__MAIN_TEXT__

Page 1

A PAIXÃO INEXPLICÁVEL PELOS ANIMAIS DE ESTIMAÇÃO Alguns barrosenses falaram da paixão que têm por seus animais de estimação. Entre eles, está a história de Xico, uma ave que fugiu, e a de Amora, um cadelinha que teve uma atitude digna de muito amor. Pág. 6

Desde 2006 - Edição 213 - Sábado, 6 de Fevereiro de 2021 - Barroso/MG - Distribuição Gratuita

Em fevereiro “não” tem Carnaval Ao contrário da canção de Jorge Ben, em Fevereiro, deste 2021, não haverá Carnaval. Pág. 3

ÓBITOS DEZ PESSOAS JÁ MORRERAM NA CIDADE VÍTIMAS DA COVID-19 Até o fechamento desta edição (5 de fevereiro, às 13h) dez barrosenses tinham perdido a vida vítimas da Covid-19. Na cidade vizinha de Dores de Campos o número de óbitos chega a 14 mortes. Pág. 4

DE DORES DE CAMPOS PARA A FOLHA DE SÃO PAULO Em meados de 2012, ainda estudante de jornalismo da Universidade Federal de São joão del-Rei (UFSJ), Raquel Lopes, então com seus 20 e poucos anos, subiu convicta os poucos degraus da recém inaugurada redação do Barroso EM DIA, na Rua Maria José de Melo, no centro de Barroso, e adentrou o espaço onde estagiou por cerca de três anos. Página 6

QUASE 90% DOS BARROSENSES DISSERAM QUE VÃO TOMAR A VACINA

CRIMES

SE NÃO BASTASSE O VÍRUS Mesmo diante de uma pandemia, em que o coronavírus vem fazendo vítimas em todo o Brasil, a violência não dá trégua em Barroso. Somente no último mês foram três tentativas e um homicídio consumado na cidade. E mais, a maioria dos crimes estão ligados a acertos de contas entre as partes envolvidas. Página 5


Fevereiro

barrosoemdia.com.br

2021

Editorial Com a “flexibilização”, abertura de todos os segmentos, o Governo Estadual, com o aval do Governo Federal, que já luta por isso há tempo, lavou as mãos no enfrentamento da pandemia de coronavírus em Minas Gerais. Com isso, as Prefeituras, o chamado Governo Municipal, ficaram reféns da situação. À elas, cabe cumprir as ordens e a tal fiscalização, medidas que, estamos cansados de saber, elas não conseguem fazer por “n” motivos, ou sair do programa e tomar suas próprias decisões, o que pode sair caro, muito caro, em todos os sentidos. O tal programa Minas Consciente, que está mais para Minas Inconsciente, agora permite o funcionamento de todos os segmentos no estado, até mesmo na chamada Onda Vermelha, considerada até então, pela cor, como a mais restritiva. Ou seja, o vermelho, que era para ser sinal de alerta, cuidado, atenção, agora se transformou em apenas uma cor de fachada. E para “tentar” driblar os mais críticos, o Governo discursa em cima das chamadas restrições. E isso é mentira, elas nunca funcionaram e não funcionam, tanto pela falta de fiscalização, tanto pela negligência do próprio estado, que joga a culpa para cima do próprio estado: na Polícia Militar, que pode até tentar, mas não vai conseguir parar os ignorantes. Portanto, aquela “historinha” de que haverá distanciamento, que tem que usar máscara, álcool em gel, enfim, aquilo que estamos cansados de saber que a maioria não faz, são desculpas para o Governo dizer que está atuando. Mentira! Parou de atuar, lavou as mãos e nelas têm sangue e lamentavelmente terá mais. Isso é uma constatação, feita por profissionais e especialistas que estão prevendo que, lamentavelmente, teremos mais óbitos. Janeiro nunca foi tão doloroso para nós. Em toda história da humanidade, nunca tivemos tantas mortes devido a uma pandemia, como tivemos neste mês que chega ao fim. Triste Janeiro, que foi “presenteado” por um desgoverno com uma flexibilização. O que vem por aí? O Governo não quer saber, perdeu a queda de braço! O fato é que vidas vão se perder e as mãos sujas do Governo respingam sangue na grande parcela da sociedade que é hipócrita, que finge que são só números e vira a cara para a realidade que ela poderia evitar. E o evitar não se atribui àqueles que precisam e têm que sair de casa, mas àqueles que ignoram os fatos e esbravejam, como se tivessem razão, que não aguentam mais usar máscara. Não se trata de aguentar! E na onda dessa ignorância, devagar, mas cruel, essa doença traiçoeira vai levando vidas, em especial dos mais idosos. E os ignorantes? Eles fingem não ver, como ignoram os fatos e a própria vida, que pode ser a próxima a ser perdida. É verdade, muito pela omissão do estado, mas muito pela falta de educação de uma população que agora tem o aval através de um programa inconsequente e descabido. Reafirmamos: perdemos, como já estamos perdendo há muito tempo. E agora, não tem cor ou credo que nos salve. Não tem Onda a não ser a da ignorância, que só cresce. Salve-se, proteja-se e cuide dos seus, porque o Governo lavou as mãos!

Vai daí, que eu vou daqui chupando uma manga! Tá fácil pra ninguém neném! Imagina para os fiscais que têm que entrar em bar pra corrigir marmanjo. Pelo amor dos meus filhinhos! É muita gente ignorante! Imagina você ter que brigar com o outro pra ele colcocar a máscara pra ajudar a salvar a vida dele mesmo! Que país de ignorantes! Mamãe! Quero uma passagem para Huang, só de ida! Isso, só de ida... não quero voltar!

2

João?

Pior que isso só gente da área da saúde que quer furar fila! Vai caçar uma agulha na casa do chapéu! Vai criar vergonha na cara! Eu porque não descobri quem era a tal “otoridade” que tava aglomerando no trevo! Se não ia dar o nome aqui! Sem pestenejar, na hora! E eu tô anotando o nome das pessoas que falaram que não vão tomar vacina! Qualquer dia divulgo a lista também! Fala que não toma, mas daqui uns dias tá lá na fila com a boca suja de leite condensado. Tens uns aí que têm medo de virar jacaré. Aqui, por falar em jacaré, vocês sabiam que aquela rampa da praça onde fica o Padre tem um formato de rabo de jacaré propositalmente? Sabiam disso? Ouvi falar, não sei se é verdade, que foi uma cutucada política da época. E o buraco? Virou atração turística! Já tem gente dizendo que é a construção da linha de metrô que vai ligar a rodoviária à Praia. Muito bom! Imagina, galera descendo do ônibus e entrando com prancha rumo À Praia! Show! É nóis! Só! Gente, e a cantora Wanderleya? Alguém tem notícia? Meu Deus, a muié sumiu! O Gambá tá por aí, só no pedal! Bem que o César e Menotti poderiam começar a pedalar também, né?! Pessoal do Banco do Brasil ia ficar mais tranquilo! Pensamento do Mês! Governo Federal vai lançar o programa “Meu pudim, minha vida!”. Bom Carnaval! kkkkkkk

Questão de Opinião Paulo Terra

Donald Trump: Uma decepção mundial

Sessão Flash

O cidadão acima, recém derrotado candidato a reeleição para mais um mandato como presidente dos Estados Unidos da América, recebeu dos americanos a justa rejeição para seu orgulho e imponência. O povo americano, tanto nas urnas como no colégio eleitoral lhe deu bomba. Ou seja, com larga desvantagem reprovou sua atuação no cargo, preferindo em seu lugar o candidato do partido Democrata. É lógico que, como todo político em qualquer parte do mundo, tem aprovadores e, quanto pior é o político no cargo para o qual foi eleito, mais fanáticos são seus apoiadores. No caso do ex-presidente Trump, ao longo dos quatro anos no cargo, insistiu “insistentemente” que a eleição em dois mil e vinte seria fraudada, mas não apresentou qualquer prova ou evidência do que afirmou até o fim. Sua rejeição pelo povo americano foi um justo castigo para sua soberba, pela sua imponência, pela sua apresentação como se fosse um soberano. Apenas a título de recordação, cito algumas de suas prepotências: 1.O caso de assassinatos de homens negros por policiais brancos, nos quatro anos de seu mandato como presidente, fato que não gerou qualquer protesto do presidente mas fervilharam protestos da população, com os cartazes “Black Lives Matter”, “Vidas negras são importantes”. 2.E a estúpida medida de construção de um muro na fronteira dos Estados Unidos com o México para impedir a imigração de cidadãos mexicanos e latinoamericanos para os Estados Unidos, obra cara e não concluída até agora.

Barroso: a cidade do Teatro Barroso: A Cidade do Teatro traz a história do início do Teatro na cidade, através de depoimentos de pesquisadores, artistas e famílias, pessoas que iniciaram, integraram e continuaram com a atividade Arte Cênica em Barroso. Dividido em 4 partes, o documentário apresenta a visão daqueles que vivenciaram as várias fase dessa história na cidade, com relatos marcantes, descontraídos e também emocionantes. “Barroso: A Cidade do Teatro Parte 2” irá, assim como na Parte 1, trazer reflexão e muita emoção a todos. Uma produção importantíssima para o nosso escasso acervo cultural. Acione o código QR ao lado para assisitir! EXPEDIENTE - PÁGINA DE OPINIÃO

www.barrosoemdia.com.br

Rua Maria José Melo, 13 - Centro - Barroso/MG Telefone: (32) 9.9199-1575 - WhatsApp

3.Em vez de apoiar e financiar a OMS (Organização Mundial da Saúde), Trump retirou os Estados Unidos da organização. Em contrapartida sua atuação como presidente para diminuir os efeitos da COVID-19 foi das piores, em comparação com a de outros chefes de estado no mundo. 4.Idem com relação ao acordo mundial de Paris para controle pelas nações da emissão de monóxido de carbono pelas indústrias. A América caiu fora desse acordo e continua envenenando o meio ambiente mundial e aumentando o aquecimento global.

Escaneie aqui!

Co-fundador: Antônio Marcos Pinto (in memoriam) Editor Chefe/Jornalista responsável: Bruno Ferreira - 11.558/MG CNPJ: 12.772.555/0001-30 (E.I.) - Tiragem: 1.000 exemplares Colaborador: Paulo Terra E-mail: barrosoemdia@yahoo.com.br facebook.com/barrosoemdia twitter/@barrosoemdia Instagram: @jornalbarrosoemdia

5.Por último, mas não último (porque deveriam ser citadas outras ações do expresidente) é constrangedor e desabonador para o povo americano, o incentivo do ex-presidente para a invasão à força dos seus apoiadores ao Capitólio, sede do poder legislativo americano, da qual resultaram pelo menos 4 mortes, vários feridos e muitas prisões. E para concluir o ex-presidente, ao se despedir da nação, fez questão de afirmar que “continuaremos a nos encontrar”, independente do que pode resultar do processo de Impeachment que o senado americano deve instaurar com o objetivo de impedir que ele volte a se candidatar nas eleições de 2024 para o mesmo cargo do qual acaba de ser afastado. Como brasileiros, resta-nos esperar que Joe Biden seja um presidente como os seus muitos antecessores, menos o último, que tenha uma visão mais democrática, social e humana para que a América volte a ser a nação que foi durante mais de duzentos anos. Como diz o hino dos USA, “God save America”.


Fevereiro

barrosoemdia.com.br

2021

3

Pandemia leva ao cancelamento do Carnaval Pela primeira vez, a festa popular mais tradicional do Brasil não acontecerá

N

ão há relatos de quaisquer acontecimentos na história recente que tenham levado ao cancelamento da festa mais popular do Brasil, o Carnaval. No entanto, o ano de 2021 será lembrado como o ano em que não houve o Carnaval. E mais, além do cancelamento em todo o Brasil, em Barroso e região não será feriado, e muito menos ponto facultativo, quando o expediente pode acontecer ou não. No último dia 27 de janeiro, a Prefeitura Municipal de Barroso, através de uma nota, informou à população que a festa não aconteceria na cidade. Um decreto também foi publicado nos órgãos oficiais do município. Confira na íntegra: “Assim como maioria da região, Barroso não realizará Carnaval em 2021. O Governo Municipal de Barroso vem por meio desta nota oficial anunciar e informar a todos sobre o Decreto nº 4.335 de 2020 que dispõe sobre a não realização do carnaval em 2021. Considerando a situação de emergência na saúde devido a pandemia do Coronavírus que culmina com o estado de calamidade municipal, o Governo decidiu, seguindo vários outros municípios, não realizar o Carnaval neste ano de 2021 e também não decretar ponto facultativo entre os dias 15 e 17 de fevereiro para evitar aglomerações em sítios e pontos de encontro. Cabe ressaltar que o carnaval não é considerado feriado nacional, mas sim ponto facultativo e que a Lei Municipal nº 798 de 1977 não prevê a data como fe-

Mais de 500 pessoas já receberam a vacina em Barroso

Para evitar aglomerações não haverá feriado e nem ponto facultativo na cidade

riado municipal. Pedimos a compreensão e apoio da população, gostaríamos muito de fazer uma grande festa para nosso povo com um belo carnaval, mas o momento é de responsabilidade. Por isso, reforçamos sempre as medidas de segurança, com adoção do isolamento e distanciamento social e caso seja necessário sair de casa, pedimos a todos que se protejam usando máscara e álcool em gel”. FISCALIZAÇÃO Mesmo sem o feriado e o ponto facultativo, autoridades da cidade estão preocupadas com as possíveis aglomerações em sítios, chácaras e casas com churrascos e festas no fim de semana em que aconteceria o Caranval. Segundo membros que fazem parte da fiscalização da Covid na cidade, o final de semana do dia 12, próximo fim de semana, está sendo trata-

do com um caso à parte entre as autoridades. E além dos fiscais, que têm sido vítimas frequentes de agressões verbais e até físicas na cidade, a Polícia Militar também pode encontrar dificuldade nas intervenções. O fato é que, para ajudar na fiscalização da pandemia, o Governo de Minas, que deu autonomia à Polícia para intervir, não ofereceu nenhum efetivo a mais para tais ações. “Aqui em São João, por exemplo, a ordem é atuar junto com os fiscais, para poder dar mais segurança aos profissionais, mas nós não temos efetivo suficiente porque temos nossas demandas diárias”, diz um policial que prefere não se identificar. A falta de apoio aos militares para que os mesmos possam ajudar no combate e na fiscalização da Covid-19 é um dos pontos negativos do Governo que flexiblizou o programa às vésperas do Carnaval.

FLEXIBILIZAÇÃO Desde o sábado 30 de janeiro, está liberado o funcionando de todas as atividades não essenciais nas cidades que aderiram ao programa Minas Consciente. Nesta semana, o governo de Minas autorizou o funcionamento de todos os serviços, inclusive na onda vermelha, a mais restritiva do programa. Segundo a Secretária de Estado de Saúde, os protocolos a serem adotados vão variar conforme a onda. Na vermelha, a mais restritiva, por exemplo, será possível a abertura de comércio, atrativos culturais, atividades esportivas e eventos com até 30 pessoas. Hotéis também poderão funcionar nesta fase do programa com até 50% de sua capacidade. Antes, apenas serviços essenciais estavam autorizados a funcionar.

Em uma cerimônia simbólica, assim como está acontecendo em todo o Brasil, a Prefeitura Municipal de Barroso, através da Secretaria de Saúde, realizou a vacinação contra a Covid-19 nos primeiros barrosenses. O evento aconteceu no plenário da Câmara Municipal de Barroso e foi transmitido através da Fanpage da Prefeitura Municipal no Facebook. A primeira barrosense a ser vacinada foi Andréia Ferreira, que é Técnica de Enfermagem no Hospital Macedo Couto e foi a primeira da área da saúde a contrair e vencer o vírus na cidade. Ela está na linha de frente do combate à Covid e desde o início da proliferação do vírus, em março do ano passado, Andréia, junto com demais profissionais da saúde, vem enfrentando a doença e a resistência de algumas pessoas contra os procedimentos a serem adotados. “Passei por momentos difíceis e junto com meu esposo, que também é da linha de frente, conseguimos vencer a doença”, diz Andréia.

Além dela, que é do grupo prioritário dos profissionais da saúde, também foram vacinadas a senhora Maria das Graças de Melo, que vive no Asilo - Lar Nossa Senhora de Fátima e a Coordenadora Geral da Covid na cidade, Graziele Silva. Na oportunidade, o Prefeito Anderson de Paula (DEM) reforçou a importância de ainda manter o isolamento no município. “A gente se emociona com este momento, mas temos que continuar seguindo os protocolos. E digo a todos: quando o último barrosense for imunizado, vamos fazer uma grande festa para todos”, diz Anderson. Cerca de 10 dias depois, 1 de fevereiro de 2021, outras novas doses, total de 617 doses chegaram à cidade. São novas doses da CoronaVac e as primeiras remessas da vacina Oxford/Astrazenica. Ao todo são 383 novas doses, sendo 153 CoronaVac e 230 Oxford/Astrazenica e 234 para a segunda dose da imunização, ou seja, para aquelas pessoas que já tomaram a primeira dose da vacina.

A enfermeira Gerusa Meireles foi a responsável pela vacinação


Fevereiro

barrosoemdia.com.br

2021

4

Dez mortes em Barroso

A

O vírus que não iria chegar em Barroso já tirou a vida de dez barrosenses

s mortes que viraram apenas números para alguns não assustam mais e em meio à descrença dos cidadãos, parentes e amigos se despedem silenciosamente das vítimas que na sua maioria são idosos que não resistiram ao vírus. Assim, janeiro de 2021 ficará para a história, até o momento, como o mês em que mais vidas foram perdidas na pandemia de coronavírus em Barroso e na região do Campo das Vertentes. Em Barroso, por exemplo, cidade de cerca de 20 mil habitantes, seis pessoas perderam a vida nesse mês trágico. Veja a cronologia: 6 de janeiro – a terceira vítima da doença é uma mulher de 50 anos de idade. 7 de janeiro – no dia seguinte, uma outra mulher, de 69 anos, morre vítima da Covid-19. 8 de janeiro – pelo terceiro dia consecutivo, mais uma morte em Barroso, desta vez um homem de 58 anos. 19 de janeiro – uma nova morte é registrada. Tratase de uma mulher de 47 anos. 24 de janeiro – o quinto óbito no mês de janeiro. A vítima fatal é um homem de 76 anos. 28 de janeiro - um homem de 61 anos perde a vida

dade das Rosas. Já São João, até o fechamento de números de mortes em janeiro, tinha dez a menos que Barbacena, ou seja, 54 óbitos. Outro dado que chama atenção na relação de mortes na região desde o início da pandemia, é a pequena cidade de Dores de Campos, com cerca de 9 mil habitantes. No início de janeiro, assim como Barbacena, a cidade tinha sete óbitos e fechando o mês dobrou o número de mortes: são 14 no total.

Alguns familiares tiveram que fazer o sepultamento de madrugada

para a Covid-19. Total de seis óbitos em janeiro. OUTRAS MORTES Outras duas pessoas já tinham perdido a vida anteriormente: em setembro de 2020, um homem de 64 anos de idade, no dia 7 de setembro, a primeira morte registrada na cidade, e oito dias depois, em 15 de setembro, uma mulher de 84 anos. E fevereiro mal começou e mais duas vítimas fatais foram confirmadas em Barroso. Em menos de 24h dois novos óbitos constatados na cidade. Tratam-se de um paciente de 61 anos que faleceu em São João delRei e de uma vítima do

sexo feminino, de 68 anos, que morreu na última terça-feira (2). Portanto, em uma cidade onde muitos negacionistas acreditavam que o vírus era apenas uma invenção da mídia, o total de óbitos no município hoje (5 de fevereiro) é de dez pessoas cujos familiares sequer puderam fazer um enterro digno. “Me disseram assim: olhe e se despeça da sua irmã, pois não podemos abrir. Isso dói e sangra todos os dias. Não desejo para ninguém. É como se você estivesse em um enterro de alguém que você nunca viu”, diz o trecho de um e-mail que foi enviado ao Barroso EM DIA. Já uma outra

mensagem via WhatsApp fala da indignação da família de um óbito suspeito. “Não podemos nem despedir direito porque ela era suspeita de Covid”, diz.

Para assistir ao vídeo, acesse com o seu celular o código QR!

Quadro de óbitos de vítimas da Covid-19 em algumas cidades da região

REGIÃO Na região, os números de janeiro são ainda mais trágicos. No vídeo ilustrativo publicado no Canal do Youtube do Barroso EM DIA é possível ver a elevação dos casos em Barbacena, que ultrapassa São João del-Rei em número de óbitos por Covid. A cidade começou o mês com 32 mortes e chegou a 64 em apenas um mês. Uma média de mais de um óbito por dia na Ci-

O vídeo que mostra o gráfico das mortes em janeiro na região está disponível no código QR abaixo.

BR 265: Ministro acolhe novos pedidos do Deputado Dr. Frederico por mais segurança no trecho Lavras/São João

Novamente a situação preocupante da BR-265 foi tema da minha reunião virtual de hoje com o Ministro da Infraestrutura Tarcísio Gomes de Freitas. Solicitei urgência para a reativação do radar próximo à ponte sobre o Rio Grande, entre Nazareno e Itutinga, onde ocorreram acidentes graves recentemente. Em outro pedido, levei ao Ministro a questão da má iluminação de alguns trevos, como o de Tiradentes, município que recebe grande fluxo turístico. Fiz ainda uma proposta de parceria junto ao Ministério para colocarmos em ação um projeto mais abrangente de recuperação da rodovia, incluindo a construção da terceira faixa e acostamento. O Ministro Tarcísio se prontificou em solicitar ao DNIT a verificação do problema de iluminação nos trevos e um estudo da necessidade de reativação do radar no trecho citado, dentro da quantidade mínima já definida em contrato para a região. Por fim, o Ministro reconheceu a situação de degradação da rodovia e sabe que a recente operação tapa-buracos, também em atendimento a meu pedido, não foi suficiente para uma boa qualidade e segurança de tráfego. Em concordância com a necessidade de um projeto maior para a BR-265, alinhamos possíveis fontes de recursos para futuramente viabilizarmos a obra. Continuarei incansável na solução para esta demanda urgente e que a população tanto reivindica. #SOSBR265


Fevereiro

barrosoemdia.com.br

2021

Tentativas de homicídio Além da dor e da tensão causadas pelo coronavírus, ocorrências deixaram população apreensiva

O

s últimos dias têm sido marcados por tentativas de homicídio em Barroso. Somente nos últimos 30 dias foram três tentativas e um homicídio consumado no município. Diante dos fatos, que por pouco não levaram a homícidios consumados, cidadãos barrosenses se dizem preocupados com o que está acontecendo na cidade. “O que tá acontecendo com Barroso? Já não basta tudo que estamos vivendo devido à pandemia, ainda vem essas tentativas de assassinatos”, diz um comentário no Instagram. Já outros, no Facebook, também fazem mais questionamentos. “Que gente é essa? Pra quê isso em Barroso?”, “O que esse povo tem no coração, gente, misericórdia” e “Que Deus abençoe essa cidade”, diz alguns depoimentos de pessoas que estão assustadas com a violência que aparentemente mostra uma série de acertos de contas entre desavenças que vão desde questões pessoais até crimes passionais. Terça-feira, 29 de dezembro de 2020, a Polícia Militar (PM) se desloca até à Rua Oliveira, no Bairro do São José. No local, após receber denúncia de que houve disparos de arma de fogo, a PM registra que um desentendimento entre dois moradores termina em tentativa de homicídio. Um deles sacou a arma e disparou cinco tiros contra o outro. Na ocasião, nenhum dos disparos atingiu a vítima. Após o ocorrido, o autor fugiu. Madrugada do domingo, dia 17 de janeiro. Um jovem de 18 anos é vítima de tentativa de homicídio na cidade. O crime aconteceu no centro onde estava havendo uma

RECEBA

EM

CASA EM TODAS AS

90% dos crimes tiveram prisões e detenções em poucos dias

festa. Durante a confusão, um suspeito, de 17 anos, usando uma arma de fogo efetuou um disparo contra a vítima de 18 anos. O autor errou o disparo e em seguida fugiu do local em uma motocicleta. Marcas de tiros atingiram a parede de uma casa vizinha. A vítima identificou os suspeitos, de 20, 18 e 17 anos, com os quais já havia apresentado problemas pessoais, inclusive, sendo alvo de crimes da mesma natureza em data anterior. Um dia depois, 18 de janeiro de 2021, o que até então eram apenas tentativas se torna homicídio consumado em Barroso. Um adolescente de 18 anos de idade foi morto dentro do estádio João Vigia, no bairro Jardim Bandeirantes. Segundo informações da Polícia Militar e da Perícia Técnica, o autor disparou cinco vezes contra a vítima que morreu no local. Os disparos de arma de fogo acertaram a cabeça (três tiros), o peito e um dos braços do adolescente. As motivações, mais uma vez, estão ligadas a acertos de contas. Segunda-feira, 1 de fevereiro de 2021, um homem de 35

Mais um crime cometido no Estádio João Vigia

anos leva cinco tiros e é encaminhado para a Santa Casa de São João delRei. A tentativa de homicídio aconteceu no bairro Jardim Bandeirantes. A vítima foi socorrida com cinco perfurações, sendo duas delas na região torácica, duas no ombro direito e uma no braço direito. Segundo a própria vítima, que estava lúcida até aquele momento, dois homens, em uma motocicleta se aproximaram dele e um deles teria lhe chamado pelo apelido para em seguida iniciar os disparos. A vítima saiu do local correndo enquanto era alvejada e só se recorda de que o condutor da motocicleta estava com uma camisa da cor alaranjada e calça jeans. Após os disparos, os autores teriam fugido em direção ao bairro Bedeschi. Em síntese, todas as ocorrências estão ligadas a um tipo de acerto de contas, seja ele por questões pessoais ou motivos fúteis. “Em relação aos últimos acontecimentos, com base nos próprios relatos de alguns dos envolvidos, tudo nos leva a crer que das cinco ocorrências, quatro foram

por motivos passionais”, diz o Tenente Dhaer. PRISÕES Dos quatro casos citados, apenas o último ainda não tem desfecho com relação à prisão dos envolvidos. Segundo a Polícia Militar, as informações não foram repassadas para não atrapalhar as investigações. No episódio ocorrido no bairro São José, o autor foi preso, na tentativa no Centro os autores foram presos no mesmo dia e o menor apreendido dias depois e no caso do homicídio consumado, o autor foi preso dias depois na cidade vizinha de Tiradentes. “Ainda, também é válido ressaltar que em apenas um dos casos ainda não existe a identificação exata do autor. Nos demais casos, ressaltamos que a Polícia Militar logrou êxito em identificar, localizar e prender e apreender os autores, inclusive em uma das situações também houve a apreensão da arma de fogo utilizada”, afirma o Tenente. “De toda forma, a Polícia Militar continua realizando o policiamento preventivo e repressivo de forma a fazer cumprir a lei, bem como a garantir a segurança da população barrosensse”, finaliza o Tenente Dhaer que já declarou em entrevista que, com a experiência adquirida em São João del-Rei, no Tático Móvel, vem colocando cada vez mais seu efetivo nas ruas, com o intuito de policiar e coibir a violência na cidade de Barroso que em plena pandemia de coronavírus ainda tem pessoas que estão pensando em matar uma às outras.

EDIÇÕES

DO

JORNAL

99199-1575 Apenas R$50 por ano

Açougue do Michel Mercadinho Central

5


Fevereiro

barrosoemdia.com.br

2021

6

O melhor amigo!

A história de barrosenses e suas paixões pelos animais de estimação

Vindo de uma das maiores experiências que tive na vida, tive a notícia de que meu passarinho, o Xico, fugiu”. Essa frase está em um vídeo no Instagram que tem quase cinco mil visualizações. O autor é o dentista bar-rosense Roberth Napoleão que emocionou muitas pessoas ao contar o dilema que estava vivendo com a fuga da sua calopsita, uma ave que está acostumada a viver em residências e fora das gaiolas. No vídeo, Roberth ainda descreve o amor que tem por Xico e como ele é importante no seu dia a dia. “Compartilhem, divulguem, me ajudem a encontrar ele. Vou dar uma recompensa e uma calopsita nova a quem encontrar”, diz. A história de Roberth não teve um final feliz. Quase 15 dias depois da publicação do vídeo e a ave não foi encontrada. Ele jogou sementes pela horta e aguarda que um dia o seu pássaro possa retornar. “Prefiro acreditar que ele esteja por aí, voando, bem perto do céu”, relata emocionado. Histórias como a de Roberth e tantos outros barrosenses servem para mostrar o amor incondicional que se tem pelos animais de estimação, seja ele qual for. E muita das vezes, quando acreditamos que comprando, adotando ou até ganhando um animal estamos sendo utéis a eles, erramos, pois na verdade é justamente o contrário, ou seja, eles acabam fazendo a diferença em nossas vidas. É o caso de Brisa Nascimento, 21, que enfrentava a depressão quando foi presenteada com Amora, uma cachorrinha que invadiu e mudou sua vida. “Ela foi um presente da minha avó para mim em

uma das fases mais difíceis da minha vida. Seu nome tem todo um significado e foi escolhido a dedo por mim (AMOR) A, pois desde que ela chegou trouxe muito amor para nós”, conta Brisa que revela que ela é a maior companheira da sua vida. “Em fevereiro de 2020, vim passar o carnaval em Barroso e a Amora e minha mãe Adriana Nascimento ficaram em Congonhas, onde morávamos desde 2015. Na terça de carnaval minha mãe me mandou uma mensagem pedindo para eu ir para casa para conversarmos a respeito da minha faculdade, já que eu tinha passado na UFSJ. Na quarta-feira de cinzas, fui embora e quando cheguei em casa encontrei minha mãe morta, ela havia tido um infarto fulminante. Vendo aquela cena, uma coisa me chamou a atenção: nossa cachorrinha ficou o tempo todo ao lado do corpo da minha mãe”, relata Brisa que logo depois se mudou, junto com Amora, para Barroso. “Viemos morar com a minha avó e Amora continua sendo muito amada por nós. E agora, toda vez que olho para ela consigo sentir o amor que tinha dentro da casa da minha mãe”, conta Brisa que chegou a anunciar recentemente o desaprecimento de Amora, que foi encontrada horas depois.

Raquel integrou a equipe do Barroso EM DIA

De Dores para Brasília. A história de Raquel Lopes

Brisa e a cadelinha Amora

Roberth lamentou a perda

3351-1124

A menina dorense ganhou experiência e foi trabalhar em um dos maiores jornais do Brasil, a Folha de São Paulo. Esse é o resumo da história de Raquel Lopes, 30, que hoje vive em Brasília, trabalhando na Folha, onde suas matérias lutam diariamente por destaque na capa do site e do jornal. E quando isso acontece: print e rede social, como se fora um troféu conquistado no suado e disputado mundo do cotidiano jornalístico que engole a profissão. Naqueles posts, além da conquista merecida, a humildade e o jeitinho mineiro de celebrar as conquistas. Mas vencer é um verbo que teve que esperar por muitas lutas para poder ser conjugado na vida da dorense. Em meados de 2012, ainda estudante de jornalismo da Universidade Federal de São João del-Rei (UFSJ), Raquel, então com seus 20 e poucos anos, subiu convicta os poucos degraus da recém inaugurada redação do Barroso EM DIA, na Rua Maria José de Melo, no Centro de Barroso, e adentrou o espaço onde estagiou por cerca de três anos. “Eu sabia desde o início da faculdade que gostaria de trabalhar em redação. O Barroso EM DIA foi onde eu tive minha primeira oportunidade de estágio, aprendi muito. Foi na redação em Barroso que tive a certeza que gostaria de continuar a trajetória”, diz. Raquel dividiu páginas e pautas e ajudou a fundar, em 2013, o jornal impresso Dores EM DIA. Assim, ao lado do jornalista Bruno Ferreira, iniciou um novo ciclo do jornalismo na sua cidade de origem, Dores de Campos. “Lembro das inúmeras reuniões e discussões

de pauta que travava com a Raquel que, além de jornalista, tinha que ser vendedora de anúncios e até jornaleira na cidade. Sim, a Raquel ainda tinha que entregar o jornal como fazemos até hoje aqui em Barroso”, relembra Bruno. “Raquel tinha atitude, pensava e executava as pautas. Ela não tinha medo de encarar as entrevistas”, ressalta. Entre os trabalhos realizados no Barroso e Dores EM DIA está a cobertura da Tragédia da Rua Viena, quando crianças morreram carbonizadas em Barroso, uma matéria sobre o funcionamento da Apac, em São João e a matéria sobre o descaso com o esporte em Dores, que levou a manchete 8x1. Em 2015, Raquel concluiu o curso e foi contratada para trabalhar em Colatina, noroeste do Estado do Espírito Santo, onde ficou por 11 meses até ingressar na Rede Gazeta, em Vitória. Com experiência na bagagem, Raquel deixou o Espírito Santo, mas não abandonou as vitórias. Em maio de 2020, ela seguiu rumo a Brasília, onde conseguiu uma vaga temporária na Folha. E assim, desde então, com uma rápida passagem pelo Poder360, ela voltou para a Folha, onde segue, em Brasília, longe da sua cidade natal, mas com um jeitinho mineiro de cativar pessoas e cultivar pautas em um jornalismo diário que já lhe rendeu prêmios. Raquel foi finalista de sete prêmios nacionais de jornalismo. Ela ganhou quatro deles. “Agradeço pela oportunidade, acredito que em todos aprendi algo novo, o que me ajudou no crescimento pessoal e profissional”, diz Raquel, que mantém o brilho nos olhos pela profissão.

Profile for Bruno

Edição Fevereiro 2021  

Edição Fevereiro 2021  

Advertisement