Issuu on Google+

VA L E

DO

AÇO

z

D O M I N G O ,

2 0

D E

F E V E R E I R O

D E

2 0 1 1

3

CIDADES

A DOR DA PERDA

Mãe quer encontrar seu primeiro filho depois de 26 anos Com muitas dificuldades financeiras e pouca instrução, a mãe de Selma e avó do garoto afirmou que se a filha não 'desse' a criança, nunca mais entraria em casa. E ela entregou o menino para uma enfermeira LAIRTO MARTINS

Vinícius Ferreira REPÓRTER IPATINGA - Há quase 26 anos, uma mãe vive em busca de encontrar notícias de um filho. Esta é a história

uma vida muito difícil, mas encontrei no Francisco uma pessoa para me apoiar. Ele matou a minha fome e a dos meus filhos, porque passávamos muita dificuldade. Ele os criou como se fossem filhos dele. Foram 16 anos de casamento, e quando ele morreu, fiquei meio perdida, sem saber o que fazer", revelou.

da vida de Selma Lúcia de Souza Nascimento, que hoje está com 42

DOMÉSTICA ACREDITA QUE RAPAZ NÃO A PERDOA

anos e tem outros dois filhos já adul tos, um com 24 e outro com 21 anos. Mas ela nunca perdeu as esperanças de encontrar seu primeiro bebê, um menino que nasceu quando ela tinha apenas 16 anos, e que só pôde abra çá-llo por três dias.

A

criança, que estaria completando 26 anos no dia 9 de abril, nasceu em Ipatinga, no Hospital Márcio Cunha, no ano de 1985. No dia 12 do mesmo mês, Selma foi obrigada por sua mãe a dar a criança. Vários amigos deram declarações na época dano conta de que ajudariam Selma na sua primeira maternidade, mas nenhuma delas convenceu a avó do garoto. Selma afirma que encontrar seu filho é a meta de sua vida: "Depois que eu o encontrar, eu posso morrer em paz". ORIGEM Selma é natural de São João do Oriente, município do Vale do Aço. Segundo ela, a infância foi muito sofrida, morando e trabalhando na roça, com recursos escassos e sem nenhuma instrução. Ela não sabe o número de irmãos que tem. "Meu pai foi casado quatro vezes, e a minha mãe, três. Em todos os casamentos, todos tiveram muitos filhos. Então, não tenho ideia do número de irmãos que eu tenho. A grande maioria em nem conheço", afirmou Selma. Com

SELMA LÚCIA viu as esperanças diminuírem com o passar dos anos, mas ainda sonha: "Depois que eu o encontrar, posso morrer em paz" 15 anos, Selma já trabalhava em Ipatinga, como doméstica, em uma casa no Bairro Cariru, e vivia entre Ipatinga e São João. Foi neste tempo que ela ficou grávida pela primeira vez. "O pai da criança é de São João, mas depois que engravidei eu nunca mais o vi. Nem gosto de falar muito sobre ele porque não fez nenhuma diferença para mim", afirma. NASCIMENTO E ENTREGA No dia 9 de abril de 1985 nasceu o primeiro filho de Selma. Ela lembra que ficou com seu bebê por apenas três dias. Mesmo antes de nascer, sua mãe já falava que ela não queria que Selma ficasse com a criança. "Minha mãe me disse, com todas as letras, que se eu não entregasse a criança para outra pessoa eu nunca mais entraria em casa. Se ela ao menos tivesse me apoiado, me ajudado, eu não teria entregado

meu filho. Eu o amei desde o primeiro momento, mas não tinha condições de criá-lo. Era muito pobre, não tínhamos condições", explica Selma. Os patrões de Selma também afirmaram que ajudariam no que ela precisasse, para que ela cuidasse da criança, mas a mãe estava irredutível. Durante a entrevista, Selma revelou que não conversa mais com a sua mãe, e que falar sobre ela a deixava desconfortável. A mãe ainda está viva e mora em São João do Oriente. EFIGÊNIA OU EUGÊNIA A mãe de Selma encontrou uma nova mãe para o seu neto. Selma lembra muito pouco da fisionomia da enfermeira que ficou com o bebê. "Lembro que ela era bem clarinha, e se chamava Efigênia ou Eugênia, algo assim. Não me lembro muito bem dela. Mas é quase certo que o meu

filho cresceu moreno, como eu. O pai também era moreno, mas o avô dele era branco. Então pode ser que ele também tenha crescido mais clarinho. Acho que ele deve saber que é adotivo, principalmente por causa da diferença no tom de pele", contou Selma. BH, FILHOS E CASAMENTO Depois do acontecido, Selma se mudou para Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. Lá ela conheceu o pai dos seus dois filhos, Bruno Pereira de Souza Mendes, que tem 24 anos e Alex de Souza Mendes, com 21. Ela viveu com o pai dos seus filhos por oito anos, até que terminou com ele e se casou com Francisco José do Nascimento, 13 anos mais velho. Ela estava casada com Francisco até abril de 2010, quando ele veio a falecer após um infarto fulminante. "Eu sempre tive

A doméstica Selma afirma que, mesmo com todas as dificuldades, e morando em Belo Horizonte, nunca se esqueceu do seu primeiro filho. "Eu, na época, rodei o Bairro Horto inteiro, casa por casa. Perguntava se alguém conhecia a enfermeira, ficava observando a rua esperando ver alguma criança que pudesse ser meu filho, mas eu nunca consegui. Na verdade, acho que nunca vou conseguir encontrar ele", resigna-se. Ela disse também que acha que seu filho, hoje adulto, prestes a completar 26 anos, tenha conhecimento de que é adotado, mas que não tem nenhuma vontade de conhecê-la. "Eu não o culpo. O que eu fiz foi errado e me arrependo de ter entregado ele. Mas eu ainda desejo encontrá-lo, e abraçá-lo de novo. A meta da minha vida é encontrar meu filho", finalizou Selma, que hoje mora com um dos filhos em Contagem, mas vive grande parte do tempo em São João do Oriente.

Disque Denúncia Unificado registra aumento de 20% nas ligações recebidas em 2010

CASOS DE SUCESSO

DA REDAÇÃO - O 181 Disque Denúncia Unificado (DDU), serviço integrado das polícias Civil, Militar e do Corpo de Bombeiros no combate à criminalidade e prevenção de sinistro, encerrou o ano de 2010 com um crescimento de 20% no total de denúncias recebidas. Foram 58.711 informações coletadas e encaminhadas para averiguação no ano passado, que contribuí-

ram ativamente para um aumento expressivo no total de prisões e apreensões em todo o Estado. Somente em 2010, quase dez mil pessoas foram presas, apreendidas ou recapturadas após denúncias de anônimos ao 181, o que representa um crescimento de 33% em relação a 2009. Também por meio do Disque Denúncia, foram retiradas de circulação 1.263

PELA POLÍCIA MILITAR Denunciante informa que dois caminhões estariam descarregando carga suspeita em um galpão de Sete Lagoas, na região Central do Estado. Resultado: Foram apreendidos 117 mil maços de cigarro supostamente provenientes de contrabando. Os dois caminhoneiros foram detidos em flagrante e encaminhados à Polícia Federal. PELO CORPO DE BOMBEIROS MILITAR Denunciante informa que caixa d'água instalada em escola municipal de São José da Barra, no Sul de Minas, possuiria trincas em sua base estrutural e inclinação, com risco iminente de queda.

armas de fogo (crescimento de 33%), apreendidas 309 máquinas caça-níquel (crescimento de 28%) e 106.267 produtos (crescimento de 3,38%). Em 2010, 30% do total de denúncias foram originadas em Belo Horizonte, 24% na Região Metropolitana e 46% em municípios do interior do Estado. A média mensal foi de 4.823 denúncias.

PELA POLÍCIA CIVIL Denunciante informa nome e endereço de suposto autor de atropelamento de ciclista em Uberlândia, no Triângulo Mineiro, que teria fugido do local sem prestar socorro. Resultado: A Polícia Civil, com base nas informações da denúncia, localizou o proprietário do veículo e instaurou inquérito. Resultado: Equipe do Corpo de Bombeiros foi ao local e constatou a veracidade da denúncia. Salas, refeitório e cozinha foram interditados até que o risco de desabamento fosse totalmente sanado.

CONFIANÇA Os números demonstram que os cidadãos estão mais confiantes e bem informados em relação ao serviço (também conhecido como DDU), que as corporações estão mais integradas na busca de melhorias na prestação de serviços à população, e que o processo de interiorização do 181 está cada vez mais fortalecido. Em 2010, foi consolidada a expansão para as grandes cidades do interior do Estado, polo das Regiões Integradas de Segurança Pública (Risps), as quais têm irradiado suas ações para outras cidades de suas áreas de abrangência. Assim, o Disque Denúncia 181 atinge mais de 60% da população e está presente nos 100 maiores municípios mineiros. Parceria entre o Governo de Minas, por meio da Secretaria de Estado de Defesa Social (Seds), e o Instituto Minas Pela Paz (IMPP), o 181 Disque Denúncia tem o slogan "O importante é o que você diz, não quem você é". O canal proporciona à população um ins-

trumento para denunciar crimes e sinistros, contribuindo com o trabalho das forças policiais e do Corpo de Bombeiros por meio do sigilo absoluto das informações repassadas e do anonimato dos denunciantes. Desde a implantação do 181, em novembro de 2007, a tendência de aumento nos resultados é constante. Além do crescimento das pri-

sões e apreensões, a questão das drogas também merece destaque. Foram apreendidos 937 quilos de drogas, número 66% superior ao do ano anterior. Além disso, houve a apreensão de 16.265 papelotes de cocaína, 18.776 buchas de maconha e 62.573 pedras de crack, o que dá uma média de 35% de aumento em comparação com 2009.

COMUNICADO DA CONSTRUTORA PRIMUS A Primus Construção e Incorporação Ltda, inscrita no CNPJ 10.299.753/0001-01, com endereço líquido e certo na Av. JK, nº 16, loja 2, Bairro Funcionários, na cidade de Timóteo-MG, empresa esta que pertence aos Srs. Chrystian Santos Costa e Simon Clay Rocha, vem a público informar que o Sr. Adriano Costa Alvarenga, CPF: 035.170.566-00 e o Sr. João Gabriel Costa Rocha, CPF: 042.386.696-65, não fazem parte do quadro societário desta empresa, não estão autorizados a realizar quaisquer atos de compra, venda, permuta, cobrança, ou qualquer outra negociação em nome desta empresa. Comunicamos também que não tivemos e nem temos qualquer ligação de sociedade com o depósito de material de construção Qualitá ou Casa Mix.


Mãe quer reencontrar o filho depois de 26 anos