Issuu on Google+

TRIBUNA Bancária www.bancariosnit.org.br

Sindicato dos Bancários de Niterói e Região

Ano LI – Nº 349 – 1º de junho de 2011

Sindicato devolve imposto

Começa em 1º de junho prazo para pedir dinheiro descontado pelo governo em março Pelo sétimo ano consecutivo, o Sindicato vai devolver a todos os seus filiados que solicitarem a sua parte do imposto sindical, que é descontado em março de todos os trabalhadores brasileiros. Para receber o dinheiro de volta, basta entregar cópia legível do contracheque de março ao responsável pelo recolhimento de contracheques na agência, com anotação da agência e do número da conta corrente, para crédito. O contracheque deve ser entregue entre os dias 1º de junho e 29 de julho. Quem se sindicalizar até 29 de julho também poderá pedir a devolução. O dinheiro será devolvido pelo Sindicato até o dia 31 de agosto de 2011.

gle Agenda (que pode ser vista por todos e “incorporada” por qualquer um que possui uma conta Google, como Gmail ou Orkut), além de estar publicando as datas no Twitter e ter marcado como “eventos” no Facebook e no Orkut.

Para divulgar essas datas e as informações sobre a iniciativa, o Sindicato preparou folders com o nome do responsável pelo re-

colhimento dos contracheques em cada agência e cartazes de esclarecimento. Também marcou os dias importantes na Goo-

Por que o Sindicato só devolve 60% do que foi descontado?

vão para a confederação nacional

vão para a federação regional

15%

5%

ficam com o próprio governo

dos Estados do Rio e Espírito Santo; > 5% vão para a confederação nacional da categoria (no caso dos bancários, a Contraf-CUT).

20%

Sindicato

vão para o

nistério do Trabalho); > 15% vão para a federação regional da categoria (no caso dos bancários de Niterói e Região, a Federação dos Bancários

60%

O dinheiro que o governo tira de todos os trabalhadores em março não vai todo para o Sindicato: > 20% ficam com o próprio governo federal (Mi-

Razões da devolução O Sindicato devolve a sua parte do imposto sindical (60% do que foi descontado em março) porque não concorda que esse dinheiro seja descontado pelo governo federal independentemente da vontade do trabalhador. Além disso, o Sindicato acredita que a luta dos bancários e de todos os demais trabalhadores só faz sentido se a participação (presencial ou financeira) for espontânea, fruto da consciência de cada um para a vitória de todos. E mais: esse desconto forçado acaba propiciando a existência de sindicatos cartoriais, que não defendem nenhum trabalhador e foram criados apenas para receber esse dinheiro. Por isso o Sindicato vai além e defende que esse imposto anual (criado na década de 1940 pelo governo Getúlio Vargas) seja extinto, já que os trabalhadores conscientes, sindicalizados, contribuem todos os meses com a mensalidade sindical.


Bancária 2 TRIBUNA SA S A ldo médio

Sindicato dos Bancários de Niterói e Região Foto: Marcio Maturana

Santander discute assédio moral O Sindicato participou de uma reunião com a direção do Santander dia 23 de maio, em São Paulo, para exigir o fim das péssimas condições de trabalho nas agências. Foram tratados diversos assuntos que giram em torno de dois temas principais: falta de funcionários e assédio moral. A direção do Santander vai analisar as reivindicações e responderá na próxima reunião, na segunda quinzena de junho. “Hoje o Santander é sem dúvida o pior banco

para se trabalhar, com incontáveis mazelas”, disse o diretor do Sindicato Maurício Dutra Villar, que na reunião cobrou o fim das reuniões diárias para cobrança de metas e o fim das metas para a área operacional. Maurício lembrou também que, pela falta de funcionários, coordenadores e gerentes operacionais estão tendo que atender no caixa. A direção do banco já havia garantido que os caixas não devem ter metas para venda de produtos.

BB

Dentista

e

Caixa

Acontecem nos dias 9 e 10 de julho, em São Paulo, o 22º Congresso Nacional dos Funcionários do Banco do Brasil e o 27º Congresso Nacional dos Empregados da Caixa, que definirão as pautas específicas de reivindicações da Campanha Nacional dos Bancários 2011 nos dois bancos.

Bradesco

Banco venceu o leilão do antigo Banco do Estado do Rio de Janeiro (Berj), por 1,8 bilhão, e a partir de janeiro de 2012 vai administrar a folha de pagamento de 440 mil servidores e receber impostos estaduais (IPVA e ICMS, por exemplo).

TRIBUNA Bancária

O Sindicato decidiu ampliar o atendimento dentário: agora pai e mãe do sindicalizado também podem ser atendidos, além de filhos e cônjuge ou companheiro. O atendimento é feito por ordem de chegadas, de segunda a quarta-feira (das 8h às 11h40) e às quintas (das 13h às 15h40).

Festa

O churrasco pelo Dia do Trabalhador, na Sede Campestre, resultou num sábado de muita diversão, com farto self-service, distribuição de refrigerante, música ao vivo e futebol, além da reinauguração quadra de vôlei, com torneio de duplas femininas.

Sindicato dos Bancários de Niterói e Regiões

Sede: Rua Maestro Felício Toledo, 495 - sl. - Centro – Niterói CEP 24.030-105 - Tel/fax: (21) 2717-2157 Subsede: R. Casimiro de Abreu, 62/205 - Centro - Cabo Frio CEP 28905-360 - Tel/fax: (22) 2643-4317 e-mail: sindicato@bancariosnit.org.br Redação, edição, diagramação e projeto gráfico: Marcio Maturana (MTb 17625). Impressão: Gráfica Porciúncula (3 mil exemplares)

Os sindicalistas passaram dois dias reunidos para planejar o futuro

Seminário aponta os caminhos do Sindicato Cinquenta e nove diretores do Sindicato definiram em dois dias as principais linhas estratégicas de atuação até 2014. Foi o Seminário de Planejamento de Gestão, que aconteceu nos dias 20 e 21 de maio (sexta-feira e sábado), no Hotel Orizzonte, no bairro Gragoatá, Niterói. Participaram também o presidente da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT), Carlos Cordeiro, o vice-presidente da Federação Interestatual dos Bancários dos Estados do Rio e Espírito Santo, Nilton Damião Esperan-

ça e dois economistas do Departamento Intersindical de Estudos Socioeconômicos (Dieese): Clouviomar Cararine e Jardel Leal. No primeiro dia, após palestra de Carlos Cordeiro, os sindicalistas e organizarem em quatro grupos: 1) Imprensa, Formação e Assuntos Legislativos; 2) Jurídico e Saúde; 3) Patrimônio e Cultural; 4) Secretaria e Tesouraria. No segundo dia, os sindicalistas elaboraram proposta de ação, para depois fazer uma análise crítica das propostas. Na parte da tarde, organizaram um plano de projetos e ações.

b Ancariosnit.org.br

Facebook: 1 informação a cada hora No fim de abril o Sindicato, pioneiro na utilização de mídias sociais como Twitter e Orkut, criou um perfil no Facebook, rede social online mais usada em todo o mundo e que mais cresce no Brasil. Nestes pouco mais de 30 dias de atividade, o Facebook do Sindicato já

ganhou aproximadamente 300 amigos — 10 novas pessoas por dia. A cada hora, uma nova informação é postada no mural. Só no Brasil o Facebook ainda perde para o Orkut em popularidade, mas especialistas já acreditam que será líder ainda este ano.


TRIBUNA Bancária

Sindicato dos Bancários de Niterói e Região

3

Um dia de greve vence o Itaú Com apenas um dia de forte greve, os bancários de Niterói e Região conseguiram que o Itaú cancelasse imediatamente quatro das 29 demissões feitas em maio, assumisse o compromisso de rever as outras e enviasse ao Sindicato um documento garantindo que não fará mais cortes de emprego para reestruturação. À noite, em assembleia, os bancários do Itaú decidiram suspender a paralisação, que foi a maior do Brasil. Foram 48 agências fechadas por todo o dia 19 em Niterói, São Gonçalo e Itaboraí. A paralisação chamou atenção da imprensa, ganhando cobertura de jornais como O Fluminense, O São Gonçalo e A Tribuna, inclusive com foto na primeira página e entrevistas do presidente do Sindicato, Fabiano Júnior, e de outros diretores. Agora o Sindicato negocia com o banco o nãodesconto do dia parado. “Fiquei impressionado com a força e a capacidade de luta dos funcionários do Itaú, que estão de parabéns. Foi emocionante ver

a adesão, a consciência e a disposição de todos. O Sindicato foi apenas um instrumento de organização”, disse Fabiano. A greve logo chamou a atenção também da direção banco, em São Paulo. Durante a tarde, o Departamento de Recursos Humanos e o de Relações Sindicais pediram ao Sindicato um fax com as reivindicações, apontando as irregularidades. O resultado da assembleia foi informado no Twitter do Sindicato logo após a votação.

Foto: Marcio Maturana

O presidente do Sindicato dá entrevista ao jornal O Fluminense, na greve

Dia 25, a volta nas quatro primeiras demissões canceladas Entre os quatro primeiros funcionários que voltaram ao emprego dia 25, estão dois portadores de deficiência auditiva que têm 27 anos de banco: Niclaudir Velloso dos Santos e Alexandre Carvalho de Abreu. Os outros são Reinaldo de Andrade de Albuquerque (também com 27 anos de banco, na estabilidade pré-aposentadoria) e João Luiz Coelho, que tinha estabilidade devido a acidente de trabalho.

Fotos: Bancariosnit

Alexandre (camisa mostarda), João (azul), Niclaudir (lilás) e Reinaldo (xadrez)

Ação no Banco do Brasil Garantia de segurança Em assembleia, os funcionários do Banco do Brasil autorizaram o Sindicato a negociar a ação judicial sobre o anuênio de 1999. O banco tem intenção de fazer acordo, mas falta concluir o cálculo dos valores a serem recebidos. Têm direito a receber esse processo 254 ban-

cários sindicalizados que trabalhavam nas agências de Niterói em março de 1999. Os nomes não são divulgados para proteger a privacidade dos envolvidos, mas todo funcionário que acredita fazer parte do processo pode confirmar sua participação em lista à disposição no Sindicato.

Durante a greve dos vigilantes em alguns municípios, em abril, o Sindicato percorreu várias agências para garantir que não haveria funcionamento. Uma regra da Polícia Federal impede que bancos abram sem vigilantes, mas os banqueiros tentaram burlar essa norma várias vezes,

colocando em risco a vida de bancários e clientes. Na Região dos Lagos, por exemplo, o Sindicato teve que fechar no mesmo dia duas agências do Itaú: Barra de São João e Tamoios. Os bancários sempre entraram para trabalha, porque a greve era de outra categoria.


4

TRIBUNA Bancária

Sindicato dos Bancários de Niterói e Região

Denuncie assédio moral

Agora o site do Sindicato (www.bancariosnit.org.br) tem um canal direto para os bancários denunciarem assédio moral. Basta clicar em “Denuncie assédio moral”, no menu principal, e preencher o formulário. O sigilo da identificação tem garantia total do Sindicato. O novo meio de contato facilita o cumprimento do novo acordo contra assédio moral, aprovado em assembleia no dia 16 de março e assinado com os bancos do Estado do Rio sete dias depois. A cláusula do assédio moral foi uma das grandes conquistas da Campanha Nacional dos Bancários de 2010 e, pela ganhou até destaque no Jornal Nacional.

Foto: Bancariosnit

Com atores e músicos, Sindicato fez manifestação no Centro de Niterói

Em 3 de maio, com carta aberta à população, banda musical e a Cia de Emergência Teatral, o Sindicato percorreu as agências do Centro de Niterói anunciando a novidade.

Tira

GOsto

O bancário que fizer sua denúncia receberá por e-mail um número de protocolo. Em até cinco dias úteis, o Sindicato vai averiguar as informações e em até 10 dias vai apresentar

@ Em 1º de maio, Barack Obama anunciou que a Inteligência dos Estados Unidos localizou e orientou o assassinato do terrorista Osama Bin Laden, no Paquistão. Em 13 de maio, dois ex-homens-bombas do grupo terrorista Taliban explodiram, próximos a um ônibus de cadetes da Academia Militar do Paquistão, se mandando para o Jardim de Alá e levando com eles 80 pessoas. Que Inteligência a dos Estados Unidos, hein? @ Pense rápido! Como se treina um homem-bomba? @ Filosofia terrorista: a vantagem do homem-bomba é só precisar trabalhar um dia na vida. A desvan-

tagem é não poder curtir a aposentadoria. @ Vinte por cento dos romanos não foram trabalhar em 11 de maio porque o sismólogo italiano Raffaele Bendani, em 1979, previu um terremoto em Roma nesse dia. O terremoto aconteceu. Mas em Múrcia, na Espanha. @ Pense rápido! Por que 20% dos romanos não foram trabalhar no dia da previsão do terremoto? Como eles podiam saber se o tremor derrubaria seus locais de trabalho e não suas casas? @ Pense mais rápido! No dia da previsão de um terremoto em sua cidade,

o problema ao banco, sem identificação do bancário. O Sindicato também vai encaminhar as denúncias para a Contraf-CUT e para a Federação Interestadual dos Bancários RJ-ES.

60 dias para solução O banco denunciado terá 60 dias corridos para concluir a investigação e dar uma resposta ao Sindicato, que comunicará o resultado ao bancário denunciante. Durante este período, está proibida a divulgação dos fatos. O sigilo sobre o nome dos envolvidos será mantido pelo Sindicato para sempre, evitando qualquer tipo de represália ou responsabilidade civil.

Marcelo Quaresma mqtiragosto@uol.com.br você ficaria em casa, iria para o trabalho ou viajaria para outra cidade bem longe? Então, quem ficou em casa não acreditava no terremoto. Só queria vadiar. @ Os 89% dos norte-americanos que apoiaram o assassinato de Bin Laden também estão tremendo. Os outros 11% já estavam. Eles não sabem onde fica o Paquistão. Só sabem que fica longe. E que o dia deles está cada vez mais perto. @ Pense rápido! Onde fica o Paquistão? E o Afeganistão? E o Azerbaijão? E o Cazaquistão? E o Turcomenistão? E o Uzbequistão? E o Curdistão? Você não sabe? Os norte-americanos também não!

@ Música da semana nos Estados Unidos: “O Paquistão? É aqui! O Afeganistão? Também é aqui! E o Curdistão? Fica por aí!”. @ Desde 2001, os Estados Unidos procuravam Bin Laden “vivo ou morto”, mais morto que vivo, nas cavernas do Afeganistão, cercado de talibans. Dez anos depois, encontraram Bin no Paquistão, acercado de mulheres, assistindo na TV a seus melhores momentos e vídeos pornô para melhorar seus momentos... Que Inteligência matar o velhinho, hein? @ Será que Osama Bin Laden vivia com uma aposentadoria fraudulenta do INSS do Paquistão?


Tribuna Bancária nº 349