Page 28

SGT PAULO REZENDE / Agência Força Aérea

TREINAmENTOS

OPERACIONAL Força Aérea realiza Exercícios Operacionais e testa capacidade de combate de suas aeronaves e tripulações EVELLYN ABELHA HUmBERTO LEITE ÍRIS VASCONCELLOS EmILLE CÂNDIDO JOÃO ELIAS

U

m C-130 Hércules com 35,2 metros de comprimento voa a sua velocidade máxima a menos de 10 metros da copa das árvores para fugir da artilharia antiaérea. Um helicóptero H-36 Caracal, com todas as luzes apagadas e com sua tripulação equipada com óculos de visão noturna, faz um pouso tático em uma clareira e, em menos de um minuto, uma tropa especial desembarca e resgata um militar perdido atrás das linhas inimigas. Caças atingem seus alvos a dezenas de quilômetros de distância com uso de mísseis inteligentes. Aviões de patrulha marítima localizam e combatem submarinos nucleares. Quilômetros acima do solo, aeronaves-robôs monitoram alvos e mandam informações ao vivo para centros de Comando e Controle. As ações descritas parecem cenas de uma guerra aérea moderna, e são. Todas foram realizadas por aeronaves da Força Aérea Brasileira entre os meses de agosto e outubro durante uma série de treinamentos realizados no Brasil e no exterior. Praticamente todas as unidades aéreas foram treinadas em ações envolvendo tecnologias e táticas incorporadas há poucos anos. Mesmo quando as aeronaves em voo não eram recentes, como os C-130 Hércules, as missões em nada lembravam doutrinas já ultrapassadas. “Apesar de todas as nossas dificuldades, nós estamos muito bem preparados, quase que explorando 100% das nossas possibilidades”, disse o Tenente-Brigadeiro do Ar Nivaldo Luiz Rossato, do Comando-Geral de Operações Aéreas (COMGAR). Durante os exercícios operacionais, cada unidade pôde colocar em prática aquilo treinado no dia a dia, porém, ao lado de outros tipos de aeronaves, em um contexto mais complexo. “Esses exercícios são o coroamento do treinamento interno das unidades aéreas. Quando o piloto atinge determinado grau de maturidade, ele parte para essa união de todos os conhecimentos”, completa o Tenente-Brigadeiro Rossato. Confira nas páginas seguintes como aconteceram os exercícios operacionais da Força Aérea Brasileira.

28

Out/Nov/Dez/2014

Aerovisão

AEROVISÃO Nº 242 Out/Nov/Dez - 2014  

Operacional

AEROVISÃO Nº 242 Out/Nov/Dez - 2014  

Operacional