Issuu on Google+

TROQUIDEIAS

Número 6, 1ª Edição, Junho 2011

TROQUIDEIAS Agrupamento de Escolas do Crato

Ficha Técnica Edição: Agrupamento de Escolas do Crato Coordenação: Manuela Matos Colaboração: Magnólia Maia Nesta edição: Impressão: Câmara Municipal do Crato Contactos: jornal.crato@gmail.com http:\\ebi-crato.drealentejo.pt

EDITORIAL O ano lectivo aproximase da recta final e, como sempre, sente-se um fervilhar muito próprio desta fase: o nervosismo dos últimos momentos de avaliação, os derradeiros dias de convívio com os colegas e, também, já algum desejo de saborear as férias de verão. E como não sublinhar, em retrospectiva, alguns dos melhores momentos vividos? - Publicámos o nosso primeiro livro, A nossa terra Crato; celebrámos o S. Martinho, num dia repleto de diversão; fomos à Holanda, no âmbito do Clube Europeu; realizámos a I Feira da Saúde e da Natureza; continuámos a representar o nosso agrupamento, no âmbito do Desporto Escolar; vimos a nossa escola crescer, com a inauguração de um novo bloco e um parque Nesta edição: infantil; entre outros. Acima Dia de tudo, continuámos a tra- Internacional balhar para melhorar os dos Museus nossos resultados escolares e cumprir, assim, o nosso Visita aos museus Projecto Educativo. do concelho do Em Setembro, estaremos Crato de volta! Manuela Matos

Página 5

PÁGS. 8 A 9

PÁG. 3

Clube do Campo Clube Europeu Clube das Artes

Clube de Teatro Crat’inices

Uma escola para lá da sala de aula

XXXII Encontro de Teatro de Escola

Magnólia Maia, Coordenadora da Equipa do PTE

Página 10

Página 11

Página 7

Conversa com…


Página 2

TROQUIDEIAS

No rumo certo

ANTA DO TAPADÃO EM MEMÓRIA DA TERRA MÃE

Na Biblioteca Escolar decorreu uma exposição de rosas-dos-ventos, entre os dias 20 e 25 de Janeiro. Estiveram expostos 20 trabalhos, realizados pelos alunos do 7º ano de escolaridade, no âmbito da disciplina de Geografia, inseridos na temática “Localização Relativa”. Foi dada liberdade aos alunos, no que respeita aos materiais utilizados na concepção das rosas-dos-ventos. Os alunos empenharam-se, utilizaram diversos materiais, resultando numa exposição de trabalhos criativos, originais e todos com o Norte! Profª Orlanda Valente

O LIVRO DA NOSSA ESCOLA A editora Placresa apresentou à nossa escola, no ano lectivo transacto, o projecto de editar um livro intitulado “O livro dos nossos filhos” que consistia numa recolha de textos de alunos de todo o agrupamento, subordinados a um tema comum, desde o préescolar ao 9º ano, incluindo os cursos CEF e EFA. Foi escolhido o tema: A nossa terra Crato e os subtemas, para cada ciclo de ensino, respectivamente: Eu, A minha sala, A minha escola e A minha terra. Todos os alunos do agrupamento redigiram, no âmbito da disciplina de Língua Portuguesa, um texto e tiveram ainda a oportunidade de, em Educação Visual, dar largas à imaginação e criar um desenho que identificasse a turma e o seu ciclo de ensino. Deste trabalho resultou a publicação de um livro que cada aluno recebeu, já no decorrer deste ano lectivo. Está também disponível da BE e na Biblioteca Municipal do Crato. Profª Manuela Matos

No dia 24 de Fevereiro os alunos do 7º ano visitaram a Anta do Tapadão com os Professores Natália Castelinho, Orlanda Valente e Semião Pólvora, que fica a 2Km de Aldeia da Mata. A anta é um monumento megalítico com mais de cinco mil anos, caracterizada pelo seu grande porte, sendo a segunda maior de Portugal. Foi lá encontrado um riquíssimo espólio de vasos de cerâmica, flechas, facas, machados, adornos femininos, ossos humanos e de animais, um báculo e uma placa-ídolo, a única na Península Ibérica, em memória da terra mãe. O corredor de entrada da anta, que tem 10m de comprimento e é ladeado por blocos de granito, está praticamente coberto por silvas. A boca da câmara foi fechada por uma enorme pedra com cerca de 3m de largura, constituída por sete esteios de granito. Havia muitas vacas e os alunos não podiam fazer muito barulho pois elas podiam voltar-se contra nós. Os alunos aprenderam imenso, pois os Professores explicaram muitas coisas.

Inês Correia, Mariana Pinto e Rita Morais 7ºA

7º CAMPEONATO NACIONAL Os Jogos Matemáticos realizaram-se no Instituto Superior de Engenharia de Lisboa, no dia 18 de Março, num edifício imenso de diversos andares, com milhares de participantes e sem que os alunos pudessem da presença amiga ou do contacto visual dos professores acompanhantes. Participaram 2440 alunos de 578 escolas de todo o país, na 7.ª edição desta competição. Os resultados deste ano lectivo foram melhores do que no ano anterior e um dos alunos do Agrupamento de Escolas do Crato não chegou à fase final apenas pelo critério de desempate não lhe ter sido favorável. Globalmente podemos considerar que a nossa prestação na competição foi positiva. Os alunos foram acompanhados pelos docentes Alcino Silva e Márcia Simões. A participação dos dois professores foi muito importante, devido ao número alargado de participantes e da logística implementada pela organização.

Prof. Alcino Silva


Número 6, 1ª edição

Página 3

I FEIRA DA SAÚDE E DA NATUREZA Com o intuito de sensibilizar para a importância da adopção de estilos de vida saudáveis e promover iniciativas que visem a participação activa de toda a comunidade envolvente, o nosso Agrupamento de Escolas realizou no dia 7 de Abril, Dia Mundial da Saúde, a I Feira da Saúde e da Natureza. Nesse evento, para além de actividades desportivas e de saborosos petiscos confeccionados pelos alunos, a Escola colocou ao dispor dos visitantes vários stands temáticos ligados ao Desporto, à Natureza e à Saúde. Das sandes às sopas ou aos batidos naturais, dos jogos tradicionais aos passeios a cavalo até à participação da GNR, do Centro de Saúde e dos Bombeiros Voluntários do Crato, entre outras entidades, muitas foram as iniciativas que captaram a atenção e o interesse de todos os que estiveram presentes. Estando certa de que o sucesso deste dia foi fruto de um verdadeiro trabalho em equipa, que contou com o empenho e a participação dos alunos e dos respectivos docentes, dos assistentes técnicos e operacionais da escola, do apoio prestado pela Câmara Municipal do Crato, bem como de todas as outras entidades que, prontamente, se dispuseram a dinamizar os vários stands, em nome da Escola e, particularmente, enquanto coordenadora do Projecto Educação para a Saúde e Educação Sexual, agradeço a todos aqueles que tornaram esta I Feira da Saúde e da Natureza possível. A coordenadora da Educação para a Saúde e Educação Sexual Profª Ilda Marques

Viagem de Finalistas a Madrid

No dia 8 de Abril, os alunos do 9ºA partiram de Nisa rumo a Madrid, para uma viagem de dois dias, juntamente com uma turma de Nisa. Por volta das 12:00h (hora portuguesa), chegámos a Madrid. Parámos num pequeno jardim para almoçar e, sem termos de nos deslocar muito, dirigimo-nos até ao nosso primeiro ponto turístico, o Museo Nacional del Prado, onde pudemos desfrutar da maravilhosa arte grega e de grandiosos e vistosos quadros. Depois, dirigimo -nos a outro pequeno jardim, em frente do Museu, onde comprámos as nossas primeiras lembranças. Mais tarde, deslocamo-nos ao Museo Reina Sofia. Mesmo antes de entrarmos, vimos que era tudo muito moderno e bonito - uma grande biblioteca, alguns cafés e também umas lojas. Lá dentro, a primeira exposição que vimos foi a de Pablo Picasso e grande parte de nós procurou o quadro Guernica. «Grande e maravilhoso» é o que posso dizer. Também visitámos a Estação da Atocha, uma estação de comboios, bonita por fora, mas muito quente por dentro. Mais tarde fomos jantar ao McDonald`s, é claro! Todos ficámos satisfeitos depois de um longo dia de caminhada. Já bem escuro, visitámos Madrid de autocarro, para vermos a cidade à noite - espectacular! E o Estádio Santiago Bernabéu incrível!. Por volta da meia-noite, chegámos ao hotel, mas ninguém tinha muito sono, apesar do dia ter sido longo, mas lá dormimos. No dia seguinte, visitámos o Palácio Real de Madrid e fizemos mais uma longa caminhada. Por volta das 15h00, despedimo-nos da cidade e viajámos de regresso à nossa terra. Filipa Alexandre 9ºA


Página 4

TROQUIDEIAS

Dia de Aluno de Moral Foi no dia 17 de Março, em Nisa, que aconteceu o Dia do Aluno de Moral. Nesse dia, contámos com a colaboração de quatro instituições que nos proporcionaram diversos workshops: a Caritas Diocesana (Portalegre - Castelo Branco), que nos contou um pouco da história da Caritas e que também nos deu um testemunho do dia-a-dia na instituição; os Bombeiros Voluntários de Nisa, também presentes, fizeram uma simulação de uma situação de emergência; a Fidesco, através do testemunho de um jovem que nos deu a conhecer a instituição e nos contou a sua experiência de dois anos em missão em África e, por fim, a Cruz Vermelha que nos falou da sua longa história. Num dos workshops, tivemos a experiência de uma professora de Moral que explicou ser possível fazer voluntariado, no nosso dia-a-dia, sem estarmos ligados a uma instituição. Este dia de encontro contou a participação de várias escolas da nossa zona, destacandose a nossa, a do Gavião, a Mouzinho da Silvei-

Alunos dos 7º e 8º anos

ra, a Escola de Alter do Chão, de Fronteira, a Cristóvão Falcão, entre outras. Depois do almoço, juntámo-nos todos os alunos participantes, no meio do jardim, cantámos, fizemos várias actividades e divertimo-nos imenso. Este dia foi fantástico. Rafaela Aires 7ºB

De Visita ao Pego No dia 8 de Abril de 2011, os alunos do 3º ciclo do 8ºA e B anos realizaram uma visita de estudo à Central Termoeléctrica do Pego, no âmbito da disciplina de Ciências Naturais e Ciências Físico-Químicas. Partiram da escola rumo ao Pego, às 9h00 da manhã e chegaram, à tarde, por volta das 16h00. Acompanhados pelo professor José Arraia e pela professora Ilda Marques, visitaram os dois grupos que constituem a central termoeléctrica do Pego: o turbinalternador e o transformador principal. As turmas aprenderam como se produz a electricidade a partir de combustíveis fósseis. No final da sessão, receberam ainda um saquinho com um sumo, um pacote de bolachas, um panfleto e um boneco. Foi realmente uma boa visita de estudo. Luana Bragança 8ºB

Visita de Estudo a Estremoz No dia 6 de Abril, os alunos do 7ºA e do 7ºB foram visitar o Centro de Ciência Viva e uma pedreira de Mármore em Estremoz, acompanhados pelos professores de Ciências Naturais, Prof.ª Ilda Marques e de Ciências FísicoQuímicas, Prof. José Manuel Arraia. A partida da escola deu-se por volta das 9h15 e a chegada a Estremoz por volta das 10h10. À chegada, dirigiram-se logo para o Centro e conheceram as guias. As turmas foram divididas em grupos: o 7ºA ficou com a cor azul e o 7ºB com a cor-de-laranja. Para começar a visita, a guia apresentou uma réplica de um T-Rex. De seguida, falaram sobre o sistema solar e observaram uma ampulheta chamada Ampulheta dos Milhões. Também falaram sobre vários temas: sobre as rochas e a sua utilidade, sobre os vulcões e como são formados, sobre os sismos e as placas tectónicas. Fizeram várias experiências sobre a dinâmica interna da Terra e participaram em várias experiências, incluindo um videojogo sobre os fundos oceânicos em que tinham que guiar um submarino. À tarde, foram visitar a Pedreira de Mármore, mas tiveram que usar um capacete. Foi-lhes explicado que em Estremoz muitas coisas eram feitas de mármore. Ficaram todos admirados quando viram que a pedreira tinha cerca de 64 metros de profundidade. Inês Correia e Rita Morais – 7ºA


Número 6, 1ª edição

Página 5

25 DE Abril de 1974 / 25 de Abril de 2011 Recordar e comemorar o 25 de Abril deve ser uma actividade indispensável nas escolas portuguesas. Para nós esta data representa a Liberdade e os Direitos Humanos que andaram amordaçados quase meio século em Portugal. Este ano os alunos dos 6º e 9º anos realizaram algumas actividades e assistiram a alguns eventos que, em parceria com a autarquia, tiveram lugar no nosso concelho. Assim, deslocaram-se a ver duas exposições na Biblioteca Municipal e os alunos do 9º ano assistiram, também nesse espaço, a uma mesa redonda em que se recordaram os momentos que se seguiram ao 25 de Abril de 1974. Tivemos a sorte de ouvir, de viva voz, o relato de alguns acontecimentos vividos na noite de 24 para 25 de Abril de 1974, por um “Capitão de Abril” que dirigiu uma coluna motorizada desde o quartel de Ven-

DIA INTERNACIONAL DOS MUSEUS O PASSADO PRESENTE

Assinalando o Dia Internacional dos Museus, 18 de Maio, a nossa escola, com o apoio da Câmara Municipal do Crato, realizou, no dia 19 de Maio, uma visita de estudo aos Núcleos Museológicos do nosso concelho. Nós, os alunos de 6º ano, começámos por visitar o Museu de Aldeia da Mata. Logo que entrámos, reparámos que era uma casa antiga, velha e com um mobiliário muito tosco. Toda agente gostou de ver os utensílios antigos expostos no Museu. Muitos dos alunos já os conheciam das casas das suas avós, como, por exemplo, a loiça, os fogões a lenha, as camas de ferro, as lareiras de chão e as “cadelas” ou “mochos”.De

das Novas até Lisboa, o que despertou muito interesse nos alunos presentes. Também na sede do Agrupamento se realizou uma exposição de trabalhos realizados, no âmbito da disciplina de E.V.T, sobre esta tão marcante data da nossa História recente. É da maior importância a realização de actividades deste teor, os nossos alunos devem ter consciência do significado desta data e o que ela representa. Os direitos individuais e sociais que hoje temos não nos foram dados, foram conquistados e, nesse sentido, devemos estar sempre atentos porque o que se conquista também se pode perder. Prof. Semião Pólvora

seguida, fomos visitar o Museu Etnográfico de Vale do Peso, onde ficámos a conhecer as diferentes profissões através dos materiais expostos, como por exemplo: Sapateiro, Barbeiro, Alfaiate e Ferreiro. Vimos uma cozinha tradicional alentejana, onde o Professor Semião contou um episódio da sua infância em que o seu avô lhe dizia que só podia comer uma sardinha inteira quando chegasse à trave da lareira… outros tempos… Vimos cântaros de água e a Professora Cláudia Belacorça lembrou-se da seguinte história da sua infância: quando ia para casa dos seus avós, nas férias do Verão, bebia água desses cântaros e era muito fresca, com um sabor sempre diferente. Enquanto fazíamos uma pausa, fomos visitar os idosos do lar de terceira idade de Vale do Peso. Cumprimentámo-los e eles gostaram de ver tantas crianças. De seguida, fomos almoçar e tivemos um intervalo enorme. Da parte da tarde, visitámos o mosteiro de Flor da Rosa onde vimos uma exposição de um conjunto de esculturas em pedra, de temática Mariana, executadas entre o séc. XV e XVII da Escola Portuguesa, provenientes da colecção do Comandante Ernesto de Vilhena do Museu de Arte Antiga. O último museu a visitar foi o Museu Padre Bello.Lá, vimos uma colecção de “Meninos Jesus”. No final do dia, regressámos à escola contentes por termos vivido um dia em cheio. João Malheiro e Ricardo Santos 6º A


Página 6

TROQUIDEIAS

A tão esperada videoconferência! No dia 31 de Maio, pelas 11h15, na sala TM1, os alunos do 7ºB realizaram uma videoconferência com alunos da mesma faixa etária duma escola francesa, Collège Alexis Kandelaft, em Chazay d’Azergues, na região RhôneAlpes. Todos os alunos, Franceses e Portugueses, estiveram muito motivados e empenharam-se bastante na preparação da videoconferência: fizeram e enviaram um Power Point sobre a localização geo-

INAUGURAÇÃO DAS OBRAS DE REQUALIFICAÇÃO E AMPLIAÇÃO DA NOSSA ESCOLA No dia 26 de Abril deste ano, pelas 17h30, decorreu a inauguração das Obras de Requalificação e Ampliação da nossa escola pelo Sr. Presidente da Câmara Municipal do Crato, João Teresa Ribeiro, na presença de um conjunto de individualidades. As várias intervenções realizadas nas instalações já existentes, nomeadamente, pinturas, colocação de pavimentos nas salas de aula e nas áreas de circulação, remodelação de sanitários e montagem de um novo sistema de aquecimento central, para além das obras de ampliação - um novo bloco de salas de aula, um espaço de recreio coberto, uma sala polivalente, novos espaços verdes envolventes e um parque infantil tornaram a nossa escola mais funcional e um espaço de trabalho mais aprazível. R.R.

-mail, após a videoconferência, e prepararam trabalhos sobre várias temáticas para dar a conhecer a nossa cultura. É com muito agrado que se verifica que a motivação dos alunos aumenta de forma flagrante quando se apercebem da importância das línguas estrangeiras para a comunicação com colegas de outros países. Agradecemos a ajuda da professora Magnólia Maia no que se refere ao uso gráfica da nossa escola e da residência das TIC que, por vezes, ainda nos pregam dos alunos da turma; redigiram uma algumas partidas. apresentação pessoal que enviaram via e Prof.ª Alice Fernandes

SEMINÁRIO «Dinâmicas de envolvimento da família na escola» Decorreu no dia 20 de Maio auditório da Câmara Municipal o Seminário organizado pelo Núcleo de Educação Especial, intitulado “Dinâmicas de envolvimento da família na escola”, que teve como objectivo desenvolver e estimular a participação de toda a comunidade educativa a envolver-se na vida da escola, de modo a estabelecer um relacionamento entre todos para melhorar a aprendizagem dos alunos. A dinamização foi proferida pela Dr.ª Ana Rosa Trindade, Mestre em Educação Especial, professora numa escola nos arredores de Lisboa e em cursos de mestrado no ensino superior, abordou o tema de forma dinâmica fomentando a interacção com os participantes. Foram duas horas de partilha das preocupações e reflexão sobre a importância da criação do espírito de entreajuda de todos os envolvidos no processo de ensino, para conduzir ao melhor sucesso educativo dos nossos alunos/filhos. Aqui fica a mensagem para meditarmos e darmos continuidade a um trabalho conjunto que vise o melhor para os nossos filhos – alunos. “PARA EDUCAR UMA CRIANÇA É PRECISO A ALDEIA TODA”

Prof. Alcino Silva

CLUBE DE JOGOS MATEMÁTICOS O Clube aberto a todos os alunos da escola, dinamizado pelo Prof. Alcino Silva. Com a realização dos jogos matemáticos pretende-se que a escola trabalhe na formação de atitudes para enfrentar desafios em busca de soluções para os problemas encontrados, propiciando críticas, criando possibilidades que se fizerem necessárias à aprendizagem dos pensamentos matemáticos. Segundo Miranda, “o jogo” têm um papel importante e motivador para que a c r i a n ç a adquira conhecimentos que venham permitir que o ensino e a aprendizagem ocorram. O clube para além do funcionar semanalmente, tem participado em actividades desenvolvidas no âmbito do Agrupamento, como aconteceu no Magusto em Flor da Rosa e na Feira da Saúde e da Natureza. Prof. Alcino Silva


Número 6, 1ª edição

CLUBE DO CAMPO No Clube do Campo, estamos a fazer um compostor de restos de vegetais da nossa cozinha e da limpeza do jardim. Também estamos a começar a criar um horta pedagógica, mas ainda só plantámos girassóis e uma figueira. Este projecto não está completamente implementado porque o sistema de rega ainda não foi instalado. Ao lado da nossa horta, também está a crescer um pomar com árvores de vários frutos: maçãs, peras, pêssegos, cerejas, figos e damascos

Página 7

que atrai atenções. O nosso viveiro de plantas aromáticas não resistiu ao período de férias da Páscoa, mas como neste clube nada se perde, a terra e os vasos vão ser reaproveitados pelo pré-escolar para plantarem manjericos. No final do segundo período, o Clube do Campo esteve envolvido na organização e realização da I Feira da Saúde e da Natureza, onde teve, também, um espaço próprio onde se venderam plantas fornecidas pela Flor&Arte que colaborará, futuramente, com o Clube das Artes para a transformação dos bebedouros desactivados do pátio exterior da

Quase no final de mais um ano lectivo, importa recordar, em jeito de balanço, as actividades desenvolvidas no âmbito do Clube Europeu, nomeadamente o Projecto Cramaar, a comemoração do Dia da Europa e o Projecto eTwinning, para além da sua participação e envolvimento na concretização de outras actividades e projectos incluídos no Plano Anual de Actividades deste Agrupamento de Escolas. De salientar, será a participação no Dia da Saúde e da Natureza, onde, de uma forma saudável, se aliaram a sabores genuinamente portugueses outros oriundos de diferentes culturas do velho continente, comprovando a sua identidade própria e muito apreciados por quem os degustou. O Dia da Europa, cuja comemoração ocorreu no próprio dia 9 de Maio, teve como objectivo primordial aproximar a comunidade escolar dos assuntos relacionados com a divulgação e pesquisa de questões comunitárias. Como ponto alto é pertinente relembrar a deslocação à Holanda de um grupos de alunos e o contributo inestimável desta actividade para o crescimento e desenvolvimento integral dos alunos que a efectuaram e que, de uma forma con-

escola em floreiras. O clube quer aproveitar para agradecer a preciosa colaboração do guarda-nocturno da escola, Sr. João Mário, que tem providenciado a rega do pomar. Inês Baptista 7ºB

textualizada, vivenciaram durante uma semana um verdadeiro banho de cultura europeia. Resta-nos agradecer a todos – alunos, professores, direcção, assistentes operacionais, pais e encarregados de educação, autarquia e órgãos de comunicação locais – que, de uma forma empenhada, colaboraram e tornaram possível a implementação deste projecto de Escola, criando assim condições para que o próximo ano lectivo possibilite a sua continuidade.

Clube das Artes Uma vez mais, a nossa escola realizou o já tradicional desfile de Carnaval, envolvendo toda a comunidade escolar. O tema abrangente foi a “Diversidade Cultural”. O Clube das Artes, que tem alunos do 2º e 3º ciclos, participou activamente neste projecto na elaboração/ concepção e definição de subtemas que foram trabalhados com bastante entusiasmo, em todas as turmas do 2º e 3º ciclos. Assim, no 2º ciclo foram tratados subtemas de acordo com os interesses dos alunos, que passaram pela caracterização de várias culturas (Índios, Chineses, Africanos, Baianos, entre outros). O 3º ciclo optou por um subtema comum que foram as Máscaras Venezianas. Depois de todo o trabalho e empenho de alunos e professores, a participação dos alunos mais velhos no desfile, não foi a mais desejada. O Clube das Artes

Adélia Palma Coordenadora do Clube Europeu


Pรกgina 8

TROQUIDEIAS


Número 6, 1ª edição

Página 9


Página 10

TROQUIDEIAS

CLUBE DE TEATRO Crat’inices no XXXII Encontro de Teatro de Escola

O clube de expressão dramática crat’inices, representado pelos alunos Helena Isabel e Bruno Ananias, juntamente com o professor José Luís de Matos, participou no XXXII Encontro de Teatro de Escola que foi realizado este ano em Sobreda (Almada). No encontro participaram várias escolas de Norte a Sul do país. Participar foi muito interessante porque nos possibilitou conhecer pessoas da nossa idade que também fazem teatro nas suas escolas. Durante quatro dias, participámos em alguns workshops: “Da realidade à cena”, regido pelo formador e actor Paulo Diegues, que nos ajudou na concentração necessária para fazer qualquer tipo de cena em palco, e “Os objectos e a sua alma: o actor no teatro de objectos”, regido pela formadora e actriz Ângela Ribeiro. Assistimos, também, a várias peças: umas muito boas e outras… nem por isso. Mas com todas aprendemos. Os dias passavam a correr: de manhã tínhamos os workshops e depois… era ver peças e mais peças. Entre tantas escolas observadoras e participantes que estiveram presentes nos XXXII ETES (ao todo fomos cerca de 140 participantes, entre alunos e professores) as escolas com que nos demos melhor foram as de Arouca e de Avis. Passámos muitos bons momentos que nunca mais vamos esquecer. Como foi o primeiro ano em que concorremos, só podíamos fazê-lo como grupo observador e foi nessa condição que fomos seleccionados, só podendo participar com três elementos. Assim, não pôde ir o grupo todo, o que foi pena! Mas, quando chegámos, tentámos transmitir aos nossos colegas do clube as experiências vividas… e que não foi fácil aguentar o andamento daqueles 4 dias! Mas para o ano, se tudo correr como desejamos, lá vai o Crat’inices para Lisboa, ao XXXIII Encontro de Teatro de Escola. O crat’ino Bruno Ananias

Estreia de um pedaço da peça «Algumas figuras de estilo à volta de uma estátua» A convite da Direcção Regional de Educação do Alentejo, o crat’inices participou nas comemorações do Dia Mundial do Teatro, que decorreram no auditório da DREAL, nos dias 24, 25 e 28 de Março. Tendo sido pedido que optássemos por um pequeno trabalho, resolvemos estrear a 1ª cena da peça «Algumas figuras de estilo à volta de uma estátua». Uma estreia mundial!!! Como primeiro embate, os crat’inos suaram, tiveram dores de barriga, muitos nervos à flor da pele… mas saíram-se lindamente! A estreia completa promete. Lá mais para o fim do ano. Para fechar esta página crat’ina, fica um excerto do discurso da Drª Cristina Botelho, da Equipa de Apoio às Escolas da Península de Setúbal Norte, na sessão de abertura do XXXII ETEs. «(…) esta iniciativa, com certeza, permitiu a partilha de experiências e até um melhor conhecimento de cada um e de todos, num envolvimento que vai muito para além da sala de aula. Desta forma, a Escola revelase um espaço de partilha e de descoberta, não se limitando à transmissão de conhecimentos escolares. Uma palavra de apreço (…) por estarem atentas (as Escolas) a esta necessidade de abrir as portas da Escola aos diversos saberes e por perceberem que estas actividades contribuem para a construção da individualidade dos seus alunos, preparando-os, assim, para a sua vida futura. Aos professores uma palavra de agradecimento e reconhecimento pelo trabalho, pelo tempo, pela disponibilidade, pelo interesse e pela preocupação em fazer da Escola um espaço aberto à Cultura e à Arte. Os meus mais sinceros parabéns a todos os alunos participantes por se envolverem, por quererem participar, por estarem disponíveis para aprender mais, para saber mais, para experimentar o diferente e por descobrirem, tão jovens, que sem a Arte a nossa vida fica mais pobre.» Prof. José Luís de Matos


Número 6, 1ª edição

Página 11


Página 12

TROQUIDEIAS

NOVIDADES DO PRÉ-ESCOLAR Viagem à Lua

«Pê» de pai “As Crianças e os Pais Felizes” foi o título atribuído ao painel elaborado pelas crianças da turma do pré-escolar com os seus respectivos pais, a partir da leitura, realizada por um dos pais, da história “Pê de pai”. Esta actividade consistia na interacção e partilha de aprendizagens, sendo este um factor importante na aproximação da família ao ambiente escolar das crianças. O título dado ao painel reflecte todo o empenho e envolvência emocional que este trabalho significou para ambas as partes.

Um painel cheio de Amor As crianças realizaram um painel alusivo ao Dia dos Afectos, de forma a reterem algum vocabulário em inglês relacionado com os afectos e as relações afectivas entre a família e os amigos. Desta forma, aprendem a exteriorizar e a expressarem os seus sentimentos, através do desenho e da linguagem.

Na nossa sala realizámos uma actividade sobre o sistema solar e descobrimos que o Sol é uma estrela e que existem muitos planetas. O nosso chama-se planeta Terra e imaginámos uma viagem à Lua: “À lua” Todos nós aqui da sala uma viagem vamos fazer, desde a Terra até à Lua, vai ser um grande prazer. Vamos vestir nossos fatos e à nave subiremos. Sentadinhos, todos juntos, À Lua nós chegaremos! Espreitem lá pelas janelas! Já estamos a alunar! Tirem fotos, não se afastem. Estamos todos a flutuar! Os astronautas regressam ao seu planeta querido: “É a Terra!”, sim, valentes, onde estão vossos amigos! Jardim-de-infância do Crato

Educadora/Animadora da Componente de Apoio à Família Patrícia Romão

Vamos lá dançar, Comadre! Em Gáfete, o Dia das Comadres é sinónimo de diversão. Para não deixar cair no esquecimento esta tradição, na quinta-feira antes do Carnaval, as crianças do Pré-escolar saíram à rua, vestidas a rigor. Compadres e comadres dançaram, cantaram e viveram um dia diferente. Pré-escolar (Gáfete)


Número 6, 1ª edição

Página 13

NOVIDADES DO 1º CICLO

«Quando um brasão foi feito com um pedaço de cartão»

Era uma vez um simples cartão que o professor trouxe de Portalegre para fazermos uma moldura e colocámos, nela, o brasão do Concelho do Crato que o Duarte conseguiu encontrar, na internet. Pedimos à dona Rosa para ampliar a fotocópia para colarmos na moldura. Depois, observámos as cores do brasão e fizémos bolinhas, em papel, de várias cores: brancas, azuis, prateadas, vermelhas, verdes claras e verdes escuras. O João Pedro pediu ao Nélson do Pisão um pedaço de cortiça para se colar na moldura. O senhor Fernando cortou a cortiça em tiras muito direitinhas e da mesma grossura. Depois foram bem coladas e envernizadas e ficou tudo a secar de um dia para o outro. No dia seguinte, começámos a colar as diversas bolinhas nos lugares correctos, respeitando as cores do brasão. Depois de estar tudo muito bem colado, escreveu-se,

Os alunos com o professor António Rato, o Sr. Presidente João Teresa Ribeiro e o Sr. Vereador Fernando Gorgulho

a preto, «Vila do Crato», com pedacinhos de cartão preto. Com a colaboração de todos, o trabalho ficou lindo.

NÓS, o 2º A É verdade! O ano lectivo está a chegar ao fim! Pensando bem, fizemos tantas coisas divertidas… Fomos visitar a horta dos avós do Bernardo e da Daniela e até semeámos alhos. Depois o avô Zé veio à escola ver as fotos da visita. Fizemos-lhe uma poesia e demos-lhe o nosso abacateiro. Participámos na festa de Natal; a turma do 7ºB veio falar-nos de alimentação saudável; criámos desenhos a partir de riscos feitos pela nossa professora; a mãe do Francisco contou-nos uma história que depois trabalhámos e enviámos para um concurso, Plantámos girassóis… E tanto que havia ainda para vos contar! 2º Ano Turma A (Crato)

3ºAno A (texto colectivo)

Visita à VALNOR No dia 26 de Abril, a nossa turma foi visitar o Centro Integrado de Valorização e Tratamento de Resíduos Sólidos e os nossos colegas do 1º ano também foram connosco. Começámos a visita pela Central de Valorização Orgânica onde o lixo orgânico é transformado em composto (adubo). Primeiro, as máquinas abrem os sacos do lixo e depois outra separa-o: o lixo muito sujo (que não pode ser reciclado), o lixo que pode ser reciclado e o lixo orgânico. O lixo orgânico vai para um túnel escuro e fica lá 15 dias, a uma temperatura de setenta e tal graus centígrados. Quando sai do túnel, já é um composto que é muito bom para a terra. O lixo muito sujo vai para o aterro sanitário. A seguir, fomos ver a fábrica onde se desmancham os automóveis, os electrodomésticos, os colchões e outros resíduos volumosos. No fim, fomos ver o lixo que vem dos ecopontos. Esse lixo vai ser esmagado e fazem-se fardos que são levados para outras fábricas onde é reciclado. Do lixo também se tira água suja que, depois de ser limpa, vai para as ribeiras. 2º Ano Turma A (Crato)


Página 14

TROQUIDEIAS

A NOSSA PRODUÇÃO DIA DE SÃO VALENTIM – ST. VALENTINE’S DAY - DIA DE SÃO VALENTIM - ST. VALENTINE’S DAY

A Primavera chegou A estação do ano de que eu mais gosto é a Primavera porque nem é muito quente, nem muito fria e é alegre. As andorinhas voltam à procura de alimentos e fazem os ninhos. Na Primavera, podemos brincar ao ar livre e descansar também. Fica também tudo florido. Os ovinhos dos bichos da

Yes! I need some stairs straight to heaven And no one can move them ever Because every time you touch me I feel in the clouds Where I stay a little while And all I can remember From that place Is your unforgettable smile My heart beats faster and faster When it's closer to yours It seems like it's going to explode Because you are the only one who can give me the joy of life The only one I need to survive! Miriam Jesus 9ºA

AIMER Aimer c`est avoir l`univers Et vouloir seulement une planète; Aimer c`est avoir le ciel Et vouloir seulement une étoile; Aimer c`est avoir le monde Et vouloir seulement une persone Et cette persone c`est juste toi! Georgina Ferreira 7ºB

seda nascem e, hoje, até vou ver se já nasceram os meus. Na Primavera, já vestimos roupas mais frescas e pomos de lado os casacos mais quentes. O início da Primavera também foi muito importante para mim porque fui fazer o cartão do cidadão. Pilar Gouveia 3ºB

A vida

Pintura

A vida é como a fazemos,

Tentei pintar-te,

É como um poema que lemos,

Mas não consegui.

É o tempo que não passa,

Tentei contar-te

quando a saudade nos abraça.

Aquilo que senti.

A vida é como uma corrida,

Apanhei um violino

A meta é a nossa partida,

para me equilibrar,

A vida é um lazer,

Tornei-me um menino

Onde estamos sempre a aprender. A vida é um caminho que passa num segundo, É como um passarinho que sobrevoa o mundo. Bárbara Nascimento 7ºB

Só para alguém amar. Por ti sinto carinho, Por isso vi-te a sonhar. Apanhei um azevinho Só para te beijar. Viviany Albuquerque 7ºB


Número 6, 1ª edição

En esta sopa de letras hemos escondido los doce meses del año. ¡Descúbrelos!

Página 15

RECREIO TRIÂNGULOS Quantos triângulos consegue ver?

A N E D O T A Um estudante reprova no exame de Matemática e envia ao pai o seguinte telegrama: "Exame magnífico, professores entusiasmados, querem que repita."

Desafio ADIVINHA Qual é coisa, qual é ela que se pode apanhar, mas não tocar?

Regionais de Ténis de Mesa Nos dias 29 e 30 do mês de Abril, as a l u n a s Carolina Gonçalves e Soraia Gadanha da turma do 8ºB deslocaram-se a Évora para participar na fase regional do torneio do Ténis de Mesa. No dia 29, partiram da escola do Crato, por volta das 10 horas da manhã. Seguiuse a viagem até Évora, com paragem em Ponte de Sor para recolher mais alguns participantes da mesma actividade. A chegada a Évora foi pelas 12:00h, seguindo-se um almoço que permitiu também o convívio entre atletas. Por volta das 15:00h, deu-se o início dos jogos no pavilhão da escola, terminando por volta das 20:00h. O dia seguinte, foi ainda preenchido com alguns jogos. Nesta fase do torneio, estiveram presentes atletas das escolas de toda a região do Alentejo. As representantes deste Agrupamento de Escolas tiveram uma participação positiva, ainda que não tenham arrecadado qualquer prémio, pois melhoraram o seu desempenho competitivo, ao nível do Ténis de Mesa. Sempre importante participar e ter a oportunidade de jogar com os melhores da modalidade. Carolina Gonçalves e Soraia Gadanha 8ºB

TROCANDO APENAS UM ÚNICO DÍGITO DE LUGAR, FAÇA COM QUE ESTA IGUALDADE ESTEJA CORRECTA.

110-102=10

DESPORTO TORNEIO DE BASQUETEBOL Os alunos João Dias, Tiago Mendonça e João Pedro da turma A do 7º Ano participaram nos Regionais de Basquetebol Escolar 3 x 3 em Vila Viçosa. Partiram, por volta das 8 horas da manhã, na companhia da professora Jacinta, rumo a Vila Viçosa. Em Portalegre, alguns alunos juntaram-se ao grupo. Chegados ao destino, dirigiram-se ao pavilhão, onde se realizaram os jogos. No primeiro jogo, que terminou empatado, enfrentaram uma equipa de Campo Maior. Dos seguintes jogos resultaram duas derrotas e uma vitória. Após o almoço, os alunos eliminados puderam assistir às restantes partidas. O regresso aconteceu, no final da tarde. Foi mais uma agradável participação desportiva de alunos do Agrupamento de Escolas do Crato. Tiago Mendonça e João Dias 7ªA

ENCONTROS DESPORTIVOS As actividades físicas e desportivas continuam a decorrer às Segundas-feiras e às Quartas-feiras no pavilhão da escola, entre as 17h30 e as 18h30. Os professores que nelas participam aproveitam, de novo, a oportunidade para agradecer à Câmara Municipal do Crato a cedência do espaço e para convidar o pessoal da escola a juntar-se a eles para: Cuidarem do seu bemestar físico e mental! Divertirem-se! Prof.ª Alice Fernandes



Trocaideias Segunda Edição