Issuu on Google+

ESTADO LAICO? Prefeitura investe em revitalização da praça da Igreja Matriz

CIANORTE MAGAZINE

A Revista da cidade

Isabella Torres Veja a bela jovem que trouxe da Guatemala título de Miss Teen Universo para Cianorte COMPRAS DE NATAL

SHOWS: O crescimento da música Sertaneja REVEILLON: Veja dicas de como se vestir para arrasar na virada de ano Revista Cianorte Magazine 1ª Edição - Dezembro de 2011

DOS PÉS AOS PÉS

Conheça a trajetória de Marcos Franzato, o ex-coletor de café que hoje preside um grupo de moda que lança doze novas coleções por ano - inclusive de calçados.


O tempo passa como o vento. Leva consigo sonhos e desejos, como se fossem simples fagulhas de algodão. Não deixe que as crianças atendidas pela Sasbemc vejam seus sonhos indo embora, colabore conosco.

www.sasbemc.com facebook.com/sasbemc


Expediente

Editorial

Revista Cianorte Magazine é uma publicação especial e dirigida Editor Chefe: Joel Marcos Colaboradores: Henes da Silva Cleuza Rocha Projeto Gráfico: Network Soluções

Isabella Torres se emociona ao receber o título

Foi um incansável mês, dias e mais dias de trabalho para produzir a 1ª edição da Revista Cianorte Magazine. Foram muitas pesquisas, buscas, ligações, redações até que pudesse enfim encerrar a edição. Fico satisfeito com o resultado, mesmo sabendo que poderia ter sido bem melhor. O que vale é que é a primeira vez que faço algo assim, uma revista todinha, e que tenho ainda muito a aprender. Quanto às matérias, você poderá ler nesta edição uma muita especial, que nos traz lições de que empreender é um excelente caminho para quem quer crescer. Têm também as fotos da linda Isabella Torres, que foi tão e mais longe buscar o título de Miss Teenager Cianorte. E têm mais! Então veja os destaques aqui ao lado e siga lendo a 1ª edição da Cianorte Magazine!

Joel Marcos Editor-Feliz 4

Diagramação: Joel Marcos Fotografia: Divulgação Acervo Pessoal Joel Marcos Guilherme Morais Contato: emarks.joel@gmail.com (44) 3631 7239 A Revista Cianorte Magazine não se responsabiliza por conceitos e opiniões emitidos em artigos assinados. Reprodução permitida desde que citada a fonte.


Isabella Torres 14 Crescimento 09 Miss Universo Teenager é de Cianorte

A trajetória de sucesso de Marco Franzato

Reveillon 18 O que vestir na passagem de ano

Música Sertaneja 16 O crescimento do gênero têm tirado o espaço das tradicionais bandas

Com recursos do município 07 Revitalição da praça da Igreja Matriz


Encontrar a Catedral tá fácil, não? Que tal encontrar tudo de Cianorte tão fácil assim também?

CIANORTE ONLINE

Em breve...

6


CIANORTE MAGAZINE

DISCUSSÃO

Pespectiva de como deve ficar a praça

Prefeitura banca reforma na Praça da Igreja Matriz

de visitação e atrativa aos turistas”, defendeu o prefeito Edno Guimarães. O problema está na utilização de dinheiro público em um patrimônio privado e que só deve trazer retorno àqueles diretamente ligados a Igreja CaGoverno Municipal justifica os gastos tólica. apontando a Igreja Matriz como ponto E ainda resta uma dúvida: outras igrejas que queiram modernizar o seu entorno - com a justurístico do município de Cianorte tificativa de atrair turistas - terão da Prefeitura o A revitalização da Praça João XXIII, que abriga mesmo tratamento e empenho em busca de rea Catedral de Cianorte, têm um ponto que têm cursos? É uma pergunta que fica e que somente gerado algumas discussões. o Prefeito poderia responder. Poderia, se atenO projeto prevê a troca do calçamento, melhodessem o seu telefone ou permitissem que a rerias na iluminação e também a instalação de reportagem falasse com Guimarães. CM fletores nos 15 monumentos que compõem a Via Sacra, que serão fixados no entorno da igreja. Na obra, serão investidos pouco mais de R$ 243 “Não sou advogado e não defendo ninmil, recursos do Ministério do Turismo, com con- guém. Mas o Santuário Eucarístico está trapartida da Prefeitura. incluído no Roteiro Oficial do Turismo “É uma obra muito importante, já que o Santuário reúne centenas de fiéis diariamente e está Religioso e como tal fez jus a recursos localizado na região central da cidade, ao lado do Ministério do Turismo” Paulo Tertulido bosque de vegetação nativa. Com a sua con- no, jornalista favorável ao investimento. clusão, a praça se tornará um espaço agradável 7


CONSUMO

Compras de Natal: evite as dores de cabeça depois de abrir os presentes Associação Pro-Teste de consumidores dá as dicas preciosas para o fim de ano

A associação de consumidores Pro Teste lançou uma cartilha para ajudar o consumidor a não errar nas tradicionais compras de Natal. A Pro Teste aconselha, por exemplo, que o consumidor verifique se há assistência técnica na cidade onde mora antes de comprar um eletroeletrônico de determinada marca. Também lembra que nenhuma loja é obrigada a trocar um produto a não ser que haja algum defeito. Para evitar problemas, deve-se pedir ao funcionário da loja para que seja anotado na etiqueta ou na nota fiscal que houve a promessa de troca no momento da compra. Pesquise preços e formas de pagamento, que podem variar inclusive entre lojas da mesma rede.

8

À vista, deve-se pedir, ao menos, 10% de desconto. A prazo, observe, além do valor da prestação, o total a ser pago. Verifique as taxas de abertura de crédito, de juros e o Imposto sobre Operações Financeiras, que aumentam o valor final. As lojas não são obrigadas a trocar produtos, a não ser que haja defeito. Se a loja garantir a troca, mesmo sem defeito, peça que isso esteja escrito na nota ou na etiqueta. Garantia Produtos duráveis têm garantia de 90 dias. Há fornecedores que oferecem garantias suplementares. Guarde a nota fiscal. Embalagem Atenção às informações das embalagens, que devem ser claras e conter dados sobre forma de uso e riscos à saúde e à segurança. Muitos lojistas só trocam o produto se a embalagem estiver intacta. Entrega O prazo de entrega deve constar da nota fiscal. Em caso de atraso, o consumidor tem direito de cancelar a compra e pedir ressarcimento ou até a troca por outro produto. CM


CIANORTE MAGAZINE

especial

Marco Franzato: A trajetória de sucesso de um ex-bóia fria O conhecimento em várias áreas ajudou Marco Franzato, 51 anos, hoje diretor-presidente do Grupo Morena Rosa, da área têxtil, a ter sucesso em um negócio que não era sua praia. “Eu sonhava abrir uma empresa já quando era pequeno e levava vida de boia-fria”, conta. Pois é, ele colheu café ao lado do pai, no interior paranaense, até os 16 anos e, até essa idade, só tinha concluído o ensino fundamental. Foi parar em Cianorte quando uma geada prejudicou as lavouras e levou a família a procurar emprego na cidade. “Logo após chegarmos, meu padrinho me chamou para trabalhar como ajudante em um escritório de contabilidade”, diz Franzato. Voltou aos estudos, trilhou carreira na área e decidiu criar seu negócio, uma grife de moda, aos 34 anos, com a esposa e mais três amigos. Estimulado pela cunhada, que trabalhava como costureira e via as encomendas crescerem, resolveu investir suas economias e dedicar-se integralmente ao novo negócio (a cunhada até hoje participa da produção das peças). “Nem estudamos o mercado por muito tempo. Vendi o carro que tinha na época por algo equivalente

a 8 000 dólares e começamos a produzir”, diz ele. No início, a pequena confecção, instalada no bairro comercial de Cianorte, fabricava apenas camisetas básicas e moletons. Foi por sugestão da mulher de Franzato, Valdete, que até então trabalhava como professora de matemática em uma escola municipal, que a família decidiu migrar para a moda feminina, no final dos anos 90. “Não havia ninguém que oferecesse ‘modinha’ na região”, diz Valdete, de 45 anos de idade e hoje responsável pela concepção das coleções. A marca regional com ligeira pegada fashion logo passou a atrair a atenção de lojas multimarcas de todo o país. Como a maior parte dos empreendedores sem formação acadêmica, Franzato é um intuitivo que se vale do bom senso para conduzir os negócios. “Não sei nada de moda, mas entendo muito bem de números”, diz. “Por isso, não abro mão de lucratividade por glamour nenhum.” Esse perfil de gestão diferencia a companhia de alguns de seus concorrentes. A Morena Rosa não participa das já tradicionais semanas de moda. Na avaliação de Franzato, esses são eventos caros, que não trazem retorno proporcional ao investimento. 9


Eles querem recomeçar. Querem abandonar os vícios e voltar a normalidade. Possuir uma vida digna, com trabalho, educação, saúde, respeito, amizade, família, companheirismo, amor e renovação. Ajude-nos, faça semear a semente da esperança. Eles e nós seremos eternamento gratos!

Tratamento de dependentes químicos Acesse: www.ameoproximo.com


Naomi Campbell em seu ensaio para a coleção da Morena Rosa


CIANORTE MAGAZINE

Nova York e Paris nunca inspiraram suas coleções. Aí entra a “intuição” de Valdete - ela mesma prova todas as 180 peças que formam cada uma das seis coleções anuais da marca. “A brasileira gosta de valorizar o corpo e nossa roupa tem de ajudá-la nisso”, diz Valdete. “Se não gosto do que vejo quando provo uma peça, a produção não sai.” O portal inglês WGSN, um dos maiores sites de pesquisa de tendências da indústria da moda, foi uma das poucas fontes de inspiração tradicionais que passaram a fazer parte do processo de criação da empresa nos últimos anos. “Empresas como a Morena Rosa assumiram seu DNA brasileiro ao fazer uma moda extremamente sexy e feminina”, diz a consultora de moda e sócia da tecelagem Santa Constancia, Costanza Pascolato. O grande desafio de Franzato daqui para a frente é fazer com que esse DNA o ajude a dar o próximo passo - aquele que transforma empresas emergentes em negócios realmente grandes.

com a mesma participação acionária). Em 1993, com o dinheiro da venda de um Monza usado e apenas quatro máquinas de costura, começou a produzir as primeiras peças com a etiqueta Morena Rosa. Passados 17 anos, finalmente os caminhos de Naomi e Franzato se cruzaram em janeiro deste ano - mais precisamente num galpão da Vila Leopoldina, bairro da zona oeste de São Paulo. A modelo estava lá para fotografar a nova campanha da Morena Rosa, após três árduos anos de negociações e em troca de um cachê estimado em 1 milhão de reais. “Ter uma grande top como a Naomi para representar nossa marca era questão de honra”, diz Franzato, de 51 anos. “Precisávamos mostrar que competimos de igual para igual com marcas mais tradicionais.” A contratação de Naomi, rosto de grifes como Yves Saint-Laurent e Dolce & Gabbana, é a medida mais simbólica da ascensão da Morena Rosa. Hoje, a empresa que começou de maneira quase caseira no interior do Paraná fabrica 1,6 milhão de peças de roupas por ano - entre elas vestidos que chegam a custar 1 200 reais no varejo. A divulgação maciça em revistas de moda e uma distribuição eficiente fizeram dela a sétima marca mais lembrada entre 21 grifes femininas nacionais numa pesquisa do instituto Datafolha de 2009, deixando para trás nomes como TNG, Carmim e Maria Bonita. Em 2009, seu faturamento alcançou 200 milhões de reais, 25% mais do que no ano anterior. É uma taxa muito superior à média do setor, que cresceu 4% no mesmo período. CM

Contratação de Naomi Campbell A inglesa Naomi Campbell e o paulista Marco Franzato sempre habitaram universos opostos. Nos anos 80, enquanto a modelo iniciava carreira no glamouroso universo das passarelas europeias, Franzato trabalhava como boia-fria em fazendas de café em Cianorte, no interior do Paraná. Na década seguinte, Naomi deslanchou na carreira, tornandose uma das tops mais bem pagas do mundo, ao lado de Cindy Crawford e Linda Evangelista. À sua maneira, Franzato também prosperou - começou a trabalhar na área de contabilidade de uma pequena fabricante local de balas e doces. Até que, sem perspectivas de subir na carreira, resolveu abrir a própria empresa ao lado da mulher e de dois cunhados (todos 13


CAPA


Isabella Torres, de Cianorte, é Miss Teen Universo de 2011

A universitária Isabella Cozon Torres que mora em Cianorte e estuda em Maringá, é a jovem mais bela do planeta. Ela disputou o título do concurso de Miss Teenager Universo 2011, na Guatemala, com 40 candidatas dos cinco continentes, e foi a vencedora. Isabella tem 18 anos e representou a colônia portuguesa no Brasil. A BMW Eventos, de Maringá, preparou a paranaense para a disputa. Ainda na Guatemala, Isabella assinou contratos de trabalho antes de retornar ao Brasil. CM


MĂšSICA

O Sertanejo invadiu as cidades e diminuiu o espaço das tradicionais bandas e de outros gêneros musicais

A beleza da mulher Cianortense foi reconhecida mundialmente. Venha participar do Miss Cianorte 2012!


CIANORTE MAGAZINE

O cenário musical mudou bastante nas últimas décadas. A MPB, o samba, o rock e outros gêneros, antes tão populares e com altas vendas, foram aos poucos sendo substituídos pelo sertanejo como principal atração musical do país. Assim, as tradicionais bandas perderam espaço no mercado, nas rádios e no gosto popular para a música antes tida como caipira. Em maringá, assim como em todo o brasil, foi a modernização do sertanejo que permitiu o seu crescimento. Uma nova safra de duplas surgiu: universitários – e alguns que deixaram as salas de aula - se aventuraram no mundo da música. Abandonaram bota, chapéu, cinto, viola e as músicas de ‘dor de cotovelo’ e adotaram um estilo popular de se vestir, além de acrescentar às suas letras a vida e os relacionamentos urbanos e em seus shows os instrumentos elétricos que deram um ar de balada a suas apresentações. Desta forma, atingiram em cheio o público adolescente e jovem, estudantes e universitários, que outrora formavam grande parte dos apreciadores das bandas de rock e de outros gêneros. Se décadas atrás era comum às bandas atraírem públicos consideráveis, com o passar dos

tempos as coisas ficaram mais difíceis. “Já toquei em bar lotado e já toquei em bar que tinha um casal e os filhos comendo” comenta Lucas Palhares Pimentel, 21 anos, músico da banda de rock Phyxius. Com os holofotes agora voltados para o sertanejo, grandes eventos e casas de show fecharam as portas para outros gêneros musicais, restando apenas os barzinhos e os pequenos clubes para as bandas. Exemplo do abismo entre os gêneros, a casa de shows Arena Brasil recebeu este ano mais de 10 apresentações musicais, dos quais apenas dois não eram sertanejos: Ivete Sangalo e Capital Inicial. Mas as bandas não costumam reclamar. Se não é possível reconquistar o destaque que tiveram no passado, elas ainda podem contar com um público fiel, e não têm medo de serem engolidas pelo sertanejo: “A pessoa tem que ser muito ignorante pra achar que sertanejo ou qualquer outro estilo musical rouba a cena do outro. (...) Cada lugar tem seu publico e o público vai onde têm o som que agrada o gosto dele” afirma Lucas. CM

17


ESTILO

Como se vestir para o Reveillon?

Réveillon é comemoração, é glamour, é descontração, é alegria, é promessa de mudança, é esperança, é recomeço! E tudo isso pede celebração. Portanto, ao escolher o traje para a virada do ano, é importante levar em consideração os seguintes aspectos. O branco é um dos símbolos mais fortes da paz. Daí o hábito de vestir roupas dessa cor na virada do ano. Isso também se liga às tradições do candomblé. O branco predomina na vestimenta de seus praticantes, que, na noite de ano-novo, prestam homenagem a Iemanjá, a principal entidade feminina da religião. Se você decidir partir para o branco total, cuidado para que a transparência da cor não torne vulgar o seu visual. Todas as cores são muito bem-vindas nas festas de réveillon. Em geral, as mais claras e alegres são as preferidas, devido ao significado da festa. Em festas descontraídas na praia Roupas despojadas, maquiagem discreta, com tons suaves. Batas e blusas de um ombro só, com decote tomara que caia ou decotes mais ousados. Blusas mais soltas, despretensiosas. Saias curtas, em especial para as mulheres mais baixinhas, pois alongam a silhueta. Acessórios de materiais naturais, como fibras, coco e bambu. Em festas em locais próximos da praia (e reservados) Modelos mais sofisticados, com brilhos, rendas e acetinados. Saias e vestidos de comprimento variado. Acessórios mais chamativos, com toques de prata, dourado ou cobre, mas sem exageros. Em festas na cidade Pantalonas com sandálias baixas, e vestidos com estampas variadas e muita cor. Microssaia jeans, com salto fino e bolsas com muito brilho. Acessórios, como braceletes e brincos coloridos, perolados e colares. Lingerie: a escolha das cores é importante, pois expressa os desejos para o próximo ano. Sob a roupa, independentemente da cor, a maioria das mulheres veste nessa ocasião uma calcinha colorida (sempre nova!), de acordo com suas expectativas para o ano seguinte. No caso de um mix de objetivos, recomendamos misturar as cores. O que evitar Roupas pretas, principalmente em regiões com clima quente, pois o calor combina com cores suaves e vibrantes. Sapatos de salto para festas à beira-mar, que dificultam a caminhada. Peças que você usa normalmente no seu dia a dia. Essa é a hora ideal para ousar e diferenciar-se da rotina!


Quer fazer a Cozinha dos seus sonhos? Conte com o Emp贸rio dos M贸veis! Sob Medida para voc锚!


Eles dividem o pouco que têm. Porquê você não faz o mesmo? Doe 6% do seu Imposto de Renda e financie o futuro das crianças atendidas pela Sasbemc


Cianorte Magazine