Issuu on Google+

2

HEALTHCAREManagement 18

ABRIL I MAIO 2012 healthcaremanagement.com.br

Quando o que realmente importa

É TÃO VALIOSO, cada detalhe faz toda a

DIFERENÇA. No trabalho das grandes redes hospitalares, muitos detalhes precisam ser cuidados. A Masan é uma empresa que fornece serviços especializados com responsabilidade e ética, atendendo às mais variadas demandas. Nos hospitais, atua nas áreas de limpeza, manutenção predial, serviços de maqueiros e recepcionistas, alimentação e atendimento em nutrição enteral de unidades públicas e privadas. Há 17 anos no mercado, a Masan acredita que a dedicação ao trabalho, aliada ao conhecimento técnico, traz resultados ainda mais positivos. Masan. Saúde e bem-estar estão no nosso DNA.

www.masan.com.br

HEALTHCAREManagement 18

ABRIL I MAIO 2012 healthcaremanagement.com.br

3

EXPEDIENTE

EDITORIAL

A IMPORTÂNCIA DA PRESIDENTE Edmilson Jr. Caparelli edmilsoncaparelli@grupomidia.com ADMINISTRATIVO E FINANCEIRO Lúcia Rodrigues lucia@grupomidia.com

A

MARKETING E EVENTOS Erica Alves erica.alves@grupomidia.com

PUBLISHER Edmilson Jr. Caparelli REDAÇÃO Priscila Soares priscila@grupomidia.com Thiago Cruz thiagocruz@grupomidia.com FOTOS Banco de imagens Divulgação Jo Capusso (capa/matéria de capa) DEPARTAMENTO DE ARTE Criação: Erica Alves Diagramação: Mariana Siquinelli DEPARTAMENTO COMERCIAL Giovana Teixeira giovana@grupomidia.com Jailson Rainer jailson@grupomidia.com Joyce Anna Matta joyce@grupomidia.com Matheus Del Lama matheus@grupomidia.com ASSINATURAS E CIRCULAÇÃO assinatura@grupomidia.com OPERAÇÕES Departamento Jurídico juridico@grupomidia.com Pesquisa - Global Pesquisa Suporte e Atendimento on-line suporte@grupomidia.com

ATENDIMENTO AO LEITOR atendimento@grupomidia.com A revista Healthcare Management é uma publicação bimestral do Grupo Mídia. Sua distribuição é controlada e ocorre em todo o território nacional Rua Antônio Manuel Moquenco Pardal, 1027 Ribeirania Cep:14096290 Ribeirão Preto-SP Tel: (16)36293010 www.grupomidia.com

4

HEALTHCAREManagement 18

ACREDITAÇÃO tríplice coroa. Esta é a chamada de capa desta edição da Healthcare, que aborda um tema importantíssimo para a área da saúde: a Acreditação. A manchete faz menção à Unidade Pompeia do Hospital São Camilo, que recentemente conquistou um dos mais rigorosos processos de certificação do mundo - a Joint Commission International (JCI), fazendo com que o hospital tenha agora, três certificações: JCI, ONA (Organização Nacional de Acreditação) e Acreditation Canada. Tais selos de qualidade, oferecidos por grandes organizações credenciadas internacionalmente, são cada vez mais almejados por hospitais, clínicas e laboratórios brasileiros, fazendo com que os serviços oferecidos por eles, sejam otimizados e ganhem em qualidade. Isso porque são realizadas rigorosas avaliações nos ambientes de saúde, para que estes estejam aptos a receberem certificações, existentes em vários níveis. Na matéria de capa, o leitor

saberá tudo o que o São Camilo fez e vem fazendo dentro de sua estrutura hospitalar, e que culminou na tríplice coroa. A Healthcare traz também matéria com a ONA, relatando tudo o que é necessário para que um estabelecimento da saúde seja acreditada com seu selo de qualidade, altamente valorizado no segmento. Além disso, não poderia ficar de fora desta edição a maior feira do setor hospitalar das Américas, a 19ª Feira e Fórum Hospitalar que acontece este mês, na cidade de São Paulo. A publicação traz entrevista exclusiva com a presidente da feira, Dra. Waleska Santos. Ainda relacionado à feira, a Healthcare traz o Especial HealthIT, que aborda o que grandes empresas da Tecnologia da Informação apresentarão durante o evento, no qual, grandes novidades são lançadas. Outras muitas matérias imprescindíveis para o conhecimento do leitor podem ser lidas nas próximas páginas, da Healthcare, que nesta 18ª Edição vem com layout e proposta editorial novinhos em folha.

ABRIL I MAIO 2012 healthcaremanagement.com.br

HEALTHCAREManagement 18

ABRIL I MAIO 2012 healthcaremanagement.com.br

5

NESTA EDIÇÃO

ABRIL-MAIO INOVAÇÃO

PONTO DE VISTA Dra. Waleska Santos, presidente da Hospitalar, em entrevista revela a expectativa de gerar R$ 6,4 bilhões em negócios fechados e encaminhados na 19ª edição do evento, que acontece este mês

44 Adeus ao papel Programa pioneiro inclui o prontuário eletrônico em todas as áreas do Hospital Infantil Sabará

08 Paradoxo tecnológico da saúde Artigo do engenheiro clínico Guilherme Xavier sobre os avanços tecnológicos vividos pela medicina nas últimas décadas e disponíveis em nossos hospitais

FOCO NA

GESTÃO

TERCEIRIZAÇÃO

ACREDITAÇÃO 14 Qualidade atestada e comprovada Considerado referência em todo o mundo, Sistema Brasileiro de Acreditação contribui para o aprimoramento da assistência à saúde no país

22 Certificação em nível 3 Fundação Pró-Rim recebe certificação em nível 3 da ONA.

32 Esterilização é coisa séria Há 27 anos, a Sterileno atua no mercado de esterilização de materiais odonto-médicohospitalar, tendo como clientes os mais importantes hospitais do estado de São Paulo

40 Alimentação e Segurança no INCA INCA conta com o suporte de empresas terceirizadas, entre elas Centauro Segurança e Masan

26

26 A conquista das três certificações Unidade Pompeia do Hospital São Camilo conquista a tríplice coroa em certificações ao conseguir o selo Joint Commission Internacional

34 Serviços Gerais: suporte necessário

14

Unimed Paulistana aposta no suporte de empresas especializadas em serviços gerais como segurança, limpeza e dedetização

34

ALTA NOS

NEGÓCIOS INDÚSTRIA 46 Crescimento nas exportações Marca de empresas brasileiras ajuda multiplicar exportações em cerca de 260%

EMPRESA 51 Pelos trilhos da saúde Empresa fabricante de equipamentos médicos JG Moriya fala sobre as vantagens de ser associada à ABIMO

HEALTH-IT

ESPECIAL

55 Especial Hospitalar 2012 Fique sabendo o que as empresas de tecnologia da informação para a área da saúde levarão de novidades à 19ª Edição da Feira e Fórum Hospitalar 2012

56

56 AGFA Healthcare 57 Input Center 58 JME

46

ENTREVISTA

59 PR Sistemas

52 Atestados com certificação digital

60 Rogetech 61 SPData

Desde o mês de março, associados da APM usufruem de atestados médicos com certificação digital. Confira a entrevista com o membro da diretoria da associação Dr. Paulo Tadeu Falanghe

ESCOLHA

60

CERTA

HOSPITAL 62 Investindo em estrutura e tecnologia Hospital e Maternidade Sino-Brasileiro amplia estrutura e investe em equipamentos de tecnologia de ponta

EQUIPAMENTO 66 Estrutura certa para bebês prematuros

52

Equipamentos de ponta oferecem suporte aos pequenos como a monitorização respiratória e hemodinâmica, o apoio ventilatório convencional e de alta frequência, monitorização cerebral à beira do leito, entre outros

HEALTHCAREManagement 18

ENTIDADE

72 ANAHP tem novo presidente

Francisco Balestrin, da Rede Vita de Hospitais, assumiu a presidência do Conselho Deliberativo da ANAHP

OPERADORA

74 41 anos preocupada com a saúde Unimed Araraquara, SP, busca melhorias constantes para ampliar cada vez mais sua estrutura de atendimento, oferecendo diversos recursos e serviços aos clientes

ABRIL I MAIO 2012 healthcaremanagement.com.br

7

PONTO

DE VISTA ARTIGO

PARADOXO TECNOLÓGICO

DA SAÚDE Por Guilherme Xavier*

P

oucas ciências humanas foram tão beneficiadas pelos avanços tecnológicos vividos nas últimas décadas quanto têm sido a medicina. A mesma tecnologia desenvolvida pela Nasa para manter vivo um astronauta no espaço está hoje disponível em nossos hospitais. O contínuo avanço, principalmente na eletrônica, informática e óptica, permitiu à prática médica maior rapidez, exatidão e a cada dia disponibilizar novas terapias. A visibilidade destes benefícios foi tanta que, de uma hora para outra, os hospitais ficaram inundados de equipamentos. De fato, a forma acelerada como ocorre esta incorporação tecnológica faz com que hoje os equipamentos biomédicos representem mais de 50% no custo total dos empreendimentos hospitalares. Apesar de todos os benefícios gerados por esta intensa sofisticação, há um grande impasse no setor de saúde do Brasil e do mundo devido aos efeitos negativos consequentes desta acelerada mo-

8

HEALTHCAREManagement 18

dernização, sendo o maior deles o crescimento desenfreado dos gastos no setor hospitalar. Para os especialistas os dois principais fatores deste crescimento são: o aumento da longevidade da população que, mais idosa, tem provocado maior demanda por assistência médica; fator que é denominado como “paradoxo tecnológico de saúde”. Segundo estudo realizado pelo IBM (Institute for Business Value), “HealthCare 2015: Win-Win or Lose- Lose?”, até 2015 muitos serviços de saúde do mundo se tornarão insustentáveis se não forem reformulados. Mas o que é o Paradoxo Tecnológico da Saúde? Toda tecnologia possui seu ciclo de vida útil. Elas são desenvolvidas, incorporadas pelo mercado, depois caem em desuso à medida que outras mais modernas as substituem. Por exemplo, nas nossas casas os antigos vídeos-cassetes deram lugar aos aparelhos de DVD e que agora estão dando lugar aos BLU-RAY. Já os equipamentos bio-

médicos apresentam o que chamamos de “elasticidade do ciclo de vida”, pois as novas tecnologias têm complementado às anteriores ao invés de substituí-las. Por exemplo, o tomógrafo não substituiu o uso do aparelho de raios-x simples, e tão pouco a ressonância magnética veio a substituir o tomógrafo. Novas tecnologias já estão em desenvolvimento e em testes, e certamente custarão mais caro d o que as ressonâncias magnéticas e não substituirão estas. Somado a isto temos também a pressão das empresas fornecedoras que, no mercado competitivo e de consumo, se utilizam de muitas estratégias para estimular os médicos a prescreverem aos hospitais a adesão e utilização das novas tecnologias comercializadas. Ao aderi-las, os hospitais têm seu nível de investimento elevado e se veem cada vez mais pressionados a gerir os custos de manutenção e consumo de todos estes equipamentos. Para os especialistas há necessidade urgente de repensar o modelo dos sistemas de saúde em todo

ABRIL I MAIO 2012 healthcaremanagement.com.br

ARTIGO DE

GUILHERME XAVIER

O PARADOXO TECNOLÓGICO DA SAÚDE É A CONTRADIÇÃO IMPLÍCITA QUE HÁ NA ANÁLISE DA VIABILIDADE FINANCEIRA DE UMA INCORPORAÇÃO TECNOLÓGICA, FRENTE AOS BENEFÍCIOS PERCEBIDOS POR SEUS USUÁRIOS o mundo. A administração dos recursos disponíveis para a saúde terá de ser mais eficiente e a incorporação tecnológica deverá ser menos impulsiva e mais criteriosa. Para atender estas novas necessidades o mercado de saúde, universidades de tradição tecnológica e profissionais envolvidos vêm promovendo encontros e congressos em busca do aperfeiçoamento da formação acadêmica dos engenheiros clínicos. A engenharia clínica é um ramo da engenharia que contempla o conhecimento em gestão tecnológica e engenharia biomédica aplicada, para otimizar os custos e elevar a produtividade das instituições de assistência à saúde. De fato a preocupação com a gestão de tecnologias em saúde é assunto tão importante que, em janeiro deste ano foi publicada a RDC 02/2010 da Anvisa, que dispõe sobre as práticas que serão obrigatórias em todos os estabelecimentos de assistência à saúde a partir de meados de 2011. As boas práticas visam a rastreabilidade, a qualidade,

a eficácia, a efetividade e a segurança dos equipamentos biomédicos e serviços. Do ponto de vista da engenharia, esta evolução normativa é natural já que atualmente nos hospitais há tanta tecnologia embarcada quanto na indústria, onde estas práticas já estão bem consolidadas. Mas talvez tenham impacto ainda mais visível no setor de saúde, onde a ineficiência e o desperdício tendem a serem maiores do que em outros setores da economia. Por fim, o “Paradoxo Tecnológico da Saúde” é a contradição implícita que há na

HEALTHCAREManagement 18

análise da viabilidade financeira de uma incorporação tecnológica, frente aos benefícios percebidos por seus usuários, pois em se tratando de Saúde, o que se deseja é que todas as necessidades sejam atendidas sem a lógica do lucro. Cabe à engenharia clínica, estabelecer, implementar e documentar critérios para a qualificação de fornecedores bem como avaliar e comparar os custos de cada incorporação tecnológica para que a medicina (no sentido amplo), tenha mais dados para o processo decisório. Afinal de contas, mesmo sendo agentes sociais, os hospitais também devem ser empresas sustentáveis. HC *Guilherme Xavier é formado em engenharia clínica, especializado em gestão de empresas. Atualmente é sócio e consultor das empresas EquipaCare e Gesto, pelas quais presta serviços e consultoria em gestão tecnológica e implantação de serviços médico hospitalares auxiliando os gestores no dimensionamento, especificação, aquisição, instalação e manutenção de equipamentos biomédicos.

ABRIL I MAIO 2012 healthcaremanagement.com.br

9

PONTO

DE VISTA ENTREVISTA

UM EVENTO DE

EXCELÊNCIA PRESIDENTE DA HOSPITALAR REVELA EXPECTATIVA DE GERAR R$ 6,4 BILHÕES EM NEGÓCIOS FECHADOS E ENCAMINHADOS DURANTE A EDIÇÃO DESTE ANO mais de 18 salas de congressos do Expo Center Norte, na capital paulista, apresentando novidades em produtos, equipamentos, serviços e tecnologia para hospitais, laboratórios, farmácias, clínicas e consultórios, além de debater tendências de gestão e desenvolvimento. Com a participação de 1.250 empresas expositoras, esta edição prepara-se para receber mais de 90 mil visitantes. Em entrevista à HealthCare Management, a médica e presidente da Hospitalar, Dra. Waleska Santos, falou sobre o que vem por ai.

M

ilhares de empresários e profissionais do setor da saúde esperam por mais uma edição da Hospitalar Feira e Fórum 2012. O evento que completa 19 anos é o maior do segmento de saúde do Brasil e das Américas e ocupará, entre os dias 22 e 25 de maio, todos os pavilhões de exposições (num total de 82 mil m²) e

10

HEALTHCAREManagement 18

Qual a expectativa para a Feira deste ano? Dra. Waleska Santos: Invariavelmente, a cada nova edição, a Hospitalar extrapola não só a nossa expectativa, como a de todos os nossos expositores e participantes do Fórum. Isso porque ela se consolidou como um evento tradicional e obrigatório na agenda de profis-

sionais que direta ou indiretamente estão envolvidos com a cadeia produtiva do setor da saúde do nosso País. Quer dizer que a Hospitalar é um acontecimento, hoje, mais do que necessário para a área da saúde ? Dra. Waleska: A Hospitalar é a renovação através de uma competição saudável entre os fornecedores, o que dá um maior poder de negociação para os compradores, que são os usuários dos equipamentos, produtos e serviços. Não só pela variedade de novidades apresentadas, mas pelo pool cada vez maior de produtos e serviços concentrados nos quatro dias da feira. Visitarão a Hospitalar, dirigentes de hospitais e clínicas, enfermeiros, médicos, profissionais da área médica em geral, distribuidores, industriais do setor e compradores internacionais. Além disso, a Feira receberá os decisores e pensadores da saúde, que vão ao evento para

ABRIL I MAIO 2012 healthcaremanagement.com.br

debater, discutir e propor os rumos da gestão no setor. Em 2012, a Hospitalar terá além da presença de marcas líderes, novas empresas que surgem no mercado apresentando soluções alternativas de preço, inovação, qualidade e atendimento. Na área do conhecimento o que os participantes podem esperar este ano? Dra. Waleska: Teremos a participação dos melhores dirigentes hospitalares e experts da área de gestão que transitarão no evento proferindo palestras, encontros, promovendo seus hospitais e cases de sucesso. Este é um valor intangível da Hospitalar, ou seja, a qualificação da população flutuante dos quatro dias do evento. Cada vez mais veem-se profissionais das mais diversas áreas de atuação que começam de uns anos para cá a se especializarem na área da saúde. Exemplo disso são os advogados, arquitetos, engenheiros, administradores de empresas, publicitários, economistas, que veem no setor de saúde um novo nicho de oportunidades. Qual avaliação a senhora faz do evento nestes quase 20 anos? Dra. Waleska: Nessas duas décadas de existência de nossa Feira e Fórum, nosso desafio foi criar essa rede de conectividade dinâmica e vivaz, projetan-

Visitantes buscam novidades, inovações tecnológicas e conhecimento do empresas e propostas para além do universo da saúde. Nosso compromisso sempre foi com a inovação e com a geração de resultados. É por isso que sentimo-nos orgulhosos e honrados por termos sido agentes transformadores do padrão de comportamento deste setor, contribuindo para fazer dele protagonista e referência no cenário mundial da saúde.

do Conselho Brasileiro de Telemedicina e Telessaúde e também presidente de honra do Seminário. Além dele, estarão a Dra. Linamara Rizzo Battistella, secretária de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência de SP; o Dr. Josier Vilar, presidente da Pronep, o Prof. Dr. Milton Arruda Martins, Prof. Titular de Clínica Médica do HCFMUSP, entre outros.

Que novidades a Hospitalar trará nesta edição? Dra. Waleska: Dentre as novidades deste ano, teremos a Hospitalar Digital Health – 1ª Feira e Fórum Internacional de Telemedicina, Telessaúde e Tecnologia da Informação para Saúde. O seminário visa fomentar oportunidades para hospitais, planos de saúde e empresas de home care. O programa conta com grandes nomes do setor, como o Prof. Dr. Chao Lung Wen, presidente

A participação de empresas internacionais tem contribuído para o crescimento da feira? Dra. Waleska Santos: Sem dúvida alguma! Nessas duas décadas de aproximação presencial das empresas brasileiras com expositores estrangeiros na Hospitalar propiciaram-se acordos de cooperação tecnológica, joint ventures e parcerias que abriram novos horizontes para a indústria nacional e mais alternativas de produtos e serviços para os hospitais e

HEALTHCAREManagement 18

ABRIL I MAIO 2012 healthcaremanagement.com.br

11

PONTO

DE VISTA ENTREVISTA demais usuários. Nossa presença permanente em eventos internacionais, revistas setoriais, catálogos e a interlocução direta com nossos expositores e representantes estrangeiros estimula e aprimora a performance da Hospitalar também no mercado internacional. Pode-se dizer que a Hospitalar nasceu de forma mundial? Dra. Waleska: Podemos sim, pois desde a primeira edição conta com expositores de outros países, que contribuíram para o desenvolvimento e a concorrência saudável com os fabricantes nacionais. Por reunir expositores de todo o mundo, a Hospitalar é hoje uma importante referência para os compradores sobre os mais eficientes produtos e serviços de saúde. São mais de 500 expositores que vêm de 33 países, entre os quais

A PRESENÇA DE COMPRADORES ESTRANGEIROS NA FEIRA CRESCE MAIS DE 20% A CADA ANO. EM 2011 SOMARAM 4.700 VISITANTES DE 63 PAÍSES Alemanha, Canadá, Chile, Dinamarca, Estados Unidos, França, Itália, Suíça, Holanda, Japão e muitos outros. A presença de compradores estrangeiros na feira cresce mais de 20% a cada ano e em 2011 eles somaram 4.700 visitantes de 63 países. Os visitantes de países latino-americanos têm grande representatividade nesse grupo, o que comprova a atuação da Hospitalar como porta de entrada para esse mercado. Vale destacar também a participação de governantes de outros países que visitam a feira em busca de projetos completos de hospitais para seus países em desenvolvimento, como no caso dos africanos.

Fórum Hospitalar leva conhecimento para mais de 12.000 profissionais

12

HEALTHCAREManagement 18

Quais as expectativas de geração de negócios ? Dra. Waleska: Devido aos beneficiários dos planos de saúde – graças ao crescimento do mercado formal de trabalho -, investimentos em hospitais, políticas públicas e destaque do Brasil e América Latina no mercado mundial, temos a expectativa de R$ 6,4 bilhões em negócios fechados e encaminhados durante a Hospitalar 2012. Qual avaliação a senhora faz do crescimento de 19% no ano passado no mercado nacional de equipamentos e produtos médico-hospitalares e de diagnósticos? Dra. Waleska: Graças a crescentes investimentos públicos e privados, o setor de saúde brasileiro tem apresentado expansão nos últimos anos. A saúde tornou-se objeto de desejo do público em geral. As pessoas valorizam mais esse bem e investem em sua manutenção. Além disso, o governo está sendo cada vez mais cobrado em seus investimentos. Os Estados e Municípios estão cumprindo sua cota de gastos em saúde e estamos todos trabalhando para que o Governo Federal HC também cumpra.

ABRIL I MAIO 2012 healthcaremanagement.com.br

ALÉM DOS

NEGÓCIOS HOMENAGEM

O LEGADO DE

MARLENE SCHMIDT

Marlene ao lado do marido Djalma Luiz Rodrigues e das filhas, Karin, Kátia e Kristine

O

setor de negócios e gestão da saúde perdeu no dia 13 de abril deste ano, a diretora executiva da Fanem, a Dra. Marlene Schmidt Rodrigues, em decorrência de uma parada cardíaca. Apesar do sentimento de tristeza de todos os companheiros de trabalho, o exemplo de amizade e profissionalismo de Marlene Schmidt permanecerá vivo para sempre. Sua presença positiva e motivadora demonstravam a paixão dela pela Fanem, fundada pelo avô Arthur e administrada por muitos anos pelo seu pai Walter. Com formação em direito, a sua trajetória dentro da empresa foi marcada por períodos de aprendizado, trabalho e

dedicação, iniciada em meados dos anos 60. Sempre se orgulhou deste percurso e afirmava que embora neta do fundador e filha do proprietário da empresa, nunca desfrutou de privilégios e regalias. Esforçou-se para conquistar seu espaço, tornando-se a primeira mulher no comando da Fanem. Logo assumiu grandes responsabilidades. Nos anos 80 já era a diretora comercial e foi sob o seu comando que a empresa passou por um processo de modernização e alcançou novos rumos ganhando o mercado externo. Para o sucesso da operação, contou sempre com o apoio do esposo, Djalma Luiz Ro-

HEALTHCAREManagement 18

drigues, diretor industrial. A excelência dos processos de fabricação, a conquista de certificações internacionais também foram batalhas conjuntas, metas perseguidas com afinco por Marlene e Djalma durante todos os anos em que trabalharam lado a lado. Outra contribuição de Marlene Schmidt foi a criação do Centro de Estudos Fanem, tornandoo um canal de comunicação entre médicos, enfermeiros e o fabricante, com o intuito de aperfeiçoar os produtos e ainda treinar os usuários para o uso adequado dos equipamentos, maximizando o uso dos recursos para benefício dos pacientes. Presença marcante no cenário brasileiro da saúde, a diretora executiva da Fanem contribuiu para o desenvolvimento do mercado de equipamentos neonatais e para a expansão dos produtos nacionais no exterior. Apesar de sua contribuição para a elevação da indústria brasileira de equipamentos neonatais, Marlene sempre demonstrou mesmo que a sua grande satisfação foi ter desempenhado o papel de mãe das filhas Karin, Kátia e Kristine. HC

ABRIL I MAIO 2012 healthcaremanagement.com.br

13

FOCO NA

GESTÃO ACREDITAÇÃO

QUALIDADE

TESTADA E COMPROVADA CONSIDERADO REFERÊNCIA EM TODO O MUNDO, SISTEMA BRASILEIRO DE ACREDITAÇÃO CONTRIBUI DE MANEIRA DIRETA PARA O APRIMORAMENTO DA ASSISTÊNCIA À SAÚDE NO PAÍS

A

nalisando o panorama mundial da saúde conclui-se que a acreditação desponta cada vez mais como uma das melhores estratégias para encarar a problemática da avaliação e da qualidade dos serviços e do sistema de

14

HEALTHCAREManagement 18

saúde. Isso porque, seu enfoque educativo contribui para a solidificação dos programas de qualidade dos serviços e para a disseminação de tecnologias de gestão modernas junto ao setor. Dessa forma, é crescente em

todo o mundo o número de organizações e empresas ligadas à saúde que consideram importante conseguir uma certificação. O Brasil não foge à regra ao presenciar a ânsia do setor em comprovar e aumentar seus níveis de qualidade, o que pode ser conseguido através da ONA – Organização Nacional de Acreditação, a qual tem contribuído de forma eficaz para o aprimoramento da qualidade da assistência à saúde no País. Prova disso, é que o Sistema Brasileiro de Acreditação é considerado hoje referência mundial, sendo comumente citado em importantes congressos mundiais como o Congresso Internacional da ISQua, exercendo assim, um papel extraordinário para o Brasil, já que a área da saúde é uma das mais complexas e importantes dentro de toda a cadeia de serviços existentes em um país.

ABRIL I MAIO 2012 healthcaremanagement.com.br

QUALIDADE

TESTADA E COMPROVADA

AO LONGO DE SUA HISTÓRIA O SISTEMA DE ACREDITAÇÃO BRASILEIRO JÁ REALIZOU MAIS DE 940 DIAGNÓSTICOS ORGANIZACIONAIS E CONCEDEU APROXIMADAMENTE 640 CERTIFICADOS E RECERTIFICAÇÕES De acordo com o presidente da ONA, Luis Plínio Moraes de Toledo, nunca as organizações de saúde se preocuparam tanto com a incorporação de modelos de gestão em seus serviços, assumindo assim um compromisso voltado para o aumento da qualidade. Para ele, a adoção dos requisitos do Sistema Brasileiro de Acreditação – ONA, muito tem contribuído para criar uma cultura favorável para materializar este compromisso. Dessa maneira, a quantidade de certificações por ano tem aumentado consideravelmente. Em 2011, foram 146 certificações concedidas sendo: 76 Hospitais, 09 Serviços de Hemoterapia, 19 Laboratórios, 13 Serviços de Nefrologia e Terapia Renal Substitutiva, 19 Serviços Ambulatoriais, 07 Serviços de Diagnóstico por Imagem, Radioterapia e Medicina Nuclear, 01 Atenção Domiciliar, 01 Serviço de Manipulação (realizado antes do lançamento do Manual dos Serviços para a Saúde) e 01 Programa da Saúde e Prevenção de Riscos.

Os 76 Hospitais certificados no ano representam aproximadamente 11.900 leitos do parque hospitalar nacional. “Das 146 organizações certificadas, 50 organizações receberam a sua primeira certificação pela metodologia SBA/ONA, ou seja, 34,25%; 42 foram certificadas duas vezes (28,77%); 34 receberam três certificações (23,29%); 16 receberam quatro certificações (10,96%) e quatro estão em seu quinto ciclo de certificação (2,73%)”, revela Toledo.

HEALTHCAREManagement 18

Com isso, mesmo sendo uma iniciativa recente de apenas treze anos e com as dificuldades de implantação e implementação de sistemas da qualidade pelo setor saúde, o Sistema Brasileiro de Acreditação, ao longo de sua história, realizou mais de 940 diagnósticos organizacionais e concedeu aproximadamente 640 certificações e recertificações, sendo 299 certificações vigentes (dados até março de 2012).

ABRIL I MAIO 2012 healthcaremanagement.com.br

15

FOCO NA

QUALIDADE

GESTÃO

TESTADA E COMPROVADA

ACREDITAÇÃO RESULTADOS POSITIVOS

foto: Gellyna M. Barbosa

Os números impressionam, mas não mostram os resultados do trabalho de avaliação e certificação. Por isso, a ONA realizou pesquisa junto às organizações certificadas em 2010 e 2011, com o intuito de saber quais os principais resultados obtidos com a Acreditação. “A maioria dos entrevistados respondeu que houve melhoria de processos, adoção de protocolos, maior foco na segurança do paciente e do colaborador, melhoria da qualidade assis-

“DEPOIS DA CERTIFICAÇÃO CONSEGUIMOS VER UMA EMPRESA MAS ESTRUTURADA, COM OBJETIVOS CLAROS E DEFINIDOS” FLÁVIA GONZALEZ DA COSTA, HEMOTERAPEUTA DA BIOCLÍNICA

16

HEALTHCAREManagement 18

MAIOR FOCO NA SEGURANÇA DO PACIENTE, MELHORIA DA QUALIDADE ASSISTENCIAL, MUNDANÇA DE CULTURA E MELHORIA DE INFRAESTRUTURA ESTÃO ENTRE OS RESULTADOS OBTIDOS PELAS ORGANIZAÇÕES ACREDITADAS tencial, maior envolvimento e comprometimento dos profissionais, mudança de cultura, melhoria de infraestrutura, reconhecimento do mercado e dos clientes e a satisfação dos profissionais”, revela Toledo. Encaixa-se na pesquisa o Grupo BioClínica, que atua nas áreas de análises clínicas e banco de sangue, na cidade paulista de Jundiaí. “Após a conquista da certificação, conseguimos ver uma empresa mais estruturada, ainda com um longo caminho a percorrer, mas com os objetivos mais claros e definidos, com foco na melhoria dos processos e na valorização de nossos colaboradores”, conta Dra. Flávia Gonzalez da Costa, hemoterapeuta responsável da BioClínica. Outro exemplo de empresa acreditada é a BIOCOD, empresa mineira do setor de Biotecnologia que atua nas áreas de Biologia Molecular e Genética Humana, em todo o Brasil. De acordo com Liana Sales, Gerente da Qualidade da BIOCOD, ao longo do processo de certificação muitas melhorias foram implementadas na produção como a introdução de novos processos de gestão,

“DURANTE O PROCESSO INTRODUZIMOS NOVOS MODELOS DE GESTÃO, DE CONTROLE E MONITORAMENTO” KENIA MARTINS, REPRESENTANTE DA DIRETORIA DA BIOCOD E LIANE MATOS, GERENTE DE QUALIDADE

de controle e de monitoramento. “A gestão dos processos produtivos permitiu, por exemplo, a identificação e a medição de gargalos de produção e a identificação do melhor momento para investimentos para ampliação do parque tecnológico”, afirma.

ABRIL I MAIO 2012 healthcaremanagement.com.br

HEALTHCAREManagement 18

ABRIL I MAIO 2012 healthcaremanagement.com.br

17

FOCO NA

QUALIDADE

GESTÃO

TESTADA E COMPROVADA

ACREDITAÇÃO foto: Gellyna M. Barbosa

O Grupo BioClínica, que atua na cidade paulista de Jundiaí foi o primeiro na área de banco de sangue a receber a certificação em sua região e o quarto no Brasil. PROCESSO DE ACREDITAÇÃO Assim, muitos são os pontos positivos ganhos pelas organizações que se empenham em conquistar a Acreditação, mas para isso o processo é longo e exige muito empenho por parte de todos os profissionais que fazem parte da instituição que almeja a certificação. Isso porque, o Sistema Brasileiro de Acreditação é constituído por três níveis de cumprimento de padrões. O Nível 1 (segurança), Nível 2 (gestão integrada) e Nível 3 (excelência em gestão). Segundo o presidente da ONA, uma instituição enquadrada no Nível 1 é aquela que cumpre a totalidade dos requisitos relacionados à segurança em todas as suas áreas e recebe o certificado de ACREDITADO (válido por dois anos). Uma instituição classificada no Nível 2, além das condições de segurança apresenta uma gestão integrada e recebe o certificado de ACREDITADO PLENO (válido por dois anos). E, uma ins18

HEALTHCAREManagement 18

tituição qualificada no Nível 3, agrega às exigências dos Níveis 1 e 2, todos os requisitos relacionados à excelência, ao bom desempenho, gestão e qualidade dos serviços recebendo o certificado de ACREDITADO COM EXCELÊNCIA (válido por três anos). O Grupo BioClínica, por exemplo, iniciou o processo de certificação em 2006, conquistando a Acreditação ONA em Nível 1. “Após muito trabalho e esforço de todos os colaboradores, recebemos a Acreditação, sendo o primeiro banco de sangue em toda a região de Jundiaí e Campinas e o quarto do Brasil a ser certificado”, diz Dra. Flávia. “Durante o trabalho, passaram por avaliação nossa estrutura física e organizacional, nossos processos internos e nossas interações com os clientes externos, deixando claro o que deve-

ria ser trabalhado e melhorado, e valorizando nossos diferencias e pontos fortes existentes”, acrescenta ela. Agora, o grupo espera conquistar o Nível 2, durante o processo de recertificação, dando continuidade a todo o processo de amadurecimento organizacional e de valorização do elemento humano da empresa. Para isso, o Departamento de Gestão da Qualidade, do Banco de Sangue Bioclínica, vem desenvolvendo ações para melhoria de seus processos através de revisões das metodologias e ferramentas da qualidade implantadas, promovendo treinamentos internos e externos, encaminhando colaboradores para eventos como cursos, congressos e simpósios. Segundo Dra. Flávia, as metas são promover conhecimento aos

ABRIL I MAIO 2012 healthcaremanagement.com.br

HEALTHCAREManagement 18

ABRIL I MAIO 2012 healthcaremanagement.com.br

19

FOCO NA

QUALIDADE

GESTÃO

TESTADA E COMPROVADA

ACREDITAÇÃO

A BIOCOD está em busca da terceira recertificação, sendo o único laboratório de Genética do Brasil a obter o nível máximo de Acreditação com Excelência.

colaboradores, implantar melhorias no parque tecnológico e estrutura física, conquistar a Acreditação Plena da ONA, e ainda fortalecer a Certificação ISO 9001:2008 já existente. Já a BIOCOD encontra-se a caminho da terceira recertificação, sendo que a primeira foi em Nível 2 (pleno) e a atual em Nível 3 (excelência), feito que faz da empresa o único laboratório de Genética do Brasil a obter o nível máximo de Acreditação com Excelência pela ONA. “Durante todo o processo, avaliou-se a existência de elementos técnicos de um Sistema de Gestão da Qualidade destacandose, entre outros, se a instituição promove a capacitação contínua das pessoas, promovendo educação e treinamento, se gerencia a sua infraestrutura de modo a prover condições adequadas e seguras de trabalho e da prestação 20

HEALTHCAREManagement 18

dos serviços, se gerencia os equipamentos e instrumentos laboratoriais, abrangendo as respectivas manutenções preventivas e calibrações, se assegura a qualidade dos insumos

críticos, se provê controles externos e internos da qualidade para os exames, assegurando a confiabilidade dos resultados, etc”, explica a gerente da BIOHC COD, Liana.

ENSINO Para que as organizações tenham um bom desempenho nas avaliações, a ONA oferece cursos temáticos baseados no método de ensino a distância (EAD). Os cursos abrangem temas relativos à Acreditação e à gestão de serviços de saúde, como o Curso Preparatório de Avaliadores – SBA/ONA. “Em breve, a organização pretende anunciar a ampliação dos cursos de especialização para a acreditação e qualidade na área de saúde, além de dar continuidade às atividades de EAD que já

desenvolve. Também estão previstas a realização de mais quatro edições do Exame de Proficiência – Avaliador SBA/ ONA, pois uma edição foi realizada em março/2012”, afirma Luís Toledo, presidente da ONA. Além disso, logo no começo deste ano, a ONA anunciou a expansão de suas atividades através da elaboração de mais um manual destinado aos serviços odontológicos, que em breve poderão participar dos processos de avaliação e certificação da organização.

ABRIL I MAIO 2012 healthcaremanagement.com.br

HEALTHCAREManagement 18

ABRIL I MAIO 2012 healthcaremanagement.com.br

21

FOCO NA

GESTÃO ACREDITAÇÃO

FUNDAÇÃO PRÓ-RIM

CERTIFICAÇÃO EM NÍVEL 3

A

Fundação Pró-Rim tem características especiais no atendimento aos pacientes. Atualmente a instituição está presente em três cidades do Estado de Santa Catarina: Joinville, Balneário Camboriú e São Bento do Sul e também no Estado de Tocantins nas cidades de Palmas e Gurupi. Seus serviços se destacam em diálise e trans-

22

HEALTHCAREManagement 18

plantes. Atende em média 1.108 pacientes. São 366 em diálise e 742 em pré e póstransplante. Ao comentar sobre a oportunidade da fundação receber a avaliação da ONA, Eveline Neermann, coordenadora de qualidade da Pró-Rim cita que o desejo em trabalhar efetivamente dentro de parâmetros de excelência já vem sendo

feito desde 1998, quando a instituição teve o apoio de um consultor em qualidade que desenvolveu ações para criar uma cultura voltada à qualidade na empresa. A partir deste trabalho a fundação procurou informações sobre o tema e em 2000 o Dr. Hercilio Alexandre da Luz Filho, na época Diretor Clínico da Pró-Rim (hoje,

ABRIL I MAIO 2012 healthcaremanagement.com.br

QUALIDADE

TESTADA E COMPROVADA

presidente), participou de uma reunião de multiplicadores da metodologia ONA de acreditação hospitalar. “Foi a partir daí o começo do nosso envolvimento com o processo e o desejo de buscar esta certificação”, lembra. Eveline descreve que a busca do nível 3 da ONA foi traçada como meta desafiadora para a equipe em 2011. “Buscamos orientações e montamos uma equipe de gestão utilizando métodos que levam à alta performance”. Assim, a fundação montou um plano de ação para trabalhar as atividades necessárias para atingir este nível de certificação. Ela diz que foi um trabalho intenso, recompensado com a aprovação de uma equipe de avaliadores e com a consequente certificação no nível 3. Para receber a certificação da ONA, a Pró-Rim precisou se atentar em requisitos que expressam fundamentos internacionais, como visão sistêmica, orientação por processos, foco no cliente, segurança, responsabilidade socioambiental, melhoria contínua e orientação para resultados, entre outros. “A fundação trabalhou fortemente para atender às exigências, sendo reconhecida como instituição que atende aos princípios de excelência em gestão”, afirma a coordenadora.

EXISTEM 725 CENTROS DE HEMODIÁLISE NO PAÍS. DESTAS, 16 SÃO CERTIFICADAS PELA ONA E NO NÍVEL 3, APENAS SEIS. O PRÓ-RIM É UMA DELAS.

Essa certificação tem validade por três anos, entretanto o acompanhamento é anual. A fundação organizou uma equipe de trabalho que está empenhada em avaliar os processos e indicadores da empresa para verificar as necessidades de melhoria, criando planos de ação, implementando-os e avaliando

HEALTHCAREManagement 18

os resultados. Existem 725 centros de hemodiálise no país. Destas, 16 são certificadas pela ONA e no nível 3, apenas seis. O Pró-Rim é uma delas. “Isto representa uma conquista surpreendente, resultado do grande esforço e comprometimento dos funcionários de nossas cinco uniHC dades”, conclui.

ABRIL I MAIO 2012 healthcaremanagement.com.br

23

FOCO NA

GESTÃO ACREDITAÇÃO

RECONHECIMENTO

INTERNACIONAL

Após ser acreditado pela ONA, Centro Paulista de Oncologia amplia serviços de qualidade visando receber certificação internacional

D

ezenas de setores da saúde estão sempre aperfeiçoando seus serviços para ganharem reconhecimento de institutos que avaliam a qualidade do trabalho. Nas décadas passadas pouco se falava em certificação e em processos normativos, hoje esse cenário mudou. O mercado setorial da medicina vive nos últimos anos uma pulsante evolução e para isso a excelência do trabalho tem sido algo mais do que essencial para o sucesso de uma instituição. Com essa premissa de buscar melhoria em 100% nos processos e desenvolvimento da cultura da empresa, o Centro Paulista de Oncologia (CPO), acostumado a lhe dar com exigências de qualidade em hospitais que presta serviços, buscou uma avaliação da ONA (Organização Nacional de Acreditações) e teve seus serviços aprovados quanto às normas necessárias.

24

HEALTHCAREManagement 18

O CPO participa dessa avaliação, desde 2009, ano em que a empresa conquistou a acreditação em nível Pleno, o qual analisou-se os processos estavam estruturados, se os riscos estavam gerenciados, se havia indicadores para controle e se existia na instituição a cultura do relatório de ocorrência. Já no ano passado, a meta da acreditação era a de nível de Excelência, em que a avaliação foi focada no históri-

co dos indicadores e nos protocolos multiprofissionais que foram estabelecidos e nos resultados das auditorias administrativas e clínicas. A conquista dessa última acreditação teve bastante influência dos processos e caminhos percorridos para conquistar a primeira, conforme informa o Dr. Jacques Tabacof, Diretor do CPO. “Toda a equipe estava muito envolvida e empenhada, por isso

ABRIL I MAIO 2012 healthcaremanagement.com.br

QUALIDADE

TESTADA E COMPROVADA

O CPO PARTICIPA DA AVALIAÇÃO DESDE 2009, ANO EM QUE A EMPRESA CONQUISTOU A ACREDITAÇÃO EM NÍVEL PLENO. NO ANO PASSADO, A META FOI ALCANÇAR O NÍVEL DE EXCELÊNCIA , EM QUE A AVALIAÇÃO FOI FOCADA NO HISTÓRICO DOS INDICADORES E NOS PROTOCOLOS MULTIPROFISSIONAIS esperávamos esse resultado.” Ele relata que sempre há o que melhorar, ou seja, ressalta sobre o princípio de qualidade necessitar de avanço contínuo. Em relação aos fatores que mais contribuíram para os serviços do CPO receber a acreditação da ONA, Tabacof destaca a organização dos processos, especialmente os assistenciais. “Implantamos protocolos e barreiras para que o cuidado seja homogêneo e evite os erros, o que ga-

rante segurança ao paciente nas diversas etapas de seu tratamento”, afirma. Além disso, alguns “projetos”, como a implantação da evolução clínica eletrônica para o corpo clínico, foram fundamentais para essa conquista. A diretoria do CPO informa que além das metas relacionadas aos planos de ação das áreas e aos indicadores, o próximo objetivo do setor de qualidade da instituição é obter um certificado internacional. HC

HEALTHCAREManagement 18

“IMPLANTAMOS PROTOCOLOS E BARREIRAS PARA QUE O CUIDADO SEJA HOMOGÊNEO, E EVITE ERROS, O QUE GARANTE SEGURANÇA AO PACIENTE” DR. JACQUES TABACOF, DIRETOR DO CPO

ABRIL I MAIO 2012 healthcaremanagement.com.br

25

FOCO NA

GESTÃO

foto: Jo Capusso

ACREDITAÇÃO

José Carlos de Oliveira, diretor administrativo da unidade Pompeia do Hospital São camilo

A CONQUISTA DAS

TRÊS CERTIFICAÇÕES 26

HEALTHCAREManagement 18

ABRIL I MAIO 2012 healthcaremanagement.com.br

CAPA

HOSPITAL SÃO CAMILO

Unidade Pompeia do Hospital São Camilo conquista a tríplice coroa em certificações ao conseguir o selo Joint Commission International (JCI)

D

ias de avaliações, longas horas de esforço e muita atenção no atendimento foram características da luta por mais uma certificação da Unidade Pompeia do Hospital São Camilo na capital paulista. O local conquistou em março um dos mais rigorosos processos de certificação do mundo - a Joint Commission International (JCI). Com mais esse reconhecimento a Unidade passa a ter a tríplice coroa em certificações na área da saúde. Este novo selo agora se junta aos outros dois da instituição, sendo a Acreditação com Excelência - nível 3, obtido em 2008 pela Organização Nacional de Acreditação (ONA). E também à Acreditação Internacional Canadense, validado pela Accreditation Canada, conquistado em 2010. Com mais de 450 instituições acreditadas em todo o mundo, a JCI também tem como principal meta a melhoria da qualidade dos cuidados de saúde. E é especializada no controle de infecções, segurança de medicamentos e de instalações. Conforme o diretor administrativo da Unidade Pompeia, José Carlos de Oliveira, esta conquista é o início de uma

COM MAIS DE 450 INSTITUIÇÕES ACREDITADAS EM TODO O MUNDO, A JCI TAMBÉM TEM COMO PRINCIPAL META A MELHORIA DA QUALIDADE DOS CUIDADOS DE SAÚDE. É ESPECIALIZADA NO CONTROLE DE INFECÇÕES, SEGURANÇA DE MEDICAMENTOS E DE INSTALAÇÕES longa caminhada. “O mais importante deste processo é saber que, produzindo um serviço com mais uma referência internacional iremos reforçar o compromisso dos funcionários com a segurança do paciente.” Oliveira diz que por meio dessas certificações a Unidade está se preparando para o mercado do futuro, onde o paciente poderá a partir do conhecimento dos indicadores dos principais hospitais, escolher aquele que julgar mais seguro. “Nos próximos anos, as instituições que não tiver certificação reconhecida, certamente vai estar fora do mercado”, avaliou, ao falar da Joint, que exige várias medidas assistenciais. Para conquistar essa última certificação, a Unidade teve que se aprimorar em alguns pontos do atendimento, a exemplo da cultura da quali-

HEALTHCAREManagement 18

dade, centrada nos processos assistenciais mais seguros. “Essa conquista envolve toda a segurança do prédio, além de medidas auxiliares.” A Pompeia passou por 17 meses de avaliação para ter a Joint, começando em outubro de 2010 e tendo a conclusão em março deste ano. Sobre o fato de ter essas três acreditações, a diretoria da Unidade informa que estes reconhecimentos contribuem para trazer mais credibilidade para a instituição. Ainda mais por cada selo ter focos distintos, cada um em busca de alguma qualificação do atendimento. “O paciente só tem a ganhar com essas iniciativas.” Estes certificados possuem validade de cerca de três anos, por isso, cada instituição necessita de uma melhoria constante, para garantir esse certificado na linha de serviços. Como explica Oliveira, a

ABRIL I MAIO 2012 healthcaremanagement.com.br

27

FOCO NA

GESTÃO

UNIDADE POMPEIA O primeiro hospital da Rede a ser fundado foi a Policlínica São Camilo, em 1928, no bairro da Pompeia, zona oeste de São Paulo, idealizado pelo padre Inocente Radrizzani. Em 23 de janeiro de 1960, transformou-se no Hospital São Camilo Pompeia, hospital geral que realiza desde partos até transplantes, com completo centro de diagnóstico e atendimento em todas as especialidades. Acompanhando os conceitos inovadores de gestão, o Hospital São Camilo Pompeia já iniciou 2012 com novidades. O novo Pronto-Socorro Adulto, inaugurado em fevereiro deste ano, teve sua área ampliada para atender os pacientes com mais agilidade e conforto. A construção de um novo prédio também tem início este ano. O edifício, que hoje contempla a área administrativa, será adaptado para receber, a mais, cerca de 90 leitos e novas salas de cirurgia. Com esta expansão, a Unidade irá atingir a marca de 400 leitos. Além disso, a fachada irá passar por uma revitalização, conferindo ao Hospital um tom de modernidade.

28

HEALTHCAREManagement 18

ABRIL I MAIO 2012 healthcaremanagement.com.br

ffoto: Divulgação

ACREDITAÇÃO

CAPA

HOSPITAL SÃO CAMILO

NÚMERO 17 MESES FOI O PERÍODO NECESSÁRIO PARA A UNIDADE POMPEIA PASSAR PELA AVALIAÇÃO DA JCI Joint é um processo que precisa da motivação dos próprios funcionários do hospital. Este tipo de capacitação oferece vantagens para o currículo dos profissionais da saúde, desde os da alta gestão, aos dos departamentos de base. Por meio de metodologias

como protocolos, grupos de gerenciamento de indicadores e políticas de diretrizes de segurança do paciente, a instituição conseguiu ter um melhor controle das atividades e garantir efetivamente uma assistência de qualidade, conforme avalia o Dr. Jair Cremonin Jr., diretor médico da Unidade. “Esta certificação vem complementar e refinar as políticas e processos que já existiam no hospital, além de garantir aos nossos pacientes um local mais seguro.” De acordo com Ann K. Jacobson, enfermeira e auditora norte-americana da JCI, todo o

HEALTHCAREManagement 18

processo da JCI se multiplica em forma de benefícios para os pacientes. “Vocês podem achar que, com a conquista, já estão no fim. Eu diria que é apenas o começo de uma longa viagem”. Ao ser questionado sobre a aceitação dos pacientes e acompanhantes sobre os serviços da Unidade após essas certificações, Oliveira revela que toda a instituição tem uma aceitação acima de 90%. “O paciente é o nosso termômetro.” Ele conta que o trabalho do hospital é aquilo que o público se manifesta, sendo algo bem satisfatório.

ABRIL I MAIO 2012 healthcaremanagement.com.br

29

FOCO NA

CAPA

GESTÃO

HOSPITAL SÃO CAMILO

ACREDITAÇÃO IMPORTÂNCIA DA JCI

CANADÁ

ONA

JCI

A JCI acredita organizações de saúde desde 1999. Desde então, centenas de instituições de saúde públicas e privadas em 50 países foram acreditadas ou certificadas pela JCI. A Joint fornece acreditação para hospitais, instalações de cuidados ambulatoriais, laboratórios clínicos, serviços de cuidados contínuos, organizações de atenção domiciliar e de cuidados de longa duração, organizações de transporte médico e serviços de cuidados primários, bem como certificação para 15 tipos de programas de cuidados clínicos. Os padrões da JCI foram desenvolvidos por especialistas internacionais de cuidados de saúde e definem expectativas uniformes e alcançáveis. HC

Saiba a diferença das três certificações: •

ONA

Canadá

– Organiza e estrutura os processos – Oferece assistencial / Segurança dos pacientes

• Joint - Mesmo foco da Canadá, porém exige formação e indicadores de resultados.

30

HEALTHCAREManagement 18

ABRIL I MAIO 2012 healthcaremanagement.com.br

HEALTHCAREManagement 18

ABRIL I MAIO 2012 healthcaremanagement.com.br

31

FOCO NA

GESTÃO TERCEIRIZAÇÃO

ESTERILIZAÇÃO

É COISA SÉRIA HÁ 27 ANOS A STERILENO ATUA NO MERCADO DE ESTERILIZAÇÃO DE MATERIAIS ODONTO MÉDICO HOSPITALAR, TENDO COMO CLIENTES OS MAIS IMPORTANTES HOSPITAIS DO ESTADO DE SÃO PAULO, ENTRE ELES O SÃO CAMILO

É

fato que a esterilização de materiais médicos hospitalares é um item fundamental e de extrema importância para o bom andamento dos serviços na área da saúde, pois está diretamente ligada à manutenção da saúde de médicos e demais colaboradores, sendo imprescindível para a recuperação de pacientes. Por conta disso, clínicas e hospitais precisam dar atenção especial à esterilização, o que pode ser feito de forma terceirizada, por uma empresa que se ocupará de forma integral à questão. É o que faz o Hospital São Camilo, que confia o delicado trabalho à Sterileno, empresa que atua como Central de Esterilização de Materiais Odonto Médico Hospitalares por Óxido de Etileno (ETO),

32

HEALTHCAREManagement 18

desde 1985, atendendo os melhores e mais importantes grupos e redes hospitalares, localizados principalmente na cidade de São Paulo. Assim, com 27 anos de experiência no mercado e grande capacidade de produção, a Sterileno exerce um rigoroso controle de qualidade de seus serviços sob a administração de profissionais com experiência de mais de 30 anos no ramo. “Nossos colaboradores recebem treinamento conforme exigido pela Portaria In-

terministerial 482, através do processo de admissão e conforme programa interno de desenvolvimento de competência. A empresa investe em seus profissionais promovendo cursos de graduação e pós-graduação, entre eles o de Enfermagem, Engenharia, Ciência da Computação, Farmácia entre outros”, explica Regina Marins Alves Lima Affonso, CEO da Sterileno. Especialmente para o Hospital São Camilo, a Sterileno exerce os serviços de: coleta e entrega de artigos em local estabelecido; lavagem de artigos através de limpeza manual, limpeza mecânica em lavadora termodesinfectadora e lavadora ultrasônica com jato pulsátil, Água tratada por Osmose Reversa, Secagem com

ABRIL I MAIO 2012 healthcaremanagement.com.br

ESTERILIZAÇÃO

É COISA SÉRIA

Ar Medicinal, Rastreabilidade de produto – através de “key code” impresso diretamente no material e Protocolo Teste com Contaminação Desafio – RE 2606; Área de preparo e acondicionamento; Inspeção de material não estéril (auxílio de lupas e microscopia digital); Embalagem, selagem e rotulagem; Esterilização por gás Óxido de Etileno; Aeração forçada; Controle de Qualidade através de inspeção de material estéril (auxílio de lupas); Acondicionamento em caixas para transporte e Análises laboratoriais através de controles químicos (integradores químicos) e bacteriológicos (indicadores biológicos), Teste de esterilidade, Cromatografia Residual e Rastreabilidade total do Processo. Recentemente, a Sterileno passou a ser responsável pela gestão completa da Central de Esterilização do Hospital Estadual Dr. Albano da Franca Rocha Sobrinho, que é administrado pela Santa Casa de São Paulo, cumprindo os serviços de transporte, lavagem, preparo, embalagem, selagem e esterilização por Vapor saturado sob pressão, Óxido de Etileno e Aeração de materiais e artigos médico-hospitalares, entre outros. Outra novidade recente da Sterileno foi a inauguração da nova unidade industrial Quality Central de Esterilização,

especializada em serviços de esterilização por Óxido de Etileno, para a Indústria Fabricante. “Esta unidade conta com coleta e entrega de material no local estabelecido; Sala Limpa para manipulação de produtos; esterilização por gás Óxido de Etileno; aeração forçada; controle de qualidade; controles químicos e biológicos, Cromatografia Re-

sidual e Teste de Esterilidade, e validação de carga dentro de normas Nacionais e Internacionais”, afirma Regina. Para comprovar os excelentes trabalhos exercidos pela Sterileno, a empresa há sete anos é certificada no padrão ISO 9001, cujo acompanhamento é executado pela “DNV”, e reconhecida no mercado como “Top Hospitalar”, desde 2006. HC

POR QUE CONFIAR NA STERILENO? •Atua há 27 anos no mercado; •Padrão em Gestão da Qualidade de reconhecimento internacional (Certificação ISO 9001:2008 – reconhecido pela “DNV”); •Profissionais com mais de 30 anos de atuação no segmento; •Foco no cliente para atendimento dos prazos e garantindo melhorias para superar a expectativa do cliente na qualidade do serviço prestado; •Atua com assessoria direta, sempre aberta para visitas Técnica ao Cliente e do Cliente em nossas instalações; •Valorização da logística para melhor atendimento aos clientes; •Instalações modernas, equipamentos de ultima geração, técnicas de produtividade com qualidade e eficiência; • Referenciada no mercado em que atua.

HEALTHCAREManagement 18

ABRIL I MAIO 2012 healthcaremanagement.com.br

33

FOCO NA

GESTÃO TERCEIRIZAÇÃO

SERVIÇOS GERAIS

SUPORTE NECESSÁRIO

34

HEALTHCAREManagement 18

ABRIL I MAIO 2012 healthcaremanagement.com.br

SERVIÇOS GERAIS

SUPORTE NECESSÁRIO

UNIMED PAULISTANA APOSTA NO SUPORTE DE EMPRESAS ESPECIALIZADAS EM SERVIÇOS GERAIS COMO SEGURANÇA, LIMPEZA E DEDETIZAÇÃO

P

reocupação com a qualidade dos serviços é uma das prio ridades que os hospitais têm na hora de oferecer atendimento aos pacientes e seus familiares. Nesta linha de pensamento que os trabalhos terceirizados de segurança, limpeza e alimentação são bastante requisitados por instituições médicas para garantir um tratamento adequado. A Unimed Paulistana (UP) possui em sua rotina um suporte de outras empresas, contribuindo para atendimentos satisfatórios. SEGURANÇA Desde o seu início em 1971, que a Unimed Paulistana aprimora o conceito de assistência médica para uma visão de saúde voltada à qualidade de vida. Há 12 anos, a Unimed Paulistana é gestora do Hospital Unimed Santa Helena, voltado para pro-

cedimentos de alta complexidade. Escolheu então para seu parceiro o Grupo Liberdade Segurança, que alinhado com os objetivos da Unimed Paulistana tem cuidado dos processos e das operações que envolvem a Segurança e os Controles de Acesso do Hospital Unimed Santa Helena, dos prédios administrativos e dos CPAs. De acordo com o Diretor Presidente do Grupo Liberdade Segurança, José Vitor Aguiar de Oliveira, essa parceria é motivo de orgulho, porque a Unimed Paulistana faz a diferença na forma profissional e humana de tratar seus pacientes. “É uma empresa, que com sua seriedade e competência, contribuiu

muito para o nosso aprendizado e crescimento”, acrescenta. Além dos serviços realizados à Unimed Paulistana, o Grupo Liberdade Segurança também atua em condomínios comerciais, residenciais e logísticos, Indústrias e outros segmentos, nas áreas de vigilância patrimonial, segurança pessoal, controle de acesso, recepção, ascensoristas, telefonistas e bombeiros civis. “Ainda na área da saúde, atendemos laboratórios de análises clínicas, policlínicas, centros médicos e unidades de saúde”, completa o Diretor Operacional Marcos Duarte Lopes. Para amenizar a tensão existente nos ambientes hospitalares, o

PARA TIRAR A TENSÃO EXISTENTE NOS AMBIENTES HOSPITALARES, A LIBERDADE E SEGURANÇA GARANTE O CONFORTO NECESSÁRIO PARA DEIXAR PACIENTES E ACOMPANHANTES TRANQUILOS

HEALTHCAREManagement 18

ABRIL I MAIO 2012 healthcaremanagement.com.br

35

FOCO NA

GESTÃO TERCEIRIZAÇÃO

Grupo Liberdade Segurança busca sempre aliar segurança ao conforto e à agilidade necessária para que pacientes e acompanhantes sintam-se tranquilos. “Segurança aliada à presteza, cordialidade, educação e próatividade, são bandeiras de nossa parceira com a Unimed, o que é fundamental na satisfação de clientes diretos e indiretos”, afirma Lopes. Os diagnósticos e as análises de risco são realizados em conjunto entre o Grupo Liberdade e a Unimed, que a partir daí, determina a política de segurança de sua administração, hospitais e centros médicos. Marcus Vinicius Warlet, gerente administrativo do Grupo Liberdade afirma que esse trabalho busca oferecer proteção às pessoas e ao mesmo tempo reafirma a imagem positiva da Unimed junto aos seus clientes. Um dos 36

HEALTHCAREManagement 18

A LAVSIM PROCESSA DIARIAMENTE CERCA DE 20 TONELADAS DE ROUPAS SUJAS, QUANTIDADE QUE ATENDE O EQUIVALENTE A 2,5 MIL LEITOS, TOTALIZANDO 60 MIL PEÇAS diferenciais do Grupo Liberdade está nos princípios de sua forma de trabalhar, a exemplo de adotar uma filosofia que se traduz por meio do compromisso, responsabilidade e especialização no seguimento hospitalar, conforme diz Lopes. “Fazemos Segurança Patrimonial agregada a sistemas de segurança eletrônica de última geração, o que nos tem garantido bons resultados na operação e positivos índices de satisfação de nossos clientes.” Com 1,5 mil funcionários, a empresa busca sempre proporcionar aos seus colaboradores aprimoramento profissional e desenvolvimento da cultura de personalização dos serviços de segurança e atendimento, possibilitando pronta resposta, tranquilidade e a segurança

que se busca na contratação de seus serviços, assim o Grupo Liberdade promove para seus funcionários, além de cursos essenciais à sua função, treinamentos voltados ao relacionamento humano, como excelência no atendimento, relacionamento interpessoal entre outros. “Estes treinamentos, além de proporcionar a personalização, marca de nossos serviços, mantém nossos colaboradores atualizados aos conceitos atuais de segurança, atendimento à legislação e o melhor relacionamento com nossos clientes”, finaliza Lopes. LAVANDERIA Quem também faz parte do grupo de empresas que prestam serviços terceirizados para a Unimed Paulistana é

ABRIL I MAIO 2012 healthcaremanagement.com.br

SERVIÇOS GERAIS

SUPORTE NECESSÁRIO

a Lavsim Higienização Têxtil, responsável pelo processamento de todo enxoval hospitalar. Com 12 anos de atuação no mercado e há dois anos atendendo a UP, a empresa conta atualmente com uma equipe de 302 colaboradores. Segundo Plinio Rodrigues, do Departamento Comercial da Lavsim, contando todos os clientes da empresa, são processadas diariamente cerca de 20 toneladas de roupas sujas, quantidade que atende o equivalente a 2,5 mil leitos, totalizando 60 mil peças, que são lavadas em dois turnos de trabalho.

“A empresa possui uma estrutura de ponta, com oito lavadoras extratoras de 200 quilos. Uma lavadora extratora de 120 quilos e outra de 50 quilos. Sendo uma capacidade total por ciclo de 1.770 quilos”, informa, sobre o processamento que é totalmente automatizado, por meio do controle de tempo, temperatura, concentração de produtos químicos, nível de água e rotação de motor. Além disso, a Lavsim conta com calandras que são utilizadas para o acabamento de lençóis e equipamentos que permitem dobrar toalhas auto-

maticamente. Outro destaque da empresa é a Estação de Tratamento de Efluentes (ETE) com capacidade de armazenamento de dois milhões de metros cúbicos de água. A estrutura e a operação ainda contam com caldeiras alimentadas por cavaco de madeira (restos industriais de madeira) poço artesiano e ilhas químicas. “Também contamos com caminhões direcionados ao serviço de transporte das roupas”, conta Plínio. A Lavsim adota medidas que garantem agilidade nos serviços. O ciclo de produção começa no setor de recepção

FOCO NA

GESTÃO TERCEIRIZAÇÃO de roupas sujas, passando pela pesagem, separação, lavagem, secagem, acabamento e no final o de embalagem. “Procuramos sempre proporcionar um trabalho de qualidade e segurança no processo. A exemplo do apoio de um técnico de segurança de trabalho no quadro de colaboradores”, ressalta Plinio. Para o processo de lavagem ter a qualidade necessária, a empresa possui um manual operacional de normas e rotinas. Entre as rotinas estabelecidas estão as análises bacteriológicas das peças produzidas, superfícies de apoio, colaboradores, análise bacteriológica e fisicoquímica das águas utilizadas nos processos de produção. Além de assuntos sobre controles de pragas em toda área interna e externa da empresa. A responsabilidade ambiental é prioridade na Lavsim. A

empresa segue rigorosamente o PGRSS - Plano de Gerenciamento de Resíduos de Serviços de Saúde. DEDETIZAÇÃO Já no que diz respeito à prevenção e controle de pragas, quem dá suporte à Unimed Paulista, é a empresa internacional de higienização, Ecolab. Segundo Luciano Godoy, do setor de marketing corporativo da Ecolab, a empresa atua nos mercados de restaurantes, hospitais, saúde, supermercados, lavanderias comerciais e institucionais, empresas limpadoras, prédios de escritórios, clínicas e escolas, indústrias de alimentos e bebidas, laticínios, farmacêutica, manufatura e outras. “E ainda fazemos o manejo integrado de pragas, que atende a todos os segmentos descritos”, acrescenta. Na UP, a Ecolab promove

SUPORTE TECNOLÓGICO

serviços de manejo integrado de pragas e realiza inspeções para planejar estratégias de prevenção das ocorrências de pragas. “Assim, quanto maior for a interação entre a Unimed e Ecolab, menor é a incidência de pragas e consequentemente há um melhor controle de infecções hospitalares”, enfatiza Godoy sobre a parceria de cinco anos que gera resultados positivos, quando se fala em ocorrências de pragas, bem como o nível populacional de insetos e roedores. Em relação aos cuidados, orientações ou técnicas usadas para atuar nos setores hospitalares, a Ecolab informa que essas ações são pontos fundamentais para criar barreiras físicas e práticas de higienização. “Fazemos isso porque a utilização de produtos químicos possui restrições e também pensamos em sustentabilidade. Temos um controle efetivo com menor uso de produtos químicos possíveis”, completa ele.

Existem diversas inovações nos serviços produzidos pela Ecolab, principalmente em equipamentos e informação. A empresa realiza a emissão de relatórios via palm top, ou mesmo pulverizadores eletrônicos, sendo algo que apenas a Ecolab possui. “Temos contato permanente com nossa matriz nos Estados Unidos, pelo qual procuramos fazer a interação e padronização de procedimentos, treinamentos técnicos e equipamentos”, acrescenta.

38

HEALTHCAREManagement 18

ABRIL I MAIO 2012 healthcaremanagement.com.br

SERVIÇOS GERAIS

SUPORTE NECESSÁRIO

Godoy comenta ainda que em alguns casos, quando se faz necessário a utilização de pesticidas, a empresa busca por opções que utilizam produtos naturais ou mesmo com baixo poder residual. A Ecolab tem como meta usar produtos de última geração, que normalmente são baseados em altos resultados com baixo risco de contaminação em colaboradores, pacientes e meio ambiente. “Além disso, utilizamos equipamentos de alta tecnologia desenvolvidos por nosso Departamento de P&D, o qual

tem como princípio realizar aplicações localizadas com segurança, evitando assim contaminação”, revela. Na garantia de um ambiente livre de insetos, a Ecolab utiliza um programa integrado de controle de pragas, denominado de EcoPro HK, que indica o monitoramento e ações preventivas, tendo economia, eficiência e realizando um serviço ecológico (mais limpo). “Além disso, nossos profissionais possuem próatividade, o que resulta num serviço seguro e reconhecidamente eficaz”, assegura.

Sobre as principais vantagens oferecidas pela Ecolab no mercado de controle de pragas, Godoy ressalta o fato da empresa ser multidisciplinar, ter atuação nacional, padronização das atividades, busca por uma gestão coorporativa e pela qualidade na prestação do serviço. Nesta linha, a Ecolab também está diretamente ligada à sustentabilidade. “Em nossas operações, levamos muito a sério a obtenção dos melhores resultados possíveis. Principalmente preocupando-se com o tempo, a energia e o impacto ambiental final de nossas soluções”, explica.

FOCO NA

GESTÃO TERCEIRIZAÇÃO

ALIMENTAÇÃO E SEGURANÇA NO O INSTITUTO NACIONAL DO CÃNCER (INCA), ÓRGÃO AUXILIAR DO MINISTÉRIO DA SAÚDE, TAMBÉM CONTA COM O SUPORTE DE EMPRESAS TERCERIZADAS, ENTRE ELAS A CENTAURO SEGURANÇA, QUE COORDENA TODA A VIGILÂNCIA DA INSTITUIÇÃO E A MASAN, QUE ESTÁ À FRENTE DO SETOR DE ALIMENTAÇÃO, PREPARANDO TODAS AS REFEIÇÕES DIÁRIAS DE PACIENTES E ACOMPANHANTES ALIMENTAÇÃO A Masan atua no INCA desde 2008, sendo responsável pelo fornecimento de alimentos naturais para pacientes internados, ambulatórios e servidores. Por mês são produzidas e distribuídas cerca de 18 mil refeições. A diretora de marketing da empresa, Adriana Pinto conta que existem alguns requisitos necessários para a produção da alimentação. “Entendemos que para atender uma instituição como o INCA, supervisionada pela The Joint Commission, devemos buscar 40

HEALTHCAREManagement 18

a superação de nossa excelência todos os dias”, explica. Todo o trabalho feito pela empresa tem o controle, supervisão e fiscalização do Serviço de Nutrição e Dietética (SND), liderado por Nivaldo Barroso Pinto. “Todos os alimentos fornecidos pela Masan são preparados nas cozinhas da unidade hospitalar”, revela. Conforme o coordenador de Administração Geral do INCA, André Tadeu de Sá, a terceirização permite que o instituto concentre esforços e conhecimentos no desenvolvimento de atividades estratégicas. “Podemos dizer que esses serviços de apoio são fundamentais para o desenvolvimento do instituto”, diz. A Masan promove investimentos no recrutamento, seleção e contínuo treinamento da equipe de funcionários. O trabalho desenvolvido pela empresa é criterioso em todas as suas etapas, a começar na escolha das mercadorias utilizadas, visando à alta qualidade. Sá considera que este tipo de terceirização ajuda a instituição a acelerar e melhorar alguns quesitos do atendimento. “Isso ocorre, a partir do momento que nos concentramos

INCA em desenvolver atividades estratégicas”, destaca. Os refeitórios administrados pela Masan possuem um padrão diferenciado, porque

“O TRABALHO REALIZADO PELA MASAN É CRITERIOSO EM TODAS AS SUAS ETAPAS, A COMEÇAR PELA ESCOLHA DAS MERCADORIAS”

ABRIL I MAIO 2012 healthcaremanagement.com.br

ADRIANA PINTO, DIRETORA DE MARKETING DA MASAN

SERVIÇOS GERAIS

SUPORTE NECESSÁRIO

OS REFEITÓRIOS ADMINSTRADOS PELA MASAN POSSUEM UM PADRÃO DIFERENCIADO, TENDO EM VISTA QUE EM HOSPITAIS E DEMAIS ESTABELECIMENTOS DE SAÚDE, A SEGURANÇA ALIMENTAR É PRIORIDADE nos hospitais e outros estabelecimentos de saúde, a segurança alimentar é a prioridade. Nos últimos anos, a empresa vem se aprimorando na implantação do sistema integrado de listas de controle higiênico-sanitárias baseadas nos princípios da Análise de Perigos e Pontos Críticos de Controle. “Os cuidados com a higiene, conservação e manuseio também merecem atenção especial de profissionais experientes”, completa Adriana. Ela afirma que o intuito deste sistema integrado é padronizar o serviço em higiene e segurança alimentar, facilitando a gestão de todos os refeitórios. “Esse tipo de iniciativa, somada aos nossos contínuos esforços de aperfeiçoamento, fazem com que a Masan se destaque no seu segmento de atuação”, completa a diretora de marketing. Para cada serviço contratado pelo INCA é designado um fiscal para acompanhamento das atividades feitas por determinada empresa. Quanto ao trabalho desenvolvido pela Masan no setor da alimentação, André Tadeu de Sá diz que atual-

mente está dentro dos padrões estabelecidos. “Até o momento o serviço está sendo prestado dentro do escopo e qualidade necessária”, ressalta. O INCA também recebe o apoio terceirizado de outras

empresas de setores diferenciados, como limpeza e conservação, manutenção predial e transporte. O critério usado para contratar alguma firma no INCA é feito por processo licitatório, dentro dos parâmetros técnicos e da legislação correspondente. Entre servidores, terceirizados, treinandos, estagiários, bolsistas e prestadores de serviços diretos são aproximadamente 5.370 funcionários no instituto.

NOS ÚLTIMOS ANOS A MASAN VEM SE APRIMORANDO NA IMPLANTAÇÃO DO SISTEMA INTEGRADO DE LISTAS DE CONTROLE HIGIÊNICO-SANITÁRIAS BASEADAS NOS PRINCÍPIOS DA ANÁLISE DE PERIGOS E PONTOS CRÍTICOS DE CONTROLE PROGRAMAS Vários programas de nutrição fazem parte da rotina da Masan. Dentre essas iniciativas em desenvolvimento, destaque para o programa “Alimentando o Futuro”. Este é direcionado ao público infantil e tem como finalidade principal trabalhar conceitos importantes para o adequado desenvolvimento dos futuros adultos do Brasil. “No que corresponde à temática da nutrição, trabalhamos com a interação de criança/alimento de forma lúdica”, ressalta.

HEALTHCAREManagement 18

Além disso, a empresa desenvolve gibis, como o Super Alimentos, oficinas de teatro e de culinária, contextualizando aspectos nutricionais de forma prazerosa. Outros programas desenvolvidos são: “Nutrição em Movimento”, que tem como meta contribuir no desempenho físico de atletas por meio de uma alimentação equilibrada aos adolescentes e o “Geração Longevidade”, iniciativa voltada exclusivamente para a alimentação na terceira idade.

ABRIL I MAIO 2012 healthcaremanagement.com.br

41

FOCO NA

SERVIÇOS GERAIS

GESTÃO

SUPORTE NECESSÁRIO

TERCEIRIZAÇÃO SEGURANÇA Há mais de 20 anos, a Centauro Segurança oferece qualidade nos serviços de vigilância desarmada, armada, escolta armada e segurança pessoal privada na indústria, no comércio, em condomínios residenciais e comerciais, órgãos da administração pública e bancos. A empresa que é responsável por todo o serviço de segurança das dependências do INCA, conta com 1.069 funcionários em postos de serviço e 55 no administrativo. Segundo Carlos André Nascimento Soares, gerente operacional da Centauro, depois que a empresa passou a atuar no instituto, resultados positivos foram observados, a exemplo da contribuição com a organização de um ambiente mais agradável e seguro para pacientes e visitantes. “Fazemos a utilização de procedimentos de controle de acesso e de pronta resposta, de maneira comprometida com os princípios básicos de humanização e hospitalidade”, afirma. Para André Tadeu de Sá, coordenador do INCA, no contexto de uma instituição pública, principalmente de atendimento ao cidadão, onde o fluxo de pessoas é intenso, a eficiência de um serviço dessa natureza é fundamental no sentido de garantir a segurança patrimonial

42

HEALTHCAREManagement 18

e a integridade das pessoas. “É assim que avaliamos a atual prestadora do serviço”, avalia. Para André, a atuação em área hospitalar é um trabalho em conjunto com a direção da unidade que especifica suas necessidades. Ele conta que os postos de serviços são distribuídos de acordo com os pontos críticos: vulnerabilidades, fluxo de público, entrada e saída de almoxarifado e portaria principal. “Contamos com equipamentos como circuito interno, bastão de ronda eletrônica, controle de acesso, alarme silencioso”, diz sobre os suportes para os serviços. Em cada ambiente que a empresa atua é feito algum planejamento ou diagnóstico de risco. Conforme André, por meio de um estudo e reconhecimento do local a ser protegido é elaborado um de plano de segurança. “São sinalizadas áreas vulneráveis a ações mal intencionadas, sugestões de implantação de controle de acesso, monitoramento eletrônico e proteção às áreas restritas (importantes) utilizando dispositivos”, explica. André destaca que o diferencial da Centauro é voltado para a relação comercial com o cliente, procurando atender prontamente suas expectativas por meio de pronto atendimento. “Dedicamos atenção aos nossos funcionários que desen-

“UTILIZAMOS PROCEDIMENTOS DE CONTROLE DE ACESSO E DE PRONTA RESPOSTA, DE MANEIRA COMPROMETIDA COM OS PRINCÍPIOS BÁSICOS DE HUMANIZAÇÃO” CARLOS ANDRÉ NASCIMENTO SOARES, GERENTE OPERACIONAL DA CENTAURO

volvem o trabalho no local de serviço; desenvolvemos aplicação de treinamento específico para melhores resultados da produtividade.” A empresa informa que questões como pagamentos de salários e benefícios são cumpridos. Além dos cumprimentos das obrigações trabalhistas e regularidade junto aos órgãos fiscalizadores e recolhimentos de tributos. HC

ABRIL I MAIO 2012 healthcaremanagement.com.br

HEALTHCAREManagement 18

ABRIL I MAIO 2012 healthcaremanagement.com.br

43

MEDIDA

SUSTENTÁVEL INOVAÇÃO

ADEUS AO PAPEL

Programa pioneiro inclui o prontuário eletrônico em todas as áreas do Hospital Infantil Sabará. A ação faz parte das comemorações dos 50 anos da instituição, referência na área de pediatria

R

eferência em pediatria, a Fundação Hospital Infantil Sabará, na capital paulista, que completou 50 anos de história no mês de abril, lançou recentemente o “Saúde Sem Papel”, ação que extingue impressões em papel em todos os departamentos do hospital. O projeto ultrapassa a digitali-

44

HEALTHCAREManagement 18

zação do prontuário médico. Desde o momento em que o paciente dá entrada até quando recebe alta médica, o processo é exclusivamente on-line. Celso Ruggiero, CEO (Chief Executive Officer) do Hospital revela que essa ideia de abolir o papel das atividades do hospital surgiu no ano passado como

parte das ações de comemoração das cinco décadas de história do hospital. “Além de contribuirmos com o meio ambientes, através dos novos processos adotados, oferecermos maior segurança e menor tempo de espera aos nossos pacientes, ao informatizar todas as atividades do hospital”, afirma.

ABRIL I MAIO 2012 healthcaremanagement.com.br

HOSPITAL SABARÁ

ABOLIÇÃO DO PAPEL

Ruggiero conta que este projeto deve ser completado em três anos. “A princípio, já começamos a informatizar toda a área assistencial, que inclui pronto socorro, Internação e UTI.” Também o hospital fez parceria com alguns planos de saúde, para deixar de imprimir toda a papelada administrativa. “Com o tempo, iremos implementar o programa em todo o hospital”, garante. Para tanto, foi adquirido novos equipamentos, software de última geração e cartões digitais para todos os funcionários. Assim sendo, até o final do primeiro semestre de 2012 a instituição estará com a área assistencial implantada com o sistema. Partindo em seguida para as administrativas (financeiro, RH, etc.). O projeto também prevê investimento em redundância de servidores fora do hospital (in cloud computing). Será replicada em toda estrutura de servidores, uma vez que o hospital dependerá ainda mais do serviço. Para realização desta iniciativa o hospital teve que estabelecer uma parceria com a Green Soluções sem Papel, braço da empresa de software de gestão hospitalar e consultoria MV. A Green surgiu como uma empresa integradora que possui a solução para a captura dos documentos físicos do cotidiano via digitalização com certificação digital, tendo total capacidade de

integração com todas as telas dos sistemas da MV. Ruggiero aponta que com essas mudanças vão acontecer em ambas as situações, mas principalmente será gerado mais segurança aos pacientes. Além da economia no bordereau, o projeto implica em vantagens que abrangem desde o dia-adia administrativo até benefícios aos pacientes, às empresas parceiras e ao meio ambiente. “Este conceito de trabalhar sem papel com a dimensão em que criamos a solução é uma novidade no mercado hospitalar”, informa Adriano Duarte, diretor da Green. Ele afirma que

quando a empresa apresentou o projeto ao hospital foi recebido vários elogios, com uma reação de grata surpresa por tomar conhecimento de uma solução inovadora no mercado. Como em tantas outras implantações de soluções que envolvem tecnologia diretamente no dia a dia das pessoas, Duarte conta que a empresa tem a questão cultural que visa participar do envolvimento dos usuários. “Existe um certo ‘apego’ das pessoas em trabalhar com o documento físico para o manuseio da informação”, analisa, quanto ao empecilho de HC implantar a ação.

VANTAGENS DA ABOLIÇÃO DO PAPEL • Procedimentos serão tomados de forma rápida pela equipe médica e de enfermagem, por ser um sistema digital. • Garante maior segurança aos pacientes, já que seus dados estão na rede do hospital e não em documentos impressos. • Redução de custos com compras de papel. • Menos árvores serão cortadas (A cada 10 mil páginas A4 - uma árvore é cortada). • Acesso rápido às informações pelas empresas parceiras. Fonte: Green Soluções sem Papel

HEALTHCAREManagement 18

ABRIL I MAIO 2012 healthcaremanagement.com.br

45

ALTA NOS

NEGÓCIOS INDÚSTRIA

O CRESCIMENTO NAS

EXPORTAÇÕES Marca de empresas brasileiras ajuda multiplicar exportações em cerca de 260%

E

m tempos de competitividade no mercado, criar estratégias é algo ideal para evitar prejuízos no andamento da empresa. Foi com esse pensamento que a Associação Brasileira da Indústria de Artigos e Equipamentos Médicos, Odontológicos, Hospitalares e de Laboratórios (ABIMO) criou um Projeto Setorial Integrado (PSI), em parceria com a ApexBrasil (Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos), que gerou a marca Brazilian Health Devices. O intuito é fomentar as exportações das indústrias brasileiras de artigos e equipamentos da área da saúde. Existente há 10 anos, o projeto mudou o cenário de exportações da indústria da saúde brasileira. Prova disso se dá nas estatísticas levantadas pela Associação que mostram que em 2002 foram R$ 200 milhões exportados contra mais de R$ 700 milhões em 2011, o que repre-

46

HEALTHCAREManagement 18

senta um aumento de cerca de 260%, segundo informa Paula Portugal, gerente de projetos internacionais da ABIMO. Ela conta que a associação mudou seu cenário, após o surgimento deste PSI. “Buscamos a audaciosa meta em exportar U$ 1 bilhão até 2015, que deve ser atingida até 2014”, adianta. Esse crescimento se deve em parte a uma das ações do projeto que possibilitou que médias e pequenas empresas brasileiras iniciassem suas exportações. Outra medida foi voltada ao trabalho de divulgação da indústria brasileira no exterior. Isso porque, de acordo com Paula, apesar do aumento das exportações, detectouse que o Brasil ainda era

pouco conhecido como um fornecedor de tecnologia médica e odontológica. “Já que as empresas estavam preparadas e condicionadas à exportação, faltava o Brasil ser reconhecido como importante player mundial e fabricante de qualidade. Foi por isso que criamos em agosto de 2010 a marca Brazilian Health Devices. Através da parceria com a Apex”, relembra a gerente. Para criar este “selo” a associação contratou uma empresa de construção de marca que trabalhou junto com 30 indústrias associadas à ABIMO, conforme diz Paula. Essa empresa identificou a imagem do Brasil no exterior, os principais concorrentes e como eles são vistos inter-

“JÁ QUE AS EMPRESAS ESTAVAM PREPARADAS E CONDICIONADAS À EXPORTAÇÃO, FALTAVA O BRASIL SER RECONHECIDO COMO IMPORTANTE PLAYER MUNDIAL E FABRICANTE DE QUALIDADE. FOI POR ISSO QUE CRIAMOS A MARCA BRAZILIAN HEALTH DEVICES”

ABRIL I MAIO 2012 healthcaremanagement.com.br

O CRESCIMENTO

NAS EXPORTAÇÕES

nacionalmente. Com base nestas informações criou-se um gráfico de percepção de valor da marca e de imagem do Brasil como fornecedor de tecnologia médica. Sobre as vantagens desta criação, Paula conta que a marca tende a posicionar o Brasil como um grande fornecedor de tecnologia médica. “O Brasil participa há 10 anos da principal feira do setor mundial e precisa se posicionar como uma ótima opção para um produto de

O BRASIL PARTICIPA HÁ 10 ANOS DA PRINCIPAL FEIRA DO SETOR MUNDIAL E PRECISA SE POSICIONAR COMO UMA ÓTIMA OP��ÃO PARA UM PRODUTO DE QUALIDADE A UM CUSTO/ BENEFÍCIO MUITO BOM. A MARCA “BRAZILIAN HEALTH DEVICES” TENDE A POSICIONAR O BRASIL COMO UM GRANDE FORNECEDOR DE TECNOLOGIA MÉDICA. qualidade a um custo /benefício muito bom”. A ABIMO informa que teve muito destaque na feira Medica, realizada na Alemanha, em novembro de 2011, e o lança-

HEALTHCAREManagement 18

mento da marca foi o grande responsável por esta evidência. “Queremos que a marca seja um selo de qualidade para nossas empresas. Apenas aquelas que atendem a

ABRIL I MAIO 2012 healthcaremanagement.com.br

47

ALTA NOS

O CRESCIMENTO

NAS EXPORTAÇÕES

NEGÓCIOS INDÚSTRIA uma série de requisitos podem utilizá-la”, ressalta. Outra importância da marca internacional “Brazilian Health Devices” para o mercado nacional, é que o Brasil pode atender a demanda de 90% de um hospital internacional. A associação visa que o mercado nacional entenda que pode comprar 90% do necessário, para um hospital aqui no Brasil e que a quali-

48

HEALTHCAREManagement 18

dade dos produtos da marca atende critérios e certificações internacionais. Questionada se este tipo de iniciativa ajuda a incentivar a qualidade em diversos segmentos da saúde, Paula afirma que contribui sem dúvidas. “Estamos trabalhando em parceria com a indústria farmacêutica e de biotecnologia e devemos criar uma marca única para estes três setores”, acrescenta.

A ASSOCIAÇÃO VISA QUE O MERCADO NACIONAL ENTENDA QUE PODE COMPRAR 90% DO NECESSÁRIO PARA UM HOSPITAL AQUI NO BRASIL E QUE A QUALIDADE DOS PRODUTOS DA MARCA ATENDE CRITÉRIOS E CERTIFICAÇÕES INTERNACIONAIS

ABRIL I MAIO 2012 healthcaremanagement.com.br

ALTA NOS

NEGÓCIOS INDÚSTRIA SUCESSO DA MARCA Depois do lançamento da marca, alguns resultados positivos já puderam ser observados, a exemplo do desempenho das empresas que pertencem à ABIMO na feira Medica, considerada como a mais importante do mundo no setor hospitalar. “Esse sucesso mostrou que o Brasil teve grande destaque. “Nos posicionamos muito bem ao lado de países como Suíça, EUA e França. Claro que os resultados de um trabalho de imagem internacional e grandioso acontecem em médio e longo prazos”, enfatiza. A reação das empresas brasileiras após a criação da marca foi satisfatória, segundo informa a gerente. “Sinto que as empresas de nosso projeto entenderam e acreditam na marca. São empresas sérias que lutam diariamente contra todas as barreiras para exportarem seus produtos”, avalia Paula sobre a aceitação, deste auxílio que ajuda empresas a vender a tecnologia brasileira no mundo. No total, fazem parte do pro-

50

HEALTHCAREManagement 18

jeto Brazilian Health Devices, 150 empresas que exportam para mais de 180 países. “Atendemos países como Estados Unidos, Argentina, Venezuela, México e Colômbia”, comenta. De acordo com a diretoria da ABIMO, foi gerado no ano passado com as exportações cerca de U$ 708 milhões – aumento de 30% desde 2009. “Empresas que participam do projeto tiveram crescimento de 56% no mesmo período, exportando U$ 182 milhões em 2011.” Conforme informa a ABIMO, para aumentar as exportações brasileiras na área hospitalar, o Brasil deve estar presente em conhecidas feiras médicas, como a de Arab Health (janeiro em Dubai), Fime (agosto nos EUA, Miami), Medica (novembro em Dusseldorf, Alemanha) e Africa Health (África do Sul, Johanesburgo em maio). Segundo a associação também é preciso estar nas odontológi-

cas, a exemplo da AEEDC (fevereiro em Dubai), CDS (Fevereiro em Chicago, EUA), IDS (março 2013 em Colônia, Alemanha) e Dental Expo (setembro, Moscou, Rússia) A reportagem da HealthCare apurou que o principal desafio na hora de lançar uma marca, deste modelo é conseguir sensibilizar toda a indústria e abranger todas as empresas. A Brazilian Health Devices trabalha com seis setores e mais de 200 NCM’s, ou seja, uma gama muito grande de produtos. “O desafio era abranger a todos, para que todos se sintam incluídos e participantes desta marca. Acredito que atingimos este objetivo”, conHC clui a gerente.

ABRIL I MAIO 2012 healthcaremanagement.com.br

O CRESCIMENTO

NAS EXPORTAÇÕES

EMPRESA

PELOS TRILHOS T

êm escolhas no setor de negócios que precisam ser avaliadas e discutidas dezenas de vezes, para conseguir um resultado positivo. Com essa proposta que a JG Moriya decidiu fazer parte da ABIMO. A empresa foi apresentada na associação pelo então presidente da época, Sr Djalma da empresa Fanem. A JG Moriya avalia que as principais vantagens que a empresa conquistou após integrar a Abimo foi a possibilidade de exibir seus produtos em feiras internacionais. Outro ponto foi impedir a entrada de produtos similares de nossa fabricação sem impostos por falta de similar nacional. A empresa ainda ressaltou que a marca internacional “Brazilian Health Devices” está tornando um sinônimo de qualidade para a instituição. Na 19ª Feira e Forúm Hospitalar, que acontece agora em maio, a JG Moriya revela à reportagem que vai expor produtos de sua fabricação e comercialização no Brasil, com destaque para o sistema de braço articulado, aparelho de anestesia 7500, capnometro portátil EMMA, monitor de oxi-

DA SAÚDE

do nítrico e dióxido de nitrogênio NOx 500 e ventilador VSIII. Todas 19 edições do evento, a JG Moriya participou procurando levar inovação em novos produtos, investindo em novas tecnologias e processos produtivos, aumentado a produtividade e qualidade. No segmento médico-hospitalar há mais de 18 anos, a JG Moriya atua na fabricação e distribuição de equipamentos para as áreas de Anestesia, Oxigenoterapia, Terapia Intensiva (UTI), Moni-

tores, Divisão de Bombas de Infusão Hospitalar e Domiciliar, Odontologia, Veterinária e Divisão de Home Care. Entre os produtos produzidos pela marca estão aparelhos de suporte ventilatório para UTI, linha para terapia do sono, inaloterapia, painéis modulares para leitos hospitalares, colunas retráteis, painéis de gases para Centros Cirúrgicos e UTIs, acessórios de gasoterapia, oxicapnógrafos, analisadores de O2, bombas de infusão, monitores e HC oximetros.

A JG MORIYA IRÁ EXPOR SEUS PRODUTOS NA 19ª FEIRA E FÓRUM HOSPITALAR, COM DESTAQUE PARA O SISTEMA DE BRAÇO ARTICULADO, APARELHO DE ANESTESIA 7500, CAPNOMETRO PORTÁTIL EMMA, MONITOR DE OXIDO NÍTRICO E DIÓXICO DE NITROGÊNIO, ENTRE OUTROS

HEALTHCAREManagement 18

ABRIL I MAIO 2012 healthcaremanagement.com.br

51

HEALTH-IT

ENTREVISTA

ATESTADOS COM

CERTIFICAÇÃO DIGITAL D

esde março os cerca de 30 mil associados da Associação Paulista de Medicina (APM) passaram a usufruir de atestados médicos com certificação digital a fim de reduzir práticas fraudulentas, como a adulteração de dados de médicos ou do próprio atestado. Disponível ao custo de um real, o documento foi elaborado pela APM em parceria com empresas nacionais de tecnologia. Em entrevista à HealthCare Management o membro da diretoria da associação, o Dr. Paulo Tadeu Falanghe, explicou detalhes deste novo modelo de atestado que tende a ser usado em todo o território brasileiro. Como surgiu a ideia de oferecer atestados médicos com certificação digital a fim de coibir práticas fraudulentas, como a adulteração de dados de médicos ou informações do próprio atestado? Dr. Paulo Tadeu Falanghe: A proposta de usar este atestado já vem sendo desenvolvida há bastante tempo pela APM. Essa ideia era um dos nossos

52

HEALTHCAREManagement 18

objetivos antigos de evitar centenas de fraudes e crimes envolvendo exames ou atestados médicos. Essa fraude que a gente cita é no sentido de falsificar o papel do certificado, a assinatura médica, as informações do atestado. E esses crimes têm gerado danos para os médicos, principalmente os que são da nossa associação. Os profissionais eram chamados para responder sobre certificados falsos que não tinham sido emitidos. E para desenvolver este atestados com certificação digital, a APM firmou parceria com empresas de TI? Dr. Falanghe: Sim, a nossa diretoria fez uma parceria com renomadas empresas como a Veus Technology, desenvolvedora do aplicativo, e a CertiSign, fornecedora de sistemas de autenticação. Como é feito este tipo de certificação digital nos atestados? Dr. Falanghe: Com essa nova medida, o médico vai assinar o atestado por meio de biometria. É utilizado o núme-

ro do CPF do paciente e do profissional da saúde. Além de solicitar as impressões digitais de cada paciente, para maior garantia dos dados emitidos. Será algo com bastante segurança tanto para o paciente, quanto para os médicos e instituições de saúde. Quais são as principais vantagens do uso deste tipo de atestado médico? Dr. Falanghe: Consideramos que a grande vantagem é o fato de o atestado ser assinado por um médico de forma segura. Sem contar que todas as informações da consulta ou estado de saúde do paciente ficam anexadas neste atestado digital. Não existe a possibilidade de inventar qualquer tipo de doença e colocar no documento, sem a presença do profissional da saúde. Outro benefício é que este atestado pode ser impresso ou ser enviado para determinadas instituições por e-mail, garantindo a segurança na emissão das informações do paciente, que geralmente é um trabalhador, estudante, etc.

ABRIL I MAIO 2012 healthcaremanagement.com.br

ENTREVISTA COM

DR. PAULO TADEU FALANGHE

A CERTIFICAÇÃO FUNCIONA COMO UM INFORMATIVO ON-LINE SOBRE O ESTADO ATUAL DE SAÚDE DA PESSOA. A PARTIR DO MOMENTO QUE O MÉDICO ENTRA NO SITE, ELE VAI ENCONTRAR DEZENAS DE DADOS REFERENTES AO PACIENTE

Como esta sendo a aceitação dos profissionais da saúde e dos pacientes em relação a este novo modelo de atestado? Dr. Falanghe: A aceitação tem sido muito positiva. Nós da associação sabemos que esta medida vai levar muito tempo para os médicos acostumarem e aceitarem. Logo na primeira semana em que lançamos, a procura por informações foi bem satisfatória. E

vale ressaltar que essa ideia do atestado digital não é só inovadora no Brasil, outros países já estão criando e utilizando medidas semelhantes para evitar fraudes médicas. Como instituições da saúde ou médicos podem adquirir esse atestado com certificação digital? Dr. Falanghe: Qualquer médico do Estado de São Paulo

HEALTHCAREManagement 18

com ACN ativo, pode solicitar este novo modelo de atestado. Nossa associação está com alguns projetos de experiência em andamento com a meta de expandir a utilização desta certificação. Neste projeto, muitas clínicas e hospitais têm interesse em participar. A meta da APM é abolir o tradicional atestado de papel dos consultórios médicos? Dr. Falanghe: Podemos dizer que seja uma meta. Mas o importante é que todos os cidadãos entendam que o uso deste atestado digital acontece não por causa de uma obrigatoriedade, mas sim pela

ABRIL I MAIO 2012 healthcaremanagement.com.br

53

HEALTH -IT

ENTREVISTA COM

DR. PAULO TADEU FALANGHE

ENTREVISTA

DR. PAULO TADEU FALANGHE DISCURSA EM REUNIÃO COM A DIRETORIA DA ASSOCIAÇÃO PAULISTA DE MEDICINA

DAQUI UNS DIAS FALAR EM ATESTADO DE PAPEL SERÁ ALGO DO PASSADO. A TENDÊNCIA É QUE TODAS AS ÁREAS PROFISSIONAIS BUSQUEM MEDIDAS SUSTENTÁVEIS E SEGURAS segurança de toda a sociedade. Daqui uns dias falar em atestado de papel será algo do passado. A tendência é que todas as áreas profissionais busquem medidas sustentáveis e seguras. Como funciona o atestado? Dr. Falanghe: Funciona como um informativo online sobre o estado atual de saúde da pessoa. A partir do momento que o médico entra no site da certificação digital do atestado, ele vai encontrar dezenas de dados referentes ao paciente. Além disso é

54

HEALTHCAREManagement 18

necessário ter um aparelho conectado ao computador e à internet registrado conforme as normas de saúde.

tanto do paciente, como para os médicos. Com certeza as falsificações vão diminuir com este novo atestado.

Existe alguma média de fraudes em atestados médicos no Brasil? Dr. Falanghe: Este dado não existe, porque as ações fraudolentas na maioria das vezes não são encontradas. Com o uso desta certificação digital, este ato ilegal poderá ser descoberto e assim farão-se pistas de onde foi gerado aquele documento falso que pode influenciar em várias questões

Quanto custa a implantação deste atestado? Dr. Falanghe: Para adquirir o atestado com certificação, os médicos ou empresas de medicina de grupo devem possuir CPF ou CNPJ, modelos de certificação digital cujo preço varia entre R$ 93,50 e R$ 310,25, se adquiridos por meio da associação. Cada unidade do documento HC custa R$ 1.

ABRIL I MAIO 2012 healthcaremanagement.com.br

ESPECIAL HEALTH-IT

HOSPITALAR 2012 SAIBA O QUE AS EMPRESAS DE TÉCNOLOGIA PARA A SAÚDE APRESENTARÃO NA 19ª EDIÇÃO DA FEIRA E FÓRUM HOSPITALAR 2012

AGFA INPUT JME PR SISTEMAS ROGITECH SPDATA

HEALTH-IT

ESPECIAL

AGFA HEALTHCARE Desenvolvedora de sistemas implantará solução de Teleradiologia na rede de municipal saúde de São José do Rio Preto (SP)

A

Agfa HealthCare, líder global entre os fornecedores de diagnóstico por imagem e soluções de TI para a área da saúde, ganhou recentemente a licitação para digitalizar os serviços de diagnóstico por imagem da Prefeitura de São José do Rio Preto (SP). O projeto, orçado em R$ 2.575.000,00 contempla sete unidades hospitalares com demanda de 270 mil exames ao ano. O Projeto contempla a implementação dos sistemas RIS/ PACS e a instalação dos digitalizadores CR 35-X e CR 85-X em setes unidades hospitalares. Estes serviços serão interligados através de um anel de fibra ótica com velocidade de 1Gbps, onde as imagens geradas por cada uma das unidades serão enviadas ao Datacenter e na sequência disponibilizadas aos Radiologistas, que farão a liberação dos resultados dos exames através da Central de Laudos. A venda foi concebida no modelo “turn key”, onde a Agfa HealthCare proverá todos os componentes de Hardware (servidores, dispositivos de armazenamento e estações de diagnóstico com monitores de alta definição), Software (banco

56

HEALTHCAREManagement 18

de dados, PACS, RIS e sistemas operacionais) e Serviços (implementação, treinamento e suporte técnico). O projeto contempla ainda a integração, via protocolo HL7, dos sistemas RIS/PACS com o HIS/CIS desenvolvido pela Secretaria de Saúde local, onde todas as informações serão interconectadas entre os ambientes evitando re-digitações e duplicidade de informações, criando um único repositório de dados. As unidades a serem interligadas são: Centro de Referência em Saúde da Mulher, Ambulatório Regional de Especialidades, Hospital Dias, UPA (Unidade de Pronto Atendimento) Jaguaré, UPA Central, UPA Norte e UPA Tangará, onde serão realizados exames

de Raios-X, Mamografia, UltraSonografia e Densitometria. De acordo com o gerente de vendas da Agfa HealthCare, Robson Miguel, este será um dos mais completos sistemas multisites do interior Paulista. Esta tecnologia trará uma série de benefícios não apenas para a Secretaria de Saúde como para todos os pacientes.

NO MERCADO A Agfa HealthCare projeta, desenvolve e entrega sistemas de ponta para capturar, administrar e processar imagens de diagnóstico e informações clínico-administrativas para hospitais e clínicas, bem como soluções de contraste para resultados médicos efetivos de imagem. Com escritórios de venda e representantes em mais de 100 países no mundo. As vendas para a Agfa HealthCare em 2010 foram de 1,180 milhões de Euros. Em setembro de 2011, adquiriu todas as ações da WPD. Uma das principais empresas de TI em saúde no Brasil, fornecedora de serviços de consultoria e sistemas de TI na área da saúde, com mais de 330 clientes.

ABRIL I MAIO 2012 healthcaremanagement.com.br

ESPECIAL

HOSPITALAR 2012

INPUT CENTER Input desenvolve sistema de comando de voz, sensível a movimentos, que auxilia na segurança das cirurgias

A

Input Center desenvolveu uma tecnologia que promete revolucionar a forma de como os médicos atuarão durante as cirurgias. O novo sistema, chamado de WinHosp.net, atende o Protocolo de Cirurgia da OMS (Organização Mundial de Saúde) e diminui em até 40% o risco de complicações cirúrgicas. Segundo a diretora da Input, Neide Leite, a OMS pede o preenchimento eletrônico apenas. A Input, porém, inovou e criou o recurso de comando de voz, que pode ser acionado pelo cirurgião. “O sistema cria um diálogo com o médico, reconhece a sua voz e fica atento durante todo o processo, orientando-o e informando-o sobre possíveis alterações na solicitação de medicamentos para serem aplicados ou de dados importantes do paciente como os resultados de exames realizados pelo mesmo”, explica. A novidade tecnológica foi implantada no setor de queimados em um hospital de São Paulo, em caráter de teste e recebeu total aprovação dos médicos da instituição. De acordo com os profissionais, o novo recurso garante a agilidade no

processo da cirurgia. O computador mostra os exames e a situação atual do paciente na tela. O tamanho da visualização das imagens ainda pode ser controlada pelo movimento das mãos ou pelo comando de voz. Desenvolvido no Brasil, pela Input, essa tecnologia é única no mundo e desperta interesse em hospitais privados e também em outros países. “A adoção desses recursos se faz cada vez mais necessária. É dever de todo administrador hospitalar otimizar processos,

reduzir custos e principalmente garantir a segurança dos pacientes”, reforça a diretora. A Input também desenvolveu outra ferramenta, junto ao WinHosp.net que revoluciona a forma de administrar os hospitais. A empresa desenvolveu um novo sistema, onde o gestor de uma instituição pode controlar indicadores via celular ou ta-blet. A ferramenta permite que se tenha informações sobre diversos setores do hospital em qualquer lugar e a qualquer momento.

Input Center - A Input Center é uma empresa de tecnologia de informação consolidada no mercado há mais de 23 anos. Ela oferece soluções ao mercado, com serviços e softwares completos de gestão para saúde, segurança e educação. WinHosp.net - O WinHosp.net é um sistema de gestão hospitalar composto por mais de 130 módulos totalmente integrados. Com ele, é possível ter controle dos diversos setores do hospital. (fonte: Input)

HEALTHCAREManagement 18

ABRIL I MAIO 2012 healthcaremanagement.com.br

57

HEALTH-IT

ESPECIAL

JME JME apresenta produtos e leva inovação para Hospitalar 2012

A

JME, especialista em gestão para a saúde estará na 19º Feira Hospitalar para apresentar as novas soluções complementares aos Sistemas de Gestão Hospitalar (SIS HOS) e Gestão de Saúde Pública (SIS SAP). Juntamente com mais de mil expositores de diversos setores relacionados à saúde, como equipamentos, tecnologia, medicamentos, entre outros. O objetivo é mostrar as mais importantes novidades de produtos e desenvolvimento de negócios na área médico-hospitalar.

“A JME e todas suas unidades estarão nesta importante feira. Vamos expor toda nossa gama de produtos e lançamentos, desde os que atendem aos grandes hospitais ao software desenvolvido para as Unidades de Pronto Atendimento (UPA). Neste sentido pretendemos atingir mercados ainda não explorados pela JME, bem como, a consolidação como uma empresa de referência na área da saúde”, afirma Jorge Branco, diretor da JME. Paralelamente a Hospitalar, a JME promove a 3ª edição

“PRETENDEMOS ATINGIR MERCADOS AINDA NÃO EXPLORADOS, BEM COMO, NOS CONSOLIDAR COMO EMPRESA DE REFERÊNCIA NA ÁREA DA SAÚDE” JORGE BRANCO, DIRETOR DA JME

TI PARA A SAÚDE A JME Informática, empresa de Porto Alegre (RS) se consolidou como especialista com soluções de tecnologia da informação (TI) próprias para a área da saúde. Com mais de 20 anos de serviços prestados, e com filial também em São Paulo, desenvolve produtos que atendam ao padrão TISS (Troca de Informações em Saúde Suplementar) estabelecido pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), que controla o registro e exportação de formulários eletrônicos de faturamento no padrão obrigatório para transferência de informações entre prestadores e operadoras. O setor de TI contribui na melhora do atendimento na área da saúde e um dos principais benefícios evidenciados é a agilidade e precisão das informações que circulam no meio hospitalar. [fonte: JME]

58

HEALTHCAREManagement 18

do JME em Foco, evento que reunirá equipes das unidades JME para troca de experiências e sugestões, culminando com um jantar. O estande da JME fica localizado no pavilhão verde, Rua F, 84. A Hospitalar fica na Expo Center Norte (Rua José Bernardo Pinto, 333 - Vila Guilherme - São Paulo)

ABRIL I MAIO 2012 healthcaremanagement.com.br

ESPECIAL

HOSPITALAR 2012

PR SISTEMAS Empresa de TI oferece sistemas diferenciados para Gestão Administrativa, Médico e Assistencial para Hospitais e Clínicas

U

tilizado por diversas instituições conceituadas na área, o sistema de gestão da PR Sistemas é totalmente integrado, aderente e flexível, adaptandose facilmente as particularidades e respeitando a visão de cada gestor sobre sua realidade. O sistema oferece inúmeros benefícios aos clientes, a exemplo do ganho de imagem, aumentando o numero de clientes, proporcionado melhores resultados financeiros, que permitem ampliação das estruturas e o fornecimento de novos serviços, gerando um circulo virtuoso. Já para os gestores o produto garante um serviço completo e integrado, por meio de direcionamento nas ações voltadas para a qualificação dos processos administrativos e a tomada de decisões estratégicas. E para os usuários o sistema com interface intuitiva que agiliza a realização das tarefas, ao eliminar retrabalhos e com consistência de dados em tempo real, trazendo segurança e confiabilidade da informação. E quando o assunto envolve paciente, o sistema da PR proporciona processos rastreados, trazendo percepção da qualidade do atendimento.

NO MERCADO Vinte sete anos dedicados exclusivamente na área de Saúde. A PR Sistemas iniciou suas atividades no ano de 1.984 em São Paulo (SP), para prestar seus serviços exclusivamente na área da Saúde. Especializada em desenvolvimento de sistemas de gestão de saúde pública e hospitalar, atua em todo território nacional, em hospitais públicos e privados e secretarias estaduais e municipais de saúde. A PR Sistemas atualmente disponibiliza sistemas totalmente integrados e flexíveis, desenvolvidos em tecnologias consagradas como Delphi (Borland), SQL Server (Microsoft), ASP.Net, C# e JAVA. Posicionando-se como uma integradora de soluções, buscamos para nossos clientes soluções objetivas e individuais, que respeitem as diversidades de cada instituição ou município, bem como a visão de cada gestor sobre sua realidade.

HEALTHCAREManagement 18

ABRIL I MAIO 2012 healthcaremanagement.com.br

59

HEALTH-IT

ESPECIAL

ROGETECH Especializada em tecnologia, empresa distribui inovação para área da saúde

E

m um mundo de constantes inovações, a solicitação por equipamentos mais robustos e eficaz vem crescendo a cada ano e por isso a RogeTech trabalha com os melhores fabricante como: Intermec, Motion e Newland com o propósito de atender a demanda do mercado oferecendo seus produtos com a melhor qualidade possível. A RogeTech conta com a Quebeck, que é o parceiro estratégico para o desenvolvimento de

negocio no seguimento na área da saúde e foi responsável pelo projeto no Hospital Paulistano, localizado no bairro da Bela vista, na região de São Paulo. O hospital investiu no tablet Motion para a melhoria no atendimento de seus pacientes. Com a utilização do tablet, integrado pelo parceiro Quebeck o profissional de enfermagem consulta todas as informações referentes ao paciente e realiza uma dupla checagem do prontuário antes de aplicar os

medicamentos. Toda essa implementação mudou completamente a rotina dos colaboradores e de seus pacientes, aumentando a segurança, organização, agilidade e o bem estar no trabalho. A Rogetech estará presente na Feira Hospitalar, no Expo Center Norte, entre os dias 22 e 25 de maio de 2012 juntamente com seus parceiros e fabricantes e mostrará a aplicação do Hospital Paulistano em seu estande localizado na rua F88.

NO MERCADO Rogetech, empresa do grupo Roge, em Jarinu, é uma distribuidora voltada para área de tecnologia da informação, que tem como objetivo oferecer produtos inovadores para o mercado corporativo e da saúde. A empresa foi fundada há 21 anos, trabalhando na área de alimentos e higiene pessoal, entretanto a partir da metade do ano passado a mesma iniciou um novo seguimento voltado á distribuição de leitores, tablets e impressoras. [fonte: Rogetech]

60

HEALTHCAREManagement 18

ABRIL I MAIO 2012 healthcaremanagement.com.br

ESPECIAL

HOSPITALAR 2012

SPDATA Soluções Integradas em Gestão de Saúde

A

s soluções desenvolvidas pela empresa SPDATA tem como foco a alta resolubilidade com uma integração completa dos sistemas. Sensíveis aos poucos recursos disponíveis para investimento em TI (tecnologia da informação), desenvolvemos nossas soluções em ambiente de software livre. Dessa forma, são oferecidas soluções práticas, eficientes e direcionadas para a demanda de cada instituição de saúde, de modo personalizado, permitindo a otimização dos recursos e facilitando a tomada de decisões. Com informações seguras, os sistemas ajudam à tomada de decisões precisas, contribuindo significativamente para o crescimento dos resultados. A SPDATA é um ERP que promove a excelência na gestão de instituições de saúde. Por ser modularizado e adaptável o sistema é capaz de se adequar perfeitamente aos diversos modelos de gestão, resultando em uma solução efetiva. O SGH propicia o controle de forma inteligente e dinâmica, de áreas como atendimento à pacientes, administração, finanças, logística e área médica. Além disso, a empresa oferece o Sistema de Gestão de

Operadoras (SGO), que facilita a gestão das operadoras de saúde em nível estratégico e operacional, incluindo as áreas financeira e contábil. Os módulos envolvem toda a estrutura da operadora, clientes e prestadores de serviço, atendendo às normatizações da Saúde Suplementar (ANS) de uma forma inteligente e efetiva. Para atender este segmento

importante do Mercado de saúde, desenvolveu o SGSP – Sistema de Gestão de Saúde Pública – para solucionar as demandas específicas das políticas públicas de saúde. O sistema atua nas áreas de atendimento, faturamento, controladoria logística e médica, além da Vigilância Sanitária e do Controle de ZoonoHC ses e Epidemiologias.

TRAJETÓRIA A SPDATA, desde 1988, oferece soluções efetivas em gestão de saúde para instituições privadas e entidades públicas. O diferencial da empresa é compreender e atender às necessidades do mercado, desenvolvendo ferramentas seguras, inovadoras e de alto desempenho, que proporcionam decisões precisas. [fonte: SPDATA]

HEALTHCAREManagement 18

ABRIL I MAIO 2012 healthcaremanagement.com.br

61

ESCOLHA

CERTA HOSPITAL

INVESTINDO EM

ESTRUTURA E TECNOLOGIA HOSPITAL E MATERNIDADE SINO-BRASILEIRO AMPLIA ESTRUTURA E INVESTE EM EQUIPAMENTOS DE TECNOLOGIA DE PONTA

62

HEALTHCAREManagement 18

ABRIL I MAIO 2012 healthcaremanagement.com.br

AMPLIAÇÃO NO

SINO-BRASILEIRO

E

ntre as 20 mil pessoas atendidas mensalmente no Hospital e Maternidade Sino-Brasileiro em Osasco, na região da grande São Paulo. Existem comprovações que o comprometimento por cada paciente é mais do que sério. Fato disso são as constantes expansões e reformas na estrutura, e também os avanços nos equipamentos tecnológicos, para garantir um atendimento melhor. No ano passado foi realizada uma ampliação no hospital, e atualmente o hospital promove a reforma do prédio antigo, a ampliação e centralização do setor de diagnósticos e fez a compra de equipamentos de alta tec-

NO ANO PASSADO, FOI REALIZADA A AMPLIAÇÃO DO HOSPITAL, QUE ATUALMENTE PASSA POR REFORMA. O SETOR DE DIAGNÓSTICOS ESTÁ SENDO AMPLIADO E CENTRALIZADO E EQUIPAMENTOS DE ALTA TECNOLOGIA FORAM COMPRADOS PARA O SETOR DE IMAGEM, UTIS E CENTRO CIRÚRGICO nologia para o setor de imagem, UTIs e centro cirúrgico. Quanto à avaliação da procura pelos serviços do hospital nestes primeiros quatro meses de 2012, o gerente de marketing do Sino-Brasileiro, Marcelo Taddeo afirma que a demanda aumentou e vai de encontro com a nova fase do hospital que está em amplia-ção. “Outro detalhe importante foi a certificação da

HEALTHCAREManagement 18

ONA nível 2. O Sino-Brasileiro é o único na região a receber tal certificação”, destaca. Ao citar a principal contribuição que o hospital tem oferecido para a região de Osasco (SP), Taddeo ressalta o atendimento humanizado, a alta tecnologia nos serviços, opção de realização de exames e de cirurgias de alta complexidade. Também existe o lado de investimento na ci-

ABRIL I MAIO 2012 healthcaremanagement.com.br

63

ESCOLHA

AMPLIAÇÃO NO

CERTA

SINO-BRASILEIRO

HOSPITAL

dade, já que o hospital contrata muitos funcionários da região. Taddeo salienta que o hospital tem investido em novas tecnologias em seu prédio e enfatiza que os investimentos são permanentes. “Queremos ofe-recer todas tecnologias de um hospital completo e excelência em serviços, estrutura e atendimento”, acrescenta. A qualificação profissional dos profissionais do hospital tem sido uma das bases solidas para garantir um serviço alinhado às demandas do mercado da saúde, que ne64

HEALTHCAREManagement 18

RECENTEMENTE , O HOSPITAL RECEBEU A CERTIFICAÇÃO DA ONA EM NÍVEL 2. O SINO-BRASILEIRO É O ÚNICO EM SUA REGIÃO A RECEBER TAL CERTIFICAÇÃO

cessita de evolução constante. Taddeo diz que a instituição promove a educação continuada, contratação de profissionais experientes em suas respectivas áreas e treinamento constante. O hospital também conta com assistência ao paciente crítico com monitores, respiradores, aparelhos de anesteseia. “Temos todos os

equipamentos de um hospital de ponta e que atende casos de alta complexidade.” Esse sempre foi um dos objetivos do Sino Brasileiro desde sua inauguração. Hoje, com as ampliações e reformas que chegam à um investimento de mais de R$ 35 milhões. “Podemos dizer que estamos aptos a atender HC pacientes críticos.”

ABRIL I MAIO 2012 healthcaremanagement.com.br

Grupo MĂ­dia

ESCOLHA

CERTA EQUIPAMENTO

ESTRUTURA CERTA PARA

BEBÊS PREMATUROS 66

HEALTHCAREManagement 18

ABRIL I MAIO 2012 healthcaremanagement.com.br

EQUIPAMENTOS

NEONATAIS FANEM

A

UTI Neonatal é um dos setores mais delicados dentro de todo o organismo hospitalar. Bebês prematuros necessitam de inúmeros cuidados médicos e, em muitos casos, até receberem alta, passam meses no hospital. Se antigamente seria pouco provável que um bebê nascido com muitas semanas de antecedência vivesse, hoje, graças à tecnologia avançada e à humanização, a vida de recém-nascidos frágeis é salva de forma espetacular. Entretanto, isso só é possível em UTIs bem preparadas, auxiliadas por equipes capacitadas e equipamentos de ponta, que oferecem o suporte necessário aos pequenos como a monitorização respiratória e hemodinâmica, o apoio ventilatório convencional e de alta frequência, a monitorização cerebral à beira do leito, entre outros. Um exemplo de UTI Neonatal que supre todas as necessidades do prematuro está na Maternidade do Hospital São Luiz, de São Paulo, criada em 1971. De acordo com a Dra. Graziela Del Bem, responsável pelo setor no hospital, a UTI Neonatal do São Luiz é preparada para oferecer todos os cuidados intensivos aos recém-nascidos através de uma estrutura

EQUIPAMENTOS DE PONTA OFERECEM O SUPORTE AOS PEQUENOS COMO A MONITORIZAÇÃO RESPIRATÓRIA E HEMODINÂMICA, O APOIO VENTILATÓRIO CONVENCIONAL E DE ALTA FREQUÊNCIA, MONITORIZAÇÃO CEREBRAL À BEIRA DO LEITO, ENTRE OUTROS de primeiro mundo, com suporte avançado e segurança assistencial. A UTI Neonatal do hospital conta com sete unidades, cada uma com sete leitos, mais dois isolamentos, totalizando 48 leitos. Existe também, um setor semi-intensivo neonatal (setor em que ficam os recém-nascidos que saíram da UTI para adaptação antes da alta hospitalar) com total de 12 leitos. Assim, entre semi-intensiva e UTI Neonatal, mais área de isolamento, há um total de 60 leitos. Na Maternidade há seis berçários setoriais (um para cada andar da maternidade) com cerca de 15 leitos cada. Essa estrutura é amparada por pediatras especializados em neonatologia e enfermagem habilitada, que formam uma equipe multidisciplinar junto de fonoaudiólogas, fisioterapeutas e psicólogas, que trabalham de forma integrada. Além do apoio de todos esses profissionais, os bebês têm a permanência dos pais

HEALTHCAREManagement 18

na maternidade 24 horas por dia e recebem tratamento para redução de estresse (protocolo de dor, hora do sono, redução do ruído e luz ambiental). “Fazemos também a celebração de aniversário de um mês do bebê ou de quando ele atinge um quilo”, explica Dra Graziela. A Maternidade ainda possui sala de conforto, musicoterapia, massagem para as mães e corredor de aplausos no dia da alta do recémnascido com tempo de internação mais prolongado. Sem contar a técnica de contato pele-pele, do aleitamento na sala de parto e da manipulação mínima. Por essas e outras ações, o Hospital e Maternidade São Luiz é referência nacional no atendimento neonatal. “Este reconhecimento vem de 40 anos de assistência diferenciada, já que fomos pioneiros, por exemplo, na criação dos berçários setoriais e na criação do corredor de aplausos”, conclui Dra. Graziela.

ABRIL I MAIO 2012 healthcaremanagement.com.br

67

ESCOLHA

EQUIPAMENTOS

CERTA

NEONATAIS FANEM

EQUIPAMENTO AMPARO TECNOLÓGICO DE PONTA Toda essa assistência bem estruturada, humanizada e auxiliada por excelentes profissionais recebe ainda o amparo de avançados equipamentos, sem os quais seria impossível salvar inúmeras vidas. Para isso, o hospital dispõe de aparelhos de alta tecnologia de última geração como o Ampla 2286, a incubadora de transporte IT 158, Babypuff, Babypap, além de modernas fototerapias de super-leds para o tratamento da icterícia neonatal. A unidade de Cuidado Intensivo Ampla 2286, por exemplo, é um equipamento que faz toda a diferença no atendimento neonatal, já que dispõe de re-

cursos avançados como controle térmico de calor radiante, além de software que permite fácil operação pelas equipes. De acordo com o departamento de marketing da FANEM, empresa fornecedora de inúmeros equipamentos para o hospital, este é o equipamento com o maior número de assessórios e funcionalidades já produzido pela multinacional. “Faz controle da bilirrubina do bebê, tem um sistema CPAP para o tratamento de patologias respiratórias e um reanimador. Além disso, mais de 10 parâmetros vitais podem ser controlados pelo seu monitor. O equipamento conta com a certificação CE, que permite

sua comercialização nos países da Comunidade Europeia”. Grande parceira do São Luiz, a FANEM fornece produtos para o hospital desde o seu início, participando da concepção da maternidade. “A FANEM estava presente quando o São Luiz inovou principalmente em matéria de transporte neonatal, sendo um dos primeiros hospitais a utilizar o Babypuff com Blender na IT 158. Hoje a utilização do Babypuff com o blender é recomendação da SBP. Também participamos do primeiro transporte de bebê utilizando o Babypap entre a unidade Itaim e a unidade Anália Franco”, revela o departamento HC de marketing.

Em 1997, foi a primeira a obter a certificação de produtos eletromédicos após a implantação do sistema regulatório AnvisaInmetro. Foi também a primeira empresa brasileira de eletromédicos a receber a certificação europeia RoHS, que restringe o uso de substâncias potencialmente perigosas à saúde e ao meio-ambiente. Agora, a empresa trabalha para a obtenção da certificação americana FDA. A Fanem exporta para mais de 90 países e dispõe de um escritório na Jordânia, importante polo árabe de negócios, fazendo fronteira com países como Síria, Iraque, Arábia Saudita e Pales-

tina. Tem também uma fábrica na Índia, sendo a primeira empresa do setor a tomar tal iniciativa, o que mostra seu pioneirismo e ousadia. Hoje, a FANEM já equipa alas neonatais inteiras de importantes hospitais indianos. Em maio, a empresa estará na Hospitalar 2012 apresentando vários lançamentos, o principal deles na linha neonatal. Também apresentará o Homogeneizador de plaquetas, na Linha Laboratorial, um aparelho com grande tecnologia, que evita a coagulação do sangue, para clínicas e bancos de sangue.

SOBRE A FANEM A FANEM possui o maior portfólio em neonatologia do Brasil. É líder de mercado neste setor e pioneira na produção de diversos equipamentos para a neonatologia no País. Foi premiada diversas vezes pela qualidade de seus produtos. Entre as conquistas, destacamse o Exporta São Paulo, Prêmio Excelência em Exportação entregue pela Apex-Brasil e o Top Hospitalar e Hospital Best em diversos anos consecutivos. Além disso, a FANEM é a empresa brasileira na área de saúde com o maior número de certificações de equipamentos eletromédicos e do sistema de qualidade.

68

HEALTHCAREManagement 18

ABRIL I MAIO 2012 healthcaremanagement.com.br

HEALTHCAREManagement 18

ABRIL I MAIO 2012 healthcaremanagement.com.br

69

70

HEALTHCAREManagement 18

ABRIL I MAIO 2012 healthcaremanagement.com.br

HEALTHCAREManagement 18

ABRIL I MAIO 2012 healthcaremanagement.com.br

71

ESCOLHA

CERTA ENTIDADE

ANAHP TEM NOVO

PRESIDENTE

H

á mais de uma década que a ANAHP (Associação Nacional de Hospitais Privados) foi criada para defender os interesses e necessidades do setor e expandir as melhorias alcançadas pelas instituições privadas para além das fronteiras da Saúde Suplementar, favorecendo a todos os brasileiros. A criação da associação foi firmada por meio da Carta de Brasília, que reúne

as diretrizes e objetivos da associação. Atualmente, a Anahp está constituída por 45 hospitais e tem por objetivo promover a congregação associativa de instituições hospitalares privadas com ou sem fins lucrativos, consideradas detentoras dos melhores padrões de qualidade e melhores práticas médicas. Os objetivos fundamentais da ANAHP incluem o fortalecimento de seus associados,

por meio de trabalho conjunto e coordenado de programas e projetos, visando uma diferenciação no mercado hospitalar.

dores da ANAHP, é vice-presidente executivo e diretor médico corporativo do Grupo Vita. Graduado em medicina, completou residência médica em Administração em Saúde no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP. Concluiu o curso de especialista em Saúde Pública pela Faculdade de Saúde Pública da USP. Também é especialista em Administração Hospitalar pelo Proahsa, da Escola de Administração de Empresas da Fundação

Getúlio Vargas (FGV). Tem o Título de especialista em Administração em Saúde pela Associação Médica Brasileira – AMB e é membro da Academia Brasileira de Administração Hospitalar – ABAH. Concluiu ainda MBA em Gestão de Planos de Saúde. É Presidente do Conselho Nacional de Gestão em Saúde da Fede-ração Brasileira de Administradores Hospitalares – FBAH. (fonte: www.anahp.com.br)

Francisco Balestrin, presidente da ANAHP

NOVO GESTOR Francisco Balestrin, da Rede Vita de Hospitais (Curitiba-PR e Volta RedondaRJ), assumiu, em março deste ano, a presidência do Conselho Deliberativo da ANAHP para a gestão 20122014. Ele substitui Luiz Henrique de Almeida Mota que, ao seu pedido, após quatro anos deixa a Superintendência Médica e de Relações Institucionais do Hospital do Coração – Hcor e parte para nova fase em sua carreira. Balestrin, um dos funda-

72

HEALTHCAREManagement 18

ABRIL I MAIO 2012 healthcaremanagement.com.br

HEALTHCAREManagement 18

ABRIL I MAIO 2012 healthcaremanagement.com.br

73

ESCOLHA

CERTA OPERADORA

41 ANOS PREOCUPADA

COM A SAÚDE É

desde 1971, que a Unimed Araraquara (SP) tem como meta oferecer um atendimento médico-hospitalar de qualidade, respeitando a livre escolha pelo beneficiário e garantindo ao médico a valorização do seu trabalho. A instituição oferece serviços por meio de contratos com pessoas físicas - plano Particular e com pessoas jurídicas - plano Empresa. O atendimento é feito por médicos cooperados em seus consultórios, pela estrutura de apoio formada pelos serviços credenciados que realizam exames e por hospitais credenciados. A Unimed Araraquara coloca à disposição de seus clientes os melhores profissionais e os recursos mais avançados da medicina. E

Dr. Luís Roberto Neves, diretor presidente da Unimed Araraquara

COM MAIS DE QUATRO DÉCADAS DEDICADAS À SAÚDE, A INSTITUIÇÃO BUSCA MELHORIAS CONSTANTES PARA AMPLIAR CADA VEZ MAIS A SUA ESTRUTURA DE ATENDIMENTO, QUE JÁ OFERECE DIVERSAS RECURSOS E SERVIÇOS PARA SEUS CLIENTES.

74

HEALTHCAREManagement 18

ABRIL I MAIO 2012 healthcaremanagement.com.br

41 ANOS DA

UNIMED ARARAQUARA

oferece sempre mais. Afinal, a Unimed é criada e administrada por quem mais entende de saúde. Os próprios médicos. As cidades que fazem parte do sistema Unimed de Araraquara são: Américo Brasiliense, Araraquara, Boa Esperança do Sul, Gavião Peixoto, Matão, Motuca, Rincão, Santa Lúcia, Taquaritinga e Trabiju. Com mais de quatro décadas dedicadas à saúde, a instituição busca melhorias constantes para ampliar cada vez mais a sua estrutura de atendimento, que já oferece diversos recursos e serviços para seus clientes, entre eles: Hospital São Paulo, com serviços de oncologia, laboratório próprio de análises clínicas, câmara hiperbárica, hemodinâmica, Univida (Centro Unimed de Qualidade de Vida) e farmácia exclusiva, entre outros.

A UNIMED ARARAQUARA COLOCA À DISPOSIÇÃO DE SEUS CLIENTES OS MELHORES PROFISSIONAIS E OS RECURSOS MAIS AVANÇADOS DA MEDICINA.

FAZEM PARTE DO SISTEMA UNIMED ARARAQUARA AS CIDADES DE AMÉRICO BRASILIENSE, ARARAQUARA, BOA ESPERANÇA DO SUL, GAVIÃO PEIXOTO, MATÃO, MOTUCA, RINCÃO, SANTA LÚCIA, TAQUARITINGA E TRABIJU.

HEALTHCAREManagement 18

ABRIL I MAIO 2012 healthcaremanagement.com.br

75

ESCOLHA

41 ANOS DA

CERTA

UNIMED ARARAQUARA

OPERADORA NOVA DIRETORIA A Unimed de Araraquara elegeu em março deste ano, através de uma Assembleia Geral Ordinária, a nova diretoria que engloba os conselhos de administração e técnico, definidos para o triênio 2012-2015, e o novo conselho fiscal, definido para o ano vigente. A diretoria Executiva tem agora como diretor presidente, o Dr. Luís Roberto Neves. Já o diretor administrativo Financeiro foi eleito o Dr. Silvio Cardoso e na diretoria de Mercado, o Dr. Luiz Tsuha Junior. Na diretoria da Promoção e Assistência à Saúde tem como representante o Dr. José Aluizio Paschoal e na hospitalar, o Dr. Antonio Carlos Durante. HC

Grupo Mídia

(fonte: www.unimedara.com.br)

Fornecimento de Hardware e Software Desenvolvimento de Sistemas

Consultoria em T.I

Suporte e Assistência técnica

Projetos em Redes de dados e Telecom Projetos Web e Hosting

76

HEALTHCAREManagement 18

Telefone: 11 4112-1758 | 5831-2558 - Ger. de negócios: Andréia Pires e-mail: andreiapires@fsis.com.br | andreiapires.vendas@uol.com.br site: www.fsis.com.br

Celular: 11 9737-1991 ABRIL I MAIO 2012 healthcaremanagement.com.br

Grupo MĂ­dia

HEALTHCAREManagement 18

ABRIL I MAIO 2012 healthcaremanagement.com.br

77

78

HEALTHCAREManagement 18

ABRIL I MAIO 2012 healthcaremanagement.com.br

HEALTHCAREManagement 18

ABRIL I MAIO 2012 healthcaremanagement.com.br

79


healthcare management 18 edição