Issuu on Google+

Informativo das Regionais Casa Verde, Pirituba/Perus e Tucuruvi - Ano V - Jan/Fev/Mar/2006 - N o 20 Tiragem: 5.000 exemplares - R. Jaboatão, 162 - Cj. 3 - Casa Verde - São Paulo - SP - CEP 02516-010

Ortodontia em pacientes com problemas periodontais - pág. 4 Overdenture sobre Implantes - pág. 10


Editorial m operário de uma certa EMPRESA, repentinamente viu-se retirado de um grupo de pessoas que passa o dia fazendo acontecer e foi transferido para outro grupo, o das CHEFIAS. Onde fazer política é mais importante que fazer acontecer. Do dia para a noite, ele que era um funcionário badalado e sempre motivado pelos chefes, viu-se jogado num mundo onde a lógica, a motivação e o “pensar pelo bem de todos” perdeu o sentido. Descobriu que estava lidando com um tipo de gente diferente, os que NÃO fazem e NÃO deixam fazer. Suas argumentações técnicas deixaram de ter sentido diante do “sempre foi assim”, “não se aplica ao nosso negócio”, “para o bem dos acionistas” e outras frases prontas destinadas a torpedear qualquer idéia que intimide os que preferem a ZONA DO CONFORTO. Numa das reuniões, viu-se aos brados com um diretor comercial que não queria a implementação de um projeto que ajudaria a área comercial. O argumento era um “isso não ser-

U

ve” vazio, apoiado no “achismo”... Sua idéia havia sido bombardeada não pelos méritos técnicos ou incapacidade de inovar e trazer benefícios para a empresa, mas pelos interesses políticos que ela ameaçava. Era uma excelente idéia, mas vinha de “OUTRO”. Portanto, não era possível “deixar fazer”. Gente que “não faz e não deixa fazer”, são os piores males que qualquer empresa pode ter. São inimigos INTERNOS, gente que aparentemente está imbuída das melhores intenções, mas, no fundo, apenas luta pela manutenção de suas POSIÇÕES DE PODER. Para essa gente, qualquer idéia vinda de “outra”, é uma ameaça que precisa ser destruída. Afinal, pode dar certo e projetar o autor a um nível igual ou superior ao do ameaçado. É o jogo político corporativo. Tem gente que diz que é ego. Outros dizem que é incompetência. Tem quem jure que é saudável e necessário. Deve ser burrice (texto baseado em artigo do site www.lucianopires.com.br). Qualquer semelhança com a vida real, ou associativa, é mera coincidência, mas devemos

reparar como anda a nossa APCD, pois ela já lutou por vários ideais ajudando aos Cirurgiões Dentistas, cresceu muito, e hoje é uma das maiores entidades de classe do Brasil. Mas isso faz com que seus “administradores” pensem mais em manter a instituição do que manter a CLASSE, nesta eleição para presidentes da APCD, participe da votação e também do processo eleitoral, e defenda a sua CLASSE, de opiniões e faça parte da turma que “FAZ ACONTECER” e acabe com a turma dos “NÃO FAZEM E NÃO DEIXAM ACONTECER”.

Drs. Edgard dos Santos Pimentel, Marco Antonio Rocco e Paulo Vicente Pagano, presidentes, respectivamente, das Regionais Pirituba/Perus, Casa Verde e Tucuruvi

Eleições na APCD - Caros colegas dia 24 de Maio teremos eleições gerais na APCD, três chapas irão disputar o contrôle da Central, é em momentos como este que democracia se manifesta na vida associativa. A participação de todos é extrema importância para que a nova diretoria tenha a força necessária para administrar e realizar as mudanças que se façam necessárias na APCD. Se informe sobre as propostas de cada uma das chapas, vote e estimule seus colegas a votarem.

EXPEDIENTE

Revista APCD UNIÃO é um informativo da Associação Paulista de Cirurgiões-Dentistas das Regionais Casa Verde, Pirituba/Perus e Tucuruvi R. Jaboatão, 162 - Cj. 3 - Casa Verde São Paulo - SP - CEP 02516-010 APCD Regional Casa Verde Presidente: Dr. Marco Antonio Rocco Tel./Fax: (11) 3858-0765 - E-mail: apcdcasaverde@apcd.org.br APCD Regional Pirituba/Perus Presidente: Dr. Edgard dos Santos Pimentel Tel.: (11) 3903-0956 - E-mail: edgard_pimentel@uol.com.br APCD Regional Tucuruvi Presidente: Dr. Paulo Vicente Pagano Tel./Fax: (11) 6991-5780 - E-mail: apcdtucuruvi@apcd.org.br Site: www.apcdtucuruvi.com.br Editores: Dr. Clovis Pereira e Dr. Paulo César Nantes Jornalista Responsável: Israel Correia de Lima (Mtb 14.204) Tel. (11) 3502-3087 / 9263-1935 - E-mail: israellima@ajato.com.br Direção de Arte: Guilherme Gonçalves Jr. Tel.: (11) 6947-1219 / 8138-1267 - E-mail: guiga.net@terra.com.br A Revista APCD UNIÃO - Informativo das Regionais Casa Verde, Pirituba/Perus e Tucuruvi não se responsabiliza pelos serviços e produtos anunciados, os quais estão sujeitos às normas de mercado e do Código de Defesa do Consumidor. Artigos assinados ou conceitos emitidos são de responsabilidade exclusiva dos autores. Permitida a reprodução de textos da revista desde que citada a fonte. Periodicidade: Trimestral

2 - Revista APCD União Casa Verde, Pirituba/Perus e Tucuruvi


Revista APCD Uni達o Casa Verde, Pirituba/Perus e Tucuruvi - 3


Ortodontia em pacientes com problemas periodontais O paciente com problemas periodontais deve antes ter suas condições de sanidade restabelecidas e só assim poderá ser submetido a um tratamento ortodôntico (fig. 1).

Objetivos do tratamento - A ortodontia é apenas uma parte do planejamento proposto pelo clínico e portanto os objetivos devem ser claros respeitando as possibilidades de solução do caso em questão. 1. Restabelecer os guias funcionais da oclusão - Os guias da oclusão equilibram e protegem os dentes e os tecidos periodontais na função Fig. 1 - Três fases do atendimento: inicial, pré-ortodôntico e mastigatória. Muitas vezes a finalizado pós-ortodôntico em contenção e manutenção interferência ou a ausência destes guias são a causa de O movimento ortodôntico depende da esdisfunção do sistema mastigatório e dos seus trutura óssea saudável bem como do tecido tecidos de suporte e por isso o guia canino e mole adjacente e dos ligamentos periodonanterior devem estar presentes e se não for tais. O caminho do dente, durante a movipossível que isso ocorra com o auxílio da ortodontia deve ser estabelecido com próteses ou dentística restauradora (fig. 4 e 5). A oclusão do paciente tem que ser avaliada em MIC habitual, em Relação Central e anotado inclusive a Dimensão Vertical antes de iniciarmos qualquer processo de reabilitação. Ao Fig. 3 - Emprego de alça MD em L para clínico compete informar ao ortodontista o intrusão do dente 26 que deve ser mantido ou modificado na oclumentação, é o osso alveolar e quanto mesão e assim confrontar as reais possibilidanor o remanescente há que se ter mais cuides evitando criar expectativas de resultadado e delicadeza na aplicação de forças. dos que podem ou não ser alcançados.

4 - Revista APCD União Casa Verde, Pirituba/Perus e Tucuruvi

2. Evitar maiores perdas ósseas - A mecânica ortodôntica empregada não pode ser agressiva “forçando” movimentos. As forças empregadas têm que ser obrigatoriamente leves principalmente frente a pacientes que tem pouco osso alveolar. Particularmente preferimos fios redondos, de aço sem memória, com pequeno calibre (.012 .014) acrescidos de alças o que aumenta em muito a flexibilidade e o controle do movimento dentário quer seja num determinado seg-

Fig. 2 - Aspecto radiográfico inicial e após o preparo pré-ortodôntico

mento ou no arco ortodôntico como um todo. O fio redondo de aço pode ser manipulado pelo ortodontista experiente de maneira a produzir uma força intermitente que permite aos ligamentos periodontais e ao osso alveolar adjacente uma benéfica reparação histológica desses tecidos frente a movimentação ortodôntica (fig. 3). As forças contínuas gerada pelo uso de fios “elásticos”


tendem a não respeitar os períodos necessários para recuperação periodontal (osso e ligamento) fundamentais no controle da perda óssea e reabsorção radicular. Outro ponto importante diz respeito a deflexões exageradas do fio ortodôntico totalmente desnecessárias e prejudiciais evitadas facilmente com uso de alças em L (Técnica MD3), ou outro tipo que possa suprir tais deficiências. Vale lembrar que mesmo frente aos avanços tecnológicos as respostas

dades de movimentação ortodôntica e portanto devem ser discutidas a todo momento com o ortodontista. Nem sempre é possível obter o espaço desejado ou a verticalização Fig. 5 - Reabilitação com implantes inferiores, faceta no dente pretendida de um ou mais 22 e guia canino presente precisas sobre o planejamento entre os prodentes o que levará a uma mudança no plafissionais envolvidos. no de tratamento. Uma pretensão de im5. Contenção e manutenção - A finalizaplante pode transformar-se numa prótese ção ortodôntica não se restringe a ultima fixa, adesiva ou vice-versa consulta para remoção dos aparelhos. Ela e assim antes de nos frusdepende da reabilitação que será realizatrarmos vale a pena nos da e de um efetivo controle por parte do ajustarmos a realidade. clínico e do periodontista. A colaboração Os profissionais que do paciente submetido a um tratamento atendem a um mesmo paFig. 4 - Presença de diastemas, ausência de dentes posteriores multidisciplinar deve ser exigida ao máxiciente devem ter uma relainferiores, caninos cruzados mo por parte dos profissionais envolvidos ção clara e objetiva entre si biológicas frente a movimentação ortodônantes do inicio dessa verdadeira “maratocuja finalidade seja melhorar as condições tica não mudaram e por isso as ativação orna” odontológica (fig. 5). Não é possível reaodontológicas do paciente. todônticas ocorrem a cada 21 ou 28 dias ou lizar um bom trabalho sem o compromisso 4. Reabilitação da Dimensão Vertical - É mais longas ainda considerando-se a preefetivo do paciente em todas as fases e isso muito comum ocorrer a presença de diastecariedade dos tecidos de suporte. deve ser evidenciado antes de nos commas múltiplos na região de incisivos supeAs perdas ósseas e possíveis reabsorprometermos com o tratamento. riores e/ou inferiores nos pacientes com granções radiculares podem ocorrer durante a de perda óssea relacionados a perda de Diterapia ortodôntica devendo ser instituído um mensão Vertical. Nesses casos o ortodontisDr. Hugo Franco de Abreu Neto - Escontrole radiográfico periódico (fig. 2). ta depende de próteses provisórias que reapecialista em Ortodontia e Ortopedia 3. Posicionar os dentes para a reabilitabilitem a dimensão facilitando a movimentaFacial e Ministrador da EAP-APCD ção protética - As forças devem incidir soção dentária agindo também como contenDr. Marcos Saber - Mestre em “Disbre o dente de maneira mais axial possíção e manutenção da oclusão. Está indicado túrbios do Desenvolvimento”, Espevel. Os espaços protéticos serão reabilitao uso de aparelhos removíveis nos casos cialista em Ortodontia e Ortopedia dos de acordo com o planejamento inicial com mordida profunda onde mais uma vez feito pelo clínico, respeitadas as possibilise faz necessário uma troca de informações Facial e Ministrador da EAP-APCD

Revista APCD União Casa Verde, Pirituba/Perus e Tucuruvi - 5


Alerta sobre doenças Defesa de Classe oportunistas A Campanha têm a finalidade de alerta aos profissionais de saúde, quanto a ocorrência de doenças oportunistas ou não, que não apresentam sintomatologia, pois quando esta aparece com sinal ou sintoma não se pode fazer mais nada na área médica. Ex.: a tuberculose, o carcinoma causados também por tabagismo e outros. É necessário que o profissional da saúde tire pelo menos a cada dois ou três anos uma radiografia pulmonar laudada (demonstrando a atual situação pulmonar). Convém o profissional guardá-las, desde a primeira, para que no futuro possa se fazer uma comparação entre elas. O profissional deverá evitar contato direto com substâncias químicas através do manuseio, inspiração de gases e ingestão destas substâncias, que no momento pode não dar reação alguma, mas, sim, futuramente. Evitar também a auto-medicação. Em dias ensolarados usar protetores solares mesmo que seja no trajeto da casa ao consultório ou em momentos de lazer como piscina, clube, praia ou mesmo no campo. Convém aos colegas de toda área médica se conscientizarem da real necessidade de se fazer um Raio-X a cada dois ou três anos acompanhado de check-up total, que poderá detectar uma possível doença. Instalada a doença, no início a cura se torna fácil, a qual deverá ser acompanhada ao longo do tempo com um rigoroso controle. Se feito uma cirurgia o pós operatório deverá ser acompanhado através de radiografias de contraste da região afetada, para se observar a presença de possíveis metástases. Inicialmente, esse controle deverá ser feito a cada 3 (três) meses. Depois a cada 6 (seis) meses, a cada ano e posteriormente a cada 5 (cinco) anos, através de um protocolo médico (seguimento) evitando com isso a recidiva da mesma. Quanto a aplicação de quimioterapia ou radioterapia é de uso exclusivo dos médicos. Dr. Newton Magalhães - Biólogo - Cirurgia Geral - CRO - 28765

6 - Revista APCD União Casa Verde, Pirituba/Perus e Tucuruvi

Colegas, no ano passado, não me recordo a data ao certo, estiveram reunidos a Associação Paulista de Cirurgiões Dentistas, o Conselho Regional de Odontologia de São Paulo, o Sindicato dos Cirurgiões Dentistas do Estado de São Paulo, a Associação Brasileira dos Cirurgiões Dentistas e o Sindicato das Empresas de Convênio Odontológico, onde ficou acordado que haveria um aumento inicial de 10% nas tabelas dos convênios. Pelo que eu tenho conhecimento nenhum convênio reajustou sua tabela. Como vimos, até que nossas associações de classe tiveram uma boa iniciativa, mas nós cirurgiões dentistas também devemos fazer a nossa parte e não ficarmos nos lastimando em nossos consultórios. O QUE DEVEMOS FAZER? Devemos continuar a incentivar nossas entidades de classe a pressionar as empresas de convênio odontológico a reajustarem suas tabelas regularmente, devemos verificar se o convênio que iremos nos cadastrar esta inscrito na ANS, DEVEMOS NOS VALORIZAR, devemos incentivar os colegas insatisfeitos com a remuneração dos convênios a reivindicar junto a este convênio reajustes e mais uma vez devemos NOS VALORIZAR. O convênio hoje é uma realidade, mas devemos analisar minuciosamente o contrato e a tabela que este convênio nos apresenta. Não vale a pena estarmos com o consultório cheio e insatisfeitos com o rendimento no final do mês. Outro ponto importante é a glosa feita pelos convênios, se você achar esta glosa injusta, debata com o convênio. Mais uma vez NÓS TEMOS QUE NOS VALORIZAR! Dr. Paulo Vicente Pagano


A APCD Regional de Tucuruvi vem convidar todos os seus associados e também das outras Regionais para a viagem que realizará nos dias 19, 20 e 21 de maio de 2006, para a cidade mineira de Poços de Caldas. Além das inúmeras atrações do local, como balneários, cafés, fontes luminosas, teleférico, passeios de charrete, etc, ficaremos hospedados no mais tradicional hotel da cidade, o Palace Hotel, localizado exatamente no centro de Poços de Caldas, e que possui balneário próprio com banhos de imersão e sauna, galeria de 20 lojas, exposição de obras de arte, e uma piscina termal, com água a uma temperatura bem elevada, o que garante um relaxamento total. Sairemos da Regional Tucuruvi no Frente do Palace Hotel dia 19 de maio, sexta-feira às 14h, em ônibus fretado, retornando no domingo, 21 de maio, às 15h. O preço foi especial por se tratar de grupo: R$ 220,00 por pessoa, os apartamentos com vista externa e R$ 180,00 aqueles com vista interna (esse inclui as 2 diárias com pensão completa e taxa de serviço). Crianças até 3 anos não pagam e 4 a 10 anos pagam 50%. Não estão inclusos nos passeios o uso do balneário e o ônibus. Forma de pagamento: 30% até o dia 3 de abril e o restante na saída do Hotel. Maiores Informações com Wagner, tel. 6950-1034 ou Elaine, tel. 6991-5780 ou Piscina do Palace Hotel por e-mail apcdtucuruvi@apcd.org.br.

III Mutirão da Saúde APCD / Rotary

Viagem a Paraty Paraty (RJ) - Patrimônio Histórico Nacional Saída - 29/abril/06 (sábado) - 22h30 / Retorno - 1o/maio/06 (segunda-feira) 22h. Valor - R$ 365,00 p/ pessoa (apto. duplo) / R$ 345,00 p/ pessoa (apto. triplo) / R$ 325,00 p/ pessoa (apto. quad.) / criança a combinar. Inclui - café da manhã, passeio de escuna c/ almoço, 2 jantares, passeio histórico com guia.

Assistência Jurídica e Prevenção de Câncer Bucal. O atendimento Odontológico será realizado nos consultórios particulares dos colegas que quiserem participar. Os pacientes serão previamente selecionados e agendados pelas entidades e assistentes sociais participantes. Os colegas interessados em participar ou obter maiores informações entrar em contato com Nadir, tel. 3903-0956, Dr. Ronei, tel. 3901-4942 ou Dr. Edgard, tel. 3975-8875.

Levar - roupa de banho, 1 toalha de banho, boné, bloqueador solar, repelente. Hospedagem - Hotel Canoas (com piscina) Fone (0xx24) 33711133. Quem estiver interessado entrar em contato com Nadir pelo fone 3903-0956

www.apcdtucuruvi.com.br

No próximo dia 6 de maio a Regional Pirituba/ Perus em conjunto com o Rotary Clube de Pirituba estarão realizando novamente o Mutirão da Saúde objetivando o atendimento à população carente da região. O evento será realizado nas dependências da Paróquia São Domingos Sávio, no Parque São Domingos, onde serão realizados os atendimento de: Ginecologia, Cardiologia, Oftalmologia, Controle de Glicemia, Acupuntura, Dermatologia,

Visite o novo site da APCD Regional Tucuruvi. Entre e fique sabendo das novidades da nossa Regional.

Revista APCD União Casa Verde, Pirituba/Perus e Tucuruvi - 7

Fotos: Sec. de Turismo de Poços de Caldas

Departamento de Turismo


Programação de Cursos Os interessados nestes cursos devem entrar em contato com as Regionais para confirmação de datas e vagas REGIONAL CASA VERDE PALESTRAS GRATUITAS: Ortodontia e Ortopedia - Discrepância Transversal Ministrador: Dr. Marco Antonio Rocco Data: 28 de março de 2006 - Terça-feira - 20h Tratamento Ortodôntico em Pacientes com Problemas Periodontais Ministrador: Dr. Hugo Franco de Abreu Neto Data: 29 de março de 2006 - Quarta-feira - 20h Ortodontia - Conhecimentos necessários para o clínico geral Até onde o Cirurgião Dentista está apto ao atendimento ortodôntico e o que pode ser acrescentado Ministrador: Dr. Wilson Murata Data: 25 de abril de 2006 - Terça-feira - 20h Marketing Simplificado e Aplicado na Odontologia Como Fidelizar Seu Paciente Ministradora: Profª Dra. Heloisa Ribeiro Borges - Especialização em Marketing Direto; Consultora de Database Marketing e Vendas Data: 27 de abril de 2006 - Quinta-feira - 20h Diabetes Mellitus: implicações bucais e conduta clínica odontológica Ministradora: Profª Dra. Juliana Rico Pires Mestre em Odontologia - UNESP de Araraquara Doutoranda em Periodontia - UNESP de Araraquara Data: 11 de maio de 2006 - Quinta-feira Século XXI - Desafio para Odontogeriatria: Envelhecimento populacional Ministradora: Dra. Claudia Spnelli - Especialista em Odontogeriatria Data: 7 de junho de 2006 - Quarta-feira

CURSO: Emergências médicas no consultório odontológico Lançamento “Suporte de Emergência” Ministrador: Ivan Haidamus Sodré Marques Coffee-break, Natureza do curso: Teórico demonstrativo certificado Data: 19 de maio de 2006 e distribuição de brindes Sexta-feira - 14h às 22h Investimento: R$ 50,00 - 20 vagas

Mais informações: Regional Casa Verde (11) 3858-0765 REGIONAL PIRITUBA/PERUS Conferência: Método alternativo para confecções de prótese temporária Ministrador: Dr. Edson Koji Takeshita Data: 6 de abril de 2006 - Quinta-feira - das 20h às 21h30 Conferência: Relação Endo-Prótese - Aspectos críticos inerentes à confecção de Retentores intra radiculares fundidos Ministradora: Yofe Marie E. Silva Data: 11 de maio de 2006 - Quinta-feira - das 20h às 22h

Mais informações: Regional Pirituba/Perus (11) 3903-0956 REGIONAL TUCURUVI Curso Teórico Demonstrativo: Tecnologia Aplicada a Odontologia Estética com ênfase no Clareamento Dental e Laserterapia Ministrador: Dr. José Antonio Gaspar Data: 28 de março, 4, 18 e 25 de abril de 2006 - Terça-feira Palestra sobre Marketing Ministrador: Dr. Plínio Augusto Rehse Tomaz Data: 11 de abril de 2006 - Terça-feira - 20h00

Mais informações: Regional Tucuruvi (11) 6991-5780 BENEFÍCIOS CONVÊNIOS

Características gerais dos terceiros molares - Anatomia, cirurgia e medicação Ministrador: Dr. Marcelo Eugenio Marino Data: 21 e 28 de junho de 2006 - Quarta-feira

8 - Revista APCD União Casa Verde, Pirituba/Perus e Tucuruvi

Advocacia / Alessandro Paolantoni Av. Água Fria, 1508 - Sala 3 - Tel.: 6991-3710 - Cel.: 7115-3237 apaolantoni@aasp.org.br - Desconto de 10% aos associados


Marque em sua agenda: Eleições na APCD Dia 24 de maio de 2006. O associado deve procurar a sua Regional para votar. APCD Central Chapa 1: Lealdade Presidente: Sylvio Jorge Cecchetto 1º Vice-Presidente: Wilson Chidiek 2º Vice-Presidente: Isabel Tumenas Secretária-Geral: Christa Feller Tesoureiro Geral: Ziró Yanagimori

APCD Casa Verde Presidente: Marco Antonio Rocco 1º Vice-Presidente: Clóvis Pereira 2º Vice-Presidente: Alexandre Tadeu Barbosa Secretário-Geral: Roberto Doki Tesoureiro Geral: Celi de Fátima Rodrigues Rocco

Chapa 2: Justapcd Presidente: Hirebe Rodrigues de Souza 1º Vice-Presidente: Mário Sergio Limberte 2º Vice-Presidente: Wagner de Oliveira Secretária-Geral: Emy Hirano Tesoureiro Geral: João Jorge Queijo

APCD Pirituba/Perus Presidente: Edgard dos Santos Pimentel 1º Vice-Presidente: Ronei Lopes Campos 2º Vice-Presidente: Jorge Orlando Gomes Silva Secretária-Geral: Adalmir Gonzaga dos Santos Queiroz Tesoureiro Geral: Mário José Barna

Chapa 3: Superação Presidente: Guido Maltagliati 1º Vice-Presidente: Juscelino Kojima 2º Vice-Presidente: Edmilson Urizzi Secretário-Geral: João Baptista de Alcântara Fusco Tesoureiro Geral: Léo Ozeki

APCD Tucuruvi Presidente: Gilberto Gomes 1º Vice-Presidente: Paulo Vicente Pagano 2º Vice-Presidente: Maria José de Oliveira Fonseca Silva Secretário-Geral: Pedro Emilio Maciel Teixeira Tesoureiro Geral: Mariza Antonia Anhello

Revista APCD União Casa Verde, Pirituba/Perus e Tucuruvi - 9


Overdenture sobre Implantes Relato de caso clínico com 4 implantes na maxila Um dos grandes desafios da Odontologia moderna, quando nos referimos ao edentulismo, é corresponder às expectativas dos pacientes, aliadas a uma reabilitação funcional e estética viáveis. A partir da difusão da osseointegração, pelo professor P.I Branemarck, uma série de avanços relacionados a reabilitação oral foram surgindo e solucionando problemas antes limitados e sem resolução protética. O uso das overdentures foi difundido após o advento dos implantes osseointegrados pelo Prof. P. I. Branemark na década de 1980. A partir de então, o uso de overdentures implanto-suportadas promoveu uma alternativa para pacientes edêntulos, que apresentavam dificuldades de adaptação com as próteses convencionais. Em alguns casos, como no presente artigo, a remoção da porção do palato é viável, utilizando-se apenas 4 implantes unidos por barras e o’rings, oferecendo uma melhor adaptação, conforto, estabilidade da prótese, obtenção de

Seis O´Rings

suporte dos tecidos moles da face e a facilidade de higienização promovida pela prótese removível (quando compa-

rada ao protocolo de P. I. Branemark). As overdentures implanto-suportadas surgiram como uma alternativa reabilitadora para pacientes edêntulos com problemas de adaptação e desconforto. De acordo com Zitzmann, Marinello (1999) existem fatores intra-orais que

Barra distribuindo as forças mastigatórias

indicam a confecção de overdentures que são: qualidade e quantidade de mucosa (não ceratinizada, móvel ou fina), qualidade óssea (osso tipo III-cortical fina e trabeculado denso ou IV-esponjoso) e quantidade de osso (rebordo côncavo ou afilado), a posição da papila incisiva (posicionada por vestibular ou sobre a crista do rebordo) e a relação entre a coroa dentária e o rebordo (discrepância entre o tamanho do rebordo e dos elementos a serem restaurados). Os fatores extra-orais que indicariam a confecção de overdentures segundo Zitzmann, Marinello (1999), seriam: a necessidade de restituir o suporte facial e labial, pacientes com um perfil de prognatismo (perfil côncavo); comprimento

10 - Revista APCD União Casa Verde, Pirituba/Perus e Tucuruvi

do lábio superior curto ou linha do sorriso alta, que mostra o rebordo alveolar durante o sorriso; relacionamento maxilo-mandibular de Classe III de Angle necessitando ser compensada. Para Parel (1986), elas teriam vantagens em relação às próteses fixas, especialmente em relação à fonética, pois evitariam o escape de ar entre os dentes. Segundo Mericske-Stern (1998), a indicação apontada seria pelo menos o uso de quatro implantes, com um comprimento mínimo de 6mm. A presença de uma extensão vestibular pode ajudar a repor os tecidos perdidos e devolver o suporte labial, principalmente em pacientes que apresentam uma excessiva reabsorção do rebordo anterior maxilar. Para Renouart, Rangert (2001), a condição ideal seria a colocação de quatro a seis implantes, de preferência com mais de 10mm de comprimento e unidos por barras, para garantir uma melhor distribuição de cargas. Podemos concluir que as overdentures sobre implantes são uma opção de tratamento menos invasivo e com menor complexidade; apresentam custo inferior que torna a técnica acessível a um maior número de pacientes, quando comparado com as próteses fixas sobre implantes. Dr. Adalmir G. Santos Queiroz Especialista em Implantodontia pela Faculdade de Odontologia de Piracicaba - Unicamp Pós-graduação em Cirurgia pela Santa Casa de Misericórdia de São Paulo


INDICADOR PROFISSIONAL

Ligue para (11) 3502-3087 e reserve o seu espaço. Você pode incluir seu anúncio por apenas R$ 35,00 para sócios e R$ 50,00 para não-sócios.

CASA VERDE

Dr. Wagner Seroli - CRO 29361

TUCURUVI

Dra. Celi de Fátima R. Rocco - CRO 29923 Dr. Marco Antonio Rocco - CRO 38051 Odontopediatria Especialista em Ortopedia Funcional dos Maxilares pelo Conselho Federal de Odontologia Rua Jaboatão, 162 - 1º andar - Casa Verde Tel.: 3856-0348

Estomatologia e Cirurgia Buco Dental

Dr. Carlos Filgueira Silvares Especialista em Periodontia Prof. Curso de Implantes na APCD Pinheiros Implantes parte cirúrgica e protética Av. Cel. Sezefredo Fagundes, 132 Tel.: 6952-4259

Dra. Claudia Adriana Tescaro - CRFa-9030 Fonoaudióloga Praça Italico Ancona Lopes, 14-A - Sl. 3 Freguesia do Ó - Tel.: 3935-3464

Dr. Carlos Maeda - CRO 15102

Dr. Hugo Franco de Abreu Neto - CRO 16165 Ortodontista Rua Atílio Piffer, 271 - 1º and. - Casa Verde Tel.: 3966-5865 / 3858-2193

Dra. Eliana Barbosa de Souza - CRO 55145

Dr. Maurício Teixeira Duarte - CRO 46283 Mestre em Periodontia e Estomatologia Praça Amadeu Amaral, 47 - Cj. 51 - Paraíso Rua Parapuã, 1835 - Freguesia do Ó Tel.: 3288-6581 / 3921-8051

Av. Casa Verde, 235 Tel./Fax: 6236-4678 / 6236-3456 PIRITUBA/PERUS

Estomatologia - Diagnóstico e Cirurgia Av. Mutinga, 2778 - Pirituba - Tel.: 3904-1316

Endodontia - Tratamento de casos difíceis, Cirurgia Parendodôntica Graduação e especialização pela USP R. Roma, 620 - Cj. 137-A - 130 and.- Lapa Tel.: 3673-4041 Dra.Verônica Diaz Parada Pimentel - CRO 30447

Dra. Patrícia Tortoro Silva - CRO 48474 Especialista em Endodontia R. Buquira, 307 - Casa Verde - Tel.: 3966-9266 R. Tavares Bastos, 586 - Pompéia - Tel.: 3865-8588

Especialista em Endodontia Av. Benedito de Andrade, 642 - Pirituba Tel.: 3975-8875 / 3992-4279

Dr. Carlos Marcos Tarkieltaub - CROSP 14721 Periodontia e Implantes (fase cirúrgica) Óxido Nitroso Rua Gurupatuba, 147 - Tucuruvi Tel.: 6203-8481 Dra. Mariza A. Anhello Odontopediatra e Ortodontista Rua Godofredo Furtado, 90 Tel.: 6204-2977 Dr. Paulo Vicente Pagano Especialista em Ortodontia e Ortopedia Facial Av. Mazzei, 166 - Tucuruvi Tel.: 6203-2425 Dr. Jacinto E. N. Ogama - CRO 3053 Acupuntura - Clínica/Cursos (Cirurgião com especialização na China) Av. Tiradentes, 3.848 - Guarulhos - SP Tel.: 6406-9255

P a r a a n u n c i a rr,, pegue já o seu telefone e converse com o I s r a e l (11) 3 5 0 2 - 3 0 8 7 ou 9 2 6 3 - 1 9 3 5 e faça b o n s n e g ó c i o s ! Revista APCD União Casa Verde, Pirituba/Perus e Tucuruvi - 11



APCD União 20