Issuu on Google+

www.impactoevangelistico.net

A REVISTA QUE CONSTRÓI A SUA VIDA Dezembro 2015 / Edição 743

evangélico TESTEMUNHOS

La web PUBLICAÇÃO OFICIALL

MOVIMENTO MISSIONÁRIO MUNDIAL

Uma vida que saiu da escuridão MÚSICA

Cantarei a linda história DEVOCIONAL

Glória a Deus nas alturas!

Pânico por atentados terroristas do Estado Islâmico

GUERRA MUNDIAL? Dezembro 2015 / Impacto evangélico

1


LANÇAMENTO DO LEMA 2016 28 DE DEZEMBRO POR BETHEL TV 12 H PE / CO

ASSISTA AO VÍDEO

MISIONÁRIO MUNDIAL 2 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia


EDITORIAL

MAIS QUE VENCEDORES Rev. Gustavo Martínez Presidente Internacional do M.M.M.

“Então Moisés e Arão foram a Faraó, e fizeram assim como o Senhor ordenara; e lançou Arão a sua vara diante de Faraó, e diante dos seus servos, e tornou-se em serpente. E Faraó também chamou os sábios e encantadores; e os magos do Egito fizeram também o mesmo com os seus encantamentos. 12 Porque cada um lançou sua vara, e tornaram-se em serpentes; mas a vara de Arão tragou as varas deles.” Êxodo 07:10-12.

Q

ual era o objetivo de Deus na vida de Moisés? Ser conhecido por Moisés, que Moisés tenha uma revelação, que Moisés tenha uma visão ampla, que Moisés saiba quem é Deus, que Moisés saiba qual era o objetivo de Deus para se manifestar. Quando Deus se revela a uma vida não é só para que ela chegue a um templo e corra e pule e trema. Não, isso não era o objetivo. O objetivo foi mudar sua vida, mudar sua mentalidade, transformá-lo em um verdadeiro instrumento de Deus, enfrentar o diabo, enfrentar o Faraó. Porque no meio das dificuldades é preciso compreender que Deus não vai deixar ninguém, Ele está presente. O Senhor diz: “E, chegando-se Jesus, falou-lhes, dizendo: É-me dado todo o poder no céu e na terra.” (Mateus 28:18). “Eis que vos dou poder para pisar serpentes e escorpiões, e toda a força do inimigo, e nada vos fará dano algum.” (Lucas 10:19). Ele nos deu poder para expulsar demônios, Ele nos deu poder para fazer milagres, Deus nos deu poder para fazer grandes coisas. Deus disse a Moisés que colocasse

sua mão em seu seio, e ele a colocou, e quando a retirou, sua mão estava leprosa, mas Ele lhe disse que coloque novamente sua mão no seio, e a mão saiu restaurada e saudável. Assim, o Senhor estava lhe mostrando que Ele lhe deu poder sobre o pecado, e que o pecado não tem domínio sobre ele. Quando temos um encontro, quando nascemos de novo, o pecado não tem mais poder, porque não pode ter domínio sobre um homem ou uma mulher que nasceu de novo. Amado, fique firme no Senhor. Lembre-se de que você tem a autoridade e o poder sobre todas as obras do maligno. E em Cristo somos mais que vencedores! O apóstolo Paulo disse: “Mas em todas estas coisas somos mais do que vencedores, por aquele que nos amou. Porque estou certo de que, nem a morte, nem a vida, nem os anjos, nem os principados, nem as potestades, nem o presente, nem o porvir, Nem a altura, nem a profundidade, nem alguma outra criatura nos poderá separar do amor de Deus, que está em Cristo Jesus nosso Senhor.” (Romanos 8:37-39) l Dezembro 2015 / Impacto evangélico

3


www.impactoevangelistico.net

evangélico Diretor Fundador: Rev. Luis M. Ortiz Dezembro 2015 / Edição N° 743 USPS 012-850) PUBLICAÇÃO OFICIAL DO MOVIMENTO MISSIONÁRIO MUNDIAL O World-Wide Missionary Movement, Inc. é uma igreja sem fins lucrativos, com uma visão para fundar novas igrejas nos Estados Unidos da América e seus territórios e também com uma visão missionária para fundar novas igrejas onde Deus abre novas portas em todo o Mundo. PUBLICAÇÃO MENSAL POR: Movimiento Misionero Mundial, Inc (Movimento Missionário Mundial, Inc.) San Juan, Porto Rico Washington, D.C. Postagem Periódica pagada a: San Juan, Porto Rico 00936

AGENTE DO CORREIO:

enviar variações de endereço a Impacto Evangélico P.O. BOX 363644 San Juan, Porto Rico 00936-3644 Telefono (787) 761-8806; 761-8805; 761-8903 OFICIAIS DO M.M.M. INC Rev. Gustavo Martínez Rev. José Soto Rev. Rubén Concepción Rev. Rodolfo González Rev. Álvaro Garavito Rev. Margaro Figueroa Rev. Rómulo Vergara Rev. Humberto Henao Rev. Luis Meza

Presidente Vice-presidente Secretario Tesoureiro Diretor Diretor Diretor Diretor Diretor

OBRAS ESTABELECIDAS EM: África do Sul Alemanha Argentina Aruba Austrália Áustria Bélgica Belize Bolívia Bonaire Brasil Camarões Canadá Chile Colômbia Congo Costa do Marfim Costa Rica Curaçao Dinamarca El Salvador Equador Espanha EUA

Filipinas Finlândia França Gabão Gana Guatemala Guiana Francesa Guiana Inglesa Guiné Equatorial Haiti Havaí (EUA) Holanda Honduras Ilha de San Andrés (Col.) Ilha Rodrigues Ilhas Canárias (Espanha) Índia Inglaterra Israel Itália Jamaica Japão

Kuwait Madagáscar Malásia Maurício México Mianmar Nicarágua Nigéria Oman Panamá Paraguai Peru Porto Rico Portugal República Dominicana Roménia Saint Martin Suécia Suíça Suriname Trinidad e Tobago Ucrânia Uruguai Venezuela

Depósito Legal na Biblioteca Nacional do Peru N ° 2011-02530 Igreja Cristã do Pentecostes do Movimento Missionário Mundial: Av. 28 de Julio 1781 - Lima 13 - Peru Impressão: Quad/Graphics Perú S.A. Av. Los Frutales 344 - Lima 03 - Perú MISIONÁRIO MUNDIAL 4 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia

O Movimento Missionário Mundial é uma organização religiosa sem fins lucrativos, devidamente registrada em San Juan, Porto Rico, e na capital federal, Washington DC com sede nas duas cidades, bem como em todos os estados da União Americana e em outros países onde temos obras missionárias estabelecidas. Importante As ofertas e doações em dinheiro, computadores, imóveis, legados em testamento, para o benefício desta obra do Movimento Missionário Mundial, Inc. são dedutíveis do imposto de renda (Income Tax) e os recibos emitidos pelo Movimento Missionário Mundial são reconhecidos pela Diretoria das Rendas Internas (IRS), do Governo Federal dos Estados Unidos da América e do Estado Livre Associado de Porto Rico. n

Visite o nosso website Obtenha informação edificante da Obra de Deus e fique a par das últimas notícias. Um acesso personalizado a partir de qualquer lugar do mundo: www.impactoevangelistico.net n

Se você quiser Escreva-nos para o nosso endereço postal: Movimiento Misionero Mundial, Inc. P.O. Box 363644 San Juan, P.R. 00936-3644 n

Copyright © 2009 Impacto Evangélico Movimiento Misionero Mundial, Inc. (World-Wide Missionary Movement, Inc.) Todo o conteúdo da revista e cada edição subseqüente está devidamente registrada na Biblioteca do Congresso, Washington, DC EUA. Todos os direitos reservados. A reprodução parcial, completa ou em qualquer forma ou sua tradução para outros idiomas sem a autorização do Diretor é proibida. No âmbito dos acordos internacionais de direitos autorais é um crime punível por lei n

Declaração Doutrinária O Movimento Missionário Mundial adere às doutrinas fundamentais da Bíblia, tais como: n

• A inspiração das Escrituras Sagradas: 2 Timóteo 3:15-17, 2 Pedro 1:19-21. • A Divindade adorável em Três Pessoas, Pai, Filho e Espírito Santo: Mateus 3:16-17, 17: 1-5; 28:19 João 17: 5, 24, 26, 16:32, 14:16, 23, 18:05, 6, 2 Pedro 1:17,18; Apocalipse 5. • A salvação pela fé em Cristo: Lucas 24:47, João 3:16, Romanos 10:13, Tito 2:11, 3:5-7. • O Novo Nascimento: João 3:3, 1 Pedro 1:23, 1 João 3:9. • A Justificação pela Fé: Romanos 5:01, Tito 3:07. • O Batismo nas águas por imersão, segundo ordenado por Cristo: Mateus 28:19, Atos 8:36-39. • O Batismo no Espírito Santo, subseqüente à salvação, falando em outras línguas, segundo: Lucas 24:49, Atos 1:4, 8, 02:04. • A Cura Divina: Isaías 53:4, Mateus 08:16, 17, Marcos 16:18, Tiago 5:14, 15. • Os Dons do Espírito Santo: 1 Coríntios 12:1-11. • Os frutos do Espírito Santo: Gálatas 5:22-26. • A Santificação: 1 Tessalonicenses 4:03, 5:23, Hebreus 0:14, 1 Pedro 1:15, 16, 1 João 2:6. • O Ministério e a Evangelização: Marcos 16:15-20, Romanos 10:15. • O dízimo e a Sustentabilidade da Obra: Gênesis 14:20, 28:22, Levítico 27:30, Números 18:21-26, Malaquias 3:7-10, Mateus 10:10; 23:23. • A ascensão da Igreja: Romanos 8:23, 1 Coríntios 15:51 - 52, 1 Tessalonicenses 4:16-17. • A Segunda Vinda de Cristo: Zacarias 14:1-9, Mateus 24:30, 31, 2 Tessalonicenses 1:07, Tito 2:13, Judas 14, 15. • O Reino Milenar: Isaías 2:1-4, 11:5-10, Zacarias 9:10, Apocalipse 19:20, 20:3-10. • Novos Céus e Nova Terra: Isaías 65:17, 66:22, 2 Pedro 3:13, Apocalipse 21:1.


SOMMARIO

Encontrar-nos em:

www.facebook.com/impactoevangelistico

6. Nota de capa. À beira da terceira guerra mundial.

6

14. Infográfico. Terrorismo no mundo. 16. Informe. A Bíblia de Casiodoro de Reina. 20. Revelações. Lemas 2007 - 2015. 22. Lançamento. Voltemos para Deus. 24. Literatura. Refúgio dos anjos. 28. Música. Cantarei a linda história. 30. Herói da fé. O reformador da Suíça.

16

34. Histórias de vida. Uma vida que saiu da escuridão.

56. Evento. EL SALVADOR. Chegou a hora do crescimento.

40. Devocional. Glória a Deus nas alturas!

58. Evento. ESPANHA. Procurando o bem-estar da Obra.

42. Devocional. Deus conosco.

60. Evento. ASIA. Os frutos da Ásia.

44. Devocional. O mesmo sentimento de Cristo.

62. Evento. BÉLGICA. Dispostos a cumprir os propósitos de Deus.

46. Entrevista. “Oramos para crescer”.

22

48. Evento. PERU. A verdadeira liberdade.

60

Dezembro 2015 / Impacto evangélico

5


MISIONÁRIO MUNDIAL 6 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia


Foto: AFP

NOTA DE CAPA

À BEIRA DA TERCEIRA GUERRA MUNDIAL O mundo enfrenta com grande temor a escalada de violência provocada pelo grupo terrorista Estado Islâmico (EI) que vem causando centenas de mortes em diversos países. Mas essa não é a única ameaça, existem outros grupos, tão ou mais sanguinários, com objetivos muito similares. Dezembro 2015 / Impacto evangélico

7


Atualmente, os oito grupos terroristas mais sanguinários do mundo são islamistas: o Estado Islâmico, a Al-Qaeda, os talibãs afegãos, seus homólogos paquistaneses do Tehrik-i-Taliban, os nigerianos do Boko Haram, os sírios da Al-Nusra, os libaneses do Hezbollah e os palestinianos do Hamas. Estas agrupações constituem uma ameaça para a segurança de quase mil milhões de habitantes.

MISIONÁRIO MUNDIAL 8 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia

A

ameaça terrorista global atual procede dos dois grandes grupos radicais do Médio Oriente: a Al-Qaeda e o Estado Islâmico. Ambos parecem competir por exibir seu rosto mais terrífico entre os muçulmanos. No entanto, não são os únicos grupos terroristas que operam no mundo, existem outros mais. Atualmente, os oito grupos terroristas mais sanguinários do mundo são islamistas: o Estado Islâmico, a Al-Qaeda, os talibãs afegãos, seus homólogos paquistaneses do Tehrik-i-Taliban, os nigerianos do Boko Haram, os sírios da Al-Nusra, os libaneses do Hezbollah e os palestinianos do Hamas (ver infográfico). Estas agrupações constituem uma ameaça para a segurança de quase mil milhões de habitantes. Além disso, existem atualmente outros dois grandes grupos terroristas não islamistas que têm suas raízes na ideologia marxista-leninista: as FARC colombianas e o Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK). A Al-Qaeda, o Estado Islâmico e os outros grupos têm as mesmas pretensões: impor o califado mundial apesar de que suas estratégias são diferentes. O grupo fundado por Osama Bin Laden prega uma leitura política e radical do Corão muito similar à que o Estado Islâmico difunde. Os dois grupos são sunitas e declararam «guerra santa» (jihad) não só ao Ocidente , mas também aos «apóstatas» xiitas e aos governos árabes que mantêm negócios com a Europa e os Estados Unidos. Desde o primeiro momento, o grupo criado por Bin Laden optou pelos atentados terroristas dentro e fora do território do Islã, e as maiores ações registradas foram os ataques de 11 de setembro de 2002 nos Estados Unidos. Pelo contrário, o Estado Islâmico procura se concentrar nas conquistas de território. Por isso começaram a dominar extensas zonas da Síria e do Iraque para estabelecer um califado com todos os elementos formais próprios de um Estado moderno. A segunda fase de sua estratégia será o chamamento de todos os muçulmanos do mundo para que se estabeleçam no califado em um movimento muito similar ao conseguido pelo sionismo em Israel. Essa prioridade estratégica do Estado Islâmico não significa que obviem a ação

Foto: AFP

Continue lendo––

terrorista em países do Ocidente –como o demonstram os recentes ataques de Paris– já que mediante estes atentados o grupo pretende enfraquecer a moral do “inimigo”. A TERCEIRA GUERRA MUNDIAL? O Estado Islâmico é uma ameaça que continua crescendo. Já tomou o controle de uma área do tamanho do Reino Unido no Iraque e na Síria. Provavelmente por isso o rei Abdullah II da Jordânia considera que os


NOTA DE CAPA

últimos ataques do Estado Islâmico provocaram uma “terceira guerra mundial contra a humanidade”. Os líderes das potências mundiais como os Estados Unidos, a Rússia, a China e a própria França reagiram perante os terríveis ataques do EI e suas reiteradas ameaças. As frases utilizadas revelam que a paz mundial está se afastando para dar lugar a um estado de guerra total. Por exemplo, a França e a Rússia deram

um passo decisivo no marco de sua cooperação na Síria contra o EI. O presidente russo, Vladimir Putin, ordenou que suas forças navais estabelecessem contato na zona de operações do mar Mediterrâneo com o grupo francês para que juntos realizem um ataque coordenado contra os jihadistas. Os Estados Unidos poderia incrementar sua presença na zona em conflito a qualquer momento e a China anunciou que seu governo estava disposto a cooperar com a co-

Continue lendo–– Dezembro 2015 / Impacto evangélico

9


Foto: AFP

Continue lendo––

MISIONÁRIO MUNDIAL 10 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia

munidade internacional na luta antiterrorista para salvaguardar “a paz e a tranquilidade mundial”. Em resumo, os países que tomaram a decisão de deter definitivamente o grupo terrorista são: Estados Unidos, Rússia, França, Alemanha, Irã e Iraque, que através de seus representantes anunciaram sua posição. Em resposta, o Estado Islâmico pede a seus milicianos e seguidores ocidentais que matem norte-americanos, franceses, russos

e europeus que não conheçam o Islã. É óbvio que a cada dia há novos atores no conflito atual. A coligação de países cresce diariamente porque os objetivos do EI não deixam de ser nocivos para toda a humanidade. O QUE É O ESTADO ISLÂMICO? O Estado Islâmico é um grupo radical sunita que em suas origens esteve vinculado com a Al-Qaeda. No ano 2010 e sob o man-


Foto: AFP

Foto: AFP

NOTA DE CAPA

do de seu líder, Abu Bakr al-Baghdadi, foi fundada novamente como Estado Islâmico e do Levante para posteriormente ser denominado Estado Islâmico no Iraque e na Síria, depois da fusão com as milícias iraquianas e sírias. Diz-se que são jihadistas porque o grupo promove uma suposta “guerra santa” –que é denominada precisamente de Jihad– contra todos os que eles consideram infiéis porque

O MAIOR ATENTADO O AVIÃO AIRBUS A-321 de nacionalidade russa que caiu em 31 de outubro com 224 pessoas, foi derrubado por uma bomba que explodiu em pleno voo, segundo o diretor do Serviço Federal de Segurança russo Aleksandr Bortnikov. O avião cobria a rota entre Sharm el-Sheikh e São Petersburgo, e caiu na península do Sinai. Uma bomba caseira que continha 1 kg de TNT estourou durante o voo, provocando que o avião se quebrasse no ar, o que explica por que partes da fuselagem se espalharam por uma distância tão ampla. O ataque foi reivindicado pelo Estado Islâmico. É o atentado que causou o maior número de vítimas até o momento.

Continue lendo–– Dezembro 2015 / Impacto evangélico

11


Foto: AFP

Continue lendo––

não compartilham suas crenças religiosas. Os membros do Estado Islâmico consideram que são os únicos crentes reais do Islã e que o resto do mundo deseja eliminar sua religião, pelo que veem como inimigos todos os homens e mulheres que pensam de forma diferente deles. Suas decapitações, crucifixões e assassinatos em massa procuram atemorizar seus

ATAQUE CONTRA OS CRISTÃOS O ISLÃ RADICAL foi responsável pela morte de milhões de indivíduos de muitas religiões. No entanto, as principais vítimas são os cristãos que vivem em países muçulmanos e que estão sendo assassinados, estuprados, feridos e expulsos de seus lares, e cujas igrejas são queimadas e profanadas. O Estado Islâmico e organizações terroristas afiliadas à Al-Qaeda, como a Frente al-Nusra, quando invadem e conquistam uma aldeia ou pequena cidade de cristãos na Síria onde se fala arameu, a língua de Jesus Cristo, matam todos os cristãos. No Quênia, os membros da milícia jihadista somali Al-Shabab assaltaram em abril deste ano a Universidade de Garissa e assassinaram 147 pessoas. Começaram disparando de maneira indiscriminada, mas depois separaram os alunos muçulmanos e atacaram os cristãos. MISIONÁRIO MUNDIAL 12 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia

inimigos. Daí a publicidade gerada por suas ações. Justificam seus atos sangrentos citando versos do Corão nos quais se afirma que devem «quebrar a cabeça» dos ímpios. O Estado Islâmico, o grupo mais agressivo e ativo nestes anos, fez sua aparição pública em agosto de 2014 com um vídeo que mostrava o jornalista estadunidense James Foley pronunciando umas breves palavras de despedida para seus familiares e falando contra a intromissão dos Estados Unidos no Iraque. Posteriormente foi decapitado por um carrasco encapuzado, vestido completamente de preto. A próxima vítima do EI foi outro jornalista de origem americana, Steven Sotloff, que também foi decapitado. Sua morte foi difundida em 2 de setembro de 2014 por meio de um vídeo de 2:46 minutos intitulado “Uma segunda mensagem para a América”. Desse modo, o mundo conheceu este grupo que lançou uma ofensiva sangrenta


Foto: AFP

NOTA DE CAPA

O Estado Islâmico, o grupo mais agressivo e ativo nestes anos, fez sua aparição pública em agosto de 2014 com um vídeo que mostrava o jornalista estadunidense James Foley pronunciando umas breves palavras de despedida para seus familiares e falando contra a intromissão dos Estados Unidos no Iraque. Posteriormente foi decapitado por um carrasco encapuzado, O Estado Islâmico também tem um gran- vestido completamente de número de recrutas, sobretudo estrangei- de preto. Foto: AFP

contra a Francia, Estados Unidos, Inglaterra, Rússia, Espanha e outros países ocidentais. Na verdade, o EI surge no contexto da ocupação do Iraque. Após a tomada do país pelas tropas britânicas e norte-americanas, formaram-se diversos grupos armados para a luta contra os invasores, muitos deles sob a inspiração do Islã. Esse foi o início deste grupo. O Estado Islâmico tem importantes recursos financeiros. É o grupo terrorista mais rico do mundo com rendas de quase dois milhões de dólares por semana, segundo certos analistas. O grupo baseia seu poder em sua capacidade militar e em sua faculdade de se apoiar nas povoações locais que são contrárias aos regímenes do Iraque, minado pela instabilidade, e da Síria, devastada pela guerra. Militarmente, o grupo se beneficia da experiência de seus fundadores, entre os que figuram muitos ex-oficiais e membros dos serviços de segurança do ex-ditador iraquiano Saddam Hussein, derrubado pelos Estados Unidos depois da invasão de 2003. O Estado Islâmico não só tem militantes no Médio Oriente, mas também em quase toda a Europa e continua ganhando adeptos utilizando as novas tecnologias da comunicação. O uso sofisticado das redes sociais na Internet lhe abre as portas para a criação de células terroristas nas capitais europeias.

ros, e um depósito importante de armas, munições, artilharia, armas antitanques, tanques e blindados, como os veículos norteamericanos tomados do exército iraquiano. Além disso, o Estado Islâmico realiza compras no mercado negro e “dispõe de armas e meios para operar como um pequeno exército”, resume Hasan l

Dezembro 2015 / Impacto evangélico

13


Financiamento

95%

5%

Países do Golfo

Extorsão, contrabando de petróleo, resgates, reservas de bancos de Mossul.

Terrorismo no mundo No marco dos conflitos multipolares surgidos após a Guerra Fria, destaca a presença em massa de grupos islamistas, que tentam impor por meio da violência e do terror indiscriminados sua visão alucinante da sociedade ideal muçulmana.

Por que suas táticas são tão brutais?

Os membros do Estado Islâmico (EI) têm uma interpretação extremista do ramo sunita do Islã e consideram que eles são os únicos crentes reais. Sua visão do resto do mundo está baseada em que estão convencidos de que os ímpios desejam destruir sua religião, justificando dessa forma seus ataques contra outros muçulmanos e não muçulmanos.

em massa foram utilizados para aterrorizar seus inimigos. No meio desse panorama de horror, os membros do EI justificam seus atos citando versos do Corão, no quais afirmam que devem "quebrar a cabeça" dos ímpios. O líder da Al Qaeda, Ayman al-Zawahiri, rejeitou as ações do EI em fevereiro, e advertiu que essas brutalidades fariam com que "os muçulmanos percam o coração e a cabeça".

As decapitações, crucifixões e assassinatos

Índice global de terrorismo Custo econômico

Custo humano

Comparado com outras formas de violência, o terrorismo é realmente inferior.

O número de países vítimas de ataques terroristas aumentou

32

93

Estima-se que o custo do delito violento e do homicídio é 32 vezes maior em comparação com o terrorismo.

2014

2013

32,9 trilhões de dólares

52,9

trilhões de dólares MISIONÁRIO MUNDIAL 14 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia

+63% 2014 em comparação com 2013

2014

países foram afetados em 2014 em comparação como os 8 em 2013

2013

18 111 fallecidos

+30%

2014 respecto a 2013

32 685 mortos


Os 5 países más afetados

Iraque

Incidentes

Mortes

Propriedades afetadas

Feridos

Afeganistão

Nigéria

Paquistão

Síria

1591

662

1821

232

1869

1512

2752

301

4505

7512

1760

1698

4699

2246

2836

1473

15 137 9929 4211 3370

Estes países acumulam 78% das mortes e 57% dos ataques por terrorismo no âmbito global.

Impacto do terrorismo 92% de todos os ataques terroristas entre 1989 e 2014 aconteceram em países onde o terror estava difundido.

5,61 Grã-Bretanha 28º

4,61 Estados Unidos 35º 3,98 México 44º

MUITO ALTO

4,55 França 36º

6,66 Colômbia 17º

6,20 Rússia 23º

2,62 Espanha 65º 9,21 Nigéria 3º

MEIO BAIXO BAJO

7,27 Tailândia 10º

MUITO BAIXO SEM IMPACTO

2,20 Brasil 74º Pontuação (10-0) País Posição no ranking

ALTO

NÃO INCLUÍDOS

9,06 Pakistán 4º 10 Iraque 1º

9,23 Afeganistão 2º 3,11 Austrália 59º

Oito dos dez grupos terroristas mais importantes do mundo são islamistas: Estado Islâmico (EI)

Boko Haram

Al-Qaeda

Al-Nusra

Talibãs afegãos

Hezbollah

Tehrik-i-Taliban

Hamas

Dezembro 2015 / Impacto evangélico

15


A BÍBLIA DE CASIODORO DE REINA A leitura da Bíblia foi proibida no Império Espanhol desde o século XVI. Se a maravilhosa tradução de Casiodoro de Reina e Cipriano de Valera –protestantes espanhóis do século XVI– tivesse sido “autorizada”, a história da língua espanhola teria sido, sem nenhuma dúvida, diferente. Leopoldo Cervantes-Ortiz

P

erto da data comemorativa dos inícios da Reforma Protestante na Alemanha, chegaram a minhas mãos dois tesouros: o primeiro, a Bíblia da Reforma, da Sociedade Bíblica da Espanha, onde colaborei com um ensaio publicado nesta revista. E o segundo, finalmente, o fac-símile da clássica Bíblia do Urso, um formidável esforço que durante mais de 40 anos essa mesma instituição se empenha em manter ao alcance dos interessados nas epopeias espirituais do fecundo século XVI. E não é que não a conhecesse fisicamente, pois em diversas ocasiões tive a possibilidade de obtê-la para degustar suas páginas com deleite e parcimônia, tal como desde meus primeiros anos, nos quais tinha aprendido a conviver diariamente com ela. Consciente de seu valor histórico, eu sempre analisei as diferenças entre sua primeira e segunda edição (1569; e 1602, a chamada do Cântaro) e segui seu rastro com indeclinável entusiasmo, especialmente quando algum escritor ou estudioso falava sobre ela. É o caso de Antonio Alatorre, José Emilio Pacheco, Sergio Pitol, Félix de Azúa, J. A. González Iglesias (“criatura única e necessária dentro da literatura espanhola”) ou Antonio Muñoz Molina, por mencionar alguns. De Azúa a qualificou de “mãe da literatura”, nada menos. As palavras de Muñoz MISIONÁRIO MUNDIAL 16 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia

Molina são exatas e a colocam em uma dimensão que lhe faz enorme justiça: “Casiodoro de Reina escreve em uma linguagem prodigiosa que se encontra no ponto médio entre Fernando de Rojas e Cervantes, com uma efervescência expressiva que só tem comparação com santa Teresa, são João da Cruz e frei Luis de León” (El País, 26 de julho de 2014). Sua celebração da língua ali contida é contagiosa: “É uma língua possuída pela mesma capacidade de crueza terrena e altos voos literários de La Celestina; um espanhol


INFORME

mudéjar, impregnado ainda de árabe e de hebraico, forçado em seus limites sintáticos para se adaptar às cadências e às repetições e às exagerações da língua bíblica. […] É uma língua para ser recitada, entonada, cantada em voz alta; para expressar a fúria tão livremente como o desejo erótico; e também as negruras da tristeza e os extremos da dor. Traduzidos por Casiodoro de Reina, o livro de Jó e Eclesiastes são, sem nenhuma dúvida, dois das obras máximas da poesia e da sabedoria em espanhol”. Nos anos 90 circulou na América Latina

a edição em quatro tomos que, para a editora Alfaguara realizaram Juan Guillén Torralba (livros históricos), Gonzalo Flor Serrano (livros proféticos e sapienciais), José María González Ruiz (Novo Testamento), dos quais só pude adquirir o primeiro para apreciar, mesmo de maneira indireta, mas efetiva, o impacto cultural dessa versão benemérita, ligada para sempre à fé evangélica desta parte do mundo, dado o apreço com que a lemos, desfrutamos e memorizamos. Reina-Valera, edição para o Quinto Aniversário da Reforma. Um bom protestante

Continue lendo–– Dezembro 2015 / Impacto evangélico

17


Um bom protestante de língua espanhola não pode deixar de levar em sua cabeça os versículos compostos por Casiodoro e Cipriano, e valorizar, ao mesmo tempo, as magníficas traduções recentes para uma linguagem, aparentemente, mais simples.

Continue lendo––

MISIONÁRIO MUNDIAL 18 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia

de língua espanhola não pode deixar de levar em sua cabeça os versículos compostos por Casiodoro e Cipriano, e valorizar, ao mesmo tempo, as magníficas traduções recentes para uma linguagem, aparentemente, mais simples. Suas expressões retóricas e linguísticas são, literalmente, insubstituíveis. Vejamos alguns exemplos, citados por Octavio Paz em seu “Discurso de Jerusalén” (1977): “Direi a Deus: Não me condenes; faze-me saber por que contendes comigo” (Jó 10.2, RVR 1909). “Ainda que ele me mate, nele esperarei; contudo os meus caminhos defenderei diante dele.” (Jó 13.15). Uma coisa levou a outra: o excepcional estudo introdutório de A. Gordon Kinder, que acompanha a edição fac-similar desta mítica Bíblia, remitiu-me novamente a minhas letras de Marcelino Menéndez Pelayo, e

de José Constantino Nieto, que nos visitou em 1985, deslumbrando-nos com sua contribuição sobre a figura de Juan de Valdés, de quem nunca tínhamos ouvido falar. Ele é quem resume, em outro libro fundamental (El Renacimiento y la otra España: visión cultural socio-espiritual. Genebra, Droz, 1997), a vastidão do trabalho daqueles titãs da tradução, perseguidos e odiados em seu próprio país: “Todos estes anônimos protestantes espanhóis na Inglaterra, Genebra, Frankfurt, e outros centros europeus, revelam a dimensão social e política da Reforma espanhola, apesar de que não temos dados para apoiá-la com estatísticas. Estamos perante um fenômeno religioso que não pode se reduzir a uma determinada região na Espanha, nem a uma única classe elitista intelectual da classe média ou aristocrática. E estes refugiados são só um pe-


INFORME

queno reflexo do problema internacional da Reforma espanhola”. Se Marcelino, apesar de sua alma antiprotestante, levou-nos pela fascinante vida dos heterodoxos espanhóis, através das principais cidades europeias para o crescimento da Reforma, com o protestante Nieto (doutorado em Princeton) estávamos em um território comum e mais próximo de nossos interesses, e ao mesmo tempo já abertos (falo de um setor muito minoritário de estudantes) ao que ele nos apresentaria ao abordar são João da Cruz em outro libro publicado no México. Kinder sintetiza em suas breves páginas todo esse futuro que aparece novamente perante nosso olhar em todos seus detalhes reveladores de uma constância posta à prova tantas vezes. Para surpresa e desconsolo dos leitores evangélicos que idolatram a versão Reina-Valera (mas sem um substrato histó-

rico e cultural sólido), o original de 1569 contém os chamados livros “apócrifos” ou deuterocanônicos. Assim, é possível ler os livros de Eclesiástico, Baruque, Macabeus, as adições de Esdras e Daniel que sem nenhuma vergonha nem conflito o reformador espanhol incluiu em sua tradução. As rações para separá-los das edições posteriores, a pesar do relevante que foram para os primeiros missionários, não deixam de ser questionáveis, pois privaram várias gerações de leitores do contato com essa zona literária que completaria o panorama histórico e cultural da Bíblia em sua totalidade. O defunto escritor mexicano Carlos Monsiváis foi um defensor apaixonado da revisão desta Bíblia publicada novamente em 1909, após a realizada em 1862. Em uma entrevista que pode ser vista no vídeo (www.youtube.com/watch?v=Sa_nFJQ98sQ), assinalou muito bem seu gosto exclusivo por ela: “A Bíblia foi o primeiro livro que li, aos 6 anos. E desde então continuei e me familiarizei com a linguagem. Sei que muitas coisas já exigem um correlato histórico muito diferente quanto a épocas, a época em que se escrevem os Evangelhos, enfim… […] Eu acho que para mim foi uma aprendizagem da língua excepcional porque pude ler a Bíblia na versão de Casiodoro de Reina e Cipriano de Valera que considero insuperável e cujo uso me pareceria ainda necessário. Não gosto da atualização da Bíblia, da versão atual [de 1960], não porque não esteja de acordo com as correções, as anotações ou a modernização do vocabulário, mas porque a outra era o caudal da língua e a maneira insuperável de dizer: ‘Os céus declaram a glória de Deus e o firmamento anuncia a obra das suas mãos. Um dia faz declaração a outro dia, e uma noite mostra sabedoria a outra noite’. Parece-me que ali se chegou a uma perfeição da língua tão declarada que procurar frases análogas mais compreensíveis é simplesmente relegar o que oferece profundamente uma versão feita de uma maneira soberba por Reina e Valera”. De modo que continuamos com os parabéns, sobretudo pela continuação do diálogo espiritual e cultural com aquelas produções que definiram toda uma maneira de ser e de pensar naquelas terras distantes e nas nossas, unidas contra vento e marés pelo influxo da resistência teológica rebelde e criativa l Dezembro 2015 / Impacto evangélico

19


LEMAS 2007 - 2015 Desde 1970 é escolhido um lema anual que serve de guia para a grande Obra do Movimento Missionário Mundial. É uma palavra que engloba valores e virtudes que devem ser levados em consideração por todo o mundo. Rev. Gustavo Martínez G.(*)

D

(*) Presidente internacional M.M.M

MISIONÁRIO MUNDIAL 20 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia

esde o início desta maravilhosa obra do Movimento Missionário Mundial, Deus ordenou que nosso fundador, o reverendo Luis. M. Ortiz (que já descansa na presença do Criador), escolhesse anualmente um lema de trabalho que servisse de guia em todas as partes onde a Obra está presente, enfocado no trabalho e profundando nele para melhorar o estilo de vida cristão. Desde 1970, ano após ano, é conhecido cada lema de trabalho. Cada um deles foi de ajuda, inspiração, exortação e bênção para todo o povo do Senhor. Desde que Deus por sua misericórdia me deu a honra e o privilégio de poder assumir esta responsabilidade, eu pude meditar sobre cada um dos lemas que Deus me revelou neste tempo de trabalho. Eu pude ver que são virtudes e valores que têm conexão direta com o carácter da pessoa. Coisas que se perderam com o transcurso do tempo. A globalização e a constante mudança que o mundo está experimentando aju-

daram a que estes valores e virtudes sejam esquecidos. Isso afetou a Igreja de Deus, que se adaptou às mudanças e também tentou adaptar o Evangelho de Jesus Cristo a um mundo no qual nunca poderá coexistir, pois as Escrituras dizem: “não sabeis vós que a amizade do mundo é inimizade contra Deus? Portanto, qualquer que quiser ser amigo do mundo constitui-se inimigo de Deus.”. Por essa razão, eu acho que Deus, em sua grande sabedoria, falou em 2007 do necessário que é a Sinceridade na vida do crente bem como na Igreja. Ele nos convidou a agir como realmente pensamos e somos, a ser verdadeiros e autênticos, a não nos esconder atrás do manto da hipocrisia, pois Deus conhece o mais profundo dos pensamentos e o coração. A sinceridade é um dos valores mais importantes e louváveis em uma pessoa, já que se baseia em ser e agir de maneira genuína e verdadeira. Em 2008 nos chamou para que tivéssemos Comunhão com Ele e entre os crentes,


REVELAÇÕES REALIDAD

para que eliminássemos a rivalidade, para que consolidássemos o respeito mútuo e fizéssemos as coisas procurando o bem dos outros. Comunhão que nos fortalece e se torna uma luz que ilumina no meio da escuridão que o egocentrismo e a inveja do mundo de hoje geram. Em 2009, o ponto de partida foi Serviço, no qual o Senhor fez um chamado para que estejamos dispostos a servir com boa vontade, para que aprendamos que o Serviço que Deus deseja é sincero e desinteressado e para que não sirvamos esperando algo em troca. Este foi um chamado que o Senhor fez para que aprendamos a deixar o interesse de lado, algo que o mundo não pôde conseguir. Em 2010 veio a Vontade, pedindo-nos que aprendamos a aceitar sua vontade antes que a nossa. Se há algo difícil para o ser humano é depor sua vontade à de outro, mas o exemplo por excelência foi Jesus, que perto do momento do martírio disse a seu Pai: “todavia não se faça a minha vontade, mas a tua”.

Desde 1970, ano após ano, é conhecido cada lema de trabalho. Cada um deles foi de ajuda, inspiração, exortação e bênção para todo o povo do Senhor. Em 2011, o chamado foi sobre o Compromisso, para poder marcar a diferença entre uma vida espiritual medíocre e uma de excelência. Pudemos ver que o compromisso é algo custoso, é um caminho sem retorno e é algo que implica todo o esforço do ser humano. No compromisso se encontram envolvidos o coração, a mente e a vontade. Quando uma pessoa faz um compromisso com Deus sem incluir todo seu ser, não é válido nem duradouro; sem isso é impossível permanecer, e essa é a importância deste chamado. Em 2012 chegou a Submissão, algo muito necessário após ter aceitado o compromisso. O homem geralmente não gosta de se submeter a ninguém, mas na vida cristã e no âmbito espiritual a Submissão é a chave que abre a porta das bênçãos de Deus. Em 2013, Retenção foi o conselho mais

Continue lendo–– Dezembro 2015 / Impacto evangélico

21


OS LEMAS DO MMM Estes são os lemas anuais do Movimento Missionário Mundial desde 1970. • Impacto 70 • Avanço 71 • Poder 73 • Visão 74 • Expansão 75 • Unção 76 • Vitória 77 • Esforço 78 • Sacrifício 79 • Clamor 80 • Redenção 81 • Colheita 82 • Unidade 83 • Avivamento 84 • Pentecostes 85 • Fogo 86 • Fidelidade 87 • Santidade 88 • Glória 89 • Humildade 90 • Obediência 91 • Firmeza 92 • Perseverança 93 • Intercessão 94 • Oração 95 • Consagração 96 • Conquista 97 • Fortaleza 98 • Integridade 99 • Triunfo 2000 • Limpeza 2001 • Frutificação 2002 • Missão 2003 • Perdão 2004 • Humilhação 2005 • Multiplicação 2006 • Sinceridade 2007 • Comunhão 2008 • Serviço 2009 • Vontade 2010 • Compromisso 2011 • Submissão 2012 • Retenção 2013 • Convicção 2014 • Lealdade 2015

MISIONÁRIO MUNDIAL 22 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia

Continue lendo––

valioso que pudemos receber após 50 anos de trabalho ininterrompido. E pudemos entender que a retenção implica poder conseguir que, mesmo que os anos passem, o zelo e o amor pela sã doutrina, a paixão pela obra missionária e a procura da santidade não mudem. Para o relativismo que guia o mundo diariamente, não há nada melhor que a Convicção de 2014. Deus nos chamou para que tivéssemos confiança e completa segurança n’Ele e Sua Palavra. As convicções de uma pessoa são as que o definem e revelam o que é importante para ela. Não podemos pôr em prática um evangelho segundo preferências, mas segundo convicções bíblicas que nos unam a Deus. Em 2015, o Senhor nos pediu Lealdade. A virtude que se desenvolve na consciência e que implica cumprir um compromisso, mesmo em circunstâncias adversas. Algo que se refere à fidelidade, honestidade, estabilidade e firmeza. O Evangelho de Jesus Cristo exige lealdade em seus seguidores, por isso

entendemos que não podemos trair o Senhor perante as ofertas do mundo. Por esta razão, eu acho que o Senhor nos enviou neste ano para que podamos entender e praticar a lealdade, fazendo-a parte de nossa vida cristã até o dia final. Pode-se observar então que Deus veio tentando formar nosso carácter, chamandonos para que fôssemos Sinceros, para que pudéssemos manter a Comunhão, para que praticássemos o Serviço sincero e desinteressado, para que renunciássemos a nosso “eu” e aceitássemos sua Vontade, para que cumpríssemos o Compromisso e experimentássemos uma Submissão total a Ele, para que valorizássemos o que recebemos de Sua mão e o Retenhamos; com Convicção e firmeza sendo Leais até o final de nossa vida. O que virá depois? Eu os convido a nos unirmos em oração para pedir a Deus que nos prepare para o lema que está por vir; que podamos entendê-lo e praticá-lo para seguir a formação que Ele deseja realizar em cada um de nós. Deus o abençoe grandemente l


VOLTEMOS PARA DEUS

LANÇAMENTO

Através do canal UNO, em Bogotá, Colômbia, o programa emblemático de televisão “Volvamos a Dios” (Voltemos a Deus), do Rev. Gustavo Martínez Garavito, será transmitido em sinal aberto e permanentemente.

V

olvamos a Dios”, sempre foi a plataforma

onde o Rev. Gustavo Martínez Garavito, atual presidente do Movimento Missionário Mundial, prega a Palavra do Senhor. Agora e graças ao canal UNO, milhões de colombianos podem ser testemunhas da mudança que Deus pode fazer em suas vidas. Com vasta experiência nos meios de comunicação, no último sábado, 14 de novembro (11h30), o programa de televisão “Volvamos a Dios”, foi emitido pelo sinal aberto do canal UNO, que é transmitido desde a cidade de Bogotá para todo o país, e será transmitido todos os sábados. Isso é graças aos esforços estabelecidos pela Igreja do MMM em Medellín e à estação de televisão. Com mais de 35 anos de estabelecido, “Volvamos a Dios” nasceu no coração do Rev. Martinez, como parte da igreja e o ministério que Deus lhe deu. O objetivo principal foi anunciar as boas novas a todas as almas perdidas da Colômbia e do mundo. Graças a seu conteúdo enriquecedor, “Volvamos a Dios” é transmitido através de diferentes meios de comunicação, como rádio, televisão e Internet (www.volvamosadios.org.co), para pregar a mensagem da salvação. Também é emitido por Bethel Rádio e Televisão

(Lima, Peru), que, por sua vez, é transmitido para todo o planeta, com seu sinal em alta definição e através do site (www.betheltv.tv), tornando-se um dos principais programas do Canal para a Felicidade da Família.

SUAS ORIGENS Depois de receber uma revelação aos 17 anos de idade, o Rev. Gustavo Martínez se rendeu ao Evangelho em 1972. Dois anos mais tarde, o Senhor o chamou para pregar a palavra em El Poblado Girón (Santander do Sul) e, posteriormente, foi transferido para o departamento de Cundinamarca. Em 13 de janeiro de 1978, chegou à cidade de Medellín (Antioquia) para expandir o trabalho do Movimento Missionário Mundial; e desde então, “Volvamos a Dios” foi estabelecido como um ministério na procura e na salvação das almas perdidas. Sob este ministério evangelístico, mais de 200 pastores colombianos foram treinados sob os ensinamentos das Escrituras, os quais estabeleceram mais de 200 igrejas em todo o país. Sua expansão através dos meios de comunicação se tornou ponto de referência para a Evangelização Mundial l Dezembro 2015 / Impacto evangélico

23


REFÚGIO DO

ANJOS

Escrito pelos esposos Janet e Geoff Benge, o livro relata a comovedora vida da cristã Corrie ten Boom que ajudou a salvar judeus e outras pessoas durante a Segunda Guerra Mundial.

O

Acreditada em 1922 como a primeira relojeira autorizada na Holanda, Corrie foi testemunha de exceção da implacável perseguição que a comunidade judaica sofreu quando os Países Baixos caíram nas mãos das tropas de Adolfo Hitler. Segundo os Benge desde maio de 1942, junto a sua família, Ten Boom salvou de uma morte segura aproximadamente oitocentos judeus que foram refugiados em seu próprio lar. MISIONÁRIO MUNDIAL 24 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia

metal frio das algemas apertava os pulsos de Corrie. Seu braço esquerdo estava algemado ao de sua irmã mais velha Betsie, e o direito, ao de seu pai. Eles, por sua vez, estavam algemados a outras pessoas. Aquela cadeia humana avançava penosamente pela passagem que levava a Smedestraat. A neve da manhã tinha derretido, formando pequenas poças de cor acinzentada sobre o caminho. A cada passo que dava, a água gelada que respingava molhava as pernas de Corrie. O membro da Gestapo que os conduzia, vociferava em alemão, ordenando que caminhasse mais rápido; mas para Corrie e seu pai, obedecer a essa ordem era impossível. Andar mais devagar era tudo o que ela podia fazer para evitar que os dois perdessem o equilíbrio. Parte da coleção “Heróis cristãos – ontem e hoje”, a obra “Refúgio dos Anjos”, editada em 1999 pelos esposos Janet e Geoff Benge, relata a emocionante e comovedora vida de Corrie ten Boom, reconhecida crente que ajudou na salvação de judeus e outras pessoas durante a Segunda Guerra Mundial. Nascida em 15 de abril de 1892 na Holanda no seio de uma família cristã, Corrie é descrita pelos Benge como um claro exemplo de coragem, fé e perdão devido a sua capacidade de superar a dor através do amor do Senhor. Os quase seis meses de cama aumentaram seu apreço pela vida. Corrie se envolveu em muitos projetos, alguns dos quais conseguiram alcançar uma dimensão muito maior do que tivesse imaginado. Começou a ajudar Betsie na aula bíblica que ela ensinava, e em breve, deu aulas de Bíblia em muitas das escolas da cidade. Compreen-

deu que Haarlem era uma cidade que carecia de atividades para meninas adolescentes, por isso, iniciou “O grupo de passeio”. No princípio, só Corrie e algumas poucas meninas da escola dominical de Betsie passeavam até as dunas de areia antes de ir para a igreja. Publicado em 2005, em espanhol pela


LITERATURA

editora Jucum, o livro de Janet e Geoff Benge demonstra o grande compromisso social de Corrie ten Boom no curso de sua existência. No início e com um realismo preciso, no segundo dos quinze capítulos desta obra, aparece um conciso, mas efetivo, compêndio da vida de Corrie antes da invasão nazista. Os autores ressaltam que sempre esteve

ligada às coisas de Deus e que foi uma infatigável pregadora das boas novas. A PERSEGUIÇÃO Corrie fechou a porta e foi para a sala de jantar. Como tinham mudado as coisas! Antes da ocupação, um erro como o que acabava de acontecer tivesse sido um assunto sem

Continue lendo–– Dezembro 2015 / Impacto evangélico

25


Continue lendo––

Liberada em 28 de dezembro de 1944, Corrie ten Boom voltou a seu país, quando o Velho Continente ainda ardia em chamas, e decidiu compartilhar o Evangelho através de um ministério que a levou a viajar por mais de sessenta países. Corajosamente e com grande entusiasmo, percorreu o mundo e espalhou uma mensagem de amor e perdão durante mais de trinta e oito anos. Serva abnegada de Deus e fiel defensora da Palavra, ela deixou este mundo em 15 de abril de 1983.

MISIONÁRIO MUNDIAL 26 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia

nenhuma transcendência. Agora, ao contrário, podia provocar graves consequências. Qualquer um podia ser um espião do NSB, ou uma pessoa de outra rua disposta a ganhar várias rações adicionais de comida em troco de delatar um grupo de judeus e seus encobridores. O ambiente festivo na sala de jantar passou rapidamente de igual maneira

como tinha aparecido. Todos ficavam sentados em silêncio, abstraídos em seus pensamentos e preocupações. Acreditada em 1922 como a primeira relojeira autorizada na Holanda, Corrie foi testemunha de exceção da implacável perseguição que a comunidade judaica sofreu quando os Países Baixos caíram nas mãos


LITERATURA

das tropas de Adolfo Hitler. Segundo os Benge desde maio de 1942, junto a sua família, Ten Boom salvou de uma morte segura aproximadamente oitocentos judeus que foram refugiados em seu próprio lar. Também, apoiou os membros da resistência holandesa e esteve à frente de um grupo de auxílio denominado “Beje”, como a relojeira de seu pai Casper. Corrie introduziu dissimuladamente os quatro evangelhos no bolso do casaco, colocou-se o chapéu e seguiu a diretora. Nesta ocasião, porém, não viraram à direita para o corredor, mas à esquerda. Seu coração desmaiou. A cada passo que davam se internavam mais na prisão. Quando percorreram já 150 metros, a diretora se deteve e abriu a porta de outra cela. Corrie entrou sem esperar a ordem. A cela era idêntica à anterior, exceto por dois detalhes: primeiro, estava vazia; e o segundo, tinha uma janela, mas ela era bastante alta e estava protegida por barras de ferro. Acusados por suas ações a favor dos judeus perante a Gestapo (Polícia Secreta Nazista), Corrie ten Boom e seus parentes foram detidos em 28 de fevereiro de 1944. De imediato e junto a seu progenitor Casper, que morreu dez dias depois, seus irmãos Willem, Nollie e Betsie e seu sobrinho Peter, foi conduzida ao cárcere de Scheveningen. Ali, muito perto do mar, a poucos quilómetros da cidade da Haia, outra vez pôs de manifesto sua fé em Deus e aproveitou o encerro para evangelizar vários soldados alemães. Depois de guardar em seu bolso do casaco a Bíblia que Nollie lhe deu, colocou-se ao lado da porta. Seu coração batia aceleradamente. O que estaria acontecendo? Sempre que saía da cela ia sozinha, mas nesta ocasião a ordem era para todas as reclusas de sua seção. Os aliados teriam invadido Holanda? Seria o prelúdio da liberdade? Corrie esperava ansiosamente o momento em que se abrisse a cela, mas o tempo passava sem que nada acontecesse. Assim chegou a hora do almoço, porém a porta permanecia fechada, e também não lhe entregaram a habitual fatia de pão que recebia nesse momento do dia. Em setembro de 1944, depois de passar pelo centro de detenção de Vught, Corrie e Betsie foram enviadas ao campo de concentração de Ravensbrück, destinado

especialmente para o extermínio de mulheres, situado a noventa quilómetros da cidade de Berlim. Nesse lugar, onde mais de cento e trinta e dois mil prisioneiras entre 1939 e 1945 estiveram reclusas, Ten Boom demonstrou mais uma vez sua firme convicção evangélica, e apoiada por sua irmã Betsie, que morreu em 14 de dezembro, transformou-se em um símbolo de esperança no meio do horror. NÃO HÁ FOSSO PROFUNDO Aquela primavera parecia interminável e Corrie era testemunha da luta desesperada de muitas pessoas por sobreviver, quase tão desesperada como a das prisioneiras com as que ela e Betsie tinham estado nos campos de concentração de Vught e Ravensbrück. Foi então quando lembrou as palavras de Betsie: “temos que lhes dizer que não existe um fosso tão profundo aonde não chegue o amor de Deus”. Agora sabia o que faltava em sua vida. Deus queria que em lugar de reparar relógios, falasse de seu grande amor àquelas pessoas desesperadas. Em só alguns dias começou a falar em casas e igrejas. Liberada em 28 de dezembro de 1944, Corrie ten Boom voltou a seu país, quando o Velho Continente ainda ardia em chamas, e decidiu compartilhar o Evangelho através de um ministério que a levou a viajar por mais de sessenta países. Corajosamente e com grande entusiasmo, percorreu o mundo e espalhou uma mensagem de amor e perdão durante mais de trinta e oito anos. Serva abnegada de Deus e fiel defensora da Palavra, ela deixou este mundo em 15 de abril de 1983 nos Estados Unidos após um prolífico trabalho evangelístico. Suas experiências a tornaram famosa e seus livros e filmes a teriam tornado milionária se não tivesse doado todo seu dinheiro para diversas causas. Corrie seguiu fielmente as palavras que Betsie lhe disse há 35 anos. Depois de abandonar Ravensbrück dedicou toda sua vida a dizer às pessoas que não existia um fosso tão profundo aonde não chegasse o amor de Deus. Aquela mulher, que tinha vivido para falar a outros do amor e o perdão, morria tranquilamente em sua cama em 15 de abril de 1983, dia em que completava 91 anos. Corrie ten Boom foi enterrada em Los Angeles, e na lápide de seu túmulo se lê: “Jesus é vencedor” l Dezembro 2015 / Impacto evangélico

27


CANTAREI A LINDA HISTÓRIA Hino de cento e trinta anos de história, mantém vivo um anúncio sobre a compaixão de Deus. Criação de Francis Harold Rowley

I

nspirado em Salmo 17:7, passagem bíblica que aborda o tema das misericórdias de Deus, o hino “Cantarei a linda história” é uma canção significativa dentro do ambiente musical evangélico que atesta o amor do Senhor. Escrito em 1886 pelo autor cristão Francis Harold Rowley, nascido em 25 de julho de 1854, nos Estados Unidos, este louvor mantém uma mensagem de esperança sobre a compaixão de Jesus Cristo e as graças que oferece aos seres humanos que abandonam o caminho do mal. Filho de John Rowley e Mary Jane Smith, um casal de crentes de fortes convicções, Francis Harold foi um seguidor fiel das boas novas. Criado em um lar onde Deus foi o centro de tudo, Rowley estudou na Universidade de Rochester, onde se graduou em 1875 e mais tarde se inscreveu no Seminário Teológico de Rochester. Ali, de-

CANTAREI A LINDA HISTÓRIA 1 De Jesus, o Salvador Que deixou Seu lar na glória Pra salvar o pecador. CORO Cantarei a linda história De Jesus e Seu amor; Com fervor, na Sua glória, Louvarei ao Salvador 2 Eu andei, do lar, distante, Prestes já a perecer, Mas Jesus, então, buscou-me E salvou meu pobre ser. 3 Muitas vezes dias tristes E aflições me sobrevêm, Mas Jesus depressa estende Sua mão que me sustém. MISIONÁRIO MUNDIAL 28 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia

pois de se compenetrar com a doutrina cristã, ele foi ordenado ministro de Deus, em 22 de junho de 1878, e foi imediatamente designado para liderar um templo localizado no estado da Pensilvânia. Quanto a origem de “Cantarei a linda história”, Francis Harold Rowley, que assumiu a liderança de uma igreja no estado de Massachusetts, em 1884, confessou uma vez que ele nasceu em um domingo, no meio de um grande interesse religioso dos fiéis da Congregação, da cidade de North Adams, liderada por ele naquele tempo. A este respeito, Rowley revelou que o crente Peter Bilhorn, um proeminente cantor evangélico, foi quem o ajudou com a criação da música que acompanha a canção que foi publicada pela primeira vez em 1887. Peter Bilhorn, um nativo do estado de Illinois, foi um instrumento do Senhor que desenvolveu um trabalho extraordinário em favor do crescimento do Evangelho em todo o mundo e se tornou uma referência de canto religioso. Músico prolífico, amigo íntimo de Rowley e autor de cerca de duas mil canções congregacionais, Peter ajudou Francis Harold mediante sua habilidade com o órgão e a sua extraordinária capacidade para a produção de uma melodia completamente dedicada a louvar o Senhor. Rowley, com a passagem dos anos, foi exaltado como um diligente servo de Deus que pregou corajosamente sua Palavra em vários estados do país. Além disso, sob os propósitos do Senhor, ele surgiu como um ilustre defensor do bem-estar dos seres humanos e dos animais nos Estados Unidos. Presidente da sociedade protetora dos animais de Massachusetts durante trinta e cinco anos, Francis Harold também trabalhou a favor de crianças e da saúde pública na cidade de Boston. Criador de um hino de cento e trinta anos de história, Francis Harold Rowley


MÚSICA

morreu aos 91 anos e em toda sua longa vida nunca deixou de compartilhar a Palavra do Senhor. Falecido no dia 14 de fevereiro de 1952, em Boston, Rowley deu um emblemático testemunho de fé com

seus atos marcados por seu amor a Deus. Após de sua partida e com base no mérito de suas grandes contribuições sociais, a Universidade de Oglethorpe batizou sua escola de Humanidades com seu nome l Dezembro 2015 / Impacto evangélico

29


O REFORMADOR DA SUÍÇA Considerado como o terceiro reformista mais importante da história do cristianismo, Ulrico Zuínglio defendeu o valor da Bíblia e atacou sistematicamente toda prática religiosa contrária às Escrituras. Javier Fernández

T

O entusiasmo de Ulrico pela Bíblia foi tão grande que se dedicou a copiar quase todas as cartas de Paulo e a memorizar o Novo Testamento em grego. Apesar de que Zuínglio permaneceu dentro do catolicismo por mais uns poucos anos, a partir desse momento sua teologia começou a evoluir. Renovado em sua fé, começou a estudar também hebraico para poder ler o Antigo Testamento em sua língua original. MISIONÁRIO MUNDIAL 30 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia

eólogo, pastor e reformador de origem suíça, Ulrico Zuínglio, nascido em 1 de janeiro de 1484, é considerado o terceiro reformista mais importante da história do cristianismo depois de Martinho Lutero e João Calvino. Homem de fé profunda e cujo nome aparece mencionado de diferentes maneiras, como Ulrich Zwingli, Huldreich Zwingli e Huldreych Zwingli, pregou contra as degenerações das devoções e práticas populares, e propugnou o retorno à Igreja primitiva e às Sagradas Escrituras como única fonte de revelação. Criado no seio de uma família camponesa que gozava de uma grande prosperidade econômica, Ulrico viveu coberto pelo Evangelho e rodeado de oito irmãos, dois dos quais morreram prematuramente. Desde criança recebeu uma esmerada educação, que o tornou uma das figuras mais destacadas do humanismo europeu de finais do século XIV e inícios do século XV. De fato, Ulrico realizou estudos de música, gramática e filosofia escolástica nas melhores escolas de Basileia e Berna e, em 1498, aos quatorze anos de idade, começaria seus estudos superiores na Universidade de Viena. Posteriormente, em 1502, Zuínglio ingressou na Universidade de Basileia onde continuou ampliando seus conhecimentos, sob a influência do teólogo Thomas Wyttenbach, até que obteve o grau de Mestre em Artes em 1505. Depois, Ulrico dedicou seis intensos meses ao estudo da teologia cristã, de tal modo que, no verão de 1506, recebeu o grau de Ministro de Deus e foi designado pastor da igreja de Glaris, perto de sua terra natal, Wildhaus. Nesta histórica cidade suíça, dominada pela religião tradicional, serviu ao Senhor por dez anos.

FÉ RENOVADA No final de 1516, Ulrico Zuínglio se estabeleceu na cidade de Einsiedeln, célebre por sua grande beleza, onde continuou com sua paixão pelos estudos teológicos e humanísticos. Refugiado em si mesmo, releu com gozo as obras dos pais da fé evangélica e conseguiu aprender a língua grega de forma autodidata para poder conhecer a versão original do Novo Testamento. Influenciado por Erasmo de Roterdã, Ulrico concebeu o propósito de empreender sua própria reforma, baseada na proposta de salientar a validez da Bíblia como único guia do comportamento cristão. Então, Zuínglio se dedicou ao pormenorizado estudo da Bíblia, desde suas fontes mais remotas, sem abandonar sua atividade de pregador, na qual alcançou progressivamente maior renome. Tanto foi assim que em 1518 foi chamado de Zurique, principal cidade da Suíça, para que manifestasse publicamente suas prédicas desde o púlpito do templo central. Ali foi onde começou a exibir seus primeiros desejos reformistas, ao aplicar em suas prédicas uma leitura cronológica das Sagradas Escrituras, em contraste com a ordem clássica do ano litúrgico estabelecido pela Igreja tradicional. O entusiasmo de Ulrico pela Bíblia foi tão grande que se dedicou a copiar quase todas as cartas de Paulo e a memorizar o Novo Testamento em grego. Apesar de que Zuínglio permaneceu dentro do catolicismo por mais uns poucos anos, a partir desse momento sua teologia começou a evoluir. Renovado em sua fé, começou a estudar também hebraico para poder ler o Antigo Testamento em sua língua original. Além disso, atacou a venda das indulgências e realizou um ataque sistemático a toda prática religiosa contrária às Escrituras.


HERÓI DA FÉ

Continue lendo–– Dezembro 2015 / Impacto evangélico

31


Nos inícios de 1523 aconteceu a “Primeira Disputa de Zurique”, na qual o conselho local debateu a possibilidade de que existisse algum indício de heresia no trabalho de Zuínglio. O teólogo Johann Faber, apelidado de “Martelo dos hereges”, esteve presente no debate. No entanto, os regentes de Zurique não só não puderam encontrar nenhuma culpa em Ulrico, mas também decidiram que o resto dos pregadores deviam se guiar, a partir de então, pelas Escrituras. Continue lendo––

Em 1519, ano no qual uma praga devastou a cidade de Zurique, Zuínglio esteve à beira da morte. Então, a ponto de morrer, notou que só podia depositar sua confiança na misericórdia de Deus, e isso foi o que fez. Posteriormente, quando recuperou sua saúde, Ulrico se levantou como um homem transformado, decidido a nunca mais depositar sua confiança nas coisas criadas, nem nos santos e muito menos nos sacramentos inventados pelo homem. De imediato, ele fez tudo o que esteve a seu alcance para guiar o coração das pessoas desde os ídolos até os pés do Senhor. ROMPIMENTO COM ROMA Os problemas de Ulrico com a Igreja Católica se agudizaram em 1522 quando Francisco I, rei da França e aliado do papa, pediu à Confederação Suíça que lhe enviasse soldados na qualidade de mercenários para sua guerra contra Carlos V. Todos os cantões suíços aceitaram a

MISIONÁRIO MUNDIAL 32 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia

petição, mas Zurique se negou por conselho de Zuínglio. Posteriormente, durante a Quaresma daquele ano, aconteceu um episódio que acabou por aprofundar suas diferenças. Alguns cristãos realizaram um jantar com salsichas, em vez de pescado, e desafiaram a prática estabelecida pelos católicos. Duas semanas depois, Zuínglio abordou o tema diretamente em uma prédica, intitulada “A liberdade de escolha dos alimentos”, que foi publicada em abril desse ano. Neste manifesto, Ulrico defendeu a liberdade do cristão de não se submeter a mandamentos de homens, o que implicava que não estavam obrigados a obedecer de forma incondicional o ditame da Igreja tradicional. De imediato, Zurique se dividiu entre partidários e detratores das reformas planejadas pelo teólogo e houve uma série de distúrbios. Em agosto de 1522, Ulrico renunciou definitivamente à Igreja Católica e para isso alegou


HERÓI DA FÉ

que esta se fundamentava em leis humanas. A pesar disso, alguns radicais quiseram que fosse mais rápido e decidido em suas reformas; mas ele compreendeu que o segredo da reforma consistia na transformação do coração dos homens com o poder do Evangelho. Naquele tempo, Zuínglio também publicou uma de suas obras mais importantes sobre o poder e a eficácia da Palavra de Deus. Em seu escrito afirmaria que a humanidade anela a luz do Senhor. Pouco a pouco, seu desejo renovador o levou a extremar seu desacordo com os católicos em todos os campos, já que, além de desautorizar totalmente as disposições humanas das altas hierarquias eclesiásticas, censurou abertamente a veneração que o povo professava aos santos, bem como os vícios e a vida relaxada que muitos membros das ordens religiosas e grande parte da povoação suíça levavam. Exigiu que os pregadores, em suas mensagens, só difundissem o estabelecido literalmente pela Bíblia.

PROLÍFICO TRABALHO Nos inícios de 1523 aconteceu a denominada “Primeira Disputa de Zurique”, na qual o conselho local debateu intensamente a possibilidade de que existisse algum indício de heresia no trabalho de Zuínglio. O teólogo Johann Faber, apelidado de “Martelo dos hereges”, esteve presente no debate, como líder de uma delegação enviada pelo bispo de Constança. No entanto, os regentes de Zurique não só não puderam encontrar nenhuma culpa em Ulrico, mas também decidiram que o resto dos pregadores da cidade deviam se guiar, a partir de então, pelas Escrituras. Além disso, a disputa terminou com a total aceitação das 77 conclusões presentadas pelo teólogo proveniente de Wildhaus, resumidas em dois simples lemas que expressavam sua proposta reformadora: “só Cristo” e “só a Bíblia”. Aquele momento também coincidiu com a redação de algumas de suas principais obras como “O pastor”, que expõe as virtudes de um pregador fiel ao evangelho; “Comentário sobre a verdadeira e a falsa religião”, que enumera os princípios da fé evangélica; e “Profecia”, um rigoroso guia sobre a interpretação da Bíblia. Sob a direção de Zuínglio, houve rápidas mudanças em Zurique. Estabeleceu-se um sistema de educação pública geral, sem distinção de classes. Ao mesmo tempo, pregadores e laicos, partidários de Ulrico, propagaram o evangelho por outros cantões suíços. Rapidamente algumas regiões do país se tornaram cristãs, enquanto outras continuaram fiéis a Roma e a sua hierarquia. Esta divergência religiosa se somou a outras diferenças profundas, e a guerra civil chegou a parecer inevitável. Em outubro de 1531, cinco cantões católicos atacaram Zurique de surpresa. Em 11 de outubro de 1531, na atual comuna de Kappel, a coligação católica, cujas forças de assalto representavam o dobro das de Zurique, venceu sem atenuantes seus inimigos. Em só uma hora de combate perderam a vida meia centena de zuriquenses, entre eles Ulrico Zuínglio, que antes de cair morto gritou: “Eles podem matar o corpo, mas não a alma”. Deste modo, o reformador da Suíça entrou na história do cristianismo, deixando uma mensagem transcendente sobre o valor das Sagradas Escrituras e o Poder do Senhor l

seu desejo renovador o le­vou a extremar seu desacordo com os católicos em todos os campos, já que, além de desautori­ zar totalmente as disposições humanas das altas hierarquias eclesiásticas, censurou abertamente a veneração que o povo professava aos santos, bem como os vícios e a vida relaxada que mui­tos membros das ordens religiosas e grande parte da povoação suíça levavam.

Dezembro 2015 / Impacto evangélico

33


MISIONÁRIO MUNDIAL 34 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia


HISTÓRIAS DE VIDA

UMA VIDA QUE SAIU DA ESCURIDÃO Que delito não tinha cometido Kledis Macías? Delinquência e proxenetismo. Traição a sua esposa e filho. O proibido parecia atraí-lo. Nesse espaço cresceu. Sem misericórdia com ninguém. Ninguém acreditava em sua salvação. Só Deus acreditou nele. E chegou o momento de salvar sua vida.

Marlo Pérez Fotos: Dámaris Samamé / Archivo Familiar

Dezembro 2015 / Impacto evangélico

35


K

ledis jamais se considerou um exemplo para ninguém. Sua vasta experiência no mundo da delinquência e do proxenetismo o tornou um homem frívolo e de poucos sentimentos, que o levou a fugir da justiça e abandonar sem misericórdia sua esposa grávida no cárcere, por um delito que ela nunca cometeu. Um ano depois de sair em liberdade, Kledis reconheceu seu erro e procurou sua esposa e seu recém-nascido, para lhes pedir perdão. Deus tinha agido sobre ele. Tornou-se um homem de bem e em um pai exemplar, o que é surpreendente para muitos até hoje. A ESPOSA ENCARCERADA Os motivos que empurraram Kledis Elicito Macías Loor a abandonar sua esposa Angélica Collao García de 16 anos, e entregá-la praticamente nas mãos das autoridades, aconteceram em 2008, depois que ela fosse visitá-lo à cidade de Cuenca e onde passaram toda uma semana juntos, apregoando-se amor eterno. No fim da semana e no momento em que ela comprava seus bilhetes para retornar a Quevedo –cidade onde nasceu– a polícia de inteligência a MISIONÁRIO MUNDIAL 36 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia

prendeu por estar vinculada com Kledis, mais conhecido como “patucho”. Nesse momento, Angélica não entendeu o incidente, mas pouco depois lhe explicaram o prontuário de Kledis, um perigoso delinquente imiscuído em roubos, assaltos, proxenetismo, tráfico de brancas e fuga da justiça de seu país. Angélica não pôde crê-lo. Minutos mais tarde, Kledis retornou com muito sigilo ao terminal de ônibus e não encontrou Angélica. Suas suspeitas foram confirmadas quando ouviu que uma mulher com características similares às de sua esposa tinha sido arrestada. Nesse momento, Kledis fugiu do lugar e se esqueceu dela, e que estava grávida. Enquanto fugia a outra cidade, Kledis se remontou ao passado e lembrou como ele e sua mãe foram abandonados também por seu pai, quando ele tinha só sete anos. De repente, esse terrível e incômodo nó na garganta não o deixou respirar durante todo o caminho. NO ABANDONO Kledis, nascido em outubro de 1989, entrou nesse perigoso mundo aos 13 anos, quando deixou


HISTÓRIAS DE VIDA

Kledis viu como muitos de seus amigos começaram a gozar de boa reputação, grandes casas, carros e outros luxos, já que se tornaram “rufiões”, isto é, homens que vivem à custa do que uma prostituta ganha. Abandonou sua esposa e viajou à cidade de Cuenca para namorar mais de uma mulher, para prostituí-las e viver delas. Sua estratégia era enganá-las com a promessa de lhes comprar roupa de reconhecidas marcas e um carro do ano em menos de três meses. a casa de seus pais e decidiu viver com seus avós paternos em Quevedo, sua cidade natal. “Refugiei-me em casa de meus avós, depois que meu pai abandonou minha mãe, para viver com outra mulher… Isso foi um duro golpe para mim, porque não foi a primeira vez que meu pai fez isso”, lembra Kledis. Ao viver com seus avós, Kledis deixou os estudos e trabalhou como cobrador de ônibus de transporte público, assim conheceu vários jo-

vens de sua idade, cujos únicos interesses eram as festas, as mulheres e o álcool. Quatro anos depois, Kledis, com 17 anos, conheceu sua esposa Angélica de 14 anos, com quem teve uma relação amorosa secretamente, pois os pais dela que foram cristãos evangélicos nunca o aceitaram como pretendente para sua filha. Perante essa situação, Kledis convenceu Angélica a escapar de sua casa para se casar, sem

Continue lendo–– Dezembro 2015 / Impacto evangélico

37


Continue lendo––

imaginar que esse casamento se anularia alguns anos depois. “Antes de abandonar minha esposa, tive apendicite e meus resíduos se regaram por todo meu corpo. Tinha só 1% de possibilidades de sobreviver, por isso meus sogros oraram por mim e Deus me sarou, mas eu fui um homem ingrato que preferiu o pecado e a vida fácil”, assinala ele. OS RUFIÕES Uma vez recuperado e fazendo sua vida normal, Kledis viu como muitos de seus amigos começaram a gozar de boa reputação, grandes casas, carros e outros luxos, já que se tornaram “rufiões”, isto é, homens que vivem à custa do que uma prostituta ganha. Uma forma de viver muito popular entre os jovens dessa época. Isto o motivou a abandonar sua esposa e viajou à cidade de Cuenca para namorar mais de uma mulher, para prostituí-las e viver delas.

MISIONÁRIO MUNDIAL 38 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia

Sua estratégia era enganá-las com a promessa de lhes comprar roupa de reconhecidas marcas e um carro do ano em menos de três meses. Quando chegou o dia em que Kledis devia cumprir suas palavras, ele começava a negar tudo e mostrava seu verdadeiro rosto perante aquela mulher e outras duas que se somaram a seus planos. Desde aquela vez todas elas foram presa dos danos e abusos de “patucho”. Alguns anos depois, Kledis com 20 anos, conheceu um homem chamado de “ahijado”, que o levou ao mundo da delinquência e da máfia, com a quadrilha “los empalmeños” que semearam o terror e a insegurança em várias cidades do Equador. Ao entrar nesta organização delitiva, Kledis foi designado como motorista dos delinquentes, recebendo 300 dólares por cada assalto que cometeram. Depois, ele se especializou no assalto à mão armada, roubando carros luxuosos e pontos comerciais. A quadrilha também se de-


HISTÓRIAS DE VIDA

a polícia de inteligência desarticulou essa máfia ao encontrá-las em um hotel da cidade de Azuay, ao sul do Equador. Ali muitas mulheres foram resgatadas, e imediatamente elas assinalaram que Kledis era seu proxeneta. Procurado pela polícia, Kledis se dirigiu à cidade de Cuenca para continuar delinquindo, sem pensar que sua esposa o acharia para se reconciliar com ele e restaurar seu casamento. Uma semana depois, ela foi arrestada e Kledis a abandonou pela segunda vez. “O dinheiro, as mulheres, as drogas e a opulência nunca me fizeram feliz. Eu me sentia vazio, sozinho e cheio de temores...”, lembra Kledis. Apesar de que muitas vezes a polícia de inteligência fechou os bordéis que Kledis estabeleceu, ele fugia sem deixar nenhum rastro. Com a passagem dos meses, em outubro de 2010, sua esposa deu à luz seu primogênito Elian naquela prisão. Semanas depois, ela saiu livre e viveu com seus pais em Quevedo. Kledis soube disso e abandonou um de seus bordéis situado na cidade de Salinas e procurou sua esposa e filho. “Odiava sem sentido minha esposa, possivelmente porque não reconheci meus erros, nem me humilhei nem lhe pedi perdão por todo o inferno que ela viveu no cárcere estando grávida”, relata Kledis.

dicou a extorquir personalidades importantes, que foram sequestrados e assassinados. Devido a esses crimes, os nomes de “los empalmeños” e de Kledis, conhecido também como “patucho”, foram comumente escutados em todas as comissárias daquela região. TRÁFICO DE BRANCAS Kledis, motivado pelo desejo do dinheiro, novamente começou a reunir outras mulheres para que exerçam a prostituição. Nesta ocasião, recorreu a garotas de 15 e 16 anos, que foram as mais requeridas pelos clientes. Com elas percorreu várias cidades como Quito, Ambato, La Libertad e Guayaquil. “Por cada uma delas ganhava semanalmente entre 900 e 1.200 dólares… Quando não me entregavam suficiente dinheiro, recebiam golpes e as encerrava por vários dias no quarto de um hotel e sem nada de alimentos”, revela Kledis. Após vários meses de árduo seguimento,

RECONCILIADOS Um mês depois, Kledis abandonou seu mundo de crimes e trabalhou com sua mãe em um negócio familiar. Durante esse tempo, Kledis conheceu um cristão do Movimento Missionário Mundial, que o levou à casa de Deus e lhe apresentou Jesus Cristo como o único que podia mudar sua vida e encontrar uma solução a todos seus problemas. Posteriormente, ele se entregou ao evangelho. Vinte e um dias após sua conversão, Kledis recebeu a ligação de sua esposa, dizendo que estava vivendo em Guayas. Desde esse momento, o amor perdido entre eles começou a renascer; nomeadamente quando se reencontraram na cidade de Guayaquil, onde se reconciliaram dentro da casa do Senhor. Atualmente, Kledis, sua esposa e seus dois filhos estão mais unidos do que nunca, salvados pela mão de Deus. “Minha vida dentro dos caminhos do Senhor serão os melhores momentos de minha vida... A palavra de Deus corrigiu meus caminhos”, diz Kledis com convicção l

Vinte e um dias após sua conversão, Kledis recebeu a ligação de sua esposa, dizendo que estava vivendo em Guayas. Desde esse momento, o amor perdido entre eles começou a renascer; nomeadamente quando se reencontraram na cidade de Guayaquil, onde se reconciliaram dentro da casa do Senhor. Atualmente, Kledis, sua esposa e seus dois filhos estão mais unidos do que nunca, salvados pela mão de Deus.

Dezembro 2015 / Impacto evangélico

39


GLÓRIA A DEUS NAS ALTURAS! “E o anjo lhes disse: Não temais; porque eis aqui vos trago novas de grande alegria, que será para todo o povo: Pois, na cidade de Davi, vos nasceu hoje o Salvador, que é CRISTO, o Senhor. E isto vos será por sinal: Achareis o menino envolto em panos, e deitado numa manjedoura. E, no mesmo instante, apareceu com o anjo uma multidão dos exércitos celestiais, louvando a Deus, e dizendo: Glória a Deus nas alturas, Paz na terra, boa vontade para com os homens” Lucas 2:10-14. Rev. Luis M. Ortiz

E

sse foi o mais doce, glorioso e transcendental hino que o mundo jamais ouviu. Os anjos entoaram suas melodiosas vozes a Deus pelo glorioso nascimento de Jesus. Toda a criação louva e glorifica a Deus. O Salmo 148 declara que Deus é louvado e glorificado desde os céus, nas alturas por todos seus anjos, pelo sol e pela lua, pelas luminosas estrelas, pelos céus dos céus, pelas águas que estão sobre os céus; desde a terra, os monstros marinhos e todos os abismos; o fogo e o granizo, a neve e o vapor, o vento de tempestade; os montes e todas as colinas, a árvore de fruto e todos os cedros; a besta e todo animal, répteis e voadores; os reis da terra e todos os povos. Mas nada trouxe maior glória a Deus e maior regozijo a toda a criação que o nascimento de Jesus na manjedoura de Belém. “Os céus declaram a glória de Deus, e o firmamento anuncia a obra das suas mãos” MISIONÁRIO MUNDIAL 40 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia


DEVOCIONAL

(Salmos 19:1). Mas mesmo quando toda a criação se unir para formar uma gigantesca sinfonia de louvor, jamais poderá se igualar ao grande cântico da encarnação do Filho de Deus. Jamais antes a multidão dos exércitos celestiais tinha cantado: “Glória a Deus nas alturas, paz na terra, boa vontade para com os homens” (Lucas 2:14). Há mais glória e mais melodia no nascimento virginal de Jesus que no nascimento de todo o vasto universo. “E o Verbo se fez carne, e habitou entre nós, e vimos sua glória, como a glória do unigênito do Pai, cheio de graça e de verdade” (João 1:14). O apóstolo Paulo inspirado pelo Espírito Santo em uma magna e sublime exclamação diz: “E, sem dúvida alguma, grande é o mistério da piedade: Deus se manifestou em carne, justificado no Espírito, visto dos anjos, pregado aos gentios, crido no mundo, recebido acima na glória” (1 Timóteo 3:16). Grande é o mistério da piedade: Deus se manifestou em carne. O imenso universo está repleto de mistérios, desde o microscópico germe no ar que respiramos e na água que tomamos, até as gigantescas estrelas que fulguram no espaço a distâncias inconcebíveis. Em épocas remotas, cria-se em quatro elementos: terra, ar, fogo e água; mas em nosso tempo a ciência descobriu 103 elementos. Por muito tempo se creu que o átomo era a menor partícula da matéria que existia e que era indivisível, mas em nosso tempo o átomo foi desintegrado em seus componentes: elétrons, prótons, nêutrons, etc. Há um mistério em cada gota de água, o que é o que une dois átomos de hidrogênio, com um átomo de oxigênio para formar uma molécula de água? Por que um gafanhoto tem duzentos e setenta dentes em seu corpo? Como faz a minhoca para formar outra cabeça quando perde a primeira? Por que o cavalo se levanta primeiro com as patas dianteiras e a vaca, com as patas traseiras? Bom, poderíamos fazer inumeráveis perguntas; a única resposta que teríamos é que as coisas são como são de acordo às leis estabelecidas pelo Criador. O próprio Criador faz algumas perguntas a Jó (Jó 38: 19-31), e diz: “Onde está o caminho onde mora a luz? E quanto às trevas, onde está o seu lugar? Tu o sabes, porque já então eras nascido, e por ser

grande o número dos teus dias. Ou entraste tu até aos tesouros da neve, e viste os tesouros da saraiva…? Onde está o caminho em que se reparte a luz, e se espalha o vento oriental sobre a terra? (…) Poderás tu ajuntar as delicias do Sete-estrelo ou soltar os cordéis do Órion?” Estamos cheios de mistérios. Sem dúvida, grande é o mistério da piedade: Deus se manifestou em carne. Sua concepção e nascimento virginal, sua vida, seu ministério, sua doutrina, seu sacrifício, sua morte, sua expiação, sua ressurreição, suas aparições, sua ascensão, sua segunda vinda, todo está saturado deste grande mistério da piedade. Em cada época do mundo existiram grandes personagens ou protagonistas, mas Jesus é único em todas as épocas. Deus por nós, Emanuel, o Verbo, o Filho de Deus, e ao mesmo tempo é Jesus, Filho do Homem, Redentor, Servo, Deus e Homem, divino

Em cada época do mundo existiram grandes personagens ou protagonistas, mas Jesus é único em todas as épocas. Deus por nós, Emanuel, o Verbo, o Filho de Deus, e ao mesmo tempo é Jesus, Filho do Homem, Redentor, Servo, Deus e Homem, divino e humano; sua divindade era real e verdadeira, sua humanidade era real e verdadeira. Como pode ser possível? Grande é o mistério da piedade. e humano; sua divindade era real e verdadeira, sua humanidade era real e verdadeira. Como pode ser possível? Grande é o mistério da piedade. Os mais renomados cientistas não podem entender nem explicar os mistérios do mundo físico e material; os mais ilustres teólogos também não podem entender nem explicar esses grandes mistérios da piedade. O Senhor revelou ao grande apóstolo Paulo muito sobre esses mistérios e teve que exclamar: “Ó profundidade das riquezas, tanto da sabedoria, como da ciência de Deus! Quão insondáveis são os seus juízos e inescrutáveis os seus caminhos. Por que quem compreendeu a mente do Senhor? Ou quem foi seu conselheiro?” (Romanos

11:33-34). Grande é o mistério da piedade. Com razão de sobra, os anjos cantaram essa manhã: “Glória a Deus nas alturas, paz na terra, boa vontade para com os homens!” l Dezembro 2015 / Impacto evangélico

41


DEUS CONOSCO “Então José, seu marido, como era justo, e não queria infamar, intentou deixa-la secretamente. E, projetando ele isto, eis que sonho lhe apareceu um anjo do Senhor, dizendo: José, filho de Davi, não temas receber a Maria tua mulher, porque o que nela está gerado é do Espírito Santo; E dará à luz um filho, e chamarás o seu nome JESUS; porque ele salvará o seu povo dos seus pecados. Tudo isto aconteceu para que se cumprisse o que foi dito da parte do Senhor, pelo profeta, que diz: Eis, que a virgem conceberá, e dará à luz um filho, é chamá-lo-ão pelo nome de Emanuel, que traduzido é: Deus conosco. E José, despertando do sono, fez como o anjo do Senhor lhe ordenara, e recebeu a sua mulher; E não a conheceu até que deu à luz seu filho, o primogênito; e pôs-lhe por nome JESUS”. Mateus 1:19-25.

Rev. Ramón Aponte

Q

uando o anjo apareceu a José em sonhos, este lhe deu certas indicações para o nascimento do menino. Uma delas era o cumprimento do que já tinha sido estabelecido por Deus mesmo, há aproximadamente setecentos anos, quando falou por meio do profeta Isaias (Isaías 7:14). Então tinha anunciado que chegaria ao mundo através de uma virgem e que seu nome seria EMANUEL. No Novo Testamento, que estava escrito em grego e não em hebraico, aclara-se “que traduzido é: Deus conosco” (Mateus 1:23). Chama-nos a atenção que o anjo dissesse nomes diferentes quando apareceu a José e quando apareceu a Maria: “pôr-lhe-ás o nome de JESUS” (Lucas 1:31). O próprio José, como pai, “pôs-lhe por nome JESUS” (Mateus 1:25). Certamente, “Jesus” era um nome adequado. O anjo tinha feito a explicação: “chamarás o seu nome JESUS; porque ele salvará o seu povo dos seus pecados” (Mateus 1:21). Jesus significa “Salvador”. Falar de que aquele menino seria “JESUS” é descrever o Deus que veio ao mundo com poder e ação para derrotar o demônio e a morte, sofrendo a consequência dos pecados. Mas para que isso aconteça, era preciso que Deus estivesse conosco. Dessa maneira, “Emanuel” é a descrição mais ampla do que significou a encarnação. Cristo, nosso Salvador, é a mesma presença de Deus neste mundo, a nosso lado (João 14:8-10). TODOS PODEM SENTI-LO PERTO Para os pagãos como Platão ou Aristóteles, que em alguns casos chegaram a vislumbrar a possibilidade de um Deus único, ele MISIONÁRIO MUNDIAL 42 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia

era um ser distante e ausente do mundo. Para os mesmos judeus, o temor supersticioso à possibilidade de ver a Deus tinha sua raiz na consciência de que “Deus está nos céus, e tu estás sobre a terra” (Eclesiastes 5:2). A primeira notícia de sua vinda foi de sentido popular, para um grupo de pessoas pobres. Não foi um anúncio feito reservadamente na corte, para que o rei se informasse do grande fato. Os pastores também não se sentiram donos da notícia, mas “voltaram os pastores glorificando e louvando a Deus por tudo o que tinham ouvido e visto, como lhes havia sido dito… e todos os que a ouviram se maravilharam do que os pastores lhe diziam” (Lucas 2:18-20). Também não achamos o Senhor sozinho. Pelo contrário, os relatos aclaram com precisão que o menino não foi achado sozinho, mas com José e com sua mãe (Mateus 2:11 e Lucas 2:16). SEM DISTINÇÕES SOCIAIS A referência aos pastores e o fato concreto de que apareceu primeiro a eles podem nos fazer pensar que Cristo veio especialmente para os pobres. Mas não é assim. Ele veio para os pobres e ricos. Isso foi demonstrado claramente quando sua estrela apareceu aos magos no Oriente ao mesmo tempo em que a grande luz brilhava sobre os pastores nos campos de Belém. Cristo o demonstraria durante toda a vida, pois jamais deixou de atender um Nicodemos, um Jairo, um centurião, um Simão fariseu tantos outros. Certamente os pobres o seguiam em maior número; outras das razões evidentes era sua maior facilidade para o movimento físico, seu grande maior número, além de que sua


DEVOCIONAL

A referência aos pastores e o fato concreto de que apareceu primeiro a eles podem nos fazer pensar que Cristo veio especialmente para os pobres. Mas não é assim. Ele veio para os pobres e ricos. Isso foi demonstrado claramente quando sua estrela apareceu aos magos no Oriente ao mesmo tempo em que a grande luz brilhava sobre os pastores nos campos de Belém.

mesma situação o levava a procurar ajuda. Jesus não ocultou que os ricos entrarão dificilmente no reino dos céus, mas depois aclarou que essa observação era para os que confiam nas riquezas (Mateus 10:23-25). Isto é evidência de que o Senhor está conosco, independentemente da condição social ou cultural, ou de que sejamos sábios ou ignorantes. SEM DISTINÇÃO DE POVOS É verdade que Ele nasceu em um povo determinado. Naturalmente não podia nascer em todos ao mesmo tempo. Foi no povo judeu, isso é um dos mistérios da mente divina que a mente humana não consegue entender. Porém, isso foi o que Deus determinou. Se Deus pôde estar com os judeus, como não

poderá estar conosco? Quando Ele escolheu aquela raça, estava nos ajudando precisamente a globalizá-lo. Apesar de que os mesmos judeus nunca quiseram entendê-lo, Ele nasceu para todos os povos. Os anjos vieram e cantaram “paz na terra, boa vontade para com os homens” (Lucas 2:14), sem pôr nenhuma classe de limites geográficos. ESTÁ HOJE, COMO ESTEVE SEMPRE Para Deus não há gerações. Bem como José e Maria podiam sentir “Deus conosco”, nós podemos afirmar o mesmo agora, “Deus conosco”. E eu estou incluído, pois tenho certeza de sua presença e também de que faço parte de um povo que existe precisamente porque ele veio ao mundo e desde então e pela eternidade está “conosco”. Amém l Dezembro 2015 / Impacto evangélico

43


O MESMO SENTIMENTO DE CRISTO “De sorte que haja em vós o mesmo sentimento que houve também em Cristo Jesus” Filipenses 2:5. Rev. Manuel Zúñiga

E

ntre as muitas facetas do sentimento de nosso amado Salvador, e sendo necessário que ele habite em nós, vamos nos concentrar na humildade, na mansidão, na comunhão e, finalmente, na visão. I. HUMILDADE E MANSIDÃO Uma das primeiras pautas que nosso Senhor Jesus Cristo deixou a seus foi: “Aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração” (Mateus 11:29). Em muitas ocasiões, Deus permite que experimentemos determinadas circunstâncias, e estas servem para que nós mesmos tomemos consciência sobre a existência ou a falta de qualidades, mansidão e humildade, em nós. Nosso Senhor Jesus Cristo veio a esta terra para servir, e isso significava que se humilhar no máximo. O apóstolo Paulo descreve esse processo: “Que, sendo em forma de Deus, não teve por usurpação ser igual a Deus, mas esvaziou-se a si mesmo, tomando a forma de servo, fazendo-se semelhante aos homens; e, achado na forma de homem, humilhou-se a si mesmo, sendo obediente até à morte, e morte de cruz.” (Filipenses 2:6-8). Certamente, “e, sem dúvida alguma, grande é o mistério da piedade: Deus se manifestou em carne” (1 Timóteo 3:16); “Ali estava a luz verdadeira, que ilumina a todo o homem que vem ao mundo. Estava no mundo, e o mundo foi feito por ele, e o mundo não o conheceu. Veio para o que era seu, e os seus não o receberam.” (João 1:9-11). Nosso Senhor Jesus Cristo não só deixou seu trono de glória para se tornar um homem, mas também escolheu uma jovem pobre e humilde para que seja sua mãe. Ele nasceu em um estábulo, cresceu em uma MISIONÁRIO MUNDIAL 44 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia

família de carpinteiros da cidade de Nazaré, e realizou esse trabalho até os trinta e três anos de idade. Além disso, Cristo nunca teve algo próprio; ao longo de sua vida, pediu tudo emprestado, como o ventre de Maria, o estábulo onde nasceu, o burro que usou para sua entrada triunfal em Jerusalém, o aposento no qual celebrou a última ceia com seus apóstolos, até o túmulo de José de Arimateia onde foi enterrado depois de sua morte na cruz. O Filho de Deus não veio à terra para ser servido por seres humanos, mas para servir; e sendo puro, santo e imaculado se misturou com os pecadores e permitiu que aqueles homens indignos o tocassem e o abraçassem. E mesmo, sendo um servo, ele sofreu a morte vergonhosa reservada pelos romanos para os piores criminosos: a cruz. Por estas razões, o povo de Israel não podia conceber que o Messias, ansiado durante tantos séculos, fosse uma pessoa tão humilde como nosso Senhor Jesus Cristo. Mesmo quando seu ministério na terra atingiu o pico, Cristo nunca deixou de ser humilde. Multidões o seguiam e, em algumas ocasiões, queriam coroá-lo rei, e certamente devia ser agradável ver milhares de pessoas sentadas a Seus pés por horas ouvindo seus ensinamentos. No entanto, nunca permitiu que os sucessos terrenos o desequilibrassem; ao contrário, não se gabava de suas virtudes: quando era chamado de “Bom Mestre”, Ele respondia que não havia outro melhor do que Deus, o Pai. II. COMUNHÃO Em matéria de comunhão, o povo de Deus também deve ter o mesmo sentimento de Cristo. É preciso que nos amemos uns aos outros, mas o amor não pode fluir em nós,


DEVOCIONAL

se nós não amamos primeiro aquele que nos salvou. “Aquele que tem os meus mandamentos e os guarda esse é o que me ama; e aquele que me ama será amado de meu Pai, e eu o amarei, e me manifestarei a ele... Se alguém me ama, guardará a minha palavra, e meu Pai o amará, e viremos para ele, e faremos nele morada. Quem não me ama não guarda as minhas palavras; ora, a palavra que ouvistes não é minha, mas do Pai que me enviou.” (João 14:21, 23-24). Ninguém é capaz de se submeter a Deus se não o ama, porque a obediência não pode existir sem amor. Aquela pessoa que não ama o Senhor tem uma tendência à rebelião, à insubordinação, ao protesto, à queixa, à briga, à querela. Em João 3:16, lemos: “Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna”. Irmãos, o amor que Deus teve pelo

homem era tão grande e incondicional, que não duvidou em entregar seu Filho unigênito. “E, achado na forma de homem, humilhou-se a si mesmo, sendo obediente até à morte, e morte de cruz.” (Filipenses 2:8). Tenhamos sempre presente que o amor e a obediência são inseparáveis, e que essas qualidades devem conviver no cristão. III. VISÃO O que motivou Cristo a fazer o sacrifício na cruz do Calvário? A fama? Claro que não. Nosso amado Salvador tinha uma visão clara de sua função. Além disso, esta mesma visão deve prevalecer na Igreja de Cristo: o amor pelas almas e o desejo de obedecer ao mandato que nos confiou nosso Salvador: “Ide, fazei discípulos de todas as nações” (Mateus 28: 19) l Dezembro 2015 / Impacto evangélico

45


MISIONÁRIO MUNDIAL 46 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia


ENTREVISTA

“ORAMOS PARA CRESCER” O Rev. Alfonso Martínez, Supervisor Nacional do Uruguai, analisa o estado atual da Obra em um dos países onde o Senhor está mostrando seu grande poder, e a palavra começa a se espalhar.

E

m 1987 o Rev. Alfonso Martínez entrou no Movimento Missionário Mundial na cidade de Bogotá, Colômbia. Durante 16 anos, ele construiu uma congregação com mais de 200 irmãos. Em 2003 foi para Buenos Aires, onde colaborou para consolidar a Obra. Em 9 de fevereiro de 2004, ele foi para o Uruguai, onde atualmente é Supervisor Nacional. Como foram esses inícios? Nós começamos a realizar reuniões em casa com minha esposa e meus filhos. Depois, vimos a maneira de chegar a casas e outros bairros. Assim se passou um ano. Os uruguaios são muito fechados ao Evangelho. Nós tivemos que rezar e confiar muito em Deus para crescer. Apesar de tudo, nós pudemos abrir um local para 200 pessoas no bairro La Unión, onde atualmente a igreja central funciona. Como está a Obra? Atualmente 50 pessoas se reúnem. Com grande esforço e sacrifício, hoje temos um terreno de 650 metros quadrados para construir um templo e, portanto, estabelecer mais firmemente a igreja central. Em que cidades estão atualmente? Estamos na cidade de Pando, Toledo, Canelones, Artigas (fronteira com o Brasil e a Argentina), Cerro Largo, Paysandu, San José, Durazno, Colônia e outros. Além da igreja central, na capital, abrimos duas outras igrejas. Dos 19 departamentos do país, estamos presentes em 8. Temos vários pastores em algumas destas igrejas. Quantas igrejas são no total? Temos cerca de 11 igrejas que geram mensalmente 200 membros batizados, além dos candidatos e visitantes. O que vem para a Obra no Uruguai?

Neste ano se estabelecerá o Instituto Bíblico Elim para preparar os obreiros nacionais. O pastor e diretor do Instituto é o Rev. Rubén Concepción, e nos dará o material para que nós e alguns missionários colombianos que estudaram no Instituto na Colômbia comecemos a dar aulas. Isto vai começar em 2016 e o estruturaremos para que funcione a distância, ou seja, online. Só o exame será presencial. Estamos pensando em dividir o país em duas zonas: norte e sul, para estabelecer dois presbitérios com suas respectivas igrejas. Nós já fizemos confraternizações na zona norte, compreendendo os 3 departamentos com 7 ou 8 igrejas. No sul há entre 3 e 4 departamentos com 7 ou 8 igrejas. Atualmente, temos cerca de 7 pastores servindo em todas as igrejas e em outro caso duas congregações. Têm acesso aos meios de comunicação? Nós temos vários espaços de rádio e também temos uma estação de rádio na internet chamado “Impacto Pentecostes Rádio” que opera desde 2013. Ali, transmitimos dois dos serviços ao vivo desde a igreja central, às sextas-feiras e aos domingos pela manhã, sobre o estudo da Bíblia. Também estamos realizando pequenos eventos para um projeto de crianças e, assim, incorporá-los às escolas bíblicas dominicais. Cada igreja formou seu grupo de crianças com os professores responsáveis pelo ensino. O projeto é chamado “Cajita de Esperanza” (Caixinha de esperança), onde se entrega um presente para as crianças convidadas. Esta caixinha contém principalmente material escolar e o evento se realiza no início do ano l

Dezembro 2015 / Impacto evangélico

47


Um relatório superficial do trabalho que a Obra do Movimento Missionário Mundial desenvolve pelos caminhos da América e ao redor do mundo. A Santa Bíblia diz: “E, perseverando unânimes todos os dias no templo… E todos os dias acrescentava o Senhor à igreja aqueles que se haviam de salvar.” Atos 2:46, 47.

MISIONÁRIO MUNDIAL 48 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia


EVENTO

A VERDADEIRA LIBERDADE O MMM do Peru realizou a vigésima quinta Convenção Nacional à qual assistiram os Oficiais da Obra de Deus e um grande grupo de cerca de 80 mil pessoas por dia.

Dezembro 2015 / Impacto evangélico

49


C

om a presença da Junta de Oficiais Internacionais da Obra de Deus, o Movimento Missionário Mundial do Peru realizou a XXV Convenção Nacional de 24 a 29 de novembro no estádio da Universidade Nacional Maior de São Marcos, situada na cidade de Lima, lugar que por seis dias se tornou casa do Senhor e porta do céu. O evento, pleno de fé, congregou cerca de oitenta mil pessoas por jornada e foi transmitido ao mundo pelo sinal de Bethel Televisión. O evento foi inaugurado pelo Rev. José Soto, Vice-Presidente do MMM, que dissertou o tema: “A humilhação e exaltação de Cristo”. Baseada em Filipenses 2:5-11, o Rev. Soto afirmou que: “ninguém, poderia se humilhar mais que Cristo porque sua humilhação atingiu o máximo. O certo é que não poderíamos entender nunca a humilhação de Cristo em toda sua amplitude porque não poderíamos entender que se sente ser Deus e se tornar uma criatura”. No segundo dia, pela manhã, o Rev. Enoc Ramos, Supervisor Nacional do Movimento Missionário Mundial da Austrália, compartilhou MISIONÁRIO MUNDIAL 50 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia

as boas novas com uma mensagem intitulada: “Um povo saiu do Egito, e agora está presente sobre a face da terra”. Em seu discurso, baseado em Números 22:1-20, o pastor Ramos afirmou que: “Deus formou o povo de Israel no meio do deserto. Não o formou no meio das comodidades, nem da abundância nem das riquezas”. Horas depois, pela noite, o Rev.

Rubén Concepción, Secretário do MMM, dirigiu-se à freguesia e deu um discurso baseado em Ageu 2:4-9. Em seu discurso, intitulado: “Esforçate, cobra ânimo e trabalha”, o Rev. Concepción disse que: “Deus nos tem nesta Obra para esta hora, para este tempo. No meio da crise que estamos vivendo, Deus tem um povo que é diContinue lendo––


EVENTO

Dezembro 2015 / Impacto evangĂŠlico

51


Continue lendo––

ferente. É um povo livre que louva e adora seu nome”. Posteriormente, no terceiro dia da festa espiritual, o encarregado de anunciar a mensagem do Senhor foi, em um primeiro momento, o reverendo Sukumar Jeyasingh, Secretário da Junta nacional do Movimento Missionário Mundial da Índia, que chegou a Lima da Ásia. O pastor Jeyasingh, que pronunciou uma alocução intitulada: “Quatro experiências espirituais nas águas da sanidade”, referiu que: “a vida cristã deve ser uma vida com resultados”. Depois, no serviço noturno, o Rev.

MISIONÁRIO MUNDIAL 52 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia


EVENTO

Rómulo Vergara, Diretor do MMM se apresentou com uma prédica intitulada: “Os propósitos de Deus com José”. Baseado em Gênesis 37:1-11, o Rev. Vergara assinalou que: “José foi chamado e escolhido por Deus. Deus sabia o que aconteceria em países desse tempo. Deus escolheu esse jovem para prepará-lo e levá-lo aonde Ele queria. Vinham tempos difíceis. José foi usado por Deus para suprir essa necessidade”. Depois, no início do quarto dia das atividades, a missionária Carmen Valencia de Martínez, esposa do Rev. Gustavo Martínez, foi a responsável Continue lendo––

Dezembro 2015 / Impacto evangélico

53


Continue lendo––

por pregar a Palavra de Deus. A pregadora Valencia, que evangelizou o povo de Deus por meio de um discurso intitulado: “Afirme seu coração, o Senhor virá em breve”, salientou que: MISIONÁRIO MUNDIAL 54 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia

“há um só refúgio inegável, e esse refúgio é Jesus Cristo. Afirme seus joelhos paralisados, o Senhor virá em breve”. Posteriormente, antes do final do quarto dia, o Rev. Humberto Henao,

Diretor do MMM, difundiu uma dissertação intitulada: “A maior promessa de Jesus”. Perante um grande público, o Rev. Henao, que fundamentou seu discurso em João 14:1-3, declarou que: “Jesus liberta. Jesus muda. Jesus


EVENTO

ACONTECIMENTOS DA FÉ NO MARCO DA XXV Convenção Nacional do Movimento Missionário Mundial do Peru, houve três acontecimentos relevantes para a Obra de Deus estabelecida no território peruano. O primeiro, em 25 de novembro, foi a celebração da III Confraternização Nacional de Obreiras do MMM do Peru. O evento, realizado no templo central de Lima e sob o lema “Mulher de Deus, sua coroa alcançará”, congregou milhares de obreiras dos diferentes presbitérios do Peru. Outra atividade programada como parte da Convenção foi a Reunião de Obreiros e Pastores do Movimento Missionário Mundial do Peru. O encontro se realizou em 27 de novembro, na igreja principal da capital peruana, e com especial assistência dos integrantes da Junta de Oficiais da Obra do Senhor. Além disso, em 29 de novembro, no estádio de São Marcos se realizou o serviço de promoção de obreiros e pastores no qual foram reconhecidos 345 pregadores laicos, 112 pregadores licenciados e 54 ministros ordenados l

transforma. Temos suficiente base bíblica para dizer que a maior promessa de Jesus, ‘virei novamente’, será cumprida”. Depois, no penúltimo dia da XXV Convenção Nacional do MMM do Peru, o reverendo de origem índia Sam Jacobs, Supervisor Nacional da Obra estabelecida na Índia, tomou a palavra e expôs um tema intitulado: “Comece seu dia avivando seu coração missionário”. Com emoção, o Rev. Jacobs declarou que: “a Bíblia diz que aprendamos de Jesus Cristo. Devemos estar prontos para trabalhar em sua Obra. Você pode receber a unção do Espírito Santo”. O Rev. Gustavo Martínez, Presidente Internacional da Obra de Deus, fechou a jornada com uma emotiva prédica intitulada: “Jesus Cristo, nosso grande libertador”. O líder do Movimento Missionário Mundial, cuja exposição esteve baseada em Marcos 5:1-7, salientou que: “jamais na terra existiu alguém como Cristo, que chegou à profundidade de cada coração do homem e o libertou de toda escravidão. A religião não muda; só o Evangelho restaura”. No final da Convenção, o Rev. Álvaro Garavito, Diretor Internacional do MMM, foi o pregador designado para compartilhar a Palavra do Senhor. A mensagem do Rev. Garavito, intitulada: “O verdadeiro cristão vai detrás do eterno”, baseado na passagem bíblica contida em Hebreus 10:39. “Nossa cidadania está no céu. Os desígnios da vontade de Deus permanecerão para sempre. Os perseverantes serão salvos”, disse o ministro de Deus. Realizada sob o lema: “A verdadeira liberdade”, a vigésima quinta edição da Convenção Nacional do Movimento Missionário Mundial do Peru serviu para que os seguidores do Senhor dispusessem de um tempo de consagração espiritual onde Deus se apresentou através de muitas conversões, curas e milagres. Quanto a isso, o Rev. Rodolfo González Cruz, Tesoureiro Internacional do MMM, sentenciou que: “foi uma grande festa da fé” l Dezembro 2015 / Impacto evangélico

55


CHEGOU A HORA DO CRESCIMENTO O Movimento Missionário Mundial de El Salvador realizou sua VII Convenção Nacional com a intervenção de quinhentos irmãos e oficiais internacionais.

C

om a participação de quatro Oficiais Internacionais da Obra de Deus e a presença de cerca de quinhentos irmãos, o Movimento Missionário Mundial de El Salvador comemorou sua VII Convenção Nacional de 5 a 8 de novembro no templo de Jardines de Quelepa do departamento de San Miguel. Na data de abertura, o Rev. Rubén Concepción, Secretário Internacional do MMM, transmitiu a palavra em um sermão intitulado: “Chegou a hora do crescimento”. Em sua apresentação, o pastor Concepción afirmou que: “Estamos na época do MISIONÁRIO MUNDIAL 56 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia

fruto. Seque suas lágrimas, mude o vestuário de luto e lave seu rosto. O que morreu, morreu. O que aconteceu, já aconteceu. Agora devemos continuar avançando”. Posteriormente, no segundo dia de atividades, pela manhã, o Rev. Margaro Figueroa, Diretor Internacional da Obra do Senhor, foi responsável por compartilhar as boas novas de Deus. Em seu discurso, intitulado “Renúncia e entrega”, o servo assinalou que: “Existem alguns passos a seguir no caminho da salvação. Devemos seguir orientações e receber ordens. Todos estamos sujeitos a al-

guém e, antes de tudo, a nosso Senhor Jesus Cristo”. Horas mais tarde, pela noite, o Rev. Humberto Henao, Diretor Internacional do Movimento Missionário Mundial, dirigiu-se a os fiéis através de uma mensagem intitulada “Acordando a tempo”. O pastor Henao, na evangelização, salientou que: “O templo não é só um lugar de oração, também desempenha uma função social. Uma cidade ou região onde existem muitos templos é menos propensa ao crime, ao vício ou à depravação”. No terceiro dia, o Rev. Álvaro Garavito, Diretor Internacional do MMM,


EVENTO

foi o orador principal da sã doutrina. O ministro do Senhor, que emitiu um discurso intitulado “Renovando a visão”, assinalou aos fiéis da Obra: “Irmãos, a visão não é da carne, a visão não é física. A visão é do espírito, é espiritual. A visão não vem de fora para dentro, mas de dentro para fora”. No encerramento da VII Convenção Nacional do Movimento Missionário Mundial de El Salvador, o pastor Concepción pregou novamente a Palavra do Senhor. Em seu discurso “Fazendo missões ao estilo de Jesus”, o reverendo declarou que: “Jesus é a fonte” l Dezembro 2015 / Impacto evangélico

57


PROCURANDO O BEM-ESTAR DA OBRA O MMM da Espanha realizou a reunião de seu corpo pastoral na qual se abordou tudo o relacionado com o II Congresso Europeu que se realizará em agosto de 2016.

C

om o objetivo de abordar os detalhes do Segundo Congresso Europeu da Obra de Deus, o Movimento Missionário Mundial da Espanha reuniu seu corpo pastoral na cidade de Salamanca de 29 a 31 de outubro. O evento, que se realizou no auditório do templo principal do MMM de Salamanca, foi presidido pelo Rev. Carlos Medina, Supervisor Nacional da Obra estabelecida em solo espanhol, e contou com a grande assistência dos ministros do Senhor que trabalham no território nacional. Ao longo da reunião, analisou-se tudo o relacionado com o evento que congregará os membros do Movimento Missionário Mundial, residentes no Velho Continente em agosto de 2016, MISIONÁRIO MUNDIAL 58 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia


EVENTO

na cidade de Madri, capital da Espanha. Alguns dos pontos abordados foram o local do congresso, o organograma, a estruturação das equipes de publicidade, decoração, informação, logística, transmissão, enfermaria e vigilância. No âmbito espiritual, a reunião de pastor começou com um culto de boasvindas dedicado aos pastores e colaboradores que chegaram de diversos pontos da Espanha. A prédica esteve a cargo do Rev. Carlos Medina, que baseado na passagem bíblica contida no livro de Ester 10:1-3, deu uma mensagem intitulada: “Procurando o bem-estar de sua Obra”. Em sua alocução, o pastor Medina salientou a importância de ser íntegro para o avanço do MMM.

No segundo dia, em horário matutino, realizou-se a reunião pastoral na qual se falou do crescimento do Evangelho na Península Hispânica. A Palavra do Senhor foi transmitida novamente pelo pastor Medina, que baseado em Neemias 4:1-15, compartilhou o tema: “Voltemos ao muro da unidade”. Horas mais tarde, pela noite, o Rev. Juan Castaño, da Obra da Espanha, pregou as boas novas através de uma alocução intitulada: “Cuide o parapeito de seu eirado”. Posteriormente, na terceira jornada, durante o fechamento da reunião pastoral, celebrada pelo MMM da Espanha, o Rev. Medina emitiu uma emotiva reflexão respeito à fé que o povo de Deus deve mostrar l Dezembro 2015 / Impacto evangélico

59


OS FRUTOS DA ÁSIA O Rev. Samuel Mejía, Supervisor Missionário da Obra de Deus no continente asiático, inspecionou o crescimento do MMM em Omã e no Nepal.

C

omo parte de seu trabalho missionário, o pastor Samuel Mejía, Supervisor Missionário do MMM da Ásia, verificou em meados de setembro o avanço do Movimento Missionário Mundial nas nações de Omã e do Nepal. Para isso, o servo do Senhor chegou em 21 daquele mês à cidade de Mascate, situada na beira do golfo de Omã, desde onde começou um percurso que lhe permitiu comMISIONÁRIO MUNDIAL 60 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia

provar a propagação do Evangelho no continente mais extenso e povoado da Terra. Depois de sua chegada a Omã, o Rev. Mejía visitou imediatamente duas congregações do Movimento Missionário Mundial. Ali, na costa sudeste da Península Arábica, foi testemunha do grande trabalho realizado pelo irmão Omar Guerra, que lidera uma das igrejas locais, a favor

de Deus. O servo do Senhor também constatou que as boas novas se compartilham em espanhol graças a que nesta nação a igualdade perante a lei de todos os cidadãos está garantida. Depois, o Rev. Mejía visitou o templo destinado aos irmãos de origem indiana, liderada pelo pastor Samuel Babukutty. Em um ambiente pleno da fé, o ministro do Senhor confirmou que o trabalho evangelizador do


EVENTO

MMM obteve frutos nesta comunidade de imigrantes provenientes do segundo país do mundo em população. Do mesmo modo, ele corroborou que a Palavra se prega em sua língua natal e no meio de um país onde o Islã é a religião predominante. Posteriormente, o pastor Samuel Mejía se dirigiu ao Nepal onde, acompanhado pelo Rev. Sam Jacob, Supervisor Nacional do MMM da Índia, inspecionou os novos templos da Obra. Em sua verificação, visitou a cidade de Nepalgunj, localizada perto da fronteira com a Índia, na qual percorreu algum dos templos estabelecidos pelo Movimento Missionário Mundial do Nepal l Dezembro 2015 / Impacto evangélico

61


DISPOSTOS A CUMPRIR OS PROPÓSITOS DE DEUS O MMM da Bélgica celebrou sua IV Confraternização Nacional em Antuérpia. A Obra continua se fortalecendo na Europa.

O

Movimento Missionário Mundial da Bélgica realizou sua IV Confraternização Nacional de 11 a 13 de setembro na cidade de Antuérpia, situada no centro da Europa, até onde chegaram grandes delegações de irmãos provenientes da Alemanha, Holanda, Itália e Luxemburgo. O encontro religioso, que se levou a cabo sob o lema “Corações dispostos a cumprir os propósitos de Deus”, serviu para que mais uma vez a comunidade religiosa belga mostrasse sua fé em Deus. A IV Confraternização Nacional do MMM da Bélgica, que foi liderada pelo Rev. David Echalar, Assistente de Supervisão do Bloco B da Europa da Obra do Senhor, começou com uma MISIONÁRIO MUNDIAL 62 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia

jornada intensa na qual a irmã Jeaneth de Echalar pregou a Palavra de Deus através de uma mensagem intitulada: “Enfrentar corretamente a prova”. Em sua exposição das boas novas, a esposa do pastor Echalar instou os seguidores de Cristo a lutarem contra os ventos reios que se apresentam na vida. Na segunda jornada, o Rev. Echalar foi o encarregado de compartilhar as boas novas. Inspirado nas Sagradas Escrituras, o servo de Deus infundiu esperança, consolo e paz entre os crentes que se congregaram em Antuérpia. Sustentado em Salmos 23, passagem do Antigo Testamento intitulada “O Senhor é o meu pastor”, afirmou que nada faltará aos membros

do MMM que aceitem Deus como guia e mestre. Além disso, assinalou que aquele que está longe do Evangelho ainda está a tempo de conhecer o Poder do Senhor. O pastor Echalar se dirigiu novamente à comunidade durante o fechamento da IV Confraternização Nacional do Movimento Missionário Mundial da Bélgica. Baseado em Deuteronômio 5:16, ele lembrou que devemos honrar nossos pais para que tenhamos uma vida próspera sobre a terra que Deus nos outorgou. Além disso, o ministro do Senhor especificou que os membros do MMM estão chamados a trabalhar na unidade da Obra e fortalecê-la l


EVENTO

Dezembro 2015 / Impacto evangĂŠlico

63


Outros Eventos

CANADÁ CONFRATERNIZAÇÃO NACIONAL EM MONTREAL

Na cidade de Montreal, Canadá, no templo central do Movimento Missionário Mundial, onde o Rev. Marcos Salgado pastoreia, realizou-se uma gloriosa Confraternização Nacional de 9 a 11 de outubro. Contou-se com a presença do Supervisor nacional dos Estados Unidos, Rev. Arturo Hernández, e sua esposa, a irmã Lourdes de Hernández, além do Rev. Roberto Andino do Alabama, Estados Unidos. No primeiro dia da Confraternização, o Senhor falou através do Rev. Roberto Andino, sob o tema: "Sob a unção do Espírito Santo". Na manhã do segundo dia, Deus usou a esposa do Supervisor, a irmã Lourdes, sob o tema: "Trabalhamos segundo nossas capacidades". E na noite do segundo dia, o Supervisor ofereceu a mensagem sob o lema: "Uma igreja em ação, por causa da unção". Finalmente, durante o último grande dia da festa, o Supervisor ofereceu novamente a mensagem sob o tema: "O que não devemos negligenciar para não nos lamentar depois" l

MISIONÁRIO MUNDIAL 64 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia

ÁFRICA

PORTO RICO

TURNÊ NACIONAL DE LÍDERES DAMAS

CONFRATERNIZAÇÃO ZONA 5

A Junta Internacional de Damas da África realizou uma turnê nacional de inspeção, conscientização e contato para diferentes grupos de mulheres no continente africano. A inspeção durou cinco dias, de 20 a 24 de outubro, como parte dos objetivos de seu programa de liderança. Também se abordaram outros temas para a execução dos programas de preparação para a Convenção Africana de Damas, cujas datas serão informadas oportunamente. Convidamos através deste meio todas as mulheres no cenário internacional do MMM da Europa, Ásia e América para que possam compartilhar e dar calor a este evento internacional l

A Irmandade de Crianças "Luceros de las Naciones" dirigiu a Confraternização do Movimento Missionário Mundial em Porto Rico em 17 de outubro sob o texto: "Em todas estas coisas somos mais do que vencedores, por aquele que nos amou" (Romanos 8:37), e com o tema: "Sou um vencedor em Cristo". A atividade, realizada na cidade de Barranquitas, pertencente à Zona 5, foi presidida pelo líder da infância, a irmã Maria T. Alicea. O devocional, bem como a hinódia e outros assuntos, estiveram a cargo das crianças de diferentes zonas da ilha. Muito bonito foi também o desfile das crianças, que representava o povo de Porto Rico. O resto da congregação recebeu a Palavra de Deus, dos lábios do Rev. Jorge Álvarez, pastor da igreja em Sabana Seca, Toa Baja, sob o tema: Os sete inimigos do homem l

ESTADOS UNIDOS CONFRATERNIZAÇÃO REGIONAL NO TEXAS

O Presbitério 9, no estado do Texas nos Estados Unidos, comemorou uma gloriosa e impressionante Confraternização Regional. Foi realizada nos dias 18 e 19 de outubro na cidade de Cedar Hill, Texas. O tema desta celebração foi: Leais, em tempos de desafio. Desde o início, na sexta pela tarde, a glória de Deus se fez sentir. Durante a primeira noite, Deus, usando o Supervisor Nacional, Rev. Arturo Hernández, deu palavras de encorajamento, força e bênção sob o tema: "Nossa conduta define nosso futuro". Posteriormente, no sábado pela manhã, Deus usou a irmã Lourdes Hernández com o tema: "Privilégios abandonados", baseado em Hebreus 12:16-17. Simultaneamente, os obreiros e pastores da zona se reuniram onde, de uma forma muito especial, Deus usou o Supervisor Nacional para oferecer a palavra de encorajamento e bênção. Na última noite, o Supervisor Nacional, Rev. Arturo Hernández, trouxe a palavra sob o tema: "Converte-nos a ti, Senhor". A base bíblica foi Lamentações 5:21 e no final Deus reuniu seu povo, e tocou o povo de uma maneira muito especial l


REFLEXÕES

TODOS TE BUSCAN U

m rei o procurava para matá-lo; um governador, para se justificar perante César e os judeus; os religiosos, para detê-lo; Judas, para traí-lo; Satanás, para tentá-lo; o povão, para pedir sua execução; José de Arimateia, para sepultá-lo; os anjos, para lhe servir; os fiéis agradecidos, para segui-lo e adorá-lo; os exércitos celestiais para celebrar o triunfo de sua morte e ressurreição. Já se passaram vinte e um séculos e ainda podemos dizer a Jesus: TODOS TE BUSCAM. E na intenção dos que o procuram está a bênção ou o tropeço. Dois prêmios Nobel de literatura concedidos a escritores soviéticos, Pasternak (em 1958) e Soljenítsin (em 1971), tratam sobre Cristo direta e indiretamente. Em muitos anos de ateísmo oficial, os russos ainda o procuram. Os poetas também o procuram como um adorno, uma elevada verdade ou um sonho de perfeição ou idealismo. Os músicos, para despertar interesse e sentimento em suas canções e óperas. Os títulos atuais são numerosos. Os diretores de cinema ainda o veem como um personagem de interesse com muitas facetas interessantes a descobrir. Os políticos, para usá-lo como um reclamo para caçar e conquistar as multidões. Fidel Castro em Cuba começou falando de Cristo em muitos de seus discursos. Os negociantes, fabricando suas imagens de barro, ouro, prata, madeira, etc. para negociar com Ele. Os ateus, para atacá-lo, e alguns se tornaram famosos por lutar contra Jesus. Muitos séculos antes de Ele vir ao mundo, os patriarcas o procuravam em seus primogênitos como uma sombra de bênção indefinida. Os profetas o procuravam em suas revelações e o mencionavam em suas prédicas. Um deles, Ageu, disse dele: “Farei tremer a todas as nações e virá o Desejado de todas as nações”. Era procurado pelos magos do oriente guiados por sinais sobrenaturais. Era procurado pelos soldados de Herodes que queriam eliminá-lo como possível substituto do trono. Era procurado pelos doentes que queriam ser curados.

Era procurado pelos escribas e fariseus que queriam contradizê-lo e acusá-lo. Era procurado pelos saduceus que queriam fazer-lhe perguntas enganosas, como aquela sobre a ressurreição. Era procurado pelos gregos que queriam vêlo, atraídos por sua sabedoria. Era procurado pelos ricos que queriam riqueza espiritual. Era procurado pelos despossuídos que queriam fazê-lo rei, sabendo que multiplicava os pães e os peixes. Era procurado pelas mães que pediam misericórdia para seus filhos.

Nenhum personagem da história da humanidade foi procurado tanto como Jesus de Nazaré. “Achando-o, lhe disseram: Todos te buscam.”, Marcos 1:37.

Era procurado pelos doutores da lei que queriam comparar as leis antigas com a lei do amor que Jesus encarnava. Era procurado pelas crianças que queriam ser abençoadas por Ele. Era procurado pelos discípulos de João que queriam confirmar se era Ele, o que tinha de vir. Senhor, todos o procuram, onde está? Já sabemos, está perto e dentro do coração contrito e humilhado dos que procuram com a simpleza das crianças ou com lágrimas como Maria; dos que tanto o desejam que se confundem; dos que seguindo sua Palavra experimentaram o novo nascimento necessário para entrar em seu reino l Dezembro 2015 / Impacto evangélico

65


ESCREVEM-NOS... cartas@impactoevangelistico.net KEILA SERRATO Dou graças a Deus porque me dá a oportunidade de ler este meio de informação. Verdadeiramente é de muito valor para minha vida e a de meus entes queridos. Uma das mais surpreendentes leituras que teve foi sobre a confissão do grande cientista Einstein, e apesar de que sou estudante de ciência nada nem ninguém me separará do grande amor de Cristo. Graças a Deus e à revista “Impacto Evangelístico” sou uma leitora e colecionista destas belas edições. Deus os abençoe. De Arauca, Colômbia.

MARÍA DEL CARMEN MARTÍNEZ MÁRQUEZ Recebo a revista “Impacto Evangelístico”, que é de muito proveito para mim. Ajuda-me muito a entender que Deus nos ama a cada dia e que move sua misericórdia em nós, seus filhos. Eu leio a revista uma e outra vez. Traz muito material para todo aquele que precisa ser doutrinado. Obrigado, irmãos em Cristo, Deus os abençoe! De Huntington Park, Califórnia, Estados Unidos da América.

mais visitados pelas pessoas. Deixemos ao alcance este meio informativo espiritual. Invista na salvação das almas, porque Deus o recompensará. Que o Senhor abençoe seu apoio espiritual. De Colômbia.

JUAN ROJAS VELAZCO Meus irmãos em Cristo, eu quero lhes dizer que estou muito agradecido pelas revistas que recebi. Foram, para este preso condenado à cadeia perpétua, uma bênção. Encontrei umas confissões preciosas de pessoas que, narrando suas experiências, são uma bênção. Estou muito agradecido. Guardo estas revistas como um tesouro. De Peñuelas, Porto Rico.

LEONARDO SOMOCURCIO Deus abençoe os editores da revista. Visitei seu site e me pareceu muito interessante e maravilhoso, suas confissões são verdadeiramente impactantes e edificantes. Continuem servindo ao Senhor. De Cúcuta, Colômbia.

LOLÍN AYALA

AGENDA GLOBAL 2015 JANEIRO 1-4 Convenção Nacional no Porto Rico 13/06 Convenção Nacional na Colômbia

FEVEREIRO 5-8 Convenção no Paraguai (Assunção) 12-15 Convenção na Argentina (Buenos Aires) 14-17 Convenção no Panamá 19-22 Convenção no Belize MARÇO 5-8 Convenção na Honduras ABRIL 1-5 Convenção na Guatemala 2-5 Confraternidade Nacional na Austrália (Sydney) MAIO 2-4 Convenção no Japão 27-31 Convenção na Índia JUNHO 11-14 Convenção no Brasil (Manaus) JULHO 2-5 Convenção na Bolívia (Sucre) 7-10 Convenção nos Estados Unidos (Marietta, GA) 7-11 Convenção na Costa Rica (Zona Central) 8-11 de Convenções nas Antilhas Holandesas (Aruba)

Deus os abençoe. Quero lhes dizer que suas revistas foram de grande bênção para minha vida. Todos os meses, eu a espero para gozar das confissões e a Palavra que fala com meu coração. Parabéns e lhes desejo muitas bênçãos e que as forças do maligno não os afetem porque Deus está procurando pessoas que não vendam sua primogenitura. De Porto Rico.

AGOSTO 4-8 Convenção na Venezuela 6-9 Convenção no México 6-9 Convenção na Espanha 12-15 Convenção na África 12-16 Convenção no Haiti 13-16 Convenção na Itália 26-30 Congresso Sul-americano em Guayaquil, no Equador

ABDIEL GONZÁLEZ GILBERT

SETEMBRO Sábado 26 - Dia Mundial das Missões

Deus os abençoe muito meus irmãos e que a glória do Senhor esteja sempre com vocês. Estou muito contente por receber as revistas que vocês me enviam. Têm temas importantíssimos e de grande utilidade para a vida prática; sinceramente aprendo muito. De Holguín, Cuba.

OUTUBRO 9-11 Confraternidade Nacional no Canadá 21-25 Convenção no Mauritius 22-24 Convenção na República Dominicana 22-25 Convenção no Uruguai (Montevidéu) 26-28 Campanha em Madagascar 29-1 (Nov.) Convenção no Chile (Santiago)

EDEDFREY ROMERO Amados irmãos, que Deus os abençoe de maneira especial. Que Deus continue dando sabedoria e a graça para com este ministério, a revista “Impacto Evangelístico”, que foi de bênção para nós e nossas amizades. Sua publicação e sua informação doutrinal motivaram muitas pessoas a assistir à Igreja. Convido meus irmãos em Cristo a oferecerem esta revista nos lugares públicos

RICHARD VELÁZQUEZ Deus os abençoe muitíssimo! Esta revista foi de edificação para minha vida e também para muitas pessoas. Deus abençoe o trabalho árduo dos que a elaboram. De Sucre, Bolívia.

NOVEMBRO 5-8 Convenção no El Salvador 24-29 Convenção Nacional em Lima (Peru) 26-29 Convenção no Nicarágua DEZEMBRO

Você pode baixar o leitor de código QR livre nestas plataformas: n Eventos realizados n Eventos a realizar

evangélico

MISIONÁRIO MUNDIAL 66 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia

Diretor Fundador: Rev. Luis M. Ortiz. Conselho editorial: Rev. Luis Meza Bocanegra, Jacqueline Rovira, Samuel Martínez, Rev. Andrés Espejo. Coordenador editorial: Rev. Julián Morón. Editor geral: Víctor Tipe Sánchez. Editor: Jaime Tipe Sánchez Editor gráfico: Roberto Guerrero. Design gráfico: Adolfo Zubietta. Redação: Johan Pérez Landeo, Marlo Pérez. Diagramação: Lesly Sánchez, Jorge Cisneros. Webmaster e Infografia: Julio de la Cruz. Ilustrações: Pablo Vilca. Transcrição: Fanny Vidal. Community manager: Juan Becerra, Denisse Barrientos. Distribuição: Javier Arotinco.


Siga-nos

betheltv

Sábados 10h

Bethel Televisión, o canal do Movimento Missionário Mundial transmite a mensagem da Palavra de Deus mediante uma programação cultural e educativa de Lima-Peru através de 6 satélites e via internet a todo o mundo.

Dezembro 2015 / Impacto evangélico

67


MISIONÁRIO MUNDIAL 68 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia


743_Portuguesa