Page 1


Livremente inspirado no Festival Europeu do Conto (realizado em Zagreb, na Croácia), o Festival Nacional do Conto é um projeto de difusão e discussão, e traz para Jaraguá do Sul o debate sobre um dos gêneros literários mais populares do globo. Durante quatro dias, escritores, professores e leitores deleitam-se com leituras, oficinas e debates, além da presença de grandes contistas brasileiros.


Quinta-feira, 18 de agosto 18h50min – Abertura oficial. 19h – Geração Zero Zero, com Tony Monti, Marne Guedes, Diogo Henriques, Veronica Stigger e Carlos Henrique Schroeder. 20h30min – Lançamento da coletânea “Geração Zero Zero – Fricções em rede”. Sexta-feira, 19 de agosto 19h – Contofantasma, com Santiago Nazarian e Ivana Arruda Leite. 20h – Sessão de autógrafos de “Pornofantasma” de Santiago Nazarian e “Alameda Santos” de Ivana Arruda Leite. 21h – Cervejada literária (no Ferraza Café & Bar), com Marcelino Freire (lançamento nacional de “Amar é crime”, leitura e bate-papo). Sábado, 20 de agosto 13h30min às 17h30min – Oficina de contos com Nelson de Oliveira. 19h – Contos, quadrinhos e cia, com Joca Reiners Terron, Daniel Galera e Marcelino Freire 20h30min - Sessão de autógrafos de “Do fundo do poço se vê a lua”, de Joca Reiners Terron, “Cachalote” de Daniel Galera/Rafael Coutinho e “Amar é crime” de Marcelino Freire. Domingo, 21 de agosto 13h30min às 17h30min – Oficina de contos com Nelson de Oliveira. 19h – O conto, esse desconhecido, palestra de encerramento com Nelson de Oliveira.

Debates e sessões de autógrafos: Teatro SESC Jaraguá do Sul Jorge Czerniewicz, 633. Jaraguá do Sul/SC Oficina: Bloco Cultural SESC Jaraguá do Sul Jorge Czerniewicz, 633. Jaraguá do Sul/SC Cervejada literária: Ferrazza Café & Bar Av. Marechal Deodoro, 860 Jaraguá do Sul/SC


Veronica Stigger Gaúcha radicada em São Paulo desde 2001, Veronica Stigger é doutora em história da arte, crítica de arte e professora universitária. Defendeu tese sobre a relação entre arte, mito e modernidade, enfatizando as obras de Kurt Schwitters, Marcel Duchamp, Piet Mondrian e Kasimir Malevitch. Em seu pós-doutorado estudou, entre outros, os artistas brasileiros Maria Martins e Flávio de Carvalho. Seu primeiro livro, O trágico e outras comédias, foi publicado pela editora portuguesa Angelus Novus, em 2003 e, no Brasil, pela 7Letras, em 2004. Pela Cosac Naify, publicou Gran cabaret demenzial (2007) e Os anões (2010). Alguns de seus contos foram traduzidos para o catalão, o espanhol, o francês e o italiano Tony Monti Doutor em Literatura Brasileira pela USP, Tony Monti é autor de eXato acidente (Hedra), O menino da rosa (Hedra) e O mentiroso (7 Letras). Recebeu o prêmio Nascente USP em 2002. Santiago Nazarian Autor dos romances Mastigando humanos (Record), Feriado de mim mesmo (Planeta), A morte sem nome (Planeta), Olívio (Talento), e da recém lançada coletânea de contos Pornofantasma (Record). Em 2003, recebeu o Prêmio Fundação Conrado Wessel de Literatura por seu romance de estreia. Em 2007, foi eleito um dos autores jovens mais importantes da América Latina, nas comemorações do Hay Festival em Bogotá. Suas obras foram publicadas também na Europa e América Latina. Mora em São Paulo e, além de escritor, é tradutor e roteirista. Nelson de Oliveira Escritor, editor e doutor em literatura pela USP. Publicou mais de vinte livros, dentre eles Poeira: demônios e maldições (Língua Geral), A oficina do escritor (Ateliê) e A maldição do macho (Record). Organizou as antologias Geração 90: manuscritos de computador e Os transgressores, e também Geração Zero Zero - Fricções em rede, com os melhores prosadores brasileiros do final do século 20 e início do 21. Coordena o Projeto Portal, de narrativas de ficção científica, e é coeditor do jornal Lettera Libris. Recebeu os prêmios da Fundação Biblioteca Nacional (2007), o da APCA (2001 e 2003), o da Fundação Cultural da Bahia (1996) e o Casa de las Américas (1995 e 2011). Marne Guedes Nasceu em Guantánamo (Cuba). É escritor, dramaturgo e roteirista. É um dos editores do jornal literário Lettera Libris e coordena oficinas de literatura na Livraria da Vila, em São Paulo. É autor dos livros de contos Cio (Desatino) e Papai mamãe (Desatino). Escreveu para a Rede Globo, a GNT e o Futura. Para o cinema, escreveu o curta-metragem Angústia e atuou como roteirista no longa Deus é brasileiro. Marcelino Freire Nasceu em 1967, em Sertânia, PE. Viveu no Recife e, desde 1991, reside em São Paulo. É autor, entre outros, dos livros Angu de Sangue (Ateliê ), Contos Negreiros (Record) e Rasif (Record), vencedor do Prêmio Jabuti em 2006, e Amar é crime (Edith). Em 2004, idealizou e organizou a antologia “Os Cem Menores Contos Brasileiros do Século (Ateliê). Criou a Balada Literária, evento que, desde 2006, reúne escritores, nacionais e internacionais, pelo bairro paulistano da Vila Madalena. É um dos integrantes do coletivo EDITH. Joca Reiners Terron Radicado em São Paulo desde 1995, Joca Reiners Terron estudou Arquitetura na UFRJ e formou-se em Desenho Industrial na UNESP. Foi editor e criador da editora Ciência do Acidente. Seus textos integram diversas antologias nacionais e estrangeiras. Publicou Eletroencefalodrama (Ciência do Acidente, 1998), Animal anônimo (Ciência do Acidente, 2002), Não há nada lá (Ciência do Acidente, 2001), Hotel Hell (Livros do Mal, 2003), Curva de Rio Sujo (Planeta, 2004), Sonho interrompido por guilhotina (Casa da Palavra, 2006) e Do fundo do poço se vê a lua (Companhia das Letras, 2010), romance vencedor do Prêmio Machado de Assis, da Fundação Biblioteca Nacional. Ivana Arruda Leite Mestre em Sociologia pela USP e autora de Histórias da mulher do fim do século (Hacker), Falo de Mulher (Ateliê), Eu te darei o céu – e outras promessas dos anos 60 (Editora 34), Ao homem que não me quis (Agir), Hotel novo mundo (Ed. 34) e Alameda Santos (Iluminuras). Diogo Henriques Formado em Jornalismo pela UFRJ, editor e tradutor do inglês, Diogo Henriques atua no mercado editorial desde 2002, tendo colaborado, ao longo desse tempo, com algumas das principais editoras brasileiras. Com passagens pela Nova Fronteira e pela Record, é editor da Língua Geral desde 2010. Daniel Galera Publicou seus dois primeiros livros, Dentes guardados (2001) e Até o dia em que o cão morreu (2003), pela Livros do Mal, editora que ele e Daniel Pelizzari criaram em 2001. O terceiro livro, o romance Mãos de cavalo, saiu pela Companhia das Letras em 2006. A Companhia das Letras reeditou Até o dia em que o cão morreu em 2007. Em seguida, Daniel publicou Cordilheira (2008) e, recentemente, Cachalote (2010), graphic novel feita a quatro mãos – as outras duas são de Rafael Coutinho, filho do cartunista Laerte. Carlos Henrique Schroeder Romancista, contista, dramaturgo e editor. Autor de A rosa verde (Editora da UFSC), Ensaio do Vazio (7 Letras) e As certezas e as palavras (Editora da Casa), dentre outros. Em 2010 recebeu o Prêmio Clarice Lispector, da Fundação Biblioteca Nacional, e a Bolsa Funarte de Criação Literária, do Governo Federal. Idealizador e organizador do Festival Nacional do Conto e da Feira do Livro de Jaraguá do Sul (www.feiradolivro.org).


Realização:

Apoio:

Patrocínio:

Festival Nacional do Conto  

Programação completa do Festival Nacional do Conto.

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you