Page 1

Este livro foi diagramado e produzido por encomenda do autor que detém todos os direitos de conteúdo, comercialização, estoque e distribuição dessa obra.

Israel Santos Ribeiro Presbítero 33 98749-0360 doutorisa@outlook.com


O QUE FAZER PARA IR PARA O INFERNO?

Geeena, Sheol, Hades, Inferno O Fogo Eterno, o Abismo, o Além Lugar onde há choro e ranger de dentes E as chamas ardentes não poupam ninguém

"Mas, quanto aos tímidos, e aos incrédulos, e aos abomináveis, e aos homicidas, e aos que se prostituem, e aos feiticeiros, e aos idólatras e a todos os mentirosos, a sua parte será no lago que arde com fogo e enxofre; o que é a segunda morte.". Apocalipse 21:8

Comercinho/MG 2017

Destino de todas as almas perdidas Cortadas, banidas da Terra e do Céu Viagem sem volta do fraco e do forte Que tem passaporte para o Beleléu Ali onde jaz toda a jactância, O orgulho, a ganância, o ódio e rancor O ciúme, a inveja, o ressentimento E o arrependimento, tardio, na dor


O fogo não se apaga, o bicho não morre E ninguém socorre nem pode ajudar No reino das trevas não há complacência Perdão nem clemência, nem a quem rogar

O Lago de Fogo, enxofre e fumaça A ruína, a desgraça, a condenação Morada de todos os anjos caídos E dos homens perdidos sem consolação

O medo é real, palpável, latente O corpo doente, a alma sem paz Gritar não resolve, pois ninguém atende E o fogo se acende `inda mais voraz

O inferno é pra baixo, um poço profundo Sem tampa, sem fundo, sem luz, no final Sem corda que puxe de volta pra cima Nem mão que redima das garras do Mal

Tal escuridão é indescritível A noite horrível que nunca tem fim Trevas tão medonhas que assusta e apavora Todo mundo chora dizendo: Ai de mim!

Caminho que ao homem parece direito Suave, perfeito, a seu bel-prazer A passos compridos caminha seguro E o depois, o futuro, não quer nem saber

O Inferno é o lugar onde a vida é a morte A eterna sorte das almas sem luz O corpo queimando, sofrendo horrores Sem conta as dores que o medo produz

Viagem sem volta, sem escala ou parada Na longa estrada sem placa ou sinal De advertência, sem regra ou limite Tudo se permite até o final


Tem gente que diz que o inferno não existe Que Deus não desiste de nos perdoar Que um pai amoroso não queima o seu filho E nesse idílio vive a se enganar

O inferno é aqui, entenda, seu moço! É o fundo do poço na vida de alguém Um estado de espírito, do ser e da mente Um inferno ardente, de fogo não tem!

E dizem também que o inferno é na Terra O ódio, a guerra, a fome e a dor A miséria, as doenças, os vícios e a maldade A perversidade e a falta de amor

Mas Cristo ensinou que o inferno existe Mas o homem insiste de todo o negar Tentando fugir da justiça divina O homem termina por se complicar

Morreu, acabou! Não há outra vida! Tem gente iludida que pensa assim Homens e animais tem a mesma sorte Na hora da morte tudo chega ao fim

O inferno não é um mito, uma lenda Quem lê, compreenda, o inferno é real Se engana quem pensa que é fantasia Uma alegoria, ou coisa banal

O Papa falou que o inferno é folclórico¹, Um ensino alegórico, e não um lugar Como o Jardim do Éden o inferno é crendice O Papa quem disse, quem vai duvidar?

Deus fez o verão e também o inverno O Céu e o Inferno a Terra e o mar Nada que existe foi feito sem Ele O Mundo é Dele, o sol e o Luar


O inferno por Deus também foi criado Num plano traçado antes de moldar A raça humana do pó dessa terra A Bíblia não erra, pode confiar

O preto e o branco, o grego, o troiano O bárbaro, o romano, o árabe e o judeu O senhor de engenho e o escravo do eito Quem tem preconceito e quem dele sofreu

No inferno se vê o rico e o pobre O vil e o nobre, o lorde e o plebeu O velho cansado e o jovem garboso O religioso, o cético e o ateu

Vai o professor e o analfabeto O avô e o neto, a mãe e o pai A tia, a comadre, o cunhado e a sogra O que usa droga e o que não, também vai

No inferno tem gay, hétero e machista, Playboy, feminista, tem padre e pastor Tem monge e tem freira, político, beato, No inferno de fato, há espanto e horror

A dona de casa e a mulher de rua A que anda nua, a de burca também Vai a piriguete, a safada e a santinha A coroa e a novinha e a ‘dama de bem’

Tem o liberal e o extremista O estoico, o hedonista, o abstêmio e o glutão O monge asceta e o libertino O mendigo, o grã-fino, o polícia e o ladrão

Vai a mulher feia e a Miss Universo Vai o réu confesso e o do tipo Luiz Inácio da Silva que se diz coitado E que o grande culpado é Moro, o Juiz


Vai o lavrador de vida pacata, Vai o magnata, o banqueiro, o burguês O astro de cinema e o galã da novela O preso na cela, o grosso e o cortês

Deus fez o inferno, mas não para o homem Embora eles tomem as coisas assim Deus formou o homem pra ser seu amigo O inferno, eu digo, tinha outro fim

Vai o bom-vivant² e o que faz penitência O que mercadeja as coisas sagradas E os que pagam boladas pela salvação

Um anjo do céu, muito glorioso Se viu orgulhoso, se ensoberbeceu Usurpou assentar-se no lugar mais alto E no mesmo salto ao abismo desceu

Quem vai pro inferno não volta a essa terra A porta se cerra, Deus disse, eu sei Quem morre não pode viver novamente É uma vez somente, não há um replay

Dizia pra si a estrela brilhante: Serei semelhante a Deus, o Senhor Meu trono eu porei nas alturas do Norte Serei o mais forte, o conquistador

Se engana quem pensa que tem outras vidas As chances perdidas não voltam jamais Ninguém reencarna depois que falece Ou sobe, ou desce - voltar, nunca mais

Eu sou o maior, sou o mais bonito Em todo o infinito não há outro igual Entre os querubins sou mais importante Serei doravante, o cara, o tal

Quem compra indulgência e o que vende perdão


Mas tal pretensão mudou seu destino De anjo divino virou Lúcifer Sem honra, sem glória, jogado na lama Sem brilho e sem fama, um monstro qualquer

No jardim do Éden armou uma cilada E Eva, enganada, do fruto comeu Levou um pedaço para o seu marido Do fruto proibido e ele morreu

Deus, o Senhor o lançou no abismo Houve um cataclismo nos mundos de então A queda do anjo que era perfeito Encheu de defeito toda a Criação

Perderam a inocência e a sua pureza Toda a Natureza se modificou Sentiram vergonha um do outro e correram E se esconderam quando Deus chegou

Assim, o inferno foi feito pra ele E pros anjos dele que Deus expulsou Presos em grilhões, aguardando o juízo Eis o prejuízo que ele arrumou...

Cobriram com folhas a sua vergonha Porém, a peçonha do leviatã O veneno letal da antiga serpente Tornou toda a gente filhos de satã

O diabo não quis ficar só no inferno O fogo eterno quis compartilhar

Expulso o homem do jardim da vida Comunhão perdida, tão triste e tão só Espinhos e abrolhos numa terra mais dura Sua sepultura, de volta ao pó

Com os homens que Deus criou pra sua glória

Obteve vitória, fazendo-o pecar


Darwim³ errou em sua teoria Que o homem algum dia evoluiu O homem não é macaco evoluído Mas Adão caído, só o tolo não viu

Eis a questão, o X do problema O grande dilema, o engano comum O homem já nasce réu e condenado Sem ter praticado bem ou mal nenhum

Cada ser humano foi infectado Com o vírus do pecado que Adão cometeu Assim, por um homem reinou a morte Que o passaporte ao inferno nos deu

Não é o que se faz de errado ou direito Pois nosso defeito é de fabricação A raça humana privou-se da Graça Caiu em desgraça por culpa de Adão

Por um só pecado a Terra é maldita A maldade infinita, o homem um réu Fadado ao inferno no exato momento Do seu nascimento e distante do céu

Adão é o pai de toda a raça humana Que em uma semana o Mestre criou Seu pecado atingiu a humanidade Filhos da maldade que ele gerou

Mas, o que fazer para ir ao inferno O drama eterno, o erro fatal? O que faz o homem para ser julgado E ser condenado no dia final?

Se Adão pecou, logo todos pecaram Carentes ficaram da Graça de Deus Escravos vendidos, cativos da morte A eterna sorte de um mundo de ateus


Conclui-se então que o inferno é verdade E que a humanidade caminha pra lá A estrada é bem larga, descendo a ladeira Rumo à desgraceira, não tem blá, blá blá

Quem não quiser ir queimar no inferno E do fogo eterno fugir, escapar Basta tão somente uma coisa e mais nada Mudar a estrada do seu caminhar

O que você faz ou já fez, não importa Espaçosa é a porta da condenação O inferno é o destino de toda essa gente Porque inocente não há ninguém, não!

Crer em Jesus e assim, serás salvo Acerte o alvo, mude a direção Tome sua cruz pelo caminho estreito Só esse é o jeito para a salvação

Não é por fazer o mal, ou o errado Já estás condenado sem nada fazer É duro, eu sei, mas é a realidade E essa verdade não posso esconder

A morte é o salário que paga o pecado O céu nos é dado, de graça, Jesus Derramou seu sangue, mudou nossa sorte Derrotou a morte, em sua morte na cruz

O inferno está ai, a um passo da vida No final da lida, da faina do afã Um triste destino da raça humana Efêmera, ufana, enganosa e vã

Onde passarás a eternidade? A vida é vaidade, depressa se vai Depois que morrer já não tem mais jeito O que fez está feito, de onde entra, não sai


PREFÁCIO A existência do inferno bem como a condenação dos ímpios ao seu tormento eterno é ensinada enfaticamente nas Escrituras Sagradas, a Bíblia. Negá-lo seria contradizer as palavras do próprio Cristo. Ensinar ou acreditar que o inferno não existe é brincar com a própria sorte, é desmerecer a Graça divina ou anular os efeitos do sacrifício de Cristo. Ora, pois, Cristo veio salvar os homens, mas se não há um perigo, logo de que Ele nos salvaria? Que necessidade teríamos de um Salvador? Por que deixaria Ele a sua glória para se tornar “homem de dores, que sabe o que é padecer” e ser moído pelas nossas transgressões”? Não se pode negar a existência da morte só porque nunca a vimos, tampouco podemos esperar não morrer, confiando que Deus nos livrará dela porque Ele é amor e nos protege.

“Tu és pó e ao pó voltarás” e “Ao homem está ordenado morrer uma vez, vindo depois disso o juízo”. Deus é amor! E nos amou tanto que “deu o seu Filho unigênito para que todo aquele que nEle crer não pereça, mas tenha a vida eterna”. Não obstante, “dirá também o Rei aos que estiverem à sua esquerda: Apartai-vos de mim, malditos, para o fogo eterno, preparado para o diabo e seus anjos”. (Mateus 25.41) É tolice esperar que Deus não leve os ímpios a juízo e nem os lance num tormento eterno, baseado no seu infinito amor. “Porque, se Deus não perdoou aos anjos que pecaram, mas, havendo-os lançado no inferno, os entregou às cadeias da escuridão, ficando reservados para o juízo”. (2 Pedro 2.4). E sendo Ele “Aquele que nem mesmo a seu próprio Filho poupou, antes o entregou por todos nós” (Romanos 8.32). Como pouparia o ímpio do castigo, uma vez rejeitado o seu plano de salvação? “E, se o justo se salva com dificuldade, que será do ímpio e do pecador?”


Além do mais, “Quebrantando alguém a lei de Moisés, morre sem misericórdia, só pela palavra de duas ou três testemunhas. De quanto maior castigo cuidais vós será julgado merecedor aquele que pisar o Filho de Deus, e tiver por profano o sangue da aliança com que foi santificado, e fizer agravo ao Espírito da graça”? (Hebreus 10.28-29). “Vede que ninguém vos engane”, “Os ímpios serão lançados no inferno, e todas as nações que se esquecem de Deus”. (Salmos 9:17) e, “Então voltareis e vereis a diferença entre o justo e o ímpio; entre o que serve a Deus, e o que não o serve. (Malaquias 3.18). Como o inferno é um tema azedo e intragável, ao escrever, tentei traduzir em versos, para amenizar a aspereza do assunto. Entretanto, por estar escrito em versos não significa que está fantasiado ou diminuída, pelo contrário, a verdade sobre o inferno está ai nestes versos, nua e crua, tal qual nos ensina a Palavra de Deus.

REFERÊNCIAS Bíblia Sagrada. Várias versões em Português. João Ferreira de Almeida. Bíblia Online. https://www.bibliaonline.com.br Papa Francisco afirma que o Inferno, tanto como o Jardim do Éden, Adão e Eva não existem. https://diversao.r7.com/pop/jovem/naoha-fogo-do-inferno-adao-e-eva-nao-saoreais-diz-o-papa-francisco13062017<acesso em 26/02/18> https://www.youtube.com/watch?v=azflhkaN rjw <acesso em 26/02/18>

O que fazer para ir para o inferno?  

Estudo em verso sobre a realidade bíblica do inferno.

O que fazer para ir para o inferno?  

Estudo em verso sobre a realidade bíblica do inferno.

Advertisement