Issuu on Google+

Capa

U m

C l i c k

Um Click por Arraial do Cabo

p o r A r r a i a l

By Gilson Jr.

d o C a b o


Pรกgina propositalmente em branco


Hoje aos 34 anos de idade, atuando como Cirurgião Buco-Maxilo-Facial e Implantodontista, me dedico a fotografia subaquática em minhas folgas. Já algum tempo fotografando essas águas, consegui ter um enorme acervo fotográfico, da vida marinha de Arraial. Meu interesse agora, é que este trabalho rode o mundo, levando as belezas submersa deste meu paraíso. Gilson de Lima e Silva Junior.


Ano 2000, venho à Arraial do Cabo para minha primeira aula do curso básico de meruglho. Um simples arraial, localizado em um cabo. Um detalhe que precisa ser observado, certamente é visto por todos, que tem o prazer de estar neste lugar, mas normalmente não é observado. A única chegada, é contemplada com uma vista de uma pequena praia a esquerda, local de uma riqueza submersa realmente impressinante. Logo a direita, uma enorme praia de areias completamente branca e de águas normalmente geladas. E para completar, a frente uma enseada com algumas ilhas, muitas condições de mergulho, e uma biodiversidade marinha dígna de um lugar que pode ser considerado como capital brasileira de mergulho. Uma cidade que está localizada na extremidade de um cabo, em uma posição estratégica para que em suas águas, tenha um fenômeno conhecido como ressurgência. Arraial do Cabo é cercado por inúmeros pontos de mergulho, cada um com suas características específicas, mas tendo em comum, uma riqueza viva.


Arraial do Cabo tem a magia de uma cidade pequena, lugar de descanso e encontro com a natureza, mas, essa natureza tem que ser admirada através das lentes de uma máscara de mergulho. Águas que abrigam desde minúculos camarões "dançarinos" a enormes baleias. Mergulho em nível básico ou avançado, ou pelas cavernas (o que particularmente eu detesto), pelos naufrágios, em mergulho livre ou pelo autônomo. Arraial ainda tem a característica de ter 75% do seu território cercado pelo mar, e no centro, uma montanha e algumas ilhas. Vento forte de um lado, parado do outro. Mar alto em uma parte, calmaria na outra. Estar neste lugar, é a certeza de um mergulho, certeza de um mergulho em águas de um paraíso. Isto é o que sinto, o que vejo, e o principal, é o que fotografo.


Eleg창ncia de um verme.


Lindos olhos!


A harmonia entre um cardume e o animal solitรกrio.


Contra luz!


Inquilino!


Infelizmente Arraial do Cabo, também é muito procurado por caçadores subaquáticos, sei que não é um pesca predatória, e que dificilmente irá alterar o ecossistema local. Mas para quem ama este paraíso, o bom de verdade, é ver o mergulhador admirando a vida, viva!


H達, oi, euuu?!


Caranguejo ou alga?


Defesa ou ataque na camulflagem.


Olho no olho!


Detalhe ao tรกrtaro do peixe.


Olhos ao fundo. Na areia o alimento e a proteção.


Como toda cidade que é um paraíso, Arraial do Cabo também tem a invasão de turistas no verão, e os mais prejudicados com isto, são os seres que vivem no mar. Como sempre, eu estava dentro d'agua fotografando, já cansado de tentar fotografar um peixe que nunca tinha visto por ali. Fui para um outro canto, para ver se achava alguma coisa nova, quando tive o desprazer de ver um peixe preso em uma sacola plástica. Na tentativa de sobrevivência, ele já aparentava estar muito cansado. Mais uma vez, minha paixão pela fotografia, conseguiu me colocar no exato local onde alguém precisava de minha ajuda. Uma foto ainda no plástico, seu olhar de desesperado, parece que não entendia, que eu estava ali apenas para ajudá-lo, e registrar aquela situação, que é um verdadeiro descaso com a natureza. Sua felicidade, quando foi colocado novamente em liberdade, foi tão grande, que a única foto que consegui fazer dele em liberdade, foi esta simples e desfocada imagem, mas em completa harmonia com minha natureza.


Mais curioso do que o fotógrafo, este polvo queria interagir com minha máquina fotográfica, foi só chegar perto da toca, que ele imediatamente grudou suas ventosas em minha lente. Arraial do Cabo é assim, a natureza é sentida na pele e na lente.


Limpeza de pele.

Limpeza de pele.


Antes da morte! Em poucas páginas, ficaria difícil expor todas as minhas fotos feitas neste lugar. Usando a recordação que tenho de cada uma delas, vou selecionando as imagens, que de certa forma ficaram em minha mente desde o dia que a fiz. Como por exemplo, a moréia verda da próxima página, que estava presa em um anzol, com o naylon agarrado em um pedra. Certamente, ela ficaria presa até sua morte, mas como sempre, estou equipado com minha faca, como acessório de segurança, consegui cortar o naylon, e rapidamente fazer sua foto novamente em liberdade, mas ainda um pouco extressada. Certo do amor pelo que faço, mas desta vez, minha obcessão pela fotografia fez a diferença entre a vida e a morte deste inocente animal marinho.


A cinco dias atrás, tentando fazer algumas fotos em um mergulho livre numa lage na praia conhecida como Prainha, ví um peixe que ainda não conhecia. Um local com muitas algas, infelizmente não conseguí, se quer, chegar perto do peixinho que se camuflava em meio as plantas. Um peixe que ainda não havia fotografado. Me armei de esperança na tentativa de enquadrá-lo em minha lente nos próximos dias que teria de mergulho. No segundo dia, a água amanhece mexida e um pouco turva, diminiundo ainda mais minhas possibilidades de fotografar. Já no terceiro e quarto dias, as condições da água haviam melhorado muito, e achando que a realização da foto em apnéia seria de maior valor, não quis tentar o mergulho autônomo. Sempre a mesma história. Só conseguia ver o peixe da superfície, não permitindo a menor aproximação. No quinto e último dia, após duas horas dentro d'agua, voltando para superfície, consegui ver um deles me observando. Infelizmente, a qualidade da foto não ficou expetacular, mas, foram as únicas fotos que consegui fazer. Certamente irei tentar uma foto bem melhor. Valeu, mas ainda não estou satisfeito.


Tenho um carinho enorme por esta foto. Na minha opini達o, praticamente perfeita.


Para que o mergulho em Arraial, seja ainda melhor, ĂŠ importante que a escola operadora de mergulho, seja uma empresa que se preocupe com o meio ambiente, tenha um trabalho consciente e organizado, com muita qualidade, e, o mais importante, que seja uma empresa amiga. Sempre que for a esta capital brasileira do mergulho, procure pela

ARRIAL SUB (22)2622-1945 ou www.arraialsub.net/ Serginho e equipe, terĂŁo o maior prazer em recebĂŠ-lo.


Arraial do Cabo, ĂŠ simplesmente assim! P a r a Ă­ s o drgilsonjunior@yahoo.com.br


Um Click por Arrail do Cabo