Page 13

I NI C I ATI VA

B

Instituição do Jardim Itanguá acolhe crianças em situação de vulnerabilidade social

ethel Casas Lares é uma instituição localizada no Jardim Itanguá II, cujo objetivo é acolher crianças e adolescentes em situação de risco. O seu trabalho já tem 96 anos e, de tempos em tempos, as atividades são redirecionadas para se adequar às exigências do ECA – Estatuto da Criança e do Adolescente. Hoje, a instituição acolhe 24 crianças e adolescentes, que são divididas em duas casas no bairro. Os acolhidos recebem todos os cuidados necessários para um bom desenvolvimento, como alimentação, atividades físicas e lazer, acompanhamento pedagógico, cuidados médicos, odontológicos, psicológicos, convivência familiar e comunitária, entre outros. Também conta com projetos que dão ainda mais oportunidade:

Apadrinhamento Afetivo, Minha História, Futuro Cientista da UFSCAR e Acolher para a Vida através do CMDCA. O intuito desse trabalho é promover a cultura da vida, paz e justiça na sociedade, buscar dignidade e qualidade de vida aos necessitados, sem olhar raça, cor, ou qualquer forma de discriminação.

Os trabalhos da ONG são detalhados no site, inclusive é possível visualizar uma prestação de con-

tas detalhada para tirar qualquer dúvida quanto à ética e transparência dos serviços oferecidos. A instituição fundada pela Igreja Presbiteriana Independente do Brasil, cede o prédio onde o serviço de acolhimento funciona, e precisa de doações para se manter. É possível ajudar sendo voluntário, divulgando o seu trabalho por meio de debates, boletins e outras ações, doando serviços médicos, dentários, ou qualquer outro que beneficiem as crianças. As doações podem ser realizadas por depósito bancário para Associação Bethel no Banco Bradesco, Agência: 0152-0 e c/c 12.988-7. A Bethel Casas Lares está localizada na Rua Hortência Soares do Amaral, 420, Jardim Itanguá II Telefone: 3229-4999 Email: casaslares@bethel.org.br

COMUNIDADE

Horta comunitária precisa de incentivo dos moradores

Q

uem mora próximo ou passa pela Avenida Santa Cruz, está familiarizado com a paisagem: uma grande horta no meio do cenário urbano, existente há 29 anos, sob muitos desafios. Carina Pensa, doutoranda em Planejamento e Uso de Recursos Renováveis pela Universidade Federal de São Carlos (Ufscar), explica que esse tipo de horta comunitária é importante para a geração de renda da população e também para o meio ambiente. Por conta da quantidade de locais na cidade em que o chão é impermeável, a horta é fundamental para a drenagem do solo, melhorando a qualidade da água do lençol freático e até o clima da região. Os benefícios são muitos para a população do entorno da horta: o cultivo auxilia na alimentação, gera renda para os agricultores e ainda promove integração entre os

moradores do bairro. O que falta é engajamento dos cidadãos. Para que todos os benefícios citados aconteçam de fato, os legumes da horta precisam ser vendidos, porém não é o que tem acontecido.

Para arcar com os custos de manutenção do local, como gastos com água, compra de adubo e etc, é preciso que certa quantia de

dinheiro chegue até as mãos dos produtores para que o trabalho continue sendo realizado. “A horta é linda, bem cuidada e os alimentos são cultivados de forma totalmente orgânica. Vale a pena dar um pulinho lá para conhecer o espaço e comprar produtos de qualidade bem mais baratos do que em grandes redes de supermercados. Comprar direto dos produtores ajuda a fortalecer o trabalho da agricultura familiar. Estamos planejando uma audiência pública para discutir com a população uma política de agricultura urbana que apoie e incentive os agricultores”, explica Carina. Os alimentos da horta são: alface, chicória, rúcula, almeirão e catalunha. Para comprar, basta falar diretamente com a pessoa que estiver cuidando da horta no momento. Está localizada na Av. Santa Cruz, altura do nº 1040.

13

Profile for Marcos Tadeu Stachewski

Central Parque 86  

Central Parque 86  

Advertisement