Issuu on Google+

Estudo

A INFRAESTRUTURA DE TRANSPORTES NO BRASIL

Índice

Introdução.......................................................................03 Copa de 2014 e Olimpíadas 2016...................................06 Infraestrutura de transportes ..........................................09 Imprensa e relevância sobre o tema...............................13 O que esperar da malha de transportes nacionais?.......14 Aplicabilidade..................................................................15 Comentários....................................................................16 Metodologia....................................................................17 Ficha técnica..................................................................18

2

A INFRAESTRUTURA DE TRANSPORTES NO BRASIL

Brasil - somos o quinto maior país do mundo em área - cerca de 8,5 milhões de km² - e também possuímos a quinta maior população mundial -aproximadamente 190 milhões de habitantes em 2010. Essas medidas justificam, dentre outras coisas, a grande variedade de paisagens e a intensa miscigenação da nossa população. Para suprir as grandes distâncias geográficas desse país com dimensões continentais, é necessária uma infraestrutura de transporte. Nesse sentido, o Brasil conta com quase 2 milhões de quilômetros de rodovias, cerca de 4.000 aeroportos (34 internacionais), 37 grandes portos, 50.000 quilômetros de hidrovias e cerca de 30.000 quilômetros de ferrovias. Entre todas essas opções, a forma mais utilizada pelos brasileiros para o transporte são as estradas espalhadas pelas cinco regiões. A malha rodoviária brasileira comporta uma frota de aproximadamente 60 milhões de veículos (entre carros, caminhões, ônibus, etc.), segundo dados do Denatran/2009. Contudo, em 2011, a previsão é de que algo inédito venha a acontecer no sistema de transporte nacional: o número total de passageiros de avião deve ultrapassar em 10% o contingente de passageiros de ônibus, conforme afirmou a ABETAR (Associação Brasileira das Empresas de Transporte Aéreo Regional). Na medida em que a concorrência cresceu, os preços das passagens aéreas abaixaram. Também neste contexto, a ascensão da Classe C fez com que o consumidor não hesitasse em trocar as rodoviárias pelos aeroportos, devido principalmente, ao conforto e à agilidade do transporte aéreo. Um fato que está aumentando a repercussão sobre a infraestrutura brasileira é a Copa de 2014 no Brasil. A maior preocupação diz respeito à capacidade do país abrigar o evento daqui a três anos. O sistema de ligação e mobilidade dos atletas, público e turistas é um dos temas que vem sendo mais questionado. Para compreender como os usuários avaliam o transporte brasileiro, e discutem a respeito nas redes sociais, assim como quais as possibilidades e os investimentos previstos para o meio apresentados através das mídias online, fizemos um monitoramento de cinco dias – 25 a 29 de março – e avaliamos uma amostragem de 10% do conteúdo capturado para compreender como está esta visão sobre os portos, aeroportos, rodovias e metrôs do país. 3

Interações por palavras-chave – plataforma postX 4,68%

13,38% Infraestrutura

35,37%

Porto 15,05%

Metrô Rodovia Aeroporto

31,51%

 Considerando quatro palavras-chaves importantes para simbolizar cada linha da malha de transporte do país, além da palavra-chave infraestrutura (e suas variações), temos um buzz considerável na rede. Foram mais de 11.500 interações a respeito das palavras-chave monitoradas. 

O maior número de menções foi a respeito de aeroportos, principalmente pelo interesse dos usuários em mostrar que estão indo ou já estão em um aeroporto. As citações são feitas tanto por “check-in” em redes de geolocalização quanto por comentários diversos.

Vamos entender um pouco, como estão atualmente as principais zonas de trafego dos transportes no país: Transporte Aéreo: Em matéria veiculada pelo portal Último Segundo do iG, podemos analisar que a situação do transporte aéreo no Brasil não é das melhores, confira: “Grande parte dos aeroportos do Brasil opera no limite e não dá conta da demanda pelos serviços de aviação civil. A conclusão é de um estudo publicado em maio pelo Instituto Brasileiro de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), que indica que a situação pode piorar ainda mais caso o Produto Interno Bruto Brasileiro (PIB) cresça num ritmo de 3,5% ao ano. Se isso ocorrer, a previsão é de que o mercado doméstico de transporte aéreo aumente em pelo menos três vezes nos próximos 20 anos.”

4

Transporte Rodoviário: As rodovias brasileiras possibilitam viagens que em outros países, só seria possível se fosse de avião. O transporte rodoviário é o principal sistema de transportes no país, no qual possui 1.355.000 KM de rodovias, que movimenta em torno de 56% das cargas e dos passageiros que transitam por nosso território. Transporte Ferroviário: recentemente o governo brasileiro buscou soluções para incentivar o uso de outros meios de transporte, diante disto podemos citar um destes esforços, que no caso idealiza a construção de um Trem de Alta Velocidade no eixo Rio-São Paulo, que nada mais é que um trem-bala que vai ligar as duas principais metrópoles do país. Transporte Hidroviário: É fato que o Brasil possui muitas bacias hidrográficas, porém há limitação neste uso. A Confederação Nacional de Transportes - CNT indica que apenas 13% deste meio é bem explorado em nossas águas. São aproximadamente 63 mil quilômetros de rios e bacias existentes em nosso país, no qual 40 mil deste número são navegáveis, porém apenas 13 mil quilômetros estão em uso. Transporte Marítimo: Dados da CNT apontam que o transporte marítimo ainda não apresenta todo seu potencial. A importância deste meio está ligada ao aumento da movimentação de cargas, no fortalecimento do setor de logística no mercado nacional e à geração de novos empregos. O transporte marítimo ainda enfrenta algumas dificuldades, como por exemplo, portos pouco estruturados, altas tarifas e processos burocráticos. Este setor movimenta mais de 350 milhões de toneladas de mercadorias ao ano. Sabe-se que o investimento para aperfeiçoar este sistema é bastante expressivo em números, visto isso, podemos afirmar que ainda faltam esforços para melhorar este quadro.

5

Copa de 2014 e Olimpíadas de 2016 O presidente da FIFA, Joseph Blatter, advertiu o Brasil em março, 28/03, sobre o atraso nos preparativos para a Copa do Mundo de 2014. O Brasil está, proporcionalmente, mais atrasado que a África do Sul, quando essa se preparava para o mundial de 2010. Blatter afirmou que é preciso ter pressa nos preparativos - “A Copa do Mundo é amanhã, e os brasileiros pensam que é depois de amanhã”. Além da questão dos estádios, há outro alerta: dos investimentos bilionários destinados às reformas dos aeroportos, apenas 2,4% saíram do papel. Como apontado em um estudo desenvolvido pela MITI Inteligência (http://fonte.miti.com.br/blog/as-melhores-empresasde-cada-setor-e-sua-participacao-na-web), a infraestrutura do setor aéreo é insuficiente para dar conta da demanda existente na alta temporada, além disto, as empresas de aviação estão com a imagem abalada, sofrendo inúmeras críticas e reclamações por parte dos consumidores. Considerando que a expectativa para a Copa e, posteriormente, para as Olimpíadas, é de um público muito superior ao ápice das altas temporadas de turismo, as mudanças na infraestrutura se tornam urgentes. Veja abaixo um levantamento publicado na revista Exame em março/2011 e realizado em parceria pela PwC e Urban Systems. O quadro demonstra um panorama de infraestrutura nacional e as metas para os próximos 15 anos: TRANSPORTES

São Rio de Belo Porto Salvador Brasília Paulo Janeiro Horizonte Alegre

Metrô | META: Ter um sistema igual ao de Seul Linhas existentes (em quilômetros) 65 41 14 42 28 34 Linhas a construir (em quilômetros) 238 130 59 27 36 25 INVESTIMENTO (em reais) 71,4 39 bi 17,7 bi 8,1 bi 10,8 bi 7,5 bi bi Ônibus | META: Sistema proporcional ao nº de habitantes Corredores existentes (em quilômetros) 301 24 43 Corredores a construir (em quilômetros) 700 400 100 100 150 150 INVESTIMENTO (em reais) 14 bi 8 bi 2 bi 2 bi 1,5 bi 950 mi Aeroportos | META: Operar com 80% da capacidade instalada Ocupação da capacidade instalada hoje 163 82 126 157 145 109 INVESTIMENTO (em reais) 4,6 bi 500 mi 880 mi 2 bi 1,5 bi 950 mi Fonte: Revista Exame - Urban System e PwC Hazem Galal, sócio da PwC especializado em cidades, disse que eventos como a Copa do Mundo e as Olimpíadas são catalisadores de investimentos em infraestrutura. Observa-se que, de longe, os investimentos em Metrô serão os que mais demandarão verba no futuro, totalizando mais de 150 bilhões somente nas seis cidades contempladas. Depois de acompanharmos o quanto os usuários de mídias sociais falaram sobre os pilares do transporte, vemos quais são os canais mais utilizados para tais manifestações:

6

Interações por mídias sociais – plataforma postX 0,04%

1,56%

3,96%

10,34% Reclamações Youtube 10,45%

Fórum Facebook

Blog 73,66%

Twitter

Os blogs se destacaram nesse levantamento, superando até o Facebook, principalmente por conta de diversos debates sobre os atrasos de obras, expectativas de construções e críticas às gestões.

O YouTube e Fóruns tiveram pouca representatividade, principalmente por serem redes pouco utilizadas no desenvolvimento de discussões mais extensas.

Dentre as palavras-chave monitoradas nas redes, fizemos um comparativo entre os três principais termos para entender a tonalidade de cada palavra-chave, compreendendo na visão dos usuários e quais os pontos mais críticos da estrutura de transporte atualmente.

7

Tonalidade de interações por palavras-chave – plataforma postX 80,00% 70,00% 60,00% 50,00% 40,00% 30,00% 20,00% 10,00%

0,00%

Metrô

Rodovia

Aeroporto

Positivo

15,64%

3,22%

3,79%

Negativo

19,55%

56,03%

23,70%

Neutro

64,80%

40,75%

72,51%

As menções à palavra-chave “metrô” contabilizaram a maior quantidade positiva e a menor negativa. O meio de transporte teve quase cinco vezes mais comentários positivos do que as outras palavras-chave monitoradas.

As rodovias foram duramente criticadas. Mais da metade das citações foram negativas (56,03%), contra 40,75%, neutras e apenas 3,22% positivas.

Os aeroportos não receberam tantos elogios quanto a palavra-chave metrô, mas também não foram tão criticados quanto às rodovias. É importante lembrar que por mais que haja muita reclamação a respeito de companhias aéreas, os aeroportos não são alvos tão frequentes de críticas pelos usuários.

8

Infraestrutura de Transportes - quais os pontos mais questionados? Com base nos dados coletados, as interações foram segmentadas em categorias, para cada uma das três principais palavras-chave avaliadas, para entendermos quais os pontos mais ressaltados pelo público nas redes sociais quando nos referimos ao tema envolvendo as palavras-chave avaliadas. Para compreender melhor os critérios de categorização utilizado, seguiu-se as definições abaixo:         

Acidente / Informe: relativo as informações sobre a situação do tráfego, acidentes e outros eventuais problemas. Check-in: quando os usuários usam o check-in do FourSquare ou semelhantes para informar que estão nos locais. Citação: conteúdo sem representatividade para a palavra-chave analisada, apenas citando-a, sem expressar tonalidade ou informação. Humor: piadas, ironias e outras situações envolvendo fatos engraçados. Japão: quando a infraestrutura brasileira foi relacionada com a do Japão e a recente tragédia do terremoto. Lotação: referente a manifestações de lotação dos aeroportos e metrôs, além de engarrafamentos no trânsito. Notícia: matérias, postagens em blogs e reportagens compartilhadas e replicadas pelas redes sociais. Obras: expectativas e anúncios sobre obras e reparos na infraestrutura. Uso: relatos e opiniões sobre a utilização dos canais de transporte.

Interações por categoria – palavra-chave “metrô” – plataforma postX Uso

32,96%

Obras

15,08% Humor

Lotação

Acidente/Informe

6,70%

Citação Notícia

19,55%

Check-in

14,53%

Check-in Notícia Lotação

Citação

8,38%

Obras Uso

Acidente/Informe Humor

0,56% 2,23%

A maioria dos usuários (32,96%) relata o uso do metrô. Ainda há aqueles que marcam o local usando a ferramenta de check-in de redes sociais como FourSquare e Instagram, somando 14,53%.

Notícias sobre inauguração da estação do Butantã em São Paulo, PAC 2 e o aumento da tarifa também repercutiram bastante. As obras – tanto as iniciadas quanto as projetadas – foram bastante comentadas (15,08% das interações), porém com uma conotação mais negativa. O principal exemplo negativo foi Salvador, onde a população espera há anos pela possível conclusão das obras. 9

Interações por categoria - palavra-chave “aeroporto” – plataforma postX

Notícia Humor

13,98% 2,84% Obras

Lotação

Citação

6,87%

Uso Check-in

Check-in

15,40%

Lotação Uso

47,63%

Humor

Notícia Citação Obras

9% 4,27%

O uso foi a categoria com maior representatividade, quase 50% do resultado total. Diferente de “metrô”, poucas notícias no período, lembrando ou citando obras, principalmente pelo fato de que menos de 3% das obras previstas saíram do papel até agora.

A porcentagem de comentários sobre lotação foi praticamente a mesma da capturada em relação a “metrô”. Já o número de “check-in” é maior nos aeroportos, principalmente por se tratar de um lugar de status e, claro, de encontros e despedidas. Mesmo sem se entusiasmar com o local em si, os usuários se mostram bastante empolgados quando se referem aos aeroportos, animados principalmente com o início de qualquer tipo de viagem:

Os comentários negativos, além de falarem sobre lotações e atrasos, também se referiram aos problemas de infraestrutura, como estas a respeito do aeroporto de São Luis: 10

Interações por categoria – palavra-chave “rodovia” – plataforma postX

Uso

9,38%

Japão

30,29% Humor

Acidente/Informe

24,66%

Obras Check-In

Notícia

20,64%

Notícia Acidente/Informe

Check-In

9,38%

Japão Uso

Obras Humor

4,02% 1,61%

O panorama das rodovias foi um pouco mais diversificado do que o do transporte aéreo e metrôs. Nesse caso, o conteúdo com maior destaque são as comparações entre a infraestrutura brasileira e a japonesa, atribuído através da categoria Japão, por conta do terremoto recente no país.

No caso das rodovias, as redes sociais foram bastante utilizadas para informar sobre trânsito, condições da estrada e acidentes, através da categoria Acidente/Informe, que ficaram em segundo lugar, representando 24% dos comentários capturados.

11

Mesmo não sendo um assunto tão relevante quando relacionado às urgências de infraestrutura para eventos internacionais, a precariedade da malha rodoviária brasileira ainda preocupa. Realizamos também um monitoramento das principais rodovias federais do país e de alguns órgãos responsáveis pela regulamentação das estradas para verificar como está sua repercussão nas redes. Interações por palavras-chave – plataforma postX

A mais citada no período foi a BR-101, que corta o país do Rio Grande do Norte ao Rio Grande do Sul, passando por várias capitais e importantes cidades litorâneas.

O pico de interações no dia 27/03, relacionadas à BR-040, aconteceu devido a uma interdição na estrada, para uma prova de ciclismo. A informação foi noticiada por perfis de portais de notícias e replicada por outros usuários. Isso mostra como as redes sociais podem ser aliadas para os motoristas, notificando imprevistos e urgências.

12

A imprensa e a relevância sobre o tema O tema transporte também movimenta a imprensa. No período do estudo, houve um número bastante expressivo de notícias nas mídias online sobre o assunto.

Notícias por palavras-chave – plataforma Clipping Express 3000

26,68%

23,21%

22,57%

2500

Antt Aeroporto

2000

Br-040 Br-101

1500

Br-116 9,34%

1000

6,71%

5,35% 500 0

1,76%

Br-381 Detran

2,55% 0,52%

Br-262

0,92% 0,39%

Metrô Porto Rodovia

Notícias relacionadas à palavra-chave “porto” foram as mais significativas do período, com 26,68% do total. Em oposição, esse foi o termo menos citado entre os quatro pilares do transporte monitorados nas redes sociais.

Os demais assuntos de maior destaque no conjunto acima pela imprensa foram rodovia e aeroporto, com 23,21% e 22,57%, respectivamente. Essas palavras-chave ganharam atenção por se referirem aos sistemas que mais necessitam de investimento para a realização da Copa do Mundo no Brasil.

13

O que esperar da malha de transportes nacional? O Brasil tem vivido uma fase inédita de sua história. Mas a escolha do país como palco da Copa Do Mundo de 2014 e das Olimpíadas em 2016 gera discussões sobre a infraestrutura do país, principalmente em relação à rede de transportes, essencial para que grandes eventos internacionais tenham possibilidade de sucesso. Levando isso em consideração, os problemas e deficiências da estrutura de transportes brasileira são duramente apontados pelos internautas, pois interferem diretamente no dia a dia do cidadão. Podemos perceber, como exposto em muitos comentários negativos, que as mídias sociais também permitem a propagação dessas insatisfações, com interações sobre lotação, debilidade dos terminais de passageiros, atendimento lento, precariedade dos acessos e outras mais. Um dos fatores positivos no uso das redes sociais na disseminação do tema, é a condição de replicar informações sobre acidentes, condições das vias e dos terminais de transporte em tempo real, antes mesmo da veiculação pelos grandes veículos de comunicação e inclusive com a ajuda dos perfis oficiais do Twitter da polícia rodoviária. Em termos de resultado, o mais relevante obtido com o estudo comprova a tendência observada pela acessibilidade aos vôos através da redução dos valores das passagens aéreas - prova disso é o número de comentários envolvendo a palavra-chave “aeroporto” ser maior do que o número de interações envolvendo a palavra-chave “rodovia”. É um dado que mostra a massiva e crescente utilização do transporte aéreo no Brasil, que precisa de urgente reforma em sua infraestrutura, seja no aumento da capacidade ou na construção de novos aeroportos no país. As considerações dos internautas também são preciosas para a avaliação do sistema de transportes brasileiro, pois são opiniões de quem utiliza essa estrutura diariamente. É um monitoramento útil para o planejamento das obras e para a compreensão das expectativas dos cidadãos. Seja pelos momentos de preparativos de eventos esportivos tão importantes ou pelas necessidades de crescimento e fortalecimento da economia, o transporte nacional precisa evoluir em todas as frentes e dar margem ao conceito multimodal, que prevê a expansão de todos os sistemas de transporte, visando entre outros fatores, a própria competitividade do país e avanço à grandes mercados pouco explorados – em tempos de redes sociais, evolução e inovação devem ser as palavras-chave da integração do sistema de transportes nacional.

14

Aplicabilidade Nas redes sociais, é possível avaliar com clareza a percepção do público sobre produtos e serviços. A administração pública ou corporações privadas buscam promover sua imagem por meio de ações efetivas, mas precisam estar atentas sobre a percepção dessas ações pelos cidadãos e consumidores. O monitoramento desses canais, além de filtrar as informações relevantes de maneira funcional, possibilita um trabalho estratégico mais avançado, que leva em consideração o feedback da opinião pública e os seus interesses, garantindo melhores resultados.

15

Comentários sobre as plataformas – postX Através do monitoramento das mídias sociais verificamos qual é a repercussão do sistema de transporte nacional nas redes sociais. Após a captura das palavras-chave relacionadas, tivemos acesso a um conteúdo filtrado, com relevância para apontar as opiniões dos usuários e sua tonalidade. As avaliações e categorizações possibilitadas pela plataforma ajudaram a exemplificar e aprofundar as considerações do estudo. Comentários sobre as plataformas – Clipping Express O monitoramento das mídias online foram utilizados para quantificar as notícias publicadas pela imprensa no período estabelecido e assim compreender os fatos relevantes -em relação à infraestrutura, que geraram impacto entre os consumidores. Os dados obtidos servem de base para comparação com as repercussões nas mídias sociais.

16

Metodologia As mídias sociais são um espaço movimentado para qualquer debate, principalmente quando se fala em infraestrutura do país. Para analisar o buzz gerado pelo internauta, realizamos um monitoramento de 5 dias nas mídias sociais envolvendo as palavras-chave de referência. Utilizando a plataforma postX como ferramenta de rastreamento, conseguimos uma cobertura do Twitter, Facebook, YouTube, Blogs e Sites de Reclamação. As mídias online foram utilizadas para mensurar a representatividade do tema em mais de 3.500 veículos de comunicação monitorados pela plataforma Clipping Express. A plataforma permitiu embasar o conteúdo analisado no estudo e mensurar quantitativamente sua representatividade nesses canais. Os dados coletados para este estudo de apresentação são quantitativos e qualitativos em uma amostragem de 10% nas mídias sociais, revelando em números o quanto as palavras-chave tiveram repercussão perante a visão do mercado e dos usuários.

17

Ficha Técnica postX: Período monitorado: 25/03/2011 a 29/03/2011. Total de interações: 12.826 Interações por palavra-chave:            

Aeroporto: 4.184 Rodovia: 3.728 Metrô: 1.781 Porto: 1.583 Infraestrutura: 554 BR-101: 331 DETRAN: 228 BR-040: 191 BR-381: 98 BR-116: 93 ANTT: 29 BR-262: 26

Clipping Express: Período monitorado: 25/03/2011 a 29/03/2011. Total de notícias: 10.551 Interações por palavra-chave:           

Aeroporto: 2.381 Rodovia: 2.449 Metrô: 985 Porto: 2.815 BR-101: 565 DETRAN: 708 BR-040: 55 BR-381: 41 BR-116: 269 ANTT: 186 BR-262: 97

Esse estudo foi desenvolvido pela MITI Inteligência. Acesse nosso site: HTTP://miti.com.br Siga-nos no Twitter: HTTP://twitter.com/fontemiti 18


A INFRAESTRUTURA DE TRANSPORTES NO BRASIL