Page 80

80

REFERENCIAL GOVINT PARA A PROMOÇÃO DO ENVELHECIMENTO NA COMUNIDADE

catalisadores das estruturas e processos colaborativos. Alguns dos elementos de integração tecnológica mais referenciados na literatura são: • Registos eletrónicos de dados partilhados. Estes instrumentos permitem o acesso conjunto a informação partilhada e, deste modo, situar a informação onde ela é necessária para a prestação adequada de serviços integrados. Tal implica não só garantir os aspetos relativos ao consentimento informado, mas também à garantia de níveis de acesso informacional, de acordo com a informação estritamente necessária para a prestação de serviços integrados. Os registos eletrónicos são por excelência o instrumento facilitador do processo único individual, permitindo também integrar os cuidadores informais na prestação de serviços; • Comunidades de prática. Esta ferramenta permite partilhar conhecimento, experiências e dúvidas que possam surgir no processo colaborativo, promovendo a aproximação interdisciplinar; • Plataformas de ligação entre serviços. Estes elementos de integração estão dependentes da disponibilidade de utilização das TIC na estruturação dos serviços integrados. Contudo, nos dias que correm é uma opção cada vez mais utilizada, dada a disponibilização e avanços tecnológicos que se têm registado nesta área. Os seus impactos observam-se na melhoria do planeamento dos serviços e na agilização da comunicação e a partilha de informação entre os serviços, formais e informais, e intersetoriais, bem como na possibilidade de aproximação dos serviços aos seus utilizadores. A implementação deste tipo de plataformas está geralmente associada a uma reengenharia dos processos de prestação de serviços; • Suportes eletrónicos de tomada de decisão. Este tipo de instrumentos permite a partilha da tomada de decisão nas diferentes fases do processo colaborativo, de acordo com a componente do serviço que está a ser prestado. Trata-se de instrumentos que procuram situar a decisão no tempo certo, no sítio certo e relativamente à pessoa certa. Os obstáculos mais comuns à operacionalização dos elementos de integração tecnológica são: • Falta de recursos financeiros para financiar as soluções TIC; • A necessidade de uma reengenharia constante dos processos colaborativos; • Baixa interoperabilidade entre sistemas informáticos setoriais; • Défice de competências e habilidades na utilização das TIC; • Barreiras legislativas, regulatórias e profissionais que dificultam a partilha de dados.

Profile for Instituto Padre António Vieira

Referencial GovInt para a Promoção do Envelhecimento na Comunidade  

Esta publicação é uma edição da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa e resulta do trabalho desenvolvido pelo Grupo de Trabalho dedicado às P...

Referencial GovInt para a Promoção do Envelhecimento na Comunidade  

Esta publicação é uma edição da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa e resulta do trabalho desenvolvido pelo Grupo de Trabalho dedicado às P...

Profile for ipav