Issuu on Google+

VIVA CASCAIS

EDIÇÃO SÃO DOMINGOS DE RANA

INFOMAIL

03

JORNAL DE CAMPANHA AGOSTO 2013

Propriedade: Coligação Viva Cascais Direção: Nuno Piteira Lopes www.vivacascais.pt

SOMOS SÃO DOMINGOS DE RANA Opinião Ana Clara Justino

Cascais: a Escola ao serviço das Pessoas pág 3

A Equipa Viva Cascais

Ana Sofia Bettencourt e Nuno Piteira Lopes pág 9

Conheça melhor o candidato

CARLOS CARREIRAS pág 8

Experiência e renovação nas nossas listas pág 4 e 5

JUNTE-SE A NÓS. NÓS SABEMOS POR ONDE VAMOS.

CARLOS CARREIRAS VOLTA A COLOCAR O ATLÂNTICO NO MAPA DE CASCAIS pág 6 e 7

2

As nossas propostas para São Domingos de Rana > Criar uma Universidade para a Terceira Idade > Requalificar e criar mais espaços verdes e parques infantis > Criar um Banco de Medicamentos para Seniores > Criar ‘cantinhos’ dedicados ao Chinquilho, à Malha e à Laranjinha > Criar novos centros de convívio e de apoio domiciliário nas coletividades > Dinamizar e abrir o Complexo Desportivo de São Domingos de Rana à sociedade civil e aos clubes da freguesia > Garantir um programa de troca para manuais escolares > Criar espaços de estudo e explicações para famílias carenciadas > Facilitar o acesso aos cuidados de higiene oral e de oftalmologia em parceria com as IPSS’s

TODOS SOMOS SÃO DOMINGOS DE RANA O único objetivo que nos move: servir as pessoas!

A

diversidade de pessoas que fazem parte da Comissão de Honra da candidatura de José Rodrigues prova que são muitos e cada vez mais os cascalenses que querem ver esta freguesia mudar. Mudar para começar a trabalhar com a Câmara e não contra o município. Na coligação Viva Cascais reconhecemos que São Domingos de Rana está longe de ser aquilo que nós queremos que a freguesia seja. Para nós há demasiado tempo que esta freguesia está sempre contra a Câmara, e contra as pessoas, em defesa de interesses partidários. No dia 29 de setembro abre-se uma nova oportunidade de aproximar de vez São Domingos de Rana da Câmara e tornar o nosso território ainda mais coeso e ainda mais uno em torno do único objetivo que nos move: servir as pessoas. Nós sabemos disso e a sociedade civil de São Domingos de Rana concorda connosco. Basta olhar para os muitos apoiantes e para a Comissão de Honra da candidatura de José Rodrigues e ver quem são os seus 15 membros: importantes figuras da atividade cívica e associativa da Freguesia que estão unidos em torno de José Rodrigues para que este chegue a Presidente de Junta da maior freguesia do nosso território. Este grupo de cidadãos independentes e não filiados partidariamente acredita acima de tudo em pessoas, mais do que em partidos. Acredita acima de tudo no rigor, na exigência,

“Quero fazer a diferença. Quero contar consigo para que esta freguesia esteja finalmente em sintonia com a Câmara e com Carlos Carreiras”.

na capacidade de trabalho, na honestidade, na competência e na paixão de José Rodrigues pelo compromisso de fazer mais e melhor em São Domingos de Rana.

Principalmente nesta altura em que muitos acusam os partidos de estarem fechados à sociedade civil, a candidatura Viva Cascais à Assembleia de Freguesia de São Domingos de Rana veio mostrar que afinal há quem oiça e dê voz

às pessoas. E para dar ainda mais voz às pessoas, para ter uma Câmara presente e para poder ver concretizadas as nossas ambições precisamos de José Rodrigues na

Comissão de Honra da candidatura de José Rodrigues Américo Jorge, feirante

José Espírito Santo, aposentado

Ana Daniela Brites, fisioterapeuta

José Ramalho, dirigente desportivo

António Carvalho da Silva, aposentado

Júlio Duarte, bancário

António Manuel, feirante

Maria Fátima Mendes, assistente social

Alzira Pais, auxiliar de ação educativa

Nuno Almeida, dirigente associativo

Fernanda Miranda, empresária

Paulo Borges , dirigente desportivo

Fernando Lopes , dirigente desportivo

Tatiana Ricardo, fisioterapeuta

Florindo Freixo, empresário

É a minha Freguesia. Foi aqui que cresci e é aqui que estão as minhas raízes. Não escondo o orgulho que tenho em ser o primeiro Presidente da Câmara Municipal de Cascais com origem em São Domingos de Rana. Mas também não escondo a desilusão alimentada pela sensação de saber que São Domingos de Rana está tão longe daquilo que nós queremos que a Freguesia seja. Para que se cumpra São Domingos de Rana, é preciso ter na Junta um presidente rigoroso, exigente, capaz de trabalhar com a Câmara Municipal pelos interesses da população que o elegeu. Precisamos de alguém como o José Rodrigues. Pelo contrário, não precisamos de gente que está sistematicamente contra a Câmara Municipal, e contra as pessoas, porque só sabe defender o seu partido.

CARLOS CARREIRAS Atual Presidente e candidato à presidência da Câmara Municipal de Cascais

Que fique claro que o meu compromisso é para com todos os cascalenses. Mas no exercício presente e futuro da presidência da Câmara Municipal de Cascais, São Domingos de Rana será uma prioridade. Para ter uma Câmara presente em São Domingos de Rana, para poder concretizar as nossas ambições, precisamos todos do José Rodrigues na presidência da Junta de Freguesia de São Domingos de Rana.

3

Opinião

CASCAIS: A ESCOLA AO SERVIÇO DAS PESSOAS

Ana Clara Justino

Vereadora com o pelouro da Educação

O

município de Cascais entende a política educativa partindo do planeamento e visão integrada na educação, considerando o território educativo como um todo, como uma força viva de recursos e dinâmicas fortemente enraizadas nas comunidades que constituíram com a autarquia uma rede agregadora e transversal, reforçando e ampliando o papel do município nas suas competências para a educação.

TESTEMUNHOS

Foi deste enquadramento que nasceu e se concretizou o novo edifício escolar, espaço de educação e cultura, símbolo dessa intervenção descentralizada, recolocando a escola nos bairros como verdadeiro espaço público

aberto à comunidade. Estas novas escolas, de 1º ciclo e pré-escolar, fruto de um fortíssimo investimento de dinheiros públicos, alteraram a dinâmica social de recorrente orientação para o litoral e colocaram em Alcabideche\Alto da Peça, Matocheirinhos\Rómulo de Carvalho, Areia-Guincho, entre outras, novos polos de atratividade, configurando-se estes equipamentos como exemplo e excelência para todo o território. É na interdependência e complementaridade com a comunidade que se desenvolve a estrutura de intervenção educativa, integrando as IPSS, juntas de freguesia e associações de pais em programas de complementaridade educativa, estabelecendo padrões de qualidade no campo da aprendizagem pela arte, tempo livre e educação não formal que são hoje referência para todos que connosco entendem o ensino num amplo espectro e que dão um novo significado à palavra escola. Desenvolvemos uma rede de ludotecas articuladas com as bibliotecas escolares, abrindo-as à comunidade, mudando o panorama dos recursos educativos locais, desenvolvendo polos de criatividade e cidadania ativa. Querendo paridade para a oferta

Eu acredito em Carlos Carreiras. Ele tem obra feita no presente e tem ideias muito claras para o futuro. É um grande Presidente, é o Presidente que o concelho de Cascais precisa

Escola Alto da Peça em Alcabideche

Escola Rómulo de Carvalho em Matocheirinhos

Escola EB1 Areia-Guincho

“Desenvolvemos uma rede de ludotecas articuladas com as bibliotecas escolares, abrindo-as à comunidade”

pública no largo espectro da oferta educativa do município, a Autarquia, é também parceira na promoção do ensino como instrumento de futuro, desde a oferta profissional de qualidade, apoiando equipamentos e parcerias, à integração das crianças com necessidades educativas especiais permanentes, criando espaços adequados ao desenvolvimento das suas competências, apoiando terapias e recursos adaptados, desenvolvendo uma

sistema de transporte adaptado para apoio a estas famílias.

Ana Teresa Lima Empresária

Francisca Abreu Lima Assessora de direção

Fátima Serrano Assistente social

“Sou mãe de três crianças e para mim a educação e a saúde são fatores primordiais. Este executivo tem uma preocupação muito grande em relação a estas questões por isso os meus filhos estudam em escolas públicas de qualidade e o meu centro de saúde - o de São Domingos de Rana - tem um cuidado extremo com os utentes”.

“Eu acredito em Carlos Carreiras. Ele não é um autarca qualquer. Ele é ao mesmo tempo um amigo, um conselheiro e um grande gestor. Ele tem obra feita no presente e tem ideias muito claras para o futuro. É um grande Presidente, é o Presidente que o concelho de Cascais precisa”.

“Sou cidadã de Cascais e apoio a coligação Viva Cascais pelo rigor, transparência, olhar profundo com que este nosso Presidente nos últimos anos nos habituou. Acredito que a sua nova presidência nos traga uma grande continuidade e novamente um grande empreendedorismo para Cascais”.

Hoje, a autarquia partilha com a comunidade educativa uma agenda estratégica para a educação que confere eficácia ao conceito de gestão local, descentralizando recursos, serviços e programas, sem com isso perder a visão de conjunto e o objetivo primeiro de qualificar e dar dignidade à oferta pública de educação, tornando-a opção para os pais.

4

Os candidatos Viva Cascais após uma ação de campanha no Mercado da Vila, em Cascais.

EXPERIÊNCIA E RENOVAÇÃO NAS NOSSAS LISTAS A coligação Viva Cascais formalizou a sua candidatura ao município e às freguesias de Cascais e entregou as listas de candidatos e candidatas que querem fazer mais e melhor pela nossa terra.

O

s candidatos da coligação Viva Cascais vistas à lupa: muitas mulheres, muitos jovens, muitos independentes, muita experiência e acima de tudo muita vontade e empenho para continuar a fazer de Cascais o melhor sítio para viver, trabalhar e passear. Mostrando que “Todos Somos Cascais” não é um slogan, é uma ideia, são 248 as cidadãs e cidadãos que compõem esta equipa que os cascalenses conhecem e em quem confiam. 248 candidatos divididos por sete listas: à Câmara Municipal de Cascais, à Assembleia Municipal, à Assembleia de Freguesia de Alcabideche, à Assembleia de Freguesia de Cascais e Estoril, à Assembleia de Freguesia de Carcavelos e Parede e à Assembleia de Freguesia de São Domingos de Rana. Em termos gerais, mais de duas dezenas são independentes e a presença feminina, 40%, mostra que vamos além daquilo que a lei obriga. Porque para nós

quem dita as regras não são as quotas: são as competências e os valores da igualdade e da liberdade. Mas na nossa lista também há o mundo e a tolerância que só diversidade cultural pode dar: os nossos candidatos têm origem em oito países diferentes. Por fim, nesta lista que é de todos, há lugar para a energia e o talento da juventude: um quarto da candidatura é composta por cidadãos com menos de 35 anos, sendo que os três mais novos têm 20 anos e o jovem há mais tempo tem uns experientes 89 anos.

Mulheres A lei portuguesa estabelece que as candidaturas devem ter um terço dos lugares (33,3%) ocupados por candidatas. Nós fomos além da lei e procurámos aumentar a presença feminina. Mais importante do que escolher mulheres para cumprir à legislação é escolher pessoas pela sua competência, homens ou mulheres, que

Francisco Pinto Balsemão formalizou a candidatura Viva Cascais

Francisco Pinto Balsemão voltou à atividade cívica como mandatário da coligação Viva Cascais. Foi pelas mãos do mandatário da Coligação Viva Cascais, Francisco Pinto Balsemão, que a nossa candidatura foi entregue no Tribunal de Cascais. Associando-se ao simbolismo do começo de uma longa viagem, que não terminará a 29 de setembro mas continuará

ao longo do mandato, Francisco Pinto Balsemão, foi o porta-voz da esperança que milhares de cascalenses depositam nas equipas da Coligação Viva Cascais liderada por Carlos Carreiras. O presidente e candidato à Câmara Municipal de Cascais, Carlos Carreiras, marcou pre-

sença num momento especial ao qual se associaram ainda Pedro Morais Soares, presidente da concelhia do CDS/PP de Cascais, o vice-presidente da Câmara Municipal de Cascais, Miguel Pinto Luz, assim como outros responsáveis pela candidatura.

5

estejam disponíveis para servir os cascalenses. Foi isso que fizemos e facilmente o limite mínimo exigido foi ultrapassado.

TESTEMUNHOS

Maria da Luz Domingos

Juventude Na lista à Câmara Municipal de Cascais a média de idades dos nossos candidatos é 37 anos. Sim, isso mesmo: 37 anos! É provavelmente uma das candidaturas mais jovem do país. O candidato nº1 da lista, Carlos Carreiras com 52 anos, está rodeado por jovens, dinâmicos e com uma visão inovadora do serviço público. E ainda há quem diga que os jovens não se interessam pela participação cívica… Na lista de 22 candidatos apenas três têm mais de 50 anos. Os restantes têm menos de 45. Aliás, há três candidatos, em rigor candidatas, na casa dos quarenta. Os restantes são sub-35.

Comerciante de peixe “Estou com a Coligação Viva Cascais porque o sr. Presidente Carlos Carreiras é uma pessoa acessível, uma pessoa que pode fazer muito por Cascais e ajudar o povo que necessita.”

Rita Bonvalot

Muitos sub45, muitas mulheres e muita experiência na candidatura da coligação Viva Cascais

O mais experiente

Estudante

e primeiro da lista, aceitou o desafio e tem a forte possibilidade de tornar-se o primeiro independente a presidir à Junta de Freguesia de São Domingos de Rana.

“Apoio a coligação Viva Cascais porque acho que estão a fazer um bom trabalho a nível da ação social. Sou voluntária e acho que a ação social é muito importante. E por isso acho que deve continuar.”

O mais jovem

Paula Oliveira

Vítor Veiga, 89 anos Chama-se Vítor Veiga e é candidato à Assembleia de Freguesia de Cascais e Estoril. Nasceu em Moçambique, Loureço Marques, atual Maputo, e licenciou-se em Ciência Económicas. Estudou também no Brasil onde tirou uma pós-graduação em Administração de Empresas. Vive em Outeiro da Vela há quatro décadas e tem 89 anos.

Nº1 da lista São Domingos de Rana é independente É em São Domingos de Rana que mais independentes quiseram juntar-se à coligação Viva Cascais. É um sinal que esta Junta de Freguesia, gerida há 40 anos pela esquerda, vê na nossa candidatura uma oportunidade única de aproximar-se do resto do município. São nove os independentes candidatos à Assembleia de Freguesia. José Rodrigues, o candidato a Presidente da Junta

Desempregada

As candidatas são quase 40% na coligação Viva Cascais. Francisco Canas, 20 anos

“Eu apoio a Coligação Viva Cascais e o dr. Carlos Carreias porque até hoje muita coisa foi feita pelo nosso concelho e eu gostaria que assim continuasse”.

Ana Mesquita

Também candidato à Assembleia de Freguesia de Cascais e Estoril, Francisco Canas fez 20 anos no início de Agosto de 2013. Estuda Relações Internacionais e a sua responsabilidade cívica fê-lo voluntariar-se para tutor de Bairro da Aldeia de Juso.

Jornalista

Os “estrangeiros” A diversidade do mundo está patente nos nossos quase 250 candidatos. São oito os países de origem dos diversos membros da coligação Viva Cascais, representando três continentes: Europa, África e América.

Bruno Nascimento (Alcabideche) e José Rodrigues (São Domingos de Rana), respectivamente o mais novo e o independente cabeças de lista na suas freguesias.

“Sempre votei aqui e acho que devemos dar a oportunidade ao Presidente em funções de ser eleito. O Carlos Carreiras é alguém que se preocupa em motivar as pessoas que o rodeiam. Não é pela sua cor política que o venho apoiar, é por aquilo que ele é como pessoa”.

6

Autor do livro ‘Com Vista sobre o Atlântico’ há muito que Carlos Carreiras defende o potencial do Mar para o concelho de Cascais.

MAR COMO DESÍGNIO:

CARLOS CARREIRAS VOLTA A COLOCAR O ATLÂNTICO NO MAPA DE CASCAIS Visão estratégica de Carlos Carreiras já está a permitir criar empregos altamente especializados e dinamizar turismo. “The World” (O Mundo): assim se chama o fantástico navio que, recentemente, esteve ancorado na Baía de Cascais durante três dias. À primeira vista, o “The World” parece um cruzeiro como tantos outros de luxo. É muito mais do que isso: é um condomínio de apartamentos que navega pelos mais exclusivos destinos do planeta. A bordo, traz mais de uma centena de multimilionários que, para terem um apartamento no navio, tiveram de desembolsar entre 1,5 milhões e 6 milhões de euros, consoante o tamanho da casa. Para além de te-

rem sinalizado Cascais no mapa dos grandes destinos de luxo, ao longo dos três dias, estes milionários passearam por Cascais e fizeram as suas compras em Cascais, como foi bem notório para quem passeou pelas ruas da vila nesses dias. Cascais, que há tanto tempo ambicionava ser um destino de cruzeiros, chegou finalmente a esse estatuto. A passagem do The World e de outos cruzeiros não é obra do acaso. É fruto de muito trabalho, de uma luta constante contra a burocracia instalada e também da capacidade de projetar a imagem do concelho no exterior. Mas o posicionamento de Cascais como destino de cruzeiros é apenas uma pequena parte de uma grande estratégia: a formação de um Cluster do Mar em Cascais, capaz de explorar todo o potencial da Economia do Mar. Cansado de um discurso fatalista muito ouvido em Portugal, Carlos Carreiras pôs mãos à obra. As reuniões preparatórias começaram ainda no tempo de vida de uma das maiores autoridades nacionais

na matéria, o Professor Ernâni Lopes, e continuaram depois com a sua equipa de especialistas da SAER liderada pelo Professor Poças Esteves. A equipa fez um exercício simples: olhou para a microgeopolítica e percebeu que há uma série de fatores distintivos que tornam Cascais um local extraordinário para um cluster do Mar. Para além das questões da geografia, a história também tem um papel importante. Ao longo dos 649 anos de Cascais, o Mar teve sempre um papel central na nossa narrativa coletiva. Cascais sempre foi um ponto de encontro e a ideia de Carlos Carreiras foi que Cascais voltasse a ser o centro a partir do qual a comunidade lusófona, na sua língua e identidades comuns, se potencia. Depois de muito trabalho de calibragem estratégica, avançou-se para a fase seguinte do projeto: apresentar o futuro centro de Mar de Cascais ao público. Os especialistas chamam-lhe ‘cluster’ - em bom português, um ‘cluster’ mais não é do que um aglome-

Cascais quer continuar a ser um destino na rota dos cruzeiros e também da naútica de recreio.

“Mudar o estado de coisas implica potenciar a internacionalização das nossas empresas, implica renovar a afirmação marítima de Portugal no mundo. ” Carlos Carreiras

rado de empresas que, coabitando no mesmo local e ocupando segmentos de atividade semelhantes, comunicam e colaboram entre si para ganharem escala e serem mais eficientes. Por norma, os clusters são grandes inovadores e criadores tanto de cadeias de valor acrescentado como de postos de trabalho. Consoante a vocação dos territórios e das empresas, formam-se vários ‘clusters’: o ‘cluster’ informático, o do calçado, o do vinho e por aí em diante. Em Cascais, as características

7 do território, a nossa vocação e a nossa história, acompanhadas pela necessidade de criar valor e mais postos de trabalho, só podia levar á criação de um Cluster do Mar.

Cascais pretende continuar a formar velejadores e a acolher eventos internacionais de náutica e vela

E o que vai ser, afinal, esse Centro de Mar de Cascais? Para já, o Centro de Mar de Cascais é um modelo que assenta em quatro pilares que correspondem: (1) Náutica, (2) Saúde e Bem-estar, (3) Conhecimento e investigação, (4) Turismo. É a partir destas quatro áreas que todo o conceito marítimo do concelho se desenvolverá, sem prejuízo para todas as outras áreas. Isto faz com que o Centro de Mar seja um espaço de investigação, de promoção e de conceção de eventos ligados à ciência, à náutica, ao ensino. Ou seja, Cascais pretende continuar a ter grandes competições globais de Vela e náutica (como a America’s Cup) mas também quer ser conhecida no mundo pela qualidade do ensino nos assuntos do Mar; quer ser uma referência no turismo pela qualidade das praias, do património edificado, ou pela excelência dos cuidados de saúde, mas deseja também que os operadores económicos locais encontrem no Mar um horizonte de qualidade, de inovação e de empreendedorismo.

O QUE DIZEM OS SURFISTAS Zsolt Lorincz, bodyborder “Eu apoio a Coligação Viva Cascais porque sinto que tem trazido coisas boas à nossa praia, veio dar mais qualidade aqui aos desportistas de Carcavelos”. Francisco Vidal, gestor “Eu apoio a Coligação Viva Cascais porque o dr. Carlos Carreiras tem dado um apoio notável no desenvolvimento do surf em Cascais e eu quero essa continuidade” Miguel da Câmara Pereira, surfista

PONTOS FORTES DO CENTRO DO MAR > Cria, nas estimativas mais conservadoras, entre 950 e 1180 postos de trabalho. > Requalificação da Marina de Cascais e mais 4 rampas de acesso ao Mar > Valorização do Pescado e do Marisco > Aposta na investigação, educação e ciência

“Como praticante de surf apoio a Coligação Viva Cascais porque me permite viver e trabalhar do melhor recurso que o nosso concelho tem para nos dar que é o mar”

O QUE DIZEM OS PESCADORES António Ramos, Presidente da Associação de Armadores e Pescadores de Cascais “Eu apoio a Coligação Viva Cascais porque o sr. Presidente da Câmara, o Vice-presidente da Câmara e o senhor vereador das Atividades Económicas tem sido pessoas sempre disponíveis para ajudar os pescadores de Cascais. A nossa Associação tem um projeto de saúde que dá consultas a todos os munícipes necessitados no concelho de Cascais. E o sr. Presidente tem-nos apoiado muito”. João Ferreira, Pescador

A pesca é uma tradição de Cascais que hoje continua a gerar emprego. EMPRESAS. A Optimal Strutural Soluctions é um desses exemplos de empreendedorismo e de criação de valor no ‘cluster’ do mar de Cascais. Formada por pessoal de elevadas qualificações (emprega 24 engenheiros aeronáuticos, por exemplo) a empresa trabalha em materiais compósitos tão avançados que tem entre os seus clientes equipas de Formula 1 e até a NASA. Atualmente, a Optimal está a desenvolver um catamaran de alta tecnologia, que irá competir em provas internacionais. Mas nem só de alta tecnologia vive o mar. A valorização do Pescado e do Marisco, um setor tradicional de Cascais, também pode valer mais 100 postos de trabalho na economia.

EDUCAÇÃO. Dentro desta visão integrada do papel que o Mar pode ter em Cascais, a Câmara Municipal foi a primeira autarquia do país a investir na Educação para o Mar, promovendo o “Kit do Mar”, lúdico mas pedagógico, que se transformou num caso de sucesso nacional. Para além disso, ainda protocolou com as escolas a vivência do Mar como parte do ensino. Cada vez mais as escolas e os alunos vão viver próximos do mar. A aposta na investigação, conhecimento e cultura marítima é outra das traves mestras deste projeto que assentará também em novos polos universitários. DESPORTO E ACESSO AO MAR. Outra das mudanças essenciais na gestão do Mar teve que ver com o

acesso à água. A escassez de pontos de acesso tem sido um problema recorrente para todos aqueles que querem usufruir do Atlântico – sendo por razões profissionais ou lúdicas. Por isso, na revisão do Plano de Ordenamento da Ordem Costeira vão ser multiplicados os pontos de acesso, criando quatro novas rampas de acesso ao mar com a dinâmica turística e económica que tal medida implica. As grandes provas internacionais e a criação de um Centro Internacional de Surf e de um de Centro Internacional de Vela são também essenciais para a dinâmica económica. A requalificação da Marina de Cascais, tornando-a mais atrativa, também será indutora de mais investimentos e postos de trabalho. Do sonho à realidade, o Centro de Mar começou a ganhar forma em dois anos. Em Cascais, Carlos Carreiras nunca acreditou na conversa fatalista e derrotista da crise. “Mudar o estado de coisas implica potenciar a internacionalização das nossas empresas, implica renovar a afirmação marítima de Portugal no mundo. Implica pensar modelos de desenvolvimento que prometam um futuro de inovação, de emprego e de oportunidades. É isso que justifica o nosso regresso ao Mar”, afirma o candidato do coligação Viva Cascais. Como prova a passagem do “The World” pela Baia, o Mar é um mundo de oportunidades que só agora Cascais começa a descobrir.

“Apoio a Coligação Viva Cascais porque sendo Cascais uma vila piscatória por tradição, sendo a pesca uma atividade que emprega muita gente e que ajuda também no comércio local é importante continuar a sentir o apoio da Câmara e da Junta de Freguesia. Só assim é possível não deixar «morrer» esta atividade e que a pesca perdure por muitos e mais anos”. António Carvalho, Presidente da Associação de Profissionais da Pesca de Cascais “Eu estou com a Coligação Viva Cascais porque as pessoas que estão à frente desta Câmara há alguns anos têm ajudado os pescadores TODOS. São pessoas que respeitam os pescadores. São pessoas que quando nós temos problemas resolvem-nos rapidamente. São pessoas que nós encontramos na rua e falam connosco, não fogem ao confronto, estão sempre abertos a tudo”.

O QUE DIZEM OS VELEJADORES Gustavo Lima, velejador olímpico “Sendo o mar o cartão de visita de Cascais eu teria de apoiar a Coligação Viva Cascais. A Vela desenvolveu-se a vários níveis: desporto escolar, alta competição, projetos olímpicos, eventos internacionais... Portanto, esta Coligação tem tudo para dar certo. Obviamente que temos coisas para fazer no futuro, temos objetivos para cumprir e vamos cumpri-los”. Francisco Andrade Rebelo, velejador olímpico Eu estou com a Coligação Viva Cascais porque vejo uma equipa empenhada que muita força tem dado ao desporto. É preciso continuar a apostar no desporto jovem para conseguirmos uma população mais saudável e melhores resultados desportivos no futuro”.

8

CONHEÇA O CANDIDATO CARLOS CARREIRAS Descubra um pouco mais sobre a vida do atual presidente da Câmara Municipal de Cascais. Um homem que tudo o que conquistou foi fruto do seu trabalho e do seu empenho.

S

ão meras coincidências mas, ainda assim, apontam para que o destino de Carlos Carreiras só podia cruzar-se com Cascais. Cascais nasceu a 7 de junho de 1364; Carlos Carreiras, precisamente no mesmo dia, 597 anos depois. “Por fazer anos no dia do Município, nos últimos anos e pelas responsabilidades inerentes às funções que desempenho, não tenho podido passar o meu aniversário com a minha família” confessou em tempos o candidato, acrescentando logo de seguida: “Contudo, tenho tido o enorme privilégio de passar o meu dia juntamente com a minha família mais alargada, a grande comunidade de Cascais.” Curioso, também, que as iniciais da Câmara Municipal de Cascais, C.M.C, coincidem com as de Carlos Manuel Carreiras. Mas deixemos as coincidências porque a vida do candidato está cheia de referências que dizem muito da nossa terra.

Com intervenção política no concelho desde muito jovem, recorda-se bem das reuniões políticas feitas “quase” na clandestinidade em São Domingos de Rana, onde viveu desde criança, Carlos Carreiras conhece como ninguém os problemas das pessoas e do concelho, ainda que só tenha assumido um papel executivo nos destinos da Câmara a partir de finais de 2005, depois de já ter desempenhado funções na Assembleia Municipal. Começou a trabalhar aos 17 anos, numa fábrica na Abrunheira, concelho de Sintra, e depois de ter estudado nos Salesianos e no Liceu de Carcavelos, veio a concluir os seus estudos à noite no Instituto Superior de Contabilidade e Administração de Lisboa. Como o próprio já referiu, “a vida tem-me dado muitas primaveras, mas ainda assim já passei alguns Outonos e até um ou dois Invernos que só me preparam mais para a vida.”

Gestor de profissão, Carlos Carreiras concluiu os seus estudos à noite no ISCAL.

Carlos Carreiras sabe, melhor do que nunca, qual é o caminho que quer caminhar: “Cascais, a minha vocação e onde quero viver para sempre.”

Carlos Carreiras é pai de cinco filhas.

Mais tarde, já casado e a viver na Parede, Carlos Carreiras abraçou exigentes desafios profissionais em grupos empresariais nacionais no ramo da hotelaria e dos produtos de grande consumo. A experiência levou-o a fazer frequentes pontes aéreas entre Lisboa e África Lusófona, numa

primeira fase, e depois com o Brasil. As funções de administração, impunham que que a sua vida se processasse em ciclos de duas semanas: duas fora do país, duas em Cascais. “Passava horas dentro de aviões, um tempo que aproveitei para atualizar os meus conhecimentos nos temas da globalização, do papel das cidades como motores de crescimento e, na reflexão destas ideias, desenvolvi o conceito de glocalização – ou como o local pode afirmar-se no global.” Foi um período que lhe mostrou os problemas com que se depara um decisor político local, seja em mega urbes como Rio de Janeiro ou São Paulo ou em aldeias remotas perdidas em África. Apesar dos desafios intensos no mundo das empresas é a política autárquica que lhe enche as medidas: “Tive um percurso de

enorme realização profissional nas empresas onde estive e onde desenvolvi projetos únicos, e de grande dificuldade, mas tem sido na Câmara Municipal de Cascais que tenho sentido uma realização plena.” A família sempre ocupou um lugar central na vida de Carlos Carreiras. Casou e foi pai da primeira das cinco filhas, aos 24 anos. A cada uma delas, aos 18 anos, dá como presente uma carta especial. “É acima de tudo um testemunho de vida que chega às 50 páginas. É aquilo que sinto que, como pai e amigo, devo dizer-lhes porque já fiz o caminho que os jovens de 18 se preparam para fazer.” Aos 52 anos, Carlos Carreiras sabe, melhor do que nunca, qual é o caminho que quer caminhar: “Cascais, a minha vocação e onde quero viver para sempre.”

9

A EQUIPA VIVA CASCAIS A partir desta edição iremos dar a conhecer a equipa da coligação Viva Cascais, em especial os candidatos à vereação. Fique a conhecer as histórias de vida das pessoas em quem confia para continuarem a fazer mais e melhor pela sua terra.

Ana Sofia Bettencourt Candidata a Vereadora da Câmara Municipal de Cascais É diretora de uma Escola Profissional e deputada à Assembleia da República onde, para além de coordenar os deputados do PSD eleitos pelo círculo de Lisboa, é uma das parlamentares especialistas em assuntos sociais – “área que me interessa para resolver os problemas das pessoas”. Já foi vereadora na Câmara Municipal de Lisboa e, ainda antes da política ao mais alto nível, na capital ou no Parlamento, passou pelo mundo das empresas privadas. Aliás, ainda muito jovem, teve o seu primeiro trabalho numa agência de viagens de Cascais, a Vituca. A estrear-se nos “entas”, nasceu em 1972, a vida de Ana Sofia Bettencourt tem sido recheada de desafios pessoais e profissionais. “Perdi os meus pais, ainda muito nova, e isso mudou a minha perspetiva da vida. Com

18 anos, passei a viver sozinha e a ter preocupações que os jovens dessa idade normalmente não têm. Estudei, trabalhei e felizmente correu tudo bem”, lembra em retrospetiva Ana Sofia Bettencourt, não escondendo que o caminho que fez influencia o entendimento político que tem do mundo: “Acredito que cada um também tem de procurar as soluções para os seus próprios problemas. Nem tudo depende do que os outros podem fazer por nós; depende essencialmente daquilo que cada um pode fazer por si mesmo.” Filha de militar piloto aviador, Ana Sofia nasceu em Luanda durante uma das comissões do pai que fazia com que a família Bettencourt andasse frequentemente com a casa às costas – na Guiné, em Luanda ou, mais tarde, nos Açores. Ana Sofia

Bettencourt não vive sem letras e mantem um registo de leitura atlético: “Leio três livros em simultâneo”, confessa, manifestando preferência por romances históricos, política contemporânea e obras ligadas ao trabalho parlamentar. Política de “convicções fortes e leais” lamenta não ter vivido no tempo de Francisco Sá Carneiro. E explica porquê: “Foi uma época fascinante do ponto de vista da ação política e da inte-

O primeiro emprego de Ana Sofia Bettencourt foi numa agência de viagens, em Cascais. ração das pessoas com o desejo de querer fazer e construir algo novo.” Tal como na transição da década de 70, também hoje o país vive um tempo “extraordinário para pessoas extraordinárias” e nas palavras de Ana Sofia, é necessária “menos politiquice e mais ação concreta.” É isso que a move. E numa vida cheia

de desafios superados, Cascais é o próximo: “A equipa da atual maioria fez um grande trabalho e permitiu reestruturar Cascais, corrigir os erros do passado, e dar uma visão estratégica que faz deste concelho uma referência na Área Metropolitana e no país. É para esse trabalho que quero contribuir.”

Nuno Piteira Lopes

Nuno Piteira Lopes destacou-se na sua juventude como guardarede de hóquei em patins.

Nasceu em Cascais, cresceu em Cascais, estudou em Cascais, casou em Cascais, vive em Cascais e trabalha em Cascais. Nuno Piteira Lopes tem uma vida cheia de Cascais. E é assim que quer que as coisas continuem. “Cascais é tudo e não me imagino, nem por um segundo, a viver sem esta terra e sem estas pessoas.”

“A equipa da atual maioria fez um grande trabalho e permitiu reestruturar Cascais, corrigir os erros do passado, e dar uma visão estratégica que faz deste concelho uma referência na Área Metropolitana e no país”.

Vereador, diretor de campanha e candidato à Câmara Municipal de Cascais

Nuno foi trabalhar após concluir o curso - a experiência fez dele um forte defensor do ensino técnico e profissional:

Foi no dia 30 de setembro de 1978 que Nuno começaria esta relação umbilical com Cascais. Filho de uma professora e de um empresário, Nuno passou toda a sua adolescência em Alcabideche mas é no Externato Europa em Cascais que aprende as primeiras letras do alfabeto. Mas como o futuro se encarregaria de mostrar,

“Temos de saber olhar para o ensino sem preconceito, a Alemanha é a maior potência industrial da Europa também porque tem um ensino profissionalizante popular e de qualidade” eram os números que lhe davam mais gozo. Ainda com os anos a poderem contar-se pelos dedos de uma mão, passa para a Escola Salesiana do Estoril onde se des-

taca também como guarda-redes da equipa de hóquei da juventude salesiana. “Xico”, como ficou conhecido desses tempos, era um jogador “exemplar” e foi colega de nomes do Hokey como Bruno Leste ou Filipe Pinto Gomes, e de grandes treinadores como Carlos Garrancho, Manuel Pereira e o Padre Miguel. Fica ligado aos salesianos até aos 19 anos, altura em que deixou de defender as redes da equipa. Foi nos vintes que Nuno fez todo o seu percurso académico. Com uma licenciatura pré-bolonha em Economia, dividia o seu tempo entre as aulas e o trabalho na drogaria do pai, na Torre. Aos 23 anos casa com Elizabeth de 25, também economista, também licenciada no mesmo período e no mesmo local. Curiosamente, não se conheceram nos bancos da universidade, mas sim no Instituto de Formação Tecnológica de Cascais para onde Nuno foi trabalhar após concluir o curso – a experiência fez dele

um forte defensor do ensino técnico e profissional: “Temos de saber olhar para o ensino sem preconceito, a Alemanha é a maior potência industrial da Europa também porque tem um ensino profissionalizante popular e de qualidade.” Aos 24 tem o primeiro filho. Hoje, aos 34, está por dias o terceiro. Quadro Superior da Cruz Vermelha Portuguesa, nos últimos dez anos, passou pela Delegação da Cruz Vermelha Portuguesa da Costa do Estoril e, ainda jovem, ocupou diversos lugares na administração municipal merecendo sistematicamente a confiança de várias presidências nas suas competências. É hoje o vereador com os pelouros da Juventude, Freguesias, Licenciamento Economico, Coletividades e Finanças e Património da Câmara Municipal de Cascais. E, para Nuno Piteira Lopes, nada mais importante do que “o rigor na gestão.” Ou não fosse ele um economista, um homem de contas certas.”

10

EDITORIAL

PASSATEMPOS

Sudoku

Nuno Piteira Lopes Diretor de Campanha

Gosta de viver em Cascais? Nas próximas semanas vamos continuar a falar muito sobre a obra que está a ser feita. Não o vamos fazer por nostalgia ou vaidade. Vamos fazê-lo porque queremos ser avaliados. Política à parte, partidos à parte, campanhas à parte, no fim do dia tudo se resume a uma simples pergunta: gosta de viver em Cascais? Gostar de viver em Cascais é uma soma de partes. Significa que os passeios estão arranjados e limpos, que há escolas em condições para os nossos filhos, que há mais espaços verdes e que estão bem tratados. Significa que há vida nas ruas, que há comércio local, que há dinâmica no turismo, que há oportunidades de trabalho. Sobretudo significa que há uma ideia para o futuro e que daqui a quatro anos Cascais estará ainda melhor. E muitas vezes passamos por uma estrada e nem sabemos quem a arranjou. Passamos por um parque infantil e nem nos lembramos como era aquele espaço antes.

são eleitos. É para isso que há eleições. Assim, nesta campanha, é quase tão importante falar de presente como de futuro. Nesta campanha, de uma forma ou de outra, vamos todos responder às mesmas perguntas: Cascais está melhor? Gosta do que está a ser feito? Mais do que chavões, lugares comuns e frases em cartazes a melhor forma de mostrar o que somos capazes de fazer amanhã é mostrar tudo o que estamos a fazer agora. A melhor forma de mostrar como será Cascais em 2017 é mostrar como é Cascais em 2013. Nós queremos mesmo que nos avalie. Nós queremos mesmo que avalie o trabalho que está a ser feito. Queremos mesmo que responda à pergunta: gosta de viver em Cascais? Esta é a melhor campanha que podemos fazer. A mais genuína. E certamente mais eficaz que todos os lugares comuns dos cartazes e da política.

Escreva uma frase criativa Escreva uma frase criativa, com as seguintes expressões e palavras: Viva Cascais, Carlos Carreiras e Vitória. Envie, juntamente com os seus contactos, para o email participe@vivacascais.pt, colocando no assunto “passatempo vivacascais”. A melhor frase será publicada no próximo número do jornal.

VIVA CASCAIS

Gostar de viver onde vivemos é responsabilidade da Câmara M unicipal. É trabalho do Presidente da Câmara e da sua equipa. É para isso que

SOMOS CASCAIS

Um final de tarde Viva Cascais na Praia das Avencas, Parede.

11

SOMOS SÃO DOMINGOS DE RANA

CARLOS CARREIRAS

Atual Presidente e Candidato à Presidência da Câmara Municipal de Cascais

JOSÉ RODRIGUES

Candidato à Presidência da Junta de Freguesia de São Domingos de Rana

SOMOS SÃO DOMINGOS DE RANA LISTA DE CANDIDATOS À ASSEMBLEIA DE FREGUESIA DE SÃO DOMINGOS DE RANA

José Rodrigues Aposentado

Carla Valente de Almeida

Jean Pierre Baronet

Maria Inês Catarino

Jorge Marques

Gestor

Jurista

Luís Gil

Ana Brites

José Cardoso

Engenheiro

Professora

Jurista

Técnico Superior de Turismo

David Santos

Técnica de Linguística

Estudante

Maria Inês Soares

Ana Cristina Vasconcelos

Aposentado

Técnica de educação ambiental

Arminda Maria Oliveira

José Pimentinha Matos

Socióloga

Assistente Técnico de Educação

Gonçalo Batista

Luís Delgado

Sofia Rocha

Gestor

Motorista de turismo

Estudante

Advogada

Ana Filipa Máximo

António Pimentel

Hugo Fernandes

Gestor

Engenheiro Civil

Ambrósio Costa

Joana Baptista

Pedro Caldeira

Engenheiro

Professor

Advogada estagiária

Economista

Ana Clara Salgado

Ana Catarina Carneiro

Administrativa

Estudante

Margarida Cordeiro Técnica de formação

Carlos Albino

Olga Afonso

Encarregado geral

Secretária

João Lopes Nunes

Carlos Martinho Empresário

Aposentado

Jorge Dias da Luz técnico telecomunicações

Jurista

Nuno Teixeira

Rui Silva Pinto

Nélson Morgado

Luís Chaves

Guilherme Rodrigues

Empresário

Ajudante de mecânica

Gestor

Ana Rita Barata

Diogo Silva

Designer gráfica

Administrativo

Guilherme Anastácio

Ana Paula Martinho

Empresário

Assistente financeira

Vivo em São Domingos de Rana há 22 anos. Comecei a trabalhar aos 14 anos e sempre gostei de desporto. Trabalhei muito tempo no Porto de Lisboa mas foi como presidente do Tires que mais me realizei. Conheço muito bem as gentes desta terra e é a fazer coisas por elas que me sinto bem. Fui dirigente sindical e sei bem que a freguesia de São Domingos de Rana é uma freguesia de gente de trabalho. De gente que tudo o que tem é fruto do seu esforço e do seu empenho. Gente que faz pelos filhos, aquilo que os pais fizeram por eles. JOSÉ RODRIGUES Candidato à Presidência da Junta de Freguesia de São Domingos de Rana

Candidato-me à Presidência da Junta de Freguesia de São Domingos de Rana porque quero fazer a diferença. Quero contar consigo para que esta freguesia esteja finalmente em sintonia com a Câmara e com Carlos Carreiras. Quero meter mãos à obra para tornar São Domingos de Rana mais próspera e mais alegre. Já me disseram que é impossível… mas acredito que juntos, conseguimos fazer dos impossíveis possíveis. E esta terra só tem a ganhar com isso. Junte-se a nós. Viva São Domingos de Rana. Viva Cascais. 


Jornal Viva Cascais#03 edição São Domingos de Rana