Issuu on Google+

1

_______________________________________________________________________Por Carlos Coléct REFLEXÃO: UMA SÓ LÍNGUA E UMA MESMA MANEIRA DE FALAR ? _________________________________ Quero aqui compartilhar mais um entendimento a cerca dos tempos em que vivemos de Teshuvá.Tudo que aqui eu disser, estou me referindo dentro do contexto de Teshuvá, do Eterno, da Torah e Yeshua, e não me refiro à um contexto externo. Bom, na busca por se conhecer a verdade , geralmente se tem o pensamento de que todos precisam ter a mesma interpretação dos mandamentos, o mesmo entendimento, o mesmo modo de falar, enfim, a mesma língua e linguagem.Mas será que isto é necessário para esses dias ? Particularmente não compreendo que o Eterno esteja interessado em que todos estejam plenamente em conformidade no que diz respeito aos entendimentos e interpretações. Lembremos de um episódio bem conhecido, o qual é o da Torre de Bavel.Nessa ocasião, nós temos homens que falavam a mesma língua, eles tinha a mesma fala, e nisto intentaram fundar uma cidade, criar uma torre que chegasse até aos Céus e quiseram um Nome para eles, ou seja, queriam uma identidade elevada e de exaltação, isto é, que chega até os céus.Semelhante ao Altíssimo, mas o Altíssimo confunde as línguas, cada um passa a falar sua própria linguagem. Gên 11:1 Ora, em toda a terra havia apenas uma linguagem e uma só maneira de falar. Gên 11:4 Disseram: Vinde, edifiquemos para nós uma cidade e uma torre cujo tope chegue até aos céus e tornemos célebre o nosso nome, para que não sejamos espalhados por toda a terra Gên 11:6 e o Senhor disse: Eis que o povo é um, e todos têm a mesma linguagem. Isto é apenas o começo; agora não haverá restrição para tudo que intentam fazer Gên 11:7 Vinde, desçamos e confundamos ali a sua linguagem, para que um não entenda a linguagem de outro. Bom, com isto entendo, que o propósito da Babilônia é ter sob si pessoas que falem a mesma língua e tenham a mesma linguagem.E quando assim ocorre é para se construir uma Torre até o lugar do Altíssimo e criar uma identidade de elevação e exaltação.Por isso, quando um grupo pretende ter pessoas que tenham a mesma fala , a mesma interpretação, o mesmo entendimento e pensamento, eu compreendo que isso não seja muito bom nos dias de hoje, mas seria um retorno à Torre de Bavel e à sua padronização.Pois a Torre é feita com tijolos, e tijolo nos traz a ideís de modelo e padrão.


2 Yeshua e seus discípulos buscaram fazer com que as pessoas não tivessem liberdade para falarem de outra forma, ou outra forma de pensar ? Eu creio que não, até porque dentro da Verdade se pode ter várias perspectivas.Comparando a Verdade com o Éden, podemos compreender que o Homem possui liberdade dentro do Jardim, apenas lhe é dado algumas recomendações, mas de um modo geral, o Homem pode explorar o Jardim, assim vejo a Verdade do Eterno, há liberdade para explorar no sentido de ser um desbravador dentro da Verdade (jardim). Talvez hoje seja necessário ainda que haja "misturas" na linguagem, para que o Homem não queira novamente se elevar aos Ceús, querendo se fazer como o Altíssimo.Entendo que isso não seja ruim, mas sim uma ação de prevenção do Eterno para que o Homem não se exalte em si mesmo. E hoje, em um corpo corruptível, creio que há dificuldade em entendermos a mesma coisa, ou termos a mesma interpretação de tudo, pois o que recebemos ainda se mistura com os pensamentos naturais do homem, com sentimentos e emoções e com conceitos pré estabelecidos.Há uma mistura daquilo que recebemos no espírito com aquilo que está na alma. Quando estivermos em um corpo incorruptível, e todos podendo ouvir o Eterno sem interferências, daí sim, creio que de fato alcançamos a Mente do Messias, e saímos verdadeiramente das interferências da Babilônia, voltando para além da terra de Shinar, onde todos falavam a mesma língua e tinham a mesma forma de falar, mas sem o estado de exaltação e elevação. Não nos preocupemos tanto com interpretações diferentes, desde que esteja dentro do mesmo contexto e propósito da Verdade (Yeshua - torah). Cada um viva de acordo com aquilo que tem alcançado, mas sempre ampliando a visão, porque sempre há algo mais que pode ser alcançado. O que me foi concedido viver e falar, vivo e falo para testemunho e não somente para a aceitação de quem ouve. Não falo para estabelecer padrões e modelos, e formalizar entendimentos, mas para testemunhar daquilo que tenho visto e ouvido. Mat 24:14 E será pregado este evangelho do reino por todo o mundo, para TESTEMUNHO a todas as nações. Então, virá o fim. At 1:8 mas recebereis poder, ao descer sobre vós o Espírito Santo, e sereis minhas TESTEMUNHAS tanto em Jerusalém como em toda a Judéia e Samaria e até aos confins da terra. Apoc 12:11 Eles, pois, o venceram por causa do sangue do Cordeiro e por causa da palavra do TESTEMUNHO que deram e, mesmo em face da morte, não amaram a própria vida. At 22:15 porque terás de ser sua TESTEMUNHA diante de todos os homens, das coisas que tens visto e ouvido. Tragamos a imagem de uma testemunha em um tribunal.A testemunha não pode ser testemunha de algo que ela não viu ou ouviu, ou não esteve presente.Mas lembrando que o testemunho de uma testemunha pode ser diferente da de outra, pois estava em uma posição diferente na cena do crime, por exemplo, ela pode ter visto e ouvido algo diferente que a outra testemunha não viu e nem ouviu.E estas visões diferentes contribuirá para o julgamento geral, porém não importará muito para as testemunhas, mas essas diferenças de testemunhos valerá mais para o estabelecimento da sentença final daquele que está na posição do julgado.


3

E o propósito da presença da testemunha no tribunal é para tornar o culpado, indesculpável, ou confirmar a sua culpa.A testemunha auxilia no processo de julgamento, mas ela em si não está ali para fazer sua palavra aceita aos ouvintes, mas está ali para contribuir com todo o processo de julgamento e apenas TESTEMUNHAR a favor ou contra, a aceitação final da palavra da testemunha está nas mãos do Juiz, depois de ter passado pela bancada do jure.Se a testemunha tiver a intenção de FAZER a sua palavra aceita, certamente ela se tornará em uma testemunha falsa, pois forjará argumentos e mudará sua fala para se tornar mais aceitável, e isto traz a corrupção.Não digo que quem testemunha não tem o desejo de ter o testemunho aceito, mas digo quando se tem o desejo de FAZER aceito o seu testemunho, e nisto há diferença, ou seja, em apenas ter o desejo e querer impor o desejo.Certamente Yeshua e seus discípulos testemunharam com ímpeto e ousadia, e desejavam que a mensagem fosse aceita, mas isto é diferente de querer FAZER a mensagem aceita. Noach(Noé), foi uma testemunha em sua geração, seu testemunho trouxe condenação aos culpados.Sua palavra não foi aceita pelo povo, mas o seu testemunho teve seu efeito. Quem é da Verdade aceita o testemunho da Verdade, quem está na mentira rejeitará o testemunho da Verdade. O que quero trazer com isto, é que aquele quem é chamado para ser testemunha, não precisa se ater tanto com a aceitação de sua palavra, pois esta intenção pode corromper o seu testemunho. E não precisa se ater com a preocupação de formalizar entendimentos e interpretações das Escrituras.E sim , em testemunhar daquilo que viu e ouviu do Eterno, POIS É O JUIZ QUEM BATERÁ O MARTELO NO FINAL do julgamento de todos os homens. Não precisamos ter a mesma língua, mesmo entendimento, ou a mesma forma de falar, pois o testemunho de uma testemunho é algo muito pessoal e individual.A testemunha não pode dar testemunho daquilo que o outro viu ou ouviu, e nem pode fazer com que o outro veja e ouça o que ela viu e ouviu.

Shalom Carlos Coléct www.centroteshuva.blogspot.com


UMA SÓ LÍNGUA E UMA MESMA MANEIRA DE FALAR