Issuu on Google+

www.cenbrasil.org.br

CEN Brasil informa A N O

"...Nossa resistência começa desde o instante que os nossos antepassados foram trazidos para cá e foram tornados escravos...Desde a senzala que a gente resiste.." Makota Valdina

"“As maledicências não possuem força suficiente para impedir uma firme caminhada” Mãe Stella

"“foi-se a época em que as mães de santo ficavam confinadas nos terreiros, isoladas do mundo. É preciso viajar, aprofundar os estudos, saber o que está acontecendo” Mãe Stella

LEIA MAIS

Homem 2 volta para SP STF aprova as cotas

2

Homenagem 2

EDIÇÃO ESPECIAL

7 ,

N º 3

M A I O / 2 0 1 2

Nestas eleições, meu VOTO é do AXÉ, e o seu? Não há dúvida de que a democracia brasileira vem dando mostras de fortalecimento ao longo das últimas décadas. A eleição de um operário e logo depois de uma mulher para a Presidência da República coloca o país no rol das nações modernas e dispostas a romper com determinadas visões de que somente as elites podem e devem ocupar os espaços de decisão da Nação. Por outro lado, estamos assistindo a um recrudescimento da agenda social brasileira a partir da forte reação da direita religiosa representada pelos setores evangélicopentecostais (neopentecostais e pentecostais autônomos) que, ao disporem de recursos financeiros e espaços nos meios de comunicação, vêm há cada dia, ocupando mais e mais espaços nas esferas de poder. E você, cidadão comum, o que tem a ver com isso? Absolutamente tudo. Afinal, é teu voto que determina quem estará ocupando as cadeiras de vereador e prefeito neste ano. O crescimento evangélicopentecostal vem acompanhado de três elementos fortíssimos: intolerância contra as religiões de matriz africana, o racismo e a violência. Intolerância religiosa porque estes setores disputam o mesmo publico que está em nosso campo: a população negra, pobre, com baixa escolarização e pouca participação política. Portanto, o discurso de demonização das religiões de matrizes africanas, acompanhado do discurso fácil da teologia da prosperidade (aquela em que

você dá para Deus para que Ele possa dar a você), vem conquistando corações e mentes, transformando, a cada dia, o Brasil num país intolerante à diversidade religiosa, cultural e racial. Racismo porque este discurso de demonização quer dizer que há somente uma linha religiosa certa e verdadeira: aquela que não tenha qualquer ligação direta com a herança africana, por exemplo, o Candomblé, sendo esta religião, mais especialmente, tida como primitiva e que deve ser eliminada da face da Terra para a “evolução da humanidade” – na qual não estamos inseridos (as). Assim, este discurso de superioridade não deixa de ter um recorte colonialista, no qual é destruída a cultura negra e, na ponta, todos (as) os (as) negros (as), com a única finalidade de repudiar tudo aquilo que traz de ancestral e familiar a esta população. E, por fim, é violento, pois temos visto surgir no Brasil casos de intolerância que ultrapassam a agressão moral, a física, mas chega até à morte, como pudemos acompanhar no caso de Mãe Gilda de Ogum (Itapoan), em 1999. Nesta perspectiva é necessário que VOCÊ, consciente da cultura e da ancestralidade à qual pertence, em especial os (as) que cultuam as divindades da nossa matriz africana, pensar seriamente que seu VOTO - e somente ele - pode mudar este quadro. Assim, estamos lhe chamando a uma reflexão sobre a necessidade de, nas próximas eleições para vereador e prefeito, conhecer e VOTAR em

candidatos que vivam a sua realidade de perto, que tenham profundidade no conhecimento de suas vivências e, mais do que necessário, que tenham demonstrado – em sua trajetória de vida – verdadeira e real dedicação à causa, à religiosidade de matriz africana, ao povo de santo. Somente desta forma conseguiremos garantir nossa representação legítima no parlamento municipal (Câmara de Vereadores), o que terá como conseqüência, a segurança de termos uma voz confiável diante do executivo (Prefeitura) que a cidade escolher. VOCÊ, que carrega em suas contas e em suas vestimentas, o orgulho de sua ancestralidade, em 2012, reflita: Porque devo conscientizar sobre meu VOTO, enquanto homem, mulher, jovem, idoso (a) de santo, pertencente a uma comunidade de Terreiro? Porque devo conhecer e me aproximar de candidatos que não somente assumam esta bandeira, mas que VIVAM esta realidade e que dediquem ou tenham dedicado, em sua história de vida, suas principais causas de luta e manifestação. Se Quem é de Axé Diz Que É, esta ação precisa se transformar em VOTO, em campanha, em compromisso, em decisão. Eu sou do AXÉ, meu VOTO também é. E o seu? Fórum Estadual de Religiões de Matrizes Africanas/BA FERMA/BA


ANO

7,

Nº3

PÁGINA

2

Homem volta para SP após 82 dias "morando" em aeroporto de Salvador Gelson e Marcos Rezende

nador da Ong Coletivo de Entidades Negras (CEN), que forneceu a passagem aérea para Campinas; o técnico em informática Augusto Mello, que abrigou o paulista em sua casa durante alguns dias; e Jamile Menezes, coordenadora do grupo Servidores do Bem, que intermediou o contato entre Gelson e Marcos Rezende.

O montador de móveis paulista Gelson Os três anjos-da-guarda descobriram a

Ferreira da Silva, 46 anos, retornou à sua cidade natal, Campinas, em São Paulo, no último dia 20, depois de 82 dias "preso" em Salvador sem ter como voltar para casa. Ele chegou à capital baiana sem a passagem de volta e com uma promessa de trabalho que não deu certo. Por isso, passou a "morar" clandestinamente no Aeroporto Internacional Luís Eduardo Magalhães.

saga do montador de móveis depois que a história foi divulgada no Portal A TARDE On Line no último dia 12. "Leio o A TARDE On line todos os dias. Vi a matéria sobre ele e a história me lembrou o filme. Como eu tinha um apartamento vazio, resolvi ajudar", conta Augusto, que abrigou Gelson em sua última semana em Salvador. Neste intervalo, o baiano aproveitou para apresentar as Para realizar o sonho de voltar para belezas do Centro Histórico da cidade casa, Gelson contou com a ajuda de para o paulista. três pessoas, Marcos Rezende, coorde- "O jornal A TARDE foi o meio para a

gente ajudá-lo. Foi um servidor do bem", explica Marcos Rezende. Volta para casa - Nesta sexta, os três novos amigos de Gelson foram ao aeroporto para se despedir. Trocaram abraços, conselhos e tiraram fotos para registrar o momento. "Eu não vou poder levar essa foto para casa, mas vou levar esse momento aqui", disse Gelson, emocionado e apontando para o coração. Poucos minutos antes de embarcar para o interior paulista e com o coração acelerado por conta da emoção, Gelson dizia que ainda não acreditava que ia conseguir rever os quatros filhos, de idades entre 1 e 11 anos. "Ainda não sei se vou chegar lá. Só vou acreditar quando colocar o pé em casa. Estou com muita saudade da minha família. Quero chegar logo", disse, com os olhos marejados antes de embarcar.

STF aprova sistema de cotas no Brasil O sistema de cotas raciais, que determina a reserva de vagas em universidades, foi considerado constitucional pela unanimidade dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) no último dia 26. Dez ministros votaram. O ministro Cezar Peluso justificou se volto dizendo: “Não posso deixar de concordar com o relator da que a idéia [cota racial] é adequada é necessária, tem peso suficiente para justificar as restrições que traz a certos direitos de outras etnias. Mas é um ex-

perimento que o Estado brasileiro está tituição. fazendo e que pode ser controlado e O presidente do STF, Carlos Ayres Britaperfeiçoado.” to, foi o último ministro a se manifestar e Durante dois dias de julgamento, os mi- disse que os erros de uma geração ponistros analisaram a ação ajuizada pelo dem ser revistos pela geração seguinte. partido Democratas (DEM), em 2009, “o preconceito é histórico. Quem não contra esse sistema na Universidade de sofre preconceito de cor já leva uma Brasília (UnB), a primeira universidade enorme vantagem, significa desfrutar de federal a instituir o sistema de contas, uma situação favorecida negada a ouem junho de 2004. O DEM defende que tros”, explicou. esse tipo de política viola diversos preceitos fundamentais garantidos na Cons-

Homenagem ao Mestre Erenilton Mestre Erenilton, Alabê da Casa de Oxumarê e Presidente do Afoxé Filhos do Korin Efan, talvez seja hoje, o mais velho Alabê vivo em nossa cidade. Um homem que viveu para sua religião, o candomblé. Erel, como muitos chamam, participou e participa, até hoje, das diversas cerimônias religiosas no Estado e no país. Sempre que convidado, para que com sua voz inigualável e respeito aos Ori-

xás, ele contribua com seu canto, lá está ele, seja onde for que o convidem. Erenilton ama e respeita o candomblé e os Orixás. No dia 17 de maio, o Deputado Estadual Bira Côroa, homenageia em uma audiência publica, nas comemorações ao Dia da África, o Alabê, Erenilton Bispo Santos, o Erel. A Casa de Oxumarê, se sente orgulhosa por este filho.

Mestre Erenilton, Alabê da Casa de Oxumarê e Presidente do Afoxé Filhos do Korin Efan


Informativo do CEN | Maio 2012