Issuu on Google+

ASCO

CASO DE ESTUDO SECTOR Produção para o sector da Aeronáutica DESAFIO Melhorar o processo de gestão de ferramentas, a fim de optimizar os ciclos de manutenção e responder rapidamente a pedidos de auditoria SOLUÇÃO Etiquetas de RFID de alta resistência (resistentes a salpicos de limalhas de metal e à exposição repetida a fluidos de corte), leitores de RFID fixos e em PDA’s, base de dados centralizada e desenvolvimento de 3 módulos de controlo RESULTADOS Informações precisas actualizadas em tempo real, rápida localização de ferramentas, resposta a pedidos de auditoria em 24 horas e um processo de trabalho mais eficiente

RFID PARA GESTÃO DE ACTIVOS NUM AMBIENTE INDUSTRIAL COMPLEXO A Asco é uma empresa líder no desenvolvimento, produção e processamento de componentes em aço e titânio de alta precisão para a indústria aeronáutica. Não obstante o ambiente de produção complexo, a empresa foi capaz de melhorar de forma consistente a gestão das suas ferramentas de apoio à produção com a ajuda da RFID. A Asco utiliza ferramentas na produção de componentes destinados a clientes como a Airbus ou a Boeing. A companhia tem mais de 2000 acessórios, dispersos por 5 edifícios. Estes acessórios, que são propriedade da Asco ou dos seus clientes, são sujeitos a manutenção regular e a auditorias periódicas. Por conseguinte, é muito importante saber se as ferramentas estão fisicamente presentes na empresa, a sua localização exacta e o seu estado. Isto permite garantir que é possível identificar as diversas peças, manter um registo de manutenção que mostre quando será necessário realizar a próxima assistência e localizá-las facilmente nas instalações da empresa.

Quatro bases de dados e nenhum meio de coordená-las No passado, as peças eram identificadas utilizando um número, mas este não era exclusivo de cada peça. O identificador designava o tipo de ferramenta associado ao tipo de operação. Isto resultou numa situação em que duas peças idênticas destinadas ao mesmo processo de produção poderiam ter o mesmo número, e não havia forma de as diferenciar na base de dados. Além disso, existiam bases de dados diferentes para o design, para a oficina de produção, para o controlador e para os representantes de vendas. Uma vez que estas várias bases de dados não estavam ligadas umas às outras, era extremamente difícil obter uma perspectiva global do estado de uma ferramenta.

WWW.ZETES.COM | ALWAYS A GOOD ID

Além do mais, as informações eram codificadas manualmente, o que conduzia a erros. Por último, uma vez que as ferramentas podiam ser utilizadas em diferentes edifícios na instalação, era difícil localizá-las durante os procedimentos de manutenção. Daqui advinha que eram produzidas novas ferramentas sem serem realmente necessárias e o tempo desperdiçado a procurar as peças prejudicava a produção.

RFID: automatização total do processo Para resolver estes problemas, a Asco decidiu implementar uma solução de RFID. “Pensámos imediatamente na RFID pela oportunidade de aumentar a automatização do processo e devido ao seu potencial para localização”, explica Hervé Le Grand, responsável pela assistência na oficina de peças da Asco. “Contudo, devido ao ambiente complexo em que esta tecnologia teria de operar, foi necessária uma auditoria completa das nossas instalações e necessidades operacionais, antes de tomarmos a decisão final.” A RFIDea, uma empresa belga especializada em RFID que integrou o Grupo Zetes em 2011, foi seleccionada para levar a cabo o projecto. “A Zetes-RFIDea tinha uma série de recursos importantes”, continua Hervé Le Grand. “Em primeiro lugar, ofereceu o potencial para integrar diversos tipos de hardware, o que não nos prendia a nenhum fornecedor em particular. Em segundo lugar, a sua oferta incluía a análise bem como a implementação do projecto, assistência e serviços de manutenção. Finalmente, depois de compararmos as propostas de vários fornecedores, pareceu-nos que a análise feita pela Zetes-RFIDea era também a mais relevante.”


Antes de recomendar uma solução, a ZetesRFIDea realizou uma auditoria aos processos da Asco e levou a cabo inúmeros testes. Em particular, era necessário garantir que as etiquetas resistiriam às condições extremas a que seriam submetidas: os salpicos de limalhas de metal incandescentes e a utilização de óleo de corte durante a produção representavam os maiores desafios. Por outro lado, as ferramentas a identificar eram feitas em aço inoxidável sólido, um grande obstáculo para ler as informações correctamente utilizando radiofrequência. Foram testadas uma dúzia de etiquetas de diferentes fornecedores, sob uma variedade de condições, 24 horas por dia durante 30 a 40 dias. Apenas duas etiquetas passaram o teste de qualificação e, por fim, foi decidida a utilização das etiquetas Maxtag RFID UHF Gen2 IP65 da Omni-ID. Para cumprir os requisitos de software da Asco, a Zetes-RFIDea, em colaboração com a equipa de TI do cliente, desenvolveu três módulos: •• Um módulo para criar objectos: quando é produzida uma ferramenta, esta recebe um número de identificação e passa a existir como objecto na base de dados da Asco. •• Um módulo para manutenção: este módulo torna possível aceder ao ficheiro técnico do objecto e preenchê-lo. Contém uma descrição da peça, bem como um formulário de manutenção. •• Um módulo para auditorias: este módulo permite localizar os acessórios de uma forma fácil e rápida nos edifícios da empresa. Os diversos módulos podem ser acedidos através de terminais portáteis.

Localização rápida das ferramentas Os dados que permitem a localização dos acessórios são obtidos através de leitores de RFID fixos, equipados com sensores de proximidade. Posicionados nas entradas e saídas dos edifícios, não ocupam espaço no chão. Esta característica permite garantir a segurança dos operadores e evitar colisões que podem facilmente ocorrer num ambiente de produção. A utilização de dois sensores de proximidade torna possível comprovar o movimento da peça (entrada ou saída) e accionar um sistema de alarme em caso de utilização incorrecta (por exemplo, um objecto

que saiu não deu entrada noutro edifício após um determinado período de tempo). Foram necessários sensores fixos e portáteis para cumprir os requisitos de funcionamento e de robustez num ambiente industrial restritivo. Também nesta área foram desenvolvidos vários testes. O SIEMENS RF670R preencheu os requisitos para os sensores fixos e o Motorola MC9090 foi escolhido para os sensores em PDA.

Um parceiro de confiança Toda a solução foi implementada pela Zetes-RFIDea, e a empresa continua a estar envolvida no projecto prestando serviços de assistência e manutenção. Hervé Le Grand comenta: “Trabalhar com um perito em integração como a Zetes RFIDea ajudou claramente a diferenciar-nos em relação a outros fabricantes e à vasta gama de soluções existentes no mercado. A Zetes RFIDea foi capaz de nos ajudar e orientar ao longo das várias etapas do projecto, desde a selecção das normas e do hardware até à implementação da solução, passando por vários desenvolvimentos.”

Listas actualizadas em menos de 24 horas “Implementar este projecto foi um grande desafio para a Asco. Tendo em conta que este tipo de projecto era ainda relativamente novo e dada a escassez de ‘business cases’, tivemos de redobrar os nossos esforços para convencer as pessoas, internamente, da relevância da solução proposta”, explica novamente Hervé Le Grand. Mas as vantagens são inegáveis. A Asco beneficia agora de um processo de gestão de ferramentas totalmente automatizado e recebe informações actualizadas em tempo real. “Graças a isso, o conhecimento que temos do nosso parque de máquinas corresponde à realidade e sofremos menos perdas devido aos acessórios. Além do mais, o cartão de identificação de cada ferramenta está localizado numa base de dados única, acessível a todos. Quando estão a ser realizadas auditorias anuais, podemos extrair listas muito rapidamente. Enquanto antes, por vezes, demorava um mês e meio a responder a uma pergunta de um cliente, hoje podemos obter toda a informação necessária em menos de 24 horas. Esta melhoria no tempo de resposta está a ter um grande impacto na nossa relação com os clientes." Entre as diversas vantagens da solução da ZetesRFIDea, é também de destacar o facto de o trabalho dos controladores ter avançado consideravelmente. As listas de ferramentas a inspeccionar durante o mês são geradas automaticamente. Cada edifício tem também o seu próprio controlador, que obtém a sua própria lista de ferramentas, o que facilita bastante a organização do seu trabalho.

WWW.ZETES.COM | ALWAYS A GOOD ID BELGIUM | COTE D’IVOIRE | FRANCE | GERMANY | GREECE | IRELAND | ISRAEL | ITALY | NORDIC COUNTRIES | PORTUGAL | SOUTH AFRICA | SPAIN | SWITZERLAND | THE NETHERLANDS | UNITED KINGDOM

Zetes - CS Asco - 1.0 - PT/12

Salpicos de limalhas de metal e óleo de corte: a necessidade de uma etiqueta extremamente robusta


Caso de estudo Asco