Page 1

1,5 € (IVA 6%) // Diretor: Manuel Pinho // Ano II // Edição Nº 96 // 21 de junho de 2018 • Semanário • www.yeslousada.pt

Música

Vila anima Lousada este fim de semana

Pág. 15

Cultura

Alunos de Nevogilde publicam obra sobre Tomás de Barros

Os vizinhos fazem festa grande na Rua Santo António Pág(s). 7 e 8

Mais de mil pessoas fazem sucesso da 2.ª edição da Festa dos Vizinhos Pág . 5


2|

Edição N.º 96 | 21 de junho, 2018

Opinião Proposta para o Interior

João Correia

Portugal tem um problema, pelo menos desde 1974 (senão antes): somos incapazes de ter verdadeiros pactos de regime que permitam definir com clareza o rumo que queremos seguir como Nação. Isto faz com que não seja possível definir um rumo claro além daqueles que os Partidos Políticos traçam. Isto é um erro; um erro que nos sai caro e pelo qual sofremos e iremos continuar a sofrer consequências de monta. Em todo o caso, se não conseguimos definir – por casmurrice – uma estratégia macro concertada, pelo menos deveríamos definir concretamente objetivos de médio e longo prazo em áreas-chave para o País. E na minha opinião pessoal (tirando todas as outras…) há três áreas fundamentais e basilares para estarmos minimamente preparados para o futuro: Política Económica, Coesão Social e Territorial e Demografia. É com base nestas três áreas que penso deveria ser alicerçada uma verdadeira política para o Interior, sem bazófia e sem politiquice barata. A conjugação destas três áreas é possível e faria com que Portugal fosse um país mais homogéneo, coeso e desenvolvido.

Em primeiro lugar, o Interior do País deve ter uma política coesa em matéria de atração de pessoas e de investimento. Não basta que as Câmaras Municipais decidam atribuir dinheiro por nascimentos; é preciso uma estratégia nacional concertada onde, atrás de uma política fiscal atrativa, as pessoas – nacionais ou não – sejam levadas a repovoar o interior e lhes seja vantajoso enfrentar as desvantagens hodiernas existentes. Em segundo lugar, temos de saber o que queremos que seja o Interior. Queremos que se foque em que setor económico? Creio que aqui reside uma questão central. Eu acho que, se a estratégia do País passa por apostar nas novas tecnologias e tornar Portugal um Pólo Mundial e referência no setor tecnológico, o Interior será a chave. Isto porque queremos aliar qualidade de vida a salários de referência, ou seja, condições para a criação de um ciclo virtuoso gerador de melhorias económicas, sociais e demográficas. O futuro do interior é a tecnologia ou a morte. Claro que, para isto, é preciso ter coragem. É necessário enfrentar as gran-

des empresas e perguntar porque é que há zonas sem internet, sem cobertura de rede móvel, sem capacidade de aguentar o desenvolvimento. São cumpridos os contratos de concessão? Isto é mandatório: temos de criar todas as condições e

assegurar a sua existência para que o desenvolvimento ocorra. Este tema dava um livro e não me vou alongar mais. É que nesta e noutras matérias chegaram ao fim as palavras… São precisos atos!

FICHA TÉCNICA Diretor: José Ferreira diretor@yesnoticias.pt Redação: Carlos Mota, Alana Rodrigues

Departamento Gráfico: Daniel Sanches Paginação : InstantEstrela, Lda

Tiragem: 1500 exemplares por edição Periodicidade: Semanário (sai à quinta-feira)

Propriedade: InstantEstrela, Lda Contribuinte Nº 514 139 170; Registo da ERC n.º 126 876

Contactos: Avenida Combatentes da Grande Guerra, 55 C 4620 Lousada redacao@yeslousada.pt assinaturas@yeslousada.pt www.yeslousada.pt


Edição N.º 96 | 21 de junho, 2018

|3

Sociedade

Primeira edição do Sarau de Dança do Agrupamento de Escolas Dr. Mário Fonseca foi um sucesso

N

a passada sexta-feira, dia 15, realizou-se no pavilhão da Escola Secundária de Nogueira, o I Sarau da Dança do Agrupamento de Escolas Dr. Mário Fonseca. A iniciativa assinalou o fim do ano escolar, no que ao desporto escolar diz respeito. Para além de alunos das várias escolas do Agrupamento, o evento contou com a presença de escolas de fora do concelho, da Cooldance e da Academia de Ginástica de Lousada. Foi perante uma plateia numerosa, que encheu o pavilhão, que vários grupos de alunos exibiram as suas performances, numa noite sem monotonia, pois os estilos musicais e as danças apresentados foram diversificados. Este sarau, para além da apresentação dos talentos dos alunos, foi também uma oportunidade para confraternização e reencontro de amigos. A professora Célia Queirós, da escola de Proença a Nova, regressou ao Agrupamento Dr. Mário Fonseca, onde trabalhou quatro anos. Dessa altura, ficou a amizade com a colega Ana Cabral, que aproveitou a oportunidade para convidar a amiga, que trouxe uma brilhante exibi-

ção dos seus alunos. “É importante pelo convívio entre escolas, e é uma forma de os pais verem o que realmente os miúdos fazem durante as atividades não letivas”, defendeu a docente. Foram dezoito os jovens de proencenses que acompanharam a professora Ana. A docente não sabe se será ela que os orientará no próximo ano, mas assegura que a continuidade é essencial para se realizar um trabalho mais consistente.

Os mais pequenos também brilharam A atuar em casa, a professora

ano da Escola Básica de Lustosa. Foram 60 alunos, que se dividiram por três atuações diferentes. Vestidos “a rigor”, interpretaram o seu papel em exibições que implicaram grande cumplicidade entre pares.

ça no âmbito do desporto escolar, mas que fosse alargado a alunos que não integrassem o desporto escolar e a entidades e associações do concelho”. O desafio foi aceite: escolas e associações juntaram-se e fizeram a festa.

ano: “Estas modalidades desenvolvem outras competências nos alunos e permitem que alguns com mais dificuldades a nível académico possam ter aqui o seu espaço e possam mostrar as suas capacidades”, referiu.

A docente considera que foi “gratificante participar no Sarau do Agrupamento”. Agostinha Monteiro salientou a colaboração dos professores do terceiro ano (Paulo Sampaio e Cecília Oliveira), que se disponibilizaram para ensaiar os alunos. “Estou muito feliz porque senti que eles saíram daqui maravilhados. Atuaram para tanta gente e, perante uma grande plateia, estavam maravilhados”, descreveu, referindo ainda que a iniciativa foi uma oportunidade de juntar as diferentes escolas do Agrupamento.

A diretora salientou ainda a participação dos mais pequenos. Lustosa, Macieira e Nogueira levaram os meninos do primeiro ciclo. Apesar de muito novos, estiveram à altura do evento.

Também os pais se mostraram surpreendidos com o espetáculo. “Não esperava tanto talento. Mesmo os mais pequenos foram fantásticos. Estão de parabéns”, disse Madalena Lemos, mãe de um aluno de 9 anos.

Diretora garante que evento é para continuar

Agostinha Monteiro foi uma das responsável pelo trabalho desenvolvido com os alunos do terceiro

Satisfeita com o sucesso da iniciativa, Ernestina Sousa, diretora do Agrupamento de Escolas Dr. Mário Fonseca, explicou que esta atividade corresponde ao encerramento do ano letivo no âmbito do desporto escolar: “Este ano houve a proposta de um Sarau de Dan-

IV Jornadas da Saúde em contextos educativos dias 27 e 28

L

ousada recebe, mais uma vez, a Jornadas da Saúde em contextos educativos, cujos destinatários são os profissionais de saúde da região do Tâmega e Sousa, os docentes e não docentes dos agrupamentos/ escolas dos concelhos de Felgueiras, Lousada e Paços de Ferreira e técnicos de Ação Social dos referidos concelhos.

O Auditório Municipal é o local escolhido para a realização da quarta edição deste evento, que decorre nos dias 27 e 28 de junho, quarta e quinta-feira. “A problemática da Saúde Mental nos contextos educativos” e o “Sono, aprendizagem e hábitos de vida saudável” são dois dos temas tratados no primeiro dia de Jornadas. No dia 28, vão ser abordados temas como “Saúde Mental:

do que estamos a falar? Como promover?”, “Derrubando Muros e Construindo Pontes ‐Literacia em Saúde Mental”, “Selo protetor – boas práticas no âmbito da promoção e defesa dos direitos das crianças e jovens”, “Realidades locais: constrangimentos e contributos; O Plano de Desenvolvimento Social como instrumento” e apresentação do projeto “No limiar do pensamento”.

O balanço da direção é extremamente positivo: “Foi uma primeira experiência, que encheu o nosso pavilhão com pais e encarregados de educação. Estava repleto, com uma organização profissional. Correu de uma forma espetacular. Tanto os alunos como os professores fizeram um trabalho fantástico. É uma iniciativa para continuar”, garantiu a diretora. O vereador da Educação da autarquia lousadense, António Augusto, também marcou presença e salientou a “potencialidade deste Agrupamento”. O autarca parabenizou as escolas “pela dinâmica demonstrada neste Sarau”. António Augusto considerou ainda importante o trabalho desenvolvido neste área ao longo do

Participantes

- School Dance - Lousada - Agrupamento de Escolas de Proença-a-Nova, com o grupo de Atividades Rítmicas Expressivas - Academia de Ginástica de Lousada - EB de Lustosa - EB de Macieira - EBS Dr. Mário Fonseca (1.º ciclo) - Equipas de Desporto escolar das EB Dr. Mário Fonseca - Alunos da EBS Dr. Mário Fonseca


4|

Edição N.º 96 | 21 de junho, 2018

Sociedade

“O Livro da Ciência” envolve alunos do concelho

Foi apresentada na passada sexta-feira, dia 15, a mais recente publicação da Câmara Municipal intitulada “O Livro da Ciência”, que se insere no Plano Municipal de Leitura. O Vereador da Cultura, Dr. Manuel Nunes destacou que “o livro da ciência, que integra, doravante, o Plano Municipal de leitura, é uma obra dirigida aos alunos do ensino secundário. A

ciência, enquanto motor de desenvolvimento das sociedades humanas é, de igual modo, um elemento chave para a prossecução de um desenvolvimento sustentável dos territórios humanos. Sendo esta uma das linhas estratégias de atuação do município de Lousada, não poderíamos deixar de a promover, também, enquanto elemento de literacia”.

“O Livro da Ciência” é o resultado de um projeto de comunicação de ciência que pretende aproximar o conhecimento científico da comunidade, simplificando questões complexas, desmistificando crenças erradas, e informando as mentes mais irrequietas. Para além da colaboração de alunos da Escola Secundária de Lousada nas ilustrações, a

Pequenos Deputados… Grandes Ideias

obra tem como público-alvo os alunos do 12.º ano do concelho. O livro apresenta a resposta a 52 questões enviadas pelo grande público, respondidas por um cientista, e ilustradas pelos alunos da Escola Secundária de Lousada. Vem completar o Plano Municipal de Leitura, ao nível do ensino secundário, mas é certamente uma obra interessante para todas as idades.

As festividades contaram com o hastear das bandeiras, a romagem aos cemitérios e uma missa em memória dos bombeiros já falecidos. Ao início da tarde realizou – se uma

Desta forma, os “pequenos deputados” representantes de cada uma das escolas dos concelhos apresentaram os problemas que gostariam de ver solucionados, não só nos seus

estabelecimentos de ensino, como também nas respetivas freguesias. O objetivo passou ainda por dar a conhecer o Salão Nobre da Câmara, o significado do mandato autárquico, as regras do debate autárquico e o processo de decisão da Assembleia Municipal, enquanto órgão representativo dos lousadenses. Esta iniciativa é também uma forma de promover o debate democrático, o respeito pela diversidade de opiniões e pelas regras de formação das deci-

sões, de incentivar a reflexão e o debate sobre os problemas do concelho e de proporcionar a experiência de participação em processos eleitorais. Educar para a cidadania, estimulando o gosto pela participação cívica e política, estimular as capacidades de expressão e argumentação na defesa das ideias, com respeito pelos valores da tolerância e da formação da vontade da maioria são outros dos objetivos inerentes à realização dos “Pequenos Deputados, Grandes Ideias”.

Gabinete Imprensa CML

Bombeiros Voluntários de Lousada assinalaram 92.º aniversário A Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Lousada comemorou, no passado dia 17 de junho, os seus 92 anos de vida.

No passado sábado o município promove mais uma edição de “Pequenos Deputados, Grandes Ideias “. Esta iniciativa tem como base a constituição de uma assembleia com representantes dos alunos do 4.º ano, onde poderão discutir os problemas do concelho que mais os preocupam.

O livro tem ainda respostas a diversas perguntas, abordando áreas muito diversificadas, como a astronomia, botânica, insetos e fósseis, num convite à leitura e à descoberta da ciência. Os textos são da autoria da bióloga Milene Matos e as ilustrações foram realizadas por alunos da Escola Secundária de Lousada

pequena confraternização entre os soldados da paz e os elementos dos órgãos sociais da instituição. As comemorações terminaram com um desfile motorizado, de várias viaturas, que percorreram as ruas da vila. Fotos: facebook de Humberto Fernandes


Edição N.º 96 | 21 de junho, 2018

|5

Sociedade Esta é já a segunda obra editada por esta escola

Alunos da EB 1 de Nevogilde publicam livro sobre Tomás de Barros

T

omás de Barros – professor, escritor, jornalista, autarca e dirigente associativo – foi homenageado pela Escola Básica de Campo – Nevogilde, freguesia onde residiu e faleceu há 70 anos. No âmbito do projeto “Aprender com a biblioteca escolar”, os alunos do 4.º ano elaboraram a sua biografia, apresentada à comunidade escolar e registada em livro com os principais desempenhos de uma

figura marcante na história da educação em Portugal. No lançamento do livro, que ocorreu na passada terça-feira, os alunos apresentaram uma projeção reconstituindo o seu percurso de vida e um livro biográfico numa sessão a que assistiram o Vereador da Educação, o Presidente da Junta de Freguesia, Pároco, familiares do homenageado (duas sobrinhas-neto), encarregados de educação e elementos da comunidade local.

“Este trabalho mostra que Nevogilde é uma terra com muita história e que vocês são herdeiros de um grande património e têm uma grande responsabilidade para mater esta linhagem e eu espero que a escola vos ajude a preparar para também um dia vocês serem gente de Nevogilde ilustre e muito importante para Lousada”, referiu o vereador António Augusto, dirigindo-se aos alunos, congratulando-se por ter no seu município escolas que desenvolvem este tipo de trabalhos.

Esta obra teve a supervisão do professor Luís Ângelo, responsável pela biblioteca da escola e aproveitando o lançamento do livro foi ainda apresentado neste espaço um pequeno “memorial” dedicado ao escritor. Trata-se de um armário, simbolicamente inaugurado pelas sobrinhas-neto de Tomás de Barros, que contém algumas das obras raras.

elaborado por Sampaio da Nóvoa, portanto é uma figura que ainda hoje é reconhecido como um grande pedagogo. Por isso é um orgulho na nossa terra ele ter vivido”, referiu Luís Ângelo que desafiou ainda o presidente da junta a assinalar a data dos 70 anos sobre o seu falecimento a colocar no cemitério local uma placa de homenagem.

“O senhor Tomás de Barros está no dicionário dos educadores portugueses que foi

Recorde-se que esta é já a segunda obra editada por alunos desta escola com a colabora-

ção do professor Luís Ângelo, sendo que o ano passado foi publicado o livro “Terras de Leovogildo” que retrata figuras e acontecimentos de relevância para a freguesia, um livro que teve uma grande aceitação na comunidade local que rapidamente esgotou a 1.ª edição.

Quem foi Tomás de Barros

Nascido em 1892, diplomado pela Escola Normal de Coimbra em 1919 e professor do ensino primário em Boim, Sousela, Louredo e Beire, Tomás de Barros foi autor de inúmeras obras didáticas, algumas com mais de 50 edições, diretor do “Jornal de Lousada” e do jornal “Educação Nacional”, presidente da Junta de Freguesia de Nevogilde e presidente do Futebol Clube Lagoense, sendo responsável pela visita, em 1935, das equipas do Vitória de Guimarães e do FC Porto, acontecimentos históricos para a região.


6|

Edição N.º 96 | 21 de junho, 2018

Sociedade Mostra Cinema de Animação

Trabalhos de jovens “realizadores” em destaque partilhando as suas impressões sobre a experiência, verificando-se unanimidade no que diz respeito ao reconhecimento do valor dos projetos para o crescimento dos discentes. Muitos consideraram a experiência “única e inesquecível”, Outros mostraram grande vontade em repeti-la. Da parte dos professores, foi também visível o entusiasmo, tendo os docentes realçado o trabalho de equipa e as aprendizagens proporcionadas pelas atividades realizadas. Destacaram, ainda, o excelente trabalho do realizador Abi Feijó, a quem agradeceram a paciência e empenho. A sessão de apresentação contou ainda com a exibição de filmes realizados nos anos anteriores, alguns dos quais já distinguidos com prémios.

N

o passado dia 19, terça-feira, teve lugar, no Auditório Municipal, uma mostra de filmes de cinema de animação, produzidos pelos alunos nas Oficinas de Animação, realizadas em diferentes escolas do concelho, com a colaboração da Casa Museu de Vilar. A cerimónia iniciou-se com a intervenção de Pedro Machado, presidente da Câmara Municipal de Lousada, que se congratulou com o facto de Lousada possuir o único museu de animação existente a nível nacional. O autarca agradeceu a Abi Feijó a disponibilidade para levar o cinema de animação às escolas do concelho.

Filmes apresentados: Há quase três décadas a realizar filmes de animação, Abi Feijó é uma das figuras mais importantes a nível nacional na área, tendo sido já galardoado com mais de uma centena de prémios internacionais. Para este realizador de animação, estão a ser dados os “primeiros passos para se pensar no que é o cinema” nas escolas. “Não tem havido por parte do ensino oficial um olhar para isso”, lamentou.

Esta mostra foi uma oportunidade de os alunos mostrarem o resultado dos seus trabalhos fora

das escolas, o que lhes trouxe satisfação. Durante as apresentações, alunos e professores foram

A criação do Plano Nacional de Cinema, “felizmente, dá início à reflexão sobre este meio”, que nos encanta a todos. Os workshops realizados nas escolas são, segundo Abi Feijó, projetos “aglutinadores de várias valências e saberes”, possibilitando a multidisciplinaridade.

“Rebelde” – Externato Sra. Do Carmo “Queimado” – Agrupamento de Escolas Lousada Oeste “Dividida” – Escola Secundária de Lousada “A Ilha dos Doces” – Escola Básica e Secundária Dr. Mário Fonseca “Zaragata” – Colégio S. José de Bairros “Desconectados” – Escola Básica e Secundária de Lustosa “Assombriação” – Agrupamento de Escolas Lousada Este

Lousada Visual Artes até final de junho

A

Câmara Municipal de Lousada, em articulação com os Agrupamentos de Escolas de Lousada, Lousada Oeste, Lousada Este, Dr. Mário Fonseca e Colégio S. José de Bairros a que se juntam várias lojas do Comércio Tradicional, promove a 4.ª edição do Lousada Visual Artes. A mostra dos trabalhos termina dia 30 de junho. Este é um projeto que é desenvolvido nos últimos anos e pretende mostrar os trabalhos de Artes Plásticas, sob a forma de exposição, realizados pelos alunos do Ensino Básico e Secundário, dando, desta forma, visibilidade pública e valorizando o trabalho que, nesta

área, se faz nos Agrupamentos de Escolas e Estabelecimentos de Educação e Ensino Privado de Lousada. Associaram-se a este projeto as lojas Elimar, Morango Store, Sweet Moi, LR Sapataria, My Secret, LiFashion, Casa dos Óculos, Pretty, Ótica Lousada, Intiwear, Ótica Piscar D` Olho, Miaparelli, U Dress Me, Multióticas Lousada, Belamoda, Chic & Unique, Fashion People, Loja da Fábrica, Ótica Central de Lousada, J Vinha, Foto Orpheu, Pequenos e Orgulhosos, Claire Glamour, Traquinices, Virtual Jeans, Ousados e Rebeldes, Verisita Roupa e Dress Up. Gabinete Imprensa CML


Edição N.º 96 | 21 de junho, 2018

Anúncios

Sociedade Concerto na Avenida Sr. dos Aflitos

Edição 96 Yes Lousada | 21/06/2018

Autarquia assinala Dia Municipal da Biodiversidade

A Câmara Municipal assinala na quinta-feira, dia 21, o Dia Municipal da Biodiversidade, numa parceria com a Associação de Cultura Musical de Lousada. A Orquestra do Conservatório do vale do Sousa e os vários coros celebram, assim, a natureza e a vida num concerto na Avenida Senhor dos Aflitos, a partir das 21h30. O concerto consiste na reposição do

|7

espetáculo “PareSeres da Terra”, que homenageou Paulo de Carvalho, que foi apresentado, recentemente, na Casa da Música. O espetáculo conta com a atuação do Coro Juvenil, do Coro de Pais, da Classe de Improvisação, da Orquestra de Sopros e da Orquestra Allegro. Esta é a segunda edição deste evento que se destina a toda a comunidade Lousadense. Gabinete Imprensa CML

S. João Social na sexta-feira A Avenida Senhor dos Aflitos recebe na próxima sexta-feira, dia 22, a partir das 19h30, mais uma edição do S. João Social. Vão marcar presença os Movimentos Seniores de Cristelos, Macieira e de Meinedo que apresentam as suas marchas durante a noite. O Movimento Sénior de Cristelos vai ter uma tasquinha com sardinhas e arroz de tomate, entre outras iguarias para quem pretender petiscar. Também os utentes do Movimento Sénior de Macieira vão ter uma tasquinha com sobremesas e manjericos. Gabinete Imprensa CML

CARTÓRIO NOTARIAL (Lic. ANA LUISA DA COSTA RODRIGUES FERREIRA) (Praça das Pocinhas, 51, r/c, Lousada)

JUSTIFICAÇÃO

----------Certifico, narrativamente, para fins de publicação que por escritura lavrada em quinze de junho de dois mil e dezoito, no livro de notas para escrituras diversas deste Cartório Notarial número 54 - A, de folhas 103 a folhas 105 verso , ANTÓNIO JOSÉ DE CASTRO COUTO DOS REIS, NIF 184.646.685, (CC nº 05962905 emitido pela República Portuguesa com validade 01/06/2021), e mulher LUZ MARIA DE SOUSA PAIVA MARTINS REIS, NIF 133.200.469, (Cartão de cidadão nº 03844454 emitido pela República Portuguesa com validade até 26/05/2019), , casados sob o regime da comunhão geral , residentes na Rua da Bouça, nº 183, freguesia de Silvares, concelho de Lousada (4620 – 639)., declararam que com exclusão de outrem são donos e legítimos possuidores dos seguintes prédios: ________ _____UM - rústico – composto de cultura com videiras em ramada, com a área de dezassete mil metros quadrados, sito em Oitava da Cunha, na união das freguesias de Silvares, Pias, Nogueira e Alvarenga, concelho de Lousada, a confrontar do norte e nascente com caminho, sul com Joaquim Pereira Garcês e do poente com Maria Sofia Guedes C. Meireles, inscrito na respetiva matriz sob o artigo 829 ( que proveio do artigo 153 rústico da extinta freguesia de Pias) _____DOIS - rústico – composto de videiras em ramada, com a área de duzentos e oitenta metros quadrados, sito em Lameiro da Presa, na união das freguesias de Silvares, Pias, Nogueira e Alvarenga, concelho de Lousada, a confrontar do norte com Dr. Pinto de Mesquita, nascente com Joaquim Pereira Garcês, sul e poente com caminho, inscrito na respetiva matriz sob o artigo 844, ( que proveio do artigo 159 rústico da extinta freguesia de Pias), _____TRÊS - rústico – composto de pinhal, com a área de dois mil e quatrocentos metros quadrados, sito em Mata da Casa, na união das freguesias de Silvares, Pias, Nogueira e Alvarenga, concelho de Lousada, a confrontar do norte com Alberto Ribeiro da Silva- herdeiros, a nascente e sul com caminho e do poente com Vitorino Joaquim M. Magalhães, inscrito na respetiva matriz sob o artigo 1138( que proveio do artigo 268 rústico da extinta freguesia de Pias), _____QUATRO - rústico – composto de pinhal, com a área de dois mil e novecentos metros quadrados, sito em Penedo S. Domingos, na união das freguesias de Silvares, Pias, Nogueira e Alvarenga, concelho de Lousada, a confrontar do norte com estrada, nascente com Fernando Resende Lenhas, sul com Vertentes e do poente com Maria Sofia Guedes, inscrito na respetiva matriz sob o artigo 919( que proveio do artigo 187 rústico da extinta freguesia de Pias), _____CINCO - rústico – composto de pinhal e eucaliptal, com a área de mil e trezentos metros quadrados, sito em Penedo, na união das freguesias de Silvares, Pias, Nogueira e Alvarenga, concelho de Lousada, a confrontar do norte com caminho, nascente com António Pedro Pinto Mesquita, sul com Vertentes e do poente com Joaquim Moreira Perdigão, inscrito na respetiva matriz sob o artigo 889( que proveio do artigo 177 rústico da extinta freguesia de Pias), ______Que os identificados prédios vieram à sua posse, por doação meramente verbal, feita por Joaquim Ferreira Cardoso da Cunha solteiro, maior, residente que foi na freguesia de Silvares, concelho de Lousada e por Maria Ferreira Cardoso, viúva, residente que foi na freguesia de Silvares, concelho de Lousada, ao primeiro outorgante varão, ocorrida no mês de março do ano de mil novecentos e oitenta e um, à data ainda no estado de solteiro menor, nunca reduzida no competente título formal. _____Que o justificante iniciou a sua posse por intermédio dos seus representantes legais, seus pais, Joaquim Couto dos Reis e Maria José de Castro Neto Couto dos Reis. ______Mas que, a partir desse momento, sempre esteve na posse e fruição dos prédios adquiridos e mantidas sem qualquer oposição ou ocultação, ou seja, de modo a poderem ser conhecidas por quem tivesse interesse em contrariá-las. ______Que tal posse, assim mantida e exercida o foi em nome e interesse próprio e traduziu-se nos factos materiais conducentes ao integral aproveitamento de todas as utilidades e potencialidades dos prédios, nomeadamente, fazendo uso dos mesmos, praticando atos de defesa e conservação, roçando o mato e ervas, plantando, abatendo ou mandado abater árvores, cultivando a terra, pagando os respetivos impostos e contribuições, com vista ao integral aproveitamento de todas as utilidades e potencialidades por eles proporcionadas, agindo sempre por forma correspondente ao exercício pleno do direito de propriedade, sem oposição, embargo, ou estorvo de quem quer que seja, à vista e com o conhecimento de toda a gente, com ânimo de quem exercita direito próprio de boa-fé, por ignorar lesar direito alheio, pacífica, contínua, pública e sem violência. _____Que, atendendo às enunciadas características de tal posse, facultou-lhes a aquisição por usucapião dos identificados prédios, direito este que, pela sua própria natureza, é insuscetível de ser comprovado pelos meios normais. ----------Está conforme o original, declarando-se, que na parte omitida nada há que amplie, restrinja, modifique ou condicione a parte extractada. Cartório Notarial da Lic. Ana Luísa da Costa Rodrigues Ferreira, sito à Praça das Pocinhas, 51, r/c, Lousada, 15 de junho de 2018. A Notária (Ana Luísa da Costa Rodrigues Ferreira)


8|

Edição N.º 96 | 21 de junho, 2018

Sociedade Mais de mil pessoas fazem sucesso da 2.ª edição da Festa dos Vizinhos

Os vizinhos fazem festa grande na Rua Santo António

Cristina Borges redacao@yesparedes.pt

A II Edição da Festa dos Vizinhos realizou-se no passado dia 16 de junho, na Rua Santo António. A iniciativa, realizada pela Junta de Freguesia de Silvares, Pias, Nogueira e Alvarenga, revelou-se, mais uma vez, um enorme sucesso e ultrapassou as expectativas da organização, ao cativar residentes do centro da vila, mas também muitos outros lousadenses. A Junta de Freguesia não esconde a forte aposta na iniciativa, que começou há apenas dois anos, mas que junta vizinhos, familiares e amigos num convívio que dura noite dentro. Esperava-se cerca de 800 pessoas, mas as contas saíram ao lado…foram mais de 1000 os participantes no evento, que já é um prenúncio para as Grandiosas festas da Vila. A Junta de Freguesia de Silvares, Pias, Nogueira e Alvarenga, ao organizar e dinamizar esta iniciativa, quis criar um espaço e um ambiente que promovesse a amizade, o conhecimento e o estreitar de relações entre vizinhos e não só. Num ambiente de grande simplicidade e espontaneidade, houve uma dinâmica que convidou à

até o Presidente da Junta teve oportunidade de demonstrar os seus dotes musicais. A festa culminou com a entrega de chapéus alusivos ao evento por parte da junta de freguesia partilha, à festa e à interação. O jantar que cada um levou e partilhou, a música, a dança, o teatro e a animação de rua foram os ingredientes de momentos a não esquecer. A Rua de Santo António, a mais emblemática do centro da Vila de Lousada, foi assim palco de grande alegria. Animação de rua, concertos e, até, bombos deram vivacidade à noite. Viveu-se um verdadeiro ambiente de festa, convívio e confraternização. Da Rua

de Santo António (início da rua junto à ourivesaria Dâmaso) até à Farmácia Fonseca, moradores e amigos criaram um ambiente de arraial, onde imperou a boa disposição e a partilha. Luís Machado ajudou à festa, com a sua interpretação musical, que pôs todos a dançar, num ambiente descontraído e interativo, onde


Edição N.º 96 | 21 de junho, 2018

|9

Sociedade Fausto Oliveira, presidente da União de Freguesias de Silvares, Pias, Nogueira e Alvarenga

“Algumas pessoas gostavam que a festa fosse todos os meses”

YES: Este ano não houve, como no ano passado, a inclusão do Festival RUA. Por algum motivo em especial?

Fausto Oliveira, esteve à conversa com o Yes Lousada e falou -nos sobre o sucesso da II Edição da Festa dos Vizinhos. YES: Esta foi a 2ª edição da Festa dos Vizinhos. Qual o balanço que faz desta iniciativa? FAUSTO OLIVEIRA: É um balanço muito positivo. Tínhamos uma expectativa alta, pois a primeira edição correu muito bem e houve logo aí muita gente que não esteve presente que manifestou interesse em participar este ano. Contudo, foram ultrapassadas todas as melhores expectativas que seriam de duplicar o número do ano passado, ou seja, cerca de 800 pessoas. YES: Qual foi o número de participantes? FO: Acabamos por contabilizar mais de 1000 pessoas, com este número a ser ultrapassado no próprio dia, com inscrições de última hora. YES: Em relação ao ano anterior, quais foram as principais mudanças? FO: Relativamente ao ano anterior, a primeira diferença prendeu-se com o facto de esta iniciativa ter decorrido de forma autónoma, sem a parceria que o ano passado existiu com a AFAL e com o Festival RUA. POR outro lado, a logística teve de ser maior, com cerca de 120 mesas, bancos e cadeiras a terem de ser transportadas. Também, ao nível da iluminação, optamos por fazer gambiarras e bandeirinhas para toda a extensão da rua. Como era nossa intenção desde que projetamos a iniciativa, convidamos as associações desta União de Freguesias para colocarem uma barraca para angariarem fundos para as

suas atividades. Para tal, dinamizamos também a zona central da Festa com um palco principal, que teve animação, da qual destacamos a presença do DJ Antofreak, até ao fecho da festa, às 2:00h. Finalmente, decidimos premiar os participantes com a distribuição de um chapéu como lembrança da II FESTA DOS VIZINHOS 2018. YES: Qual foi o ambiente que se viveu durante a noite de sábado? FO: Foi um ambiente maravilhoso e indescritível. A partilha, a confraternização, a dança, a música, as conversas em dia e o contacto de todos, potenciando e criando novas amizades, foram o tom de fundo de uma noite quente em todos os sentidos. YES: Qual foi o feedback que as pessoas lhe deram? FO: As pessoas têm manifestado, a mim e à minha equipa, um grande contentamento e satisfação pela forma como a festa decorreu e prometem para o ano, não só estar presentes, mas “arrastar” outros vizinhos e amigos que ficaram cheios de pena por não se terem inscrito este ano. YES: Qual era a meta que tinham estabelecido? Essa meta foi cumprida? FO: Como referi anteriormente, a meta foi, não só atingida, como ultrapassada, não só em número de pessoas, como no ambiente criado e na satisfação das expectativas que eram muito altas por parte de quem o ano passado tinha participado e agora repetiu a experiência. Isto é tão verdade que algumas pessoas iam afirmando que a Festa dos Vizinhos deveria ser mensal.

YES: Uma das apostas deste ano foi também a decoração. Isso prova que este evento tem “pernas” para crescer e para ser melhorado de ano para ano? FO: Claramente. A decoração foi completamente nova. Trata-se de um investimento muito baixo (só compramos o material), porque tudo foi feito pelos membros do executivo da Junta e alguns colaboradores, entre os quais o Movimento Sénior de Silvares. O material fica já preparado para o próximo ano e pode ser até disponibilizado aos parceiros que connosco trabalham, como as associações, as escolas, as comissões de pais, etc. Quando na sexta-feira à noite fizemos o teste da iluminação, alguns moradores e transeuntes disseram na altura que a rua deveria estar sempre assim.

FO: No ano passado, quando marcamos a data da Festa dos Vizinhos, viemos a descobrir que havia já um evento marcado para a Rua Santo António, para o mesmo dia. Pusemos pés ao caminho e fomos tentar saber quem e que evento ali iria decorrer. Foi então que chegamos à fala com a AFAL, que estava a preparar o RUA. Propusemos uma parceria na qual a Junta disponibilizou um orçamento de mais de 1000,00€ no apoio ao RUA, com o pagamento da iluminação, dos insufláveis e algumas animações. No nosso entender, foi uma parceria positiva, onde todos ficaram a ganhar. Contudo, foi a própria AFAL que nos comunicou que, no ano seguinte, ou seja, este ano, queria abandonar a parceria, o que nos pareceu bem, na medida em que não sendo atividades contraditórias, era importante que cada uma seguisse o seu caminho para poder crescer. Aproveito para desejar à AFAL os maiores sucessos para o RUA que este ano acontecerá no dia 14 de Julho. YES: No entanto, puderam contar com a presença de vários grupos de bombos, que se juntaram à festa. Como surgiu esta “parceria” e qual o objetivo? FO: Pois, de facto deve tratar-se de uma “sina” própria da Festa dos Vizinhos, talvez pelo espírito que a anima. Se no ano passado foi a AFAL a marcar uma iniciativa para o mesmo dia, ou vice-versa, este ano foi a LADEC a ter a mesma “pontaria”. Tomando conhecimento do facto, tememos que o evento pudesse “estragar” o ambiente da Festa dos Vizinhos e sugerimos até

outros percursos para o desfile de bombos. Havendo uma insistência da LADEC em manter o percurso pela Rua Santo António, não quisemos ser nós a criar barreiras a uma iniciativa meritória que se iniciava agora com muito esforço dos seus organizadores e tinha também por trás o apoio da Câmara Municipal. Acabamos por aceitar esta “parceria” com a promessa de que o desfile não fosse muito demorado. E, como em tudo, houve gente que gostou, outros nem por isso. Já transmiti à LADEC a intenção de que para o ano não se juntem os dois eventos, até porque é preciso trazer sempre alguma inovação em cada ano à Festa dos Vizinhos. YES: Este é já um evento marcante para esta União de Freguesias? FO: Sim, esta União de Freguesias tem um programa que não passa apenas pelas obras, pelo alcatrão ou mesmo pelas limpezas. Consideramos que a Junta deverá desenvolver um programa cultural e recreativo que promova sobretudo a UNIÃO entre as pessoas e a afirmação de cada território. Temos desenvolvido por isso uma SEMANA CULTURAL que começou em 2015 em Nogueira, 2016 em Pias, 2017 em Silvares e este ano será em Alvarenga. De entre as atividades mais expressivas de cada semana cultural e não só, há neste momento 3 que se destacam e serão para manter, uma em cada freguesia: a Festa dos Vizinhos em Silvares, a Festa do Rio em Pias, o Natal Sénior em Nogueira e este ano veremos qual a atividade da Semana Cultural que decorrerá em Alvarenga no início de setembro, que tenha mais adesão e possa ser a expressão daquela freguesia.


Cristina Borg redacao@yesparedes

10 |

Edição N.º 96 | 21 de junho, 2018

Futebol Distrital

Joel Oliveira “Três juniores em campo” No final do encontro, o treinador do Baltar estava satisfeito com o resultado, apesar de admitir que a qualidade do jogo esteve abaixo do esperado: “Acho que as duas equipas não estavam preparadas para este tempo, estava muito calor, e apesar de termos a felicidade de fazer um golo cedo, acho que fizemos uma entrada apática. Depois do golo, o jogo ficou muito parado, por ambas as partes, mas penso que a minha equipa controlou sempre o jogo. No intervalo, disse aos meus jogadores que bastava gerir a partida e considero que o resultado final é justo.“ A falha na finalização voltou a ser evidente na equipa baltarense, ao que o Joel Oliveira responde: “Nós conseguimos criar as oportunidades, mas, sem dúvida, que a grande falha é a concretização das mesmas. Já somos uma super equipa, mas, se conseguíssemos finalizar todas as oportunidades que criámos, éramos ainda melhores.” O técnico do Baltar lembrou ainda que voltaram “a terminar o jogo com três juniores em campo.” A situação é fruto da onda de lesões e castigos que a equipa atravessa, cenário que mudará no último jogo da época: “Hoje ainda era um jogo em que estava limitado, em relação aos atletas disponíveis, mas penso que os meus jogadores deram uma boa resposta.” O último jogo da temporada decide o segundo lugar do grupo e Joel Oliveira não esconde o favoritismo: “É verdade que dependemos só de nós para chegar ao segundo lugar, mas o Penamaior chega aqui lado a lado connosco para disputar esse posto. Vamos jogar em casa, é o último jogo da época e, frente aos nossos adeptos, queremos deixar uma boa imagem. Somos favoritos, porque jogamos em casa, no entanto, não deixa de ser um jogo complicado.”

Ramiro Silva “Jogadores já estão muito relaxados” Do outro lado, o treinador do Lustosa considerava: “Isto são jogos de fim de época. Estava muito calor e, com o tempo a mudar assim de um momento para outro, os jogadores ressentiram-se. Não se adaptaram bem ao piso, ao contrário da equipa do Baltar, que já está habituada. Todas estas condicionantes abateram-se sobre os jogadores, que já estão muito relaxados e só querem que este campeonato acabe, porque já vai longo de mais.” Sobre a baixa de rendimento dos visitantes, Ramiro Silva justifica: “É verdade que esteve um bocadinho aquém, porque também tivemos algumas limitações na equipa. Faltaram-nos alguns jogadores, devido a lesões e castigos, e isso afetou o rendimento da equipa.” O Lustosa entrou em campo no 2º lugar do grupo, da fase de apuramento de campeão, posto que perdeu devido à derrota deste jogo. Apesar do profissionalismo e seriedade do plantel, o técnico do Lustosa admite: “Era um jogo importante, mas, sinceramente, penso que, quando entrámos nesta fase para decidir o campeão, já ninguém queria fazer estes jogos. Por muito que um treinador tente é difícil motivar os jogadores, porque eles já estão muito cansados.”

Lustosa perde na deslocação a Baltar

O Lustosa perdeu na deslocação ao Baltar por 3-1. A vitória da equipa de Joel Oliveira permitiu aos baltarenses dependerem apenas de si próprios para chegarem ao segundo lugar do minicampeonato de apuramento de campeão da 2.ª Divisão. No penúltimo jogo do campeonato para as equipas da 2ª Divisão Distrital da AF Porto, o calor foi o maior adversário de Baltar e Lustosa, que entraram em campo com possibilidade de chegar ao segundo lugar do grupo. A equipa de Joel Oliveira entrou mais forte no encontro. Logo aos três minutos, Botelho cruzou para a área e Paulinho, de cabeça, inaugurou o marcador. O Lustosa conseguiu equilibrar o encontro e dispôs de algumas oportunidades para empatar a partida. No entanto, foram os da casa a criar maior perigo. Aos 13 minutos, o remate de Sabiá saiu por cima e, aos 33, Botelho rematou forte, mas a bola acertou na barra. O calor não ajudava e o ritmo de jogo diminuiu. No entanto, no último minuto da primeira parte, Santos só precisou de

encostar depois do cruzamento de Alex. Um lance confuso, em que os jogadores do Lustosa defenderam que a bola não ultrapassou a linha de baliza. Na sequência dos protestos, Miguelito foi expulso. O Baltar foi assim a vencer por 2-0 para o intervalo. No segundo tempo, os visitantes tentaram reagir, mas, a jogar com menos um, a tarefa mostrava-se bastante complicada. A situação do Lustosa piorou, quando, à passagem do minuto 70, Carlos protagonizou um belo momento de futebol. O número quatro do Baltar rematou, de longa distância, e fez um chapéu ao guardião Mika. Estava feito o terceiro do encontro. Aos 83 minutos, Nélson Morais acertou na trave e, no alívio, Marco introduziu a bola na própria baliza, reduzindo assim a vantagem para 3 – 1, que seria o resultado final. Com este resultado, o Lustosa ocupa o quarto lugar (com 5 pontos) e recebe, no próximo domingo, o já campeão Inter Milheirós. Já, o Baltar ocupa agora o terceiro posto do grupo com 5 pontos e depende apenas de si próprio para chegar

ao segundo posto, caso vença o último jogo, em casa, frente ao Penamaior.

3 Baltar

Lustosa

Local: Complexo Desportivo de Paredes. Árbitro: Simão Santos. Cartão vermelho: Miguelito (44’). BALTAR: Nelo; Pedrinho (Santos, 35’); Marco; Emanuel; Carlos; Paulinho (Tasca, 56’); Botelho; Paredes (Barbosa, 56’); Sabiá (Ni, 75’); Paiga (Nélson, 75’) e Alex. Treinador: Joel Oliveira. LUSTOSA: Mika; Machado (Marco, 46’); Pedro; Nélson Silva; Miguelito; Azevedo; Gonçalo; Makengo (Luís Filipe, 75’); Nélson Morais; Nice (Serginho, 74’) e Zé Nando (Zé Mário, 46’). Treinador: Ramiro Silva. Ao intervalo: 2-0. Marcadores: Paulinho (3’); Santos (44’); Carlos (70’) e Marco (83’-ag).

Instalações da ARD Macieira assaltadas As instalações da ARD Macieira foram, mais uma vez, alvo dos “amigos do alheio”. Para além dos estragos, visíveis nas fotos publicadas pela associação, os meliantes levaram com eles uma carrinha da marca Ford Transit com a matrícula 95-17-OL, que serve para o transporte dos atletas, como fez questão de salientar a direção do clube: “É triste ver tal coisa porque este ato não prejudica apenas uma Direção, prejudica as dezenas de jovens e crianças que aqui andam”. Depois de um apelo deixado pelo clube, a carrinha que se encontra identificada com o emblema do clube, foi vista a circular na cidade do Porto e entretanto já está na posse do clube, tendo sido abandonada na zona de Paços de Ferreira.

1


ges s.pt

Edição N.º 96 | 21 de junho, 2018

| 11

Futebol

Lagoas encerra temporada com grande festa do futebol

O domingo foi reservado para o futebol sénior, veterano e feminino. A grande final colocou frente a frente as duas equipas da freguesia de Nevogilde: os anfitriões da UD de Lagoas e a ASS Nevogilde. Os alvi-negros acabaram por levar a melhor sobre os tricolores na decisão de pontapés da marca dos onze metros, após um nulo no tempo regulamentar. Também em seniores femininos o triunfo foi para o Lagoas, enquanto em juniores foi para o Boavista. Em veteranos, a vitória foi também para o Lagoas, tendo sido necessário recorrer aos penáltis para desfeitear a igualdade a uma bola registada no tempo regulamentar na final frente ao Aparecida.

Resultados JUNIORES Paredes 2-1 Gulpilhares Aparecida 3-1 Lagoas 3º e 4º: Gulpilhares 1-1 Lagoas (3-1-GP) Final: Paredes 2-0 Aparecida

Resultou num sucesso absoluto a primeira edição da Lagoas Super Cup, competição de futebol que teve lugar no passado fim de semana no Complexo Desportivo de Lousada e reuniu mais de 700 atletas, distribuídos pelos diversos escalões, desde os mais pequenos até aos veteranos, passando também pelo futebol feminino. Foi com grande zelo e profissionalismo que a pequena associação da freguesia de Nevogilde conseguiu organizar um grandioso evento no qual participaram 22 clubes que responderam afirmativamente ao convite feito pelos diretores da UD de Lagoas, que deram um grande espetáculo ao público nas bancadas, acompanhados por familiares, como referiu José Silva, vice-presidente da coletividade: “os pais acompanham muito os miúdos, mas, neste torneio, também vieram os tios, avós e os amigos”. O diretor ressalvou, ainda, que esta é uma oportunidade única para os seus atletas trocarem experiências com jogadores de outros clubes e também de mostrar o que valem. Assim sendo, o balanço só podia ser positivo: “Temos de dar os parabéns às equipas vencedoras, mas também a todos os que participaram. Foram dois dias muito bem passados. Os miúdos estão muito contentes. Eles gostam é de estar com a bola, de correr e de marcar golos, e foi tudo isso que puderam fazer”. Estas iniciativas contribuem e suportam o desenvolvimento em diversas competências, não só desportivas, mas também individuais e sociais, factor que não deve ser esquecido por quem acompanha estes eventos. E, esta competição foi apadrinhada por Miguel Leal, atual treinador do Arouca que na época 2013/14 conseguiu colocar o Penafiel no principal escalão nacional, tendo sido eleito nesse ano o melhor treinador da Segunda Liga. Formado em Educação Física, mestre em Ciências do Desporto e Doutorado em Psicologia passou ainda pelos turcos do Gaziantepspor e em Portugal orientou

Benjamins sub-10 do Lagoas bateram na final o Penafiel

ainda o Boavista, Moreirense, Aliados Lordelo, Beira-Mar, Paredes, Padroense, Marco, Leixões e Régua.

Miguel Leal “Desempenhar o nosso papel social” Presente no evento, o técnico deixou rasgados elogios à organização que classificou de qualidade elevada, destacando a envolvência humana: “O futebol é isto, é dar oportunidade aos mais jovens de fazer aquilo que gostam e com isto estamos também a desempenhar o nosso papel social e o Lagoas ao organizar este torneio tem esse mérito. Iniciativas altamente positivas e devem ser fomentadas, porque são sempre oportunidades de alguns se mostrarem, mas fundamentalmente para os miúdos fazerem aquilo que gostam. E, hoje em dia, numa sociedade muito fechado onde as crianças pouco brincam, passam a vida em frente

aos computadores, televisões e telemóveis, esta é também uma forma diferente de promover a qualidade de vida”. Foram 33 jogos realizados em apenas dois dias, capacidade organizativa que Miguel Leal não se cansou de parabenizar: “Só demonstra que é um clube que tem ambição, que sabe o que quer, que procura dinamizar o seu futebol e acima de tudo uma demonstração de coragem”.

Lagoas e Paredes dominam Em termos competitivos, o primeiro dia foi dedicado aos escalões de formação, onde o Paredes esteve em destaque ao conquistar três títulos (Juniores, Iniciados e Benjamins sub-10/11). O clube anfitrião venceu em Benjamins sub-10 e o Boavista em Infantis, enquanto que nos mais pequenos (Traquinas sub-8/9) foi Rio Tinto a conquistar o 1.º lugar ao bater na decisão dos penáltis a Escola de Futebol D’ Ouro.

INICIADOS Paredes 6-0 Lagoas Gulpilhares 1-1 Aparecida (2-3-GP) 3º e 4º: Lagoas 3-2 Gulpilhares Final: Paredes 6-0 Aparecida INFANTIS Lagoas 0-2 Gil Vicente Boavista 7-2 Paredes 3º e 4º: Lagoas 0-0 Paredes (4-3-GP) Final: Gil Vicente 0-2 Boavista BENJAMINS SUB-10/11 Gulpilhares 1-1 Lagoas (3-1-GP) Rio de Moinhos 1-4 Paredes 3º e 4º: Lagoas 4-1 Rio de Moinhos Final: Gulpilhares 0-2 Paredes BENJAMINS SUB-10 Lagoas 1-0 Aliados de Lordelo Penafiel 8-0 Aliança de Gandra 3º e 4º: A. Lordelo 4-0 A. Gandra Final: Lagoas 1-0 Penafiel TRAQUINAS SUB-8/9 Escola de Futebol D’ Ouro 4-0 Lagares Lagoas 1-2 Rio Tinto 3º e 4º: Lagares 0-0 Lagoas (2-1 após GP) Final: E. Fut.D’ Ouro 1-1 Rio Tinto (2-3-GP) SENIORES MASCULINOS São Luís 0-1 Lagoas Nevogilde 4-1 Lomba Amarante 3º e 4º lugar: São Luís 0-2 Lomba Amarante Final: Lagoas 0-0 Nevogilde (3-2-GP) VETERANOS Casa Benfica Lousada 1-3 Aparecida Caíde de Rei 0-2 Lagoas 3º e 4º: C. Benfica Lousada 2-3 Caíde de Rei Final: Aparecida 1-1 Lagoas (2-3-GP) SENIORES FEMININOS Lagoas 1-0 Meirinhas Ribeirão 4-1 Freamunde 3º e 4º lugar: Meirinhas 0-4 Freamunde Final: Lagoas 4-2 Ribeirão

Treinadores e diretores com o “padrinho” Miguel Leal

JUNIORES FEMININOS Roriz 0-1 Boavista Gatões 0-1 Lagoas 3º e 4º lugar: Roriz 2-0 Gatões Final: Lagoas 2-4 Boavista


12 |

Edição N.º 96 | 21 de junho, 2018

Desporto Diversos

Lousada participa nas Olimpíadas do Desporto da CIM

No sábado passado, dia 16, cerca de 60 atletas de Lousada participaram na primeira fase das Olimpíadas do Desporto da região do Tâmega e Sousa, que teve lugar em Cinfães. Lousada levou quatro equipas. O Futebol 7 masculino foi represen-

tado pela AD Lousada e o feminino pelo FC Romariz. No que respeita ao Atletismo feminino e masculino contaram com a prestação dos atletas da AD Lustosa. No que respeita ao atletismo Adaptado foram os atletas da ACIP e da ALDAF que representaram o concelho.

Provas nos próximos sábados No próximo sábado, dia 23, realiza-se uma nova fase de jogos em Paços de Ferreira, com basquetebol, gira-vólei e ténis de mesa. No dia 30, em Baião, vão

ser disputados os jogos de futsal e badminton e ainda natação. Estas são competições desportivas entre concelhos pertencentes à Comunidade Intermunicipal do Tâmega e Sousa nas diferentes modalidades, organizadas de modo rotativo.

As competições disputam-se na vertente masculina e na vertente feminina e destinam-se a alunos do 3.º ciclo e ensino secundário. A seleção dos participantes centra-se nos clubes que têm as modalidades organizadas, nas escolas através dos grupos de desporto escolar ou em grupos informais de alunos. Esta atividade ainda contempla o desporto adaptado, nomeadamente atletismo e natação. Este evento desportivo tem como principais objetivos o intercâmbio desportivo entre os municípios da CIM do Tâmega e Sousa, bem como promover a integração social e o convívio dos jovens do Tâmega e Sousa, através do envolvimento das associações, coletividades e comunidade. Outro dos pontos importantes passa por promover e incentivar a prática da atividade física e desportiva e reforçar o papel do associativismo municipal e a promoção da coesão e competitividade territorial através do poder local.

Automobilismo Campeonato de Portugal de Ralicross/Kartcross/Super Buggy (PTRX)

Três corridas…três triunfos para Pedro Tiago

Pedro Tiago mantém-se firme na liderança dos 1.6A

Grande início de época para o piloto lousadense Pedro Tiago que somou a terceira vitória em outras tantas corridas na Super Nacional A 1.6 do Campeonato de Portugal de Ralicross/Kartcross/Super Buggy (PTRX). A terceira subida ao lugar mais alto do pódio aconteceu

este domingo em Sever do Vouga, depois de já ter ocupado essa posição em Lousada e Mação. Os pilotos de Lousada estiveram em grande evidência nesta classe já que o pódio foi integralmente composto por lousadenses. Luís Morais foi segundo à frente de

Benjamim Sousa. O seu irmão, Américo Sousa, acabou por desistir na última volta, classificando-se na 7.ª posição, enquanto Tiago Ferreira não chegou a alinhar na final. Já nas restantes categorias as prestações dos pilotos do concelho não foi tão positiva. Na Super 1600, Joaquim Machado foi obrigado a desistir na terceira volta da final com um princípio de incêndio no Peugeot 206 S1600, originado pela quebra da caixa de velocidades. Já António Sousa, mais uma vez, não conseguiu levar o Citroen DS3 à final. Nos kartcross, Jorge Gonzaga chegou a liderar a corrida final, mas após uma segunda largada acabaria por cair para a 5.ª posição final. Apesar deste desaire, o piloto lousadense mantém a lideran-

ça no campeonato fruto dos dois triunfos nas rondas anteriores. Rafael Rocha (Super Iniciação), Adão Pinto (Super Nacional 2RM), José Eduardo Rodrigues (Super 1600), Pedro Matos (Super Car), Ademar Pereira (Super Nacional 4WD), Rafael Teixeira (Super Bu-

ggy) e Pedro Rosário (Kartcross) foram os pilotos que, juntamente com Pedro Tiago, levaram a coroa de louros para casa nesta jornada de Sever do Vouga. A 4.ª etapa do PTRX 2018 tem lugar em Montalegre a 21 e 22 de julho.

Apesar da 5.ª posição, Joca continua líder dos kartcross


Edição N.º 96 | 21 de junho, 2018

| 13

Hóquei em Campo Concelho recebe em setembro a Hockey Series Open, primeira qualificação para os Jogos Olímpicos de Tóquio

Municipal de hóquei recebe novo piso ainda este Verão

O Estádio Municipal de Hóquei será dotado de um novo piso sintético, numa intervenção que irá acontecer ainda este Verão. Esta foi uma decisão que já havia sido anunciada, mas a remodelação foi antecipada devido ao facto de Lousada receber uma competição de nível mundial no próximo mês de setembro, como explicou o presidente da autarquia, Pedro Machado: “Já tínhamos mostrado o nosso desconforto porque entendíamos que o relvado não estava nas condições ideais para receber uma competição desse nível, mas foi um risco que a federação assumiu, pois entendia que, no panorama nacional, seria a solução mais indicada. Acontece que desde que essa competição foi marcada até aos dias de hoje, o estado de deterioração do

relvado agravou-se e há mesmo já algumas fendas nas zonas de baliza. Portanto, achamos que isso não dignifica o concelho, nem a própria federação. Obviamente que do ponto de vista orçamental obrigou a alguma ginástica, mas conseguimos resolver e esperamos ter a intervenção pronta antes da prova e tudo indica que sim, porque o trabalho não é de grande complexidade”. Refira-se que Portugal irá ser anfitrião da primeira fase de qualificação da nova competição mundial de hóquei em campo, a Hockey Series Open (HSO), que passará a substituir a “World League” e serve de primeira fase de qualificação para os Jogos Olímpicos de Tóquio 2020. O Estádio de Hóquei de Lousada, apesar do desgaste natural da

muita atividade que ali se realizou durante 15 anos, continua a ser um espaço de excelência e o melhor do país para a prática da modalidade, factores que levaram a FPH a agendar esta prova, precisamente, para o complexo

lousadense, que acontecerá de 4 a 9 de setembro. Numa publicada no seu site oficial, a federação já havia felicitado a Câmara Municipal, dando conta da importância que a decisão tem para a modalidade, falando mesmo de “uma estrutura modelar e ímpar em Portugal. Parceiros de há muito, congratulamo-nos com mais este passo no sentido da excelência, que tem sido apanágio deste executivo municipal. Para além de revelador da atenção com que a autarquia lida com

política…Lousada terá dado um passo importante na visibilidade internacional como destino soberano para o turismo desportivo do hóquei de alto rendimento, prestando assim um enorme serviço a todos os que no país querem e anseiam aprender com os melhores…”. Este é mais um esforço da autarquia para melhorar as suas infraestruturas numa altura em que continua o forte investimento na remodelação dos equipamentos e colocação de relvados sintéti-

os problemas dos munícipes que escolhem o desporto como uma escola de valores elevados e marcadores de várias gerações que pintam a ouro a história desportiva do Vale do Sousa, este gesto revela muita coragem cívica e

cos pelas várias associações do concelho. Está também em processo avançado a renovação dos dois sintéticos multifuncionais do Complexo Desportivo que deverá acontecer já no próximo ano.

AD Lousada falha eneacampeonato

Ricardo Oto foi o melhor marcador com 36 golos

Dominador absoluto nos últimos oito anos, os seniores masculinos da AD de Lousada falharam a conquista do nono título consecutivo de Hóquei em Campo, tendo sido surpreendidos pelo Casa Pia. O Lousada até entrou bem na final com José Pedro Valinhas a colocar a equipa na frente do marcador no 1.º jogo do play-off final. No entanto, a turma lisboeta, a jogar em casa, conseguiu uma reviravolta inequivoca, triunfando por 4-1. Este sábado, os lousadenses conseguiram empatar a final ao vencer pela diferença minima no Complexo Desportivo de Lousada, levando a decisão para uma finalissima, também disputada na condição de visitante (beneficiando do 1.º lugar na fase regular). Mas, o factor casa acabou por não ser suficiente para os lousadenses festejarem o eneacampeonato e os casapianos levaram a melhor por 3-4, que dessa forma conquistaram pela primeira vez o campeonato nacional da categoria. Na turma da ADL de destacar o prémio de melhor marcador da prova, entregue a Ricardo Oto, com 36 golos.

Diversos

Cãominhada no domingo

No domingo, dia 24, vai realizar-se mais uma iniciativa no âmbito do Programa Municipal de Caminhadas. A designação da atividade é “III Cãominhada – Associação Lousada Animal”, promovida pela Associação Lousada Animal. A partida está agendada para as 9h30, no Parque Urbano Dr. Mário Fonseca. As inscrições devem ser efetuadas no Centro Veterinário Vila Meã + Aparecida ou através do telemóvel 914565212.


14 |

Edição N.º 96 | 21 de junho, 2018

Guia Passatempos

Espaço animal

Cães traídos Conheci-te há uns anos, o nosso encontro foi breve. Trazias contigo a história de um inicio de vida complicado, mas isso já tinha ficado para trás, como todos os cães soubeste dar a volta quando te deram oportunidade. Tinhas na altura a alegria de quem tem uma vida pela frente, muito para fazer e quer aproveitar todos os minutos. Estavas no começo de uma nova vida, estavas feliz. Foste para a tua nova casa com a família que escolheste ou te escolheu e nunca mais ouvi falar de ti...até há uns dias, porque ao que parece “de repente” (como os humanos gostam de dizer) mordeste alguém, uma pessoa que nem era de casa! Os humanos com quem estavas foram pedir ajuda...mas será que foi mesmo pedir ajuda? Ou terá sido uma primeira tentativa de te despacharem? Ao que soube disseram que a senhora está grávida e não querem um cão em casa que já mordeu porque pode morder o bebé...a história de sempre... A pessoa (que conheces bem) a quem os teus humanos recorreram, perguntou-me se podíamos fazer alguma coisa para ajudar os teus humanos a perceber o que se passou e o que poderiam fazer para não haver mais nenhum acidente. Eu disse que sim, que íamos ajuda-los, guardei para mim que era a ti que estaríamos a ajudar porque qualquer coisa me disse que aqueles humanos já tinham desistido de ti. O que é que eu precisava de saber? Pouca coisa... Como foi a tal mordida? Pelos vistos foi superficial, nada de hospital sequer... Em que zona foi a mordida? No rosto da pessoa... Isso já é suspeito, um cão só morde o rosto de alguém se esse alguém tiver o rosto perto. Já sabes como é, os humanos

Palavras Cruzadas

ainda não sabem que isso pode ser visto por um cão como uma situação de perigo. Tenho a certeza que disseste várias vezes que não estavas confortável, vocês são educados e dizem sempre mas já sabes, os humanos ainda não sabem como vocês falam... E o azar aconteceu, não por acaso, acredito que além de teres visto a situação como perigosa tenha sido a explosão de um acumular de situações... o azar aconteceu e os teus humanos ficaram com medo de ti por uma situação causada por eles! O pânico instalou-se e há necessidade de resolver! Depois de falarem com a pessoa que bem conheces parecia que tudo estava calmo, acho que não iam tomar nenhuma decisão sem eu te ver e falar com eles. Entretanto esperei notícias e nada...quando as notícias chegaram foi para saber que tinhas sido assassinada!... Parece que mordeste um cão e depois outra pessoa! Levaram-te a um veterinário que pela atitude não sabe nada de comportamento de cães nem tem um mínimo de respeito pelos cães e matou-te, matou-te com o consentimento daqueles em quem confiavas mas que se recusaram a ser ajudados para te poderem ajudar. Acho que escolheram ir ter com quem lhes diria o que queriam ouvir e assim resolviam a questão, até porque a humana com quem estavas está grávida e agora ias estar a mais... Os humanos com quem es-

Soluções

Sudoku

Palavras Cruzadas

YES Tempo

tavas e em quem confiavas, as únicas pessoas que tinhas no mundo traíram-te, não tinhas mais ninguém e eles por egoísmo recusaram perceber-te e perceber o teu comportamento, preferiram arrumar a situação da forma mais simples para eles. Já sabemos como é, não podes dizer nada, não falas a nossa língua e nunca te pudeste defender, se pudesses falar conseguias provar a tua inocência. Foste mais um para o número dos cães que são assassinados todos os dias por ignorância daqueles com quem vivem e de “profissionais” que não estão para se incomodar a aprender mais sobre vocês, aquele tipo de profissional que apenas está ali, o cliente entra pela porta do consultório, diz o que se passa, as vontades são feitas, o cliente paga e vai embora.

Sudoku

Nos anos que viveste acredito que tenhas sido feliz, feliz à tua maneira e na realidade que era a tua, porque vocês cães não precisam de muito para serem felizes, só é pena serem tantas vezes atraiçoados por aqueles em quem tanto confiam. Infelizmente esta história tem um nome mas podia ter muitos nomes, esta é a história de muitos cães e cadelas que todos os dias são traídos pelas pessoas com quem vivem. João Pedro–Educador Canino www.maniadoscaes.com

Sopa de Letras


Edição N.º 96 | 21 de junho, 2018

| 15

Música e Cultura Além dos artistas principais o cartaz é diversificado e oferece muitas outras animações

VILA com Digo Piçarra, Carolina Deslandes, Piruka e Avô Cantigas

Lousada promove mais uma edição do Festival VILA, nos dias 29,30 de junho e 1 de julho. Os vários agentes locais têm participado em diversas ações desenvolvidas na promoção do VILA. Na sexta-feira, dia 29, noite de abertura, vai ter como cabeça de cartaz Diogo Piçarra, mas vão também atuar Sara Santino e Meninos do rio. Sobem ainda ao palco a

Banda Vila Talents, DJ Vila Talents e Criling Rafa. A noite de sábado vai ser animada com a música de Carolina Deslandes, Piruka, Putzgrilla e Bruno R. A tarde de domingo é dedicada ao

público mais novo. Aliás, os insufláveis e as diversões que antecipam a entrada em palco do Avô Cantigas, a partir das 15h00. Mais uma vez o local escolhido para a realização do VILA é o Parque Urbano

Dr. Mário Fonseca. O evento tem a particularidade de juntar pessoas de diversas idades, de Lousada e de concelhos vizinhos que se identificam com este conceito de Festival. No dia 9 de junho foram desenvolvidas diversas iniciativas junto de bares do concelho que se associaram ao evento.


Edição n.º96 - Jornal Yes Lousada - 21-06-2018  

Edição n.º96 - Jornal Yes Lousada - Festa dos Vizinhos

Edição n.º96 - Jornal Yes Lousada - 21-06-2018  

Edição n.º96 - Jornal Yes Lousada - Festa dos Vizinhos

Advertisement