Page 1

Agenda Julho SAB

2

20h00

Sábado Teen

DOM

3

10h00

Celebração com Ceia Memorial

DOM

3

18h30

Destaques da Programação

Aconteceu

CELEBRAÇÃO DO MAI O MAI é o ministério da IBAB voltado aos adultos – solteiros, viúvos e descasados – que freqüentam

Nos meses de junho e julho são rea-

Celebração com Ceia Memorial

ou não a igreja. Os encontros são aos sábados, quinzenalmente. No dia 9 de julho o preletor será o

lizados os projetos sócio-missionários

pastor Itamir Neves, que abordará o tema: “A importância da Palavra de Deus”.

no Bairro da Serra - Iporanga, Qui-

TER

5

20h00

Semana Jovem

QUA

6

20h00

Semana Jovem

QUA

6

20h30

Celebrando a Recuperação

CASAIS JOVENS

QUI

7

20h00

Semana Jovem

Dia 9 de julho, às 18h30, teremos mais um encontro do Chega Junto - Programa do Ministério de

SEX

8

20h00

Semana Jovem

SAB

9

18h30

Chega Junto

SAB

9

20h00

Celebração MAI

SEMANA MAI

DOM

10

10h00

Celebração

O tema da Semana MAI 2011 será “UM HOMEM POR TRÁS DO MITO: um olhar sobre a vida dos

DOM

10

18h30

Celebração

patriarcas.” A programação, voltada especialmente ao público adulto jovem – solteiros, separados e

QUA

13

20h30

Celebrando a Recuperação

DOM

17

10h00

Celebração

DOM

17

18h30

Celebração

TER

19

20h00

Semana MAI

QUA

20

20h30

Celebrando a Recuperação

QUA

20

20h00

Semana MAI

QUI

21

20h00

Semana MAI

lombo Pedro Cubas - Eldorado (ambos no Vale do Ribeira) e Morro do Borel - Rio de Janeiro. Os integrantes do MAI, Adolescentes e Jovens da Ibab

Casais IBAB voltado aos Casais Jovens da comunidade. Participe!

que participarão dos projetos, estiveram reunidos no dia 12 de junho e receberam instrução bíblica, orientação sobre a visão de voluntariado Ibab e, divididos em grupos, compartilharam suas experiências e expectativas sobre

viúvos, contará com a participação dos pastores Alexandre Robles, Ariovaldo Ramos, Ed René Kivitz

temas como infância, família, desafios,

e Levi Araújo e a presença de Gerson Borges, Juliana Bragança, Marco Bento e Stenio Marcius. De

meio-ambiente, amor, futuro, amizade,

19 (terça-feira) a 22 (sexta-feira) de julho, às 20h30. Haverá cantina todos os dias, a partir das 19h30.

estar em casa e solidariedade. Estar em e como servimos.

T E R A P I A C O M U N I TÁ R I A Ibab, um grupo terapêutico que tem como objetivo proporcionar um ambiente de respeito mútuo onde os participantes possam compartilhar, refletir e aprender a lidar com suas dificuldades. Todos

22

20h00

Semana MAI

24

10h00

Celebração

DOM

24

18h30

Celebração

TER

26

20h30

Semana da Familia

QUA

27

20h30

Celebrando a Recuperação

QUA

27

20h30

Semana da Familia

Os preletores serão Ed René Kivitz, Osmar Ludovico e Isabelle Ludovico. Haverá programação

QUI

28

20h30

Semana da Familia

para as crianças. Anote, participe e convide seus amigos.

SEX

29

20h30

Semana da Familia

DOM

31

10h00

Celebração

DOM

31

18h30

Celebração

os interessados estão convidados a participar.

FÓRUM CRISTÃO DE PROFISSIONAIS A oitava edição do Fórum Cristão de Profissionais aconteceu na noite de 13 de junho com o tema “Ganhar o Mundo Sem Perder a Alma – Equilíbrio

S E M A N A D A FA M Í L I A

entre vida pessoal e profissional”. Isabella Maciel de Sá, Davi Lago e Ed René

Toda a igreja está convidada para a Semana da Família 2011, que acontecerá nos dias 26 a 29 de

Kivitz apresentaram três palestras instigantes e responderam às perguntas do

julho, com o tema “Espiritualidade na Família”.

IBAB JOVEM Com o tema “Dias melhores pra sempre: porque a eternidade começa aqui”,

envolvendo todos os seus frequentadores, além dos limites culto-clero-domingo-templo.

ref lexão. Em junho, contamos com as presenças especiais de PC Baruk e Juliana Bragança na Música e de Reinaldo Júnior e Rogério Quadra na Palavra.

auditório encaminhadas ao Levi Araújo, que mediou o encontro.

Rua Robert Bosch, 116 Barra Funda/SP 01141-010 Tel: (11) 3618-3030

ENCONTROS DE NOVOS MEMBROS

ibab@ibab.com.br

Se você deseja ser batizado ou formalizar sua membresia junto à IBAB, informe-se e faça sua

www.ibab.com.br

inscrição para a próxima turma, no estande “Novos Membros”, após a celebração.

CONHEÇA SUA BÍBLIA

www.semanajovemibab.com.br

dessa nova vida e dessa outra consciência, soas, nos tornando parte delas e fazendo-as

o amor, sua natureza é a comunidade. Sendo um Deus

parte de nós, sendo sempre misturados uns

único, coexiste de forma perfeitamente harmônica

aos outros pelo Espírito Santo, e vamos nos

sendo três pessoas. Deu-se o primeiro ENCONTRO.

tornando mais gente.

vimeo.com/ibab flickr.com/ibab “Conheça sua Bíblia” é um espaço de reflexão bíblica e teológica que acontece

Percebendo a beleza dessa coexistência perfei-

Encontrar-se é preciso!!! Encontrar-se é

ta, Deus quis multiplicá-la, estendendo a nós a

misturar-se ao outro, tornando o outro um

O quarto encontro aconteceu no dia 20 de Junho, com o tema “A História da

possibilidade de partilharmos consigo dessa re-

“outro melhor”. Encontrar-se é incluir o outro

Redenção”. O áudio e o vídeo da mensagem estão disponíveis no site da IBAB

lação. Deu-se o ENCONTRO mais importante

em nós, tornando-nos “ uma pessoa melhor”.

para download gratuito. O próximo encontro será no dia 15 de Agosto, às 20h30.

ato fundante o encontro com o Senhor, não

tro tipo de gente. Gente que enxerga com outros

encontra-se COM, encontra-se EM, afinal,

olhos, decide em outras categorias e relaciona-se

nesses encontros, vamos nos tornando parte

com profundidade e pessoalidade.

do outro e o outro parte da gente.

Quem encontra-se com Deus nunca permanece a mesma pessoa. É a partir desse encontro,

todo mês, sempre às segundas-feiras, com o pastor Ed René Kivitz.

Quem se encontra de verdade, tendo como

Esse ENCONTRO com Deus nos faz um ou-

“EmComOutro”, deu-se o verdadeiro ENCONTRO!!!

twitter.com/ibab facebook.com/oficialibab

que vamos nos encontrando com outras pes-

Ninguém é alguém, sozinho. Se a essência de Deus é

da vida de qualquer pessoa.

priorizando relacionamentos,

os jovens da IBAB celebraram juntos o sentido da vida com muita música e

Aviso

SEMANA JOVEM IBAB O VERDADEIRO ENCONTRO

Ser um sinal histórico do Reino de Deus, levando o evangelho todo para o homem todo,

Na segunda-feira, dia 25 de julho, às 20h30, haverá mais um encontro de Terapia Comunitária na

SEX

0 5 a 0 8 de julho às 20h00

Informativo nº 14 - Julho 2011

missão requer saber porque servimos

DOM

Vem aí

AS ESCRITURAS SAGRADAS E AS CRISES DE FÉ

ENCONTRO COM OS PARTICIPANTES DOS PROJETOS “IBAB EM MISSÃO”

ORQUESTRA AEB - PROJETO CRIAR & TOCAR Na noite do d ia 12 de ju n ho,

Solidária, a Associação Evangélica

tivemos um tempo especial de ce-

Beneficente. Hoje, a AEB desenvol-

lebração, gratidão, louvor e comu-

ve 33 projetos, além do Hospital Ge-

nhão em parceria com a Orquestra

ral de Sorocaba. Para saber mais,

do Projeto Criar e Tocar da AEB.

acesse www.aeb-brasil.org.br

A Ibab apoia, através da Rede Ibab

Eu me converti pelo menos duas vezes. A primeira, da incredulidade para a fé. Foi quando Jesus Cristo deixou de ser um ícone religioso, um mestre da moral e um mero profeta. Naquele instante Jesus se tornou para mim Deus encarnado. Passei a invocar sua presença como quem clama por Deus. Mas passei também por uma segunda conversão. Quando minha fé deixou de ser infantil e se tornou madura. Foi quando a convocação para o discipulado de Jesus, com todas as implicações a respeito do seu caráter, sua identidade, seu propósito redentor, e sua proposta existencial se tornaram consistentes e radicais em minha vida. A passagem da primeira para a segunda conversão é uma crise desesperadora. Lembro da conversa que tive com um mentor espiritual. Disse a ele que havia momentos quando considerava a possibilidade de estar perdendo a fé. “É isso mesmo o que está acontecendo”, ele me disse. “Você está perdendo a fé em um Deus: o Deus da sua infância, e está ganhando fé em outro Deus, o Deus da sua maturidade. Ele é o mesmo Deus, mas para você parece outro. Agora você o percebe e se relaciona com Ele em novas dimensões. É o mesmo Deus revelado em Jesus, mas para você parece outro Deus”. Percebi então que estava vivendo uma crise de fé. E estava também saindo do casulo para ganhar asas. Quando me dei conta de que minhas expectativas a respeito de Deus estavam sendo frustradas, que Ele não agia como eu gostaria que agisse, não fazia o que eu gostaria que fizesse, não interferia no momento exato em que eu gostaria que ele interferisse, não gerava os resultados que eu gostaria que produzisse, e que meu mundo tinha menos interferências explícitas de Deus do que eu julgava ideal, comecei a desconfiar que o Deus em quem eu acreditava não funcionava – aí estava instalada a crise de fé. Você sabe que está em uma crise de fé quando percebe que as respostas que você costumava dar a respeito de Deus e das suas relações com o mundo e com a vida já não são mais suficientes para sustentar sua fé. Suas antigas crenças não oferecem mais esperanças nem explicações para o que está acontecendo com você e ao seu redor. Quando você confronta suas crenças com a realidade, percebe que de fato, “na prática, a teoria é outra”. E então você é chamado a ressignificar toda a sua teoria. No momento seguinte você perde o entusiasmo para o compromisso e engajamento nas coisas de Deus. Buscar em primeiro lugar o reino de Deus deixa de ser uma preocupação do seu coração. Sua vida está cheia de frustração e você está decepcionado com Deus. Você está vivendo o que São João da Cruz chamou de “a noite escura da alma”, marcada pela ausência e o silêncio de Deus. Você não mais percebe Deus, não sente Deus, não ouve Deus, não vê Deus, não experimenta Deus. É como se Deus não existisse. O poeta bíblico, entretanto, diz que “o choro pode durar uma noite, mas pela manhã vem a alegria” [Salmo 30.5]. A crise de fé chega ao fim. Depois dela a fé reaparece renovada, mais consistente, madura, forte, quase inabalável. Mas há um segredo entre a fé infantil e a fé adulta: as Escrituras Sagradas. Foi o que aconteceu com os dois discípulos a caminho de Emaús, que ouviram Jesus explicar tudo quanto Moisés e os profetas haviam falado a respeito de Deus e seu Messias [Lucas 24.13-35]. Naquele momento, as Escrituras Sagradas deixaram de ser um conjunto de informações a respeito de Deus, e se tornaram a própria voz de Deus que fazia arder de paixão seus corações. Enquanto caminhavam ouvindo Jesus expor as Escrituras Sagradas, ouviam o próprio Espírito de Deus sussurrando que eram filhos de Deus [Romanos, 8:16]. Há uma grande diferença entre o Deus descrito pelos clichês das tradições religiosas e o Deus revelado nas Escrituras Sagradas e encarnado em Jesus de Nazaré. As Escrituras Sagradas são divisor de águas entre a fé infantil, que aos poucos se torna fé morta, da fé adulta, capaz de enfrentar o mundo e a vida, quaisquer que sejam as circunstâncias. As Escrituras sagradas são o ponto de ruptura entre a superstição e a idolatria, e a fé autêntica no único Deus vivo e verdadeiro [1Tessalonicenses 1.9]. Você pode considerar que está saindo de sua crise de fé quando começa a perceber que Deus está deixando de ser uma verdade superficial e um poder eventual e aos poucos está se tornando íntimo a você “na mesa da comunhão”: na pequena aldeia de Emaús, no partir do pão e nas ações de graças, os olhos dos homens em crise de fé se abrem para a presença amorosa de Deus em Jesus. Ao contemplar Deus conforme revelado nas Escrituras Sagradas e encarnado em Jesus de Nazaré, você faz a mesma descoberta que Santo Agostinho fez: “Deus me é mais íntimo que meu íntimo, mais íntimo que eu a mim mesmo”. Deus deixa de ser aquele que age com poder do lado de fora para se tornar aquele que habita em você. Deus deixa de ser visível (e procurado) naquilo que faz ou deixa de fazer, e passa a ser real, íntimo e pessoal. E o Espírito de Deus ensina você a orar afetuosamente “Abba, Pai”, enquanto vibra em seu coração a amorosa declaração de Deus: “Você é meu filho amado, em quem tenho prazer; você é minha filha amada, razão da minha alegria”. Ed René Kivitz @edrenekivitz


Agenda Julho SAB

2

20h00

Sábado Teen

DOM

3

10h00

Celebração com Ceia Memorial

DOM

3

18h30

Destaques da Programação

Aconteceu

CELEBRAÇÃO DO MAI O MAI é o ministério da IBAB voltado aos adultos – solteiros, viúvos e descasados – que freqüentam

Nos meses de junho e julho são rea-

Celebração com Ceia Memorial

ou não a igreja. Os encontros são aos sábados, quinzenalmente. No dia 9 de julho o preletor será o

lizados os projetos sócio-missionários

pastor Itamir Neves, que abordará o tema: “A importância da Palavra de Deus”.

no Bairro da Serra - Iporanga, Qui-

TER

5

20h00

Semana Jovem

QUA

6

20h00

Semana Jovem

QUA

6

20h30

Celebrando a Recuperação

CASAIS JOVENS

QUI

7

20h00

Semana Jovem

Dia 9 de julho, às 18h30, teremos mais um encontro do Chega Junto - Programa do Ministério de

SEX

8

20h00

Semana Jovem

SAB

9

18h30

Chega Junto

SAB

9

20h00

Celebração MAI

SEMANA MAI

DOM

10

10h00

Celebração

O tema da Semana MAI 2011 será “UM HOMEM POR TRÁS DO MITO: um olhar sobre a vida dos

DOM

10

18h30

Celebração

patriarcas.” A programação, voltada especialmente ao público adulto jovem – solteiros, separados e

QUA

13

20h30

Celebrando a Recuperação

DOM

17

10h00

Celebração

DOM

17

18h30

Celebração

TER

19

20h00

Semana MAI

QUA

20

20h30

Celebrando a Recuperação

QUA

20

20h00

Semana MAI

QUI

21

20h00

Semana MAI

lombo Pedro Cubas - Eldorado (ambos no Vale do Ribeira) e Morro do Borel - Rio de Janeiro. Os integrantes do MAI, Adolescentes e Jovens da Ibab

Casais IBAB voltado aos Casais Jovens da comunidade. Participe!

que participarão dos projetos, estiveram reunidos no dia 12 de junho e receberam instrução bíblica, orientação sobre a visão de voluntariado Ibab e, divididos em grupos, compartilharam suas experiências e expectativas sobre

viúvos, contará com a participação dos pastores Alexandre Robles, Ariovaldo Ramos, Ed René Kivitz

temas como infância, família, desafios,

e Levi Araújo e a presença de Gerson Borges, Juliana Bragança, Marco Bento e Stenio Marcius. De

meio-ambiente, amor, futuro, amizade,

19 (terça-feira) a 22 (sexta-feira) de julho, às 20h30. Haverá cantina todos os dias, a partir das 19h30.

estar em casa e solidariedade. Estar em e como servimos.

T E R A P I A C O M U N I TÁ R I A Ibab, um grupo terapêutico que tem como objetivo proporcionar um ambiente de respeito mútuo onde os participantes possam compartilhar, refletir e aprender a lidar com suas dificuldades. Todos

22

20h00

Semana MAI

24

10h00

Celebração

DOM

24

18h30

Celebração

TER

26

20h30

Semana da Familia

QUA

27

20h30

Celebrando a Recuperação

QUA

27

20h30

Semana da Familia

Os preletores serão Ed René Kivitz, Osmar Ludovico e Isabelle Ludovico. Haverá programação

QUI

28

20h30

Semana da Familia

para as crianças. Anote, participe e convide seus amigos.

SEX

29

20h30

Semana da Familia

DOM

31

10h00

Celebração

DOM

31

18h30

Celebração

os interessados estão convidados a participar.

FÓRUM CRISTÃO DE PROFISSIONAIS A oitava edição do Fórum Cristão de Profissionais aconteceu na noite de 13 de junho com o tema “Ganhar o Mundo Sem Perder a Alma – Equilíbrio

S E M A N A D A FA M Í L I A

entre vida pessoal e profissional”. Isabella Maciel de Sá, Davi Lago e Ed René

Toda a igreja está convidada para a Semana da Família 2011, que acontecerá nos dias 26 a 29 de

Kivitz apresentaram três palestras instigantes e responderam às perguntas do

julho, com o tema “Espiritualidade na Família”.

IBAB JOVEM Com o tema “Dias melhores pra sempre: porque a eternidade começa aqui”,

envolvendo todos os seus frequentadores, além dos limites culto-clero-domingo-templo.

ref lexão. Em junho, contamos com as presenças especiais de PC Baruk e Juliana Bragança na Música e de Reinaldo Júnior e Rogério Quadra na Palavra.

auditório encaminhadas ao Levi Araújo, que mediou o encontro.

Rua Robert Bosch, 116 Barra Funda/SP 01141-010 Tel: (11) 3618-3030

ENCONTROS DE NOVOS MEMBROS

ibab@ibab.com.br

Se você deseja ser batizado ou formalizar sua membresia junto à IBAB, informe-se e faça sua

www.ibab.com.br

inscrição para a próxima turma, no estande “Novos Membros”, após a celebração.

CONHEÇA SUA BÍBLIA

www.semanajovemibab.com.br

dessa nova vida e dessa outra consciência, soas, nos tornando parte delas e fazendo-as

o amor, sua natureza é a comunidade. Sendo um Deus

parte de nós, sendo sempre misturados uns

único, coexiste de forma perfeitamente harmônica

aos outros pelo Espírito Santo, e vamos nos

sendo três pessoas. Deu-se o primeiro ENCONTRO.

tornando mais gente.

vimeo.com/ibab flickr.com/ibab “Conheça sua Bíblia” é um espaço de reflexão bíblica e teológica que acontece

Percebendo a beleza dessa coexistência perfei-

Encontrar-se é preciso!!! Encontrar-se é

ta, Deus quis multiplicá-la, estendendo a nós a

misturar-se ao outro, tornando o outro um

O quarto encontro aconteceu no dia 20 de Junho, com o tema “A História da

possibilidade de partilharmos consigo dessa re-

“outro melhor”. Encontrar-se é incluir o outro

Redenção”. O áudio e o vídeo da mensagem estão disponíveis no site da IBAB

lação. Deu-se o ENCONTRO mais importante

em nós, tornando-nos “ uma pessoa melhor”.

para download gratuito. O próximo encontro será no dia 15 de Agosto, às 20h30.

ato fundante o encontro com o Senhor, não

tro tipo de gente. Gente que enxerga com outros

encontra-se COM, encontra-se EM, afinal,

olhos, decide em outras categorias e relaciona-se

nesses encontros, vamos nos tornando parte

com profundidade e pessoalidade.

do outro e o outro parte da gente.

Quem encontra-se com Deus nunca permanece a mesma pessoa. É a partir desse encontro,

todo mês, sempre às segundas-feiras, com o pastor Ed René Kivitz.

Quem se encontra de verdade, tendo como

Esse ENCONTRO com Deus nos faz um ou-

“EmComOutro”, deu-se o verdadeiro ENCONTRO!!!

twitter.com/ibab facebook.com/oficialibab

que vamos nos encontrando com outras pes-

Ninguém é alguém, sozinho. Se a essência de Deus é

da vida de qualquer pessoa.

priorizando relacionamentos,

os jovens da IBAB celebraram juntos o sentido da vida com muita música e

Aviso

SEMANA JOVEM IBAB O VERDADEIRO ENCONTRO

Ser um sinal histórico do Reino de Deus, levando o evangelho todo para o homem todo,

Na segunda-feira, dia 25 de julho, às 20h30, haverá mais um encontro de Terapia Comunitária na

SEX

0 5 a 0 8 de julho às 20h00

Informativo nº 14 - Julho 2011

missão requer saber porque servimos

DOM

Vem aí

AS ESCRITURAS SAGRADAS E AS CRISES DE FÉ

ENCONTRO COM OS PARTICIPANTES DOS PROJETOS “IBAB EM MISSÃO”

ORQUESTRA AEB - PROJETO CRIAR & TOCAR Na noite do d ia 12 de ju n ho,

Solidária, a Associação Evangélica

tivemos um tempo especial de ce-

Beneficente. Hoje, a AEB desenvol-

lebração, gratidão, louvor e comu-

ve 33 projetos, além do Hospital Ge-

nhão em parceria com a Orquestra

ral de Sorocaba. Para saber mais,

do Projeto Criar e Tocar da AEB.

acesse www.aeb-brasil.org.br

A Ibab apoia, através da Rede Ibab

Eu me converti pelo menos duas vezes. A primeira, da incredulidade para a fé. Foi quando Jesus Cristo deixou de ser um ícone religioso, um mestre da moral e um mero profeta. Naquele instante Jesus se tornou para mim Deus encarnado. Passei a invocar sua presença como quem clama por Deus. Mas passei também por uma segunda conversão. Quando minha fé deixou de ser infantil e se tornou madura. Foi quando a convocação para o discipulado de Jesus, com todas as implicações a respeito do seu caráter, sua identidade, seu propósito redentor, e sua proposta existencial se tornaram consistentes e radicais em minha vida. A passagem da primeira para a segunda conversão é uma crise desesperadora. Lembro da conversa que tive com um mentor espiritual. Disse a ele que havia momentos quando considerava a possibilidade de estar perdendo a fé. “É isso mesmo o que está acontecendo”, ele me disse. “Você está perdendo a fé em um Deus: o Deus da sua infância, e está ganhando fé em outro Deus, o Deus da sua maturidade. Ele é o mesmo Deus, mas para você parece outro. Agora você o percebe e se relaciona com Ele em novas dimensões. É o mesmo Deus revelado em Jesus, mas para você parece outro Deus”. Percebi então que estava vivendo uma crise de fé. E estava também saindo do casulo para ganhar asas. Quando me dei conta de que minhas expectativas a respeito de Deus estavam sendo frustradas, que Ele não agia como eu gostaria que agisse, não fazia o que eu gostaria que fizesse, não interferia no momento exato em que eu gostaria que ele interferisse, não gerava os resultados que eu gostaria que produzisse, e que meu mundo tinha menos interferências explícitas de Deus do que eu julgava ideal, comecei a desconfiar que o Deus em quem eu acreditava não funcionava – aí estava instalada a crise de fé. Você sabe que está em uma crise de fé quando percebe que as respostas que você costumava dar a respeito de Deus e das suas relações com o mundo e com a vida já não são mais suficientes para sustentar sua fé. Suas antigas crenças não oferecem mais esperanças nem explicações para o que está acontecendo com você e ao seu redor. Quando você confronta suas crenças com a realidade, percebe que de fato, “na prática, a teoria é outra”. E então você é chamado a ressignificar toda a sua teoria. No momento seguinte você perde o entusiasmo para o compromisso e engajamento nas coisas de Deus. Buscar em primeiro lugar o reino de Deus deixa de ser uma preocupação do seu coração. Sua vida está cheia de frustração e você está decepcionado com Deus. Você está vivendo o que São João da Cruz chamou de “a noite escura da alma”, marcada pela ausência e o silêncio de Deus. Você não mais percebe Deus, não sente Deus, não ouve Deus, não vê Deus, não experimenta Deus. É como se Deus não existisse. O poeta bíblico, entretanto, diz que “o choro pode durar uma noite, mas pela manhã vem a alegria” [Salmo 30.5]. A crise de fé chega ao fim. Depois dela a fé reaparece renovada, mais consistente, madura, forte, quase inabalável. Mas há um segredo entre a fé infantil e a fé adulta: as Escrituras Sagradas. Foi o que aconteceu com os dois discípulos a caminho de Emaús, que ouviram Jesus explicar tudo quanto Moisés e os profetas haviam falado a respeito de Deus e seu Messias [Lucas 24.13-35]. Naquele momento, as Escrituras Sagradas deixaram de ser um conjunto de informações a respeito de Deus, e se tornaram a própria voz de Deus que fazia arder de paixão seus corações. Enquanto caminhavam ouvindo Jesus expor as Escrituras Sagradas, ouviam o próprio Espírito de Deus sussurrando que eram filhos de Deus [Romanos, 8:16]. Há uma grande diferença entre o Deus descrito pelos clichês das tradições religiosas e o Deus revelado nas Escrituras Sagradas e encarnado em Jesus de Nazaré. As Escrituras Sagradas são divisor de águas entre a fé infantil, que aos poucos se torna fé morta, da fé adulta, capaz de enfrentar o mundo e a vida, quaisquer que sejam as circunstâncias. As Escrituras sagradas são o ponto de ruptura entre a superstição e a idolatria, e a fé autêntica no único Deus vivo e verdadeiro [1Tessalonicenses 1.9]. Você pode considerar que está saindo de sua crise de fé quando começa a perceber que Deus está deixando de ser uma verdade superficial e um poder eventual e aos poucos está se tornando íntimo a você “na mesa da comunhão”: na pequena aldeia de Emaús, no partir do pão e nas ações de graças, os olhos dos homens em crise de fé se abrem para a presença amorosa de Deus em Jesus. Ao contemplar Deus conforme revelado nas Escrituras Sagradas e encarnado em Jesus de Nazaré, você faz a mesma descoberta que Santo Agostinho fez: “Deus me é mais íntimo que meu íntimo, mais íntimo que eu a mim mesmo”. Deus deixa de ser aquele que age com poder do lado de fora para se tornar aquele que habita em você. Deus deixa de ser visível (e procurado) naquilo que faz ou deixa de fazer, e passa a ser real, íntimo e pessoal. E o Espírito de Deus ensina você a orar afetuosamente “Abba, Pai”, enquanto vibra em seu coração a amorosa declaração de Deus: “Você é meu filho amado, em quem tenho prazer; você é minha filha amada, razão da minha alegria”. Ed René Kivitz @edrenekivitz


ibab em missão

Destaques Culturais

Contatos Ministeriais Igreja Batista de Água Branca IBAB Ed René Kivitz ibab@ibab.com.br

literatura infantil e formação do imaginário da criança

livro

ONDE DORMEM AS CRIANÇAS

Nos feriados do mês de junho e nas férias de julho, os participantes do MAI, os adolescentes e os jovens sairão em missão, sinalizando o Reino de Deus, por meio de ações e palavras. Nesse período, a Ibab estará em regiões que apresentam baixo Índice de Desenvolvimento Humano (IDH), desenvolvendo projetos sócio-missionários, em parceria com igrejas, comunidades locais e organizações. Conheça nossos projetos de vivência em Missão Integral. Participe, doe, acompanhe, interceda para que ao verem as nossas boas obras, glorifiquem ao Pai, que está nos céus!

“Where children sleep” é um projeto do fotógrafo James Mollison, nascido no Quênia, compilado em livro homônimo. Ele fotografou crianças de várias partes do mundo e o lugar onde dormem. Cada par de fotografias é acompanhada por um texto que contextualiza a vida de cada uma delas. Vale a pena sair do nosso próprio quarto e conhecer as realidades das crianças em vários lugares do mundo.

IBAB Missão Silvia Kivitz missao@ibab.com.br IBAB Pastoral Cláudio Manhães pastoral@ibab.com.br IBAB Adoração Adriana Oliveira adoracao@ibab.com.br IBAB Criança José Mario ministerioetario@ibab.com.br IBAB Jovem Fabricio Cunha jovens@ibab.com.br

fissionais da IBAB desenvolverão ações em parceria com a comunidade local. Com a participação de uma médica pediatra e de uma enfermeira, além do atendimento médico realizarão ações educativas e preventivas no cuidado com a saúde. Em Pedro Cubas há um grande número de crianças e acontecerão atividades especiais na área de esporte, recreação e escola bíblica de férias. Contribuindo para uma boa auto-estima das crianças e adolescentes, haverá um ciclo de palestras educativas sobre o cuidado com o corpo e a proteção da infância e adolescência. Com as mulheres serão desenvolvidas oficinas de artesanato e geração de renda, além das ações de beleza, com cabeleireiros e esteticista. As noites serão voltadas para a festa da família e participações dos talentos da comunidade. Um bazar será realizado e sua renda será revertida em melhorias na comunidade.

Dica da Silvia Kivitz

IBAB Adolas Joabe Santos adolas@ibab.com.br

música

AVINU MALKENU (NOSSO PAI, NOSSO REI)

Fórum Cristão de Profissionais Levi Araújo fcp@ibab.com.br

O CD “Avinu Malkenu”, que significa “Nosso Rei, Nosso Pai”, em que o cantor e compositor Leonardo Gonçalves interpreta músicas em hebraico, foi escolhido como a trilha sonora da série de reflexões diárias Talmidim, do pastor Ed René Kivitz.

Rede IBAB Solidária

A Rede Ibab Solidária é um espaço de mobili-

Dica da Adriana Oliveira

zação e cooperação entre a Igreja Batista de Água Branca e projetos e organizações do terceiro setor e agências missionárias. Conheça as organiza-

livro infantil

ções e projetos parceiros e saiba como participar.

HISTÓRIAS DA VELHA CORUJA

Acesse www.redeibabsolidaria.com.br

Dízimos e Ofertas Faça seu cheque nominal à Igreja Batista de Água Branca. Você também pode contribuir por meio de depósito bancário, em qualquer uma das contas abaixo: CNPJ da IBAB: 43.281.625/0001-81 Após efetuar o depósito você pode colocar o comprovante num envelope de contribuição e entregá-lo nos momentos de oferta. Banco

Agência

Local

Conta

Bradesco

0111-2

Anastácio

91403-7

HSBC

0328

Itaú

6645

Barra Funda 07480-72 Emissários

12867-6

Em “Histórias da velha coruja” você vai conhecer uma coruja muito esperta que acompanha de mansinho a vida dos bichos da floresta onde mora. São 14 histórias que se parecem bem com as que nós vivemos. Aprenda com a nossa amiga coruja sobre um coelho esperto, um salmão corajoso pra valer, um guaxinim que gosta de bancar o detetive, um morcego que se acha aterrorizante, um puma solitário, duas cobras literalmente linguarudas e muito mais. Quem sabe uma dessas histórias não seja a sua também! O livro é publicado pela editora Vida e é escrito e ilustrado por Paulo Debs, autor de diversos livros infantis e membro da IBAB.

Região de beleza natural, que abriga o PETAR - Parque Estadual Turístico do Alto Ribeira, com mais de 300 cavernas, dezenas de cachoeiras, trilhas, comunidades tradicionais e quilombolas. Tamanha riqueza natural da região contrasta com um dos menores IDH do Estado de São Paulo. É no bairro da Serra, uma comunidade empobrecida, que desde 2004 o MAI tem desenvolvido um relacionamento de amizade e serviço com seus moradores. No período dos feriados do mês de junho, um grupo de voluntários do MAI desenvolverá ações na área da saúde: atendimento médico e odontológico; ações educativas e preventivas; atividades com as crianças, atendimento à mulher com cuidados de beleza e artesanato, esporte, atividades com a participação de toda a comunidade e a realização de um bazar que possibilitará que as famílias adquiram roupas a preços simbólicos. Com o resultado do bazar algumas melhorias, a pedido da liderança da comunidade, serão realizadas.

Existem no Brasil cerca de 1.000 comunidades de estrutura quilombola. No estado de São Paulo são 25 e, dentre essas, 13 estão localizadas na região do Vale do Ribeira e são acompanhadas pelo Instituto de Terras de São Paulo (ITESP). Neste ano, na semana de 12 a 18 de julho, adolescentes e pro-

Dica do Célia Regina Marques

Do alto do Morro do Borel tem-se uma das mais lindas vistas da cidade do Rio de Janeiro O Morro do Borel, uma das comunidades mais antigas da capital, se localiza no bairro da Tijuca na zona norte do Rio de Janeiro, com uma população aproximada de 20 mil moradores, sendo a maioria composta de jovens e crianças. É lá que, desde 1990, está a JOCUM - Jovens com uma Missão, uma ONG internacional e interdenominacional cristã, com 27 mil voluntários em mais de 180 paises. Iniciaram no Borel com um ambulatório de enfermagem que mais tarde foi ampliado para atendimento médico e odontológico. Na área da educação há a Creche Semente, a Escola de Música Bom Tom, que a IBAB é parceira, o CRIARTE, com oficinas de artesanato e geração de renda para mulheres, a biblioteca e centro de informática. Desde julho de 2007, os jovens da IBAB participam, em parceria com a JOCUM Borel, de um projeto com atuação diaconal, doando um período de suas férias para servir àquela comunidade. Neste ano, nossos jovens desenvolverão ações com as crianças: escola bíblica de férias, música e esporte; com as mulheres: espaço com oficinas de auto-estima, beleza e estética; e com a comunidade em geral: ciclo de palestras, atendimento medido e odontológico, oficinas de artesanato e ações de cuidado com o meio ambiente.

Silvia Kivitz

espiritualidade e meio ambiente

A criança inicia seu processo de leitura por meio das histórias que ouve de seus pais, dos sons e das cores que permeiam o universo infantil. A leitura de seu mundo precede a leitura da palavra. As histórias contadas pelos adultos são fundamentais para que a criança estabeleça a sua identidade e compreenda melhor as relações familiares. Outro fato relevante é o vínculo afetivo que se estabelece entre o contador das histórias e a criança. Contar e ouvir histórias perto de quem se ama é compartilhar uma experiência gostosa, na descoberta do mundo dos contos e livros. O livro infantil passa pelo imaginário da criança, possibilitando o desenvolvimento da capacidade de identificação com a história, ampliação do vocabulário, formação da consciência de mundo e pensamento crítico. A literatura infantil é importante para incentivar a formação do hábito de leitura na idade em que todos os hábitos se formam: a infância. Ler é o caminho que leva a criança a desenvolver a imaginação, emoções e sentimentos de forma prazerosa e significativa. Ler para compreender o mundo que a cerca, seu contexto social, conhecer diferentes culturas, aprender a escrever, contar histórias lidas, criar e recriar, sentir emoções, soltar a imaginação... A leitura tem o poder de “transportar” as emoções e provocar variações de pensamentos. Todo leitor recebe o presente de fazer parte da cultura letrada, algo que, com o avanço da tecnologia, vem sendo cada vez mais escasso. Para se tornar um bom leitor, é preciso começar com livros adequados à faixa etária, de preferência bem ilustrados, e, principalmente, que seja algo prazeroso para a criança. O adulto não deve forçar a leitura de textos complexos achando que desta forma irá ampliar o potencial de aprendizagem de conteúdos que considera importantes. No momento certo, estes conhecimentos serão integrados à vida da criança. A leitura vista desta forma torna-se enfadonha e, em pouco tempo, a criança perde totalmente o interesse por ela. Uma única viagem pelo imaginário e o pequeno leitor nunca mais será capaz de se perceber sem que esteja acompanhado de um bom livro. A imagem está posta, mas o que se lê viaja em nosso pensamento transformando saberes socialmente acumulados em práticas compartilhadas. Indicação de leitura: Histórias da Velha Coruja, editora Vida de criança, escrito e ilustrado por Paulo Debs, autor de diversos livros infantis, membro da IBAB.

Lembro-me bem dos temas que estudávamos na Escola Bíblica Dominical quando eu era um adolescente. “Não se misturar com o mundo” e “levar pessoas a Cristo” eram temas recorrentes. Também havia forte apelo para que a leitura bíblica e a oração fizessem parte do cotidiano. Nas revistas, que funcionavam como um guia para o estudo, havia as leituras diárias – textos bíblicos que reforçavam o assunto central da lição. Me esforçava para ler cada um e quando não o fazia durante a semana, no sábado meu pai exercia o santo encargo de me fazer lembrar da tarefa. Afinal não podia ir à EBD sem ter estudado a lição. Quando olho no retrovisor da vida percebo o quanto estas experiências sedimentaram uma fé sincera em Cristo, amor pelas Escrituras e pela Igreja. Por outro lado, ninguém me explicou que o compromisso de seguir a Jesus incluía mais do que estar no templo aos finais de semana, estudar a bíblia, orar e tomar cuidado com as tentações oferecidas pelo mundo. Bem depois que minha adolescência terminou, passei a entender que a fé em Deus me chamava a um comprometimento que ultrapassava as questões de foro íntimo e a minha convivência no seio da comunidade cristã. Aprendi no Gênesis que o ser humano foi chamado a assumir o comando do planeta e ser responsável por cuidar dele. Aprendi que a desobediência do primeiro casal geraria conseqüências e perdas para todo o universo e que a maneira como nos relacionamos com a criação hoje tem origem na ilusão de que somos de fato o verdadeiro padrão moral para nós mesmos.. Entendi que um dos desdobramentos disso é acreditar que viver aglomerados em cidades é melhor do que viver em um jardim. Me explicaram que a presença da Igreja no mundo tem por propósito a continuação da obra de Jesus, e que sinalizar historicamente o Reino de Deus incluí também o cuidado com o planeta, o engajamento pessoal e comunitário em causas ambientais. Aprendi a ler as Escrituras com os óculos do Reino de Deus e me foi revelado que Deus em Jesus estava reconciliando consigo mesmo todas as coisas (Colossenses 1. 15-20) e que salvação não diz respeito apenas a evangelização dos “povos não alcançados”, mas a restauração de toda a criação. Compreendi que, na verdade, é Deus que está em missão e que sou chamado a ser parceiro Dele na tarefa de trazer tudo e todos para debaixo de seu governo. É muito bom saber que hoje as crianças, adolescentes e jovens de nossa comunidade podem aprender todos esses conceitos. É bom saber que não precisam fazer grandes esforços para relacionar as expressões Espiritualidade e Meio Ambiente. É bom saber que estão sendo convocados a uma fé engajada, uma fé comprometida com as demandas do planeta em que vivem e encarnada em seu cotidiano. É bom saber que eles têm a possibilidade de entender que podem ir muito além do ecologicamente correto, que podem entender que é seu dever cuidar do lixo que produzem e que a água que consomem não é sua mas de todos e que por isso usufruem dela com responsabilidade.

Célia Regina Marques

Joabe Santos

@celiafsilva

@sjoabe


ibab em missão

Destaques Culturais

Contatos Ministeriais Igreja Batista de Água Branca IBAB Ed René Kivitz ibab@ibab.com.br

literatura infantil e formação do imaginário da criança

livro

ONDE DORMEM AS CRIANÇAS

Nos feriados do mês de junho e nas férias de julho, os participantes do MAI, os adolescentes e os jovens sairão em missão, sinalizando o Reino de Deus, por meio de ações e palavras. Nesse período, a Ibab estará em regiões que apresentam baixo Índice de Desenvolvimento Humano (IDH), desenvolvendo projetos sócio-missionários, em parceria com igrejas, comunidades locais e organizações. Conheça nossos projetos de vivência em Missão Integral. Participe, doe, acompanhe, interceda para que ao verem as nossas boas obras, glorifiquem ao Pai, que está nos céus!

“Where children sleep” é um projeto do fotógrafo James Mollison, nascido no Quênia, compilado em livro homônimo. Ele fotografou crianças de várias partes do mundo e o lugar onde dormem. Cada par de fotografias é acompanhada por um texto que contextualiza a vida de cada uma delas. Vale a pena sair do nosso próprio quarto e conhecer as realidades das crianças em vários lugares do mundo.

IBAB Missão Silvia Kivitz missao@ibab.com.br IBAB Pastoral Cláudio Manhães pastoral@ibab.com.br IBAB Adoração Adriana Oliveira adoracao@ibab.com.br IBAB Criança José Mario ministerioetario@ibab.com.br IBAB Jovem Fabricio Cunha jovens@ibab.com.br

fissionais da IBAB desenvolverão ações em parceria com a comunidade local. Com a participação de uma médica pediatra e de uma enfermeira, além do atendimento médico realizarão ações educativas e preventivas no cuidado com a saúde. Em Pedro Cubas há um grande número de crianças e acontecerão atividades especiais na área de esporte, recreação e escola bíblica de férias. Contribuindo para uma boa auto-estima das crianças e adolescentes, haverá um ciclo de palestras educativas sobre o cuidado com o corpo e a proteção da infância e adolescência. Com as mulheres serão desenvolvidas oficinas de artesanato e geração de renda, além das ações de beleza, com cabeleireiros e esteticista. As noites serão voltadas para a festa da família e participações dos talentos da comunidade. Um bazar será realizado e sua renda será revertida em melhorias na comunidade.

Dica da Silvia Kivitz

IBAB Adolas Joabe Santos adolas@ibab.com.br

música

AVINU MALKENU (NOSSO PAI, NOSSO REI)

Fórum Cristão de Profissionais Levi Araújo fcp@ibab.com.br

O CD “Avinu Malkenu”, que significa “Nosso Rei, Nosso Pai”, em que o cantor e compositor Leonardo Gonçalves interpreta músicas em hebraico, foi escolhido como a trilha sonora da série de reflexões diárias Talmidim, do pastor Ed René Kivitz.

Rede IBAB Solidária

A Rede Ibab Solidária é um espaço de mobili-

Dica da Adriana Oliveira

zação e cooperação entre a Igreja Batista de Água Branca e projetos e organizações do terceiro setor e agências missionárias. Conheça as organiza-

livro infantil

ções e projetos parceiros e saiba como participar.

HISTÓRIAS DA VELHA CORUJA

Acesse www.redeibabsolidaria.com.br

Dízimos e Ofertas Faça seu cheque nominal à Igreja Batista de Água Branca. Você também pode contribuir por meio de depósito bancário, em qualquer uma das contas abaixo: CNPJ da IBAB: 43.281.625/0001-81 Após efetuar o depósito você pode colocar o comprovante num envelope de contribuição e entregá-lo nos momentos de oferta. Banco

Agência

Local

Conta

Bradesco

0111-2

Anastácio

91403-7

HSBC

0328

Itaú

6645

Barra Funda 07480-72 Emissários

12867-6

Em “Histórias da velha coruja” você vai conhecer uma coruja muito esperta que acompanha de mansinho a vida dos bichos da floresta onde mora. São 14 histórias que se parecem bem com as que nós vivemos. Aprenda com a nossa amiga coruja sobre um coelho esperto, um salmão corajoso pra valer, um guaxinim que gosta de bancar o detetive, um morcego que se acha aterrorizante, um puma solitário, duas cobras literalmente linguarudas e muito mais. Quem sabe uma dessas histórias não seja a sua também! O livro é publicado pela editora Vida e é escrito e ilustrado por Paulo Debs, autor de diversos livros infantis e membro da IBAB.

Região de beleza natural, que abriga o PETAR - Parque Estadual Turístico do Alto Ribeira, com mais de 300 cavernas, dezenas de cachoeiras, trilhas, comunidades tradicionais e quilombolas. Tamanha riqueza natural da região contrasta com um dos menores IDH do Estado de São Paulo. É no bairro da Serra, uma comunidade empobrecida, que desde 2004 o MAI tem desenvolvido um relacionamento de amizade e serviço com seus moradores. No período dos feriados do mês de junho, um grupo de voluntários do MAI desenvolverá ações na área da saúde: atendimento médico e odontológico; ações educativas e preventivas; atividades com as crianças, atendimento à mulher com cuidados de beleza e artesanato, esporte, atividades com a participação de toda a comunidade e a realização de um bazar que possibilitará que as famílias adquiram roupas a preços simbólicos. Com o resultado do bazar algumas melhorias, a pedido da liderança da comunidade, serão realizadas.

Existem no Brasil cerca de 1.000 comunidades de estrutura quilombola. No estado de São Paulo são 25 e, dentre essas, 13 estão localizadas na região do Vale do Ribeira e são acompanhadas pelo Instituto de Terras de São Paulo (ITESP). Neste ano, na semana de 12 a 18 de julho, adolescentes e pro-

Dica do Célia Regina Marques

Do alto do Morro do Borel tem-se uma das mais lindas vistas da cidade do Rio de Janeiro O Morro do Borel, uma das comunidades mais antigas da capital, se localiza no bairro da Tijuca na zona norte do Rio de Janeiro, com uma população aproximada de 20 mil moradores, sendo a maioria composta de jovens e crianças. É lá que, desde 1990, está a JOCUM - Jovens com uma Missão, uma ONG internacional e interdenominacional cristã, com 27 mil voluntários em mais de 180 paises. Iniciaram no Borel com um ambulatório de enfermagem que mais tarde foi ampliado para atendimento médico e odontológico. Na área da educação há a Creche Semente, a Escola de Música Bom Tom, que a IBAB é parceira, o CRIARTE, com oficinas de artesanato e geração de renda para mulheres, a biblioteca e centro de informática. Desde julho de 2007, os jovens da IBAB participam, em parceria com a JOCUM Borel, de um projeto com atuação diaconal, doando um período de suas férias para servir àquela comunidade. Neste ano, nossos jovens desenvolverão ações com as crianças: escola bíblica de férias, música e esporte; com as mulheres: espaço com oficinas de auto-estima, beleza e estética; e com a comunidade em geral: ciclo de palestras, atendimento medido e odontológico, oficinas de artesanato e ações de cuidado com o meio ambiente.

Silvia Kivitz

espiritualidade e meio ambiente

A criança inicia seu processo de leitura por meio das histórias que ouve de seus pais, dos sons e das cores que permeiam o universo infantil. A leitura de seu mundo precede a leitura da palavra. As histórias contadas pelos adultos são fundamentais para que a criança estabeleça a sua identidade e compreenda melhor as relações familiares. Outro fato relevante é o vínculo afetivo que se estabelece entre o contador das histórias e a criança. Contar e ouvir histórias perto de quem se ama é compartilhar uma experiência gostosa, na descoberta do mundo dos contos e livros. O livro infantil passa pelo imaginário da criança, possibilitando o desenvolvimento da capacidade de identificação com a história, ampliação do vocabulário, formação da consciência de mundo e pensamento crítico. A literatura infantil é importante para incentivar a formação do hábito de leitura na idade em que todos os hábitos se formam: a infância. Ler é o caminho que leva a criança a desenvolver a imaginação, emoções e sentimentos de forma prazerosa e significativa. Ler para compreender o mundo que a cerca, seu contexto social, conhecer diferentes culturas, aprender a escrever, contar histórias lidas, criar e recriar, sentir emoções, soltar a imaginação... A leitura tem o poder de “transportar” as emoções e provocar variações de pensamentos. Todo leitor recebe o presente de fazer parte da cultura letrada, algo que, com o avanço da tecnologia, vem sendo cada vez mais escasso. Para se tornar um bom leitor, é preciso começar com livros adequados à faixa etária, de preferência bem ilustrados, e, principalmente, que seja algo prazeroso para a criança. O adulto não deve forçar a leitura de textos complexos achando que desta forma irá ampliar o potencial de aprendizagem de conteúdos que considera importantes. No momento certo, estes conhecimentos serão integrados à vida da criança. A leitura vista desta forma torna-se enfadonha e, em pouco tempo, a criança perde totalmente o interesse por ela. Uma única viagem pelo imaginário e o pequeno leitor nunca mais será capaz de se perceber sem que esteja acompanhado de um bom livro. A imagem está posta, mas o que se lê viaja em nosso pensamento transformando saberes socialmente acumulados em práticas compartilhadas. Indicação de leitura: Histórias da Velha Coruja, editora Vida de criança, escrito e ilustrado por Paulo Debs, autor de diversos livros infantis, membro da IBAB.

Lembro-me bem dos temas que estudávamos na Escola Bíblica Dominical quando eu era um adolescente. “Não se misturar com o mundo” e “levar pessoas a Cristo” eram temas recorrentes. Também havia forte apelo para que a leitura bíblica e a oração fizessem parte do cotidiano. Nas revistas, que funcionavam como um guia para o estudo, havia as leituras diárias – textos bíblicos que reforçavam o assunto central da lição. Me esforçava para ler cada um e quando não o fazia durante a semana, no sábado meu pai exercia o santo encargo de me fazer lembrar da tarefa. Afinal não podia ir à EBD sem ter estudado a lição. Quando olho no retrovisor da vida percebo o quanto estas experiências sedimentaram uma fé sincera em Cristo, amor pelas Escrituras e pela Igreja. Por outro lado, ninguém me explicou que o compromisso de seguir a Jesus incluía mais do que estar no templo aos finais de semana, estudar a bíblia, orar e tomar cuidado com as tentações oferecidas pelo mundo. Bem depois que minha adolescência terminou, passei a entender que a fé em Deus me chamava a um comprometimento que ultrapassava as questões de foro íntimo e a minha convivência no seio da comunidade cristã. Aprendi no Gênesis que o ser humano foi chamado a assumir o comando do planeta e ser responsável por cuidar dele. Aprendi que a desobediência do primeiro casal geraria conseqüências e perdas para todo o universo e que a maneira como nos relacionamos com a criação hoje tem origem na ilusão de que somos de fato o verdadeiro padrão moral para nós mesmos.. Entendi que um dos desdobramentos disso é acreditar que viver aglomerados em cidades é melhor do que viver em um jardim. Me explicaram que a presença da Igreja no mundo tem por propósito a continuação da obra de Jesus, e que sinalizar historicamente o Reino de Deus incluí também o cuidado com o planeta, o engajamento pessoal e comunitário em causas ambientais. Aprendi a ler as Escrituras com os óculos do Reino de Deus e me foi revelado que Deus em Jesus estava reconciliando consigo mesmo todas as coisas (Colossenses 1. 15-20) e que salvação não diz respeito apenas a evangelização dos “povos não alcançados”, mas a restauração de toda a criação. Compreendi que, na verdade, é Deus que está em missão e que sou chamado a ser parceiro Dele na tarefa de trazer tudo e todos para debaixo de seu governo. É muito bom saber que hoje as crianças, adolescentes e jovens de nossa comunidade podem aprender todos esses conceitos. É bom saber que não precisam fazer grandes esforços para relacionar as expressões Espiritualidade e Meio Ambiente. É bom saber que estão sendo convocados a uma fé engajada, uma fé comprometida com as demandas do planeta em que vivem e encarnada em seu cotidiano. É bom saber que eles têm a possibilidade de entender que podem ir muito além do ecologicamente correto, que podem entender que é seu dever cuidar do lixo que produzem e que a água que consomem não é sua mas de todos e que por isso usufruem dela com responsabilidade.

Célia Regina Marques

Joabe Santos

@celiafsilva

@sjoabe


ibab em missão

Destaques Culturais

Contatos Ministeriais Igreja Batista de Água Branca IBAB Ed René Kivitz ibab@ibab.com.br

literatura infantil e formação do imaginário da criança

livro

ONDE DORMEM AS CRIANÇAS

Nos feriados do mês de junho e nas férias de julho, os participantes do MAI, os adolescentes e os jovens sairão em missão, sinalizando o Reino de Deus, por meio de ações e palavras. Nesse período, a Ibab estará em regiões que apresentam baixo Índice de Desenvolvimento Humano (IDH), desenvolvendo projetos sócio-missionários, em parceria com igrejas, comunidades locais e organizações. Conheça nossos projetos de vivência em Missão Integral. Participe, doe, acompanhe, interceda para que ao verem as nossas boas obras, glorifiquem ao Pai, que está nos céus!

“Where children sleep” é um projeto do fotógrafo James Mollison, nascido no Quênia, compilado em livro homônimo. Ele fotografou crianças de várias partes do mundo e o lugar onde dormem. Cada par de fotografias é acompanhada por um texto que contextualiza a vida de cada uma delas. Vale a pena sair do nosso próprio quarto e conhecer as realidades das crianças em vários lugares do mundo.

IBAB Missão Silvia Kivitz missao@ibab.com.br IBAB Pastoral Cláudio Manhães pastoral@ibab.com.br IBAB Adoração Adriana Oliveira adoracao@ibab.com.br IBAB Criança José Mario ministerioetario@ibab.com.br IBAB Jovem Fabricio Cunha jovens@ibab.com.br

fissionais da IBAB desenvolverão ações em parceria com a comunidade local. Com a participação de uma médica pediatra e de uma enfermeira, além do atendimento médico realizarão ações educativas e preventivas no cuidado com a saúde. Em Pedro Cubas há um grande número de crianças e acontecerão atividades especiais na área de esporte, recreação e escola bíblica de férias. Contribuindo para uma boa auto-estima das crianças e adolescentes, haverá um ciclo de palestras educativas sobre o cuidado com o corpo e a proteção da infância e adolescência. Com as mulheres serão desenvolvidas oficinas de artesanato e geração de renda, além das ações de beleza, com cabeleireiros e esteticista. As noites serão voltadas para a festa da família e participações dos talentos da comunidade. Um bazar será realizado e sua renda será revertida em melhorias na comunidade.

Dica da Silvia Kivitz

IBAB Adolas Joabe Santos adolas@ibab.com.br

música

AVINU MALKENU (NOSSO PAI, NOSSO REI)

Fórum Cristão de Profissionais Levi Araújo fcp@ibab.com.br

O CD “Avinu Malkenu”, que significa “Nosso Rei, Nosso Pai”, em que o cantor e compositor Leonardo Gonçalves interpreta músicas em hebraico, foi escolhido como a trilha sonora da série de reflexões diárias Talmidim, do pastor Ed René Kivitz.

Rede IBAB Solidária

A Rede Ibab Solidária é um espaço de mobili-

Dica da Adriana Oliveira

zação e cooperação entre a Igreja Batista de Água Branca e projetos e organizações do terceiro setor e agências missionárias. Conheça as organiza-

livro infantil

ções e projetos parceiros e saiba como participar.

HISTÓRIAS DA VELHA CORUJA

Acesse www.redeibabsolidaria.com.br

Dízimos e Ofertas Faça seu cheque nominal à Igreja Batista de Água Branca. Você também pode contribuir por meio de depósito bancário, em qualquer uma das contas abaixo: CNPJ da IBAB: 43.281.625/0001-81 Após efetuar o depósito você pode colocar o comprovante num envelope de contribuição e entregá-lo nos momentos de oferta. Banco

Agência

Local

Conta

Bradesco

0111-2

Anastácio

91403-7

HSBC

0328

Itaú

6645

Barra Funda 07480-72 Emissários

12867-6

Em “Histórias da velha coruja” você vai conhecer uma coruja muito esperta que acompanha de mansinho a vida dos bichos da floresta onde mora. São 14 histórias que se parecem bem com as que nós vivemos. Aprenda com a nossa amiga coruja sobre um coelho esperto, um salmão corajoso pra valer, um guaxinim que gosta de bancar o detetive, um morcego que se acha aterrorizante, um puma solitário, duas cobras literalmente linguarudas e muito mais. Quem sabe uma dessas histórias não seja a sua também! O livro é publicado pela editora Vida e é escrito e ilustrado por Paulo Debs, autor de diversos livros infantis e membro da IBAB.

Região de beleza natural, que abriga o PETAR - Parque Estadual Turístico do Alto Ribeira, com mais de 300 cavernas, dezenas de cachoeiras, trilhas, comunidades tradicionais e quilombolas. Tamanha riqueza natural da região contrasta com um dos menores IDH do Estado de São Paulo. É no bairro da Serra, uma comunidade empobrecida, que desde 2004 o MAI tem desenvolvido um relacionamento de amizade e serviço com seus moradores. No período dos feriados do mês de junho, um grupo de voluntários do MAI desenvolverá ações na área da saúde: atendimento médico e odontológico; ações educativas e preventivas; atividades com as crianças, atendimento à mulher com cuidados de beleza e artesanato, esporte, atividades com a participação de toda a comunidade e a realização de um bazar que possibilitará que as famílias adquiram roupas a preços simbólicos. Com o resultado do bazar algumas melhorias, a pedido da liderança da comunidade, serão realizadas.

Existem no Brasil cerca de 1.000 comunidades de estrutura quilombola. No estado de São Paulo são 25 e, dentre essas, 13 estão localizadas na região do Vale do Ribeira e são acompanhadas pelo Instituto de Terras de São Paulo (ITESP). Neste ano, na semana de 12 a 18 de julho, adolescentes e pro-

Dica do Célia Regina Marques

Do alto do Morro do Borel tem-se uma das mais lindas vistas da cidade do Rio de Janeiro O Morro do Borel, uma das comunidades mais antigas da capital, se localiza no bairro da Tijuca na zona norte do Rio de Janeiro, com uma população aproximada de 20 mil moradores, sendo a maioria composta de jovens e crianças. É lá que, desde 1990, está a JOCUM - Jovens com uma Missão, uma ONG internacional e interdenominacional cristã, com 27 mil voluntários em mais de 180 paises. Iniciaram no Borel com um ambulatório de enfermagem que mais tarde foi ampliado para atendimento médico e odontológico. Na área da educação há a Creche Semente, a Escola de Música Bom Tom, que a IBAB é parceira, o CRIARTE, com oficinas de artesanato e geração de renda para mulheres, a biblioteca e centro de informática. Desde julho de 2007, os jovens da IBAB participam, em parceria com a JOCUM Borel, de um projeto com atuação diaconal, doando um período de suas férias para servir àquela comunidade. Neste ano, nossos jovens desenvolverão ações com as crianças: escola bíblica de férias, música e esporte; com as mulheres: espaço com oficinas de auto-estima, beleza e estética; e com a comunidade em geral: ciclo de palestras, atendimento medido e odontológico, oficinas de artesanato e ações de cuidado com o meio ambiente.

Silvia Kivitz

espiritualidade e meio ambiente

A criança inicia seu processo de leitura por meio das histórias que ouve de seus pais, dos sons e das cores que permeiam o universo infantil. A leitura de seu mundo precede a leitura da palavra. As histórias contadas pelos adultos são fundamentais para que a criança estabeleça a sua identidade e compreenda melhor as relações familiares. Outro fato relevante é o vínculo afetivo que se estabelece entre o contador das histórias e a criança. Contar e ouvir histórias perto de quem se ama é compartilhar uma experiência gostosa, na descoberta do mundo dos contos e livros. O livro infantil passa pelo imaginário da criança, possibilitando o desenvolvimento da capacidade de identificação com a história, ampliação do vocabulário, formação da consciência de mundo e pensamento crítico. A literatura infantil é importante para incentivar a formação do hábito de leitura na idade em que todos os hábitos se formam: a infância. Ler é o caminho que leva a criança a desenvolver a imaginação, emoções e sentimentos de forma prazerosa e significativa. Ler para compreender o mundo que a cerca, seu contexto social, conhecer diferentes culturas, aprender a escrever, contar histórias lidas, criar e recriar, sentir emoções, soltar a imaginação... A leitura tem o poder de “transportar” as emoções e provocar variações de pensamentos. Todo leitor recebe o presente de fazer parte da cultura letrada, algo que, com o avanço da tecnologia, vem sendo cada vez mais escasso. Para se tornar um bom leitor, é preciso começar com livros adequados à faixa etária, de preferência bem ilustrados, e, principalmente, que seja algo prazeroso para a criança. O adulto não deve forçar a leitura de textos complexos achando que desta forma irá ampliar o potencial de aprendizagem de conteúdos que considera importantes. No momento certo, estes conhecimentos serão integrados à vida da criança. A leitura vista desta forma torna-se enfadonha e, em pouco tempo, a criança perde totalmente o interesse por ela. Uma única viagem pelo imaginário e o pequeno leitor nunca mais será capaz de se perceber sem que esteja acompanhado de um bom livro. A imagem está posta, mas o que se lê viaja em nosso pensamento transformando saberes socialmente acumulados em práticas compartilhadas. Indicação de leitura: Histórias da Velha Coruja, editora Vida de criança, escrito e ilustrado por Paulo Debs, autor de diversos livros infantis, membro da IBAB.

Lembro-me bem dos temas que estudávamos na Escola Bíblica Dominical quando eu era um adolescente. “Não se misturar com o mundo” e “levar pessoas a Cristo” eram temas recorrentes. Também havia forte apelo para que a leitura bíblica e a oração fizessem parte do cotidiano. Nas revistas, que funcionavam como um guia para o estudo, havia as leituras diárias – textos bíblicos que reforçavam o assunto central da lição. Me esforçava para ler cada um e quando não o fazia durante a semana, no sábado meu pai exercia o santo encargo de me fazer lembrar da tarefa. Afinal não podia ir à EBD sem ter estudado a lição. Quando olho no retrovisor da vida percebo o quanto estas experiências sedimentaram uma fé sincera em Cristo, amor pelas Escrituras e pela Igreja. Por outro lado, ninguém me explicou que o compromisso de seguir a Jesus incluía mais do que estar no templo aos finais de semana, estudar a bíblia, orar e tomar cuidado com as tentações oferecidas pelo mundo. Bem depois que minha adolescência terminou, passei a entender que a fé em Deus me chamava a um comprometimento que ultrapassava as questões de foro íntimo e a minha convivência no seio da comunidade cristã. Aprendi no Gênesis que o ser humano foi chamado a assumir o comando do planeta e ser responsável por cuidar dele. Aprendi que a desobediência do primeiro casal geraria conseqüências e perdas para todo o universo e que a maneira como nos relacionamos com a criação hoje tem origem na ilusão de que somos de fato o verdadeiro padrão moral para nós mesmos.. Entendi que um dos desdobramentos disso é acreditar que viver aglomerados em cidades é melhor do que viver em um jardim. Me explicaram que a presença da Igreja no mundo tem por propósito a continuação da obra de Jesus, e que sinalizar historicamente o Reino de Deus incluí também o cuidado com o planeta, o engajamento pessoal e comunitário em causas ambientais. Aprendi a ler as Escrituras com os óculos do Reino de Deus e me foi revelado que Deus em Jesus estava reconciliando consigo mesmo todas as coisas (Colossenses 1. 15-20) e que salvação não diz respeito apenas a evangelização dos “povos não alcançados”, mas a restauração de toda a criação. Compreendi que, na verdade, é Deus que está em missão e que sou chamado a ser parceiro Dele na tarefa de trazer tudo e todos para debaixo de seu governo. É muito bom saber que hoje as crianças, adolescentes e jovens de nossa comunidade podem aprender todos esses conceitos. É bom saber que não precisam fazer grandes esforços para relacionar as expressões Espiritualidade e Meio Ambiente. É bom saber que estão sendo convocados a uma fé engajada, uma fé comprometida com as demandas do planeta em que vivem e encarnada em seu cotidiano. É bom saber que eles têm a possibilidade de entender que podem ir muito além do ecologicamente correto, que podem entender que é seu dever cuidar do lixo que produzem e que a água que consomem não é sua mas de todos e que por isso usufruem dela com responsabilidade.

Célia Regina Marques

Joabe Santos

@celiafsilva

@sjoabe


Agenda Julho SAB

2

20h00

Sábado Teen

DOM

3

10h00

Celebração com Ceia Memorial

DOM

3

18h30

Destaques da Programação

Aconteceu

CELEBRAÇÃO DO MAI O MAI é o ministério da IBAB voltado aos adultos – solteiros, viúvos e descasados – que freqüentam

Nos meses de junho e julho são rea-

Celebração com Ceia Memorial

ou não a igreja. Os encontros são aos sábados, quinzenalmente. No dia 9 de julho o preletor será o

lizados os projetos sócio-missionários

pastor Itamir Neves, que abordará o tema: “A importância da Palavra de Deus”.

no Bairro da Serra - Iporanga, Qui-

TER

5

20h00

Semana Jovem

QUA

6

20h00

Semana Jovem

QUA

6

20h30

Celebrando a Recuperação

CASAIS JOVENS

QUI

7

20h00

Semana Jovem

Dia 9 de julho, às 18h30, teremos mais um encontro do Chega Junto - Programa do Ministério de

SEX

8

20h00

Semana Jovem

SAB

9

18h30

Chega Junto

SAB

9

20h00

Celebração MAI

SEMANA MAI

DOM

10

10h00

Celebração

O tema da Semana MAI 2011 será “UM HOMEM POR TRÁS DO MITO: um olhar sobre a vida dos

DOM

10

18h30

Celebração

patriarcas.” A programação, voltada especialmente ao público adulto jovem – solteiros, separados e

QUA

13

20h30

Celebrando a Recuperação

DOM

17

10h00

Celebração

DOM

17

18h30

Celebração

TER

19

20h00

Semana MAI

QUA

20

20h30

Celebrando a Recuperação

QUA

20

20h00

Semana MAI

QUI

21

20h00

Semana MAI

lombo Pedro Cubas - Eldorado (ambos no Vale do Ribeira) e Morro do Borel - Rio de Janeiro. Os integrantes do MAI, Adolescentes e Jovens da Ibab

Casais IBAB voltado aos Casais Jovens da comunidade. Participe!

que participarão dos projetos, estiveram reunidos no dia 12 de junho e receberam instrução bíblica, orientação sobre a visão de voluntariado Ibab e, divididos em grupos, compartilharam suas experiências e expectativas sobre

viúvos, contará com a participação dos pastores Alexandre Robles, Ariovaldo Ramos, Ed René Kivitz

temas como infância, família, desafios,

e Levi Araújo e a presença de Gerson Borges, Juliana Bragança, Marco Bento e Stenio Marcius. De

meio-ambiente, amor, futuro, amizade,

19 (terça-feira) a 22 (sexta-feira) de julho, às 20h30. Haverá cantina todos os dias, a partir das 19h30.

estar em casa e solidariedade. Estar em e como servimos.

T E R A P I A C O M U N I TÁ R I A Ibab, um grupo terapêutico que tem como objetivo proporcionar um ambiente de respeito mútuo onde os participantes possam compartilhar, refletir e aprender a lidar com suas dificuldades. Todos

22

20h00

Semana MAI

24

10h00

Celebração

DOM

24

18h30

Celebração

TER

26

20h30

Semana da Familia

QUA

27

20h30

Celebrando a Recuperação

QUA

27

20h30

Semana da Familia

Os preletores serão Ed René Kivitz, Osmar Ludovico e Isabelle Ludovico. Haverá programação

QUI

28

20h30

Semana da Familia

para as crianças. Anote, participe e convide seus amigos.

SEX

29

20h30

Semana da Familia

DOM

31

10h00

Celebração

DOM

31

18h30

Celebração

os interessados estão convidados a participar.

FÓRUM CRISTÃO DE PROFISSIONAIS A oitava edição do Fórum Cristão de Profissionais aconteceu na noite de 13 de junho com o tema “Ganhar o Mundo Sem Perder a Alma – Equilíbrio

S E M A N A D A FA M Í L I A

entre vida pessoal e profissional”. Isabella Maciel de Sá, Davi Lago e Ed René

Toda a igreja está convidada para a Semana da Família 2011, que acontecerá nos dias 26 a 29 de

Kivitz apresentaram três palestras instigantes e responderam às perguntas do

julho, com o tema “Espiritualidade na Família”.

IBAB JOVEM Com o tema “Dias melhores pra sempre: porque a eternidade começa aqui”,

envolvendo todos os seus frequentadores, além dos limites culto-clero-domingo-templo.

ref lexão. Em junho, contamos com as presenças especiais de PC Baruk e Juliana Bragança na Música e de Reinaldo Júnior e Rogério Quadra na Palavra.

auditório encaminhadas ao Levi Araújo, que mediou o encontro.

Rua Robert Bosch, 116 Barra Funda/SP 01141-010 Tel: (11) 3618-3030

ENCONTROS DE NOVOS MEMBROS

ibab@ibab.com.br

Se você deseja ser batizado ou formalizar sua membresia junto à IBAB, informe-se e faça sua

www.ibab.com.br

inscrição para a próxima turma, no estande “Novos Membros”, após a celebração.

CONHEÇA SUA BÍBLIA

www.semanajovemibab.com.br

dessa nova vida e dessa outra consciência, soas, nos tornando parte delas e fazendo-as

o amor, sua natureza é a comunidade. Sendo um Deus

parte de nós, sendo sempre misturados uns

único, coexiste de forma perfeitamente harmônica

aos outros pelo Espírito Santo, e vamos nos

sendo três pessoas. Deu-se o primeiro ENCONTRO.

tornando mais gente.

vimeo.com/ibab flickr.com/ibab “Conheça sua Bíblia” é um espaço de reflexão bíblica e teológica que acontece

Percebendo a beleza dessa coexistência perfei-

Encontrar-se é preciso!!! Encontrar-se é

ta, Deus quis multiplicá-la, estendendo a nós a

misturar-se ao outro, tornando o outro um

O quarto encontro aconteceu no dia 20 de Junho, com o tema “A História da

possibilidade de partilharmos consigo dessa re-

“outro melhor”. Encontrar-se é incluir o outro

Redenção”. O áudio e o vídeo da mensagem estão disponíveis no site da IBAB

lação. Deu-se o ENCONTRO mais importante

em nós, tornando-nos “ uma pessoa melhor”.

para download gratuito. O próximo encontro será no dia 15 de Agosto, às 20h30.

ato fundante o encontro com o Senhor, não

tro tipo de gente. Gente que enxerga com outros

encontra-se COM, encontra-se EM, afinal,

olhos, decide em outras categorias e relaciona-se

nesses encontros, vamos nos tornando parte

com profundidade e pessoalidade.

do outro e o outro parte da gente.

Quem encontra-se com Deus nunca permanece a mesma pessoa. É a partir desse encontro,

todo mês, sempre às segundas-feiras, com o pastor Ed René Kivitz.

Quem se encontra de verdade, tendo como

Esse ENCONTRO com Deus nos faz um ou-

“EmComOutro”, deu-se o verdadeiro ENCONTRO!!!

twitter.com/ibab facebook.com/oficialibab

que vamos nos encontrando com outras pes-

Ninguém é alguém, sozinho. Se a essência de Deus é

da vida de qualquer pessoa.

priorizando relacionamentos,

os jovens da IBAB celebraram juntos o sentido da vida com muita música e

Aviso

SEMANA JOVEM IBAB O VERDADEIRO ENCONTRO

Ser um sinal histórico do Reino de Deus, levando o evangelho todo para o homem todo,

Na segunda-feira, dia 25 de julho, às 20h30, haverá mais um encontro de Terapia Comunitária na

SEX

0 5 a 0 8 de julho às 20h00

Informativo nº 14 - Julho 2011

missão requer saber porque servimos

DOM

Vem aí

AS ESCRITURAS SAGRADAS E AS CRISES DE FÉ

ENCONTRO COM OS PARTICIPANTES DOS PROJETOS “IBAB EM MISSÃO”

ORQUESTRA AEB - PROJETO CRIAR & TOCAR Na noite do d ia 12 de ju n ho,

Solidária, a Associação Evangélica

tivemos um tempo especial de ce-

Beneficente. Hoje, a AEB desenvol-

lebração, gratidão, louvor e comu-

ve 33 projetos, além do Hospital Ge-

nhão em parceria com a Orquestra

ral de Sorocaba. Para saber mais,

do Projeto Criar e Tocar da AEB.

acesse www.aeb-brasil.org.br

A Ibab apoia, através da Rede Ibab

Eu me converti pelo menos duas vezes. A primeira, da incredulidade para a fé. Foi quando Jesus Cristo deixou de ser um ícone religioso, um mestre da moral e um mero profeta. Naquele instante Jesus se tornou para mim Deus encarnado. Passei a invocar sua presença como quem clama por Deus. Mas passei também por uma segunda conversão. Quando minha fé deixou de ser infantil e se tornou madura. Foi quando a convocação para o discipulado de Jesus, com todas as implicações a respeito do seu caráter, sua identidade, seu propósito redentor, e sua proposta existencial se tornaram consistentes e radicais em minha vida. A passagem da primeira para a segunda conversão é uma crise desesperadora. Lembro da conversa que tive com um mentor espiritual. Disse a ele que havia momentos quando considerava a possibilidade de estar perdendo a fé. “É isso mesmo o que está acontecendo”, ele me disse. “Você está perdendo a fé em um Deus: o Deus da sua infância, e está ganhando fé em outro Deus, o Deus da sua maturidade. Ele é o mesmo Deus, mas para você parece outro. Agora você o percebe e se relaciona com Ele em novas dimensões. É o mesmo Deus revelado em Jesus, mas para você parece outro Deus”. Percebi então que estava vivendo uma crise de fé. E estava também saindo do casulo para ganhar asas. Quando me dei conta de que minhas expectativas a respeito de Deus estavam sendo frustradas, que Ele não agia como eu gostaria que agisse, não fazia o que eu gostaria que fizesse, não interferia no momento exato em que eu gostaria que ele interferisse, não gerava os resultados que eu gostaria que produzisse, e que meu mundo tinha menos interferências explícitas de Deus do que eu julgava ideal, comecei a desconfiar que o Deus em quem eu acreditava não funcionava – aí estava instalada a crise de fé. Você sabe que está em uma crise de fé quando percebe que as respostas que você costumava dar a respeito de Deus e das suas relações com o mundo e com a vida já não são mais suficientes para sustentar sua fé. Suas antigas crenças não oferecem mais esperanças nem explicações para o que está acontecendo com você e ao seu redor. Quando você confronta suas crenças com a realidade, percebe que de fato, “na prática, a teoria é outra”. E então você é chamado a ressignificar toda a sua teoria. No momento seguinte você perde o entusiasmo para o compromisso e engajamento nas coisas de Deus. Buscar em primeiro lugar o reino de Deus deixa de ser uma preocupação do seu coração. Sua vida está cheia de frustração e você está decepcionado com Deus. Você está vivendo o que São João da Cruz chamou de “a noite escura da alma”, marcada pela ausência e o silêncio de Deus. Você não mais percebe Deus, não sente Deus, não ouve Deus, não vê Deus, não experimenta Deus. É como se Deus não existisse. O poeta bíblico, entretanto, diz que “o choro pode durar uma noite, mas pela manhã vem a alegria” [Salmo 30.5]. A crise de fé chega ao fim. Depois dela a fé reaparece renovada, mais consistente, madura, forte, quase inabalável. Mas há um segredo entre a fé infantil e a fé adulta: as Escrituras Sagradas. Foi o que aconteceu com os dois discípulos a caminho de Emaús, que ouviram Jesus explicar tudo quanto Moisés e os profetas haviam falado a respeito de Deus e seu Messias [Lucas 24.13-35]. Naquele momento, as Escrituras Sagradas deixaram de ser um conjunto de informações a respeito de Deus, e se tornaram a própria voz de Deus que fazia arder de paixão seus corações. Enquanto caminhavam ouvindo Jesus expor as Escrituras Sagradas, ouviam o próprio Espírito de Deus sussurrando que eram filhos de Deus [Romanos, 8:16]. Há uma grande diferença entre o Deus descrito pelos clichês das tradições religiosas e o Deus revelado nas Escrituras Sagradas e encarnado em Jesus de Nazaré. As Escrituras Sagradas são divisor de águas entre a fé infantil, que aos poucos se torna fé morta, da fé adulta, capaz de enfrentar o mundo e a vida, quaisquer que sejam as circunstâncias. As Escrituras sagradas são o ponto de ruptura entre a superstição e a idolatria, e a fé autêntica no único Deus vivo e verdadeiro [1Tessalonicenses 1.9]. Você pode considerar que está saindo de sua crise de fé quando começa a perceber que Deus está deixando de ser uma verdade superficial e um poder eventual e aos poucos está se tornando íntimo a você “na mesa da comunhão”: na pequena aldeia de Emaús, no partir do pão e nas ações de graças, os olhos dos homens em crise de fé se abrem para a presença amorosa de Deus em Jesus. Ao contemplar Deus conforme revelado nas Escrituras Sagradas e encarnado em Jesus de Nazaré, você faz a mesma descoberta que Santo Agostinho fez: “Deus me é mais íntimo que meu íntimo, mais íntimo que eu a mim mesmo”. Deus deixa de ser aquele que age com poder do lado de fora para se tornar aquele que habita em você. Deus deixa de ser visível (e procurado) naquilo que faz ou deixa de fazer, e passa a ser real, íntimo e pessoal. E o Espírito de Deus ensina você a orar afetuosamente “Abba, Pai”, enquanto vibra em seu coração a amorosa declaração de Deus: “Você é meu filho amado, em quem tenho prazer; você é minha filha amada, razão da minha alegria”. Ed René Kivitz @edrenekivitz

Informativo Julho de 2011  

Informativo mensal da IBAB - Igreja Batista de Água Branca. Mais informações: http://ibab.com.br/blog http://www.twitter.com/ibab http://www...

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you