Page 1

A VOZ DA ONÇA JULHO. 2019


QUEM SOMOS O Projeto Onças do Iguaçu é um projeto institucional do Parque Nacional do Iguaçu, e vem dando continuidade ao trabalho realizado pelo Projeto Carnívoros do Iguaçu, criado em 1990.

NOSSA MISÃO Conservação da onça-pintada, como espécie-chave para a manutenção da biodiversidade na região do Parque Nacional do Iguaçu

A VOZ DA ONÇA é uma publicação bimestral do Projeto Onças do Iguaçu. Neste número, excepcionalmente, apresentamos nossas atividades nos meses de março, abril, maio e junho de 2019.


PARCERIAS Estamos construindo com a UTFPR, campus de Medianeira, uma parceria para atuarmos juntos em diversas áreas de interesse do Projeto. Dessa forma, a UTFPR pode atuar de forma direta em trabalhos de extensão e nossas onças podem se beneficiar da expertise dos vários departamentos da Universidade. Em março tivemos a primeira reunião com coordenadores de diversos departamentos e as ideias pipocaram! Vem lindeza por aí! Olha só os projetos que queremos desenvolver juntos: 1 - Agroindustrialização de derivados lácteos e reaproveitamento de resíduos em pequena propriedade rural - projeto onças do Iguaçu Coordenador: Celeide Pereira 2 - Análise de risco de ocorrência de onça pintada (Panthera onca) em propriedades limítrofes ao PNI" Coordenador: Carla Cristina Bem 3) Projeto Onças do Iguaçu: Dispositivos Anti-predação – Coleira Sonora e Luminosa Coordenador: Hamilton Pereira da Silva

4) Projeto Onças do Iguaçu: Dispositivos Anti-predação – Turerê Coordenador: Pedro Luiz de Paula Filho 5) Projeto Onças do Iguaçu: Dispositivos Anti-predação - Espanta-bichos ultrassônico Coordenador: Pedro Luiz de Paula Filho


PARCERIAS

E em maio já começamos a trabalhar com o Grupo de Inteligência Computacional, do Departamento de Computação da UTFPR. Uma galera animada e cheia de ideias! Nós chegamos para eles com o pedido de desenvolvimento de mecanismos que nos ajudassem evitar a predação, e pense num grupo que já teve muita ideia boa! Em maio visitamos juntos a propriedade do Marcos e da Susi em São Miguel, onde há histórico de predação de gado por onças. Avaliamos o local e vamos fazer alguns testes com equipamentos que eles vão desenvolver e outros que eles vão aprimorar, como o Sistema Turerê, de luzinhas que piscam de forma intermitente, que já usamos. Tudo o que for desenvolvido, testado e for comprovadamente eficiente para evitar predação por onças pode ser usado em outras propriedades de forma preventiva. E também por outros projetos no Brasil (ou fora) que trabalham com conservação de grandes felinos. Bacaninha ou muito bacaninha? Parceria é tudo! Aguardem novidades!


PARCERIAS Um novo olhar sobre as relações entre seres humanos e vida selvagem! O Parque Nacional do Iguaçu sediou em março a reunião da equipe do CONVIVA – Convivial Conservation. A reunião foi para a discussão e planejamento deste projeto internacional que passará a ser desenvolvido também no Brasil com o apoio do Belmont Forum e NORFACE/FAPESP. A reunião teve a participação de pesquisadores do Brasil, Holanda, Tanzânia, Inglaterra, Finlândia e Argentina. O foco da reunião foi a discussão sobre estratégias para a integração entre as ciências naturais e sociais nos trabalhos de conservação, com enfoque na coexistência entre homem e predadores de topo de cadeia. No Brasil e Argentina o estudo estará voltado para a interação entre seres humanos e a onçapintada na Mata Atlântica, e terá como integrantes o Laboratório de Ecologia, Manejo e Conservação de Fauna Silvestre (LEMAC/ESALQ/USP), o Centro Nacional de Pesquisa e Conservação de Mamíferos Carnívoros (CENAP/ICMBio), o Projeto Onças do Iguaçu e o Instituto Manacá. Na Argentina será representado pelo Proyecto Yaguareté. Na ocasião, apresentamos os trabalhos realizados pelo Projeto Onças do Iguaçu. Saiba mais sobre esta iniciativa no site: https://convivialconservation.com/


PARCERIAS Em 2018 o Projeto Onças do Iguaçu recebeu uma doação incrível da ABAXIS Diagnostics: um aparelho Vetscan VS2, e um analisador de urina. A ABAXIS fabrica aparelhos incríveis para diagnósticos de animais, e eles são parceiros de projetos de conservação de fauna ameaçada no mundo todo. A ideia é que outros projetos de conservação também possam se beneficiar destes equipamentos, e isso está sendo feito! Esse ano emprestamos os equipamentos para a equipe do Projeto Lobos do Pardo, que é realizado pelo Instituto Pro-Carnívoros com participação do CENAP/ICMBio e financiamento da AES Tietê. Eles utilizaram os aparelhos em uma campanha de captura de lobos. Foram avaliados 4 lobos-guará, 2 machos e 2 fêmeas. Muito obrigada, ABAXIS, além das onças-pintadas, sua doação agora ajuda a cuidar também dos lobos-guará!


PARCERIAS

Conservação só é possível quando parceiros se unem e trabalham por uma causa comum. A conservação das onças do Iguaçu tem unido muita gente, e com muita alegria vemos que cada vez temos mais “parças” do Projeto! Em abril ganhamos mais um parceiro novo! O ZooParc de Beauval, na França, através da sua Association Beauval Nature. É lindo quando zoos se unem a projetos de conservação em campo para salvar espécies ameaçadas. Somos muito gratos ao ZooParc de Beauval e à Association Beauval Nature. Esperamos que este seja o início de uma longa parceria para a conservação das onças-pintadas na Mata Atlântica.


Apoio para a conservação das onças! Em junho recebemos uma notícia incrível! A proposta de apoio que enviamos para a National Geographic Society foi aprovada! Isso significa dois anos de apoio a ações de conservação das onçaspintadas na região do Iguaçu. Um milhão de obrigadas à National Geographic Society pelo apoio. E é incrível quando chegam mais parceiros para se juntar a nós nessa caminhada para cuidar das nossas onças! #insidenatgeo

@insidenatgeo


TROCA DE SABERES Compartilhar conhecimento e gerar encantamento. Acreditamos que é a chave para salvar as onças-pintadas. E para isso nós falamos sobre onças sempre qte temos a oportunidade. Em maio recebemos os queridos do IPÊ (Instituto de Pesquisas Ecológicas) trazendo um grupo de alunos e professores da University of Colorado Boulder, que participam do "Global Seminar: Conservation Biology and Practice in Brazil's Atlantic Forest". Foi um dia intenso com palestra sobre o projeto, bate-papo e saída de campo para conhecer as atividades de pesquisa do Projeto Onças do Iguaçu no Parque Nacional. Finalizamos o dia com um café colonial fantástico preparado pela Marinete, da Fazenda São José, em São Miguel do Iguaçu, que teve então uma renda extra por causa do evento. Assim, além de compartilhar conhecimento, foi possível ajudarmos a gerar renda para quem nos ajuda a cuidar das nossas onças. Muito bacaninha, né não?


TROCA DE SABERES •

4 de abril – Fizemos uma palestra para a Equipe de Formação dos Escoteiros do Brasil, Região Paraná. Além da palestra foram discutidas possibilidade de atividades em conjunto para envolvimento dos escoteiros. Vem novidade por aí!

2 de maio - Palestra para integrantes do programa SOS Fauna, o Parque das Aves, para 15 professores

22 de maio: Palestra sobre o Projeto Onças do Iguaçu durante o Congresso da Associação de Zoológicos e Aquários do Brasil (AZAB). Também montamos um stand para venda de camisetas do projeto, cortesia da organização do evento.


ENGAJAMENTO O ONÇA NA ESCOLA são atividades desenvolvidas em escolas dos municípios lindeiros, com teatro, palestra e exposições. Esta atividade, além de levar conhecimento, busca usar o encantamento como ferramenta de conexão e empatia. Serranópolis do Iguaçu - 21 de março Na Escola Municipal Serranópolis do Iguaçu, contando com 53 alunos de 3º e 4º. Também foi feita a capacitação dos professores.

Comunidade São Jorge - São Miguel do Iguaçu – 1 de abril Duas atividades com os alunos da Escola Estadual do Campo Dom Pedro II, com aproximadamente 100 alunos.


Santa Terezinha de Itaipu – 2 de abril Na Escola estadual Arcângelo Nandi , para a turma do primeiro ano do ensino médio.

Matelândia – 3 de abril

Na Escola Estadual Euclides da Cunha , com a participação de 140 alunos do ensino médio.

Ramilândia – 3 de abril Na Escola Estadual Santos Dumont


Capitão Leônidas Marques - 8 de abril

Na Escola estadual Castro Alves para uma turma de 40 alunos.

Capanema – 9 de abril

Realizamos uma visita à Escola Estadual Rocha Pombo para agendar atividades do projeto e conversamos com o Diretor da escola , senhor Neivor.

Lindoeste – 10 de abril Na Escola estadual Lindoeste para aproximadamente 150 alunos do ensino médio.


Medianeira - 16 de abril Na Escola na UTFPR em Medianeira. As atividade foram com o curso superior de Tecnologia em Gestão Ambiental, turmas do primeiro e quarto períodos.

Céu Azul- 17 de abril Na Escola estadual Monteiro Lobato, com 80 alunos.

Capanema - 24 de abril Duas atividades Onça na Escola na Escola Estadual Rocha Pombo, de manhã e a tarde, totalizando 183 alunos do ensino médio.


Capanema – 7 de maio Na Escola Estadual Rocha Pombo. Realizamos duas atividades Onça na Escola, nos períodos da manhã tarde.

Foz do Iguaçu – 4 de junho Na Escola Agricola de Foz do Iguaçu, com a participação de 91 estudantes. Começamos a articular com as professoras a realização de uma atividade em conjunto de boas práticas de manejo de gado para evitar a pedação nas propriedades rurais.


ENGAJAMENTO O PAPO DE ONÇA são conversas com comunidades, geralmente adultos, sobre onças-pintadas, prevenção e boas práticas no manejo de gado para evitar a predação. Durante esta atividade serão distribuídos exemplares do “Onças do Iguaçu: Guia de Convivência”. Linha Belon – 21 de março Em março, com a participação de 53 pessoas e a presença do Chefe do Parque Nacional do Iguaçu, Ivan Baptiston.

Comunidade Tangará – Lindoeste – 25 de abril Compareceram 52 pessoas desta pequena comunidade, que participaram ativamente da nosa atividade. Essa região tem histórico de predação por onçaspintadas, portanto é muito importante engajar e informar as comunidades.


Comunidade São Luiz, Capanema – 6 de maio Compareceram 10 pessoas nesta atividade. Um ponto positivo é que foi possível compartilhar e esclarecer a comunidade que a predação que ocorreu em Capanema não foi por onças e sim cachorro.


COEXISTÊNCIA ATENDIMENTO A VISUALIZAÇÕES DE ONÇAS E PREDAÇÃO Uma das ações do Projeto Onças do Iguaçu é atender casos de visualização de onças e de possível predação de animais domésticos ou de criação. No atendimento nós orientamos obre manejo adequado de animais de criação, descarte adequado de carcaças, medidas de segurança para as pessoas e quando necessário entregamos rojões, foguetes e buzinas de ar comprimido para proteção. Também são distribuídos os Guias de Coexistência. Dependendo da situação, também instalamos armadilhas fotográficas para identificar qual é o predador responsável pelo ataque. Também envolvemos lideranças comunitárias e poder público. Através do pronto atendimento e da nossa presença constante, esperamos fortalecer vínculos, aumentar a confiança no nossos trabalho e substituir o medo por informação, e desta forma evitar que onças sejam abatidas em retaliação. Entre março e junho atendemos vários casos na região: MARÇO

Fazenda São José, comunidade Linha Indianópolis no município de São Miguel do Iguaçu: relato de predação.

Serranópolis do Iguaçu, comunidade Linha Belon, foram visitadas três propriedades: Zico Belon: relato de desaparecimento de cães e gado com mordidas, Guto Belon: relato de animais domésticos com comportamento alterado e Wilson Wick: relato de terceiros sobre ataque de onça a cachorro, desmentido pelo proprietário.


ATENDIMENTO A VISUALIZAÇÕES DE ONÇAS E PREDAÇÃO •

Trilha Amigos da Onça, Serranópolis: visualização de pegadas e de uma onça-pintada. Foram instaladas armadilhas fotográficas


ATENDIMENTO A VISUALIZAÇÕES DE ONÇAS E PREDAÇÃO ABRIL •

Possível predação de ovelhas por onça-parda nas proximidades do PNI em Foz do Iguaçu.

Possível predação de gado por onça-parda em Capanema. A equipe foi ao local e instalou câmeras, que mostraram que o ataque ao gado era feito por cachorro da propriedade. Os pontos vulneráveis foram identificados e o proprietário orientado.


ATENDIMENTO A VISUALIZAÇÕES DE ONÇAS E PREDAÇÃO ABRIL Em São Miguel do Iguaçu, moradores com medo de uma onça estar rondando sua residência. Nesta propriedade há histórico de predação por pumas em 2018. Foram instaladas armadilhas fotográficas e entregue rojões, foguetes e buzina.

MAIO

Em Lindoeste, na Linha Tangará, Fazenda Santa Clara. Informação de possível predação ocorrida há 30 dias. Não confirmada.


ATENDIMENTO A VISUALIZAÇÕES DE ONÇAS E PREDAÇÃO MAIO •

Fazenda Santo Antônio em Lindoeste: Foi encontrada uma carcaça de bezerro abatido por puma. Foram instaladas armadilhas fotográficas no local, que conformaram o predador, e o vaqueiro e proprietário foram orientados. Faremos um Papo de Onça nesse local para orientar as demais propriedades. Foram feitas 4 visitas a essa propriedade.


ATENDIMENTO A VISUALIZAÇÕES DE ONÇAS E PREDAÇÃO JUNHO •

Relato de predação em Céu Azul, na região próxima a gruta. Foi relatada a perda de 11 bezerros por ataque de onça esse ano. Além de orientação, essa é uma localidade que trabalharemos a implementação e teste de medidas preventivas.

Recebemos informação dos colaboradores da prefeitura municipal de Matelândia sobre uma possível predação de um porco na linha Giasson. Testemunhas teriam visto um puma se alimentando do animal, que fugiu e abandonou a carcaça quando as pessoas se aproximaram. •

Possível pedação Capitão Leônidas Marques, na área atingida pela UHE Baixo Iguaçu, na linha Hortelã. Foi relatado o desaparecimento de uma novilha e de um cachorro.


VISITAS A MORADORES LINDEIROS •

Dia 9 de abril estivemos na propriedade do senhor Lauri, que é presidente da comunidade da Linha Tangará em Lindoeste e marcamos uma Papo de Onça

Também visitamos algumas propriedades na região de Capitão Leônidas Marques, Lindoeste e Santa Lúcia


VIVITAS A MORADORES LINDEIROS

• Dia 18 de abril realizamos visitas em algumas propriedades lindeiras ao parque nos municípios de Céu Azul, Matelândia e Serranópolis do Iguaçu.

• Dia 23 de maio realizamos visitas na localidade Aparecidinha, em Foz do Iguaçu, para checar possível avistamento de onçaparda, mas não foi confirmado. As pegadas no local eram de cachorros.


No início de 2018 o Marcos, em São Miguel, teve dois bezerros mortos por uma onça-parda, e desde então estamos trabalhando juntos para implementar medidas preventivas e também ajudando o Marcos e a Susi a terem uma fonte alternativa de renda, o que tem agregado valor às onças vivas. O Queijo da Onça produzido por eles já está famoso (pense num queijo bom!), mas agora o Marcos inaugurou o Rancho Jaguarete (ai, que orgulho!!!!) na sua chácara!! Como a propriedade fica na borda do Parque Nacional e é por onde passa uma ciclo trilha, o Marcos vai aproveitar o movimento e ser um ponto de parada para ciclistas e para quem queira dar uma proseada. E a inauguração foi uma festança. O Marcos e a Susi prepararam um super churrasco e o evento teve a participação dos grupos Pedal Caminhos do Colono (Serranópolis) e Canelas Bike (São Miguel do Iguaçu). Pedal da Onça, Papo e Onça e Bafo de Onça, tudo junto e misturado :) Teve bate-papo sobre as onças e sobre o projeto, plantio de árvores e muita troca de experiências. O Rancho do Jaguareté será um super ponto de apoio bacaninha para os ciclistas que passam pela região ou para quem simplesmente queira bater um papo com o Marcos e a Susi, conhecer como um puma mudou a vida deles para melhor e claro, conhecer o já famoso Queijo da Onça :) Obrigada a todos que participaram, foi só lindeza! Essa parceria está ajudando a cuidar das onças e das pessoas que dividem esta terra com elas.


Todos ansiosos pelo resultado do Censo 2018, mas os dados ainda estĂŁo sendo analisados, e assim que finalizarmos vamos contar para vocĂŞs o resultado!


MORTE DE UM PUMA Mais uma morte.. Em abril tivemos uma triste notícia: havia uma onça morta boiando na margem do rio, em Capanema. Em um trabalho conjunto, nossa equipe e o Sebastian Andrés Costa, veterinário do nosso super parceiro Proyecto Yaguareté (Argentina), foram até o local, graças à colaboração da Helisul e do Macuco. Para evitar que o animal fosse levado rio abaixo, o Pixeco amarrou a carcaça em uma árvore na margem. O animal, uma onça-parda (Puma concolor) macho, estava já em adiantado estágio de decomposição, e bastante inchado. A morte provavelmente ocorreu há mais de uma semana, e a carcaça estava praticamente já sem pelos. A equipe fez as medidas do animal e coletou material para análise. Não foi possível determinar a causa da morte. Em um local próximo foi encontrada em setembro de 2018 uma onça-parda fêmea também morta boiando no rio, abatida com um tiro. Ou seja, dois pumas perdidos nesta região em poucos meses. Não sabemos se este segundo foi abatido, mas sabemos que a caça é uma das maiores ameaças para as nossas onças, pardas ou pintadas. E que de forma alguma é aceitável que uma pessoa tire a vida destes animais. Seja por prazer seja por retaliação. O Projeto Onças do Iguaçu está sempre disponível para atender casos de predação e trabalhar junto com os produtores para evitar perdas. Estamos sempre dispostos a buscar, junto com os moradores locais, formas de coexistência entre onças e seres humanos. Se alguém tiver algum problema com onças e predação, entre em contato conosco, e vamos juntos encontrar uma solução. Quem sabe assim nós não precisemos mais encontrar nossas onças (nossa paixão e nossa missão) mortas na beira de um rio. Sozinhos nós não podemos salvar as nossas onças. Porque conservação destes animais magníficos só será possível se projetos, parceiros, governos e população derem as mãos e se recusarem a aceitar que as onças desapareçam das nossas matas.


Roubo de armadilhas fotográficas: prejudica o trabalho, prejudica as nossas onças Continuamos enfrentando o problema de armadilhas fotográficas roubadas!!! Armadilhas fotográficas são imprescindíveis para o nosso trabalho. Através delas monitoramos não só as onças-pintadas, mas outros animais que vivem no Parque Nacional do Iguaçu. Temos armadilhas fotográficas instaladas no Parque Nacional do Iguaçu, não apenas e Foz, mas em alguns outros municípios lindeiros. Muitos parceiros colaboraram para que o Projeto possa ter estas câmeras disponíveis. É um equipamento caro e que não tem outro uso além do monitoramento de fauna. Infelizmente em abril tivemos 3 armadilhas fotográficas furtadas no Município de Serranópolis do Iguaçu. Elas estavam instaladas na Trilha Amigos da Onça, para monitorar a possível ocorrência de onças-pintadas ou pardas na região. Além da perda do equipamento, também perdemos dados preciosos que estavam nos cartões de memória, o que compromete o trabalho. Quem rouba armadilhas fotográficas e dificulta ação de projetos de conservação pode também estar roubando o futuro da nossa fauna. E isso não é bacana. É ilegal. E imoral. É sim.....


ONÇAS E SEGURANÇA CAPACITAÇÃO Em abril realizamos duas palestras sobre onças e segurança para a equipe do Hotel Belmond Cataratas. É muito importante que as pessoas que tenham a possibilidade de encontrar uma onça no Parque saibam os procedimentos que tornem a experiência segura para elas e para os animais.

MELHORIA NA ESTRUTURA Em março a Atiaia foi avistada com os 3 filhotes embaixo de um ônibus da Cataratas SA, no Centro de Visitantes no final do dia. Fizemos uma reunião com a Cataratas SA e solicitamos alterações para aumentar a segurança: aumento e melhor distribuição de iluminação, instalação de câmeras de monitoramento. Também intensificamos o monitoramento com armadilhas fotográficas.


COMO ESTÃO NOSSAS ONCINHAS??? Estamos acompanhando os filhotes da Atiaia através de câmeras fotográficas instaladas no Parque e também dos registros dos Amigos da Onça. Elas já estão com cerca de um ano a três meses. Já identificamos o sexo, são 2 fêmeas e um macho!!! E já foram batizadas! Uma das fêmeas se chama Indira, que quer dizer “beleza pura” em Tupi. Nome mais que apropriado, né não? A outra fêmea é a Teçá, que quer dizer “olhos atentos”. O macho foi batizado de Vivá, que quer dizer “forte como a natureza”. E vida longa às nossas oncinhas (já não tão pequenas)

VIVÁ TEÇÁ

INDIRA


A TODO VAPOR!! Fazemos parte da Comissão Organizadora do 2° Simpósio Internacional de Ecologia e Conservação da Onça-Pintada e Outros Felinos Neotropicais, e a preparação continua. Estamos participando de reuniões de planejamento para ajudar a organizar um simpósio que vai ser só lindeza!


AMIGOS DA ONÇA O grupo de Whatsapp Amigos da Onça foi criado para facilitar a comunicação com os motoristas de ônibus, vans e colaboradores das concessionárias que atuam no Parque Nacional. O grupo foi crescendo e já está com mais de 120 pessoas! Mais de cem amigos que estão nos ajudando informando avistamentos de onças, localização de fezes ou pegadas e nos enviando fotos dos registros. E neste número do A VOZ DA ONÇA escolhemos a foto do vídeo do Amigo da Onça Fernando Reis Silva. Olha que onça mais linda (É o China!)

Os Amigos da Onça são grandes parceiros do Projeto, e “multiplicam nossos olhos”, desempenhando um papel super importante no monitoramento das nossas onças.

Somos muito gratos a todos que estão colaborando!!


Notícia falsa sobre ataque de onça-pintada! De novo….. Recebemos fotos de uma onça-pintada abatida e de um corpo de homem destroçado, acompanhado de um áudio que diz que o rapaz foi encontrado no mato sendo “comido” por uma onça-pintada, que teria sido abatida, e a pessoa no áudio ainda alerta as pessoas para o perigo. Aparentemente o áudio não foi feito nesta região. Mas de alguma forma este material circulou principalmente em Capanema e Foz do Iguaçu. Não vamos aqui compartilhar as fotos, pois achamos totalmente desnecessário. E é uma notícia COMPLETAMENTE FALSA, colegas!!!! A foto da onça-pintada é de um animal que foi abatido por caçadores no Pará já há alguns anos. Sobre o homem da foto, ele na verdade teve o corpo destroçado quando explodiu um caixa eletrônico que estava tentando roubar em uma cidade no interior de São Paulo, em 2014. Esta é uma notícia falsa que de vez em quando reaparece, em vários locais do Brasil. Portanto, usar estas fotos que não têm nada a ver uma com a outra para criar uma história sobre ataque de onça-pintada é falso, irresponsável e leviano. O medo que seres humanos têm das onças-pintadas é um fator de risco para a espécie. Nós trabalhamos muito para mostrar que com manejo adequado e cuidados é possível que seres humanos e onças convivam de forma segura para ambos. Quando notícias como essa circulam, isso cria um clima de medo que coloca em perigo todas as onças da região. Antes de compartilhar qualquer notícia sobre onças, se informe. Cheque a informação para ver se e verdadeira. Não faça um compartilhamento de notícia que pode ser falsa e ameaçar as nossas onças. Aqui na região vocês podem entrar em contato comÇ - Projeto Onças do Iguaçu (45) 99808-7698 - Na Argentina, com o Proyecto Yaguareté ((+54)3757423511) Vocês também podem entrar em contato com o Centro Nacional de Pesquisa e Conservação de Mamíferos Carnívoros (CENAP/ICMBio): http://www.icmbio.gov.br/cenap/

Enfim, existem canais de informação que podem e devem ser usados. Não caiam na armadilha de compartilhar tudo o que aparece pela frente como se fosse verdade. Nos ajudem a cuidar das nossas onças!


Vocês devem ter ouvido falar da onçapintada que apareceu no Jardim Botânico de Juiz de Fora, certo?

Quem acompanhou o caso viu que o desfecho foi a captura do animal e soltura em uma área mais adequada. Depois disso fomos questionados por algumas pessoas sobre por que quando onças-pintadas são avistadas por aqui nós não tomamos também a decisão de capturar e levar para outras áreas. Bom, cada caso é um caso. Em Juiz de Fora, o animal estava andando na borda de uma área urbana, inclusive adentrando a cidade, correndo o risco de ser abatido, atropelado ou causar algum acidente com moradores. Outro agravante era que a mata onde o animal apareceu, talvez dispersando de outra área, não tem tamanho ou estrutura suficientes para garantir a sobrevivência de uma onça-pintada a médio ou longo prazo. Isso coloca tanto o animal em perigo quanto a população, pois ele poderia começar a sair da mata e ir caçar animais domésticos. Aqui na nossa região a situação é bem diferente: as onças que possivelmente forem avistadas perto do Parque Nacional, vivem no Parque, uma área maravilhosa de 185 mil hectares, que comporta com sucesso uma população desta espécie. Não existe no estado uma área melhor para onças-pintadas para onde uma delas pudesse ser levada. Além disso, estamos trabalhando ativamente com moradores lindeiros para implementar boas práticas de manejo de gado e medidas de segurança para que onças e pessoas possam coexistir de forma segura. Se cuidarmos bem do Parque Nacional, ele sempre terá presas suficientes para que as onçaspintadas não precisem sair da floresta para se alimentar de animais de criação.


Acompanhe as novidades do Projeto Onças do Iguaçu no Facebook! oncasdoiguacu

Também estamos no Instagram!!


projetooncasdoiguacu@gmail.com


PARCEIROS EXECUTORES

PATROCINADORES

APOIO

Profile for Yara Barros

A VOZ DA ONÇA - JULHO 2019  

A VOZ DA ONÇA - JULHO 2019  

Advertisement