Issuu on Google+

C/1

DIVULGAÇÃO

Sexta-feira|meionorte

É

TERESINA, 9 de abril de 2010

Portal | Glória Maria volta à TV com o Globo Repórter

XX C/3 FOTOS: DIVULGAÇÃO

MOISÉS SABA

Valorização

É

O Edital é uma realização das Secretarias da Identidade e da Diversidade Cultural (SID) e de Cidadania Cultural (SCC) – do Ministério da Cultura -, em parceria com o Instituto Empreender e a Ação Educativa

Ministério cria o Prêmio Cultura

<

O movimento Hip Hop é uma expressão da cultura urbana com desdobramentos em diversas manifestações artísticas, tais como a dança, a música e as artes plásticas. Toda essa versatilidade tem feito dele um canal de descobertas de talentos e um importante instrumento de inclusão social. No Brasil, o movimento surgiu em meados da década de 80, nos tradicionais encontros que aconteciam na Rua 24 de Maio, região central da cidade de São Paulo. Hoje ganhou uma proporção que vai muito além do sudeste do país. Está em todos os estados, em vários municípios, pela periferia onde a arte busca um canal de expressão. Pela sua importância e abrangência, o Ministério da Cultura, em parceria com grupos de hip hop de todas as regiões, criou um espaço de discussão em

sul de Teresina. Segundo ele, a ideia é também sensibilizar o poder público local para que seja criado um prêmio nos mesmos moldes em nível de Estado para incentivar ainda mais as atividades dos grupos. Em todo o Brasil existem mais de setenta mil grupos. Só em São Paulo são vinte mil. No Piauí o número chega a cinquenta grupos organizados, mas Gil acredita que existam bem mais. O prêmio servirá também para fazer um mapeamento da real situação em todo território nacional. “A gente se surpreende. Aqui no Piauí, não só na capital se encontram grupos, mas em vários municípios do interior, que a gente não tem conhecimento”, relata. Break, dança de rua, o rap, o DJ, o grafite são

JÚNIOR ARAÚJO

DO ARTE & FEST

Brasília que resultou no primeiro prêmio voltado para o movimento. No último dia 11 de março, durante a II Conferência Nacional de Cultura, em Brasília, foi lançado o Prêmio Cultura Hip Hop 2010 – Edição Preto Ghóez. O Edital é uma realização das Secretarias da Identidade e da Diversidade Cultural (SID) e de Cidadania Cultural (SCC) – do Ministério da Cultura -, em parceria com o Instituto Empreender e a Ação Educativa. O objetivo é selecionar ações e experiências de fortalecimento da Cultura Hip Hop em todo o Brasil. “Ele é o resultado de muita luta de todos os grupos que não veem existir um prêmio voltado para o hip hop. Esse será o primeiro com um edital específico. É uma conquista importante para a gente”, diz Gil BV, da Casa de Hip Hop, que funciona há seis anos no bairro Parque Piauí e abrange várias comunidades da zona

os vários elementos do Hip Hop, que encontra cada dia mais adeptos. E as mudanças começam a acontecer. Já existe um projeto de lei que foi aprovado no Senado para que a profissão de DJ seja regulamentada. O primeiro passo para que outras, como o grafiteiro, o rapper também venham a ser reconhecidas no futuro. Nesta primeira edição, o concurso presta homenagem póstuma ao músico maranhense Márcio Vicente Góes (1971-2004), o rapper Preto Ghóez, um dos líderes do Movimento Hip-Hop Organizado do Brasil (MOHHB). A premiação conta com recursos de cerca de R$ 1,7 milhão e contemplará 135 iniciativas de pessoas físicas, instituições e grupos informais nas seguintes categorias: Reconhecimento, Escola de Rua, Correria, Conhecimento (5º elemento) e Conexões. Entre as categorias estão Reconhecimento (reconhece personalidades ou coletivos importantes para o desenvolvimento da cultura Hip Hop), Escola de Rua (voltada para iniciativas que desenvolvam ações sócio-educativas), Correria (iniciativas que incidem sobre a geração de renda ou que criem oportunidades de trabalho), Conhecimento (iniciativas que fomentem a realização de encontros, seminários e debates, ou a produção de estratégias para a difusão do Hip Hop), Conexões (iniciativas que promovam o intercâmbio da cultura Hip Hop).

Casa do Hip Hop ganha prêmio Gil BV, que dirige a Casa do Hip Hop no Piauí, recentemente foi contemplado com o Prêmio Tuxaua, que tem permitido a ele viajar por vários municípios brasileiros realizando cursos de capacitação na área do hip hop. “Tem muita gente que não sabe como participar de um edital, elaborar um projeto, fazer com que seu produto chegue a uma galeria. E o que estamos fazendo é ensinando a eles como devem fazer isso”. No total serão 45 cidades visitadas, dentre elas todas as capitais brasileiras. O restante serão apenas municípios piauienses, onde o hip hop vem crescendo. “O Piauí possui mais de cem Pontos de Cultura, sendo que cerca de cinquenta deles têm hip hop”, comenta.

<

Hip Hop LILIANE PEDROSA

BRITO JR.

arte &fest


GIL BV E PREMIO HIP HOP