo do indicador do déficit habitacional é orientar os agentes públicos responsáveis pela política habitacional na construção de diversos programas que sejam capazes de suprir essas necessidades nas esferas de governo dos municípios, do Distrito Federal, dos estados e da União. MORADIA O governo do estado, através da Secretaria de Estado das

Cidades, realizou em junho desse ano audiências públicas nos 12 municípios polos de Mato Grosso para debater a etapa final do Plano Estadual de Habitação de Interesse Social (PNHIS). Em 2009, o governo federal autorizou que os estados contratassem uma empresa terceirizada especializada no assunto para ajudar na formatação do plano e acompanhar todo o processo. Em Mato Grosso a Projeto 3 é a responsável pela tarefa. A segunda etapa foi o diagnóstico habitacional que usou como base para análise os dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e do CadÚnico (Cadastro Único para Programas Sociais) dos municípios. Nesse relatório, o Projeto 3 apontou um déficit habitacional de 153 mil moradias em Mato Grosso. O Plano Estadual concluído em junho, depois de feito um documento final será entregue para aprovação na Caixa Econômica Federal que o remeterá ao Ministério das Cidades. Os municípios têm até 31 de dezembro para concluir os planos locais de habitação. Quem não o elaborar ficará de fora dos repasses feitos pelo Ministério das Cidades. APOSTA Em Barra do Garças a audiência pública foi realizada em 14 de junho. A Prefeitura do município pretende entregar ao cabo desta gestão pelo menos 5 mil casas para conter

o déficit de moradia através do Programa de Habitação Popular voltado às famílias de baixa renda que vivem de aluguel por falta de opção. Para atingir a esse número de casas populares a Secretaria Municipal de Ação Social, aposta nas parcerias com o governo estadual, por meio do Programa Habita Mais e Caixa Econômica Federal. Este ano, segundo informações da Secretaria serão entregues 317 unidades, já em fase de acabamento. Outras 950 unidades estão sendo construídas no Residencial Carvalho I e II. De acordo com a secretária de Ação Social, Mara Kisner, a administração conseguiu recursos para a construção de mais 500 casas. Através do Programa Habita Mais, a expectativa é de que entre 500 e 700 unidades sejam construídas para servidores do estado, do município e do governo federal. Há ainda, segundo Kisner, um modelo voltado às aldeias indígenas, com 800 casas populares no formato de ocas. Kisner reforçou ainda que a Prefeitura de Barra do Garças busca incentivos para que pessoas portadoras de necessidades especiais tenham acesso à moradia com prestações que variam entre R$ 25 a R$ 50. DEMANDA Embora não haja números oficiais que possam auditar o déficit habitacional da cidade, sabe-se que é crescente a demanda por moradia, assim como em Aragarças e Pontal

do Araguaia em função do polo educacional em que se transforma Barra do Garças nestes últimos anos. Só a Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) possui dois campus, um em Barra do Garças, outro em Pontal do Araguaia e uma média de 16 cursos. Se somados todos os cursos oferecidos por faculdades como Univar, Cathedral, Unopar, entre outros, ultrapassa a casa dos trinta e deve-se levar em conta que pelo menos um terço são estudantes de outras cidades que chegam a Barra do Garças e travam antes de tudo a luta por um teto de alugueis insuportáveis, justamente por falta de oferta. Desde o centro comercial da cidade às suas franjas na distante periferia, proprietários de lotes investem na construção e simples quartos, cortiços, quitinete e até mesmo pequenos apartamentos, moradias de fundos, entre outros de certa forma ameniza a situação insuportável dos alugueis aviltantes aos estudantes que buscam Barra do Garças para cursar uma faculdade. Situação semelhante viveram as levas de migrantes que bateram á porta de Barra do Garças no final dos anos 60 e início dos anos 70, motivados então pela a fronteira agrícola mecanizada que chegou à região, tendo à frente colonos vindos do Sul do país. Sem estrutura para abrigar tanta gente em busca de trabalho a Prefeitura de Barra do Garças abriu o São Sebastião e Vila Santo Antonio e doou lotes à população carente. Algo impensável nos dias de hoje. A situação se torna insustentável se o assunto é aluguel. A reportagem levantou que o preço mínimo gira em torno de R$ 300. Uma velha tática que nunca cai de moda, desde o período colonial, é a divisão do aluguel nas chamadas repúblicas que já se proliferam em Barra do Garças, em Aragarças e também em Pontal. De cada 10 estudantes entrevistados sobre aluguel, 10 reclamaram do preço praticado. [Wanderley Wasconcelos/ Janã Pinheiro/ Weverton Correa].

SAÚDE

Defensoria lança Projeto Barra Mama contra o câncer SEMANA7.COM Da Redação com Assessoria

A Defensoria Pública de Barra do Garças, em parceria com a Associação de Voluntários no Combate ao Câncer (Barra Mama) e a Secretaria de Assistência Social do Município, realizou em 29 de novembro evento beneficente com o objetivo de comemorar 1 ano da Associação e também o sucesso do projeto “Outubro Rosa”, além de angariar fundos para a entidade filantrópica e divulgar a cultura no Município. O evento aconteceu às 19h no Centro de Convenções Fernando Peres de Farias. Obras de arte doadas por artistas plásticos da região serão leiloadas. Os valores obtidos serão encaminhados ao Barra Mama para serem utilizados no traba-

lho social da Entidade. Participam do projeto os artistas Aristóteles Cupulillo, Aluízio Marinho, Dupé, Onei-

de Magalhães, Peônia Vasconcelos, Rubiana Lima e Sabrina Graciela. Durante o evento também

foi oferecido atendimento jurídico à população, além de apresentação musical. A médica Elaine Maia Alves Borges concederá palestra sobre a importância dos exames preventivos do câncer. Os Defensores Públicos Hugo Ramos Vilela e Carlos Eduardo Freitas vão falar sobre as modalidades de benefício assistencial ao portador de câncer. Ainda, no saguão do Centro de Convenções houve exposição dos trabalhos artesanais das voluntárias e beneficiadas do Barra Mama. A defensora Lindalva Ramos destacou a importância da participação de todos no evento, pois além dos momentos lúdicos, estarão ajudando a sociedade, principalmente levando em consideração a proximidade das festividades natalinas.

HORA DO SIM

Distrito Indianópolis realiza casamento comunitário

SEMANA7.COM Da Redação

Os moradores do distrito de Indianópolis, localizado a 106 Km de Barra do Garças, participaram na noite de 30 de novembro, no Clube Arca Azul, de um casamento comunitário de 21 casais que disseram ‘Sim’ ao juiz de paz do Cartório do 2º Ofício que celebrou a cerimônia marcada por muita alegria e confraternização. Esse primeiro casamento comunitário realizado naquele distrito foi organizado pelo comerciante Ageu Araújo Chaves, de 64 anos e contou com a participação de político como o deputado Adalto de Freitas – Daltinho, dos vereadores Miguel Moreira da Silva (Miguelão), Julio Cesar, Valdei Leite Guimarães (Pebinha), o prefeito de Nova Xavantina Gersino Caetano

e primeira-dama, o vereador Ney Wellington, representante do deputado Baiano Filho, entre outros. Segundo Ageu Araújo compareceram à festa do casamento comunitário, com direito a jantar e shows musicais cerca de 1.600 pessoas. Dentre os casais estava Raimundo Nonato Lacerda Abreu, de 44 anos, que disse sim a sua companheira de união estável por 23 anos, Marinez Pinto Damasceno. Ajudaram organizar o casamento comunitário a Associação de Moradores do distrito e a Igreja Assembleia de Deus local. Para alimentar os convivas foram sacrificadas três vacas, cujo churrasco foi regado a refrigerante. Para o final e abril de 2014 Ageu promete uma cavalgada com a participação da comunidade do distrito e de fazendas do interior.


Esporte

14

A SEMANA NO ARAGUAIA - Ano V - nº 97 - 5 de novembro a 20 de dezembro de 2013 - BARRA DO GARÇAS - Municípios do Araguaia - Capital Matogrossense - Brasília

ATLETISMO

SEMANA7.COM Da Redação com Assessoria

O deputado estadual Baiano Filho (PMDB) com o prefeito Roberto Farias (PSD) lançaram na manhã de 26 de novembro o início das obras da Casa do Atletismo na Vila Olímpica do Jardim Piracema, em Barra do Garças. A concorrida solenidade contou, entre outros, com a presença de vereadores, secretários da administração municipal, desportistas e populares residentes naquele setor da cidade. Licitada em agosto deste ano, a Casa do Atletismo é resultante de um compromisso de campanha do deputado Baiano Filho em parceria com a Secopa e Prefeitura de Barra do Garças. Na construção de área coberta com cerca de 550 metros quadrados serão investidos R$ 770.924,50, sendo R$ 400 mil da Secopa e R$ 370 mil do município. A Casa do Atletismo terá capacidade para abrigar 32 atletas residentes e será dotada de amplo refeitório, academia, alojamento, cozinha, área de serviço, escritório de administração, vestiários e, no setor externo, iluminação na pista olímpica, banheiros, bebedouros que vão transformar a Casa do Atleta em um Centro Oficial de Treinamento de média e larga distância, conforme os cálculos do professor Sivirino Sousa. Depois de pronta a CA deve se tornar um centro de referência para o atletismo na região Centro-Oeste. A Construtora Machado & Carvalho, vencedora da licitação, se comprometeu executar a obra em seis meses, seguindo o que determina o projeto do arquiteto Jorge Nascimento. Aquela obra, segundo disse o deputado Baiano Filho “é um reconhecimento às conquistas da equipe de atletismo de Barra do Garças e ao trabalho do professor Sivirino Souza dos Santos, que ao longo de 10 anos trabalhou para a conso-

SERGIO SANTANA/SEMANA7.COM

Baiano e Beto lançam obras da Casa do Atletismo lidação de Mato Grosso no ranking nacional e internacional de atletismo”. “Tudo isso partiu de uma reivindicação dos atletas e principalmente do professor Sivirino que precisam de espaço adequado para realizar treinamentos e buscar melhor rendimento. Neste momento estou muito feliz, com o sentimento da missão cumprida com os desportistas da cidade que já nos trouxeram alegrias com excelentes resultados”, ressaltou o deputado. Mais adiante Baiano Filho disse que “não posso deixar de destacar a parceria do prefeito Beto e do secretário Maurício Guimarães, da Secopa que entenderam nossos apelos, as necessidades dos atletas e abraçaram o projeto. O atletismo de Barra do Garças ganha com este investimento e o prefeito está de parabéns por ter a sensibilidade de atender nosso pedido , o de realizar o sonho dos desportistas da cidade e da região”. O prefeito Roberto Farias, em seu breve discurso parabenizou os desportistas e agradeceu ao deputado Baiano Filho pelo recurso conseguido junto a Secopa e ressaltou o esforço de sua administração em viabilizar o início das obras. “Tiramos a cidade da inadimplência juntos aos órgãos estaduais e federais. Nossa obrigação é saber aplicar os recursos públicos. Queremos preparar a cidade para o futuro, fazer com que voltemos a ser uma cidade de oportunidades. Em breve estaremos concluindo esta tão sonhada obra que irá impressionar todo o meio desportista, pois sempre soubemos da necessidade, a de beneficiar uma das melhores equipes de atletismo do país”, disse o prefeito. A propósito de se assentar uma pedra fundamental à Casa do Atletismo o deputado Baiano Filho, o prefeito Roberto Farias e o professor Sivirino Sousa colocaram as primeiras pás de concreto nas fundações da obra que teve início em 19 de novembro.


15

A SEMANA NO ARAGUAIA - Ano V - nº 97 - 5 de novembro a 20 de dezembro de 2013 - BARRA DO GARÇAS - Municípios do Araguaia - Capital Matogrossense - Brasília


16

A SEMANA NO ARAGUAIA - Ano V - nº 97 - 5 de novembro a 20 de dezembro de 2013 - BARRA DO GARÇAS - Municípios do Araguaia - Capital Matogrossense - Brasília

NATAL A primeira-dama do Estado Roseli Barbosa, Papai Noel e o governador Silval Barbosa na abertura das festas natalinas na capital, Cuiabá. ACADÊMICA Dia 11 de dezembro a prefeita de General Carneiro Magali Vilela comemorou entre amigos e familiares seu aniversário. Tanto políticos como a gente do povo foram abraçar Magali Vilela. Popular, mas discreta, poucos sabem que a prefeita é acadêmica de direito em Barra do Garças. CONFRATERNIZAÇÃO O ex-prefeito Wanderlei Farias comemorou em animada confraternização seu aniversário em 14 de dezembro, na Estância Zampa, em Aragarças. Junto ao aniversariante estava sua esposa Laura Beatriz, filhos, netos e amigos que compareceram para lhe dar o abraço. Detalhe: o assunto política foi riscado de pauta naquela ocasião.

TAÍS Destaque para a professora da Faculdade Anhanguera, Taís Vignoli, que comemorou entre amigos e familiares seu aniversário em 5 de dezembro.

KESIA Kesia Nobre, acadêmica de biologia na Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), campus de Barra do Garças, soprou as velinhas dia 23. Felicidades, Kesia.

REGISTRO Registro da confraternização da equipe da Radio Aruanã. Da esquerda para a direita, vereador Reinaldo Silva (Chocolate), Eurides Filho, Luane Gomes e o também radialista Antonio Carlos Carvalho.

DALTINHO Em primeiro de janeiro dobra as páginas de seu calendário o deputado estadual Adalto de Freitas – Daltinho. As comemorações de seu aniversário deve ser em Barra do Garças, sua base eleitoral e sua terra.

BRAVO! Na virada do ano, Antonio Borges Neto (Netão do Araguaia), do jornal Notícia dos Municípios, também vira a página de seu calendário. Felicidades ao bravo, ao combativo jornalista Netão. Nem precisa dizer, na foto Netão (sempre sorridente) leva ao altar sua filha Rebeca que casou-se com o missionário Fábio.

A Semana 97  

Jornal A Semana 97

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you