Page 1

Nº8 - ANO 2 - 01/2013

Dona Annita

Calorosa recepção na Benedito César

S

em dúvidas foi a mais importante presença na festa de abertura da regata, realizada no primeiro final de semana de dezembro de 2012. Família símbolo de tradição e amor à vela. O Gaivotas bateu um papo com Norma Berti, Diva Fontes e Elma Petribú, as filhas de Benedito César, que estiveram presentes na cerimônia de hasteamento das bandeiras. “Meu marido foi um dos primeiros competidores da regata. Eu o conheci aqui”, comentou Diva, que também já correu em algumas competições. “Fico maravilhada com o que o Cabanga Iate Clube de Pernambuco está fazendo pois, desde o primeiro ano da regata, o meu pai organizava em sua casa o jantar e café da manhã aos participantes. Depois de sua morte, o clube deu continuidade a esta tradição e eu agradeço por isso”, disse Norma. O jantar foi servido na casa branca, com portas e janelas azuis, localizada na principal praça de Pontas de Pedra, e que acolhia os participantes para a confraternização oficial. Lá, todos puderam contemplar a ilustre presença da anfitriã, esposa de Benedito César, dona da casa centenária. Durante o jantar, o comodoro homenageou Dona Annita com flores vermelhas, para simbolizar o amor dos velejadores à anfitriã dessa grandiosa festa, e com o troféu da regata. Emocionada, ela agradeceu: “nem parece que já se passaram 60 anos”. Norma Berti, Diva Fontes e Elma Petribú

Abertura oficial da Regata

N

o início da noite de sábado (08), na praia, todos esperavam pela cerimônia de hasteamento das bandeiras e o jantar que oficializou a abertura da regata. O Comodoro do Cabanga Carlos Henrique Dantas agradeceu a presença de todos e em especial, à Norma Berti, Diva Fontes e Elma Petribú, filhas de Benedito César. A caçula, Elma, concedeu algumas palavras antes da cerimônia. Claudio Cardoso, ex-comodoro do clube, Norma e o Capitão dos Portos, Ricardo Padilha, levantaram as bandeiras Nacional, de Pernambuco e do Cabanga. Nesse momento, mão ao peito em respeito ao Hino Nacional Brasileiro. Ao fim do hasteamento, o colorido de lindos fogos de artifício iluminaram o céu, ao som, agora, do Hino Oficial da Marinha Brasileira. O Capitão dos Portos de Pernambuco, em conversa com o Gaivotas, enfatizou a importância de se conservar uma tradição, referindo-se a essa tão importante regata. Comentou a questão da segurança proporcionada pela inspeção naval, que acompanhou a regata do começo ao fim e elogiou a “consciência de segurança” por parte dos velejadores. “O Cabanga é um Iate Clube excepcional, pela qualidade das regatas que proporciona e toda organização da Cerimônia de hasteamento das bandeiras parte técnica”, completou.

Veja ainda

Personagem náutico

Final de Ano

Você conhece Bacs e o seu Yakare?

Cabanga encerra 2012 com Réveillon de sucesso


REGATA

Benedito César encerra calendário da Vela em Pernambuco Nordeste, o Cabanga foi o clube da região”, comentou Edival Júnior, instrutor de vela. Essa tão importante regata veio comprovar mais uma vez, o quanto os esportes de vela estão crescendo em Pernambuco. A Benedito César, há uns cinco anos, contava com aproximadamente 20 barcos participanParticipantes da Benedito César em ação tes. Nessa última edição, tivemos 62 barcos inscritos, o que excedeu as expectativas. or volta do meio dia, no sábado, 8 Outro fator interessante diz respeito à de dezembro, qualquer olhar atenmaior participação da classe Optimist, to ao horizonte conseguiria divique contou com 12 participantes recém sar as velas dos primeiros barcos chesaídos da escolinha de vela e, encarando o gando à praia de Pontas de Pedra. Orgadesafio, realizaram pela primeira vez nizada pelo Cabanga, a 60ª edição da reuma regata de travessia. Eles não degata Benedito César - a segunda mais anmonstraram qualquer nervosismo e se tiga do País - foi o fechamento de cinco sentem felizes por competir junto aos grandes organizações de eventos náutigrandes: “Eu só estou preocupado com a cos realizados pelo clube. A saber: os chuva. Li no jornal”, disse Pedro Kelner, Norte/Nordeste de Hobie Cat 16, Laser, 9 anos, ao Gaivotas. Optmist, Snipe e a Refeno. “A nível de

P

Os resultados

N

a manhã de domingo, os velejadores estavam a postos e alguns já prontos para largar. Os competidores partiram rumo às linhas de chegada em Itamaracá (Kitesurf), Maria Farinha (Dingue, Day Sailer e Snipe) e Marco Zero (Oceano, Windsurf e Hobie Cat 16), com ven- Noite de premiações tos inicialmente fracos. O Fita Azul foi Eliseu o Placebo; o segundo lugar, de José MaVieira, na classe Windsurf, após 1h36 de ria Gomes e Jairo dos Santos, com o Pécompetição, conquistando o título pela 7ª rola Negra, e o terceiro lugar, de Alexanvez. O segundo lugar foi de outro Winddre Mercanti e Eduardo Wanderley, com surf, comandado por Luciano Barreto. Na o Energia. categoria Hobie Cat 16, a vitória foi do No Day Sailer, os três primeiros campeão Ricardo Dubeux, com Marina lugares foram: Quickbird, de José BuarCavalcanti. Em segundo na classe, chegou que e Roberto Liberal; Odisseu, de Antôa dupla Daniel Melo e André Almeida. nio Antunes e Severino Morais; e FragaNo Oceano, em primeiro lugar ficou o veta, de Paulo Francisco Rocha Filho e Caleiro JuCat, de Luiz Guilherme Crispim. cilda de Oliveira. Em Maria Farinha, o primeiro Em Itamaracá, dentre os sete lugar do Snipe foi Ted e Rafael Monteiro, concorrentes, Eduardo Fernandes, do em segundo, Daniel Dantas e Fabiola CaKitesurf, conquistou o primeiro lugar. valcanti, e, por último, Ítalo Silva e Maria “Os ventos estavam perfeitos. Esta foi Salazar. Na Dingue, o primeiro lugar foi minha primeira vez na regata e pretendo de Clóvis Holanda e Jorge Fabrício, com vir nos próximos anos”, comentou. 02 | Janeiro de 2013

Cada Classe, um mundo A visão da Regata pelos velejadores: Josué Monte (Day Sailer, 1º lugar) - “É minha quinta vez na regata e ela está na minha agenda anual. O mais marcante é a confraternização com D. Nita e seus familiares. Parabéns aos anfitriões”. Ricardo Dubeux (Hobie Cat 16, 1º lugar) - “Muito bom comandar meu Hobie Cat 16, ao lado da estreante proeira, Marina Cavalcanti e vencer uma regata depois de tanto tempo. Não bastasse isso, ainda bati meu recorde da época que velejava de Hobie Cat 16, na década de 70 e 80!”. Clóvis Holanda (Dingue, 1º lugar) “Foi minha quinta participação, sendo a quarta na Dingue. A regata foi tranquila pelas condições do mar e vento. A velejada foi um prazer e o barco andou bem. A cor do mar entre Ponta de Pedras e Catuama é outro espetáculo: um tom de verde muito bonito”. Álvaro Fontes (Oceano, 3º lugar - Trimarã e 1º lugar - MOCRA) - “A festa de abertura estava linda e, acima de tudo, os marinheiros fizeram um ótimo trabalho. O Cabanga está de parabéns!” Eliseu Vieira (Windsurf, 1º lugar geral) “De início, os ventos estavam fracos e não acreditávamos muito, depois ficaram perfeitos e não paramos mais” Italo Fernando (Snipe, 3º lugar) - “A regata foi tranquila e gostosa. Todos os anos eu faço questão de vir, pois é uma reunião das classes, onde todos se confraternizam ao final do calendário pernambucano de vela”. Patrícia (Capitã de flotilha do Optimist) - “A Regata foi ótima, a maioria nunca havia participado. Foi uma grande experiência pois alguns haviam acabado de sair da escolinha. Para Ludmila, minha filha, foi surpresa e tanto termos conquistado o 1º primeiro lugar”. Ricardo Almeida (Microtoner 19, sem classificação) - “Fiz a regata com minha esposa e filhas. Tentamos repassar para as meninas o outro mundo fora da TV, videogame e internet. Essa foi a 4ª vez que fui com elas. Em Itamaracá vimos tartarugas no caminho, foi uma festa”. Pedro Cavalcanti Silva (Kitesurf, 1º lugar) - “Desejávamos competir com Windsurf mas, por falta de estrutura, largamos muito depois. Com os ventos fracos, usamos Kites bem grandes. Durante a regata curtimos o lindo visual de Catuama e Itamaracá”.


RÁPIDAS

Marinha do Brasil

Classificados

Com a palavra, o Capitão. Assessoria de Comunicação - Capitania dos Portos/PE

Na Operação Verão 2012/2013, você é o Capitão! Orientar e Educar, e, eu poderia acrescentar: “conscientizar”. Muitos me perguntam o que consideramos certo ou errado, mas se puxarmos de dentro de nossa consciência, tenho certeza que o bom senso sempre prevalecerá. Questões como a ingestão de álcool e a “velocidade de segurança” com que se deve conduzir uma embarcação são temas recorrentes e importantes. No caso da ingestão de bebidas alcoólicas, a capitania dos portos está aplicando multas bem mais elevadas, além de apreender as embarcações de quem estiver nessa situação. ​Já a “velocidade de segurança” é determinada pelas circunstâncias reinantes no instante em que se conduz a embarcação. Isso implica na capacidade de avistamento por parte do condutor, nas condições presentes de ondas, correntes e ventos, na rapidez com que a embarcação pode guinar, em quantas e de quais tipos de embarcações estão nas proximidades, e, finalmente, na presença de perigos à navegação, como pedras e altos fundos. O condutor também deve estar consciente dos efeitos da esteira de sua embarcação e, assim, assumir a velocidade adequada. Afinal, essa esteira poderá danificar barcos, píeres, trapiches, linhas de costa, bem como, apresentar risco para banhistas, mergulhadores e pessoas

em embarcações miúdas, que podem até emborcar. Sua ajuda, portanto, é fundamental para que a Marinha e todos os seus colaboradores possam conter os que fazem mau uso de nossas praias, rios e mangues. Para denunciar basta utilizar algum dos seguintes canais: - http://operacaoverao.com/denuncie - F.: (81) 3424-7111 (Disque-Denúncia) - ouvidoria@cppe.mar.mil.br. Por meio deste e-mail recebemos também fotografias ou filmagens, onde apareçam o número de inscrição ou o nome da embarcação. Parabéns a todos que navegaram com prudência em 2012! Que em 2013 possamos incrementar e disseminar ainda mais as boas práticas da navegação segura e, assim, evitar a ocorrência de acidentes náuticos! Por fim, agradeço a colaboração de todos que durante todo o meu comando apoiaram nossas campanhas e estiveram presentes em nossos eventos. A partir do próximo número desta revista já terei passado o Comando da Capitania para o Capitão-de-Mar-eGuerra Cláudio Grilli. A todos desejo boa sorte, bons ventos e mares tranquilos! Capitão-de-Mar-e-Guerra Ricardo Pinheiro Padilha

Sucesso na primeira edição do Réveillon Solare lounge, platinum e gold, todos com serviço open bar. A contagem regressiva foi feita com animação, fogos e um público prá lá de bonito e tudo saiu na mais perfeita sintonia. Vale salientar que o sócio do Cabanga tem a oportunidade única de ter uma festa exclusiva dentro da sua casa, com tranquilidade e segurança. O clube possui excelente estrutura, além de ter um dos mais belos cenários do Recife. A importância desse tipo de evento não é só por sua relevância, mas pela divulgação do clube nas mídias. Com isso, o número de sócios só faz aumentar e o Cabanga voltou a ser um dos lugares mais charmosos e frequentados pela sociedade pernambucana.

Banda Garota Safada

O

Cabanga Iate Clube de Pernambuco se preparou em alto estilo no dia 31 de dezembro para receber a primeira edição do Réveillon Solare, com as bandas Garota Safada, Biquíni Cavadão, Faringes da Paixão e o cantor Gabriel Diniz. O espaço foi dividido em

U

m novo espaço vai estar disponível nas próximas edições do Gaivotas OnLine. Trata-se dos Classificados, onde os sócios poderão anunciar a venda de embarcações, peças, etc. Os anúncios deverão ser enviados para o email: secretaria@ cabanga.com.br

Missa de Natal

N

a sexta-feira, 21 de dezembro, a família Cabanga pode contemplar a Missa de Natal. O Frei Nunes presenteou os associados com uma linda missa, acompanhado por um humor descontraído e, ao mesmo tempo, devoto ao espírito natalino. Músicas como “Noite Feliz” estiveram presente no repertório da celebração. Também foi prestada uma homenagem aos 100 anos de Luiz Gonzaga, na qual o público cantou, em coro, suas canções. Ao final, os agradecimentos ficaram por conta do conselheiro do Cabanga, Luciano Aguiar.

Janeiro de importantes disputas

O

mês de janeiro será de muita adrenalina para os velejadores de Optimist e Snipe. Os atletas dessas duas classes tem pela frente uma importante disputa nacional: O Campeonato Brasileiro. Em São Paulo acontece a classe base da Vela (Optimist) e o Snipe será no Rio de Janeiro/RJ. Vale salientar que a preparação para a competição está afiada e os representantes estaduais possuem ótimas chances de pódio. Bons ventos a todos!

Carnaval 2013!

J

á está marcada para a segundafeira de Carnaval, dia 11, a tradicional Manhã de Sol do Cabanga, a ser realizada na subsede do clube em Maria Farinha. Informações, fone: (81) 3428-4277. Janeiro de 2013 | 03


PERSONAGEM

Quem não conhece BACS?

Carlos Marrocos, ou melhor, Bacs

arlos Marrocos, um artista plástico especialista em computação gráfica, mas, acima de tudo um amante do mar. É uma pessoa que se dá bem em todas as praias. Para ele não existe a turma da pesca, ou de lancheiros, ou de velejadores. O Gaivotas Online foi até ele para entender melhor esta maneira de viver.

C

na casa dele com direito a carro passeando nos USA. Dai, fui para a Inglaterra, me separando do meu amigo Salvi. E Londres mostrou-se o melhor local para um artista viver. Era só ficar sentado na rua pintando e aparecia gente pra comprar. Mais dois meses na França, depois Portugal e finalmente Brasil.

Gaivotas OnLine - Além de velejador o que você faz na vida? Bacs - Comecei como técnico mecânico ao vir de Triunfo/PE para estudar no Recife. Fui bolsista de Física Nuclear. Depois fiz licenciatura de Química. Mas não era o que queria, e ai comecei Engenharia Elétrica. Fui até o oitavo período. Depois fiz Design e estou nisto até hoje.

Gaivotas OnLine - Como é que você começou a velejar? Bacs - Quando fazia a Escola Técnica conheci o Salvi, que era de uma família de velejadores. Eu desenhava bem e comecei a ensinar a sua mãe a desenhar e um dia ela pediu para Salvi que me levasse para conhecer o barco que eles velejavam. Foi paixão a primeira vista.

Gaivotas OnLine - Como foi a sua ida de veleiro ao Caribe? Bacs - Um inglês que precisava sair devido ao visto e começou a procurar tripulantes. Eu e meu amigo Marco Antônio Salvi decidimos integrar a tripulação com rumo ao Caribe. Sai sem avisar a ninguém da família e foram 22 dias comendo batata e cebola: a única comida que o casal fazia. O que nos salvava eram as bolachas.

Gaivotas OnLine - De onde vem este apelido Bacs? Bacs - Logo após o filme Tubarão fizeram uma sátira no Bra-sil com o nome Bacalhau. O ator principal era a minha cara e bastou um gaiato me chamar de Bacalhau para o apelido pe-gar. Pouco tempo depois eu comprei o meu primeiro barco, e ia colocar o nome Bacalhau mas, como era muito extenso, abreviei para Bacs. Era o barco sair e todos falavam: “lá vai Bacs”. Dai pra frente ficou como marca registrada e até a minha família me chama assim.

Gaivotas OnLine - Ficaram por lá muito tempo? Bacs - Foram três meses. De lá seguimos para o México onde meus desenhos e pinturas ficaram tão famosos que comprei uma jaqueta de couro, estilo Búfalo Bill, e vendia os quadros a amigos na Embaixada. Acabei recebendo um titulo de Diplomata Brasileiro! Depois, fomos a Houston, a convite do amigo da Embaixada para ficar

Gaivotas OnLine - Fala um pouco do Yakare Bacs - O Yakare é o verdadeiro Facebook do mar. É o melhor meio de fazer amigos. Anualmente eu faço um up grade dele na preparação para a REFENO, que já participei mais de 20 vezes. Começamos com a

mastreação, depois os motores, o leme, a cozinha e a cada ano foco em mais alguma coisa. Gaivotas OnLine - Porque falam que você tem a maior tripulação mundial? Bacs - A cada Refeno eu convido uns 12 tripulantes, e revezo a metade no ano seguinte. Assim, a tripulação vai mudando. O mais interessante é que todos sempre querem dar alguma coisa para o Yakare e assim o barco vai ficando a cada dia melhor. Todos ajudam, seja na pintura ou na navegação e, participando, ninguém se sente excluído. Gaivotas OnLine - Qual o caso mais engraçado que aconteceu com o Yakare? Bacs - Ao tentar sair para uma das REFENOS, após modificar o leme sem testar, acabei batendo três vezes no muro da darsena do clube ao invés de sair pela barra. Por sorte, na terceira vez alguém gritou que o leme estava invertido. Não fosse isso era provável termos passado por cima do muro. Gaivotas OnLine - Você nunca se desentendeu com ninguém? Bacs - Eu acho que a vida é muito curta e não estou interessado em mudar as pessoas. Se notar que o cara vai começar a criar problema eu saio de lado e deixo pra lá. Não vai ser discutindo que vou ser mais feliz. Esta é minha filosofia de vida.

Férias animadas no Cabanga

F

oi dada a partida da Colônia de Férias do Cabanga Iate Clube de Pernambuco! Uma turma pra lá de animada, a fim de aprender a prática da Vela, movimenta o clube de 07 a 13 de janeiro. Na abertura da 3ª edição das “Férias Velejando” o Comodoro Carlos Henrique Dantas deu as boas vindas aos participantes e, a partir daí, a garotada já deu início ao aprendizado dos segredos da Vela. Essa turminha animada vai ter aulas de noções básicas de Vela, montagem geral do barco, nós de marinheiro, prática na água velejando, e outras atividades. CABANGA IATE CLUBE Av. Engenheiro José Estelita FONE: (81)3428.4277 São José Recife/PE,50090-040 www.cabanga.com.br

04 | Janeiro de 2013

EXPEDIENTE EDITOR EXECUTIVO Marcos Medeiros

JORNALISTAS: Danyelle Amorim Tatiane Cybelle Góes

ESTAGIÁRIOS: Deborah Viégas Felipe Cabral

Informativo do Cabanga Iate Clube de Pernambuco - Gaivotas OnLine nº 08 - Jan/2012  

Informativo do Cabanga Iate Clube de Pernambuco - Gaivotas OnLine nº 08 - Jan/2012

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you