Page 1

A VOZ DA ONÇA SETEMBRO . 2018

Foto: Carmel Croukamp


QUEM SOMOS O Projeto Onças do Iguaçu é um projeto institucional do Parque Nacional do Iguaçu, e vem dando continuidade ao trabalho realizado pelo Projeto Carnívoros do Iguaçu, criado em 1990.

NOSSA MISÃO Conservação da onça-pintada, como espécie-chave para a manutenção da biodiversidade na região do Parque Nacional do Iguaçu

NOSSA EQUIPE Ivan Baptiston - Coordenador Geral Yara Barros - Coordenadora Executiva Carlos Brocardo - Responsável Técnico pela Pesquisa Thiago Reginato - Responsável Técnico pelo Engajamento Aline Kotz – Auxiliar de pesquisa e engajamento Adaildo Policena - Auxiliar de pesquisa Colaboradores Ronaldo Morato - CENAP/ICMBio Rogério Cunha de Paula - CENAP/ICMBio Edilson Esteves - PARNA Iguaçu/ICMBio Rosane Nauderer - PARNA Iguaçu/ ICMbio Kátia Ferraz - ESALQ Sílvio Marchini - Chester Zoo e ESALQ Gediendson R. de Araújo Peter Crawshaw Jr. Proyecto Yaguareté Instituto Pró Carnívoros


EQUIPE Ivan Baptiston - Coordenador Geral. Engenheiro Florestal, natural de Chapecó - SC. Desde 2002 é servidor do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio). Foi consultor da Fundação Grupo Boticário de Proteção à Natureza, e em 2015, assumiu a chefia do Parque Nacional do Iguaçu.

Yara Barros - Coordenadora Executiva. Bióloga, doutora em zoologia pela UNESP. Também coordena o Programa Ex Situ dentro do Projeto Harpia. Trabalhou com conservação de fauna ameaçada, in situ e ex situ, tanto no governo quanto na iniciativa privada. Participa de Planos de Ação Nacionais para a conservação de espécies ameaçadas e integra o CPSG Brasil (Grupo Especialista em Planejamento para a Conservação/IUCN).

Thiago Reginato – Responsável Técnico pelo Engajamento. Gestor Ambiental pela UTFPR de Medianeira, tem experiência com trabalho em Educação Ambiental, é fotógrafo e editor de imagem. Também realizou estágio na Estação Agrometeorológica do Iapar.


EQUIPE Carlos R. Brocardo – Responsável Técnico pela Pesquisa. Biólogo cascavelense, que atua com mastofauna na região oeste do Paraná desde sua graduação pela UNIOESTE. Tem mestrado e doutorado pela UNESP. Durante o doutorado pesquisou os efeitos da defaunação e fragmentação florestal sobre os mamíferos e suas interações ecológicas na Floresta com Araucária, onde incluiu o Parque Nacional do Iguaçu como uma das áreas de estudo.

Adaildo Policena - Auxiliar de Pesquisa. Natural de Capanema, vem auxiliando pesquisas no Parque Nacional do Iguaçu desde de 2002, onde já atuou em inúmeras pesquisas. Seu grande conhecimento sobre o Parque Nacional do Iguaçu dá segurança para a execução das atividades em campo.

Aline Kotz – Assistente de pesquisa e engajamento. Natural de São Miguel do Iguaçu é Gestora Ambiental pela UTFPR de Medianeira. Tem experiência na reprodução artificial de aves e assistência técnica rural ao pequeno produtor onde atuou pela ADEOP.


A VOZ DA ONÇA é uma publicação bimestral do Projeto Onças do Iguaçu. Olha só o que rolou no Projeto em julho e agosto.

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO O Planejamento Estratégico para cinco anos do Projeto Onças do Iguaçu está pronto e disponível em inglês e português. Confira as atividades planejadas.

https://bit.ly/2NkEh3t

https://bit.ly/2LZbIeq


Apoio a órgãos ambientais Captura de puma em cascavel Entre 11 e 17 de julho nós participamos da campanha de captura de um puma que apareceu em uma área urbana em Cascavel, na região do Lago Municipal. O Projeto Onças do Iguaçu recebeu um pedido de ajuda das autoridades ambientais da cidade, e desde então passou a orientar o processo de captura do animal, que foi coordenado pelo Município. O Responsável Técnico pela Pesquisa do Projeto, Carlos Brocardo, acompanhou todo o processo, que foi demorado e cuidadoso, para não causar danos ao animal nem às pessoas. Após uma semana o animal foi capturado em uma das armadilhas instaladas ao redor do lago e transferido para uma unidade de conservação definida pelo Instituto Ambiental do Paraná (IAP). Nós não interferimos no processo de translocação. Recebemos inúmeros questionamentos sobre se seria realmente necessária a captura do animal. A resposta é sim! E existem várias razões para isso:


- o animal estava em uma área urbana, ao lado de casas, assim poderia se perder e acabar entrando em alguma, o que poderia causar algum acidente; - o animal estava em um parque muito frequentado pela população local, com diversas presas (capivaras) que ficam na área usada pelas pessoas, o que poderia levar a algum acidente caso o animal tentasse caçar perto das pessoas; - estamos em uma região onde vive uma população muito importante de onças-pintadas e onças-pardas da Mata Atlântica. Qualquer acidente envolvendo uma onça-parda atacando uma pessoa reflete imediatamente na segurança das onças (pardas e pintadas) que vivem na região, e compromete todos os esforços que têm sido feitos há anos para conservar as onças da região; - havia o risco de a população urbana, com medo do animal, acabasse abatendo o puma. Já havia inclusive sido criado um evento no Facebook, um “mutirão” para a captura da onçaparda!; - a área onde o animal estava o deixava muito vulnerável a caçadores ilegais; - próximo ao Lago Municipal está localizado o Zoológico Municipal, que fica em meio a mata nativa. Foi verificado que o animal também havia passado nessa área. Com a presença de animais presos, poderia haver a tentativa que o puma de vida livre tentasse pegá-los. No zoo ainda há mais cinco pumas em cativeiro, com uma fêmea em estro, assim sendo o animal de vida livre um macho, poderia ficar estressado pela presença de uma fêmea nessa condição;


- o Lago Municipal (Parque Ecológico Paulo Gorski) fica a menos de 100 m da rodovia BR-277, uma das mais movimentadas do Paraná, se o animal tentasse cruzar a pista poderia ser atropelado, e ainda causar um grave acidente. Além disso diversas ruas movimentadas cercam o parque; - nessa área o animal não teria parceiros reprodutivos, ou seja, não contribuiria para conservação da espécie, que está ameaçada. Na área para onde foi translocado existe uma população pequena da espécie, assim ele poderá contribuir com o crescimento desta. Após considerar prós e contras, a decisão tomada de remover o puma da área urbana foi considerada a mais segura, para o animal, para a população local e para todas as onças-pardas e pintadas da região. Esclarecemos que o animal não foi solto no Parque Nacional do Iguaçu. Aliás, o Projeto Onças do Iguaçu, ao contrário do que geralmente é divulgado, nunca soltou onças no Parque Nacional. O aparecimento de pumas em áreas urbanas acontece em todo o país, pois com o desmatamento cada vez mais acelerado, os ambientes destes animais estão cada vez mais “encolhendo”. Isso gera uma reflexão sobre a forma como nossa espécie tem levado tantas outras à extinção. A sobrevivência de grandes felinos depende totalmente de conseguirmos trabalhar para a coexistência entre estes animais magníficos e seres humanos. E é uma responsabilidade de cada um de nós.


Atendimento à população Em julho atendemos três casos de comunicação de possível predação por onças. Sempre que recebemos este tipo de informação, nós avaliamos o local e orientamos os moradores. Atendimento Condomínio Águas Claras – Foz do Iguaçu

Suspeita de ataque de puma: verificamos que na verdade a predação de um tatu foi feito por um cachorro. Atendimento Campo Bonito

Suspeita de predação por onça-pintada: não confirmado e o proprietário recebeu as orientações para proteção dos animais.


Atendimento à família Colombelli Em julho nossa equipe fez uma visita à propriedade da família Colombelli, em Serranópolis do Iguaçu. Fomos atender uma comunicação sobre possível predação de capivara por onça-parda. Demos uma olhada na propriedade para avaliar vulnerabilidade à predação, ouvimos muitas histórias sobre as onças-pintadas que andavam por lá no passado e eles nos mostraram restos de capivara predada por pumas recentemente. Também demos orientação sobre segurança para os animais domésticos. Pense num papo bacaninha!


Pesquisa Monitoramento de fauna O trabalho com o monitoramento da fauna do Parque Nacional do Iguaçu é feito de forma contínua. Nestes dois meses foram registradas em nossas armadilhas fotográficas animais como: antas com filhote, onças-pintadas, cateto, veado-mateiro, macuco, cutias, jaguatiricas e vários outros.


Estudo da dieta Estamos recolhendo amostras de fezes de onças para avaliações genéticas e também para o estudo da dieta. Este é um estudo que está sendo feito em conjunto com o Proyecto Yaguareté, da Argentina. Em áreas de florestas, nem sempre é fácil observar uma onça-pintada, que dirá uma caçada! O estudo da dieta das onças-pintadas é feito principalmente através da análise de conteúdo fecal de amostras coletadas durante atividades em campo.

A identificação das espécies predadoras é feita por meio de sinais deixados no local da deposição das fezes (pegadas e arranhões), e conferida por tricologia (análise dos pelos) ou análises genéticas se necessário. Analisando o conteúdo das fezes, dá para ter uma ideia do que estes gatões estão comendo. Somos “caçadores de fezes” de onças! Pense numa equipe que fica feliz quando encontra fezes ou quando algum Amigo da Onça nos informa que avistou fezes. Se encontrar fezes que pareçam de felinos, entre em contato conosco.


2018

Desde 2009 o Projeto Carnívoros do Iguaçu realiza censos bianuais das onças-pintadas no Parque Nacional do Iguaçu. Ao longo dos anos, há uma indicação de aumento da população, de aproximadamente 12 indivíduos em 2010 para cerca de 22 animais em 2016. É importante lembrar que isso é uma estimativa, OK? No final de agosto demos início ao censo 2018, que está sendo feito em parceria com o Proyecto Yaguareté, da Argentina. O censo é realizado simultaneamente nos dois países, afinal as onças não têm fronteiras. O censo é feito através da instalação de armadilhas fotográficas em regiões determinadas, e deve durar de setembro a novembro. Infelizmente, muitas vezes nosso equipamento acaba sendo roubado, o que prejudica bastante a pesquisa. E assim, sempre precisamos adquirir mais armadilhas fotográficas. Este ano temos o apoio de concessionárias do Parque Nacional do Iguaçu: a Cataratas S.A., através do Instituto Conhecer para Conservar, a Helisul e o Hotel Belmond Cataratas, que doaram, cada uma, 10 armadilhas para ajudar na realização do censo.


Também contamos com a parceria do Instituto Neotropical de Pesquisa e Conservação e do Zoo de Bauru, que nos emprestaram armadilhas fotográficas. Agradecemos a todos pela ajuda! Conservação se faz com a união de esforços entre parceiros que querem cuidar da biodiversidade, e assim juntos vamos cuidando das nossas onçaspintadas e do Parque Nacional. E dedos cruzados!!! Vamos ver qual vai ser o resultado este ano!


Roubo de armadilhas fotográficas

Não é fácil conseguir recursos para trabalhar com conservação. Estudos com felinos dependem muito (mesmo!) do uso de armadilhas fotográficas, que são caras mas imprescindíveis para nosso trabalho.

Infelizmente, com frequência nossos equipamentos são roubados em campo. Além da perda de equipamento, também perdemos dados preciosos armazenados nas câmeras. É um crime também contra as nossas onças! Denunciem!


Andanças do Croissant Lembram do Croissant, um macho de onça-pintada que capturamos e colarizamos em maio? Pois é, ele está “positivo e operante” e andando bastante, circulando entre Brasil e Argentina, o que reforça a importância da cooperação entre os dois países. Veja na figura abaixo a movimentação do Croissant. Os dados são obtidos através de satélite. Também fazemos monitoramento com antena, para sinal VHF. Essa é uma atividade desenvolvida em parceria com o CENAP (Centro Nacional de Pesquisa e Conservação de Mamíferos Carnívoros do ICMBio.


Visita à RPPN Santa Maria Em julho realizamos uma visita técnica, junto com voluntários da Inglaterra e Escócia, à RPPN Santa Maria, para avaliar o local em termos de adequabilidade para onças-pintadas.


ONCINHAS!!!!!

Agradecemos a todos os motoristas que estão dirigindo com velocidade ainda mais reduzida e cuidado redobrado. As oncinhas agradecem! É incrível sabermos que três novas oncinhas se juntaram a esta população, e esperamos que todas possam crescer e se tornar onças magníficas.

Foto: Carmel Croukamp

Um é pouco, dois é bom, três é demaaaaaais!!! O que pode ser melhor do que o nascimento de uma oncinha-pintada no Parque Nacional?? O nascimento de TRÊS ONCINHAS!!!!!! Sim! No final de julho a fêmea Atiaia foi observada com um filhotinho, o que já foi motivo de comemoração. Mas em agosto foi confirmado que na verdade eles teve três filhotes! O local foi sinalizado para que os motoristas reduzam ao máximo a velocidade, e placas foram instaladas. Também foram distribuídos folhetos para os motoristas.


Medidas de Proteção

• Velocidade reduzida • Distribuição de folhetos • Instalação de placas

Foto: Carmel Croukamp

• Colocação de Cones


Placas nas concessionĂĄrias Preparamos um modelo de placa que as concessionĂĄrias instalaram informando os visitantes sobre as oncinhas e sobre como se comportar em caso de encontro.Oascimento de TRĂŠS


Após noticiar o nascimento das oncinhas, recebemos alguns questionamentos, pois as pessoas acreditam que isso poderia colocar os filhotes em perigo. As principais razões para a divulgação foram: - Muitos visitantes e colaboradores do Parque Nacional viram os animais, fotografaram e a notícia se espalhou rapidamente; - Notícias sobre onças-pintadas, quando não divulgadas apropriadamente geram rumores, “fake news” e especulações que podem ser bem ruins para o trabalho de proteção e conservação; - Considerando que os filhotes foram vistos atravessando a pista com a mãe com certa frequência, era urgente iniciar uma campanha interna com todos os motoristas para que reduzam a velocidade e redobrem a atenção, para evitar que estes filhotinhos sejam atropelados, e também uma campanha para que os visitantes não tentassem se aproximar dos animais. Além disso, a conservação das onças-pintadas passa necessariamente por uma mudança da percepção que as pessoas têm destes animais. Para que a coexistência entre onças e seres humanos seja possível, é preciso aumentar a tolerância das pessoas a elas. E acreditamos que isso se faz, entre outras coisas, gerando conexão, empatia e amor. Através da divulgação, esperamos também tocar os corações das pessoas e despertar esse senso de cuidado, de responsabilidade pela segurança destas oncinhas. Porque elas nasceram em um mundo que é cruel com grandes felinos. Que atira primeiro e pergunta depois. Um mundo que precisa mudar de atitude para não silenciar para sempre os esturros das onças-pintadas. E se filhotinhos de onça-pintada, pedacinhos peludos de esperança, não puderem despertar amor e conexão, estamos vivendo em um mundo muito triste. Acreditamos que a divulgação nos ajudou a criar uma rede de proteção, de “guardiões” que vão nos ajudar a cuidar destas oncinhas.

Foto: Thiago Reginato

Por que divulgar o nascimento das oncinhas?


Foto: João Marcos Rosa

PARCERIAS


Um super parceiro na realização das ações de conservação da onça-pintada na região. Além da realização conjunta do censo, também estamos trabalhando juntos na análise de fezes e em breve em um estudo sobre caça. Vem mais coisa bacaninha por aí. Nos reunimos com a equipe do Proyecto Yaguareté em julho e agosto, e as reuniões devem continuar e nos ajudar a construir uma agenda conjunta de trabalho. Pense numa parceria linda!!!


O Instituto Conhecer para Conservar, através de recurso arrecadado com a venda de produtos, está colaborando com o Projeto Onças do Iguaçu através da compra de equipamentos que necessitamos para nosso trabalho. Em agosto, além das armadilhas fotográficas, eles nos deram uma antena (material e instalação ) que será colocada em uma torre no parque Nacional e nos ajudará a captar o sinal (VHF) das armadilhas em campanhas de captura de onças-pintadas e eventualmente o sinal dos colares colocados nas onças.


Em agosto recebemos a visita de uma representante da nossa mais nova parceira: a ABAXIS Diagnostics!

Eles fabricam aparelhos incríveis para diagnósticos de animais, e são parceiros de projetos de conservação de fauna ameaçada no mundo todo. A Bärbel Köhler , embaixadora da marca e uma super especialista em diagnóstico e monitoramento para a conservação de fauna, veio ao Brasil para nos trazer uma doação linda: um aparelho Vetscan VS2, e um analisador de urina! Com este equipamento vamos poder fazer análises de todas as onças-pintadas capturadas e também ajudar outros projetos de conservação de espécies ameaçadas, pois o equipamento é portátil.


A Barbel treinou nossa equipe e a equipe de veterinários do Proyecto Yaguareté no uso dos equipamentos e fez palestras sobre o uso de diagnósticos como ferramentas de conservação. Tivemos a super ajuda do Refúgio Biológico Bela Vista, que organizou tudo para podermos fazer análises de uma onça-pintada do Refúgio. Também agradecemos a equipe do Guira Oga (Argentina) que possibilitou que realizássemos análises de um dos pumas que a instituição mantém. Conservação só se faz com parceiros! Mil obrigadas à ABAXIS!!!! Obrigada às equipes do Refúgio Biológico Bela Vistat e Guira Oga


Palestras – Compartilhando conhecimento

Em agosto Ivan Baptiston, Chefe do Parque Nacional do Iguaçu e Coordenador Geral do Projeto Onças do Iguaçu, apresentou o trabalho feito no PNI e o trabalho do Projeto Onças do Iguaçu no IX CEBUC (Congresso Brasileiro de Unidades de Conservação).

Em agosto também demos uma palestra sobre o Projeto Onças do Iguaçu para um grupo de cerca de 60 Policiais Rodoviários Federais, uma parceria para combater o tráfico de fauna silvestre nas nossas estradas. E aguardem que em breve vem novidade por aí!.


No final de agosto participamos do I Simpósio de Dimensões Humanas da Coexistência Humano-Fauna, e de uma reunião com o grupo que também integra o Projeto Human Wildlife Coexistence, do qual somos parte. Apresentamos nosso trabalho neste simpósio muito bacaninha, e tivemos a oportunidade de conhecer projetos e pesquisadores incríveis. Super obrigada pelo convite, Sílvio Marchini e Kátia Ferraz! Sempre bom trabalhar com pessoas empolgadas e comprometidas com conservação.


Estamos dando continuidade às visitas a moradores lindeiros ao Parque Nacional do Iguaçu, tanto para avaliar a percepção que eles têm das onças quanto para criar um vínculo entre o Projeto e a comunidade. Desta forma, vamos construindo uma relação de confiança que nos permita a troca de saberes importantes para a conservação não só da onça-pintada, mas do Parque Nacional do Iguaçu. Em julho visitamos moradores do municípios de Capitão Leônidas Marques e Lindoeste.


Compensação e engajamento Continuamos a ajudar o Marcos e a Susi a venderem sua produção de queijo. O Marcos teve três bezerros mortos por onças-pardas. Além das medidas mitigatórias que ajudamos a instalar (saiba mais nos números anteriores do A VOZ DA ONÇA), nós também estamos trazendo para Foz o queijo que ele produz e vendendo por aqui, e assim ajudamos a aumentar a renda da família. E pense num queijo “bão”!


Onças do Iguaçu: Guia de Convivência É possível a coexistência entre onças e seres humanos?

Sim!!!! Saindo do forno o "Onças do Iguaçu: Guia de Convivência", com vários parceiros como autores e resultado de uma parceria com a WWF Brasil! Olha que bacaninha que ficou. Também temos cópias impressas que serão distribuídas para os moradores dos municípios lindeiros ao Parque Nacional do Iguaçu. Vamos juntos cuidar das nossas onças? https://issuu.com/yarabarros/docs/gu ia_oncasiguacu_v12 A versão em PDF pode ser obtida na página da WWF no link: https://bit.ly/2NQKJie Obrigada Joao Marcos Rosa e Hudson Garcia por cederem as fotos!!!!!


Lançamento Guia de Convivência O lançamento do Guia de Convivência foi feito em agosto, durante a reunião do CONPARNI (Conselho Consultivo do Parque Nacional do Iguaçu)


Engajamento Serranópolis do Iguaçu Em julho o Projeto Onças do Iguaçu esteve em Serranópolis, batendo um papo com a galera do Pedal Caminhos do Colono. Apresentamos o trabalho que desenvolvemos, falamos sobre onças, pedal, conservação, proteção e parcerias. Ah, e saboreamos uma comida maravilhosa!!!! Foi uma noite linda que nos deixou muito emocionados e animados. Ficamos encantados quando mais pessoas se juntam a nós para cuidar das nossas onças. Agradecemos demais ao pessoal do Pedal Caminhos do Colono pela recepção, pelo interesse e pela parceria. Agradecimento especial ao Mauri e Kátia por abrirem as portas da sua casa (e seus corações) para a onça entrar!!!! E agora vamos juntos estruturar o Pedal da Onça: um passeio ciclístico que vai terminar com exposição e bate-papo sobre onças e sobre o Parque Nacional. Serranópolis vai sediar o primeiro Pedal da Onça, e a ideia é expandir para todos os municípios lindeiros. E assim os ciclistas vão levando a onça para o coração das pessoas nas garupas de suas bikes.

Ciclistas da região!!! Preparem-se! O Pedal da Onça vai ser um show de lindeza


Festa do Melado em Capanema Em agosto o Projeto Onรงas do Iguaรงu participou da Festa do Melado, em Capanema, para bater um papo com os visitantes sobre nossa paixรฃo: onรงaspintadas! Em um stand lindo pudemos atender muitos visitantes.

Obrigado pelo espaรงo e pelo carinho, Capanema!


Formação de líderes comunitários

Para envolver as comunidades locais e ampliar nosso alcance, estamos identificando e capacitando líderes comunitários nos municípios lindeiros. Estes líderes são identificados durante as atividades que desenvolvemos, e passam por dois dias de capacitação no PARNA Iguaçu com a equipe do Projeto.

Dessa forma, eles se tornam pontos focais do Projeto em seus municípios e comunidades, o que ajuda a aumentar o vínculo do Projeto com os moradores lindeiros. Em maio nós fizemos a capacitação da Flávia Peron, de São Jorge (Sào Miguel), que agora é nosso ponto focal nesta região. A formação de líderes vai continuar!


COMUNICAÇÃO


Um dos nossos objetivos de comunicação é espalhar a mensagem sobre conservação de onças. Não só na forma de artigos científicos, mas também divulgação para o público em geral. Em agosto publicamos um artigo no O Eco sobre o nascimento dos filhotinhos. Quer conferir o artigo’? Clique no link: https://bit.ly/2wIJvQc


As atividades do Projeto Onças do Iguaçu estão ganhando espaço na mídia local e nacional.


DESEMPENHO NO FACEBOOK Aumento de 2.712% nas curtidas em 7 meses

Estamos muito felizes com o aumento no interesse pelo Projeto Onรงas do Iguaรงu! #LoucosPorOnรงas

oncasdoiguacu


AMIGOS DA ONÇA

O grupo de Whatsapp Amigos da Onça foi criado para facilitar a comunicação com os motoristas de ônibus, vans e colaboradores das concessionárias que atuam no Parque Nacional. O grupo foi crescendo e já está com quase 100 pessoas! Cem amigos que estão nos ajudando informando avistamentos de onças, localização de fezes e nos enviando fotos dos registros. E neste número do A VOZ DA ONÇA escolhemos postar a foto do Amigo da Onça Robson Gonçalves Rodrigues, que fez o primeiro registro da Atiaia com um filhotinho. Somos muito gratos a todos que estão colaborando.

JUNTOS NÓS CUIDAMOS DA NOSSAS ONÇAS!!!


Campanha contra legislação lesiva ao meio ambiente Após a veiculação de notícia sobre um político de Santa Catarina matando com crueldade uma fêmea de puma e seu filhote, trouxemos novamente para discussão e mobilização o absurdo Projeto de Lei proposto pelo deputado Valdir Colatto (PMDB-SC), que está tramitando na Câmara dos Deputados e que regulamenta a caça de animais silvestres no Brasil. Este PL é um atentado contra a nossa biodiversidade. Também fizemos uma reflexão sobre o voto consciente, lembrando que o voto é uma arma que pode e deve ser usada por todos nós, e que antes de votar é preciso pesquisar e saber o que seu candidato andou fazendo. O post alcançou 112 mil pessoas e teve 1.200 compartilhamentos.


Atualização das atividades na reunião do CONPARNI

Em agosto, apresentamos na reunião do Conselho Consultivo do Parque Nacional do Iguaçu (CONPARNI) uma atualização sobre todas as atividades desenvolvidas pelo Projeto desde a última reunião.


E SEMPRE É BOM LEMBRAR.....


Perdeu os dois primeiros números do A VOZ DA ONÇA? Não se desespere! Pode acessar aqui nestes links: Número 1 https://bit.ly/2yzy1lp Número 2

https://bit.ly/2tSS5dI


PARCEIROS

PATROCINADORES

APOIO


projetooncasdoiguacu@gmail.com

Profile for Yara Barros

Boletim A VOZ DA ONÇA - Setembro/18  

Boletim A VOZ DA ONÇA - Setembro/18  

Advertisement