Issuu on Google+

PREMISSA BÁSICA

Estado Poder Concedente ou Titular da Obra Pública.

Em razão da CE – 040 ser o principal vetor do tráfego urbano/metropolitano, considerou-se o Sistema Viário proposto como Interseção e Acesso de Vias Urbanas à CE – 040, daí o Título da PPP Administrativa ou Obra.

O Governo do Ceará poderá baixar Decreto definindo o Sistema Viário de Acesso à CE -040.

MODELAGENS POSSÍVEIS

PPP na modalidade Concessão Administrativa: - motivo: não há receitas significativas seguras de Retorno do Investimento Contratação Integrada no Regime RDC: 1. Necessidade de Lei Estadual (RDC / CE); -A União Legisla sob normas gerais e, no caso do RDC, além das normas gerais, legisla para a Administração Federal; - Os Estados, da mesma forma que têm as leis estaduais de Licitação para legislar sobre suas especificidades (normas específicas) tem de legislar sobre o RDC para, inclusive, definir que obras estaduais podem ser licitadas por este regime. 2. Projeto fazer parte do PAC ou de Infraestrutura para a Copa/Olimpíada A presente Apresentação vai restringir-se à PPP (Concessão Administrativa), pois a Contratação Integrada tem Edital semelhante ao de Obra Pública.

A QUESTÃO VIÁRIA A partir da década de 1980 o surgimento de uma série de equipamentos de grande porte orientou o crescimento da cidade na direção sul. Essa tendência tem se mantido e se acentuado atualmente. O crescimento horizontal das cidades, embora possua signos de progresso e desenvolvimento, traz consigo uma série de problemas. O esgarçamento do tecido urbano, além de demandar maiores investimentos em infraestrutura por parte do setor público, tem efeito significativo nas questões de mobilidade urbana. O aumento importante de viagens entre o litoral norte e leste da cidade e a zona sul, nos dois sentidos, constitui-se hoje num grande desafio para gestores e técnicos envolvidos na solução desse problema.

A QUESTÃO VIÁRIA

CLIQUE PARA ABRIR

É certo que as questões de mobilidade não dizem respeito apenas à engenharia de tráfego, à construção de novas vias ou à ampliação das existentes, mas se relacionam principalmente a questões de uso do solo e do investimento em transporte público. A ligação do litoral norte e leste da cidade com a zona sul passa necessariamente por uma nova possibilidade de cruzamento do rio Cocó e, portanto, de uma nova ponte. A ligação de bairros como Aldeota, Papicu, Meireles, Praia do Futuro e, de resto, de toda a zona Oeste da cidade, passa hoje pelo gargalo da Avenida Sebastião de Abreu que recebe enorme contribuição de veículos da Avenida Antônio Sales, Padre Antônio Tomas e Santos Dumont na direção da Avenida Washington Soares. Uma nova ponte sobre o Rio Cocó conjugada com outras ações viárias contribuirá de forma importante na mitigação do problema atual. Além disso, esse novo eixo viário permitirá a ocupação de áreas da cidade que estão hoje subutilizadas, embora a legislação municipal e ambiental permita sua ocupação. Essa ocupação também ajudaria a combater o esgarçamento horizontal do tecido urbano já mencionado, diminuindo número de viagens e a necessidade de investimentos em infraestrutura. Novas zonas residenciais e de serviços ao longo do novo eixo viário aliviará a pressão sobre o número de viagens na direção sul.

N

Litoral Norte MAR A R I E B

Litoral Leste

NIOR

NIO TO

DUM O NT

MAS

TANA JU

ANTÔ

NTO S

SH AVENIDA WA

CENTRO DE EVENTOS

MIRANTE

ES INGTON SOAR

AV. EN

GENHE

CIDADE 2000

PONTE PROPOSTA

RO

IRO SA N

SALE S

UTU OF IA D

AVEN IDA A NTÔ NIO

IDA P ADR E

NIDA SA

PRA

AVE

AVEN

A CIDADE E O CENTRO DE FEIRAS inegável que o Governo Estadual tem centrado esforços no setor turístico como opção importante de matriz econômica. Grandes projetos, alguns anunciados, outros já executados, confirmam essa tendência. Mais recentemente a inauguração do Centro de Feiras e Eventos do Estado do Ceará foi ao encontro de um anseio antigo do setor por um equipamento capaz de responder à crescente procura pela nossa cidade para realização de eventos nacionais e internacionais. O turismo de negócios é uma área prioritária em função do resíduo econômico positivo que propicia para a cidade sendo, inclusive, mais rentável que o turismo eminentemente de lazer. A nova ponte sobre o rio Cocó se encaixa nesse esforço de oferecer maior fluidez no acesso ao equipamento e à infraestrutura que inevitavelmente surgirá em seu entorno (hotéis, restaurantes, comércio etc.), bem como no acesso, a partir dele, a outros pontos da cidade, potencializando as consequências positivas do turismo de negócios. O sucesso de equipamentos de convenções e feiras depende também, dentre vários fatores, de sua capacidade de ancorar a memória dos clientes em aspectos diferenciados desse equipamento provocando o desejo de retorno.

O CENTRO DE FEIRAS E EVENTOS E O MIRANTE

O esforço de fixar a imagem de um equipamento desse porte na memória da clientela está também no seu caráter de originalidade. Os Centros de Feiras e Eventos, individualmente, não diferem significativamente uns dos outros em função das enormes e rígidas exigências técnicas e funcionais para sua implementação. É necessário, portanto, agregar fatores de diferenciação que cumpram o importante papel de torna-lo um artefato único. Foi nesse sentido que surgiu a ideia da construção do complexo de cultura e lazer Mirante de Fortaleza. A conjugação dos dois equipamentos confere um grau de originalidade capaz de fazer a diferença competitiva entre o nosso centro e outros que disputam o mesmo mercado. Mais uma vez, a nova ponte tem papel destacado e estratégico, já que propiciará melhor acesso da cidade ao novo equipamento, além do público específico do próprio Centro de Feiras e Eventos.

O COMPLEXO DE CULTURA E LAZER MIRANTE DE FORTALEZA O Mirante Fortaleza é uma estrutura que possibilitará uma visão panorâmica de toda a cidade, incluindo os litorais Leste e Norte além de uma visão privilegiada do Rio Cocó. Na base do equipamento, uma grande área tem a função de receber o visitante, individualmente ou em grandes grupos, e funcionar simultaneamente como galeria de arte, com exposições temporárias abordando os vários aspectos da produção de artes plásticas da Cidade e do Estado. Esse primeiro contato do visitante visa também estabelecer uma ligação com outros espaços de cultura de Fortaleza que estarão ali referenciados, provocando o interesse por outros destinos. No alto do Mirante será colocada uma torre para fixação de equipamentos de telecomunicações.

O COMPLEXO DE CULTURA E LAZER MIRANTE DE FORTALEZA

A seguir, uma bateria de elevadores levará o visitante ao mirante propriamente dito, numa cota aproximada de 100 m. Trata-se de um terraço sombreado de forma circular equipado com sanitários e portaria de controle. Esse pavimento serve à fruição pura e simples da paisagem, além de cenário para fotos. Será também dotado de uma bateria de lunetas fixas, como é comum em outros equipamentos dessa natureza. Acima desse terraço, teremos um restaurante 360º também com visão panorâmica, preferencialmente com culinária local. É importante lembrar que o restaurante é o elemento sombreador do terraço-mirante e ultimo destino da torre proposta. É possível, portanto visitar o mirante sem que se tenha que atravessar o restaurante permitindo que sejam usados de forma independente inclusive no que se refere a horários.

O COMPLEXO DE CULTURA E LAZER MIRANTE DE FORTALEZA O Complexo de Lazer e Cultura Mirante de Fortaleza, O Centro de Feiras e Eventos e o uso das quadras adjacentes constituem-se em um só sistema cujo objetivo é benéfico a toda a cidade. Uma ponte, um grande Centro de Feiras, um mirante, são equipamentos poderosos como elementos indutores de transformação urbana.

ALTERNATIVAS DE TRAÇADO

Identificação das intervenções no cenário T1

ALTERNATIVAS DE TRAÇADO DA PONTE

Identificação das intervenções no cenário T2

ALTERNATIVAS DE TRAÇADO DA PONTE

A partir dos resultados da macrossimulação do trânsito da região no entorno da Avenida Washington Soares foi possível estimar o volume de tráfego nas principais vias da região que poderão sofrer intervenção dentro dos cenários delineados. Destaca-se entre essas intervenções a construção da Ponte Estaiada sobre o rio Cocó a ser localizada ao sul do bairro Cidade 2000. Os resultados indicaram que o cenário T1 se mostrou mais atrativo para o tráfego, contribuindo mais para melhorar as condições de congestionamento da Av. Washington Soares e Sebastião de Abreu, já que essas vias são as alternativas atuais concorrentes da ponte a ser implantada. Estimou-se que a futura ponte no cenário T1 atrairá, durante o pico da manhã, um volume próximo de 1.180 UCP/hora, em 2014, e de 2.460 UCP/hora, em 2019, enquanto a mesma ponte no cenário T2 atrairá 650 e 1960 UCP/hora, respectivamente. Estima-se ainda um VMD de 13.300 UCP, em 2014, e 27.700, em 2019, atraído pela ponte no cenário T1.

ALTERNATIVAS DE TRAÇADO DA PONTE

Trecho

A (Ponte)

B

C

D

Pico Manhã UCP/hora Ano Horizonte

Ano Horizonte

2014

2019

2014

2019

N/S S/N

1.060 120

2.000 460

11.900 1.400

22.500 5.200

Total

1.180 540

2.460 930

13.300 6.067

27.700 10.500

-

-

-

-

Total

540

930

6.067

10.500

L/O O/L

-

-

-

-

Total

-

-

-

-

L/O

-

-

-

-

O/L

520

1.070

5.900

12.000

Total

520

1.070

5.900

12.000

Sentido

N/S S/N

Dia - VMD

ALTERNATIVAS DE TRAÇADO DA PONTE

Com relação ao traçado T2, nota-se também, alguns pontos negativos: -aumento do percurso dos veículos para acessar o corredor Washington Soares e os principais polos geradores de viagens da região; -maior impacto social, já que seria necessário considerável volume de desapropriações na Rua do Comércio, no Dendê, visando interligar a ponte com o sistema viário arterial da cidade; -indução de tráfego em uma via com classificação paisagística, que é a classificação prevista na Lei de Uso e Ocupação do solo de Fortaleza para a ponte no traçado T2; essa via deveria ter função de mobilidade para acomodar somente tráfego local e função de auxiliar a delimitação de áreas de preservação. Por essas razões entende-se que o Cenário T1 é a alternativa recomendada, justificando assim a implantação de uma ponte sobre o Rio Cocó conforme determina essa alternativa.

OCUPAÇÃO DO USO DO SOLO NO ENTORNO

PONTE ESTAIADA SOBRE O RIO COCÓ - PERSPECTIVAS

PONTE ESTAIADA SOBRE O RIO COCÓ - PERSPECTIVAS

PONTE ESTAIADA SOBRE O RIO COCÓ - PERSPECTIVAS

PONTE ESTAIADA SOBRE O RIO COCÓ - PERSPECTIVAS

PONTE ESTAIADA SOBRE O RIO COCÓ - PERSPECTIVAS

PONTE ESTAIADA SOBRE O RIO COCÓ - PERSPECTIVAS

PONTE ESTAIADA SOBRE O RIO COCÓ - PERSPECTIVAS

PONTE ESTAIADA SOBRE O RIO COCÓ Características Técnicas: • Dois trechos de acesso em laje de concreto, lado sul com 250m e lado norte com 100m; • Trecho Estaiado com 500m, sendo vão central de 250m e dois adjacentes com 125m; • No trecho estaiado, plataforma de 22 m de largura; • 4 faixas de 3,60m, 4 faixas de segurança de 0,60m e barreiras de concreto lateral e central; • Dois mastros com 64 m de altura, contados do plano do tabuleiro ; • Dois planos de estais ancorados nas vigas laterais do trecho estaiado; • Trecho estaiado formado por duas curvas assimétricas em planta, com raio constante de 330m.

MIRANTE – PERSPECTIVAS

MIRANTE – PERSPECTIVAS

MIRANTE – PERSPECTIVAS

MIRANTE – PERSPECTIVAS

MIRANTE – PERSPECTIVAS

MIRANTE – PERSPECTIVAS

MIRANTE – PERSPECTIVAS

MIRANTE – PERSPECTIVAS

MIRANTE – PROJETO

PROJETO DE ILUMINAÇÃO Situação Atual da área de intervenção

PROJETO DE ILUMINAÇÃO Plano Geral da Iluminação do Sistema Viário

Mirante

Ponte Estaiada

PROJETO DE ILUMINAÇÃO Plano Geral da área comum e Mirante

Mirante

PROJETO DE ILUMINAÇÃO O complexo composto pelo Mirante o será iluminado através de sistemas LED programáveis através da Internet, criando uma unidade de efeitos coordenados, gerando um resultado dinâmico conforme interesse do município.

PROJETO DE ILUMINAÇÃO Os projetores LED instalados nos diversos níveis do Mirante poderão criar diferentes efeitos de cores, facilmente programados, podendo serem distintos dependendo da época do ano, festas, eventos ou quaisquer outros motivos. Visando a eficiência energética e a sustentabilidade, toda tecnologia utilizada será baseado no LED, a mais moderna forma de iluminação disponível.

PROJETO DE ILUMINAÇÃO

Além da luz projetada, utilizaremos 06 linhas LED no corpo do Mirante para efeitos também programáveis.

PROJETO DE ILUMINAÇÃO O complexo poderá ser iluminado de maneira coordenada, as cores e efeitos do mirante assumem os efeitos coordenados por sistema de automação programável pela Internet.

PROJETO DE ILUMINAÇÃO O complexo poderá ser iluminado de maneira coordenada, as cores e efeitos do mirante assumem os efeitos coordenados por sistema de automação programável pela Internet.

PROJETO DE ILUMINAÇÃO

O complexo poderá ser iluminado de maneira coordenada, as cores e efeitos do mirante assumem os efeitos coordenados por sistema de automação programável pela Internet.

PROJETO DE ILUMINAÇÃO

A Ponte Estaiada será iluminada também por projetores LED programáveis, coordenados com o Mirante ou não, dependendo das necessidades dos eventos.

PROJETO DE ILUMINAÇÃO POSTE Hm 10m LUMINÁRIA: LED 230W BRANCO

POSTE Hm 6m LUMINÁRIA: LED 90W BRANCO

Tabuleiro Iluminação LED COLORIDO

Torres com Iluminação LED COLORIDO

Ponte Estaiada Teremos o controle das cores da iluminação das torres da ponte e da iluminação abaixo do tabuleiro, iluminando a região abaixo da pista. O sistema viário é composto por postes de 10m de altura com luminárias LED de 230W Entre os Estais, os postes serão de 6m de altura com luminárias LED de 90W

PROJETO DE ILUMINAÇÃO Projetores Instalados sob o tabuleiro permitirá a iluminação dos arredores da ponte para visualização á distância

Projetores instalados nas torres permitirão efeitos de luz nas estruturas de concreto

Como as Torres e baixios do tabuleiro utilizam sistemas LED programáveis, inúmeros efeitos de cores e movimentos podem ser criados.

PROJETO DE ILUMINAÇÃO Projetores Instalados sob o tabuleiro permitirá a iluminação dos arredores da ponte para visualização á distância

Projetores instalados nas torres permitirão efeitos de luz nas estruturas de concreto

Como as Torres e baixios do tabuleiro utilizam sistemas LED programáveis, inúmeros efeitos de cores e movimentos podem ser criados.

INVESTIMENTOS PREVISTOS

PONTE ESTAIADA + SISTEMA VIÁRIO + MIRANTE ITEM

FORTALEZA DESCRIÇÃO DAS OBRAS

1 OBRA DAS PONTES - ACESSO NORTE / ACESSO SUL / ESTAIADO

VENDA R$ 189.688.026,48

2 OBRA SISTEMA VIARIO NORTE E SUL

44.593.802,43

3 MIRANTE

64.409.875,28

TOTAL GERAL

298.691.704,19

PREMISSAS DO PROJETO ESCOPO DO PROJETO: Manutenção e conservação estrutural e rodoviária do sistema viário de interseção e acessos de vias urbanas à CE-040, incluindo a Ponte Estaiada sobre o Rio Cocó, bem como os serviços de operação, manutenção, conservação e exploração do Mirante e prestação dos serviços de vigilância do Parque Estadual do Cocó a partir do alto do Mirante , a serem precedidos das obras de construção e implantação do Sistema Viário, Ponte Estaida e Mirante. TIPO DA CONCESSÃO: PPP Administrativa com início dos serviços pelo Concessionário na data da eficácia do contrato. PRAZO DA PPP: 8 anos ( 1,5 anos de construção e 6,5 anos de operação); CAPEX ESTIMADO: R$ 298,69 MM; APORTES DO GOVERNO DO CEARÁ: Imóveis do próprio Governo do Estado do CE; R$ 244,69 MM em capital; CONTRAPRESTAÇÃO PECUNIÁRIA: R$ 5,0 MM ao ano

SERVIÇOS DE CONSERVAÇÃO E MANUTENÇÃO Conservação e Manutenção das vias componentes do Sistema, incluindo ciclovias, trilhas de pedestres, Ponte, praça pública do Mirante e o Mirante. • • • • • • • • • • • •

Pavimento; áreas verdes; sistemas drenantes; limpeza; estrutura da Ponte e do Mirante; estais; sinalização horizontal e vertical; calçadas; controle de erosões; iluminação pública; iluminação cênica do Mirante e da ponte; obras de arte correntes.

CRONOGRAMA

15 dias para análise da SEINFRA

15/10

30 dias

19/11

31/10

45 dias para apresentar propostas

7 dias

01/12

10 dias úteis

10/12

22/01

2 dias úteis

Mínimo 15 dias úteis

c/recursos 45 dias úteis

25/01

s/recurso 15 dias úteis

45 dias

20/02

07/03

COMPONENTES DOS ESTUDOS -Apresentação / Resumo; - Diretrizes de Projeto; - Estudos Ambientais; - Estudos Sociais; - Estudo de Tráfego e alternativas de traçado; - pesquisa sobre pedágio urbano; - Elementos de Projeto Básico – Sistema Viário; - Elementos de Projeto Básico – Ponte Estaiada; - Elementos de Projeto Básico – Mirante; - Iluminação cênica da Ponte e do Mirante; - Modelagem Financeira; -Modelagem Operacional; - Modelagem jurídica.

O Grupo de Empresas liderado pela OAS E MARQUISE – sendo composto ainda pelos participantes: ENESCIL Engenharia de Projetos, ASSIST - Consultores Associados, Azevedo Sette Advogados Associados e BF Capital Assessoria em Operações Financeiras foi autorizado a desenvolver os Estudos previstos no PMI 04 / 2011 de Viabilidade e Modelagem para a CONSTRUÇÃO, OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO DA PONTE ESTAIADA SOBRE O RIO COCO, em regime de Parceria Público-Privada – PPP.

REALIZAÇÃO


Ponte Estaiada - Rio Cocó Fortaleza