Page 1

Saúde

MANAUS, DOMINGO, 2 DE FEVEREIRO DE 2014

e bem-estar

F7

As melhores dietas de 2014 Pesquisas revelam quais as dietas mais eficazes, mais econômicas e mais fáceis de seguir. Escolha a sua preferida

S

e a sua meta é emagrecer em 2014, a U.S. News & World Report, publicação norte-americana especializada em rankings, lançou uma lista com as melhores dietas do ano, avaliando 32 métodos de emagrecimento. Além da classificação geral, a revista separa as premiações em várias categorias: melhor dieta para perder peso; melhor dieta para o diabetes; melhor dieta para a saúde do coração; dieta mais econômica; dieta mais fácil de seguir; dieta para uma alimentação mais saudável; e melhor dieta baseada em vegetais. Para montar os rankings, a U.S. News & World Report convidou especialistas reconhecidos nacionalmente nos segmentos de dieta, nutrição, obesidade, psicologia alimentar, diabetes e doenças cardíacas. Melhores dietas - classificação geral 1. Dieta Dash (4,1 estrelas): sigla para Dietary Approaches to Stop Hypertension, a DASH surgiu por conta de um estudo realizado em universi-

atribui a cada alimento um valor de pontos, com base em suas quantidades de proteínas, carboidratos, gorduras, fibras, calorias e outros. Cada pessoa tem um número de pontos que pode consumir por dia, conforme sua meta de emagrecimento. A metodologia também é utilizada no Brasil pela dieta dos pontos DS, do programa de emagrecimento on-line Dieta e Saúde, que conta com auxílio de nutricionistas, reuniões online e também a versão para celular.

dades dos Estados Unidos, que avaliou o efeito da dieta sobre a pressão arterial. Essa dieta não limita apenas a ingestão de sódio, mas também de gordura saturada e colesterol, além de incentivar o consumo de frutas, verduras, legumes, grãos integrais, peixes, aves, leite e derivados com baixo teor de gordura, e alimentos fontes de gordura monoinsaturada. 2. Dieta TLC (4 estrelas): criada pelo Health’s National Cholesterol Education Program, a dieta TLC (Therapeutic Lifestyle Changes) é endossada pela American Heart Association como um regime saudável para o coração, capaz de reduzir o risco de doenças cardiovasculares. A chave é cortar drasticamente as gorduras, particularmente a saturada. Isso, junto com o foco nas fibras, pode ajudar a controlar o colesterol alto até mesmo sem medicação.

2. Jenny Craig, Biggest Loser e dieta Raw Food (3,5 estrelas): O plano Biggest Loser surgiu a partir do programa de TV com o mesmo nome (no Brasil, O Grande Perdedor ou Quem Perde Ganha) e prega refeições saudáveis regulares e muita atividade física. A dieta Jenny Craig é desenvolvida pela profissional que dá nome ao método, e seu diferencial são sessões semanais de acompanhamento com um consultor da clínica Jenny Craig, além de permitir o consumo de 1.200 a 2.300 calorias por dia. Por fim, a dieta Raw Food prega

Melhores dietas para perder peso 1. Weight Watchers (3,8 estrelas): a Weight Watchers

o consumo de frutas, legumes, nozes, sementes e ervas em seu estado natural, cruas. Melhores dietas para o diabetes 1. Biggest Loser e dieta Dash (3,6 estrelas) 2. The Engine 2 Diet (3,5 estrelas): A dieta prioriza as plantas e grãos, equilibrando o consumo de gorduras, proteínas e fibras por meio desses alimentos. É basicamente uma dieta vegana. O triatleta Rip Esselstyn, autor do livro que dá nome para a dieta, completa o programa com um plano de fitness e instruções sobre como ler os rótulos nutricionais. Melhores dietas para o coração 1. Dieta Ornish (4,6 estrelas): o professor de medicina da Universidade da Califórnia (EUA) e autor da dieta, Dean Ornish, categoriza alimentos em cinco grupos, do menos saudável para o mais saudável. Atividades aeróbicas, treinamento de resistência e flexibilidade são

as sugestões de exercício do autor. Para gerenciar o estresse (por muito tempo um elemento central de seu programa), você pode fazer meditação e yoga. Melhores dietas baseadas em vegetais 1. Dieta mediterrânea (3,9 estrelas): é baseada na alimentação dos países que formam a região do mediterrâneo, como Itália, Espanha, Grécia, Egito e Líbano. O cardápio mediterrâneo se caracteriza pela riqueza do consumo de frutas, hortaliças, cereais, leguminosas, oleaginosas, peixes, leite e derivados, vinho, azeite de oliva e temperos naturais. Além disso, a dieta mediterrânea é caracterizada por um baixo consumo de carnes vermelhas, gorduras de origem animal, produtos industrializados e doces, alimentos ricos em gordura e açúcar. 2. Dieta flexitariana: é a junção das palavras flexível e vegetariana. Em 2009, no livro The Flexitarian Diet: The Mostly Vegetarian Way to Lose Weight, Be Healthier, Prevent Disease,

and Add Years to Your Life, da nutricionista Dawn Jackson Blatner. Ela afirma que você não precisa eliminar a carne completamente, e ainda sim colher os benefícios de saúde associados com o vegetarianismo. Segundo a dieta flexitariana, você pode comer carne às vezes, mas é vegetariano a maior parte do tempo. Dietas mais econômicas 1. Weight Watchers (3,9 estrelas) 2. Dieta Jenny Craig (3,7 estrelas) Melhores dietas para uma alimentação saudável 1. Dieta Dash (4,8 estrelas) 2. Dieta TLC (4,7 estrelas) Dietas mais fáceis de seguir

1. Weight Watchers (3,7 estrelas) 2. Dieta Jenny Craig (3,6 estrelas)

Personal Fitness Club DIVULGAÇÃO

www.personalfitnessclub.com.br

Invista em um bom hábito e insista até o cérebro aceitar

Treine bons hábitos e saia no lucro Hábito é tudo. Ou quase tudo, já que bons hábitos podem vir a substituir aqueles que não são tão produtivos. Segundo o alemão Wolfram Schultz, professor de neurociência da Universidade de Cambridge, na Inglaterra, os hábitos são sequências de ações aprendidas depois de muita repetição, até que passam a ser executadas com o mínimo de esforço mental. Daí que vale a pena investir em bons hábitos que com o tempo e a insistência acabam virando uma saudável rotina como a hora e a vontade de ir para a academia. Schultz explica que primeiro o cérebro tem que se acostumar a fazer isso e somente depois de alguma insistência ele passa a gostar desse novo estímulo das endorfinas, pri-

meiro passo para formar o hábito. De maneira geral, isso leva em média três semanas para acontecer. Schultz estuda os mecanismos da aprendizagem há mais de 20 anos e descobriu que, depois de algum tempo repetindo um comportamento, o cérebro passa a antecipar a recompensa. Passo a passo da mudança O livro O Poder do Hábito, do americano Charles Duhigg, há semanas na lista de mais vendidos do “The New York Times” mostra alguns passos essenciais para mudar. A rotina: Identifique o comportamento que quer mudar. Por exemplo, toda tarde, por volta de 16h30, você levanta

da sua cadeira do escritório e vai com as amigas até a lanchonete para comprar um bombom. A recompensa: O que você realmente busca quando vai à lanchonete? Se alimentar? Fazer uma pausa no trabalho? Conversar com as amigas? A deixa: Essa é a parte mais difícil. Preste atenção no que desencadeia o processo de levantar para ir à lanchonete. Anote padrões que se repetem no momento anterior ao impulso de levantar. Você se sente ansiosa, estressada, entediada? Está sempre com fome nesse horário? O plano de ação: Entendendo o que está por trás de um

hábito, é possível trocá-lo por outro. Se o motivo é o tédio, caminhar ou sair para um café produz o mesmo efeito. Quando quer socializar, dá para ir até a mesa de alguém bater um papo. Se é a fome que chega às 16h30, uma fruta ou um iogurte resolve.

SERVIÇO SUA MELHOR ACADEMIA Local: Rua Acre, 66, Nossa Senhora das Graças Informações: 3584-0317 e 3584-2115

02:02  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you