Page 1

www.impactoevangelistico.net

evangélico

A REVISTA QUE CONSTRÓI A SUA VIDA

Dezembro 2017 / Edição 767

Como evitar que a relação de casal fracasse?

DEFENDER O

MATRIMÔNIO

PUBLICAÇÃO OFICIALL

MOVIMIENTO MISIONERO MUNDIAL

CONSELHOS

TESTEMUNHO

HERÓIS DA FÉ

Como podemos ajudar os outros?

O milagre do menino Jafet

O pregador inglês


A melhor produção animada que relata maravilhosas histórias SEGUNDA-FEIRA 10h00 / 16h00 – PERU

Bethel Televisión, o canal do Movimento Missionário Mundial transmite a mensagem da Palavra de Deus mediante uma programação cultural e educativa de Lima-Peru através de 7 satélites e via internet a todo o mundo. MISIONÁRIO MUNDIAL 2 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia


editorial

NÃO SINTA

TEMOR

Rev. Gustavo Martínez Presidente Internacional del M.M.M.

Jeosafá, descendente de Davi, rei de Judá, enfrentou durante seu reinado um dos mais fortes ataques. A ameaça era a invasão de um exército aliado e numeroso, formado por moabitas, amonitas e edomitas. Estes eram antigos inimigos de Israel, queriam deter a marcha deste povo que era favorecido por Deus (2 Crônicas 20:1-13).

O

rei Jeosafá não tinha desafiado estes exércitos. Não sempre os problemas vêm porque os provocamos ou pecamos. Durante muito tempo havia paz no governo de Jeosafá e agora se desatava uma ameaça de guerra. Isso quer dizer que as dificuldades sempre procurarão a ocasião de aparecer; o inimigo vai procurar nos instigar, para nos atacar ou para nos importunar. A Palavra nos ensina que podemos ter uma má notícia apesar de que tudo vá bem. “Então vieram alguns que avisaram a Jeosafá, dizendo: Vem contra ti uma grande multidão dalém do mar e da Síria… Então Jeosafá temeu…” (2 Crôni-

cas 20:2-3). Jeosafá sentiu temor, o que é natural, mas havia algo mais que o temor e era uma forte confiança em Deus. A Palavra do Senhor diz: “Então Jeosafá temeu, e pôs-se a buscar o Senhor, e apregoou jejum em todo o Judá” (2 Crônicas 20:3).

Por mais forte que seja a dificuldade, não podemos nos desesperar. Os conflitos são uma oportunidade para descobrir que há dentro de nós, em quem pusemos

nossa confiança, a quem acudimos nos momentos difíceis, a quem mostramos nosso coração; essas são oportunidades para acudir ao Senhor. “E Judá se ajuntou, para pedir socorro ao Senhor; também de todas as cidades de Judá vieram para buscar ao Senhor”

(2 Crônicas 20:4). Em outro tempo não tivesse vindo tal quantidade de pessoas e de todas as cidades de Judá. Chegaram tão sensíveis para se humilhar e pedir a ajuda divina porque existia uma ameaça contra seus filhos, contra suas mulheres, contra seus bens e contra suas vidas. Com toda liberdade chegaram para se prostrar unidos, adorar, exaltar e pedir que Deus os salvasse. Amado, não se preocupe com o que o homem planejou contra sua vida, não se preocupe com as ameaças, não se preocupe com o que o inimigo conjurou contra sua vida; aqui há um Deus Todo-Poderoso, Ele guardará sua saída e sua entrada, Ele será um cerco e um escudo a seu redor, Deus lhe dará a vitória. Amém.

dezembro 2017 / Impacto evangélico

3


www.impactoevangelistico.net

evangélico Diretor Fundador: Rev. Luis M. Ortiz DEZEMBRO 2017 / EDIÇÃO N° 767 USPS 012-850) PUBLICAÇÃO OFICIAL DO MOVIMENTO MISSIONÁRIO MUNDIAL O World-Wide Missionary Movement, Inc. é uma igreja sem fins lucrativos, com uma visão para fundar novas igrejas nos Estados Unidos da América e seus territórios e também com uma visão missionária para fundar novas igrejas onde Deus abre novas portas em todo o Mundo. PUBLICAÇÃO MENSAL POR: Movimiento Misionero Mundial, Inc (Movimento Missionário Mundial, Inc.) San Juan, Porto Rico Washington, D.C. Postagem Periódica pagada a: San Juan, Porto Rico 00936

AGENTE DO CORREIO:

enviar variações de endereço a Impacto Evangélico P.O. BOX 363644 San Juan, Porto Rico 00936-3644 Telefono (787) 761-8806; 761-8805; 761-8903 OFICIALES DEL M.M.M. INC. Rev. Gustavo MartÌnez Rev. JosÈ Soto Rev. RubÈn ConcepciÛn Rev. Rodolfo Gonz•lez Rev. ¡lvaro Garavito Rev. Margaro Figueroa Rev. RÛmulo Vergara Rev. Humberto Henao Rev. Luis Meza

Presidente Vice-presidente Secretario Tesoureiro Diretor Diretor Diretor Diretor Diretor

OBRAS ESTABLECIDAS EM: África do Sul Alemanha Argentina Aruba Austrália Áustria Bélgica Belize Bolívia Bonaire Brasil Camarões Canadá Chile Colômbia Congo Costa do Marfim Costa Rica Curaçao Dinamarca El Salvador Equador Espanha EUA Filipinas

Finlândia França Gabão Gana Guatemala Guiana Francesa Guiana Inglesa Guiné Equatorial Haiti Havaí (EUA) Holanda Honduras Ilha de San Andrés (Col.) Ilha Rodrigues Ilhas Canárias (Espanha) Índia Inglaterra Israel Itália Jamaica Japão Kuwait Madagáscar

Malásia Maurício México Mianm o valor da vida ar Nicarágua Nigéria Oman Panamá Paraguai Peru Porto Rico Portugal República Dominicana Roménia Saint Martin Suécia Suíça Suriname Trinidad e Tobago Ucrânia Uruguai Venezuela

O Movimento Missionário Mundial é uma organização religiosa sem fins lucrativos, devidamente registrada em San Juan, Porto Rico, e na capital federal, Washington DC com sede nas duas cidades, bem como em todos os estados da União Americana e em outros países onde temos obras missionárias estabelecidas. Importante As ofertas e doações em dinheiro, computadores, imóveis, legados em testamento, para o benefício desta obra do Movimento Missionário Mundial, Inc. são dedutíveis do imposto de renda (Income Tax) e os recibos emitidos pelo Movimento Missionário Mundial são reconhecidos pela Diretoria das Rendas Internas (IRS), do Governo Federal dos Estados Unidos da América e do Estado Livre Associado de Porto Rico. n

Visite o nosso website Obtenha informação edificante da Obra de Deus e fique a par das últimas notícias. Um acesso personalizado a partir de qualquer lugar do mundo: www.impactoevangelistico.net n

Se você quiser Escreva-nos para o nosso endereço postal: Movimiento Misionero Mundial, Inc. P.O. Box 363644 San Juan, P.R. 00936-3644 n

Copyright © 2009 Impacto Evangélico Movimiento Misionero Mundial, Inc. (World-Wide Missionary Movement, Inc.) Todo o conteúdo da revista e cada edição subseqüente está devidamente registrada na Biblioteca do Congresso, Washington, DC EUA. Todos os direitos reservados. A reprodução parcial, completa ou em qualquer forma ou sua tradução para outros idiomas sem a autorização do Diretor é proibida. No âmbito dos acordos internacionais de direitos autorais é um crime punível por lei n

Declaração Doutrinária O Movimento Missionário Mundial adere às doutrinas fundamentais da Bíblia, tais como: n

Depósito Legal na Biblioteca Nacional do Peru N ° 2011-02530 Igreja Cristã do Pentecostes do Movimento Missionário Mundial: Av. 28 de Julio 1781 - Lima 13 - Peru Impressão: Quad/Graphics Perú S.A. Av. Los Frutales 344 - Lima 03 - Perú MISIONÁRIO MUNDIAL 4 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia

• A inspiração das Escrituras Sagradas: 2 Timóteo 3:15-17, 2 Pedro 1:19-21. • A Divindade adorável em Três Pessoas, Pai, Filho e Espírito Santo: Mateus 3:16-17, 17: 1-5; 28:19 João 17: 5, 24, 26, 16:32, 14:16, 23, 18:05, 6, 2 Pedro 1:17,18; Apocalipse 5. • A salvação pela fé em Cristo: Lucas 24:47, João 3:16, Romanos 10:13, Tito 2:11, 3:5-7. • O Novo Nascimento: João 3:3, 1 Pedro 1:23, 1 João 3:9. • A Justificação pela Fé: Romanos 5:01, Tito 3:07. • O Batismo nas águas por imersão, segundo ordenado por Cristo: Mateus 28:19, Atos 8:36-39. • O Batismo no Espírito Santo, subseqüente à salvação, falando em outras línguas, segundo: Lucas 24:49, Atos 1:4, 8, 02:04. • A Cura Divina: Isaías 53:4, Mateus 08:16, 17, Marcos 16:18, Tiago 5:14, 15. • Os Dons do Espírito Santo: 1 Coríntios 12:1-11. • Os frutos do Espírito Santo: Gálatas 5:22-26. • A Santificação: 1 Tessalonicenses 4:03, 5:23, Hebreus 0:14, 1 Pedro 1:15, 16, 1 João 2:6. • O Ministério e a Evangelização: Marcos 16:15-20, Romanos 10:15. • O dízimo e a Sustentabilidade da Obra: Gênesis 14:20, 28:22, Levítico 27:30, Números 18:21-26, Malaquias 3:7-10, Mateus 10:10; 23:23. • A ascensão da Igreja: Romanos 8:23, 1 Coríntios 15:51 - 52, 1 Tessalonicenses 4:16-17. • A Segunda Vinda de Cristo: Zacarias 14:1-9, Mateus 24:30, 31, 2 Tessalonicenses 1:07, Tito 2:13, Judas 14, 15. • O Reino Milenar: Isaías 2:1-4, 11:5-10, Zacarias 9:10, Apocalipse 19:20, 20:3-10. • Novos Céus e Nova Terra: Isaías 65:17, 66:22, 2 Pedro 3:13, Apocalipse 21:1.


SOMMARIO

Encontrar-nos em

www.facebook.com/impactoevangelistico

28 / MÚSICA. Amor fiel! Me levantou! DEVOCIONAIS 40 / GLÓRIA A DEUS NAS ALTURAS! Rev. Luis M. Ortiz

42 / UNINDO-NOS A DEUS Rev. Alberto Ortega

Testemunho

24 / LITERATURA. Perseverança e sacrifício

Heróis da fé

18 / SAÚDE. Apendicite aguda

Nota de capa Conselhos

16 / INTERNACIONAL. O resgate que manteve inquieto o mundo

Os males que afetam o casamento

6

O milagre do menino Jafet

Como pode- O pregador mos ajudar inglês os outros?

30 20

34

44 - 64 / EVENTOS INTERNACIONAIS. 65 / OUTROS EVENTOS.

14 / Infográfico.

66 / CARTAS-AGENDA.

dezembro 2017 / Impacto evangélico

5


É

possível edificar uma relação conjugal que dure até que a morte os separe? Como vão superar as probabilidades de fracasso? Cultivarão um casamento íntimo ou irão rumo ao divórcio, com os consabidos meios para dividir os bens, brigas pela custódia dos filhos, e com os sonhos destroçados? Dr. James Dobson (*)

O conselho para os casais jovens é simplesmente este: não permitam que a possibilidade do divórcio entre em seus pensamentos. Mesmo em momentos de grande conflito e desalento, o divórcio não é a solução. Só substitui uma nova série de sofrimentos pelos quais ficam atrás. Guardem sua relação da erosão, como se estivessem defendendo suas próprias vidas. Sim, vocês podem consegui-lo juntos. Não só podem sobreviver, mas podem manter seu amor vivo se lhe dão prioridade em seu sistema de valores. É verdade que a sociedade em que vivemos está obrando contra a estabilidade conjugal. Existem perigos por todos os lados, e devemos nos defender com todas nossas forças. Na verdade, eu acho que seria muito bom mencionar neste momento os grandes assassinos do casamento. Qualquer dos seguintes males pode destruir sua relação conjugal se lhe dão lugar em suas vidas. Possivelmente seria útil enumerá-los e comentar um pouco sobre eles. O excesso de trabalho ou compromissos e o esgotamento físico. Cuidado com este perigo. É especialmente insidioso nos casais jovens que estão tentando começar em uma profissão ou ainda estão estudando. Não tentem estudar, trabalhar a tempo completo, ter um bebê, educar um menino pequeno, fazer reparações na casa, e começar um negócio, tudo ao mesmo tempo. Parece ridículo, mas muitos casais jovens fazem exatamente isso e depois se surpreendem quando seu casamento se despedace. Por que não deveria ser assim? O único momento em que se MISIONÁRIO MUNDIAL 6 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia

OS MALES QUE AFETAM O

CASAMEN


nota de capa

NTO

dezembro 2017 / Impacto evangĂŠlico

7


veem é quando estão esgotados! É especialmente perigoso quando o esposo é o que tem compromissos ou trabalho demais, e a esposa está em casa durante todo o dia com um filho em idade pré-escolar. Sua profunda solidão origina o desgosto e a depressão, e todos nós sabemos aonde leva isso. Devem reservar tempo um para MISIONÁRIO MUNDIAL 8 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia

o outro se querem manter vivo seu amor. As dívidas muito grandes e o conflito quanto a como se gastará o dinheiro. Paguem em dinheiro pelos artigos de consumo, ou não comprem nada. Não gastem mais do que podem por uma casa ou por um automóvel se isso significa deixar muito poucos recursos para sair

juntos, para viagens curtas, para pessoas que cuidem as crianças, etc. Distribua seus fundos com a sabedoria de Salomão. O egoísmo. Existem dois tipos de pessoas no mundo, os que dão e os que tiram. Um casamento entre duas pessoas que dão pode ser uma coisa maravilhosa. No entanto, a fricção está na ordem do


nota de capa

bilidades e um gozo ininterrompido. A conselheira Jean Lush acha, e eu estou de acordo com ela, que esta ilusão romântica é particularmente característica das mulheres estadunidenses que esperam mais de seus esposos do que eles são capazes de dar. A decepção conseguinte é uma armadilha emocional. Punham suas expectativas em linha com a realidade. Os invasores do espaço. Eu não falo de extraterrestres de Marte. Minha preocupação é com as pessoas que violam o espaço para funcionar que seu cônjuge precisa, sufocando-o rapidamente e destruindo a atração entre eles. Os ciúmes são uma maneira em que este fenômeno se manifesta. Outra é a baixa autoestima, que leva a que o cônjuge inseguro se imiscua no território do outro. O amor deve ser livre e confiado. O abuso do álcool e de outras substâncias químicas. Estes são assassinos, não só dos casamentos, mas também das pessoas. É preciso evita-los como a praga. A pornografia, os jogos de azar e outros vícios. Deve ser óbvio para todos que a personalidade humana tem imperfeições. Tem a tendência a ficar atrapalhada em comportamentos destrutivos, especialmente quando um é jovem. Durante uma etapa inicial, as pessoas acham

“Se o Senhor não edificar a casa, em vão trabalham os que a edificam”, Salmo 127:1. “Todo aquele, pois, que escuta estas minhas palavras, e as pratica, assemelhálo-ei ao homem prudente, que edificou a sua casa sobre a rocha”, Mateus 7:24. dia entre uma pessoa que dá e outra que tira. Mas duas pessoas que tiram podem se atacar uma à outra até se destroçar dentro de um período de seis semanas. Em resumo, o egoísmo sempre devastará um casamento. A interferência dos sogros. Se o esposo ou a esposa não se emancipou to-

talmente dos pais, o melhor é não viver perto deles. A autonomia é algo difícil de conceder para algumas mães (e pais), e estar muito perto será causa de problemas. As expectativas pouco realistas. Alguns casais chegam ao casamento esperando cabanas cobertas de rosas, uma vida sem preocupações nem responsa-

que podem jogar com tentações como a pornografia ou os jogos de azar sem sair prejudicadas. De fato, muitos se afastam quase sem ter sido afetados. No entanto, para alguns existe uma fraqueza e uma vulnerabilidade que são desconhecidas até que é tarde demais. Então se tornam viciados em algo que rasga a fibra da fa-

dezembro 2017 / Impacto evangélico

9


mília. Provavelmente esta advertência pode parecer boba e mesmo ridícula para meus leitores, mas realizei um estudo de vinte e cinco anos de duração sobre pessoas que arruinaram suas vidas. Seus problemas frequentemente começam com a experimentação de um mal conhecido e finalmente acabam na morte física ou a morte do casamento. As restrições e os mandamentos das Escrituras foram desenhados para nos proteger do mal, apesar de que é algo difícil de acreditar quando somos jovens. “O salário do pecado é morte” (Romanos 6:23). Se mantivermos nossas vidas limpas e não nos permitirmos jogar com o mal, as adições que estragaram a humanidade nunca poderão nos tocar.

Não tentem estudar, trabalhar a tempo completo, ter um bebê, educar um menino pequeno, fazer reparações na casa, e começar um negócio, tudo ao mesmo tempo. Parece ridículo, mas muitos casais jovens fazem exatamente isso e depois se surpreendem quando seu casamento se despedace.

A frustração sexual, a solidão, a baixa autoestima e a quimera da infidelidade. Uma combinação mortal! O fracasso nos negócios. Especialmente, o fracasso nos negócios afeta os homens de maneira adversa. Sua inquietude pelos reveses financeiros algumas vezes se manifesta como ira dentro da família. O sucesso nos negócios. É tão perigoso ter muito sucesso nos negócios quanto fracassar rotundamente neles. O autor de Provérbios disse: “Não me dês nem a pobreza nem a riqueza; mantémme do pão da minha porção de costume” (Provérbios 30:8). Às vezes, os que obtêm grandes lucros se deixam inebriar pelo poder e cobiçam mais! E como reMISIONÁRIO MUNDIAL 10 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia


nota de capa

dezembro 2017 / Impacto evangĂŠlico

11


sultado esquecem suas esposas e filhos. Casamento entre jovens. As garotas que se casam entre os quatorze e os dezessete anos têm o dobro de probabilidades de se divorciar que as que se casam aos dezoito e dezenove anos. As que se casam entre os dezoito e os dezenove anos têm uma vez e meia mais de probabilidades de se divorciar que as que se casam entre os vinte e os trinta anos. As pressões da adolescência e as tensões dos primeiros anos de vida conjugal não fazem uma boa dupla. Acabem o primeiro antes de realizar o segundo. Estes são os assassinos do casamento que vi mais frequentemente. Mas, na verdade, a lista é praticamente inacabável. Tudo o que necessário para que cresçam as ervas daninhas mais fortes é uma pequena fenda na calçada. Se vão vencer a lei das probabilidades relacionadas com o MISIONÁRIO MUNDIAL 12 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia

O primeiro que recomendamos é que os recém-casados estabeleçam e mantenham um lar centrado em Cristo. Tudo o resto descansa sobre este fundamento. Se um esposo e uma esposa estiverem profundamente entregados a Jesus Cristo, eles desfrutarão de enormes vantagens.

divórcio e manter uma união conjugal estreita a longo prazo, devem empreender a tarefa com seriedade. A ordem natural das coisas os afastará um do outro, não os unirá. Como vencerão a lei das probabilidades? Como formarão uma relação sólida que dure até que a morte faça com

que realizem a última viagem? Como se incluirão entre o número cada vez mais reduzido de casais de maior idade que colheram toda uma vida de lembranças e experiências felizes? Mesmo depois de cinquenta ou sessenta anos de casamento, ainda se procuram mutuamente para se dar fôlego e compreensão. Seus filhos


nota de capa

cresceram dentro de um ambiente estável e amoroso, e não têm cicatrizes emocionais ou lembranças amargas para apagar. Não têm que explicar a seus netos com delicadeza “por que os avos não vivem mais juntos”. Só o amor prevalece. Assim é como Deus queria que fosse, e ainda continua sendo algo possível e que vocês po-

dem alcançar. Mas não há tempo a perder. Reforcem as ribeiras do rio. Defendam o forte. Tragam as dragas e façam mais profundo o leito do rio. Mantenham as poderosas correntes sob controle. Só essa medida de determinação manterá o amor com o que começaram, e há muito pouco na vida que compita com essa prioridade.

O primeiro que recomendamos é que os recém-casados estabeleçam e mantenham um lar centrado em Cristo. Tudo o resto descansa sobre este fundamento. Se um esposo e uma esposa estiverem profundamente entregados a Jesus Cristo, eles desfrutarão de enormes vantagens.

dezembro 2017 / Impacto evangélico

13


Projeção de solteiros para o ano 2030 Mais produtos

Projeção de lares formados por só uma pessoa em 2030

38%

Mais combustíveis

61%

Países Baixos Noruega

40%

41%

Os solteiros são menos ecológicos que os membros de uma família por uso (ou geração) per capita:

42%

Mais embalagem

Mais eletricidade Reino Unido

39%

França

46%

Prejudicam mais o meio ambiente

55%

Alemanha

40%

Estados Unidos

28%

Sociólogos e organizações o

atribuem ao medo do compromisso, à falta de educação em valores, ao

pouco apoio do Estado para a

Canadá taxa de divórcio de

família ou à falta de conciliação entre a

vida familiar e o trabalho

Coreia

Menos casamentos, mais divórcios

Japão

24%

1980

2000

Taxa de casamento

Nova Zelândia

30%

1960

31%

8%

6.8%

48% Estados Unidos

taxa de divórcio de

2010

38%

Austrália

Mais dejetos

60%

5.2%

4.5%

Os adultos jovens retrasam ou evitam o casamento. Os que decidem se casar são duas vezes mais propensos a se divorciar que há 40 anos. Com as duas tendências combinadas, calcula-se que existem 277 milhões de lares formados por só uma pessoa no mundo.

41%

México

taxa de divórcio de

15%

COISAS

QUE DEVE SABER SOBRE O CASAMENTO

SEU CÔNJUGE NÃO TEM QUE LHE DAR UM “FINAL FELIZ”

Isso é construção de ambos com amor e esforço.

MISIONÁRIO MUNDIAL 14 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia

O CASAMENTO É GRATIFICANTE, MAS DIFÍCIL

É importante amar nos momentos de alegria e dor


Casamento em perigo

O casamento deixou de fazer parte do projeto de vida de muitos jovens. Os dados falam por si. Salvo um pequeno incremento em 2014, o número de casais que optaram por passar pelo Registro Civil nos últimos dez anos aumentou 25%. Esta tendência é ainda mais visível entre os casamentos eclesiásticos, que caíram 52% entre 2007 e 2013. O elevado número de separações também faz patente a crise que a instituição atravessa. Anualmente, por cada dez casamentos celebrados, há sete divórcios..

França

Itália

55%

30,7%

taxa de divórcio de

taxa de divórcio de

Reino Unido taxa de divórcio de

42%

O aumento de separações conjugais é uma constante em quase todo o mundo. Estas são as preocupantes estatísticas de divórcios em alguns países.

Japão

taxa de divórcio de

África do Sul

36%

taxa de divórcio de

31.2%

SER FELIZ TAMBÉM É SUA RESPONSABILIDADE

Sua felicidade não depende unicamente do outro.

OS FILHOS SÃO O MAIOR SUCESSO

Ninguém pode explicar a alegria que trazem à família.

dezembro 2017 / Impacto evangélico

15


O

afundamento do submarino de bandeira argentina ASSE San Juan atraiu a atenção dos meios de comunicação de todo o mundo que, quase imediatamente, evocaram uma tragédia similar acontecida na Rússia em 2000. Naquela ocasião morreram 118 pessoas que se encontravam a bordo do “Kursk”, um submersível nuclear russo. Muitas pessoas lembraram durante estas semanas as tragédias acontecidas com submarinos ao longo da história. A mais recente e comovedora foi a do submarino nuclear russo Kursk, equipado com 23 mísseis de cruzeiro “Granit”, que, em seu momento, foi considerado indestrutível e era o orgulho da armada da Rússia. O acidente aconteceu em 12 de agosto, quando o submarino submergiu no mar de Barents enquanto realizava manobras de treinamento com a Frota do Norte russa. Era o primeiro exercício naval importante que se realizava em 10 anos e a oportunidade para o Kremlin de deixar em claro que eram capazes de responder a ameaças potenciais. Naquelas manobras participaram 30 navios e três submarinos, entre eles o Kursk, armado com 18 torpedos e 23 mísseis de cruzeiro. A diferença do submarino argentino, o Kursk foi localizado rapidamente. Depois de dois dias de seu naufrágio, o governo russo informou que a embarcação estava submergida a 108 metros de profundidade e já se antecipava que as probabilidades de resgatar os tripulantes eram escassas. Três dias depois do afundamento se anunciou o início de uma operação de resgate, que depois foi adiada devido ao mal tempo na zona do naufrágio. Enquanto isso, o mundo inteiro observava com angústia. Os jornais davam conta das versões dos resgatadores que escutavam os golpes desesperados sobre o metal da embarcação que provinham do interior, até que chegou o silêncio. Moscou rejeitou a ajuda que ofereciam vários países para tentar socorrer os tripulantes, MISIONÁRIO MUNDIAL 16 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia

Foto: AFP

O RESGATE QUE MANTEVE

INQUIETO O MUNDO


internacional

Foto: AFP

até que fontes oficiais admitiram que a tripulação tinha deixado de dar sinais de vida. Depois disso, a Rússia aceitou a ajuda da OTAN e começou uma operação internacional de resgate. Em 21 de agosto, uma equipe de mergulhadores noruegueses conseguiu transpor a escotilha que os russos não tinham podido abrir em oito dias: encontrou que o submarino Kursk, da armada do Mar do Norte, estava totalmente inundado, sem sobreviventes. As autopsias realizadas nos corpos demonstraram que ao menos 23 deles sobreviveram à explosão que afundiu o submersível e o levou até o fundo do oceano. Morreram, portanto, asfixiados e pelo frio à medida que as gélidas águas do Ártico faziam com que a temperatura baixe. Segundo a Promotoria Geral da Rússia, a maior parte dos tripulantes do “Kursk” morreram asfixiados pelo incêndio provocado pelas explosões, que afetou praticamente toda a embarcação. Em uma primeira operação realizada três meses depois da tragédia, mergulhadores russos e noruegueses resgataram os corpos de 12 tripulantes que tinham se refugiado na nona seção do submersível. Os restos dos outros marinheiros foram recuperados só quando o submarino foi levado à superfície, nos finais de 2001. As causas daquele acidente não foram estabelecidas. No entanto, algumas hipóteses tentam assinalar que o “Kursk” chocou contra uma mina da Segunda Guerra Mundial ou que um dos torpedos foi detonado acidentalmente. Contudo, a maior parte dos pesquisadores se inclina por um incidente nos reatores nucleares. O submarino permaneceu mais de 14 meses no fundo do mar, e foi levado à superfície em uma complicada operação que custou ao governo russo dezenas de milhões de dólares. Para poder recuperá-lo, foi necessário secionar a proa com uma serra gigante e fazer perfurações no resto do casco para fixar 26 cavos, de 25 centímetros de diâmetro e 900 toneladas de resistência. Desse modo, a embarcação pôde ser levada à superfície. Finalmente se estabeleceu a comissão oficial que investigou o acidente; o submarino Kursk se afundou como consequência de duas explosões sucessivas acontecidas durante umas manobras navais. (*) Com informação da internet

dezembro 2017 / Impacto evangélico

17


A

apendicite aguda é a doença mais frequente nos serviços de cirurgia e ocupa o primeiro lugar nas intervenções de abdômen no mundo. Aqui alguns conselhos para reconhecer o mal imediatamente e acudir ao especialista.

Walter Menchola Vásquez (*)

É uma doença inflamatória do apêndice cecal, que se encontra na parte inicial do intestino grosso, em uma porção denominada ceco. Sua etiologia não é conhecida com certeza, apesar de que se sabe que a obstrução de sua luz pode trazer sérias consequências. Tem muitas causas e não todas precisam de intervenção cirúrgica, que, sem dúvida, é a mais importante. A apendicite aguda é mais frequente nas sociedades ocidentais. Sua incidência diminuiu nos últimos anos por razões desconhecidas. No continente americano, 11 em cada 10.000 pessoas sofrem deste mal. Apresenta-se com maior frequência entre os 10 e 19 anos, em geral, abaixo dos 30 anos, muito mais em homens. Seu quadro clínico se caracteriza por um início súbito de rápida evolução. A primeira manifestação e a mais importante é a dor abdominal, de carácter difusa, algumas vezes como cólicas, outras como pontadas. Classicamente aparece na região periumbilical. Migra posteriormente ao quadrante inferior direito do abdômen, acompanhado por febre e, algumas vezes, por náuseas e vômitos. É muito importante não aliviar a dor com medicamentos que suprimam ou diminuam sua intensidade. É necessário considerar este aspecto porque é um erro que se comete com frequência, já que a dor é o principal guia diagnóstico do médico. A dor tem três características: a primeira, sua apresentação súbita em uma pessoa geralmente em bom estado de saúde, MISIONÁRIO MUNDIAL 18 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia

APENDICITE

AGUDA

em uso de suas capacidades físicas, que se prostra ou procura posições para diminuir a dor. A segunda é o incremento progressivo da dor no transcurso das horas. Entre as 6 e 24 horas posteriores ao início do quadro, adquire sua maior intensidade. A terceira característica deste quadro é a migração da dor. Estes três signos são simultâneos: dor

no quadrante inferior direito, rigidez da zona e migração da dor, acompanhado por febre e mal-estar geral. A apendicite aguda pode ser diagnosticada facilmente, mas, ao mesmo tempo, tem quadros clínicos de muito difícil precisão, por suas apresentações atípicas ou por outros fatos que alteram o quadro. Por exemplo, o paciente recebeu analgésicos,


saúde

Foto: AFP

medicamentos que camuflam os sintomas. Por outro lado, este quadro atípico se apresenta em pessoas maiores, crianças, pessoas imunossuprimidas ou naqueles pacientes que têm variações anatômicas, isto é, o apêndice, em lugar de estar no quadrante inferior direito, encontra-se em posição inversa (quadrante inferior esquerdo), rotado (para trás), entre outras

variações; ou também por situações como a gravidez, na qual o apêndice se desloca para a parte superior do abdômen. Há doenças que podem produzir dor referida ao quadrante inferior direito; por exemplo, a pneumonia basal do lado direito, os problemas vesiculares, anexite direita, cólica menstrual, diverticulite nos anciãos, entre outras. O retraso no diag-

nóstico constitui uma das principais causas da perfuração e complicação conseguinte da apendicite aguda. Uma observação inicial de 6 horas desde o início do quadro é prudente. Sua postergação maior a 24 horas constitui uma temeridade. A apendicite aguda pode parecer uma infecção urinária e mesmo, com alteração do exame de urina, confundir o médico inicialmente, razão pela qual o quadro clínico sempre é necessário. Uma das complicações mais comuns e que tem maior mobilidade e mortalidade nestes pacientes é a perfuração do apêndice como causa do processo inflamatório, que em muitos casos pode se localizar na mesma zona graças à ação do peritônio (camada que recobre os órgãos digestivos), que ajuda desta forma a evitar a disseminação a toda a cavidade abdominal (plastrão abdominal). No entanto, em outros casos, isto não é possível por diferentes razões, e a infecção se difunde por toda a cavidade abdominal. Este quadro se denomina peritonite difusa, de maior gravidade, com complicações e sérias sequelas. O exame auxiliar requerido nestes casos é a tomografia axial computadorizada (TAC). Um resultado negativo ajuda em situações de dúvida, apesar de que na fase inicial da doença pode reportar que não há maiores mudanças. Em segundo lugar, a ecografia abdominal; neste caso é necessária a experiência do ecografista, devido a que não sempre o órgão é visível. Perante um quadro de apendicite aguda cirúrgica, estes exames não são necessários. Só são usados em casos de grande dificuldade diagnóstica e na fase de desenvolvimento do quadro clínico. No caso das mulheres em idade fértil, é preciso considerar seu ciclo menstrual e descartar processos inflamatórios pélvicos. Uma recomendação final é que em caso de qualquer quadro de dor abdominal que dure mais de 6 horas o paciente deve ser levado a um serviço de emergência para ser avaliado. Lembre-se de que nunca deve administrar analgésicos sem prescrição do médico. (*) Médico internista, Mg. Gestão e Políticas Públicas.

dezembro 2017 / Impacto evangélico

19


T

odo aquele que teve um encontro pessoal com Deus leva em seu coração, aparte do desejo incontrolável de adorálo, o desejo de ser útil para Ele, o grande anelo de ajudar os outros. A maioria das pessoas com as quais nos relacionamos a cada dia está ferida, afligida ou enfrenta grandes problemas, e na maioria delas reina uma grande solidão em seu coração.

Carmen Valencia

As pessoas que carregam um peso sobre si precisam com urgência que as conduzamos para o que prometeu levar cada carga, solucionar cada problema por mais difícil que seja (“Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei.” Mateus 11:28). Temos uma obrigação, um dever solene de ser canais de bênção para aqueles que nos rodeiam (“Levai as cargas uns dos outros, e assim cumprireis a lei de Cristo...” Gálatas 6:2. “Em todo o tempo ama o amigo e para a hora da angústia nasce o irmão.” Provérbios 17:17). “Só Lucas está comigo. Toma Marcos, e traze-o contigo, porque me é muito útil para o ministério.” (2 Timóteo 4:11). Lucas foi um grande amigo para o apóstolo, foi seu companheiro de confiança; já perto do fim de seu ministério, quando todos foram embora. Todos nós precisamos em algum momento ser alentados nesses tempos duros em que a carga ou a pressão se tornam maiores. No caso de Jó e seus amigos ( Jó 2:1113), este homem sofreu como poucas pessoas. Era um homem justo, prefeito, reto, temeroso de Deus e afastado do MISIONÁRIO MUNDIAL 20 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia

COMO PODEMOS

AJUDAR OS OUTROS?


conselhos

como devemos agir. • Interessar-se por sua condição. Quando os amigos de Jó souberam de suas desgraças, foram com ele. Eles saíram de sua comodidade e bem-estar e foram aonde seu amigo em sofrimento se encontrava. “Três amigos de Jó… combinaram condoer-se dele, para o consolarem… porque viam que a dor era muito grande.” ( Jó 2:11-13). Assentaram-se com ele na terra, sete dias e sete noites; e nenhum lhe dizia palavra alguma, porque viam que a dor era muito grande. Quando queremos ajudar alguém, o primeiro passo é mostrar interesse, preocupação, cuidado e esmero. É preciso ir para o necessitado, aproximar-se do que precisa nossa ajuda e consolo. • Sentir dor por sua condição. Eles choraram com Jó, porque sentiam sua dor como se fosse própria. Jesus chorou ( João 11:35) quando foi a casa de Marta e Maria depois da morte de Lázaro, porque se importava com cada um dos que o rodeavam. Um homem sem lágrimas é um homem sem coração; que triste é viver uma vida insensível. A maioria dos homens de Deus foram sensíveis, não só perante seu Senhor, mas também perante a dor

Outro passo a dar, se queremos ajudar quem sofre, é aliviar sua carga; mitigar ao menos um pouco sua dor e não ser causantes de um maior sofrimento por motivo de nosso precipitado falar.

mal. Tinha uma esposa e dez filhos. Além disso, era possuidor de muitíssimas riquezas. Seus filhos faziam banquetes, e ele orava e apresentava oferendas a Deus, solicitando perdão para seus filhos, se tinham pecado. Mas um dia perdeu tudo, e até sua saúde, pois seu corpo se cobriu de uma sarna maligna. Contudo, não lhe faltaram amigos fiéis (Elifaz, Bildade e Zofar) que acudiram para ajudá-lo em

sua triste condição. Algumas coisas as fizeram bem, mas outras não; em umas tiveram sucesso e em outras falharam.

I. COMO PODEMOS AJUDAR OS OUTROS? Qual é a forma mais adequada para ajudar? Considerando os amigos de Jó como modelo, vamos observar o que fizeram para saber que devemos fazer ou

e a condição de outros. Como Davi, que lutou para defender seu povo; ou Paulo, que foi muitas vezes encadeado e apedrejado porque amava as almas e levava o Evangelho aos gentios. • Identificar-se com sua condição. Os amigos de Jó projetaram um sentido de identidade, compartilhando sua dor, assentados com ele. Que necessário é que nos aproximemos daqueles que es-

dezembro 2017 / Impacto evangélico

21


tão passando momentos difíceis; uma visita a esse lar, ao hospital ou ao cárcere, sair de nossa comodidade, entrar ali onde há tristeza e dor e nos identificar com o que sofre. • Guardar silêncio. Estiveram com Jó durante sete dias e sete noites, em silêncio. Há momentos em que as palavras não são suficientes para expressar nossa dor e consolo; apesar de que desejemos chegar até o fundo do coração do que sofre, ficamos limitados. Nesses momentos é necessário que Deus diretamente seja o que toque esse coração. Nesses momentos, apesar de que nossas palavras sejam escassas perante a magnitude da dor, poderemos ministrar essa pessoa com nosso silêncio. Estes homens fecharam sua boca e abriram seus ouvidos, simplesmente se assentaram com Jó. Porque não é tanto o que falemos; em muitas ocasiões o simples fato de estar ao lado de alguém que atravessa alguma circunstância adversa ou dolorosa, o simples ato de tomar sua mão, um gesto ou um olhar vale mais que mil palavras. Há vazios que só podem ser cheios por Deus com sua presença, o único que nós devemos e podemos fazer é acompanhar essa pessoa e clamar a Deus para que diretamente Ele possa consolar e ser refúgio para esse coração necessitado. • Escutar. Depois dessa semana de silêncio, Jó começou a falar, desejava não ter nascido e estar morto, culpou Deus do que lhe acontecia ( Jó 3). Seus amigos ouviram e reagiram perante suas palavras, mas teriam agido melhor se tivessem escutado com mais cuidado. Se nós queremos ajudar os outros, é preciso que aprendamos a escutar. Os amigos de Jó ouviram as palavras que ele vertia, mas não sentiram a dor que as originava; em vez de compreender, discutiram com ele e transformaram seu sofrimento um debate teológico. Uma pessoa que escuta com atenção, responde aos sentimentos e não tanto às pessoas mesmas; também sentirá o que há atrás de cada palavra, porque há pessoas que no meio de sua dor precisam falar e de alguém que os escute. Por isso é necessário tentar compreendê-las, perceMISIONÁRIO MUNDIAL 22 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia

Não todos nós podemos pregar, nem ensinar, mas podemos orar pelos necessitados, pelos que sofrem. Parece que orar não é um trabalho de muito valor, mas orar por outros é a atividade mais nobre, mais poderosa que o cristão pode realizar. ber que é o que faz com que falem nesciamente, e aceitar essas pessoas. • Não falar de maneira imprudente. Outro passo a dar, se queremos ajudar quem sofre, é aliviar sua carga; mitigar ao menos um pouco sua dor e não ser causantes de um maior sofrimento por moti-

vo de nosso precipitado falar. Mas, como fazer isso? Jó acusa Deus. Os amigos se envolveram tanto intelectualmente em seu razoamento, que ignoraram a condição dolorosa que ele atravessava e a pressão que sentia. Quando as pessoas estão no meio de uma situação assim, dizem coisas que podem nos surpreender, mas não por isso devemos condená-los ou julgálos; não há necessidade de nos apressar em explicar cada coisa. As explicações não sempre aliviam a dor; tentar compreender e aceitar essa pessoa, não quer dizer estar de acordo com tudo o que diz ou faz. Melhor é seguir o adágio popular: “Às vezes é melhor calar do que falar”. É entender a magnitude dessa situação e ter certeza de que Deus agirá em sua


conselhos

sendo-o vós mesmos também no corpo.” (Hebreus 13:3).

misericórdia. Ele sabe compreender e ajudar cada ser humano, ignorar expressões que saem da boca de uma pessoa movida por uma situação dolorosa. Como Moisés quando expressou: “Agora, pois, perdoa o seu pecado; se não, risca-me, peço-te, do teu livro, que tens escrito.” (Êxodo 32:32). • Consolar, aliviar sua pena. Para ajudar os outros, temos que permitir que Deus faça de nós instrumentos de consolação. Consolar significa: aliviar uma pena, uma aflição. No devemos nos tornar consoladores molestos. Jó chamou seus amigos de ‘consoladores molestos’. Em lugar de aliviar sua dor, o que fizeram foi fazer com que se sentisse pior, que seu sofrimento fosse maior. Deveram fazer o que nos Tiago ensina em sua carta: “Portanto, meus ama-

dos irmãos, todo o homem seja pronto para ouvir, tardio para falar, tardio para se irar.” (Tiago 1:19). Nossa tarefa, se nós queremos ajudar os outros, é oferecer fortaleza e esperança por meio de cada palavra que saia de nossos lábios. Um consolador é alguém que põe sua força à disposição de outro. “Mas nós, que somos fortes, devemos suportar as fraquezas dos fracos, e não agradar a nós mesmos.” (Romanos 15:1). “Então, enquanto temos tempo, façamos bem a todos, mas principalmente aos domésticos da fé.” (Gálatas 6:10). Se tivermos a oportunidade, façamos o bem. “Levai as cargas uns dos outros, e assim cumprireis a lei de Cristo.” (Gálatas 6:2). “Lembrai-vos dos presos, como se estivésseis presos com eles, e dos maltratados, como

II. COMO INFUNDIR ÂNIMO NOS OUTROS? • Emocionalmente. Com palavras de fôlego e esperança. Assegurando-lhes que Deus os ama, que está a seu lado, e tê-Lo conosco é saber que haverá uma saída, é ter a vitória assegurada. Dando uma palavra, um conselho baseado na Palavra de Deus. Às vezes ignoramos o valor de uma palavra. Ela tem o poder de curar, animar, ajudar e abrir os olhos espirituais do que ouve. “Há alguns que falam como que espada penetrante, mas a língua dos sábios é saúde.” (Provérbios 12:18). • Fisicamente. Ajudando com coisas práticas. Muitas vezes a pessoa não tem ânimo para fazer o mínimo por suas próprias necessidades. Coisas práticas como elaborar uma comida, lavar roupa, fazer um favor, mostrar interesse no bemestar dessa pessoa, dessa família, dar a mão, um abraço, podem obrar para bem de quem sofre. • Espiritualmente. Com nossa oração. Apesar de que a pessoa não perceba, elevar uma oração a Deus é de grande apoio. Também lendo uma porção da Palavra, esta chegará aonde nossas palavras não conseguiram chegar. Não todos nós podemos pregar, nem ensinar, mas podemos orar pelos necessitados, pelos que sofrem. Parece que orar não é um trabalho de muito valor, mas orar por outros é a atividade mais nobre, mais poderosa que o cristão pode realizar. Precisamos pedir a Deus que nos ajude a ser de bênção para outros, a ser de apoio, a ser instrumento de consolação, de restauração, que sempre haja uma palavra sabia qual bálsamo para o que precisa dela. “O Senhor Deus me deu uma língua erudita, para que eu saiba dizer a seu tempo uma boa palavra ao que está cansado. Ele desperta-me todas as manhãs, desperta-me o ouvido para que ouça, como aqueles que aprendem.” (Isaías 50:4). É necessária uma língua adestrada por Deus para que expresse palavras com graça para aquele que está cansado ao nosso redor.

dezembro 2017 / Impacto evangélico

23


L

ibro escrito por Janet e Geoff Benge, dedicado a difundir a vida da pregadora Lottie Moon, que oferendou sua vida ao Senhor e compartilhou as boas novas na China na melhor etapa do século XIX.

Lottie Moon tinha seis anos e se encontrava sentada muito quieta no banco da primeira fila, sem se atrever a girar a cabeça. Sabia que girar faria com que seus caracóis pretos se balançassem, e isso chamaria a atenção. A faixa de seda de seu avental estava apertada demais e, procurando que não se notasse, tomou ar profundamente várias vezes em sua vã tentativa de afrouxá-la. O colarinho engomado fazia com que sentisse coceira na nuca; no entanto, ela se conteve antes de se coçar, já que teria sido de muito má educação. Simplesmente se limitaria a permanecer sentada muito quieta, suportando a incomodidade. Em 2001, com o apoio da editora YWAM Publishing, os escritores evangélicos Janet e Geoff Benge editaram o livro “Giving her all for China” (Dando-lhe tudo para a China), dedicado a reconhecer a vida da missionária Lottie Moon. A obra, parte da série “Heróis Cristãos - Ontem e Hoje”, é um merecido tributo à pregadora, de origem norte-americana, que oferendou sua existência ao Todo-Poderoso e pregou o Evangelho durante 39 anos no sul do território chinês. Lottie pediu ser batizada o mais rápido possível, assim que se organizou um culto de batismo para a noite seguinte. Antes de receber o batismo, ela se dirigiu à congregação, e lhes explicou por que estava dando aquele passo. Na Igreja Batista, aquele era o único momento no qual se permitia que uma mulher falasse em público a uma audiência mista. Lottie pensou que não teria novamente outra oportunidade como aquela, por isso a aproveitou plenamente. Em breve se transformou em uma das cristãs MISIONÁRIO MUNDIAL 24 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia

PERSEVERANÇA E

SACRIFÍCIO

mais influentes do instituto feminino Albemarle. Dirigia estudos bíblicos e reuniões de oração, ia aos cultos três vezes por semana. Autores com uma experiência de mais de trinta anos na difusão de conteúdo religioso, os esposos Benge, em sua obra, destinada a resenhar os dias terrenos da serva Moon, dão a conhecer uma história real de uma mulher que apoiada em sua fé em Deus realizou um louvável trabalho cristianizador na China na

melhor etapa do século da industrialização. Um relato que põe em evidência, além disso, a forma como o Criador recompensa aqueles que escutam seu chamado. Em 28 de setembro de 1873, a embarcação Costa Rica partiu de Nagasaki rumo a Shanghai, China. A viagem só deveria ter durado uns dias, de não ser pelo furacão! Na primeira noite após abandonar o


literatura

porto, uma cruel tormenta os surpreendeu inadvertidamente. Lottie se encontrava já em sua cabine da coberta superior, na cama e com a luz apagada, quando o navio começou a ranger e a se balançar ominosamente de um lado para o outro. Não tardou em se escutar o som dos objetos que se espatifavam nas paredes de seu quarto. Permaneceu em seu liteira e orou ferventemente.

MISSIONÁRIOS Nesta obra, Geoff e Janet Benge manifestam sua disposição pelo resgate de biografias de crentes que transcenderam graças a seu trabalho a favor da expansão do Evangelho. Ambos, nascidos na Nova Zelândia, escreveram mais de 150 livros. Geoff é licenciado em História e Filosofia. Janet, por sua parte, é professora de escola primária. Juntos formam uma dupla concentrada em divulgar as vidas dos principais missionários. –Bem-vinda a casa, senhorita Moon! –gritaram vários dos estudantes que esperavam Lottie no exterior da casa dos Hartwell. Um ano depois do reencontro com sua família em Viewmont, finalmente estava de volta em Tengchow. Ao pensar nisso, Lottie compreendeu que os cristãos chineses da igreja de Monument Street e as crianças da escola também eram sua família, e uma família necessitada. Durante o ano que passou fora tinha se produzido

dezembro 2017 / Impacto evangélico

25


MISIONÁRIO MUNDIAL 26 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia


literatura

uma carestia na região, e muitos camponeses estavam morrendo de fome. Lottie podia vê-los em todas as partes: pelas ruas, mendigando no mercado e rogando para entrar na igreja. Publicado em espanhol em 2015, o livro dos Benge inspeciona detalhadamente o trabalho evangélico de Lottie Moon desde seus primeiros anos de vida. Em seus 17 capítulos, aborda-se a infinidade de sacrifícios que realizou a pregadora, nascida em 12 de dezembro de 1840 e registrada com o nome de Charlotte Digges Moon, que em sua juventude se inclinou pelo trabalho missionário e decidiu ser uma das primeiras evangelizadoras em território chinês. Era julho de 1889, e Lottie esperava ansiosamente em Tengchow a chegada de sua nova ajudante. Finalmente, em uma cá-

Era a única estrangeira rumo à zona de guerra, todos os outros estavam fugindo. Quando chegou ao hospital, vários dos trabalhadores não puderam conter as lágrimas. Ali trataram os feridos de ambos os lados do conflito.

lida tarde, um shentze se deteve no pátio de pequenas encruzilhadas, e Fannie Knight, uma mulher da Carolina do Norte, desceu dele. Lottie podia imaginar seus pensamentos ao examinar o lugar. A China continuava sendo um campo de missão perigoso, e Lottie orou para que Fannie fosse o tipo de pessoa que permanece corajosa e cheia de gozo, mesmo no meio de condições difíceis. Faltava pouco para que ambas tivessem que se dirigir a P´ingtu, onde tinha um crescente número de chineses convertidos ao cristianismo.

OS PERIGOS Em seu texto, Janet e Geoff Benge retratam com destreza cada uma das características missionárias de Moon. Além

disso, por meio de uma prolixa narração, dão conta de seu trabalho nas cidades de P’ingtu e Tengchow, onde difundiu com entusiasmo as boas novas e conseguiu que o cristianismo se impregnasse na sociedade chinesa. O relato, além disso, dá detalhes sobre a tenacidade da serva do Criador que venceu o sofrimento com sua esperança posta em Jesus Cristo. Vestida com a roupa típica do país, Lottie meteu mãos à obra imediatamente. Não podia pretender conseguir aprender suficiente japonês como para ser útil na obra evangelística, por isso conseguiu um emprego como professora de inglês em uma escola privada. Não tinham livros de texto para as aulas, razão pela qual cada professor escolhia seu próprio material de leitura. Naturalmente, Lottie escolheu a Bíblia. Depois de umas poucas semanas, seus melhores estudantes eram capazes de ler passagens inteiras. Após a leitura, ela lhes explicava seu significado o melhor que podia. Pouco tempo depois, três garotos jovens de sua classe se converteram ao cristianismo. O livro, distribuído pela editora JUCUM nos países da América Hispânica como “Perseverancia y sacrificio” (Perseverança e sacrifício), oferece um sem-fim de precisões quanto aos perigos que Lottie Moon combateu na China. Falecida em 24 de dezembro de 1912, a missionária enfrentou a peste, a fome, a guerra contra os japoneses, a revolta dos Boxers, movimento contrário à influência estrangeira, e a Revolução Chinesa, que derrocou a dinastia Qing. Sem dizer nada ao outros dos missionários, Lottie partiu para Hwanghsien. Era a única estrangeira rumo à zona de guerra, todos os outros estavam fugindo. Quando chegou ao hospital, vários dos trabalhadores não puderam conter as lágrimas. A seus setenta e um anos, Lottie tinha arriscado sua vida para estar com eles no meio daquela crise. Durante dez dias, Lottie viveu e trabalhou no hospital. Ali trataram os feridos de ambos os lados do conflito. O doutor Ayers e outros missionários, quando souberam o que Lottie tinha feito, preocuparam-se tanto com ela e com o hospital que decidiram também arriscar suas próprias vidas e voltaram a seus postos.

dezembro 2017 / Impacto evangélico

27


F

ruto do esforço do poeta britânico James Rowe e do compositor estadunidense Howard E. Smith, o hino anuncia que Deus é o único capaz de resgatar do mal a humanidade e ajudá-la nos momentos mais complicados. Obra da criatividade do poeta inglês James Rowe e do talento musical do compositor estadunidense Howard E. Smith, o hino “Amor fiel! Me levantou!” é um dos cantos cristãos mais vitoriosos, já que faz referência a duas passagens bíblicas resenhadas no Evangelho segundo Mateus, nas quais Jesus Cristo demonstrou no meio do mar seu grande afeto pela humanidade e seu poder absoluto sobre todas as coisas. Primeiro, o louvor de Smith e Rowe alude à história de Jesus quando andou sobre o mar enquanto pregava a Palavra na Galileia. Este fato, narrado em Mateus 14:22-33, é refletido com mestria na primeira estrofe da canção, na qual se menciona tacitamente a forma em que o Filho de Deus, em sua passagem terrena e durante uma tormenta, salvou o apóstolo Pedro das águas. A outra história à que faz referência o poema “Amor fiel! Me levantou!”, que foi publicado em 1912, é a narração do momento em que Jesus de Nazaré acalmou uma tempestade. Nesse sentido, é necessário mencionar que o hino, em sua terceira estrofe, de forma implícita nomeia o episódio exposto em Mateus 8:2327. Com perícia, a letra se refere ao momento em que Cristo repreendeu os ventos e o mar.

DUPLA PODEROSA Concebida na cidade estadunidense de Saugatuck, a canção foi fruto de um esforço conjunto que uniu Rowe e Smith em torno de uma produção cheia de esperança e fé. Durante a etapa de elaboração, Rowe, baseado nas Sagradas Escrituras, escreveu o poema. Enquanto isso, Smith, apoiado nas palavras dos versos, criou a melodia que se destaca por ter um estilo alegre e particular. Nascido em 1 de janeiro de 1865 no Reino Unido, Rowe foi um prolífico escritor de hinos evangélicos. Aos 25 anos, depois de trabalhar MISIONÁRIO MUNDIAL 28 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia

AMOR FIEL! ME

LEVANTOU!


música

Amor fiel! Me levantou! 1 Afundando ao pecar, longe do Deus de paz; Desejava, sim, subir, sem conseguir jamais; Mas o Dono deste mar ouviu o meu clamor; Então veio me tirar, e me salvou. Refrão Amor fiel! Me levantou! Nada me ajudou, só esse amor! Amor fiel! Me levantou! Nada me ajudou, só esse amor! 2 Dou-Lhe o meu coração, a Ele me apeguei; Na presença Dele estou, louvo o grande Rei; Tal amor real, fiel merece meu louvor, Meu serviço, o meu ser, eu d’Ele sou. 3 Alma em perigo, vem, Cristo quer te salvar; Ele tira com amor do bravo alto-mar. Ele é Senhor do mar, tem todo o poder, E quer ser teu Salvador – Só basta crer.

para o Governo inglês, migrou para os Estados Unidos, onde desenvolveu um fecundo trabalho poético a favor do Senhor. Com uma convicção capaz de enfrentar a miséria e o mal, o autor se dedicou a louvar ao Todo-Poderoso e escreveu cerca de vinte mil composições. Smith, por sua parte, chegou ao mundo em 16 de julho de 1863 no estado de Connecticut. Crente leal do Salvador, o músico serviu

a Deus como organista de um templo cristão da localidade que o viu nascer. Dotado de um ouvido privilegiado, o servo do Senhor ajudou com sua agudeza musical a propagar o Evangelho até o último de seus dias, apesar de que suas mãos se vieram afetadas pela artrite com o tempo. “Amor fiel! Me levantou!”, conhecida nos países falantes de língua inglesa como “Love

lifted me”, cuja fiel tradução compartilhamos junto com este texto, proclama a redenção do pecado graças à autoridade do Altíssimo. Além disso, mostra a forma em que os crentes devem agradecer o carinho que Jesus Cristo brinda de forma permanente à humanidade. Do mesmo modo, oferece o caminho à salvação para aqueles seres humanos perdidos que não conhecem a Palavra de Jeová.

dezembro 2017 / Impacto evangélico

29


O

missionário Dixon Edward Hoste semeou as bases do cristianismo durante 35 anos na China. No princípio de fevereiro de 1885, navegou rumo a esse país junto com seis estudantes da Universidade de Cambridge. Wright Doyle

Filho de um comandante da Artilharia Real do Reino Unido, o missionário Dixon Edward Hoste nasceu na cidade de Brighton, situada na costa sul da Inglaterra, em 23 de julho de 1861. Seus pais foram cristãos temerosos de Deus que o criaram em um lar cheio de disciplina, amor e guiado pelas Sagradas Escrituras. O conhecimento que sua mãe tinha da Bíblia era profundo e amplo. Ela enfatizou o amor de Deus pela humanidade, a necessidade de arrependimento e fé, e o compromisso com qualquer tarefa que o Senhor determinasse. Também inculcou nele um grande interesse pelas missões. Hoste assistiu ao Clifton College, onde destacou em seus estudos, incluído o grego, que pôde ler aos 9 anos. Aos 17 anos ingressou na Real Academia Militar de Woolwich e ali aprendeu obediência, precisão e ordem. Um ano depois, foi nomeado tenente e se afastou do Criador.

CONVERSÃO Tudo isso mudou quando Hoste assistiu a uma reunião de evangelização celebrada por Dwight L. Moody em Brighton. A pregação do evangelista estadunidense lhe lembrou que os impenitentes e incrédulos só receberão a ira eterna. Então, Dixon se ajoelhou em submissão a Jesus. Imediatamente sentiu uma profunda alegria. Depois de sua conversão, Dixon começou a ler a Bíblia com voracidade. Também se sentiu convencido de que compartilhar as boas novas era mais MISIONÁRIO MUNDIAL 30 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia

O PREGADOR

INGLÊS

importante que qualquer outra atividade. Transformado em guerreiro do Altíssimo, quis renunciar ao exército, mas seu pai lhe aconselhou que esperasse e orasse pela direção de Jesus Cristo. Depois, após ser batizado, ele se uniu com outros crentes para pregar o Evangelho. Em breve entrou em contato com outros cristãos. Um deles foi Montagu Beauchamp, um estudante de Cambridge, que lhe proporcionou livros da Missão do Interior da China (CIM). Imediatamente lhe chamou a atenção o sistema desta organização que impulsionava a fé em Deus para suprir todas as necessidades, o compromisso com o cristianismo e sua total dedicação à evangelização dos chineses.

MISSIONÁRIO Após abandonar uma série de dúvidas sobre seu chamado ao trabalho evangelizador, Hoste, em fevereiro de 1884, postulou à Missão do Interior da China, sociedade fundada pelo pregador James Hudson Taylor em 25 de junho de 1865, que o aceitou com o objetivo de transformá-lo em pregador do Senhor. Uma vez admitido, o missionário Taylor lhe aconselhou que adquirisse

Depois de sua chegada à China, Hoste foi enviado à localidade de Kuwu, onde começou a estudar intensamente a língua local. Pelas manhãs, ele se sentava no pátio de sua casa e pregava a Palavra a multidões de curiosos que se congregavam nesse espaço.

experiência, primeiro, ajudando nas reuniões organizadas pelo reverendo Moody. Além disso, Dixon se preparou aprofundando seus conhecimentos da Bíblia e se entregou à oração com disciplina e abnegação. No princípio de fevereiro de 1885, navegou rumo à China junto com seis estudantes da Universidade de Cambridge, com os que estabeleceu o grupo denominado “Os sete de Cambridge”. Unidos pela fé em Deus e impulsionados por seu interesse na evangelização do povo chinês, este conjunto de missionários passou à história do cristianismo graças ao grande trabalho que realizou na nação mais povoada do mundo. Depois de sua chegada à China, Hoste foi enviado à localidade de Kuwu, onde começou a estudar intensamente a língua local. Pelas manhãs, ele se sentava no pátio de sua casa e pregava a Palavra a multidões de curiosos que se congregavam nesse espaço. Pelas tardes, caminhava distribuindo folhetos e, à medida que seu mandarim melhorava, compartilhava o Evangelho.

PROVA DE FÉ Em 1886, o missionário Taylor comprovou o trabalho evangelizador do pregador Xi Shengmo, assistido pelo pastor Stanley Smith, no sul de Shanxi. Pouco tempo depois, Smith pediu a Hoste que se unisse a ele para transmitir as boas novas. Juntos visitaram vários lugares onde grupos de novos


herói da fé

dezembro 2017 / Impacto evangélico

31


crentes surgiram devido ao impulso do reverendo Xi. No ano seguinte, Smith se mudou da cidade de Hongdong e deixou Dixon para que trabalhasse com Xi. Era um momento especial para o pregador chinês, conhecido como o pastor Hsi, que tinha sofrido a perda de vários companheiros. Então, o evangelista de origem inglesa sabia que devia ganhar a confiança de seu colega chinês. Convencido do futuro da Igreja na China, Dixon se comprometeu a ajudar Xi a desenvolver tudo seu potencial. Foi nesse momento que se dedicou, consciente de sua rigorosa formação cristã,

Em 1929, no apogeu da Grande Depressão, chamou audazmente duzentos pregadores para que se unissem a missionários liberados das responsabilidades pastorais e levar as Sagradas Escrituras às cidades chinesas ainda não evangelizadas nas regiões de Xinjian e o Tibete.

a lhe prover todas as verdades bíblicas que conhecia e aprendeu de seu companheiro o manejo das relações interpessoais no mundo chinês. Tanto Xi quanto Hoste sabiam que deviam confiar só em Deus para mudar os corações dos homens, por isso passaram muito tempo em oração quando surgiram conflitos e dificuldades. Em seu trabalho evangelístico aprenderam que os crentes precisavam exercer a fé quando chegava a perseguição. A localidade de Hongdong, nesses anos, não só foi o epicentro de uma expansão constante do Evangelho, mas também foi o berço do desenvolvimento de um futuro líder. Hoste enfrentou seus temores e se perfilou como um servo capaz de grandes coisas para o Senhor. Com sua visão posta em Cristo, MISIONÁRIO MUNDIAL 32 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia


herói da fé

foi guiado pelo caminho adequado e se destacou como um missionário corajoso e decidido. Comprometido com seu trabalho evangelizador, o missionário assimilou os costumes dos chineses, usou seu vestimenta e até comeu seus alimentos. Além disso, foi um dos pioneiros na Idea de estabelecer templos e, tão rápido quanto possível, outorgarlhes autonomia, para que fossem os mesmos chineses os que pregassem a seus compatriotas. Em 1893, Dixon se casou com a crente Gertrude Broomhall, filha do secretário general da Missão do Interior da China, Benjamin Broomhall, e sobrinha de Hudson Taylor, na cidade de Tianjin e regressaram uns dias depois a Hongdong. Em 1896, o pregador foi enviado para a Inglaterra para que se recuperasse porque estava sofria de vários mais físicos. Depois de um período de descanso na Grã-Bretanha, com sua saúde ainda fraca, foi destinado para a Austrália, junto com sua família, por Taylor para continuar com seu processo de recuperação. Quando se reestabeleceu, foi designado como superintendente do trabalho missionário em Henan.

DIRETOR-GERAL Ao estourar a Revolta dos Boxers, em novembro de 1899, Hoste se encontrava em Xangai apoiando o diretoradjunto da Missão do Interior da China, o pastor John Stevenson, por indicações do reverendo Taylor. Então, o fundador da sociedade determinou que Dixon tomasse seu posto de diretor-geral da organização e assumisse um papel mais relevante. Durante os seguintes 35 anos, o pregador britânico dirigiu a Missão do Interior da China e superou grandes transições e desafios. Primeiro, decidiu

que a sociedade não aceitaria nenhum pagamento pela perda de vidas ou propriedades produzidas durante a Revolta dos Boxers. Quando Hudson Taylor morreu em 3 de junho de 1905, muitos pensaram que a Missão do Interior da China colapsaria, mas Hoste proporcionou um governo estável, piedoso e sábio; com rapidez ganhou a confiança dos missionários, seguidores e outros líderes da organização. Muitos deles tinham se beneficiado enormemente com seus ensinamentos da Bíblia em conferências. Homem sério que amava o trabalho evangelizador sobre todas as coisas, centrou sua atenção em seus deveres como diretor-geral da obra iniciada por Taylor e sempre levou consigo um punhado de folhetos nas caminhadas que realizava pelo centro de Xangai.

ÚLTIMOS ANOS Hoste, como diretor-geral da Missão do Interior da China, assumiu seu trabalho a favor do Senhor com oração, exemplos e sábios conselhos. De forma constante, lembrou aos missionários que deviam servir aos chineses e não governá-los. Em 1929, no apogeu da grande Depressão, chamou audazmente duzentos pregadores para que se unissem a missionários liberados das responsabilidades pastorais e levar as Sagradas Escrituras às cidades chinesas ainda não evangelizadas nas regiões de Xinjian e o Tibete. Seis anos depois, Dixon Edward Hoste deixou seu posto e se retirou a um pequeno apartamento de Xangai da Missão do Interior de China. Ali permaneceu até o ataque contra Pearl Harbor, que o transformou em “cidadão inimigo” em uma terra ocupada pelas forças japonesas. Posteriormente, em 11 de maio de 1946, em um lar de anciãos de Londres, o pregador inglês, reconhecido até o hoje por seu trabalho missionário, morreu e se dirigiu ao céu para se reunir com Jesus Cristo após ter lhe servido com grande paixão e dedicação.

dezembro 2017 / Impacto evangélico

33


T

inha nascido no seio de um lar cristão, mas abandonou o caminho do Senhor em sua juventude para empreender uma vida mundana. Quando a tragédia tocou seu lar, elevou suas orações e a grande misericórdia de Deus salvou seu pequeno filho de uma terrível doença. Susan Amau Foto: Archivo Familiar

Ruth Ester Castillo González nasceu em 1981 e cresceu no seio de uma família cristã, um caminho que seguiu só até sua juventude. As coisas terrenas deste mundo a seduziram e afastaram do sendeiro divino. Aos 19 anos saiu de sua casa para viver com um jovem que conheceu e amou com frenesi. Cega de amor mudou sua felicidade verdadeira por uma que duraria pouco tempo. Uma simples nota foi o que encontraram Alejandro Castillo e Berta González no dia em que a filha abandonou a casa de Vista Bella, distrito de Arraiján, Panamá. A separação, sem dúvida, pegou seus pais de surpresa. Um duro golpe para o pai, um pastor que foi o primeiro secretário da Obra do Movimento Missionário Mundial (MMM) no Panamá. A mãe desatou em pranto e orou para que Deus mantivesse a salvo sua filha e fizesse com que saísse do mau caminho. Longe de casa, quando achava que tudo seria perfeito, começaram os problemas para a garota. Os ciúmes de seu companheiro, Abdiel Munhoz, faziam com que ela pensasse que tinha tomado uma má decisão em sua vida. No entanto, era inútil voltar, não era mais a mesma e se pretendia regressar a seu lar teria que cumprir as normas de seu pai. “Isso nunca”, disse a si mesma. Os conflitos foram aumentando no meio de uma vida desordenada junto a seu companheiro. As bebidas alcoólicas e as discotecas se tornaram uma constante. Em sua solidão, lembrava entre lágrimas uma oração muito simples que dedicava ao SenMISIONÁRIO MUNDIAL 34 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia


testemunho

O MILAGRE DO MENINO

JAFET

dezembro 2017 / Impacto evangĂŠlico

35


hor quando era uma menina: “Senhor, por favor, peço que minha alma não se perca”, palavras que agora golpeavam fortemente seu coração e tinham um peso em sua vida. Um ano depois, em 2001, Ruth ficou grávida e teve que deixar a universidade. O nascimento do primeiro filho não impediu que os problemas continuassem em casa. Depois chegou sua filha, mas a situação era cada vez pior. Os ciúmes de Abdiel estavam consumindo a relação. As brigas eram mais fortes e constantes, ao ponto que pensou em se separar dele. A agressão verbal mútua os levou a receber terapia de casal. Incontáveis foram as lágrimas de Ruth. Todo o tempo, a culpa e o vazio de Deus em seu coração a perseguiam. Presa do pecado, Ruth pensou que não teria outra oportunidade com o Senhor, tinha falado muito às pessoas que mais queria e, mesmo assim, infeliz, preferia continuar no caminho que escolheu. Até que em 2 de agosto de 2011, nasceu Jafet Muñoz Castillo, um lindo menino que levou a luz a seu lar.

Os conflitos foram aumentando no meio de uma vida desordenada junto a seu companheiro. As bebidas alcoólicas e as discotecas se tornaram uma constante. Em sua solidão, lembrava entre lágrimas uma oração muito simples que dedicava ao Senhor quando era uma menina: “Senhor, por favor, peço que minha alma não se perca” (...) CRUEL DOENÇA A família recebeu com alegria a chegada do novo ser. Passou um mês e os problemas diminuíram para então, a relação com seu esposo começou a melhorar. No entanto, não tudo seria felicidade por muito tempo. Em uma tarde o menino apresentou febre alta que o conduziu ao serviço de emergência. No princípio, foi diagnosticado com uma infecção glandular. Foi banhado e o enviaram a casa com medicinas. Em uma ocasião, o menino chorou durante toda a noite. Os pais esperaram que o MISIONÁRIO MUNDIAL 36 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia


testemunho

dezembro 2017 / Impacto evangĂŠlico

37


MISIONÁRIO MUNDIAL 38 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia


testemunho

medicamento fizesse efeito, mas só conseguiram que se movesse com dificuldade e a temperatura se normalizasse. Imediatamente partiram para o hospital, onde descobriram que o menino convulsionava. Uma surpresa para Ruth, que não sabia que uma criança podia convulsionar sem ter febre. O pequeno Jafet foi internado. Uma especialista afirmou que poderia se tratar de uma bactéria que estaria provocando essas convulsões. A angústia e desesperação se apoderaram de Ruth, sentia um peso em seu peito sem entender o que estava acontecendo. Sua mãe, que a acompanhava, brindou-lhe tranquilidade e orou a Deus por uma pronta recuperação do bebê. Depois de unas horas deslocaram a criança a uma sala, onde um médico examinou suas pupilas. Para surpresa de todos, o médico saiu correndo, mas depois de uns segundos voltou para lhes informar que tinha ordenado que lhe aplicassem um ultrassom cerebral imediatamente. Parecia que o caso era complicado e todos foram retirados do lugar. Alguns opinavam que a criança não resistiria mais tempo. Ninguém dava um diagnóstico concreto à mãe. Ela só via os médicos correr e seu coração lhe dizia que algo não estava bem. Com lágrimas nos olhos procurou uma resposta para a situação, mas não encontrou nenhuma. Uma enfermeira em evidente desesperação pediu aos médicos que se apressassem e lhe mostrou seu bebê só por um momento. O menino parecia dormido e lhe advertiu que não se assustasse se a criatura saia entubada porque iria a cuidados intensivos.

drásticas demais para Ruth, só os pais podiam vê-lo por cinco minutos nas manhãs. O mais importante era estudar o caso do menor para descobrir o tipo de bactéria e lhe brindar um antibiótico efetivo. Quando os médicos apareceram, a mãe se aproximou e lhes perguntou se seu bebê tinha esperança.

A SENDA ANTIGA Essas palavras bastaram para Ruth, que temeu o pior naquele momento. Começou a chorar e pensou “Este é o fim”. A mulher sentiu que sua vida marchava à desgraça. Seu pai, que tinha presenciado a cena, não deixou que a desesperança a vencesse e lhe pediu que falasse com Deus. Como tinham lhe dito, o bebê saiu entubado e foi levado a terapia intensiva. Uma doutora lhe disse: “Seu filho tem meningite bacteriana, que não só afetou a membrana cerebral, mas o mesmo cérebro”. O menino se via muito delicado e as restrições eram

prometeu lhe servir. Suplicou perdão, clamou por um milagre e de repente uma paz invadiu todo seu ser, algo difícil de expressar. No dia seguinte Ruth era diferente, começou a lembrar os coros do passado. Rumo ao hospital, cantou “Estou confiando, Senhor em Ti”, um de seus hinos favoritos. Quando mencionou a seus pais sua reconciliação com Deus, eles sentiram gozo apesar da situação. Sabiam que não havia melhor esperança que tomar uma segura decisão. Eles tinham orado todo o tempo por Ruth desde que abandonou seu lar e mais agora pela salvação do bebê.

–Ore a Deus, só Ele sabe – disse um deles e foi embora. Essas palavras tocaram o coração de Ruth, que voltou a sua casa com uma profunda dor. Prostrou-se de joelhos e entregou sua alma, coração e vida ao Senhor. Essa noite chorou sem cessar e não dormiu suplicando misericórdia a Deus. Em algum momento pensou que não merecia nada de Deus por ter se afastado de seu caminho. No entanto, lembrou a grande misericórdia do Senhor. Então orou ferventemente e, do mais profundo de seu coração,

Em algum momento pensou que não merecia nada de Deus por ter se afastado de seu caminho. No entanto, lembrou a grande misericórdia do Senhor. Então orou ferventemente e, do mais profundo de seu coração, prometeu lhe servir. Suplicou perdão, clamou por um milagre e de repente uma paz invadiu todo seu ser, algo difícil de expressar.

Cadeias de jejum e oração em nível nacional se promulgaram a favor do menino, uma igreja unida no Panamá conhecia a situação e esperava um milagre de Deus. Jafet passou sete dias em terapia intensiva; era duro para a mãe ver um corpo tão pequeno resistir tantos tubos, adesivos no rosto, inchado e, às vezes, nem sequer poder vê-lo os cinco minutos, porque ao ouvir sua mãe o bebê se afogava e tentava se mover, o que prejudicava mais sua saúde. MILAGRE DO SENHOR Depois do sétimo dia, o menino foi levado a outra sala e uma doutora lhe explicou que o bebê poderia ficar com sequelas devido à doença. Foi enviada para receber capacitação. Ali lhe explicaram durante várias semanas que seu filho poderia ficar com hidrocefalia, cego, surdo, mudo ou ter problemas psicomotores, por isso o menor devia ser avaliado o tempo todo pelas várias consequências que afetariam seu desenvolvimento. Apesar de tudo isso, o Senhor agora era sua fortaleza. Ruth não se deixaria vencer e confiaria em Deus até o final. Os dias transcorreram e os médicos só diziam que o viam muito mal. Depois de um mês deixaram que fosse a casa, mas devia ter encontros constantes com uma neurologista e receber terapias. A confiança em Ruth aumentou de tal maneira que quando levou seu filho às terapias, notou que as enfermeiras que atendiam Jafet não podiam acreditar que seu menino apresentasse tão rápida recuperação. Depois de seis meses de terapias voltou para o hospital. A doutora que interveio o menor lhe disse: “Se não tivesse sido eu mesma quem atendesse este bebê, eu diria que estás me trazendo outro menino”. Surpreendida por estas palavras, admirou a grandeza de Deus. Passaram-se seis anos e Jafet é um menino que sempre esteve nos planos de Deus, sorri e joga sendo luz aonde ele vai. Não apresenta nenhuma sequela da doença e ainda a ciência não pode explicar sua recuperação. O pequeno continua crescendo e conseguiu aproximar seus pais dos caminhos do Senhor. Agora são uma família feliz. Ruth continua sendo fiel ao Senhor e afirma: “Para Deus, nada é impossível”.

dezembro 2017 / Impacto evangélico

39


“E o anjo lhes disse: Não temais, porque eis aqui vos trago novas de grande alegria, que será para todo o povo: Pois, na cidade de Davi, vos nasceu hoje o Salvador, que é Cristo, o Senhor. E isto vos será por sinal: Achareis o menino envolto em panos, e deitado numa manjedoura. E, no mesmo instante, apareceu com o anjo uma multidão dos exércitos celestiais, louvando a Deus, e dizendo: Glória a Deus nas alturas, Paz na terra, boa vontade para com os homens” (Lucas 2:10-14).

Rev. Luis M. Ortiz

Deus é glorificado em cada gota de orvalho que umedece a grama na manhã, em cada amanhecer de cada novo dia, em cada flor que mostra sua beleza e exala sua fragrância, em cada passarinho que canta com trinos para o Criador, em cada raio do astro-rei que dá vida, luz e calor. Toda a criação louva e glorifica a Deus, como diz no Salmo 148. “Os céus declaram a glória de Deus e o firmamento anuncia a obra de suas mãos” (Salmos 19:1). Mas, mesmo quando toda a criação se fusionar em uma gigantesca sinfonia de louvor, jamais poderá igualar o grande cântico da encarnação do Filho de Deus. Jamais antes a multidão dos exércitos celestiais tinha cantado: “Glória a Deus nas alturas, paz na terra, boa vontade para com os homens!” (Lucas 2:14). Há mais glória e mais melodia no nascimento virginal de Jesus que no nascimento de todo o vasto universo com todas suas galáxias, estrelas e sóis. “E o Verbo se fez carne, e habitou entre nós e vimos a sua glória, como a glória do unigênito do Pai, cheio de graça e de verdade” ( João 1:14). O apóstolo Paulo inspirado pelo Espírito Santo em uma magna e sublime exclamação diz: “E, sem dúvida alguma, grande é o mistério da piedade: Deus foi manifestado em carne, foi justificado no Espírito, visto dos anjos, pregado aos gentios, crido no mundo, recebido acima na glória” (1 Timóteo 3:16). Grande é o MISIONÁRIO MUNDIAL 40 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia

GLÓRIA A DEUS

NAS ALTURAS!


devocional

mistério da piedade: Deus se manifestou em carne. O imenso universo está cheio de mistérios. Há um mistério em cada gota de água. O que é o que une dois átomos de hidrogênio com um átomo de oxigênio

para formar uma molécula de água? Por que um gafanhoto tem duzentos e setenta dentes em seu corpo? Como faz a minhoca para formar outra cabeça quando perde a primeira? Por que o cavalo se levanta primeiro com as patas dianteiras e a vaca,

com as patas traseiras? Bom, poderíamos fazer inumeráveis perguntas; a única resposta que teríamos é que as coisas são como são de acordo às leis estabelecidas pelo Criador. Deus faz mais de cem perguntas a Jó e cada uma contém um mistério para o homem. Estamos cheios de mistérios, ninguém sabe exatamente o que é a eletricidade; sabemos conduzi-la, sabemos usá-la para diferentes coisas, mas ninguém sabe explicar o que é. Se isso é assim no mundo físico e material, o que vemos, palpamos e utilizamos, os mistérios no mundo espiritual e no reino de Deus são maiores e estão fora de nossa compreensão e domínio (Jó. 38:19-24, 31). Sem dúvida alguma, grande é o mistério da piedade: Deus foi manifestado em carne. Sua conceição e nascimento virginal, sua vida, seu ministério, sua doutrina, seu sacrifício, sua morte, sua expiação, sua ressurreição, suas aparições, sua ascensão, sua segunda vinda, tudo está cheio deste grande mistério da piedade. Em cada época do mundo existiram grandes personagens ou protagonistas, mas Jesus é único em todas as épocas. Deus por nós, Emanuel, o Verbo, o Filho de Deus, e ao mesmo tempo é Jesus, Filho do Homem, Redentor, Servo, Deus e Homem, divino e humano; sua divindade era real e verdadeira, sua humanidade era real e verdadeira. Como pode ser possível? Como? Grande é o mistério da piedade. Às vezes algumas pessoas querem penetrar esses mistérios divinos por meio da especulação e das interpretações. Mas não temos a capacidade de fazer isso, também não podemos entender tudo nem explicar tudo. Os mais renomados cientistas não podem entender nem explicar os mistérios do mundo físico e material; os mais ilustres teólogos também não podem entender nem explicar esses grandes mistérios da piedade. O Senhor revelou ao grande apóstolo Paulo muito sobre esses mistérios (Romanos 11:33-34). Grande é o mistério da piedade. Com muita razão, os anjos cantaram aquela manhã: “Glória a Deus nas alturas, paz na terra, boa vontade para com os homens!”.

dezembro 2017 / Impacto evangélico

41


“… E fui ao Eufrates, e cavei, e tomei o cinto do lugar onde o havia escondido; e eis que o cinto tinha apodrecido, e para nada prestava... Porque, como o cinto está pegado aos lombos do homem, assim eu liguei a mim toda a casa de Israel, e toda a casa de Judá, diz o Senhor, para me serem por povo, e por nome, e por louvor, e por glória; mas não deram ouvidos.” (Jeremias 13:1-11).

Rev. Alberto Ortega

Deus recorreu a uma analogia para falar ao profeta Jeremias sobre a condição espiritual de Israel. O Senhor comparou o povo com um cinto de linho que Ele tinha escolhido para se pegar aos lombos, mas depois este cinto se corrompeu ao ser colocado junto ao rio Eufrates. O linho é um tecido, fabricado de uma planta que leva o mesmo nome. Era cultivado na beira do rio Nilo, em lugares pantanosos e húmidos. Quando o rio transbordava, arrastava terra argilosa que favorecia o crescimento do linho. O processo de obtenção do linho era laborioso. Primeiramente, os caules eram submergidos em água para eliminar a matéria resinosa e produzir a fermentação; a fibra obtida era separada da cana ao moê-la, e depois se fiava como o algodão. Os hebreus chamavam o linho com vários nomes. O linho possui uma cor branca que faz parte de sua estrutura natural. Além disso, esta cor branca é duradoura e não se torna amarela com a passagem do tempo, não se vê afetada pelas condições exteriores, é inalterável e constante apesar das circunstâncias que o rodeiam. As vidas que foram purificadas pelo Sangue de Jesus Cristo, permanecem inalteráveis, não são perturbadas pelas propostas e as posições, são fiéis, constantes e sem ânimo dobre.

I. O LINHO NOS PROPÓSITOS DE DEUS Deus usou o linho para o tabernáculo (Êxodo 26:1). O linho representava a santidade de Deus. Do mesmo modo, Deus estipulou que o linho seria usado para a MISIONÁRIO MUNDIAL 42 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia

UNINDO-NOS A DEUS

confecção da roupa sacerdotal (Êxodo. 28:39-40). Na descrição da mulher virtuosa, o linho faz parte também de sua vestidura (Provérbios 31:22); neste caso, simboliza a pureza moral da esposa. Finalmente, o linho tipifica a santidade e a pureza da Igreja que Cristo desposará (Apocalipse 19:8).

II. O PROCESSO DO LINHO Primeiramente, o linho cresce nos lugares pantanosos; esses pântanos contêm alguns depósitos naturais de água estagnada cujo fundo é lamacento. Na ribeira do rio Nilo, não só abundavam mosquitos e serpentes venenosas, mas também perigosos crocodilos. O lugar onde nasce o linho é insalubre e malsão. Nosso Redentor veio para eliminar a vileza do mundo e o menosprezo dessa lama para pô-la sobre seus lombos. Para que o linho se transforme em cinto de Deus, deve passar por processos dolorosos: 1) seção; 2) trituramento, e 3) fiação. 1) Seção. Os colhedores de linho deviam utilizar uma faca afiada para cortálo corretamente da base de sua cana. Do mesmo modo, Deus possui uma ferramenta que corta do pântano, do mundo, dos vícios e do pecado. Nosso Senhor entrou no pântano deste mundo não só com seu sangue redentor, mas também como fio da Palavra de Deus (Hebreus 4:12). 2) Trituramento. A etapa da seção do linho é dura; na segunda etapa, o processo é ainda mais doloroso. A cana de linho não é usada para tecer, mas é necessário extirpar a fibra que ela contém em seu interior. Para poder extrair a fibra de seu envoltório exterior, os tecedores deviam golpear fortemente a cana com algumas pedras pesadas. À medida que a cana era golpeada, aparecia a fibra branca que seria usada para confeccionar vestiduras. Enquanto a faca nos separou do pântano, do mundo e do pecado; agora a pedra

deve nos separar de nós mesmos, da cana que nos envolve. A cana que nos rodeia corresponde a nosso caráter cheio de orgulho, de vaidade, de soberba; e se relaciona com tudo aquilo que ainda prevalece em nós (nossas características, nosso caráter e nosso temperamento). Cristo é a pedra que levanta ou que leva à queda (1 Pedro 2:4-8). E se não deixamos que essa pedra nos golpeie, passam os anos e somos um problema dentro do lar, do trabalho, da igreja. Israel estava sendo golpeado duramente com a pedra do Egito, esse era o processo pelo qual o envoltório da escravidão deixaria sair o tecido resplandecente e branco do sacerdócio. 3) Fiação. Após o processo da pedra, precisamos o processo da roca, ou a roda na qual se fiava o linho. O linho deixa de ser fibra para ser fio. Neste processo, a fibra se torna fio por meio da torsão. Quando o linho se faz fio, então pode ser tecido com outros fios na tecelagem, para assim confeccionar o material. Quando se tece, o fio perde seu individualismo para formar a vestidura com outros fios. E quando alguém está em Cristo, acaba a vontade própria, a imagem pessoal e começa o anonimato dentro do conjunto.

III. O PRIVILÉGIO DO LINHO Quando o linho aceita esses três processos é quando consegue privilégios. Deus olhou para o Egito e viu seu povo ser afundado em lugares pantanosos e de dor. O Egito


devocional

estava golpeando a cobertura do linho que era Israel, para que surgisse o cinto de linho que Deus colocaria sobre seus lombos (Jeremias 13:11). Deus elegeu Israel para que fosse o expoente de Sua Santidade.

IV. O PERIGO DO LINHO O perigo do linho consiste no desprendimento dos lombos de Deus. A humildade, o sofrimento, os padecimentos nos levam ao lugar de honra. Pelo contrário, a soberba, a arrogância e o descuido farão com

que saiamos das alturas e sejamos arrancados dos lombos de Deus. O fato de não ouvir a tempo a Palavra de Deus, o conselho, a admoestação e a correção levam a prestar atenção às imaginações do coração. A Bíblia diz: “Enganoso é o coração mais do que todas as coisas, e perverso; quem o conhecerá?” (Jeremias 17:9). Deus disse a Jeremias que se desprendesse do cinto e o escondesse. Quando alguém se desprende dos lombos de Deus, começa a vida de dissimulação e oculta,

e se manifestam as intenções escondidas. Mas aqui acontece algo chocante, a água do pântano que o nutriu para que fosse linho fino, agora o corrompe. A Palavra de Deus é clara e contundente: “… eis que o cinto tinha apodrecido; e para nada prestava” (Jeremias 13:7). Quando Deus retira alguém de seus lombos, é porque se torna inservível e inútil. Perde-se a unção, a graça, a Palavra e a alma. Amado, por que não pede a Deus que o faça linho sobre Seus lombos?

dezembro 2017 / Impacto evangélico

43


“De sorte que haja em vós o mesmo sentimento que houve também em Cristo Jesus” (Filipenses 2:5).

Rev. Manuel Zúñiga

Entre muitas facetas do sentimento que houve em Jesus Cristo, e sendo preciso que esteja em nós, vamos nos concentrar na humildade, a mansidão, a comunhão e a visão.

I. HUMILDADE E MANSIDÃO Uma das primeiras pautas que nosso Senhor deu a seus discípulos foi: “… aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração” (Mateus 11:29). Em muitas ocasiões, Deus permite que experimentemos certas circunstâncias para que nós tenhamos consciência acerca da existência ou da carência de ambas as qualidades. A pessoa que adolesce de temperança é orgulhosa, e se nega a reconhecer seus próprios erros ou perdoar. Portanto, Deus diz: “Ainda que o Senhor é excelso, atenta todavia para o humilde; mas ao soberbo conhece-o de longe.” (Salmos 138:6). Uma pessoa humilde e mansa é uma pessoa que serve a Deus de coração. E todos os que são membros do corpo de Cristo devem decidir fornecer um serviço a Deus, e passar por um processo de renúncia a si mesmo. Não importa a alta posição profissional ou social que alcancemos, quando passamos os átrios do templo nos tornamos almas necessitadas de Deus. O Senhor deseja corações contritos e humilhados perante sua presença. Jesus Cristo veio a esta terra para servir, e isto implicou que se humilhasse no máximo. Efetivamente, teve que se despojar de sua vestidura de glória divina; também teve que abandonar os céus, a adoração dos anjos que Ele mesmo impulsionava, e se encarnar em um corpo humano. Em Filipenses 2:6-8 se descreve esse processo de renúncia e negação: “… sendo em forma de Deus, não teve por usurpação ser MISIONÁRIO MUNDIAL 44 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia

O MESMO SENTIMENTO QUE HOUVE EM

CRISTO


devocional

igual a Deus, mas esvaziou-se a si mesmo, tomando a forma de servo, fazendo-se semelhante aos homens; E, achado na forma de homem, humilhou-se a si mesmo, sendo obediente até à morte, e morte de cruz.”. Certamente, “… grande é o mistério da piedade: Deus se manifestou em carne… Ali estava a luz verdadeira, que ilu-

mina a todo o homem que vem ao mundo. Estava no mundo, e o mundo foi feito por ele; e o mundo não o conheceu. Veio para o que era seu, e os seus não o receberam” (1 Timóteo. 3:16; João 1:9-11). Nosso Senhor Jesus Cristo não só deixou seu trono de glória, mas também escolheu uma jovem pobre e humilde para trazê-lo a este mundo, nasceu em um estabulo, criou-se em uma família de carpinteiros do povo de Nazaré. Durante toda sua vida lhe emprestaram tudo, desde o útero de Maria, o estábulo onde nasceu, o jumento que usou para sua entrada triunfal a Jerusalém, o aposento alto onde celebrou a última ceia com seus apóstolos, até o túmulo de José de Arimateia onde foi sepultado. O Filho de Deus não veio à Terra para ser servido, mas para servir; e sendo Ele puro, santo e imaculado, misturou-se com os pecadores e permitiu que aqueles homens indignos o tocassem e o abraçassem. Além do mais, sendo servo, sofreu a morte vergonhosa que os romanos reservavam para os piores criminais: a cruz. Por essas razões, o povo de Israel não podia admitir que o Messias fosse uma pessoa tão humilde como nosso Senhor Jesus Cristo. Mesmo quando seu ministério na terra alcançou a cúspide, Cristo nunca deixou de ser humilde. As multidões o seguiam e em algumas ocasiões até quiseram coroá-lo rei,

e certamente seria lisonjeiro ver milhares de pessoas sentadas a seus pés durante horas ouvindo seus ensinamentos. Porém, Ele nunca permitiu que os sucessos terrenos fizessem com que vacilasse; além do mais, nem sequer se gabava de suas virtudes.

II. COMUNHÃO Quanto à comunhão, o Povo de Deus também deve ter o mesmo sentimento que houve em Cristo. Devemos amar uns aos outros, mas o amor não pode fluir em nós se primeiramente não amamos Aquele que nos salvou. “Aquele que tem os meus mandamentos e os guarda, esse é o que me ama; y aquele que me ama, será amado de meu pai, e eu o amarei, e me manifestarei a ele…” (João 14:21, 23-24). A Palavra de Deus não deve ser questionada, mas vivida. Ninguém é capaz de se submeter a Deus se não O ama, porque a obediência não pode existir sem amor. A pessoa que não ama o Senhor tem então uma tendência à rebelião, à insubordinação, ao protesto, à queixa, à querela. João 3:16 diz: “Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu a seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê, no pereça, mas tenha a vida eterna”. Irmãos, o amor que Deus teve pelo homem foi grande e incondicional. Jesus Cristo veio a esta terra para reconciliar o mundo com Deus, e foi obediente em tudo até a morte (Filipenses 2:8). Pois, consideremos sempre que e o amor e a obediência são inseparáveis, e devem conviver no cristão. III. VISÃO O que foi o que motivou Cristo a realizar o sacrifício na cruz do Calvário? A única visão que Cristo trouxe a este mundo foi nossa condição pecaminosa, e que aquela era a única solução possível para resgatar o homem. Essa mesma visão também deve prevalecer no corpo de Cristo: o amor pelas almas, e o desejo de obedecer ao mandato que nosso Salvador nos encomendou; de ir por todo o mundo e de fazer discípulos em todas as nações. A salvação que recebemos por graça; por graça temos que anunciá-la aos que nos rodeiam. Amém.

dezembro 2017 / Impacto evangélico

45


Um relatório superficial do trabalho que a Obra do Movimento Missionário Mundial desenvolve pelos caminhos da América e ao redor do mundo. A Santa Bíblia diz: “E, perseverando unânimes todos os dias no templo… E todos os dias acrescentava o Senhor à igreja aqueles que se haviam de salvar.” Atos 2:46, 47.

SEGUIREMOS SERVINDO A DEUS

COM RESPONSABILIDADE

O

Movimento Missionário Mundial de Madagascar realizou a 2ª Confraternização Nacional com a participação especial do missionário Carlos Guerra e das delegações de diversos países. MISIONÁRIO MUNDIAL 46 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia

O Movimento Missionário Mundial de Madagascar realizou sua Segunda Confraternização Nacional na cidade de Antananarivo, capital de Madagascar, de 20 a 22 de outubro. Recebeu-se a visita de delegações de crentes provenientes de diversos cantos desta nação insular situada no oceano Índico e de fiéis provenientes de Curaçao, Holanda, Bonaire

e Costa Rica. Sob o amparo do Senhor, este evento foi realizado apesar da peste que açoitou a maior ilha da África nos últimos tempos. O evento da Obra de Deus se levou a cabo sob o lema “Seguiremos servindo a Deus com responsabilidade”. O reverendo Carlos Guerra, Supervisor Nacional o MMM da Costa Rica, foi o


evento

convidado especial desta festa espiritual que paralisou Antananarivo. Na jornada inaugural, o pastor Guerra se encarregou de compartilhar as boas novas do Criador através de uma prédica baseada no Salmo 115, que serviu para que o ministro do Altíssimo falasse acerca das quatro promessas que o Todo-Poderoso fez a sua igreja. Nesse sentido, o Rev. Guerra indicou que “Deus nos ajudará, nos protegerá, nos abençoará e nos aumentará”. Depois, no segundo dia, dois cultos foram realizados para a glória do Senhor. Pela manhã, o missionário Guerra pregou o Evangelho e desenvolveu o tema “O poder da Pa-

lavra de Deus”. Posteriormente, pela noite, a irmã Suhé Reenis, pastora da igreja em Madagascar, foi a responsável pela prédica “É preciso renunciar para seguir”. No último dia, o reverendo Guerra evange-

lizou novamente os seguidores do Senhor com o discurso “O poder da presença de Deus”. Baseado em Êxodo 33:14, o servo falou sobre a obra missionária espalhada pelo Movimento Missionário Mundial por todo o mundo.

dezembro 2017 / Impacto evangélico

47


SEJA DILIGENTE EM SEMEAR E CAVAR

NOVOS POÇOS

O

MMM do Chile reuniu fiéis da Argentina, Bolívia, Uruguai, Paraguai, Brasil e Peru em sua 21ª Convenção Nacional realizada em Santiago.

O ginásio municipal de San Joaquín, situado na cidade de Santiago, foi o cenário da Vigésima Primeira Convenção Nacional do Movimento Missionário Mundial do Chile, realizada de 26 a 29 de MISIONÁRIO MUNDIAL 48 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia

outubro. Neste ponto da capital chilena se congregou um grande número de fiéis provenientes da Argentina, Bolívia, Uruguai, Paraguai, Brasil, Peru e Chile, que adoraram o Senhor. A festa do MMM do Chile, liderada pelo reverendo Gerardo Martínez, Supervisor Nacional da Obra no solo chileno, contou com a participação do reverendo José Soto, Vice-Presidente Internacional do Movimento Missionário Mundial; Luis Rivero, Supervisor Nacional do MMM do Paraguai; Mario Lima, Supervisor Nacional do MMM da Bolívia, e Ismael Parrado, Su-


evento

pervisor Nacional do MMM da Argentina. Na atividade, a fé em Deus esteve presente do princípio ao fim. Além disso, nos quatro dias que durou o evento, apreciou-se uma grande união entre os fiéis chilenos e os do resto do continente sulamericano. Também se observou numerosas bandeiras e trajes típicos dos países que assistiram à 21ª Convenção Nacional do Movimento Missionário Mundial do Chile. Realizada sob o lema “Seja diligente em semear e cavar novos poços”, a reunião, transmitida ao vivo por “Koinonia Comunicaciones”, serviu para que os seguidores do Senhor demonstrassem seu amor incondicional e dedicação total. No dia final se levou a cabo a cerimônia de promoção de obreiros, no qual quatro colaboradores foram reconhecidos como pastores laicos e outros quatro como pastores licenciados, e um como ministro ordenado.

dezembro 2017 / Impacto evangélico

49


EM DEFESA DA FAMÍLIA

M

ais de um milhão de pessoas marcharam no Equador com o lema “Não mexa com meus filhos”, para demonstrar sua oposição à ideologia de gênero que ameaça a nação sul-americana. Vestidos de branco e com o intuito de exigir seu direito a educar seus filhos tendo como guia os valores morais da fé cristã, mais de um milhão de equatorianos saíram às ruas de seu país, em 14 de outubro, com o objetivo de protestar contra a ideologia de gênero que ameaça se infiltrar em seu sisteMISIONÁRIO MUNDIAL 50 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia


evento

ma educativo depois de que na Assembleia Nacional do Equador se começasse a discutir sua inclusão. Com um papel primordial e decisivo, o Movimento Missionário Mundial do Equador participou desta multitudinária marcha que imobilizou as principais artérias das cidades mais relevantes da nação andina, que experimenta horas de angústia devido à ameaça deste conjunto de ideias contrárias às leis estabelecidas pelo Senhor para a humanidade. Guayaquil, Quito, Cuenca, Santo Domingo, Machala, Durán, Portoviejo, Manta, Puyo e outras cidades principais do Equa-

dor fizeram parte deste movimento de pessoas descontentes com a tentativa do governo de Lenin Moreno de incluir conteúdos com enfoque de gênero na grade curricular destinada para as crianças. O mar de pessoas unidas no grito “Não mexa com meus filhos” exigiu também que substâncias abortivas não sejam fornecidas aos menores de idade. Crentes, funcionários públicos, pais de família e pessoas indignadas que foram convocadas através das redes sociais e nas igrejas e templos cristãos participaram desta manifestação. No final da marcha, em cada cidade os

participantes leram um manifesto que exigia que se eliminasse todo Acordo Ministerial ou ação administrativa no âmbito da educação e da saúde que obrigue, imponha e difunda ideias ou pressupostos da ideologia de gênero, diversidade sexual e atração pelo mesmo sexo a crianças e adolescentes. O texto pedia ainda que se retirasse dos projetos de lei na Assembleia Nacional toda proposta que obrigue a imposição de saúde sexual reprodutiva, maternidade por substituição, mudança de sexo, manipulação de embriões e promoção de gênero a crianças e adolescentes.

dezembro 2017 / Impacto evangélico

51


MAURÍCIO CELEBROU SUA 20ª CONVENÇÃO NACIONAL

A

Obra do Senhor estabelecida nesse país, situado no oceano Índico, realizou um percurso espiritual pelos principais templos do MMM por motivo de sua reunião anual mais importante. O Movimento Missionário Mundial da República de Maurício celebrou de 25 a 29 de outubro, sua 20ª Convenção Nacional, denominada “Responsabilidade 2017”, com um percurso evangélico pelos principais templos do MMM edificados nesta nação insular. A festa espiritual começou no templo da localidade de Baie du Tombeau, do distrito de Pamplemousses, onde pastoreiam as irmãs Millie Li Niang Sun e Anne Marie Larose, duas servas fiéis do Senhor que foram as anfitriãs da jornada inicial. Depois, no segundo dia, a Obra de Deus apareceu na cidade de D’Épinay, situada também no distrito de Pamplemousses, aonde chegaram fiéis das congregações das cidades de Port Louis, Plaine de Papayes e Terre Rouge. Posteriormente, nos seguintes três dias, Curepipe, localidade situada no distrito de Plaines Wilhems e sede do templo principal do MMM, a cargo do reverendo Broveen Narsoo, foi o cenário da parte central da 20ª Convenção Nacional. O reverendo Alberto Ortega, Supervisor Missionário do MMM do Haiti, e Carlos Guerra, Supervisor Nacional do MMM da Costa Rica, foram os servos encarregados de compartilhar o Evangelho do Todo-Poderoso aos crentes. Adicionalmente, Bethel Televisão, o canal para a felicidade da família, transmitiu as incidências do evento ao vivo para o mundo inteiro. MISIONÁRIO MUNDIAL 52 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia


evento

dezembro 2017 / Impacto evangĂŠlico

53


COM CRISTO NA FAMÍLIA,

A

UM LAR FELIZ

9ª Confraternização de Povos Originários do Movimento Missionário Mundial da Bolívia reuniu fiéis aimarás e quíchuas do Senhor no município de Betanzos.

MISIONÁRIO MUNDIAL 54 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia

A 9ª Confraternização de Povos Originários, organizada pelo Movimento Missionário Mundial da Bolívia, reuniu membros aimarás e quíchuas da Obra do Senhor no município de Betanzos, situado a 45 quilômetros de Potosí, de 13 a 15 de outubro. Foi o encontro que sob o lema “Com Cristo na família, um lar feliz” serviu

para estreitar os laços espirituais dos seguidores do Senhor de comunidades nativas e demonstrar o avanço do Evangelho entre os povos originários da América do Sul. O evento, realizado em dois turnos nas instalações do estádio da escola Juan Francisco Bohórquez, recebeu a junta de oficiais do MMM da Bolívia, liderada


evento

pelo reverendo Mario Lima, Supervisor Nacional da Obra estabelecida no solo boliviano, e um grande grupo de fiéis provenientes de La Paz, Cochabamba, Sucre, Tarija e Oruro. No início das atividades, o pastor Abraham Colque, da igreja de Betanzos, dirigiu muitos cânticos e louvores ao Senhor em quíchua. Depois, o reverendo Lima, apoiado em 1 Pedro 3:1-7, expôs a Palavra de Deus. Mais tarde, no início do segundo dia, o reverendo Marcelo Valenzuela compartilhou as boas novas mediante uma

prédica baseada em Lucas 10:38. Depois, pela tarde se realizou uma marcha evangélica pelas ruas de Betanzos. Posteriormente, pela noite, o pastor Enrique Valenzuela evangelizou os seguidores do Criador. No encerramento, o reverendo Patricio Juri, encarregado da igreja de Villa Sebastián Pagador de Cochabamba, foi o expositor da mensagem do TodoPoderoso. Baseado em 1 Coríntios 3:16, o servo salientou: “Não permita que sua vida se contamine com as coisas que não convêm nem edificam”.

dezembro 2017 / Impacto evangélico

55


VAI NESTA TUA FORÇA;

O

NÃO TE ENVIEI EU?

MMM da Bélgica realizou sua 6ª Confraternização Nacional com a presença de fiéis provenientes da Holanda, Inglaterra e Luxemburgo. A cidade de Bruxelas, principal sede administrativa da União Europeia, foi sede da 6ª Confraternização Nacional MISIONÁRIO MUNDIAL 56 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia

do Movimento Missionário Mundial da Bélgica de 13 a 15 de outubro. Com o enunciado “Vai nesta tua força; não te enviei eu?”, o evento convocou, também, os crentes da Holanda, Inglaterra e Luxemburgo. No primeiro dia da 6ª Confraternização Nacional do MMM da Bélgica, transmitida ao vivo pelas redes sociais e pelos meios de comunicação da Obra de Deus, o reverendo Enmanuel Garzón,

Supervisor do Bloco C da Europa, foi o servo encarregado de compartilhar o Evangelho de Jesus Cristo. Depois, no segundo serviço, o reverendo Roberto Riojas, pastor da igreja em Londres, teve o privilégio de transmitir as boas novas de Deus aos fiéis que chegaram a Bruxelas. Em sua intervenção, o ministro do Todo-Poderoso exortou o povo do Altíssimo a crer em seu incomparável poder e descansar na


evento

excelência de sua soberania. No terceiro serviço, o portador da mensagem de Deus foi o reverendo David Echalar, Supervisor do Bloco B da Europa, que desenvolveu o tema “A verdadeira felicidade”. Em seu discurso, o pastor detalhou, mediante um estudo bíblico, as vezes que Deus abençoou seu povo e pelo qual o coração do cristão deve viver feliz em todo tempo e lugar. Mais tarde, no encerramento da confraternização, o reverendo Luis Valderrama, presbítero da Obra na Bélgica, pronunciou uma mensagem missionária baseada no lema da atividade, na qual salientou o serviço a Cristo confiando plenamente no Senhor e não em nossas próprias forças.

dezembro 2017 / Impacto evangélico

57


CAMPANHA EVANGELÍSTICA

EM GÊNOVA

O

MMM da Itália compartilhou o evangelho na sexta cidade mais povoada do território italiano, em uma atividade que contou com a presença de um milhar de pessoas. O Movimento Missionário Mundial da Itália efetuou uma jornada de fé em Gênova. Várias pessoas aceitaram ao Senhor como seu Salvador. Em 8 de outubro se desenvolveu uma campanha evangelística na praça Caricamento, tradicional ponto da cidade de Gênova, onde se irradiou a Palavra de Deus com o objetivo de compartilhar as boas novas que Jesus Cristo tem para a humanidade. O ato de fé, que congregou cerca de mil pessoas em torno do Evangelho, foi impulsionado pelos membros do MMM da Itália, que por meio de cantos e louvores captaram a atenção da população genovesa. Sob o

MISIONÁRIO MUNDIAL 58 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia

amparo do Senhor, os fiéis da Obra de Deus cristianizaram todo aquele que teve disposição para ouvir a Palavra do Criador. Na parte central da campanha evangelística, o reverendo David Echalar, Supervisor Nacional do Movimento Missionário Mundial da Itália, foi o porta-voz da mensa-

gem do Altíssimo. Com a Bíblia na mão, o servo afirmou: “Voltemos a Deus porque só Ele faz o homem feliz”. Deste modo, o MMM da Itália prosseguiu com sua missão de evangelizar todo esse país, no qual, graças a seu trabalho, há cada vez mais interesse nas coisas do Senhor.


evento

EU AMO MEU PRÓXIMO

O

MMM do Peru efetuou uma jornada de evangelização na cidade de Piura. O percurso permitiu difundir o Evangelho. O Movimento Missionário Mundial do Peru realizou uma jornada de evangelização em 2 de novembro nas ruas da cidade de Piura, perto da fronteira com o Equador, que permitiu a difusão da Palavra de Deus entre os povoadores desta tradicional localidade peruana. Com o lema “Eu amo meu próximo”, os membros da Obra do Senhor percorreram as principais artérias de Piura e compartilharam as boas novas do Salvador. Munidos de instrumentos musicais, balões e megafones, os seguidores de Jesus Cristo difundiram o Evangelho. A marcha dos integrantes do Movimento Missionário Mundial de Piura propiciou

que as vias da cidade se enchessem de mensagens cristãs de salvação e esperança. Os cânticos e os hinos ao Senhor também motivaram os cidadãos a se aproximar para ouvir a Palavra de Deus e receber um tratado com uma mensagem de salvação.

No final da jornada, um grande número de pessoas se concentrou em um parque infantil onde o reverendo Julio Vargas, Presbítero de Piura, ofereceu uma mensagem de fé que possibilitou que alguns dos participantes aceitassem a Cristo como seu salvador.

dezembro 2017 / Impacto evangélico

59


MULHERES QUE EDIFICAM COM

O

RESPONSABILIDADE

Movimento Missionário Mundial de Honduras realizou sua Convenção Nacional de Damas e Pastores em San Pedro Sula. No bairro Altiplano da cidade de San Pedro Sula, o Movimento Missionário Mundial de Honduras realizou sua Convenção Nacional de Damas e Pastores de 17 a 19 de outubro. Sob o lema “Mulheres que edificam com responsabilidade”, o evento contou com a participação especial do reverendo Gustavo Martínez, Presidente Internacional do MMM, e Álvaro Garavito, Diretor Internacional da Obra de Deus, e a missionária Carmen Valencia de Martínez. No início do evento, o reverendo Martínez, baseado em Salmos 119:30-35, desenMISIONÁRIO MUNDIAL 60 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia

volveu o tema “Quando desejamos que Deus alargue nosso coração”. Em sua intervenção, o líder do MMM salientou que é preciso deixar que Deus alargue nossos corações. Durante a segunda jornada, a missionária Carmen Valencia, apoiada em Juízes 4:8, transmitiu a mensagem do Senhor. Em sua alocução, intitulada “Você é instrumento de Deus para esta Obra”, a serva indicou que a mulher guiada pelo Senhor fará grandes coisas.

No terceiro serviço, o Rev. Martínez expôs a Palavra mediante a alocução “Cada ser humano decide o que fazer perante a voz de Deus”. Depois, no quarto serviço, a irmã Valencia compartilhou novamente as boas novas. O reverendo Garavito foi o pregador principal do quinto serviço. O servo, baseado em Mateus 6:33, dissertou sobre “O mais importante e necessário em nossa vida”.


evento

E POREI EM VÓS

O MEU ESPÍRITO, E VIVEREIS

A

Obra de Deus estabelecida na Dinamarca celebrou seu terceiro aniversário com uma festa espiritual que reuniu os fiéis de diversas igrejas da região da Escandinávia. Com a presença do reverendo Carlos Contreras, Presbítero da Zona da Escandinávia, o Movimento Missionário Mundial da Dinamarca celebrou seu terceiro aniversário em 20 e 21 de outubro no templo de Bredegade 16, localizado na cidade de Slagelse, situada na ilha de Zelândia. A festa espiritual, sob o lema “E porei em vós o meu espírito, e vivereis”, teve a presença de irmãos das igrejas da Finlândia, Estocolmo e Malmö . O reverendo Morten Christensen, encarregado da Obra

estabelecida em solo dinamarquês, foi o responsável por presidir as celebrações junto a sua esposa, Jaqueline Romero. No início do evento, o pastor Contreras instou os crentes a desfrutar do amor de Deus e guardar seus mandamentos mediante uma mensagem baseada em Marcos

12:28, intitulada “O maior mandamento”. No encerramento do terceiro aniversário do Movimento Missionário Mundial da Dinamarca, que reuniu os seguidores de Cristo estabelecidos na Escandinávia, desenvolveu-se o tema “Levanta-te”, que esteve inspirado em Atos 26:16.

dezembro 2017 / Impacto evangélico

61


JORNADA DE BATISMOS

O

EM CÚCUTA

MMM da Colômbia recebeu três novos membros, que foram admitidos depois de cumprir o sacramento estabelecido nas Sagradas Escrituras. Fiel aos princípios estabelecidos por Jesus Cristo em sua passagem terrena e que se encontram no Novo Testamento da Bíblia, o

MISIONÁRIO MUNDIAL 62 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia

Movimento Missionário Mundial da Colômbia efetuou uma cerimônia batismal em 16 de outubro na cidade de Cúcuta, capital do departamento de Santander, onde um grupo de três crentes confirmou sua união com Deus e selaram sua adesão ao cristianismo. Na atividade, organizada pela Zona 6 do MMM da Colômbia, viu-se o avanço da Obra do Senhor em solo colombiano e se comprovou a forma na qual o Evangelho está ganhando terreno na América do Sul.

Também se observou a fé dos fiéis recémadmitidos e seu amor pelo Criador e sua criação. O reverendo José Esmero Mendoza, servo do Altíssimo, foi o responsável por presidir o culto no qual os três novos membros do MMM desceram às águas do rio Peralonso, após meses de preparação e adestramento na sã doutrina que a Obra ensina, e se transformaram em novas criaturas do Criador.


evento

NOVOS CRENTES

N

NO TEXAS

a cidade de Houston, o MMM dos Estados Unidos admitiu dezoito membros depois de receberem o sacramento estabelecido por Jesus Cristo.

Como parte de sua missão de impulsionar a sã doutrina ao longo do país mais poderoso do planeta, o Movimento Missionário Mundial dos Estados Unidos executou, no estado do Texas, um ato solene no qual dezoito crentes desceram às águas batismais e optaram por se unir à grei do Senhor depois de passar por um rigoroso período de preparação. O evento, acontecido em 14 de outu-

bro e organizado pela Zona 9 do MMM dos Estados Unidos, foi realizado na cidade de Houston, a cidade mais povoada do Texas, e esteve encabeçado pelo reverendo Joel Reyes, líder deste setor que, junto a outros pastores, ensinou o sacramento de acordo com as Sagradas Escrituras. Acompanhados por aproximadamente duzentos fiéis da Obra de Deus, os novos membros do MMM rubricaram seu pacto com o Criador ao aceitá-lo como seu salvador e se comprometeram a seguir sua Palavra. Na cerimônia, também se adorou o Altíssimo com uma série de cantos e louvores que comoveram as pessoas presentes.

dezembro 2017 / Impacto evangélico

63


Outros Eventos

BELIZE Evangelismo em Belmopan

O Movimento Missionário Mundial realizou em 1 de outubro uma jornada evangelística na cidade de Belmopan, capital de Belize, onde a Obra de Deus ainda não tem templo instalado. Nesse sentido, o MMM enviou um grupo de irmãos para levar a Palavra do Senhor a esta nação centro-americana. Sob o amparo do Todo-Poderoso, o Movimento Missionário Mundial pregou o Evangelho nas ruas e parques de Belmopan. Além disso, compartilhou as boas novas, de porta em porta, e semeou a semente do cristianismo entre os cidadãos de Belize, que descobriram as Sagradas Escrituras. Os servos do Altíssimo também oraram pelos doentes de Belmopan em uma jornada na qual Jesus Cristo se apresentou e demonstrou todo seu poder aos cidadãos desta localidade da América Central.

MISIONÁRIO MUNDIAL 64 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia

EL SALVADOR Vigília de jovens em San Miguel

Com a participação de cerca de cem pessoas, o Movimento Missionário Mundial de El Salvador efetuou uma vigília de jovens, em 1 de setembro, na cidade de San Miguel, onde a Obra do Senhor demonstrou seu avanço em solo salvadorenho. Os fiéis, provenientes de Quelepa, Intipucá, El Tránsito e Villa San Antonio, acudiram ao chamado para se unir em oração pelo MMM. Primeiro, cinco jovens crentes, líderes das diferentes igrejas de El Salvador, pregaram o Evangelho por meio de uma dissertação denominada “A pureza em um mundo impuro”, que esteve baseada no primeiro livro de Timóteo 4:12. Depois, a irmã Rubidia Gómez, esposa do reverendo Edwin Parada, Supervisor Nacional do Movimento Missionário Mundial de El Salvador, desenvolveu o tema “Princípios bíblicos para um noivado”. A intervenção da serva, sustentada em Gênesis 24:17-21, captou a atenção do público juvenil que se sentiu satisfeito e abençoado com o Evangelho. Este evento foi transmitido ao vivo por “Radio Redención”, a voz oficial do MMM de El Salvador.

ESPAÑA Campanha evangelística em Mollerussa

Guiado pelo lema “A verdadeira felicidade está em Jesus”, o Movimento Missionário Mundial da Espanha realizou, em 7 de outubro, uma campanha evangelística na Praça da Prefeitura N° 2 Mollerussa, da província de Lérida. O grupo de famílias que acudiu ao chamado descobriu a Palavra de Deus. Na jornada se contou com a participação dos crentes catalães Jesús Ángel Núñez e María Fe Agra, que testificaram sobre as bondades do cristianismo. Do mesmo modo, os integrantes do MMM da Espanha encantaram com hinos e cânticos de fé as pessoas que se aproximaram para conhecer o Evangelho de Jesus Cristo. Nesta ocasião, o portador das boas novas foi o reverendo Carlos Medina, Supervisor Nacional do Movimento Missionário Mundial da Espanha e do Bloco A da Europa, que compartilhou uma prédica baseada em João 12:3536, intitulada “Uma luz na família”.

PANAMÁ Aniversário de “Oasis de Santidad”

EO Movimento Missionário Mundial do Panamá celebrou de 10 a 12 de agosto o décimo aniversário da emissora “Oasis de Santidad”, a rádio de maior audiência cristã em território panamenho. Realizou-se no templo central do corregimento 24 de Diciembre, com o lema “Dez anos compartilhando a água de vida”. No início da festa espiritual, que esteve liderada pelo reverendo Epifanio Asprilla, Supervisor Nacional do MMM do Panamá, a serva Adaluz Simití, Presidenta Nacional de Damas, desenvolveu o tema “Em que lugar está na Obra do Senhor?”. Em sua intervenção, a pregadora ressaltou que a rádio é um meio importante para compartilhar a mensagem de salvação. Na segunda jornada, o reverendo Mariano Smith, Presbítero da Zona 2, foi o encarregado de compartilhar o Evangelho mediante a prédica intitulada “De um sonho a uma realidade”. Além disso, durante vinte e quatro horas se realizou a “Maratona 2017” na cabine da rádio, onde programadores e locutores da emissora se reuniram e compartilharam uma programação especial por seu décimo aniversário. Na terceira jornada, contou-se com a participação de grandes líderes da fé no Panamá, como o reverendo Melvín Bryam, Oficial Nacional do MMM do Panamá; o pastor Alberto Amador, Presbítero da Zona 6, e o servo Ovidio Ríos, Presbítero da Zona 13. Do mesmo modo, o pregador José Alcides Ramea, Oficial Nacional do MMM do Panamá, compartilhou a Palavra do Senhor através da prédica intitulada “Revesti-vos como eleitos de Deus”.


eventos

NICARÁGUA

PARAGUAI

Retiro de Pastores e Vigília Nacional

Retiro Nacional de Damas

Na cidade de Granada, conhecida como a “Paris da América Central”, o Movimento Missionário Mundial da Nicarágua celebrou um Retiro de Pastores e uma Vigília Nacional, por motivo de sua Convenção Nacional, em 30 de outubro. Uma grande quantidade de pastores assistiu ao evento. Com súplicas e prantos, os servos do Senhor alçaram sua voz em clamor pelas almas que se perdem pelo mundo sem Cristo. Também, rogaram a Deus pela Convenção Nacional do MMM da Nicarágua. O evento contou com a visita do pastor costarriquense Roger Matus, que se encarregou de ministrar o Evangelho de Jesus Cristo. A Junta Diretiva Nacional do Movimento Missionário Mundial da Nicarágua também esteve completamente presente na atividade.

Com a presença de um numeroso grupo de servas do Senhor, o Movimento Missionário Mundial da República do Paraguai realizou seu Retiro Nacional de Damas de 22 a 24 de setembro com o lema “Mulheres conquistando uma nação”. Missionárias, pastoras, obreiras e irmãs de diferentes lugares do território paraguaio assistiram a esta atividade da Obra de Deus, e louvaram ao Todo-Poderoso. Além disso, o Retiro Nacional de Damas do MMM do Paraguai contou com a participação da missionária Maritza Montoya, serva do Criador, que foi a encarregada de pregar a Palavra do Altíssimo. Após a intervenção da pregadora Montoya, esposa do reverendo Gerardo Martínez, Supervisor Nacional do Movimento Missionário Mundial do Chile, as damas do Movimento Missionário Mundial do Paraguai agradeceram ao Senhor por seu amor e bondade.

SRI LANKA

ISRAEL

2ª Convenção Nacional Dia das Missões O Movimento Missionário Mundial do Sri Lanka celebrou sua 2ª Convenção Nacional, com o lema “Responsabilidade 2017”, de 21 a 23 de setembro na cidade de Chenkalady do distrito de Batticaloa. Esta atividade teve a presença do reverendo Samuel Mejía, Supervisor Missionário na Ásia do MMM, e o pastor Albert Rivera, Supervisor Nacional do Movimento Missionário Mundial de Porto Rico, que anunciaram a Palavra do Senhor. Durante o encerramento do evento se efetuou a promoção de obreiros e cinco irmãos foram reconhecidos como pregadores laicos e seis pregadores como licenciados. Também se estabeleceu a Junta Nacional do MMM do Sri Lanka e o pastor Thiruchelvam foi eleito como Presbítero Nacional, o obreiro Ashok como Vice-presidente, o servo Dinagaraham como Secretário, o pregador Kirty como Tesoureiro e o ministro Paul como Vogal. Apesar da oposição contra a Obra do Senhor, cerca de quinze igrejas e muitos campos brancos onde se anuncia a mensagem de Deus foram estabelecidas no Sri Lanka.

Sob o lema “Trabalhando com responsabilidade”, o Movimento Missionário Mundial de Israel celebrou o Dia das Missões em 30 de setembro na cidade de Ramla, do distrito central de Israel, aonde chegou um grupo de fiéis do Senhor. No evento, o povo de Deus se juntou para jejuar, orar e interceder pelo trabalho difundido pelos missionários evangélicos do mundo a favor das almas perdidas. O responsável da prédica dessa jornada foi o missionário peruano Wilson Santillán Tafur, que, baseado em Atos 1:8, compartilhou a mensagem “Trabalhando na vinha do Senhor”.

dezembro 2017 / Impacto evangélico

65


ESCREVEM-NOS... cartas@impactoevangelistico.net

AGENDA GLOBAL 2017 JANEIRO 2-5 Convenção Nacional em Porto Rico 9-16 Convenção Nacional na Côlombia 26-29 Convenção Nacional na Bolívia (Cochabamba)

IGNACIO CRUZ Prezados irmãos em Cristo, Deus os abençoe. Eu lhes agradeço pela revista “Impacto Evangelístico”, que frequentemente adquiro. Vocês não sabem com quanta expetativa espero a revista. É de máxima qualidade, a melhor, porque é sã doutrina. Eu gosto de saber que um dos primeiros países onde a Obra esteve foi aqui, em Cuba, com o pastor Luis M. Ortiz. Conheci tudo isso mediante as páginas desta interessante revista. Obrigado, meus irmãos, por esse trabalho. De Havana, Cuba.

FEVEREIRO 3-5 Convenção no Paraguai (Asunción) 9-12 Convenção na Argentina (Rosario) 25-28 Convenção no Panamá MARÇO 2-5 Convenção em Honduras (San Pedro de Sula) 9-12 Convenção na Austrália (Sidney)

RAQUEL CUSTODIO Prezados irmãos, meu desejo e minha oração é que continuem trabalhando na Obra do Senhor, pois gozo muito com a revista “Impacto Evangelístico”, pois as mensagens de cada servo são ungidas e de grande bênção. Para mim é um privilégio receber tão gloriosas mensagens. Levo mais de 27 anos unida e em contato com esse ministério. Da Florida, Estados Unidos da América.

JUAN MARRERO Deus os abençoe. Quero lhes agradecer pela informação tão edificante que vocês oferecem por meio da revista. Continuem trabalhando porque estamos vivendo nos últimos tempos e devemos colher o que já está semeado. Deus os continue abençoando. De Ponce, Porto Rico.

RUBÉN VALDIVIA Deus os abençoe, irmãos de “Impacto Evangelístico”. Continuem trabalhando e que Deus os continue guiando na publicação da revista. Desde que a vi, gostei e a continuarei adquirindo para ver as maravilhas que Deus faz nas vidas. Que o Senhor os abençoe. De La Villegas, Equador.

JUAN ROJAS Meus irmãos em Cristo, eu quero lhes dizer o agradecido que estou pelas revistas que me enviaram. Foram para este homem condenado à prisão perpétua uma bênção. Achei alguns testemunhos

ABRIL 13-16 Convenção na Guatemala (Cidade da Guatemala) 13-16 Convenção nas Guianas, Trinidad e Martinica (Suriname) MAIO 4-7 Convenção no Japão (Hamamatsu, Shizuoka) 17-20 Convenção na Índia 26-28 Convenção na Holanda maravilhosos de pessoas que com suas experiências são bênção para outros. Estou muito agradecido. Guardo essas revistas como um tesouro. De Peñuelas, Porto Rico.

GERARDO LÓPEZ Sou crente há mais de quatro anos, e nosso Senhor Jesus Cristo fez muitos milagres em minha vida; sou o homem mais feliz desde o momento em que conheci a Cristo. Consumi drogas por mais de trinta anos, mas isso não impediu que Ele me curasse. Minha família vive hoje em paz e harmonia, graças a Cristo. De Barranquilla, Colômbia.

EVELIN CALDERÓN mediante este ministério. Esta revista foi minha Escola Bíblica. Sirvo no ministério de mulheres em seminários, retiros e assessorias. Deus fez muitos milagres. Da Califórnia, Estados Unidos da América.

ALBERTO CANALES MARÍA VILLEGAS O pouco tempo que li a revista foi para mim uma experiência gratificante e cheia de bênçãos. Teve um grande alimento espiritual, aprendi coisas muito interessantes da obra missionária. A glória seja para Deus! De El Meta, Colômbia.

Agradeço a Deus pelas inúmeras maravilhas que Ele fez em minha vida. Sou um jovem que esteve submergido nas drogas durante muito tempo. Um dia, aconteceu o mais belo, esta revista chegou a minhas mãos e achei um artigo de uma pessoa que experimentou o mundo das drogas, e mudou graças ao poder de Deus. Aquilo me comoveu e imediatamente senti uma grande necessidade de pedir ajuda a Deus, e seu grande amor me ajudou. De Lima, Peru.

Você pode baixar o leitor de código QR livre nestas plataformas:

JUNHO 21-24 Convenção no Brasil (Manaos) JULHO 4-8 Convenção Centroamericano na Costa Rica (San José) 11-14 Convenção nos Estados Unidos (Woodbridge, Virginia) 13-16 Convenção nas Antillas Holandesas (Curacao) 16-18 Convenção Nacional no Canadá 27-30 Convenção no México (Puebla) AGOSTO 3-6 Convenção no Espanha e Bloco A Europa (Madrid) 8-11 Convenção na Venezuela (Barquisimeto) 10-13 Convenção na Itália (Milano) 16-19 Convenção na África (Guinea Ecuatorial) 24-27 Convenção no Haití (Porto Príncipe) 24-27 Convenção no Ecuador (Guayaquil) 24-27 Convenção em Belize SETEMBRO 17-19 Convenção no Perú (Lima) Sábado 30, Día Mundial das missões OUTUBRO 20-22 Confraternização no Madagascar 26-28 Convenção na República Dominicana 26-29 Convenção no Chile (Santiago) 27-29 Convenção nas Ilhas Maurício NOVEMBRO 9-12 Convenção em El Salvador 16-19 Convenção no Uruguai (Montevideo) 23-26 Convención na Nicaragua DEZEMBRO

n Eventos passados n Eventos futuros MISIONÁRIO MUNDIAL 66 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia


Com o Rev. Gustavo MartĂ­nez De segunda-feira a domingo 8h00. dezembro 2017 / Impacto evangĂŠlico

67


Junto a

JOEL E RUTH viva

DIVERTIDAS EXPERIÊNCIAS

TERÇA-FEIRA 10h00 -16h00 SÁBADO 10h00

Bethel Televisión, o canal do Movimento Missionário Mundial transmite a mensagem da Palavra de Deus mediante uma programação cultural e educativa de Lima-Peru através de 7 satélites e via internet a todo o mundo.

MISIONÁRIO MUNDIAL 68 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia

767_Portugues  

Revista Impacto Evangélico Edição Dezembro 2017 Língua Portuguesa

767_Portugues  

Revista Impacto Evangélico Edição Dezembro 2017 Língua Portuguesa

Advertisement