Page 1

A VOZ DA ONÇA NOVEMBRO . 2018

Foto: Emílio White


QUEM SOMOS O Projeto Onças do Iguaçu é um projeto institucional do Parque Nacional do Iguaçu, e vem dando continuidade ao trabalho realizado pelo Projeto Carnívoros do Iguaçu, criado em 1990.

NOSSA MISÃO Conservação da onça-pintada, como espécie-chave para a manutenção da biodiversidade na região do Parque Nacional do Iguaçu

NOSSA EQUIPE Ivan Baptiston - Coordenador Geral Yara Barros - Coordenadora Executiva Carlos Brocardo - Responsável Técnico pela Pesquisa Thiago Reginato - Responsável Técnico pelo Engajamento Aline Kotz – Auxiliar de pesquisa e engajamento Adaildo Policena - Auxiliar de pesquisa Colaboradores Ronaldo Morato - CENAP/ICMBio Rogério Cunha de Paula - CENAP/ICMBio Edilson Esteves - PARNA Iguaçu/ICMBio Rosane Nauderer - PARNA Iguaçu/ ICMbio Kátia Ferraz - ESALQ Sílvio Marchini - Chester Zoo e ESALQ Gediendson R. de Araújo Peter Crawshaw Jr. Proyecto Yaguareté Instituto Pró Carnívoros


EQUIPE Ivan Baptiston - Coordenador Geral. Engenheiro Florestal, natural de Chapecó - SC. Desde 2002 é servidor do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio). Foi consultor da Fundação Grupo Boticário de Proteção à Natureza, e em 2015, assumiu a chefia do Parque Nacional do Iguaçu.

Yara Barros - Coordenadora Executiva. Bióloga, doutora em zoologia pela UNESP. Também coordena o Programa Ex Situ dentro do Projeto Harpia. Trabalhou com conservação de fauna ameaçada, in situ e ex situ, tanto no governo quanto na iniciativa privada. Participa de Planos de Ação Nacionais para a conservação de espécies ameaçadas e integra o CPSG Brasil (Grupo Especialista em Planejamento para a Conservação/IUCN).

Thiago Reginato – Responsável Técnico pelo Engajamento. Gestor Ambiental pela UTFPR de Medianeira, tem experiência com trabalho em Educação Ambiental, é fotógrafo e editor de imagem. Também realizou estágio na Estação Agrometeorológica do Iapar.


EQUIPE Carlos R. Brocardo – Responsável Técnico pela Pesquisa. Biólogo cascavelense, que atua com mastofauna na região oeste do Paraná desde sua graduação pela UNIOESTE. Tem mestrado e doutorado pela UNESP. Durante o doutorado pesquisou os efeitos da defaunação e fragmentação florestal sobre os mamíferos e suas interações ecológicas na Floresta com Araucária, onde incluiu o Parque Nacional do Iguaçu como uma das áreas de estudo.

Adaildo Policena - Auxiliar de Pesquisa. Natural de Capanema, vem auxiliando pesquisas no Parque Nacional do Iguaçu desde de 2002, onde já atuou em inúmeras pesquisas. Seu grande conhecimento sobre o Parque Nacional do Iguaçu dá segurança para a execução das atividades em campo.

Aline Kotz – Assistente de pesquisa e engajamento. Natural de São Miguel do Iguaçu é Gestora Ambiental pela UTFPR de Medianeira. Tem experiência na reprodução artificial de aves e assistência técnica rural ao pequeno produtor onde atuou pela ADEOP.


A VOZ DA ONÇA é uma publicação bimestral do Projeto Onças do Iguaçu. Olha só o que rolou no Projeto em setembro e outubro.

Palestras Nestes dois meses tivemos várias oportunidades de compartilhar saberes, pois fomos convidados para ministrar várias palestras sobre o Projeto Onças do Iguaçu: ➢ Semana acadêmica FAESI, ➢ em São Miguel do Iguaçu (setembro)

➢ Em setembro foram duas palestras para a UTFPR, uma para estudantes de Gestão Ambiental da UTFPR, aqui no Parque Nacional, e outra no Campus da UTFPR em Santa Helena, durante a Semana Acadêmica.


Palestras

Palestra na semana acadêmica da UTFPR em Santa Helena

➢ Em outubro, mais duas palestras na UTFPR, no Campus de Palotina, uma na Semana Acadêmica de Ciência Biológicas e outra na Semana Acadêmica de Veterinária.

➢ Palestra para alunos de escola no PY em outubro, na Escola Parque/PNI


No dia 18 de setembro, a LOG Nature e O Projeto Onças do Iguaçu promoveram um curso de capacitação no uso de armadilhas fotográficas. O curso foi realizado na sede do Parque Nacional do Iguaçu, voltado para biólogos ou estudantes de biologia. Quem ministrou o curso foi a Juliana Kleinsorge, uma das proprietárias da LOG Nature. Participaram, além da equipe do Projeto Onças do Iguaçu, representantes do Zoo de Cascavel, Mater Natura e UNILA. Mil obrigadas, Juliana, pelo apoio, disponibilidades e super produtiva troca de ideias! Que essa parceria seja longa e produtiva!


Projeto Onças do Iguaçu ganhando asas! Entre 23 e 27 de setembro participamos da Conferência Anual da Associação de Zoos e Aquários, em Seattle, onde tivemos a oportunidade de apresentar o Projeto Onças do Iguaçu e buscar mais parcerias na comunidade internacional de zoos. Apresentamos o Projeto Onças do Iguaçu para dois públicos: o grupo de diretores da ZCOG (Zoo Conservation Outreach Group) e para o Jaguar SSP (Species Survival Plan), que maneja a população de onças-pintadas em zoos credenciados nos Estados Unidos (cerca de 157 animais em 47 instituições). Existe uma boa possibilidade de parceria com a ZCOG. Também fizemos contato com zoos que mantém onçaspintadas para discutir uma possível parceria, tais como Houston Zoo e Woodland Park.


Após o evento em Seattle, fomos convidados para ir até o Zoo Miami para participar do “Wild Tales”, evento que eles realizam aos sábados à noite, convidando projetos de conservação para a presentar seu trabalho. Apresentamos o Projeto Onças do Iguaçu para uma plateia super empolgada de mais de cem pessoas!

Foi bem bacana e emocionante ver tanto interesse de adultos e crianças na conservação da onça-pintada. Durante o evento, o Zoo Miami arrecadou fundos para ajudar o projeto, e com este recurso compraram quatro armadilhas fotográficas que foram doadas para nós. Elas foram trazidas pelo Ron Magill, Diretor de Comunicação do Zoo Miami, que veio ao Brasil para também ajudar o trabalho de conservação de harpias. Obrigada Zoo Miami e Ron Magill!


Agradecemos ao Zoo Miami pela oportunidade de falar sobre as onças para seus visitantes e também pela doação! Esperamos poder continuar a trabalhar em parceria para salvar as nossas onças!

Valerie Stern, que assistiu a palestra, também decidiu se tornar uma amiga da onça e fez a doação de duas armadilhas fotográficas para o Projeto! Obrigada, Valerie!!!


Segurança Continuamos com as palestras para funcionários do Parque Nacional do Iguaçu, tanto para que eles conheçam o projeto quanto para que recebam orientações sobre segurança com relação a grandes felinos. Em setembro fizemos uma palestra no Auditório do Centro de Visitantes, para funcionários que ainda não haviam tido a oportunidade de assistir antes. Participaram colaboradores das concessionárias do Parque Nacional.

Em setembro também realizamos uma palestra sobre o projeto, onças e segurança para os moradores do Parque Nacional do Iguaçu.


Tristeza........

Em setembro recebemos uma notícia triste: um puma foi abatido na região de Capanema. Nossa equipe foi até o local para coletar material do animal, que já estava em estado de decomposição, boiando no rio. Era uma fêmea, e havia sido baleada.... Mais uma perda, mais um grande felino abatido pela nossa espécie. Muito triste. E mostra que temos um longo trabalho pela frente para conseguir a coexistência entre onças e seres humanos e conservar estes felinos fantásticos.


Pesquisa

Monitoramento de fauna Além do censo das onças-pintadas, nossas câmeras continuam registrando a riqueza da fauna no Parque Nacional do Iguaçu. Riqueza que é ameaçada pela ação de caçadores, e que depende de todos nós para continuar a existir. Olha que bacana o que registramos em setembro e outubro!


E o Censo 2018, que teve início no final de agosto, em parceria com o Proyecto Yaguareté, da Argentina, está a todo vapor! São 46 estações de amostragem, cada uma com um par de armadilhas fotográficas. Estas estações estão espalhadas pelo Parque Nacional, para registrar nossas onças-pintadas e nos permitir fazer uma estimativa da população atual. Lembrando que os censos são bianuais e que no último, realizado em 2016, a estimativa era que do lado brasileiro viviam cerca de 22 onças-pintadas. As armadilhas devem ficar em campo até final de novembro, e então os dois projetos começam a fase de análise de dados, e esperamos que no início de 2019 já tenhamos uma estimativa populacional de onças pintadas no Parque Nacional do Iguaçu e na Argentina. Para a realização deste censo, tivemos a doação de armadilhas fotográficas feita pela Helisul, Cataratas S.A. e Instituto Conhecer para Preservar, Macuco Safari e Hotel Belmond Cataratas. O Zoo de Bauru e o Instituto Neotropical nos emprestaram câmeras.


E olha só que surpresa linda já tivemos: um macho que ainda não havia sido registrado no PNI! Foi batizado de Floriano ☺

O Croissant dando o ar da graça!

Atiaia também apareceu!


Roubo de armadilhas fotográficas Lembrando! Não é fácil conseguir recursos para trabalhar com conservação.

Estudos com felinos dependem muito (mesmo!) do uso de armadilhas fotográficas, que são caras mas imprescindíveis para nosso trabalho. Infelizmente, com frequência nossos equipamentos são roubados em campo. Além da perda de equipamento, também perdemos dados preciosos armazenados nas câmeras. É um crime também contra as nossas onças! Denunciem!


Engajamento Onças e Pedal em Céu Azul

Onças e pedal: uma combinação perfeita! Em setembro foi inaugurada, em Céu Azul, mais uma etapa da ciclovia da Rota Beira Parque, e rolou um passeio ciclístico. Nossa equipe estava lá para apresentar um pouco do trabalho do projeto e fazer o que a gente adora: falar sobre onças! E vem Pedal da Onça por aí!.


Engajamento Capanema e Capitão Leônidas Marques

E é uma das coisas mais gratificantes quando nossos papos ajudam a fazer mais amigos para nossas onças. Em outubro estivemos em Capanema e Capitão Leônidas Marques fazendo nossos Papos de Onça, e foi só lindeza! Pudemos conversar, orientar, aprender, trocar ideias e acreditamos que agora não só as onças, mas nós também temos novos amigos. Coisa linda essa família que não para de crescer. E ficamos realmente encantados pela forma maravilhosa com que fomos recebidos!

Foi lindo receber tanto carinho e atenção. É lindo saber que podemos contar com a comunidade. Agradecemos demais a todos os que participaram e a todos que se empenharam para fazer isso acontecer. Estes Papos de Onça foram feitos em parceria com Parceria a Usina Baixo Iguaçu e Sete Consultoria Ambiental representada por Eduardo Sabatto.


Capanema e Capitão Leônidas Marques Temos muitas pessoas para agradecer pela ajuda para estes Papos de Onça acontecerem:

Em Capanema, um milhão de obrigadas para: Marcio e equipe da Rádio Capanema Aos professores Casa Familiar Rural, Cristina Pettenon, Aldair Palm, Ederson e Eliane Schlindwein Mauro Costa (Maurinho), Sidineidi Stein e seus pequenos, Kaio e Mariana, João e Roseli Pavim, Anndré e Débora Bertogna, Marlene Graaw e Marco Aurélio Gazzoni. Em Capitão Leônidas Marques, milhares de obrigadas para: Valdir Dallabrida, Professores da Escola Bom Jesus, Alessandra e Liliane e Rádio Interativa Gratidão e alegria! É esse o sentimento depois dos Papos de Onça. E esperança! De que juntos podemos cuidar das nossas onças!


Andanças do Croissant O Croissant é um macho de onça-pintada que capturamos e colarizamos em maio, e desde então estamos acompanhando seu deslocamento. Ele se desloca bastante, e transita entre o Brasil e Argentina com frequência. Sempre dizemos que isso é mais uma indicação da importância da cooperação entre os dois países. Infelizmente a bateria do colar acabou em agosto, e o Croissant perdeu o colar em setembro, por motivos ainda desconhecidos. Atualmente nossa equipe, em parceria com a equipe do Proyecto Yaguareté está fazendo buscas na região para localizar o rádio. A ideia é recapturar o Croissant e colocar um novo rádio. A figura mostra o último registro dos deslocamentos do Croissant registrados pelo colar. Esta é uma atividade desenvolvida em parceria com o CENAP (Centro Nacional de Pesquisa e Conservação de Mamíferos Carnívoros do ICMBio.

Olha aí o Croissant já sem o colar. A linda foto é do Emílio White, do Proyecto Yaguareté.


Como estão nossas oncinhas???? Estamos acompanhando os filhotes da Atiaia através de câmeras fotográficas instaladas no Parque e também dos registros dos Amigos da Onça. Em outubro foram registrados os três filhotes junto com a Atiaia em uma das estações. No início de novembro a Atiaia e dois de seus filhotes foi registrada e outra estação. Após isso recebemos notícias via grupo Amigos da Onça de visualização dos três filhotes, o que nos leva a acreditar que até o momento os três estão bem.

Sequência de imagens do vídeo: Atiaia e um filhote

Sequência de imagens do vídeo: mesmo filhote e um dos outros irmãos


Conservação integrada. Isso é unir esforços de todos os parceiros possíveis, e elaborar uma estratégia única para a conservação de uma espécie. E isso inclui trabalhos em campo, em cativeiro, governos, pesquisadores, Ongs, iniciativa privada, zoos, comunidades, enfim, todos os atores que possam efetivamente colaborar para a construção e implementação de uma estratégia única, um Plano Integrado de conservação. Isso é o conceito do One Plan Approach, do Grupo Especialista em Planejamento para a Conservação (CPSG/IUCN). No Projeto Onças do Iguaçu nós temos um ótimo exemplo de como isso funciona, esta integração de múltiplos parceiros e esforços para a conservação da onça-pintada. Hoje o principal patrocinador do Projeto Onças do Iguaçu é o Parque das Aves, um grande parceiro que se comprometeu com a conservação da espécie e investiu recursos que garantiram a execução de todas as atividades que vocês têm visto o Projeto realizar neste ano. Sem esse aporte, não teríamos conseguido fazer tudo o que fizemos. Este é um exemplo maravilhoso de como um zoo privado pode atuar diretamente na conservação de uma espécie, pois através de seu público e de seu trabalho, ele gera recursos que ajudam não só Projeto Onças do Iguaçu, mas diversos outros projetos de conservação, inclusive os conduzidos pelo próprio Parque das Aves. Além disso, também pode nos ajudar a disseminar a mensagem de conservação da onça-pintada para mais corações, e com isso ampliar o alcance do Projeto. O Projeto Onças do Iguaçu e as onças-pintadas da Mata Atlântica agradecem imensamente ao Parque das Aves pela sua mais que generosa contribuição.

E juntos cuidamos das nossas onças!


Parcerias

Projeto Onças do Iguaçu e Proyecto Yaguareté: juntos cuidando das nossas onças Já diz o ditado que nenhum de nós sozinho é tão bom quanto todos nós juntos. O Projeto Onças do Iguaçu e o Proyecto Yaguareté (Argentina), trabalham juntos e unem esforços para cuidar das onças-pintadas na região. Assim otimizamos recursos e multiplicamos esforços. Em outubro as equipes dos dois projetos foram para algumas áreas remotas no Parque Nacional do Iguaçu, que só são acessadas com helicóptero, para instalar gravadores e armadilhas fotográficas. Esse estudo faz parte do censo 2018 e também de uma pesquisa para identificar a paisagem sonora da região, e assim entender melhor tanto a composição da fauna quanto as ameaças às quais a bicharada está exposta. Vários pontos de acesso difícil serão amostrados, e vamos ver o que os resultados nos dizem. Agradecemos a parceria da Helisul, que transportou as equipes!


Parcerias “É nóis”!

Olha que belezinha o Projeto Onças do Iguaçu na lista de parceiros do movimento #NatureForAll, ou Natureza para todos. É um movimento global para inspirar o amor pela natureza, conscientizando e facilitando experiências e conexões com o mundo natural. E para isso teremos a “Trilha da Onça”, que deve ter início em dezembro. #NatureForAll


Para quem ainda não viu!!!! Onças do Iguaçu: Guia de Convivência É possível a coexistência entre onças e seres humanos?

Sim!!!! O "Onças do Iguaçu: Guia de Convivência“, tem vários autores e é resultado de uma parceria com a WWF Brasil! Também temos cópias impressas que estão sendo distribuídas para os moradores dos municípios lindeiros ao Parque Nacional do Iguaçu. Vamos juntos cuidar das nossas onças? https://issuu.com/yarabarros/docs/gu ia_oncasiguacu_v12 A versão em PDF pode ser obtida na página da WWF no link: https://bit.ly/2NQKJie Obrigada Joao Marcos Rosa e Hudson Garcia por cederem as fotos!!!!!


COMUNICAÇÃO


Estamos muito felizes com o aumento no interesse pelo Projeto Onรงas do Iguaรงu! Vem, gente! #LoucosPorOnรงas

oncasdoiguacu


Congresso E preparem-se, que em 2020 teremos o IV CONGRESSO INTERNACIONAL SOBRE E CONSERVAÇÃO DA ONÇA-PINTADA E OUTROS FELINOS NEOTEOPICAIS! Será em Foz ou Puerto Iguazú, e os Projeto Onças do Iguaçu e Yaguaraté estão na comissão organizadora, que se reuniu em Foz, dia 22 de outubro para definir como vai ser o evento.

Spoiler: vai ser uma lindeza!


AMIGOS DA ONÇA

O grupo de Whatsapp Amigos da Onça foi criado para facilitar a comunicação com os motoristas de ônibus, vans e colaboradores das concessionárias que atuam no Parque Nacional. O grupo foi crescendo e já está com mais de 100 pessoas! Cem amigos que estão nos ajudando informando avistamentos de onças, localização de fezes ou pegadas e nos enviando fotos dos registros. E neste número do A VOZ DA ONÇA escolhemos postar a foto do Amigo da Onça Nadir Ferreira de Carvalho, que filmou uma das nossas onças descansando. Somos muito gratos a todos que estão colaborando.

JUNTOS NÓS CUIDAMOS DAS NOSSAS ONÇAS!!!


REFLEXÃO..... Falar de amor para salvar onças? Sim! Pois amor e empatia são soluções para muitos males O amor pelo outro, pela natureza. Pela capacidade de se colocar no lugar do outro e sentir sua dor. Pela capacidade de respeitar as outras espécies sem achar que a nossa tenha algum direito divino de ocupar todos os espaços do planeta e acabar com tudo a seu bel prazer. A caça está esvaziando nossas florestas. Empobrecendo as matas, dizimando nossa biodiversidade. E como podemos combater isso? Com mudança de comportamento. Não caçando. Não comprando ou comendo carne de caça. Denunciando quem caça. Conversando com quem caça ou consome e tentando fazer com que a pessoa mude de ideia e de atitude. Sendo um exemplo e uma inspiração para outros. Espalhando o amor que você tem pela bicharada, porque ainda bem que amor é uma coisa contagiosa! A pessoa acha lindo um a onça morta? Mostre a maravilha e grandeza de uma onça viva! Mostrar a beleza deste mundo que merece ser preservado, para que as pessoas possam se conectar e se apaixonar pela natureza novamente. Pois é este amor que vai nos ajudar a salvar espécies. Já ouvimos pessoas dizerem “ah, mas já está morto mesmo, então vou comer”....e assim você gera a demanda de mais mortes. Se não tiver quem consuma, não vai ter quem cace. Nossa intenção com os posts é alertar para o problema, sensibilizar e criar uma rede de proteção, uma rede de pessoas que se unem para cuidar do Parque Nacional e que dizem: aqui não! Aqui não vamos permitir que “tudo se acabe”! E juntos cuidamos. E juntos batalhamos para que esta não seja a terra do “já teve, não tem mais” Do já teve paca e não tem mais... Do já teve queixada e não tem mais.... Do já teve veados e não tem mais.... Do já teve onças e não tem mais.... Porque só podemos cuidar se fizermos isso juntos. Não com ódio, com amor! Sim, sentimos dor, raiva, tristeza e frustração quando vemos animais abatidos. Mas isso tem que ser transformado em energia para provocar mudança!


E SEMPRE É BOM LEMBRAR.....


Perdeu os três primeiros números do A VOZ DA ONÇA? Não se desespere! Pode acessar aqui nestes links: Número 1 https://bit.ly/2yzy1lp Número 2 https://bit.ly/2tSS5dI Número 3 https://bit.ly/2PGaliK


PARCEIROS

PATROCINADORES

APOIO


projetooncasdoiguacu@gmail.com

Profile for Yara Barros

A Voz da Onça - Novembro  

A Voz da Onça - Novembro  

Advertisement