Page 1

Tabela matriz Situação da Biblioteca Escolar Conhecimento na área Domínio

Competências do professor bibliotecário

Biblioteca escolar

Aspectos críticos que a Literatura identifica

Pontos fortes

- Capacidade de antecipação e de alterar práticas e modelos de trabalho;

- Conhecimento da biblioteca em que trabalho há vinte anos, construída em conjunto com alguns colegas de boa vontade e muita imaginação;

- Ser prospectivo, estar atento e ter uma postura de investigação e de aprendizagem contínua - Estabelecimento de relação estreita com o professor na planificação e avaliação do trabalho a desenvolver na sala de aula; - Disponibilidade para se assumir como um ouvinte atento, um “conselheiro” técnico e um recurso, também para a família, outros profissionais aliados e trabalhadores voluntários; - Capacidade de se relacionar com todos os agentes do processo educativo e definir estratégias de actuação conjuntas; - Ligação com a direcção da escola para planeamento e definição de objectivos no

- Conhecimento bastante razoável da comunidade escolar (27 anos) e boa integração na mesma, decorrente da participação, desde sempre, nos órgãos da escola; - Boa relação com os professores e outros agentes do processo educativo, dento e fora da escola; - Prática de planificação de tarefas conjuntas com outros professores e serviços de apoio

Fraquezas

- Necessidade URGENTE de formação em muito do que respeita aos ambientes digitais; - Algumas lacunas na área do tratamento técnico; - Dificuldades de gestão do trabalho de equipa devido ao reduzido tempo atribuído aos professores; - Excessivo dispêndio de horas nas tarefas de atendimento dado o retrocesso no horário de abertura da BE (fecha à hora de almoço)

Oportunidades

- Novo estatuto do professor bibliotecário; - Participação no Conselho Pedagógico (CP)como meio de aceder de forma mais directa quer à comunicação com a comunidade, quer à planificação de actividades conjuntas; - Apoio disponível na escola, nomeadamente no que respeita ao Moodle; - Apoio incondicional, desde sempre da equipa da Biblioteca Municipal;

Ameaças

- Alguma incompreensão das competências do professor bibliotecário por parte da DE; - Número excessivo de reuniões de CP, por falta de planeamento da escola, e integração da professora bibliotecária na Comissão de Coordenação da Avaliação do Desempenho (CCAD) que tem as implicações que todos conhecemos; - Fraca eficácia do diálogo com a Direcção Executiva (DE) que “não atrapalha” mas também não ajuda;

Desafios. Acções a implementar - Elaborar o Plano de Acção (4 anos) e apresentá-lo para validação à comunidade escolar; - Desenvolver o plano de actividades no sentido de criar pontes de comunicação fortes com os professores e a comunidade; - Desenvolver esforços no sentido de conhecer bem e antecipar necessidades da comunidade escolar; - Avaliar para desenvolver; - - Criação da Rede de Bibliotecas do Seixal que, como entidade e através do seu portal, nos trará capacidade de negociação, gestão e trabalho cooperativo;


Conhecimento na área Domínio

Aspectos críticos que a Literatura identifica domínio profissional

Biblioteca escolar Pontos fortes

Fraquezas

Oportunidades

Ameaças

Desafios. Acções a implementar

- Dificuldade de integração da professora bibliotecária na equipa PTE devido a uma visão redutora das competências do programa;

Escola (BE): - Reforço da relação com a comunidade participação mais frequente em reuniões de trabalho;

educativo

- Capacidade de assumir lideranças, sendo pró-activo nas propostas a apresentar á escola e aos professores; - Ter experiência em sala de aula e em biblioteca; - Saber adequar as tarefas ao nível de motivação dos estudantes, concebendo tarefas motivadoras e desafiadoras para os estudantes para a equipa; - Saber articular as tarefas administrativas com as tarefas pedagógicas - Saber auto-avaliar-se e actualizar-se. Organização e Gestão da BE

- Necessidade de dar visibilidade à BE no contexto da escola; - Redefinição dos contextos de trabalho e de prestação de serviços; - Impacto que o paradigma digital tem na biblioteca escolar, nas práticas e na

- Inclusão da BE nos documentos orientadores da escola; - Articulação do plano de Actividades da BE com o PEE e com o PAA; - Boa colaboração da

- Dificuldades na gestão dos novos equipamentos tendo em conta o pouco tempo disponível do professor de informática e a (ainda) fraca articulação com a equipa PTE

- Novos equipamentos oriundos do PTE; - Boa preparação técnica de uma das funcionárias e actual frequência de formação, neste domínio, por ambas

- Ausência de uma planificação de

- Divulgação eficaz das actividades da BE e criação de uma


Conhecimento na área Domínio

Aspectos críticos que a Literatura identifica forma como gerimos e processamos a informação; - Gestão baseada em “evidências”, ligação com os outros agentes, actuação com base em diagnósticos decorrentes da avaliação.

Biblioteca escolar Pontos fortes

equipa de professores e funcionárias; - Experiência de avaliação iniciada no ano lectivo 2007/08 que permitiu abrir o caminho para aplicação do novo modelo de avaliação.

Fraquezas

Oportunidades

Ameaças

Desafios. Acções a implementar

- Destacamento das funcionárias para outros serviços o que inviabiliza o acesso dos utilizadores no intervalo de almoço;

- Articulação da avaliação da BE com o plano de avaliação implementado pelo Grupo de Trabalho de Avaliação Interna da Escola;

actividades com vista ao desenvolvimento das literacias, em articulação com a restante equipa PTE;

“imagem de marca” junto da comunidade;

- Ausência de um orçamento próprio que facilite e agilize a gestão dos recursos e as aquisições em tempo útil.

- Validação do domínio a avaliar pela comunidade, através do CP.

- Indefinição quanto à evolução das instalações no que se refere ao espaço em que a BE se integra.

- Reforço do trabalho com a DE; - Avaliação sistemática e divulgação dos resultados à comunidade. Rede de Bibliotecas Escolares: - Sensibilização da DE para a importância da BE e das condições necessárias para o efectivo exercício da sua missão - Reforço através da intervenção mais frequente dos Coordenadores Interconcelhios. Ministério da Educação: - Regulamentação do acesso à carreira técnica dos


Conhecimento na área Domínio

Aspectos críticos que a Literatura identifica

Biblioteca escolar Pontos fortes

Fraquezas

Oportunidades

Ameaças

Desafios. Acções a implementar funcionários das BE; - Legislação que comprometa a DE na criação de condições para o trabalho na BE.

Gestão da Colecção

- Ausência de constrangimentos de tempo e espaço e possibilidade de acesso sem qualquer mediação; - Organização da informação digital para estar pronta a usar no contexto de aula;

A BE como espaço de

- Divulgação de listas de recursos documentais ajustados à planificação de algumas disciplinas; -Diversidade dos suportes

- Criação de ambientes virtuais de aprendizagens e ligação ao currículo;

- Equilíbrio nas diferentes áreas do conhecimento;

- Diversificação e actualização da informação, em diferentes ambientes e suportes, bem como da sua adequação, em extensão e qualidade, às necessidades dos utilizadores.

- Aumento significativo do número de documentos vídeo e multimédia;

- Mudança de estratégia no

- Apoio aos

- Atraso na informatização do catálogo; - Necessidade de um desbaste profundo dada a “provecta” idade de alguns documentos; - Falta de um documento orientador sobre política de desenvolvimento da colecção.

- Página WEB da Biblioteca; - Sugestões de leitura do PNL; - Incremento das listas de difusão;

- Falta de colaboração dos professores;

- Conclusão da informatização do catálogo;

- Ausência de um orçamento específico da BE.

- Integração no catálogo colectivo da rede de bibliotecas do Seixal;

- Atitude atenta das assistentes operacionais para as necessidades dos utilizadores; - Registo de sugestões de aquisição.

- Fixação do documento sobre política de desenvolvimento da colecção e aprovação em Conselho Pedagógico; - Orientação dos utilizadores para diversificação dos suportes na pesquisa de informação.

- Levantamento de necessidades / antecipação de alguns temas de trabalho na escola. - Espaço muito

- A diversificação da

- Falta de orientação

- Dar continuidade à


Conhecimento na área Domínio

Aspectos críticos que a Literatura identifica

conhecimento e aprendizagem. Trabalho colaborativo e articulado com Departamentos e docentes.

apoio aos estudantes: desinvestir no número de sessões, na pesquisa de informação sem definição de metas; - Enfoque na construção do conhecimento através da pesquisa de informação consistente, focada no tema solicitado, pronta para ser comunicada e avaliada; - Realização do trabalho como contributo para o desenvolvimento das metas ligadas à literacia da informação;

Biblioteca escolar Pontos fortes

utilizadores no acesso aos documentos e equipamentos; - Conhecimento do fundo documental e do funcionamento dos equipamentos pelas funcionárias; - Articulação com as actividades dos outros sectores da escola, com desenvolvimento de várias parcerias internas;

Fraquezas

reduzido, tendo em conta o nº de alunos (ca 1200) e professores (ca 160) da escola e o hábito de frequência e utilização da BE - Criação de um ambiente, por vezes ruidoso, dado o nº utilizadores. - Equipa de professores com um número muito reduzido de horas.

Oportunidades

Ameaças

equipa de professores (Português, Geografia, Física e Química e Informática);

dos alunos, por parte de alguns docentes, nos trabalhos de pesquisa e tratamento da informação

- Novo papel da BE enquanto espaço de construção do conhecimento a partir da informação disponibilizada em múltiplos suportes.

- Alunos com grande défice no domínio das literacias.

“Knowledge space, not information place” (ROSS TODD)

- Papel preponderante da BE na formação para as

- Equipa da BE com grande empenhamento no desenvolvimento das diversas literacias; - Diversidade da

elaboração dos documentos orientadores das literacias; - Implementar projectos que visem colmatar as necessidades manifestadas e/ou detectadas no acesso à informação; - Propor actividades em parceria com as diferentes áreas curriculares e projectos da escola;

- Qualidade do espaço felizmente sempre “bem habitado” e considerado pelos utilizadores como um espaço agradável.

Formação para a leitura e para as literacias

Desafios. Acções a implementar

- Intervir mais activamente, a nível do CP, de modo a sensibilizar a comunidade para o novo papel das BE.

- Espaço da BE pouco adequado ao desenvolvimento de actividades específicas de motivação para a leitura (Clubes,

- Actividades promovidas pelo PNL, RBE e Biblioteca Municipal; - Parcerias com a Câmara Municipal no

- Constrangimentos burocráticos e financeiros que impedem a deslocação de alunos a eventos culturais;

- Implicar os diferentes agentes do processo educativo (professores, encarregados de educação, pessoal


Conhecimento na área Domínio

Aspectos críticos que a Literatura identifica literacias; - Contribuição de forma colaborativa e articulada com os outros docentes para o desenvolvimento de competências que suportam as aprendizagens e a construção do conhecimento.

Biblioteca escolar Pontos fortes

Fraquezas

formação científica dos elementos da equipa;

Comunidades de Leitores…)

- Produção pela equipa de documentos orientadores no domínios da literacia da informação;

- Fraca actualização no sector das “novidades” por constrangimentos orçamentais

Oportunidades

âmbito dos Direitos Humanos, Ambiente, entre outros;

- Ausência de orçamento próprio da BE;

- Disponibilidade dos Centros de Saúde.

- Escassa colaboração dos professores, sobretudo das áreas científicas, no estabelecimento de dinâmicas de leitura;

- Boa colaboração com os professores (sobretudo de Português e Artes) no desenvolvimento de projectos conjuntos;

- Permissividade dos professores quanto aos hábitos de desrespeito pela propriedade intelectual (copy/paste)

- Boa colaboração com os projectos de Educação para a Saúde e outros no domínio da formação para a cidadania; BE e os novos ambientes digitais.

- Impacto do paradigma digital na biblioteca escolar, nas práticas e na forma como gerimos e processamos a informação; - Papel da BE na implicação dos professores.

- Página WEB; - webquests; - Diversidade de documentos em suporte digital.

Ameaças

- Falta de tempo para organização de recursos de informação neste domínio e sua divulgação; - Falta de formação da professora bibliotecária;

- Novos equipamentos PTE; - Apoio na utilização da plataforma Moodle, a nível da escola

- Constrangimento manifestado por alguns professores relativamente à utilização de ambientes digitais; - Fraca qualidade da implementação do PTE.

Desafios. Acções a implementar não docente, comunidade envolvente da escola) na partilha de saberes e na com actividades de desenvolvimento da leitura e literacias; - Empenhamento da equipa no acompanhamento dos alunos e colaboração com os professores na pesquisa e tratamento da informação.

- Plataforma Moodle; - Criação do blog da BE; - Disponibilização do catálogo on line.


Conhecimento na área Domínio

Aspectos críticos que a Literatura identifica

Biblioteca escolar Pontos fortes

Fraquezas

Oportunidades

Ameaças

Desafios. Acções a implementar

- Escasso número de horas atribuídas ao professor de informática da equipa (90 min.) Gestão de evidências/ avaliação.

- Mostrar aos professores, aos pais e aos alunos que a biblioteca cumpre objectivos semelhantes àqueles em que toda a restante escola está empenhada; - Validar a eficácia do trabalho realizado; - Permanente auto-avaliação e reajustamento dos objectivos traçados; - Avaliação deve partir de factos que demonstrem que se passou do patamar de recolha de informação para o da transformação em conhecimento.

-Diálogo frequente com os utilizadores; - Recolha de dados de utilização da BE; - Empréstimos domiciliários e de sala de aula; - Utilização de equipamentos ; - Edição de trabalhos… - Balanço periódico com a equipa; - Avaliação sistemática das actividades planificadas.

- Falta de hábitos de registo sistemático de TODAS as actividades desenvolvidas; - Poucos instrumentos de registo disponíveis.

- Novo Modelo de avaliação - Instrumentos propostos;

- Fraca resposta da comunidade quando solicitada para colaborar na avaliação

- Construção de instrumentos de recolha de dados, simples e eficazes; - Criação de hábitos de avaliação sistemática; - Partilha entre os professores bibliotecários.


Gestão da mudança SÍNTESE

Factores de sucesso

Obstáculos a vencer

Acções prioritárias

- Resistência da comunidade (DE incluída) decorrentes de um entendimento tradicional do papel da BE.

Dar a conhecer o novo paradigma das BE.

O novo papel da BE, enquanto espaço de construção de conhecimento, implica uma mudança do seu estatuto na Escola e o seu reconhecimento não apenas como um repositório de informação. Implica mudar atitudes e práticas; estabelecer ligações com os órgãos da Escola; criar novos contextos de formação propiciadores de sucesso educativo À medida que, para lá do seu papel informativo, a BE incluir um papel transformativo e este for verificável, atingido em colaboração e articulação com outros professores, poderá ser vista como uma parceira fundamental na educação.

- Empenhamento das equipas BE; - Mudança de paradigma; - Redefinição de contextos de trabalho, prestação de serviços;

-

- Trabalho cooperativo.

Alice Santos 11 de Novembro de 2009

Caracterização da biblioteca ES José Afonso  

Identificação de pontos fortes, fraquezas, oportunidades e ameaças e desafios principais que o professor bibliotecário e a biblioteca escola...

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you