Issuu on Google+

1

__________________________________________________________________________Carlos Coléct

Meu caminho não é o vosso caminho, diz o Eterno (YHWH)


2 1.Introdução _____________________________________________________________________________________ Abordaremos neste breve texto algumas situações na Torah que fazem referência ao Caminho do Eterno proposto ao seu Povo . Veremos um pouco sobre a caminhada de nossos pais pelo deserto, sendo guiados por uma Nuvem durante o dia e uma coluna de fogo durante a noite, e também veremos a experiência de Bilam (Balão). Ex 13.21,22 - O SENHOR ia adiante deles, durante o dia, numa coluna de nuvem, para os guiar pelo caminho; durante a noite, numa coluna de fogo, para os alumiar, a fim de que caminhassem de dia e de noite. 22 Nunca se apartou do povo a coluna de nuvem durante o dia, nem a coluna de fogo durante a noite. Creio que nessa pequena parte da Torah podemos ter grandes lições que podem nos instruir no nosso caminhar com o Eterno. E entendo que se faz importante nessa introdução termos em mente que quando as Escrituras falam de Caminho, estão falando do Caminho Yeshua, Yeshua estando no Eterno é o “‫ דרך‬Derek”, o Caminho.Por isso, ao tratarmos de Caminho, lembremos de Yeshua, e ao mesmo tempo lembremos que Yeshua é a Torah, sendo assim, nada se separa, o Caminho é Yeshua que por sua vez também á a Torah. João 14:6 Respondeu-lhe Yeshua: EU SOU o caminho, e a verdade, e a vida; ninguém vem ao Pai senão por mim. Portanto, sabendo que a expressão EU SOU é muito própria do Eterno (YHWH), podemos entender que Yeshua no YHWH (ETERNO) é o Caminho, ou seja, o Eterno é o Caminho, mas Yeshua no Eterno se torna o Caminho, assim como qualquer que esteja em Yeshua se torna o Caminho em Yeshua, pois aquele que está em Yeshua se torna participante do seu chamado messiânico. Lógico, que eu por mim mesmo não sou o caminho , mas em Yeshua eu me torno o caminho junto com Ele. Desta forma, ao nos referirmos ao Caminho do Eterno neste breve texto, estaremos trazendo a imagem de Yeshua , da Torah e de todos aqueles que estão em Yeshua e na Torah, pois se eu estou em Yeshua e na Torah eu me torno o Caminho para aquele que deseja vir ao Pai. 2. O Caminho do Eterno é mais longo e estreito _____________________________________________________________________________________ Bom, o episódio relatado é que Israel havia acabado de sair do Egito, mas enquanto todos esperavam que o Eterno os conduziriam pelo caminho mais curto e rápido, o Eterno fez o contrário, ou seja, não os levou pelo caminho dos Filisteus, mas nos conduziu pelo caminho mais longo, para que não nos arrependêssemos e não retornássemos ao Egito. Ex 13.17,18 - Tendo Faraó deixado ir o povo, ADONAY não o levou pelo caminho da terra dos filisteus, posto que mais perto, pois disse: Para que, porventura, o povo não se arrependa, vendo a guerra, e torne ao Egito. 18 Porém ADONAY fez o povo rodear pelo caminho do deserto perto do mar Vermelho; e, arregimentados, subiram os filhos de Israel do Egito. E isto nos mostra que os caminhos do Eterno nem sempre são os caminhos que pensamos ou imaginamos ser o melhor. Is 55.8,9 - Porque os meus pensamentos não são os vossos pensamentos, nem os vossos caminhos, os meus caminhos, diz o SENHOR, 9 porque, assim como os céus são mais altos do que a terra, assim são os


3 meus caminhos mais altos do que os vossos caminhos, e os meus pensamentos, mais altos do que os vossos pensamentos. Fazendo uma reflexão sobre a caminhada de ISRAEL após sair do Egito, podemos perceber que o Eterno conduz o homem a um caminho mais logo, estreito e difícil, que exige mais esforço, pois sem esforço não há aprendizado e crescimento.Lógico que há caminhos dificultosos , porque o próprio homem os criou para si, mas aqui estamos falado do caminho proposto pelo Eterno. Israel poderia ir até Canaã por um caminho mais curto, mas não foi assim que o Eterno fez. Outro ponto que observamos é que nem sempre as barreiras que aparecem no caminho são para pararmos, como por exemplo, o mar Vermelho.E neste momento de se deparar com algum obstáculo ou barreira, o homem tem a tendência de dizer " ACABOU, NÃO TEM MAIS JEITO!" e ainda tem a tendência de pensar que o Eterno não está mais na caminhada e não quer que o caminho continue, assim como o Israel pensou e disse " o Senhor nos trouxe aqui pra morrer", ou seja, "o Senhor não quer que continuemos".E lembremos dos espias que foram até Canaã, eles olharam os inimigos e pensaram que havia acabado a jornada, mas dois espias entenderam e disseram " o Eterno nos deu essa terra", caminhemos, continuemos, e como foi dito em frente ao Mar Vermelho: " MARCHEM!". Mas vemos que nada tinha acabado e que o Senhor queria que eles continuassem, porém para isso era necessário entrar no mar e em Canaã, mesmo que ainda não estivesse aberto o mar, e mesmo que a terra ainda tivesse inimigos. Na caminhada haverá conflitos e guerras, tal como foi com Israel, teve que desocupar os inimigos, e assim também precisamos desocupar os inimigos de nossa mente e de nossa alma para possuirmos a Vontade do Eterno. Entendo com isso as palavras de Yeshua ; " estreito é o caminho que conduz a vida". Mt 7.13,14 - Entrai pela porta estreita (larga é a porta, e espaçoso, o caminho que conduz para a perdição, e são muitos os que entram por ela), 14 porque estreita é a porta, e apertado, o caminho que conduz para a vida, e são poucos os que acertam com ela. Yeshua está falando de si mesmo, ou seja, quem quer estar Nele precisa entender que a entrada é estreita, vai ser preciso se espremer , e quando imaginamos uma porta estreita, imaginamos que algumas coisas que carregamos precisa ser deixado pra fora da porta, pois não conseguimos entrar se estivermos com muitas bagagens nas mãos ou nas costas.As bagagens da vida precisam ficar para fora da porta. Além disso, depois de entrar, quando já algumas coisas ficaram para trás, o caminho também é apertado, ou seja, não é espaçoso , e isto nos indica um caminho onde na há muito espaço para se movimentar, isto é, não podemos fazer o que queremos e o que bem entendemos, as ações são limitadas, há um limite no movimento, isto é, no que posso fazer. E assim o caminho para o conhecimento do Eterno não é curto e rápido, mas longo e constante.E aqui gostaria de fazer uma observação a este respeito, percebo que a maioria das pessoas buscam informações instantâneas , até porque a sociedade atual é uma sociedade instantânea e imediatista, ou seja, temos comidas e mensagens instantâneas, por exemplo, e assim por diante.E isto influencia na maneira de pensar das pessoas quanto ao conhecimento do Eterno. As pessoas têm mais facilidade em ler uma frase rápida, curta e direta, do que algo que ela precise de mais tempo para absorver e meditar, e isso porque não há muito tempo, mas o caminho do Eterno não é o caminho da atual sociedade, o Eterno não se adapta ao Homem, e sim o Homem que deve se adaptar ao Eterno. Mas enfim, quando se está em um caminho estreito , se torna mais fácil parar e retroceder do que continuar no caminho apertado.O esforço para desistir e parar é menor do que o esforço para continuar e prosseguir.


4 3. O Caminho precipitado de Bilam(Balaão) _____________________________________________________________________________________ Resumidamente, Bilam (Balaão) tomou o caminho que não era o desejo do Eterno, mas sim o caminho do seu próprio desejo e vontade. Nm 22.21,22 - Então, Balaão levantou-se pela manhã, albardou a sua jumenta e partiu com os príncipes de Moabe. 22 Acendeu-se a ira de Elohim, porque ele se foi; e o Anjo do SENHOR pôs-se-lhe no caminho por adversário. E nisso, ele indo com sua jumenta pelo caminho, a jumenta se deparou com o anjo com a espada desembainhada a sua frente, e assim foi conduzida a se desviar do caminho que estavam indo, e assim a jumenta que carregava Balaão foi levada a um beco, um caminho estreito, e o pé de Balaão foi pressionado contra a parede, e Balaão(Bilam) a espancava. Nm 22.23-25 - Viu, pois, a jumenta o Anjo do SENHOR parado no caminho, com a sua espada desembainhada na mão; pelo que se desviou a jumenta do caminho, indo pelo campo; então, Balaão espancou a jumenta para fazê-la tornar ao caminho. 24 Mas o Anjo do SENHOR pôs-se numa vereda entre as vinhas, havendo muro de um e outro lado. 25 Vendo, pois, a jumenta o Anjo do SENHOR, coseu-se contra o muro e comprimiu contra este o pé de Balaão; por isso, tornou a espancá-la. E assim o Anjo do Senhor os conduziam a um lugar estreito. Nm 22.26 - Então, o Anjo do SENHOR passou mais adiante e pôs-se num lugar estreito, onde não havia caminho para se desviar nem para a direita, nem para a esquerda. Nisto, a jumenta fala com Balaão: Nm 22.30 - Replicou a jumenta a Balaão: Porventura, não sou a tua jumenta, em que toda a tua vida cavalgaste até hoje? Acaso, tem sido o meu costume fazer assim contigo? Ele respondeu: Não. Os olhos de Balaão são abertos para que ele visse o Anjo que a jumenta estava vendo , o Anjo lhe diz que o caminho no qual Balaão estava era perverso. Nm 22.31,32 - Então, o SENHOR abriu os olhos a Balaão, ele viu o Anjo do SENHOR, que estava no caminho, com a sua espada desembainhada na mão; pelo que inclinou a cabeça e prostrou-se com o rosto em terra. 32 Então, o Anjo do SENHOR lhe disse: Por que já três vezes espancaste a jumenta? Eis que eu saí como teu adversário, porque o teu caminho é perverso diante de mim. Pois bem, temos aqui resumidamente esta parte da história de Bilam(Balaão), o qual é relatado por Kefas (Pedro) como aquele que amou o prêmio da injustiça, e sendo assim todos os que caminham no caminho de Balaão se tornam amantes do prêmio da injustiça. 2 Pe 2.12 -15 - Esses, todavia, como brutos irracionais, naturalmente feitos para presa e destruição, falando mal daquilo em que são ignorantes, na sua destruição também hão de ser destruídos, 13 recebendo injustiça por salário da injustiça que praticam. Considerando como prazer a sua luxúria carnal em pleno dia, quais nódoas e deformidades, eles se regalam nas suas próprias mistificações, enquanto banqueteiam junto convosco; 14 tendo os olhos cheios de adultério e insaciáveis no pecado, engodando almas inconstantes, tendo coração exercitado na avareza, filhos malditos; 15 abandonando o reto caminho, se extraviaram, seguindo pelo caminho de Balaão, filho de Beor, que amou o prêmio da injustiça


5

Neste episódio de Bilam (Balaão) , podemos ver que Balaão estava andando pelo seu próprio caminho , o caminho do seu desejo, assim tentando distorcer as palavras do Eterno em prol de obter um resultado satisfatório para si mesmo.E lembremos que o Anjo diz que o caminho de Balaão era perverso, mas a palavra usada no hebraico é “‫ ירט‬yarat” , cujo significado é “ precipitado”, ou seja, o caminho de Bilam(Balaão) foi precipitado, ele se precipitou no seu desejo. E nisto precisamos ter cuidado para que o nosso desejo não nos incite a nos precipitarmos no caminho, ou seja, antecipar o tempo, pois quando nos precipitamos caímos no erro de fazer segundo a nossa própria vontade.A própria antecipação de algo já indica que o nosso desejo está falando mais alto do que a vontade do Eterno. Bem, observemos que o caminho pelo qual Balaão estava indo era um caminho largo, mas quando o Anjo aparece, a jumenta é conduzida a um lugar estreito, vejo isto como se o Anjo estivesse comunicando a Balaão : “ volte para o caminho estreito, e saia do caminho espaçoso do seu desejo corrompido” . Lógico, que nem todo desejo é ruim, não é isso que estamos tratando aqui, porém se trata de um desejo ilícito que pode nos corromper com relação ao caminho correto, um desejo que não está de acordo com o Eterno e sua Torah, tal qual foi com Balaão. 3.1 A jumenta entra no caminho estreito – a vida para de fluir segundo o nosso desejo ilícito _____________________________________________________________________________________ Outro ponto interessante para observarmos , é que “jumenta ” em hebraico é “‫’ אתון‬aton” , a qual procede da raiz “‫’ אתן‬etan” , que significa “ contínuo, que flui, perpétuo, constante” .Portanto, a jumenta pode trazer a analogia do “caminhar da vida” de Balaão, pois a jumenta carregava Balaão, e neste ponto de vista, o caminhar da vida de Balaão era constante, fluía bem, mas quando Balaão percebeu que a sua vida estava entrando em um caminho estreito, a ponto de comprimir o seu pé, e pé ,como sabemos, também fala do “caminhar da vida”, ou seja, o caminho de Balaão estava sendo comprimido, a sua vida(jumenta) já não estava fluindo muito bem, já não estava de acordo com o seu desejo. E assim , muitas vezes , nós agimos como Balaão, isto é, quando a nossa vida encontra algum obstáculo , ou melhor, quando o Eterno põe a nossa frente o Anjo para nos trazer de volta ao caminho estreito , nós começamos a espancar a nossa vida, nossa mente e alma, começamos a dizer “ vai, andar!!” e nos agredimos de alguma forma. Quando nossa vida não começa a fluir mais segundo nossos desejos, e o nosso pé começa a ser comprimido, temos a tendência de nos espancarmos, porém não é isso que o Eterno deseja, pois vejamos que o Anjo não aprova o espancamento da jumenta, e até mesmo a jumenta diz “ por que me espanca? “ Nm 22.32 -34- Então, o Anjo do SENHOR lhe disse: Por que já três vezes espancaste a jumenta? Eis que eu saí como teu adversário, porque o teu caminho é perverso diante de mim; 33 a jumenta me viu e já três vezes se desviou de diante de mim; na verdade, eu, agora, te haveria matado e a ela deixaria com vida. 34 Então, Balaão disse ao Anjo do SENHOR: Pequei, porque não soube que estavas neste caminho para te opores a mim; agora, se parece mal aos teus olhos, voltarei. Aqui, percebemos que a jumenta tinha visto o Anjo na frente dela, e por isso deu sinais para Balaão, e por isso se desviou três vezes, e nisto entendo que a nossa vida assim como a jumenta nos dará sinais de que o Anjo está na frente , e que é momento de mudar o caminho.E lembremos que o número três fala de uma mudança de estado, portanto, três vezes a jumenta se desviou indicando uma mudança de caminho. Balaão declara que pecou, e pecar é se desviar do caminho, ou seja, Balaão se desviou do caminho do Eterno, porque não soube , não percebeu, não viu que o Anjo estava no caminho, mas quando soube,


6 voltou.Então, as vezes não veremos , mas a nossa vida nos conduzirá a um caminho estreito , nos indicando que é momento de voltar ao caminho estreito do Eterno e deixar o caminho dos nossos desejos. Entendo que o que aconteceu com Balaão pode nos instruir para não agirmos como ele e assim evitarmos alguns transtornos no caminho, porém, a mensagem que nos fica é que o Eterno está a nossa frente para nos trazer de volta ao caminho estreito.Portanto, estejamos atentos, e não sejamos como Balaão que não conheceu que o Anjo estava no caminho , impedindo que ele continuasse no caminho segundo o seu desejo, e na precipitação do seu coração. 3. A Nuvem e a coluna de fogo conduz no Caminho _____________________________________________________________________________________ O Eterno conduz nossos pais no caminho usando uma nuvem de dia e uma coluna de fogo à noite, e assim o Eterno nos conduz hoje. O Povo sabia quando deveria parar e quando deveria avançar, mas mesmo assim teve ações de infidelidade, e desejava os seus próprios caminhos. Vejamos a seguir as referências na Torah que nos mostram o agir do Eterno por meio da Nuvem e da coluna de fogo. Ex 13.21,22 - O SENHOR ia adiante deles, durante o dia, numa coluna de nuvem, para os guiar pelo caminho; durante a noite, numa coluna de fogo, para os alumiar, a fim de que caminhassem de dia e de noite. 22 Nunca se apartou do povo a coluna de nuvem durante o dia, nem a coluna de fogo durante a noite. Nm 9.15-17 - No dia em que foi erigido o tabernáculo, a nuvem o cobriu, a saber, a tenda do Testemunho; e, à tarde, estava sobre o tabernáculo uma aparência de fogo até à manhã. 16 Assim era de contínuo: a nuvem o cobria, e, de noite, havia aparência de fogo. 17 Quando a nuvem se erguia de sobre a tenda, os filhos de Israel se punham em marcha; e, no lugar onde a nuvem parava, aí os filhos de Israel se acampavam. Nm 10.34 - A nuvem do SENHOR pairava sobre eles de dia, quando partiam do arraial. Nm 14.13,14 - Respondeu Moisés ao SENHOR: Os egípcios não somente ouviram que, com a tua força, fizeste subir este povo do meio deles, 14 mas também o disseram aos moradores desta terra; ouviram que tu, ó SENHOR, estás no meio deste povo, que face a face, ó SENHOR, lhes apareces, tua nuvem está sobre eles, e vais adiante deles numa coluna de nuvem, de dia, e, numa coluna de fogo, de noite. Bom, podemos entender que a Nuvem e a Coluna de Fogo estão relacionadas a direção, tempo e proteção, e isto, porque a Nuvem protegia do calor do dia e a coluna de fogo protegia do frio da noite no deserto, e ainda conduzia o povo na direção certa e no tempo certo. Também podemos associar estes elementos Nuvem e Fogo , com a Palavra e a Torah do Eterno, pois os mandamentos do Eterno são para vida (Lv 18.5), para proteção e direção, ou seja, protegem do calor escaldante do Sol, nos protegem de um trabalho realizado fora do Eterno, sem cobertura, e ilumina o nosso caminho nos livrando dos tropeços , quando assim estamos em obediência.Vejamos: -A Torah(Palavra do Eterno) é luz para o caminho Sal 119:105 Lâmpada para os meus pés é a tua palavra e, luz para os meus caminhos. Assim como a coluna de Fogo à noite, a Torah, a Instrução e a Palavra do Eterno nos ilumina quando tudo parece estar escuro e frio, sem luz alguma .


7

-A Torah(Palavra do Eterno) livra do tropeço no caminho Sal 119:165 Grande paz têm os que amam a tua lei; para eles não há tropeço. E como a Nuvem durante o Dia, assim a Torah do Eterno nos livra dos tropeços quando achamos que tudo está muito claro e direcionado, e confiantes demais abaixamos a nossa guarda, como no dia ensolarado que tudo parece estar bem , e o adversário já parece estar vencido, o Eterno por meio de Sua Torah nos livra da queda , quando assim a observamos. - A Torah(Palavra do Eterno) é escudo Sal 119:114 Tu és o meu refúgio e o meu escudo; na tua palavra, eu espero. -A Torah(Palavra do Eterno) é sustento e proteção no caminho Lv 23.3-7 - Se andardes nos meus estatutos, guardardes os meus mandamentos e os cumprirdes, 4 então, eu vos darei as vossas chuvas a seu tempo; e a terra dará a sua messe, e a árvore do campo, o seu fruto. 5 A debulha se estenderá até à vindima, e a vindima, até à sementeira; comereis o vosso pão a fartar e habitareis seguros na vossa terra. 6 Estabelecerei paz na terra; deitar-vos-eis, e não haverá quem vos espante; farei cessar os animais nocivos da terra, e pela vossa terra não passará espada. 7 Perseguireis os vossos inimigos, e cairão à espada diante de vós. Mas sempre lembrando que Yeshua é a Torah, e que não podem ser separados. A Torah do Eterno nos mostra quando temos que parar e quando temos que avançar, e isto no âmbito moral, ético, relacional, enfim, em todos os aspectos da vida humana.No entanto, creio que há questões mais específicas como fazer ou não uma viagem, mudar ou não de cidade, algumas situações que além do Eterno nos direcionar na Torah, e nas Suas Escrituras, também produz a sua vontade em nosso íntimo, e nisto creio que é importante termos em mente que quando a Nuvem parava o povo tinha que parar, e quando se movia deveria se mover também, e isto nos mostra que precisava haver observação e atenção, ou seja, dever-se-ia estar atendo e observando para ver se a nuvem se moveu ou não.Entendo, com isso, que precisamos também estar atentos a sinais do Eterno em nossas vidas diárias, atentos a Sua voz no nosso interior e creio que isto é algo pessoal, onde cada um deve compreender a maneira que o Eterno sinaliza para si algumas situações. Mas podemos perceber que o tempo todo o Eterno estava conduzindo o Povo no caminho, porém , alguns insistiam em querer a sua direção.Enquanto o Eterno estava direcionando, alguns queriam voltar ao Egito para saciar os seus desejos, suas necessidades de comida. Nm 11.4 - E o populacho que estava no meio deles veio a ter grande desejo das comidas dos egípcios; pelo que os filhos de Israel tornaram a chorar e também disseram: Quem nos dará carne a comer? 5 Lembramo-nos dos peixes que, no Egito, comíamos de graça; dos pepinos, dos melões, dos alhos silvestres, das cebolas e dos alhos. 6 Agora, porém, seca-se a nossa alma, e nenhuma coisa vemos senão este maná. Dt 1.32,33 - Mas nem por isso foram fiéis no SENHOR, vosso Elohim, 33 que foi adiante de vós por todo o caminho, para vos procurar o lugar onde deveríeis acampar; de noite, no fogo, para vos mostrar o caminho por onde havíeis de andar, e, de dia, na nuvem.


8 Assim, o Eterno o tempo está nos conduzindo, mas às vezes , não conseguimos perceber , e queremos seguir a nossa direção, não sendo fiel ao Eterno.E um ponto que precisamos entender, é que o problema não é a dúvida, mas sim a infidelidade, ou seja, eu posso duvidar , não acreditar totalmente, mas mesmo assim posso ser fiel e continuar me movendo, e da mesma forma que posso acreditar, não duvidar, e mesmo assim não me mover e ser fiel a direção que o Eterno está dando. Mas o que fica para nós é: estar na direção e no tempo do Eterno nos promove proteção, e para isto precisamos estar na Torah, observar os seus mandamentos, estarmos atentos e não desviar o olhar com as distrações que aparecem a volta ou com a necessidade que surge em nosso interior. Hb 12.1,2 - Portanto, também nós, visto que temos a rodear-nos tão grande nuvem de testemunhas, desembaraçando-nos de todo peso e da transgressão da Torah que tenazmente nos assedia, corramos, com perseverança, a carreira que nos está proposta, 2 olhando firmemente para o Autor e Consumador da fé, Yeshua, o qual, em troca da alegria que lhe estava proposta, suportou a cruz, não fazendo caso da ignomínia, e está assentado à destra do trono de Elohim. Assim olhamos firmemente para Yeshua, o qual é a Torah Viva , e que nos representa a Nuvem e a Coluna de Fogo no deserto , como um corredor que está em um estádio e que não se distrai com a multidão gritando na arquibancada, mas permanece olhando firme para a chegada. 4. Consideração final _____________________________________________________________________________________ Que possamos aprender a observar a direção do Eterno na sua Torah em Yeshua e não seguir no nosso próprio caminho como Balaão e alguns no deserto.Que os nossos desejos não nos façam desviar para o caminha da infidelidade.Que percebamos o Eterno nos direcionando, e não nos façamos como confusos, como aquele que tem a mente dividida em dois caminhos e dois pensamentos. Que o Eterno em Yeshua nos ajude a permanecermos no Seu Caminho, e que assim também nos tornemos caminhos (em Yeshua) para outros.E lembrando que o Caminho também é Yeshua no Eterno, portanto, A nuvem e a coluna de Fogo representando a Torah nos instrui como caminharmos no Messias Yeshua. Que ao nos depararmos com situações adversas, não procuremos caminhos alternativos, como um dia fez Shaul.Ao acharmos que não há resposta do Eterno, não procuremos direções segundo o nosso medo. 1 Sm 28.5- 8 - Vendo Saul o acampamento dos filisteus, foi tomado de medo, e muito se estremeceu o seu coração. 6 Consultou Saul ao SENHOR, porém o SENHOR não lhe respondeu, nem por sonhos, nem por Urim, nem por profetas. 7 Então, disse Saul aos seus servos: Apontai-me uma mulher que seja médium, para que me encontre com ela e a consulte. Disseram-lhe os seus servos: Há uma mulher em En-Dor que é médium.8 Saul disfarçou-se, vestiu outras roupas e se foi, e com ele, dois homens, e, de noite, chegaram à mulher; e lhe disse: Peço-te que me adivinhes pela necromancia e me faças subir aquele que eu te disser.

Shalom Carlo Coléct www.centroteshuva.blogspot.com


MEU CAMINHO NÃO É O VOSSO CAMINHO - DIZ O ETERNO