{' '} {' '}
Limited time offer
SAVE % on your upgrade.

Page 1

A VOZ DA ONÇA SETEMBRO. 2019


QUEM SOMOS O Projeto Onças do Iguaçu é um projeto institucional do Parque Nacional do Iguaçu, e vem dando continuidade ao trabalho realizado pelo Projeto Carnívoros do Iguaçu, criado em 1990.

NOSSA MISÃO Conservação da onça-pintada, como espécie-chave para a manutenção da biodiversidade na região do Parque Nacional do Iguaçu

A VOZ DA ONÇA é uma publicação bimestral do Projeto Onças do Iguaçu. Neste número, apresentamos nossas atividades nos meses de julho e agosto de 2019.


Quem é a onça da capa?

É o Iberê, um macho que foi registrado esse ano pela primeira vez, em uma região mais remota do Parque Nacional do Iguaçu. Iberê quer dizer “cicatriz” em Tupi-Guarani, e ele ganhou esse nome por causa da cicatriz que tem no nariz.


PARCERIAS Conheça nossos atuais principais patrocinadores Nosso principal patrocinador, ajudando com vários custos do projeto, como combustíveis, consultores, estrutura logística, suprimentos, manutenção de veículos, auxiliares de campo e eventos. Parceiro executor e patrocinador, provê recursos que possibilitam o desenvolvimento de ações de engajamento das comunidades lindeiras ao PNI com a questão da conservação das onças-pintadas.

Fundação do Beauval Zoo, na França, que esse ano está ajudando a custear as campanhas de captura das onças no Parque Nacional do Iguaçu, além de estrutura logística

A National Geographic Society esse ano aprovou uma proposta de recursos que vai nos ajudar a trabalhar por dois anos a coexistência entre humanos e felinos no entorno do Parque Nacional, especialmente prevenção de predações.


PARCERIAS Conheรงa todos os parceiros PARCEIROS EXECUTORES

PATROCINADORES

APOIO


PARCERIAS

A Cataratas S.A. e o Instituto Conhecer para Conservar criaram uma linha de camisetas com o tema do Projeto Onças do Iguaçu. As camisetas estão sendo vendidas nas lojas do Parque Nacional do Iguaçu, e eles reverterão parte dos lucros para o projeto.

O recurso será revertido na forma de equipamentos e outros insumos que o projeto necessite para realizar seu trabalho. Trabalhos de conservação precisam de parceiros, que se juntem aos projetos e ajudem a fazer a diferença para espécies ameaçadas.

Agradecemos por essa parceria!


PARCERIAS

As onças do Iguaçu ganharam mais um parça!!! É o Instituto Tamanduá! Uma parceria para a conservação da fauna. Presa e predador. Dois projetos unindo esforços pela conservação. Bem-vindos, parças!!! Estamos muito felizes com essa parceria. Juntos nós podemos mais. E bora trabalhar!


PARCERIAS

A LOG Nature é uma empresa que além de eficiente tem compromisso com vários projetos de conservação no Brasil. Armadilhas fotográficas são indispensáveis para o nosso trabalho. Mias de 20 das nossas câmeras estavam quebradas, e o conserto fica bem caro. A LOG nos deu um mega desconto, consertou as câmeras e arcou com todo o custo das peças, o que reduziu incrivelmente o custo para nós. Lindo ou muito lindo? Além das câmeras que quebram e às vezes não têm conserto, temos um problema grave de roubo. Do ano passado para cá já perdemos cerca de 15 câmeras por roubo (sim, isso é um absurdo e ficamos indignados!).


PARCERIAS

Parceria linda e produtiva! Continuamos nossa parceria com o Grupo de Inteligência Computacional da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR), Campus de Medianeira. O grupo é liderado pelo Professor Pedro Luiz de Paula Filho. Através de um projeto de extensão, eles estão desenvolvendo equipamentos para ajudar a evitar a predação de animais domésticos por onças. Em agosto eles instalaram na propriedade do Marcos, em Serranópolis, um Sistema Turerê, com luzes que piscam de forma intermitente e podem ajudar a manter as onças longe dos locais onde animais domésticos passam a noite. Mil obrigadas a esses parceiros incríveis.


TROCA DE SABERES Em julho participamos da Quermesse de Inverno em Matelândia, fazendo uma das coisas que adoramos: falando sobre onças! Bate-papo, troca de saberes, informação. Ficamos felizes com o interesse e receptividade. Mil obrigadas à Prefeitura de Matelândia pela acolhida, e agradecemos ao Sr. Otoniel Barbosa Garcez Junior, Secretário de Meio Ambiente e Recursos Hídricos de Matelândia, pelo convite e apoio! Adoramos a experiência!


TROCA DE SABERES Em julho apresentamos o trabalho do Projeto Onças do Iguaçu em Porto Alegre, na Oficina Técnica do Plano de Monitoramento e Avaliação de Ameaças a Onça-pintada (Panthera onca) e Outros Grandes Mamíferos na Porção Meridional do Corredor Trinacional do Alto Paraná. O evento foi organizado pelo Instituto Curicaca e WWF Brasil. Muito bacaninha trocar ideias com as equipes incríveis que estão trabalhando no Parque Estadual do Turvo. E vem parceria linda por aí!

Em agosto apresentamos o trabalho do Projeto Onças do Iguaçu para os servidores do Parque Nacional do Iguaçu, em Foz.


TROCA DE SABERES Entre 26 e 30 de agosto nossa equipe esteve no CENAP/ICMBio em Atibaia. Vânia Foster, responsável técnica por pesquisa, fez um treinamento com a equipe do CENAP, e Yara Barros, Coordenadora Executiva do Projeto Onças do Iguaçu participou da reunião do Grupo de Assessoramento Técnico (GAT) do Plano de Ação Nacional para a Conservação de Grandes Felinos. Na oportunidade também foi feita uma reunião com a Dra. Kátia Ferraz, na ESALQ em Piracicaba, para alinharmos o estudo padronizado sobre base de presas de onças-pintadas na Mata Atlântica.


TROCA DE SABERES O objetivo do “Um Dia no Parque” foi conectar as pessoas com a natureza e principalmente com as Unidades de Conservação do país. Essa campanha foi idealizada pela Coalizão Pró UCs, quer celebrar as Unidades de Conservação ao incentivar a visitação a estas áreas. No dia 21 de julho nossa equipe foi até Serranópolis, na D'Mary Morangos, onde rolou muita coisa bacana: pedal (organizado pelo Pedal Caminho do Colono), caminhadas na mata e um almoço maaaaaaaravilhoso feito pela família da Mari. Sorteio de brindes, bate-papo, planos de parceria, muita conexão com a Mata Atlântica e com esse parque lindo que é uma ilha de vida no Paraná. E claro, como vocês sabem, é a casa das nossas onças! Um milhão de obrigadas ao Mauri e Kátia pela organização do Pedal (e obrigada à Cataratas SA pela água e frutas). E nem sabemos por onde começar a agradecer ao Jorge, Mari e sua família linda, que receberam todos nós com sorrisos, coração aberto e muito carinho. Foi tudo demais de lindo e esperamos que tenhamos sempre mais pessoas apaixonadas pelo Parque Nacional do Iguaçu!!!


ENGAJAMENTO O PAPO DE ONÇA são conversas com comunidades, geralmente adultos, sobre onças-pintadas, prevenção e boas práticas no manejo de gado para evitar a predação. Durante esta atividade serão distribuídos exemplares do “Onças do Iguaçu: Guia de Convivência”.

Linha São Luiz, Capanema - julho

Esse Papo de Onça foi na casa da Sra. Loni, que nos recebeu com muito carinho. Adoramos a acolhida e o interesse de todos! Nesse local houve relato de visualização de onça, então conversamos com a comunidade e tiramos dúvidas.


ENGAJAMENTO Comunidade Santa Lúcia, Matelândia - julho Houve avistamentos de onça-parda na região, então nós achamos interessante conversar, orientar e esclarecer dúvidas. Em uma noite fria, mais de 40 pessoas foram trocar uma ideia sobre onças. Aquece a noite e os nossos corações esse interesse. Coisa linda de se ver. Ah, e o pessoal incrível da Defesa Civil de Matelândia também estava lá. Eles são nossos super parceiros, e estamos realmente encantados com o interesse e envolvimento deles.


ENGAJAMENTO Vila Vitorassi, Santa Terezinha de Itaipu - agosto Em agosto realizamos um Papo de Onรงa na Vila Vitorassi, em Santa Terezinha de Itaipu. O bate-papo foi na casa do Sr. Agenor Vitorassi, que mesmo adoentado fez questรฃo de participar. Nรณs adoramos o papo e esperamos poder trabalhar juntos para cuidar das nossas onรงas!


ENGAJAMENTO A TRILHA DA ONÇA foi pensada dentro da filosofia do Programa “Nature for All” (Natureza para Todos), uma iniciativa global da IUCN para inspirar o amor pela natureza, da qual o projeto é parceiro. Destina-se a construir apoio e ações para a conservação da natureza entre pessoas de todas as esferas da vida, conscientizando e facilitando experiências e conexões com o mundo natural. Em julho foi realizada no PNI em Foz do Iguaçu uma Trilha da Onça com brigadistas do PNI e equipe da Escola Parque, para capacitar essa equipe na abordagem de assuntos referentes a onças com as escolas de municípios lindeiros nas visitas diárias ao Parque Nacional


ENGAJAMENTO Em julho nossa equipe foi bater um papo sobre onças com escoteiros em Serranópolis, em um acampamento da Tropa Sênior Mista Garganta do Diabo do Grupo Escoteiro Caburé 212/PR. Teve bate-papo, trilha na mata e muita empolgação. Esperamos que agora os escoteiros também sejam #LoucosPorOnças !


A comunidade ajudando a cuidar das nossas onças Através do TIME PANTHERA buscamos o envolvimento direto das comunidades lindeiras ao Parque Nacional nas atividades do Projeto Onças do Iguaçu. Além do senso de pertencimento e envolvimento direto da comunidade na conservação da onça-pintada na região, essa ação possibilita multiplicar a presença do projeto, através de pontos focais nos Municípios lindeiros. Com isso, esperamos que as notícias sobre onças cheguem mais regularmente ao projeto, e que os membros do Time Panthera possam atuar junto a suas comunidades como parceiros em atividades de engajamento, coexistência, identificação de fragilidades ou oportunidades de intervenção. A ideia é que essa ação inclua um componente de Ciência Cidadã, com a participação informada, consciente e voluntária da comunidade, trabalhando na obtenção e análise de dados. O TIME PANTHERA é formado por colaboradores identificados pela equipe do Projeto Onças do Iguaçu durante as atividades realizadas nos municípios lindeiros, que são selecionados com base no seu interesse em participar e disponibilidade. Os integrantes do TIME PANTHERA passam por um curso de capacitação ministrado pela equipe do Projeto Onças do Iguaçu e por pesquisadores convidados. A formação envolve conhecimento sobre onças, segurança, predação, forma de se comportar com a comunidade, coleta e análise de dados, proteção e comunicação. A capacitação terá início em outubro. A arte linda do logo é do Pedro Busana.


^

COEXISTENCIA ATENDIMENTO À POPULAÇÃO: VISUALIZAÇÕES DE ONÇAS E PREDAÇÃO Uma das ações do Projeto Onças do Iguaçu é atender casos de visualização de onças e de possível predação de animais domésticos ou de criação. No atendimento nós orientamos obre manejo adequado de animais de criação, descarte adequado de carcaças, medidas de segurança para as pessoas e quando necessário entregamos rojões, foguetes e buzinas de ar comprimido para proteção. Também são distribuídos os Guias de Coexistência. Dependendo da situação, também instalamos armadilhas fotográficas para identificar qual é o predador responsável pelo ataque. Também envolvemos lideranças comunitárias e poder público. Através do pronto atendimento e da nossa presença constante, esperamos fortalecer vínculos, aumentar a confiança no nossos trabalho e substituir o medo por informação, e desta forma evitar que onças sejam abatidas em retaliação. Entre julho e agosto atendemos vários casos na região:

Fazenda Cataratas – Foz do Iguaçu – julho Atendemos um caso de predação por puma na Fazenda Cataratas, próxima ao Parque Nacional. No local foi encontrada uma carcaça. Avaliamos a propriedade, passamos dicas sobre manejo, entregamos bombinhas e instalamos armadilhas fotográficas para monitorar o local.


^

COEXISTENCIA Vila Vitorassi, Santa Terezinha de Itaipu - agosto Em agosto um puma foi visualizado nos arredores da Vila Vitorassi, em Santa Terezinha de Itaipu. Além do Papo de Onça, nós também instalamos algumas luzes próximo ao local onde os ovinos ficam durante a noite, para tentar manter predadores afastados.

Capanema- agosto Em agosto um morador da área rural de Capanema avistou um puma no terreno vizinho à sua propriedade. Nossa equipe foi ao local, deixamos bombinhas e fornecemos orientação. A propriedade já possui cerca elétrica e recolhe cavalos e ovelhas a noite. Fomos acompanhados pela equipe do PIC/ICMBio, de Capanema.


^

COEXISTENCIA Capanema- agosto Checamos informações de predação de ovelhas em uma pequena propriedade. Visitamos o local. O proprietário começou a fechar as ovelhas à noite, e segundo ele após isso o puma não apareceu mais. Instalamos armadilha fotográfica para monitorar o local e deixamos bombinhas com o proprietário, além de passarmos informações sobre manejo. Fomos acompanhados pela equipe do PIC/ICMBio

São Miguel - agosto Onça-pintada ajudando a proteger a plantação! Tivemos o depoimento do Joel, de uma propriedade em São Miguel, na borda do Parque nacional. Ele planta milho e sempre teve prejuízo devido a capivaras. No momento, uma onça-pintada está na região, e o Joel na verdade está achando ótimo, pois isso já diminuiu muito o prejuízo, uma vez que a onça preda as capivaras. Nenhum animal doméstico ou de criação foi predado. Coexistência entre seres humanos e grandes felinos é possível!


^

COEXISTENCIA Matelândia - julho Colaboradores da prefeitura municipal de Matelândia nos informaram ter visto uma onça-pintada no aterro sanitário do município. Um dos trabalhadores (Chicão), conseguiu fotografar o animal. Ele nos relatou que estava monitorando o aterro e avistou o animal à distância, l O Chicão já havia participado de um Papo de Onça com a equipe da Defesa Civil, então já sabia como proceder para sua segurança. Manteve distância do animal, que fugiu para a mata. Nossa equipe monitorou o local e outras propriedades na região com armadilhas fotográficas mas o animal não foi registrado. Os moradores da região também foram orientados.


Alternativa de renda Para agregar valor à manutenção das onças vivas, nós tentamos trabalhar com Produtores locais que perderam animais devido à predação por onças pardas ou pintadas, ou que estão em áreas vulneráveis. Um desses exemplos é o Marcos, do Rancho Jaguareté, em São Miguel do Iguaçu. O Marcos, dono do local, é nosso parceiro, e produz o já famoso Queijo da Onça. Ajudamos a divulgar uma feijoada que ele fez em sua propriedade. Agora ele começou também uma produção de vinagre, e a renda obtida com a feijoada pode ajudar a comprar embalagens para que ele possa comercializar o Vinagre da Onça. E foi um sucesso!


Programa De Flor e Flor: cuidando de onças e polinizadores Atualmente estamos enfrentando um declínio dos polinizadores no mundo todo. Devemos aos polinizadores a reprodução de muitas plantas, incluindo culturas alimentares. Ou seja, eles são diretamente responsáveis pela produção de alimentos, e são essenciais para a conservação da biodiversidade. Polinizadores são sentinelas para riscos ambientais emergentes, sinalizando a saúde dos ecossistemas locais. E pensamos aqui: se os polinizadores ajudam a manter a integridade da floresta e as onças precisam de uma floresta saudável, que tal usarmos as onças para ajudar os polinizadores? E assim está nascendo, ainda bem embrionário, o Programa de Flor em Flor. A ideia é identificar produtores nos municípios lindeiros ao Parque Nacional, que possam ter alguma compensação financeira por nos ajudarem a cuidar das nossas onças e ao mesmo tempo ajudarem a cuidar dos polinizadores. Teremos como produto o Mel da Onça! Que tal a ideia? Estamos na fase de estruturar o programa e buscar parcerias para sua execução.


ATROPELAMENTOS Um PERIGO para a fauna Em julho, uma onça-parda foi atropelada próximo à cidade de Mercedes. O animal foi trazido para Foz do Iguaçu pela Polícia Ambiental, que fez o resgate, e atendido pela equipe incrivelmente dedicada e comprometida do Refúgio Biológico Bela Vista, da Itaipu. A onça sofreu uma pancada na cabeça, estava em choque, um corte grande na face e uma fratura no fêmur em uma das patas traseiras. Precisou de cirurgia ortopédica extensa. Também teve um dos caninos fraturados. Ela está se recuparando lentamente, mas ainda não é possível saber se ela terá condições de voltar para a natureza. Um exame com o ultrassom mostrou que pelo menos não há danos maiores nos órgãos internos. Nossa equipe participou do atendimento e pudemos fazer as análises de bioquímica sanguínea e urina, com os equipamentos doados para o projeto pela ABAXIS. Vimos a equipe do Refúgio lutando bravamente pela vida da onça-parda, e nos dá uma angústia muito grande ver esse animal magnífico deitado em uma mesa de hospital veterinário, todo machucado, quando ele deveria era estar correndo livre e seguro pela mata. E por que isso acontece? PORQUE ONDE TEM ESTRADA TEM ANIMAIS MORTOS OU FERIDOS!! Porque é preciso uma maior consciência de quem dirige em estradas próximas à mata. É preciso que as estradas sejam mais seguras para os animais ainda que custem mais às concessionárias. É preciso que as pessoas pensem em todas essas mortes antes de irem abrindo estradas a torto e a direito! Não dá para continuar a perder tantos animais para as estradas nesse país. Não é justo e não é aceitável.


~ CAPACITACAO , Em julho participamos de um treinamento promovido pelo nosso parceiro e patrocinador, e WWF-Brasil, sobre a ferramenta SMART. Esse software de código aberto otimiza a coleta e o uso de dados sobre as áreas protegidas, ele centraliza informações, agiliza mapeamentos e facilita o trabalho de monitoramento de fauna, flora e de ameaças. A ideia agora é customizar o software para as necessidades do projeto.


PRODUCAO , ~ DE MATERIAL Questionários realizados com as comunidades lindeiras ao Parque mostraram que cobras são os animais mais mencionados pelos moradores, e de forma negativa, o que mostra uma relação negativa forte das pessoas com estes animais. Como a reação é de medo, pensamos que o Projeto poderia ajudar a comunidade, através de informações, a combater este medo, e desta forma possivelmente estreitar o vínculo entre Projeto e comunidades. Elaboramos um pequeno manual, “Animais Venenosos e Peçonhentos da Região do Iguaçu: Prevenção e cuidados”. Este material foi diagramado pela WWF Brasil, e será distribuído para as comunidades rurais e escolas, durante as atividades de engajamento. Foram impressos 500 exemplares. Foi escrito em linguagem bem simples e com dicas sobre como evitar acidentes com peçonhentos, como reconhecer os animais peçonhentos da região e o que fazer em caso de acidentes.


PESQUISA MONITORAMENTO DAS ONCAS , COLARIZADAS Desde junho estamos monitorando uma onça-pintada, o Tarobá, e um puma, o Porã. Os dois foram capturados no Parque Nacional do Iguaçu, em uma Campanha Binacional de Captura que envolveu o Projeto Onças do Iguaçu, o CENAP/ICMBio e o Proyecto Yaguareté (Argentina). Os colares que instalamos nas onças são importantes para monitorar o deslocamento dos animais, o que nos fornece informações como território e deslocamento. Estamos fazendo o monitoramento tanto pelos dados enviados pelos colares para satélite quanto checagem do sinal VHF através de sobrevoos (com apoio da Helisul) e também checando presencialmente locais onde são registrados atividade intensa dos animais. Quando existe um “cluster”, um aglomerado de pontos em uma mesma localidade, isso pode indicar que a onça caçou algum animal e passou um tempo por ali trabalhando na carcaça. Nós procuramos, sempre que possível, ir até esses pontos para procurar carcaças e fezes, e assim entender melhor a dieta desses animais.

VIVÁ TEÇÁ

INDIRA


TAROBÁ Em julho nossa equipe, com o apoio da equipe de proteção do PNI, foi checar aglomerados de pontos, ao longo do Rio Iguaçu. Para chegarmos a esses pontos, contamos com o apoio do Macuco Safari. Em um dos locais checados encontramos a carcaça de uma anta que o Tarobá predou, além de bastante fezes. Nesse local foram instaladas armadilhas fotográficas e pudemos registrar outras espécie se alimentando da carcaça, como jaguatirica, gavião-preto (Urubitinga urubitinga) e também uma onça-pintada que ainda não havia sido registrada, o Iberê.


Os registros do Porã são mais próximos à área do Hotel das Cataratas. Também estamos registrando esses dois animais nas armadilhas fotográficas que temos instaladas pelo parque.


~ COMUNICACAO , Queremos espalhar a mensagem sobre a conservação das onças e falar sobre esses animais sempre que possível. O medo que as pessoas sentem é uma grande ameaça para as onças, então falando, esclarecendo, encantando, procuramos substituir esse medo por encantamento. Veja o que rolou de comunicação sobre o projeto:

Para quem não viu a reportagem sobre as onças no “Meu Paraná”, segue o link: https://glo.bo/2ott6Ok


AMIGOS DA ONÇA O grupo de Whatsapp Amigos da Onça foi criado para facilitar a comunicação com os motoristas de ônibus, vans e colaboradores das concessionárias que atuam no Parque Nacional. O grupo foi crescendo e já está com mais de 124 pessoas! Mais de cem amigos que estão nos ajudando informando avistamentos de onças, localização de fezes ou pegadas e nos enviando fotos dos registros. E neste número do A VOZ DA ONÇA está a foto de parte da nossa equipe com o Amigo da Onça Wanderlei, que trabalha no Macuco Safari e participou da gravação do programa Meu Paraná. Ele sempre nos indica a localização de fezes e avistamento de onças. Os Amigos da Onça são grandes parceiros do Projeto, e “multiplicam nossos olhos”, desempenhando um papel super importante no monitoramento das nossas onças.

Somos muito gratos a todos que estão colaborando!!


Acompanhe as novidades do Projeto Onças do Iguaçu no Facebook! oncasdoiguacu

Também estamos no Instagram!!


A VOZ DA ONÇA é uma publicação bimestral. Publicamos sempre na nossa página no Facebook, assim vocês sempre podem saber o que está rolando no Projeto. O próximo número será em NOVEMBRO!


A TODO VAPOR!! Fazemos parte da Comissão Organizadora do 2° Simpósio Internacional de Ecologia e Conservação da Onça-Pintada e Outros Felinos Neotropicais, e a preparação continua. Estamos participando de reuniões de planejamento para ajudar a organizar um simpósio que vai ser só lindeza!


projetooncasdoiguacu@gmail.com

Profile for Yara Barros

A Voz da Onça SETEMBRO 2019  

A Voz da Onça SETEMBRO 2019  

Advertisement