Issuu on Google+

nº15 | Mensal | Distribuição gratuita | Não pode ser vendida

Maio 2013

Mas em tempo de Queima das Fitas, quem tem um dicionário de tradições académicas é rei! Há bifanas e concertos para os noctívagos, missas para os mais dados à fé e até lições de costura para os mais habilidosos...

Notícias em curso

A dupla de estudantes que deixou os MUSE de boca aberta

Look at me

Não sejas Neandertal, conhece os vários tipos de depilação

Em forma

O SOS Estudante dá-te um ombro amigo


Pub

Pub


ÍNDICE | passatempos

3 4 7 10 12 13 14 16 20 21 22 23

Índice

Índice . Passatempos Notícias em Curso

A Mais Superior e a Ecoplay têm para oferecer 5 videojogos “Aliens: Colonial Marines” para PS3. Vais conseguir resistir? A ação passa-se em 2179, altura em que uma unidade de fuzileiros americanos embarca na nave USS Sulaco, rumo a uma expedição para visitar a colonização humana Hadley’s Hope. Até aqui todo o relato de ficção científica parece normal, ou não tivesse acontecido neste mesmo lugar uma infestação alienígena Xenomórfica...

Se ficaste com vontade de salvar estes habitantes, responde ao seguinte desafio:

Como imaginas que será um verdadeiro alien? Com antenas? Carapaça? Meia dúzia de pernas? Descreve-nos o teu protótipo de alien, sem medos. As 5 respostas mais originais levam para casa 1 videojogo “Aliens: Colonial Marines”. Não te esqueças de ir a www. maissuperior.com e preencher o formulário existente no texto relativo a este passatempo. Ficamos à espera de uma resposta tua vinda de outro planeta!

A Mais Superior e a Clothing DiscoDust querem que saias à noite em grande estilo. Para isso, nada melhor do que aproveitares o pack de 1 T-shirt + 1 sweatshirt que temos para oferecer.

Ficha Técnica Proprietário/Editor: Young Direct Media, Lda

NIPC nº 510080723 Empresa jornalistica inscrita com o nº: 223852 ADMINISTRAÇÃO Graça Santos, gracasantos@youngdirectmedia.pt DIRETORA GERAL DA EMPRESA Graça Santos, gracasantos@youngdirectmedia.pt DIRETOR ADJUNTO DA EMPRESA Paulo Fortunato, paulofortunato@youngdirectmedia.pt Sede de redação: Rua António França Borges, Nº 4A loja Dta. 2625-187 Póvoa de Santa Iria Tlf: 21 155 47 91 Fax: 21 155 47 92 Email geral: geral@youngdirectmedia.pt

www.maissuperior.com DIRETORA EDITORIAL Bruna Pereira, brunapereira@youngdirectmedia.pt DIRETOR COMERCIAL E PUBLICIDADE Duarte Fortunato, duartefortunato@youngdirectmedia.pt REDAÇÃO Bruna Pereira, brunapereira@youngdirectmedia.pt Pedro Amaro, pedroamaro@youngdirectmedia.pt COLABORADORES EDITORIAIS Guilherme Ferreira da Costa , Revista Empire e Susana Albuquerque DESIGN Ângela Miguel, angelamiguel@youngdirectmedia.pt NEW MEDIA André Rebelo, andrerebelo@youngdirectmedia.pt José Leitão, joseleitao@youngdirectmedia.pt MS RÁDIO Bruno Barbacena, brunobarbacena@youngdirectmedia.pt COMUNICAÇÃO E DISTRIBUIÇÃO Samuel Alves, samuelalves@youngdirectmedia.pt José Leitão, joseleitao@youngdirectmedia.pt Tiragem: 30.000 exemplares Peridiocidade e distribuiçao: Mensal, gratuita Assinatura Anual: 10 euros Registo na ERC nº 126168 Depósito legal: 339820/12 Tipografia e Morada: Lidergraf - Rua do Galhano, n.º 15 4480-089 Vila do Conde, Portugal

Banco de imagens: Todas as imagens utilizadas na publicação, salvo as que estão creditadas, são retiradas do depositphotos.com ESTA PUBLICAÇÃO JÁ SE ENCONTRA ESCRITA AO ABRIGO DO NOVO ACORDO ORTOGRÁFICO.

m chegamos

Agora també

a tua casa!

ues agarrar e já não conseg Há meses em quSuperior na tua faculdade? nenhuma Mais Por apenas 10 euros por ano, s! Não desespereeber a tua revista em casa! or.com/ podes rec www.maissuperi em is ma Sabe assinaturas

A Clothing DiscoDust é uma marca urbana e alternativa que nasceu em Cascais há dois anos, direcionada para Djs, party people, BMX riders e skaters. Para que uma amostra disto more no teu armário,

Night & Day Página a página Playlist Take 1 Em Forma Ler para Crer Look at me Limite de Velocidade Dá-te ao trabalho Manual de Instruções

apenas terás de aceitar o seguinte desafio:

Diz-nos qual é aquela música que, ouvidos os primeiros acordes, te dá vontade de saltar para a pista de dança. A resposta que mais nos fizer ‘abanar o capacete’ aqui na Mais Superior, ganha o pack! Põe-te a mexer, preenche o formulário referente a este passatempo, em www.maissuperior.com, e boa sorte!

Agarra o teu pack "Beat Girl"! O filme “Beat Girl” estreia nos cinemas a 9 de maio e está a oferecer 1 pack com livro + CD da banda sonora + cachecol com colunas da Earbox + 1 workshop da ProDJ. Prémios imperdíveis para quem gosta de música! “Beat Girl” conta a história de Heather, uma jovem pianista que sonha seguir as pisadas da mãe e formar-se pianista clássica na conceituada escola de música Juilliard, em Nova Iorque. Quando a mãe morre de doença prolongada, Heather fica sozinha e a braços com sonhos que parecem cada vez mais impossíveis de realizar. A mudança para os subúrbios, a relação conflituosa com o pai, a convivência com o meio-irmão adolescente e a impossibilidade de financiar os estudos em Juilliard são alguns dos problemas no seu caminho... Até que conhece Toby e, com ele, o mundo da música eletrónica e do DJing. O que começa por ser apenas uma experiência torna-se algo mais e o mundo de Heather passa a dividir-se entre os decks e o piano.

Para te habilitares a ganhar o pack “Beat Girl”, só tens de escrever uma frase original com as palavras ‘Beat Girl’, ‘música’ e ‘amor’. A frase mais criativa será vencedora. Vai a beatgirl.sapo.pt para te inspirares, depois só tens de preencher o formulário referente a este passatempo em www.maissuperior.com. Boa sorte!

Foto: beActive PVP: 150 euros

(Informação cedida pelo Departamento Comercial)

1. O passatempo “Ecoplay” tem como data de início a 6 de maio de 2013 e termina a às 23:59h de 31 de maio de 2013. O passatempo ‘DiscoDust’ inicia a 6 de maio de 2013 e termina às 17h de 6 de junho de 2013, qualquer participação fora desta data irá ser recusada. O passatempo ‘BeatGirl’ inicia a 2 de maio de 2013 e termina às 23h59x de 31 de maio de 2013, qualquer participação fora desta data irá ser recusada. | 2. Das respostas recebidas, apenas serão consideradas válidas as que preencherem devidamente os campos solicitados no formulário de resposta. | 3. Só é aceite uma resposta válida por endereço de e-mail e por concorrente. | 4. Do conjunto de respostas válidas recebidas, os premiados serão selecionados de acordo com o método de seleção e o número de prémios comunicados no respetivo passatempo. | 5. No caso do número de participações ser inferior ao número de prémios disponíveis, serão contemplados todos os participantes que responderem acertadamente. | 6. A lista dos premiados será publicada online, na área de Passatempos, sendo os vencedores ainda notificados via e-mail ou telefone, pelo que os participantes deverão facultar sempre os seus contactos corretos e atuais. | 7. Todas as demais dúvidas e questões podem ser endereçadas para o e-mail passatempos@maissuperior.com. | 8. Caso os prémios não sejam levantados após 3 meses de serem anunciados os vencedores, esse vencedor perderá o direito a esse prémio. | 9. Só são permitidas participações de residentes em Portugal Continental.

maio 2013 . MaisSuperior | 3 |


Notícias em curso

Bastava a proximidade dos barcos moliceiros, meia dúzia de ovos moles ou a deslumbrante vista proporcionada pela Ria de Aveiro, para esta ser uma academia atrativa para novos alunos. No entanto, a Universidade de Aveiro (UA) tem muito mais do que riqueza hisrórico-cultural para oferecer aos seus estudantes, nomeadamente no que refere a Pós-Graduações, como nos conta, em entrevista, o Vice-Reitor da academia aveirense Eduardo Ferreira da Silva, com os contributos da Pró-Reitora Gillian Owen Moreira. Texto Bruna Pereira | Foto Universidade de Aveiro

A nível de Pós-Graduações, quais são as principais ofertas da Universidade de Aveiro? O ensino pós-graduado existe na Universidade de Aveiro (UA) desde os anos 80 e tem vindo a assumir uma importância crescente, quer no número de alunos que a ele acede, quer no número de cursos criados. A nível do 2º Ciclo (Mestrados), a UA oferece um leque significativo de cursos, em variadas áreas do conhecimento, para os quais se tem verificado uma procura elevada, quer por alunos que concluem uma Licenciatura e prosseguem estudos na mesma área científica, quer por alunos que optam por uma área diversa da de formação inicial, que vão desde a Administração e Gestão Pública; a Bioquímica; a Ciência Política; a Comunicação e Multimédia; passando ainda pelo Design; a Engenharia Mecânica; o Ensino de Música; o Marketing; ou a Psicologia Forense, para citar apenas alguns exemplos. A nível do 3º Ciclo (Doutoramentos) têm mais procura os programas doutorais em áreas como Ciências e Engenharia do Ambiente; Ciências e Tecnologias da Saúde; Gestão e Engenharia Industrial; Educação; Estudos Culturais; Gerontologia e Geriatria; Multimédia e Educação; Telecomunicações ou Turismo, entre outros. A UA encontra-se a redimensionar a oferta dos 2ºs Ciclos, atendendo à sua dimensão global, qualidade científica e adequação às necessidades da sociedade. Recentemente foram acreditados sete novos ciclos de estudo pós-graduado na UA, entre Mestrados e Programas Doutorais. A UA privilegia as Pós-Graduações oferecidas em colaboração com outras instituições de Ensino Superior de renome, quer nacionais quer internacionais, preferencialmente inseridos em programas internacionais, como é exemplo o Programa Doutoral em Ciências do Mar Erasmus Mundus; o Programa Doutoral em Ciência e Tecnologia Alimentar e Nutrição (Universidade de Aveiro + Universidade do Minho + Universidade Católica Portuguesa); o Programa Doutoral em Ciências, Tecnologia e Gestão do Mar (Universidade de Aveiro + Universidade do Minho + Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro); ou o Programa Doutoral em História das Ciências e Educação Científica (Universidade de Coimbra + Universidade de Aveiro). A Escola Doutoral, uma

grande aposta na interligação da investigação e do ensino, tem como objetivos fomentar uma maior cooperação com empresas, qualificar assim de modo superior a própria investigação e tornar a UA mais atrativa para mais e melhores alunos estrangeiros. Estas novas apostas na oferta formativa vêm, assim, juntar-se a outras mais-valias que a academia aveirense já possuía... A UA é uma instituição atrativa, nacional e internacionalmente, o que é um fator importante para captar novos alunos. Neste particular, a proximidade existente entre estudantes e professores, a qualidade de ensino-investigação, que se reflete nos indicadores nacionais e estrangeiros, o campus e a sua arquitetura, são, reconhecidamente, fatores distintivos desta Universidade e que contribuem para um elevado graus de satisfação dos estudantes. Voltando às Pós-Graduações... Quais são as mais-valias de estudar para além da Licenciatura? A Pós-Graduação é importante para o desenvolvimento pessoal e a atualização/progressão profissional; é também essencial para o crescimento económico e o desenvolvimento social. A Educação e Formação ao longo da vida, em cursos conducentes a grau académico ou a uma especialização, são a forma mais segura de construir um futuro melhor a nível pessoal e social. E de que forma devem as universidades estar atentas quanto à melhor forma de ajustarem a sua oferta aos candidatos? A UA adotou o sistema de Bolonha, tendo tido a preocupação de, no decorrer do processo de reorganização, assegurar a atualização e adequação dos cursos e das unidades curriculares a uma sociedade em constante mudança, e aos desafios da Tecnologia e da Ciência, e do mercado de trabalho. Paralelamente e ao longo dos anos, tem vindo a ajustar internamente a oferta às necessidades dos candidatos, designadamente: na flexibilização da organização curricular e dos horários e na oferta de diferentes regimes de estudo (tempo parcial, frequência de disciplinas isoladas, formações a distância e pós-laboral). Também aumentou o número de estágios em ambiente empresarial, possibilitando aos estudantes a realização do seu trabalho de Dissertação nesse contexto. A UA funciona em rede tem uma rede de parcerias nacionais e internacionais que permitem reforçar

a ligação ao setor empresarial promovendo não só a mobilidade dos seus estudantes e docentes, mas também ser um parceiro e criador de empresas, um produtor e difusor de conhecimento e cultura e ser um agente de desenvolvimento local, regional e nacional. Por exemplo, a sua ligação à região pode ser ilustrada pela sua participação ativa na CIRA – Comunidade Intermunicipal da Região de Aveiro. Por outro lado, merece referência o facto de a UA ser, em si mesmo uma rede, ao integrar o Ensino Universitário e Politécnico e oferecendo simultaneamente formações Pós-Secundária, inicial e de Pós-Graduação a públicos diversificados, o que assegura o fortalecimento da relação entre a instituição e a sociedade em que se insere. Quer deixar alguma mensagem de alento a todos os nossos leitores sobre de que forma uma Pós-Graduação pode ajudar em tempos de crise? Apesar das dificuldades enfrentadas atualmente pelas famílias, os estudantes e futuros estudantes estão conscientes de que a única forma de fazer frente à situação económica e social, de promover o crescimento e a competitividade é através da qualificação e da atualização. Sabemos que o investimento na educação e na formação avançadas trazem benefícios ao longo da vida, não só na empregabilidade, mas também na qualidade de vida e até na saúde e bem-estar. O Relatório da OCDE sobre o Ensino Superior em Portugal evidencia essa importância “As pessoas com um curso superior em Portugal beneficiam de melhores resultados no mercado de trabalho do que aqueles com uma educação ao nível do Secundário tanto a nível de menores taxas de desemprego como de melhores salários”. Na verdade, sublinha a OCDE, “a vantagem salarial em Portugal é maior do que noutros países, se compararmos os graduados do Ensino Superior e os do Ensino Secundário. Os que tiraram um curso universitário ou um grau avançado de investigação ganham até 80% mais do que aqueles com o Secundário completo ou mesmo com cursos Pós-Secundário, mas que não se qualificam como Ensino Superior.” Da nossa parte, fazemos os possíveis para acolher os estudantes da melhor forma e ajudá-los a concretizar as suas ambições e os seus sonhos.


Notícias eM curso britânica pela banda o d a ç n la i ado, e eles O repto fo do ano pass ro b m ze e d de coraMuse, em uniram-se M . m ra a h n mpenhanão se aca ividade e e at ri c a a d o que gem e de to Falamos do concurs . a ri para enram-se à sé o Facebook n m ra a ç n “Animals”. os Muse la ra a música a p o e íd v mãos à contrar um ses puseram o seu e u g u rt o p s m por ver Dois joven m e acabara ra a c is rr a , obra s encedor. trevistado vídeo sair v aro | FOTOS Cedidas pelos en

o Am TEXTO Pedr

Chovem co Coincidência ou intençã m tários d o da “On en essteam”, enparabéns ao vídeo? banda noen a p ág in F ac a o ebook. E h ficial da ridade que áu a animaçãochama a atenção dma particulae p m ar uitos s: ece não ser há quem ocente E fã desenfread lhe chame sátira in até ao capital. is o. E porqu mo ê? O vídeo a história d co e hom s d ta-nos vatados e neg enen e levam oen gramais peqquuen s últimos ro to as pernas e, os, arrancam-lhes stões aos os braços, se há quem vale ar d olhos têmrancar olhos’, nesteigva que ‘só não sorte. Máq íd uinas q eo nem os dinheiro e homens dà conta desses muaie produzem leva a melh e negro à luta pars pequenos a ver qu or. A m os mais peq uenos quele,hor vai mesmo pem ara ‘destro ar’ os altos hjuontos, conseguem que acabn m en am s dinheiro, q com tudo, até a de negro e máquina d esta his riue parece ser o moti a. Se a letra vo de dae por si só,tó uma crítica de “Animals”to ção os do ao sistema, a an já é, is jovens imaDe acrescden in Portugal tar que este vvidaieomais além. conta já co clip made m visualizaçõmais de 280 mil es no YouT ube.

, Inês s” dos Muse a alguns ano an á m “h se s, a o ss m tiraram u Fãs, confe uel Mendes se dedicarem a este ig M e s ta Frei e para a faculdad de ‘férias’ d . o afi ensámos grande des s a tirar Animação, p o videoclip. m o ta m es co “Como ma curta u r ia cr s mos com o va que devíam semos, ficá ás ue h an g trabalho q e não Mesmo qu a para portfólio”. Um la co Es a rt d cu s o a n mais um os dois alu G) do canja para estão (EST G era quase e ). ia g lo o cn Portalegre Te P e (I d re r Superio me de Portaleg o o n ic o n b éc so lit Instituto Po ue costuma trabalhar imado la, q eo an Mas a dup que um víd eam”, sabia s. “Oneneest o d e agradar a to to que pensámos qu podia não , o pon ação ra im ei an an a m m a u “De cert cto de ser am dicar - o fa soas gostar nos ia preju s ajudar, pois as pes astante b o n va r o ta p es u acabo o video haram que mas arrisimenso e ac ês. Uma ideia criativa In a história iz su d a ”, n a vo criati a não tinh d an b a já o tem! , e u ra cada, já q ação. Ago im an e d deo mitem não qualquer ví dos com a vitória, ad ta am, já que an ir p u Ainda es e a conseg u q é o m de particico eos vindos saber bem d ví 9 12 e entr o. competiam s do mund e várias parte a página d n e as fr pantes de à , a reação version of ia t d n e lle d n ce ra ex No g “[...] the (oneda banda: el Mendes Facebook s and Migu er [...]” “foi ta ei Fr ês In inn Animals by gal is the w o from Portu rapariga. Ainda estã nessteam) a a cia ss en fe d n fi n co ”, co el el ito e Migu inacreditáv fe o m m u co ra tos’ ra, “e ‘boqueaber a de aventu rnousua parceir s Muse”. To o a ar p que, para a ip cl tícia eo o d n i vi fo m , ru levisões sonho faze jornais a te e d e, e ad -se realid s os prémio lado. to se fazem vídeo em todo o en im ec h n reco uesa. O Nem só de e pla portug do YouTub os pela du conquistad e no site e na página a ar p o rt taqu conce vai ter des assar num mas.... ainda vai p pecial, sim es o it u da banda e m te 0 vi n 50 co e il m u haram 3 m o qual têm Miguel gan a poderem investir, e ês In s! Há mai tia par ótima quan a, daqui a pouco ar euros, uma p ea ár ta z. nes quem sabe, os falar deles outra ve rm vi tempo, ou o

d s do mun re nas boqca g cola está le es a ta r e o u P IP que esta ns confessam

Os jove ulhosa” e dizem ue se fazem “muito orgsó vem “mostrar qD esign de conquistaalhos no Curso deraças ao vídeo, ab “G tr ”. s e n ia o b Multiméd espalhou-s Animaçãoo nosso Politécnicoem Portugal”, o nome d sociais e notícias pelas redes . reconhecem

maio 2013 . MaisSuperior | 5 |


Notícias em curso

Com a Filosofia nas entranhas

José Gusmão Rodrigues tem 19 anos, está matriculado no segundo ano do curso de Filosofia, na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa (FLUL), e a Filosofia não é uma paixão recente. O jovem foi já medalha de prata nas Olimpíadas Internacionais de Filosofia realizadas em Viena, em maio de 2011, sendo ainda, desde fevereiro de 2013, membro do grupo de investigação LanCog (pois tem intenções de se especializar em Filosofia da Mente). Em 2012, José Gusmão fez apresentações no 10º Encontro Nacional de Professores de Filosofia, na Universidade Nova de Lisboa, com o título “A mente ultrapassa o crânio? O debate sobre os limites da cognição”; e no 5º Encontro Nacional de Filosofia Analítica, na Universidade do Minho, com o título “Kripke’s argument against materialism: A reply to some objections”. Nesse mesmo ano, participou na OFA8: 8th Graduate Workshop in Analytic Philosophy, na Universidade de Lisboa, comentando um trabalho de Robin McKenna sobre o contextualismo.

Entrega do prémio em setembro!

Os trabalhos submetidos ao Prémio de Ensaio Filosófico, promovido pela Sociedade Portuguesa de Filosofia (SPF), foram avaliados (sem conhecimento da identidade dos seus autores) por um júri composto por Álvaro Balsas (Universidade Católica Portuguesa), António Zilhão (Universidade de Lisboa), Ricardo Santos (Universidade de Évora), Sofia Miguens (Universidade do Porto) e Teresa Marques (Universidade de Lisboa). A entrega do prémio terá lugar no decurso do 11º Encontro Nacional de Professores de Filosofia, que deverá ocorrer na Universidade de Coimbra (UC), nos próximos dias 6 e 7 de setembro.

| 6 | MaisSuperior . maio 2013

O Prémio de Ensaio Filosófico promovido pela Sociedade Portuguesa de Filosofia (SPF) já tem vencedor. José Gusmão Rodrigues, estudante de Filosofia na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa (FLUL), foi quem melhor respondeu à questão “O relativismo acerca da verdade refuta-se a si mesmo?”, levando consigo 3 mil e 500 euros de prémio e a certeza de que vai ver publicado o seu ensaio na prestigiada revista Portuguesa de Filosofia. TEXTO Bruna Pereira | FOTO Cedida pelo entrevistado

O que te faz gostar tanto de Filosofia? Há, fundamentalmente, quatro razões que me levam a gostar de Filosofia. A primeira, e mais importante, é que as questões são simplesmente e terrivelmente interessantes pelo seu grau de abstração e generalidade - para quem quer que tenha curiosidade intelectual pela natureza da realidade em termos fundamentais. Para dar alguns exemplos de questões: Se uma partícula atómica não tem liberdade, como é que um monte delas pode ter? O que é que faz com que seja a mesma pessoa aos 7 e 70 anos? Existem objetos abstratos, fora do espaço e do tempo, como números e conjuntos? Se há como podemos obter conhecimento deles? A segunda é que há questões de natureza ética e política (como a questão de saber se, e em que condições, se está justificado a mentir; se deve haver limites à liberdade de expressão; ou se o aborto deve ser legalizado... Sobre as quais, como agentes morais e cidadãos responsáveis, todos devemos ter uma opinião. E o debate e estudo filosófico é a melhor maneira de vermos se as nossas opiniões estão devidamente fundamentadas ou não. A terceira é que a dialética e a troca de argumentos entre os filósofos chega a níveis bastante complexos e seguir e participar da discussão, para além de dar prazer, ajuda a manter a inteligência flexível e aguda. Por fim, a última é que há questões existenciais sobre a morte, o sentido da vida, a amizade e o amor sobre as quais todos nos interessamos - e os filósofos também escreveram sobre esses tópicos. O concurso promovido pela SPF desafiava os concorrentes à seguinte pergunta: “O relativismo acerca da verdade refuta-se a si mesmo?”. Podes dar algumas luzes do que foi a tua resposta, vencedora no certame? Em contextos do dia-a-dia ou em certos meios intelectuais, é habitual ouvir-se a opinião de que tudo é relativo, de que não há verdades absolutas, de que tudo depende da perspetiva. A maioria dos filósofos pensa que este relativismo é um sintoma de confusão intelectual, e para mostrar que é falso, mostram que este se refuta a si mesmo. Pensemos um pouco na tese relativista de que ‘Não há verdades absolutas’... Não parece haver algo estranho nela? Das duas, uma: ou esta tese é ela própria uma verdade absoluta, no caso em que se contradiz a si mesma, ou é uma mera verdade relativa que não há verdades absolutas. Mas se é só relativo que não há verdades absolutas, então admitimos a possibilidade de que haja verdades abso-

lutas refutando, novamente a tese inicial. Eu defendi que os filósofos estão errados nessa acusação ao relativismo global. Aceitei a segunda opção do dilema, que o relativista propõe a sua tese apenas relativamente e, consequentemente, aceita que haja verdades absolutas - mas apenas relativamente. Isto é: ele aceita que pode haver perspetivas tais que, relativamente a estas perspetivas haja verdades absolutas, mas acontece apenas que a dele não é essa. Isso é mostrado à conta de um sistema de lógica formal que não tenho tempo de explicar aqui. O prémio que venceste tinha como valor 3 mil e 500 euros. Já pensaste o que vais fazer com este dinheiro? Tenho alguns livros que quero comprar com ele mas devo guardar a maior parte para o futuro, já que penso ir estudar para o estrangeiro. O que significou para ti esta vitória, tendo em conta o painel de jurados que te avaliou, o prestígio do próprio prémio e o facto de que o teu ensaio vai, inclusivamente, ser publicado num dos próximos números da revista Portuguesa de Filosofia? É sempre agradável ser o vencedor de qualquer competição, principalmente a compensação monetária referida há pouco. No entanto, não obstante a elevada competência dos jurados, não atribuo nenhuma importância de maior a este prémio. Teria muito mais significado para mim ter um artigo publicado num tópico filosófico que me seja querido, como a relação entre estados cerebrais e estados mentais, ou ter escrito uma introdução à Filosofia que suscitasse o interesse de uma quantidade significativa de pessoas. Há algum livro de Filosofia que queiras deixar como sugestão de leitura aos leitores da Mais Superior, por até ter sido de especial leitura para ti, por exemplo? “Os Problemas da Filosofia” de Bertrand Russell é a obra que está na origem da minha paixão por Filosofia e é minha convicção de que se trata da melhor introdução à Filosofia alguma vez escrita. Para além disso, para os leitores que não estejam interessados em Filosofia hardcore, mas que estejam interessados em como a Filosofia pode contribuir para refletir sobre a cultura contemporânea ou tópicos existenciais como o sentido da vida recomendo, respetivamente, o ensaio de Harry Frankfurt “On Bullshit” e o livro de Susan Wolf que foi traduzido com o título “O Sentido na Vida”.


maio 2013 . MaisSuperior | 7 |

ea

do ão a diç z 7ª e a ve aí a s um a São está a mai inem aio. v ue é q to le s ao C de m ema n ê 1 va pro . O eve ortugu e 3 a 1 u do Cin s d se p

a a a, uê Mu ue nem rtug nem isbo uguesa oq e ci o Po do ci m L rt que , o e i a r A o rd r o ca P ost AM sfala entá futur airr ate R e ta m NO e se ocum o e o o do B TO Cinem nes vê. do PA do qu roD tr p O ria s ês d ad ta F a ó o s o e n t e s s d a a lho o| a T r ,m v g i a e r l uem ba mo a , b q o r ém ostra te, o p a e ao s Am rês m o z e , o t guê ”, “C dro mb s. T , rói? age s fa no rtu , ta A – M presen tugues EXTO Pe lme tas par em o um a tal po const T M io é s fi cineas s se r têm qu de se en sse e , o Ma ORA bre o a Po s r s h t o e go gal ee um o n n r c i r n c s u e fi t atec sob ado cam tro o lo a do grá PAN são Por m r ta m n a o i e s t a g a u em os em nco des ine ogr r qu ea r t e i ee lvid o cin inem p disc à C tiva inema b itos , m e , s e icia s fe to d envo al d os c per dore perc a in do c eles. Jorg ário pon des o atu ment ea que eta r d u r p ent r o es i ”, um ivos ar n s t a e um o, se film esta instr uês arqu gulh e scu lug i u doc te iss to de to do que rtug . Os mer um m q s a d n jun res o Po das res e é vo e e idado etra Com lho me tári ueci ode est i n ata con m r ?”, “ me cat onv es, me u esq e tu p Os r é ex num azer u e olha o ida film gar ão c ocu v o D das que ando o de f a ond a?”... a ver têm lu ver, s os d cha rem Peg ido “Par nsin par rsa os a urs elas fe anha e r s e d v a o erc g tem s com mo se m lug a con nvida s “P itas d rma, u elo fo tõe ?”, “Co que u bate e que co jar p as, m esta z tos s du is do o de is do uro. der via ir obr ara, d r gos s dia o b p o nde , ma fut Ma as p c s i o t o s s r s os tre o ge, e s ara a, va ir de abe tor dia p t u odo e en Jor i s d a tóri ra t iza-s São o do t. pro enham la his ai perme port e s pa real ema eatr .org.p des ado p e te v star d ário 013 Cin no T ma u q ão e Gui a ent MA 2 rá no sa e nora r v t s s mo tuguê cum RA e te gue .pa Do ANO maio Portu : www por O P 11 de ateca ais em 3 e inem be m na Cirro. Sa Ba

O 25 d a Po : ww 7 e tro d is em Tea e ma Sab

O pFATALe maioitécnic . fata w l

r ra iz lo spe 3 real rá luga utros t. e o 1 o p e alc 20 e t a e l.ul.

ti ntre no por a-se e lugar cais. os d

ias

o j o pa os e stañ vai ort rksh rma eu são ara sfo , ao s a eles e grup arisca o que wo e estu ap Ses Sem C n s d a a o n o r i t e ‘M a çã an sd um ro tro a de ios E se tribui a, cab áculo sitária deste aço nta “Teat Vár de tea ografi p . e s v s t o r i n e e lo á co strut espe nive ição açã pos a fot apr títu ver d forms a gru rafia, 013 sob o con 13 os eatro U , na e uturo. m, ha 2 e d L s , e o o i A a d enog as Sã a de T loca ado/F char ulo. FAT mbr c nci tina Aul outros u Pass inas fe petác ção, o e Coi rsa. xperiê ia des omo a d de lher o s cort ada es inova uina conve itas e maior reas c oz. a Mu ois d pós c ar pela da Esq ma de de mu a sua adas á e de v Dep úlias a marc Casa ser te se faz ano, n templ ator tert pre a com a ral vai bém a este r con lho de Sem junto cultu 13 tam io par vão se traba con ento AL 20 lendár onde des do ciams o FAT o ca tários, ificida Ma põem iversi espec com tes un utras dan tro e o tea

de ico as m rv dé Aca as cu ote o r a m t r Tea aí pa sob o o e açã d á niz ual rio est ta vez rga o n a es lA pel tá tiva iversi io, e d Cedidas s e un ma OS a –F e FOT a su ora AL teatro 5 de o| r T a dar rmad A 2 m e l o F t A a o o e sf me 7 ue nho edr pro ia tran spa ica e ês d ova q o, de OP e L T m A X c T cn n po ã TE é pr gru olité m/ o FA verê aio que 4ª ediç ias, e irre . is o da P Home m a d o u s a e t 1 d q ro ç o o s oss dos dan e os Teat com ês d even sua ma os n s dota de mu s, entr os do mios n , co O m oa. O ora, a a i n res c inó i o l a c e ã a v n n x g p b o do ê e em acio aos o a a refl Lisb bra, a ar”. urg or j ta, ma Feito p ulsion intern subir l relev édi finanra a e m u a n l i r r p e p a e s c nsfo e is im vão eci e se ro. eo ura ate rec , cla el de aciona ’, que ar esp Leit s”, ond “tra deb a p ops r pa eito n d de

Night & Day


Night & Day

Em 1980, José Cid cantava “Amore, Amour, Meine Liebe, Love Of My Life” no Festival da Canção (tu provavelmente não te lembras, porque não devias ter ainda nascido...). Agora, também o teu “Grande amor” pelas línguas pode crescer ainda mais na 1ª Edição da Feira de Línguas no Estrangeiro e Multiculturalismo, que acontece já nos próximos dias 10, 11 e 12 de maio, no Centro de Reuniões da FIL – Feira Internacional de Lisboa, em Lisboa. TEXTO Bruna Pereira | FOTOS Cedidas pela organização

Depois de ter feito furor em países como Espanha, Itália e Bélgica, o evento chega agora a Portugal, com entrada livre a todos os interessados, contando com o apoio institucional da Câmara Municipal de Lisboa e tendo as revistas Mais Superior e Mais Educativa como media partners. Estudantes e profissionais estão todos convidados a conhecer ao pormenor mais de 40 destinos internacionais, programas de verão para jovens, ofertas de estágio e trabalho no estrangeiro, podendo ainda analisar as diversas opções disponíveis para aprender ou aperfeiçoar um idioma no estrangeiro, com vista ao seu desenvolvimento profissional e pessoal. No decorrer dos três dias, será possível a assistir gratuitamente a workshops e seminários sobre temas como “Oportunidades de estágio no estrangeiro”, “Como elaborar um currículo internacional” ou “Como adquirir uma visão do mundo de hoje”, entre outros. Para os jovens estudantes está ainda reservada uma agradável surpresa: descobrir novas formas de passar as férias de verão, de modo a melhorar os conhecimentos linguísticos e a descobrir outros destinos, fazendo amigos por todo o mundo.

| 8 | MaisSuperior . maio 2013

Portugal does not speak english...

Sabias que Portugal regista um dos piores índices no domínio da língua inglesa, ocupando um 15º lugar entre os 18 países da Europa que integram o EF English Proficiency Index (EPI)? Tendo em conta que Portugal apresenta atualmente uma taxa de desemprego de 17,5% (representando a terceira pior taxa de desemprego dos países da OCDE, apenas superada por Espanha e Grécia) e que 69% dos estudantes portugueses no Ensino Superior têm intenções de emigrar, após terminado o seu ciclo de estudos, segundo o inquérito “Mobilidade Profissional e à Internacionalização do Emprego Jovem” (realizado por associações académicas de várias universidades nacionais em 2012), talvez esteja na hora de termos o Inglês como um dos nossos melhores amigos... Já que dominar a língua inglesa (e posteriormente outras) é sinónimo de sucesso e evolução pessoal e profissional. Já agora, fica a saber que o ranking EF EPI é liderado pelos países do norte da Europa, onde a Suécia, a Dinamarca, a Holanda e a Finlândia ocupam as quatro primeiras posições. Não é por acaso que estes países são considerados verdadeiros modelos sociais e económicos. A propósito, Charlotte Lowe, Country Manager da Education First (EF) e responsável pela organização desta 1ª Edição da Feira de Línguas no Estrangeiro e Multiculturalismo, salienta que “num momento em que, mais que nunca, a capacidade de comunicar em Inglês e noutras línguas é um requisito essencial numa economia globalizada, é fundamental uma preparação linguística estratégica para poder competir em igualdade de condições num mercado global.”


Pub

✓ 7 Línguas, 41 destinos ✓ Ganhe uma viagem a Londres ✓ Oportunidades de Estágios/Emprego no estrangeiro 10 e 11 de Maio 2013 Das 11h00 às 19h00

12 de Maio 2013 Das 11h00 às 17h00

até -20% de desconto

Entrada Gratuita FIL – Parque das Nações, Lisboa

em Cursos de Línguas no Estrangeiro

Reserve o seu convite grátis em: www.feiradelinguas.com

Pub

Encontre as melhores entidades nas áreas de línguas, turismo e recrutamento:

13LS_fairFlayer_198x142_APR_PT.indd 1

4/22/13 10:00 AM

A M S I a E O U Q FITAS E NÃ

À venda em farmácias e parafarmácias.

! S a n a t s e P AS

-TE A V I T C GINSA as ia s f ic Em 10 d

outro

Épocas de estudo • Stress • Cansaço • Desgaste Físico e intelectual Ginsactiv faz bem a tudo, até à tua Queima das Fitas. Porque é um suplemento natural rico em ginseng, raíz conhecida pelas suas propriedades energizantes, que melhoram o rendimento físico, combatem o cansaço e reduzem a fadiga. Tudo o que precisas para viver uma boa Queima sem acabares queimado. Mas Ginsactiv também melhora a concentração, a capacidade de raciocínio, os reeexos e a memória, o que faz dele o suplemento ideal para a época de estudos e exames que vem a seguir. Se andas com falta de energia e precisas de te sentir em forma, ginsactiva-te.

Laboratórios Azevedos Indústria Farmacêutica, S.A. Sede: Estrada Nacional 117-2, Alfragide, 2614-503 Amadora Serviços Centrais: Estrada da Quinta, 148, Manique de Baixo, 2645-436 Alcabideche Tel.: 21 472 59 00 Fax: 21 472 59 95 E-mail: mail@azevedos-sa.pt Matrícula na C.R.C. da Amadora, Contribuinte nº 507474287 www.grupoazevedos.com


Página a Página Uma equipa a pensar em ti

O SAPE do IPL desenvolve as suas atividades em cinco escolas em Leiria, Caldas da Rainha e Peniche, desenvolvendo intervenção sobretudo em três valências: apoio psicológico, orientação vocacional e apoio psicopedagógico. O serviço promove, ainda, formações na área das competências transversais, entre as quais, em Gestão do Estudo e do Tempo. Sabe mais em sape.ipleiria.pt.

Queres terminar o curso na boa e, melhor, com sucesso? Reserva já um espaço na tua mesa de cabeceira porque há um manual que promete dar-te todas as dicas. E não entres em drama, há tempo para tudo. Só tens que fazer a gestão do estudo e do lazer de forma organizada. Graça Seco é uma das autoras de “Como ter sucesso no Ensino Superior” e é mais do que experiente nestas coisas de encaminhar jovens como tu. A pensar em ti, fomos falar com ela e desvendamos-te alguns segredos para o teu sucesso. Mas só alguns... Todos os outros estão nas páginas do livro. TEXTO Pedro Amaro FOTOS: Cedidas pela entrevistada

| 10 | MaisSuperior . maio 2013

“Como ter sucesso no Ensino Superior – Guia prático do estudante” Graça Seco, Luís Filipe, Sandra Alves, Ana Pereira e Ana Duarte Edição: 2012 Páginas: 168 Editor: PACTOR (Grupo LIDEL) PVP: 13, 30 euros

Não podemos falar no livro sem falar no Serviço de Apoio ao Estudante (SAPE) do Instituto Politécnico de Leiria (IPL). Este livro é uma extensão do trabalho que têm vindo a realizar neste serviço? De facto, foi a reflexão, intervenção, experiência e investigação desenvolvida no âmbito do SAPE do IPL, que nos serviu de base para a elaboração deste manual. Tanto na consulta psicológica como nas formações dinamizadas, começámos a sentir a necessidade de sistematizar um conjunto de dicas e de estratégias organizadoras do estudo e do tempo a disponibilizar aos estudantes do IPL. Que ajuda é que os estudantes do Ensino Superior podem encontrar neste livro? Admitindo que estudar não é uma tarefa fácil, implicando esforço, disciplina, motivação e uma boa gestão do tempo, pretendemos com este livro sistematizar e operacionalizar algumas propostas e sugestões práticas que contribuam para o desenvolvimento e utilização de estratégias de estudo mais adequadas e eficazes. A transição do Ensino Secundário para o Ensino Superior nem sempre é fácil para estes jovens… Para a generalidade dos estudantes, a entrada no Ensino Superior constitui uma experiência tão desafiante quanto difícil, marcada por diversas transformações, vivências e reptos. Com esta transição o jovem estudante é confrontado com uma série de mudanças, como sejam a saída de casa dos pais, a alteração das rotinas, as responsabilidades decorrentes da gestão de uma mesada, do aluguer de casa/quarto, respetiva limpeza e manutenção, da alimentação, etc. A nível académico é-lhe exigida uma maior autonomia, envolvimento e disciplina, bem como um estudo mais independente e regular. Sem revelar todos os segredos (para isso têm que ler este manual), em que se baseia um método de estudo eficaz? Os métodos de estudo mais eficazes dependem fundamen-

talmente da sua adequação ao próprio estudante, à tarefa e ao contexto, implicando o processo de autoconhecimento, a definição de objetivos e uma boa gestão do tempo. Por exemplo, estudar à última da hora pode ter funcionado no Secundário, mas no Superior talvez não resulte. A gestão de tempo é muito importante na vida de um universitário. Como é que se ajuda um jovem a gerir o seu tempo, as tarefas e a definir prioridades? O problema de gerir o tempo não decorre apenas do facto de se ter muitas coisas para fazer ao mesmo tempo; é principalmente uma questão de se gerir o tempo a nosso favor para se fazer o que tem de ser feito de importante na altura em que estamos mais produtivos. Assim, o tempo de estudo deve ser organizado em função das prioridades e obrigações, de forma que o estudante possa sentir um equilíbrio entre as responsabilidades académicas e a dedicação à vida pessoal e social. O livro dedica um capítulo à fase das avaliações. Do contacto que tem com os alunos, sente que esta é para eles uma fase de grande pressão? Sim, de facto, para a maioria dos estudantes do Ensino Superior, a fase das avaliações é bastante exigente e geradora de tensão, até porque agora o ‘estudo de véspera’ e/ou as diretas não resultam muito bem. Mas se o estudante definir objetivos realistas, estabelecer prioridades, participar nas aulas e recorrer às aulas de apoio e/ou orientações tutoriais, organizar regularmente o material de estudo, souber adequar as estratégias de estudo, souber lidar com os distratores e com a ansiedade, cuidar dos seus ritmos biológicos e alimentação, então saberá gerir adequadamente a pressão inerente a qualquer momento de avaliação.


Nรฃo sejas cabeรงa de abรณbora! Ouve a tua rรกdio em www.maissuperior.com


PUB

Playlist

A SUPER BOCK OFERECE-TE SUPER MÚSICA!

Mãos ao alto e ouvidos bem abertos, porque eles não deixaram o ‘poliziottesco’ dos anos 70 morrer em paz. Enrico Gabrielli, Luca Cavina, Massimo Martellotta e Fabio Rondanini ressuscitam as calças à boca de sino, os colarinhos compridos e salvam jovens mulheres das mais violentas explosões desde 2007, através do projeto musical Calibro 35, responsável pelo concerto de encerramento da 8 ½ - Festa de Cinema Italiano, no Teatro do Bairro, em Lisboa. O produtor Tommaso Colliva dispara algumas curiosidades sobre a banda, em entrevista. TEXTO Bruna Pereira | FOTOS: calibro35.net

Tiro certeiro nos ouvidos

A volta ao mundo ao Cinema Italiano é possível em menos 80 dias ao som dos Calibro 35. Graças ao roteiro (e bom gosto) do seu produtor, Tommaso Colliva (Muse, Franz Ferdinand, Gutter Twins), a banda resgata grandes clássicos dos anos 60 e 70, junta-lhes uma pitada de modernidade e oferece homenagens sonoras a diretores como Dario Argento, Mario Bava ou Umberto Lenzi. Com notas musicais inspiradas em subgéneros que vão do Giallo ao Terror, passando pelo Suspense, a Ação, os Policiais e os clássicos de Exploitation, os Calibro 35 dão nova roupagem a grandes clássicos de Franco Micalizzi, Armando Trovaioli ou Ennio Morricone, acrescentando nos álbuns faixas da sua autoria. O resultado é sempre o mesmo: muitas bandas sonoras carregadas de Funk, Rock, Groove Psicadélico... Para conhecer melhor em www.calibro35.net.

| 12 | MaisSuperior . maio 2013

Como é que se conheceram? Conhecemo-nos devido a mim (risos). Já tinha trabalhado com todos eles em projetos que não estavam relacionados com a banda. Como eu era muito amigo do Massimo, já tinha falado com ele sobre fazermos algo juntos musicalmente, pois possuíamos experiência no ramo. Depois, durante um tour de dois meses com outra banda (os Afterhours) pelos EUA, foi quando decidimos fazer alguma coisa da nossa autoria, do género banda sonora e que fosse bem italiana. Elaborei uma lista de pessoas que iriam certamente gostar da experiência de tocar bandas sonoras e propus uma semana de gravações em estúdio, onde nos iríamos divertir e conhecer melhor. Também foi muito produtivo e 80% das músicas que integraram o nosso primeiro álbum nasceram durante essa semana. Um amigo nosso, que era uma espécie de manager e vivia no Luxemburgo, ouviu as nossas músicas e disse para irmos lá. Nós fomos, também demos alguns concertos na Bélgica e foi assim que começámos, pois percebemos que podíamos ter audiência. Porquê Calibro 35 e não Calibro 22 ou 38, por exemplo? (Risos) Infelizmente não encontrámos um nome melhor... Essa é a verdade verdadeira. Calibro 35 foi o primeiro nome que nos veio à cabeça por duas razões: “Milano calibro 9” é um filme italiano muito famoso e que imediatamente se enquadra na música que fazemos; e 35 é o tamanho da película de cinema. Portanto... O calibre da nossa arma é do tamanho do filme. Mesmo depois de termos lançado o disco, não arranjámos outro nome melhor – recebemos até e-mail que nos pediam para, por favor, mudarmos de nome. Mas isso não aconteceu... Quais são as vossas principais fontes de inspiração na hora de fazer música? Começámos por prestar atenção aos filmes do género ‘poliziottesco’, que são filmes de ação italianos de Série B - nós temos 12 músicas no primeiro álbum e 10 delas são uma espécie de best off do ‘poliziottesco’: de “Milano Odia” a “La Mala Ordina”, “Summertime Killer”... Depois descobrimos que os filmes ‘poliziottesco’ não nos chegavam, que havia pouca dinâmica, e resolvemos acrescentar o nosso próprio material. O melhor feedback que tivemos veio de pessoas que chegavam ao pé de nós e perguntavam: “qual é esta banda sonora?” ou “de que filme dos anos 70 é esta?” e nós respondíamos: “não, isto são originais nossos”. Ou então ao contrário... “esta vossa música é mesmo boa” e nós dizíamos: “não, isto é do Enio Morricone” (risos). Portanto, achámos que o nosso trabalho era credível. O nosso primeiro trabalho foi quase todo covers de outras pessoas, o segundo foi 50/50 e o terceiro foi já feito com 80% de material da nossa autoria. Como é que descrevem a experiência com a Festa do Cinema Italiano, aqui em Portugal, onde além de serem banda sonora do teaser de apresentação, foram a banda responsável pelo concerto de encerramento? Já tinha vindo a Portugal, mas só em regime de férias, durante uma semana. Esta é a primeira vez que venho a um Festival de Cinema Italiano fora de Itália. Tenho ido a outros festivais de cinema... Mas cinema italiano não. E a 8 ½ - Festa de Cinema Italiano, na secção “Mani in Alto”, contou com uma seleção de filmes muito bons do género ‘poliziottesco’, exibindo também o documentário “Eurocrime”, com banda sonora da nossa autoria. E tocar a banda sonora ao vivo ao mesmo tempo que o documentário é exibido (que foi o que aconteceu no concerto), foi algo muito porreiro. E é muito porreiro também o facto desta mostra de Cinema Italiano em Portugal percorrer várias cidades portuguesas além de Lisboa – e fora do país. E para verem que não estou a mentir, posso contar que escrevi na página oficial de Facebook dos Calibro 35 (facebook.com/calibro35) que este festival de Cinema Italiano era tão bom que devíamos ter um igual em Milão... Porque não temos (risos). O vosso trabalho é quase todo instrumental, mas houve já ocasiões em que convidaram algumas vozes para determinadas canções. Como surgem as faixas cantadas? Fizemos isso no primeiro álbum, porque havia uma canção “L’appuntamento”, que tinha sido escrita pelo Roberto Carlos e o irmão Erasmo Carlos... E essa experiência foi muito boa, porque no mesmo álbum tínhamos estes dois contrastes: música instrumental cheia de ação e adrenalina e música muito ‘melo’. Mas depois disso, vimos que era tão fixe fazer músicas, que achámos que seria melhor deixar esta opção ‘vocal’ para ocasiões especiais, sem cairmos na rotina. Portanto, os Calibro 35, para já, vão continuar a ser um projeto instrumental.


take 1

Anne Hathaway integra elenco de “Interstellar”

Robert De Niro no novo filme de David O. Russell

O realizador Christopher Nolan chamou ‘Catwoman’ para o seu novo filme. Anne Hathaway reúne-se assim de novo com o realizador de “O Cavaleiro das Trevas Renasce” para o seu projeto de ficção científica. A atriz junta-se a Matthew McConaughey, que já tinha sido confirmado no elenco. Como habitual nos filmes de Nolan, o mistério reina e ainda não foram divulgados detalhes sobre o enredo, sabendo-se apenas que terá algo a ver com teorias sobre buracos de verme. A ideia original do filme surgiu pela mão de Steven Spielberg, depois de este ter ficado fascinado com algumas das teorias do físico Kip S. Thorne. Mas depois de o projeto ter ficado na gaveta durante alguns anos, o argumento escrito por Jonah Nolan passou para as mãos de Christopher Nolan, que decidiu avançar com a realização do filme. “Interstellar” deverá chegar às salas no final de 2014, e a rodagem deverá começar no verão deste ano.

Depois do sucesso de “Guia Para Um Final Feliz”, Robert De Niro volta a trabalhar com David O. Russell já no seu próximo filme. O projeto ainda não tem nome, mas é baseado na história real de dois vigaristas, Melvin Weinberg (Christian Bale) e Maxine Gardner (Amy Adams), que depois de apanhados em flagrante por um agente do FBI (Bradley Cooper) acabam a ajudar as autoridades a condenar poderosos mafiosos e políticos corruptos. Acerca do seu papel, De Niro afirmou que “é um tipo que surge e representa toda aquela coisa das apostas, ajudando-os [ao Melvin e à Maxine] a resolver as coisas. Mas, sem saber, está a ser usado. Ele é legítimo, dado que pode gerir casinos, mas também está ligado ao mundo do crime”. O elenco conta ainda com Jennifer Lawrence, Louis CK e Jeremy Renner.

“Esquecido”

“Os Amantes Passageiros”

Em 2009, Joseph Kosinski marcou a sua estreia como realizador com “TRON: O Legado”, e provou que era um mestre dos cenários e dos enredos messiânicos. Em “Esquecido”, baseado na banda desenhada que o próprio escreveu em 2005, o realizador reafirma estas duas qualidades mas demonstra que, realmente, é melhor com cenários do que com pessoas. O filme passa-se no final do século XXI, depois de a Terra ter sido atacada por extraterrestres e de uma guerra nuclear ter deixado o planeta devastado. Os humanos foram transferidos para outro planeta chamado Titã, enquanto Jack (Tom Cruise) e Victoria (Andrea Riseborough) permaneceram para vigiar e arranjar o equipamento que fornece energia a Titã. Mas Jack encontra uma mulher misteriosa (Olga Kurylenko) e um último grupo de humanos (liderados por Morgan Freeman) e tudo se torna num puzzle sem solução: ninguém está certo da verdade e as reviravoltas sucedem-se. Kosinski criou novamente um mundo de fantasia que parece real, mas acaba de novo por colocar a maioria do seu esforço nos impressionantes cenários futuristas e pouco nas suas personagens, que surgem mais como instrumentos para a grande revelação final.

A nova aventura de Pedro Almodóvar passa-se dentro de um avião, com uma tripulação louca e uns viajantes seriamente perturbados. Depois de problemas com o trem de aterragem, um trio muito excêntrico - e desbocado - de comissários de bordo acaba por revelar que o avião terá um acidente grave na aterragem. A morte poderá estar perto. Mas o trio tem a solução: uns copos e um par de comprimidos para cada um e a loucura instala-se. “Amantes Passageiros” é o filme da libertação sexual de Almodóvar e é também o seu regresso à comédia. Assumidamente popular, as personagens são incrivelmente engraçadas - e surreais. O trio de hospedeiros ‘muy maricones’ é o ponto alto do filme e a coreografia de “I’m So Excited” dos The Pointer Sisters não nos sairá da memória tão cedo. Depois desta viagem, nenhum dos viajantes voltará a ser o mesmo. E nós podemos apenas esperar que um trio deste calibre nos anime quando nos virmos em perigo iminente num qualquer avião.

Revista

TEXTO

FOTOS Cedidas pelos estúdios

A Empire é a revista de cinema mais vendida no mundo. Todas as novidades do cinema, entrevistas exclusivas, acesso privilegiado aos estúdios e grandes especiais são apenas alguns dos ingredientes que todos os meses vais poder encontrar nas bancas, em facebook.com/RevistaEmpirePortugal e www.empire.com.pt

maio 2013 . MaisSuperior | 13 |


Em Forma Desabafar os problemas que nos afligem com as pessoas que nos são mais próximas, os amigos, a mãe, o pai ou os colegas de turma, nem sempre é fácil. Falar de sexualidade ou de relacionamentos amorosos que não correram como esperávamos e que nos partiram o coração é sempre constrangedor. E a ideia de que os outros nos vão julgar ou que então não nos vão perceber também não nos larga. Mas se alguns problemas parecem mais simples de resolver, outros como a perda de um familiar, são difíceis de ultrapassar... São muitos os jovens que entram em desespero pelas mais variadas situações. Pequenos episódios que, muitas vezes, tomam grandes proporções na cabeça de um jovem, pelo facto de estar deslocado da sua cidade, do seu ambiente, da família, dos amigos de infância e do seu próprio quarto que, sabemos bem, é muitas vezes o nosso porto de abrigo. E é nesses casos que desabafar com alguém que, mesmo não te conhecendo, disponibiliza o seu tempo apenas para te ouvir, é uma solução. TEXTO Pedro Amaro

À distância de uma chamada

Uma ajuda para todos

Em caso de necessidade ou de ajuda, podes ligar o 808 200 204 (número azul) ou então o 96 955 45 45, de segunda a sexta-feira, das 20h à 1h (exceto no período de férias escolares). Sabe mais em facebook.com/pages/ Linha-Sos-Estudante.. Linha-Sos-Estudante

Aquele que foi um serviço pensado para ajudar os estudantes, com o passar do tempo, foi chegando a mais pessoas. Hoje são muitas as mulheres e muitos os homens mais velhos que também procuram ajuda nesta linha. “Adotámos a regra de sempre atender e apoiar todos os que a nós recorrem, independentemente de tudo, da idade, da profissão...”, diz-nos Joana.

Vozes com bom coração

Mas, afinal, quem é que está do outro lado da linha? Respondemos com outra pergunta: Num serviço dirigido a jovens, quem melhor do que os pares para melhor entenderem os seus problemas, as suas angústias e as suas frustrações? Do outro lado da linha estão estudantes do Ensino Superior de Coimbra, de várias áreas de formação académica, que disponibilizam cerca de 15 horas mensais em horário noturno para estarem verdadeiramente ao serviço do outro. Mas para tão importante função não basta ter bom coração. Todos eles recebem formação específica em diversas áreas como, por exemplo, estratégias de comunicação e escuta ativa, suicídio e sexualidade. Os nomes não sabemos e é suposto que assim seja. O que sabemos é que, para além do sentimento de missão cumprida quando conseguem ajudar quem está do outro lado, mais nenhuma recompensa recebem. Os 20 jovens que aqui trabalham fazem-no de forma ‘invisível’ e em regime de voluntariado. Tem sido assim ao longo dos 15 aos de vida e é desta forma que querem continuar. “É reconfortante pensar que existirá sempre alguém disponível para escutar quem precisa, à distância de um telefone”, confessa-nos a presidente da AAC.

“Boa noite, estou a ligar porque preciso mesmo de alguém que me ajude”. Este poderia ser o início de uma das muitas chamadas que chegam à SOS Estudante. Do outro lado, as palavras não são sempre as mesmas, a missão é que não muda: escutar o outro de forma anónima e confidencial, e dar-lhe o tempo e atenção de que precisa para expressar livremente os seus sentimentos. Foi a consciência de que existe um grande número de jovens, e em particular de estudantes, que precisa do apoio de uma voz amiga, que levou um grupo de estudantes a fundar este serviço. Mas isto aconteceu há 15 anos atrás. Será que hoje os jovens também precisam dessa ajuda? Joana Paiva, presidente da Associação Académica de Coimbra (AAC), onde está integrada a SOS Estudante, não tem dúvidas: “Essa necessidade continua a existir e, quem sabe, até em maior escala. A imagem que passa do ambiente universitário onde estamos inseridos esconde, muitas vezes, os casos de desespero e solidão de jovens que se sentem deslocados e desintegrados na nossa sociedade”.

Homens e rapazes pedem mais ajuda

Uma sociedade atenta aos jovens

O trabalho da SOS Estudante não se esgota nesta linha de apoio. O serviço tem ainda cinco voluntários que trabalham no terreno, como nos explica Joana: “O nosso trabalho passa também por sensibilizar a comunidade para esta realidade, muitas vezes oculta, através de diversas atividades culturais, como exposições, debates ou conferências, subordinados aos temas que merecem maior destaque dentro da nossa esfera de atuação, como a solidão, o luto, a morte, o suicídio ou a sexualidade”.

| 14 | MaisSuperior . maio 2013

De acordo com os dados mais recentes da SOS Estudante, onde foram consideradas as chamadas recebidas entre outubro de 2011 e setembro de 2012, 90% dos que recorrem a esta linha são do sexo masculino e têm entre 18 e 35 anos. Segundo nos revelam os números, 34% das chamadas dizem respeito a questões relacionadas com relacionamentos. A sexualidade é também motivo de preocupação por parte destes homens e foram o motivo de 25% pedidos de ajuda. As chamadas onde o principal tema é o suicídio corresponderam a menos de 3% das chamadas atendidas nesse período.


Pub


Ler para crer

TEXTO Pedro Amaro | FOTOS Associação Académica de Coimbra

Pod e a Q s grita r, uei aca ma d nós de dém as Fit ixam épo ic ca, o (pa as, a c os! É m ele ti g o tem ra ti ai ara po e par bração s do q n t p buí ma ue ju -l ir qu ara a os i terr as pelo e tudo as tare teus p s impo sto! E stá a f inh s pa r is c a tare a até is, p orra d s pare baba tante d aí d ce e fa e o a o cele árdua o cose los am feição não e s). Ch percu . s r i rs bra e E g t p que res o ara q dos em os, pe ntre c icar e gada e o u l c s o ,m o esm fim d e tudo blema s col mpra abe-te ta o an e um fiqu s na egas, r as fi a tes c e e de a ciclo. U bem apa, t nviá- tas, di las stri ens na cab m p fo e c ar, já d iclo d togra m mã ara a os u eixa e hi fia. sau stóri É ho ma r dad as, de m a de es. em ória s

“Éfe-erre-áaaaaaaaaa!”

À pergunta “então e para os finalistas, não vai nada, nada, nada, nada?” respondem eles em uníssono “Tudo!”. “Com toda a pujança e do fundo do coração aqui vai um F-R-A (finalistas “Frá!”), F-R-E (finalistas “Fré!”), F-R-I (finalistas “Fri!”), F-R-O (finalistas “Fró!”), F-R-U (finalistas “Frú!”)”. E todos numa só voz “Frá-fré-fri-fró-frú... Áli-quá-li-quá-li-quá! (bis), Chiribiribi -tá-tá-tá!(bis) Hurra! Hurra! Hurra!”. É este o grito que rouba as iniciais à Frente Revolucionária Académica, que encerra as celebrações. Não há forma mais perfeita de todo o grupo manifestar a sua alegria. Preparado? Mais do que por à prova o teu amor pelo academismo, ele põe à prova os teus pulmões.

| 16 | MaisSuperior . maio 2013

O qu e sig nific a Norm d a Past a Bençã rece almente b a? o nou er tanto , o espaç

tr s o que o lugar, finalista é peque c i s Univ nstala o p omo aco . Na igre no para j e das m rsitária d úlpito n ntece em a ou a das P uitas fac e forma Alamed Lisboa a a Que astas, a m uldades, receber da Cida im d solen a. Um m ais cristã acontece os aluno e s traje e como omento das cele a Bençã d o s b Os so negros e simbó que tem rações d sobr lico. t r a r i n s o t e E de d o de a s de ssae ntre e pres spedida alegria d m as cor os muito e e i Ao b ntes nes e a emoç sfarçam s das fita s e a t -te, s nzer a p e mome ão de ter s lágrim s. i a a n men mbolicam sta, o sa to tão e os pais s o s c signi s religio ente, a erdote b pecial. t s fi aben cado. E os este r i. Mesmo enzeporq itual ç para o a d facu ldad a a tua p uê? Benz tem gran os e pa i a de d s a s ag a ra a v ida a em dos pasta es tá temp dulta o ‘a sé rio’. s de

d q pa nes Tod ção m uma Estamfi todo s quem o toda n s ‘qu


Ler para crer Qual não é a cor d s a por c abes? En s fitas do é um á, não sa tão vê se teu curs b varia a tarefa q emos a te apress o? Ainda c Sabe de Unive uase imp or de to as! Nós do m r o s i o d s a o ver , sim de p ssível, at s, essa , m a q r e u a l e, se ho é Univ é porqu com , fo o e e expl Coimbr em muit res de D rsidade. o a a que dir da tu , por exe s Univer ireito, o s caso laranja a pasta. T mplo, a c idades t s a ria C , reserva ijolo está mbém s or que va i d Agor vil e não o para o , na maio abemos i Uma é dif a r par curs o a í conf da m lata de C undi zul é daq cil adivin o de Eng te dos o r os m curso har p enha uela uma arca, diz “ ca-Cola s Li Alma abelh tem s que a t ais distr cores q orquê. u da en ght que, ma a a qu u q a ê em v e r joy t c n Na U ue se di m como ídos. São e pode a o t q anto s v n s os e ue diz “T deseja “ he Night ez azul- iversida idir em m sua e, po muitos E G e ”, m c s o o o o d e o b r s u d l Letra scuro é e de Évo uitas to isso, ela s o sai er? Bem.. emas qu ro dos p Luck”, nalid a cor s r , a b a . e o p D a , o p á a i d curso ades sso n s or ex d zul-c dos e trá os qu em ifícil é ”.... São s e o a s de Biot laro está cursos d emplo, o . De c e não sa para a fre se fala! escolhe a zul-f e r á b i c e r m H n r n e s ea d erva olog erret tas d inter a para m por o te mas á quem . e d ia e a baixo são m preta nde j Fech área da é a cor e Física o paras o p com r esta é ass uitos á alm d s a e das fi mos, co Ciência as fitas d Químic s prim os desde explicaç im que d eçar. s m a t o S e Um maç as dos c estes e ociais. s finalis depo iro vem o colarin ão. Conta eves ã x u ho, t o sím is o d dos d mom quai o impor rsos po emplos, o a b m s o o o c rque tante s dev teu p a ate is lo da o idad ento na tu n es gu : há m há ou capítul e a U ç v s í s ã i n d , v o a i es e a o “A B e a qu tua vida seguir, e ão Europ : e azul.. a pasta. C ardar um ais fitas tra infor s n c p ç a ão é rga d e te r ecia muito eia, m fil com , ond u e e a Fita b .. Nós exp alma, nã espaço para as e e m c ç d t n e l r n a e trê aba a int beu m asc p term ofere ranca: h licamos- o é preci especial inou or dizer Momento de p ernet (ou lhos e o m para est este, ond s, á s e t i c o e a n q u r arta Jorn esq ficar Lic deve ida pelo uem d tudo! cheg axe) para pergunt elhor é p dar... Um e es i Hum alismo n enciatur Rodrigu uecível ares ar a a a não rocu ”, sua v ser esta padrinh ga que d a em anid e a A a f r l U a o fi a t u z r n n a o t L e es eres ra de Com s que eu p al de ivers isboa ades pais, ez, dizem ser que de Curs ve ser a a u e i c s d c d d , n n o o T o a h r i e e l i n i s te de Lu oc caçã á do nh que ira cnol ta o is é a fi mas aind que dev mada), o o (e que a o Depo us coleg s, não qu ares todo quando o u t dos ntecede anos. “D gias (UL sófona d as fa s os o eres is, pa Teor a para d a há que e ser um tros, po ú e H m e l p t z T i s i r r e alme u a ) d m a os , r p r ar a e ias à a ofe m de t fi e e b r m o a o t m e o r s a nç sm s, em para parte rta d fend screv o caj nte usa mais ao á figura. a o meio s. até a o pensa blema ão, com oment o d a quemaqueles m, esta é u er à cara a que es s s, a c oo os r que o mo que, do da co os nos c folclórico t m o m a m ortej men tudo ais e rreri coser com r do s, e p os n a fita etad Fita p são. o s a t n o c o o p p r s ã u e d e i e , e r n a o e r . s h m a e m c s s c pe m qu s s á cint o iais q sou i os base reta: não só po ão conse tudo o q . E há, ain a cartola ue só cial o me centena o e olham e nos e tão rápi ue to nsua dem da, o e tu sa s de ncon tead às canet é só a qu do s s m o i c e s s s s a . b e o pin for a Há a ou no ro e es a ru tr s que s, é tamb s berran e melho sto!” entimen tros ‘igu m volta e aquem em em n sados n quem d adereços s deve tes d r ser “ é o d a i , a t ú g m v r i o l is’ gu zM eve de suge e oura a fita ser e ser n acredite mero ím apela d a que e Uma lho de p arta qu alegria a nós co d r l a e cial p em que scrita pe da sorte as e pra m e tud espe ensa expe decid gro e se que traje par e há, batina es e . l c a o l o U r s o r h m , con iênci tamb e és lega ada se re que ader fita q ra escre ta seja finalist ns dize s t a s é é s u e e e u q m t ! g d a l v ç u m r m u a a a ui!”. os. N , ços e, v mig e ao de o e marca er. A ver ada a al , outros o fim je é para u g licen eternos os mais ivida com , que temp tro e, po o fim de dade é q uém esp ”, org c c i h a o m e d s g u a em a sua ados ulha de a o/criativ r isso, na um ciclo e esta é ei c um s família m Comunic -se Mart , “cria f a que omprar dade ten alta de i e o início a. A j i a g a ç n t ão er m s j da m ificad o pala eja de “B á com ums sempre aginaçã o mu na, esta diz que vem inha vras? , par c oa So a o i a o t m a / m o n h m ã q i e i a p nest n ) e u s e . r ó h p S i nsa te” tes or a meu a mãe nem os ecial: “ sta teve Todo altura. te é mes (para qu gem, ne e , nem da p s pri meu ê m m m a p s s avó rte m rim om ooq os ção m sabemo ue p ais Mart eira e tod são licen eu tio e s, nem recis uma as sabe s que o q nem a con c a i a a a d s famí pre, s os, o os fess Estamfita que r empre b ue conta c l u cola ada peq a que vai ia quis fa seja, fu e todo pagens vela tem em quan é a inten r as fi ueno ia g z e u rp ar , s o qu quem os gost colagen po nela do nos d e est tas, o pa pedaço dar, para arte”. s o i ã s d r n a , s s a o t e p v v n em ilha ção e, n sta es an in ão toda s ‘qu gosta d a hora d turas... H tido. ‘Será de ‘será elas esc r com o época: “ itada á s e ter r e Há u que não que esc ito e aqu amigos O s’? um m exibir a para r m pa onte etap mome deu mu evi algo ela sende fi sta, itas g aeq nto e d tas que, ue m spec arga e jeito?’ da vi com ela, arcou as ial que re lhadas? ” p d enqu a acadé artilhara jovem e sume um . o m e o m anto cha ica: “Fic m este e amigos a p ergu omento mavam aram-m isódio e p e marc m as pa em que elas uni os grito t v ti, qu am o iní stas no a odos os ersidad s c e e e qu e te apro io de um r e num é studant s e x com estás pr imas do a nova v fe-erre- es á p e as fit licada ta stes a d grande mida!”. Par a a a “a fit s numa refa de te r de cara omento s a melh cola du ó pasta, r que en s com a ca a or am pla é , sem jovem a ixar tod iga”. as dúvi conse lh da, a noss a: a

maio 2013 . MaisSuperior | 17 |


Ler para crer

Emo

Mui ta fa rra Muit chuv e pouc a far a o qu r a e se a e uma

de lé p a s a lé ede nes judinha a t do S s a c a f alt e d em s Isabe acor émico. A teja o fim ura em q ão Pedro uita des e g ue o é d u bilid l Nunes, e ita tam fest a a as su os muit rra port mais um país de C de e Fina luna do a o f u a a e s g s n s 3 i ‘ca ue te o vo Polit ências Em nças da E º ano de corte jos. Sere zes ao fa pas negr sa dá os é as’ em jos. A nata c do n para cnico de presaria scola Sup Contat as e o arr anta s ci pre is q estão ue a Qu Setúbal ( do Insti erior aleg os curio dades en da, saem anque d st e I sos j órico os c h à sua c babado ima che PS), está uto e r u m u faixa s s “ g Um s com , cartola ntam-se -se de fi a os eu q onquista e emoci ue. Diz q ansiosa” s s n à o verd c a m ue vo o c f m u i e l i n n i a e e s s a a t l t n i o s d a c l s cant a s . Car agen ntes adei em q ompõ o do u ter ma confessa os com e pais I r s , o s t e c o s u d a m e d : ro a ao fi s e se o cen e sátir rtazes os fin vede m umolho”. “S is que um “acho qu ta l q h a e u e a á rraia t p e a l r diga e que a tra s. Em C istas sã io do e olítica . A tr imar as fi com a marat ntir na p a lágrim e sou d o l d o e s o petá sécu adiçã i ç i t a ona meta m a tanto a e ã s s l o a o b v e o , 30 m culo erda ra, ci o rem tem m ano q d fim d lo pas d d p s mom , acho qu esforço a minha ue cheg i u e a o e l a a i i d e n s d com ras sado stud em ou cipaç um cicl o e já n ta à dé to que s na m ento qu e vai ser me vejo vida, o Cort cem mil , num co antes sa ãe de tod e a quer ão dos ca para os a altura mcada de 5 e ejo, a pess í r r a a t nesta inha me vou gua inesquec rasgar a e m fi e ete l 0 j o o à Q a q m r c s ueim ue co ua rniza oiros. O q nalistas e arcava o al do a ass servi altura de ória”, ac rdar para ível e é u r a ue es n i a em e ! o s t s t o “ t i ço. “A m a c r u r u . o s f e o e d t D e a d r a s a a m n t e i e r c ta a j époc n pois qui v ta, Set pre o Mas dor da vi te finalis da ligaç erimónia do sem a! Passam ive-se c úbal não vem. E mais da d ta à u ão um omp ana, é e d b , o n o e b h r s ive stu ili oj q o an não letam inca e pela o m s nem e, um ve ue uma c dante”. rsidade rdad Mas Semana ó pela Q à espera ente est erim e em t afina Acad e ueim c a ó o p i o nia, a ro ar das a incid tão e l o qu émic a ma or esta r s a Q e i l a o u c m A s l. om o calid eima É ce as i me na A pecial? A e têm es a, claro!” s també c m das c sto é o q s dias de ades a ce rto que t É tra nina d ue ac carta adémica finalista as noite , diz Isab i d a r ‘f d i i e m n a ç s d ã ç ónia ta da e d o e, p fim d es. D onte a? sê-lo estu z extraor de Setú responde e festa d l. e g el . b d Porto o mês de sde fina ce na ma rossa’, parte Se para u os vistos exce ante. Iss dinário q al tem s : “a Sema e i i o s , m , n F r d v d s parte e ma e l receb aro e o aio, Lis o -se o o passad os baile ai contin rç gos e ente, a c mistura ue alicia mpre umb u s s o u o q álcoo em muit tras cida oa, Brag o até ao escol fraques, , em Coi de gala j ar a melh um pou mpanhi do com ualquer a a d l p á h m o a estra à mistu folia, m es de e , Coimb c visto em-se as assa-se g bra apru fazem s u pass ores noi o de álc dos gra ambien r r g ra s j m t o a nu n Se há am a fes a (mas, a ita músi tudantes a, Coim os. É verd oias e os xa nos sa amm in es desta ol, fazem des am te ca e tenç t a m !) v u a p . b a e i stan ã em t itos q l o, ex nobr ra sem B de! Não stidos m atos, te”. vida aca destas o cesso gum h e dém a a a dado das as S ue davam s só -a-N e místico ile de Ga á queima is ica q s e m a t o u a o a d ue n l verd joven va que va Convento a e, este a em ade é rraial na as Acadé o para e star maio se tu i n s mica que é par finalista servir de de Santa o, é o r Ele e não o co isso é qu parte da s, o nom s a C s nseg stá e ase i s uma todos os . Esta trad alão de b laracida e m m sulta u vez n a b i r. De todas e es há qu possíve des, a a vid olsos ma ção coim ile aos a l. Ma acord em c a sua a. b s tam rim s bém rã não ele le as pouco eão nas fórmula onsiga! é só s ino m v p a ã a o os e rece de n s est c e n co re te o u trás p rte a sul dantes a s e cheia m recurs c o “Gar ara a fren antam a delírio. s de graç o a a s F antig gem da V te e aind suas mú inalistas a conf o “Mestre izinha”, “C dão ‘um sicas de e de q ssa, pelo da Culin abritinha pezinho ’. uem á rend é qu menos sa ria” são o ” e o mais e i sabe do que e estamo bes trau s ‘hits’ qu t s s s e prez bem qu tejas a o a falar? P ear. Sabe , e u e s Quim tem a m festa ac tros esti or mais lo ad Barre úsica popu émica q s musicai iros! u s, lar p ortug e se uesa de

ção

uxa m a x festa. E mm e e a gar m n or ex os

o ar tra , p de l bém en o Porto’ ou comque o mp tam o n stas sfile É te oiros , com s’, ‘be o de de ida , des cho m n ca l Os s cida es’, ‘bi ticipa ortun upeta p h o ita erm , par c u de m s ‘v ima ar ‘rou , o cham é a últ esfilar mada a. o l d p am a de d a cha inta Est ir que ruas. os têm com toda p , s a a à at sai s nov cabeç a car o m a que nico n te’ e co e a de p comb de a p

E ainda...

Mais curiosidades, testemunhos e formas de aproveitares ao máximo a tua Queima das Fitas em www.maissuperior.com | 18 | MaisSuperior . maio 2013


PUB

A maior base de dados de conteúdos académicos! Troca conhecimento com todos e ainda por prémios. Partilha!

PUB

.pt


Look at me Cera

Cuidado com as queimaduras!

Sabias que Cleópatra já tirava os pelos com faixas de tecidos finos banhados em cera quente? É verdade. Uma das maiores vantagens da cera (seja ela fria ou quente) é que pode ser usada em qualquer parte do corpo: das sobrancelhas às virilhas, nunca esquecendo o problemático buço, basta aplicar, esperar um pouco, retirar tudo num movimento muito rápido... E txaran! Os pelos não voltam a aparecer durante quase um mês e, quando voltam, vão ficando mais finos e mais raros. O que poderá não ser muito agradável é a dor que algumas mulheres sentem ao ser retirada a cera: se tens muita sensibilidade na pele, experimenta primeiro numa pequena área... E cuidado com as temperaturas excessivas para não te queimares e chorares baba e ranho depois. Lembra-te ainda que existem ceras no mercado que atenuam o sofrimento - podes experimentar se funcionam ou entregar-te nas mãos duma profissional da estética.

Pernas com toque de barba de três dias por fazer, sovacos com pelos encravados ou virilhas felpudas em dia de praia são alguns dos pesadelos por que nenhuma mulher ambiciona passar nos dias de hoje. Para amenizar a sensação de possuir uma coisa chamada pilosidade, são várias as metodologias depilatórias. Numas vais chorar, noutras gritar e noutras ver os pelos crescerem a todo vigor já no dia seguinte (o que também vai acabar por te fazer soltar algumas lágrimas).

Laser

Para voltar a ter pele de bebé

É o método que torna o sonho de não voltar a ter pelos nunca mais realidade! Praticado por profissionais qualificados e com supervisão médica, o laser emite choques de luz que atingem a melanina e coagulam o bulbo capilar, dificultando o nascimento dos pelos. É também o único método que te compensa financeiramente a longo prazo – sim, porque vais ter de abrir os cordões à bolsa para qualquer um dos métodos laser existente no mercado (Soprano, Light Sheer, Luz Pulsada, Epilight... ). Atenção, porém, porque aqui as morenas e branquinhas são quem mais beneficia, já que quanto mais escuros forem os pelos e mais clara for a pele, melhor funciona a depilação a laser (e menos sessões terás de fazer, sendo que a média varia entre as 8/10). Mesmo com retoques de quando em vez, uma coisa é certa... Nunca mais vais ter o matagal que cresceu contigo na adolescência. Essa sensação vai fazer-te esquecer o dinheiro gasto.

Pinça

Um pelo de cada vez...

Como a pinça é um utensílio barato que pode ser transportado em qualquer lugar, isso vai permitir-te tirar pelos enquanto andas de transportes, esperas pelo namorado ou vais ao WC do Centro do Comercial, sem gastares muito dinheiro. Outra vantagem é poderes arrancar o pelo desde a raiz (até os que ainda estão curtinhos) – o que vai retardar o seu reaparecimento até um mês. Desvantagens? Só vais poder tirar um pelo de cada vez... O que significa que as sobrancelhas e o buço são as zonas mais indicadas para fazer este tipo de depilação.

Máquina

Lâmina

Desde que tenhas uma tomada elétrica (há até máquinas de viagem que funcionam a pilhas), poderás fazer ou retocar a tua depilação. As principais vantagens passam por ser um método económico (o que vais pagar pela máquina depressa será compensado a médio prazo), de fácil utilização e com boa eficácia – ao ser equivalente a um conjunto de pinças que removem os pelos pela raiz, vais ver-te livre de pelos durante quase um mês. Vais também sofrer um bocado, sobretudo nas primeiras vezes, pois arrancar um tufo de pelos em simultâneo não é pera doce... Mas tenta ajustar a velocidade da cabeça da máquina à superfície a ser depilada. O resto é rotina e habituação (podes também morder uma peça de roupa enquanto te depilas para os vizinhos não ouvirem os teus berros).

Dá sempre jeito poder desenrascar uma depilação de última hora com recurso a alguns cêntimos no supermercado ou roubar as famosas ‘giletes’ ao pai, ao irmão ou ao namorado, verdade? Mas sabias que este método depilatório é o mais agressivo com a tua pele? Além de ressecar e raspar a zona depilada, uma e outra vez, ela fica vermelha, inflamada e pode sofrer cortes. De notar ainda que a duração é mínima, pois os pelos voltam a espreitar no dia seguinte. Portanto, se optares por rapar as pernas, as virilhas ou os sovacos, não te esqueças de hidratar a pele. Quanto ao mito urbano que diz que “quanto mais cortas os pelos mais fortes eles crescem”, esquece. Se isso fosse verdade, referem muitos especialistas, os homens em vez de barba tinham troncos de árvore espetados na cara!

Duas cabeças depilam melhor que uma

| 20 | MaisSuperior . maio 2013

Cortes e pelos mais grossos?

Qual a melhor forma de não pareceres um Neandertal? Isso decides tu. TEXTO Bruna Pereira

Linha

Paciência de Job vai ser pouco

Creme depilatório Colocar, esperar e andar!

Se tens uma pele sensível, queres gastar pouco dinheiro e não tens paciência chorar ao ritmo de ceras e máquinas – até porque estás com pressa e vais ter de arranjar num abrir e fechar de olhos para sair com os teus amigos, os cremes depilatórios são a melhor opção. A má notícia é que vais ficar com alguns pelos encravados e os outros odiosos pelos que não ficarem encravados vão começar a nascer logo no dia seguinte, já que neste método depilatório os pelos não são removidos desde a raiz. Atenta ainda às instruções do produto. Para evitares reações alérgicas, testa o creme atrás da orelha ou no antebraço antes de o usares numa grande superfície.

Se és daquelas que acha uma seca ficar à espera que o verniz seque, odeia jogar Mikado e nunca aquece a comida até ao fim no Microondas, esquece, este método não é para ti! Como requer uma delicadeza e uma precisão extremas para puxar e arrancar vários pelos em simultâneo, a técnica da linha é aconselhada para pequenas áreas do rosto, tais como buço e sobrancelhas. O lado bom é que dói menos do que a pinça e, como acontece com os outros métodos depilatórios não definitos, se acontecer uma falha nas sobrancelhas, não te preocupes, porque ela vai ser preenchida naturalmente e em breve. Nascida no Sul Asiático e no Médio Oriente há milhares de anos, este método é aconselhável a pessoas que possuam uma pele mais sensível, pois não corta, não queima, não provoca reacções alérgicas e não cria borbulhas nem irritações após a depilação.


limite de velocidade

l e v ó m o ut a o d o ã ç emancipa

ia da oramos o D omo m e m o c s o c n de nós, tal seres huma vez menos a quanto nós d n a e c , to s. m e a n e d d im ção. Depen às quatro ro Razão Automóvel s o seu surg a aplicada a emancipa id 0 anos apó su v 0 a FOTOS 1 a d e m i d ra le is o a É da Costa | M comem mães. s is a me Ferreira e v er ss ó o lh n ui m G s to a O TEXT Mãe, os au ez menos d mos cada v e d n e p e d s nó

A

e seguáqeu? ina O quehs m o em e m

a forAté aqui, e da mesm portaram-s , crianças, adom co bebés ós aqui Fa ma. Foram materna, n Felizmente caso do cia, cheg e adultos. aqui que o bra a figura ada a infân e do armário’, Ou no nhecida por s d le er te p ce ão en aç Su se sc p e le ci é em qu à eman te ‘idad mbém co a o início tomóveis, unca vão Num mês assistimos deles, é vêagem’ - ta A irreveren para os au Automóvel tas décadas a cuidar ade da gar tuar esta fase lá par de 90. águas. N ‘id as s. a o is am p ar m ve p ó nós. si pelo Razão n ca m ta se se todos os a década Podemos ntrário de . Depois de al no fim d am a ser verdalescência. de nós, em e lhos, ao co i a nossa n o s a fi o ve automóvel ad r an m en m se m co u z h e a de 60 começ e a vid onde va r cada ve bir, da década te período de vida los precisa elismo entr presEntão para ina? O caminho, eçam a su u os um paral s semelhanças são im ncias com s nes o áq tê em rr al o m n p ec ca a fi el s A as ad , O ab s’ anização’ st am E ‘dirigívei cobertas… ade? E tomóvel. A da ‘desum do te es au d o en e é d es , m d o ra n eu çã ei rd o ra u d g ei o ve s d cr é ra ce a evol ei s ão n m ai ri a, M p ci vel. e dão-se as tamos na adolescên rros são ‘irrespondo automó borracha queimada sionantes… ca es s s, n a u ta e, n lg te. A de co or fortes que tard ntanha se ao volan s loucos p ada de mo isso reflete- potentes, autêntico es. Não interessa numa estr a um computador am er ’ ad is te d ar é tomóve O que é savelmen as e grandes veloci vai dar lug rá por nós. Em m, Fase boes bbebés, os primeiros alauém da ‘alma’… de avariare mo elo ravessadel mpanha o ímpeto conduzi at e u a o q ar m p s… co co mas sem ap l o Ta ! Sem filtro ústria automó‘corpo’ ac mais faziam cabeça. Exatamente segurança que tanto es o a co rt n u se fo o le P p es . d is e çõ s de da in inúte ade d o emo objeto alho e dore m… Utilid preciso sã – esse parente pobre coisa praticamente nenhum. O minha no sentido darem trab e só comem e chora ram a sorte da ma nça ca u s ra a o u er g am – se s u ve áv A o q ti l , odomésam comum, muitos an os bebés porque ta num ‘eletr co, te é Em e n at a. -s , ra m u ar es u d rn el l h n to ve en ri e ar N d ét st s? o el o ve s b ap te ai a e am vez m e continuar humanidad acessória. tico’. Cada ro. humanidad as mães, também a ia mudar. Os bebés u g oss tomóveis, e nário limpo e se como as n como os au e vós um dia o ce os carros cresceram e m u ça q e fa d ão N cuidou d esperança rnam-se homens e mem quem tes anos… Feliz to ti e es m ce es cr dos es e úteis. durante to tornaram-s ! Dia da Mãe ante… scência ais interess tose adole a a idade m s au

enos,

m mais nem lta Fase asdenutão à fase adulta e,ilidseadmes. E as semelhans

o no a. E tal com fância m a infânci manifestou-se Fase in ve , al at n fase a fase

Depois d carros esta 10, já podíamos sair anos, nos seres hum rma. Por volta de 19 os a certeza de fo en da mesma rro e ter mais ou m ão em cima de um n ca e e d e, el sa n ca lo e s carros d os a cava crianças, o s queam as áv o eg m ch co l nó ta que , e u se q fa o te ). Nesta ras’ exatamen cavalo (… ão faziam eríamos. Faziam ‘bir n a d n ai te u q ar e m u à também q a a da form só chegav tensílio ríamos nem or nada, e a solução u te es e -s sa p por tudo e das crianças, dispen os de direção eram d so lada (no ca óbvios…). Os coman tes e os restantes s n por motivo s, os travões inexiste e uma aeronave. re ed rudimenta ham a complexidad tin s lo o tr n co

elhantes Chegamo bém as responsab nossos sem m chegam ta s, seres bípedes, e os ó ças entre n das continuam. uivalente ao ro lizador, eq ta ca m gar a um de quatro se pe direto m de dar lu Aquele esca gua? Esqueçam! Te ra somos responsáo a lín piercing n s audível, porque ag ocupados com o o pre escape men os verdadeiramente em só...! m veis e esta tor das cigarras. Olh , de gasolina. Esses u ão d ciclo repro ros de cerveja?! Perd alavra de ordem é p lit A e s. s o ro d lit ta n Os ilidade do m os dias co sustentab também tê preocupação com a am a dar eç e des com poupança hã. Os motores gran . dia de aman equenos. úmero um o tópico n sp espaço ao mbém deixa de ser óvel, tal como as ta m A diversão invade o nosso auto companhia da telea a A eletrónic as são invadidas pel equenos deslizes e ad ap r nossas noit vessadelas passam elo soluça ra stituídas p visão. As at queimadas são sub s automóas travagen a de ABS teimoso. cipação do em de um sist se dá a ‘parcial’ eman ós queremos para e n e E é aqui qu de fazer aquilo que er. São controlos d qu xa e ei ê! u d u q q e o El ilo s l. u ai ve aq m zer apenas travagem e de sei lá l, aqui passar a fa gem, de automóve o ra d vi a e lt d u , ad se tração fa a e s atuais. dizer qu aos tempo Podemos rresponde descrita, co

Quem é o Guilherme Ferreira da Costa?

É estudante de Mestrado no Instituto Superior de Gestão e editor do site Razão Automóvel, colaborando ainda mensalmente com a Mais Superior na rubrica “Limite de Velocidade”. maio 2013 . MaisSuperior | 21 |


DÁ-TE AO TRABALHO

Móveis na ponta dos dedos Quando é que o mobiliário desmontável se tornou num assunto sério, nascendo a CUT furniture? O passo da ideia ao negócio foi impulsionado pelo Prémio Nacional Indústrias Criativas Unicer/ Serralves. Com o prémio monetário, foi possível criar uma coleção, registar a marca e os modelos, lançá-la na Interior Lifestyle Tokio e depois na feira Ambiente 2012 e 2013. O que é, afinal, o Valchromat e como se faz mobiliário neste material? O Valchromat é um material que está pronto a usar tal como se apresenta no momento da compra. Para além de ter uma resistência mecânica muito superior ao comum MDF, é hidrofugo e tem cor em toda a espessura - o que permite minimizar o acabamento, por muito complexas sejam as formas das peças. Estas caraterísticas, juntamente com as propriedades ecológicas, foram as principais razões que me levaram a escolher o Valchromat como matéria-prima da CUT furniture. Tendo como principal objetivo simplificar a fabricação de mobiliário, a CUT furniture tem como premissas: usar um único material, ser maquinado por uma única ferramenta, não usar ferragens, parafusos, pregos ou cola e cada peça pode ser montada e desmontada várias vezes sem ajuda de qualquer ferramenta de forma rápida e fácil.

Quem é Mariana Costa e Silva?

Antes de mais, é açoriana de gema, da Ilha Terceira. Cursou Design de Equipamento na Faculdade de Belas-Artes da Universidade de Lisboa (FBAUL), admite que a passagem pela Universidade a ajudou a estruturar o pensamento e nunca mais deixou de pensar em formas e objetos. Atualmente, esta jovem de 32 anos tem como principal atividade profissional a “prestação de serviços de Design Industrial para a indústria do mobiliário, cerâmica, vidro, metalomecânica, plásticos... Ou para individuais (decoração de ambientes, por exemplo)”. Em simultâneo, a paixão pelo Design consegue fazê-la gerir três marcas próprias: a Confeitaria da mala (www.confeitariadamala.com), a CUT furniture (www.cutfurniture.com) e a Cuco Toys (www.cucotoys.com), estas duas últimas em parceria. Ah... “E também no Facebook os produtos podem ser encomendados via e-mail ou nos pontos de venda indicados nos sites”, conclui Mariana, em jeito de lembrete. Lema de vida? A designer cita Mies van der Rohe com “Less is more”. Se a tua curiosidade persiste, sabe mais sobra a Mariana Costa e Silva em cutfurniture.com/creator

| 22 | MaisSuperior . maio 2013

O que distingue este tipo de mobiliário de outros projetos estilo ‘faça você mesmo’ já conhecidos? Com a exceção de ser o consumidor final a montar as peças de mobiliário, em nada mais os produtos podem ser comparados. Na CUT furniture não há o risco de se perder um parafuso e ficarmos com a montagem inviabilizada – atualmente, o número máximo de componentes por peça são seis, tendo cada componente dimensões mais do que suficientes para não se perderem. Não são necessárias ferramentas para a montagem, nem para a desmontagem, apenas usamos a força (pouca) dos dedos. As peças podem ser montadas e desmontadas várias vezes sem desgaste dos encaixes. Como foi dar o salto para esta atividade profissional: os momentos mais difíceis, dica a reter, mitos que pairam na cabeça de alguns jovens que também pensam abrir o seu próprio negócio, apoios e concursos que serviram de alavanca... Não se pode dizer que tenha havido um salto... Desde sempre gostei de fazer as minhas coisas, de concretizar as minhas ideias. Como designer, desde estudante que senti que seria mais fácil criar os negócios para os produtos da minha conceção do que procurar interessados nos meus projetos. O mais difícil é fazer o caminho sozinho. O mais importante é ser persistente e aprender com os erros.

Banco, cadeira, cadeirão, mesas, mesa de café e candeeiro. Podes escolher qualquer uma das sete peças da CUT furniture para mobilar a tua casa. As vantagens? Ao serem feitas em Valchromat (um material semelhante à madeira e cujo acabamento resulta numa fina camada de fácil manutenção), dispensam o uso de parafusos, martelos, pregos ou cola, já que para montares os teus novos móveis, a única ferramenta de que vais precisar vão ser os teus dedos... Garante a sua promotora, Mariana Costa e Silva. Se desconfias da resistência deste mobiliário, desiste da ideia, pois os créditos há muito que vieram ter com a CUT furniture: este projeto foi selecionado para exposição no Prémio Massimo Dutti Design; ganhou o 1º Prémio Nacional Indústrias Criativas Unicer/Serralves; e foi já lançado internacionalmente, em 2011, na Interior Lifestyle Tokio, e, a nível nacional, na Experimenta Design 2011. TEXTO Bruna Pereira | FOTOS: Cedidas pela entrevistada


Manual de Instruções

A 5 de maio assinala-se o Dia da Mãe. Tão importante como assinalar esta ocasião especial com as nossas mães, é não deixar de as surpreender e de viver todos os momentos possíveis com elas ao longo do ano. Assim, e porque o Dia da Mãe não tem de ser visto do ponto de vista do consumismo, até porque estamos numa fase em que os recursos financeiros não abundam, sugiro que cada um opte por oferecer à sua mãe aquilo que ela realmente gosta. TEXTO Susana Albuquerque

Quem é Susana Albuquerque? É Secretária-Geral e coordenadora do Programa de Educação Financeira da ASFAC – Associação de Instituições de Crédito Especializado. A também autora do livro “Independência Financeira para Mulheres” colabora mensalmente na revista Mais Superior para te dar dicas práticas que poderás aplicar no teu dia-a-dia.

Diria que um dos melhores presentes serão os “Momentos Contigo” – uma oferta que cabe a cada um definir, mediante os gostos de ambos. Os “Momentos Contigo” podem ser: passeios na praia, no campo, uma tarde à conversa, uma ida ao cinema, um jantar, um passeio de bicicleta, a vista a um museu, etc. Tudo depende da criatividade e dos gostos de cada um. Além de económico, este presente permite vivenciar momentos únicos entre mães e filhos, apelando ao que é mais importante: nutrir o afeto entre ambos e passar momentos inesquecíveis. Se pretendes surpreender a tua mãe, podes: escrever-lhe um poema; recolher testemunhos de outros elementos da família sobre a tua mãe e editar um pequeno vídeo; adaptar a letra de uma música e cantar para a tua progenitora; fazer uma sessão fotográfica – mesmo que caseira – com a família para mais tarde recordar; recolher fotos antigas e fazer um álbum; fazer uma pintura ou uma caricatura, caso tenhas jeito para as artes. Mas, se queres mesmo comprar um presente à tua progenitora, podes optar por pesquisar em sites de compras coletivas. Há imensas ofertas que se podem ser uma boa opção a custos reduzidos, sobretudo na área do bem-estar. Desde massagens, a limpezas de pele, a aulas de dança, workshops de cozinha, cursos de flores, entre muitas outras opções. Seja qual for a forma escolhida para presenteares a tua mãe, lembra-te que o importante é estares com ela e aproveitares todos os minutos ao máximo.

maio 2013 . MaisSuperior | 23 |


I

t

ÓCULOS 7,5€

T-shir

10€

ATÉ

S TE

60

%

:4 20 0

P OR

-

T-shirt 8€

go

GR di ó ÁTI c S com o

MULHER | HOMEM | CRIANÇA | DESPORTO | LINGERIE | DECORAÇÃO Shop at: www.laredoute.pt


Mais Superior | Maio '13