Page 1

A terra Fabricante na véspera de Natal

Inês Filipa, nº 11, 6º B


Numa casa onde viviam pessoas de classe alta, havia uma menina que adorava desenhar. Desenhava contos e fantasias, mares, rios e oceanos, pessoas sem falhar onde quer que fosse.


Mas queria experimentar uma coisa nova, desenhar o Pai Natal. Entรฃo comeรงou a desenhar. Quando o acabou, o desenho comeรงou a reagir: -O que estรก a acontecer!?- interrogou a meninaAi que medo!!!!!


Enquanto tapava os olhos, uma pessoa com barbas compridas e que tinha um fato vermelho com algumas partes brancas, aproximou-se dela e disse-lhe: -Sou o Pai Natal, n達o tenhas medo!


Ao abrir os olhos nem quis acreditar: -É o Pai Natal, é o Pai Natal! -Fala mais baixo. - pediu ele. Estou aqui para te mostrar a minha terra. -A sua terra? Mas você não vive na Lapónia?perguntou a menina.


-Não. Eu vivo num reino distante chamado Fabricante. -Que nome é esse? Vem da palavra fábrica e penso que quando se entra lá, cheira muito a fumo. Desculpe dizer-lhe isto mas acho que a sua terra não é muito bonita.


-Aí é que te enganas!-respondeu o Pai Natal rindo - é uma terra maravilhosa com duendes e duendas, renas, ursos e animais que aqui na terra são ferozes mas lá não. -Pronto pai Natal, convenceu-me, mas, aviso já, que tenho de estar cá antes da consoada!-disse a menina.


-Ok. Combinado Matilde! -Como sabe o meu nome!? -Eu sei o nome de todas as pessoas, vamos? -Vamos!


De repente , abriu-se um portal. O Pai Natal agarrou na menina e saltou. -Vamos morrer numa queda, que vergonha!disse ela enquanto fechava os olhos. Mas, quando abriu os olhos, viu que estava em cima das nuvens. Nuvens fofas e brancas que eram uma passagem para o reino “Fabricante�.


Quando chegou ao reino ficou admirada. Havia fĂĄbricas coloridas, centros comerciais enormes, e ainda, todas as coisas que o pai Natal disse que havia alĂŠm de outras!


-Isto é fantástico!-afirmou a Matilde. -Pois é, mas agora tens de ir para casarespondeu o Pai Natal. -Óh! Que pena!


O Pai Natal agarrou na menina e saltou para outro portal que havia mais perto. Ela voltou a fechar os olhos. Quando os abriu viu que estava na sua cama. De repente, a sua mĂŁe chamou-a e ela foi festejar a consoada com a sua famĂ­lia.

a terra Fabricante  

contos de Natal