Page 1

Revisão Técnica mos praticar uma produção sustentável, equilibrando as necessidades ambientais, de bem-estar, laborais, econômicas e produtivas, com uma boa aceitação social. É básico educar o público e o consumidor e, para tanto, é necessário manter uma formação contínua (treinamento e educação para incrementar nossos conhecimentos). CHASE, C.  Nos últimos 15 anos aumentou enormemente o conhecimento sobre a resposta imune. Sua fase primária é importante no que diz respeito à proteção contra as doenças infecciosas e sua eliminação. A resposta imune tem sua origem nos nódulos linfáticos e folículos linfóides (mucosa, placas de Peyer, sistema digestório e brônquios). 5 % das células B e T estão nos nódulos linfáticos, os quais dispõem de duas estruturas básicas: 1- Área cortical, onde se localizam os linfócitos T, os quais interagem com as células dendríticas; 2- Área medular, que contém os linfócitos B. As células dendríticas estão na mucosa, lâmina própria e na pele. Outra função importante dos nódulos linfáticos é a de armazenar ou sequestrar os linfócitos quando ocorre uma exposição a antígenos. A ação mais importante da resposta imune adquirida é a interação entre as células T e as células dendríticas. Em seguida, as células T colidem com as B, no reconhecimento do mesmo antígeno. Uma vez ativadas, as células B produzem as células de memória frente a futuros antígenos, as quais são responsáveis pela produção dos anticorpos presentes no sangue e nas superfícies das mucosas. Para a obtenção de um correto efeito de potencialização com a segunda vacinação, é necessário um intervalo de três semanas entre ambas, que é o tempo de resposta homeostática necessário para que o sistema imunológico amadureça. Assim, as vacinações estratégicas não devem depender das conveniências do manejo, senão dos períodos fisiológicos ótimos. A imunidade de mucosa, ligada ao tecido linfóide digestivo, é muito influenciada pelos fatores ambientais presentes na superfície da mesma (antígenos dietéticos, patógenos digestivos). A ingestão do colostro é essencial para o desenvolvimento de imunidade não específica e a produção de imunoglobulinas específicas, que têm a função de prevenir a resposta imune ativa e desenvolver a tolerância a nutrientes antigênicos específicos. Além disso, a presença de uma flora microbiana comensal é absolutamente essencial ao desenvolvimento do tecido linfóide associado ao trato digestivo. Os principais nutrientes para um desenvolvimento correto do sistema imunológico são a energia e a proteina, além das vitaminas A, E, C e do complexo B, mais os minerais cobre, selênio, zinco, ferro, magnésio e manganês. Tanto os problemas de má nutrição, como os de excessos, afetam o desenvolvimento do sistema imunológico, aumentando a susceptibilidade às patologias. É importante ter em conta que a deficiência ou o excesso de um deles influi na disponibilidade e requerimentos dos outros (amplamente interacionados). Sabe-se como pequenos desbalanços relativos podem suprimir a função imunológica (ex.: suplementação de vitamina E e selenio nos leitões de quatro a cinco semanas de idade aumenta a resposta de anticorpos frente à Escherichia coli). Entre os 55 e 60 dias de gestação, os fetos não são imunocompetentes. A resposta imunológica em suínos é, portanto, dependente da idade e da nutrição. Ano VII - nº 43/2012

Estátua da Mulher - Botero A febre é um componente importante da resposta imune para reduzir a proliferação de patógenos. Cada 1ºC de aumento na temperatura corporal corresponde a um incremento de 13% na taxa metabólica. A atividade dos suínos com febre se reduz, em média, uns 40%, assim como a ingestão de água (50%) e de ração.

VÍRUS DA PRRS • A Síndrome Respiratória e Reprodutiva Suína produz, nos EUA, perdas da ordem de US$ 1,8 milhão ao dia. O aumento das temperaturas no verão reduz a probabilidade de transmissão e detecção do vírus. O número de leitões desmamados produzidos por inseminação é considerado um indicador muito sensível na hora de detectar problemas relacionados a um surto de PRRS. • Na adaptação do teste ELISA comercial (HerdChek™ PRRSx3 ELISA) para detecção de anticorpos IgM, IgA e IgG em fluidos orais, o IgG é detectado já no sétimo dia pós infecção, sendo todos os outros detectáveis a partir do nono dia. • O ponto de corte econômico para programas de erradicação é de 26 meses, em programas de despovoamento e fechamento de granjas. • A transmissão aérea do vírus é uma rota importante de disseminação. Muitas granjas, nos EUA, têm implantado sistemas de filtragem de ar. Em granjas com sistemas de ventilação com pressão negativa, é possível a reintrodução viral através de aerossóis contaminados, em pontos sem filtragem (ex.: ventiladores parados). Há uma velocidade mínima necessária para que o ar transmita o virus (150 fpm, segundo Carmen Alonso). • O uso de ácido acetil salicílico em quadros clínicos da doença na fase de creche reduz a febre e a viremia, melhorando os parâmetros de produção. • A propensão da persistência viral no tecido linfóide e Suínos & Cia

23

pg_0023  

Estátua da Mulher - Botero 23 Ano VII - nº 43/2012 Suínos & Cia

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you