Page 1

www.impactoevangelistico.net

evangélico

A REVISTA QUE CONSTRÓI A SUA VIDA Maio 2017 / Edição 760

Argumentos e aclarações às objeções

A DEIDADE

DE CRISTO PUBLICAÇÃO OFICIALL

MOVIMIENTO MISIONERO MUNDIAL

TESTEMUNHO

DEVOCIONAL

LITERATURA

A triste infância de Sabina

“Vem o fim”

O caminho para Deus


Grandes aventuras junto a Joel e Ruth TERÇA-FEIRA E QUINTA-FEIRA

10H00

Bethel Televisión, o canal do Movimento Missionário Mundial transmite a mensagem da Palavra de Deus mediante uma programação cultural e educativa de Lima-Peru através de 7 satélites e via internet a todo o mundo.

MISIONÁRIO MUNDIAL 2 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia


editorial

LEMBRA-TE DO QUE

TENS RECEBIDO

Rev. Gustavo Martínez Presidente Internacional do M.M.M.

“Lembra-te, pois, do que tens recebido e ouvido; e guarda-o…” Apocalipse 3:3.

U

ma das grandes vantagens que os seres hu-

tos, e os seus juízos, e os seus estatutos que hoje te

manos têm é a memória. Ela guarda todas as

ordeno…”. Deus instou o povo a lembrar de como

coisas boas ou más, que acontecem no curso da vida;

foi guardado, abençoado, guiado.

desde a infância até o momento de partir para a eter-

Em Apocalipse capítulo 3:3, o apóstolo João es-

nidade. Há algo que fica muito marcado na vida do

creve à Igreja de Sardes: “Lembra-te, pois, do que

homem: o aprendido na infância. Por isso a Bíblia diz

tens recebido e ouvido, e guarda-o, e arrepende-te.

em Provérbios 22:6: “Educa a criança no caminho

E, se não vigiares, virei sobre ti como um ladrão,

em que deve andar; e até quando envelhecer não se

e não saberás a que hora sobre ti virei”. Jesus disse:

desviará dele”.

“Eu não o julgo; porque eu vim, não para julgar o

A Igreja se esforça para ensinar a Palavra de Deus

mundo, mas para salvar o mundo… a palavra que

a toda à infância. Cremos firmemente que nela existe

tenho pregado, essa o há de julgar no último dia”.

um grande potencial que pode ser aproveitado em fa-

(João 12:47-48).

vor de Deus. Em muitos lugares do mundo, podemos

Isso significa que você não poderá esquecer o

ver que diversas pessoas educadas desde muito cedo

que ouviu de Deus. A Palavra de Deus o julgará, o

são capazes de executar o aprendido na idade adulta.

salvará ou o condenará. Se obedeceu, será abençoa-

Deus outorgou ao ser humano a memória para

do, justificado e livre de culpa; mas se foi rebelde,

reter as ordens que Ele deu. Em Deuteronômio 4:9,

esta mesma Palavra pode sentenciá-lo e condená-

Deus dá uma ordem ao povo de Israel: “Tão-somente

lo. Por esse motivo, deve ter muito cuidado de não

guarda-te a ti mesmo, e guarda bem a tua alma, que

esquecer o que Deus ordenou; como era sua vida

não te esqueças daquelas coisas que os teus olhos

antes de conhecer Deus, houve um “antes” e um “de-

têm visto, e não se apartem do teu coração todos os

pois”. Antes de conhecer Deus: uma vida oca, vazia,

dias da tua vida; e as farás saber a teus filhos, e aos

sem sentido. Depois de conhecer Deus: abençoado,

filhos de teus filhos”. Deus ensina a guardar, memo-

fortalecido, apoiado e ajudado pelo Senhor. Poderia

rizar, lembrar e não esquecer o visto e ouvido sobre

dizer o mesmo que o profeta Samuel: “Até aqui nos

suas maravilhas e grandezas. Também no capítulo

ajudou o Senhor” (1 Samuel 7:12). Enquanto tiver

8:11 diz: “Guarda-te que não te esqueças do Senhor

a mão de Deus, Ele continuará guiando seu camin-

teu Deus, deixando de guardar os seus mandamen-

ho, cumprindo seus propósitos em sua vida.

Maio 2017 / Impacto evangélico

3


www.impactoevangelistico.net

evangélico Diretor Fundador: Rev. Luis M. Ortiz MAIO 2017 / EDIÇÃO N° 760 USPS 012-850) PUBLICAÇÃO OFICIAL DO MOVIMENTO MISSIONÁRIO MUNDIAL O World-Wide Missionary Movement, Inc. é uma igreja sem fins lucrativos, com uma visão para fundar novas igrejas nos Estados Unidos da América e seus territórios e também com uma visão missionária para fundar novas igrejas onde Deus abre novas portas em todo o Mundo. PUBLICAÇÃO MENSAL POR: Movimiento Misionero Mundial, Inc (Movimento Missionário Mundial, Inc.) San Juan, Porto Rico Washington, D.C. Postagem Periódica pagada a: San Juan, Porto Rico 00936

AGENTE DO CORREIO:

enviar variações de endereço a Impacto Evangélico P.O. BOX 363644 San Juan, Porto Rico 00936-3644 Telefono (787) 761-8806; 761-8805; 761-8903 OFICIALES DEL M.M.M. INC. Rev. Gustavo MartÌnez Rev. JosÈ Soto Rev. RubÈn ConcepciÛn Rev. Rodolfo Gonz•lez Rev. ¡lvaro Garavito Rev. Margaro Figueroa Rev. RÛmulo Vergara Rev. Humberto Henao Rev. Luis Meza

Presidente Vice-presidente Secretario Tesoureiro Diretor Diretor Diretor Diretor Diretor

OBRAS ESTABLECIDAS EM: África do Sul Alemanha Argentina Aruba Austrália Áustria Bélgica Belize Bolívia Bonaire Brasil Camarões Canadá Chile Colômbia Congo Costa do Marfim Costa Rica Curaçao Dinamarca El Salvador Equador Espanha EUA Filipinas

Finlândia França Gabão Gana Guatemala Guiana Francesa Guiana Inglesa Guiné Equatorial Haiti Havaí (EUA) Holanda Honduras Ilha de San Andrés (Col.) Ilha Rodrigues Ilhas Canárias (Espanha) Índia Inglaterra Israel Itália Jamaica Japão Kuwait Madagáscar

Malásia Maurício México Mianm o valor da vida ar Nicarágua Nigéria Oman Panamá Paraguai Peru Porto Rico Portugal República Dominicana Roménia Saint Martin Suécia Suíça Suriname Trinidad e Tobago Ucrânia Uruguai Venezuela

O Movimento Missionário Mundial é uma organização religiosa sem fins lucrativos, devidamente registrada em San Juan, Porto Rico, e na capital federal, Washington DC com sede nas duas cidades, bem como em todos os estados da União Americana e em outros países onde temos obras missionárias estabelecidas. Importante As ofertas e doações em dinheiro, computadores, imóveis, legados em testamento, para o benefício desta obra do Movimento Missionário Mundial, Inc. são dedutíveis do imposto de renda (Income Tax) e os recibos emitidos pelo Movimento Missionário Mundial são reconhecidos pela Diretoria das Rendas Internas (IRS), do Governo Federal dos Estados Unidos da América e do Estado Livre Associado de Porto Rico. n

Visite o nosso website Obtenha informação edificante da Obra de Deus e fique a par das últimas notícias. Um acesso personalizado a partir de qualquer lugar do mundo: www.impactoevangelistico.net n

Se você quiser Escreva-nos para o nosso endereço postal: Movimiento Misionero Mundial, Inc. P.O. Box 363644 San Juan, P.R. 00936-3644 n

Copyright © 2009 Impacto Evangélico Movimiento Misionero Mundial, Inc. (World-Wide Missionary Movement, Inc.) Todo o conteúdo da revista e cada edição subseqüente está devidamente registrada na Biblioteca do Congresso, Washington, DC EUA. Todos os direitos reservados. A reprodução parcial, completa ou em qualquer forma ou sua tradução para outros idiomas sem a autorização do Diretor é proibida. No âmbito dos acordos internacionais de direitos autorais é um crime punível por lei n

Declaração Doutrinária O Movimento Missionário Mundial adere às doutrinas fundamentais da Bíblia, tais como: n

Depósito Legal na Biblioteca Nacional do Peru N ° 2011-02530 Igreja Cristã do Pentecostes do Movimento Missionário Mundial: Av. 28 de Julio 1781 - Lima 13 - Peru Impressão: Quad/Graphics Perú S.A. Av. Los Frutales 344 - Lima 03 - Perú MISIONÁRIO MUNDIAL 4 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia

• A inspiração das Escrituras Sagradas: 2 Timóteo 3:15-17, 2 Pedro 1:19-21. • A Divindade adorável em Três Pessoas, Pai, Filho e Espírito Santo: Mateus 3:16-17, 17: 1-5; 28:19 João 17: 5, 24, 26, 16:32, 14:16, 23, 18:05, 6, 2 Pedro 1:17,18; Apocalipse 5. • A salvação pela fé em Cristo: Lucas 24:47, João 3:16, Romanos 10:13, Tito 2:11, 3:5-7. • O Novo Nascimento: João 3:3, 1 Pedro 1:23, 1 João 3:9. • A Justificação pela Fé: Romanos 5:01, Tito 3:07. • O Batismo nas águas por imersão, segundo ordenado por Cristo: Mateus 28:19, Atos 8:36-39. • O Batismo no Espírito Santo, subseqüente à salvação, falando em outras línguas, segundo: Lucas 24:49, Atos 1:4, 8, 02:04. • A Cura Divina: Isaías 53:4, Mateus 08:16, 17, Marcos 16:18, Tiago 5:14, 15. • Os Dons do Espírito Santo: 1 Coríntios 12:1-11. • Os frutos do Espírito Santo: Gálatas 5:22-26. • A Santificação: 1 Tessalonicenses 4:03, 5:23, Hebreus 0:14, 1 Pedro 1:15, 16, 1 João 2:6. • O Ministério e a Evangelização: Marcos 16:15-20, Romanos 10:15. • O dízimo e a Sustentabilidade da Obra: Gênesis 14:20, 28:22, Levítico 27:30, Números 18:21-26, Malaquias 3:7-10, Mateus 10:10; 23:23. • A ascensão da Igreja: Romanos 8:23, 1 Coríntios 15:51 - 52, 1 Tessalonicenses 4:16-17. • A Segunda Vinda de Cristo: Zacarias 14:1-9, Mateus 24:30, 31, 2 Tessalonicenses 1:07, Tito 2:13, Judas 14, 15. • O Reino Milenar: Isaías 2:1-4, 11:5-10, Zacarias 9:10, Apocalipse 19:20, 20:3-10. • Novos Céus e Nova Terra: Isaías 65:17, 66:22, 2 Pedro 3:13, Apocalipse 21:1.


SOMMARIO Encontrar-nos em

www.facebook.com/impactoevangelistico

14 / INFOGRÁFICO. A deidade de Jesus Cristo

18 / BEM-ESTAR. Os perigos da Dengue

DEVOCIONAIS 40 / VEM O FIM . Rev. Luis M. Ortiz

42 / ATENTANDO PARA O SENHOR. Rev. Álvaro Garavito

A deidade de Cristo

6

O Reino eremita da Coreia do Norte

Testemunho

30 / HERÓIS DA FÉ. O apóstolo dos Mongóis

Entrevista

28 / MÚSICA. Adorai em majestade

Atualidade

24 / LITERATURA. O caminho para Deus

Nota de capa

20 / ATUALIDADE. A conquista do bairro de Pablo Escobar

A triste infância de Sabina

“A obra está crescendo”

22 16

34

44 - 64 / EVENTOS INTERNACIONAIS. A palavra de Deus percorreu Nápoles 65 / OUTROS EVENTOS.

56 / Evento.

66 / CARTAS - AGENDA.

Maio 2017 / Impacto evangélico

5


A DEIDADE DE A

CRISTO

presenta-se comumente um número de objeções ou dificuldades sobre a Deidade de Cristo. Este artigo discute brevemente algumas delas, em particular aquelas que surgem entre as pessoas que estão familiarizadas com afirmações e fraseologia bíblicas. Josh McDowell y Bart Larson

Uma das primeiras objeções se refere à frase que Jesus Cristo pronunciou: “Meu Pai é maior do que eu” (João 14:28). Sem dúvida, isto evidencia que a posição de Cristo é algo inferior à de Deus. É uma dificuldade que comumente acontece com frequência. É verdade que em sua função como servo durante sua permanência na terra, Jesus teve uma posição abaixo de seu Pai. Essa posição, porém, não nega sua natureza divina. Nesta mesma passagem, Jesus disse a Filipe: “Quem me vê a mim vê o Pai” (João 14:9). Essa declaração afirma que Jesus e o Pai constituem uma única natureza. Ver um era ver outro (João 12:44-45). Portanto, quando Jesus disse que o Pai era maior que Ele, ele se referia a sua posição temporal, não a seu ser. Aqui vamos citar exaustivamente Arthur W. Pink em sua excelente obra sobre esta passagem, Exposition of the Gospel of John: “Meu Pai é maior do que eu”. Este é o versículo favorito dos unitários, que negam a Deidade absoluta de Cristo e sua perfeita igualdade com o Pai… O Salvador acabava de dizer aos apóstolos que deviam gozar porque Ele era o Pai, e depois lhes diz isto: “Porque meu Pai é maior do que eu”. Lembremos sempre esta afirmação e qualquer dificuldade desaparecerá. Que o Pai fosse maior do que Cristo era a razão designada de por que os discípulos deviam se alegrar de que o Mestre fosse o Pai. Isto imediatamente estabelece o significado deste disputado “maior”, e nos mostra o sentido no qual é usado aqui. O contraste que o Salvador indica entre o Pai e Ele mesmo não se referia à natureza, mas ao caráter e posição oficial. Cristo não estava falando de si mesmo em seu Ser essencial. O que não considerava usurpação ser “igual a Deus” era considerado como servo, mas também considerado igual aos homens. Em ambos os sentidos, nomeadamente em seu estado oficial (como Mediador) e em sua adoção da natureza humana, era inferior ao Pai. E na seguinte oração do capítulo 17, o Senhor Jesus se apresenta como o Servo do Pai, de quem recebeu uma comissão, e a quem deve dar contas. Mas há ouMISIONÁRIO MUNDIAL 6 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia


nota de capa

Maio 2017 / Impacto evangĂŠlico

7


tro sentido mais pertinente, no qual o Filho era inferior ao Pai. Ao se encarnar e habitar entre os homens, ele se humilhou grandemente, escolhendo sofrer o opróbio e a dor em suas formas mais agudas. Estava em uma posição inferior ao Pai. O contraste era, pois, entre seu estado presente de humilhação, e seu futuro estado de exaltação para o Pai! Cristo estava reconhecendo seu lugar como servo, e engrandecendo Aquele que o tinha enviado. Deus, o Pai, é a “cabeça” de Cristo. A mesma relação de maior a menor é ilustrada em 1 Coríntios 11:3: “Mas quero que saibais que Cristo é a cabeça de todo o homem, e o homem a cabeça da mulher; e Deus a cabeça de Cristo”. Nesta passagem há três comparações: entre homem e Cristo, entre homem e mulher, entre Cristo e Deus. A terceira comparação entre Jesus e Deus é a que estamos discutindo aqui. Afirmar que “Deus é a cabeça de Cristo”. MISIONÁRIO MUNDIAL 8 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia

“Não produz a impressão de superioridade?” Perceba que esta comparação se relaciona com as pautas da autoridade; não implica inferioridade nem superioridade. Em contrapartida, quando estava na terra, para se identificar com o gênero humano, Jesus ficou voluntariamente sob a ordem do Pai. Jesus estava sujeito ao Pai. Outro versículo que nos mostra a relação entre Cristo e o Pai pode causar problemas. “E, quando todas as coisas lhe estiverem sujeitas, então também o mesmo Filho se sujeitará àquele que todas as coisas lhe sujeitou, para que Deus seja tudo em todos” (1 Coríntios 15:28). Aqui o verbo sujeitar, também não implica desigualdade de pessoas, mas uma diferença de funções. A sujeição se refere só à função, e a submissão não implica inferioridade necessariamente. Pensemos nisso. Para Deus possa expiar os pecados do homem, alguém tem que estar sujeito à morte. Contudo, só uma pessoa com uma capacidade sem limites para expiar o pecado podia fazê-lo, só um


nota de capa

homem perfeito. Ele tinha a capacidade ilimitada para expiar, porque Ele derramaria seu sangue pelo gênero humano. Ele tinha que ser perfeito, pois Deus aceita unicamente sacrifícios sem defeitos. Quem podia fazê-lo? Só Deus. E Deus o Filho derramou seu próprio sangue por nós (Atos 20:28). “Obediência” é uma palavra crucial. Como homem perfeito, Cristo tinha que obedecer a Deus e assim cumprir o plano de Deus para redimir à humanidade. Jesus se submeteu voluntariamente a este plano, a Deus o Pai, a fim de salvar a humanidade da separação eterna de Deus. Jesus foi “gerado”. Alguns afirmam que o termo “unigênito” de João 3:16 (também 1:14, 18; 3:18) nega a divindade de Jesus, implicando que era só outro ser criado. O termo “unigênito”, porém, não significa “criado”. O termo “gerado”, segundo seu uso no Evangelho de João, significa “único, especialmente abençoado ou favorecido”. C. S. Lewis ilustra claramente o significado de “gerado” quando escreve: Um dos credos diz que Cristo é o Filho de Deus “gerado, não criado”; e acrescenta: “nascido do Pai antes de todos os séculos.” Por favor, coloque em sua cabeça que isso não tem nada a ver com o fato de que, quando Cristo nasceu na terra como homem, foi filho de uma virgem. Não estamos falando aqui do nascimento virginal, mas de algo que aconteceu antes que a natureza fosse criada, antes que o próprio tempo existisse. “Antes de todos os séculos”. Cristo é gerado, não criado. O que isso significa? Não usamos a palavra gerar ou gerado com muita frequência, mas todo o mundo sabe o que significa. “Gerar” é se tornar pai de outro; criar é fazer. Essa é a diferença. Quando se gera, gera-se outro da mesma classe. Um homem gera crianças humanas, um castor gera pequenos castores, e um pássaro gera ovos que, por sua vez, serão passarinhos.

Como homem perfeito, Cristo tinha que obedecer a Deus e assim cumprir o plano de Deus para redimir à humanidade. Jesus se submeteu voluntariamente a este plano, a Deus o Pai, a fim de salvar a humanidade da separação eterna de Deus. Mas quando alguém faz, resulta algo diferente do que faz. Um pássaro faz seu ninho, um castor constrói um dique, um homem faz um aparelho de rádio, ou pode fazer algo mais similar a si próprio que um aparelho de rádio; isto é, uma estátua. Se ele é bastante hábil, pode talhar uma estátua que seja verdadeiramente muito similar ao homem. Mas, obviamente não será um homem real. Só terá seu aspecto. Não poderá respirar ou pensar. Não é um ser vivo. Pois bem, isto é o primeiro que devemos entender. O que Deus gera é Deus, bem como o que o homem gera é um homem. O que Deus cria não é Deus, bem como o que o homem faz não é um homem. É por isso que os homens não são filhos de Deus da mesma maneira como Cristo é. São parecidos a Deus em certas formas, mas não pertencem à mesma classe. São mais como estátuas ou imagens de Deus. Em Hebreus 11:17, Isaque é chamado de filho “unigênito” de Abraão, apesar de ter dois filhos: Isaque e Ismael. Assim o escritor de

Maio 2017 / Impacto evangélico

9


“Primogênito”, porém, não significa “criado primeiro”. Quando Paulo afirma que Cristo era “o primogênito de toda a criação” (Colossenses 1:15) usa a palavra grega prototokos, que significa “herdeiro, primeiro em rango”.

Em todo caso, a linguagem da Bíblia é consequente com a doutrina da Trindade, como em Mateus 28:19 a palavra nome (singular em grego) é usada para expressar “o Pai, o Filho e o Espírito Santo”.

Hebreus usava “unigênito” em seu sentido de “único, especialmente abençoado ou favorecido”. O mesmo se pode dizer de João 3:16 acerca de Jesus (a única diferença era que Deus teve um Filho e Abraão teve dois). Jesus era um homem. Um possível obstáculo que pode impedir que alguns aceitem a divindade de Cristo é que, segundo a Bíblia, Jesus era um homem. Por exemplo, uma passagem bíblica diz: “Porque há um só Deus, e um só Mediador entre Deus e os homens, Jesus Cristo homem” (1 Timóteo 2:5). Romanos 5:12-21 fala do pecado como expiado por meio do “homem, Jesus Cristo” (v. 15). É verdade que a Escritura ensina que Jesus era humano, mas também ensina que era divino. Era um homem, nascido da virgem Maria, mas era também Deus (João 1:1, 14; 20:28; Col. 2:9; Tito 2:13; 2 Pedro 1:1; Hebreus 1:8). Paulo salienta a divindade de Jesus, dizendo que a mensagem que ele dá não vem dos homens nem de um “homem”, mas de “Jesus Cristo” (Gálatas 1:1). Jesus era um “homem”, mas também era o “Senhor”, “Filho de Deus”, “Senhor dos senhores”, “Rei dos reis” e “o Alfa e Ômega”. Jesus foi chamado de Primogênito, as primícias da criação. Algumas pessoas pensam que a palavra primogênito significa o que é criado primeiro. Isso implicaria que Jesus era só um ser criado, não MISIONÁRIO MUNDIAL 10 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia

preexistente, ou eterno, ou Deus. “Primogênito”, porém, não significa “criado primeiro”. Quando Paulo afirma que Cristo era “o primogênito de toda a criação” (Colossenses 1:15) usa a palavra grega prototokos, que significa “herdeiro, primeiro em rango”. Se tivesse querido indicar “criado primeiro”, teria usado a palavra grega protoktistos. Em nenhuma parte da Escritura diz que Deus “criou” Jesus. Em seu livro Theology on the Person of Christ, Lewis Sperry Chafer escreve: “Este título –às vezes traduzido nascido primeiro– indica que Cristo é o Primogênito, o mais velho em relação com toda a criação; não a primeira coisa criada, mas o antecedente de todas as coisas, bem como a causa delas” (Colossenses 1:16). Jesus não pôde ser o primeiro ser criado e ao mesmo tempo o agente pelo qual toda a criação recebeu o ser, como a Escritura afirma d’ Ele. Se Ele era o autor de toda a criação, então Ele próprio não podia ser criado. Jesus e Deus estavam “de acordo”. Jesus diz: “… dou-lhes a vida eterna, e nunca hão de perecer, e ninguém as arrebatará da minha mão. Meu Pai, que me as deu, é maior do que todos; e ninguém pode arrebatá-las da mão de meu Pai. Eu e o Pai somos um” (João 10:28-30). Jesus estava afirmando que Ele era o mesmo Deus, um com Ele (como o gelo e a agua são “um” em natureza), ou só estava dizendo que tin-


nota de capa

Maio 2017 / Impacto evangĂŠlico

11


ham unidade, tinham o mesmo propósito, estavam de acordo? O texto indica o primeiro. Primeiro, os judeus a quem Ele estava falando –que culturalmente estavam em situação de interpretar suas palavras melhor do que ninguém 2000 anos depois– entenderam que Jesus declarou ser “Deus”. Tomaram pedras para apedrejá-lo “… pela blasfêmia; porque sendo homem, te fazes Deus a ti mesmo” (João 10:33). Segundo, em grego, a palavra um é neutro (hen), não masculino (heis), isso indica que Jesus e Deus eram um e o mesmo em essência. A forma masculina significaria que era uma pessoa, e isso negaria a distinção pessoal entre o Pai e o Filho. A seção de João incluída abaixo é a resposta de Jesus à acusação de blasfêmia. Para um judeu que conhece a Lei, suas palavras têm sentido. O que não está familiarizado com a maneira como os judeus entendem o Antigo Testamento pode ter dificuldade e facilmente interpretará mal essa passagem, especialmente no que se refere à questão da Deidade de Cristo. A passagem diz: “Respondeu-lhes Jesus: Não está escrito na vossa lei: Eu disse: Sois deuses? Pois, se a lei chamou deuses àqueles a quem a palavra de Deus foi dirigida, e a Escritura não pode ser anulada, «aquele a quem o Pai santificou, e enviou ao mundo, vós dizeis: Blasfemas, porque disse: Sou Filho de Deus? Se não faço as obras de meu Pai, não me acrediteis. Mas, se as faço, e não credes em mim, crede nas obras; para que conheçais e acrediteis que o Pai está em mim e eu nele. Procuravam, pois, prendê-lo outra vez, mas ele escapou-se de suas mãos” (João 10:34-39). Grande parte da confusão se relaciona ao uso que Jesus faz da palavra “deuses” (v. 34). Estava dizendo: “Outros homens foram chamados de deuses. Porque não posso eu mesmo me chamar de Filho de Deus?” (Chamando-se a si mesmo, de modo indireto, um homem, não divino). A frase “Eu disse: Vós sois deuses” está no Salmo 82:6. A palavra deuses usada no Salmo é o hebreu elohim (eloah = “deus”, im = terminação plural = “deuses”). Apesar de que Deus é chamado de Elohim com frequência no Antigo Testamento, usa-se sempre a forma singular do verbo com Elohim quando se fala de Deus [“No princípio criou (singular) Deus (plural: Elohim) o céu e a terra” (Gênesis 1:1)]. Em todo caso, a linguagem da Bíblia é consequente com a doutrina da Trindade, como em Mateus 28:19 a palavra nome (singular em grego) é usada para expressar “o Pai, o Filho e o Espírito Santo”. Compreende só um “nome”. O termo “deuses” (elohim) no Salmo 82 se refere aos juízes judeus, homens que deviam agir como “Deus” (ou deuses) a favor do povo, “deus” no sentido de ser justo, equitativo, etc. Evidentemente, eles não eram literalmente “Deus”. Êxodo 21:1-6 e 22:9, 28 usam o mesmo termo: a palavra traduzida “quinta-feira” em nossas Bíblias é realmente elohim. Este era o contexto do Antigo Testamento ao qual Jesus se referia. Por quê? Aparentemente, Jesus estava lhes perguntando por que estão tão transtornados, porque Ele usava o termo “Filho de Deus”. Tinham estado expostos ao mesmo antes (isto é, homens que eram chamados de “deuses” no Salmo 82). A questão que tinham era, pois, esta: “Não pareis no uso do termo. Olhai para mim. Olhai para minhas obras. São de Deus? São, sim. Acreditai o que digo, incluindo os nomes que me dou”. MISIONÁRIO MUNDIAL 12 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia


nota de capa

Maio 2017 / Impacto evangĂŠlico

13


A DEIDADE DE

JESUS CRISTO

PA

Identidade e cooperação da Deidade

O Pai, o Filho, e o Espírito Santo nunca aparecem idênticos respeito à pessoa, nem confundidos respeito ao parentesco, nem divididos respeito à Deidade, nem opostos respeito à cooperação. O Filho está no Pai e o Pai no Filho, respeito à relação. O Pai não provém do Filho, mas o Filho provém do Pai, respeito à autoridade. O Espírito Santo provém do Pai e do Filho respeito à natureza, parentesco, cooperação e autoridade. Nenhuma das três pessoas na Deidade age ou existe separada ou independente dos outros. (João 5:17-30,32) NÃ

É

DE

Deus, o Pai, é a “cabeça” de Cristo. A mesma relação de maior a menor é ilustrada em 1 Coríntios 11:3: “Mas quero que saibais que Cristo é a cabeça de todo o homem, e o homem a cabeça da mulher; e Deus a cabeça de Cristo”.

Jesus é sujeito ao Pai. Outro versículo que nos mostra a relação entre Cristo e o Pai pode causar problemas. “E, quando todas as coisas lhe estiverem sujeitas, então também o mesmo Filho se sujeitará àquele que todas as coisas lhe sujeitou, para que Deus seja tudo em todos” (1 Coríntios 15:28). Aqui o verbo sujeitar, também não implica desigualdade de pessoas, mas uma diferença de funções. A sujeição se refere só à função, e a submissão não implica inferioridade necessariamente. MISIONÁRIO MUNDIAL 14 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia

É

ESPIRITO SANTO

NÃO


Jesus foi “gerado”. Alguns afirmam que o termo “unigênito” de João 3:16 (também 1:14, 18; 3:18) nega a divindade de Jesus, implicando que era só outro ser criado. O termo “unigênito”, porém, não significa criado. O termo “gerado”, segundo seu uso no Evangelho de João, significa “único, especialmente abençoado ou favorecido”. C. S. Lewis ilustra claramente o significado de “gerado”.

AI

Jesus era um homem.

É

EUS

Um possível obstáculo que pode impedir que alguns aceitem a divindade de Cristo é que, segundo a Bíblia, Jesus era um homem. Por exemplo, uma passagem bíblica diz: “Porque há um só Deus, e um só Mediador entre Deus e os homens, Jesus Cristo homem” (1 Timóteo 2:5). Romanos 5:12-21 fala do pecado como expiado por meio do “homem, Jesus Cristo” (v. 15).

Jesus foi chamado de Primogênito. Algumas pessoas pensam que a palavra primogênito significa o que é criado primeiro. Isto implicaria que Jesus era só um ser criado, não preexistente, ou eterno, ou Deus.

É

“Jesus e Deus estavam de acordo”.

FILHO

Jesus diz: “… dou-lhes a vida eterna, e nunca hão de perecer, e ninguém as arrebatará da minha mão. Meu Pai, que me as deu, é maior do que todos; e ninguém pode arrebatá-las da mão de meu Pai. Eu e o Pai somos um” (João 10:28-30).

E sabemos que já o Filho de Deus é vindo, e nos deu entendimento para que conheçamos ao Verdadeiro; e no que é verdadeiro estamos, isto é, em seu Filho Jesus Cristo. Este é o verdadeiro Deus e a vida eterna.”. 1 João 5:20. Maio 2017 / Impacto evangélico

15


O REINO EREMITA DA

COREIA DO NORTE

A

Coreia do Norte assumiu uma política de isolamento e mesmo de confrontação com a maioria da comunidade internacional há muitos anos, e vive sem se preocupar com o que o resto do mundo pensa. Mas, o que há atrás deste estranho comportamento? Após a Segunda Guerra Mundial, o Japão foi obrigado a se retirar de todos os territórios que tinha ocupado, incluindo a Coreia. Os países aliados liberaram a península e a dividiram em dois. A União Soviética ocupou a parte norte, sobre o paralelo 38, enquanto os Estados Unidos tiveram os territórios ao sul do paralelo 38. Ambas as potências pretendiam dominar toda a península sob seu mandato e se realizaram eleições em suas respectivas áreas de influência. Na Coreia do Norte, o antigo líder da guerrilha comunista, Kim Il-sung, ganhou as eleições e se tornou primeiro-ministro da República Popular Democrática da Coreia. Em 25 de junho de 1950, a Coreia do Norte lançou uma ofensiva militar para unificar toda a península da Coreia sob a forma de um único governo socialista. As tropas norte-coreanas tomaram Seul e maior parte da península, isolando as tropas sulcoreanas em uma pequena zona perto do sul da península. Com o apoio das forças estadunidenses, os sulistas recuperaram Seul e tomaram Pyongyang. O contragolpe fez com que o Sul pedisse estabelecer o controle sobre todo o país e encurralasse as tropas comunistas perto da fronteira com a China. Quando os comunistas coreanos estavam a ponto de perder a guerra, a China enviou seus voluntários e retomaram a iniciativa. Apesar do avanço do novo contragolpe, as tropas nortecoreanas não conseguiram conquistar o sul. Ninguém pôde sair vitorioso deste conflito, cujo resultado foi a perda de mais de 2 milhões 500 000 pessoas. Depois da Guerra da Coreia, Kim Il-sung estabeleceu lentamente um enorme culto a sua personalidade e começou uma política de independência que deu origem às ideias de “autosMISIONÁRIO MUNDIAL 16 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia

suficiência”. Isto poderia ser interpretado como uma variante nacionalista do comunismo. Quando Kim Il-sung morreu em 1994, seu filho, Kim Jongil, herdou o título de chefe de Estado. E continuou com sua política, construindo o culto a sua própria personalidade. Seu reinado coincidiu com a dissolução da URSS e o bloco socialista, bem como com as inundações que causaram fome em massa entre a população norte-coreana. Em 2009, a Coreia do Norte realizou com sucesso uma prova nuclear subterrânea, integrando-se à lista de países com armas nucleares. A ONU e vários Estados impuseram então sanções contra o país asiático, mas Kim Jong-il as ignorou e continuou desenvolvendo armas similares. Em 2011, Kim Jong-il faleceu e seu filho mais novo, Kim Jong-un, assumiu o poder. Durante seu mandato, aconteceram três provas nucleares, em 2013, 2015 e 2016 respectivamente, a


atualidade

última, com uma potente bomba de hidrogênio — e a escalada de tensões com a Coreia do Sul.

O PANORAMA ATUAL A maioria pensa que na Coreia do Norte existe um único partido. Realmente, além do Partido dos Trabalhadores da Coreia (PTC), há outros dois: o Partido Social-Democrata da Coreia e o Partido Chondoísta Chong-u, que reconhecem a função dirigente do PTC. Estas duas agrupações não têm poder real, mas procuram aparentar que o país tem uma democracia real. Kim Jong-un leva o título de “Líder Supremo” e tem enormes poderes. Neste país há eleições parlamentares, mas são uma simulação. POPULAÇÃO E ECONOMIA A Coreia do Norte tem uma população de 25 milhões de habi-

tantes, deles mais de 3 milhões moram em Pyongyang, a capital do país. Também tem um sistema de castas dividido em três categorias: os leais, os vacilantes e os hostis. Só os leais, isto é, descendentes dos lutadores pela independência e familiares dos soldados falecidos na guerra da Coreia, podem morar na capital. O nível de alfabetização alcança 100%. Todos os norte-coreanos receberam educação primária e secundária, mas só 14% dos homens e 7% das mulheres têm educação superior. De acordo com a Comunidade Internacional, a Coreia do Norte viola gravemente os direitos humanos. Vários relatórios indicam que os opositores ao régime são encarcerados em campos de concentração onde sofrem torturas e são privados dos direitos mais básicos. Poucas pessoas tentam escapar do país através da fronteira com a China, apesar de que é o ‘melhor’ lugar para fugir. A fronteira com a Coreia do Sul é totalmente hermética devido à zona desmilitarizada que separa os estados coreanos, mas real e ironicamente é uma das zonas mais militarizadas no mundo. O nível de vida era bom durante várias décadas graças à ajuda dos países do bloco socialista; mas após a dissolução da URSS, as coisas mudaram. Devido à grave situação econômica e as inundações na região, dois milhões de pessoas morreram de fome. Hoje, a economia da Coreia do Norte, segundo diferentes estimativas, é 30 ou 40 vezes menor que a de Seul. Suas principais indústrias continuam sendo a agricultura e a indústria pesada. Quando Kim Jong-un tomou o poder, seu Governo começou a realizar reformas com o propósito de liberalizar a economia norte-coreana favorecendo a criação de uma economia de mercado. Há alguns anos, o Governo norte-coreano percebeu a necessidade de ter certa economia de mercado para o país, cuja situação econômica se encontra em grave estado. Assim começaram as reformas econômicas atuais, que constam de três elementos cruciais. O primeiro é a legalização da venda privada, isto é, agora os comerciantes podem vender seus produtos sem temer a perseguição do Estado. O segundo é o aumento da autonomia das empresas nortecoreanas, que obtiveram o direito de autogestão, de fazer seus próprios orçamentos e de gerir seus recursos humanos. O terceiro está relacionado ao sistema agrário baseado nas unidades familiares e não nas granjas coletivas. Antigamente, o Estado reclamava a maior parte da colheita e o resto ficava para os granjeiros; agora, as famílias podem reter a maioria de sua colheita e só devem dar uma pequena parte ao Estado. 

(*) Con noticias de internet.

Maio 2017 / Impacto evangélico

17


OS PERIGOS DA

É

DENGUE

uma infecção viral transmitida pela picada de mosquitos infectados do gênero Aedes. A dengue aparece nos climas tropicais e subtropicais, especialmente nas zonas urbanas e semiurbanas e se propaga rapidamente sem uma prevenção. Wálter Menchola Vásquez (*)

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), a incidência desta doença aumentou nas últimas décadas. O número real de casos no mundo é desconhecido, porque não todos os casos são registrados e notificados. Estima-se que 390 milhões de pessoas são infectadas pela dengue a cada ano; deles, 96 milhões se manifestam clinicamente (24 %); isto é, 1 de cada 4 pessoas infectadas apresenta a doença, e 3 passam despercebidas. A doença se propagou no planeta. Antes de 1970, unicamente nove países reportavam esta doença; atualmente, mais de 110 países a notificam permanentemente, na África, no Mediterrâneo, nas Américas, no Sudeste Asiático e no Pacífico Ocidental. A doença é transmitida mediante a picada do mosquito fêmea Aedes aegypti, que em seu momento se contaminou ao picar pessoas infectadas que mostravam sintomas ou não; assim se repete sucessivamente o ciclo da dengue. O Aedes tem uma grande capacidade de adaptação. Propagou-se da África para o resto do mundo; existem três variedades, sendo o aegypti o mais importante na transmissão das doenças. O mosquito portador se espalhou para o resto do mundo mediante o comércio, nos séculos XV, XIX e XX como consequência do desenvolvimento da marinha mercante, a aviação comercial e a migração das pessoas. Acredita-se que inicialmente, durante as viagens marítimas, o mosquito se mantinha vivo e se reproduzia nos tanques de água do porão do navio. Recentemente se atribui às migrações, bem como ao comércio de pneumáticos usados, que constituem recipientes artificiais do mosquito.

SINTOMAS Entre 3 a 14 dias após a picada de um mosquito contaminado, MISIONÁRIO MUNDIAL 18 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia

surgem habitualmente os sintomas. A dengue é uma doença bastante similar à gripe; seus sintomas são: febre brusca elevada (40 °C) acompanhada de dor de cabeça muito intensa, dor atrás dos globos oculares, dores musculares e articulares (febre quebra-ossos), náuseas, vômitos, engrandecimento dos gânglios linfáticos ou brotoeja. A doença usualmente dura uma semana; no primeiro dia pode aparecer uma erupção cutânea avermelhada generalizada, injeção conjuntival e vesículas no paladar. Na evolução pode ter sangramento discreto nasal e manchas dispersas na pele do doente. Geralmente o diagnóstico é feito mediante imunoserologia, a detecção do antígeno viral ou o RNA viral no soro; a prova mais usada é a detecção de anticorpos específicos no soro do doente.


bem-estar

A doença pode evolucionar e se tornar potencialmente mortal, em outras palavras, a dengue grave que gera acumulação de líquidos, dificuldade respiratória, hemorragias graves ou falha orgânica. Estes sintomas aparecem ocasionalmente entre 3 e 7 dias após as primeiras manifestações e são acompanhados de descida de temperatura, dor abdominal e vômitos intensos, hemorragias e vômitos com sangue. Estes pacientes devem ser atendidos em Unidades de Cuidados Intensivos, para diminuir a probabilidade de morte. Não há tratamento específico para a dengue nem para a dengue grave, mas a detecção oportuna e o acesso à assistência médica adequada diminuem as taxas de mortalidade abaixo do 1 % (OMS, 2017). A prevenção, atualmente, é o melhor instrumento para combater a doença. É preciso considerar que o mosquito transmissor ou portador tem que encontrar um hábitat favorável para viver e se reproduzir, por isso se deve tampar todo tipo de recipiente que contenha água limpa para uso humano e eliminar qualquer objeto que possa armazenar água pluvial (jarras, capacetes, pneumáticos, tanques rotos, plásticos, recipientes em cemitérios), porque favorecem sua reprodução. Quanto aos sistemas ou recipientes com água armazenada ao ar livre, que não possam ser tampados, como os poços, as piscinas e os charcos, é preciso aplicar inseticidas adequados. Além disso, usar mosquiteiras nas janelas e roupa de manga longa. Fonte: OMS, OPS. (*) Médico Internista, Mg. Gestão e Políticas Públicas

Maio 2017 / Impacto evangélico

19


A CONQUISTA DO BAIRRO DE

PABLO ESCOBAR

H

á três décadas era um dos lugares mais perigosos de Medellín. Drogas, álcool e assassinatos cometidos por sicários eram o denominador comum em El Milagro, o bairro que foi levantado por Pablo Escobar, o maior narcotraficante colombiano. Até que a Palavra de Deus chegou. Há mais de trinta anos Celina Jiménez Bram sobe e desce, quase diariamente, as centenas de degraus que se estendem ao longo das empinadas ruelas de El Milagro. Jovens, mulheres e homens a cumprimentam cordialmente em seu caminho pelas escadas situadas na frente das humildes casas deste bairro que ocupa as ladeiras de uma cadeia de colinas no nordeste da cidade de Medellín, Colômbia. Nessas três décadas, ela nunca deixou de levar uma Bíblia em suas mãos. Tal vez pôde esquecer a carteira, o casaco, mas jamais o livro da Palavra. A Bíblia sempre a acompanhou em seus incansáveis percursos por este bairro, onde a vida não valia nada nas décadas dos 80 e os 90. El Milagro é conhecido como o bairro de Pablo Escobar porque foi com o dinheiro do narcotraficante com que se construíram as primeiras casas nessa zona. Eram as épocas em que este homem tão temido na Colômbia queria começar sua carreira como político; como parte de sua campanha proselitista, comprou uma grande extensão de terreno nas ladeiras, construiu dezenas de moradias básicas e as repartiu entre os mais pobres de Medellín. A zona se tornou extremadamente perigosa na década dos 80, como em todo Medellín. Nenhum desconhecido podia entrar no bairro sem ser interrogado. Tinha que ter um motivo poderoso para que um forasteiro chegasse a El Milagro. Celina Jiménez chegou a esse lugar com sua Bíblia na mão e ficou durante três décadas. Celina é um membro do Movimento Missionário Mundial (MMM) e começou a percorrer o bairro de Pablo Escobar um dia que ela mesma já não lembra. O importante é que conseguiu chegar com a Palavra de Deus a muitas almas, que agora pertencem à Obra do Senhor. Foi muito difícil chegar às pessoas de El Milagro, desconfiados por natureza. Durante anos, Celina e uma vintena de missionários MISIONÁRIO MUNDIAL 20 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia


atualidade

percorreram incansavelmente todas as ruas desse e outros bairros vizinhos para levar a Palavra de Deus. Eram vistos de forma céptica, mas pouco a pouco foram despertando o interesse de homens e mulheres. Celina sofreu as consequências da violência. Em vários momentos esteve prestes a sofrer dano. Foi testemunho de vários tiroteios e brigas entre quadrilhas inimigas nesse bairro, onde qualquer pessoa podia perder a vida a qualquer momento. Marina Mazo Zoazo foi uma das primeiras que se uniu ao gru-

po da irmã Celina. Ela morava ao lado de um rio, em uma humilde casinha que podia ser arrasada a qualquer momento pelas águas. Quando ouviu a notícia sobre as casas que Escobar repartia, inscreveu-se e obteve uma pequena moradia de material nobre localizada nos primeiros metros da escarpada ladeira. Mudou-se com seus seis filhos e sua pobreza consigo. Marina mora em El Milagro em uma humilde casa de material nobre há trinta e dois anos. É uma das pessoas que ajudam a irmã Celina em seus longíssimos percursos para levar a Palavra as almas sofridas daquele lugar. Apesar do tempo transcorrido, ainda lembra o tempo em que empreendeu o caminho do Senhor. Sobreviveu a uma septicemia que a prostrou 22 dias em cama. Esteve agonizante, mas venceu a morte com a ajuda do Senhor. Assim se aproximou à Palavra. María Ema Amarilis Rodríguez é outra das pessoas que se converteram ao Evangelho graças à irmã Celina. Agora as três percorrem as ruas de El Milagro, onde muitas pessoas emendaram o caminho para salvar suas almas. A irmã Celina nunca contabilizou o número de pessoas que levou ao Movimento Missionário Mundial nos mais de 32 anos de trabalho incansável. Quem segue o Senhor acode ao templo central da Obra em Medellín, onde o reverendo Gustavo Martínez prega. Neste bairro a violência diminuiu. Agora se pode percorrer suas ruas com tranquilidade. Muitos milagres chegaram a El Milagro.

Maio 2017 / Impacto evangélico

21


“A OBRA ESTÁ

CRESCENDO” O

Reverendo Rómulo Vergara é supervisor missionário na África e realizou um louvável trabalho evangelizador em vários países desse continente. Lidera os esforços de um grupo de missionários que levam a Palavra apesar das grandes dificuldades sociais e políticas. Percorreu dezenas de países africanos pondo sua própria vida em risco. Ele e seu irmão Clemente chegaram há trinta anos para desenvolver um paciente trabalho que abriu igrejas com o intuito de impulsionar o crescimento do Movimento Missionário Mundial. Rómulo Vergara é Oficial Internacional e seus aportes são transcendentais para a obra missionária. Qual é a situação da Obra na África? A Obra na Guiné Equatorial foi estabelecida com sacrifício e muito sofrimento em 1983. Meu irmão foi o primeiro que chegou; depois cheguei eu; ambos estivemos a ponto de morrer como consequência da malária e outras doenças. A Obra se estabeleceu e tomou um impulso muito bonito na Guiné Equatorial; agora se realizam convenções nacionais e também juvenis. Em que outros países está presente a obra? No Congo; também na Gana, bem como na Costa de Marfim. Há dois anos meu irmão esteve lá, e um pastor se uniu a uma congregação de mais de cem pessoas. Também chegamos a Madagascar, esse foi o último destino. Quando chegaram a Madagascar? Há quatro ou cinco anos. Esta Obra é pastoreada por meu irmão Clemente, que partiu sem conhecer ninguém, e Deus se glorificou e agora há várias igrejas fundadas nesse país. Diga-me, em que outro país vai estar presente a Obra nos próximos anos? Bom, no Gabão, que limita com a Guiné Equatorial. No princípio tivemos a Obra nesse país, que foi muito bonita, mas se perdeu a causa de um descuido. Mesmo há uma propriedade da Obra, e pensamos chegar lá em breve. Outra nação aonde queremos chegar é os Camarões, que limita com a Guiné. Estamos nos dois Congos, e nos encontramos, além disso, em Kinshasa, a capital da República Democrática do Congo. Há outros países que nos abrem suas portas; pediram que entremos. Quais são as dificuldades que a Obra enfrenta nessas nações? Por um lado, as doenças. Uma pessoa não pode ficar muito tempo MISIONÁRIO MUNDIAL 22 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia

porque pode contrair malária. Existem outras doenças, como a cólera e a febre tifoide. Qual é a atitude das autoridades nesses países quanto à Obra? Não é muito favorável, já que a maioria dessas nações africanas são ditaduras e restringem um pouco a liberdade de culto. Tanto quanto no Oriente Médio? Não, é mais fácil. Nós chegamos há 30 anos e, o governante continua sendo o mesmo, isso é uma ditadura. A idiossincrasia das pessoas é muito parecida à dos latino-americanos; o africano é aberto. Pode-se fazer um melhor trabalho aqui que na Europa, que é muito fechada. Eu prefiro trabalhar na África que na Europa, apesar do perigo de morrer, pois é um continente mais receptivo ao Evangelho. Mas, pode-se falar de perseguição? Pode, sim. A perseguição existe. Na Nigéria, os templos são queimados, e com cristãos dentro deles. Quantas congregações existem nas nações africanas? Eu acho que em todos os países, há um total de aproximadamente 50 congregações. Em que pais há maior quantidade de igrejas? Na Guiné Equatorial, são cerca de 40. Há muito vandalismo? Muito. Eles creem que o homem branco tem dinheiro; por isso, e assaltado, e se opõe resistência, é aniquilado e ninguém diz nada. A cada quanto tempo viaja a esse lugar? Duas vezes por ano, mas se complicou a entrada para nós também, porque nos bloquearam e não podemos ingressar durante um período, mas em 2016 estivemos ali e este ano também planejamos organizar a convenção que se realizará entre 16 e 19 de agosto, na cidade de Bata. Diga-me, em sua condição de Oficial Internacional, o que pensa da Obra em termos gerais? A Obra alcança um enorme crescimento, maravilhoso e, consequentemente, há uma grande demanda espiritual. A assistência é muito necessária; todos os oficiais estão distribuídos para atender em vários países. Graças a Deus, a Obra permanece unida, integrada, e mantém a sã doutrina e os princípios que aprendemos. O que opina do avanço da ideologia de gênero? A ideologia de gênero é realmente lamentável, mas ela continua avançando de forma alarmante; e alcançando seu auge, o que significa um desenvolvimento terrível. Faz parte do tempo profético que vivemos. E isso não é tudo. Na Europa e alguns países se discutem leis para que os pais possam ter sexo com seus filhos e aceitar casamentos mesmo com animais. Isso é aberrante e destrutivo. O mundo está de cabeça para baixo devido a essa terrível tendência, e o único que pode deter isso, como muro de contenção, é a Igreja; mas esse movimento é um gigante, lutamos contra um gigante terrível.


Foto: Roberto Guerrero

entrevista

Maio 2017 / Impacto evangĂŠlico

23


O CAMINHO

PARA DEUS O

livro, editado em 1884, expressou em suas páginas a grandeza do Criador. Foi escrito pelo pregador Dwight Lyman Moody, reconhecido como um dos maiores evangelistas do século XIX. Em Efésios 3:18 se fala de “largura, comprimento, profundidade e altura do amor de Deus”. Muitos de nós cremos que sabemos algo acerca do amor de Deus; mas devemos admitir que ainda não descobrimos nada d’Ele. Colombo descobriu a América, mas ele sabia sobre seus grandes lagos, rios, florestas e do vale do Mississipi? Morreu sem saber muito do que tinha descoberto. Se desejarmos conhecer o amor de Deus, devemos ir para o Calvário. Podemos olhar para essa cena e dizer que Deus não nos ama? Essa cruz nos fala do amor de Deus. Nunca se ensinou um amor tão grande quanto aquele que a cruz nos ensina. Publicado pela primeira vez em 1884, o livro O caminho para Deus é uma das obras de maior relevância do pregador estadunidense Dwight Lyman Moody, conhecido como o maior evangelista do século XIX, e o Senhor o utilizou para transmitir pessoalmente Sua Palavra a mais de cem milhões de pessoas. Nascido em 5 de fevereiro de 1837, na cidade de Northfield, Moody se esforçou neste trabalho para mostrar à humanidade a grandeza do Criador e como Ele é o caminho, a verdade e a vida. Ali em um escuro beco de uma de nossas grandes cidades, jaz um pobre bêbado. Se desejar estar mais perto do inferno, deve ir para a casa de um beberrão, precisamente para casa desse pobre e miserável beberrão. Há algo mais parecido ao inferno na Terra? Veja a necessidade e a aflição que há ali. Mas ouça! Ouvem-se passos na porta de entrada e as crianças se apressam a se esconder. A esposa espera pacientemente o marido. Ele foi seu tormento. Ela levou muitas vezes as marcas dos golpes em suas bochechas e seus olhos durante semanas. Muitas vezes esse punho forte bateu sua indefensa cabeça.

SENDA DA VIDA Conhecido como D.L. Moody, Dwight dividiu sua obra em nove capítulos, nos quais expressou um conjunto de pensamentos em torno do amor de Jesus, a porta de entrada ao reino de Deus, a segurança da salvação, o arrependimento e a restituição. Com uma linguagem simples, o servo de Cristo escreveu seu livro com o intuito de que os leitores se fortalecessem, estabelecessem e confirmassem na fé cristã. Além disso, mostrou como o homem pode levar almas aos pés do MISIONÁRIO MUNDIAL 24 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia


literatura

Senhor. Posso crer mais em Deus, que em mim mesmo. Se quiser conhecer a senda da vida, cria que Jesus Cristo é um salvador pessoal, afaste-se das doutrinas e credos falsos, e vá diretamente ao coração do Filho de Deus. Se você esteve se alimentando de doutrinas erradas, esse tipo de alimento não o ajudará a crescer. As doutrinas são para a alma bem como as ruas que conduzem para a casa de um amigo que me convidou para comer são para o caminheiro. Se escolher a rota correta, chegarei lá, mas se fico na rua, minha fome nunca será satisfeita. Alimentar-se de doutrinas falsas é como tentar viver de migalhas secas e magras, em lugar de se alimentar do Pão de Vida, que é a boa doutrina. Em “O caminho para Deus”, editado em espanhol pela Editorial Peniel em 2006, Moody mostrou a inspiração que o Criador lhe proveu em benefício da transformação da vida de milhões de pessoas dos cinco continentes. Nesse sentido, o autor explicou claramente, em seu texto, que para conhecer Deus, é imprescindível experimentar o amor de Jesus, que vai além de todo conhecimento. Também, afirmou que existem muitas evidências sobre a divindade do Salvador, a quem devemos servir todos os dias.

O arrependimento é uma das doutrinas fundamentais da Bíblia, mas creio que é uma das verdades menos entendidas atualmente. Hoje, há mais pessoas que têm um conceito totalmente errado sobre o arrependimento, regeneração, expiação e outras verdades tão importantes dentro da Bíblia.

CRER E RECEBER Para aquele que procura a salvação, é perigoso se apoiar nas experiências que outros tiveram. Muitos esperam sentir o mesmo que seus avôs e suas avós experimentaram. Tinha um amigo que se converteu ao Senhor em um campo, e pensava que toda a comunidade devia ir para esse lugar e se converter. Outro se converteu debaixo de uma ponte, e cria que todos os que procuravam o Senhor deviam ir debaixo dessa ponte para achá-lo. O melhor para os ansiosos é ir diretamente para a Palavra de Deus. Se há alguém no mundo que pensa que a Palavra é preciosa, é aquele que sempre está perguntando como serão salvos. Criador do Instituto Bíblico Moody, estabelecida em 1886, e da editorial cristã Moody Publisher, fundada em 1894, D. L. Moody, como era chamado por seus contemporâneos, não só dirigiu seu livro aos membros da igreja, mas também àquelas pessoas afastadas de Jesus Cristo. Convencido de que Deus tem especial atenção nos que estão afastados dele, canalizou uma mensagem especialmente des-

Maio 2017 / Impacto evangélico

25


MISIONÁRIO MUNDIAL 26 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia


literatura

enhada para este grupo de crentes considerado muito grande dentro das comunidades evangélicas. O arrependimento é uma das doutrinas fundamentais da Bíblia, mas creio que é uma das verdades menos entendidas atualmente. Hoje, há mais pessoas que têm um conceito totalmente errado sobre o arrependimento, regeneração, expiação e outras verdades tão importantes dentro da Bíblia que provavelmente nenhuma outra doutrina ensina, apesar de que sejam palavras muito familiares desde nossos primeiros anos. Se pedíssemos uma definição para arrependimento, muitas pessoas dariam uma ideia estranha e falsa disso. Um homem não está pronto para crer ou receber a Cristo se não está disposto a se arrepender de seus pecados. Homem de oração e estudioso das Sagradas Escrituras, Dwight Lyman proclamou as boas novas através de diversas publicações que, ao igual que “O caminho para Deus”, foram criadas para edificar e educar os seguidores do Senhor. Quanto a este tema, é preciso destacar que, através de sua companhia Moody Publishers, o pregador estadunidense publicou várias obras que nutriram a literatura cristã e que servem até hoje para evangelizar os não convertidos.

FONTE DE AMOR Se você olhar para uma casa, em breve perceberá a diferença entre um filho e um servo. O filho tem plena liberdade de andar por toda a casa: é seu lar, mas o servo tem um lugar de subordinação. O que queremos é ser algo mais que servos. Devemos ser conscientes de nossa posição em Deus, como filhos ou filhas. Ele não “desfilhará” seus filhos. Deus não só nos adotou, mas também somos seus por nascimento. Nascemos em seu Reino. Meu filho é tão meu quando tinha alguns dias quanto agora que tem 14 anos. Ele seguirá sendo meu filho, independentemente do que se tornará quando maior. Ele é meu, mesmo tendo que sofrer a prisão e estar sob o cuidado de tutores do governo. O trabalho evangelizador de Dwight Lyman Moody, que faleceu em 22 de dezembro de 1899 aos 72 anos, permitiu que as boas novas de Deus se estendessem pelos Estados Unidos e pelo Reino Unido. Crente fiel, seu empenho em pregar a Palavra o transformou em um personagem único do cristianismo do século XIX. Impulsor de centenas de cruzadas evangelísticas, ele promoveu o amor do Senhor como fonte de salvação e restauração e nunca se cansou de afirmar que “Deus é amor”. Há duas classes de crentes afastados. Alguns em realidade nunca se converteram. Passaram por todas as formas externas do cristianismo, fizeram parte de uma comunidade de crentes, e agora dizem estar afastados, mas realmente nunca estiveram. Podem falar de afastamento, mas não nasceram de novo. Devem ser tratados de uma maneira diferente à dos autênticos afastados, aqueles que nasceram da semente incorruptível, mas se desviaram. Queremos guiar novamente estes últimos para o caminho correto e fazer com que esqueçam o primeiro amor. Não há nada melhor para aqueles que se afastaram que levá-los à Palavra de Deus.

Maio 2017 / Impacto evangélico

27


ADORAI EM

MAJESTADE

C

omposição do autor norte-americano Jack Hayford, emblema da música cristã contemporânea, destaca por sua mensagem sobre a magnificência de Deus.

Um dos cem melhores hinos contemporâneos do cristianismo, “Adorai em majestade”, foi escrito na Grã-Bretanha em 1978. Apreciada por sua solenidade e pela simpleza de sua letra, este hino foi composto pelo autor estadunidense Jack Hayford, ministro pentecostal e multifacetado homem de Deus, que em sua criação exorta os seguidores de Jesus Cristo a louvarem ao Criador. A canção também reivindica que o Senhor é o rei da terra e o universo. Ideada para ressaltar a grandeza de Deus, “Adorai em majestade” é uma homenagem ao senhorio e magnificência de Cristo. O pastor Hayford, autor de mais de seiscentos hinos e coros evangélicos, recebeu a inspiração enquanto se encontrava de férias no Reino Unido com sua esposa Anna. Durante suas visitas a diversos castelos medievais, o compositor sentiu a influência do Todo-Poderoso e começou a meditar sobre a possibilidade de criar um hino que salientasse a soberania de Jesus. Quanto ao processo criativo desta canção, o reverendo Jack Hayford, que nasceu em 25 de junho de 1934 em Los Angeles, comentou em diversas ocasiões as circunstâncias particulares nas quais se sentiu iluminado. Nesse sentido, o ministro do Senhor disse: “um dia, quando

ADORAI EM MAJESTADE 1 Adorai em majestade Toda a glória seja dada a Cristo Jesus! 2 Adorai em majestade Ele morreu, ressuscitou, É O Rei dos reis Refrão Adorai, glorificai O Seu Santo Nome! Adorai, exaltai Jesus Cristo o Rei. Adorai em majestade Ele morreu, ressuscitou é O Rei dos reis!

MISIONÁRIO MUNDIAL 28 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia

viajava com minha esposa, a letra e a melodia de Adorai em Majestade me chegaram ao coração. Então, eu pedi ao Senhor que me ditasse as palavras desde os céus para escrevê-las em um caderno que tinha comigo”. Hayford escreveu mais de meia centena de livros cristãos, e também destacou várias vezes a importância de seu poema que aborda diretamente o esplendor de Deus. A este respeito, o compositor argumenta: “a realeza, dignidade e majestade de Jesus Cristo encheu poderosamente meu coração e permitiu que criasse um hino para adorar o Criador, que


música

acabei quando voltei aos Estados Unidos. Meu poema sublinha enormemente a autoridade do Senhor sobre o pecado e o inferno”. Promotor da Palavra por meio da rádio, a televisão e a imprensa escrita, Jack é amplamente reconhecido no ambiente evangélico mundial por sua obra cristianizadora. Com a Bíblia na mão, ao longo de sua ampla existência, de mais de oito décadas, pregou as boas novas em todo o território americano e impulsionou a formação espiritual de um grande número de ministros. Além disso, faz parte do Salão da Fama

dos Difusores Cristãos desde março de 2014. Identificado como um dos artistas mais destacados da indústria musical cristã, o norte-americano Jack Hayford, que continua difundindo o Evangelho apesar de seus quase oitenta e três anos de vida, é um emblema do canto congregacional. “Adorai em majestade”, a canção emblema de seu vasto repertório musical, é cantada hoje nos cinco continentes e destaca por sua bela melodia e pela mensagem que contém sobre a autoridade celestial do Senhor.

Maio 2017 / Impacto evangélico

29


O APÓSTOLO DOS J

MONGÓIS

ames Gilmour semeou a Palavra de Deus na Mongólia. Protegido por sua fé cristã, ele enfrentou a adversidade, a solidão e um sem-fim perigos em seu afã de difundir as boas novas do Senhor. Harlan Beach

Nos meados de 1870, um jovem escocês que tinha sido enviado para a China pela Sociedade Missionária de Londres chegou a Pequim para pregar a Palavra de Deus. Depois de poucas semanas aconteceu um massacre que teve como vítimas treze crentes franceses, o que foi o prelúdio de um estouro geral de ódio contra os estrangeiros. Em vez de fugir, o pregador, chamado James Gilmour, decidiu permanecer em território chinês e procurou a forma de compartilhar as boas novas entre os mongóis.

PRIMEROS PASSOS James, nascido em 12 de junho de 1843, foi o terceiro filho de James e Elizabeth Gilmour, um casal de evangélicos piedosos que o educaram sob os preceitos do cristianismo. Nesse sentido, o missionário escutou várias histórias sobre missionários no seio familiar. Deste modo, plantou-se nele o desejo que o levou a espalhar o Evangelho. Além disso, em sua infância recebeu uma rigorosa educação nas cidades de Cambuslang e Glasgow. Em 1862, depois de acabar seus estudos escolares, Gilmour ingressou na Universidade de Glasgow, onde destacou como um aluno brilhante em literatura grega, latina e inglesa. Universitário diligente, ele costumava passar muitas horas na biblioteca e jamais desperdiçou seu tempo em ocupações banais. Homem de fé, sua prematura formação cristã o levou a se converter em seu primeiro ano de vida universitária. Então, estudou a Bíblia e se rendeu perante os pés de Cristo. Partidário do serviço missionário, James se candidatou à Sociedade Missionária de Londres para ser admitido como pregador no final de 1867. Após ser aceite, foi enviado ao Cheshunt College, a instituição teológica mais antiga de Cambridge, com o objetivo de afiançar seus conhecimentos sobre o credo do Senhor. Ali, a 22 quilômetros de Londres, afirmou seu interesse pela evangelização dos não convertidos e começou a difundir as Sagradas Escrituras em serviços noturnos. MISIONÁRIO MUNDIAL 30 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia


heróis da fé

Na superfície do que um dia foi o Império Mongol, o segundo mais extenso da história, James Gilmour seguiu o exemplo de Jesus e se tonou curador de doentes. Em sua tenda, que era sua moradia e templo pessoal, os afetados por algum mal encontravam os remédios necessários para paliar suas dores.

EVANGELIZADOR INTRÉPIDO Depois de se preparar no Cheshunt College, James Gilmour ingressou em setembro de 1869 no seminário missionário da zona de Highgate, um área do norte de Londres, para prosseguir com seu treinamento espiritual. Atraído pela divulgação da Palavra na China, começou a estudar chinês de maneira simultânea a sua formação cristã. Ao mesmo tempo, dedicou grande parte de seus dias a transmitir a mensagem de Deus em diversas artérias e pontos da capital da Inglaterra. Posteriormente, os diretores da Sociedade Missionária de Londres decidiram enviá-lo para a Mongólia. Cheio de uma fé enorme e com muitos sonhos, partiu do porto de Liverpool em 22 de fevereiro de 1870. Naquele momento, o missionário escocês se transformou no líder espiritual da embarcação na qual navegava. Servo fiel do Senhor, James se dirigia à tripulação todas as noites e lhe falava sobre o poder transformador do Criador e da salvação. Em 18 de maio de 1870, James chegou a Pequim, a capital da China, um mês antes de seu aniversário número 27. Um mês depois de sua chegada, aconteceu o massacre de Tientsin, um violento incidente no qual pereceram treze crentes e várias igrejas foram incendiadas, o que marcaria o rumo de seu trabalho missionário em solo chinês. Consagrado à oração, optou por não abandonar sua tarefa e se dedicou com esmero a aprender a língua local por um período de três meses. MISSIONÁRIO TENAZ Guiado por Deus, Gilmour se aventurou no deserto de Gobi, situado entre o norte da China e o sul da Mongólia, para levar o Evangelho aos povos nômades dessa região, considerada a zona desértica mais importante do mundo. Nas planuras da Mongólia difundiu o cristianismo aos nativos, aprendeu sua língua, adotou sua indumentária, viveu em suas tendas, consumiu sua comida, fez todo o possível para se tornar um deles e lhes falou de sua fé. A primeira viagem de James por terra mongol, realizada em companhia de um oficial russo que não sabia inglês, levou-o de Pequim a Kyakhta, cidade russa localizada na fronteira siberiana, na qual ingressou depois de 54 dias de travessia. A partir desse momento, e até 1882, passou os verãos com os nômades mongóis. Deste modo, teve a oportunidade de estudar e analisar seus costumes e se compenetrar com sua cultura. Além disso, entendeu suas crenças religiosas.

Maio 2017 / Impacto evangélico

31


Na superfície do que um dia foi o Império Mongol, o segundo mais extenso da história, James Gilmour seguiu o exemplo de Jesus e se tonou curador de doentes. Em sua tenda, que era sua moradia e templo pessoal, os afetados por algum mal encontravam os remédios necessários para paliar suas dores. No entanto, sua predisposição para atender os mongóis não lhe permitiu inocular o Evangelho em seus corações. Contudo, tinha a certeza de que se entregariam a Deus.

ENTRE OS MONGÓIS Na primavera de 1882, com a ideia de passar uma temporada de descanso devido a que sua saúde se encontrava enfraquecida, Gilmour regressou à Inglaterra em companhia de sua esposa, Emily Prankard, com quem tinha se casado em 8 de dezembro de 1874. De volta em casa, defendeu seu trabalho evangelizador na Mongólia e brindou seu testemunho em diversos templos. Além disso, em abril de 1883 publicou um livro sobre seu trabalho missionário, entre os mongóis, que teve grande acolhida. Com a certeza renovada, o servo do Senhor retornou a Pequim em 14 de novembro de 1883. Imediatamente, começou uma longa viagem pela Mongólia, onde encontrou seu primeiro convertido. Foi em 1884, em uma cabana de barro no meio da planura; a esse lugar chegou um jovem mongol que decidiu deixar o budismo e se unir ao cristianismo. Tratava-se de um garoto que não teve medo de afirmar que Cristo era seu Salvador. Depois, ambos viajaram juntos até um lugar solitário no qual oraram. Durante mais de cinco anos, James se dedicou a se deslocar pela Mongólia, curar doentes e pregar a Palavra do Todo-Poderoso. Segundo sua própria confissão, em sua campanha missionária com maior sucesso atendeu cerca de 6000 pacientes e falou sobre o Evangelho a mais de 24 000 pessoas. Amparado pelo Senhor, naquela expedição espiritual que durou oito meses distribuiu 4500 folhetos evangélicos e viajou mais de 3000 quilômetros. TRABALHO EXEMPLAR Este pregador aventureiro viveu muitas experiências no transcurso de seu trabalho evangelizador. Em suas viagens esteve exposto constantemente ao frio de uma terra onde o termômetro cai em inverno a 30 ou 40 graus Celsius abaixo de zero. Amiúde teve que suportar longos períodos de fome e sede quando caminhava como um errante no meio do deserto. Ele considerava essas situações parte do trabalho diário e nas crônicas de seu diário as registrava como simples fatos. Gilmour seguiu Jesus Cristo na adversidade, na solidão, em um sem-fim de perigos e sob todas as formas de dificuldade MISIONÁRIO MUNDIAL 32 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia

imagináveis. Sua resistência sempre foi enérgica. Com grande paciência, semeou a fé nas montanhas, os vales e a planície mongol. Em seu momento, seu afinco foi reconhecido mesmo pelos mongóis mais duros e indiferentes ao Senhor. Em suas tarefas diárias, nunca deixou de afirmar que “em seu devido tempo


heróis da fé

Deus colherá almas na Mongólia”. James Gilmour, conhecido como o apóstolo dos mongóis, faleceu em 21 de maio de 1891 na cidade de Tientsin, a 112 quilômetros ao sudeste de Pequim, vítima de uma mortal febre tifoide. Quando seu decesso foi conhecido em território mongol,

um grande número de adultos choraram como crianças ao saber que “seu Gilmour estava morto”. Sua árdua existência deixou um legado permanente que até hoje acompanha os missionários que pregam a Palavra ao redor do planeta.

Maio 2017 / Impacto evangélico

33


A TRISTE INFÂNCIA DE A

SABINA

pelou à feitiçaria como uma forma de escapar do sofrimento que lhe deixou uma agressão sexual na infância. No entanto, longe de experimentar tranquilidade, sentia mais angústia, até que uma mulher apareceu em sua vida e lhe ensinou o caminho da paz. Susan Amau Villanueva Foto: Archivo Familiar

Certa manhã de 1996, uma menina de seis anos entrou em uma casa na cidade de Baden AG, Suíça. Com a inocência própria de sua idade, aquela pequena não sabia que ingressava na moradia de uma feiticeira. Seus pais a levavam da mão, com os rostos preocupados com os problemas econômicos que a família atravessava há tempo. Desse modo, Sabina Afonso Santos Funez teve o primeiro contato com o ocultismo que durante os anos posteriores lhe traria tanta angústia e sofrimento, até fazer com que pense na morte como solução a seu drama. A história de sua família começa nos princípios da década dos 90, quando a crise econômica agoniava Portugal, havia desemprego e muitos jovens tiveram que abandonar o país em busca de um futuro melhor. Cada um por seu lado, José Antonio Pinto dos Santos e Maria Ascenção Lourenço Afonso Santos migraram para a Suíça. Ali se conheceram e formaram uma família. Sabina foi a mais velha das filhas e viveram vários anos de plena felicidade. Quando Sabina tinha quatro anos, seus pais alugaram uma loja para vender produtos de sua cidade natal. Tudo ia bem, até que um embusteiro, amigo de seu pai, roubou-lhes o negócio e a loja fracassou. A crise afetou a família, que procurou a solução na feitiçaria e no candomblé de uma brasileira. Ao pouco tempo, aquele casal foi convencido a participar de uma seita satânica. Suas menores filhas, Sabina (6) e Mery (4), receberam uma joia como símbolo de união à seita. Mas nada melhorou, os problemas financeiros e a fome continuaram agoniando a família.

A AGRESSÃO Devido às fortes perdas e sem um sustento para o lar, Sabina e sua irmã foram enviadas para Portugal, para a casa de uma irmã de sua mãe. Mas antes que elas viajassem, a feiticeira tentou comprar Sabina MISIONÁRIO MUNDIAL 34 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia


historias de vida

Maio 2017 / Impacto evangĂŠlico

35


para usá-la como oferenda à obscuridade, propôs uma forte quantidade de dinheiro. Apesar de que a situação era crítica, os pais não aceitaram. Ambas as meninas chegaram à casa da tia e começaram a viver um verdadeiro calvário. As meninas sentiam saudades de seus pais e choravam todos os dias. Sabina, que só tinha sete anos então, sentia que o cuidado da irmã menor era muita carga para ela. Foi ali que algo terrível aconteceu. Um familiar a agrediu sexualmente e marcou sua vida. Ela nunca falou porque foi ameaçada de morte e sofreu em silêncio o dano causado por aquele adulto desalmado que não respeitou sua inocência. Depois de um ano, os menores retornaram à Suíça. Sabina estava diferente. A menina brincalhona, amorosa e divertida com seus pais não existia mais. Observava com rancor as pessoas e não queria falar com ninguém. Era uma menina atormentada. Brigava constantemente com suas irmãs e não estava tranquila até ver o sangue. Seus pais, preocupados com sua reação, chamaram um sacerdote, mas não serviu de nada. Seu pai se tornou um alcoólico violento. Agredia suas filhas e esposa até marcá-las no corpo. Esta violência piorou a condição de Sabina, que começou a pensar no suicídio. MISIONÁRIO MUNDIAL 36 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia

Mas antes que elas viajassem, a feiticeira tentou comprar Sabina para usá-la como oferenda à obscuridade, propôs uma forte quantidade de dinheiro. Apesar de que a situação era crítica, os pais não aceitaram. DESEJO SUICIDA Aos doze anos, Sabina era uma adolescente com muito rancor. Ressentida com seus pais e com as pessoas que a rodeavam. Sentia que não tinha nada que fazer neste mundo e decidiu se suicidar. Tomou dezenas de comprimidos para provocar sua morte. Sua tentativa não funcionou. Ela culpava seus pais dos traumas produzidos pela agressão. Os fantasmas de sua infância a agoniavam e, por isso, ela tentou se suicidar pela segunda vez. Na escola à qual assistia, escutou de um adolescente que morreu por comer erva, por isso o tentou desse modo, mas também fracassou. Seu afã de deixar de viver uma vida miserável em um lar destruído a converteu em breve em uma viciada.


historias de vida

Seus pais, cansados de seguir no mesmo lugar, compraram uma casa em um povo chamado Chepeny, ao qual se mudariam. A rebeldia de Sabina cresceu ainda mais ao considerar que perderia as poucas amizades que tinha conseguido em sua vida. –A escola era como minha casa e minha casa era como o inferno – lembra ela. Ela afirmava que suportar as brigas de seus pais era lamentável, e a ideia de deixar o pouco que tinha na vida, desanimou-a completamente. Apesar disso, Sabina pensou que a mudança poderia favorecer o trato entre seus pais, mas nada mudou. Sua mãe tinha um casamento infeliz e seus problemas a levaram a se refugiar novamente na bruxearia. Aos 17 anos de idade, Sabina e sua mãe tomaram aulas de ocultismo para se tornar seguidoras do mal. Por um tempo lhes foi outorgado um suposto poder para curar. Sem saber, com isso vendiam sua alma à mais profunda obscuridade. Uma noite enquanto ela dormia, um sujeito de preto a tomou do peito e a arrastou até cair da cama. “Um sonho ou uma realidade?” – perguntou-se Sabina, mas a verdade era que havia mais vinte sujeitos

no quarto que a tomaram dos braços e não a soltariam até levá-la. Apesar de seus esforços, ninguém escutava seus gritos. Foi então que ouviu uma voz. –Você se lembra das orações que fazia para mim? – escutou claramente. As palavras lhe chegaram até a alma e se lembrou das orações que pronunciava quando era menina. Começou a orar. De repente, um anjo de cabelo como o ouro mais fino, vestimentas brancas e brilhantes e de luz inigualável, desceu com uma espada e eliminou todos os males. Não podia acreditar. Ao acordar contou a sua mãe o que aconteceu, mas ela não cria. A experiência foi esquecida rapidamente por Sabina e continuou com os ritos satânicos. Existia uma atração tão forte que não a deixava se retirar em paz. A cada vez que tentava se afastar, voltava com mais força, como atraída por um ímã. Em sua casa, as coisas continuavam iguais. Seu pai chegava a cada vez mais bêbado e havia mais violência no lar. Um dia, sua mãe foi golpeada com tanta fúria que Sabina interveio e, em seu afã de defendê-la, tentou golpear seu pai. Estava en-

Maio 2017 / Impacto evangélico

37


Permaneceu nesse lar por três anos e acabou sua carreira. Quando tornou a casa de visita, notou que seus pais tinham mudado, então pensou que tinha sido efeito da oração. Mas essa mudança não era suficiente... louquecida, tomou uma almofada e se encerrou no porão, em plena escuridão. Mais uma vez pensou em se matar, e tentava se afogar com a almofada quando foi interrompida por alguém que posou sua mão sobre seu ombro e lhe disse: –Não faça isso. Então, a garota sentiu uma profunda paz, tão intensa que esqueceu o que tentava fazer nesse momento.

ENCONTRO COM O SENHOR Sabina fugiu de casa, decidiu estudar enfermaria e no centro de estudo conheceu um pastor, a quem começou a contar seus problemas. Aquele homem se solidarizou com a jovem e lhe conseguiu um lugar onde morar temporalmente. Era a casa de um diácono de uma igreja reformada. Um lar completamente diferente. Eles a acolheram com carinho e lhe ensinaram a orar com devoção. Desde então orava ferventemente por seus pais. Permaneceu nesse lar por três anos e acabou sua carreira. Quando tornou a casa de visita, notou que seus pais tinham mudado, então pensou que tinha sido efeito da oração. Mas essa mudança não era suficiente. Apesar de que Sabina tinha deixado os vícios, ainda a dor e o ressentimento eram grandes obstáculos em seu coração. Por trabalho se mudou à cidade de Basileia. Conheceu muitas pessoas, entre elas Maria, a irmã de um amigo que era cristã, que a levou a sua igreja, mas não gostou. Não sentia o que estava procurando: a presença de Deus. Maria ao ver a incomodidade de Sabina a levou a uma igreja que conhecia de vista. Desde antes de ingressar, Sabina escutou anjos cantar, e quando ingressou sentiu que a glória de Deus cobria o lugar, pelo que rendida caiu aos pés de Cristo perante o altar. Foi o ano 2013 em que decidiu mudar. Sabina deixou tudo atrás. Cristo o Senhor lhe deu a paz e o amor que ela procurava. Sabina se entregou completamente aos braços de Deus e em maio de 2014 se batizou em Genebra. Ao ver a mudança, seus pais se perguntavam que tinha feito a igreja com ela, mas Sabina só tinha uma resposta: “Cristo me mudou”. A vida tormentosa da jovem se tornou paz. Seu afã de servir ao Senhor a levou ao estudo profundo da Palavra de Deus. Havia uma chama missionária que ardia em seu coração. Tornou-se uma fiel seguidora de Cristo e andou por onde seu pastor lhe dizia. Meses depois conheceu Germán Isaac Funez, de El Salvador, um jovem que chegou à Suíça só por quatro meses, para ensinar música aos irmãos da igreja. Germán permaneceu e foi levantado como pastor. Casou-se com Sabina em 2015 e ambos servem na Obra do Senhor em Berna. Têm uma filha, Eunice, a luz de seus olhos. MISIONÁRIO MUNDIAL 38 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia


historias de vida

Maio 2017 / Impacto evangĂŠlico

39


VEM

O FIM “Agora vem o fim sobre ti, e enviarei sobre ti a minha ira, e te julgarei conforme os teus caminhos… Vem o fim, o fim vem, despertou-se contra ti; eis que vem… ó habitante da terra… chegado é o dia da turbação, e não mais o sonido de alegria... derramarei o meu furor sobre ti… porei sobre ti todas as tuas abominações… nem terei piedade de ti… Vem o tempo, é chegado o dia… Fora está a espada, e dentro a peste e a fome… A sua prata lançarão pelas ruas, e o seu ouro será removido; nem a sua prata nem o seu ouro os poderá livrar no dia do furor do Senhor… porque a terra está cheia de crimes de sangue, e a cidade está cheia de violência… Vem a destruição; eles buscarão a paz, mas não há nenhuma… conforme o seu caminho lhes farei, e conforme os seus merecimentos os julgarei; e saberão que eu sou o Senhor.” Ezequiel 7. Rev. Luis M. Ortiz

Nosso maravilhoso Salvador Jesus Cristo também fustigou duramente o pecado de sua geração (Mateus 23:13-38). “Não vedes tudo isto? Em verdade vos digo que não ficará aqui pedra sobre pedra que não seja derrubada.” (Mateus 24:2). E depois desta grande advertência de seguro julgamento divino sobre a terra e seus moradores, os discípulos se aproximaram dele dizendo: “Dize-nos, quando serão essas coisas, e que sinal haverá da tua vinda e do fim do mundo?” (Mateus 24:3). É então que o Mestre entra nesse grande Sermão profético do capítulo 24 de Mateus, no qual não nos diz a data exata destes julgamentos e calamidades que virão sobre a terra e seus moradores, nem nos diz o dia e a hora exatos para levantar sua Igreja; nem quando será sua segunda vinda a este mundo, na qual virá julgar as nações, dar o justo pagamento aos que não obedeceram a Deus. Descreve-nos, no entanto, com detalhes precisos o tempo destes julgamentos e de sua vinda; e nos explica claramente as condições prevalentes no mundo, os acontecimentos que haverá no mundo, e os sinais morais, sociais, políticos, religiosos, físicos, científicos que terão lugar no mundo nos dias imediatos ao fim desta idade. Assim como os profetas antigos falaram muito acerca do fim, também nosso Senhor Jesus Cristo, o maior de todos os profetas, com conhecimento perfeito e preciso, falou amplamente acerca dos dias do fim. O Senhor Jesus Cristo menciona os dias do fim quinze vezes, nos quais transcorre o velo do tempo e nos oferece as cenas do tempo de sua vinda e do fim desta idade. O Senhor diz que nos dias do fim haverá muitos enganadores, guerras, revoluções, nação contra nação, e reino contra reino, pestes, fomes e terremotos. Este funesto trio de calamidades: doenças, fome e terremotos aumentarão conforme o fim se aproximar. Todos se entregarão, se trairão e se matarão uns aos outros. E hoje, pelo diabólico Espírito do materialismo ateu, filhos que entregam os pais e vice-versa, se tracionam MISIONÁRIO MUNDIAL 40 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia


devocional

uns aos outros, e se assassinam uns aos outros; irmãos contra irmãos se enviam à forca e ao paredão. Também o Mestre, como em um parêntese de graça, no meio do pandemônio desses dias, disse: “E este evangelho do reino será pregado em todo o mundo, em testemunho a todas as nações, e então virá o fim” (Mateus 24:14). O Senhor retoma sua mensagem apocalítica para os dias do fim falando de uma “grande aflição, como nunca houve desde o princípio do mundo até agora, nem tampouco há de haver” (Mateus 24:21). E adiciona: “E, se aqueles dias (do fim) não fossem abreviados, nenhuma carne se salvaria; mas por causa dos escolhidos serão abreviados aqueles dias” (Mateus 24:22). Adverte novamente o Mestre, em Mateus 24:24, sobre a caravana de “falsos cristos, e falsos profetas” que se levantarão nos dias do fim, e mesmo “farão tão grandes sinais e prodígios que, se possível fora, enganariam até os escolhidos”. Amigos meus, e já a figueira Israel está cheia de renovos, e mais que de renovos, de frutos. Israel, que durante milênios não era nação, que por castigo a seu incredulidade, desde o ano 1948 já é nação. “Aprendei, pois, esta parábola da figueira: Quando já os seus ramos se tornam tenros e brotam folhas, sabeis que está próximo o verão. Igualmente, quando virdes todas estas coisas, sabei que ele está próximo, às portas.” (Mateus 24:32, 33). Reverdeceu a figueira e está cheia de frutos, e o Senhor Jesus Cristo afirma que quando Israel reverdecesse sua vinda e o fim desta idade estariam próximos. “E Jerusalém será pisada pelos gentios, até que os tempos dos gentios se completem” (Lucas 21:24). Nosso Senhor também disse que nos dias do fim a cidade de Jerusalém seria livrada do poder dos gentios, e já Jerusalém está governada pelos próprios judeus. E para que tenhamos certeza do Senhor adiciona sinais que haveria na moral da humanidade para os dias do fim. O Senhor compara estes dias com os dias antes do dilúvio, eram dias de bebedeira, de delinquência, crime, roubo, assaltos, inseguridade, corrupção, adultério, fornicação, infidelidade conjugal, divórcios, recasamentos, luxúrias, orgias sexuais, homens vestidos de mulher, e mulheres vestidas de homens, homossexualismo, lesbianismo, indecência, nudismo. “E, como foi nos dias de Noé, assim será também a vinda do Filho do homem. Porquanto, assim como, nos dias anteriores ao dilúvio, comiam, bebiam, casavam e davam-se em casamento, até ao dia em que Noé entrou na arca, e não o perceberam, até que veio o dilúvio, e os levou a todos, assim será também a vinda do Filho do homem” (Mateus 24:37-39). Amigos meus, e isso também está presente hoje, isso já é demasiado palpável, é outro sinal dos dias do fim. E aqui o Senhor adverte da seguinte maneira: “Vigiai, pois, porque não sabeis a que hora há de vir o vosso Senhor… Por isso, estai vós apercebidos também; porque o Filho do homem há de vir à hora em que não penseis” (Mateus 24:42-44).

Maio 2017 / Impacto evangélico

41


ATENTANDO

PARA O SENHOR “O que cuida da figueira comerá do seu fruto; e o que atenta para o seu senhor será honrado”. Provérbios 27:18 Rev. Álvaro Garavito

Ninguém pode ir recolher fruto de uma planta que não cuidou; não deve só semeá-la, também deve protegê-la dos insetos, das pragas, deve adubá-la, deve lhe colocar boa terra, deve cercá-la para protegê-la dos depredadores; o que a cuida comerá de seu fruto. Além disso, o que atenta para seu Senhor será honrado; se atentarmos para nós, ninguém vai nos honrar. Deve deixar de lado as coisas terrenas, e se as tiver, use-as para a glória de Deus. Desfrute da vida, no marco e os parâmetros dos santos, faça uso de seus direitos, mas não coloque seu coração nisso, não coloque seus interesses. Muitos homens foram à tumba decepcionados porque se desesperaram e se desvelaram; não comiam nem dormiam por o bemestar de sua família. Por isso, nossos interesses devem ser o Senhor e o que respeita sua Obra. Contemplemos e lutemos por engrandecer sua Obra, por colocar o coração, a mão, a mente, o patrimônio, tudo o que podamos. O que atenta para seu Senhor será honrado; se você se preocupar, se desvelar pelo Senhor, Ele vai nos honrar. Em sua Palavra, Deus diz: “Aos que me honram honrarei, porém os que me desprezam serão desprezados” (1 Samuel 2:30). Quantas vezes de joelhos nos altares dissemos ao Senhor: “Senhor, eu quero fazer isso por você, mas não tenho dinheiro, não tenho ferramentas, não tenho nada”, mas o que honrou Deus, também foi abençoado por Ele; o Senhor nos deu tantas coisas porque colocamos os interesses do Senhor acima dos nossos e Ele se encarregará de respaldar sua Palavra, essa bênção nos alcançará em qualquer lugar. Somos administradores do que possuímos. “Além disso requer-se dos despenseiros que cada um se ache fiel” (1 Coríntios 4:2). “Requer-se dos despenseiros”, e note que não envolve a congregação, mas “que cada um”. Na congregação onde o Senhor lhe permite se congregar, houve alguma vez uma preocupação de dizer ao pastor: “Veja, eu quero que levantemos esta parede”, mas não dê ordens prepotentemente e diga: “Aqui está o cheque” ou “pastor, isso é inservível. Venda-o, envie um guindaste, mas aqui está minha ajuda para que isto melhore”; porque há pessoas que dão ordens, mas impositivamente, fala, critica e murmura, mas não há ação. MISIONÁRIO MUNDIAL 42 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia

Vejamos agora na parábola da figueira estéril, lemos: “Um certo homem tinha uma figueira plantada na sua vinha, e foi procurar nela fruto, não o achando; e disse ao vinhateiro: Eis que há três anos venho procurar fruto nesta figueira, e não o acho. Corta-a; por que ocupa ainda a terra inutilmente? E, respondendo ele, disse-lhe: Senhor, deixa-a este ano, até que eu a escave e a esterque; e, se der fruto, ficará e, se não, depois a mandarás cortar” (Lucas 13: 6-9). Na Igreja há crentes que não querem responsabilidades, que não têm compromissos com ninguém. O que fazem ali então? É uma erva que não dá fruto e que está comendo os nutrientes da terra. O dono da vinha como o Deus a quem servimos, e o vinheiro como o Espírito Santo. O dono da vinha diz ao vinheiro: “Veja, há três anos eu venho a este templo para procurar frutos no irmão e na irmã, e encontro só folhos, fofoca, pleitos, ciúmes, contendas, invejas, roubo, rapina, desejos de adulterar, desejos de fornicar, mas não vejo frutos de nenhum tipo”. O Senhor está dizendo: “Veio procurar fruto e sempre encontro tudo igual; rebelde, desobediente, abusivo, murmurador, falador, perigoso; eu lhe aconselho, e continua igual”. Mas o vinheiro, como o Espírito Santo, diz ao dono da vinha: “Espere outro ano; se dar fruto, bem. Glória a Deus porque deu fruto! Eu vou aboná-la, vou tirar a erva, vou fumigá-la, vou lhe dar outros conselhos, se não dar fruto, Senhor, corte-a!”. Amado, se não dar fruto tenha certeza de que o Senhor endurecerá seu coração e você não sentirá mais nenhum desejo de ir à igreja e vai se perder, porque Deus lhe deu uma grande oportunidade. O Senhor quer que você dê frutos, que tenha novos galhos e novas flores, para engrandecer a Obra de Deus. Amém.


devocional

Maio 2017 / Impacto evangĂŠlico

43


Um relatório superficial do trabalho que a Obra do Movimento Missionário Mundial desenvolve pelos caminhos da América e ao redor do mundo. A Santa Bíblia diz: “E, perseverando unânimes todos os dias no templo… E todos os dias acrescentava o Senhor à igreja aqueles que se haviam de salvar.” Atos 2:46, 47.

O Movimento Missionário Mundial do Peru realizou em 10 de abril um evento massivo no qual 2085 pessoas foram batizadas em águas e consolidaram sua união com Jesus Cristo. Na cerimônia, que se efetuou nas instalações do centro de recreações CERTSE FAP, localizadas no sul MISIONÁRIO MUNDIAL 44 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia

UM ATO DE FÉ E

m Lima mais de duas mil pessoas foram batizadas em cerimônia massiva realizada pelo MMM do Peru.


evento

da cidade de Lima, este grande grupo de fiéis, formado por homens e mulheres de diferentes idades, selou seu ingresso à Obra de Deus e optou por seguir o caminho do Evangelho. A festa espiritual, que foi presenciada por uma multidão de crentes, foi presidida

pelo Rev. Luis Meza Bocanegra, Oficial Internacional da Obra de Deus e Supervisor Nacional do MMM do Peru, que esteve acompanhado pelos principais líderes da congregação local. O Rev. Meza salientou que é muito importante cumprir o mandato do Senhor. Além disso, exortou os que

ainda não se batizam a perseverarem na fé. Durante o ato, o Rev. Bernardo Neira, Vogal da Junta Nacional do MMM do Peru, foi o encarregado de pregar a Palavra do Todo-Poderoso. Apoiado em Mateus 28:1720, o pastor Neira afirmou que “é importante fazer este ato de fé. No futuro, provavelmen-

Maio 2017 / Impacto evangélico

45


te, você seja o próximo discípulo de Jesus Cristo. Se decidiu morrer para o mundo, faça isso com uma convicção verdadeira. Não só para hoje, mas para sempre e seja o homem ou a mulher que Deus usará no futuro”.

TESTEMUNHOS DE FÉ Entre os mais de dois mil batizados houve histórias de amor ao Senhor que comoveram os presentes. Um desses testemunhos foi o de José Aguilar Ríos, um crente surdo que se mobiliza mediante cadeia de rodas, que passou pelas águas batismais aos 97 anos de idade. O ex-oficial da Força Aérea do Peru (FAP) recebeu com beneplácito o sacramento estabelecido por Deus. Agora, ele espera compartilhar as boas novas até que o Salvador o chame. Entre outras, uma seguidora de Cristo MISIONÁRIO MUNDIAL 46 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia


evento Fotos: Roberto Guerrero e Allison Alcántara

que chamou a atenção foi Victoria Rodríguez Anderson. Aos 81 anos de idade e uma existência dedicada a ajudar os pacientes de hospitais públicos, Victoria entregou sua vida a Jesus com o objetivo de se tornar sua porta-voz entre os doentes. Do mesmo modo, a adolescente Marianela Valverde Tejada, de quinze anos, conseguiu ser batizada depois de lutar durante dois anos contra a oposição de seus pais. Sob um resplandecente sol, mais de cinco mil pessoas provenientes de diferentes lugares de Lima, presenciaram a cerimônia que durou cerca de três horas e cujo maior momento de emotividade foi quando os batizados louvaram em uníssono a Deus. Deste modo, a Obra do Senhor continua colhendo almas para o rebanho de Cristo em território peruano.

Maio 2017 / Impacto evangélico

47


O EVANGELHO CHEGOU ÀS

TRIBOS INDÍGENAS O Movimento Missionário Mundial da Colômbia levou a Palavra aos povos nativos estabelecidos na bacia do rio Vaupés.

O Movimento Missionário Mundial da Colômbia, segundo o estabelecido pelo Senhor, cumpriu a difusão do Evangelho de Deus entre as comunidades indígenas cubeo estabelecidas ao longo da bacia do rio Vaupés e chegou até a localidade de Puerto Edén, onde anunciou as boas novas de 1 a 4 de março. No meio da selva colombiana, com a presença de líderes, pastores e membros das igrejas levantadas nas povoações nativas desta zona, o acontecimento impulsionado pelo MMM da Colômbia gerou uma reação positiva entre os indígenas MISIONÁRIO MUNDIAL 48 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia

não convertidos, que escutaram com atenção a mensagem dos seguidores de Jesus Cristo sobre os planos do Senhor para a humanidade. A atividade da Obra de Deus incluiu diversas ações orientadas a impulsionar o Evangelho de Deus e a divulgar as Santas Escrituras. Além disso, em cada jornada foram expostos numerosos temas cristãos para a família, os jovens crentes, os missionários e os líderes da igreja. Além do mais, salientou-se a importância de ser cheio do Espírito Santo, como indica o livro de Atos 1:8. O Rev. Eduard Sánchez, presbítero desta zona, foi o encarregado de liderar as quatro jornadas. Em companhia de um grupo de pastores indígenas do Movimento Missionário Mundial da Colômbia, o pastor Sánchez pregou a Palavra do Todo-Poderoso e evangelizou o povo cubeo.

Fotos: Eduard Sánchez


evento

Maio 2017 / Impacto evangĂŠlico

49


IDE POR TODO O

MUNDO E PREGAI

M

embros do Movimento Missionário Mundial de Porto Rico desenvolveram jornada evangelística no povo de Juncos, localizado na zona leste da Ilha do Cordeiro. O dia 25 de março foi especial para o povo porto-riquenho de Juncos, localizado na parte leste do país caribenho, devido a que recebeu a visita de um grande número de membros do Movimento Missionário Mundial de Porto Rico, que pregaram o Evangelho de Deus. A atividade evangelizadora se realizou no Residencial Público Narciso Varona. Com cartazes, tratados, testemunhos e exemplares da revista “Impacto Evangelístico”, compartilhou-se as boas novas do Senhor. Damas, jovens, cavalheiros e crianças se uniram como um único homem para MISIONÁRIO MUNDIAL 50 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia

cumprir o mandato do Salvador: “Ide por todo o mundo, e pregai o Evangelho”. Porta após porta, o grupo de crentes proclamou a salvação por meio de Jesus Cristo e orou por aquelas pessoas que reconheceram a necessidade de ter Cristo em suas vidas. Pela manhã, os seguidores de Jesus se reuniram no parque Felipe Díaz Torres para celebrar um culto, que serviu para testemunhar o avanço da Obra do Senhor em Porto Rico. Além disso, a atividade contou com a presença de profissionais da saúde, que ofereceram atenção médica aos habitantes do Residencial Público Narciso Varona. Horas mais tarde, antes do anoitecer, o irmão Luis Lebrón, apoiado em Mateus 7:13-14, transmitiu a mensagem do Senhor. Em sua intervenção, denominada “Certeza”, o servo do Senhor salientou que a segurança nas promessas de Jesus Cristo é a qualidade que o crente tem. Além disso, Lebrón testificou como sua existência foi transformada por Deus.

Fotos: Grabaciones Impacto


evento

Maio 2017 / Impacto evangĂŠlico

51


RESTAURANDO AS RESPONSABILIDADES DO

HOMEM CRISTÃO

O

MMM do Brasil organizou sua VI Convenção Nacional de Cavalheiros na cidade de Manaus, o coração da Selva. A cidade de Manaus, capital do estado brasileiro do Amazonas, abrigou de 24 a 26 de março a VI Convenção Nacional de Cavalheiros do Movimento Missionário Mundial do Brasil. O evento, que foi organizado sob o lema “Restaurando as responsabilidades do homem cristão”, reuniu um grande número de seguidores de Jesus Cristo da região norte do território brasileiro. Após o fim da festa espiritual, os organizadores da VI Convenção Nacional de Cavalheiros do MMM do Brasil salientaram que a atividade da Obra de Deus foi uma enorme bênção para a comunidade cristã estabelecida em Manaus. Além disMISIONÁRIO MUNDIAL 52 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia


evento

so, agradeceram a grande participação dos irmãos das diferentes igrejas desta localidade situada no seio da maior floresta tropical do mundo. Durante os três dias da convenção, a exposição da Palavra de Deus esteve a cargo de um grupo de fiéis de Manaus que

teve a honra de evangelizar o povo do Senhor. Com prédicas e mensagens que abordaram diferentes pontos do Evangelho do Criador, os servos do Todo-Poderoso compartilharam as boas novas de Cristo. Deste modo, a cidade mais povoada da Amazônia brasileira foi sede da

VI Convenção Nacional de Cavalheiros do Movimento Missionário Mundial do Brasil, na qual se falou acerca dos compromissos assumidos pelos homens que servem diariamente ao Senhor. Além disso, manifestou-se que Deus é o único salvador do mundo.

Maio 2017 / Impacto evangélico

53


CAMPANHAS EM

BARCELONA E TERRASSA

MISIONÁRIO MUNDIAL 54 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia


evento

O

Rev. José Soto, VicePresidente do MMM, compartilhou o Evangelho com os fiéis do Movimento Missionário Mundial da Espanha.

O Movimento Missionário Mundial da Espanha recebeu em 16 de março a visita do Rev. José Soto, VicePresidente Internacional da Obra de Deus e Supervisor Missionário da Europa, que pregou a Palavra do Senhor em uma campanha evangelística realizada na cidade de Barcelona, capital da comunidade autônoma da Catalunha, que graças ao servo de Deus foi impactada com as boas novas. Durante o evento, que começou com uma série de cânticos e louvores, o pastor Soto ofereceu uma prédica inspirada no livro de Génesis 27:15. Em sua mensagem, intitulada “Um lar distorcido” e que foi seguido com atenção pela paróquia, o ministro de Jesus Cristo refletiu acerca das famílias deformadas e salientou a importância de um lar dirigido e guiado por Deus. A campanha evangelística do MMM da Espanha serviu para reunir os crentes dos templos das cidades de Hospitalet, Terrassa, Girona, Mollerussa, Reus e Lleida. Foi uma multidão compacta que se reuniu para adorar e louvar o Senhor. Além disso, os membros espanhóis da Obra se alimentaram com a mensagem de Cristo. No encerramento da jornada, o Rev. Soto, acompanhado dos líderes do MMM de Barcelona, agradeceu aos presentes e salientou que Jesus é o único caminho para a salvação. Além disso, recebeu com beneplácito as almas que se aproximaram do altar para renovar sua fé em Deus e as famílias que se agruparam para dar graças ao Criador pelas bênçãos recebidas.

Maio 2017 / Impacto evangélico

55


NOVOS DISCÍPULOS

O

Movimento Missionário Mundial da Argentina realizou batismos nas Serras de Córdoba e compartilhou as boas novas. Como parte de sua missão evangelizadora, o Movimento Missionário Mundial da Argentina cumpriu o mandato estabelecido por Deus nas Sagradas Escrituras, que na passagem bíblica Mateus 28:19 indicam: “Portanto ide, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do FilMISIONÁRIO MUNDIAL 56 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia

ho, e do Espírito Santo”, e realizou em 7 de janeiro uma jornada de batismos na localidade de Anisacate, situada no departamento Santa María, província de Córdoba. Em Anisacate, que se encontra nas Serras de Córdoba, a Obra do Senhor estabelecida em solo argentino fez com que descesse às águas batismais um grupo de crentes que decidiu entregar suas vidas ao Todo-Poderoso e compartilhar as boas novas o resto de seus dias. O evento, no qual com grande júbilo se louvou e adorou o Criador, foi liderado pelo pastor Ramón Encina, presbítero

da Zona 5 do MMM da Argentina. Durante a realização do sacramento, os novos membros da Obra do TodoPoderoso foram submergidos para selar sua união com o Senhor. Depois, quando saíram convertidos em novas criaturas, eles se comprometeram a pregar o Evangelho e defender a sã doutrina impulsionada pelo Movimento Missionário Mundial. No final da jornada de batismos, os integrantes da congregação cordobense agradeceram aos presentes e afirmaram que a presença de Deus se faz mais evidente nas Serras de Córdoba.


evento

Maio 2017 / Impacto evangĂŠlico

57


NOVO TEMPLO NA

NOVA ZELÂNDIA

O

Movimento Missionário Mundial abriu nova igreja localizada na cidade de Hamilton. A Oceania está com o Senhor. O Movimento Missionário Mundial continua se expandindo nos cinco continentes. Nesta ocasião, a Obra do Senhor inaugurou em 17 de março um templo localizado na Oceania, na localidade de Hamilton, a quarta área metropolitana da Nova Zelândia, que foi aberto com a presença do Rev. Rodolfo González Cruz, MISIONÁRIO MUNDIAL 58 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia

Tesoureiro Internacional do MMM, que foi o responsável por pregar o Evangelho de Deus. A nova igreja está a cargo do pastor William García, de origem peruana, cujo maior objetivo será seguir o caminho estabelecido pelo Rev. Luis M. Ortiz, fundador do MMM, e difundir as boas novas no território neozelandês. Guiado pelo Senhor, este servo do Criador se comprometeu a lutar duramente pelas metas estabelecidas e manifestou que Deus se instalaria na Nova Zelândia em breve tempo. Durante sua participação, o pastor González, um dos líderes visíveis do Mo-

vimento Missionário Mundial, pediu a Jesus Cristo que enchesse de bênçãos o Rev. Garcia e faça da nova igreja de Hamilton uma congregação sólida. Além disso, o Rev. Rodolfo González salientou que a inauguração desta casa do Todo-Poderoso servirá para que novos fiéis entreguem suas vidas a Cristo. Deste modo, o MMM adicionou mais um lugar a nível mundial e consolidou sua presença na Oceania, onde atualmente está presente por meio de uma obra na Austrália, a cargo do Rev. Enoc Ramos, e do trabalho missionário realizado por uma equipe de pregadores de Jesus.


evento Fotos: Hector Montoya

Maio 2017 / Impacto evangĂŠlico

59


A PALAVRA DE DEUS

PERCORREU NÁPOLES O

MMM da Itália realizou uma jornada evangelística na cidade mais povoada do sul da península Itálica. Como parte dos trabalhos evangelizadores a favor do povo italiano, o Movimento Missionário Mundial da Itália realizou em 25 de março uma campanha evangelística na cidade de Nápoles, a localidade mais povoada do sul da Itália, na qual reuniu todas as igrejas da Obra de Deus situadas na zona austral da península Itálica. A jornada evangelizadora, que incluiu uma marcha pelas principais ruas napolitanas, foi liderada pelo Rev. Daniel Ortega, da igreja de Roma, e a irmã María Brito, do templo da MISIONÁRIO MUNDIAL 60 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia


evento Fotos: Maribel Gonzales

localidade de Ischia; bem como pelos irmãos Edison Analuisa, da Obra da cidade de Lavin; Richard Concha, do templo da localidade de Ancona, e Milton Baca, da Obra de Roma. A 227 quilômetros de Roma, o MMM da Itália conseguiu que a Palavra do Senhor percorresse as artérias mais destacadas desta cidade declarada Patrimônio da Humanidade pela UNESCO. Situada à beira do mar Mediterrâneo, Nápoles descobriu as boas novas através dos membros do Movimento Missionário Mundial. Graças ao trabalho realizado pelos membros da Obra de Deus, a mensagem do TodoPoderoso foi recebida com alegria pela povoação napolitana. Devido a isso, a campanha evangelística acabou com um culto no qual foram compartilhados os ensinamentos de Jesus Cristo e se falou acerca de seu poder infinito.

Maio 2017 / Impacto evangélico

61


JEOVÁ

SE LEMBROU DELA

O

Movimento Missionário Mundial da Bélgica levou a cabo sua III Confraternização de Damas na “Capital da Europa”. A cidade de Bruxelas, conhecida como a “Capital da Europa”, devido a que é a sede oficial das principais instituições do Velho Continente, foi cenário da III Confraternização de Damas do Movimento Missionário Mundial da Bélgica de 31 de março a 2 de abril. A festa espiritual reuniu, na capital belga, os crentes das cidades de Antuérpia e Bruxelas. Com a presença de delegações de cristãos provenientes da Holanda, Luxemburgo e Itália, o evento do MMM da Bélgica possibilitou que durante três dias o Senhor visitasse os seguidores estabelecidos em território belga. Além disso, a MISIONÁRIO MUNDIAL 62 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia


evento

Fotos: Eliezer Rivera

reunião, que se efetuou sob o lema “Jeová se lembrou dela”, serviu para congregar as damas cristãs, que se uniram em torno de Deus. Na III Confraternização de Damas do Movimento Missionário Mundial da Bélgica, as irmãs Ruth Paisible, da igreja da cidade holandesa de Tilburg; Rosanna Roggeband, do templo da localidade de Roterdã, e Brunella Cabrera, da igreja da cidade italiana de Florença, foram as encarregadas de compartilhar as boas novas do Senhor com as damas da Obra da Bélgica. Durante a atividade realizada pelo MMM da Bélgica, o Senhor fortaleceu seu rebanho e mostrou seu poder através de três jornadas cheias de fé nas quais se apreciaram diversas bênçãos para as participantes. Além disso, o Evangelho foi o centro desta reunião espiritual cheia de cantos e louvores destinados ao Criador.

Maio 2017 / Impacto evangélico

63


RETIRO DE

O

JOVENS E PASTORES

Movimento Missionário Mundial do Uruguai efetuou seu Retiro Anual de Jovens e Pastores com a presença especial do Senhor. O Movimento Missionário Mundial do Uruguai realizou, de 9 a 10 de março, seu Retiro Anual de Jovens e Pastores com a presença do Rev. Gerardo MISIONÁRIO MUNDIAL 64 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia

Martínez, Supervisor Missionário do Cone Sul da Obra de Deus, e sua esposa, a missionária Maritza de Martínez, que chegaram especialmente da República do Chile. Durante o Retiro de Jovens e Pastores, o Rev. Martínez, Supervisor Nacional do Movimento Missionário Mundial do Chile, e a missionária Maritza de Martínez tiveram a honra de pregar a Palavra de Deus e evangelizar os cren-

tes da congregação estabelecida em solo uruguaio. Ambos os servos do Senhor, transmitiram a mensagem do Criador. O Retiro de Jovens e Pastores do Movimento Missionário Mundial do Uruguai, além disso, permitiu que os membros da Obra do Senhor tivessem contato direto com a sã doutrina. Além do mais, o Evangelho cobriu os seguidores de Jesus Cristo que estiveram presentes nas jornadas do evento.


Outros Eventos

ÍNDIA Convenção em Panagudi

De 23 a 26 de março, o Movimento Missionário Mundial da Índia levou a cabo a Convenção de sua zona sul na cidade de Panagudi, localizada no estado de Tamil Nadu. O evento da Obra de Deus contou com a presença do Rev. Sam Jacob, Supervisor Nacional do MMM da Índia, que pregou a Palavra do Senhor aos seguidores de Jesus Cristo. Foram três jornadas intensas, nas quais se realizaram jejuns, diversos serviços e uma reunião de pastores. Também se realizou a inauguração de um novo templo.

MÉXICO Campanha Juvenil em Zona II

O Movimento Missionário Mundial do México realizou de 25 a 27 de janeiro uma Campanha Evangelística na localidade de Galeana Morelos, da Zona II, que esteve a cargo da irmã Alejandra Altamirano. O evento, que se efetuo sob o lema “Que quereis que vos faça?”, contou com a presença do Rev. Dariel Rojas, presbítero da Zona II do MMM do México, a irmã Yajaira Mendoza e outros pastores e colaboradores da Obra de Deus. No primeiro dia de atividades, pela manhã, levou-se a cabo um retiro que teve como pregador o pastor Rojas, que compartilhou a mensagem “A apostasia leva à heresia”. Pela tarde, a irmã Mendoza foi a responsável por pregar o Evangelho com um discurso denominado “O jovem e as experiências com Deus”. Depois, na segunda data, o Rev. Rojas compartilhou novamente as boas novas do Senhor com uma mensagem intitulada “A importância do quebrantamento”. Horas mais tarde, a serva Mendoza evangelizou novamente os fiéis mexicanos mediante uma prédica intitulada “A geração do último tempo”. Durante o encerramento da campanha evangelística, o pastor Rojas pronunciou uma alocução intitulada “Duvide de suas dúvidas”. Depois, a irmã Mendoza pregou o Evangelho com uma mensagem baseada em Daniel 1:8.

evento

MYANMAR Reunião de Pastores

De 16 a 17 de março, o Movimento Missionário Mundial de Myanmar realizou uma Reunião de Pastores à qual acudiram cerca de vinte ministros de Deus. O evento serviu para que os representantes da Obra do Senhor falassem acerca do avanço do MMM em Myanmar. Durante a reunião, o Rev. Aung Kyaw Moe, Supervisor Nacional do MMM de Myanmar, foi o expositor da Palavra de Deus. Além disso, uma família e um pastor se aproximaram para pedir informação de como fazer parte do Movimento Missionário Mundial. Além do mais, comprometeram-se a fazer vigílias a cada três meses para fortalecer o trabalho evangelizador.

SUÍÇA Aniversário em Langenthal

O Movimento Missionário Mundial da Suíça viveu em 2 e 4 de fevereiro duas jornadas inesquecíveis, nas quais se celebrou o quinto aniversário da presença da Obra de Deus na cidade de Langenthal e se inaugurou o novo local do MMM nesta localidade. Ambas as jornadas, que foram transmitidas pela rádio Ebenezer da Suíça, tiveram os pastores Jimy Rodríguez e Patricia Almache como pregadores principais da Palavra de Deus. A irmã Almache emitiu uma mensagem intitulada “Levantando muros com firmeza e responsabilidade” e o pastor Rodríguez compartilhou a prédica “Trabalhando no meio da adversidade”. Com a presença de cerca de cento e cinquenta fiéis, as reuniões serviram para reafirmar o crescimento do Movimento Missionário Mundial em solo suíço.

Maio 2017 / Impacto evangélico

65


ESCREVEM-NOS... cartas@impactoevangelistico.net

AGENDA GLOBAL 2017 JANEIRO 2-5 Convenção Nacional em Porto Rico 9-16 Convenção Nacional na Côlombia 26-29 Convenção Nacional na Bolívia (Cochabamba) FEVEREIRO 3-5 Convenção no Paraguai (Asunción) 9-12 Convenção na Argentina (Rosario) 25-28 Convenção no Panamá MARÇO 2-5 Convenção em Honduras (San Pedro de Sula) 9-12 Convenção na Austrália (Sidney) ABRIL 13-16 Convenção na Guatemala (Cidade da Guatemala) 13-16 Convenção nas Guianas, Trinidad e Martinica (Suriname)

RUBÉN SANDOVAL Saudações do Equador. Que Deus continue guiando seu caminho na publicação da revista. Desde que eu a li, gostei muito. Continuarei adquirindo a revista para ver as maravilhas que Deus faz nas vidas. Que o Senhor os continue abençoando. Com Cristo somos mais que vencedores. De Quito, Equador.

JOSÉ LUIS RAMÍREZ Deus os abençoe. É uma maravilhosa bênção a realização desta revista. Estamos alegres porque este meio edifica nossas vidas. Continuem trabalhando para o Senhor. De Tarma, Peru.

ANA CARRILLO ZEBALLOS Deus os abençoe muitíssimo. Esta revista foi e é de edificação para minha vida e também para muitas pessoas. Que Deus adicione bênçãos ao árduo trabalho dos que trabalham nela. De La Paz, Bolívia.

LINA HUERTAS ARRIETA Desde a primeira vez que eu a li, até hoje, esta revista foi gratificante e cheia de bênçãos. Eu recebo por meio dela um grande alimento espiritual, e aprendo coisas muito interessantes da obra missionária. De Cali, Colômbia.

JUAN ARTURO GUERRERO Muitas bênçãos por tão valioso trabalho. Que “Impacto Evangelístico” continue a cada dia im-

pactando os corações de cada ser humano, Deus falando ao mundo inteiro a cada dia, a cada hora e a cada minuto. De Mérida, Venezuela.

KEILA SERRATO Agradeço a Deus porque me dá a oportunidade de ler este meio de comunicação. A verdade é de muito valor para minha vida e a de meus entes queridos. Um dos temas mais comovedores que eu li foi sobre o testemunho do grande cientista Einstein, e apesar de que sou estudante de ciência, nada nem ninguém me separará do grande amor de Cristo. Dou graças a Deus e à revista “Impacto Evangelístico” por tão valiosa contribuição espiritual. Sou uma leitora e colecionista destas maravilhosas edições. Que Deus os abençoe. De Arauca, Colômbia.

PEDRO PIE VITO Saudações cordiais de Cuba. Sou o Rev. Pedro Pie Vito, pastor do templo “Esperanza de Gloria”, na cidade de Camagüey. Esta revista é uma fonte de grande inspiração. Conta com uma boa exposição e um texto claro, muito adequado para seu propósito pedagógico. De Camagüey, Cuba.

CARLOS APONTE Não cesso de dar graças a Deus por tão gloriosa bênção e privilégio de fazer parte desta grande Obra. Eu quero lhes dizer que sempre recebo a revista e gosto muito ao ler tão edificantes temas, também sento regozijo ao ver as fotografias das diferentes atividades que se realizam em todo o mundo. Saudações cordiais. De Mayagüez, Porto Rico.

Você pode baixar o leitor de código QR livre nestas plataformas:

MAIO 4-7 Convenção no Japão (Hamamatsu, Shizuoka) 17-20 Convenção na Índia 26-28 Convenção na Holanda JUNHO 21-24 Convenção no Brasil (Manaos) JULHO 4-8 Convenção Centroamericano na Costa Rica (San José) 11-14 Convenção nos Estados Unidos (Woodbridge, Virginia) 13-16 Convenção nas Antillas Holandesas (Curacao) 16-18 Convenção Nacional no Canadá 27-30 Convenção no México (Puebla) AGOSTO 3-6 Convenção no Espanha e Bloco A Europa (Madrid) 8-11 Convenção na Venezuela (Barquisimeto) 10-13 Convenção na Itália (Milano) 16-19 Convenção na África (Guinea Ecuatorial) 24-27 Convenção no Haití (Porto Príncipe) 24-27 Convenção no Ecuador (Guayaquil) 24-27 Convenção em Belize SETEMBRO 17-19 Convenção no Perú (Lima) Sábado 30, Día Mundial das missões OUTUBRO 20-22 Confraternização no Madagascar 26-28 Convenção na República Dominicana 26-29 Convenção no Chile (Santiago) 27-29 Convenção nas Ilhas Maurício NOVEMBRO 9-12 Convenção em El Salvador 16-19 Convenção no Uruguai (Montevideo) 23-26 Convención na Nicaragua DEZEMBRO

n Eventos passados n Eventos futuros MISIONÁRIO MUNDIAL 66 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia


QUANDO VUOI, COME VUOI, DOVE VUOI

Desfrute de nosso sinal ao vivo através de seu celular, Tablet, laptop e TV

Bethel Televisión, o canal do Movimento Missionário Mundial transmite a mensagem da Palavra de Deus mediante uma programação cultural e educativa de Lima-Peru através de 7 satélites e via internet a todo o mundo. Maio 2017 / Impacto evangélico

67


NÃO OCULTE MAIS SEUS PROBLEMAS, CONTE A DEUS

SEGUNDA-FEIRA A SEXTA-FEIRA 12H00 / PERU

Bethel Televisión, o canal do Movimento Missionário Mundial transmite a mensagem da Palavra de Deus mediante uma programação cultural e educativa de Lima-Peru através de 7 satélites e via internet a todo o mundo. MISIONÁRIO MUNDIAL 68 MOVIMENTO América • Europa • Oceanía • África • Asia

760_Portugues  

Revista Impacto Evangélico Edição Maio 2017 Língua Portuguesa

760_Portugues  

Revista Impacto Evangélico Edição Maio 2017 Língua Portuguesa

Advertisement