Issuu on Google+

sac@vozdebrasilia.com.br

1


É do Brasil Central de Atendimento BB 4004 0001 ou 0800 729 0001 SAC 0800 729 0722 – Ouvidoria BB 0800 729 5678 – Deficiente Auditivo ou de Fala 0800 729 0088 ou acesse bb.com.br


Ser empreendedor é do Brasil. O banco que dá crédito para você realizar seus projetos, também. Para a micro e pequena empresa, faz diferença ter um banco que é do Brasil.

bb.com.br/mpe

Foto de Marcos Hirakawa, brasileiro de São Paulo. www.flickr.com/photos/marcoshirakawa/3852963501/


Uns fazem turismo.

Artigo Nós o

fazemos

turismo

acontecer!

ABAV, ABEOC, ABETAR, ABIH, ABLA, ABRACCEF, ABRASEL, ABREMAR, ABOTTC, ADIBRA, ANTTUR, BITO, BRAZTOA, CVC Operadora de Turismo, FBC&VB, FNHRBS, FAVECC, FOHB, SEBRAE, SNEA, UBRAFE e Conselho de Turismo da CNC. Todos membros da Câmara Empresarial de Turismo da CNC.

Promovendo o desenvolvimento do turismo há 64 anos no Brasil


�1�0�0

�9�5

�7�5

�2�5

�5

�0


Responsabilidade socioambiental, implantação e recuperação de lixões, coleta, tratamento e reciclagem de resíduos. É assim que se constrói O FUTURO. Além de atuar na construção civil, a CAENGE promove ações para consturir um futuro melhor, como a criação da CAENGE Ambiental, uma empresa que desenvolve projetos e presta serviços ambientais, como coleta, transporte e tratamento de resíduos urbanos, implantação e recuperação de lixões e aterros e reciclagem de resíduos de construção e demolição. Com essas ações, a CAENGE Ambiental ajuda a garantir o futuro do planeta. E o seu futuro também.

www.caengeambiental.com.br | (61) 3233-3838


Em 30 anos, a CAENGE ajudou a construir uma cidade, prédios, grandes obras e o mais importante: uma relação de confiança com seus clientes.

A CAENGE nasceu há 30 anos, em Brasília. Mas cresceu tanto que já começa a atuar em outras praças, como Rio de Janeiro e João Pessoa. Além da construção civil, a CAENGE atua também no ramo imobiliário e conquista cada vez mais a confiança dos seus clientes, com base na solidez e postura ética adotadas desde o início. Nesses 30 anos, podemos dizer que esta é a principal obra construída pela CAENGE. E o nosso maior orgulho também.

www.caenge.com.br | (61) 3233-3838


Título da pág. Expediente Edição Anuário Brasileiro - Ano 2010 - 12ªedição Edição histórica - Brasília 50 anos Uma publicação da Editora Voz de Brasília www.vozdebrasilia.com.br Editor Paulo Fayad - paulo@vozdebrasilia.com.br Diretora Administrativa e Financeira Drª Deijanete de Araújo Fayad – deija@vozdebrasilia.com.br Departamento Comercial Igo Araújo Oliveira, Marivaldo Silvério, Viviane Christina Ferreira comercial@vozdebrasilia.com.br Departamento Jurídico Drª Deijanete de Araújo Fayad Assinaturas assinatura@vozdebrasilia.com.br Projeto Gráfico Equipe Voz de Brasília Jornalista Responsável Ana Beatriz Chacur MTB 53.686 Jornalistas Anna Carolina da Silva Carol Di Paula Rodrigo Fayad Editora de texto Paula Pereira Revisão Márcia Batista Tatiana André de Arimatéa Agradecimentos: Instituto Jorge André, Dep. Cleber Verde, Dep. Armando Monteiro, Antônio Oliveira Santos, Ministério do Turismo, Ministério da Saúde, Chão Nativo, Emival de Oliveira, Arquivo Público do Distrito Federal, Luiz Mendonça, Dep. Sandro Mabel, Sandra Fayad, Ernani Pimentel, Hotel das Américas, Atef Aissimi, João Vitor Reis (Agência Aqui se Faz), Moysés da Silva André e a todos os anunciantes e colunistas desta edição. Editoração eletrônica, anúncios e diagramação Marcos Andrade andradeid@gmail.com Diretor de Arte Paulo Fayad André Marcos Andrade Tratamento de imagem Marcos Andrade Fotografias - Voz de Brasília, Arquivo Público do Distrito Federal, Ministério do Turismo e voluntários Impressão Gráfica Editora Gráfica Ipiranga Distribuição CNC – CNI - Correios - Voz de Brasília Auditoração Distak – distribuição e logística TIRAGEM: 70.000 exemplares no Distrito Federal – mailing list da agência Voz de Brasília para 30.000 empresas, nas residências do Plano Piloto, Sudoeste, Lago Sul e Norte, nas Associações, Sindicatos, Federações, Hotéis, Clubes, Agências e Operadoras de Viagens e Turismo, ONGs, Lideranças Comunitárias e Políticas. 180.000 exemplares nos Estados Federados através do mailing list das Confederações (Indústria, Serviços e Comércio), Agências e Operadoras de Viagens e Turismo, Clubes, Restaurantes, Clínicas, Hospitais, Escritórios, Escolas, Universidades, Bibliotecas, Feiras, Congressos Nacionais e Internacionais, Congresso Nacional e Governo do Distrito Federal (1º e 2º escalão), Prefeituras, Aeroportos, Hotéis, MERCOSUL, Embaixadas ( Brasil e Exterior) e nos países que tiverem seus destinos turísticos incluídos. Correspondência SHCES 913 Bloco J Loja 68 Cep 70655-010 – Brasília-DF Telefones: (61) 3361.0183/ 3036.3636 vozdebrasilia@vozdebrasilia.com.br

12

Anuário Brasileiro

A capa do Anuário Brasileiro Economia e Turismo representa o turismo nacional e o internacional mesclado com imagens de economia, esportes e o caderno especial dos 50 anos de Brasília.

Os artigos assinados não expressam necessariamente o pensamento da editora Voz de Brasília e são de responsabilidade de seus autores. “Para que todos vejam, e saibam, e considerem, e juntamente entendam que a mão do Senhor fez isso...” Isaías 41:20 ARTIGOS, CARTAS, ANÚNCIOS INSTITUCIONAIS, FOTOS E MATÉRIAS de cunho social ou filantrópico devem ser enviados com assinatura, identificação, endereço e telefone para confirmação. A VOZ DE BRASÍLIA poderá a seu critério selecioná-las para publicação sem custo para seus autores.


Índice A conjuntura econômica – Antônio Oliveira Santos

...............128

A expansão da rede de escolas técnicas

..............................16 ................................................... 62 Brasília 50 anos ............................................... 98 Presidente Luiz Inácio Lula da Silva Atualidades

A cinquentona mais charmosa do Brasil ....................................................... 22 .............. 36 Doutores da luz e do conhecimento – Antônio Fábio Ribeiro ...... 249 Economia .................................................. 130 Cultura

Crescimento e distribuição de renda – Sandro Mabel

Existe SIM economia pós-crise

.................................................... 46 ....................... 56 Entrevista – Cleber Verde - Deputado Federal .................. 218 Entrevista – Ministro José Pimentel – Previdência Social ......... 258 Esportes ..................................................... 67 Educação

Em busca da escola perfeita – Atef Aissami

Estádios da Copa devem ser acessíveis

.......................................... 164 Estética ...................................................... 42 Filantropia .................................................. 278 Indústria lidera o crescimento em 2010 – Armando Monteiro Neto ... 39 Legislação Penal ............................................ 284 Meio Ambiente .............................................. 266 Moda ...................................................... 244 Política ....................................................... 30 Programa Luz para Todos – Edson Lobão ......................156 Reflexão ................................................... 290 Saúde ....................................................... 24 Turismo globalizado - Neuto De Conto ......................... 224 Turismo Internacional ........................................ 228 Turismo Municípios .......................................... 220 Estados Brasileiros

Anunciantes desta edição Academia Fit 21 Andrade Ilustrações & Design Atacadão das cópias Blue Point Hotéis Bom Pastor Funerária Buffara Restaurante Caenge Construtora e Incorporadora Chão Nativo Cimam Colégio Cimfel Materiais para Construção Climauto Ar Condicionado e Mecânica Cliníca de Olhos Oftalmo-lux Correio Brasiliense Dauto Lanternagem e Pintura Distak Distribuição e Logística Fazenda Hotel Mestre Darmas Giga Print Gráfica Rápida Grafica W.Printer HL Moveis Planejados Hotel das Américas Hotel Nacional Ibramar Marmoraria Imagem Turismo Imobiliaria Acontece Jerusalém Eco Resort Lucia Fayad Advocacia Madeireira Terra Viva Maguk Calçados Naoum Plaza Hotel Net World Informática Nobile Lakeside Resort Novo Millenium Informática O Boticário Óticas Brasiliense Óticas Fluminense Óticas Santa Marta Óticas Tudótica Papelaria ABC Paraíso dos Sonhos Hotel Fazenda Parque Ecológico Terra Viva Paulo Yang Fotografias Phoênix Clinica Odontológica Pré Moldados Brasil Restaurante Terra Viva Rita Abraão Psicologia Space Bar Unigest Propaganda Vestcon Cursos Preparatórios Voz de Brasília Publicidade Walter Contabilidade

.............................................. 21 ................................. 261 ......................................... 287 .............................................. 34 ........................................ 285 ......................................... 241 ............................ 10 ................................................ 113 ............................................... 51 ............................. 281 ......................... 243 .................................. 133 ............................................ 59 ................................. 105 ................................ 255 ................................ 225 .................................... 159 ............................................ 248 ....................................... 123 ............................................ 28 ................................................ 70 ......................................... 269 ............................................ 201 ......................................... 265 ........................................ 227 ...................................... 102 ........................................ 277 ............................................ 248 .......................................... 126 .......................................... 95 ........................................ 85 ................................... 251 ................................................. 299 ............................................. 19 ........................................... 137 ............................................ 45 ............................................ 142 ................................................ 52 ........................... 163 .................................. 129 ........................................ 97 ................................... 90 ......................................... 158 ...................................... 245 ......................................... 35 .................................................. 151 ......................................... 283 .................................. 55 ................................... 288 ........................................ 223 sac@vozdebrasilia.com.br

13


Cartas Cartas ao Editor Sr. Editor, gostei do artigo do Dr. Antônio Oliveira, nesta linguagem empresarial previu que a crise mundial estava chegando, realmente desde 2002, a recessão estava batendo à nossa porta, ainda bem que o Brasil está saindo ileso. Roberto Azevedo – Brasília – email É Roberto, o Dr. Antônio Oliveira Santos sabe o que fala e fala o que pensa, o Anuário Brasileiro sente-se honrado em têlo como colunista.

Sou anunciante desta publicação há mais de 10 anos, gosto muito de ter minha marca estampada em suas páginas, isto dá credibilidade às minhas empresas. Parabéns mais uma vez a todos que trabalharam nesta edição. Waldemar Walter – Contador – Brasília - carta resposta Obrigado pelas palavras gentis Sr. Walter, graças a opiniões como a sua é que procuramos melhorar cada vez mais. Como eu faço para anunciar neste Anuário, percebi que tem muitas empresas

14

Anuário Brasileiro

A seção de Fotografias está D+, cada foto representa uma história, mas a menininho em “espreitando a morte”, me deixa com lágrimas nos olhos cada vez que vejo. A da mãe “protegendo a cria” também me emociona muito. Parabéns pela seleção. Expedito Ribeiro – Rio Grande do Sul – email

O novo projeto gráfico do Anuário ficou lindo, além das imagens escolhidas, tudo ficou em perfeita harmonia e super charmoso. Karina Santos – Porto Alegre – email

Acertou em cheio Cláudia, leia as próximas páginas, além do meio ambiente, trazemos opiniões e informações recentes sobre a conferência de Copenhague.

Marli, obrigado pelos elogios, já estava em nossos planos o turismo pelo mundo, delicie-se pelas belas imagens e informações que trazemos nesta 12ª edição.

Prezado Ronaldo, encaminhamos o seu e-mail à Drª Deijanete.

Expedito, toda a equipe agradece seus parabéns, temos muita coisa interessante nesta nova edição, tenha uma boa leitura.

Prezados Srs. O caderno que vocês fizeram sobre o meio ambiente está bem esclarecedor, salientando a biodiversidade do país, espero que na próxima edição tenha bastante informação sobre o meio ambiente. Cláudia Xavier – Goiânia – email

Gente, já vi muitas revistas com o turismo pelos estados, mas este Anuário está tão maravilhoso, com estas fotos do meu Maranhão, ai que saudade, mas agora moro em São Paulo. Parabéns aos editores, é 10. Só tenho uma sugestão, coloquem também um pouco de turismo internacional. Marli Fonseca – São Paulo - carta resposta

ciso me atualizar sobre este tema. Ronaldo Luiz – Rio de Janeiro – email

Ficamos feliz com os elogios Karina. Por este motivo estamos sempre tentando melhorar para agradar nossos leitores, assim como você. Confira agora as modificações que fizemos nesta edição.

que anunciam, vocês tem representantes no Ceará? Gostaria de mais informações sobre a revista. Raimundo Nonato – Ceará – email Prezado Raimundo, o Ceará é especial para nós, temos muito carinho por seu estado, estamos abrindo escritório aí em Fortaleza. Segue por e-mail todas as informações que solicitou. O artigo da Deijanete é muito interessante, gostaria de poder ler toda a monografia, estou me formando este ano e pre-

Simplesmente ameiiiii a matéria sobre moda com os dados sobre o aumento da produção física industrial. Trabalho na área e percebi o aumento sim, mas não sabia que tinha sido tanto. Vanessa Alves – Brasília – carta resposta Que bom que gostou Vanessa! Sempre priorizamos dados estatísticos nas matérias para que o crescimento, não apenas no setor da moda, possa ser analisado mais profundamente. cartas: editor@vozdebrasilia.com.br


Editorial C

ada edição do Anuário Brasileiro Economia & Turismo é muito importante, mas esta tem um significado especial, pois este ano a capital do nosso país, nossa querida Brasília, completa 50 anos. Certamente erguer uma capital modernista no meio do cerrado, a centenas de quilômetros dos grandes centros urbanos, exigiu uma visão de mundo tão ampla, corajosa e ousada que só mesmo Juscelino Kubitschek para conseguir. Tentamos recuperar aqui um pouco dessa grande aventura que foi a construção da cidade em apenas 43 meses, que originou o Brasil de hoje. No entanto, Brasília ganhou vida graças aos traços de Lúcio Costa e Oscar Niemeyer. Eles desenharam não apenas uma cidade, mas uma nação. Neste especial que você tem em mãos, contaremos desde a sua construção até fatos históricos e claro, como a cidade está se preparando para receber a Copa de 2014 e também entrevistas exclusivas. Quem acompanha esta publicação sabe que a cada ano a edição vem recheada de novidades. Mais uma vez levaremos você a percorrer o País de norte a sul e de leste a oeste, conhecendo os 27 estados sem tirar os pés do chão. Desta vez, passaremos também por algumas cidades dos outros continentes, pois tanto o turismo doméstico quanto para fora estão em alta devida a queda do dólar. Por sinal, disso falaremos no caderno Economia, que ainda abordaremos a crise que afetou o mundo, porque o Brasil não foi afetado, o crescimento da economia... tudo isso sobre a visão de especialistas. Sobre os desastres naturais fomos e ainda somos castigados, confira no caderno Meio Ambiente como temos nossa parcela de culpa, pois muitas vezes não nos preocupamos com a reciclagem. Mas isso

pode começar a mudar agora! Em Moda ensinaremos como reaproveitar aquela peça que estava largada no armário e ainda mostraremos que “moda” é você quem faz. Um país onde a maioria da população é apaixonada por futebol não falaremos sobre a Copa? Pelo contrário, nas páginas a seguir você vai poder conferir não apenas a Copa de 2010 como a que seremos anfitriões em 2014. Projetos dos estádios, cidades sedes, investimentos...tudo que você queria saber, e também o que não imaginava “querer” saber, trouxemos em primeira mão. Falando em esportes não podemos deixar de fora as Olimpíadas e Paraolimpíadas de 2016 no Rio de Janeiro. E como atividade física está relacionada a uma boa alimentação, em Saúde falaremos sobre os tipos de dietas existentes e como ter uma boa alimentação influência nos tratamentos estéticos que recorrerá no futuro, mas caso queira se preparar, no caderno Estética trouxemos os mais modernos tratamentos. Cultura, Educação, Atualidades, Política, Filantropia...tudo isso e muito mais fazem parte desta publicação. Agradecemos a Deus porque sem a ajuda Dele nada seria possível, aos patrocinadores, colaboradores e amigos, desejando bons negócios e crescimento. Uma ótima leitura! Abraços O Editor

Paulo Fayad

Paulo Fayad Presidente da Associação Comercial e Industrial do Sudoeste - DF sac@vozdebrasilia.com.br

15


Artigos A expansão da rede de escolas técnicas

O

ensino técnico está em festa.

nar uma profissão e ter uma vida digna jun-

xou de ser prioridade no Brasil. Antes do

Estamos comemorando nes-

tamente com a família. O resultado será a

meu governo, chegou-se ao ponto de ser

te ano de 2009 o centenário

produção de prosperidade e a distribuição

proibido, por lei, que a União ampliasse a

de implantação das primeiras ESCOLAS

de riquezas. Estamos trilhando um cami-

rede de escolas técnicas federais, trans-

TÉCNICAS no Brasil. Em 1909, o presi-

nho sem volta. Os currículos das escolas

ferindo-se essa responsabilidade para

dente Nilo Peçanha criou 19 escolas de

técnicas espalhadas por todo o território

ONG’s, estados e municípios. Hoje, estou

aprendizes e artífices, que foram os em-

nacional levam em conta a realidade de

convencido de que vivemos uma nova

briões dos Cefets e dos atuais Ifets - Ins-

cada local, a sua vocação econômica, as

fase, uma fase de avanços extraordinários

titutos Federais de Educação, Ciência e

suas necessidades concretas de mão-de-

em relação à educação de maneira ge-

Tecnologia.

obra especializada. Com essas iniciativas,

ral. Além das escolas técnicas, estamos

A forma que escolhemos

criando novas universidades

para comemorar, para prestar

e 93 extensões universitárias,

uma justa homenagem aos pioneiros e à nossa juventude, especialmente das camadas mais pobres da população, foi tomar a decisão de expandir como nunca a rede federal de ensino profissional.

Os jovens não precisarão mais deixar suas cidades em busca de oportunidades e causar o inchaço dos grandes centros urbanos. Queremos que a prosperidade, tanto individual quanto das coletividades, se espraie por todo o interior.”

que são unidades de universidades

já existentes, para

serem implantadas em cidades do interior. Com isso, o jovem do interior pode cursar uma faculdade voltada para as necessidades específicas da sua região, da mesma for-

De 1909 a 2002, foram cons-

ma que nas escolas técnicas,

truídas em nosso país 140 escolas técnicas. E só em nosso governo,

objetivamos criar uma infinidade de polos

sem ter que se deslocar para a capital do

estamos implantando 214 novas escolas,

de desenvolvimento em regiões antes

estado ou para um grande centro urbano.

o que significa que chegaremos ao final de

abandonadas, dinamizando a economia

Com o Reuni, programa que aumen-

2010 com 354 unidades. Hoje, estamos

do nosso interior. Os jovens não precisa-

tou a proporção de alunos/professores de

inaugurando três escolas no Rio, amanhã,

rão mais deixar suas cidades em busca

12/1 para 18/1, e com a contratação de

quatro no Espírito Santo, e vamos seguir

de oportunidades e causar o inchaço dos

mais docentes, nós simplesmente dupli-

neste ritmo até chegar em dezembro com

grandes centros urbanos. Queremos que

camos as vagas de ingresso nas univer-

100 novas escolas inauguradas. Apenas

a prosperidade, tanto individual quanto das

sidades federais. Em 2003, eram 113 mil

neste ano, que é o do centenário.

coletividades, se espraie por todo o inte-

vagas e este ano, em 2009, as universi-

rior.

dades federais abriram 227 mil vagas nos

As 354 escolas que teremos no final de 2010 vão oferecer 500 mil matrículas

Estamos recuperando o tempo perdido

vestibulares. Outro programa da maior

para a nossa juventude que deseja domi-

nas últimas décadas, quando o ensino dei-

importância, e que muito nos orgulha, é

16

Anuário Brasileiro


o PROUNI - Programa Universidade para Todos. O PROUNI consiste na concessão de bolsas de estudo integrais e parciais para universidades privadas, destinadas a jovens com renda familiar per capita de até três salários mínimos. Criamos este programa em 2004 e até hoje mais de 430 mil estudantes já foram beneficiados, sendo 70% com bolsas integrais. E temos a imensa satisfação de anunciar que este ano de 2009 verá a formatura em universidades brasileiras dos primeiros 56 mil jovens de origem humilde, graças ao PROUNI. Posso dizer que eu sou um exemplo vivo da importância do ensino técnico. Graças ao curso que fiz no Senai, fui o primeiro de oito irmãos a ter um emprego com carteira assinada, o primeiro a poder adquirir bens como televisão e carro. E graças a essa oportunidade, à atuação sindical e à elevação do nível de consciência da população brasileira, acabei chegando à Presidência da República. Por experiência própria, conheço o inestimável valor do ensino técnico e é por isso que me empenho em proporcionar essa oportunidade a todos. Hoje, estamos enfrentando uma situação especial. Mas não há quem me convença a enfrentar a crise financeira, por mais séria que seja, retirando recursos da educação. A educação é prioridade absoluta.

Fotos: Divulgação

Luiz Inácio Lula da Silva *Presidente da República Federativa do Brasil

sac@vozdebrasilia.com.br

17


Artigos Morte súbita cardíaca & DEA inadequados ou extenuantes,

esteja pulsando de modo irregular, permi-

estresse diário, cardiopatia

tindo que ocorra atividade elétrica cardíaca

não diagnosticada), a maioria

normal e que as contrações miocárdicas

não sobrevive (cerca de 93%

coordenadas e efetivas se reiniciem, salvo

morrem sem atendimento ou

se algum dano cardíaco maior persistir.

após atendimento inadequa-

Foto: Arquivo

do).

O

O principal determinante do sucesso das tentativas de ressuscitar um paciente

Preocupa-nos a constata-

é a rapidez com que é realizada a desfi-

ção de que cada minuto em

brilação, associada à competência com

parada cardíaca, corresponde

que é exercido o atendimento a seguir,

a uma redução de cerca de

proporcionado com a chegada do SAVC,

10% na chance de sobreviver,

o qual procederá à entubação traqueal,

segundo a “curva de Cummin-

massagem cardíaca, verificação de pulso,

gs”. Por outro lado, há ape-

monitorização do ECG, novas desfibrila-

nas um modo de tratar esta

ções, se necessárias, acesso venoso e

emergência,

realizando-se

emprego de medicamentos, avaliação e

prontamente (nos primeiros

tratamento da doença de base, estabiliza-

4 minutos) a desfibrilação por

ção para o transporte, etc. Caso uma das

meio de um desfibrilador. Não

etapas (ações críticas) não seja cumprida,

existe nenhuma droga que

ou simplesmente se houver demora, a so-

substitua a desfibrilação dian-

brevivência é improvável.

te da fibrilação ventricular. Ao

conscientizarmos

De posse destes conhecimentos, inse

tituições públicas e privadas no exterior e

modernidade fez das doenças

treinarmos mais e mais pessoas sobre o

até mesmo no Brasil (Câmara e Senado

cardiovasculares a principal

ataque cardíaco e a possibilidade de re-

Federal, aeroportos, aeronaves comer-

estilo de vida do homem pós-

causa de morte em todo o mundo civili-

vertê-lo, mediante o emprego dos Desfi-

ciais, clubes, hospitais, estádios ) incorpo-

zado. 52% dessas pessoas morrem subi-

briladores Externos Automáticos (DEAs),

raram voluntariamente o DEA ao atendi-

tamente, fora do hospital e antes de qual-

massagem cardíaca externa, ventilação

mento às emergências desta natureza

quer atendimento. Também é fato que

pulmonar até a chegada do Suporte Avan-

Posteriormente, os legisladores foram

cerca de 90% desses corações param

çado de Vida em Cardiologia (SAVC), es-

motivados a aprovarem projetos de lei,

em fibrilação ventricular (o coração vibra

taremos salvando cerca de 50 a 70% des-

ainda que municipais, que tornaram obri-

mas não impulsiona o sangue), e aconte-

tes indivíduos.

gatória a presença de DEA em locais de

ce subitamente, podendo afetar qualquer

A desfibrilação consiste no uso tera-

grande concentração de pessoas, sendo a

indivíduo, até mesmo jovens, embora

pêutico da corrente elétrica, administra-

cidade de Londrina a primeira do Brasil a

muito mais freqüentemente os idosos,

da em grande intensidade e por períodos

promulgar tal Lei (nr. 8845 de 17/07/2002)

grupos de risco ou indivíduos expostos

extremamente curtos. O choque despo-

estabelecendo a obrigação da presença

a situações não controladas (exercícios

lariza, temporariamente, um coração que

do DEA, do treinamento e capacitação

18

Anuário Brasileiro


Artigos O principal determinante do sucesso das tentativas de ressuscitar um paciente é a rapidez com que é realizada a desfibrilação”.

com a promulgação de lei federal em tramitação no Congresso Nacional, implicarão em extraordinário e súbito acréscimo da demanda por este treinamento, de tal forma que outras instituições deverão ser credenciadas em todo o país, tais como SESC, SESI, Sindicatos, Associações, etc. Vislumbro, e aqui com certo contentamento, que futuramente tais conhecimen-

ção cardiovascular o quantitativo-base de

tos, acrescidos dos aspectos preventivos

de pessoal em prestar Suporte Básico de

expostos reduzir-se-ia significativamente,

(controle dos fatores de risco), sejam in-

Vida.

tomando-se como parâmetros as estatís-

corporados em capítulos de disciplina cor-

Chegou ao Distrito Federal e, recen-

ticas de morte súbita em cada nicho e a

relata dos cursos de nível médio (3º ano),

temente (abril de 2005), a Câmara Distri-

relação custo/benefício do investimento

profissionalizantes, bem como ao currículo

tal promulgou uma Lei excessivamente

(cada DEA custa de 5.200 a 11.000 reais),

do serviço militar obrigatório, de modo a

abrangente e genérica que, caso não ve-

pois quem acaba pagando a conta somos

proporcionar que a médio e longo prazos

nha a ser adequadamente regulamentada,

sempre nós os consumidores.

inúmeros brasileiros, em qualquer lugar do

ouvindo-se os segmentos da sociedade

Outro aspecto a ser considerado, não

país, estejam aptos a reconhecer e a pres-

envolvidos, bem como assessorando-se

menos importante, é o treinamento do

tar os primeiros socorros a uma parada

de órgãos técnicos e profissionais espe-

pessoal leigo no manuseio do DEA e em

cardio-respiratória e, assim, experimenta-

cializados no assunto, ou esta Lei causará

Suporte Básico de Vida, recomendando-

rem a gratificante sensação de terem salvo

flagrante injustiça ou engrossará o contin-

se que cerca de 20% dos empregados das

a vida de um semelhante.

gente das inócuas.

empresas/instituições alvo sejam habilita-

Ao exigir que escolas, hotéis, clubes,

dos e periodicamente reciclados, para que

casas de espetáculos, adquiram o DEA

em períodos de férias, folgas, licenças ou

e treinem o seu pessoal, há de se espe-

horários descasados haja sempre cobertu-

cificar a partir de que número de pesso-

ra.

as expostas (1.000, 1.500, 2.000), bem

Atualmente, algumas ONGs (Conselho

como se as escolas de 1º e 2º graus estão

Nacional de Ressuscitação, SBC/FUN-

excluídas (deveriam, pois a morte súbita é

COR, AMIB) estão proporcionando este

extremamente rara entre crianças e ado-

treinamento (curso de 5 horas de duração).

lescentes), em contraponto, para asilos,

Entretanto, com a aplicação das leis mu-

academias, parques e centros de reabilita-

nicipais que estão surgindo e, sobretudo

20

Anuário Brasileiro

Com regulamentação realista e justa, esta Lei será histórica... o contrário, já é.

Dr. Lázaro Fernandes de Miranda é especialista em Cardiologia pela SBC, especialista em Cardiologia Desportiva p/ESEFEGO/SEED/ MEC, coordenador de Cardiologia do Hospital Santa Lúcia, Cardiologista das equipes SOS/ CARDIOS/IDC, Presidente do Instituto Coração-Pulmão Santa Lúcia e Member Fellowship of American College of Cardiology. (61) 3346-1288 / 3346-0202 / 3445-0159 / 99701313


Cultura Diferentes culturas e tradições Misturadas em um único lugar: nosso maravilhoso Brasil

A

cultura brasileira reflete os vários povos que constituem a demografia desse

país, com costumes e tradições de diferentes partes do mundo. Temos uma incrível miscigenação de cultura, música, dança e culinária de indígenas, europeus, africanos, asiáticos, árabes, entre outros. Como resultado disso, surgiu uma realidade cultural peculiar, que inclui aspectos das várias culturas, que pode ser definida como o conjunto formado pela linguagem, crenças, hábitos, pensamento e arte de um povo. Não é a toa que cada estado brasileiro

Foto: Divulgação

parece um país diferente, com costumes, culinária e até mesmo um “sotaque” dis-

África. A partir do século XIX, a imigração

apenas algumas poucas nações indígenas

tinto, com gírias que apenas as pessoas

de europeus não-portugueses e povos de

ainda existem e conseguem manter parte

que vivem na cidade conhecem. Já foi

outras culturas, como árabes e asiáticos,

da sua cultura original. Apesar disso, a cul-

para o Sul e ficou se perguntando o que

adicionou novos traços ao panorama cul-

tura e os conhecimentos dos indígenas so-

eles querem dizer com “bah”? Ou achou

tural brasileiro. Também foi grande a influ-

bre a terra foram determinantes durante a

estranho pedirem na padaria um “caceti-

ência dos grandes centros culturais do pla-

colonização, influenciando a língua, a culi-

nho”? Ou chamarem você de “guria” ou

neta, como a França, a Inglaterra e, mais

nária, o folclore e o uso de objetos caseiros

“guri”? Mas não vamos falar apenas dos

recentemente, dos Estados Unidos, países

diversos como a rede de descanso.

gaúchos “uai”, claro, porque mineiro tam-

que exportam hábitos e produtos culturais

bém usa gírias. Ah, e cuidado, porque os

para o resto do globo.

no folclore do interior brasileiro, e claro,

baianos adoram mandar “um cheiro”, mas

Nossas bases

na culinária com a mandioca, erva-doce,

não pense que é algo pessoal, eles ape-

A colonização do território brasileiro

o açaí, a jabuticaba e inúmeros pescados

nas estão sendo carinhosos em mandar

pelos europeus representou em grande

e outros frutos da terra, além de pratos

um beijo.

parte a destruição física dos indígenas

como os pirões, que entraram na alimenta-

O substrato básico da cultura brasilei-

através de guerras e escravidão, tendo

ção brasileira por influência indígena. Essa

ra formou-se durante os séculos de colo-

sobrevivido apenas uma pequena parte

influência se faz mais forte em certas regi-

nização, quando ocorreu a fusão primor-

das nações indígenas originais. A cultura

ões do país, em que esses grupos conse-

dial entre as culturas dos indígenas, dos

indígena foi também parcialmente elimina-

guiram se manter mais distantes da ação

europeus, especialmente dos portugue-

da pela ação da catequese e intensa mis-

colonizadora, principalmente em porções

ses, e também dos escravos trazidos da

cigenação com outras etnias. Atualmente,

da Região Norte do Brasil.

22

Anuário Brasileiro

A influência indígena é também forte


Não é a toa que cada estado brasileiro parece um país diferente, com costumes, culinária e até mesmo um “sotaque” distinto, com gírias que apenas as pessoas que vivem na cidade conhece” O começo da miscigenação

com os povos escravizados trazidos da

guiram os portugueses, os alemães, que

Dentre os diversos povos que forma-

África durante o longo período em que du-

se fixaram primariamente na Região Sul

ram o Brasil, foram os europeus aqueles

rou o tráfico negreiro e contribuíram para a

do Brasil, onde diversas regiões herdaram

que exerceram maior influência na forma-

cultura brasileira em uma enormidade de

influências germânicas. O Brasil tam-

ção da cultura brasileira, principalmente os

aspectos como a dança, música, culinária,

bém ganhou costumes e influencias dos

de origem portuguesa.Durante 322 anos o

na religião, com o candomblé, umbanda,

espanhóis, árabes, asiáticos e japoneses.

território foi colonizado por Portugal, o que

além do espiritismo.

Mas foi nas artes eruditas a influência eu-

implicou a transplantação tanto de pesso-

A influência da cultura africana é tam-

ropéia imigrante foi fundamental, através

as quanto da cultura da metrópole para as

bém evidente na culinária regional, espe-

da chegada de imigrantes capacitados em

terras sul-americanas.

cialmente na Bahia, onde foi introduzido o

seus países de origem na pintura, arquitetura e outras artes.

A mais evidente herança portuguesa

dendezeiro, uma palmeira africana da qual

para a cultura brasileira é a língua portu-

se extrai o azeite-de-dendê. Este azeite

guesa, atualmente falada por todos os ha-

é utilizado em vários pratos de influência

bitantes do país. A religião católica, crença

africana como o vatapá, o caruru e o aca-

da maioria da população, é também decor-

rajé. Na música, a cultura africana contri-

rência da colonização. O catolicismo, pro-

buiu com os ritmos que são a base de boa

fundamente arraigado em Portugal, legou

parte da música popular brasileira. Gêne-

ao Brasil as tradições do calendário religio-

ros musicais coloniais de influência africa-

so, com suas festas e procissões. As duas

na, como o Iundu, terminaram dando ori-

festas mais importantes do Brasil, o carna-

gem à base rítmica do maxixe, do samba,

val e as festas juninas, foram introduzidas

do choro e da bossa-nova, além de outros

pelos portugueses. Na culinária, muitos

gêneros musicais atuais.

dos pratos típicos brasileiros são o resulta-

Durante os séculos XIX e XX a popu-

do da adaptação de pratos portugueses às

lação brasileira, que até então era com-

condições da colônia.

posta basicamente por negros e mesti-

Foto: Divulgação

ços, começou a receber italianos, que se Dos africanos aos europeus

espalharam desde o sul de Minas Gerais

A cultura africana chegou ao Brasil

até o Rio Grande do Sul. A estes se se-

Açai sac@vozdebrasilia.com.br

23


Saúde Falta de tempo x alimentação saudável Saiba o que fazer para driblar a pressa e cuidar da saúde

O

café da manhã é a refeição

nutriente que deve ser mais consumido

mais importante do dia, já que

durante o dia, além de saciar a fome rapi-

ao acordar de um desjejum,

damente”, afirma.

as reservas de energia do organismo es-

Mas cuidado, não adianta preocupar-

tão baixas. Daí, a importância de uma boa

se apenas com o café da manhã e fa-

alimentação matutina para repor as ener-

zer jejum o resto do dia. Faça refeições

gias e garantir fôlego para as atividades

pequenas a cada três horas - isso faz o

ao longo do dia. E o café da manhã ideal

corpo gastar mais calorias.

deve fornecer os nutrientes adequados,

sim, a digestão fica

diariamente.

lenta, e isso aju-

Entre os elementos recomendados,

da a emagrecer.

estão as proteínas. Encontradas no leite,

Quando a pes-

queijo, ovos e frios, elas são essenciais

soa faz só duas

para o desenvolvimento e reparação de

ou três gran-

músculos, órgãos e tecidos. Fonte rápi-

des

da de energia, os carboidratos também

ao dia, o corpo

compõem o cardápio ideal e podem ser

estoca gordura!

encontrados em pães, biscoitos, cereais

Quem come de

matinais e em todas as frutas. Já as gor-

pouquinho em pou-

duras, presentes na manteiga e margari-

quinho tem um metabo-

na, contribuem com a reserva de energia,

lismo mais rápido”, explica

embora seu consumo deva ser baixo. O nutricionista do Oba Hortifruti, Diego Soares, recomenda evitar a preparação dos alimentos no dia anterior, pois suas propriedades nutricionais se perdem e seus sabores são alterados. “Na corrida contra o tempo, o ideal é deixar separados, na noite anterior, os alimentos que serão preparados no dia seguinte”, sugere. E se perder a hora e não puder preparar um café da manhã com a qualidade recomendada, Diego dá uma dica: “Dê preferência ao carboidrato, pois este é o

24

Anuário Brasileiro

refeições

“As-

Foto: Iryna Kurhan


o endocrinologista João César Castro So-

peso ideal: o equivalente a 3,8 milhões pessoas. Os especialistas consideram que um

ares. E mais: longos períodos sem comer

índice de até 5% de pessoas abaixo do peso é normal, porque em todas as sociedades

provocam uma queda brusca do nível de

encontra-se de 3% a 5% de indivíduos magros por tendência natural.

açúcar no sangue. A consequência disso?

Fonte: IBGE (dados de 2003)

Ataques à geladeira!

Alimentação dos brasileiros Segundo o IBGE, em média, o brasileiro tem uma dieta equilibrada. Quase 60% das calorias disponíveis nas residências vêm de carboidratos, presentes no arroz, no feijão, no trigo e na batata; 27,6% de lipídios, as gorduras animais e vegetais, e 12,8% de proteínas, que estão na carne de gado, no frango, no peixe, no leite e derivados. Índices dentro dos padrões recomendados. A má notícia fica por conta do consumo excessivo de açúcar : 13,7% do total, contra um máximo de 10% recomendado pelas tabelas de nutrição. A dieta mais desbalanceada foi notada na faixa mais alta de rendimento. Para quem ganha cinco salários mínimos ou mais, o consumo médio de gorduras chega perto dos 34% do total. O índice máximo, recomendado pela Organização Mundial

do todos os grupos alimentares é meio ca-

Alimentação saudável mantém a vitalidade da pele

minho para ter uma pele bonita”, explica a especialista. Ela destaca que a escolha de alimentos ricos em carboidratos complexos, proteínas, vitaminas, fibras e gorduras

de Saúde (OMS), é de 30%. A segunda

Para manter uma pele saudável e boni-

parte da pesquisa traça um perfil do estado

monossaturadas e polissaturadas ajudam

ta, são necessários alguns cuidados bási-

de nutrição dos brasileiros, quantos estão

na manutenção dos cuidados. “Podemos

cos, como o uso de cremes e tratamentos

encontrar esses nutrientes nas frutas, nos

abaixo e também acima do peso conside-

estéticos. No entanto, aliar a esses trata-

rado ideal. Para chegar ao resultado, o

grãos, nos peixes, nas castanhas, nos le-

mentos uma alimentação equilibrada con-

IBGE usou um cálculo recomendado pela

gumes e nas verduras”, aponta a médica

tribui, e muito, para alcançar a vitalidade e

OMS. Esse cálculo faz uma relação entre

nutróloga. Incluir na média quatro porções

o brilho da pele. Quem garante é a médica

o peso e a altura das pessoas. Foram pes-

de frutas e três de vegetais diariamente na

nutróloga Maria Socorro Giorelli , direto-

quisadas pessoas a partir dos 20 anos de

dieta também ajuda a manter a pele mais

ra da Associação Brasileira de Nutrologia

idade, de todas as faixas de renda.

saudável.

(ABRAN).

Por outro lado, alguns alimentos de-

O estudo mostra que, em média, 4%

“Beber 2 a 3 litros de água todos os

dos brasileiros adultos estão abaixo do

vem ser evitados, como é o caso de doces,

dias e manter uma dieta balanceada usan-

refrigerantes, massas e gordura trans, que sac@vozdebrasilia.com.br

25


Saúde contribuem para o aumento da oleosidade

principais, mas lembre-se, procure sempre

nios. A dieta do tipo sanguíneo é polêmica

e o surgimento de cravos e acnes. “Tam-

um médico antes de aderir a qualquer uma

e recebe críticas de nutricionistas e médi-

bém é preciso restringir comidas gorduro-

dessas.

cos que afirmam não haver comprovação

sas, chocolates e doces, pois a gordura e

Dieta do tipo sanguíneo: essa dieta

o açúcar deixam a pele oleosa”, adverte

afirma que se deve ter uma dieta diferente

a médica nutróloga. Ela alerta que esses

conforme o tipo de sangue, baseando-se

Dieta das proteínas: nesse tipo de

problemas podem ter diversas causas,

na teoria, que o tipo de sangue determina

dieta, há corte no consumo de hidratos

mas que, com boa alimentação associada

funções digestivas, imunidade do corpo e

de carbono priorizando as proteínas para

a um estilo de vida saudável, isso pode

que alguns alimentos específicos podem

promover o emagrecimento. Nessa dieta

ser amenizado.

causar aumento ou emagrecimento corpo-

restringe-se o consumo de hidratos de

Ainda assim, é possível manter a pele

ral. Segundo esta dieta as pessoas de tipo

carbono para fazer com que o metabolis-

saudável e jovem por mais tempo. “É fun-

de sangue O seriam “caçadoras carnívo-

mo do corpo troque o uso de glicose pela

damental equilibrar a alimentação, fazer

ras”, com aparelho digestivo forte, sistema

gordura como combustível. Embora se-

exercícios físicos ao ar livre, usar filtro

imunitário forte e requerem metabolismo

jam atribuídos vários casos de sucesso na

solar, tonificar e limpar a pele pelo me-

eficiente para permanecerem magros. Já

redução de obesidade em função dessa

nos duas vezes ao dia e evitar alimentos

os indivíduos de sangue A seriam vege-

dieta de proteínas, muitos críticos afirmam

gordurosos e industrializados. Além disso,

tarianos dóceis e os de sangue grupo B

que a perda de peso seria conseqüência

é importante evitar as bebidas alcoólicas

seriam omnívoros, consumidores de laticí-

da redução do glicogênio e água acumula-

científica da relação entre o tipo de sangue e dieta ideal.

e o cigarro”, completa a doutora Socorro

dos nos músculos, e não da perda de gor-

Giorelli.

dura. Além disso, dietas com altos níveis de proteínas não são aconselhadas para

Uma dieta para cada pessoa

as pessoas com algum problema renal. Dieta do Mediterrâneo: baseia-se no que, pelo ponto de vista da

Ninguém é igual ninguém, temos personalidades diferen-

principal corrente da nu-

tes, aparências, então por

trição convencional, era

que existir apenas uma die-

considerado um parado-

ta para todos seguirem?

xo: embora as pessoas

Existem vários tipos

dos países do Mediterrâ-

de dietas, a das

neo - França é especial-

proteínas, a dis-

mente citada - tendam a

sociada, a líqui-

consumir quantidades relativamente altas de gordura

da, de pontos, de tipo sanguíneo, a

animal. Acredita-se que a expli-

mediterrânea, a ve-

cação seja a grande quantidade de azeite usado na cozinha mediterrânica,

getariana...enfim, uma infinidade. Por

que contrabalançaria em parte a gordura

isso fizemos um levantamento com as

animal na dieta. Adicionalmente, também Foto: Alex Staroseltev

26

Anuário Brasileiro


se acredita que outro fator seja o consumo de vinho tinto, uma vez que ele contém bioflavonóides com fortes propriedades antioxidantes. Dieta dos Pontos: Nesse tipo de dieta, a pessoa controla os pontos ao invés das calorias. Cada ponto corresponde a cerca de 3,6 calorias (300 pontos = 1080 kcal). A quantidade de pontos a ser consumida por dia é determinada de acordo com a altura, sexo, idade, hábitos alimentares e de atividade física do indivíduo. Dieta Dissociada: a mistura de proteínas e carboidratos na mesma refeição pode causar efeitos desagradáveis como sensações de mal-estar e cansaço, falta de energia e metabolismo lento. A dieta dissociada prega que essa combinação não seja feita, pois pode ser maléfica para o organismo, devido à fermentação que estimula a liberação de toxinas nocivas para o corpo e faz com que o aparelho digestivo fique sobrecarregado.

Confira algumas dicas para manter o corpo em forma do endocrinologista Dr. João Cesar Castro Soares: •Mastigue a salada bem devagar. Isso vai fazer com que sinta menos fome diante do prato principal; •Reserve as gostosuras para o fim de semana, assim a culpa vai ser menor se você não conseguir resistir a uma ou outra tentação; •Deixe as frutas e as verduras lavadas a vista dentro da geladeira. O objetivo é reduzir as chances de pegar algum outro petisco e furar a dieta; •Use e abuse dos temperos naturais para preparar a comida. Alho, salsa, cebola, orégano e cia, dão um sabor especial as receitas e ainda colaboram com a saúde; • No supermercado, dê preferência às versões “light”. É um jeito fácil de eliminar calorias do cardápio. •Tenha sempre em casa chá de camomila. Além de driblar a fome noturna, a bebida quente ajuda a relaxar e adormecer; •Beba muita, mas muuuuuita água. Foto: Lorraine Kourafas

sac@vozdebrasilia.com.br

27


Política Avaliação do governo Lula A popularidade do presidente não para de crescer

A

a disputa do Planalto apenas em março de 2010. Enquanto isso, Lula aproveita a

avaliação do governo fe-

O candidato favorito da oposição é

ausência do candidato de oposição e faz o

deral e do presidente Luiz

José Serra, mas o governador de São

debate com Fernando Henrique Cardoso.

Inácio Lula da Silva subiu

Paulo prefere divulgar sua decisão sobre

“A oposição não sabe lidar com esses fe-

mais uma vez, segundo a última pesquisa Sensus encomendada pela Confederação Nacional do Transporte (CNT), divulgada em novembro de 2009. A aprovação da população brasileira ao governo do presidente Lula passou de 65,4% em setembro para 70% em novembro. Já a avaliação positiva do presidente subiu de 76,8% para 78,9%. O retorno à avaliação positiva do governo ocorre depois do episódio do apagão que deixou 18 Estados do país sem luz, mas a CNT não questionou a população a respeito do blecaute. Na avaliação do presidente da CNT, Clésio Andrade, a imagem de Lula e do governo subiram em consequência da imagem positiva que o Brasil conquistou no exterior. “Houve melhora da imagem do país. O pesquisador sente nas pessoas que Lula melhorou o país, além de seu forte discurso de otimismo. Essa imagem que o Lula criou de respeito no exterior são positivas para a sua imagem”, disse Andrade. Os eleitores que avaliam o governo como regular somam 22,7% em novembro contra 26,6% em setembro deste ano. Segundo o colunista da Folha, Josias de Souza,

transformam o presidente em

mito. “Essa ideia é reforçada com o lançamento do filme ‘Lula, o Filho do Brasil’ que conta a história do presidente Luiz Inácio Lula da Silva”, afirma o colunista.

Brasília - Presidente Lula recebe em audiência o candidato à Presidência do Chile, Sebastián Piñera. Foto: José Cruz/Abr

30

Anuário Brasileiro


nômenos novos: o mito e a armadilha ple-

senão desenhar um crítica ratasqueira e

o cara” e Obama ainda completou “é o po-

bicitária que compara a era Lula com a de

muitas vezes preconceituosa.

lítico mais popular da Terra”, será? Dados

FHC”, afirma Souza.

Ele nasceu com a estrela

Com a reeleição de Lula e a criação do

que comprovem isso não existem, mas no

PAC (Programa de Aceleração do Cresci-

mesmo evento Lula também recebeu sau-

mento), o PIB (Produto Interno Bruto) do

dações elogiosas do primeiro ministro da

país aumentou, assim como os empregos,

Austrália, Kevin Rudd.

O grande ponto é que Lula, goste-se

houve uma queda na desigualdade social,

Inteligência, competência e simpli-

dele ou não, é um incontestável fenômeno

o que obviamente se materializou em um

cidade são coisa que Lula tem pra dar e

de massas e sim, consegue sozinho ter um

enorme popularidade. O governo estava

vender. Em uma matéria publicada no site

peso capaz de ofuscar seu próprio partido

“nas nuvens”, com um cenário de mercado

do Terra em novembro de 2008 dizia-se

em vários momentos. Também ofusca a

internacional aquecido e de um mercado

que segundo pesquisa Latinobarómetro

visão de muita gente.

interno funcionando “a mil maravilhas”.

2Agência EFE – 008, o presidente Lula

Os primórdios do Governo Lula são

Vem a Crise Mundial, e com ela um

é o líder ibero-amaricano melhor avalia-

marcados por uma ajuste fiscal duro e

déficit de 600 mil empregos.A oposição de

do da região. O estudo mostra que em

demasiadamente intenso - em virtude do

ambos os lados vê no catastrofismo a es-

uma escala de 1 a 7, o nosso presidente

estreito espaço de manobra deixado por

perança de se contrapor ao Governo. Em

teve a maior nota 5,9, o que corresponde

conta do, digamos, “modus vivendi” que foi

2009, o país recebe um choque pequeno

a 84,28%, ou seja, mesma popularidade

traçado junto com o Mercado Financeiro.

em relação a muitas economias grandes

dentro do Brasil, que segundo pesquisas

A internalização da dívida seria feita me-

em relação a suas possibilidades, a taxa

está acima de 80%.

diante altas taxas de juros compensadas

de juros de curto prazo, abaixada para

Na pesquisa Lula conseguiu ultrapas-

por um alto “superávit” primário conjugado

8,75% ao ano, permanece incongruente

sar o rei da Espanha, Juan Carlos I, que

com um câmbio desvalorizado - muito mais

com uma previsão de queda de 0,8% do

tinha liderado a lista durante três anos con-

pelas intemperes da flutuação cambial do

PIB e uma projeção de inflação na casa de

secutivos e agora ficou relegado ao segun-

que de algum plano estratégico herdado

5%. O desemprego, porém, cai e fica no

do lugar, com 5,7. Em terceiro lugar, ficou o

do Governo Anterior.

patamar de 8%. Aos poucos estamos vol-

1º ministro espanhol, José Luis Rodríguez

tando ao cenário de antes.

Zapatero, empatado, com 5,5 pontos, com

Na conjuntura política, a intelectualidade de esquerda racha: Lula se torna uma obsessão; uns abraçam o lulismo como se

Lula é o cara!

fosse a última chance da esquerda brasi-

a chefe de governo chilena, Michelle Bachelet, e seu colega paraguaio, Fernando Lugo, avaliado pela primeira vez.

leira, enquanto isso, outros assumem uma

O presidente Lula já mostrou que a

Também estrearam a presidente ar-

postura radical contra o Governo como se

sua popularidade é grande no Brasil, mas

gentina, Cristina Fernández, que chegou

a chegada ao poder de um Governo ver-

também é bem representativa fora do país,

a 4,7, e o nicaraguense Daniel Ortega,

dadeiramente de esquerda no país depen-

principalmente entre autoridades e pre-

que, com um 4, teve a pior nota da lista. O

desse de seu desalojamento. A figura de

sidentes de outros países. Na reunião da

presidente da Colômbia, Álvaro Uribe, al-

Lula perde as matizes nos meios esquer-

cúpula do G-20, que aconteceu em abril

cançou 5,2, seguido do equatoriano Rafael

distas: torna-se o messias para uns e o de-

de 2009 em Londes, o presidente dos Es-

Correa, do mexicano Felipe Calderón e do

mônio em pessoa para outros num cenário

tados Unidos, Barack Obama, jorrou para

uruguaio Tabaré Vázquez, todos com um

onde a direita não consegue, mesmo com

Lula “This is my man, right here, I love this

5, enquanto o presidente boliviano, Evo

todo o apoio da mídia, fazer outra coisa

guy”, que na tradução da BBC virou “Lula é

Morales, obteve 4,8. sac@vozdebrasilia.com.br

31


Política Simpatia e simplicidade são sinônimos de Lula Em qualquer evento que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva compareça, seja dentro ou fora do País, conquista todos com a sua irreverência e simpatia. Confira alguns momentos dele em 2009:

Foto: Ricardo Stuckert/PR

14 de março de 2009 O presidente Luiz Inácio Lula da Silva

a sede do governo dos EUA. Foi o primei-

presidente brasileiro seguiu para almoçar

foi recebido pelo o líder americano Barack

ro encontro entre os presidentes dos dois

na residência do embaixador brasileiro na

Obama na Casa Branca, em Washington,

países. Após a reunião na Casa Branca, o

capital americana.

32

Anuário Brasileiro


01 de novembro de 2009 O presidente Lula concedeu entrevista coletiva durante a visita do presidente da República Islâmica do Irã, Mahmoud Ahmadinejad. Segundo ele, o Brasil provou, durante o período de instabilidade econômica, que o papel do Estado é importante e que o mercado não resolve tudo. “O Brasil tomou todas as medidas para que a gente pudesse ser o último país a entrar na crise e ser o primeiro a sair dela, e ter um crescimento extraordinário como estamos tendo nessa fase do ano. Mas o país precisa se manter tranquilo, porque 2010 será um ano muito importante.”

Foto: José Cruz/Abr

23 de novembro de 2009 O Presidente Lula participou da cerimônia de abertura do Fórum Mundial de Educação Profissional e Tecnológica Portaria dos ministérios da Saúde e da Educação, em que publicada no Diário Oficial da União, certifica seis hospitais como unidades de ensino. Dois deles estão em Fortaleza (CE): Hospital Albert Sabin e Maternidade Escola Assis Chateaubriand. Duas unidades estão em São Paulo – Hospital Estadual Bauru e Instituto de Infectologia Emílio Ribas. Um fica no Rio de Janeiro: Maternidade Escola da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e o último, em Santa Catarina (Joinville) – Hospital Foto: José Cruz/Abr

Regional Hans Dieter Schmidt. sac@vozdebrasilia.com.br

33


34

Anuรกrio Brasileiro


Política Política é uma coisa chata, mas só se você quiser! Leia, pesquise e discuta sobre as ações e pensamentos dos governantes que você colocou no poder

S

ó a palavra “política” pode

quais são as coisas mais importantes que

isso acompanhe, pesquise e veja se você

parecer para muitas pesso-

você espera que um político faça, pensan-

está sendo bem representado pelo gover-

as uma coisa chata, mas

do no seu papel.

nante.

se você encarar que a sua decisão vai

É importante também saber do seu

Conhecer o pensamento, ideologia e

influenciar em mudanças enormes na sua

candidato quais são as ações que preten-

os projetos desenvolvidos por ele também

vida e na vida de muitas pessoas, pode

de fazer durante os anos de poder. Essas

é importantíssimo. Por isso reunimos nas

começar a se interessar muito mais do que

ações nem sempre são completas, afinal,

páginas a seguir alguns artigos de parla-

imagina. É importante saber em quem vai

tudo depende de votação, mas você pode

mentares. Leia, discuta e também critique,

votar, conhecer o candidato, seu passado

ver pelas ideias qual a linha de atuação

sim critique também, por que não? Vive-

e, claro, saber o que esperar dele, quais

dele. Mas claro, o candidato que você vo-

mos em uma democracia e a sua opinião é

são as atitudes que você pode cobrar e

tou na última eleição está no poder, por

importantíssima.

sac@vozdebrasilia.com.br

35


Política Crescimento e distribuição de renda ao nosso alcance

H

á 40 anos vem se adiando a adoção de uma medida que, se implementada, traria in-

calculáveis benefícios para a economia brasileira. Por tabela, uma distribuição de renda que não encontraria paralelo em nenhum outro momento de nossa história. Atualmente, essa medida está travestida sob o nome de Proposta de Emenda à Constituição que modifica o Sistema Tributário Brasileiro. O projeto aguarda debate e votação pelo Plenário da Câmara dos Deputados desde o final do ano passado. Quantos anos mais serão necessários para que essa proposição seja finalmente incorporada ao cotidiano de nossas ações sócio-econômicas? Será que a Reforma Tributária necessita antes passar pelo remédio amargo de uma brutal recessão econômica? Ou de uma ultraconcentração de renda ainda maior do que a atual? De um desemprego em escala estrutural? Espero que não necessitemos desse cenário de horror para pormos em prática medidas tão simples quanto eficazes como as contidas na proposta aqui comentada. Por isso, continuo confiante de que neste semestre legislativo a referida proposta será apreciada pelos meus pares, uma vez que ela já conta com o aval do presidente Michel Temer e do Colégio de Líderes da Câmara, sintonizados que estão com o clamor da sociedade brasileira para que se aprecie logo o projeto. Esse apoio está bem fundamentado, pois a proposição irá modificar profunFoto: Divulgação

36

Anuário Brasileiro

damente a estrutura sócio-econômica do


Política ...a Reforma Tributária visa acabar com o cipoal de leis que infernizam e penalizam o setor produtivo nacional.” País. Sua aprovação se constituirá num

de comunicação, já participei, até o mo-

1 – simplificação do sistema tanto no

daqueles marcos históricos de que as ge-

mento, de cerca de 60 palestras, mesas-

âmbito dos tributos federais quanto do

rações futuras sempre se lembrarão com

redondas, seminários e debates em prati-

ICMS, eliminando tributos, reduzindo e

espírito de agradecimento aos que toma-

camente todas as unidades da federação.

desburocratizando a legislação tributária.

ram a decisão de implementá-la.

O assunto foi um dos temas que mais re-

Essa afirmativa, que venho sustentan-

ceberam contribuição nos últimos anos.

2 – fim da guerra fiscal entre estados, com impactos positivos para o investimen-

do desde muito antes de ter sido designa-

Em suas linhas gerais, a Reforma Tri-

do relator da matéria, provém da profunda

butária visa acabar com o cipoal de leis

3 – implementação de medidas de de-

convicção que vim fortalecendo ao longo

que infernizam e penalizam o setor pro-

soneração tributária, principalmente nas

dos debates travados na apreciação do

dutivo nacional. Para reverter esse quadro

incidências mais prejudiciais ao desenvol-

tema. Tenho percorrido o País de ponta

sombrio, o meu substitutivo prevê os se-

vimento.

a ponta. Fora os encontros pessoais, in-

guintes impactos positivos, entre outros:

formais e entrevistas em todos os meios

to e a eficiência econômica.

4 – aperfeiçoamento da política de desenvolvimento regional. A aprovação da medida colocará dinheiro no bolso do trabalhador, principalmente no daquele que ganha até 5 salários mínimos. Cito como exemplo um trabalhador que ganha mil reais. Hoje em dia, ele tem uma carga tributária de 48%. Com a aprovação da PEC, essa alíquota baixará para apenas 28%. A aprovação da Reforma Tributária está ao nosso alcance, o que possibilitará não apenas novos patamares de crescimento para o País, mas, também, uma efetiva implementação, tantas décadas postergada, de um poderoso mecanismo de justiça social e de distribuição de renda que privilegie aos brasileiros de todas as Unidades da Federação. Sandro Mabel Deputado Federal

sac@vozdebrasilia.com.br

37


Política Desafios Impostos pelas Questões Ambientais

dades nativas do Sudoeste do atual território dos Estados Unidos e o reino de Gana, outrora riquíssimo em ouro. Por sua vez, a fuga dos mongóis das megassecas do norte da Ásia explicariam suas investidas furiosas rumo ao sul daquele continente e às fronteiras da Ásia com a Europa. Aliás, para Fagan, a seca, por ele chamada de “assassino quieto e insidioso”, é a grande vilã do aquecimento global. O aquecimento atual ainda não atingiu as temperaturas daquele ocorrido na Idade Média; contudo, tudo indica que caminha-

O

mos rapidamente para superar aqueles Foto: Gilbeto Nascimento ag camara

antropólogo Brian Fagan,

que ocorreu, por exemplo, a grande pros-

em seu livro O aquecimen-

peridade agrícola e comercial europeia do

to global, lançado este ano

fim da Idade Média.

no país pela Larousse, elucida aspectos

Entretanto, ele não se contenta em

essenciais da relação entre o meio am-

demonstrar como um clima mais quente

biente natural, em especial as transforma-

tornou as terras europeias mais propícias

ções climáticas, e a ascensão e declínio

à agricultura e ressalta como esse boom

das civilizações. Ele não defende o deter-

agrícola incentivou a aceleração da de-

minismo ambiental, porém destaca que

vastação da cobertura vegetal original do

todas as sociedades tiveram que respon-

continente, que eliminou mais da metade

der aos desafios naturais e, segundo es-

de suas florestas entre 1.100 e 1.350. Ou

sas respostas e a gravidade dos desafios

seja, ao mesmo tempo em que assegurou

enfrentados, prosperaram ou acabaram

aos europeus uma oferta muito maior de

por sucumbir. O objeto do seu estudo é o

alimentos, o aquecimento medieval con-

período que ficou conhecido como aque-

tribuiu para a consolidação de um padrão

cimento medieval, entre os anos 800 e

civilizatório que os séculos tornaram insus-

1.300, em que as temperaturas da Terra

tentável e que hoje precisa ser superado.

sofreram significativa elevação.

O livro analisa também o papel que as

Fagan analisa uma série de eventos

secas do período desempenharam como

históricos que normalmente não são cor-

fator de decadência de sociedades muito

relacionados com fatores climáticos. Para

distantes geograficamente umas das ou-

ele, foi graças ao aquecimento medieval

tras, como a civilização maia, as comuni-

38

Anuário Brasileiro

patamares e que, desta vez, o saldo poderá ser ainda mais catastrófico do que as dezenas de milhões de mortos em virtude das secas medievais. O aquecimento atual difere do medieval porque é fruto não somente de condições naturais, mas também e talvez principalmente das atividades humanas, que liberam continuamente imensa quantidade de gases de efeito estufa em direção à atmosfera. Nos últimos anos, temos dado passos tímidos no sentido de uma resposta correta ao aquecimento global e às perspectivas de uma amplo colapso hídrico. Está mais do que na hora de trilhar com mais firmeza o caminho da sustentabilidade ambiental e da qualidade de vida para todos os seres humanos, não só do presente, mas também das gerações futuras. Rodrigo Rollemberg - Dep. Federal


Artigos Indústria lidera o crescimento em 2010

D

Fotos: CNI

epois de um ano de estag-

A edição especial que acabamos de di-

sileiro de superar as adversidades, princi-

nação provocado pela crise

vulgar do Informe Conjuntural da CNI, pu-

palmente levando-se em conta ter sido o

financeira internacional, que

blicação trimestral com nossas previsões

setor mais afetado pela crise. A indústria

o Brasil está superando com rapidez e efi-

sobre o comportamento dos principais in-

irá ultrapassar, ainda no primeiro semestre

ciência, o país voltará a experimentar em

dicadores da economia, estima um cresci-

de 2010, o nível anterior à crise.

2010 ritmo acelerado de crescimento. A

mento da indústria de 7%. Será uma ex-

Tal aumento será possível, em boa

Confederação Nacional da Indústria pre-

celente performance, que demonstra, mais

parte, pelo retorno dos investimentos, que

vê que o Produto Interno Bruto (PIB) terá

uma vez, a capacidade do industrial bra-

minguaram em 2009. A taxa de investi-

uma expansão de 5,5% no próximo ano, mas o melhor dessa expectativa, perfeitamente factível, é que o crescimento do PIB será puxado pela indústria. E é a indústria, sabemos todos, que agrega valor, massifica o emprego e impulsiona a inovação.

É preciso, por outro lado, modernizar a legislação cambial.” sac@vozdebrasilia.com.br

39


Artigos É urgente, também, equacionar o problema notório da acumulação de créditos tributários nas empresas exportadoras.” mento, que cairá a 16,9% do PIB este ano,

de recuperação. A geração de empregos

tenção do câmbio valorizado, visto que

deve alcançar 18,3% no próximo. Isso será

deverá se intensificar ao longo de 2010.

os produtos industrializados sofrerão forte

possível pela retomada da confiança do

Um outro indicador fundamental, a in-

empresariado, aumento da utilização da

flação, medida pelo IPCA (Índice de Pre-

Contudo, nem tudo são flores, como

capacidade instalada, que registrou eleva-

ços ao Consumidor Amplo), o índice ofi-

diz o ditado. O câmbio, justamente, é um

da ociosidade ao longo de 2009, e ainda

cial, deverá ficar em 4,7% em 2010, um

dos nossos grandes problemas, que deve

pela redução do custo e ampliação da dis-

pouco acima do centro da meta, que é de

persistir em 2010. A estagnação da eco-

ponibilidade dos financiamentos de longo

4,5%, mas dentro das margens mínima e

nomia americana, com sua taxa de juros

prazo.

máxima (de 2,5% a 6,5%).

muito baixa, continuará estimulando a to-

concorrência dos produtos importados.

Outro fator fundamental para o retorno

Contra uma estimativa do nosso Infor-

mada de empréstimos em dólar para apli-

do crescimento da indústria será a deman-

me Conjuntural de uma taxa inflacionária

cação no Brasil, elevando o fluxo de dó-

da interna, sustentada, como se verificou

de 4,3% este ano, abaixo do centro da

lares e apreciando o real. O aumento dos

em 2009, por um consumo das famílias

meta fixada para 2009, também de 4,5%,

investimentos estrangeiros diretos é outro

que deve aumentar 5,6% em 2010, ante a

a alta dos preços de 4,7% em 2010 será

fator de desvalorização cambial.

expansão de 3,7% este ano. A ampliação

influenciada sobretudo pelos alimentos. O

Com a desvalorização, estamos per-

da massa salarial, do volume do crédito

retorno da demanda externa das commo-

dendo mercados tradicionais, inclusive na

às pessoas físicas e as transferências de

dities agrícolas, com a recuperação dos

América do Sul, para produtos asiáticos. A

renda dos programas sociais do governo

seus preços, influenciará internamente os

lógica da nossa política cambial é o câm-

tornam viável o salto no consumo.

preços dos alimentos.

bio flutuante e na política cambial não há

É bem verdade que a base de cálculo

A dinâmica dos preços deverá ser di-

margem para artificialismos. É possível,

– o comportamento do PIB industrial este

ferente de 2009. Haverá uma inversão na

sim, todavia, adotar algumas medidas. A

ano – está deprimida, pois a indústria deve

tendência apresentada este ano, com au-

CNI apoiou a taxação do IOF sobre aplica-

decrescer 4,5%, mas o que realmente im-

mento menos expressivo dos serviços e

ções estrangeiras na Bolsa, que, natural-

porta é que o setor industrial voltará a se

preços administrados e elevação modera-

mente, não solucionou o impasse cambial,

expandir em 2010.

da dos preços industriais.

mas ao menos amenizou a volatilidade do

Há boas notícias também para a taxa

O aumento já mencionado da capaci-

de desemprego. Pelos nossos cálculos,

dade instalada da indústria fará crescer a

É preciso, por outro lado, modernizar a

recuará da média de 8,1% registrada em

oferta dos produtos industriais, acompa-

legislação cambial. Ela foi elaborada numa

2009 para 7,6% em 2010, enquanto os sa-

nhando o crescimento da demanda inter-

época de escassez de divisas, que não

lários terão uma elevação de 5%. O merca-

na. Esse cenário de elevação de preços

existe mais. A atualização é necessária

do de trabalho já se encontra em trajetória

será em parte compensado pela manu-

para liberalizar o envio de divisas.

40

Anuário Brasileiro

câmbio.


Fotos: CNI

É fundamental, igualmente, desonerar os investimentos, as exportações e a folha de pessoal, colocando em execução uma agenda posta de lado pela crise, mas agora, mais do que nunca, absolutamente essencial, diante da feroz concorrência global pós-crise. O Brasil é talvez o único país do mundo que taxa investimentos produtivos, uma tributação irracional. É urgente, também, equacionar o problema notório da acumulação de créditos tributários nas empresas exportadoras. É mais um desestímulo às vendas externas e fator de redução da nossa competitividade. Acrescentem-se a esses gargalos o grande peso dos encargos trabalhistas, que não são desonerados na hora em que se exporta, e os demais componentes do Custo Brasil, como as deficiências de infraestrutura, o excesso de burocracia e da carga tributária. Tudo isso, insistimos, nos faz perder mercado, desloca a empresa brasileira num quadro de acirramento da concorrência em escala global e diante de players com vantagens de escala fantásticas, como a China. Retomando-se essa agenda de mudanças, 2010, que vai ser bom, será muito melhor.

* Armando Monteiro Neto Empresário, deputado federal (PTB) e presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI).

sac@vozdebrasilia.com.br

41


Estética Na luta pelo rejuvenescimento A cada dia cresce o número de adeptos à cirurgia plástica e ao tratamento antienvelhecimento

A

Rejuvenescimento facial

numa

Há um limite numérico para tratamen-

constante busca pelo reju-

tos e cirurgias estéticas? Em termos, di-

Segundo a dermatologista Maria Cris-

venescimento e fazem de

zem os médicos. O problema, segundo

tina Messina, do Centro Médico Messina,

tudo para se manterem bonitas. Não é à

eles, não está no procedimento em si, que

“é melhor começar os cuidados com reju-

toa que o Brasil é um dos campeões mun-

se for bem feito pode ser repetido sem pro-

venescimento desde os 25 anos, através

diais de cirurgia plástica. Nos últimos dez

blema. O que marca, em geral de forma

de cremes e peeling”. Existem outros trata-

anos, aumentou em 580% o número de

indelével, é o exagero. Das cirurgias de

mentos, mas mostraremos oito categorias

intervenções com fins estéticos, de acor-

rejuvenescimento facial, a mais comum é

chaves de tratamento de rejuvenescimen-

do com a Sociedade Brasileira de Cirurgia

o “lifting”, como indica o nome em inglês,

to facial:

Plástica (SBCP). A entidade estima que

“levanta” o rosto ao puxar a pele, cortar o

. produtos tópicos aplicados na pele:

em 2000 foram realizadas perto de 400

excesso e recosturá-la em pontos escon-

cosméticos ou medicamentos receitados

mil operações – nos Estados Unidos, o

didos, geralmente atrás da orelha. Feito

para tratar sintomas de envelhecimento

primeiro do ranking, a média anual é 500

da maneira certa, rejuvenesce sem que se

mais leves como rugas finas e superfi-

mil. Quem mais se rende à vaidade são as

note a diferença.

ciais;

s

pessoas

vivem

mulheres. Elas respondem por aproxima-

Inevitavelmente, quanto mais a mulher

. implantes suaves de tecidos e toxina

damente 70% dos pedidos de retoques. E

(e o homem, diga-se de passagem) se em-

botulínica: os implantes brandos de tecido

não estão mais tão receosas de assumir

penha em rejuvenescer, maior a certeza

são geralmente usados para encher sulcos

o desejo de aperfeiçoar as formas, como

de que, em dado momento, vai extrapolar.

e cavidades na face e reduzir rugas, dando

acontecia antigamente.

Umas extrapolam mais, outras menos.

à pele uma aparência mais lisa e atraente; . peeling químico: são benéficos no

Hoje praticamente toda mulher, dada a opção, prefere adiar quanto pode a manifestação de rugas, manchas, cabelos brancos, flacidez e quaisquer outras evidências de que está envelhecendo. A caixa de ferramentas antiidade, que não para de se expandir, começa com cremes, botox, laser, botox, ácidos, preenchimento e mais botox. Entretanto chega a hora, que a vaidosa militante tem de encarar a inevitável primeira cirurgia plástica, e aí mora o perigo. Seguem-se a segunda, a terceira, injeções de ácidos para inflar áreas muito esticadas, mais Botox, que é de praxe, e de repente a mulher ganhou outra cara e nem percebe.

42

Anuário Brasileiro

Foto: Dash


tratamento de rugas em volta dos olhos e boca, descoloração da pele e manchas por causa de idade como também textura da pele sem brilho e cicatrizes amenas de acne; . dermabrasão: procedimento de polimento, onde a pele é mecanicamente lixada para alcançar uma aparência rejuvenescida; . laser / IPL: o tratamento é feito através da remoção de camadas da pele usando energia de luz a laser. Alguns sistemas de laser também podem ser usados para tratar rugas e imperfeições no pescoço; . excisão cirúrgica; remoção de pintas, cicatrizes e de vários crescimentos de pele benignos que ficam maiores com a idade; . liposucção: com anestesia local pode ser benéfica no tratamento de papadas flácidas ou queixo duplo. Removendo o excesso de gordura melhora o contorno da face e pescoço e rejuvenesce a face envelhecida; . tratamentos para o pescoço e papada: um grande número de procedimentos de rejuvenescimento facial podem ser aplicados para melhorar as condições da área do pescoço e papada. Os homens também estão se cuidando! há algum tempo, a procura pela harmonia com o corpo também faz parte do universo masculino. Cada vez mais vaidosos, exigentes e pensando mais longe, eles começam a aliar a academia com a cirurgia plástica para colocação de próteses de silicone com a intenção de aumentar os

Foto: Tyler Olson

braços, pernas, peitoral e glúteos.

sac@vozdebrasilia.com.br

43


Estética O homem moderno, está cada vez mais preocupado em fazer parte da nova sociedade onde a busca pela boa aparência, aumento da auto estima e melhor qualidade de vida está cada dia mais intensa. A cirurgia, geralmente, funciona para cobrir déficits específicos de pessoas que não conseguem desenvolver determinada parte do corpo. Por exemplo, o homem se preocupa em ir para a academia malhar, porém apenas as pernas e os braços apresentam resultados, mas o peitoral não. Nesse caso, a pessoa se submete a uma cirurgia para conseguir aumentar essa parte do corpo, já que não consegue o resultado esperado através da malhação. O mesmo acontece com quem desenvolve o peito, mas não a panturrilha, enfim, depende do tipo de corpo de cada pessoa. Após a aplicação da prótese, é possível voltar a fazer musculação e ginástica normalmente, já que através da malhação é possível manter resultados corporais. O cirurgião plástico Mário Warde afirma: “De maneira alguma a cirurgia plástica pode substituir os resultados das atividades físicas, mas uma boa indicação e técnica cirúrgica fazem deste planejamento do contorno corporal satisfatório, dependendo dos objetivos do homem” .Mas cuidado! Se exagerar nos pesos, o silicone pode se mover. Para dar aquela turbinada, o cirurgião utiliza um tipo de silicone diferente da prócia das próteses para contorno muscular tem consistência “de músculo”, seja ela de peitoral, panturrilha ou glúteos.

44

Anuário Brasileiro

Foto: Lev Dolgachov

tese mamária das mulheres. A consistên-


A busca pelo corpo perfeito não pode virar uma obsessão. Porém, é sempre bom se sentir bem com você mesmo. Por isso, como o procedimento é novo, é bom procurar um bom profissional competente que já esteja acostumado com esse tipo de cirurgia. “O contorno corporal masculino tem especificidades, e tem que ser tratado de forma diferente do contorno feminino”, finaliza o especialista Mário Warde. Para que os resultados correspondam às expectativas, a paciente deve procurar um bom cirurgião plástico. O primeiro passo é conferir se o médico tem especialização em cirurgia plástica e está ligado à SBCP. Para ingressar na entidade, o profissional deve ser graduado por uma faculdade de medicina reconhecida, fazer pelo menos cinco anos de residência médica, sendo dois em cirurgia geral e três em cirurgia plástica. Apenas depois de dois anos como associado é que o cirurgião pode se tornar titular. Para saber se um médico pertence aos quadros da SBCP, pode-se acessar o site www.cirurgiaplastica.org.br. Para não escolher um nome ao acaso, você pode conversar com amigas e colegas que tenham feito operação estética. Pergunte se ela foi bem atendida, se todas as dúvidas foram respondidas de modo satisfatório, se recebeu assistência pós-operatória e peça para ver o resultado. “Dificilmente, o bom médico terá um resultado excelente e depois um ruim”, garante o cirurgião plástico Leonard Bannet, de São Paulo. Uma boa dica é marcar uma consulta com o profissional escolhido. Conversar pessoalmente com o médico pode mostrar se ele transmite confiança. Além disso, na sala de espera é possível encontrar pacientes de pós-operatório. Troque informações com essas pessoas. Se o resultado foi bom, elas vão querer falar sobre os retoques. Se não foi, podem até demonstrar vergonha. Se você não conhece ninguém que tenha feito plástica, pode ainda pedir orientação a um médico de confiança que atue em outra área. E atenção para as promessas de milagres, como diz o presidente da SBCP, Luiz Carlos Garcia, “a cirurgia não é uma varinha de condão”.

sac@vozdebrasilia.com.br

45


Educação Mudanças agitaram o ano

Nova reforma ortográfica, educação a distância, prova Brasil e as provas do Enem e Enade.Todas mexeram com a cabeça de muitas pessoas, principalmente com os estudantes

E

nsino onde professores e

cada aos alunos de 4ª e 8ª séries do en-

pelo correio, e administrando o tempo dis-

alunos não estão normal-

sino fundamental, que por enquanto ainda

ponível de acordo com as atividades do-

mente juntos, fisicamente, mas podem es-

não sofreu nenhuma modificação, mas,

mésticas e laborais são aspectos que pe-

tar conectados, interligados por tecnolo-

até o fechamento deste anuário pode ter

sam bastante na escolha de um curso de

gias, principalmente as telemáticas, como

sofrido mudanças.

extensão, graduação ou pós-graduação.

a Internet? O trema deixará de existir, a

Um dado espantoso é a força que a

O Ministério da Educação, por meio da

não ser em nomes próprios e seus deri-

educação à distância vem ganhando. Es-

Secretaria de Educação a Distância (Seed),

vados? Prova do Enem (Exame Nacional

tudo realizado pela Associação e-Learning

atua como um agente de inovação tecno-

do Ensino Médio), de 63 questões passa-

Brasil mostra que o setor vai manter taxa

lógica nos processos de ensino e apren-

rá a ter 180 questões? O Enade (Exame

de crescimento de 40% ao ano até 2010,

dizagem, fomentando a incorporação das

Nacional de Desempenho dos Estudante)

quando os investimentos chegarão a 3 bi-

tecnologias de informação e comunicação

será universal e não mais amostral? Isso

lhões de reais.Os cursos não-presenciais

(TICs) e das técnicas de educação a dis-

mesmo! O ano de 2009 foi marcado por

têm algumas particularidades que atraem

tância aos métodos didático-pedagógicos.

diversas mudanças na área da educação.

os estudantes. A possibilidade de estudar,

Além disso, promove a pesquisa e o de-

Só faltou falar sobre a Prova Brasil, apli-

em casa, recebendo o material didático

senvolvimento voltados para a introdução

Foto: Gelpi

46

Anuário Brasileiro


de novos conceitos e práticas nas escolas públicas brasileiras. Outro “choque” para nós brasileiros foi

Estudantes de 4 anos ou mais de idade, por rede de ensino que frequentavam e sexo, segundo o nível de ensino, a duração do ensino fundamental e a série que frenquentavam - Brasil - 2007

o fim do trema, ou melhor, a reforma ortográfica para pôr fim às várias grafias e dar maior visibilidade a língua portuguesa, que é a sétima mais falada no mundo. Os dois pontos que ficam em cima da letra u sobrevivem no corredor da morte à espera de seus algozes. Enquanto isso, continuam fazendo dos desatentos suas vítimas, que se esquecem de colocá-los em palavras como freqüente e lingüiça e, assim, perdem pontos em provas e concursos. O acordo entrou em vigor em janeiro de 2009 e apesar de trazer mudanças em apenas 0,5% das palavras no Brasil, tem causado muita confusão. Mas é pela sala de aula que a mudança deve mesmo começar, afirma o embaixador Lauro Moreira, representante brasileiro na CPLP (Comunidade de Países de Língua Portuguesa). “Não tenho dúvida de que, quando a nova ortografia chegar às escolas, toda a sociedade se adequará. Levará um tempo para que as pessoas se acostumem com a nova grafia, como ocorreu com a reforma ortográfica de 1971, mas ela entrará em vigor aos poucos.”

Modificações também no Enem e Enade Quem está se preparando para ingressar na universidade, ou para aqueles que estão saindo da faculdade já sabem que o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e o Enade (Exame Nacional de Desempesac@vozdebrasilia.com.br

47


Educação da; como primeira fase; combinado com

a proposta de que acabou a “decoreba”.

postas e muita coisa mudou.

o vestibular da instituição; ou ainda como

Continuará sendo cobrado o conteúdo do

Com as mudanças no Enem, as uni-

fase única para as vagas remanescentes.

Ensino Médio, mas as questões vão exigir

versidades podem escolher entre quatro

A estrutura da prova também mudou, antes

mais raciocínio lógico e diferente dos ou-

opções, como vão usar o Exame em seus

o Exame era composto de 63 questões in-

tros anos, a prova será aplicada em dois

processos seletivos. São elas: como fase

terdisciplinares, agora são 180 perguntas.

dias.

única - com o sistema de seleção unifica-

Dentre as várias mudanças, uma delas é

Foto: Divulgação

nho dos Estudante) adotaram novas pro-

48

Anuário Brasileiro

Já na prova do Enade a mudança é


que passará a ser universal e não mais amostral, ou seja, todos os alunos ingressantes e concluintes dos cursos de

Taxa de analfabetismo das pessoas de 10 anos de idade, por Grandes Regiões, segundo o recebimento de dinheiro de programa social do governo por algum morador do domicílio, no mês de referência, e os grupos de idade – 2006

graduação que fazem parte das áreas avaliadas na edição farão a prova. A mudança metodológica

foi

anunciada

pelo presidente do Inep/MEC, Reynaldo Fernandes. Segundo ele, a adequação está prevista na lei que instituiu o Enade, a lei do Sinaes (Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior). “Esta lei faculta a utilização do procedimento estatístico amostral ou universal”, explicou. Conforme

Fernandes,

a

alteração atende aos pedidos das Instituições de Ensino Superior (IES), que solicitavam ampliação do número de alunos que prestam o exame, em razão do surgimento de novos indicadores educacionais calculados a partir das médias do Enade, como IGC (Índice Geral de Cursos de Graduação) e CPC (Conceito Preliminar de Curso). “O Enade sempre foi um exame seguro metodologicamente. Ao torná-lo universal, estamos atendendo aos pedi-

A educação no Brasil

Brasil, sendo a maior delas o Censo De-

O IBGE (Instituto Brasileiro de Geogra-

brasileiro tem a seguinte estrutura: Edu-

fia e Estatística) realiza várias pesquisas

cação Básica - compreende a educação

que levantam dados sobre a educação no

infantil, o ensino fundamental e o ensino

dos das instituições e investindo na credibilidade do instrumento”, afirmou.

mográfico. O atual sistema educacional

sac@vozdebrasilia.com.br

49


Educação médio e Educação Superior - compreende

ção, mas isso significa que ainda existem

Pesquisas Econômicas Aplicadas (Ipea),

o ensino superior e pós-graduação. Mas

cerca de 14 milhões de brasileiros acima

divulgada em novembro de 2009, mostra

o número de freqüência dos alunos ainda

de 15 anos incapazes de ler e escrever

que a taxa de analfabetismo está caindo

assusta. Confira no gráfico.

um bilhete simples. Essa é a medida in-

0,45 pontos percentuais ao ano. Confira na

ternacional para se classificar o analfabe-

tabela a atual fase que o Brasil se encon-

to. Segundo uma pesquisa do Instituto de

tra, segundo o IBGE.

Índice de brasileiros que não leem nem escrevem caiu. Vinte anos seriam o tempo necessário para o Brasil conseguir eliminar o analfabetismo. O índice relacionado ao problema caiu em 16 anos – de 1992 para 2008 – passando de 17,2% para 10% da popula-

50

Foto: Brian McEntire

Anuário Brasileiro


SIG - Setor de Indústrias Gráficas

(61) 2103 1566

Pátio Brasil Shopping - Térreo

(61) 3321 3308

www.abcloja.com.br


Mais que uma papelaria, um shop de variedades.

Escolar

Escrit贸rio & Inform谩tica

Livraria

M贸veis


Artigos Afinal de Contas, o que é Inglês Instrumental

I

Foto: Divulgação

nglês Instrumental é um cur-

específica entendem com mais facilidade.

so de inglês que usa a lín-

Todos os nossos alunos estudam o

gua inglesa como um meio,

livro do curso onde há os textos gerais e

um instrumento, e não como um fim. Ou

também textos específicos são fornecidos

seja, você usa o inglês como uma ponte

individualmente, ou seja, um aluno que

para aprender uma outra área de conhe-

quer fazer mestrado em recursos hídricos,

cimento.

fará os textos gerais e também textos so-

Porque fazer o curso de Inglês Instru-

bre recursos hídricos; um aluno que quer

mental no lugar do curso de Conversação?

fazer concurso, estudará o livro e provas

O Instrumental é mais rápido e objetivo. O

que já foram usadas em concursos ante-

aluno aprende a ler, interpretar e traduzir

riores, além de textos sobre a área do con-

em um semestre, assim ele estará apto a

curso.

passar em uma prova que exija este tipo

Geralmente, as pessoas que fazem o

de habilidades em leitura, interpretação e

curso têm o intuito de se preparar para a

tradução. Geralmente, o aluno faz o curso

prova de inglês de algum concurso, ves-

de Conversação depois do Instrumental.

tibular, mestrado ou doutorado. A grande

As habilidades conversação e compreen-

concentração é em provas de mestrado e

são oral não são ensinadas no curso Ins-

concursos.

trumental.

Os métodos aplicados no Inglês Ins-

Além das habilidades ensinadas já

trumental são o Grammar-Translation

mencionadas: leitura, interpretação e tra-

Method (método de gramática e tradução)

dução, o aluno também tem contato com

e o método Content- Based (método ba-

a gramática em contexto e vocabulários

seado em conteúdo).

geral e específico. No curso Instrumental,

O aluno receberá certificado, após o

são ministrados textos de conteúdo geral

término do curso, se obtiver 75% de pre-

e específico.

sença e nota mínima de 75. O certificado

Um texto geral é um texto que não se

de Inglês Instrumental é muito valorizado

aprofunda em nenhuma área e não con-

no meio profissional e acadêmico, pois

tém muita terminologia a ponto que qual-

ele é uma prova de que a pessoa sabe ler

quer pessoa de qualquer área de conheci-

bem. Além do mais, alguns departamentos

mento pode entender e que, geralmente,

da UnB e faculdades particulares aceitam

é de interesse geral. Por exemplo: um

o certificado e o aluno não tem que fazer

texto sobre os benefícios da caminhada.

prova de inglês para seleção de mestrado.

Um texto específico está relacionado a

Para ter certeza, pergunte ao departamen-

uma determinada área de conhecimento

to de pós-graduação onde você está plei-

e que carrega mais complexidade e termi-

teando o seu mestrado.

nologia que só as pessoas daquela área

54

Anuário Brasileiro

Sonia Mara Braga Silva Mestrado em Educação pela Framingham State College, Estados Unidos. Além de livros de Inglês Instrumental é criadora do Método Instrumental Acadêmico, já escreveu mais de 20 livros de inglês Conversação para crianças, adolescentes e adultos, Sonia leciona língua inglesa há mais de 20 anos, treina professores e é coordenadora de curso de inglês English Home. English Home Telefone: 61 3340-6441 / Fax: 3340-6938 englishhome@englishhome.com.br www.englishhome.com.br


VestconEaD Cursos de educação a distância, via internet.

VestconEditora

Vestconcursos

Mais de 6.718 títulos publicados em 17 anos: 40 títulos por mês e 624 autores.

Cursos presenciais com toda a qualidade e experiência Vestcon na 906 Norte e em Taguatinga.

Casa de Estudo Vestcon Livraria com todos os livros, apostilas e cursos online da Vestcon.

Pontos de Estudo Vestcon Locais de acesso à Vestcon virtual.

Concursos Tudo para você chegar lá em cima.

sac@vozdebrasilia.com.br

www.vestcon.com.br | 0800 600 43 99

55


Artigos Em busca da escola perfeita

O

final do ano letivo, período de matrículas para as famílias que têm filhos em ida-

de escolar, é, algumas vezes, época de questionamentos e decisões: mantê-los onde estudam ou procurar outro colégio? Para tomar essa decisão acertadamente, sem se deixar levar pelos tantos conselhos e propagandas apelativas, é preciso ter em mente o que realmente significa o processo educativo e quais os fundamentos da parceria entre escola e família na formação de pessoas felizes e realizadas, capazes de enfrentar os desafios da vida. Ao procurar uma escola, é importante enxergar além das questões mais visíveis, como infraestrutura e segurança – devem ser levados em conta o projeto pedagógico e as ferramentas de que a escola lança Foto: Arquivo

mão para cumpri-lo no dia a dia. A grande questão é como entender os tantos conceitos pedagógicos para escolher bem. É comum os colégios apresentarem opção epistemológica baseada na educação tradicional, mais conhecida dos pais por ser mais antiga, ou na educação construtivista sociointeracionista, mais moderna e alinhada com os novos desafios do mundo, que pede respostas rápidas e perfeita adaptação a mudanças de paradigmas e comportamento. Nessa vertente do construtivismo, o conhecimento é resultado de uma construção individual, resultante de experiências do aluno em sua interação com o mundo e mediada pelo social – caso da escolha feita pela escola que dirijo, o Colégio CIMAN.

56

Anuário Brasileiro

Existem algumas perguntas e atitudes

tidas com a formação dos filhos.

que são fundamentais para se obter um

Mas, lembre-se: não existe escola per-

raio-X realista do que é a instituição, quan-

feita. Mesmo porque, uma escola perfeita

do se quer conhecê-la profundamente. Ao

não teria para onde crescer e isso a torna-

solicitar uma conversa com a coordenado-

ria estática e desvinculada de um tempo

ra pedagógica, o que é fundamental, não

de tantas mudanças rápidas. Feitas todas

deixe de solicitar a proposta pedagógica da

essas pesquisas e considerações, e com

escola; perguntar sobre os objetivos da sé-

a decisão em mente, é fundamental que

rie em questão; pedir para ver uma prova e

os pais trabalhem em parceria com a insti-

perguntar como são feitas as correções de

tuição para que a educação de seus filhos

provas e deveres; questionar a formação

seja um sucesso.

e a atualização dos professores; e conferir se a escola oferece reforço para os alunos em dificuldades. Também é interessante ouvir a opinião de famílias que têm filhos nessa escola e que você julga comprome-

Atef Aissami é engenheiro civil, pedagogo e empresário da educação no DF há 38 anos, desde a fundação do CIMAN, hoje Colégio CIMAN, com unidades nas regiões Octogonal/Sudoeste e Cruzeiro Novo- DF.


Artigos CURSOS ONLINE SURPREENDEM quanto nas médias e prin-

par de blogs, chats etc., permitindo-lhe tro-

cipalmente nas grandes cida-

ca de experiência e cada vez maior adap-

des, em que muitas vezes um

tação aos recursos disponíveis e cada vez

período de aula chega a ser

mais independência da sala de aula.

menor que o gasto em trans-

Foto: Arquivo

porte motorizado e a pé.

N

Convém salientar que a aula via internet evoluiu muitíssimo, como se pode ver

O fato de o aluno poder

na tecnologia mais avançada hoje existen-

executar seu próprio ritmo,

te, a disponível no www.vestcon.com.br,

ter condição de fazer o pro-

onde a imagem e a voz do professor ficam

fessor repetir várias vezes

mais próximas e nítidas para o aluno do

uma explicação e ter suas

que se estivesse em sala de aula e onde

dúvidas respondidas

indivi-

o quadro, enriquecido de recursos tecnoló-

dualmente, sem precisar de,

gicos, não permite a menor saudade das

pacientemente, acompanhar

aulas presenciais.

o ritmo de colegas mais len-

A nova realidade permite ao profes-

tos constitui outra vantagem

sor um maior aprofundamento do assun-

importante: cada um obedece

to, e isso se reflete na divulgação boca a

ao seu próprio ritmo.

boca que faz com que, no caso específico

Fica evidente, ainda, a

dos meus cursos Gramática pela Prática,

possibilidade de tornar o tem-

Análise Sintática Visual, Intelecção e Inter-

po mais útil e aproveitado,

pretação de Textos e Simplificando a Orto-

o que se vem refletindo nas

grafia, aulas preparadas para vestibulares

avaliações espontâneas dos

e concursos de nível médio e superior,

alunos, quando dizem: “aqui

estejam atraindo milhares de estudantes

(na internet) os professores

dos cursos de letras do Brasil inteiro e do exterior.

ão há dúvida de que hoje

não chegam atrasados”, “não saem mais

milhões de pessoas come-

cedo”, “não divagam”, “não são interrom-

Essas verdades, por si sós, já se apre-

çam, continuam e voltam a

pidos por avisos”, “não faltam”, “não têm

sentam como espantosas, porém muito

estudar em função dos recursos e vanta-

a atenção desviada por colegas retardatá-

mais surpreendem, quando se constata

gens que os cursos online proporcionam.

rios ou conversadores”...

que tudo isso é apenas... o começo.

Assistir a aulas disponíveis a qualquer

A estrutura dos cursos online vem-se

hora, e qualquer lugar, representa já uma

aperfeiçoando e o aluno dispõe de aula-

enorme economia de tempo no que se re-

texto, videoaula, exercícios, correção de

fere a deslocamento, tanto nas pequenas

exercícios, e tutoria, além de poder partici-

Prof. Ernani Pimentel* *Professor, escritor, conferencista.

sac@vozdebrasilia.com.br

57


História de vida e sucesso Preocupação com o próximo

S

inônimo de perseverança e

paciência e diz: calma e fé

fé é Moysés André da Silva

em Deus que tudo vai se

Filho. Em 1979 o empre-

arrumar” e completa “coin-

sário e teólogo pernambucano de Gara-

cidência ou não, tudo aca-

nhuns, conterrâneo do Presidente Lula,

ba bem no final do dia”,

deixou a cidade do Rio de Janeiro onde

revela Cláudia.

morava para mudar com os pais para a

Confira

nosso

bate-

Capital Federal e montar uma funerária.

papo com este grande

Hoje aos 60 anos, sua empresa é refe-

empreendedor

rência no ramo. A Funerária “Bom Pastor”

Moysés André da Silva

oferece serviços dos mais simples aos

Filho.

mais luxuosos, com toda a eficiência, respeito e dedicação. São mais de 15 funcionários treinados para levar o melhor serviço e conforto no momento mais difícil para toda família: a perda de um ente querido. Casado com Maria Antônia França da Silva, Moysés tem seis filhos e duas empresas que se destacam pelo alto padrão de qualidade no atendimento. Ele já foi gari, vendedor de balas, motorista de ônibus, mas foi como vendedor de produtos hospitalares que o interesse de abrir uma empresa de serviços fúnebres foi despertado. O empresário também sabe da importância de ajudar as pessoas carentes, por isso presta serviços sociais à comunidade. Esse trabalho voluntário do pastor que os funcionários da empresa Memorial Bom Pastor gostam de ressaltar com orgulho: “Ele é bondoso e sente prazer em ajudar o próximo, é um exemplo para todos que trabalham com ele”, afirma a empresária Lucília Neves Vieira. Mas a gerente Cláudia do Monte prefere destacar a fé que o patrão tem. “Tem dia em que tudo vai dar errado, mas ele vem com toda sua

58

Anuário Brasileiro

por Anna Carolina Laurindo

chamado

Anuário Brasileiro - O que fez o senhor se envolver nesse ramo de funerárias? Moysés André - Aqui em Brasília, quando eu cheguei, só tinha funerárias do governo e os valores eram absurdamente caros. Esse monopólio me irritava, por isso, resolvi abrir a empresa. AN - Então posso dizer que os preços aqui são mais acessíveis? Moysés - São mais acessíveis de que em qualquer outro estado. AN - Esse mercado funerário é muito complexo. O que faz o senhor continuar nesse ramo empresarial? Moysés - Eu gosto de trabalhar nesse ramo de funerária porque sou missionário e fazemos também um trabalho social. Por exemplo, para as famílias carentes a empresa presta o serviço funeral gratuitamente. Como teólogo e como pastor estudo muito a bíblia e tem na Palavra uma parábola que toca o meu coração que é do Bom Samaritano e do bom pastor. Sinto a necessidade de amar o meu próximo. AN - Há mais algum trabalho social que o senhor desenvolve? Moysés - Sim. Em determinados momentos pego meu carro e vou a alguns estados levar alimentos, roupas e a Palavra de Deus. AN - Qual igreja preside?

Foto: Arquivo

Igreja Batista do Caminho que fica na Ceilândia centro há 10 anos. AN - O que chama mais atenção no ramo das funerárias? Moysés - É a desonestidade. Infelizmente há concorrentes que utilizam o nome da minha empresa querendo aproveitar a credibilidade que ela tem em Brasília para tirar proveito do momento difícil que uma família está passando. AN - Qual o diferencial da empresa? Moysés - A funerária “Bom Pastor” oferece um serviço de qualidade, uma equipe especializada em ajudar nessa hora. E, isso, começa logo no atendimento. Nossos funcionários não atendem ao telefone dizendo “funerária”, acho essa palavra muito pesada. Elas falam “Bom Pastor” ou “Memorial Bom Pastor”, isso deixa a pessoa mais tranqüila. AN - O senhor começou do nada, mas hoje tem uma grande estrutura empresarial. Como fazer isso? Moysés - É necessário que a pessoa tenha fé, seja determinada e insista em seus sonhos foi isso que fiz. www.funerariabompastordf.com.br contato@funerariabompastordf.com.br Telefones: (61) 3233-5984 / 3233-1956


Retrato de família

Q

uando Juscelino Kubitschek

iniciou a construção de Brasília, aventurei-me por aqui

Foto: Arquivo

Como tudo começou trazendo mercadorias no meu caminhãozinho Marta Rocha – Chevrolet 1958, para vender aos operários e comerciantes que construíam a cidade. Numa dessas viagens, após um dia de vendas fracas na Cidade Livre, hoje Núcleo Bandeirante, saí para ir a outros lugares vender o restante das mercadorias. No meio das estradinhas de terra, ao longe, avistei um homem pegando alguma coisa no meio do mato. Ao chegar mais perto, percebi que ele cortava vassouras para amarrar e depois vender. Perguntei onde tinha uma cantina para vender as mercadorias. Ele apontou-me com o nariz à frente dizendo: “é logo ali ó”. A direção era para onde é hoje a Asa Norte. Toquei o caminhão mais um pouco e avistei uma grande cantina com uma multidão de pessoas. Parei a uns 50 metros, desci, peguei a garrafa de café, tomei um gole, preparei um cigarro de palha, senteime no para-lamas do caminhão e fiquei observando. Via um homem mais alto que os outros, bem vestido, que caminhava para lá e para cá, todos o seguiam. Após algum tempo, veio uma pessoa conversar comigo, era o dono da cantina. Ele perguntou-me: - De onde você é e o que tem no caminhão? Respondi: - Sou de Catalão e tenho queijo, galinha, carne seca, ovos, farinha, rapadura, feijão, fumo e outras coisas mais. Ele disse: - Chegou na hora, está vendo aquele homem lá? É o Presidente Juscelino Kubitschek. Naquele momento, fiquei gelado e pensei... Pronto! Agora vai mandar me prender e também toda minha mercadoria, estou perdido. Não tinha nota fiscal de nada, eram produtos que eu fazia ou comprava nas roças. Mas o homem disse: - Traga-me uma manta de carne, 5 galinhas e 5 queijos. Eu falei: - Não vou até lá, eu fico aqui e você leva as mercadorias, sei lá se vão

me prender! Eu suava frio, onde já se viu?! Mas ele insistiu e acabei indo, meio ressabiado. Quando me aproximei, o Presidente saiu do meio do povo e veio falar comigo, apertou minha mão e perguntou meu nome e de onde eu era. Respondi: - Sou o Jorge e venho de Catalão, viajei a noite inteira, a estrada está meio ruim, atolei lá em Cristalina. Ele disse: - Catalão! Eu conheço! Lá não tem um posto de gasolina chamado JK? Fui eu quem inaugurou, é do Cassiano. Qual a sua profissão? Disse: Sou pedreiro, mas como estava sem serviço, resolvi trazer essas mercadorias para vender aqui na cidade que o senhor está construindo. Lá na Cidade Livre estava meio fraco e vim aqui. Ele olhou-me bem nos olhos e disse: Vem pra cá homem, aqui vai ser a capital do Brasil, vem trabalhar comigo meu filho, traga sua família. Vamos fazer história juntos. Não podia negar o pedido do Presidente do Brasil, mas precavido eu disse: - Vou falar com minha esposa, meus pais, depois eu volto. Ele chamou o dono da cantina e disselhe: - Você comprou pouca mercadoria do Jorge, compra mais, compra todas as galinhas dele.

Família Fayad André em 1962

O cantineiro respondeu: - Mas não tenho onde guardar. Rapidamente eu disse: - Não tem problema, eu deixo o engradado, em outra viagem eu pego de volta. Venda feita, dinheiro no bolso, voltei para Catalão com aquela ideia fixa de vir morar em Brasília e ajudar na construção da capital do meu país. Como minha filha mais velha, Sandra, tinha se casado, já era mãe de uma linda menina e estava morando na Metropolitana, acabei mudando-me de mala e cuia com toda a família para cá. Primeiro fui para Sobradinho, depois para o Cruzeiro, onde construí 5 prédios e até ganhei um diploma da Associação Comercial como o primeiro comerciante da cidade. Aqui continuei trabalhando e terminei de criar os filhos sempre no ramo de alimentação e construção. Nunca mais saí e nem pretendo, afinal já estou com 88 primaveras, não dá mais para se aventurar, ou dá? Jorge André, mais conhecido como “seu Catalão” ou “Batuta” (1915-2007), casado com Geny Fayad (1920-1983) criou 6 filhos e deixou um legado de prosperidade e honradez, deixou um livro de histórias que já está no forno para ser publicado. sac@vozdebrasilia.com.br

61


Atualidades Gripe suína no Brasil e no Mundo

O

Denominada oficialmente como gripe A (H1N1) a nova doença deixou o país em estado de alerta

ano de 2009 foi marcado

cedo a temporada de gripe. Na Europa, foi

Kieny afirmou ainda que os estudos

pela gripe suína no Brasil e

registrada uma circulação intensa do vírus

do grupo indicam que uma dose da vaci-

no mundo. Denominada ofi-

na Bélgica, Irlanda, Noruega, Espanha,

na será suficiente para imunizar adultos,

cialmente como gripe A (H1N1), é trans-

Suécia, Reino Unido, Alemanha e Holan-

ao contrário do divulgado anteriormente.

mitida de pessoa para pessoa, com sin-

da.

A dose única da vacina permite que mais

tomas semelhantes aos da gripe comum:

A OMS aproveitou ainda o balanço

pessoas sejam imunizadas com os pri-

febre superior a 38ºC, tosse, dor de cabe-

para ressaltar que as vacinas contra a

meiros lotes da fórmula, que não são su-

ça intensa, dores musculares e nas articu-

gripe suína disponibilizadas são seguras

ficientes para garantir a proteção de toda

lações, irritação dos olhos e fluxo nasal.

e podem ser administradas em mulheres

a população. O grupo ressaltou, contudo,

Segundo a OMS (Organização Mundial

grávidas. A diretora de Pesquisas de Vaci-

que mais estudos são necessários para

da Saúde) e a agência da Organização

nas da OMS, Marie-Paule Kieny, disse que

crianças com idades entre seis meses e

das Nações Unidas (ONU), não há infor-

o grupo de especialistas da organização

dez anos.

mações de pessoas que foram infectadas

comprovou a segurança das vacinas pro-

pelo vírus ao ter contato com porcos ou

duzidas por diferentes laboratórios e sob

outros animais, e não se sabe qual a loca-

diferentes métodos. “Todos os relatórios

lidade de origem do vírus.

mostram que o protocolo de segurança é

Até novembro de 2008, a OMS tinha

bom, muito similar ao da vacina para a gri-

divulgado que 6.071 pessoas morreram

pe estacional. E não há nada especial so-

por causa da gripe suína desde seu apa-

bre efeitos adversos”, disse a especialista.

recimento em fevereiro.O continente com

A declaração veio no mesmo dia em

mais mortes foi a América, com 4.399, se-

que a Swissmedic, autoridade suíça de re-

guido da Ásia, com 1.160, e Europa, com

gulação dos medicamentos, declarou que

300. Até o fechamento deste Anuário, a

a vacina Pandemrix criada pelo laboratório

OMS afirmou ainda que uma transmissão

britânico GlaxoSmithKline não poderia ser

intensa e persistente da gripe continuava

utilizada nas mulheres grávidas, nos meno-

sendo registrada na América do Norte,

res de 18 anos e nos adultos acima de 60

sem que houvesse indícios de que tives-

anos. A Comissão Européia aprovou no fim

se atingido um ápice, e com índices de

de setembro, por recomendação da Agên-

contágios superiores aos das seis últimas

cia Européia de Medicamento (Emea), o

temporadas de gripe.

uso da Pandemrix para combater a pan-

No México foi registrado um número

demia de gripe A (H1N1) nos 27 países

significativo de mais casos desde setem-

do bloco, além de Islândia, Liechtenstein

bro que os que foram observados durante

e Noruega.A incerteza foi provocada pelo

a primeira epidemia de primavera. A Eu-

medicamento coadjuvante,AS03,utilizado

ropa e Ásia Central e do oeste, começou

para a vacina da GlaxoSmithKline.

62

Anuário Brasileiro

A gripe no Brasil Em um balanço divulgado em setembro pelo Ministério da Saúde, contabilizava 9.249 casos confirmados e 899 mortes pela gripe A (H1N1) no Brasil. De acordo com o órgão, o número de casos graves da doença vinha diminuindo gradativamente nas últimas semanas e, por isso, a pasta decidiu divulgar apenas balanços mensais sobre a doença. O número de mortos em decorrência da gripe, porém, pode divergir em relação aos dados divulgados pelas secretarias estaduais de Saúde. A diferença ocorre porque os critérios considerados pelos órgãos não são os mesmos --algumas secretarias contabilizam apenas os moradores do Estado que morreram por gripe suína, outras contam todos os óbitos, independentemente de sua origem.


Panorama da gripe A (H1N1) no Brasil *Fonte: Folha Online (setembro/2009)

Quase metade dos que ligam para o Disk-Aids tem parceiro fixo Principal dúvida é sobre locais para fazer o teste de HIV Levantamento da Secretaria de Estado da Saúde revelou que 46,6% das pessoas que ligam para o Disk-Aids, serviço de orientação da pasta, têm parceiro fixo, ou seja, fazem sexo com apenas uma pessoa. A dúvida mais frequente é sobre lugares onde é possível realizar o teste gratuito de HIV, representando 49,6% do total (veja relação na página seguinte). O balanço contemplou 8,1 mil ligações recebidas entre junho de 2008 e junho de 2009. Do total de pessoas que ligaram, 59,5% são homens. A faixa etária predominante é entre 20 e 29 anos, com 42,4% das ligações, seguida pela de 30 a 39 anos, com 28,1%. Gráficos da gripe A (H1N1) no Mundo Fonte: Organização Mundial de Saúde (OMS)/Gráfico: Blog da Terra (junho/2009)

Solteiros representaram 57,2% dos que ligaram para o serviço, e os casados, 32,4%. Além dos 46,6% com parceiros fixos, 20,3% informa-

sac@vozdebrasilia.com.br

63


Atualidades ram que possuem parceria casual e eventual e 14,4% disseram ter parceria fixa e eventual. O nível de escolaridade mais frequente foi os com ensino médio completo, que representaram 48,5% das ligações, seguido pelos que possuem superior completo, com 22,2%. “É fundamental que todas as pessoas com vida sexual ativa procurem tirar suas dúvidas, sem qualquer vergonha ou receio, para não correr riscos. O Disk-Aids preserva a identidade dos usuários e conta com profissionais capacitados para esclarecer a população”, diz Maria Clara Gianna, diretora do Programa Estadual de DST/Aids. Temas das ligações feitas ao Disk-Aids (jun/08 a jun/09)

Ligações

%

mens entre 50 e 65 anos têm procurado

4.013

49.6

pela pesquisa de sua fertilidade. Muitos

DST(HPV, Herpes, Gonorréia, Sífilis, Candidíase,etc)

874

11.8

motivos, sociais e econômicos tem jus-

Sexo oral

453

5.6

tificado este aumento da vontade de ter

Confiabilidade do teste

339

4.2

filhos nesta fase mais avançada da vida.

Preservativo

306

3.9

Entre eles estão o crescimento do número

Informações gerais HIV/DST

293

3.6

de uniões desfeitas que levam um indiví-

Dúvidas de transmissão do HIV

244

3.0

duo a outro casamento muitas vezes com

Janela Imunológica

236

2.9

mulheres que não têm filhos e os desejam,

Teste

159

2.0

mas os avanços das técnicas de reprodu-

Dúvidas sobre DST

136

1.7

ção assistida podem ser responsáveis por

Tratamento para HIV

123

1.5

Sintomas HIV

109

1.3

grande parte desta procura.

Local para Teste

Outras dúvidas Total

807

8.9

8.092

100

Que saber mais? Ligue no Disk DST/Aids (0800 16 25 50)

Técnicas de reprodução Desde que em 1978 foi noticiado que o obstetra Patrick Steptoc e o biólogo Robert Edwards trouxeram ao mundo Louise Brown, o primeiro bebê-proveta resultante

Reprodução humana assistida A perda da fertilidade de homens e mulheres aumenta a cada dia, e novas técnicas são usadas para constituir uma família Chega uma fase da nossa vida em que

homens respondem por 40% dos casos

sentimos a necessidade de constituir uma

de esterilidade. O número de homens que

família, com direito a filhos e cachorros,

buscam a paternidade em idades mais

mas o que poucos sabem é que a infer-

avançadas têm aumentado nos últimos

tilidade é um problema vivido por 8% a

anos e, com isto, também vêm crescendo

15% dos casais, segundo a Organização

o interesse pelo efeito do envelhecimento

Mundial da Saúde (OMS). No Brasil, esti-

na fertilidade do homem.

ma-se que mais de 278 mil casais tenham

Nos Estados Unidos houve um aumen-

dificuldade para gerar um filho em algum

to de 20% nas últimas décadas, de pais

momento de sua idade fértil. A infertilida-

com idade superior a 35 anos. Na Europa

de não atinge apenas o sexo feminino, os

e no Brasil neste mesmo período mais ho-

64

Anuário Brasileiro

da técnica de fecundação “in vitro”, cerca de um milhão e meio de bebês nasceram, em todo o mundo, de casais estéreis. Ao mesmo tempo, as técnicas de reprodução assistida experimentaram um forte desenvolvimento na maioria dos países desenvolvidos, existindo hoje ainda várias técnicas, sejam elas com recurso a medicamentos, técnicas laboratoriais de manipulação e seleção de gametas e embriões ou com recurso a cirurgia. 1. Inseminação artificial O objetivo da inseminação artificial é depositar os espermatozóides, após um processo de melhoramento, no local onde


normalmente ocorre a fecundação (nas

limerase) que identificará a presença de

trompas). Habitualmente, a mulher utiliza

RNA e/ou DNA do vírus HIV. Quando a

Os óvulos coletados são colocados

medicamentos na inseminação para que

PCR demonstra que a amostra é isenta do

num meio adequado, juntamente com os

se obtenha um maior número de óvulos. A

vírus, a mesma é utilizada para insemina-

espermatozóides, numa incubadora e dois

ovulação é controlada através de exames

ção artificial ou ICSI como uma opção para

dias depois são transferidos para o útero

de ultra som para que se possa determinar

estes casais.

da paciente com uma cânula especial. Ha-

algumas horas no hospital.

o momento preciso da realização do pro-

3. Fertilização “in vitro”

bitualmente, o número de embriões trans-

cedimento.

A fertilização “in vitro”, conhecida po-

feridos para o útero não deve exceder a

pularmente como “bebê de proveta”, é

quatro, com o objetivo de se evitar a ges-

a técnica de reprodução assistida mais

tação múltipla. Os embriões excedentes

A técnica de capacitação do sêmen

usada em todo o mundo, tendo já nascido

devem ser congelados para uma posterior

em homens HIV positivos revolucionou o

mais de 1 milhão de crianças provenien-

transferência, não sendo permitido pelo

tratamento dos casais em que o homem é

tes desta técnica. De maneira simples, na

Conselho Federal de Medicina que estes

HIV positivo e a mulher HIV negativa, que

fertilização “in vitro” a mulher utiliza medi-

embriões sejam desprezados em nenhu-

não permitiam que tivessem uma gravidez

camentos para produzir um maior número

ma circunstância.

segura através de uma relação sexual.

de óvulos, sendo que o controle do desen-

As gestações obtidas através das téc-

A técnica consiste em purificar o sêmen

volvimento destes é feito com exames de

nicas de reprodução assistida apresen-

através de lavagens com meio de cultura

ultra som. A coleta dos óvulos é feita atra-

tam os mesmos riscos de uma gestação

para obtermos uma concentração de es-

vés de uma punção pela via vaginal, guia-

natural. Da mesma maneira, os riscos de

permatozóides que será analisada através

da pelo ultra som, sendo necessária, para

malformações fetais não diferem dos da

da técnica de PCR (do inglês Polimerase

maior conforto da paciente, uma sedação.

população em geral. Apesar da fertilização

Chain Reaction, reação em cadeia da po-

Ainda assim, a mulher permanece apenas

“in vitro” ter sido desenvolvida para tratar

2. Capacitação do sêmen em homens HIV positivos:

aqueles casais cujo principal problema são danos nas trompas, a técnica se tornou útil para aqueles com endometriose ou mesmo nos casos sem causa aparente. 4. Micromanipulação A técnica de micromanipulação, desenvolvida há poucos anos, revolucionou o tratamento dos casais em que o homem apresenta alterações severas no esperma ou a mulher, tem defeitos no óvulo que não permitam a fertilização pelo espermatozóide. Através de microscópios especiais e micromanipuladores, um único espermatozóide é injetado dentro de um óvulo através de uma agulha cerca de sete vezes Até há pouco tempo pouco se falava ou se publicava a respeito da queda de fertilidade do homem com o passar da idade. Fonte: Site Fertilidade do Homem

mais fina do que um fio de cabelo (ICSI).

sac@vozdebrasilia.com.br

65


Atualidades 5. Super-ICSI

dem ser evidenciados em 3 grupos de pa-

Através de um microscópio equipado

cientes: I - pacientes que tiveram diversos

10. Doação de óvulos

com um sistema de lentes de alto poder

resultados negativos para gravidez com as

Este tratamento é destinado às mu-

de resolução, é possível avaliar, com pre-

técnicas de reprodução assistida; II - aque-

lheres que apresentam menopausa pre-

cisão, as características do núcleo, do pes-

las que descongelaram seus embriões ex-

matura, perderam os ovários através de

coço e da cauda dos espermatozóides. O

cedentes para solucionar seu problema de

cirurgias, possuem doenças hereditárias,

SUPER-ICSI tem permitido selecionar com

infertilidade; III - pacientes com mais de 37

apresentaram falhas no processo de fer-

precisão os espermatozóides com morfo-

anos que habitualmente costumam apre-

tilização “in vitro” ou mesmo àquelas que

logia perfeita, acarretando um aumento

sentar embriões com a zona pelúcida mais

entraram na menopausa em uma época

nas taxas de gestação e uma diminuição

espessada que o normal.

normal, porém desejam uma gravidez.

no número de abortos. 6. OCTAX ICSI Guard

8.Diagnóstico Genético Pré-implantacional (PGD)

criopreservados.

Nesta técnica, a paciente utiliza hormônios para preparar o útero de forma a receber

Consiste na injeção de um espermato-

É uma forma precoce de diagnóstico

adequadamente os embriões. As recep-

zóide dentro do citoplasma do oócito com

pré-natal realizado com objetivo de preve-

toras recebem óvulos de doadoras anôni-

o auxílio de um sistema computadorizado

nir doenças genéticas antes que a gesta-

mas que não são remuneradas por essa

que permite visualizar por birefrigência

ção tenha se estabelecido.

doação.

o interior do óvulo no momento da reali-

9.Criopreservação de embriões

11. Doação de esperma

zação da ICSI. Esta tecnologia envolve

A primeira gestação através de em-

Existem homens que não apresentam

um microscópio com luz polarizada e um

briões criopreservados ocorreu em 1983,

nenhum espermatozóide no esperma ou

conjunto de filtros especiais que permitem

na Austrália.

mesmo no testículo.Nesta circunstância, o

um contraste de imagem diferenciado.

Com o passar dos anos, vários avan-

casal poderá optar pelo banco de esper-

Com este contraste é possível visualizar

ços ocorreram nesta área com subse-

ma. Na doação de esperma preserva-se o

uma organela específica no óvulo (o fuso

quente melhora dos resultados. Durante o

anonimato do doador e do casal infértil.

meiótico). A visualização do fuso meióti-

processo de criopreservação de embriões

co durante a injeção do espermatozóide

existem fatores críticos como: idade da pa-

dentro do óvulo aumenta a fertilização e

ciente, número e qualidade dos embriões

consequentemente o número de embriões formados, permitindo a escolha do melhor embrião que será transferido para o útero da paciente. 7.Laser - Assisted Hatching O procedimento produz um afinamento ou uma abertura na zona pelúcida que envolve os embriões, e consequentemente, facilita sua fixação no útero, aumentando as taxas de gestação. De forma geral, benefícios com a aplicação do laser sobre a zona pelúcida po-

66

Anuário Brasileiro

Foto: Lev Dolgachov

Fonte: Centro de Reprodução Humana Professor Franco Junior (www.crh.com.br)


Esportes Copa do Mundo da África do Sul

A

Copa do Mundo de 2014 no

novembro de 2009, o presi-

Brasil está bem próxima, e só

dente do Comitê Organizador,

falamos disso por enquanto,

Irvin Khoza, disse que “o so-

mas não podemos esquecer que os jogos

nho africano está se tornando

acontecem a cada quatro anos, portanto,

realidade”, com a realização

em 2010 teremos uma Copa do Mundo,

no próximo ano do primeiro

na África do Sul e os preparativos também

Mundial de futebol neste conti-

estão a mil. Dos 210 países que começa-

nente, mas “ainda resta muito

ram o torneio de classificação – as Elimi-

trabalho para que (o torneio)

natórias da Copa 2010 - isso há três anos,

tenha êxito e seja tranquilo”.

as bandeiras dos 32 países que partici-

O presidente da federação

parão da competição já foram decididas

de futebol sul-africana, Kirsten

após várias eliminatórias.

Nemantandani, manifestou a

Durante a divulgação dos países em

“ e m o ç ã o ” dos cidadãos do país,

“pois

os

olhos do mundo já

estão

vol-

FIFA TM / Divulgação

tados para a África do Sul” e agradeceu o empenho dos “milhares e milhares de

trabalhadores

que

tornarão isso possível”. Nemantandani enviou uma mensagem de boas-vindas aos 32 países classificados em nome de Nelson Mandela, o primeiro presidente negro da África do Sul e Prêmio Nobel da Paz, sobre quem lembrou que “trabalhou muito duro” para que o Mundial acontecesse neste país e neste continente. O ministro de Cooperação e Assuntos Tradicionais sul-africano, SiFIFA TM / Divulgação

celo Shiceka, disse que todos os

do Sul para a Copa do Mundo “estarão protegidos”, em um país com índices muito altos de criminalidade, pois a segurança será reforçada para receber os visitantes com “calor e carinho”. Os jogos vão realizar em 10 estádios: dois em Joanesburgo e um em cada uma das oito cidades anfitriãs. Juntos, os 10 estádios irão receber 64 jogos e ter mais de 570.000 espectadores ao longo do campeonato. Cinco desses dez estádios já existem e estão a ser melhorados, como a Soccer City – onde terá lugar a abertura e o último desafio do evento – a passar por uma transformação profunda. Os outros cinco estádios estão sendo construídos do zero.

torcedores que viajarem à África

sac@vozdebrasilia.com.br

67


Esportes Países classificados para a Copa de 2010 América do Sul – Brasil, Chile, Paraguai, Argentina e Uruguai; América do Norte e Central – Estados Unidos, México, Honduras; Europa – Espanha, Suíça, Inglaterra, Holanda, Dinamarca, Alemanha, Eslováquia, Itália, Sérvia, Portugal, França, Eslovênia e Grécia; África – África do Sul, Costa do Marfim, Gana, Camarões, Nigéria e Argélia; Ásia – Coréia do Sul, Coréia do Norte, Japão e Austrália;

A África do Sul já recebeu eventos dessa grandeza antes? A África do Sul costuma receber eventos desportivos internacionais e desde 1994 tem organizado alguns dos maiores – entre eles a Taça Mundial de Rugby em 1995, a Taça Mundial de Críquete em 2003, a Taça Mundial de Golfe de Senhoras (2005-08) e a corrida A1GP™ World Cup of Motorsport (Taça das Nações), 2006. Mas a Copa do Mundo de Futebol da FIFA, o maior evento futebolístico mundial – em termos de audiência televisiva, maior do que os Jogos Olímpicos – é só por si um marco. Durante quatro semanas, com início a 9 de junho de 2010, a África do Sul será o centro do mundo. A Copa do Mundo de 2006 na Alemanha foi o evento televisivo mais visto de todos os tempos. A Copa da África do Sul 2010 vai ter ainda mais audiências. Os olhares de bilhões de espectadores, milhões de visitantes internacionais e a nata dos meios desportivos estarão todos voltados para à ponta mais a sul do continente africano. fonte: www.southafrica.info

Oceania – Nova Zelândia.

Jogos da Copa de 2010 Confira as datas e já prepare-se para torcer! Em dezembro de 2009 aconteceu, na Cidade do Cabo, África do Sul, a cerimônia do sorteio que definiu os 8 grupos da Copa do Mundo de 2010. O Brasil ficou no grupo G, ao lado de Portugal, Costa do Marfim e Coreia do Norte. A estreia será contra os coreanos, em Joanesburgo, no dia 15 de junho, às 16h30 (de Brasília). Na mesma cidade, os brasileiros enfrentarão a Costa do Marfim, no dia 20, também às 16h30. E o Brasil encerra sua participação na primeira fase contra Portugal, de Cristiano Ronaldo, no dia 25 de junho, às 12 horas. A partida será realizada em Durban.

68

Anuário Brasileiro

A curiosidade para saber quem vão ser os finalistas é muito grande, então temos que esperar, mas já foram divulgadas as datas para a Copa de 2010, então fique de olho e assista pela televisão e torça muito. *Oitavas de final: -Dia 26 de Junho - 1o Grupo A x 2o Grupo B, 1o Grupo C x 2o Grupo D -Dia 27 de Junho - 1o Grupo B x 2o Grupo A, 1o Grupo D x 2o Grupo C -Dia 28 de Junho - 1o Grupo E x 2o Grupo F, 1o Grupo G x 2o Grupo H -Dia 29 de Junho - 1o Grupo F x 2o Grupo E, 1o Grupo H x 2o Grupo G

*Quartas de finais: -Dia 2 de Julho - Vencedor R16 1 x Vencedor R16 3, Vencedor R16 5 x Vencedor R16 7 -Dia 3 de Julho - Vencedor R16 2 x Vencedor R16 4, Vencedor R16 6 x Vencedor R16 8 *Semi-final: -Dia 6 de Julho - Vencedor Quartas de Final A x Vencedor Quartas de Final C -Dia 7 de Julho - Vencedor Quartas de Final B x Vencedor Quartas de Final D *Final: -Dia 10 de Julho - Derrotado Semi-Final I x Derrotado Semi-final II - Terceiro lugar -Dia 11 de Julho - Vencedor Semi Final I x Vencedor Semi-final.


Confira como ficaram os grupos:

sac@vozdebrasilia.com.br

69


Artigos


Esportes Investimentos e melhorias

Tudo para sediar a Copa de 2014, Jogos Olímpicos e Paraolímpicos de 2016

Q

uando falamos em esportes a primeira coisa que pensamos é no futebol, com

certeza, pois é o mais praticado no país. O gosto pelo futebol parece ser uma das poucas unanimidades nacionais. As diferenças sociais, políticas e econômicas,

atrativos que podem transformar o país

Fifa e do COL (Comitê Organizador Local)

em um dos mais importantes destinos tu-

podem eliminar até duas cidades, reduzin-

rísticos do mundo a partir de um futuro

do o total de sedes a dez.

próximo.

Estádios que sediarão a Copa de 2014

Isso ocorreu devido ao atraso no cumprimento dos prazos exigidos pela Fifa e a desconfiança dos estrangeiros com a saú-

tão marcantes no dia-a-dia do país di-

Após a confirmação de que o Brasil

de financeira dos Estados para bancar as

luem-se quando a equipe verde-amarela

sediaria a Copa, 17 cidades brasileiras se

obras, principais pontos de descontenta-

entra em campo e entoa o hino nacional.

candidataram para receber as partidas,

mento da entidade. Nenhum dos nove go-

Por isso, quando foi confirmado que o

mas apenas doze foram selecionadas:

vernos estaduais tinham lançado o edital

país acolheria novamente um campeona-

Belo Horizonte (MG), Brasília (DF), Cuia-

de licitação das obras das arenas do Mun-

to mundial, agora em 2014, um forte entu-

bá (MT), Curitiba (PR), Fortaleza (CE), Ma-

dial até outubro de 2009, como estabele-

siasmo tomou conta da grande maioria da

naus (AM), Natal (RN), Porto Alegre (RS),

ceu o COL. Entretanto, as cidades escolhi-

população, pois a mobilização que o fute-

Recife (PE), Rio de Janeiro (RJ), Salvador

das devem iniciar as obras em janeiro de

bol proporciona é um potente motor para

(BA) e São Paulo (SP). Porém, este cená-

2010 e concluí-las até dezembro de 2012.

que as várias cidades brasileiras possam

rio, ainda pode mudar, pois executivos da

vencer o desafio de sediar uma Copa. E se a alegria e correria já eram grandes, imaginem então depois que tivemos a notícia no começo de outubro de 2009, em uma sexta-feira histórica para o esporte brasileiro, de que o Rio de Janeiro sediará os Jogos Olímpicos e Paraolímpicos de 2016. O Brasil, que lutava há os Jogos, ganhou a disputa na lágrima,

Estádios da Copa devem ser acessíveis

da mesma forma como costuma festejar

A Copa do Mundo atrai um grande número de pessoas, mas um dos problemas que

suas conquistas em cima do pódio em

o Brasil deve equacionar até 2014 é a construção de arenas capazes de comportar todos

competições mundo afora.

os torcedores. Entre eles, estão os deficientes físicos, visuais, auditivos e intelectuais.

Agora, o país atualmente dividido em

Pensando em adequar construções grandes como estádios de futebol, a Fifa criou nor-

26 estados, um Distrito Federal e 5.563

mas que garantem a acessibilidade para que qualquer deficiente consiga assistir aos

municípios, tem de correr contra o tempo

jogos do Mundial. “A federação segue normas do livro "Green Guide", que indica não

e, assim, dar um salto de modernização e

só formas de acessibilidade para estádios, como também a segurança das pessoas em

apresentar não só sua capacidade de or-

caso de emergência”, explica a engenheira da Ieme Brasil, Liana Becocci. Ela já fez

ganização, como também força econômi-

trabalhos de adaptação de edifícios e vias públicas para a cidade de São Paulo em um

ca para captar investimentos e os muitos

projeto com a prefeitura.

72

Anuário Brasileiro

Foto: Arquivo

mais de uma década pelo direito de sediar


Belo Horizonte Crédito: Arquivo Gustavo Penna

Mineirão remodelado para 2014

Fotos: Divulgação

População: 2,5 milhões. Seu parque produtivo é um dos cinco maiores da América do Sul, com destaque para a indústria automobilística e de autopeças, siderurgia, eletroeletrônica e construção civil. ESTÁDIO DE 2014: Mineirão, que será remodelado e terá capacidade futura de 62 mil torcedores. Dentre as obras necessárias para a modernização estão o rebaixamento do gramado, novas cadeiras , aumento da capacidade dos setores de imprensa e do número de vagas no estacionamento. O custo estimado da obra é de R$ 300 milhões de reais. TIMES: Atlético Mineiro e Cruzeiro protagonizam um duelo de muita rivalidade. O Galo é o primeiro campeão brasileiro, em 1971, enquanto a Raposa tem dois títulos de Libertadores: 1976 e 1997. sac@vozdebrasilia.com.br

73


Brasília Crédito: Castro Mello Arquitetos

Fotos: Divulgação

População: 2,6 milhões. Capital do país, Brasília é uma cidade planejada e em 1987 foi tombada pela Unesco como patrimônio histórico e cultural da humanidade. O DF tem a maior renda per capita do país e Brasília é a 4ª cidade brasileira em poder de consumo. ESTÁDIO DE 2014: Mané Garrincha, construído em 1974, depois de reformado terá capacidade para 70 mil torcedores. O custo estimado da obra é de R$ 522 milhões de reais. TIMES: Gama e Brasiliense têm pouca tradição no cenário nacional. Em 2002, o Brasiliense chegou a ser vice-campeão da Copa do Brasil. 74

Anuário Brasileiro


Cuiabá Crédito: Castro Mello Arquitetos

Legenda: Projeto para o Verdão (Cuiabá) Fotos: Divulgação

População: 600 mil. Cuiabá conta com uma natureza privilegiada, detacando-se quatro ecossistemas bem característicos: Pantanal, Cerrado, o Vale do Araguaia e a Amazônia. ESTÁDIO DE 2014: José Fragelli - Verdão. Construído em 1974, possui um projeto para que seja totalmente remodelado até 2012. A capacidade atual é de 40 mil pessoas e, com a reforma, passará para 48 mil pessoas. Estima-se que a reforma custará R$ 430 milhões de reais. TIMES: O clube de maior expressividade da capital é o Mixto. Rebaixado para a terceira divisão em 2008, o time é o mais popular da cidade. Este ano disputou a Copa do Brasil, por ter sido vencedor no campeonato estadual, mas foi eliminado na primeira fase da competição.

sac@vozdebrasilia.com.br

75


Curitiba Crédito: Carlos Arcos Arquitetura

Kyocera Arena será reformada e aumentará sua capacidade

Fotos: Divulgação

População: 1,9 milhão. É uma das cidades mais desenvolvidas do país, com altos índices de educação, destaque também para o sistema de transporte público e meio ambiente. ESTÁDIO DE 2014: Kyocera Arena, que será reformado e terá sua capacidade aumentada de 25.415 para 41.375 pessoas. O investimento estimado é de R$ 150 milhões de reais. TIMES: Atlético Paranaense, Coritiba e Paraná Clube são os clubes mais importantes da cidade, aparecendo cada vez mais no cenário nacional.


Fortaleza Crédito: Secretária Esporte Ceará

Futuro estádio Castelão Foto: Divulgação

População: 2,5 milhões de habitantes. Assim como as outras capitais nordestinas, é um importante destino turístico tanto para brasileiros como para estrangeiros. Tem localização privilegiada, sendo um dos pontos do país mais próximos da Europa e da América do Norte. ESTÁDIO DE 2014: Castelão. 60 mil pessoas. Construído em 1973, o estádio passou por reformas em 1980 e 2000. Segundo os organizadores da campanha da cidade, o Castelão atende 81% das recomendações da Fifa. O investimento estimado é de R$ 400 milhões de reais na reforma. TIMES: Fortaleza e Ceará, arquirivais que dividem a torcida da cidade e têm tradição de levar bons públicos a seus jogos. Na disputa estadual, há um enorme equilíbrio: 39 títulos para o alvinegro Ceará e 38 para o tricolor Fortaleza.

sac@vozdebrasilia.com.br

77


Manaus Crédito: Projeto GMP

Novo estádio Vivaldão

Foto: Divulgação

População: 1,7 milhão. É bastante conhecida pelo ecoturimo amazônico. Manaus possui o 7º maior PIB do país e concentra boa parte das atividades econômicas do Estado. O Estado do Amazonas tem vantagem de fazer fronteira com a Venezuela, o Peru e a Colômbia, mas a preocupação ecológica é o principal argumento de campanha de uma das cidades mais antigas do país, fundada em 1832. ESTÁDIO PARA 2014: Vivaldão. Reinaugurado em fevereiro de 2007 após reformas, hoje tem capacidade para 52 mil pessoas. Para a Copa do Mundo de 2014 será reformado e, com isso, comportará 60 mil pessoas. O projeto de expansão da arena tem custo estimado de R$ 580 milhões de reais. TIMES: Dos oito clubes amazonenses que constam no ranking de clubes da CBF, 6 são da capital: América Amazonense, Rio Negro, São Raimundo, Sulamérica, Nacional e Fast Club.

78

Anuário Brasileiro


Natal Crédito: Arquivo HOK

Foto: Divulgação

Vista aérea do Estádio das Dunas em Natal-RN

População: 800 mil habitantes. A capital do Rio Grande do Norte apostou em seu atrativo turístico “principalmente as praias e dunas” . Natal alega ser a capital nordestina com melhor infraestrutura hoteleira, com cerca de 22.000 quartos já prontos. ESTÁDIO DE 2014: Arena das Dunas. Com capacidade para 45 mil torcedores, o novo estádio seria erguido sobre o atual Machadão, de propriedade da prefeitura. Para o projeto, Natal contratou um escritório de arquitetura internacional especializado na construção de arenas esportivas nos EUA e na Inglaterra, incluindo a recente reforma de Wembley e o Emirates Stadium, do Arsenal. O custo do projeto está estimado em R$ 300 milhões de reais. TIMES: O América é o time de Natal de maior sucesso no cenário nacional, tendo disputado a 1ª divisão do Campeonato Brasileiro pela última vez em 2007. O ABC é o maior campeão do RN, com 49 conquistas, ante 32 do América. sac@vozdebrasilia.com.br

79


Porto Alegre Crédito: HYPE Arquitetos

Foto: Divulgação

Visão noturna do projeto da Arena Beira Rio (RS)

População: 1,4 milhão. É considerada uma das cidades com melhor qualidade de vida no Brasil. Seus indicadores são favoráveis nos principais índices de desenvolvimento humano: saúde, saneamento básico, educação, meio ambiente e economia. A cidade é o principal destino de negócios da região sul do país. ESTÁDIO DE 2014: Beira-Rio, que será modernizado e terá a capacidade para cerca de 60 mil torcedores. O custo estimado da obra é de 60 milhões de reais. TIMES: Possui dois clubes tradicionais e centenários: o Grêmio e o Internacional. Ambos já conquistaram títulos da Copa Libertadores e do Mundial. O primeiro é campeão brasileiro por duas vezes e o segundo é tricampeão. 80

Anuário Brasileiro


Recife

Recife contará com novos shoppings e residências

Foto: Divulgação

Crédito: Comitê do Recife 2014

População: 1,5 milhão. É conhecida por suas manifestações culturais, como carnaval ao ritmo do frevo e a festa de São João. Tem no turismo a força de sua economia. ESTÁDIO DE 2014: Cidade da Copa. O novo estádio, cujas obras ainda não foram iniciadas, tem capacidade prevista para 46.200 pessoas e previsão de conclusão para 2011. O investimento estimado é de R$ 500 milhões de reias. TIMES: Sport e Náutico. Os dois dividem uma grande rivalidade regional com Santa Cruz. O Sport é o campeão brasileiro de 1987 reconhecido pela CBF apesar de o Flamengo ter vencido o torneio nacional com os principais times do país. Nas conquistas estaduais, o Sport lidera com 38, ante 24 do Santa Cruz e 21 do Náutico.

sac@vozdebrasilia.com.br

81


Rio de Janeiro Foto: Divulgação

Crédito: Castro Mello Arquitetos

Maracanã em 2014. A construção do estádio vai ter um complexo de shopping e um grande estacionamento.

População: 6,2 milhões. Sede da decisão da Copa de 1950, a cidade tem um grande apelo esportivo. Foi sede dos Jogos Pan-Americanos de 2007, e também sediará as Olimpíadas e Paraolimpíadas de 2016. ESTÁDIO DE 2014: Maracanã. O segundo maior estádio do mundo precisará passar por novas reformas para se adequar ao padrão da Fifa. A capacidade atual, após as obras para o Pan-2007, é de 92.000 torcedores sentados. O investimento estimado é de R$ 460 milhões de reais. TIMES: Quatro clubes dividem a preferência do torcedor carioca, sendo o Flamengo o de maior torcida. O “rubro-negro” é seis vezes campeão brasileiro. Vasco, Botafogo e Fluminense são as outras potências esportivas da cidade. Juntos, o quarteto Vasco, “Fla”, “Flu” e “Bota” somam 12 títulos brasileiros desde o primeiro campeonato, em 1971. Além do Maracanã, palco de todos os clássicos da cidade, o Rio tem outros dois estádios importantes: São Januário, do Vasco, com capacidade para 18 mil torcedores, e o novíssimo Engenhão, para 45 mil torcedores, que foi construído pela prefeitura para o Pan-2007 e depois alugado para o Botafogo.

82

Anuário Brasileiro


Salvador Crédito: Setepla Tecnometal

Foto: Divulgação

Estádio substituíra a Fonte Nova e será palco dos jogos da Copa de 2014.

População: 3 milhões. Primeira capital do Brasil, é a maior cidade da Região Nordeste e um dos principais destinos turísticos do país. O conjunto arquitetônico colonial de Salvador foi considerado “Patrimônio Histórico e Artístico da Humanidade” conferido pela ONU. ESTÁDIO DE 2014: Fonte Nova. O estádio do Bahia, será totalmente reformado e a nova capacidade será de 55 mil torcedores. O custo estimado da obra é de R$ 230 milhões de reais. TIMES: Bahia e Vitória são os times que dominam o futebol da Bahia. O Bahia foi Campeão nacional em 1988. O Vitória, vice-campeão brasileiro em 1993, tem 25 títulos estaduais, ante 43 do Bahia.

sac@vozdebrasilia.com.br

83


São Paulo Foto: Christian Knepper

Crédito: Projeto Ruy Ohtake

Morumbi (SP) em 2014 A futura cobertura do estádio, vista de cima.

População: 11 milhões. Centro financeiro do país, São Paulo recebe brasileiros e estrangeiros que trabalham e vivem na cidade. Tem uma variedade enorme de restaurantes e hotéis, e é um polo cultural. É a cidade mais populosa do país. ESTÁDIO DE 2014: Morumbi, construído em 1960, será totalmente reformulado para o Mundial e terá capacidade para cerca de 69 mil torcedores. O custo estimado da obra é de R$ 300 milhões de reais. TIMES: Corinthians, São Paulo, Palmeiras e Portuguesa dividem as atenções dos torcedores na cidade. O Santos, da cidade litorânea de mesmo nome, possui muitos fãs na capital paulista. Conhecido como ‘trio de ferro’, os três primeiros somam 14 títulos brasileiros. O Corinthians, o mais popular, é o primeiro campeão do Mundial da Fifa; o São Paulo é tricampeão mundial e o Palmeiras possui uma Libertadores. Fonte: Ministério do Turismo, Ministério do Esporte, IBGE e www.copa2014.org.br

Quer acompanhar todas as novidades? Construção dos estádios? Melhorias no país? Saber quantos dias, horas, minutos e segundo faltam para os jogos? Fique atento ao Portal Copa 2014, onde você encontra tudo isso e muito mais! www.copa2014.org.br

84

Anuário Brasileiro


Rio 2016 Sede dos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos

A

decisão histórica de levar a maior competição esportiva do planeta para a América

do Sul, pela primeira vez foi anunciada pelo Comitê Olímpico Internacional no começo de outubro de 2009, durante a 121ª Assembléia da entidade, realizada em Copenhague, na Dinamarca. Na disputa, considerada a mais acirrada de todos os tempos, o Rio superou Chicago (Estados Unidos), Madri (Espanha) e Tóquio (Japão). A vitória do Rio de Janeiro foi de goleada: 66 a 32 na rodada final contra Madri. Chicago foi eliminada na primeira rodada, com 18 votos (contra 28 de Madri, 26 do Rio e 22 de Tóquio). A candidata japonesa foi a segunda a sair da disputa, com 20 votos (contra 46 do Rio e 29 de Madri). O presidente do Comitê Rio 2016, Carlos Arthur Nuzman, agradeceu aos representantes dos três níveis de governo – o presidente Lula, o governador Sérgio Cabral e o prefeito Eduardo Paes. “O COI tomou uma decisão histórica. Tenho muito a agradecer. Mas não estou apenas orgulhoso dos representantes dos três níveis de governo. Estou emocionado de ver como eles entenderam o que estes Jogos Olímpicos representam para o Rio e para o Brasil”, disse Carlos Arthur Nuzman. O presidente do COI, Jacques Rogge elogiou as quatro cidades finalistas e parabenizou o Rio de Janeiro. “Escolher entre quatro cidades excelentes é difícil,

mas muito bonito. Quero dar parabéns ao Rio de Janeiro. A escolha traz uma mensagem clara. É importante levar os Jogos para a América do Sul pela primeira vez”, disse Rogge. A decisão histórica levou às lágrimas o presidente Lula. E a atitude do presidente emocionou autoridades e jornalistas que participaram da coletiva realizada após a eleição. “Chorei na coletiva porque não tive coragem de chorar durante a apresentação. Já passei por tantas coisas, vi tantas personalidades e, de repente, eu era o mais emocionado. O ser humano precisa de desafios

Daniel Dias - Nadador

Foto: Mauricio Pinheiro

e o Brasil precisava desses Jogos Olím-

do COI na apresentação final. A paixão

picos. A gente só precisava de uma opor-

dos brasileiros pelo esporte e a alegria

tunidade para mostrar que somos uma

com que os cariocas recebem visitantes

grande nação. É o dia mais emocionan-

de todo o mundo foram traduzidas com tri-

te da minha vida. Sinto um orgulho ainda

lha sonora, vídeos e discursos inspirados.

maior de ser brasileiro. O Rio merece. O

O Presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o

Brasil merece. O povo brasileiro merece”,

Presidente do Banco Central, Henrique

disse Lula.

Meirelles, o governador Sérgio Cabral; o

Antes da votação, a candidatura do

prefeito Eduardo Paes; o ex-presidente da

Rio de Janeiro emocionou os integrantes

Fifa e membro decano do COI, João Ha-

sac@vozdebrasilia.com.br

87


Rio 2016 Foto: Beto Garavello / LUME

velange, o presidente do Comitê Rio 2016, Carlos Arthur Nuzman; o secretário geral Carlos Roberto Osório; e a iatista Isabel Swan reforçaram os pilares dos Jogos Rio 2016 – excelência técnica, poder de transformar a cidade e o país, agregar valor ao Movimento Olímpico e proporcionar uma experiência única para todos os envolvidos. Os Jogos Rio 2016 serão os Jogos Olímpicos da celebração da transformação. O evento aproveitará ao máximo a paisagem natural da cidade, a experiência em eventos de grande porte e a hospitalidade dos cariocas para organizar uma festa que empolgará o mundo inteiro. Além do legado de instalações esportivas e do programa de voluntários, o projeto Rio 2016 propõe iniciativas para desenvolver o esporte no Brasil, na América do Sul e no mundo. Para o Movimento Olímpico e Paraolímpico, será a porta para um continente novo e jovem, com 400 milhões de habitantes. “O mais importante foi que essa decisão colocou o Rio de Janeiro no lugar que merece, como uma cidade global, extraordinária, que encantará pessoas de todo o mundo. Foi uma decisão histórica e entregaremos o que o COI quer: jogos com emoção, paixão e celebração. O Movimento Olímpico decidiu mirar o futuro,

da cidade. Legados sociais e esportivos

apostar na juventude”, disse Carlos Rober-

estão garantidos pelo trabalho conjunto

to Osório, secretário geral da candidatura

com os três níveis de governo. Os Jogos

Rio 2016.

Rio 2016 serão um catalisador do progres-

Os Jogos Rio 2016 serão um evento compacto e de excelência técnica. Esporte, cultura e educação Estarão integradas com as atividades

88

Anuário Brasileiro

so esportivo e social para comunidades do Brasil e de todo o mundo.

Fonte: Ministério dos Esportes

Boas perspectivas para o crescimento de investimentos A correria já começou e o impacto já é sentido na economia do país em vários setores, desde materiais de construção até na busca de mão de obra qualificada. O


Brasil deve investir na modernização de

país criou 40 mil empregos permanentes

tradicionalmente ficam aquecidos durante

aeroportos, em pavimentação, infraestru-

mesmo após o término da competição. É

eventos esportivos, como o de televisores.

tura turística e segurança. Segundo in-

impressionante como uma notícia tem im-

Na copa de 2006, foram vendidos 10,8 mi-

forme do Ministério dos Esportes, não há

pacto imediato na Bolsa. Aliás, coincidên-

lhões de aparelhos no Brasil.

país que tenha perdido investimento em

cia ou não, o IBovespa também subiu no

Além disso, as empresas responsáveis

uma Copa do Mundo e Jogos Olímpicos e

exato momento em que o Rio de Janeiro

por infraestrutura, construção civil, servi-

Paraolímpicos.

foi anunciado como sendo a cidade-sede

ços, também se beneficiarão da realização

dos Jogos.

desses eventos esportivos no Brasil. O

A Copa da Alemanha em 2006, custou US$ 5 bilhões em investimentos totais,

Ainda segundo dados do Ministério dos

mais interessante disso tudo é que esses

mas a receita gerada em vendas internas,

Esportes, no Brasil são esperados 500 mil

eventos chegarão quase que simultanea-

turismo, emprego e imagem do país com-

turistas estrangeiros durante a competi-

mente ao começo da exploração comercial

pensaram o investimento, além disso, o

ção. A copa deve ajudar ainda setores que

em larga escala das reservas de petróleo do pré-sal.

Cesar Cielo - Madalhista de ouro nos jogos de Beijing 2008

Foto: Divulgação

sac@vozdebrasilia.com.br

89


Artigos ARQUIVO PÚBLICO DO DISTRITO FEDERAL: PORTA ABERTA DA HISTÓRIA DE BRASÍLIA

A

vida é um processo. Cons-

sília. Assim é o acervo do Arquivo Público

truir uma cidade é um pro-

do Distrito Federal que a retrata, e que so-

cesso. Formar um arquivo

mente cumpre sua finalidade se aberto à

público é um processo. Alguém teve a

população; se levado às escolas e lugares

ideia, alguém a projetou, alguém a criou,

de grande afluência popular.

alguém colheu documentos textuais e

Produzimos 420 banners que registram

não-textuais. Muitos ajudaram a organizá-

os atos e fatos sobre Brasília. Produzimos

los, a tratar e preservar o acervo... que

3 bannerões com 5,70m de comprimento

continuará a ser constituído. Sempre.

por 1,80m de altura, linha do tempo que

Um arquivo guardado é apenas um ar-

conta a história da construção desde os

quivo morto. Lugar onde se concentram,

primeiros pensamentos de Marquês de

inevitavelmente, poeira, ácaros e outros

Pombal até os dias atuais. Sobre eles

bichos, fonte de alergias e de sofrimento

produzimos um livreto, a ser distribuído,

pessoal.

gratuitamente, a quem o desejar. Esse

O conteúdo de qualquer arquivo precisa ser divulgado, levado às pessoas de todos os níveis e idades, em diversos lugares. Cumprir sua missão de propor-

“Um arquivo guardado é apenas um arquivo morto”.

cionar cultura, tão em falta na vida das pessoas. É o que temos feito no Arquivo Público do Distrito Federal. O Arquivo Público

Foto: Arquivo

Sayão, Israel Pinheiro, Lucio Costa, Oscar Niemeyer e o maior de todos, o Presidente

material cumpre o dever da divulgação, do acesso livre, democrático e gratuito aos sedentos de saber.

Juscelino Kubitschek de Oliveira. Os presidentes Castelo Branco, Costa e Silva, Garrastazu Médici, Ernesto Geisel

é uma equipe operosa, trabalhando para

Centenas de pessoas, cada uma ao

proporcionar amplo conhecimento dos fa-

seu modo, contribuíram para tornar reali-

tos antecedentes à decisão de construir

dade a nova capital do Brasil no Planalto

José Aparecido, Governador do Distri-

Brasília, a construção em si mesma, a

Central. No litoral, era vulnerável aos ata-

to Federal, conquistou na UNESCO o títu-

inauguração, as personalidades que efe-

ques pelo mar, único acesso possível a

lo de Patrimônio Cultural da Humanidade

tivamente foram responsáveis pela epo-

eventuais inimigos até o advento do avião.

para Brasília. Condição que nos cabe as-

péia da nova capital no ermo inóspito do

Depois, o objetivo passou a ser o desen-

segurar.

cerrado e em todos os dias até completar

volvimento pela ocupação e integração do

A cidade está em permanente muta-

50 anos. Brasília é capital de todos os bra-

território central, dele irradiando-se o pro-

ção. Os homens, do mesmo modo, vivem

sileiros e Patrimônio Cultural da Humani-

gresso, inclusive para a Amazônia sempre

em contínua evolução. Trabalhamos para

dade.

cobiçada.

fazer a nossa parte.

Defeitos, críticas, virtudes, qualidades,

Alguns foram gigantes: Luiz Cruls, Polli

feiúras e belezas – tudo faz parte de tudo

Coelho, Caiado de Castro, José Pessôa,

o que se constrói. Assim é a nossa Bra-

Ernesto Silva, Juca Ludovico, Bernardo

92

Anuário Brasileiro

e João Figueiredo consolidaram Brasília como capital de fato do Brasil.

* Luiz Mendonça – jornalista, superintendente do Arquivo Público do Distrito Federal


Artigos QUE VENHA 2010

O

ano de 2009 foi excepcio-

geral de vendas (VGV) de

nalmente bom para o mer-

imóveis no DF atinja, em

cado imobiliário nacional e

2009, R$ 3,1 bilhões, con-

espetacular em termos de conquistas e

tra R$ 2,1 bilhões registra-

resultados para o mercado do DF.

dos no ano passado.

No âmbito nacional tivemos, em mar-

Com base nestes re-

ço, o lançamento do Programa Minha

sultados, o nosso merca-

Casa, Minha Vida, do governo federal,

do foi alçado ao posto de

que trouxe à baila uma efetiva preocupa-

2º colocado entre todos

ção com a questão da moradia das clas-

os mercados do país, per-

ses menos favorecidas.

dendo apenas para a re-

Ao propor a construção imediata de mais de um milhão de moradias, o programa propiciou a criação de uma política na-

gião metropolitana de São Paulo. Pela

previsão

dos

cional de habitação e criou perspectivas

empresários do setor, se

para que tempo venhamos a solucionar a

o índice de crescimento

questão do déficit habitacional brasileiro.

seguir o mesmo ritmo re-

Com isso, a resposta do mercado

gistrado desde o início da

foi imediata. O crédito habitacional deve

década, de 20% de valo-

crescer 28,6% neste ano. Em 2009, serão

rização ao ano, em pouco

liberados R$ 52 bilhões em empréstimos

tempo, o DF atingirá os

para a habitação, ante R$ 40,43 bilhões

valores verificados na co-

liberados em 2008. Neste ano, o crédito

mercialização de imóveis

habitacional com recursos do FGTS deve

que são praticados em São Paulo e no

tramão do pânico nos mercado mundial e

ter crescimento maior do que o com recur-

Rio de Janeiro.

nacional, as vendas de imóveis ganharam

sos da poupança.

A valorização vista em Brasília é a

Foto: Arquivo

um grande impulso.

A expectativa dos empresários é de

maior do país. As zonas sul de São Paulo

Por isso, é que se o mercado imobili-

que o crédito com dinheiro do fundo dos

e do Rio de Janeiro são mais caras, mas

ário nacional foi o primeiro setor a sair da

trabalhadores cresça 82%, de R$ 10,42

a valorização ano a ano do DF como um

crise, o mercado do DF foi o primeiro entre

bilhões para R$ 19 bilhões. Já os emprés-

todo é bem maior, o que veio reafirmar

os mercados imobiliários brasileiros a es-

timos com dinheiro da poupança devem

a supremacia, no caso do DF, do inves-

pantar o baixo astral. Portanto, que venha

passar de R$ 30,01 bilhões para R$ 33

timento em imóveis em vantagem sobre

2010!

bilhões, uma alta quase 10%.

aplicações no mercado financeiro e cader-

No âmbito do DF os resultados e ex-

neta de poupança, por exemplo.

pectativas são ainda melhores. Para o

Essa valorização foi sentida já em

setor, a expectativa é de que o volume

pleno momento da crise, quando na con-

Miguel Setembrino Emery de Carvalho é presidente do Secovi-DF, o Sindicato da Habitação.

sac@vozdebrasilia.com.br

93


Entrevista Título da pág. Brasília sempre em progresso O governador José Roberto Arruda fala sobre os investimentos que está fazendo para a melhoria na capital do país José Roberto Arruda em 2002, elegeuse deputado federal e, em 2006, governador do Distrito Federal, onde demitiu funcionários, tirou camelôs e vans irregulares das ruas, enfrentou grevistas e freou um processo histórico de invasão de terras públicas. Anuário Brasileiro - Como estava o Distrito Federal quando o Sr. assumiu o Governo? Antes de assumirmos, tivemos um período de transição, comandado pelo Paulo Octávio, em que foi feita uma radiografia da situação e planejados os primeiros movimentos do nosso governo, para colocar o plano de governo em prática. Ocorre que as contas que tínhamos não batiam com a real situação do caixa do governo e tivemos que fazer um ajuste ainda maior do que desejaríamos, para pôr a economia nos trilhos. Ao mesmo tempo, o Ministério Público nos obrigou a extinguir o Instituto Candango de Solidariedade, o que causou muitas demissões, enquanto a gente iniciava o processo de organização da sociedade. Como ninguém estava acostumado com ordem pública no Distrito Federal, houve um choque inicial. Muita gente não entendeu os primeiros meses de governo, até que começamos o nosso programa de obras e desenvolvimento, que mostrou que tudo tinha sido feito para beneficiar a todos os moradores do DF e não a apenas alguns. Hoje as pesquisas mostram que a sociedade entendeu os motivos que nos levaram a tomar algumas medidas duras, antipáticas até, mas é como eu sempre digo: você prefere aquele pai que deixa fazer qualquer coisa, que cria os filhos sem educação, ou aquele que é rígido mas mostra o caminho certo a seguir e que dá exemplo? De modo que foi duro. Fiquei muitas noites sem dormir, procurei me aconselhar com pessoas que eu respeito e que têm muito mais experiência que eu e chegamos a uma situação em

94

Anuário Brasileiro

que estamos realizando mais de duas mil obras em todo o DF, inclusive muitas deles que beneficiam diretamente as famílias mais carentes, como a implantação de infra - estrutura integral nas localidades mais pobres do DF, além de aumentar a assistência social, agora atrelada a um programa de desenvolvimento pessoal que vai possibilitar a quem recebe o benefício hoje melhorar de vida e caminhar com as próprias pernas. AN - Quais foram as principais ações incrementadas? Foram ações que tinham como objetivo a organização da cidade. Só com uma sociedade organizada é que os benefícios se estendem a todos e não a uma minoria privilegiada de amigos dos poderosos. Eu tive que contrariar muitos interesses no início, inclusive de pessoas próximas a mim, que trabalharam comigo e que ficaram chateadas porque eu tive de dizer que não podia fazer determinadas coisas. A primeira ação foi implantar uma nova cultura, que mostrasse claramente que não havia lugar para espertalhões em nosso governo. Começamos a combater a grilagem de terra e há três anos não temos uma nova invasão de terra pública sequer; lutamos contra a máfia das vans e hoje elas foram substituídas por microônibus, muito mais seguros e dentro da lei; e também iniciamos uma conscientização entre os camelôs de que era preciso dar mais dignidade ao trabalho deles e fizemos shoppings populares, primeiro o de Ceilândia depois o do Plano, que ainda está em fase de implantação, mas que tenho certeza será um grande sucesso em breve. AN - A quem estas ações prejudicaram? A quem se beneficiava da bagunça que vinha de muitos anos. Pessoas que levavam vantagem na desordem e deixavam os problemas para todos os demais. Você veja os grileiros por exemplo, que cercavam uma terra que não era deles e

Foto: Roberto Rodrigues

enganavam pessoas que, no desejo de ter casa própria, nem sempre exigiam os documentos necessários ou simplesmente eram enganadas mesmo pela conversa dos inescrupulosos. O grileiro cometia um crime, ganhava dinheiro e deixava as famílias numa situação irregular e muitas vezes desesperadora para explicar para o poder público que agira de boa fé. Com a regularização, todos têm direitos iguais; o governo vem agindo no sentido de dar oportunidade a todos de terem uma moradia, por exemplo, quando reabrimos o programa de lotes. Inicialmente estamos beneficiando a quem está a mais tempo na fila, famílias que esperavam a 40 anos, imagine, para receber o lote. O importante é ter uma sociedade mais justa, e isto só pode ser alcançado com o respeito ao direito alheio. AN - Com o aumento do número de veículos no DF, o trânsito está ficando insuportável, o que está sendo feito para melhorar? Estamos numa situação limite. Não há solução para o aumento de carros nas ruas, como podemos ver no mundo inteiro. A solução está na implantação de um sistema de transporte público eficiente e confortá-


Entrevista vel, que incentive as pessoas a deixar o carro para passear ou para uma emergência. É este o objetivo do programa Brasília Integrada, que estamos implementando, com ações diversas, desde a substituição da frota velha de ônibus – já substituímos 1950 ônibus – até a ampliação de vias, com a criação de pistas exclusivas para ônibus e ciclovias, além da integração de todos os meios de transporte para que o usuário pague apenas uma passagem para ir de casa ao trabalho. Imagine você se não tivéssemos inaugurado as sete estações de metrô que fizemos, ampliando a capacidade de 50 mil para 150 mil passageiros por dia, como estaria o trânsito. Como durante muitos anos não foi feito nada para prevenir o problema, temos que resolver tudo agora; e estamos trabalhando duro para isso. AN-Quais as principais obras que estão sendo executadas no Distrito Federal? Estamos preparando a cidade para a Copa do Mundo de 2014 e isto está exigindo de nós a realização de algumas obras que vão ficar como legado do torneio para o brasiliense. Assim, teremos que ampliar o aeroporto, estamos fazendo a ligação do aeroporto com o centro da cidade pelo Veículo Leve sobre Trilho, o VLT, da W3 Sul, vamos reconstruir o Mané Garrincha de uma forma que ele não seja apenas mais um estádio de futebol, mas uma arena que possa receber shows e ter um shopping center permanente, além de atrações como um Museu do Futebol e vamos melhorar a rede hoteleira e o sistema de transporte público. Além disso temos a Linha Verde, que vai ampliar a capacidade da EPTG, ligando o Plano Piloto a Samambaia, Ceilândia e Taguatinga e o VLP, uma espécie de metrô de superfície sobre pneus, para ligar Santa Maria e Gama ao Plano. Mas eu acho que a grande obra que estamos fazendo – além da construção de 1.000 novas salas de aula, substituindo todas as escolas de lata e madeirite – e a implantação da infraestrutura completa nas 12 regiões mais pobres do Distrito Federal, comunidades que durante décadas viveram entre a lama do período das chuvas

96

Anuário Brasileiro

e a poeira da seca, enfrentavam esgoto a céu aberto e não tinham água tratada em casa. Até fevereiro vamos concluir todas as obras, transformando essas localidades em bairros de verdade, com condições dignas de vida. Eu gostaria que cada brasiliense fossem ver o que fizemos em locais como a Estrutural, Varjão, Itapoã, Vila São José, Vila Dnocs, Arapoanga e Mesre D’Armas, entre outros. AN - O que estas obras representam para o futuro do Distrito Federal? Representam uma vida melhor para todos. Eu gosto de usar a imagem que eu vive com meu próprio filho, que estudava fora quando voltou para casa certa vez, chegou com a calça pescando siri, camisa apertada, a blusa fora de lugar – ele tinha crescido e usava as mesmas roupas. O que estamos fazendo é adequar Brasília a seu novo tamanho. O que significa é que a próxima etapa, que aliás já começamos com a aprovação do Plano Diretor de Ordenamento Territorial, é planejar o futuro para que a situação que vivemos não se repita e possamos ter um crescimento com harmonia, bem cuidado e muito planejado. A qualidade de vida de todos nós depende disso. AN - Como está a Educação, Saúde e Segurança no DF? Na educação eu posso dizer, sem falsa modéstia, que fizemos uma revolução. Já temos 200 escolas funcionando em regime de tempo integral, com as crianças almoçando na escola e fazendo atividades extracurriculares em seguida, no contraturno. Para isso estamos usando todos os meios possíveis, desde a Vila Olímpica que inauguramos em Samambaia – teremos outras 12 nos próximos meses – até aulas de reforço escolar. Acabamos com as escolas de lata e madeirite que sobreviviam, inaugurando mais 1.000 salas de aula – vamos fazer mais ano que vem. Melhoramos as condições de trabalho dos professores, não apenas melhorando o salário, mas com programas como o Ciência em Foco, que leva um verdadeiro laboratório para a sala de aula, e a venda subsidiada de lap-

tops, com um programa de conteúdo pedagógico permanentemente atualizado. De modo que estamos bem na educação. A segurança pública tem mantido os índices criminais sob controle mas queremos mais; ainda não pudemos concluir a implantação dos 300 postos policiais por causa de problemas com o concurso público dos novos policiais, uma vez que estamos exigindo nível superior para todos. Na saúde pública, temos problemas, assim como acontece em todo o país. Em Brasília temos o agravante da população das cidades do Entorno, que vem se socorrer aqui, congestionando a rede. Já investimos mais de R$ 500 milhões em três anos, reformando hospitais e centros de saúde, comprando equipamentos como tomógrafos e raio-x e inauguramos o Hospital de Santa Maria, uma experiência que tem dado certo, com gestão de uma organização social, o que vamos repetir agora com a inauguração de oito Unidades de Pronto Atendimento, que funcionarão como pequenos hospitais nas regiões mais carentes. AN - Como andam os preparativos para a copa do mundo 2014? Estão seguindo o cronograma. Já iniciamos as obras viárias e a construção do VLT; estamos trabalhando para inaugurar novas estações do metrô e devemos começar nos próximos meses a reconstrução do estádio Mané Garrincha. Brasília é a cidade brasileira mais adiantada e é por isso que queremos fazer aqui a abertura da Copa do Mundo de 2014. AN - Como o Sr. avalia o governo LULA? O presidente Lula tem uma popularidade avassaladora e só isso mostra que ele fez bem o trabalho dele. Foi muito inteligente ao não mexer na gestão econômica, inclusive colocando no Banco Central um presidente que tinha sido eleito deputado federal pelo PSDB, o Henrique Meirelles, e que seguia a cartilha do governo Fernando Henrique. Com a economia sob controle ele pode fazer o que bem entendeu. Acertou algumas vezes, errou outras. Mas o saldo é positivo.


Brasília 50 anos A cinquentona mais charmosa do Brasil

P

arece que foi ontem, mas a data que marcou o início de uma nova era, 21 de abril de

1960, vai completar cinco décadas. O responsável por essa empreitada? O então presidente Juscelino Kubitschek,

que trouxe à tona essa possibilidade, erguendo uma capital modernista no meio do cerrado, a centenas de quilômetros dos grandes centros urbanos. Lúcio Costa e Oscar Niemeyer foram os responsáveis pelos traços da nova nação, ou como muitos consideram: o

Foto: Arquivo Público do Distrito Federal

um homem a frente de seu tempo,

Primeira visita de JK a Brasília - 2/10/1956

país que a cerca. Além da forte eco-

elaborar uma carta geográfica de Goi-

Hoje, meio século depois, ainda

nomia, seu projeto arquitetônico, seus

ás, e assim, realçar o valor estratégico

lembramos das razões e emoções que

edifícios, parques, jardins e um verde

do Planalto Central. Em 1789 os incon-

levaram a construção de Brasília, mas

inigualável estão hoje preservados e

fidentes mineiros voltaram a abordar o

poucos se lembram das poderosas for-

declarados Patrimônio da Humanidade

assunto, reivindicando à Corte de Lis-

ças que ficaram contra essa empreita-

pela Organização das Nações Unidas

boa. Mas a ideia de fixar o governo do

da. Inúmeras foram as discussões acer-

para a Educação, Ciência e Cultura

Brasil no interior existe desde 1810.

ca de tamanha mudança econômica,

(Unesco).

Desde aquela época, a preocupação era

tripé da modernidade.

política, histórica e social, para o país. É verdade que a construção da nova capital quebrou os cofres do país, mas

com a segurança nacional. A capital de-

A transferência da capital

veria ficar longe dos portos e de áreas de fácil acesso a possíveis invasores.

o Brasil venceu com garra a inflação. Entre 1961 a 2000 o PIB brasileiro

A transferência da capital do Brasil

Em 1813 foi a vez do jornalista Hipó-

cresceu em média 4,8% ao ano, en-

para o centro do país foi anunciada pela

lito José da Costa publicar no “Correio

quanto o do Distrito Federal teve uma

primeira vez em 1751 pelo Marquês

Braziliense” sua primeira de muitas de-

expansão de 57,8%. Sem dúvida uma

de Pombal, que contratou o cartógrafo

fesas da transferência da capital para o

cidade de sucesso desigual como o

italiano Franceso Tosi Colombina para

interior central dos grandes rios. Mas foi sac@vozdebrasilia.com.br

99


Brasília 50 anos É verdade que a construção da nova capital quebrou os cofres do país, mas o Brasil venceu com garra a inflação.”

Plano Piloto, pois as grandes avenidas, parques e perspectivas permitem ver os edifícios de forma desimpedida e por diversos ângulos. A dupla, Lúcio Costa e Oscar Niemeyer, criaram uma cidade integralmente projetada, considerada como um “objeto” global e único. No Brasil, nenhuma cidade teve um arquite-

no século passado, no ano de 1823, que

1956, o presidente Juscelino Kubits-

se falou pela primeira vez em Brasília,

chek decidiu construir Brasília. A ideia

uma nova capital para o Brasil situada

foi aprovada em setembro do mesmo

no centro da país. O autor da mesma?

ano por unanimidade no Congresso e

José Bonifácio, um revolucionário in-

assim foi lançado o edital do concurso

confidente. Depois dele, outros também

do Plano Piloto, onde o vencedor foi o

defenderam a mudança da capital do

arquiteto e urbanista Lúcio Costa.

país.

O projeto da cidade, segundo Cos-

Entretanto, em

1883 Dom Bosco,

ta, “nasceu do gesto primário de quem

santo italiano fundador da ordem dos

assinala um lugar ou dele toma posse:

salesianos da Igreja Católica, sonhou

dois eixos cruzando-se em ângulo reto,

com uma depressão larga e comprida

ou seja, o próprio sinal da cruz”. Tam-

entre os paralelos 15° e 20° a partir

bém procurou-se uma adaptação à to-

das margens de um lago. Depois disso,

pografia local, como para o escoamento

vários outros estudiosos defenderam a

das águas. Houve uma clara preocupa-

mudança da capital, contudo, somente

ção em aplicar ao urbanismo os princí-

em 1946 foram tomadas novas atitudes

pios considerados mais avançados da

em relação à transferência, como um

técnica rodoviária. Além disso, foram

novo estudo sobre a região. Anos de-

eliminados os cruzamentos através de

pois, em 1955, o presidente Café Filho

retornos em desnível.

delimitou uma área de 50 mil quilôme-

Juscelino Kubitschek escolheu Os-

tros quadrados, onde hoje é o atual Dis-

car Niemeyer para projetar todas as edi-

trito Federal.

ficações monumentais da nova capital e

No entanto, no dia 15 de março de

100

Anuário Brasileiro

sua arquitetura é valorizada até hoje no

to “oficial” com tantas realizações e tanto poder. O resultado é um conjunto impressionante de beleza e modernismo, que apenas as fotos não conseguem mostrar toda a magnitude da cidade.

Do cerrado ao sucesso Depois de ganhar o concurso para projetar a nova capital, a equipe do urbanista Lúcio Costa e o grupo de arquitetos encabeçados por Oscar Niemeyer deram início ao projeto de Brasília, e em pouco tempo estavam com desenhos de edifícios, parques e residências prontos. Costa partiu do traçado de dois eixos, cruzando-se em ângulo reto, como uma cruz para criar o projeto urbanístico brasiliense. Esses dois eixos foram chamados de Rodoviário e Monumental. Também foi criado o Eixo Rodoviário, que cortaria as áreas residenciais do Plano Piloto; foi levemente arqueado para dar à cruz a forma de um avião, nascendo, assim, a Asa Norte e Asa


Sul. Enquanto o Eixo Monumental, com 16 quilômetros de extensão, seria destinado para as autarquias e monumentos. Ele foi dividido da seguinte maneira, no lado leste prédios públicos e palácios do governo, no centro a Rodoviária e a Torre de TV; e no lado oeste os prédios do

No dia 3 de novembro de 1956, sob o comando de Israel Pinheiro, tratores levantavam poeira nos trabalhos de terraplenagem em Brasília e uma semana depois, estava pronto um “palácio” de

Foto: Arquivo Público do Distrito Federal

Governo do Distrito Federal.

madeira, o Catetinho. No ano seguinte, a pista de pouso provisória aberta por Bernardo Sayão para a primeira visita

Plenário da Câmara

de JK, já havia sido ampliada para 3 mil metros e estava pavimentada.

Meta-síntese do seu programa de governo, Juscelino Kubitschek cumpriu a promessa de construir a nova capital do país em três anos. Projeto mais revolucionário da história brasileira. Polêmica muito antes de nascer, apaixonadamente idolatrada ou execrada, Brasília produziu pelo menos uma unanimidade, talvez a única: sua construção no ermo goiano em apenas 43 meses, desde a primeira vez em que JK pôs os pés no

Foto: Arquivo Público do Distrito Federal

cerrado, é um feito admirável. Do governo, da arquitetura e da engenharia, dos construtores e técnicos, do exército de candangos movido a necessidade. Para a construção da capital, vieram pessoas de várias regiões do país. Palácio da Alvorada sac@vozdebrasilia.com.br

101


Brasília 50 anos Eram os pioneiros, em busca de melhores condições de vida, deslumbrados pela possibilidade de trabalho e atraídos pela proposta de uma remuneração melhor. Eles viveram na chamada “Cidade Livre”, hoje Núcleo Bandeirante

truções - diversas delas em madeira, são conservadas até hoje e fazem parte do patrimônio histórico da cidade. Assim, a cidade recebeu sotaques, cultura e costumes de indivíduos que vinham de todas as regiões do Brasil, mobilizadas rapidamente para a execução deste grandioso empreendimento histórico. Brasiliense é o nome que se dá a

102

Anuário Brasileiro

Foto: Arquivo Público do Distrito Federal

e também na Vila Planalto. Muitas cons-

Catetinho

quem nasceu em Brasília, já candango

ferir aos trabalhadores que imigravam à

é utilizado para designar quem veio de

futura capital para sua construção.

fora, foi originalmente usada para se re-


Foto: Arquivo Público do Distrito Federal

Foto: Arquivo Público do Distrito Federal

OS CANDANGOS

De todos os estados, chegavam de todos os modos, com malas rústicas de todos os tipos, com todos os sonhos... sac@vozdebrasilia.com.br

103


Brasília 50 anos dades do Plano de Metas de Juscelino Kubitschek e coerente com a promessa desenvolvimentista de 50 anos em cinco do presidente. Por isso, a cidade saiu do papel e foi construída em apenas três anos e quatro meses. A ideia: a intenção de construir a capital já estava prevista nas Constituições de 1891, 1934 e 1946. Quem a retomou: Juscelino Kubistchek, em 1955, num comício em Goiás, ainda candidato à presidência. Razões para construir: afastar a capital federal da faixa litorânea, mais vulnerável, incentivar o crescimento do interior do país, aproveitar mão de obra nordestina e descentralizar o desenvolvimento financeiro e urbano do Brasil. Primeiro passo: em 19 de setembro de 1956, o Congresso aprova a lei para construção de Brasília e cria a Campanha Urbanizadora da Nova Capital (Novacap). O local: no planalto Central, próximo à cidade de Anápolis, num triângulo de terra entre braços de água. O concurso: vinte e seis escritórios de arquitetura do país apresentaram propostas de orientação modernista. Foi escolhido o famoso Plano Piloto. O vencedor: Lúcio Costa, filho de brasileiros nascido na Franca, estudou arquitetura na Escola Nacional de Belas Artes do Rio de Janeiro. Bastidores: o projeto foi feito em sigilo por Lucio Costa durante dois meses. Os primeiros traços surgiram numa viagem de navio a Nova York. Fonte: Revista Arquitetura e Construção

104

Anuário Brasileiro

Foto: Arquivo Público do Distrito Federal

A nova capital federal era uma das priori-


Brasília 50 anos O sonho realizado!

Ao amanhecer, uma paisagem de

Como dizia o compositor Tom Jobim,

e de milhares de brasileiros foi concreti-

poeira cobria as casacas e cartolas das

o Planalto Central seria o “herdeiro” de

zado em uma linda festa de inauguração

autoridades e as roupas domingueiras

todas as culturas, de todas as raças,

que começou na noite da véspera, com

dos trabalhadores, mas tudo era festa

com um sabor todo próprio e assim foi.

uma missa campal que invadiu o dia 21

em Brasília naquela quinta-feira. Jusce-

Depois de 43 meses de muito trabalho,

e arrancou lágrimas do presidente JK.

lino Kubitschek foi despertado pelo to-

Foto: Arquivo Público do Distrito Federal

no dia 21 de abril de 1960 o sonho de JK

Foto: Geraldo Vieira

Presidente Juscelino Kubitschek de Oliveira acena para a multidão que o aplaude ao chegar ao Supremo Tribunal Federal, na noite do dia 20 de abril de 1960, para Missa Solene de inauguração. Ao seu lado (D-E) o legado Pontifício, Manoel Gonçalves Cerejeira, Dona Sarah e o Vice-Presidente João Goulart.

106

Anuário Brasileiro


da capital e do país: o Correio Braziliense, que voltou a ser editado, dessa vez em Brasília, por iniciativa de Assis Chateubriand, 167 anos depois de ter sido fundado em Londres por Hipólito José da Costa, o primeiro jornal brasileiro. Ainda em 21 de abril, foi inaugurada a TV Brasília, que transmitiu imagens da inauguração da cidade.

Foto: Arquivo Público do Distrito Federal

Cronologia do nascimento de uma nação O primeiro prefeito de Brasília, nomeado quatro dias antes de sua inauguração, foi Israel Pinheiro. Ele prometeu que se Dom Bosco, santo, o ajudasse a construir

...o Planalto Central seria o herdeiro de todas as culturas, de todas as raças, com um sabor todo próprio e assim foi.”

Brasília faria uma homenagem à ele, com uma capela. E construiu com o primeiro material de construção chegado à nova terra a Ermida Dom Bosco, localizada exatamente sobre o paralelo 15°. Até 1990, os prefeitos e os governado-

que da alvorada e enfrentou alegremen-

nas ruas, desfile de candangos, queima

te uma agenda cheia de compromissos,

de fogos no Eixo Rodoviário, Esquadri-

Neste ano ocorreu o primeiro pleito elei-

como a recepção de embaixadores e

lha da Fumaça roncando no céu onde

toral, quando foram eleitos os primeiros

ainda presidiu uma reunião do ministé-

no final da tarde se abriu um arco-íris e

deputados distritais e o primeiro gover-

rio, onde instalou formalmente o poder

o presidente ainda percorreu avenidas

executivo na nova capital.

em carro aberto. A data também foi im-

res eram indicados pelo Governo Federal.

nador. Os dados históricos e a memória dos acontecimentos e das personalidades importantes para a formação e o desenvol-

Naquela mesma quinta-feira ainda

portante porque trouxe à cena dois dos

vimento de Brasília e do Distrito Federal,

teve parada militar, baile improvisado

mais importantes veículos de imprensa

podem ser conferidas nas cronologias que seguem.

sac@vozdebrasilia.com.br

107


Brasília 50 anos

108

Anuário Brasileiro


sac@vozdebrasilia.com.br

109


Brasília 50 anos

110

Anuário Brasileiro


CRONOLOGIA

1893 – É editado um mapa do Brasil e no Planalto de Goiás havia um retângulo

çado o Concurso do Plano Piloto. Vence o projeto do urbanista Lúcio Costa.

1751 – O Marquês de Pombal, por mo-

com a inscrição: “ Futuro Distrito Federal”.

1957 – Em abril, surgem as primeiras

tivos políticos, lança uma ideia aparente-

1922 – Num clima de festa, em 7 de

casas de madeira na Cidade Livre, hoje

mente fora do lugar: erguer uma nova capi-

setembro, é lançada a pedra fundamental

Núcleo Bandeirante onde todas as ati-

tal de Portugal no sertão, a meio caminho

da futura capital, a 9km da cidade de Pla-

vidades são isentas de impostos. No dia

da África e das Índias.

naltina, em Goiás, no Centro da América

7 de maio é rezada a primeira missa, na

Latina.

presença de 15 mil pessoas na Praça do

1789 – Os inconfidentes associam a luta pela Independência do Brasil à mu-

1940 – O presidente Getúlio Vargas

dança da capital do Rio de Janeiro para a

lança a “Marcha para o Oeste”, mas não

1959 – Cerca de 60 mil candangos tra-

cidade mineira de São João Del Rey.

pretende transferir a capital do Rio de Ja-

balham febrilmente na construção da cida-

neiro. Projeto adiado desde a instalação

de. No início, eram apenas mil. Faltando

da ditadura do Estado Novo.

pouco mais de um ano para a inaugura-

1813 – Com sucessivos artigos no Correio Braziliense, editado em Londres,

Cruzeiro.

o jornalista Hipólito José da Costa tenta

1946 – O Brasil se redemocratiza. A

ção, Brasília e arredores contavam com

empolgar a opinião pública com a ideia da

mudança da Capital para o Planalto Cen-

mais de 100 mil habitantes, vindos de vá-

construção de uma nova capital no interior.

tral é incluída nas disposições transitórias

rios estados do Brasil.

1883 – Na cidadezinha de Belcchi, na

da Constituição. O Presidente Eurico Gas-

1960 – Em 21 de abril, Brasília é inau-

Itália, o padre salesiano João Bosco tem

par Dutra nomeia a Comissão de Localiza-

gurada. Durante a missa comemorativa é

um sonho-visão: “no Brasil, entre os para-

ção da Nova Capital, chefiada pelo Gene-

lida uma mensagem radiofônica do Papa

lelos 15º e 20º surgiria uma grande civili-

ral Aguinaldo Caiado de Castro.

João XXIII. Emocionada, a multidão acom-

zação, a Terra Prometida, onde correria

1953 – É sancionada a Lei nº 1.803,

panha a cerimônia, ajoelhada no barro ver-

leite e mel”. Local da atual sede da nova

que autoriza o governo a definir o sítio da

melho. Na instalação do Congresso Nacio-

Capital.

nova capital em três anos.

nal, o deputado Ranieri Mazzilli diz: “Mais

1891 – A primeira Constituição da Re-

1955 – Em 4 de abril, num comício em

pública estabelece, em seu artigo terceiro:

Jataí, Goiás, o candidato à Presidência da

“Fica pertencente à União, no Planalto

República, Juscelino Kubitschek, promete

1962 – Empossado o primeiro Con-

Central da República, uma zona de 14.40

que, se eleito, fará a transferência da capi-

selho da Universidade de Brasília - UnB,

quilômetros quadrados, que será oportu-

tal para o Planalto Central.

começa a funcionar uma nova experiência

ainda que um milagre da vontade humana, Brasília é um milagre da fé”.

1956 – No dia 18 de abril, o Presidente

em ensino superior. Os alunos de enge-

Juscelino Kubitschek envia ao Congres-

nharia, por exemplo, podiam estudar filo-

1892 – Floriano Peixoto constituiu a

so a “Mensagem de Anápolis” propondo

sofia. O campus foi batizado com o nome

Comissão exploradora do Planalto Central

a criação da Companhia Urbanizadora

de um dos seus fundadores, o antropólogo

do Brasil, sob a chefia do cientista Luís

da Nova Capital do Brasil (NOVACAP) e

Darcy Ribeiro. A idéia, que se concretizou,

Cruls, diretor do observatório Astronômico

o nome de Brasília para a nova Capital.

era transformar a UnB em um centro irra-

do Rio de Janeiro, para estudar e demar-

Em 19 de setembro é sancionada a Lei nº

diador de cultura.

car a área do Distrito Federal.

2.874, que determina a transferência, em

1965 – O crítico Paulo Emílio Sales

definitivo, da Capital. No mesmo dia é lan-

Gomes organiza o primeiro Festival de

namente demarcada, para nela estabelecer-se a futura Capital Federal”.

sac@vozdebrasilia.com.br

111


Brasília 50 anos Brasília do Cinema Brasileiro. O evento se tornaria um símbolo da cidade.

para mais de 800 mil pessoas. 1981 – Em setembro, é inaugurado o

nham espaço a poesia, o teatro, o cinema a as artes plásticas.

1970 – É inaugurada a Catedral de

“Memorial JK”, espaço que abriga os res-

1986 – É inaugurado o Panteão da Li-

Brasília, um dos mais belos monumentos

tos mortais do ex-presidente, sua biblio-

berdade, na Praça dos Três Poderes. Uma

da Capital. No mesmo ano, as embaixa-

teca particular e objetos pessoais. Nesse

homenagem ao político Tancredo Neves

das e o Ministério das Relações Exte-

mesmo ano, a atriz Dulcina de Moraes,

e a personagens históricos como Tiraden-

riores também foram transferidos para a

inaugura a Faculdade de Artes, que leva

tes, Zumbi dos Palmares e Dom Pedro I.

Capital.

seu nome, e dois teatros, revelando gran-

1987 – Ao contemplar 27 anos, Brasília

des atores como os nacionalmente conhe-

passa a figurar ao lado de cidades milena-

cidos Irmãos Guimarães.

res como Jerusalém e Cairo, na condição

1976 – Em 22 de agosto, morre o expresidente Juscelino Kubitschek em um acidente de carro. Na Esplanada dos Mi-

1985 – O rock leva Brasília ao cenário

de Patrimônio Cultural da Humanidade. A

nistérios para homenagear JK, a multidão

mundial. A música enriquece a crônica da

designação dada pela Unesco se destina

cantava o Peixe Vivo, sua música predi-

cidade falando da vida cotidiana, dos im-

apenas a bens de valor universal excep-

leta.

passes da expansão urbana, das pessoas,

cional.

1978 – Surge o “Projeto Cabeças”,

das influências místicas da capital e de

1990 – Em 15 de novembro, o Distrito

criado por jovens artistas da cidade, numa

“um silêncio, lindo onde Deus parece com

Federal conquista autonomia política, ele-

época de muita repressão, com a finalida-

esperança, entre bilhões de estrelas”. Ban-

gendo seu primeiro governador pelo voto

de de envolver a comunidade de Brasília

das como Legião Urbana chegam a vender

popular direto, além de 24 deputados dis-

com a cultura e a arte local. Promove-se

um milhão de discos. Com a música, ga-

tritais para formar a Câmara Legislativa.

shows e diversas manifestações culturais ao ar livre. Brasília deixava de ser uma mera cidade administrativa para ser um espaço público de cidadania. 1979 – É criada a Orquestra Sinfônica do Teatro Nacional Cláudio ria o objetivo de popularizar a música clássica e o ensino de música. 1980 – O Papa João Paulo II visita Brasília e celebra missa na Esplanada dos Ministérios

112

Anuário Brasileiro

Foto: Arquivo Público do Distrito Federal

Santoro. A iniciativa te-


Brasília 50 anos Fatos importantes de 1960 até 2008

114

Anuário Brasileiro


sac@vozdebrasilia.com.br

115


Brasília 50 anos

116

Anuário Brasileiro


sac@vozdebrasilia.com.br

117


Brasília 50 anos

118

Anuário Brasileiro


sac@vozdebrasilia.com.br

119


Foto: Divulgação

Brasília 50 anos

Ponte Juscelino Kubitschek. Projeto inaugurado em 15/12/2002, em Brasília. A arquitetura, com três arcos foi inspirada no movimento de uma pedra quicando sobre o espelho d’água. Brasília (DF). Foto: Divulgação

Brasília hoje... A capital do país oferece uma exuberante arquitetura, mas o que poucos conhecem são as belezas ainda escondidas no Distrito Federal. Seu cerrado possui árvores retorcidas e secas, onde esconde cachoeiras, lagoas, cavernas, grutas, piscinas naturais, cristais e caminhadas por trilhas que surpreendem com espécies raras da fauna e da flora. Uma descoberta mágica pela Natureza que oferece em seus arredores, numa região que se chama de “entorno”.

120

Anuário Brasileiro

Na região ainda existem 60 mil es-

de infraestrutura básica como segurança,

pécies animais, onde se destacam a onça-

assistência à saúde, escolas e transpor-

pintada, o veado-campeiro, a suçuarana,

tes, em nível de eficiência encontrado em

o tamanduá-bandeira, o lobo-guará e o

poucos locais do país. A capital também

tatu-canastra. A rica e bela fauna compõe-

possui um moderno aeroporto internacio-

se de espécies como a palmeira-buriti, as

nal, metrô e uma enorme frota de ônibus

buganvílias com sua cores lilás, branca,

urbano e transporte rodoviário para todo o

vermelha e rosa, as mais variadas orquí-

país.

deas. Muitas delas estão hoje preservadas

Os parques da cidade e da água mi-

em unidades de conservação. Na verdade,

neral são locais de grande concentração

42% do território do Distrito Federal são

de pessoas de todas as classes, principal-

formados por áreas de proteção ambiental.

mente nos finais de semana e nos feriados

Não é a toa que Brasília possui uma

prolongados. Outro hábito dos habitantes

excelente qualidade de vida e está dotada

da cidade é o das recepções aos amigos,


Foto: Divulgação

Conjunto Cultural da República - Inaugurado em 15 de dezembro de 2006

realizadas em recinto doméstico ou em

modernas e arrojadas e as construções

e internacionais, a Ermida Dom Bosco,

clubes sociais e esportivos. A cidade pos-

históricas, como o Catetinho - primeira

Igreja Dom Bosco, Catedral, Jardim Botâ-

sui clubes de alto nível, geralmente à beira

residência oficial do presidente da repúbli-

nico e o Jardim Zoológico. A cidade pos-

do Lago Paranoá, proporcionando inúme-

ca. Como atrativos também se destacam

sui excepcional infraestrutura hoteleira, a

ras opções esportivas e de lazer para as

a Torre de TV com vista panorâmica para

maioria hotéis e flats de 4 e 5 estrelas - a

famílias.

toda a cidade, feiras de artesanatos, o au-

maior concentração nacional, quantidade

Outros destaques também são os mo-

tódromo internacional Nélson Piquet com

adequada de táxis, empresas de turismo,

numentos e prédios públicos, de formas

grandes atividades esportivas nacionais

locadoras de veículos e passeios turísticos de helicóptero.

sac@vozdebrasilia.com.br

121


Brasília 50 anos

122

Anuário Brasileiro


BrasĂ­lia 50 anos Fatos importantes de 2009.

124

AnuĂĄrio Brasileiro


DECLARAÇÃO DE AMOR A BRASÍLIA

Sandra Fayad

Amo teu horizonte plano, Onde ainda há Lobeira e Lobo-Guará. Amo teu areal desértico E as Pontes sobre o Paranoá. Amo tuas árvores tortas, Que sombreiam o Tamanduá. Amo a saudade que sinto Quando estou do lado de lá. Então eu volto ao teu seio quente, Que amamenta abundantemente Os caminhos retos Que ligam meus pais Aos meus netos.

Obs: Brasília fica no Planalto Central do Brasil; Lobeira –planta em extinção da qual depende o Lobo-Guará (animal em extinção) para sobreviver; Tamanduá-Bandeira (animal em extinção);Paranoá é o Lago artificial que banha a cidade.

sac@vozdebrasilia.com.br

125


Artigos A conjuntura econômica

P

elo efeito de propagação através

a de bens de capital traduz o adiamento

Nos dias de hoje, é amplamente re-

do comércio exterior, o clima de

das decisões de investimento, ante as in-

conhecido o papel das expectativas dos

recessão mundial, a partir da

certezas do marco econômico. A indústria

agentes econômicos na moldagem da

queda das exportações, contaminou a

automobilística brasileira sofre o maior im-

configuração da economia para o futuro. A

economia brasileira, no último trimestre de

pacto da recessão, com queda de 12,8%

esse respeito, vale mencionar que indica-

2008. Com efeito, o Produto Interno Bruto

na produção, no período de setembro/08

dores construídos por entidades distintas,

(PIB) nacional teve baixa de -3,6% no pe-

a setembro/09.

como a Confederação Nacional da Indús-

ríodo outubro/dezembro do ano de 2008,

A recuperação das economias asiá-

tria (CNI) e a Fundação Getulio Vargas

comparado com o trimestre anterior. Essa

ticas, lideradas pela China, sinaliza uma

(FGV) apontam na mesma direção. Assim

queda continuou a ocorrer, embora com

é que o índice de confiança do empresá-

menor intensidade, no primeiro trimestre

rio industrial da CNI alcançou, em julho de

deste ano, quando se verificou um recuo

2009, o nível de 58,2, traduzindo sensível

de -0,8%. Convém salientar, entretanto,

melhora no grau de confiança em relação a

que a contração do PIB observada nesses

janeiro, quando esse índice se situava em

dois trimestres, vista desde a ótica seto-

47,4. Por seu turno, o índice de confiança

rial, é claramente assimétrica.

da indústria, elaborado pela FGV, refletiu,

A profundidade da recessão brasi-

entre julho e agosto deste ano, melhora da

leira resulta da forte queda da produção

ordem de 6,2%, ao passar de 99,5 para

industrial que, trimestre contra trimestre,

105,7 pontos. Muito embora esses indica-

foi de - 8,2%, ao final de 2008, e -3,1%, no

dores, num e noutro caso, estejam ainda

início de 2009. Os dados similares para a

distanciados de seus valores máximos, é

agricultura e o comércio de bens, serviços

inquestionável a melhora observada nas

e turismo não apresentam perdas signifi-

expectativas.

cativas, capazes de explicar a intensidade

As expectativas dos industriais no pla-

da queda do PIB. No caso de serviços, já

no interno e o quadro positivo desenhado pela OECD sinalizam a reativação da ativi-

se observou uma certa recuperação, da ordem de 0,8%, no período de janeiro a março do corrente ano. As áreas da produção industrial mais fortemente afetadas pela quebra de ritmo da economia foram as indústrias produtoras de “commodities” (minérios, aço e celulose, por exemplo), assim como bens de consumo duráveis e bens de capital. O encolhimento do mercado mundial e do mercado interno reflete a queda da demanda de bens duráveis, face ao temor da perda do emprego, assim como

128

Anuário Brasileiro

Foto: Rodolfo Stuckert

reativação da demanda por “commodities”, a partir do primeiro e segundo trimestres deste ano. Aliado à política anticíclica do Governo, principalmente à renúncia fiscal seletiva para automóveis e produtos da “linha branca”, reanimou-se a demanda interna, ainda mais impulsionada pela

dade industrial no Brasil. Como consequência, conclui-se que está ocorrendo uma revisão mais otimista das previsões sobre a evolução do PIB e uma quase certeza de um crescimento econômico da ordem de pelo menos 4% em 2010, impulsionado pela recuperação da produção industrial.

expansão do crédito. A medida em que o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) ganha espaço, acentua-se a procura por bens de capital.

Antônio Oliveira Santos Presidente da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo


Economia Existe SIM economia pós-crise No Brasil a crise chegou tarde e foi embora cedo, contudo deixou o país mais fortalecido

saram de ajuda do governo, o desemprego aumentou e medidas dramáticas de resgate econômico foram tomadas. Embora a crise tenha se iniciado nos Estados Unidos e na Europa no fim de 2007, até setembro de 2008 o Brasil não havia sido atingido em nada. No terceiro trimestre do ano passado, o PIB brasileiro cresceu 6,8%, acima de seu potencial. Mas aí veio um dado novo: a quebra do banco Lehman Brothers, que provocou uma paralisação gradativa do sistema financeiro mundial. Houve um efeito drástico da concessão de financiamentos pelos bancos estrangeiros. No Brasil, 19% da oferta de Foto: Divulgação

crédito tinha origem externa. O colapso dessas linhas irradiou efeitos em cadeia, restringindo o crédito para as empresas. Há mais de um ano o mundo assistia

nanceiro do planeta, e nem os economis-

Ao mesmo tempo, os bancos nacionais

ao colapso do sistema financeiro nos Es-

tas, que agora dizem que já estamos no

deixaram de ter acesso a dinheiro lá fora.

tados Unidos, causado por problemas no

pós-crise, perceberam os sinais. Desde

Mas fique tranquilo, no Brasil a crise

mercado imobiliário de risco no país, mas

então, vários países entraram em reces-

chegou tarde e foi embora cedo, entre-

que teve um efeito tsunami no mercado fi-

são, empresas quebraram, bancos preci-

tanto saiu da turbulência global maior do

Fonte: dados Secex / arte Revista Veja

130

Anuário Brasileiro


sac@vozdebrasilia.com.br

131


Economia que entrou. “O fato de que o Brasil passou

dos avanços obtidos nos últimos 15 anos

lhões de dólares que dispunha em reser-

tão bem pela crise tinha mesmo de instilar

e também por causa da ação eficaz do

vas internacionais. Além disso, a demanda

confiança”, diz Kenneth Rogoff, da Univer-

governo, especialmente do Banco Cen-

doméstica estava aumentando ao ritmo

sidade Harvard, ex-economista-chefe do

tral, em meio à turbulência. “Chegamos a

de 9% ao ano, e as taxas de investimento

Fundo Monetário Internacional (FMI). Para

receber críticas por supostamente termos

eram crescentes. Com todo este cenário,

Jim O’Neill, do Goldman Sachs, e criador

agido tardiamente”, afirma o presidente do

nosso país não precisou “socorrer bancos”

da expressão Bric (o grupo de grandes

BC, Henrique Meirelles. “Agora, no entan-

com um centavo, como ocorreu em ou-

países emergentes, Brasil, Rússia, Índia

to, fica evidente que fizemos o diagnóstico

tros países. Mas não houve desemprego

e China), “o Brasil passou por essa crise

correto e soubemos agir para eliminar os

no Brasil? Claro que sim. O país perdeu

extremamente bem, e pode crescer a um

focos de contágio da crise no país, com o

inicialmente 600.000 vagas, mas já em

ritmo de 5% nos próximos anos”.

menor custo para a economia”, afirmou em

fevereiro de 2009 as contratações foram

setembro de 2009.

retomadas. Até o final do ano a produção

Agora estamos em plena recuperação, mas isso só pôde acontecer por causa

132

Anuário Brasileiro

O Brasil entrou na crise com 205 bi-

industrial ainda não tinha recuperado o ní-


vel pré-crise, mas crescido bastante.

Olinto, divulgou o resultado do Produto In-

nomia como um todo respondeu, mas sem

Por essas razões, no exterior, o Brasil

terno Bruto (PIB) do 4º trimestre e explicou

nenhum grande destaque, nenhuma coisa

é visto como dono de uma posição privile-

que o ano de 2008 foi “dividido em dois”

que você possa apontar como o pior variá-

giada, ainda mais agora após a descoberta

devido a crise econômica mundial. Olinto

vel afetado”, diz o coordenador.

do pré-sal, que é mais um elemento a con-

lembrou que, após três semestres de ro-

tribuir com as boas perspectivas do país. O

busto crescimento, o PIB brasileiro teve a

desafio será tirar proveito dessas riquezas,

maior queda da série histórica do instituto

investindo em educação, tecnologia e in-

no último trimestre, reagindo à intensifica-

fraestrutura.

ção da turbulência mundial. Mesmo assim,

O Brasil na crise

em 2008 o PIB brasileiro teve crescimento de 5,1%, segundo o IBGE. Queda no consumo das famílias e nos

Em março de 2009, o coordenador de

investimentos? É difícil apontar apenas

Contas Nacionais do Instituto Brasileiro de

“um possível vilão” para o resultado. “Foi

Geografia e Estatística (IBGE), Roberto

um impacto bem generalizado. A natureza bastante atípica dessa crise é que a eco-

Guerra, inadimplência... o que causou a crise econômica mundial? A causa da crise que vivemos foi o desequilíbrio na maior economia do mundo, os Estados Unidos, e segundo o professor do departamento de economia da Universidade de São Paulo (USP), Simão Davi Silber, os ataques de 11 de setembro têm

sac@vozdebrasilia.com.br

133


Economia a ver com isso. “Depois da ofensiva terrorista, o governo americano se envolveu em duas grandes guerras, no Iraque e Afeganistão, e começou a gastar mais do que deveria”, explica o professor.

O começo da crise em gráficos

mas se recuperou e encerrou com ganhos, como mostra o gráfico1. Isso possivelmente ocorreu devido a especulações sobre a carteira de ativos do banco, em grande

Uma semana antes do Lehman Bro-

parte ancorada em valores hipotecários,

Para piorar a situação, ao mesmo

thers, quarto maior banco de investimen-

que valia muito menos do que o original-

tempo em que o país investia dinheiro na

tos dos Estados Unidos, pedir concordata,

mente estimado minaram a confiança na

guerra, a economia interna já não ia muito

a Bovespa começou com fortes perdas,

instituição de 158 anos.

bem – uma das razões é que os Estados Unidos estavam importando mais do que exportando. Em vez de conter os gastos, os americanos receberam ajuda de países como China e Inglaterra. Com o dinheiro injetado pelo exterior, os bancos passaram a oferecer mais crédito, inclusive a clientes considerados de risco. Aproveitando-se da grande oferta a baixas taxas de juros, os consumidores compraram muito, principalmente imóveis, que começaram a valorizar. “A expansão do crédito financiou a bolha imobiliária, já que a grande procura elevou o preço dos imóveis”, diz Silber. Porém, depois disso, chegou uma hora em que a taxa de juros começou a subir, diminuindo a procura pelos imóveis e derrubando os preços. Com

Fonte: Último Segundo

isso, começou a inadimplência – afinal, as

Mas no dia 15 de setembro de 2008,

maiores operadores de empréstimos a ju-

pessoas já não viam sentido em continuar

os mercados sofreram fortes perdas. Nos

ros fixos de Wall Street e havia investido

pagando hipotecas exorbitantes quando

casos do Brasil e dos Estados Unidos,

fortemente em títulos ligados ao mercado

as propriedades estavam valendo cada

as quedas foram as maiores desde os

do chamado subprime, o crédito imobiliário

vez menos.

atentados de 11 de setembro de 2001. O

para pessoas consideradas com alto risco

Lehman Brothers era considerado um dos

de inadimplência.

Segundo dados de um artigo do economista André Lara Resende, a dívida total dos Estados Unidos (setor público, empresas e famílias) alcançou 360% do PIB do país em 2008, nível superior ao de 1929 (300%), e mais que o dobro da média entre 130% e 160% do PIB registrada entre as décadas de 50 e 80.

134

Anuário Brasileiro

Depois da ofensiva terrorista, o governo americano se envolveu em duas grandes guerras, no Iraque e Afeganistão, e começou a gastar mais do que deveria.”


Três dias depois, em 18 de setembro de 2008, o Federal Reserve (Fed, o banco central americano) anunciou uma injeção de US$ 180 bilhões nos mercados para enfrentar as turbulências profundadas pela falência do banco Lehman Brothers e os problemas da seguradora AIG. Tratavase , portanto, de uma ação coordenada com as principais instituições bancárias centrais do mundo. O Fed informou que fechou acordos “swaps” com o Banco Central Europeu (BCE), o Banco Nacional da Suíça, o Banco da Inglaterra (BoE), o Banco do Japão e o Banco do Canadá. Um acordo “swap” permite a dois bancos centrais emprestar de modo recíproco liquidez a curto prazo, quando um deles necessita de dinheiro para estabilizar o sistema fiFonte: Último Segundo

nanceiro do país.

IBGE: crise não piorou, mas estabilizou emprego O gerente da pesquisa de emprego do IBGE, Cimar Azeredo, disse em maio de 2009 que os dados do mercado de trabalho referentes à abril e ao primeiro quadrimestre deste do ano mostram que a “a crise não piorou, mas estabilizou o mercado de trabalho em relação ao ano passado”. O resultado surpreende positivamente, já que a nossa expectativa era de aumento no desemprego no país, uma vez que os sinais são de deterioração no mercado de trabalho. A taxa caiu de 9% em março para 8,9% em abril, uma queda estatisticamenFonte: Último Segundo

te irrelevante segundo as palavras do próprio Azeredo.

sac@vozdebrasilia.com.br

135


Economia De acordo com Azeredo, “estamos em um momento de alerta, de atenção no mercado de trabalho”. Para ele, a expectativa agora é sobre quando haverá inflexão na taxa de desemprego, com geração de postos. “A grande ansiedade é sobre quando o mercado vai gerar postos de trabalho”, disse. De qualquer modo, segundo Azeredo, “apresentar dados como esses (de abril) em um momento de crise, de certa forma, é positivo”.

China teve forte crescimento em tempos de crise mundial No primeiro momento a crise financeira não poupou nenhum país ou continente, até mesmo a China perdeu, pois sua economia desacelerou para 9% no terceiro trimestre de 2008. A economia chinesa

136

Anuário Brasileiro

havia crescido 10,6% no primeiro trimestre

com a perda de fôlego da economia mun-

de 2008 e 10,1% no segundo, já afetada

dial. Atolada de produtos até o pescoço

pelos efeitos da crise das hipotecas nos

por causa do cancelamento de encomen-

EUA e pelas medidas de controle macroe-

das das grandes economias, a saída foi

conômico adotadas por Pequim para evitar

concentrar esforços em outras regiões,

o superaquecimento. A crise fez o mundo

como a América Latina, o que atrapalha

todo pôr o pé no freio, e a China não é ex-

a vida do Brasil no mercado interno e nos

ceção.

países que compram a produção nacional.

Mas neste ano a situação mudou e o

Segundo o vice-presidente da Asso-

país asiático ficou ainda mais agressivo

ciação de Comércio Exterior do Brasil


(AEB), José Augusto de Castro, a balança

zer encomendas mais variadas e em vo-

tre de 2010. Ele afirmou ainda que o gover-

comercial brasileira, que aponta queda de

lumes menores. Além disso, houve uma

no deve visar manter a inflação ao consu-

17,17% nas importações da China, não é

redução média nos preços de 10%.”

midor em 3% no ano que vem.

motivo para tranquilidade. “A China está

O resultado de tudo isso, divulgado no

O PIB (Produto Interno Bruto) chinês

com mais apetite. Só houve retração por-

final de 2009 pelo ministro do Comércio,

cresceu 8,9% no terceiro trimestre e o índi-

que caiu o número de pedidos de bens de

Chen Deming, “a economia da China pode

ce de preços ao consumidor caiu 0,5% em

capital. Já os bens de consumo continuam

crescer cerca de 8% em 2010”. Ele afirmou

outubro de 2009. O bom momento da eco-

invadindo o Brasil.”

que a expansão de 2009 foi boa e fornece-

nomia é consequência direta das medidas

rá uma base sólida para o ano que vem.

adotadas pelo governo chinês desde que

Gerente de uma grande importadora de São Paulo, que desenvolve e vende

Já o pesquisador Yu Bin, do Centro

foi atingido pela crise: um grande plano de

confecções no país e fabrica na China,

Estatal de Desenvolvimento e Pesquisa,

recuperação de mais de US$ 500 bilhões

Claudio Burghera diz que os asiáticos es-

disse que o crescimento da China irá atin-

em dois anos, destinados principalmente

tão mais maleáveis nas negociações em

gir 10% neste trimestre em relação a igual

aos investimentos, flexibilização da políti-

razão da dificuldade de vender aos países

período do ano passado e irá expandir-se

ca monetária e medidas fiscais de apoio à

mais debilitados. “Antes era mais difícil fa-

ainda mais fortemente no primeiro trimes-

indústria.

sac@vozdebrasilia.com.br

137


Economia O que virá depois da tormenta

“As finanças americanas precisam passar por uma profunda reforma. O que queremos é um sistema financeiro que não desperdice recursos e que sirva bem

Em setembro de 2009 a Revista Veja

às pessoas. Contudo, as fortes conexões

publicou uma matéria especial falando so-

entre Wall Street e Washington não per-

bre a crise e foi atrás de renomados es-

mitem ter muita esperança de que serão Foto: Divulgação

pecialistas internacionais para avaliarem as perspectivas econômicas e sociais do mundo que emergirá da pior crise financeira desde 1929. A matéria foi publicada na edição 2130 de autoria de Giuliano Guandalini com reportagem de Benedito Sverberi e Luís Guilherme Barrucho. Confira o que os especialistas disseram à revista sobre a crise.

feitas mudanças significativas. No que diz respeito ao Brasil, assim como em outros grandes emergentes, um ponto fundamen-

Edmund Phelps

tal é batalhar pelo aumento da competitivi-

Ganhador do Nobel de

dade. É importante pôr em prática políticas

Economia de 2006

de redução de impostos e de estímulo à

“A demanda por investimentos nos

produtividade.”

EUA continuará fraca, o que pode ser uma oportunidade para a América Latina atrair recursos. O sistema financeiro não escapará de uma ampla reformulação. Haverá mudanças regulatórias no mercado de hipotecas, no funcionamento das agências

Duncan Niederauer Presidente da Bolsa de Nova York

que não eram de maneira alguma regulados passarão a ser. Teremos de nos preocupar ainda com a perda de dinamismo nos ganhos de produtividade do setor privado.” Demetrios Papademetriou

“A grande lição que os Estados Unidos

Presidente do Instituto de

tomaram com a crise é que a falta de re-

Política Migratória

gulação e de transparência constituiu uma

“Reduziu-se a intenção das pessoas

fórmula extremamente perigosa. Aprende-

de deixar países mais pobres em busca

mos, principalmente, que a existência de

de novas oportunidades. Se o mercado de

mento dos negócios a longo prazo. Reverter essa falha nada tem a ver com regula-

Foto: Divulgação

muita alavancagem financeira, boa parte dela não fiscalizada, impede o desenvolvi-

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

de “rating” e nos bancos. Assim, setores

trabalho das economias avançadas demorar a se recuperar, é provável que ocorram mudanças estruturais nos fluxos migrató-

ção excessiva. Trata-se apenas de tornar

Edward Prescott

rios. Nos EUA, já existem pessoas adian-

mais eficiente um mercado que se tornou

Ganhador do Nobel de

do sua aposentadoria e aposentados que

imenso em nosso país.”

Economia de 2004

voltaram ao batente. Esse é um elemento

138

Anuário Brasileiro


que pode restringir as oportunidades para

Foto: Divulgação

os imigrantes.”

John Taylor Professor da Universidade Stanford “O Brasil e outros grandes países emergentes alinharam-se, nos últimos anos, a boas práticas de política monetária e fiscal. Assim, conseguiram sair-se relativamente bem durante a crise, se comparados às economias desenvolvidas. No atual momento, meu temor é que os estrategistas econômicos ao redor do mundo passem a

...Já a China e o Brasil se saíram melhor do que se esperava..” mos foi a debilidade da Europa, onde uma

investimentos JP Morgan Chase oferece

dezena de governos caiu desde o início da

resgatar o rival Bear Stearns. O FMI alerta

crise. Já a China e o Brasil se saíram me-

para a crise do crédito.

lhor do que se esperava. De modo geral, vimos um crescimento da ação do estado

COLAPSO GLOBAL

na economia em todo o mundo. Foi a sa-

7 de setembro de 2008

ída possível para que se evitasse um mal

Resgate das empresas Fannie Mae e

maior. Passada essa fase, os governos,

Freddie Mac: O governo dos EUA anuncia

sem dúvida, terão um peso maior nas eco-

o resgate das gigantes das hipotecas Fan-

nomias relativamente ao que se viu nas

nie Mae e Freddie Mac, evitando o colapso

últimas duas décadas.”

do mercado imobiliário americano. 15 de setembro de 2008

A cronologia da crise econômica mundial

Fonte: BBC Brasil

confiar demais em políticas de intervenção do estado na economia. Não gostaria de

PÂNICO FINANCEIRO

ver uma regressão nesse aspecto.”

9 de agosto de 2007 Congelamento do Mercado de Crédito: O banco Francês PNB Paribas suspende o resgate de três fundos hedge por falta de liquidez. Os bancos centrais intervêm. 14 de setembro de 2007 Começa a queda no sistema bancário

Foto: Divulgação

dos EUA: Os problemas no mercado de

Moisés Naím

crédito fazem subprime Northern Rock pedir ajuda ao banco central britânico, o Bank of Egalnd. Cinco meses depois, o Northern Rock é nacionalizado.

Ex-diretor do Banco Mundial

17 de março de 2008

“A grande surpresa negativa que tive-

Resgate do Bear Sterns: O banco de

Lehman Brothers anuncia concordata: O banco Lehman Brothers anuncia a concordata depois da recusa do governo dos EUA em resgatar a instituição. As bolsas dos EUA caem 3%. O Bank of America compra o Merrill Lynch. 16 de setembro de 2008 Resgate da AIG: A seguradora AIG, que emitiu garantias de crédito para empréstimos de subprime, é resgatada com um pacote de US$85 bilhões do Tesouro dos EUA. 19 de setembro de 2008 Tesouro anuncia pacote de resgate de US$700 bilhões: O secretário do Tesouro americano, Henry Paulson, faz um pedido para aprovação de um pacote de emergência de US$700 bilhões, finalmente aprova-

sac@vozdebrasilia.com.br

139


Economia A situação atual é de piora das turbulências, especialmente nos Estados Unidos, com o aumento do desemprego.”

do em outubro. 21 de setembro de 2008 Fim do modelo de bancos de investimentos: Goldman Sachs e Morgan Stanley abandonam o status de banco de investimentos. Washington Mutual é fechado. 6 de outubro de 2008 No Brasil: Banco Central é autorizado a comprar carteiras de créditos de bancos em dificuldades financeiras. 12 de outubro de 2008 A Europa apresenta um plano de resgate do sistema bancário: As principais economias européias anunciam um esquema bilionário para resgatar os bancos. 22 de outubro de 2008 Compra de licitação: Bancos públicos brasileiros recebem autorização para comprar, sem licitação, participação em instituições financeiras. TENTATIVAS DE RECUPERAÇÃO 15 de novembro de 2008 Cúpula do G20 em Washington: Líderes dos países que formam o G20 se comprometem a trabalhar para endurecer a regulamentação financeira do futuro. 11 de dezembro de 2008 Pacote brasileiro: Brasil anuncia pacote anti-crise com corte de impostos. 14 de fevereiro de 2009 Plano de recuperação dos EUA gera temor de protecionismo: O Congresso dos EUA aprova um pacote de estímulo de US$787 bilhões, e o G7 pede que se evite o protecionismo. 9 de março de 2009 Dow Jones inicia a recuperação: O ín-

140

Anuário Brasileiro

dice da Bolsa de Nova York atinge o mínimo de 6.547,05 e começa a se fortalecer. 2 de abril de 2009

A crise acabou? Ao contrário do que se apregoa em vá-

Cúpula do G20 em Londres: Líderes

rios setores da economia, o fundo do poço

mundiais destinam US$1,1 trilhão ao FMI

da crise mundial ainda está por vir. Para o

para ajudar países emergentes.

economista norte-americano, professor de

13 de agosto de 2009

Ciências Sociais do Instituto de Estudos

França e Alemanha saem da recessão:

Avançados da Universidade de Princeton

Os dois países registram crescimento eco-

e prêmio Nobel de Economia, Eric Maskin,

nômico. No entanto, a zona do euro conti-

muitos países ainda vão chegar ao fundo

nua em recessão.

do poço da crise, entre o final de 2009 e o

20 de outubro de 2009

início de 2010, para só depois iniciar uma

O Produto Interno Bruto (PIB) da Chi-

efetiva recuperação. “A situação atual é

na cresceu 8,9% no terceiro trimestre, na

de piora das turbulências, especialmente

comparação com um ano antes. Nos nove

nos Estados Unidos, com o aumento do

primeiros meses do ano, a economia do

desemprego.”

país expandiu-se a uma taxa de 7,7%, so-

O especialista prevê ainda a possibili-

mando 21,78 trilhões de yuan (US$ 3,18

dade de que, em pouco tempo, a economia

trilhões).

norte-americana tenha que pedir dinheiro

23 de novembro de 2009

emprestado para a China em função de o

O Produto Interno Bruto (PIB) dos pa-

país asiático estar entre um dos privilegia-

íses da Organização para a Cooperação

dos que já dão sinais de recuperação da

e Desenvolvimento Econômico (OCDE)

crise. Tudo indica que os chineses devem

avançou 0,8% no terceiro trimestre, na

voltar aos patamares de crescimento, de

comparação com os três meses anterio-

cerca de 10% ao ano, verificados antes de

res.

eclodir a crise, em outubro do ano passa11 de dezembro de 2009

do. Ao lado da China, o economista cita

A Bolsa brasileira operou em alta du-

ainda o Brasil e a Índia como símbolos de

rante todo o pregão, refletindo a alta das

que é possível alcançar crescimento eco-

ações lá fora. No fim do dia, marcava

nômico. “São bons exemplos a serem se-

68.728 pontos -novo pico no ano.

guidos sobre como superar crises.”


chegaram a exceder em até 100 vezes a capacidade monetária dos bancos. Maskin explica que o sistema em questão deveria se basear na intervenção e regulamentação do governo sobre as entidades bancárias. “Não sabemos o que vai acontecer agora. É possível que ocorram novas crises como a atual, pois mesmo com todas as turbulências esse sistema de proteção ainda não foi projetado.” Entretanto, durante seu programa semanal Café com o Presidente, no dia 20 de novembro de 2009, o presidente Lula afirmou que qualquer um que acompanha o cenário político-econômico internacional Foto: Divulgação

sabe que o mundo está saindo da crise. Segundo ele, o Brasil provou, durante o período de instabilidade econômica, que o papel do Estado é importante e que o mercado não resolve tudo. “O Brasil tomou todas as medidas para

O Brasil tomou todas as medidas para que a gente pudesse ser o último país a entrar na crise e ser o primeiro a sair dela...”

que a gente pudesse ser o último país a entrar na crise e ser o primeiro a sair dela, e ter um crescimento extraordinário como estamos tendo nessa fase do ano. Mas o país precisa se manter tranquilo, porque 2010 será um ano muito importante.” Lula insistiu que micro, pequenas e médias empresas devem investir em inovação e ressaltou que esta é a única forma

Maskin explicou, em sua apresenta-

grande falha do sistema regulatório que

ção, as formas como a Teoria do Desenho

atua junto às instituições financeiras dos

de Mecanismos, desenvolvida por ele para

Estados Unidos. “Infelizmente, o sistema

que os economistas possam distinguir si-

regulatório norte-americano estava longe

tuações favoráveis e desfavoráveis para

de ser o adequado, permitindo que os ban-

operações de mercado, pode colaborar

cos fizessem empréstimos para pessoas

para prevenir turbulências futuras. Para

que não tinham como pagar.”

o especialista, a crise foi gerada por uma

de competir em um mundo globalizado, sobretudo nas exportações. Ele ressaltou ainda que os empresários brasileiros estão preocupados, uma vez que o país conta com poucas empresas que discutem inovação.

As dívidas, segundo o economista, sac@vozdebrasilia.com.br

141


Economia Luz em uma das piores crises já vistas Se existem pessoas que acreditam que o fundo do poço da crise mundial ainda está por vir, por outro existem dados que provam que em meio à tempestade, o Brasil, seu mercado interno e suas empresas subiram de patamar. Segundo a revista Exame Melhores e Maiores empresas de 2008, o faturamento conjunto das 500 maiores empresas brasileiras cresceu 5% em termos reais sobre os resultados espetaculares de 2007. “Fomos atingidos, sim e

142

Anuário Brasileiro

não poderia ser diferente numa economia

da redação, nem da equipe técnica que as-

que cada vez mais se abre para o mundo.

sessora a publicação e analisa as demons-

Mas, diante dos golpes, demonstramos

trações contábeis enviadas pelas empre-

uma capacidade surpreendente de resis-

sas. As melhores empresas identificadas

tência” comenta a diretora de redação,

em 18 setores da economia despontam

Cláudia Vassallo.

pelo sucesso que obtiveram na condução

Nas próximas páginas você poderá

de seus negócios e na disputa de mercado

conferir o “ranking” das melhores e maio-

com as concorrentes no ano que passou

res empresas do Brasil, que passaram por

comparativamente ao exercício anterior”.

critérios rigorosos empregados no cálculo

Colocaremos apenas as classifica-

da pontuação que determina as empresas

ções, mas vale a pena conferir o histórico

campeãs em cada setor. E a equipe da

e curiosidades de cada empresa no site:

Exame avisa “não é uma escolha arbitrária

http://portalexame.abril.com.br


1000 maiores empresas 64 Companhia Hidro Elétrica do São Franscisco ‐ Chesf Chesf Energia 65 Nokia do Brasil Tecnologia Ltda Nokia Eletroeletrônico 66 Louis Dreyfus Commodities Brasil S/A Ldc Produção Agropecuária 67 Jbs S/A Jbs Bens de Consumo 68 Basf S.A. Basf Química e Petroquímica 69 Adm do Brasil Ltda Adm Produção Agropecuária 70 Votorantim Cimentos Brasil S/A Votorantim Cimentos Indústria da Construção 71 Tim Nordeste S.A Tim‐Ne Telecomunicações 72 Companhia de Gás de São Paulo‐ Comgás Comgás Energia 73 Samsung Eletrônica da Amazônia Ltda Samsung Eletroeletrônico 74 Makro Atacadista S.A. Makro Atacado 75 Cnh Latin América Ltda Case New Holland Autoindústria 76 Construtora Norberto Odebrecht S.A. Odebrecht Indústria da Construção 77 Lojas Americanas S.A. Lojas Americanas Varejo 78 Suzano Papel e Celulose S.A. Suzano Papel e Celulose 79 Robert Bosch Ltda. Robert Bosch Autoindústria 80 Celesc Distribuição S/A Celesc Distribuição Energia Energia 81 Copersucar Coop de Prod de Cana‐Açúcar, Açúcar e Álcool EsCopersucar 82 Volvo do Brasil Veículos Ltda. Volvo Autoindústria 83 Companhia de Eletricidade do Estado da Bahia Coelba Energia 84 Arcelor Mittal Inox Brasil S/A Arcelor Mittal Inox Siderurgia e Metalurgia 85 Centrais Elétricas do Norte do Brasil S.A. Eletronorte Eletronorte Energia 86 Natura Cosméticos S.A.   Natura Bens de Consumo 87 Hewlett‐Packard Brasil Ltda HP Indústria Digital 88 Mmc Automotores do Brasil Ltda Mitsubishi Motors Autoindústria 89 Coamo Agroindustrial Cooperativa Coamo Produção Agropecuária 90 Construções e Comércio Camargo Corrêa S.A. Camargo Corrêa Indústria da Construção 91 Globex Utilidades S.A. Ponto Frio Varejo 92 Ibm Brasil Indústria de Máquinas e Serviços Ltda. Ibm Indústria Digital 93 Americel S/A Americel Telecomunicações 94 Samarco Mineração S.A. Samarco Mineração 95 B2 W‐ Companhia Global do Varejo B2 W Varejo 96 Kraft Foods Brasil S.A. Kraft Foods Bens de Consumo 97 Arthur Lundgren Tecidos S.A. Casas Pernambucanas Casas Pernambucanas‐Sp Varejo 98 Petrobrás Transporte Sa. ‐ Transpetro Transpetro Transporte 99 Gerdau Comercial de Aços S.A. Gerdau Comercial de Aços Siderurgia e Metalurgia 100 Pirelli Pneus Ltda Pirelli Pneus Autoindústria 101 Klabin S.A. Klabin Papel e Celulose 102 Ampla Energia e Serviços S.A Ampla   Energia 103 Distribuidora de Prod. de Petróleo Ipiranga S.A. Ipiranga Distribuidora Atacado 104 Cemig ‐ Geração e Transmissão S/A Cemig Gt Energia 105 Bayer S/A Bayer Química e Petroquímica 106 Weg Equipamentos Elétricos S/A Weg Equipamentos Bens de Capital 107 Elektro Eletricidade e Serviços S.A Elektro Energia 108 Construtora Andrade Gutierrez S.A. Andrade Gutierrez Indústria da Construção 109 Quattor Químicos Básicos S/A Quattor Químicos Química e Petroquímica 110 Martins Comércio e Serviços de Distribuição S.A. Grupo Martins Atacado 111 Fertilizantes Heringer S.A. Heringer Química e Petroquímica 112 Companhia Brasileira de Alumínio Cba Siderurgia e Metalurgia 113 Lg Electronics de São Paulo Ltda Lg Indústria Digital 114 Amaggi Exportação e Importação Ltda Amaggi Atacado 115 Mrs ‐ Logística S/A Mrs Transporte 116 Companhia Energética de Pernambuco ‐ Celpe Celpe Energia 117 Siemens Ltda. Siemens Eletroeletrônico 118 Sendas Distribuidora S.A. Sendas Varejo Syngenta Química e Petroquímica 119 Syngenta Proteção de Cultivos Ltda 120 Goodyear do Brasil Produtos de Borracha Ltda Goodyear Autoindústria 121 Companhia Estadual de Águas e Esgotos Cedae Serviços 122 Du Pont do Brasil S.A. Du Pont Química e Petroquímica 123 Dow Brasil S.A. Dow Química e Petroquímica 124 Liquigás Distribuidora S.A. Liquigás Energia 125 Shv Gás Brasil Ltda. Shv Gás Energia 126 Ambev Brasil Bebidas Ltda Ambev Bebidas Bens de Consumo 127 V & M do Brasil S.A V&M Siderurgia e Metalurgia

sac@vozdebrasilia.com.br

2.504,90 2.468,70 2.464,80 2.396,40 2.390,40 2.353,70 2.283,70 2.257,40 2.229,00 2.218,70 2.216,70 2.213,50 2.172,90 2.168,70 2.166,80 2.164,10 2.128,50 2.087,80 2.087,20 2.067,60 2.040,60 2.035,00 2.032,10 2.031,30 2.023,80 2.007,90 1.984,60 1.982,90 1.954,90 1.925,60 1.888,60 1.870,60 1.802,80 1.792,60 1.791,20 1.776,50 1.732,00 1.707,10 1.704,30 1.700,90 1.687,20 1.671,90 1.654,60 1.652,00 1.651,30 1.646,50 1.615,10 1.603,70 1.592,40 1.574,80 1.557,10 1.510,80 1.510,60 1.501,70 1.492,60 1.483,80 1.465,50 1.465,00 1.462,20 1.459,30 1.458,30 1.452,60 1.444,90 1.435,60

143


1000 maiores empresas 128 Companhia Brasileira de Meios de Pagamento Visanet 129 Electrolux do Brasil S.A. Electrolux 130 Alunorte ‐ Alumina do Norte Brasil S.A Alunorte 131 Johnson & Johnson do Brasil Ind. Com. Prods Saúde Ltda Johnson & Johnson 132 Atacadão Distribuição Comércio e Indústria Ltda Atacadão 133 Amil Assistência Médica Internacional Ltda Amil 134 Tractebel Energia S.A. Tractebel Energia 135 Seara Alimentos S.A. Seara 136 Yara Brasil Fertilizantes S.A. Yara 137 Celg Distribuição S/A Celg 138 Caraíba Metais S.A. Caraíba 139 Pepsi Co do Brasil Ltda Pepsico 140 Alcoa Alumínio S.A. Alcoa 141 Cesp ‐ Companhia Energética de São Paulo Cesp 142 Bandeirante Energia S.A Bandeirante 143 Companhia Brasileira de Metalurgia e Mineração Cbmm 144 Profarma Distribuidora de Produtos Farmacêuticos S/A Profarma 145 Aços Villares S.A. Aços Villares 146 Companhia Piratininga de Força e Luz Cpfl ‐ Piratininga 147 White Martins Gases Industriais Ltda White Martins‐Se 148 Mosaic Fertilizantes do Brasil S.A Mosaic 149 Lojas Renner S.A. Renner 150 Distribuidora Farmacêutica Panarello Ltda Panarello 151 Construtora Queiroz Galvão S.A. Queiroz Galvão 152 Companhia Energética do Ceará Coelce 153 Sanofi‐Aventis Farmacêutica Ltda Sanofi‐Aventis 154 Rhodia Poliamiada e Especialidades Ltda Rhodia 155 Votorantim Celulose e Papel S.A Vcp 156 Imcopa Importação, Exportação e Indústria de Óleos S/A Imcopa 157 Cooperativa Central Oeste Catarinense Aurora 158 Magazine Luiza S.A. Magazine Luiza 159 Vrg Linhas Aéreas S/A Varig 160 Companhia Ultragaz S.A. Ultragaz 161 Aracruz Celulose S.A. Aracruz 162 Caterpillar Brasil Ltda. Caterpillar 163 Rio Grande Energia S.A Rge 164 Confab Industrial S.A Tenaris Confab 165 Empresa Brasileira de Infra‐Estrutura Aeroportuária Infraero Infraero 166 Lojas Riachuelo S.A.E Controlada Lojas Riachuelo 167 Novartis Biocências S/A Novartis 168 14 Brasil Telecom Celular S.A. Brasil Telecom Celular 169 Companhia Distribuidora de Gás do Rio de Janeiro ‐ Ceg Ceg 170 Sotreq S.A. Sotreq 171 Eaton Ltda. Eaton 172 Novelis do Brasil Ltda. Novelis 173 Aliança Navegação e Logística Ltda Aliança 174 Spal Indústria Brasileira de Bebidas S.A. Spal 175 Duratex S.A. Duratex 176 Quattor Petroquímica S.A. Quattor 177 Companhia Estadual de Distribuição de Energia Elétrica ‐ CeeCeee 178 Telemig Celular S.A Telemig Celular 179 Delphi Automotive Systems do Brasil Ltda. Delphi 180 Avon Cosméticos Ltda. Avon 181 Lg Eletrocnics da Amazonia Ltda Lg‐Am 182 Cia. de Saneamento de Minas Gerais Copasa 183 Dow Brasil Sudeste Industrial Ltda. Dow Brasil Sudeste 184 Marfrig Frigoríficos e Comércio de Alimentos S/A Marfrig 185 Minerva S/A Frigorífico Minerva 186 Redecard S.A. Redecard 187 Positivo Informática S/A Positivo 188 Ultrafértil S.A. Ultrafértil 189 Albras ‐ Alumínio Brasileiro S.A. Albras 190 Aes Sul Distribuidora Gaúcha de Energia S.A Aes Sul 191 Belgo Bekaert Arames Ltda Bba

144

Anuário Brasileiro

Serviços Eletroeletrônico Mineração Bens de Consumo Varejo Serviços Energia Bens de Consumo Química e Petroquímica Energia Siderurgia e Metalurgia Bens de Consumo Siderurgia e Metalurgia Energia Energia Mineração Atacado Siderurgia e Metalurgia Energia Química e Petroquímica Química e Petroquímica Varejo Atacado Indústria da Construção Energia Farmacêutico Química e Petroquímica Papel e Celulose Bens de Consumo Bens de Consumo Varejo Transporte Energia Papel e Celulose Autoindústria Energia Siderurgia e Metalurgia Serviços Varejo Farmacêutico Telecomunicações Energia Varejo Autoindústria Siderurgia e Metalurgia Transporte Bens de Consumo Indústria da Construção Química e Petroquímica Energia Telecomunicações Autoindústria Bens de Consumo Eletroeletrônico Serviços Química e Petroquímica Produção Agropecuária Bens de Consumo Serviços Indústria Digital Química e Petroquímica Siderurgia e Metalurgia Energia Siderurgia e Metalurgia

1.421,50 1.413,30 1.392,90 1.376,70 1.376,70 1.376,40 1.371,30 1.368,80 1.351,90 1.337,60 1.336,30 1.331,20 1.328,50 1.326,40 1.321,60 1.320,00 1.294,10 1.292,20 1.291,10 1.284,60 1.271,80 1.258,60 1.250,10 1.246,50 1.230,20 1.228,90 1.203,10 1.200,40 1.197,30 1.186,40 1.176,80 1.169,90 1.164,40 1.160,60 1.154,60 1.139,60 1.131,80 1.129,70 1.120,60 1.115,50 1.110,20 1.108,90 1.104,80 1.103,80 1.091,10 1.084,30 1.083,30 1.074,50 1.057,10 1.052,90 1.036,10 1.034,70 1.021,40 1.018,70 1.017,40 1.017,00 1.015,50 1.014,70 1.012,90 987,1 975,3 968 967,4 961,5

192 Mwm International Ind. de Motores da America Latina do SuMwm Internacional MotoreAutoindústria 193 Monsanto do Brasil Ltda. Monsanto Química e Petroquímica 194 Procter & Gamble do Brasil S.A. Procter & Gamble Bens de Consumo 195 Dedini S/A Indústria de Base Dedini Bens de Capital 196 Caramuru Alimentos S/A Caramuru Alimentos Produção Agropecuária 197 Arcos Dourados Comércio de Alimentos Ltda Mc Donald's Varejo 198 Agco do Brasil Comércio e Indústria Ltda Agco Autoindústria 199 Cummins Brasil Ltda Cummins Autoindústria 200 Rio de Janeiro Refrescos Ltda Rio de Janeiro Refrescos Bens de Consumo 201 International Paper do Brasil Ltda. International Paper Papel e Celulose 202 G. Barbosa Comercial Ltda G. Barbosa Varejo 203 Abb Ltda. Abb Bens de Capital Bens de Consumo 204 Cooperativa Central dos Produtores Rurais de Minas Gerais LItambé 205 Tupy S.A. Tupy Siderurgia e Metalurgia 206 Editora Abril S.A. Editora Abril Diversos 207 Espírito Santo Centrais Elétricas S.A. Escelsa Energia 208 Centrais Elétricas Matogrossenses S.A. Cemat Energia 209 Marisa Lojas Varejistas Ltda. Lojas Marisa Varejo 210 Lanxess Elastômeros do Brasil S/A Lanxess Química e Petroquímica 211 Petróleo Sabbá S.A. Petróleo Sabbá Atacado 212 3 M do Brasil Ltda. 3 M Química e Petroquímica 213 Doux Frangosul S.A. Agro Avícola Industrial Doux Bens de Consumo 214 C. Vale Cooperativa Agroindustrial C. Vale Produção Agropecuária 215 M. Dias Branco S/A Indústria e Comércio de Alimentos M. Dias Branco Bens de Consumo 216 Cpfl Comercialização Brasil S.A. Cpfl Brasil Energia 217 Tnl Contax S.A. Contax Serviços 218 Vale Manganês S.A e Controlada Vale Manganês Siderurgia e Metalurgia 219 Marcopolo S.A. Marcopolo Autoindústria 220 Medial Saúde S.A. Medial Saúde Serviços 221 Kimberly‐Clark Brasil Ind. Com. de Produtos Higiên. Ltda Kimberly‐Clark Bens de Consumo 222 Construtora Oas Ltda. Oas Indústria da Construção 223 Centrais Elétricas Pará S.A Celpa Energia 224 Perdigão S.A Perdigão Bens de Consumo 225 Cervejarias Kaiser Brasil S/A Kaiser Bens de Consumo 226 Rexam Beverage Can South América S/A Rexam Siderurgia e Metalurgia 227 Mahle Metal Leve S.A. Mahle Autoindústria 228 Lojas Insinuante Ltda. Insinuante Varejo 229 Fertilizantes Fosfatados S.A. ‐ Fosfértil Fosfertil Química e Petroquímica 230 Irmãos Bretas Filhos & Cia. Ltda. Bretas Varejo 231 Scania Latin América Ltda. Scania Autoindústria 232 Ceg Rio S.A Ceg Rio Energia 233 Copel Geração e Transmissão S/A Copel Energia 234 Unimed‐Rio Cooperativa de Trabalho Médico do Rj Ltda Unimed Rio Serviços 235 Companhia de Transmissão de Energia Elétrica Paulista Cteep Energia 236 Varig Logistica S.A Varig Log Transporte 237 Cia. Zaffari Comércio e Indústria Zaffari & Bourbon Varejo 238 Rio Polímeros S.A. Rio Polímeros Química e Petroquímica 239 Cooperativa Regional de Cafeicultores Em Guaxupé Ltda. Cooxupé Atacado 240 Cosan S.A. Indústria e Comércio Cosan Energia 241 São Paulo Alpargatas S.A. São Paulo Alpargatas Têxteis 241 Atento Brasil S/A Atento Serviços Spaipa Coca‐Cola Bens de Consumo 243 Spaipa Indústria Brasileira de Bebidas 244 Chocolates Garoto S.A. Garoto Bens de Consumo 245 Dma Distribuidora S.A. Dma Varejo 246 Bridgestone do Brasil Indústrias e Comércio Ltda. Bridgestone Autoindústria Bens de Consumo 247 Primo Schincariol Ind. de Cervejas e Refrigerantes do NordesSchincariol‐Ne 248 Usina da Barra S/A ‐ Açúcar e Álcool Usina da Barra Energia 249 Bhp Billiton Metais S.A. Bhp Billiton Mineração 250 Granol Indústria, Comércio e Exportação S.A. Granol Bens de Consumo 251 Aes Tietê S.A. Aes Tietê Energia 252 Tigre S/A ‐ Tubos e Conexões Tigre Indústria da Construção 253 Siderúrgica Barra Mansa S.A. Siderúrgica Barra Mansa Siderurgia e Metalurgia 254 Trw Automotive Ltda Trw Autoindústria 255 Fratelli Vita Bebidas S.A. Fratelli Vita Bens de Consumo

959,9 954,8 953,2 950,8 949,3 940,5 932,6 921,9 916,4 916 915,5 905,7 904,7 901,4 900,4 897,3 887 886,5 886,3 882,6 880,1 873,5 864,7 862,1 855,3 850,9 847,1 846,8 845,6 843,8 842,9 842,6 840,2 839,3 830,8 822 821,6 821,4 817,8 814,9 812,9 801,2 800,7 800,5 799,4 798,2 782,6 776 775,7 772,2 771,5 769,5 764,1 759,5 759,4 756,1 755,9 755 747,7 747,2 744,3 742,7 741,3 738,6


256 Produtos Roche Químicos e Farmacêuticos S.A. Roche Farmacêutico 257 Engevix Engenharia S.A. Engevix Indústria da Construção 258 Randon S/A Implementos e Participações Randon Autoindústria 259 Prezunic Comercial Ltda Prezunic Varejo 260 Gerdau Aços Especiais S/A Gerdau Aços Especiais Siderurgia e Metalurgia 261 Hypermarcas S/A Hypermarcas Bens de Consumo 261 Magneti Marelli Sistemas Automotivos Industria e Comércio Magneti Marelli Autoindústria 263 Alcatel‐ Lucent Brasil S.A Alcatel Eletroeletrônico 264 Eletrobrás Termonuclear S.A. Eletronuclear Eletronuclear Energia 265 Votorantim Cimentos N/Ne S.A Votorantim Cimentos N/NeIndústria da Construção 266 Empreendimentos Pague Menos S/A. Farmácia Pague Menos Varejo 267 Magnesita Refratários S/A Magnesita Mineração 268 Primo Schincariol Indústria de Cervejas e Refrigerantes S.A. Schincariol‐Sp Bens de Consumo 269 Julio Simões Logística S/A Grupo Júlio Simões Transporte 270 Cooperativa Agrária Agroindustrial Cooperativa Agrária Produção Agropecuária 271 J. Macêdo S/A J. Macêdo Bens de Consumo 272 Motorola Industrial Ltda Motorola Eletroeletrônico 273 Grendene S.A. Grendene Têxteis 274 Laboratórios Pfizer Ltda Pfizer Farmacêutico 275 Sol Coqueria Tubarão S/A Sol Coqueria Siderurgia e Metalurgia 276 Lojas Cem S.A Lojas Cem Varejo 277 Ericsson Telecomunicações S.A. Ericsson TelecomunicaçõesEletroeletrônico 278 Ccb‐ Cimpor Cimentos do Brasil Ltda Ccb Indústria da Construção 279 Comercial Automotiva Ltda. D Paschoal Varejo 280 Agrenco do Brasil S.A. Agrenco Atacado 281 Valeo Sistemas Automotivos Ltda Valeo Autoindústria 282 Oxiteno Nordeste S.A. Indústria e Comércio Oxiteno‐Ne Química e Petroquímica 283 Usiminas Mecânica S.A. Usiminas Mecânica Bens de Capital 284 Cooperativa Agroindustrial Lar Lar Produção Agropecuária 285 Holcim Brasil S.A. Holcim Indústria da Construção 286 Camargo Corrêa Cimentos Cauê Indústria da Construção 287 Drogaria São Paulo S/A Drogaria São Paulo Varejo 288 Vonpar Refrescos S.A. Vonpar Bens de Consumo 289 Clariant S.A. Clariant Química e Petroquímica 290 Companhia Energética do Maranhão Cemar Energia 291 Ripasa S.A. Celulose e Papel Ripasa Papel e Celulose 292 Ajinomoto Interamericana Indústria e Comércio Ltda Ajinomoto Bens de Consumo 293 Companhia de Saneamento do Paraná ‐ Sanepar Sanepar Serviços 294 Dow Agrosciences Industrial Ltda Dow Agro Química e Petroquímica 295 Cooperativa dos Agricultores da Região de Orlândia Carol Produção Agropecuária 296 Serviço Federal de Processamento de Dados ‐ Serpro Serpro Indústria Digital 297 A. Angeloni & Companhia Ltda. Angeloni Varejo 298 Ceb Distribuição S/A Ceb Energia 299 Itautec S/A Itautec Indústria Digital 300 Manaus Energia S/A Manaus Energia Energia Atacado 301 Cooperativa Agroindustrial dos Produtores Rurais do Sud. GoComigo 302 Leroy Merlin Companhia Brasileira de Bricolagem Leroy Merlin Varejo 303 Vicunha Têxtil S.A Vicunha Têxteis 304 M&G Polímeros Brasil S/A M&G Polímeros Química e Petroquímica 305 Delta Construções S.A. Delta Construções Indústria da Construção 306 Bianchini S.A. Indústria, Comércio e Agricultura Bianchini Bens de Consumo 307 Unimed ‐ Belo Horizonte Cooperativa de Trabalho Médico Lt Unimed Bh Serviços 308 Fertipar Fertilizantes do Paraná Ltda. Fertipar Química e Petroquímica 309 Nextel Telecomunicações Ltda Nextel Telecomunicações 310 Votorantim Metais Zinco S.A. Votorantim Metais Zinco Siderurgia e Metalurgia 311 Philip Morris Brasil Indústria e Comércio Ltda Philip Morris Bens de Consumo 312 A. Telecom S.A A. Telecom Telecomunicações 313 Drogasil S.A. Drogasil Varejo 314 Localiza Rent a Car S.A. Localiza Transporte 315 Cisa Trading S.A Cisa Atacado 316 Astra Zeneca do Brasil Ltda Astra Zeneca Farmacêutico 317 Coteminas S/A Coteminas Têxteis 318 Diplomata S.A. Industrial e Comercial Diplomata Produção Agropecuária 319 Solvay Indupa do Brasil S.A. Solvay Indupa Química e Petroquímica

734,8 727 726,8 723,9 720 709,1 704 701,6 697,2 688,9 688,6 680,9 675,7 673,8 671,8 671,6 670,6 670,4 666,1 662,3 658,9 657,9 653,5 653,1 643,9 643,9 641 640,8 639,8 634,5 628,1 627,2 625,6 624,7 622,7 621,7 621,3 619,4 617,3 616,8 616 616 612 610,4 608,7 607,5 607,3 605,6 601,7 596 595,3 595,3 591,2 591,1 591,1 590,6 589,4 589,1 588,2 586,3 584,4 581,5 580,7 577,8

320 Norsa Refrigerantes Ltda Norsa Bens de Consumo 321 Accenture do Brasil Ltda Accenture Serviços 322 Celulose Nipo‐Brasileira S.A. ‐ Cenibra Cenibra Papel e Celulose 323 Soc Benef Israelita Bras Hospital Albert Eisntein Hospital Albert Einstein Serviços 324 Cocamar Cooperativa Agroindustrial Cocamar Produção Agropecuária 325 Empresa Energética de Mato Grosso do Sul S.A. Enersul Energia 326 Copagaz Distribuidora de Gás Ltda. Copagaz Energia 327 Universal Leaf Tabacos Ltda. Universal Leaf Bens de Consumo 328 Golden Cross Assistência Internacional de Saúde Ltda Golden Cross Serviços 329 Villares Metals S.A. Villares Metals Siderurgia e Metalurgia 330 Cotia Vitória Serviços e Comércio S/A Cotia Trading Atacado 331 Cia. Importadora e Exportadora Coimex Coimex Atacado 332 Parmalat Brasil S.A Indústria de Alimentos Parmalat Bens de Consumo 333 Unimed Paulistana Sociedade Cooperativa de Trabalho Médi Unimed Paulistana Serviços 334 Alliance One Brasil Exportadora de Tabacos Ltda Alliance One Bens de Consumo 335 Drogarias Pacheco S/A Drogarias Pacheco Varejo 336 Utc Engenharia S.A. Utc Engenharia Indústria da Construção 337 Arcom S.A. Arcom Atacado 338 Eli Lilly do Brasil Ltda. Lilly Farmacêutico 339 Ericsson Serviços de Telecomunicações Ltda Ericsson Serviços 340 Votorantim Metais Níquel S/A Vmn Mineração 341 Coop Cooperativa de Consumo Coop Varejo 342 Termomecânica São Paulo S.A. Termomecânica Siderurgia e Metalurgia 343 Copebrás Ltda Anglo American ‐ CopebrásQuímica e Petroquímica 344 Lojas Colombo S/A Comércio de Utilidades Domésticas Lojas Colombo Varejo 345 Gr S.A. GRSA Serviços 346 Amsted Maxion Fundição e Equipamentos Ferroviários S.A Amsted Maxion Siderurgia e Metalurgia 347 Condor Super Center Ltda Supermercado Condor Varejo 348 Nova América S.A ‐ Agroenergia Usina Nova América Energia 349 Raia S/A Droga Raia Varejo 350 Companhia Riograndense de Saneamento ‐ Corsan Corsan Serviços 351 Companhia do Metropolitano de São Paulo ‐ Metrô Metrô Transporte 352 Intermédica Sistema de Saúde S.A. Intermédica Serviços 353 Cia. Energética do Rio Grande do Norte Cosern Energia 354 Mineração Maracá Indústria e Comércio S/A Mineração Maracá Mineração 355 Spdm Associação Paulista Para Desenvolvimento da Medicin Spdm Serviços 356 Semp Toshiba Amazonas S.A. Semp Toshiba‐Am Eletroeletrônico 357 Mineração Rio do Norte S.A. Mrn Mineração 358 Abc Indústria e Comércio S.A. Algar Agro Produção Agropecuária 359 Ldc Bioenergia S/A Ldc Bioenergia Energia 360 Repsol Ypf Brasil S.A. Repsol Ypf Energia 361 Integrada Cooperativa Agroindustrial Integrada Atacado 362 Google Inc Google Indústria Digital 363 Elevadores Atlas Schindler S.A Atlas Schindler Bens de Capital 364 Y. Yamada S.A. Comércio e Indústria Lojas Yamada Varejo 365 Philips da Amazônia Indústria Eletrônica Ltda. Philips da Amazônia Eletroeletrônico 366 Prysmian Energia Cabos e Sistemas do Brasil S.A. Prysmian Eletroeletrônico 367 Elekeiroz S.A. Elekeiroz Química e Petroquímica 368 Carioca Christiani‐Nielsen Engenharia S.A. Carioca Engenharia Indústria da Construção 369 Rio Negro Comércio e Indústria de Aço S.A. Rio Negro Siderurgia e Metalurgia 370 Companhia Paulista de Trens Metropolitanos ‐ Cptm Cptm Transporte 371 All‐ América Latina Logística Malha Sul S/A All Transporte 372 Suspensys Sistemas Automotivos Ltda Suspensys Autoindústria Varejo 373 Gazin Indústria e Comércio de Móveis e Eletrodomésticos LtdMóveis Gazin 374 Amico Saúde Ltda Dix Saúde Serviços 375 Concessionária do Sistema Anhanguera‐Bandeirantes S.A Auto Ban Serviços 376 Empresa Baiana de Águas e Saneamento S.A. Embasa Embasa Serviços 377 Usina Caeté S.A. Usina Caeté Energia 378 Saint‐Gobain Vidros S.A Saint‐Gobain Indústria da Construção 379 Reckitt Benckiser (Brasil) Ltda Reckitt Benckiser Bens de Consumo 380 Innova S.A. Innova Química e Petroquímica 381 Servimed Comercial Ltda Servimed Atacado 382 Sociedade de Ensino Superior Estácio de Sá Ltda Universidade Estácio de Sá Serviços 383 Trop Comércio Exterior Ltda Trop Atacado

sac@vozdebrasilia.com.br

573,6 572,9 572,6 571,8 570,1 570 568,7 568,4 566 564 555,6 555,1 555,1 555,1 555,1 554,4 553,9 546,3 545,2 539,5 539,1 538,5 538,4 537,8 535,7 535,7 534,5 531,3 530,9 528,8 527,5 526,4 519,5 517,5 510,7 510,4 510 509,6 506,9 506,6 504,1 500,3 500 499,5 499,5 497,4 492,7 492,7 492,4 491,8 491,3 490,6 490,2 490,1 488,7 487,8 485,8 485,3 481,8 479,6 479,2 478,1 477,3 473,5

145


1000 maiores empresas 384 Camil Alimentos S.A. Camil 385 Treelog S.A. ‐ Logística e Distribuição Treelog 386 Cia. de Ferro Ligas da Bahia Ferbasa Ferbasa 387 Eluma S.A. Indústria e Comércio Eluma 388 Cooperativa Regional Alfa Cooperalfa 389 Danone Ltda Danone 390 Akzo Nobel Ltda. Akzo Nobel 391 Borrachas Vipal S.A. Vipal 392 Metso Brasil Indústria e Comércio Ltda Metso 393 Santher ‐ Fábrica de Papel Santa Therezinha S.A. Santher 394 Thyssen Krupp Metalúrgica Campo Limpo Ltda. Tkmcl 395 Galvão Engenharia S/A Galvão 396 Sap Brasil Ltda Sap 397 Distribuidora Automotiva S/A Distribuidora Automotiva 398 Videolar S.A Videolar 399 Teksid do Brasil Ltda. Teksid 400 Aché Laboratórios Farmacêuticos S.A. Aché 401 Dimed S. A. Distribuidora de Medicamentos Panvel Farmácias 402 Magneti Marelli Cofap Cia. Fabricadora de Peças Magneti Marelli Cofap 403 Tradener Ltda Tradener 404 Energisa Paraiba ‐ Distribuidora de Energia S/A Energisa Pb 405 Companhia de Gás da Bahia Bahiagás 406 Guga Comércio de Alimentos Ltda Supermercados Bh 407 Arcelor Mittal Gonvarri Brasil Produtos Siderúrgicos S.A. Gonvarri 408 Tecidos e Armarinhos Miguel Bartolomeu S.A. Tambasa 409 Ems S.A Ems Sigma Pharma 410 Companhia de Telecomunicações do Brasil Central Algar Telecom 411 Bombril S.A. Bombril 412 Bm&F Bovespa S.A ‐ Bolsa de Valores, Mercadorias e FuturosBm&F Bovespa 413 Panasonic do Brasil Ltda. Panasonic 414 Kodak Brasileira Comércio de Produtos Para Imagem e ServiçKodak 415 Prosegur Brasil S.A. Transportadora de Valores e Segurança Prosegur 416 Coopavel Cooperativa Agroindustrial Coopavel 417 Dairy Partners Americas Brasil Ltda Dpa 418 Copacol ‐ Cooperativa Agroindustrial Consolata Copacol 419 Usina de Açúcar Santa Terezinha Ltda Usaçúcar 420 Polietilenos União S.A. Polietilenos 421 Sony Brasil Ltda Sony 422 Guararapes Confecções S.A. e Controladas Guararapes 423 Serasa S.A. Serasa 424 Sonda Supermercado Exportação e Importação Ltda Sonda 425 Eurofarma Laboratórios Ltda Eurofarma 426 Veracel Celulose S.A. Veracel 427 Grupo Seb do Brasil Produtos Domésticos Ltda Arno Panex 428 Cia. Hispano‐Brasileira de Pelotização ‐ Hispanobras Hispanobras 429 Aethra Sistemas Automotivos Ltda Aethra 430 Transportadora Brasileira Gasoduto Bolívia‐Brasil Sa. Tbg 431 Milenia Agrociências S/A Milenia 432 Gafisa S.A Gafisa 433 Carbocloro S.A Indústrias Químicas Carbocloro 434 Ficap S.A. Ficap 435 Gradiente Eletrônica S.A. Gradiente 436 Bracol Holding Ltda Bracol 437 Schneider Electric Brasil Ltda Schneider Electric 438 Officer Distribuidora de Produtos de Informática S.A. Officer 439 Owens‐Illinois do Brasil Indústria e Comércio S/A Cisper 440 Moinhos Cruzeiro do Sul S.A. Moinhos Cruzeiro do Sul 441 Companhia Nipo‐Brasileira de Pelotização ‐ Nibrasco Nibrasco 442 Oxiteno S.A. Indústria e Comércio Oxiteno 443 Mantecorp Logística, Distribuição e Comércio S/A Mantecorp Logística A 444 Gran Sapore Br Brasil S/A Sapore 445 Iochpe‐Maxion S.A. Maxion 446 Ferrovia Centro‐Atlântica S.A Fca 447 Mangels Indústria e Comércio Ltda. Mangels

146

Anuário Brasileiro

Produção Agropecuária Atacado Siderurgia e Metalurgia Siderurgia e Metalurgia Produção Agropecuária Bens de Consumo Química e Petroquímica Autoindústria Bens de Capital Papel e Celulose Autoindústria Indústria da Construção Indústria Digital Atacado Indústria Digital Siderurgia e Metalurgia Farmacêutico Varejo Autoindústria Energia Energia Energia Varejo Siderurgia e Metalurgia Atacado Farmacêutico Telecomunicações Bens de Consumo Serviços Eletroeletrônico Química e Petroquímica Transporte Produção Agropecuária Bens de Consumo Produção Agropecuária Energia Química e Petroquímica Eletroeletrônico Têxteis Serviços Varejo Farmacêutico Papel e Celulose Siderurgia e Metalurgia Mineração Autoindústria Transporte Química e Petroquímica Indústria da Construção Química e Petroquímica Eletroeletrônico Eletroeletrônico Bens de Consumo Eletroeletrônico Atacado Diversos Bens de Consumo Mineração Química e Petroquímica Atacado Serviços Autoindústria Transporte Siderurgia e Metalurgia

472,2 470 469,4 468 467,9 466,3 466,3 466,1 463,3 462,2 461,6 459,6 458,7 458,4 458,2 457,4 455,8 454,6 453,6 453,2 452,8 451,4 449,6 446,1 445,5 445 444,9 441,7 441,4 440,3 439,7 438,3 435,7 435,2 434,6 434,2 431,1 426,3 426,1 424,4 424,1 423,6 422,9 419,2 418,7 417,4 416,1 416 415 413,9 413,7 413 411,5 406,8 406,6 406,6 406,1 405,2 405 404,5 403,7 403,4 403,3 402,4

448 S/A Usina Coruripe Açúcar e Álcool Usina Coruripe 449 Primo Schincariol Ind. de Cervejas Refrig. do Norte‐NordesteSchincariol N‐Ne 450 Cooperativa Agropecuária Castrolanda Castrolanda 451 Martin‐Brower Com.,Transportes e Serviços Ltda Martin‐Brower 452 Rigesa, Celulose Papel e Embalagens Ltda. Rigesa 453 Cemaz Industria Eletronica da Amazonia S/A Cce‐Am 454 Transportadora Associada de Gás S/A Tag 455 Josapar ‐ Joaquim Oliveira S.A. Participações Josapar 456 Associação Congregação de Santa Catarina Hospital Santa Catarina 457 Companhia Energética de Alagoas ‐ Ceal Ceal 458 Facchini S.A Facchini 459 Enertrade Comercializadora de Energia S.A Enertrade 460 Cooperativa dos Cafeicultores e Citricultores de São Paulo Coopercitrus 461 Deten Química S.A. Deten Química 462 Biosintética Farmacêutica Ltda Biosintética 463 Wtorre Engenharia e Construção S/A W Torre 464 Amazônia Celular S.A Amazônia Celular 465 Orsa Celulose,Papel e Embalagens Sa. Orsa 466 Oracle do Brasil Sistemas Ltda. Oracle 467 Yoki Alimentos S.A. Yoki Alimentos 468 All ‐ América Latina Logística Malha Norte S/A e Suas Contro All ‐ Malha Norte 469 Frigorífico Mercosul S/A Frigorífico Mercosul 470 Avipal Nordeste S.A. Avipal‐Ne 471 Cálamo Distribuidora de Produtos de Beleza S/A Cálamo 472 Amanco Brasil Ltda Amanco 473 Duke Energy International ‐ Geração Paranapanema S/A Duke Energy 474 Agrale S.A. Agrale 475 Santa Clara Indústria e Comércio de Alimentos Ltda. Café Santa Clara 476 Companhia Energética do Piauí Cepisa 477 Companhia de Saneamento Ambiental do Distrito Federal Caesb 478 Tegma Gestão Logística S/A Tegma 479 Eit ‐ Empresa Industrial Técnica S.A. Eit 480 Usina Termelétrica Norte Fluminense S.A. Ute Norte Fluminense 481 Visteon Sistema Automotivos Ltda Visteon 482 Comercial Destro Ltda. Destro Macro Atacado 483 Ibrame Indústria Brasileira de Metais S.A Ibrame 484 Megafort Dist. Imp. e Exp. Ltda. Megafort Quanti Q 485 I Q Soluções & Química S.A. 486 Unimed Porto Alegre Soc. Cooperativa Trab. Médico Ltda Unimed Porto Alegre 487 Rio Branco Alimentos S.A Pif Paf 488 Louis Dreyfus Commodities Agroindustrial S/A Ldc Agroindustrial 489 Indústrias Romi S.A. Romi 490 Central Nacional Unimed ‐ Cooperativa Central Central Nacional Unimed 491 Super Mercado Zona Sul S.A. Zona Sul 492 Evonik Degussa Brasil Ltda Evonik Degussa 493 Cta ‐ Continental Tobaccos Alliance S/A Cta ‐ Continental 494 Arosuco Aromas e Sucos Ltda Arosuco 495 Cpm Braxis S.A. Cpm Braxis 496 Estaleiro Mauá S.A Estaleiro Mauá 497 S.A. Fábrica de Produtos Alimentícios Vigor Vigor 498 Supermix Concreto S.A. Supermix 499 Intelbras S.A. Indústria de Telecomunicação Eletrônica Brasil Intelbras 500 Casa da Moeda do Brasil Casa da Moeda 501 Belgo Bekaert Nordeste S/A Belgo Bekaert‐Ne 502 Valtra do Brasil Ltda Valtra 503 Ello ‐ Puma Distribuidora de Combustíveis S/A Ello‐Puma 504 Weg Automação S/A Weg Automação 505 Anglo Gold Ashanti Brasil Mineração Ltda Anglo Gold Ashanti 506 Universo Online S.A. Uol 507 Tortuga Cia. Zootécnica Agrária Tortuga 508 Diagnósticos da América S. A. Dasa 509 Multigrain S/A Multigrain 510 Mabe Itu Eletrodomésticos S/A Mabe Itu 511 Concessionária da Rodovia Presidente Dutra S.A Nova Dutra

Energia Bens de Consumo Produção Agropecuária Transporte Papel e Celulose Eletroeletrônico Transporte Produção Agropecuária Serviços Energia Autoindústria Energia Atacado Química e Petroquímica Farmacêutico Indústria da Construção Telecomunicações Papel e Celulose Indústria Digital Bens de Consumo Transporte Produção Agropecuária Bens de Consumo Atacado Indústria da Construção Energia Autoindústria Bens de Consumo Energia Serviços Transporte Indústria da Construção Energia Autoindústria Atacado Siderurgia e Metalurgia Atacado Química e Petroquímica Serviços Bens de Consumo Produção Agropecuária Bens de Capital Serviços Varejo Química e Petroquímica Bens de Consumo Bens de Consumo Indústria Digital Diversos Bens de Consumo Indústria da Construção Eletroeletrônico Serviços Siderurgia e Metalurgia Autoindústria Atacado Bens de Capital Mineração Indústria Digital Produção Agropecuária Serviços Atacado Eletroeletrônico Serviços

401,1 400,8 400,2 398,2 395,6 395,2 393,5 389,7 387,8 387,6 387,4 386,1 384,7 382,7 381,9 379 377,5 377,4 377,1 376,3 374,5 373 370 368,9 368,5 364,8 364,5 362,1 361,6 360 359,2 358,9 358,5 357,6 357,5 357,5 356,9 356,5 355,1 354,3 353,9 353,7 353,7 353,2 352,2 351,4 351,1 350,8 350,6 350,1 349,2 349,2 347,9 346,7 346,4 346,4 346,3 345,4 342,7 340,1 339,8 339,7 339,5 339,4


512 Companhia Nacional de Abastecimento Conab 513 Samsung Sdi Brasil Ltda Samsung Sdi 514 Líder Supermercados Magazine Ltda Supermercados Líder 515 Stemac S.A. Grupos Geradores Stemac 516 Sociedade Comercial e Importadora Hermes S.A Hermes 517 Saga S.A. Goiás de Automóveis Saga 518 Mendes Junior Trading e Engenharia S.A Mendes Junior 519 Pará Automóveis Ltda Green Automóveis 520 Ferramentas Gerais Comércio e Importação S.A Ferramentas Gerais 521 Unisys Brasil Ltda. Unisys 522 Merck S.A. Merck 523 Enesa Engenharia S.A. Enesa 524 Saneamento de Goiás S.A Saneago 525 Frigoestrela S/A Frigoestrela 526 S.A. O Estado de São Paulo Estadão 527 Corol Cooperativa Agroindustrial Corol 528 Petroquímica Triunfo S.A. Triunfo 529 Ppe Fios Esmaltados S/A Ppe Fios 530 Refrescos Guararapes Ltda Coca‐Cola Guararapes 531 Carvalho & Fernandes Ltda Comercial Carvalho 532 Voith Paper Máquinas e Equipamentos Ltda Voith Paper 533 Fiori Veícolo Ltda. Fiori 534 Batavo Cooperativa Agroindustrial Batavo 535 Refinaria de Petróleo Riograndense S.A Refinaria Riograndense 536 Lafarge Brasil S.A. Lafarge 537 Laboratórios Wyeth Whitehall Ltda Wyeth 538 Plascar Indústria de Componentes Plásticos Ltda. Plascar 539 Eucatex S.A. Indústria e Comércio Eucatex 540 Tavex Brasil S.A. Tavex 541 Sifco S.A. Sifco 542 Puras do Brasil S.A. Puras do Brasil 543 Intel Semicondutores do Brasil Ltda Intel 544 Nortel Networks Telecomunicações do Brasil Ltda Nortel 545 Monsanto Nordeste Ind. e Com. de Prod.Quimicos Ltda Monsanto‐Ne 546 Eletrosul Centrais Elétricas S.A Eletrosul 547 Companhia Estadual de Geração e Transmissão de Energia ElCeee‐Gt 548 Diageo Brasil Ltda Diageo 549 Rapidão Cometa Logística e Transporte S/A Rapidão Cometa 550 Unidasul Distribuidora Alimentíca S/A Unidasul 551 Companhia de Gás de Minas Gerais ‐ Gasmig Gasmig 552 Frigorífico Mataboi S.A. Mataboi 553 Dagranja Agroindustrial Ltda Da Granja 554 Frimesa Cooperativa Central Frimesa 555 Tnt Mercúrio Cargas e Encomendas Expressas S/A Tnt Mercúrio 556 Original Veículos Ltda Original Veículos 557 Rubi S.A. Comércio, Indústria e Agricultura Rubi 558 Máquinas Agrícolas Jacto S.A. Jacto 559 Santos‐Brasil S.A Santos‐Brasil 560 Claudino S.A. Lojas de Departamentos Armazém Paraíba 561 Stihl Ferramentas Motorizadas Ltda Stihl 562 Centrais Elétricas de Rondônia Sa. ‐ Ceron Ceron 563 Satipel Industrial S.A Satipel 564 Esmaltec S.A. Esmaltec 565 Nacional Minérios S/A Namisa 566 Companhia Municipal de Limpeza Urbana ‐ Comlurb Comlurb 567 Galvani Indústria e Comércio e Serviços S.A. Galvani 568 Belagricola Com. e Representações de Prod. Agric. Ltda Belagricola 569 Terra Networks Brasil S/A Terra 570 Calçados Azaléia Nordeste S.A Azaléia‐Ne 571 Laginha Agro Industrial S.A Laginha 572 Companhia Italo Brasileira de Pelotização Itabrasco Itabrasco 573 Sada Transportes Armazenagens S/A Sada 574 Companhia Pernambucana de Saneamento Compesa 575 Termorio S.A. Termorio

Serviços Eletroeletrônico Varejo Eletroeletrônico Varejo Varejo Indústria da Construção Varejo Varejo Indústria Digital Farmacêutico Indústria da Construção Serviços Bens de Consumo Diversos Produção Agropecuária Química e Petroquímica Eletroeletrônico Bens de Consumo Atacado Bens de Capital Varejo Atacado Química e Petroquímica Indústria da Construção Farmacêutico Autoindústria Indústria da Construção Têxteis Autoindústria Serviços Indústria Digital Eletroeletrônico Química e Petroquímica Energia Energia Bens de Consumo Transporte Varejo Energia Produção Agropecuária Bens de Consumo Produção Agropecuária Transporte Varejo Bens de Consumo Bens de Capital Serviços Varejo Siderurgia e Metalurgia Energia Indústria da Construção Eletroeletrônico Mineração Serviços Química e Petroquímica Atacado Indústria Digital Têxteis Energia Mineração Transporte Serviços Energia

338,8 337,5 337,4 336,2 336,1 334,8 334,3 334,2 333,5 333,1 332,3 331,9 331 330,9 329,3 328,9 328,7 327,6 327,5 326,3 325 324,5 324,3 323,7 323,7 323 320,4 319,3 317,9 317,4 316,1 315,3 315,3 315,3 313,9 313,7 313,6 310,4 310,3 309,9 308,7 308,6 308,3 307,8 306,6 306,4 306,4 304,8 304,4 302,2 301,8 298,7 298,2 294,9 294 293,9 293,5 293,4 293,1 293 292,9 292,8 291,9 291,2

576 All‐ América Latina Logística Malha Paulista S/A All Malha Paulista 577 Paraná Equipamentos S.A. Pesa 578 Procomp Indústria Eletrônica Ltda. Diebold‐Sp 579 Anglo American Brasil Ltda Anglo American 580 Fujioka Eletro Imagem S.A Fujioka 581 Clarion S/A Agroindustrial Clarion 582 Petronas Lubrificantes Brasil S/A Petronas Lubrificantes 583 Gevisa S.A. Gevisa 584 Nec Brasil S.A. Nec 585 Companhia Libra de Navegação Libra 586 Tv Sbt Canal 4 de São Paulo S.A. Sbt 587 Orbitall Serviços e Processamento de Informações ComerciaiOrbitall 588 Pedra Agroindustrial S.A Usina da Pedra 589 Semp Toshiba Informática Ltda Semp Toshiba Informática 590 Açúcar Guarani S.A. Guarani 591 Gpc Química S/A Gpc 592 Cpa Trading S/A Cpa 593 Dixie Toga S.A. Dixie Toga 594 Cia Hering Hering 585 Energisa Sergipe ‐ Distribuidora de Energia S/A Energisa Sergipe 596 Tuper S.A Tuper 597 Fasal S.A. Comércio e Indústria de Produtos Siderúrgicos Fasal 598 Placas do Paraná S.A. Placas 599 Melitta do Brasil Indústria e Comércio Ltda Melitta 600 Potencial Petróleo Ltda Potencial Petróleo 601 Aes Uruguaiana Empreendimentos S.A. Aes Uruguaiana 602 Unimed de Fortaleza Cooperativa de Trabalho Médico Ltda Unimed Fortaleza 603 Schulz S.A. Schulz 604 Crystalsev Comércio e Representação Ltda Crystalsev 605 Mabe Campinas Eletrodomésticos S.A. Mabe Campinas 606 Esab Indústria e Comércio Ltda. Esab 607 Cr Almeida S/A Engenharia de Obras Cr Almeida Obras 608 Cecrisa Revestimentos Cerâmicos S.A. Cecrisa 609 Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo Santa Casa de São Paulo 610 Absa ‐ Aerolinhas Brasileiras S/A Absa Cargo Airlines 611 Coniexpress S.A. Indústrias Alimentícias Quero 612 Drogaria Araújo S.A. Araújo 613 Equipav S.A. ‐ Açúcar e Álcool Equipav 614 Cotrijal Cooperativa Agropecuaria e Industrial Cotrijal 615 Iesa Óleo & Gás S/A Iesa Óleo & Gás 616 Cinpal Cia. Industrial de Peças Para Automóveis Cinpal 617 Rima Industrial S.A. Rima 618 Benafer S.A. Comércio e Indústria Benafer 619 Zamboni Comercial S.A. Zamboni Comercial 620 Gdk S.A. Gdk 621 Sociedade Beneficente de Senhoras ‐ Hospital Sírio Libanês Hospital Sírio Libanês 622 Calçados Beira Rio S.A Beira Rio 623 Empresa de Tecnologia e Informações da Previdência Social Dataprev 624 Companhia de Gás do Estado do Rio Grande do Sul Sulgás Sulgás 625 Crown Embalagens Metálicas da Amazônia S.A. Crown 626 Serveng‐Civilsan S.A. Empresas Associadas de Engenharia Serveng‐Civilsan 627 Thyssen Krupp Elevadores S.A Thyssen Krupp 628 Unicafé Companhia de Comércio Exterior Unicafé 629 Cristália Produtos Químicos Farmacêuticos Ltda Laboratório Cristália 630 Ceva Logistics Ltda Ceva 631 Rbs Zero Hora Editora Jornalística S.A. Zero Hora 632 Usina Colombo S.A. ‐ Açúcar e Álcool Usina Colombo 633 Bristol‐Myers Squibb Brasil Farmacêutica S.A Bristol‐Myers Squibb 634 Giassi & Cia. Ltda. Giassi Supermercados 635 Construcap‐Ccps Engenharia e Comércio S.A. Construcap 636 White Martins Gases Indústriais do Nordeste S.A. White Martins‐Ne 637 Melhoramentos Papéis Ltda Melhoramentos Papéis 638 Mrv Engenharia e Participações S/A Mrv Engenharia 639 Eisa ‐ Empresa Interagrícola S/A Interagrícola

Transporte Varejo Indústria Digital Mineração Varejo Bens de Consumo Química e Petroquímica Bens de Capital Eletroeletrônico Transporte Diversos Serviços Energia Indústria Digital Energia Química e Petroquímica Atacado Química e Petroquímica Têxteis Energia Siderurgia e Metalurgia Atacado Indústria da Construção Bens de Consumo Atacado Energia Serviços Bens de Capital Atacado Eletroeletrônico Siderurgia e Metalurgia Indústria da Construção Indústria da Construção Serviços Transporte Bens de Consumo Varejo Energia Produção Agropecuária Indústria da Construção Autoindústria Siderurgia e Metalurgia Atacado Atacado Indústria da Construção Serviços Têxteis Indústria Digital Energia Siderurgia e Metalurgia Indústria da Construção Bens de Capital Atacado Farmacêutico Transporte Diversos Energia Farmacêutico Varejo Indústria da Construção Química e Petroquímica Papel e Celulose Indústria da Construção Atacado

sac@vozdebrasilia.com.br

290,8 290,2 289,5 287,6 286,5 286,1 285,6 285,4 284,5 283,7 283,3 283,3 282,8 282,8 282,2 280,9 279,7 279,3 279,2 279,2 279 278,5 277,2 275,6 275,1 274,5 274,3 272,7 268,7 267 266,8 266,2 265,8 265,8 265,4 264,6 263,5 263,4 262,2 262 261,2 260,9 260,8 260,1 260 259,7 258,9 258,4 258,3 256,8 256,3 255,3 255 254,9 254,6 253,2 253,2 253,1 252,9 252,3 251,4 251,2 250,5 249,2

147


1000 maiores empresas 640 Companhia Docas do Estado de São Paulo Codesp 641 Xerox Comércio e Indústria Ltda Xerox 642 Carvalho Atacado de Alimentos Ltda Carvalho Atacado 643 Oleoplan Sa. Óleos Vegetais Planalto Oleoplan 644 Valesul Alumínio S.A. Valesul 645 Clarex S.A Clarex 646 Concessionária Ecovias dos Imigrantes S.A Ecovias 647 Cooperativa Agropecuária e Industrial Ltda Cooagri 648 Frigorífico Riosulense S.A. Pamplona 649 Tafisa Brasil Sa. Tafisa 650 Totvs S.A Totvs 651 Medley S.A. Indústria Farmacêutica Medley 652 Companhia Coreano‐Brasileira de Pelotização‐Kobrasco Kobrasco 653 Brasif S/A Exportação e Importação Brasif 654 Usina Alto Alegre S.A ‐ Açúcar e Álcool Usina Alto Alegre 655 Cooperativa Tritícola Sarandi Ltda Cotrisal 656 Companhia de Energia Elétrica do Estado do Tocantins CeltinCeltins 657 Associação das Pioneiras Sociais Rede Sarah 658 Metalfrio Solutions S/A Metalfrio 659 Guerra S.A. Implementos Rodoviários Guerra 660 Cooperativa Agroindustrial Copagril Copagril 661 Timac Agro Indústria e Comércio de Fertilizantes Ltda Timac Agro 662 Açotubo Indústria e Comércio Ltda Açotubo 663 Cgtf Central Geradora Termeletrica Fortaleza S.A. Cgtf 664 Bardella S.A. Indústrias Mecânicas Bardella 665 Comau do Brasil Indústria e Comércio Ltda Comau do Brasil 666 Sorana Comercial e Importadora Ltda Sorana 667 Lorenzetti S.A. Indústrias Brasileiras Eletrometalúrgicas Lorenzetti 668 Fras‐Le S.A. Fras‐Le 669 União Brasileira de Educação e Assistência Ubea 670 Trombini Industrial S.A. Trombini 671 Protege S/A Proteção e Transporte de Valores Protege 672 Tracbel S/A Tracbel 673 Fundação Getúlio Vargas Fgv 674 Voith Siemens Hydro Power Generation Ltda. Voith Siemens 675 Elgin S.A. Elgin 676 Tristão Companhia de Comercio Exterior S.A. Tristão 677 Marilan Alimentos S/A Marilan 678 Cpfl Geração de Energia S.A. Cpfl Geração 679 Fischer S/A Agroindústria Citrosuco Paulista 680 Schahin Engenharia S.A Schahin 681 Usina São Martinho S.A. Usina São Martinho 682 Acumuladores Moura S.A. Baterias Moura 683 Cia. Cacique de Café Solúvel Cacique 684 Centrais Elétricas Cachoeira Dourada S/A Cdsa 685 Globoaves Agro Avícola Ltda Globoaves 686 American Bank Note S.A. Abnote 687 Tangará Importadora e Exportadora S.A Tangará 688 Fleury S.A. Fleury Medicina e Saúde 689 Tellerina Comércio de Presentes e Artigos P/ Decoração S.A. Vivara/Home Store 690 Companhia de Gás de Santa Catarina ‐ Scgás Scgás 691 Nexans Brasil S/A Nexans 692 Mediservice ‐ Administradora de Planos de Saúde S/A Mediservice 693 Companhia Providência Indústria e Comércio Cia. Providência 694 All ‐ América Latina Logística S/A All 695 Procomp Amazônia Indústria Eletrônica Ltda Diebold‐Am 696 Unimed Vitória Cooperativa de Trabalho Médico Unimed Vitória 697 Companhia de Água e Esgoto do Ceará Cagece 698 Flora Produtos de Higiente e Limpeza S/A Flora 699 Embaré Indústrias Alimentícias S.A. Embaré 700 Total Fleet S.A Total Fleet 701 Botica Comercial Farmacêutica S.A. O Boticário 702 Techint Engenharia e Construção S.A. Techint 703 Companhia Refinadora da Amazônia Cra

148

Anuário Brasileiro

Serviços Indústria Digital Atacado Produção Agropecuária Siderurgia e Metalurgia Atacado Serviços Atacado Bens de Consumo Diversos Indústria Digital Farmacêutico Mineração Atacado Energia Produção Agropecuária Energia Serviços Bens de Capital Autoindústria Produção Agropecuária Atacado Siderurgia e Metalurgia Energia Bens de Capital Bens de Capital Varejo Eletroeletrônico Autoindústria Serviços Papel e Celulose Transporte Atacado Serviços Bens de Capital Eletroeletrônico Atacado Bens de Consumo Energia Produção Agropecuária Indústria da Construção Energia Autoindústria Bens de Consumo Energia Produção Agropecuária Serviços Atacado Serviços Diversos Energia Eletroeletrônico Serviços Química e Petroquímica Transporte Indústria Digital Serviços Serviços Bens de Consumo Bens de Consumo Transporte Bens de Consumo Indústria da Construção Bens de Consumo

248,9 248,7 246,9 246,2 245,2 245 244,7 244,3 243,6 243,6 243,3 243,1 242,7 242,4 241,8 240,6 240,5 240,3 240,3 240,1 239,9 239,5 239 237,8 237,6 237,6 237,2 237 236,3 235,4 235,4 234,8 234,8 234,5 233,5 233,5 232,6 231,9 231,9 230,9 230,6 230,2 229,6 229,2 229,1 228,7 228,6 228,4 227,7 227,1 226,9 226,5 226,5 225,4 224,3 222,9 222,8 222,5 222,4 222,3 222 221,9 220,9 220,9

704 Sinoscar S.A. Sinoscar Varejo 705 Unilever Brasil Gelados do Nordeste S/A Kibon ‐ Sorvane Bens de Consumo 706 Telemont Engenharia de Telecomunicações S.A Telemont Indústria da Construção 707 Pastifício Selmi S.A. Selmi Bens de Consumo 708 Borlem S.A. Empreendimentos Industriais Borlem Autoindústria 709 Leitbom S/A Leitbom Bens de Consumo 710 Rip Serviços Industriais S/A Rip Indústria da Construção 711 Termopernambuco S/A Termope Energia 712 Produtos Alimentícios Orlândia S.A. Comércio e Indústria Orlândia Bens de Consumo Serviços 713 Concessionária de Rodovias do Oeste de São Paulo ‐ ViaoesteVia Oeste 714 Construtora Tenda S.A Construtora Tenda Indústria da Construção 715 Medabil Sistemas Construtivos S/A Medabil Siderurgia e Metalurgia 716 Energisa Minas Gerais ‐ Distribuidora de Energia S/A Energisa Minas Gerais Energia 717 Votorantim Industrial S/A Votorantim Industrial Diversos 718 Servopa S.A. Comércio e Indústria Servopa Varejo 719 Brasal Refrigerantes S.A. Brasal Refrigerantes Bens de Consumo 720 Vocal Comércio de Veículos Ltda. Vocal Varejo 721 Via Engenharia S.A. Via Engenharia Indústria da Construção 722 Hospital Nossa Senhora da Conceição S.A Hospital N.S. Conceição Serviços 723 Celulose Irani S.A. Celulose Irani Papel e Celulose 724 Master Sistemas Automotivos Ltda. Master Autoindústria 725 Companhia Nitro Química Brasileira Nitro Química Química e Petroquímica 726 Biolab Sanus Farmacêutica Ltda Biolab Sanus Farmacêutica Farmacêutico 727 Usj Açúcar e Álcool S.A Usina São João Energia 728 Companhia Industrial de Vidros ‐ Civ Civ Diversos 729 Florença Veículos S/A Florença Varejo 730 Microsoft Informatica Ltda Microsoft Brasil Indústria Digital 731 Eliane S.A. ‐ Revestimentos Cerâmicos Eliane Indústria da Construção 732 Nutron Alimentos Ltda Nutron Alimentos Diversos 733 Gás Natural São Paulo Sul S.A. Gás Natural São Paulo Sul Energia 734 Via Sul Veículos S/A Via Sul Varejo 735 Construtora Barbosa Mello S.A. Construtora Barbosa Mello Indústria da Construção 736 Portobello S.A. Portobello Indústria da Construção 737 Cognis Brasil Ltda Cognis Química e Petroquímica 738 Jari Celulose S.A. Jari Papel e Celulose 739 Mili S.A. Mili Papel e Celulose 740 Companhia Catarinense de Águas e Saneamento Casan Serviços 741 Showa do Brasil Ltda Showa Siderurgia e Metalurgia 742 Companhia de Engenharia de Tráfego Cet Cet Serviços 743 Berneck S/A Painéis e Serrados Berneck Indústria da Construção 744 Tramontina S.A. Cutelaria Tramontina Cutelaria Siderurgia e Metalurgia 745 Ctis Tecnologia S/A Ctis Indústria Digital 746 Usinas Itamarati S.A. Usinas Itamarati Energia 747 Autometal S. A. Autometal Autoindústria 748 Tivit Terceirização de Tecnologia e Serviços S/A Tivit Tecnologia Serviços 749 Brasmetal Waelzholz S.A. Indústria e Comércio Brasmetal Siderurgia e Metalurgia 750 Manchester Tubos e Perfilados S.A. Manchester Siderurgia e Metalurgia Montcalm Indústria da Construção 751 Montcalm Montagens Industriais S.A. 752 Tivit Terceirização de Serviços, Processos e Tecnologia S.A Tivit Terceirização Serviços 753 Cia. de Processamento de Dados do Estado de São Paulo Prodesp Indústria Digital 754 Takata‐Petri S.A. Takata‐Petri Autoindústria 755 Fertilizantes Piratini Ltda Piratini Química e Petroquímica 756 Cooperativa Tritícola Erechim Ltda. Cotrel Bens de Consumo 757 Nortox S.A. Nortox Química e Petroquímica 758 Cocari ‐ Cooperativa Agropecuária e Industrial Cocari Produção Agropecuária 759 Unimed Belém Cooperativa de Trabalho Médico Unimed Belém Serviços 760 Vix Logística S/A Vix Transporte 761 Delga Indústria e Comércio Ltda Grupo Delga Autoindústria 762 S.A Paulista de Construções e Comércio S.A. Paulista Indústria da Construção 763 Rossi Residencial S.A. Rossi Indústria da Construção 764 Omint Serviços de Saúde Ltda. Omint Serviços 765 Brenntag Quimica Brasil Ltda. Brenntag Química e Petroquímica 766 Magneti Marelli Cofap Autopeças Ltda. Magneti Marelli Cofap AutoAutoindústria 767 Politec Tecnologia da Informação S.A Politec Indústria Digital

220,8 219,8 219,7 219,5 219,4 218,9 218,8 218,4 217,7 217,5 216,7 216,6 215,2 214,7 214,5 213,9 212,9 212,8 212,5 211,4 211,3 211,1 211,1 209,8 209,7 209,4 209 209 208,5 207,8 207,1 206,5 206,1 205,7 205,2 204,5 203,8 203,8 203,1 203 202,4 202,3 202,1 202 201,8 201,6 201,6 201 201 200,2 200,2 199,2 197,6 196,6 196,1 195,8 195,7 195 194,6 194 193,9 193,6 193,3 193,2


768 Empresa de Cimentos Liz S.A. Cimentos Liz Indústria da Construção 769 Cotripal Agropecuária Cooperativa Cotripal Produção Agropecuária 770 Pastifício Santa Amália S/A Santa Amália Bens de Consumo 771 Hotelaria Accor Brasil S.A Accor Hotels Serviços 772 Fertigran Fertilizantes Vale do Rio Grande Ltda Fertigran Química e Petroquímica 773 Si Group Crios Resinas S.A. Crios Química e Petroquímica 774 Virgolino de Oliveira S.A. Açúcar e Álcool Virgolino de Oliveira Energia 775 Parati S.A. Parati Bens de Consumo 776 Instituto Presbiteriano Mackenzie Mackenzie Serviços 777 Cia. de Bebidas do Rio de Janeiro Schincariol‐Rj Bens de Consumo 778 Manati S/A Manati Energia 779 Morlan S.A. Morlan Siderurgia e Metalurgia 780 Viena Siderúrgica S.A. Viena Siderurgia e Metalurgia 781 Brasil Ecodiesel Ind. Com. de Biocombustíveis e Óleos Veg. S Brasil Ecodiesel Energia 782 Cooperativa Regional Agrop de Campos Novos Copercampos Atacado 783 Ipiranga Asfaltos S.A. Ipiranga Asfaltos Química e Petroquímica 784 Frigol Comercial Ltda Frigol Produção Agropecuária 785 Intecnial S/A Intecnial Bens de Capital 786 Leo Madeiras Máquinas e Ferragens Ltda Leo Madeiras Varejo 787 Zaraplast S/A Zaraplast Química e Petroquímica 788 Telefônica Data S/A Data Telecomunicações 789 Ticket Serviços S.A. Ticket Serviços 790 Domingos Costa Indústrias Alimentícias S.A Vilma Alimentos Bens de Consumo 791 Iharabras S.A. Indústrias Químicas Iharabras Química e Petroquímica 792 Domingos Costa Indústrias Alimentícias S.A Vilma Alimentos Bens de Consumo 793 Cimento Tupi S.A. Cimento Tupi Indústria da Construção 794 Eternit S.A. Eternit Indústria da Construção 795 Líder Táxi Aéreo S.A. ‐ Air Brasil Líder Aviação Transporte 796 Santelisa Vale Bionergia S/A Santelisa Energia 797 Stefanini Consultoria Assessoria Em Informática S/A Stefanini Indústria Digital 798 Cremer S.A. Cremer Têxteis 799 Brasilata S.A. Embalagens Metálicas Brasilata Siderurgia e Metalurgia 800 Carbel S.A. Carbel Varejo 801 Indústria de Produtos Alimentícios Piraquê S.A. Piraquê Bens de Consumo 802 Brastemp da Amazônia S.A. Brastemp da Amazônia Eletroeletrônico 803 Iesa Projetos Equipamentos e Montagens S.A. Iesa Diversos 804 Brasfrigo S.A. Brasfrigo Bens de Consumo 805 Fábrica de Papel e Papelão Nossa Senhora da Penha S.A. Penha Papel e Celulose 806 Usina Cerradinho Açúcar e Álcool S/A. Usina Cerradinho Energia 807 Companhia Leco de Produtos Alimentícios Leco Bens de Consumo 808 Hospital de Clínicas de Porto Alegre Hcpa Serviços 809 Stora Enso Arapoti Indústria de Papel S/A Stora Enso Arapoti Papel e Celulose 810 Anaconda Industrial e Agrícola de Cereais S.A. Anaconda Bens de Consumo 811 Cipa Industrial de Produtos Alim. Ltda Mabel Alimentos Bens de Consumo 812 Unifértil Universal de Fertilizantes S.A. Unifértil Química e Petroquímica 813 Slc Alimentos S.A. Slc Alimentos Produção Agropecuária 814 Produquímica Indústria e Comércio S/A Produquímica Química e Petroquímica 815 Stx Brazil Offshore S.A. Stx Europe Siderurgia e Metalurgia 816 Genésio A. Mendes & Cia. Ltda Gam Atacado 817 Ca Programas de Computador, Participações e Serviços Ltda Computer Associates Indústria Digital 818 Unipar Comercial e Distribuidora S.A. Unipar Comercial Atacado 819 Sociedade de Abastecimento de Água e Saneamento S.A. Sanasa Campinas Serviços 820 Jorlan S.A. ‐ Veículos Automotores Importação e Comércio Jorlan Varejo 821 Companhia Industrial H. Carlos Schneider Ciser Siderurgia e Metalurgia 822 São Paulo Transporte S.A. Sp Trans Transporte 823 Cooperativa A1 Cooper A1 Atacado Serviços 824 Fundação São Paulo ‐Mantenedora da Pontifíca Univ.CatólicaPuc‐Sp 825 Inspection Comércio e Serviços S.A Inspection Atacado 826 Cobra Tecnologia S.A Cobra Indústria Digital 827 Editora Globo S.A. Editora Globo Diversos 828 Companhia Pernambucana de Gás Copergás Energia 829 Csu Cardsystem S.A Csu Serviços 830 Lupo S.A. Lupo Têxteis 831 Real e Benemérita Associação Portuguesa de Beneficência Hospital Beneficência PortuServiços

193,1 193,1 192,7 191,4 191,4 191,3 191,2 191 191 190,6 190,6 190,4 190,1 189,7 188,8 188,5 188 187,7 187,5 186,7 186,6 186,4 185,6 185,6 185,6 185,5 184,9 184,7 184,3 184,2 183,6 183,2 183,2 183 182,7 182,4 182,1 181,9 181,9 181,8 181,8 181,7 181,5 181 180,8 180,3 179,9 179,7 178,3 177,6 177 176,9 176,8 176,6 176,1 175,4 175,4 175,2 175,1 175,1 174,3 173,8 173,7 173,5

832 Frisa Frigorífico Rio Doce S.A. Frisa Produção Agropecuária 833 Jpar ‐ Distribuidora de Veículos Ltda Jpar ‐ Distribuidora de Veíc Varejo 834 Sandvik do Brasil S.A. Indústria e Comércio Sandvik Siderurgia e Metalurgia 835 Concremat Engenharia e Tecnologia S.A. Concremat Indústria da Construção 836 Campos Novos Energia S/A Enercan Energia 837 Medidata Informática S/A Medidata Indústria Digital 838 Multiplan ‐ Empreendimentos Imobiliários S/A Multiplan Serviços 839 Furukawa Industrial S.A. Produtos Elétricos Furukawa Eletroeletrônico 840 Cia. de Cimento Itambé Itambé Cimento Indústria da Construção 841 Coop. Reg. dos Cafeicultores de São Sebastião Paraíso Ltda Cooparaíso Produção Agropecuária 842 Sementes Selecta Ltda. Sementes Selecta Produção Agropecuária 843 Paulo & Maia Supermercados Ltda Paulo & Maia Varejo 844 Urucum Mineração S/A Urucum Mineração 845 Teka ‐ Tecelagem Kuehnrich S.A. Teka Têxteis 846 Ksb Bombas Hidraúlicas S.A. Ksb Bens de Capital 847 Nufarm Indústria Química e Farmacêutica S.A Nufarm Química e Petroquímica 848 Guanabara Diesel S.A. Comércio e Representações Guanabara Diesel Varejo 849 Enerpeixe S.A Enerpeixe Energia 850 Rio Doce Café S.A. Importadora e Exportadora Rio Doce Café Atacado 851 Supermercado Modelo Ltda. Modelo Varejo 852 Lojas Salfer S/A Lojas Salfer Varejo 853 Dufer S.A Dufer Siderurgia e Metalurgia 854 Mundial S.A. Produtos de Consumo Mundial Siderurgia e Metalurgia 855 Engepack Embalagens São Paulo S.A. Engepack‐Sp Química e Petroquímica 856 Distribuidora de Petróleo da Bahia S.A. Petrobahia Atacado 857 Indústrias Arteb S.A. Arteb Autoindústria 858 Empresa Tejofran Saneamento Serviços Ltda Tejofran Serviços 859 Whb Fundição S/A Whb Fundição Siderurgia e Metalurgia 860 Companhia Espírito Santense de Saneamento Cesan Serviços 861 Marcosa S.A. Máquinas e Equipamentos Marcosa Varejo 862 Rodoviário Ramos Ltda Ramos Transportes Transporte 863 Thomson Multímidia Ltda Thomson Multímidia‐Am Indústria Digital 864 Companhia Brasileira de Cartuchos Cbc Cartuchos Diversos 865 Empresa de Transportes Atlas Ltda. Atlas Transportes Transporte 866 Santa Bárbara Engenharia S.A. Sta.Bárbara Engenharia Indústria da Construção 867 Star One S.A. Star One Telecomunicações 868 Companhia Portuaria Baía de Sepetiba Baía de Sepetiba Serviços 869 Ebal Empresa Baiana de Alimentos S.A. Cesta do Povo Varejo Fiagril Agromercantil Atacado 870 Fiagril Agromercantil Ltda 871 Starexport Trading S.A. Starexport Atacado 872 Arezzo Indústria e Comércio S/A Arezzo Têxteis 873 Mineração Buritirama S/A Mineração Buritirama Mineração 874 Arg Ltda Arg Indústria da Construção 875 Dori Alimentos Ltda Dori Alimentos Bens de Consumo 876 Forjas Taurus S.A. Taurus Bens de Capital 877 Cooperativa Languiru Ltda. Languiru Produção Agropecuária 878 Cooperativa Suinocultores de Encantado Ltda. Cosuel Produção Agropecuária 879 Microservice Tecnologia Digital da Amazônia Ltda. Microservice Am Indústria Digital 880 Refinaria de Petróleos de Manguinhos S.A. Refinaria de Manguinhos Química e Petroquímica 881 Café 3 Corações S/A. Café 3 Corações Diversos 882 Empresa de Navegação Elcano S.A. Empresa de Navegação ElcaTransporte Farmacêutico 883 Hospfar ‐ Indústria e Comércio de Produtos Hospitalares LtdaHospfar 884 Mineração Caraíba S.A. Mineração Caraíba Mineração 885 Sandvik Mgs S/A Sandvik Mgs Bens de Capital 886 Hortigil Hortifruti S/A Hortifruti Varejo 887 Usina Batatais S.A. ‐ Açúcar e Álcool Usina Batatais Energia 888 Companhia Alagoana de Refrigerantes Coca‐Cola/Cial Bens de Consumo Transporte 889 Coopercarga Cooperativa de Transp. de Cargas de Santa CataCoopercarga 890 Wirex Cable S.A. Wirex Eletroeletrônico 891 Scopus Tecnologia Ltda Scopus Indústria Digital 892 Comil Ônibus S/A Comil Autoindústria 893 Coasul Cooperativa Agroindustrial Coasul Produção Agropecuária 894 Nadir Figueiredo Indústria e Comércio S.A. Nadir Figueiredo Atacado 895 Usina Alta Mogiana S.A. Açúcar e Álcool Alta Mogiana Energia

sac@vozdebrasilia.com.br

173,4 173,2 173,1 172,8 172,2 171,4 171,4 171,3 170,1 169,1 168,8 168,5 168,3 168,1 168,1 167,9 167,8 167,8 167,5 167,3 167 166,9 166,8 166,8 166,7 166,5 166,4 165,4 165,3 164,8 164,7 164,4 164,3 164,1 163,4 163,4 162,9 162,8 162,1 161,8 161,2 160,7 160,5 160,4 160,4 160 159,9 159,9 159,9 159,5 159,5 159,2 159,1 159 158,9 158,8 158,8 158,7 158,5 158,2 158,2 157,9 157,7 157,6

149


1000 maiores empresas 896 Grupo Hospitalar do Rio de Janeiro Ltda Assim Serviços 897 Renner Sayerlack S.A Renner Sayerlack Química e Petroquímica 898 Usina Santa Adélia S.A. Usina Santa Adélia Energia 899 Panatlântica S.A. Panatlântica Siderurgia e Metalurgia 900 Bauko Máquinas S/A Bauko Varejo 901 Editora Ftd S.A. Ftd Diversos 902 Painco Indústria e Comércio S.A. Painco Siderurgia e Metalurgia 903 Brascan Imobiliária Incorporações S.A. Brascan Indústria da Construção 904 Indústrias Nucleares do Brasil S.A. Inb Inb Energia 905 Nc Energia S/A Nc Energia Energia 906 União Química Farmacêutica Nacional S.A. União Farmacêutica Farmacêutico 907 Saraiva S.A. Livreiros Editores Editora Saraiva Diversos 908 Dakota Nordeste S.A. Dakota‐Ne Têxteis 909 Pst Eletrônica S/A Pósitron Eletroeletrônico 910 Unimed do Estado de Sp ‐Federação Est.Das Cooperativas MéUnimed do Estado de Sp Serviços 911 Formosa Supermercados e Magazine Ltda Formosa Supermercados Varejo 912 Abatedouro São Salvador Ltda Superfrango Produção Agropecuária 913 Concessão Metroviária do Rio de Janeiro S/A Metrô Rio Transporte 914 Mineração Serra Grande S.A. Mineração Serra Grande Mineração 915 Cooperativa Agrícola Mista de Adamantina Camda Produção Agropecuária 916 Maringá S.A. Cimento e Ferro‐Liga Ferro‐Liga Maringá Siderurgia e Metalurgia 917 Campanha Nacional de Escolas da Comunidade Cnec Serviços 918 Pettenati S.A. Indústria Têxtil Pettenati Têxteis 919 Light Energia S/A Light Energia Energia 920 Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre Santa Casa de Porto Alegre Serviços 921 Unimed Nordeste Rs Sociedade Coop. de Serv. Médicos Ltda Unimed Nordeste Rs Serviços 922 Companhia de Tecidos Santanense Santanense Têxteis 923 Romagnole Produtos Elétricos S/A Romagnole Eletroeletrônico 924 Snd Distribuição de Produtos de Informática Ltda Snd Atacado 925 Imerys Rio Capim Caulim S.A. Rio Capim Caulim Mineração 926 Ibf Indústria Brasileira de Filmes S/A Ibf Química e Petroquímica 927 Syngenta Seeds Ltda Syngenta Seeds Produção Agropecuária 928 Companhia Águas Esgotos da Paraíba Cagepa Serviços 929 Gdc Alimentos S.A Gomes da Costa Bens de Consumo 930 Compar Companhia Paraense de Refrigerantes Compar Bens de Consumo 931 Itaipú Máquinas e Veículos Ltda. Itaipu Varejo 932 Usina Barra Grande de Lençóis S.A. Barra Grande Energia 933 Frigelar Comércio e Distribuição S.A. Frigelar Moto Refrigeração Atacado 934 White Martins Gases Industriais do Norte S.A. White Martins‐N Química e Petroquímica 935 Jaraguá Equipamentos Industriais Ltda. Jaraguá Equipamentos Bens de Capital 936 Companhia Fluminense de Refrigerantes Cia. Fluminense RefrigerantBens de Consumo 937 Unimed Cuiabá Coop. de Trab. Méd. Ltda Unimed Cuiabá Serviços 938 Confepar Agro‐Industrial Cooperativa Central Confepar Produção Agropecuária 939 Usiparts S.A ‐ Sistemas Automotivos Usiparts Autoindústria 940 Dersa‐Desenvolvimento Rodoviário S.A. Dersa Serviços 941 Todeschini S.A. Indústria e Comércio Todeschini Diversos 942 Laboratório Neo‐Química Comércio e Indústria Ltda. Neo Química Farmacêutico 943 Koerich Engenharia e Telecomunicações S/A Koerich Indústria da Construção 944 Mills Estruturas e Serviços de Engenharia Ltda Mills Serviços 945 Mobitel S/A Dedic Serviços 946 Distribuidora Brasília de Veículos S.A. Disbrave Varejo 947 Empresa Gontijo de Transportes Ltda. Gontijo Transporte 948 Sulzer Brasil S.A. Sulzer Bens de Capital 949 Rodobens Caminhões Cirasa S/A Rodobens Caminhões‐Sp Varejo 950 Acrinor Acrilonitrila do Nordeste S.A. Acrinor Química e Petroquímica 951 Açucareira Zillo Lorenzetti S.A. Zilor Energia 952 Pirahy Alimentos Ltda Pirahy Alimentos Bens de Consumo 953 Tietê Veículos S.A Tietê Veículos Varejo 954 Baesa ‐ Energética Barra Grande S/A Baesa Energia 955 Yakult S.A. Indústria e Comércio Yakult Bens de Consumo 956 Egesa Engenharia S.A. Egesa Indústria da Construção Serviços 957 Cia. de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e ParnaíCodevasf 958 Unidas S.A Unidas Rent a Car Transporte 959 Capal Cooperativa Agroindustrial Capal Produção Agropecuária

150

Anuário Brasileiro

157,4 157,3 157,2 157,1 157 156,9 156,9 156,8 156,8 156,8 156,7 156,5 156,4 156,3 156,2 156 155,1 154,6 154,4 154,4 154,3 154,2 154,1 154 153,8 153,2 153,1 153 153 152,8 152,6 152,4 152,1 151,9 151,1 150,9 150,8 150,1 150 149,9 149,8 149,8 149,6 148,6 148,2 148,2 147,8 147,6 147,6 147,2 147,1 146,9 146,9 146,9 146,6 146,6 146,6 146,3 146,2 146 145,9 145,5 144,8 144,5

960 Cereagro S.A. 961 Tecnologia Bancária S.A. 962 Polipetro Distribuidora de Combustíveis Ltda 963 Sant'ana S.A. Drogaria Farmácias 964 Cia. de Fiação e Tecidos Cedro e Cachoeira 965 Trip Linhas Aéreas S.A 966 Wickbold & Nosso Pão Indústrias Alimentícias Ltda 967 Enfil S/A Controle Ambiental 968 Minerações Brasileiras Reunidas S.A. 969 Ctbc Celular S.A. 970 Clealco Açúcar e Álcool S.A 971 Companhia Brasileira de Soluções e Serviços 972 Hapvida Assistência Médica Ltda 973 Fidelity Processadora e Serviços S/A 974 Companhia Ferroligas Minas Gerais ‐ Minasligas 975 Kepler Weber Industrial S.A. 976 Karsten S.A. 977 Kowalski Alimentos Ltda. 978 Cooperativa Tritícola de Espumoso Ltda 979 Rodonorte ‐ Concessionária de Rodovias Integradas S.A 980 Cooperativa de Produção e Consumo Concórdia 981 Sertanejo Alimentos S.A 982 Serlac Comércio de Lácteos S/A 983 Autotrac Comércio e Telecomunicações S.A. 984 Conservas Oderich S.A 985 Qualix Serviços Ambientais Ltda 986 Bignardi Indústria e Comércio de Papéis e Artefatos Ltda 987 Indústria de Alimentos Nilza S/A 988 T4 F Entretenimento S/A 989 Construtora Triunfo S.A. 990 Hydro Alumínio Acro S.A. 991 Dilly Nordeste S.A. 992 Rodovias Integradas do Oeste S.A 993 Fundação Antônio Prudente 994 Andrade Açúcar e Álcool S.A 995 Marisol Indústria do Vestuário Ltda 996 Emsa ‐ Empresa Sul Americana de Montagens S.A. 997 Weg Indústrias S.A 998 Paramount Têxteis Indústria e Comércio S.A. 999 Sidepar ‐ Siderúrgica do Pará S/A 1000 Usina Itaiquara de Açúcar e Álcool S.A.

Cereagro Produção Agropecuária Tec Ban Indústria Digital Polipetro Atacado Farmacias Sant'ana Varejo Cedro e Cachoeira Têxteis Trip Transporte Wickbold Bens de Consumo Enfil Bens de Capital Mbr Mineração Ctbc Celular/Algar TelecomTelecomunicações Clealco Energia Visa Vale Serviços Hapvida Serviços Fidelity Serviços Minasligas Siderurgia e Metalurgia Kepler Weber Industrial Bens de Capital Karsten Têxteis Kowalski Bens de Consumo Cotriel Bens de Consumo Rodonorte Serviços Copérdia Produção Agropecuária Sertanejo Alimentos Produção Agropecuária Serlac Atacado Autotrac Telecomunicações Conservas Oderich Bens de Consumo Qualix Serviços Jandaia Papel e Celulose Nilza Alimentos Bens de Consumo T4 F Serviços Construtora Triunfo Indústria da Construção Acro Bens de Capital Dass‐Sport & Style Têxteis Sp Vias Serviços Hospital A.C..Camargo Serviços Destilaria Andrade Energia Marisol Têxteis Emsa Indústria da Construção Weg Indústrias Bens de Capital Paramount Têxteis Têxteis Sidepar Siderurgia e Metalurgia Usina Itaiquara Energia

144,3 144,3 143,8 143,5 143,2 143,2 143 142,2 142,1 142,1 142,1 141,8 141,7 141,2 141,1 140,9 140,6 140,5 140,4 140,3 140 139,9 139,9 139,7 139,3 139 138,2 137,7 137,5 137,3 137 136,9 136,1 135,6 135,4 135,3 135 134,8 134,5 134,5 133,9


Economia

Maiores empresas em vendas por região

Abaixo você vai pode conferir a lista das maiores empresas em vendas nas regiões: Centro-Oeste, Norte-Nordeste, Sul e Sudeste. Veja os principais indicadores das companhias, como o lucro líquido, o patrimônio e a rentabilidade. Na Região Centro-Oeste, o primeiro lugar em faturamento é ocupado pela operadora Brasil Telecom. Na Região Norte-Nordeste, o “ranking” é liberado pela petroquímica Braskem. Já na Região Sul, a maior empresa em faturamento é a Bunge Alimentos. Fonte: Exame: Melhores e Maiores (Julho/2009)

152

Anuário Brasileiro


sac@vozdebrasilia.com.br

153


Economia

154

Anuรกrio Brasileiro


sac@vozdebrasilia.com.br

155


Artigos Programa Luz para Todos Revolução no meio rural

I

Foto: Antonio Cruz

nstituído em novembro de 2003,

2000 apontou a demanda inicial do progra-

Luz para Todos revolucionou a vida de

o programa Luz Para Todos foi o

ma: famílias constituídas de cinco pesso-

mais de 9 milhões de pessoas no meio

grande instrumento do Governo

as, povoando as regiões mais pobres do

rural. Coordenador do Programa, o Minis-

Lula para conferir cidadania a milhões de

país e com renda média de três salários-

tério de Minas e Energia compartilha da

brasileiros que não dispunham de energia

mínimos. Virou questão de honra levar

felicidade daqueles que, pela primeira vez,

elétrica em suas casas. A primeira versão

energia elétrica para esses brasileiros, que

podem congelar alimentos, ver televisão

do programa tinha por meta atender a 2

sequer tinham idéia dos benefícios que

ou tomar um banho quente.

milhões de domicílios do meio rural, ou 10

mudariam radicalmente suas vidas.

milhões de pessoas. O Censo do IBGE de

156

Anuário Brasileiro

Hoje, cinco anos depois, o programa

Os números do programa Luz para Todos são animadores. Em outubro de 2009,


O Programa Luz para Todos vai além. Tornou-se instrumento de integração social e melhoria econômica das comunidades atendidas. 90% da meta de 2 milhões de ligações já

cial e melhoria econômica das comunida-

instalar 4,1 milhões de postes, 790 km de

estava concluída. No entanto, a cada pas-

des atendidas. É a revolução virtuosa no

cabos e 634 mil transformadores.

so do Programa, surgem novos pedidos,

campo. Melhora a qualidade de vida das

Os efeitos benéficos também são sen-

gerando a expectativa que o cadastramen-

pessoas, oferece confortos até então não

tidos no setor de bens de consumo durá-

to de mais um milhão de famílias significa-

experimentados,

oportunidades

veis, com registro de aumento de demanda

rá outro Programa. Para que esses brasi-

de obtenção de mais saúde e segurança.

por geladeiras, televisores, ferros elétricos,

leiros também tenham energia elétrica em

As oportunidades de trabalho e renda se

entre outros. Segundo pesquisa realizada

suas casas, o Presidente Lula prorrogou o

multiplicam, com agregação de valores na

pelo IPEA, em 2006, após a chegada do

Programa até o final do seu Governo.

facilita

produção, comercialização e conservação

programa Luz para Todos, 44% das fa-

A diferença entre o Luz para Todos e

dos produtos rurais de origem vegetal e

mílias atendidas compraram pelo menos

os programas anteriores, que pretendiam

animal. Pequenas oficinas e indústrias

um aparelho de televisão; 36% adquiriram

oferecer os mesmos benefícios, está no

surgem inspiradas por criatividades an-

geladeira e outras realizaram o desejo de

acesso gratuito da energia elétrica. E com

tes adormecidas, com o consequente uso

ter outros eletrodomésticos em casa, sem

um pouco mais. O programa ainda fornece

de equipamentos rurais, como tanques

esquecer a água encanada de melhor qua-

o padrão de entrada da energia, um con-

para resfriamento de leite, refrigeradores

lidade puxada por bombas.

junto interno composto de três lâmpadas

para conservação de pescados e bom-

Os números grandiosos do programa

e duas tomadas, também sem despesas

bas d’água para irrigação. A informação

Luz para Todos foram alcançados com a

para o novo consumidor. A família pagará

também avança, com aquisições de tele-

disponibilização, pelo Governo Federal, de

apenas a conta de luz do consumo men-

visores e aparelhos de informática. Tudo

R$ 9,5 bilhões. Desse total, já foram libe-

sal. Isso porque estamos falando de um

isso gera desenvolvimento sustentável,

rados R$ 6,2 bilhões para as empresas de

programa de eletrificação rural ou, mais

induzindo o retorno e a permanência das

distribuição de energia elétrica, responsá-

que isso, um programa de inclusão social,

famílias no campo, com alivio do impacto

veis pela execução das obras. O progra-

seguramente o maior de que se tem notí-

que o êxodo rural descontrolado causava

ma já foi prorrogado, pelo Governo Lula,

cia. Os programas anteriores, ao cobrarem

nos centros urbanos.

até o final de 2010, para que não existam

o acesso, estabeleceram um fator que de-

Outro aspecto positivo pode ser ob-

brasileiros desprovidos do benefício da

terminante de quem deveria sair da escu-

servado na movimentação do segmento

eletricidade, e o Governo, juntamente com

ridão ou continuar excluído do mundo da

industrial de materiais elétricos, na fabrica-

os demais ministérios crie mais postos de

cidadania. Hoje, moradores de quilombos,

ção de postes de sustentação das linhas de

trabalho, com conseqüente geração de

índios, moradores de assentamentos, atin-

transporte de eletricidade, cabos de alumí-

renda, sinônimo de dignidade e cidadania

gidos por barragens e muitos mais gozam

nio e transformadores de tensão da ener-

para o ser humano, para a população rural

do direito de ter suas residências abasteci-

gia conduzida. A economia movimenta-se

brasileira.

das com eletricidade.

em toda a cadeia produtiva. Os empregos

O programa Luz para Todos vai além.

diretos e indiretos criados para a execução

Tornou-se instrumento de integração so-

das obras são estimados em 268 mil, para

Edison Lobão, ministro de Minas e Energia

sac@vozdebrasilia.com.br

157


Turismo Com toda a sua riqueza cultural e natural, o Brasil dispensa adjetivos

A

Foto: Breno Laprovitera

diversidade é a marca do

prevendo-se ainda um sistema de controle

rio e construir um país de oportunidades

Brasil. Em 500 anos de

entre eles, de modo que nenhum possa

iguais são os desafios que fundamentam

história, construiu-se uma

agir em desacordo com as leis e a Cons-

o exercício da cidadania e as políticas pú-

tituição.

blicas.

nação formada por vários povos, dona de uma cultura variada e de um vasto terri-

A geografia do País mostra uma forte

O Brasil é o maior país da América

tório, atualmente dividida em 26 estados,

concentração das atividades econômicas e

Latina. Cobrindo quase a metade (47,3%)

um Distrito Federal e 5.563 municípios.

da população sobre uma parcela menor do

da América do Sul, ocupa uma área de

Sendo uma democracia, o exercício do

espaço brasileiro; fatores que influenciam

8.547.403,5 quilômetros quadrados. É o

Poder é atribuído a órgãos distintos e in-

na concentração da renda e da riqueza e

quinto maior país do mundo, depois do

dependentes, cada qual com uma função,

na exclusão social. Interferir nesse cená-

Canadá, da Federação Russa, da China

160

Anuário Brasileiro


e dos Estados Unidos. Exceto pelas suas

O Equador e o Chile são os dois únicos

América do Sul, e ocupa o segundo lugar

ilhas, o Brasil é constituído por uma única

países do continente sul-americano que

na América Latina em termos de fluxo de

e contínua extensão territorial. A linha do

não fazem fronteira com o Brasil. O Ocea-

turistas internacionais, segundo dados do

Equador passa pela região Norte do País,

no Atlântico estende-se ao longo da costa

Anuário Estatístico de Turismo 2009 da

perto de Macapá, no Estado do Amapá; o

Leste do País, oferecendo 8,5 mil quilôme-

Embratur.

Trópico de Capricórnio corta o País ao Sul,

tros de orla marítima.

perto da cidade de São Paulo, no Estado de São Paulo. A extensão do país no sentido LesteOeste (4.319,4 quilômetros) é quase equi-

Fonte: Embratur

Economia e turismo andam juntos

valente à sua maior distância no sentido

Os gastos dos turistas estrangeiros em visita ao Brasil alcançaram 5,8 bilhões de dólares em 2008, 16,8% a mais do que em 2007 e o país abarcou 3,4% do fluxo turístico internacional no continente americano em 2008. Em 2005, o turismo contribuiu

Norte-Sul (4.394,7 quilômetros). O Brasil

O turismo no Brasil é uma atividade

com 3,2% das receitas nacionais advindas

faz fronteira com a Guiana Francesa, Suri-

econômica importante em várias regiões

da exportação de bens e serviços, respon-

name, Guiana, Venezuela e Colômbia, ao

do país. Com 5 milhões de visitantes es-

sável pela criação de 7% dos empregos

Norte; Uruguai e Argentina, ao Sul; e Para-

trangeiros em 2008, é o principal desti-

diretos e indiretos na economia brasileira.

guai, Bolívia e Peru, a Oeste.

no do mercado turístico internacional na

Em 2006, estima-se que 1,87 milhão de

Para apreciar os belos contornos destes morros, aonde você precisa ir? A B C D

( ( ( (

) ) ) )

Balneário Camboriú, SC Maragogi, AL Porto de Galinhas, PE Enseada de Botafogo, RJ

Se você é brasileiro e não sabe a resposta, está na hora de conhecer melhor o Brasil. RESPOSTA: A – ENSEADA DE BOTAFOGO, RJ

NAS FÉRIAS, VIAJE PELO BRASIL. É BOM PARA VOCÊ. É BOM PARA O PAÍS.

Consulte seu agente de viagem. www.turismo.gov.br

sac@vozdebrasilia.com.br

161


Turismo pessoas foram empregadas no setor, com

rica Latina e o quinto no continente ame-

Gerais (13,6%) e Rio de Janeiro (8,2%),

768 mil empregos formais (41%) e 1,1 mi-

ricano.

segundo dados da Fundação Instituto de

lhão de ocupações informais (59%).

As vantagens competitivas do Brasil

Pesquisas Econômicas (2007).

O turismo doméstico representa uma

para desenvolver empreendimentos turís-

Em termos de receita gerada, os prin-

parcela fundamental do setor; contabili-

ticos consolidaram-se na área de recur-

cipais estados são São Paulo (16,4%) e

zando 51 milhões de viagens em 2005 a

sos humanos, e nos aspectos culturais e

Bahia (11,7%). Os três principais motivos

receita direta gerada pelo turismo interno

naturais, nos quais o país classificou-se,

de viagem em 2005 foram visitar amigos

foi de 21,8 bilhões de dólares – 5,6 vezes

em 2009, no quarto lugar mundial, com

e parentes (53,1%), sol e praia (40,8%), e

mais que as receitas originadas pelos tu-

maior destaque para indicadores relativos

turismo cultural (12,5%).

ristas estrangeiros em 2005.

a recursos naturais e culturais, dado que,

Ao contrário do turismo internacional,

O produto turístico brasileiro caracte-

considerando-se somente seus recursos

os principais meios de transporte utilizados

riza-se por oferecer tanto ao turista bra-

naturais, o Brasil posiciona-se no segun-

em 2005 para viajar foram: carro (45,7%),

sileiro quanto ao estrangeiro uma gama

do lugar do “ranking” mundial. O relatório

ônibus de linha (25,5%), avião (12,1%),

diversificada de opções, com destaque

do TTCI também aponta que as principais

ônibus de excursão ou fretado (7,9%) e

aos atrativos naturais, aventura e histórico-

deficiências do setor turístico brasileiro es-

carona (5,2%). Outra diferença marcante

cultural. Nos últimos anos, o governo tem

tão na competitividade de seus preços (91º

é o tipo de hospedagem. 60,2% dos turis-

concentrado esforços em políticas públi-

lugar), na infra-estrutura do transporte ter-

tas domésticos hospedaram-se em casas

cas para desenvolver o turismo brasileiro,

restre (110º lugar), e na segurança pública

de amigos ou parentes, seguidos por ho-

procurando baratear o deslocamento inter-

(130º lugar dos 133 países avaliados).

tel, pousadas ou resorts (25,1%) e imóvel

no, desenvolvendo infra-estrutura turística e capacitando mão de obra para o setor, além de aumentar consideravelmente a divulgação do país no exterior.

Turismo em casa

alugado (6,4%). Como diferencial, o imóvel alugado representa uma importante alternativa de hospedagem apenas nas

Com um país cheio de riqueza como

viagens com destino às regiões Sudeste

São notáveis a procura pela Amazônia

o nosso, por que viajar para fora ao invés

e Sul. Estas características do turismo do-

na Região Norte, o litoral no Nordeste, o

de conhecer o Brasil? Muitos brasileiros

méstico explicam porque em 2005 o gasto

Pantanal e o Planalto Central no Centro-

já sabem disso, não é a toa que o turismo

médio dos brasileiros foi de apenas 429

Oeste. O turismo histórico em Minas Ge-

doméstico representa uma parcela funda-

dólares em comparação com a média de

rais, as praias do Rio de Janeiro e os ne-

mental do turismo brasileiro. Com 51 mi-

860 dólares dos turistas internacionais.

gócios em São Paulo dividem o interesse

lhões de viagens em 2005, gerou quase

no Sudeste, e os pampas e o clima frio no

dez vezes mais viagens que o turismo in-

Sul do país.

ternacional receptivo e receitas diretas 5,6

Na classificação do Índice de Competi-

vezes superiores que as advindas do mer-

tividade em Viagens e Turismo (TTCI pela

cado turístico internacional. Em 2005, os

sigla em inglês) de 2009, que mensura os

principais estados receptores foram São

fatores preponderantes à consolidação de

Paulo (27,7%), Minas Gerais (10,8%), Rio

negócios no setor turístico de cada país, o

de Janeiro (8,4%), Bahia (7,4%) e Santa

Brasil alcançou o 45º lugar mundial, sendo

Catarina (7,2%). Os três principais estados

o segundo colocado entre países da Amé-

de origem foram São Paulo (35,7%), Minas

162

Anuário Brasileiro

Nas páginas a seguir confira a riqueza de cada estado e já faça a sua programação para as próximas férias!


Estados brasileiros Acre – Rio Branco (AC) Grandes áreas de floresta preservada é a porta de entrada para o ecoturismo

Museu da borracha, inaugurado em 5 de novembro de 1978, em comemoração ao primeiro centenário da Migração Nordestina para o Acre, destina-se à divulgação da cultura do Acre. O acervo reúne peças de Arqueologia, Paleontologia, História, coleção de manuscritos e documentos referentes à história do Acre.Foto: Luis Olarte

N

a tríplice fronteira entre

Serra do Divisor, criado em 1989. A região

paisagens inacreditáveis e uma biodiversi-

Brasil, Peru e Bolívia está

não tem infra-estrutura, mas fica perto do

dade surpreendente, enfim, uma terra de

o Acre, conhecido pelo cli-

município de Cruzeiro do Sul, que fica no

costumes e tradições, mistérios e magias

ma úmido, com chuvas e calor intensos

Juruá, maior polo ecoturístico do lugar que

que só podem ser vivenciados e sentidos

o ano todo. A área de floresta amazônica

abriga os melhores hotéis e restaurantes

a partir do contato com a gente local, o que

no Acre continua intacta e protegida por

do Estado.

faz do Acre um lugar capaz de conquistar

barreiras naturais e pelo Parque Nacional

164

Anuário Brasileiro

Com uma forte influência indígena,

fãs do mundo inteiro.


Gastronomia O Estado já teve seus tempos de glória

lam fatos marcantes da sua história e dos

A culinária acreana é exótica e rica em

na extração da borracha e da castanha. Na

modos de ser e viver da sua gente. Agora,

diversidade, por suas múltiplas influências

preservação de suas conquistas históricas

quando o assunto é religião, o Acre é co-

- nordestina, paraense, boliviana, árabe

ou em seus modernos espaços de lazer e

nhecido por ser ponto de partida do culto

e indígena. No Acre, o visitante pode sa-

entretenimento, o Acre se revela como um

do Santo Daime, iniciado em meados do

borear Pato no Tucupi, Tacacá, Tapioca,

Estado que dá claras demonstrações do

século XX. O Estado é também a última

Carne de Sol com Baião de Dois, Galinha

seu apreço por suas referências culturais.

área acrescentada ao território brasileiro,

Picante, Caldeirada de Peixe, Charuto de

Além disso, a região tem outros pontos tu-

que foi historicamente disputada com a

Repolho, Rabada no Tucupi, Galinha à

rísticos, como as belas praias fluviais que

Bolívia e com o Peru, e só passou para o

Cabidela, Saltenha, Pirarucu ao Leite de

ficam perto da capital, Rio Branco.

controle do Brasil em 1903.

Côco, dentre muitas outras delícias. No

E falando em sua capital, nela você é possível conhecer monumentos que reve-

O essencial: DDD: 68 (Rio Branco)

que diz respeito às sobremesas, sobres-

Informações turísticas: www.ac.gov.br

saem iguarias feitas com frutas regionais como o cupuaçu, a cajarana, o cajá, a gra-

Foto: Divulgação

viola, o açaí.

Artesanato O Artesanato Acreano reflete a grande biodiversidade das florestas locais, manifestada na utilização de matéria-prima natural e variada: sementes, fibras, raízes, côcos, madeiras, e ainda cumpre um importante papel social junto a comunidades acreanas.

Onde se hospedar na Capital Terra Verde R. Mal. Deodoro, 221 Rio Branco - AC Fone: (68) 3213-6000 (www.terraverdehotel.com.br) Imperador Galvez R. Sta. Inês, 401 (Aviário) Rio Branco - AC Fone: (68) 3223-7027 (www.hotelimperador.com.br) Pato no tucupi sac@vozdebrasilia.com.br

165


Estados brasileiros Alagoas – Maceió (AL) A tonalidade das águas de suas lagoas e praias encantam turistas e alagoanos

P

or que Alagoas tem esse nome? A resposta é tão óbvia que chega a ser ridícula:

por causa de suas 19 lagoas. Apesar de serem dignas de menção, só há poucos anos elas vêm sendo exploradas pelo turismo. Em comum, todas têm povoados simples e pitorescos às margens. As maiores são Mundaú e Manguaba, que se encontram com o mar num local apelidado pelos guias de “perereca”. Além das lagoas, outro motivo de orgulho dos alagoanos são as águas da costa. Ora azul-turquesa, ora verdeesmeralda, a tonalidade varia em função do sol, das marés e areias. A única constante é a temperatura, sempre morna, na faixa dos 26ºC. Já o verde contagiante dos coqueiros que dominam toda a orla praiana pode ser apreciado de longe, em uma das jangadas de velas coloridas que levam você às famosas piscinas naturais de Maragogi. Maceió passou a ser capital de Alagoas em 1839. Hoje, com aproximadamente um milhão de habitantes, ocupa uma área de 511 mil km quadrados. Uma das praias mais frequentadas é a de Pajuçara. Ali, os jangadeiros levam os turistas até as piscinas naturais que se formam no mar Pôr-do-sol nas praias de Maragogi. Maragogi fica no litoral norte de Alagoas, em plena Costa dos Corais. Fica equidistante cerca de 125 Km de Maceió e do Recife, tornando fácil o acesso a partir dessas duas importantes capitais do nordeste brasileiro. Maragogi (AL).Foto: Rogerio Monteiro

166

Anuário Brasileiro

e alguns incrementam o passeio carregando bebidas, petiscos e até forrozeiros.


Mas talvez seja a Praia do Francês, em

fica Maragogi, o destino turístico que mais

Marechal Deodoro, a mais conhecida de

cresce. Em algumas de suas praias, os

Alagoas, principalmente pelos surfistas.

bancos de areia permitem avançar pelo

CULINÁRIA E ARTESANATO

Segundo o Guia Quatro Rodas, um lu-

mar por mais de 200 metros. Na mesma

gar que vem ganhando fama é Barra de

região, outros lugares disputados são Ja-

A culinária alagoana é originaria das

Santo Antônio. Fundada por holandeses, a

paratinga e São Miguel dos Milagres. Com

iguarias de origem indígena e africana,

cidade é dividida pelo Rio Santo Antônio

tanto espetáculo, não é de admirar que as

como tapioca, cuscuz de milho, massa

e acessível apenas por balsa ou saveiro.

lagoas tenham de disputar a atenção de

puba, arroz doce, batata doce, inhame e

Seus destaques são as praias da Ponta

quem visita Alagoas.

do Gamela, do Morro e de Carro Quebra-

O essencial: DDD: 82 (Maceió)

do. Mas é na costa norte do estado que

Inf turísticas: www.turismo.al.gov.br

macaxeira com carne de sol, beiju, grude de goma, pé de moleque, munguzá, canjica e pamonha costumam ser servidas nos cafés da manhã e da noite. Alagoas possui um rico artesanato que, pouco a pouco, vem se tornando um dos mais procurados por sua rara beleza. Esta expressão cultural dos alagoanos tem rendido divisas para o Estado e ajudado grandemente o crescimento e desenvolvimento do turismo.

Onde se hospedar na Capital Ritz Lagoa da Anta Av. Brigadeiro Eduardo Gomes, 546 Maceió - AL Fone: (82) 2121-4000 (www.ritzlagoadaanta.com.br)

Maceió Atlantic Suítes Av. Álvaro Otacílio, 4065 Maceió - AL Fone: (82) 2121-5656 (www.maceioatlantic.com.br) Foto: Divulgação Embratur

O artesanato com a palha e a fibra da bananeira possibilita a confecção de uma grande variedade de produtos tais como cestas, bolsas sandálias, tapetes, colares, pulseiras, e outros.

sac@vozdebrasilia.com.br

167


Estados brasileiros Amapá – Macapá (AP) Um estado que não se resume ao rio, à floresta e à natureza

Fortaleza de São José de Macapá. Sua construção se estendeu por 18 anos, sendo inaugurada no ano de 1782, no dia do santo padroeiro da cidade de Macapá. Trata-se de uma fortaleza complexa, do ponto de vista da engenharia militar, além de possuir uma grande dimensão, sobretudo se comparada com as demais fortificações brasileiras, apresenta um complexo externo de obras de defesa como fosso, redente, revelim, caminho coberto, etc. Macapá (AP). Foto: Luis Olarte

E

ncontro da pororoca? Isso

de pororoca. É também considerado um

uma linha imaginária, hoje é representada

mesmo! O Amapá é o esta-

santuário ecológico, com uma diversidade

por uma estrutura moderna. Completan-

do conhecido mundialmente

de ecossistemas surpreendente. Mas as

do o cenário, existe ainda no terraço um

pelo encontro do Rio Amazonas com o

atrações do Estado não se resumem ao

relógio de sol, que desperta ainda mais o

Oceano Atlântico, um fenômeno natural

rio, à floresta e à natureza.

fascínio dos visitantes.

produzido pelo encontro das correntes de

O ponto turístico mais interessante da

Um monumento importante também

maré com as correntes fluviais, no perío-

capital é o Marco Zero, pois Macapá é a

em Macapá é a Fortaleza de São José do

do de maresia ou sizígia durante as luas

única cidade do Brasil cortada pela Linha

Macapá, construída em 1782 para prote-

novas e cheia, por isso foi dado o nome

do Equador. Antigamente, a Linha Ima-

ger o Amazonas de invasores. O forte tem

ginária do Equador era representada por

168

Anuário Brasileiro


muralhas de 15 metros de altura e 127 metros quadrados de edificações. Ainda na capital, o bondinho elétrico que leva ao Trapiche é uma delícia para passear. E a Casa do Artesão, maior centro de artesanato amapaense, tem como maior objetivo é fomentar a

GASTRONOMIA E ARTESANATO

atividade artesanal no Estado e promover a geração de trabalho e renda. Na confecção

Como toda Amazônia, a cozinha

das peças são utilizados vime, madeira, argila, fibra vegetal, sementes, penas, entre

amapaense, caracteriza-se por uma culi-

outros elementos retirados da natureza, sem impactar o meio ambiente.

nária essencialmente indígena e sem similar. Do saboroso pato-no-tucupí, à

O essencial: DDD: 96 (Macapá)

extravagante maniçoba, um preparado

Informações turísticas: www.setur.ap.gov.br

de carne de porco que permanece uma semana cozinhando; o delicioso tacacá, uma espécie de sopa que se serve na cuia; a caldeirada de tucunaré, o peixe mais conhecido, apreciado e consumido na região; a cozinha local é excepcional, com especial destaque ao camarão, abundante no município de Macapá, em todas as suas variações. O açaí é a fruta típica da região e pode ser encontrado em forma de doces, bebidas e sucos. A produção artesanal amapaense é bastante diversificada e sofre influências nordestina e indígena.

Onde se hospedar na Capital Ceta Ecotel R. do Matadouro, 640 (distr. de Fazendinha), 10 km Macapá - AP Fone: (96) 3227-3396 (www.ecotel.com.br) Macapá R. Francisco Azarias Neto, 17 Macapá - AP Localizada a 16 Km de Macapá, banhada pelo rio Amazonas, a Praia da Fazendinha oferece aos banhistas uma bela paisagem, uma rede de bares e restaurantes com os mais variados pratos típicos da região. Macapá (AP). Foto: Luis Olarte

Fone: (96) 3217-1350 (www.macapa.hotel.com.br)

sac@vozdebrasilia.com.br

169


Estados brasileiros Amazonas – Manaus (AM) Nessa terra de gigantes, o maior estado brasileiro encanta os visitantes

Detalhe da Floresta Amazônica que é considerada a maior floresta tropical do mundo e tem a grande maioria de seus 7 milhões de Km² em território brasileiro. Banhada pela Bacia Amazônica, possui a maior rede hidroviária do mundo. (AM). Foto: Christian Knepper / Anima / Embratur

O

silêncio, o clima úmido e

nhos, pescar piranhas nos igarapés e, com

gramação cultural que pode ser conferida

abafado, o teto formado

a ajuda de lanternas e holofotes, fazer a

o ano inteiro, desde o Carnaboi no sambó-

pela copa das árvores, tudo

focagem noturna de animais.

dromo, em fevereiro, até o Boi Manaus, em

faz com que você se sinta pequeno, muito

A maioria dos hotéis de selva tem aces-

outubro, passando pelo Festival Folclórico

pequeno. Uma imensa planície cerca o rio

so por barco, na região de Manaus. Mas

do Amazonas, em junho. No interior, di-

de águas barrentas. Dá medo? Quem já

outros pontos do Amazonas começam a

versos municípios também realizam suas

foi responde: “claro que dá!”.

receber empreendimentos desse tipo. Al-

festas próprias como Manacapuru, com

Uma caminhada pela floresta é pro-

guns estão em terra firme. Outros flutuam

seu Festival de Cirandas, ou o Festival

grama obrigatório para quem se hospeda

sobre balsas ou ficam suspensos em áre-

da Canção em Itacoatiara, com artistas e

nos hotéis de selva do Amazonas, no en-

as alagáveis (chamadas de igapós). Todos

compositores locais e nacionais.

tanto ande sempre na companhia de um

têm algo em comum: ajudam o visitante a

guia da região, pois a poucos passos de

sentir-se parte da natureza que o envolve,

O essencial: DDD: 92

distância pode haver uma onça-pintada,

sem abrir mão do melhor da civilização.

Informações turísticas:

um jacaré-açu. Mas a diversão não acaba

Aproveite também para conhecer a

aí. Você pode conhecer a vida dos ribeiri-

capital, pois Manaus tem uma grande pro-

170

Anuário Brasileiro

www.visitamazonas.am.gov.br


A Amazônia constitui-se numa das últimas reservas mundiais de recursos naturais e florestais e um dos ecossistemas mais ricos e preservados do planeta, especialmente por sua biodiversidade. Milhares de espécies de peixes habitam os rios da Amazônia. Com toda sua exuberante biodiversidade , a Bacia Amazônica é rota obrigatória para os amantes da pesca esportiva. É um lugar único, onde se pode encontrar rios e lagos limpos e preservados, em meio à sua incontestável beleza selvagem. Pesca Esportiva. Amazônia (AM). Foto: Roald Andretta / Loba do Mar / Embratur

GASTRONOMIA E ARTESANATO A Amazônia é muito bem servida pela variedade de pratos típicos e riquíssima em sabores de influência indígena. A culinária regional destaca-se pela enorme oferta de pratos à base de peixes ou frutos existentes apenas nesta porção do planeta. Cada ingrediente quando combinado com elementos regionais ou o tempero caboclo resulta num paladar impossível de não encantar pelo exotismo do preparo. Temperos como a pimenta malagueta, pimenta de cheiro, o tucupi são essências. Os peixes podem ser cozidos, fritos ou assados. As peças que compõem o artesanato amazônico são ricas em detalhes indígenas. Cerâmica, colares, pulseiras, utensílios domésticos, e uma infinidade de outras peças decorativas podem ser apreciadas e compradas. O artesanato regional está diretamente ligado a elementos da cultura local, e até mesmo a matéria-prima utilizada para a produção das peças têm origem na floresta, como sementes, fibras, madeiras, ou a argila para compor peças em cerâmicas.

Onde se hospedar na Capital

Tropical Av. Cel. Teixeira, 1320 (Ponta Negra) Manaus - AM Fone: (92) 2123-5000 Reservas: 0800-701-2670 (www.tropicalhotel.com.br)

sac@vozdebrasilia.com.br

171


Estados brasileiros Bahia – Salvador (BA) Uma “senhora” capital, mas que a cada ano fica mais bonita e interessante

A

Bahia tem 1.200 quilômetros de litoral e quase 300 praias. Muitas lindas, algumas ainda selvagens,

outras badaladas. De tempos em tempos, uma delas costuma ficar muito famosa, é um fenômeno fácil de se identificar: surgem pousadas charmosas, abrem-se restaurantes descolados, criam-se complexos de resorts, e uma vila de pescadores vira point da moçada. Este tipo de fenômeno já aconteceu recentemente com Arraial d’Ajuda, Trancoso, Espelho e Caraíva e caminhando para Itacaré e Maraú, portanto, se não conhece ainda essas duas trate de visitar logo, antes que suas belezas sejam “destruídas” pelas construções de resorts e restaurantes. Entretanto, há quem acredite que o “descobrimento” de Boipeba não tirou nem um pouco da graça de Morro de São Paulo e de nenhuma outra praia da Costa do Dendê. Nem a Praia do Forte, no litoral norte, perdeu seu encanto com a inauguração dos resorts na vizinha Sauípe. É por isso que, a cada ano que passa, a Bahia fica ainda mais bonita e interessante, apesar de nunca perder o velho charme, encontrado em Salvador, no seu famoso Carnaval e no histórico Pelourinho. Na “Terra do Nosso Senhor”, como os baianos gostam de chamar a cidade, o sol dura o Ligação da Cidade Alta com a Cidade Baixa, o Elevador Lacerda foi criado pelo engenheiro baiano Antônio de Lacerda ( 1837-1885 ) e teve o início das obras em 1873 e final em 1896. Dele, avista-se o Mercado Modelo ao fundo, construído em 1861, para funcionar como terceira alfândega da cidade, é um conjunto de restaurantes de comidas típicas e lojas de artesanato da região .Salvador (BA) Foto: Rogério Monteiro.

172

Anuário Brasileiro

ano inteiro, inclusive em julho, de norte a sul do estado. Famosa pelo Carnaval, que arrasta multidões pelas ruas da cidade, possui um dos principais centros históricos do Brasil. O Pelourinho,


um dos bairros mais antigos de Salvador, proporciona uma enriquecida volta ao passado com seus casarões antigos e contato

GASTRONOMIA E ARTESANATO

Onde se hospedar na Capital

A gastronomia da Bahia é rica em sabores picantes, por isso tome cuida-

Sofitel

O Elevador Lacerda também é outro

do! Não deixe de experimentar um aca-

R. Passárgada (Farol de Itapuã), 28 km

marco da cidade que deve ser conferido,

rajé feito pelas baianas do Pelourinho.

Salvador - BA

ele foi construído em 1930 e tem 72 metros

Nas suas mãos, a massa de modelar

Fone: (71) 2106-8500

de altura. Sua função é ligar a Praça São

ganha forma da tradicional baiana, essa

Reservas: 0800-703-7000

Tomé de Souza (Cidade Alta) com a Praça

mulher mágica, de vestido branco ren-

(www.accorhotels.com.br)

Cairu (Cidade Baixa) e onde está localiza-

dado, fartamente rodado, que encontra-

do o Mercado Modelo. Mas preste atenção,

mos pelas praças e esquina oferecendo

a melhor maneira de conhecer todos seus

saborosos acarajés.

com a irreverente cultura baiana.

arredores é fazer o percurso a pé.

E falando em artesanato, quando a

Pestana Bahia R. Fonte do Boi, 216 (Rio Vermelho)

Para completar o cenário, no coração

matéria-prima é o barro, as criações di-

Salvador - BA

da Bahia pulsa um mundo de natureza. A

videm espaço entre o sagrado e o utili-

Fone: (71) 2103-8000

Chapada Diamantina reserva mais de 152

tário. Assim nascem orixás majestosos,

Reservas: 0800-26-6332

mil hectares de chapadas, vales, cânions,

reverenciados em todos os cantos do

(www.pestana.com)

rios e cachoeiras.

mundo, e também vasos, caçarolas, pa-

O essencial: DDD: 71 (Salvador)

nelas e fogareiros.

Inf. turísticas: www.setur.ba.gov.br

O Forte de Santa Maria foi construído após a invasão holandesa com o objetivo de cruzar fogo e impedir novos desembarques na área. Esta fortaleza, concluída no século XVIIII guarda uma imagem de Nossa Senhora, serviu como depósito de bóias do balizamento do porto durante muitos anos. Salvador (BA). Foto: Rogério Monteiro.

sac@vozdebrasilia.com.br

173


Estados brasileiros Ceará – Fortaleza (CE) A melhor infraestrutura de hotéis do nordeste vida noturna entre as capitais do Nordeste e a melhor rede de hotéis econômicos. Tem praias limpas a menos de meia hora da região hoteleira, um lindo e badalado centro cultural (o Dragão do Mar) e é um ótimo lugar para quem gosta de fazer comprinhas. Sem falar que a cidade tem um parque aquático da pesada e é o ponto de partida para Canoa Quebrada e Jericoacoara, ambas integrantes da seleta lista das melhores praias do Brasil e, claro, do Ceará. É difícil apontar uma única razão para explicar o motivo pelo qual Fortaleza e o Ceará são tão atrativos para os visitantes. Em vez disso, é melhor citar um conjunto A Lagoa do Paraíso, assim como a Lagoa Azul, é uma ilha no mar das dunas de Jijoca de Jericoacoara. O local, apesar de sua fama internacional, continua quase isolada, graças às dificuldades de acesso. Jijoca de Jericaocoara (CE). Foto: Rogério Monteiro.

U

de diversos atrativos: a vida noturna agitada da capital, as praias belíssimas, a rica cultura, gastronomia regional deliciosa,

m estado onde a temperatu-

soas, ainda mais com a infra estrutura

ra nos meses de verão pas-

montada para receber os turistas. Não é a

Mas se quiser tranquilidade na praia

sa de 30 graus, com nove

toa que é um dos destinos preferidos pelos

esqueça, logo que estacionar o carro ou

turistas brasileiros e estrangeiros.

descer do taxi será abordado por alguém

horas de sol por dia, quer mais? Aqui não

além do povo simpático e amigável.

tem essa história de que o sol ou nasce

A capital tem brisa suave, mar de

querendo vender um coco, ou alugar ca-

ou se põe na praia. O céu aberto, o abra-

águas limpas, além de diversão garantida

deira, guarda sol... “o negócio aqui é se

ço forte e o balanço leve das palhas do

de segunda a segunda. No litoral Oeste,

instalar feito um paxá numa das barracas

coqueiro fazem a recepção: seja bem-

o visitante se depara com o esplendor de

e deixar o tempo passar” aconselham al-

vindo à terra da alegria. Como boa parte

Jericoacoara, uma das praias mais bonitas

gumas pessoas.

do litoral está voltada para o norte, a refe-

do mundo. E no litoral Leste, a lendária

rência é outra: o sol vem da direita para a

praia de Canoa Quebrada surpreende por

O essencial

esquerda. É impossível não se apaixonar

sua magnitude. No sul do Estado, a paisa-

DDD: 85 (Fortaleza)

pelo Ceará, a felicidade está estampada

gem se transforma.

Informações turísticas:

nas praias, ruas e nos sorrisos das pes-

174

Anuário Brasileiro

A capital Fortaleza oferece a melhor

www.ceara.gov.br/turismo


GASTRONOMIA E ARTESANATO Os pratos típicos do Ceará são: a peixada (espécie de caldeirada), paçoca de carne com banana, carne-de-sol assada com pirão de leite e a cajuína, um refresco de caju e a carne-de-sol, especialidade da cozinha sertaneja nordestina, também é conhecida como carne-de-vento, do sertão ou do Ceará. Já o seu artesanato tem raízes no período pré-colombiano e foi iniciado pelos indígenas. Estes usavam produtos como argila e palha para fazer instrumentos de uso cotidiano. Com a colonização e a vinda dos jesuítas, o artesanato foi enriquecido diversificaram-se a matéria prima e as técnicas. Surgiram adornos, adereços, ornamentos, vestimentas, relíquias e jóias, num trabalho artesanal que permanece até hoje.

Onde se hospedar na Capital Gran Marquise Av. Beira-Mar, 3980 (Praia de Mucuripe) Fortaleza - CE Fone: (85) 4006-5000 (www.granmarquise.com.br) Luzeiros Av. Beira-Mar, 2600 (Meireles) Beira-mar, em Fortaleza, é o principal corredor de animação de Fortaleza, oferece belo conjunto visual, formado pelo movimentado calçadão, bares, barracas, coqueiros e os imponentes edifícios da orla. No final da tarde e à noite, transforma-se em ponto de cooper, ciclismo, manifestações culturais, compras na feira de artesanato e passeios informais. Fortaleza (CE). Foto: Local Foto / SeturCE

Fortaleza - CE Fone: (85) 4006-8585 Reservas: (85)4006-8586 (www.hotelluzeiros.com.br)

sac@vozdebrasilia.com.br

175


Estados brasileiros Distrito Federal – Brasília (DF) A capital do Brasil possui o maior e mais moderno acervo artístico exposto a céu aberto

B

rasília é uma cidade totalmente

construída

com

ideias modernistas. O valor

do seu plano urbanístico e de seus monumentos faz com que Brasília seja um marco mundial da arquitetura e urbanismo modernos. Assim, a Capital do Brasil foi o primeiro núcleo urbano, construído no século XX, considerado digno de ser incluído na lista de bens de valor universal, recebendo o título de Patrimônio Cultural da Humanidade, em 1987, pela UNESCO. O reconhecimento de seu valor patrimonial fundamentou-se no plano urbanístico de Lúcio Costa, concebido em quatro escalas estruturais: a Monumental compreendida em todo o Eixo Monumental e que abriga a alma político-administrativa do País, a Gregária representada por todos os setores de convergência da população, a Residencial, composta pelas Superquadras Sul e Norte e a Bucólica que permeia as outras três, por se destinar aos gramados, praças, áreas de lazer, orla do lago Paranoá e aos jardins tropicais de Burle Marx. Para compor o plano urbanístico, Oscar Niemeyer projetou monumentos O Memorial JK é um museu na cidade de Brasília projetado por Oscar Niemeyer, inaugurado em 12 de setembro de 1981 e dedicado ao ex-presidente brasileiro Juscelino Kubitschek, fundador da cidade. No local, encontram-se o corpo de JK, diversos pertences, como sua biblioteca pessoal, e fotos tanto dele como de sua esposa Sarah. Apresenta obras projetadas por Athos Bulcão em sua área externa, um vitral desenhado pela artista Marianne Peretti sobre a câmara mortuária e uma escultura de 4,5 metros de autoria de Honório Peçanha. Foto: Werner Zotz

176

Anuário Brasileiro

marcantes, considerados o melhor da expressão arquitetônica moderna brasileira. O grande diferencial desses monumentos e de outros espaços de Brasília é a integração da arte à arquitetura. Com isso,


vários artistas de renome participaram da construção da capital, transformando-a em palco de experimentação das artes. Todo esse diferencial urbanístico, arquitetônico e artístico faz com que Brasília seja uma cidade muito especial, diferente de qualquer outra já vista no mundo. Na capital do país você pode optar por fazer o turismo cívico, onde é possível conhecer os diversos prédios do governo, o ecológico e rural, visitando cachoeiras, grutas e lagoas e visitar os templos que remetem às pirâmides como o melhor exemplo de monumento para uma cidade que nasceu monumental. O essencial: DDD: 61 (Distrito Federal) Informações turísticas: www.setur.df.gov.br

Onde se hospedar na Capital Hotel Nacional SHS Q. 01 Bl. A Brasília – DF Fone: (61) 3321-7575 (www.hotelnacional.com.br) Hotel das Américas SHS Qd.04 Bl.D Brasília- DF Fone: (61) 3034-3355 (www.hoteldasamericas.co.br) Nobile Lakeside Convention & Resort (ex-Quality Resort Lakeside) Setor de Hotéis e Turismo Norte, trecho 1, lt. 2 (Lago Norte) Brasília - DF Fone: (61) 3035-1100

GASTRONOMIA E ARTESANATO

Reservas: 0800-603-5323 Hotel Bonaparte Brasília Setor Hoteleiro Sul Quadra 02 Bloco J

A culinária em Brasília é muito diversi-

Brasília, 70327-900

ficada, por ser uma população composta

Fone:(61) 2104-6600

por pessoas de todos os cantos do Brasil.

www.bonapartehotel.com.br

Por isso não é difícil almoçar pato ao tucupi ou feijoada carioca e jantar churrasco ou

Brasília Alvorada Park

frango ao molho pardo. Ou seja, a culinária

Setor de Hotéis e Turismo Norte, trecho 1,

brasiliense também é “nacional”, pois tem

lt. 1-B, bl. C

um pouco de cada região. Mas podemos

Brasília - DF

dizer que o peixe na telha ganhou uma va-

Fone: (61) 3424-7000

riante bem regional em Brasília. O mesmo

(www.brasiliaalvorada.com.br)

acontece com seu artesanato, não possui um especifico, mas uma mistura do país

Meliá Brasil 21

todo.

Setor Hoteleiro Sul, qd. 6, bl. D

Brasília - DF Fone: (61) 3218-4700 Reservas: 0800-703-3399 (www.solmelia.com) Brasília Alvorada Towers Setor de Hotéis e Turismo Norte, trecho 1, lt. 1-B, bl. A/B Brasília - DF Fone: (61) 3429-8000 (www.brasiliaalvorada.com.br) Naoum Plaza Setor Hoteleiro Sul, qd. 5, bl. H Brasília - DF Fone: (61) 3322-4545 Reservas: 0800-61-4844 (www.naoumplaza.com.br) Grand Bittar Setor Hoteleiro Sul, qd. 5, bl. A Brasília - DF Fone: (61) 3704-5000 (www.hoteisbittar.com.br) Mercure Setor Hoteleiro Norte, qd. 5, bl. G Brasília - DF Fone: (61) 3424-2000 Reservas: 0800-703-7000 (www.mercure.com.br) Comfort Suítes Brasília Setor Hoteleiro Norte, qd. 4, bl. D Brasília - DF Fone: (61) 3424-6000 Reservas: 0800-55-5855 (www.atlanticahotels.com.br)

sac@vozdebrasilia.com.br

177


Estados brasileiros Espírito Santo – Vitória (ES) Praias badaladas ou turismo histórico? Aqui você escolhe o que mais lhe agrada.

A praia de Itaúnas é reta e extensa, com águas mornas e areia fina. A maior atração são as dunas que ocupam uma faixa de 1Km de largura e separam a pequena vila de Itaúnas de sua praia rasa, de ondas fracas. Doze barracas rústicas se espalham na praia, onde existe uma base do projeto Tamar. Quatro das cinco espécies de tartarugas-marinhas encontradas no Brasil desovam aqui. A maré baixa proporciona outra atração: pequenas piscinas naturais. Conceição da Barra (ES).Foto: Plínio Bordin

D

e um lado, praias badaladas

coitos, massas e embutido produzidos em

na cidade de São Mateus), na região de

e uma culinária à base de

propriedades de agroturismo. Se no litoral

montanha, as tradicionais danças folclóri-

peixes e frutos-do-mar. Do outro, turismo

a música local vem de origem indígena e

cas dos descendentes europeus garantem

histórico e clima ameno de montanha,

africana (o Congo mais na região metro-

animação.

onde se degustam vinhos, licores, bis-

politana do Estado e o Ticumbi no norte,

178

Anuário Brasileiro


Com aproximadamente 3,5 milhões de habitantes e uma área de mais de 46 mil quilômetros quadrados, o Estado tem uma extensa faixa litorânea, onde é comum a prática de esportes radicais, como raffting, o rapel e voo livre. Também é conhecido pelo Festival de Música de Alegre, o Festival de Inverno de Domingos Martins e o Festival Internacional do Vinho. Festas religiosas como a Festa da Penha e os Passos de Anchieta se contrapõem a festas profanas como o Vital (carnaval fora de época, com trios elétricos) e o forró de Itaúnas embala as noites e as manhãs - de turistas e locais. Conhecer o Estado é viajar pela história de seu povo, conhecendo os casarios do patrimônio histórico cultural, principalmente de Muqui (sul do Estado), São Mateus (norte do Estado), Santa Leopoldina (região Centro-Serrana), o Convento da Penha (Vila Velha) e as construções do Centro de Vitória. Mas, também, é desenvolvimento. Banho de mar, trilhas ecológicas, centros de estudos e pesquisas, como o Projeto Tamar e a Reserva Florestal da Vale do Rio Doce, moqueca feita na panela de barro - herança indígena na qual é feita de modo artesanal pelas paneleiras de Goiabeiras - ajudam a compor o mosaico que é o Estado. A torta capixaba (feita de mariscos, peixe e palmito) é prato principal da culinária capixaba na Semana Santa. O essencial: DDD: 28 (Vitória) Informações turísticas: www.turismo.es.gov.br

GASTRONOMIA E ARTESANATO A tradição pesqueira e a herança da cultura indígena e negra influenciaram profundamente a culinária capixaba, tornando-a eclética, produto de muitas influências dos habitantes locais como portugueses, africanos e povos do norte da Europa. Com a vinda de imigrantes europeus novos pratos foram acrescentados à cozinha capixaba. Dos italianos, os que exerceram maior influência, temos o anholini, o tortei, a sopa pavese, o risoto e a polenta. Mineiros e baianos também trouxeram de suas terras pratos típicos, como o péla-égua (cangiquinha com costeleta de porco) e o vatapá. Entre os pratos típicos mais famosos citam-se a torta capixaba

Oleiro modelando a argila no torno. A atividade requer muita dedicação e prática. A tarefa de um oleiro é dar forma a uma porção de barro com as mãos e umas poucas ferramentas. A argila é colocada no centro de um prato giratório e com os dedos posicionados, externa e internamente, levantam-se as paredes da peça na forma e altura desejada. Guarapari (ES) Foto: Plínio Bordin

e a moqueca, a muma de siri e a caranguejada. O trabalho artesanal das paneleiras sempre garantiu a sobrevivência econômica de seus

Onde se hospedar na Capital

familiares, como também de suas

Radisson Vitória

tradições. A região de Goiabeiras,

Av. Saturnino de Brito, 217

ao norte da Ilha de Vitória, sempre

(Praia do Canto)

foi o local tradicional da produção

Vitória - ES

de panelas de barro. No início, o

Fone: (27) 2125-8000

trabalho era de cunho familiar e as

Reservas: 0800-55-5855

panelas eram feitas nos quintais

(www.atlanticahotels.com.br)

das casas das paneleiras. Fonte: www.es.gov.br/site/turismo/culinaria.aspx

Senac Ilha do Boi R. Bráulio Macedo, 417 (Ilha do Boi) Vitória - ES Fone: (27) 3345-0111 (www.hotelilhadoboi.com.br) sac@vozdebrasilia.com.br

179


Estados brasileiros Goiás – Goiânia (GO) A terra das águas quentes e do ecoturismo Rio Quente são famosas por terem o maior parque termal do mundo. O Estado possui inúmeras grutas e cachoeiras, que predominam em todo o norte goiano, sendo que a cidade de São Domingos possui mais de 1000 grutas e cavernas, algumas ainda inexploradas. Para quem busca conhecer o casario histórico do município de Goiás (a primeira capital do estado, que deu lugar a Goiânia em 1937), uma boa pedida é fazer a viagem durante a Semana Santa, quando apresentações teatrais representam passagens bíblicas e conhecer as varias cidades do Patrimônio Colonial, criadas a partir das descobertas de ouro e prata. Entre elas está a cidade de Pirenópolis, que possui também um vasto patrimônio histórico, com suas ladeiras e ruas de pedra. A predominância em Goiás é de patrimônio colonial, sendo o estilo “art decó” A cidade de Goiás se localiza em terreno bastante acidentado onde se destacam a Serra Dourada e os Morros de São Francisco, Canta Galo e das Lages. Tem características de clima úmido. O Município é cortado pelos rios Vermelho, Urú, do Peixe, Ferreira e Índio. Possui também uma vegetação bastante variada, dividida em regiões de florestas, cerrados e campos.Cidade de Goiás (GO).

N

Foto: Rui Faquini

o coração do Brasil, Goi-

algumas cidades do ciclo do ouro, além de

ás é considerado o Estado

festas tradicionais, como a Cavalhada que

das termas e do turismo

atraem turistas do Brasil inteiro.

ecológico onde se destacam as áreas de

A Chapada dos Veadeiros, em Alto

cerrado, muito preservado em algumas

Paraíso, é uma das reservas ecológicas

regiões, as inúmeras cachoeiras e as gru-

mais procuradas do estado. A cidade de

tas existentes, assim como as formações

Anicuns, perto da capital, Goiânia, tem

rochosas. Muito conhecido por suas be-

passeios radicais, como o salto de asa del-

lezas naturais, patrimônios históricos em

ta da Serra do Felipe. Já Caldas Novas e

180

Anuário Brasileiro

em Goiânia, o que se destaca, concebido originalmente neste estilo, o centro administrativo da cidade, e basicamente na Avenida Goiás, agora com projetos de restauração. Aproveite também para apreciar os pratos regionais com guariroba e carneseca e o famoso empadão goiano. O essencial DDD: 62 (Goiânia) Informações turísticas: http://www.goias.go.gov.br/


Tombado Patrimônio Histórico Nacional em 1988, Pirenópolis mantém ainda hoje os casarões do século XVIII, igrejas e museus, todos aninhados sobre suas ruas de pedras quartzíticas. Pirenópolis (GO). Foto:Werner Zotz

GASTRONOMIA E ARTESANATO As peças em cerâmica mantêm vivas as tradições artísticas herdadas dos antigos índios da região. Os alfenins, feitos de polvilho e açúcar, são doces tradicio-

Artesão, Bazar Cultural da Promoção Social, Artes da Terra e Casa Dodô. Fonte: www.cidadeshistoricas.art.br

Onde se hospedar na Capital (fonte: Guia Quatro Rodas)

nais da cidade de Goiás. São encontrados na forma dos mais variados tipos de

Castro’s Park

bichos. Na culinária de Goiás destacam-

Av. República do Líbano, 1520

se produtos feitos a partir do milho, como

Goiânia - GO

as pamonhas. As peças artesanais po-

Fone: (62) 3096-2000

dem ser encontradas no Mercado Muni-

Reservas: 0800-62-3344

cipal, Associação dos Artesãos, Casa do

(www.castrospark.com.br)

Blue Tree Towers Rua 22, 122 (Setor Oeste) Goiânia - GO Fone: (62) 3235-5609 Reservas: 0800-150500 (www.bluetree.com.br)

sac@vozdebrasilia.com.br

181


Estados brasileiros Maranhão – São Luís (MA) Um lindo complexo turístico que vale a pena conferir

Turistas observam o pôr-do-sol nos lençóis. O Parque Nacional dos Lençóis é um paraíso ecológico com 155 mil hectares de dunas, rios, lagoas e manguezais. Suas paisagens são deslumbrantes: imensidões de areias que fazem o lugar assemelhar-se a um deserto. mas na verdade chove na região, que é banhada por rios. E são as chuvas, aliás, que garantem aos Lençóis algumas das suas paisagens mais belas. As águas pluviais formam lagoas que se espalham em praticamente toda a área do parque formando uma paisagem inigualável. Barreirinhas (MA). Foto: Werner Zotz

L

ocalizado entre as regiões

Uma viagem pelo Maranhão começa com

casario da capital, São Luís, o que vem à

Norte e Nordeste, o Ma-

o fado nas fachadas e o “reggae” nas ruas

tona é um Maranhão cheio de segredos

ranhão tem o privilégio de

de São Luís, segue pelas ruínas de Alcân-

que, sem muito alarde, vai se tornando um

possuir, devido a exuberante mistura de

tara, passa pelo lado maranhense do Delta

dos grandes destinos do país.

aspectos da geografia, a maior diversida-

do Parnaíba, pelas cachoeiras de Carolina,

Em São Luís, a herança da coloniza-

de de ecossistemas de todo o País. São

e culmina nas dunas mágicas dos Lençóis.

ção lusitana é vista em 3 500 prédios tom-

640 quilômetros de extensão de praias

O sol não cria as belezas do Mara-

bados, 1 100 deles declarados Patrimônio

tropicais, floresta Amazônica, cerrados,

nhão, só as acentua. Ele faz com que as

Cultural Mundial pela Unesco. A maioria

mangues, delta em mar aberto e o único

areias dos Lençóis brilhem em tons de me-

das construções é dos séculos XVIII e XIX.

deserto do mundo com milhares de lago-

tais nobres, assanha as águas das lago-

As mais conservadas, que exibem belos

as de águas cristalinas compondo um Es-

as com matizes fluorescentes, ilumina as

azulejos nas fachadas, estão na Praia

tado que está sendo descoberto e apre-

rochas e cachoeiras de Carolina. E realça

Grande, no centro histórico.

ciado no mundo inteiro.

ainda mais as tintas fortes dos shows de

Essa diversidade está organizada em cinco polos turísticos, cada um com seus

“reggae”, das frutas cheias de suco e dos

O essencial: DDD: 98 (São Luís)

tecidos do bumba-meu-boi.

Informações turísticas:

atrativos naturais, culturais e arquitetôni-

Seja nas pequenas aldeias de pes-

cos, muitos ainda por serem descobertos.

cadores ou nos cômodos e fachadas do

182

Anuário Brasileiro

www.turismo.ma.gov.br


GASTRONOMIA E ARTESANATO A cozinha maranhense sofreu influência francesa, portuguesa, africana e indígena. O tempero é diferenciado fazendo uso de ingredientes como cheiro-verde (coentro e cebolinha verde). No Maranhão é marcante a presença de peixes e frutos do mar.

Da farta cozinha maranhense

destaca-se o arroz-de-cuxá, símbolo da culinária, feito com uma mistura de gergelim, farinha seca, camarão seco, pimentade-cheiro e o ingrediente especial - a vinagreira (hortaliça de origem africana muito comum no Maranhão). A riqueza do artesanato encontrado em São Luís é fruto da mistura de povos e da diversidade natural que compõe o Maranhão. Da fibra do buriti, uma das árvores mais comuns do estado, são produzidas diversas peças como bolsas, tapetes e chinelos.

Onde se hospedar na Capital (fonte: Guia Quatro Rodas)

Pestana São Luís Av. Avicênia (Praia do Calhau), 7 km São Luís - MA Fone: (98)2106-0505 (www.pestanasaoluis.com.br) L’authentique Cristal R. das Alpercatas, qd. 24 (Praia do Calhau), 7 km São Luís - MA Fone: (98)4009-1919 (www.gruposolare.com.br)

A Rua da Estrela é uma das principais do centro histórico de São Luís. Também batizada com o nome de Cândido Mendes, a rua possui muitos dos mais belos sobrados azulejados da cidade. Atravessando toda a extensão do centro histórico, seu inicio é na Avenida Pedro II, de onde desce em declive acentuado até a Praça do Comércio. São Luís (MA). Foto: Werner Zotz

sac@vozdebrasilia.com.br

183


Estados brasileiros Mato Grosso – Cuiabá (MT) Um cenário encantador

O

Estado de Mato Grosso possui 139 municípios sustentados por uma política

econômica que prioriza o desenvolvimento com preservação ambiental e abre cada vez mais possibilidades para utilização de seu potencial turístico. Amazônia, Pantanal, Cerrado e as magníficas praias do Vale Araguaia compõem os 906 mil km² de Mato Grosso, maior planície alagável do mundo. “Gigante pela própria natureza”, o Estado é um misto de energia, tradições, sabores e emoções. Apresentando vocação natural para o ecoturismo, tem imensa variedade de plantas e animais e diversifica seus atrativos com a pesca esportiva, patrimônio histórico, arqueológico e espeleológico, turismo rural, contemplativo, místico e esportes radicais. A porta de entrada para o turismo pantaneiro é Cuiabá, a capital do estado, de onde os viajantes vão para cidades como Barão de Melgaço, Cáceres e Poconé. Os hotéis seguem a linha do ecoturismo sustentável, com diversos passeios para contemplação das 230 espécies de peixes, 80 de mamíferos e 650 de aves que habitam a região. Para admirar a paisagem, também vale a pena percorrer os 145 quilômetros da rodovia Transpantaneira. Outra grande atração do Mato Grosso O Paredão do Eco, próximo à Cidade da Pedra, é um mirante natural, formado por paredes de arenito devido a sua grande altitude, os sons produzidos nele ressoam pelo ar. O local também é nascente do riacho Paciência. Chapada dos Guimarães (MT). Foto: Werner Zotz

184

Anuário Brasileiro

é a Chapada dos Guimarães, localizada no Parque Nacional que leva seu nome,


Casarões antigos na Praça da Catedral. Cuiabá por ser um núcleo urbano de origem bandeirante teve construções tradicionais, conhecidas também como arquitetura de terra crua, que utilizava técnicas herdadas pelos portugueses dos povos árabes e norte-fricanos, difundidas nas zonas rurais brasileiras. Assim, as mais usadas em nossa capital foram: Taipa-de-pilão; Taipa Francesa ou simplesmente Taipa; Pau-a-Pique; Taipa-de-Mão; Taipade-Sopapo. Cuiabá (MT). Foto: Werner Zotz. Cuiabá (MT). Foto: Werner Zotz

criado em 1989, com formações rochosas exuberantes e mirantes com visão para a

GASTRONOMIA E ARTESANATO

Onde se hospedar na Capital

planície. O estado ainda tem as praias do

O artesanato mato-grossense refle-

Rio Araguaia e, ao norte, já na Floresta

te, em suas obras, o modo de vida do

Av. Isaac Póvoas, 1000

Amazônica, as águas piscosas da região

artesão, respeitando sua singularidade

Cuiabá - MT

de Alta Floresta um dos melhores lugares

e mantendo viva a cultura de seu povo.

Fone: (65) 3319-3000

do Brasil para pescar.

O trabalho começou com a necessida-

Reservas: 0800-703-1866 (www.deville.com.br)

Deville Cuiabá

Na culinária, saborosos pratos à base

de de suprir a falta de determinados ob-

de peixe são servidos com a exótica culi-

jetos de difícil aquisição. A criatividade

nária pantaneira que utiliza também a car-

dos artesãos fez, desta necessidade, o

Odara

ne de jacaré, preparada como manda a

surgimento do artesanato. Verdadeiras

Av. Fernando Corrêa da Costa,

tradição nas aldeias indígenas da região.

obras de arte enriquecem nossa cultura

93 (Areão)

Maior produtor da oleaginosa, o Estado

e transformam o cotidiano num encanto

Cuiabá - MT

insere a soja na alimentação cotidiana e

de belezas. São objetos de barro, ma-

Fone: (65) 3616-3500

em sofisticados cardápios para festas e

deira, fibra vegetal, linhas de algodão e

Reservas: (65) 3616-3535

eventos técnicos, científicos, comerciais e

sementes.

(www.hotelodara.com.br)

sociais. O essencial: DDD: 65 (Cuiabá)

Sua culinária é a mais rica em peixes na Região Centro-Oeste do Brasil.

Inf. turísticas: www.sedtur.mt.gov.br/

sac@vozdebrasilia.com.br

185


Estados brasileiros Mato Grosso do Sul – Campo Grande (MS) Um dos maiores patrimônios ecológicos do mundo

Faz parte do Balneário Municipal o Rio Formoso, com águas cristalinas e uma grande variedade de peixes. Bonito (MS). Foto: Werner Zotz.

N

a parte sul do Pantanal, na

de Jardim. São cachoeiras e rios de águas

ce o Festival Internacional de Pesca, em

região Centro-Oeste, está

transparentes, onde os turistas se sentem

outubro.

localizado um dos maiores

mergulhando, e flutuando em aquários gi-

patrimônios ecológicos do

gantes.

Possui atrativos naturais e culturais que podem ser vistos ao participar de pas-

mundo: o Mato Grosso do Sul. Entre ou-

A capital é Campo Grande e suas prin-

seios turísticos. Os cenários são distintos

tubro e abril, os rios enchem com as chu-

cipais cidades são Corumbá, Aquidauana,

e com belezas peculiares, sendo rico em

vas e o Pantanal alaga. Depois, quando

Miranda e Porto Murtinho. O recém-re-

flora, fauna e exuberância da natureza. A

os rios começam a secar, visitantes inte-

ativado Trem do Pantanal sai de Campo

dedicação de seus habitantes o tornaram

ressados na mistura única de bichos e ve-

Grande e vai até Miranda, em uma viagem

uma das mais produtivas áreas agrícolas e

getação invadem a região. Além disso, é

de 11 horas, com escala em Aquidauana

seus visitantes devem provar sua comida

no Mato Grosso do Sul que está o melhor

para o almoço. Para quem gosta de pes-

típica.

destino do ecoturismo brasileiro: a região

ca, o turismo em Porto Murtinho é um dos

O essencial: DDD: 67 (Campo Grande)

de Bonito, que inclui também o município

melhores do Brasil. Em Corumbá, aconte-

Inf. turísticas: www.turismo.ms.gov.br

186

Anuário Brasileiro


GASTRONOMIA E ARTESANATO Um dos seus maiores símbolos de Campo Grande nasceu da inspiração de Conceição Freitas da Silva, mais conhecida por Conceição dos Bugres. Suas esculturas de bugrinhos ficaram famosas no resto do mundo. Também se destacam o artesanato rural. Na cidade os restaurantes incorporaram ao cardápio local receitas desenvolvidas com produtos regionais. Um exemplo é o nhoque de mandioca com molho de carne-seca. Também se destaca o churrasco de carne bovina com mandioca. Para completar umas gotas de shoyu, tempero japonês a base de soja (shoyu = soja em japonês), que se tornou popular entre os campo-grandenses. Do Japão também veio outro prato típico: o sobá, que é um tipo de macarrão, sendo a primeira cidade no Brasil a dispor desse tipo de restaurante. Os peixes também tem sua importância gastronômica, sendo muito comum o pacu, dourados, pintado e piranha.

Onde se hospedar na Capital

Jandaia R. Br. do Rio Branco, 1271 Campo Grande - MS Fone: (67)3316-7700 (www.jandaia.com.br)

Artesanato. Campo Grande é a única cidade brasileira que tem aldeia indígena urbana: 135 ocas de alvenarias foram construídas pela Prefeitura Municipal, constituindo o Conjunto Habitacional Marçal de Souza, residência de famílias da nação Terena que trocaram as reservas pela vida na cidade. É um espaço que resgata a cultura indígena, com acervo variado de cerâmica Terena, artesanatos em palha, telas e abajures com material e motivos indígenas, além de literatura específica. No centro da comunidade, destaca-se o Memorial da Cultura Indígena, uma imponente oca com 8,3 metros de altura, coberta de bacuri. O maior destina-se a exposição e comercialização de peças artesanais, administração e estruturas de apoio aos visitantes. O núcleo menor funciona como oficina de artesanato e acervo de materiais. Campo Grande (MS). Foto: Werner Zotz

Novotel Av. Mato Grosso, 5555 (Jd. Copacabana) Campo Grande - MS Fone: (67)2106-5900 Reservas: 0800-703-7000 sac@vozdebrasilia.com.br

187


Estados brasileiros Minas Gerais – Belo Horizonte (MG) Muito além de cidades históricas e igrejas com anjinhos barrocos

M

inas Gerais é um dos estados com maior número de museus do país, dedicados

não apenas à história mineira, mas também às artes e às ciências. Mas o segundo mais populoso estado do Brasil, com quase 21 milhões de habitantes, é muito mais do que cidades históricas dos antigos casarões e igrejas com anjinhos barrocos. Há tantos rios e cachoeiras que você até se esquece de que está longe do mar. E tem cidades modernas e envolventes, como Belo Horizonte, que já nasceu como a primeira capital planejada do Brasil. Pertinho da capital, a Serra do Cipó tem paisagens surpreendentes. A parte baixa lembra as estepes africanas e o platô, lá no alto, se parece com as “highlands” escocesas, um monte de serras verdejantes se perdendo no horizonte. Um pouco mais distante de Belo Horizonte, a Serra da Canastra também é um destino de primeira para o ecoturismo. Mas, além dos atrativos naturais, Minas ainda tem, é claro, a riqueza colonial de cidades como Ouro Preto, Mariana, Congonhas e Tiradentes. Não deixe de conhecer as obras do arquiteto e escultor Antônio Francisco Lisboa, conhecido por Aleijadinho, é o nome mais importante Cidade de Ouro Preto, a história da cidade começou quando um bandeirante encontrou pedras escuras no leito do rio Tripuí. Eram pepitas de ouro, mas um ouro preto, coberto de óxido de ferro. A mineração atraiu muita gente à localidade, inicialmente batizada de Vila Rica. Com a riqueza que saía do solo foram construídos casarões e santuários como a Matriz de N. S. do Pilar, o segundo templo mais abundante em ouro no país. Em 1789, também em função do minério, Ouro Preto foi palco da Inconfidência Mineira, movimento que pretendia separar o Brasil de Portugal. A cidade que foi a capital do de Minas até 1897, quando a capital se transferiu para Belo Horizonte, em 12 de julho de 1933 foi tombada pelo Patrimônio histórico e Artístico Nacional (SPHAN). Ouro Preto (MG). Foto: Divulgação / Embratur

188

Anuário Brasileiro

do barroco mineiro, tanto por esculturas avulsas quanto por realizações de maior vulto, como os profetas em pedra sabão e os passos da Paixão em Congonhas e


a concepção arquitetônica de igrejas como a de São Francisco de Assis em Ouro Preto. Suas obras estão presentes em diversas cidades da região do ouro. Também vale conferir as obras do pintor Manuel da Costa Ataíde que destacou-se pela ornamentação em estilo rococó de forros das igrejas da região do ouro. Sua obra mais importante é a pintura em perspectiva Glorificação da Virgem, na igreja São Francisco de Assis em Ouro Preto. Minas ainda é a terra dos mineiros, um povo que, se gosta de você, abre as portas de casa sem cerimônia. O essencial: DDD: 31 (Belo Horizonte) Informações turísticas: www.descubraminas.com.br

GASTRONOMIA E ARTESANATO Artesanato mineiro é uma das mais fortes expressões culturais do Estado de Minas Gerais, sendo fonte de renda e incentivo ao turismo, beneficiando e distribuindo renda às mais diversas camadas da população. Os pratos mineiros mais tradicionais são basicamente aqueles provenientes do fundo do quintal de casa frango, porco, feijão, milho, mandioca e verduras , e a própria carne de vaca.

A Igreja de São Francisco, projetada por Oscar Niemeyer e inaugurada em 1943, faz parte do Conjunto Arquitetônico da Pampulha, e com suas linhas arrojadas, é considerada um marco da arquitetura moderna brasileira - se tendo tornado um importante símbolo da capital do Estado. Em sua fachada, apresenta painel de Candido Portinari, e em seu interior, 14 painéis caracterizam a Via Sacra. Belo Horizonte (MG). Foto: Markito

Onde se hospedar na Capital Ouro Minas Palace Av. Cristiano Machado, 4001 (Ipiranga) Belo Horizonte - MG Fone: (31)3429-4001 Reservas: 0800-31-4000 (www.ourominas.com.br) Mercure Av. do Contorno, 7315 (Lourdes) Belo Horizonte - MG Fone: (31)3298-4100 Reservas: 0800-703-7000 (www.accorhotels.com.br)

Quality Afonso Pena Av. Afonso Pena, 3761 (Mangabeiras) Belo Horizonte - MG Fone: (31)2111-8900 Reservas: 0800-55-5855 (www.atlanticahotels.com.br) Caesar Business Av. Luis Paulo Franco, 421 (Belvedere), 8 km Belo Horizonte - MG Fone: (31)2123-9898 Reservas: 0800-55-7275 (www.caesarbusiness.com.br)

sac@vozdebrasilia.com.br

189


Estados brasileiros Pará – Belém (PA) Um estado explorado pelos estrangeiros

Ribeirinhos. A Amazon Star organiza passeios fluviais com programação variada visando garantir diversão, segurança e proporcionar agradáveis passeios pelos encantos do Pará. Fundada em 1990, é uma agência especializada em programas de ecoturismo nas regiões do delta e do baixo Amazonas. Belém (PA). Foto: Werner Zotz

U

m Estado com dois dialetos

neta, situa-se quase que todinha em nosso

significativo conjunto de museus, espaços

de destaque. O paraense

território. Curiosamente, nas últimas déca-

culturais eruditos e populares, amplamen-

tradicional é falado na ca-

das, mais estrangeiros do que brasileiros

te utilizados pelos seus residentes, quase

pital Belém e em boa parte do território

aventuraram-se a conhecê-la. Um quadro

dois milhões de habitantes.

do estado, enquanto uma mistura dos

que, agora, começa a se inverter.

O estado do Pará, porta de entrada

sotaques nordestino, mineiro, capixaba,

A rica natureza amazônica dotou o Pará

natural da região, vem investindo forte no

goiano e gaúcho é utilizada no sudeste

de praias oceânicas de água doce, áreas

turismo. Um trabalho consistente de recu-

paraense (região de Carajás). Enquanto

de floresta virgem, serras, lagos e a maior

peração de seu patrimônio histórico devol-

isso o mundo inteiro refere-se à Amazônia

parte dos rios amazônicos. Sua capital é

veu à capital, Belém, boa parte do charme

com um misto de fascínio e reverência. A

uma das cinco maiores regiões metropoli-

“belle époque” que exibia nos anos dou-

chamada Amazon “rainforest”, um santuá-

tanas brasileiras e dispõe de completa in-

rados do ciclo da borracha. Novos bons

rio da diversidade biológica e a maior das

fraestrutura urbana. Abriga uma das maio-

hotéis, ótimos restaurantes, polos de lazer

últimas fronteiras verdes intocadas do pla-

res universidades do Brasil e dispõe de um

modernos, tradicionais museus e monu-

190

Anuário Brasileiro


mentos restaurados fazem hoje da cidade um excelente ponto de partida para o turista em busca dos cenários fascinantes. Lugares como a Ilha de Marajó e Alter do Chão são de uma beleza mágica tesouros à sombra da maior floresta tropical do mundo. Um paraíso verde à nossa espera. O essencial: DDD: 91 (Belém) Informações turísticas: www.paratur.pa.gov.br

GASTRONOMIA E ARTESANATO O artesanato produzido no estado do Pará é considerado rico e diversificado, principalmente pelo fato de ter suas raízes e influências em culturas de grupos indígenas que habitavam a região antes mesmo de sua colonização. A cerâmica, por exemplo, é uma das produ-

Docas em Belém. Foram restaurados quatro galpões de ferro inglês do antigo porto da capital, em um trabalho minucioso, que preserva o equipamento centenário tombado pelo Patrimônio Histórico e, ao mesmo tempo, o transforma em um dos locais públicos mais confortáveis de Belém. O Complexo tem atrativos inéditos, como uma cervejaria onde a bebida é processada no ato, palcos suspensos que deslizam sobre eixos da estrutura metálica centenária e ruínas do Forte de São Pedro Nolasco, descobertas durante as escavações da obra, que agora fazem parte de uma exposição permanente com outras relíquias da atividade portuária em Belém. Belém (PA). Foto: Christian Knepper / Anima / Embratur

ções mais presentes no estado. Existem duas vertentes de inspiração para os artesãos que a produzem. A marajoara e a tapajônica, ambas com nomes que remetem às tribos passadas que criaram as técnicas e estilos de desenvolver esse tipo de cerâmica. A culinária apresenta como sua maior influência a cultura indígena e, um pouco da portuguesa e da africana. Os ingredientes básicos são oriundos da exuberante natureza da Amazônia, como camarão, caranguejo, marisco, peixe, aves, caça, pato, todos temperados com folhas (maniva, hicória, coentro), pimentas de cheiro e ervas.

Onde se hospedar na Capital Crowne Plaza Belém Av. Nazaré, 375 (Nazaré) Belém - PA Fone: (91) 3202-2000 Reservas: 0800-11-8778 (www.crownebelem.com.br) Hilton Belém Av. Pres. Vargas, 882 (Pça. da República) Belém - PA Fone: (91) 4006-7000 Reservas: 0800-728-0888 (www.hilton.com)

Expresso XXI R. Pres. Pernambuco, 116 (Batista Campos) Belém - PA Fone: (91) 3342-2121 (www.gruposolare.com.br) Regente Av. Gov. José Malcher, 485 (Nazaré) Belém - PA Fone: (91) 3181-5000 (www.hotelregente.com.br)

sac@vozdebrasilia.com.br

191


Estados brasileiros Paraíba – João Pessoa (PB) tranquilidade reina aqui A “Ilha da Areia Vermelha” é o destaque da Praia de Camboinha, a 20 Km da capital. Mas atenção, a ilha só aparece na maré baixa e cerca de 20 dias por mês. Já o por do sol mais concorrido fica em Cabedelo, outro município vizinho a João Pessoa. Nos bares da Praia do Jacaré, que é uma praia fluvial do Rio Paraíba, o programa ficou famoso pela trilha sonora: o Bolero de Ravel. José Jurandir Félix, o Jurandy do Sax, toca a música ao vivo todos os dias por volta das 17h, encerrando a apresentação pontualmente às 18h com a Ave Maria. É também na Paraíba que fica a praia de naturismo mais famosa do país: Tambaba, a 48 Km da capital. Outro atrativo turístico é a Ponta do Seixas, o ponto mais oriental da América do Sul e o lugar onde o sol nasce primeiro, a apenas 10 Km da Praia de Tambaú. Tem mais: Campina João Pessoa, fundada em 1585, é uma das mais antigas cidades do país e, por isso mesmo, é o retrato vivo do passado nas ruas e praças que remontam às origens da cidade. A cidade baixa, a qualquer hora do dia ou da noite, tem sempre atrativos para quem busca na arquitetura dos últimos três séculos o testemunho do processo de desenvolvimento nordestino, além de outros encantos que se traduzem em ancoradouros do rio Sanhauá, casarões antigos, hotéis, igrejas e praças. João Pessoa (PB). Foto: Rogeiro Monteiro

S

em resorts nem vilarejos

reinam absolutos. Sem contar que é uma

badalados, o litoral da Pa-

das capitais nordestinas mais econômicas.

raíba

desco-

Mas também não faltam belezas naturais:

nhecido da maioria dos brasileiros. Além

no verão, a cidade é banhada por águas

disso, muita gente insiste em dizer que o

de um azul muito claro. Em sua orla, pre-

estado tem a capital mais sem-graça do

servada por uma lei que limita a altura dos

Nordeste. Injustiça. Ao contrário de Re-

edifícios, concentram-se os hotéis e res-

cife, Fortaleza ou Salvador, na pequena

taurantes, sobretudo nas praias de Tam-

João Pessoa o sossego e a tranquilidade

baú, Manaíra e Cabo Branco.

192

permanece

Anuário Brasileiro

Grande, na divisa entre o agreste e o sertão, disputa anualmente com Caruaru (PE) o título de “a maior festa de São João do Brasil”. Durante o mês de junho, o forró e as comidas típicas de milho invadem a cidade. Seja quem for o campeão, o público é quem sai ganhando nesse embate. O essencial: DDD: 83 (João Pessoa) Informações turísticas: www.setde.pb.gov.br


GASTRONOMIA E ARTESANATO A cozinha paraibana, em sua origem colonial, teve a mesma base comum

A Ponta do Seixas é o ponto mais oriental do Brasil e das Américas, localizado em João Pessoa, capital da Paraíba. A praia possui águas calmas e esverdeadas, de areia fina e batida. Nesta praia está localizado o Farol do Cabo Branco, de onde se pode desfrutar de uma fantástica imagem devido a sua privilegiada localização, em cima de uma planalto. João Pessoa (PB). Foto: Rogeiro Monteiro

daquela das localidades litorâneas brasileiras da região nordeste, com forte presença da culinária adaptada pelos africanos trazidos como escravos para o cultivo da cana-de-açúcar e o uso intensivo de peixes, crustáceos e outros animais presentes próximo ao mar. É no sertão, no entanto, que a culinária paraibana apresenta uma maior singularidade. O artesanato indígena, produzido na Paraíba, é mais representativo nos objetos de cestaria e adorno pessoal, todos feitos com fibras vegetais, sementes e quengas de coco. Cestaria, cerâmica e enfeites como bijouterias, saias e cocares são as peças produzidas por nossos índios que, até os dias atuais, ainda utilizam os mesmos costumes e técnicas.

Onde se hospedar na Capital Hardman Praia Av. João Maurício, 1341 (Praia de Manaíra) João Pessoa - PB Fone: (83) 3216-8811 (www.hotelhardman.com.br) Village João Pessoa Av. Epitácio Pessoa, 4851 (Tambaú) João Pessoa - PB Fone: (83) 2107-4000 (www.hoteisvillage.com.br) sac@vozdebrasilia.com.br

193


Estados brasileiros Paraná – Curitiba (PR) A capital do verde Mas há mais parques nacionais nas cinco regiões naturais do estado: na costa, na Serra do Mar e nos platôs de Curitiba, de Ponta Grossa e de Guarapuava. A faixa costeira tem belas praias, ilhas e baías com atividades de lazer que vão dos esportes náuticos à pesca esportiva. A pérola desse litoral é a famosa Ilha do Mel, onde fica uma importante reserva ecológica de mata atlântica e restinga do estado. O lugar, além de brindar os fãs do turismo esportivo e de aventura com opções radicais, abriga espécies raras de flora e fauna que fazem a festa dos ecoturistas. Ali perto fica o Parque Nacional do Superagui, formado pelas ilhas de Superagui, das Peças e do Pinheiro, entre outras. Nesta Uma passarela elevada, sobre um lago, dá acesso à Ópera do arame que é referência da moderna arquitetura de Curitiba. Construído em uma pedreira desativada, o palco ocupa 400 m2 e conta com 1998 lugares entre plateia e camarotes. Inaugurado em 1992, o projeto do arquiteto Domingos Bongestabs foi todo construído em aço e coberto com policarbonato transparente. Completa o cenário uma cascata de dez metros de altura. Curitiba (PR). Foto: Werner Zotz

P

araná localiza-se na Região

queda d’água, maior conjunto de cataratas

Sul do País, ocupando uma

do mundo, coloca o país todo no turismo

área de 199.314 km², que

internacional. São 275 quedas das cata-

corresponde a 2,3 % da superfície total

ratas e patrimônio natural da humanidade

do Brasil e contando atualmente com 399

tombado pela Unesco. No parque, ainda é

municípios instalados. Sua diversidade de

possível aproveitar outras atividades como

paisagens, a fertilidade do solo, os usos,

o Centro de Visitantes, o Espaço Canoas

costumes e as características de sua gen-

e a Trilha do Maluco Safári. O detalhe é

te, fazem do Paraná um estado “sui-gene-

que, além das cataratas, a cidade do oeste

ris” e o coloca em privilegiada situação no

paranaense também tem a maior reserva

cenário nacional.

de floresta nativa subtropical do planeta.

Casa de Foz do Iguaçu: sua famosa

194

Anuário Brasileiro

Bastaria isso para ir ao Paraná.

última, uma das atrações é a revoada dos raros papagaios-de-cara-roxa, que acontece todos os dias no fim da tarde. Outro ponto de interesse turístico é o Parque Estadual de Vila Velha, em Ponta Grossa, onde as rochas esculpidas pelos ventos e pelas águas lembram ruínas de uma cidade medieval. Sem falar de Curitiba, a capital, que é toda verde. O essencial: DDD: 41 (Curitiba) Informações turísticas: www.setu.pr.gov.br


GASTRONOMIA E ARTESANATO O artesanato paranaense usa muita palha de milho para fazer bonecos e até presépios, uma verdadeira arte feita pela população local e reconhecida no mundo inteiro. Agora, entrando na parte da culinária, os principais pratos da cozinha paranaense sejam originários da interação entre portugueses e indígenas, esta possui influência posterior de imigrantes. O prato mais famoso é o “barreado”. Os cablocos e mestiços, ao irem almoçar na casa de seus patrões, levavam produtos da lavoura e tapiocas e lhes era servido uma espécie de guisado. Era um prato feito de carne bovina gorda e toucinho, preparados com muitos temperos durante várias horas em uma panela de barro. A panela era “barreada”, ou seja, era vedada com uma massa de farinha de mandioca, água e/ou cinzas do fogão para o vapor não escapar.

Onde se hospedar na Capital Pestana Curitiba R. Com. Araújo, 499 (Batel) Curitiba - PR Fone: (41)3017-9900 Reservas: 0800-26-6332 (www.pestanahotels.com) Four Points Sheraton Av. 7 de Setembro, 4211 (Batel) Curitiba - PR Fone: (41)3340-4000 Reservas: 0800-55-5855 (www.starwood.com)

O Largo da Ordem é o coração do Setor Histórico de Curitiba e onde se encontra a Igreja da Ordem Terceira de São Francisco das Chagas, a mais antiga de Curitiba. Nos séculos 18, 19 e boa parte do século 20, o Largo da Ordem era uma área de intenso comércio. Curitiba (PR). Foto: Werner Zotz sac@vozdebrasilia.com.br

195


Estados brasileiros Pernambuco – Recife (PE) A natureza presenteou a região com algumas das praias mais belas do País

da de sua charmosa vizinha Olinda (declarada Patrimônio Cultural da Humanidade pela Unesco), já se firmou como a cidade mais cosmopolita de todo o Nordeste. Resultado da influência de diversas etnias e nações, possui um grande diferencial: a sua diversidade cultural. A culinária, o artesanato, a música, a dança, a literatura e a arquitetura traduzem a alma criativa do povo. Carnaval, São João e as demais festas profanas e religiosas são momentos em que todos os elementos culturais misturam-se em uma alegre ebulição. O arquipélago de Fernando de Noronha, oficialmente território pernambucano, é dono de uma beleza única e, disparado,

A cidade de Olinda é vizinha de Recife, sendo separadas por apenas 7 Km. Olinda já foi a sede da capitania de Pernambuco, mas perdeu o posto devido ao incêndio causado pelos invasores holandeses, que assim, transferiram a sede para Recife. Olinda (PE). Foto: Werner Zotz

L

a mais caribenha das paisagens brasileiras. Tanto quanto seus primos baiano e cearense, o litoral pernambucano e Noro-

ocalizado no Nordeste bra-

litoral brasileiro é pequena, apenas 185

nha estão multiplicando sua oferta de sur-

sileiro, Pernambuco é um

dos 8 mil quilômetros de extensão da nos-

presas. Muitos consideram Pernambuco a

destino plural. Do litoral ao

sa costa. Uma ninharia se comparados,

bola da vez do turismo nacional e não ape-

sertão, oferece uma variedade singular

por exemplo, aos mais de mil quilômetros

nas devido ao calor de 35 graus de suas

de paisagens. Praias com águas mornas

do litoral baiano. Mas eis uma economia

praias ou ao verde-esmeralda de seu mar.

e areias brancas. Cenários exuberantes

que a natureza compensou plenamente,

Os governos estadual, federal e a iniciativa

com espécies da Floresta Tropical, na

presenteando a região com algumas das

privada estão investindo pesado na região.

Zona da Mata, e da Caatinga, no agreste

praias mais belas do país. Porto de Gali-

e sertão. O nome do Estado vem da pa-

nhas, Carneiros, Calhetas, Boa Viagem,

O essencial:

lavra indígena Paranampuka, que quer

Maria Farinha e as da Ilha de Itamaracá

DDD: 81 (Recife)

dizer onde o mar arrebenta. Uma referên-

são apenas as mais conhecidas. Dezenas

Informações turísticas:

cia aos arrecifes que também batizaram a

de outras, igualmente lindas, só esperam

www.ipernambuco.com.br

capital, a cidade do Recife.

ser descobertas.

A fatia que coube a Pernambuco no

196

Anuário Brasileiro

A capital do estado, Recife, com a aju-


GASTRONOMIA E ARTESANATO A cozinha pernambucana teve uma forte influência africana devido o grande fluxo de negros vindos da África para trabalharem nos grandes engenhos de açúcar. Os escravos trouxeram uma imensa bagagem cultural e introduziram novos ingredientes para o local. Muitas das receitas existentes nasceram em engenhos. O artesanato espelha e manifesta populações, sociedades detentoras de saberes, de tecnologias, de maneiras de transformar o que a generosa natureza oferece em matérias-primas, possibilitando inúmeras produções que abastecem o imaginário com louças de barro, entalhes nas madeiras, tecelagem de fios, redes de dormir, indumentárias, couro, papel e reciclagem de diferentes materiais.

Onde se hospedar na Capital Dorisol Av. Bernardo Vieira de Melo, 1624 (Praia de Piedade) Recife - PE Fone: (81) 2122-2700 (www.dorisol.com) Atlante Plaza Av. Boa Viagem, 5426 (Praia de Boa Viagem) Recife - PE

O Galo da Madrugada é um bloco carnavalesco que sai todo sábado de carnaval, a partir das 5:30 da madrugada, com toques de clarins anunciando a alvorada do carnval pernambucano. O principal objetivo do bloco é reviver as verdadeiras origens e tradições do carnaval de rua. Para isso, o Galo convoca e congrega todos os seus foliões em um grandioso e sensacional desfile, através da manifestações mais espontâneas e populares, unindo clubes de frevo e grupos de mascarados. Recife (PE). Foto: Breno Laprovitera

Fone: (81) 3302-3333 Reservas: 0800-81-4433 (www.atlanteplaza.com.br)

sac@vozdebrasilia.com.br

197


Estados brasileiros Piauí – Teresina (PI) “Dar mais praias ao Piauí seria injustiça com os outros” formação raríssima que além de lá só existe no Vietnã, no Rio Mekong, e na África, no Nilo. A foz do Parnaíba se subdivide em cinco braços de rio, formando um grande triângulo (ou a letra grega delta) antes de atingir o mar. Hoje o turismo nessa área tem sido a principal meta do governo, que visa além das divisas geradas por este setor, a melhoria da imagem do Piauí a nível nacional e internacional. Tem ruas largas, praças arborizadas e uma forte brisa marinha que ajuda a suportar o notório calor piauiense. Além de praias como a exuberante Pedra do Sal, outro atrativo da cidade é seu artesanato típico: as famosas rendas de bilro. E também os restaurantes, que servem peixes, frutos do mar e caranguejos, uma As dunas do Morro Branco ficam à margem do rio Parnaíba e são ponto de parada de passeios turístico a barco pelo rio. Parnaíba (PI). Foto: Rogério Monteiro

O

Piauí foi uma das últimas

mar após negociar com o vizinho Ceará.

regiões brasileiras a ser co-

Embora ínfimo, seu litoral tem praias tão

lonizada, uma das primeiras

lindas que fazem lembrar uma frase feita

a dizimar sua população nativa por meio

sobre a região: “Dar mais praias ao Piauí

da guerra e é o local onde se encontra

seria injustiça com os outros”.

os vestígios mais antigos de povoamento

O Estado do Piauí caracteriza-se pelas

das Américas. Também é conhecido por

suas baixas altitudes, chapadões, planí-

possuir o menor litoral do Brasil, são ape-

cies e vales úmidos. Suas elevações nu-

nas 66 Km. Para quem acha pouco vale

merosas são responsáveis pelo surgimen-

dizer que já foi pior. Na época de sua for-

to de formações geológicas grandiosas.

mação, em 1820, o estado não tinha praia

Mas o atrativo mais conhecido da costa

alguma, e só conseguiu a abertura para o

piauiense é o delta do Rio Parnaíba, uma

198

Anuário Brasileiro

iguaria regional, já que, por causa dos inúmeros manguezais, a região é a maior “produtora” brasileira desses crustáceos. Outro importante destino turístico está no sudeste do estado: a Serra da Capivara, onde ficam os 130 mil hectares do parque nacional de mesmo nome, um gigantesco museu a céu aberto repleto de sítios arqueológicos que revelam a passagem de homens e animais pré-históricos por lá. O essencial: DDD: 86 (Teresina) Informações turísticas: www.piemtur.pi.gov.br


GASTRONOMIA E ARTESANATO O artesanato piauiense é destaque no contexto nacional e internacional. As mais variadas espécies de matérias-primas fazem do seu artesanato o mais diversificado. Sem dúvida a criatividade e habilidade do artesão atesta o potencial e a qualidade do povo. Quanto a culinária sofreu influencia de diversos países, as farofas ou fritos, o pirão e a paçoca hoje são alimentos indispensáveis na mesa dos piauienses. “Frito” é a mistura de farinha branca com carne frita de qualquer espécie, sobretudo a carne de porco e a carne seca cortada miúda. O frito pode ser feito, ainda, com ovos, torresmo, e famosos são os fritos de galinha caipira e de capote (galinha d’Angola) e de caças variadas.

Onde se hospedar na Capital Metropolitan Av. Frei Serafim, 1696 Teresina - PI Fone: (86) 3216-8000 Reservas: (86) 3216-8006 (www.metropolitanhotel.com.br) Luxor Piauí Pça. Mal. Deodoro, 310 Teresina - PI Fone: (86) 3131-3000 (www.luxorhoteis.com)

As regiões localizadas junto às costas do delta do Parnaíba são alagadas ou não, dependendo do regime das marés. Esse regime de alagamentos forma um rico ecossistema , devido à grande quantidade de árvores e ao solo rico em nutrientes, formando uma lama espessa. Na foto, o caranguejeiro está atrás de carangueijos que são fontes de sustento para várias pessoas que vivem na região. Parnaíba (PI). Foto: Rogério Monteiro sac@vozdebrasilia.com.br

199


Estados brasileiros Rio de Janeiro – Rio de Janeiro (RJ) O “Estado Maravilhoso” oferece diversas atrações históricas, naturais e culturais tádio do Maracanã estão entre os principais pontos de visitação. Hoje não há, no Brasil ou no mundo, outro lugar que reúna cenário, elenco, roteiro, trilha sonora original, iluminação, direção de arte e serviço de bordo com a qualidade dos encontrados no Rio de Janeiro. O segredo de curtir o Rio está em seguir o fluminense nessa sua obsessão por descobrir e aproveitar o melhor de tudo. Compartilhe os prazeres dos habitantes do “Estado Maravilhoso” e você terá férias inesquecíveis. No verão, rume para a praia: Búzios, Arraial, Angra. Nos fins de semana e no inverno, suba a serra até Itaipava, Petrópolis, Teresópolis. Entre os maiores eventos do calendário carioca, destacam-se o Carnaval, o Festival Internacional de Cinema, a Mostra Rio de Janeiro é a segunda maior metrópole do Brasil. Internacionalmente conhecida por seus diversos atrativos turísticos como: as praias de Copacabana, Ipanema, Barra da Tijuca e Leblon, a estátua do Cristo Redentor, o Pão de Açúcar, o Estádio do Maracanã, o Réveillon na praia de Copacabana e por seu Carnaval. Rio de Janeiro (RJ). Foto: Beto Garavello/LUME

do Filme Livre, a Bienal do Livro, o Fashion

turismo no estado do Rio

gócios e eventos. Abriga também a maior

referência do turismo cultural, podem-se

de Janeiro oferece diver-

floresta urbana do mundo, no Parque Es-

elencar, entre tantos, o Museu Histórico

sas atrações históricas, na-

tadual da Pedra Branca.

Nacional, o Museu Nacional de Belas Ar-

O

Rio, o Anima Mundi e a festa do réveillon em Copacabana. Quanto aos pontos de

turais e culturais. A capital fluminense é

Entre os principais destinos dos tu-

tes, a Biblioteca Nacional, o Museu de Arte

internacionalmente conhecida pela beleza

ristas na capital está o Cristo Redentor,

Moderna (MAM), o Real Gabinete Por-

de suas praias e morros, além de ser um

eleito uma das sete maravilhas do mundo

tuguês de Leitura, o Palácio do Catete, o

grande polo de turismo cultural, contem-

moderno, o morro do Pão de Açúcar (com

Teatro Municipal e o Riocentro.

plada por diversos museus, teatros e ca-

seu famoso teleférico), a lagoa Rodrigo de

sas de espetáculos. Segundo a Embratur,

Freitas, as praias de Copacabana, Ipane-

O essencial:

é o destino mais procurado pelos turistas

ma e Barra da Tijuca, a floresta da Tijuca,

DDD: 21 (na capital)

estrangeiros que visitam o Brasil a lazer,

a Quinta da Boa Vista, o Jardim Botânico,

Informações turísticas:

e o segundo colocado no turismo de ne-

o Largo do Boticário, a Cinelândia e o Es-

www.turisrio.rj.gov.br

200

Anuário Brasileiro


GASTRONOMIA E ARTESANATO A culinária do Rio de Janeiro herdou da corte portuguesa e da época que foi a capital do país, grande parte de suas comidas. A feijoada e o bacalhau são os representantes maiores da culinária carioca. O mesmo aconteceu com seu artesanato.

Fone: (21)2525-1232

Reservas: 0800-703-1512

Reservas: 0800-703-7000

(www.marriott.com.br/riomc)

(www.sofitel.com.br) Fasano Rio de Janeiro

Copacabana Palace

Av. Vieira Souto, 80 (Ipanema)

Av. Atlântica, 1702

Rio de Janeiro - RJ

(Praia de Copacabana)

Fone: (21)3202-4000

Rio de Janeiro - RJ

(www.fasano.com.br)

Fone: (21)2548-7070 Reservas: 0800-21-1533

Onde se hospedar na Capital

(www.copacabanapalace.com.br) JW Marriott

Sofitel Rio de Janeiro

Av. Atlântica, 2600

Av. Atlântica, 4240

(Praia de Copacabana)

(Praia de Copacabana)

Rio de Janeiro - RJ

Rio de Janeiro - RJ

Fone: (21)2545-6500

Windsor Barra Av. Lúcio Costa, 2630 (Sernambetiba) (Praia da Barra da Tijuca) Rio de Janeiro - RJ Fone: (21)2195-5000 (www.windsorhoteis.com.br)

sac@vozdebrasilia.com.br

201


Estados brasileiros Rio Grande do Norte – Natal (RN) Uma invejável combinação de fatores atrai turistas do mundo inteiro que fica ali onde o mapa do Brasil faz a curva para oeste. Com dunas, bugues, lagoas e o ar mais puro do continente, a cidade faz jus ao apelido de parque de diversões, a nossa Disneylândia. Ali o turista que se preza aprende a dançar forró, descobre o que quer dizer a palavra esquibunda na Lagoa de Jacumã, visita o Forte dos Reis Magos e vai conferir o maior cajueiro do mundo, em Pirangi. Depois, come camarão, bebe caipifruta e aprende que descer as dunas de Genipabu de bugue pode ser mais excitante que andar de montanharussa. Bem perto, rumo ao sul, outros quatro destinos atraem cada vez mais gente: Búzios, Cunhaú, Baía Formosa e Tibau do Passeio de dromedário em Genipabu. Com dunas imensas e sua lagoa de águas doces, Genipabu é um dos principais passeios do Litoral do Rio Grande do Norte. É nas dunas localizadas ao redor dessa lagoa que é comum a prática do esquibunda, ondes os interessados descem as dunas em cima de pranchas de madeiras até cair na lagoa. Uma curiosidade sobre as dunas é que elas são móveis. Devido a intensa ação do vento, as dunas mudam constantemente de local. Genipabu. Natal (RN).

O

Foto: Rogério Monteiro

Sul, onde fica a espetacular Pipa, a principal praia natalense e “dona” da noite mais animada do litoral acima de Recife. Para o outro lado, no litoral norte, duas praias se destacam pela beleza: Galinhos e São

grande número de turistas

senvolvimento humano do Nordeste. Com

que visita Natal, a capital do

pouco mais de 3 milhões de habitantes,

As principais atrações do Estado são:

Rio Grande do Norte, ele-

Rio Grande do Norte tem forte apelo turís-

as rochas e lajedos que fazem o turismo

vou a cidade à condição de Polo Turístico

tico e atrai mais de 2 milhões de visitantes

de aventura, o turismo de sol e mar, turis-

Regional. Também não era para menos,

por ano, seduzidos pela beleza natural de

mo econômico, turismo científico, arqueo-

debaixo da linha do Equador, apresentan-

suas praias, montanhas e sertão; riqueza

lógico, ecoturismo, turismo de negócios e

do até 15h de sol diárias, recheadas de

de recursos naturais como o petróleo e mi-

eventos, entre outros.

coqueiros, dunas e muita água de coco,

nérios; e hospitalidade do povo potiguar,

a cidade de Natal tinha mesmo de ser um

como são conhecidos os seus habitantes,

O essencial:

paraíso turístico.

ou seja, sua invejável combinação de fa-

DDD: 84 (Natal)

tores.

Informações turísticas:

O Estado é formado por 167 municípios e apresenta o melhor índice de de-

202

Anuário Brasileiro

A diversão começa na capital, Natal,

Miguel do Gostoso.

www.brasil-natal.com.br


GASTRONOMIA E ARTESANATO Pela sua localização geográfica privilegiada, às margens do Atlântico, tem uma culinária que se divide entre os produtos da terra (galinha caipira, carne de sol, queijo de manteiga) e os frutos do mar (peixes, camarão, lagosta). Também são comuns as comidas preparadas com produtos da terra como a mandioca, milho verde e coco (bolos, cuscuz). Uma variedade de frutas regionais como manga, mamão, abacaxi, banana, caju, cajá, mangaba, maracujá completam o colorido cardápio potiguar. O artesanato potiguar é também destaque. De alimentos, como doces típicos de fabricação caseira (doce de leite, de coco verde, de frutas tropicais) a objetos de cerâmica, cestarias e trançados. Peças em madeira e em couro são uma marca do artesanato local.

Onde se hospedar na Capital Serhs Natal Grand Via Costeira, 6045 (Praia de Barreira d’Água), 11 km Natal - RN Fone: (84) 4005-2000 (www.serhsnatalgrandhotel.com) Ocean Palace Beach Resort Bungalows Via Costeira, km 11 (Praia de Barreira d’Água), 12 km Natal - RN Fone: (84) 3220-4144 Reservas: 0800-84-4144

Com dunas imensas e sua lagoa de águas doces, Genipabu é um dos principais passeios do Litoral do Rio Grande do Norte. É nas dunas localizadas ao redor dessa lagoa que é comum a prática do esquibunda, onde os interessados descem as dunas em cima de pranchas de madeiras até cair na lagoa. Uma curiosidade sobre as dunas é que ele são móveis. Devido a intensa ação do vento, as dunas mudam constantemente de local. Natal (RN). Foto: Rogério Monteiro

(www.oceanpalace.com.br) sac@vozdebrasilia.com.br

203


Estados brasileiros Rio Grande do Sul – Porto Alegre (RS) Um Brasil onde faz frio e venta, com pinheiros em vez de coqueiros

Praia do veludo localizada no bairro de Belém Novo, em Porto Alegre. A cidade constituiu-se a partir da chegada de casais açorianos portugueses na primeira metade do século XVIII. No século XIX, contou com o influxo de muitos imigrantes alemães e italianos (também recebeu imigrantes árabes e poloneses). Porto Alegre (RS). Foto: Carlito Ferreira

O

Rio Grande do Sul é um es-

vimento Humano do Brasil, de acordo com

tado com vastas opções de

a ONU, e o menor índice de analfabetismo

Ao Norte, o litoral do estado nasce em

turismo. O Estado recebe

do país, segundo o IBGE. Além de homens

uma pequena faixa entre o mar e a serra,

e mulheres belíssimos.

onde se encontra o maior cordão de lagos

anualmente cerca de 2,0 milhões de tu-

de Cinema.

ristas de fora do país, mas entrou tarde

Vale a pena visitar as cidades de Gra-

da América Latina. São cerca de 50 lagos,

no mapa do Brasil. Suas características já

mado e Canela, que são conhecidas na

que se ligam através de rios e canais. No

começam pelo clima que se diverge: um

época de Natal pela decoração, junta-

sul, encontra-se o maior complexo lacus-

Brasil onde faz frio e venta, com pinheiros

mente com os parques natalinos. No in-

tre do mundo, constituído pela Lagoa dos

em vez de coqueiros, é tão fora do padrão

verno, os turistas visitam essas cidades

Patos e Lagoa Mirim, as duas maiores do

quanto um Canadá que fosse à praia. Ain-

juntamente com São José dos Ausentes

Brasil. Nesse ponto, passa a ser acompa-

da tem a mania de tomar mate em vez de

e Cambará do Sul, devido às temperatu-

nhado por áreas de reservas naturais de

café.

ras baixas, frequentemente negativas e

preservação que vão até o extremo sul do

É o quarto estado mais rico do Brasil,

com a possibilidade de queda de neve.

Brasil, na cidade de Chuí.

atrás de São Paulo, Minas Gerais e Rio

Nas mesmas se encontram os cânions de

O essencial:

de Janeiro, e o quinto mais populoso,

Itaimbezinho e da Fortaleza, os quais são

DDD: 51 (Porto Alegre)

constituindo 6% da população nacional.

dos maiores do Brasil. Em Gramado, sem-

Informações turísticas:

Mas possui o melhor Índice de Desenvol-

pre no meio do ano, acontece o Festival

www.turismo.rs.gov.br

204

Anuário Brasileiro


GASTRONOMIA E ARTESANATO A culinária tem como tradição a carne de charque, o churrasco e as influências sofridas pela imigração italiana e alemã. Da mistura entre a comida indígena, portuguesa e espanhola surge a chamada cozinha da Campanha e, com características mais urbana, a cozinha da região missioneira. Você sabia que artesanato é a expressão mais genuína da autenticidade popular? Pois saiba que é a fusão de várias culturas que passa de geração em geração, que se identifica com seu entorno, sua simplicidade de desenhos e revelam seus sentimentos. O turista que visitar o Rio Grande do Sul terá a oportunidade de constatar esta afirmação. Aqui, o visitante poderá apreciar e adquirir um artesanato regionalizado.

Onde se hospedar na Capital Sheraton Porto Alegre R. Olavo Barreto Viana, 18 (Moinhos de Vento) Porto Alegre - RS Fone: (51) 2121-6000 Reservas: 0800-891-3570 (www.sheraton-poa.com.br) Deville Porto Alegre Aeroporto Av. dos Estados, 1909 (Anchieta), 10 km Porto Alegre - RS Fone: (51) 3373-5000 Reservas: 0800-703-1866 (www.deville.com.br)

Museu de Arte do Rio Grande do Sul Ado Malagoli (MARGS) é um museu brasileiro sediado em Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, e mantido pelo governo estadual. O MARGS ocupa um prédio que foi construído para ser a sede da Delegacia Fiscal da Fazenda no estado. Para realização da obra o governo federal abriu uma concorrência pública em 1912, cujo único inscrito foi a empresa de engenharia de Rudolph Ahrons, apresentando um projeto luxuoso orçado em cerca de 800 contos de réis. Contudo, o então Ministro da Fazenda, Francisco Sales, considerou que Porto Alegre não necessitava de um palácio para a instalação de uma mera repartição pública, e anulou a concorrência alegando custo exorbitante. Porto Alegre (RS). Foto: Carlito Ferreira sac@vozdebrasilia.com.br

205


Estados brasileiros Rondônia – Porto Velho (RO) Venha para Rondônia. O Brasil é aqui. De verdade. botos, inclusive o cor-de-rosa. A capital é banhada pelas águas barrentas do Rio Madeira que escondem grandes jaús, surubins, douradas, filhotes e piraíbas. Pescar nestas águas é estar sempre em alerta para enfrentar um adversário de porte, que luta a ponto de levar o pescador à exaustão. Vale a pena conferir também o Parque Ecológico, situado ao norte da capital. Criado para preservar a vegetação e a fauna próxima do perímetro urbano, o parque tem aproximadamente 5 Km de trilhas abertas, dando acesso a locais como o Mirante do Mapinguari. Para fazer compras em Porto Velho, vá até a área de livre comércio. Em Guajará-Mirim, a 320 Km da capital, você encontra a Estrada de Ferro Madeira-Mamoré, construída no início do século XX, e o museu histórico da cidade. Há também o encontro de águas do Mamoré (barrentas) com Pacaás Novos (crisAs operações no principal porto do Estado são realizadas por três terminais. Um para operações RO-RO, contendo duas rampas paralelas que se prolongam até um pátio pavimentado de estacionamento descoberto com 10.000m 2 dispondo, ainda, de outro pátio, também pavimentado, e com mesma metragem. Por esse terminal (RO-RO), que serve para atracação de balsa, são carregadas em média 100 carretas por semana que transportam, na maioria, automóveis, britas, hortifrutigranjeiro para Manaus e várias partes do mundo. Porto Velho (RO).

Foto: Luis Olarte

Rondônia quer ser desbravada. Quer

Bolívia, fica em plena Floresta Amazônica,

ser descoberta pelo turista. Cheia de mis-

na maior bacia hidrográfica do mundo. Na

térios, se esconde e se mostra. Para co-

capital, Porto Velho, uma das principais

nhecê-la, É preciso entendê-la. É preciso

atrações é o passeio de barco pelo Rio

ver além daquilo que se apresenta à su-

Mamoré até a corredeira Santo Antônio,

perfície. O Estado, que faz fronteira com a

onde, com sorte, é possível avistar alguns

206

Anuário Brasileiro

talinas). Na cidade de Costa Marques, à margem direita do Guaporé, fica o Forte Príncipe da Beira, monumento histórico mais antigo de Rondônia. Construído, em meados do século XVIII, o forte é mantido aberto pela guarda do Exército Brasileiro. O essencial: DDD: 69 (Porto Velho) Informações turísticas: www.setur.ro.gov.br


GASTRONOMIA E ARTESANATO Até hoje Rondônia possui uma forte influência indígena na culinária, no artesanato e na formação étnica de sua população, hoje miscigenada com descendentes de europeus que para cá migraram nos anos 70 e 80, nordestinos que vieram para a extração da borracha e negros trazidos para a construção da estrada de ferro MadeiraMamoré, outro símbolo do nosso estado. Hoje é normal encontrar bastante produção de cestarias feitas por artesanato indígena. Assim como nos demais estados, em Rondônia a culinária é a base de peixe, também com influência indígena. Possui pratos variados, de outros estados, como caruru, caldeirada de tucunaré, pato no tucupi, tacacá, munguzá e doces de buriti.

Onde se hospedar na Capital (fonte: Guia Quatro Rodas)

Vila Rica Av. Carlos Gomes, 1616 (S. Cristóvão) Porto Velho - RO Fone: (69)3224-3433 Reservas: 0800-11-0144 (www.hotelvilarica.com.br) Aquarius Selva R.México, 2141 (Nova Porto Velho), 4 km Porto Velho - RO Fone: (69)3217-5200 (www.aquariushotel.com.br)

Cestarias feitas por artesanato indígena. A cultura de Rondônia tem suas origens marcadas por uma forte influência da cultura indígena. Dentre os principais povos estão os Karitiana e os Uru-EuWau-Wau.Porto Velho (RO). Foto: Luis Olarte

sac@vozdebrasilia.com.br

207


Estados brasileiros Roraima – Boa Vista (RR) Um estado aguardando para ser explorado mais esquecer de um dos territórios mais exóticos e bonitos do planeta. Um rochedo imponente é a Pedra Pintada, encontrada na reserva indígena São Marcos, cheia de símbolos e desenhos rupestres e um paraíso para os arqueólogos e os turistas. É o mais importante sítio de tal ciência do estado, nela há inscrições de civilizações milenares que atraem a curiosidade de turistas e arqueólogos. Influenciado por outras regiões, Roraima apresenta uma culinária diversificada - o bolo de carimã e o tambaqui recheado são pratos bem conhecidos. A parte melhor escalável do Monte Roraima fica na Venezuela. A parte de Roraima (que Mulher fazendo artesanato em barro. A cultura em Boa Vista é predominantemente indígena e nordestina, esse predomínio vai desde os gostos musicais até o artesanato. Boa Vista (RR). Foto: Luis Olarte

R

oraima tem um grande po-

calizada na fronteira entre Brasil, Guiana e

tencial turístico, em especial

Venezuela.

no ecoturismo, mas é tam-

Entre as atrações turísticas, Roraima

bém o estado menos populoso do Brasil,

revela delícias presenteadas pela natu-

com 15 municípios. A floresta amazônica

reza. São montes, cachoeiras, estações

domina grande parte da região e está

ecológicas, corredeiras, vales, fazendas,

cheia de belezas naturais, estar em ter-

parques, sítios arqueológicos, ilhas, lagos,

ritório roraimense é embrenhar-se por to-

praias. Enfim, uma viagem de encantos,

das as regiões. A partir de Boa Vista, ca-

onde o mais tranquilo viajante ou aventu-

pital de Roraima, você chega ao Parque

reiro pode pisar em locais desconhecidos

Nacional Monte Roraima, abrigo de uma

e inexplorados, passando por caminhos

das montanhas mais antigas da terra, lo-

atraentes, para se surpreender e nunca

208

Anuário Brasileiro

possui apenas 10% do monte) só pôde ser escalada em 1991 pelo trio de alpinistas brasileiros composto por Julio César de Mello Santos, Felipe Garcia Amoedo, Andre Torres Amoedo. Para realizar proeza de tal magnitude foram necessários 5 dias de escalada. O essencial: DDD: 95 (Boa Vista) Informações turísticas: www.turismo.rr.gov.br


GASTRONOMIA E ARTESANATO Neste estado você encontra opções variadas, pois ele não possui uma comida tipicamente regional e seu artesanato também é originário dos índios. Podemos encontrar os seguintes pratos: carne de sol, paçoca com banana, feita com a mistura de farinha, banana e carne de sol, tapioca feita de goma de macaxeira, guisado de galinha, caldeirada, etc. Entre as frutas podemos destacar: cupuaçu, graviola, buriti e açaí.

Onde se hospedar na Capital Vila Rica Av. Carlos Gomes, 1616 (S. Cristóvão) Porto Velho - RO Fone: (69) 3224-3433 Reservas: 0800-11-0144 (www.hotelvilarica.com.br) Aquarius Selva R.México, 2141 (Nova Porto Velho), 4 km Porto Velho - RO Fone: (69) 3217-5200 (www.aquariushotel.com.br) Paisagem típica de Boa Vista. A cidade tem apenas duas estações bem definidas: o inverno e o verão; o outono e a primavera praticamente não são percebidos. O Relevo é plano quase em sua totalidade, o que favorece seu status de organização. Apenas 10% de suas terras possuem uma pequena inclinação (inclusas as áreas de planície fluvial inundável). Boa Vista (RR). Foto: Luis Olarte

sac@vozdebrasilia.com.br

209


Estados brasileiros Santa Catarina – Florianópolis (SC) Uma terra de mil jeitos. Jeitos de natureza e jeitos humanos. agosto a novembro. O calendário é agitado. Em Blumenau, a maior festa nacional da cerveja, a Oktoberfest, atrai gente de todos os cantos do país. Com tantas opções, o difícil é escolher para onde ir. Mas, fique tranquilo, tudo é pertinho. Santa Catarina é sempre uma delícia. A temporada de pesca da tainha vai de abril a julho. Por causa da captura desse peixe, entre maio e junho fica proibida a prática do surfe na Guarda do Embaú. No verão, a badalação e os preços duplicam. No inverno, quando os termômetros podem marcar 10 graus negativos em municípios como São Joaquim, os preços sobem na região Vista para a Barra da Lagoa. A praia é o maior núcleo pesqueiro de Florianópolis e uma das mais procuradas pelos turistas por suas águas calmas e poucas ondas. Cercada por vilas e construções açorianas, o local possui uma ponte pênsil que liga a lagoa ao mar, tornando-se um dos principais atrativos da praia. No mês de julho de todos os anos a barra cede seu espaço para a Festa da Tainha. À noite, a proximidade da Lagoa da Conceição faz do seu agitado centrinho uma opção atraente. Florianópolis (SC). Foto: Carlito Ferreira

S

serrana, que é um pedacinho europeu do Brasil. Se você pegar uma chuvinha, não se sinta um azarado. Ali chove todos os meses (o período menos úmido vai de abril a agosto). Por isso, mesmo no verão, ponha um agasalho na mala.

anta Catarina é um Estado

ainda mantém vivas as tradições dos co-

Santa Catarina é, com certeza, um dos

privilegiado que reúne bele-

lonizadores, alemães, italianos, açorianos,

melhores Estados brasileiros para fazer tu-

zas naturais, cultura diversi-

gaúchos, entre outros, completam esse lu-

rismo, investir e viver. Visitar Santa Catari-

gar sem igual.

na pode ser muito mais que uma viagem:

ficada e cidades modernas e bem estruturadas. Algumas das mais belas praias do

O Estado é completo: tem calor, som-

Brasil estão em Santa Catarina, a poucas

bra e água fresca em 560 Km de praias,

horas de viagem de uma região de serras

algumas entre as mais belas do país. Se

e cânions com paisagens de tirar o fôle-

for inverno, a temperatura chega abaixo de

O essencial:

go. Além disso, há inúmeros locais para

zero nas serras. Santa Catarina ainda tem

DDD: 48 (Florianópolis)

prática de ecoturismo, turismo rural e es-

muitas áreas de preservação, com lagoas

Informações turísticas:

portes radicais. Ótimas opções de resorts

e cachoeiras. Baleias-francas visitam as

www.sc.gov.br/santacatarina/turismo

para relaxar e curtir a vida e regiões que

águas de Garopaba e da Praia do Rosa de

210

Anuário Brasileiro

pode ser uma opção para seu futuro Estilo e Qualidade de Vida!


GASTRONOMIA E ARTESANATO

Foto: Arquivo

A gastronomia catarinense tem características próprias, que a tornam um diferencial a mais na escolha do roteiro. É um verdadeiro festival de sabores que inclui até mesmo o prazer de participar das colheitas de frutas de clima frio, como maçã e uva, e saborear produtos artesanais como geléias, vinhos coloniais, conservas etc. A costa catarinense também abriga a maior produção de ostras e mariscos do Brasil, atraindo visitantes de todo o mundo às fazendas marinhas e restaurantes à beiramar que oferecem os moluscos em pratos irresistíveis, além de outros frutos do mar. A principal atividade artesanal da Ilha de Santa Catarina é a confecção de rendas de bilro. Tais rendas são muito apreciadas e alcançam bom preço no mercado.

Onde se hospedar na Capital Costão do Santinho Resort Estr. Ver. Onildo Lemos, 2505 (Praia do Santinho) Florianópolis - SC Fone: (48) 3261-1000 Reservas: 0800-48-1000 (www.costao.com.br) Sofitel Av. Jorn. Rubens de Arruda Ramos, 2034 (Beira-Mar Norte) Florianópolis - SC Fone: (48) 3202-6100

Ostras gratinadas

Reservas: 0800-703-7000 (www.sofitel.com.br)

sac@vozdebrasilia.com.br

211


Estados brasileiros São Paulo – São Paulo (SP) Monumental local de opções turísticas. tação Ecológica Juréia-Itatins e a Ilha do Cardoso, no Logamar - Complexo Estuarino Lagunar de Iguape, Cananéia, Antonina e Paranaguá. Já a capital paulista é outro monumental local de opções turísticas. Só o turismo de negócios proporciona mais de 45 mil eventos por ano. Separando o litoral do planalto paulista, a escarpa da serra do mar, em plena mata atlântica, foi um grande obstáculo a ser vencido em séculos passados. Hoje, esta porta de entrada para o interior do Estado é foco de atenção da Reserva da Biosfera da Mata Atlântica e de outras organizações que buscam a preservação Marginal Pinheiros, oficialmente denominada SP-015, é o nome dado ao conjunto de avenidas que margeiam o Rio Pinheiros na cidade de São Paulo, formando a segunda via expressa mais importante da cidade. Liga a região de Interlagos à região do Cebolão, no acesso à rodovia Castello Branco. Ela dá acesso às rodovias Imigrantes e Anchieta através da Avenida dos Bandeirantes e, por conta disto, possui em seu trajeto grande fluxo de caminhões que vêm do interior do país, com destino ao Porto de Santos. São Paulo (SP). Foto: Wanderley Celestino

S

ão Paulo não nega a mania

postas contradições. É o estado do com-

pelo trabalho e a vocação

plemento. Quem vive o corre-corre da área

para negócios. Com muito

metropolitana encontra paz no interior tra-

esforço, os paulistas conseguiram fazer

dicional ou no litoral moderno, ainda pre-

de São Paulo o Estado mais importante

servado.

economicamente da América Latina. Mas

Banhado pelo Atlântico, o litoral paulis-

o Estado paulista não é só isso. Além das

ta tem 622 Km pontilhados por praias dos

milhares atrações culturais, São Paulo

mais diversos tipos e tamanhos. No litoral

também oferece as melhores opções de

norte as praias se espalham em torno de

turismo. Por isso o Estado tem muitas fa-

municípios como Bertioga, São Sebas-

ces e fases. Não pode ser definida como

tião, Caraguatatuba e Ubatuba, e em ilhas

terra disto ou daquilo, visto que abriga

como a Ilhabela, paraíso de surfistas e ve-

produções agrícolas e industriais, arte

lejadores. No litoral sul, em torno das cida-

moderna e artesanato tribal, arranha-céus

des de Iguape e Cananéia, onde também

e cachoeiras, praias e montanhas, selva

estão preservadas algumas áreas naturais

de pedra e floresta... E tantas outras su-

mais importantes do planeta, como a Es-

212

Anuário Brasileiro

deste ecossistema que está reduzido, no País, a 5% de sua extensão original. Interior adentro, o turista vai encontrar estâncias, turismo rural, ecológico, cidades com clima europeu, cachoeiras, cavernas, rios, serras, fontes de água mineral, parques naturais, construções históricas dos séculos XVI, XVII, XVIII, igrejas em arquitetura jesuíta e sítios arqueológicos. Na capital, alguns lugares você não pode deixar de visitar. A Bela Vista (bairro italiano), a Liberdade (bairro oriental) e as ruas comerciais: 25 de Março (árabe) e José Paulino (israelita). Interagir é a palavra de ordem na metrópole. O essencial:DDD: 11 (capital) Informações turísticas: www.saopaulo.sp.gov.br/conhecasp


GASTRONOMIA E ARTESANATO O Estado de São Paulo desenvolveu um artesanato típico e peculiar, produzido basicamente com a matéria-prima fornecida pela floresta tropical. Misturando técnicas trazidas pelo colonizador europeu com as desenvolvidas pelos indígenas e negros e enriquecendo-se com a curiosa contribuição cultural das diferentes populações de migrantes e imigrantes. A intensa industrialização tem dado lugar a um novo tipo de artesanato, o artesanato urbano, em que resíduos industriais são reciclados pelas mãos dos artesãos, transformandose em objetos singulares. Já na culinária não tem uma especifica. O tradicional aos sábados é saborear a tradicional feijoada acompanhada de um chopp bem gelado.

Onde se hospedar na Capital

O Museu de Arte de São Paulo, MASP, localiza-se na avenida Paulista, na cidade de São Paulo. Um dos mais importante espaços culturais do país, é popularmente conhecido pelo prédio de arquitetura arrojada que abriga as suas instalações, um verdadeiro cartão postal da metrópole paulistana. Reconhecida internacionalmente por sua qualidade e diversidade, a coleção do MASP é considerada a mais importante da América Latina[1], com obras que abrangem da Antigüidade Clássica até a Arte Contemporânea. São Paulo (SP). Foto: Wanderley Celestino Foto: Divulgação

Hilton São Paulo Morumbi Av. das Nações Unidas, 12901 (Brooklin Novo) São Paulo - SP Fone: (11) 2845-0000 Reservas: 0800-596-0000 (www.hilton.com) Grand Hyatt São Paulo Av. das Nações Unidas, 13301 (Brooklin Novo) São Paulo - SP Fone: (11) 2838-1234 Reservas: 0800-880-1234 (www.saopaulo.hyatt.com) Ponte estaiada Octavio Frias - Sao Paulo sac@vozdebrasilia.com.br

213


Estados brasileiros Sergipe – Aracaju (SE) Atrações para todos os gostos divisa com o sertão baiano. Mas atenção: para chegar lá, são três horas de ida e três de volta. Para amenizar o passeio, uma ideia é passar a noite em Canindé. O município de Itabaiana é bastante conhecido pelo seu grande e intenso comércio de ouro em jóias. Já Estância tem muita tradição nos festejos juninos, com seus famosos barcos de fogo; e no carnaval de beira de praia (Abaís). Neópolis, situada às margens do Rio São Francisco também tem tradição de bom carnaval, sempre no ritmo do frevo pernambucano, com suas bandinhas que levam os foliões ao delírio. Além disso o turista pode entrar em contaAo sul da cidade de Aracaju estão as praias que margeiam a Rodovia José Sarney: Aruana, Robalo, Náufragos, Refúgio e Mosqueiro. Menos urbanisadas que a Atalaia, guardam um ar mais paradisíaco e são ideais para longos passeios com a família. Por toda a orla muita água-de-coco, bares e uma variedade de deliciosos pratos à base dos frutos do mar. Aracaju (SE). Foto: Rogerio Monteiro

P

to direto com a história da civilização local através dos achados que estão expostos à visitação pública no Museu de Arqueologia de Xingó. A visita ao “Paraíso do Talhado”

ara quem gosta de praias, o

se o mar não tem o azul do da Bahia, o

no lago da Hidrelétrica é obrigatória a to-

litoral sergipano, com seus

Sergipe tem suas compensações.

dos aqueles que vão conhecer o Cânion de Xingó, que se situa na divisa dos esta-

173km de extensão, ofere-

Para começar, Aracaju é uma cidade

ce algumas das mais belas, com dunas

animadíssima, com orla toda arrumada,

de areia branca e coqueirais. Umas já

com direito a calçadão e os bares e res-

apresentam moderna infraestrutura, ou-

taurantes da Passarela do Caranguejo.

O essencial: DDD: 79 (Aracaju)

tras ainda são primitivas. Ainda pouco ex-

Aracaju também é o ponto de partida para

Informações turísticas:

plorado turisticamente, atrai pelos preços

passeios de ecoturismo e turismo fluvial no

www.emsetur.se.gov.br

baixos dos pacotes até durante a alta tem-

estado. Há várias opções, como navegar

porada. Tá certo: as águas verdes de toda

pelo Rio Sergipe (que margeia mangue-

a região nem sempre mantêm a coloração

zais), visitar a foz do São Francisco (a duas

neste estado, afinal o Rio São Francisco

horas de distância da capital) ou ainda co-

deságua duas horas ao norte da capital,

nhecer o cenário de cânions do mesmo rio

Aracaju, deixando a água marrom. Mas,

em Canindé do São Francisco, quase na

214

Anuário Brasileiro

dos de Sergipe , Bahia e Alagoas.


GASTRONOMIA E ARTESANATO Rico em belezas naturais, Sergipe é, também, o berço de magníficas manifestações de arte popular. É uma grande pluralidade de produção artesanal, fruto de mãos de gente simples que, com dedicação e amor a arte, valendo-se de técnicas arcaicas, passadas de pais para filhos, cria e recria belíssimas peças, transformadas em fonte de renda e em elemento de identidade sócio-cultural. E a culinária não deixa por menos, é de dar água na boca. Tudo à base do milho e do arroz. É a pamonha, a canjica, o cuscuz, o arroz doce, o mingau, os bolinhos, a macaxeira, a carne do sol, a carne ensopada – carnes de boi e de porco misturadas, o leite – de cabra e de vaca.

Onde se hospedar na Capital Starfish Ilha de Santa Luzia Barra dos Coqueiros (Ilha de Santa Luzia), 6 km Aracaju - SE Fone: (79) 2104-8500 Reservas: 0800-704-3210 (www.superclubsbrasil.com) Quality Av. Delmiro Gouveia, 100 (Coroa do Meio) Aracaju - SE Fone: (79) 2107-4350 Reservas: 0800-55-5855 (www.atlanticahotels.com.br)

Artesanato no Mercado Municipal de Aracaju. O Mercado Municipal de Aracaju é a maior atração da cidade. É dividido em três partes: o mercado de hortifrutigranjeiros, o mercado de produtos nordestinos e o de artesanato, ótimo lugar para comprar souvenirs. É possível encontrar frutas típicas como umbu, pitomba, caju, e comidas regionais como tapioca, castanha de caju e doces cremosíssimos. Aracaju (SE). Foto: Rogerio Monteiro

sac@vozdebrasilia.com.br

215


Estados brasileiros Tocantins – Palmas (TO) Uma cidade planejada com avenidas longas, largas e rotatórias ajardinadas

mais nova das capitais brasileiras, criada em 1989 até então, o território de Tocantins pertencia a Goiás. A capital é uma cidade moderna com grandes avenidas e ruas rodeadas de parques e jardins, com boa infraestrutura em serviços e hotéis que acolhem ao longo de todo o ano numerosos turistas, em especial os amantes de aventura e turismo ecológico. Todo o seu entorno é um verdadeiro paraíso natural com vales, montanhas, grutas, lagos, cascatas, rios e praias fluviais. Hoje em dia é considerada uma das principais cidades turísticas da região norte do Brasil e um dos seus monumentos mais visitados é a Catedral metropolitana de São José, dedicada ao seu patrono.

Quiosques da Praia da Graciosa. É uma praia permanente e faz parte do projeto Orla que irá fazer toda a margem do lago de Palmas de praias. Na praia da Graciosa existem quiosques, quadras poliesportivas, banheiros, cabines de segurança, estacionamento, iluminação, porto de embarque e desembarque e área para banhistas. Palmas (TO). Foto: Werner Zotz

B

A principal área de lazer da cidade é o lago de Palma, formado pelo represamento do rio Tocantins, cujas praias surgidas na temporada da estiagem, entre maio e

rasil, um lugar abençoado

outros, mas igual somente a si próprio.

setembro, ficam lotadas. Outro destaque

por natureza, mas, em es-

Assim é o Parque Estadual do Jalapão,

em Tocantins é a Ilha do Bananal, maior

pecial, o Estado do Tocan-

um dos principais roteiros para quem pra-

ilha fluvial do mundo, com 20 mil quilôme-

tins reserva grandes surpresas aos seus

tica o ecoturismo e o turismo de aventura.

tros quadrados. Cercada pelos rios Javaés

visitantes: cachoeiras, rios caudalosos,

No mundo, com certeza, não há cenário

e Araguaia, a ilha abriga um parque na-

dunas, praias de rio e monumentos e

igual. Em plena mata de transição entre o

cional, fechado ao turismo, e duas aldeias

manifestações culturais seculares con-

cerrado e a caatinga, onde predomina uma

indígenas com visitação permitida, desde

trastando com a arquitetura arrojada da

vegetação rasteira similar às savanas, sur-

que autorizada pela Funai.

capital, Palmas. Agora imagine um ce-

gem cachoeiras, rios de águas cristalinas,

O essencial:

nário que lembra a África, o Pantanal, os

corredeiras, grandes chapadas e forma-

DDD: : 63 (Palmas)

Lençóis Maranhenses e ainda a Chapada

ções rochosas de cores e formas variadas.

Informações turísticas:

Diamantina. Um lugar parecido a vários

O Jalapão fica a 300 Km de Palmas, a

www.to.gov.br/turismo

216

Anuário Brasileiro


GASTRONOMIA E ARTESANATO A cultura de Colinas é bastante heterogenia e está ligada principalmente a festas como: festejos de Nossa Senhora Aparecida e São Sebastião, Folia de Reis, Catira, Moda de Viola, Vaquejada, Festival de Música (sacra e popular). Na culinária, tem predomínio da cozinha

indígena,

portuguesa,

paulista e mineira. Encontramos neste estado, arroz com pequi, feijão tropeiro, galinhada, peixe na telha e outras preparações.Já no artesanato criatividade e habilidade não faltam, eles fazem chapéus, colares, brincos e tudo que a imaginação permitir com maravilhosos trançados de capim dourado e fibra de buriti.

Onde se hospedar na Capital Pousada das Artes 103-S, Av. LO-1, 78 Palmas - TO Fone: (63) 3219-1500 (www.arteshotel.com.br) Rio do Sono Av. Teotônio Segurado, cj. 1, lt.10 Palmas - TO Fone: (63) 3219-6800 (www.hotelriodosono.com.br)

Marina da Praia da Graciosa. É uma praia permanente e faz parte do projeto Orla que irá fazer toda a margem do lago de Palmas de Praias. Na praia da Graciosa existem quiosques, quadras poliesportivas, banheiros, cabines de segurança, estacionamento, iluminação, porto de embarque e desembarque e área para banhistas. Palmas (TO). Foto: Werner Zotz

sac@vozdebrasilia.com.br

217


Entrevista Economia dos aposentados Participação dos aposentados na Economia do país.

famílias que têm idosos, são sustentadas por eles, por dois motivos: os jovens não têm empregos e os adultos ganham pouco. Nos anos 40, a população de terceira idade não passava de 4,5%. O Brasil tem o maior índice de pagamento de aposentadorias a idosos. Isso corresponde a 87,2% da população de 65 anos ou mais. Muito já foi feito porém falta ainda muito para o Brasil alcançar a excelência nesse quesito. A melhoria da qualidade de vida dos idosos, através da drenagem e pavimentação das ruas, alimentação saudável desde a infância, cuidados físicos adequados, maiores facilidades de acesso a saúde e medicamentos, além de outros fatores são primordiais para otimizar ainda mais a expectativa de vida do idoso. Não basta apenas viver mais. Temos de viver mais com qualidade de vida.

Foto: Arquivo

AN: Quanto a expectativa de vida, quando o Brasil vai se aproximar de países mais desenvolvidos?

E

m entrevista com o Deputado Federal Cléber Verde (PRB/ MA), líder da bancada na Câ-

mara, discutimos sobre a importante participação dos aposentados e idosos em geral na economia do país. Anuário Brasileiro: Como Presidente da Frente Parlamentar em Defesa dos Aposentados e Pensionistas da Câmara dos Deputados como o Senhor ana-

218

Anuário Brasileiro

lisa a situação dessa importante parcela da população brasileira? Deputado Cleber Verde: Utilizando dados do Instituto de Pesquisa Econômica e Aplicada (IPEA), verificamos que a população está envelhecendo, e as taxas de natalidade, ao contrário, estão diminuindo. Segundo essa fonte, 9% da população atual é idosa e 26% das famílias possuem membros com mais de 60 anos. Em 2007, estudos apontaram que mais de 50% das

Dep. Cleber Verde: De acordo com os dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a expectativa de vida da população brasileira ao nascer passou de 69,66 anos (69 anos, 7 meses e 29 dias) para 72,86 anos (72 anos, 10 meses e 10 dias) de 1998 a 2008. Desse modo, segundo mostra a pesquisa “Tábuas de Mortalidade”, brasileiros nascidos em 2008 têm expectativa de viver, em média, 3 anos, 2 meses e 12 dias a mais do que os nascidos em 1998. Em 2008, pesquisas realizadas pelo mesmo instituto apontam que a população de idosos equivale à quantidade de crianças e que o envelhecimento saudável acontece por causa das melhores condições de vida e moradia, saúde e higiene.Os estudos estimam que no Brasil, em 2050, os idosos representem 25% da população. Em outras palavras, 1 em cada 10 pessoas terá mais de 65 anos. No entanto, estudos revelam que as cidades brasileiras, apesar de grande melhoria, ainda não estão preparadas para os idosos. As mudanças sociais acontecem


em paralelo ao aumento da longevidade e o Estado precisa construir novos projetos sociais voltados a programas específicos para a terceira idade, até porque, o país está envelhecendo.

estamos ainda tratando da recomposição das perdas. Este é outro projeto que tramita na CCJ da Câmara. Queremos apenas manter uma política mais justa que garanta o poder de compra desses brasileiros.

so proferido em plenário pelo Deputado em plenário na Câmara dos Deputados.

AN: O senhor é líder do Partido PRB na Câmara dos Deputados e representante desta classe no Congresso, qual a sua posição sobre o adiamento e resistência do Governo na aprovação do PL 01/2007?

AN: O senhor apresentou mais de 400 Projetos de Lei que tramitam na casa, tem algum que considera mais importante?

Deputado Cleber Verde: O turismo dos idosos tem crescido nos últimos anos. Alguns destinos são muito conhecidos como rotas de passeios de terceira idade, e recebem milhares de turistas anualmente. Os programas do governo para incentivar os passeios são extremamente importantes, pois propicia melhoria da qualidade de vida aos idosos, que longe da solidão e das razões que levam à depressão, apresentam poucos problemas de saúde. Precisamos incentivar e apoiar qualquer iniciativa que busque proporcionar alegria e felicidade àqueles que muito trabalharam pela construção de nossa nação.

Dep. Cleber Verde: De início é importante explicar de que trata este Projeto de Lei. Este é o primeiro projeto do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) que dispõe sobre o valor do salário mínimo a partir de 2007 e estabelece diretrizes para a sua política de valorização de 2008 a 2023. A Emenda apresentada pretende estender o mesmo reajuste e a mesma política de valorização estipulados em lei a todos os benefícios mantidos pela Previdência social. O Governo insiste em colocar dificuldades na aprovação deste Projeto de Lei. Utiliza de manobras regimentais impedindo a votação no Plenário, sob justificativa do déficit previdenciário, alegando que não seria possível conceder o que está sendo apresentado na emenda do Senador Paulo Paim. No entanto, nós entendemos que não há déficit previdenciário e que o Governo tem uma dívida social com os aposentados. O acordo proposto pela COBAP - Confederação Brasileira dos Aposentados e Pensionistas e Centrais Sindicais pretende garantir uma correção com base no percentual da inflação e pelo menos 80% do PIB (Produto Interno Bruto). È minimamente razoável, considerando que ao longo dos anos anteriores, por conta dessa política injusta de correção diferenciada de quem ganha o mínimo para aqueles que contribuíram acima do mínimo, que seja assegurado um percentual de aproximadamente 60%. È importante ressaltar também que não

Dep. Cleber Verde: Com certeza. Dentre esses, existe um número considerável de proposições que foram apresentadas para garantir direitos previdenciários a vários trabalhadores, aposentados e pensionistas. Está inserida também nestes projetos a classe de garimpeiros e portadores de deficiência. Em 2008, juntamente com dois outros juristas, especializados na área trabalhista e previdenciária, lançamos um livro que chamamos de “Nova Aposentadoria- Desaposentação: a chave para uma aposentadoria melhor”. A proposta do livro é propor o que anteriormente foi apresentado no Projeto de Lei 3884/2008 que g arante ao segurado o direito a renúncia à aposentadoria sem prejuízo da contagem do tempo de contribuição. Desaposentação - esse termo foi criado para nomear uma medida legal que poderá beneficiar aquelas pessoas que se aposentaram proporcionalmente, mas que por qualquer motivo, decidiram voltar a trabalhar, seja para complementar a sua renda, seja pela disposição que ainda têm, colocando a sua experiência à disposição do mercado de trabalho e até mesmo do país.

AN: Para encerrar dê sua opinião sobre o chamado “Turismo da Terceira Idade”.

Por Carol Di Paula

“Para mim, “desaposentar” é garantir àquele homem ou àquela mulher que se aposentou proporcionalmente, mas que voltou a trabalhar em outro emprego e a recolher o INSS, depois de completado o tempo para se aposentar com tempo integral, o direito de cancelar a sua aposentadoria proporcional, sem qualquer prejuízo, e transformá-la em integral. Trecho do discur-

sac@vozdebrasilia.com.br

219


Municípios - Maranhão Uma economia que não para de crescer Entre os estados nordestinos que apresentaram desenvolvimento acima da média nacional, o Maranhão foi destaque

Há grandes lagoas na área dos Lençóis, como a Lagoa Azul e a Lagoa Bonita. Muito procuradas para banhos, têm águas azuis e cristalinas. Podem ser conhecidas por meio de passeios de jipe que partem de Barreirinhas. Para a Lagoa Azul, o percurso é de apenas uma hora até as dunas, e muitas pessoas preferem fazê-lo ao final da tarde, para contemplar o belíssimo por-do-sol que o local proporciona. Barreirinhas/Lençóis Maranhenses (MA). Foto: Werner Zotz.

Localizado entre as regiões Norte e

nas compondo um estado que está sendo

Bruto (PIB) brasileiro, o destaque foi o

Nordeste, o Maranhão tem o privilégio de

descoberto e apreciado no mundo intei-

Maranhão, com um crescimento de 60,2%

possuir, devido a exuberante mistura de

ro. Essa diversidade está organizada em

registrado pelo estado segundo o Institu-

aspectos da geografia, a maior diversidade

cinco polos turísticos, cada um com seus

to Brasileiro de Geografia e Estatística

de ecossistemas de todo o País. São 640

atrativos naturais, culturais e arquitetôni-

(IBGE) entre 1995 e 2007. O desempenho

Km de extensão de praias tropicais, flores-

cos, muitos ainda por serem descobertos.

ficou acima da média nacional – 39,8% ou

ta Amazônica, cerrados, mangues, delta

Entre os estados nordestinos que apre-

2,8% ao ano – e foi o maior da região Nor-

em mar aberto e o único deserto do mundo

sentaram crescimento acima da média na-

deste, que cresceu 44% no período. Em

com milhares de lagoas de águas cristali-

cional, na participação do Produto Interno

2003, o Maranhão inverteu a posição com

220

Anuário Brasileiro


o Mato Grosso do Sul e permaneceu na 16ª colocação nos demais anos até 2007. De acordo com o IBGE, os serviços vêm perdendo participação para a indústria na economia maranhense: de 16,7% da economia do estado em 2002, para 17,9% em 2007. Impulsionou o resultado a produção de ferro gusa, alumina calcinada, alumínio não ligado e liga de alumínio. Dos 6,4 milhões de habitantes do Maranhão, constatados no último censo, 2 milhões e 984 mil estão no segmento denominado economicamente ativo, sendo que destes, cerca de 380 mil se encaixam na faixa dos desocupados, segundo Pesquisa Nacional de Amostra de Domicílio – PNAD, divulgada mês passado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE, aos diretores do Conselho Regional de Economia – Corecon. De acordo

A festa do Bumba-meu-boi, uma tradição que se mantém desde o século XVIII, arrasta maranhenses e visitantes por todos os cantos de São Luís, nos meses de junho e julho. Longe de ser uma festa criada para turistas, os bois se espalham nas perifeiras e no centro. Na parte nova ou antiga da cidade grupos de todo o Estado se reúnem em diversos arraiais para brincar até a madrugada. São Luís (MA). Foto: Editora Peixes / Embratur

com a pesquisa, que retrata a evolução como resultado das ações do Estado nos

circula no Estado. Confira algumas dicas

shows de artistas locais, nacionais e in-

últimos cinco anos, a relação da população

de lugares que não pode deixar de conhe-

ternacionais. A vida noturna funciona de

em idade ativa (pia) e da economicamente

cer:

segunda a domingo. É uma cidade com

ativa (pea) é de 58,9% da população, no

• São Luis

muitas opções de lazer e divertimentos. É

estado, enquanto no Brasil esta taxa é de

É rica em manifestações culturais,

conhecida como uma cidade festeira.

62%, e no Nordeste de 60,1%. Os núme-

como: o Bumba-Meu-Boi, Tambor de

• Alcântara

ros, levantados entre 2007 e 2008 revelam

Crioula, Cacuriá, Dança Portuguesa, Qua-

É uma cidade histórica. Tem como

que houve uma melhoria nas condições de

drilhas Juninas, “Reggae” e outras. Possui

principal atração a festa do Divino Espírito

vida dos maranhenses.

o maior conjunto arquitetônico de azulejos

Santo no mês de maio. A base de lança-

portugueses da América Latina. Possui

mento de foguetes esta localizada nesse

uma vasta área de praias salgadas. Pos-

município. Possui muitos prédios em ruí-

sui uma culinária peculiar da cidade, como:

nas que foram tombados pelo Patrimônio

o cuxá, o arroz de cuxá, o peixe frito e a

Histórico Estadual.

famosa torta de camarão. A cidade pos-

• Barreirinhas

sui uma vida noturna muito movimentada,

É o município portal dos lençóis mara-

possuindo muitos bares, restaurantes, clu-

nhenses. Possui um grande rio chamado

bes de festas, teatros, cinemas e muitos

Preguiças que é uma das atrações do mu-

Economia forte também no turismo Apesar da sua economia ser formada pela industria, pelo extrativismo, pela agricultura e pela pecuária, não podemos esquecer que o turismo também é forte e representa grande parte do dinheiro que

sac@vozdebrasilia.com.br

221


Municípios - Maranhão nicípio. Possui vários bares, restaurantes e hotéis de ótima qualidade que recebem os milhares de turistas que vêm conhecer os lençóis. • Carolina Tem como atrações as cachoeiras. Está na região das águas maranhenses. As principais cachoeiras turísticas mais frequentadas são: Pedra Caída e Itapecuruzinho. A cidade possui também aspectos local históricos, pois suas ruas são todas calçadas de pedras sabão, assim como possui um conjunto de casario colonial. • Caxias É conhecida como a Princesa do Sertão Maranhense por ser uma bela cidade. No passado concorria de perto com a capital São Luís em termos de economia. Atualmente, possui uma economia modesta. A principal atração turística é o balneário Veneza que é um local de rio. • São José de Ribamar É um município da ilha de São Luís. É uma cidade balneárea de águas salgadas. Possui como atrações: a Procissão de São José no mês de setembro, o lava pratos (o carnaval fora de época mais antigo do

A Casa do Maranhão foi inaugurada em março de 2002, na rua do Trapiche, com a proposta de ser uma vitrine das belezas existentes no Maranhão, inclusive com uma grande exposição da mais conhecida manifestação da cultura popular maranhense: o bumba-meu-boi. São Luís (MA). Foto: Werner Zotz

Brasil), que acontece no domingo seguin-

servem peixes deliciosos. Ultimamente, o

xada Maranhense por ser a mais bonita

te do domingo de carnaval, o lava boi que

município tem se destacado nas pequenas

dessa região. Possui como atrações tu-

acontece no mês de julho. A cidade é co-

dunas existentes, chamadas de fronhas

rísticas os campos onde ficam os búfalos.

nhecida pela culinária do peixe pedra frito

maranhenses. Estas fronhas estão loca-

Esses campos são pântanos, por essa ra-

nos bares e restaurantes.

lizadas principalmente na Ilha de Carimã.

zão é também conhecida como a cidade

• Raposa

A cidade oferece passeios de barcos, ba-

do pantanal maranhense.

É um município da Ilha de São Luís.

nhos em rios e passeio em trilhas. É uma

Destaca-se por suas praias. Possui um co-

grande opção pra quem vem a São Luís

mércio de rendas (toalhas, colchas, cober-

se dirigir até o município de Raposa.

• São Bento É conhecida por seus belíssimos campos (regiões alagadas ode pode-se obser-

tores, etc) feitas por mulheres de descen-

• Pinheiro

var inúmeras espécies de aves), pelo seu

dência cearense. Possui muitos bares que

É conhecida como a Princesa da Bai-

artesanato (redes e confecções feitas a

222

Anuário Brasileiro


partir do babaçú), manifestações culturais

azul cristalina com pequenas ondas e visi-

ré, Mearim, Parnaíba, Turiaçu, Itapecuru

nos períodos juninos, além dos Festejos

ta na Barragem Hidrelétrica de Boa Espe-

Vegetação: Mata dos Cocais a Leste, man-

Religiosos que acontecem durante o ano.

rança, na extremidade com o município de

gues no litoral, floresta Amazônica a Oes-

Guadalupe, este no estado do Piauí.

te, cerrado ao Sul.

• São João dos Patos Tem um dos melhores carnavais do es-

Clima: tropical

tado. Cidade festeira, destacando eventos

Hora local: horário de Brasília

como Exposertão em maio, Festejos de São João e São Francisco e Patos Folia

Dados Gerais

em julho considerada a melhor micareta

Localização: Oeste da Região Nordeste

Capital: São Luís

do interior. Atrativos naturais e de aventura

Área: 331.918,05 km2

Habitante: são-luisense

visita ao Moro da Cruz, a Estátua de São

População: 5.651.475

População: 870.028

Francisco com uma bela vista para o Açu-

Relevo: costa recortada, planície litorânea

Data de fundação: 8/9/1612. São Luís foi

de Grande, Morro do Chapéu no povoado

com dunas e planaltos no interior

declarada patrimônio histórico da humani-

giló deslumbrante por sua forma natural e,

Ponto mais elevado: Chapada das Manga-

dade pela Unesco, em 1997.

por último, uma visita nos balneários de

beiras (804 m)

água doce Piqui e Mandacarú com água

Rios principais: Tocantins, Gurupi, Pinda-

sac@vozdebrasilia.com.br

223


Artigos Turismo globalizado

Q

Foto: Gabinete

ual é a maior indústria do

tante levarmos em conta as informações

Se projetarmos nossa visão para daqui

mundo? Não restam mais

apuradas pelo Banco Central revelando o

há alguns anos, o futuro será ainda mais

dúvidas, e hoje, mais do

ingresso recorde de dólares no Brasil em

promissor. O Brasil sediará em 2011 os

que antes, estou convencido de que nos

2008 tendo o turismo como principal fonte

Jogos Mundiais Militares na cidade do Rio

próximos cinco anos a indústria do turis-

geradora de riqueza. Os dados são precio-

de Janeiro. Em 2013, a Copa das Confe-

mo será aquela que mais irá se desenvol-

sos na medida em que mostram o grande

derações e em 2014 a Copa do Mundo

ver no Brasil.

salto ocorrido no segmento: os turistas es-

Fifa. Com a escolha da cidade do Rio de

Para que se tenha uma noção exata

trangeiros gastaram no país US$ 5,785 bi-

Janeiro para sede dos 31º Jogos Olímpi-

do que significa essa projeção, é impor-

lhões, ou seja, 133% a mais do que 2003.

cos e Paraolímpicos, em 2016, a previsão

224

Anuário Brasileiro


Artigos é que o aumento no número de turistas

governos, será um

estrangeiros no Brasil naquele ano seja

aspecto chave no

de 10% a 15% superior ao que será regis-

futuro da Nação.

trado no ano anterior (2015). Levando-se

O

em consideração que nos anos anteriores

em parceria com o

novos investimentos e obras deverão ser

segmento privado,

realizados com vistas às Olimpíadas, para

precisa

conforto especial dos turistas, não há dú-

a educação, avan-

vida de que os negócios serão ampliados

çar a prosperidade

e novos impulsos deverão ser creditados

econômica,

ao setor.

oportunidades ino-

setor

público,

melhorar

criar

As perspectivas são absolutamente

vadoras e manter

positivas e temos muito a realizar. A con-

um ambiente se-

corrência internacional é acirrada, portan-

guro e saudável.

to, todas as partes interessadas deverão

O setor de Viagens

fazer um esforço conjunto para assegurar

&

este cenário. O governo e os parceiros

ajudar a alcançar

públicos e privados devem garantir que

essas metas e criar

o desenvolvimento do setor turístico seja

as condições ne-

sustentável – atingindo um equilíbrio sau-

cessárias para um

dável entre as necessidades empresariais,

turismo saudável.

Turismo

pode

a proteção de recursos naturais e o bem-

Portanto, den-

estar da população local. Este é um ponto

tre tantas lições a

fundamental. A diversidade de paisagens

aprender, destaco

e culturas, nosso maior ativo nacional na

aquela que considero como a principal

área de turismo, continua proporcionando

recomendação: precisamos lutar contra

grandes oportunidades para crescimento

o tempo, buscar parceiros que acreditam

e deve ser obrigatoriamente protegida e

efetivamente na possibilidade de se colo-

preservada para gerações futuras. E mais,

car em prática de forma irreversível, um

o desenvolvimento futuro e a promoção

projeto de turismo para o Brasil. Estamos

de novos mercados e segmentos pode-

convencidos de que o desenvolvimento

rão ajudar substancialmente a aumentar

desse setor poderá ser um caminho se-

a temporada e diversificar os benefícios de

guro e rápido para amenizar vários dos

turismo no Brasil inteiro.

problemas econômicos e sociais brasilei-

Para isso, nunca é demais lembrar: a

ros. Todos os esforços deverão convergir

gestão e o alinhamento de recursos para

efetivamente para a consolidação dessa

aumentar a qualidade de vida de todos

grande indústria no país e o momento é

os cidadãos, que é responsabilidade dos

agora.

226

Anuário Brasileiro

Foto: Gabinete

Tenho consciência da necessidade de se estabelecer uma nova visão sobre a atividade, colocando-se por terra todos os paradigmas até então vigentes. Daqui para frente o turismo deve ser tratado como setor produtivo, e não mais simplesmente como atividade econômica. Estejam todos certos, a decisão política de aperfeiçoar o setor dentro das ações coordenadas através dos diversos ministérios, órgãos públicos e parceiros da área privada trará resultados surpreendentes. Senador Neuto De Conto Presidente da Comissão de Desenvolvimento Regional e Turismo do Senado


Jerusalém EcoResort “O SANTUÁRIO ECOLÓGICO DO POVO DE DEUS” O conforto está reservado para você. Local destinado ao Lazer, Entretenimento, Práticas Esportivas dotado de Infra-Estrutura para realizações de Eventos, principalmente: Congressos, Seminários, Cursos, Feiras, Reuniões, Treinamentos, Retiros Espirituais, Batismo nas Águas, Confraternizações, Encontros, Shows, Festividades.

urais • Chalés • Piscinas • Salão t a N s de Eve oeira ntos • a h c Playground • Toboágu Ca

INFORMAÇÕES E RESERVAS: (61) 3964-5360 / 3964-5361 / 9241-3232 / 9901-1017

www.jerusalemecoresort.tur.br


Turismo Internacional Viajando mais para fora do país

Crédito: www.joi.org.blog

A desvalorização da moeda norte-americana aumenta a oportunidade de brasileiros realizarem a tão planejada viagem

N

Austrália

os últimos meses, as osci-

vinda de turistas ao Brasil, devido à dimi-

tra que 58,8% dos maiores de 18 anos fi-

lações do dólar deixaram

nuição do poder de compra do estrangeiro,

zeram as malas no último biênio para uma

os economistas do mundo

em virtude da queda também do dólar-tu-

jornada de negócios ou simplesmente

todo atentos para as mudanças que, con-

rismo, em contrapartida aumenta a oportu-

para passear. Em 2007, o percentual era

sequentemente, ocorreriam, em virtude

nidade de brasileiros realizarem a tão pla-

de 32%. Os números revelam também que

dos altos e baixos sofridos pela moeda

nejada viagem para fora do país. Países

33,5% planejam viajar pela primeira vez

que rege a economia mundial. No Brasil,

como Estados Unidos, França e Espanha

até 2011.

essas diferenças cambiais refletiram em

ainda lideram a preferência do público,

Selecionamos aqui alguns destinos

alguns fatores: o turismo que movimenta

porém, lugares mais próximos e baratos,

mais procurados pelos brasileiros, outros

um volume significativo de dinheiro em

como Panamá e as ilhas caribenhas, ainda

não são muito requisitados, mas possuem

dólares por ano, e é hoje a atividade do

buscam espaço no mercado.

algumas paisagens ou histórias que vale a

Uma pesquisa encomendada pelo Mi-

pena serem visitados. Levaremos você a

nistério do Turismo mostra que os brasilei-

passear pelos cinco continentes sem pre-

De fato, a desvalorização da moeda

ros estão viajando mais. A pesquisa feita

cisar levantar da poltrona.

norte-americana implica em dificultar a

pelo Vox Populi em novembro/2009 mos-

setor terciário que mais cresce, apresenta um dos reflexos mais evidentes.

228

Anuário Brasileiro


Oceania ou “mundo novo” Austrália e Nova Zelândia A Oceania é o continente mais isolado do mundo, sua barreira geográfica fez

posta por vários grupos de ilhas do Oce-

em suas maiores cidades como Sidney,

ano Pacífico e é composto pela Austrália,

Cairns, Perth e Queensland. Os hotéis

Nova Zelândia e Papua-Nova Guiné. Sua

geralmente são à beira mar, com vistas

configuração corresponde a um enorme

lindíssimas para o Índico, mas há também

arquipélago, com formação derivada de

alguns localizados no centro, mais propí-

erupções vulcânicas.

cios a quem vai a negócios.

com que fosse o último a ser descoberto

A Austrália é o maior país do continen-

Já a Nova Zelândia não fica para trás.

pelos europeus. Em razão desse atraso

te e, sem dúvida, um país maravilhoso,

A porta de entrada é Auckland, que me-

em seu descobrimento ficou conhecido

com atrações que encantam a todos por

rece uma visita, ainda que rápida, uma ci-

como “mundo novo”. O continente está em

sua diversidade. Melbourne é a capital e

dade bonita e moderna, que cresceu em

uma região geográfica e geopolítica com-

pode-se encontrar bons hotéis para ficar

volta de uma baía. A Nova Zelândia possui

Crédito: www.blogtelopia.co.uk

Grandes avenidas na Nova Zelândia

sac@vozdebrasilia.com.br

229


Turismo Internacional

Crédito: www.blogtelopia.co.uk

A Austrália possui lindos projetos arquitetônicos

grandes dimensões, extensas paisagens

não é uma tarefa fácil, já que o país é pou-

de ser assaltado. As sinalizações existem

montanhas nevadas, rios, lagos, vales,

co populoso e apresenta enormes trechos

em abundância e, não importa a cidade,

florestas e fiordes e uma pequena popu-

de puro deserto e estradas cercadas por

os australianos estão sempre dispostos a

lação. Seus múltiplos cenários são ideais

enormes e sonolentos pastos, onde o ven-

ajudar um turista perdido. Todos são cor-

para aventuras como caminhar, pedalar,

to sopra forte e perder o mapa de viagem

diais, educados e muito prestativos. A lín-

velejar, nadar, voar e saltar.

é quase uma certeza.

gua falada é o inglês, um pouco diferente

Ficou interessado e quer conhecer

A Austrália cuida muito bem de seus

do inglês britânico ou americano com gí-

também as outras cidades deste continen-

viajantes. As cidades são extremamente

rias e sotaque próprios, mas muito fácil de

te? Sem dúvida vale a pena, mas saiba

seguras, sendo possível sair à noite e vol-

entender.

que percorrer as distâncias australianas

tar a pé de 99% dos lugares, sem perigo

230

Anuário Brasileiro


Continente Africano:

turista ao conhecer, por exemplo: Angola,

cionais são originadas pelas característi-

um país de riquezas naturais e ambientais

cas relevantes dos seus recursos naturais,

Angola

deslumbrantes, mas martirizado por uma

culturais e valor histórico das zonas que

guerra que já dura mais de 25 anos, o que

mais interesse turístico tem despertado

inibe em muito a exploração de seu poten-

aos entusiastas de cultura ou que procu-

cial turístico.

ram aventura, lazer, negócios, ecoturismo,

“Ah, se não fosse a guerra!”

Segundo continente mais populoso da Terra (atrás apenas da Ásia) com cerca de

Segundo a Embaixada, o número de

900 milhões de pessoas, apresenta gran-

entre outros.

turistas tem crescido consideravelmente

de diversidade étnica, cultural e política.

no país, essas correntes turísticas interna-

Todo o imaginário construído pela cultura ocidental sobre as belezas da África está plenamente expresso neste extenso país tropical, banhado em sua face oeste pelo Oceano Atlântico (são 1.650 km de costa). Estão lá as grandes florestas tropicais, rios, lagos, formosas quedas d’água, montanhas, formações rochosas extraordinárias, cavernas e grutas, desertos e praias belíssimas. Grande parte do território abriga também uma fauna extensa que inclui elefantes, antílopes de diversas espécies, leões, zebras, gazelas, rinocerontes, hipopótamos, girafas, avestruzes, macacos, gorilas etc. A maioria desses animais, infelizmente, estão inacessíveis ao turista em razão da guerra em algumas cidades. Nesse continente são visíveis as condições de pobreza, sendo o continente africano o mais pobre de todos; dos trinta países mais pobres do mundo (com mais problemas de subnutrição, analfabetismo, baixa expectativa de vida), pelo menos 21 conflitos entre povos e as enormes desigualdades sociais internas, são o resultado das grandes modificações introduzidas pelos colonizadores europeus. Esse pode ser o primeiro lamento do

Foto: Banco de imagens

são africanos. O subdesenvolvimento, os

Angola oferece várias opções de lazer: fazer um safari, uma excursão pela floresta ou visitar os lagos. sac@vozdebrasilia.com.br

231


Turismo Internacional China e Japão, gigantes da Ásia do Extremo Oriente A Ásia é o maior e mais populoso de todos os continentes. Responde por cerca

regiões que compõem à Ásia, delimitando

do, em função do Japão ser a segunda

as áreas geoeconômicas do continente

maior potência econômica mundial, esses

Ásia Central, Extremo Oriente, Norte da

países estão passando por profundas mo-

Ásia, Oriente Médio, Sudeste Asiático e

dificações economicamente. Esta região

Sul da Ásia.

ocupa uma grande área da Ásia e é caracterizada por apresentar desde desertos,

planeta e é o mais diversificado em cultura

melhança cultural, China, Coréias (Coréia

como o de Gobi (China), até vulcões, como

e em meio ambiente. Considera-se que o

do Sul e Coréia do Norte) e Japão formam

o Fuji (Japão).

continente está separado da Europa pelos

o Extremo Oriente asiático. Estabelecido

Montes Urais e pelo Mar Cáspio. São seis

como uma das regiões mais ricas do mun-

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

de 30% de toda a área de terra firme do

Composto por países com grande se-

China e Japão, não são apenas um destino de viagem, mas uma experiência única Castelo Himejí - Japão

sac@vozdebrasilia.com.br

233


Foto: Divulgação

Turismo Internacional

Muralha da China

Mas falando agora de atrativos turísti-

uma das metrópoles mais populosas do

e culinária. É um país de grandes extre-

cos, o Japão traz a harmonia perfeita da

mundo e há diversão para todos os gostos:

mos: vilarejos rurais pitorescos em con-

tradição com a modernidade. As maiores

boa comida, diversão noturna, artes, pas-

traste com grandes metrópoles; a vastidão

atrações para os visitantes estrangeiros

seios e compras. Está tudo lá. Basta se or-

das estepes mongóis em contraste com os

residem na enorme multiplicidade de atra-

ganizar para não perder o melhor da festa.

verdejantes morros cobertos por terraços

tivos culturais, na grande variedade de en-

A China também não é apenas mais

de plantações de arroz; a imensidão do de-

cantos naturais e no povo verdadeiramen-

um destino de viagem, mas sim uma ex-

serto de Gobi em contraste com a impres-

te hospitaleiro. Mas claro, você não pode

periência. Possui mais de 5.000 anos de

sionante face norte do monte Everest.

deixar de conhecer sua capital. Tóquio é

herança artística, arquitetônica, lingüística

234

Anuário Brasileiro


As maiores economias mundiais estão aqui na América! Estados Unidos e México Os três maiores países da América, Canadá, Estados Unidos e sim... o Brasil! São também as maiores economias, as quais estão entre as dez maiores do mundo. Nos países de língua inglesa, a América é por vezes designada no plural Américas, para evitar a ambiguidade com o nome dos Estados Unidos. Alguns não

consideram a América como um continen-

Unidos, escondem muitas diferenças. No

te único, preferindo defini-la como um con-

México o visitante pode conhecer: pirâ-

junto de terras composto pelos continentes

mides e templos antigos, grandes me-

da América do Norte (que inclui, além da

galópoles e resorts tropicais. A viagem

própria América do Norte, toda a América

pode começar na sua capital, a Cidade

Central) e da América do Sul. Escolher

do México. É a terceira maior metrópole

apenas dois países deste continente foi re-

do mundo, perdendo apenas para Tóquio

almente difícil, por isso selecionamos paí-

e Nova Iorque. Essa cidade com mais de

ses vizinhos, mas totalmente distintos em

20 milhões de habitantes foi construída

sua culinária, costumes e pontos turísticos.

sobre as ruínas de Tenochtitlan, a antiga

Além da língua, em um se fala espa-

capital Asteca fundada em 1325. Indícios

nhol e no outro inglês, México e Estados

de civilizações antigas estão presentes na

Foto: www.novayork.com

Estátua da Liberdade

sac@vozdebrasilia.com.br

235


Turismo Internacional cidade, particularmente nas escavações

seres noturnos entre outros. As ruínas de

maravilhosa Baía de Acapulco.Cancun é

do Templo Mayor e no Museu Antropoló-

Chichen Itza ficam entre Cancun e Merida,

um dos pontos turísticos mais populares

gico no Parque Chapultepec. Tenochtitlan

onde habitavam as tribos Mayas.

do México. Com apenas 35 anos de exis-

foi fundada em 1325 pelos astecas.

Se você se cansar de ver ruínas e es-

tência, foi construída no que antes era uma

Um dos pontos turísticos obrigatórios

tradas empoeiradas, você pode desfrutar

vila de pescadores. Cancún é famosa por

são as pirâmides de Teotihuacan e Chi-

de resorts como Cancun, Puerto Vallarta

suas belas praias.

chen Itza. Teotihuacan fica a 50km ao norte

ou Acapulco, famosa por sua vida noturna,

Por sua vez, os Estados Unidos pos-

da Cidade do México e é possível observar

belas praias, inúmeros esportes aquáticos,

suem alguns dos destinos turísticos mais

pinturas místicas como figuras de deuses,

hotéis e restaurantes de primeira linha e a

procurados do mundo, com Nova Iorque, Miami e os parques da Disney. Para que você acredite que está em Nova Iorque, sim, porque parece um sonho, o primeiro ponto para visitar no seu roteiro deve ser a Estátua da Liberdade. De balsa, helicóptero, caiaque, não importa como, mas vá! E claro, vá preparado para subir seus 345 degraus. Central Park, Empire State, Rockfeller Center, St Patrick´s Cathedral, enfim, diversão e lugar para conhecer não vão faltar. Miami Beach e Miami conquistaram fama nos anos 90 de paraíso de novos ricos e refúgio de imigrantes latino-americanos. Hoje Miami Beach possui hotéis descolados, repaginados por “designers” famosos, todos com forte frequência européia. Seus bares e restaurantes badalados, especializados principalmente na mistura de temperos e de sabores de diferentes origens, e as festas ao lado de suntuosas piscinas, são alguns dos programas locais. Em muitos dos hotéis, o acesso à praia é direto, basta sair da área da piscina para tropeçar

Foto: cidadesdomundo.com

na areia. Já Miami é conhecida por ser a cidade das compras. E para fechar nosso passeio pelos Estados Unidos, falaremos sobre a diversão Fundo da Casa Branca

236

Anuário Brasileiro

de crianças e adultos: Orlando, ou melhor,


a região que possui oito dos dez parques

outros países, segundo o escritório de tu-

Universal Studios (Universal) - 6,20 milhões

temáticos mais visitados do país estão

rismo de Orlando.

SeaWorld (SeaWorld) - 5,80 milhões Islands of Adventure (Universal) - 5,43 mi-

Veja o número de visitas que os par-

parques da Disney na Califórnia. Todos

ques temáticos da Flórida recebem por

lhões

os anos, cerca de 50 milhões de pessoas

ano (estimativa de 2007):

Busch Gardens Africa (Busch Gardens) -

visitam a Grande Orlando (que inclui Lake

Magic Kingdom (Disney) - 17 milhões

4,40 milhões

Buena Vista, cidade “apêndice” de Orlan-

Epcot Center (Disney) - 11 milhões

Typhoon Lagoon (Disney) - 2,08 milhões

do que divide com ela o complexo Disney).

Hollywood Studios (Disney) - 9,51 milhões

Blizzard Beach (Disney) - 1,91 milhões

Desse total, 3,5 milhões são turistas de

Animal Kingdom (Disney) - 9,49 milhões

Wet’n’Wild (Wet’n’Wild) - 1,37 milhões

Foto: www.baixaki.com.br

nessa área as duas exceções são dois

Cidade do México

sac@vozdebrasilia.com.br

237


Foto: Fabio Pereyra

Turismo Internacional

Torre Eiffel, o mais famoso marco de Paris.

Continente mais rico e desenvolvido do mundo Portugal e França

o continente mais rico e desenvolvido do

servadas, de densas florestas e maciços

mundo. Por suas raízes cristãs, não existe

de pedra. Conheça cidades como a Guar-

uma única região na Europa que não com-

da ou Viseu, onde impera a tradicional ar-

porte dezenas (às vezes, um número bem

quitectura de pedra, ou aldeias como Mon-

O Continente Europeu está situado no

maior) de santuários devotados à Virgem;

santo, menos eruditas, mas onde a pedra

hemisfério norte do globo terrestre. Ao nor-

não é fácil enumerá-los: cada nação pos-

se mantém, austera. O Centro de Portugal

te situa-se o Oceano Glacial Ártico; ao sul

sui milhares, alguns bem conhecidos, ou-

é o lugar da mais genuína hospitalidade,

os mares Mediterrâneo, Negro e Cáspio, a

tros famosos apenas localmente.

do turismo de aldeia, presente na auten-

leste os Montes Urais e a oeste o Oceano

Portugal possui altas serranias e am-

ticidade dos rituais, das festas, populares

Atlântico. Do ponto de vista econômico é

biente despoluído. Paisagens puras e pre-

e religiosas, como a Páscoa, na gastrono-

238

Anuário Brasileiro


mia, com queijos, enchidos, mel serrano...

Os muitos parques e reservas naturais

dade luz”, é a capital da França e o destino

Tudo isso à sua espera.

convidam a bons momentos ao ar livre,

preferido de milhões de turistas, mas ainda

Outra parada obrigatória é na capital

da tranquilidade do golfe à adrenalina do

oferece paisagens variadas e atraentes,

Lisboa, uma das poucas capitais euro-

surf. Talvez por isso Lisboa seja uma ci-

que vão das regiões montanhosas dos

peias com rio e mar, a Praça do Comércio

dade cheia de animação. Festeja-se com

Alpes à ensolarada costa mediterrânea.

é sua sala de visitas. Porque a cidade des-

exuberância, de forma espontânea, pelo

Famosa pela culinária, pela moda, pelos

de sempre se abriu acolhedora às muitas

prazer autêntico do convívio.

perfumes e conhecida como importante

chegadas e partidas, que tiveram como

E nada melhor do que muita luz para

ponto alto a época dos Descobrimentos.

terminar essa relação de dicas. Paris, a “ci-

Crédito: José Manuel

centro irradiador de cultura, a França é um dos países mais visitados do mundo.

Lisboa, uma linda cidade. sac@vozdebrasilia.com.br

239


Turismo Internacional Muito para uns e pouco para outros, Arábia Saudita, Síria e Líbano Omã, Síria e Turquia. Apesar do turismo ser uma atividade que vem apresentando grande importância para alguns países do Oriente Médio, a exemplo de Israel e Turquia (que recebem cerca de 2,5 milhões de turistas por ano), o país vive em conflitos entre árabes, israelenses e palestinos. Por isso, pode parecer loucura uma viagem ao Reino da Arábia Saudita, Síria ou Líbano, por exemplo. Mas, acredite: líderes buscam seu desenvolvimento como destino turístico! E muita gente está disposta a encarar a aventura. E ao contrário do que muitos acreditam, a viagem não se limita a visitar locais sagrados, cada vez mais, os turistas procuram conhecer as belezas naturais do país. A Arábia Saudita é um enorme país para percorrer e possui pontos muito interessantes para conhecer, como a própria capital, Riyadh. Visite os museus e o Al-Thumairi, uma das portas que davam acesso à cidade, é uma relíquia que vale a pena ver. Najd, Hejad e Asir também são atrativos pontos turísticos e recomendados Foto: Al-Thumairi

pela Embaixada do país. Passando agora para a Síria, ela está dividida em 14 províncias, cada uma deArábia Saudita

las com uma cidade capital. Não deixe de

A oeste do continente asiático, conhe-

uma população estimada de 260 milhões

visitar também a sua capital, Damasco, a

cida como Ásia ocidental, encontra-se a

de habitantes. É composta por 15 paí-

cidade mais antiga do mundo, a rainha das

região que compreende o Oriente Médio.

ses: Arábia Saudita, Bahrain, Catar, Egi-

águas, dos céus benditos. A esmeralda do

Com uma extensão territorial de mais de

to, Emirados Árabes Unidos, Iêmen, Irã,

deserto como foi chamada desde a antigüi-

6,8 milhões de quilômetros quadrados e

Iraque, Israel, Jordânia, Kuwait, Líbano,

dade, foi fundada há quase 4000 anos so-

240

Anuário Brasileiro


sac@vozdebrasilia.com.br

241


Fotos: Divulgação

Turismo Internacional

Síria

bre o Guta, um oásis de dois rios, o Barada e o Aawah. E para completar seu passeio pelo Oriente Médio, vá até o Líbano, que apesar da sua capital Beirute ainda estar se recompondo das feridas causadas pela longa guerra, surpreende ao viajante por sua riqueza história e a amabilidade e hospitalidade de seus habitantes. Mas uma dica, visite sempre a cidade com um guia, pois eles saberão dizer os lugares em que não existe perigo.

242

Anuário Brasileiro

Beirute - Líbano

Com todas essas dicas, só falta escolher o destino e comprar sua passagem!


Moda Tendência de consumo da atualidade Mas sobretudo um fenômeno sócio-cultural

A

Foto: Divulgação

cada estação ouvimos al-

acompanha o vestuá-

guém dizendo que os jeans

rio e o tempo, que

estarão na moda, porque tal

integra o simples uso

modelo famosa está usando, ou os óculos

das roupas no dia-

grandes estarão em alta, pois foi a sensa-

a-dia a um contexto

ção do último “Fashion Week”. Mas afinal,

maior, político, social,

quem dita a moda? As passarelas ou as

sociológico. Pode-se

pessoas?

ver a moda naquilo

A jornalista, empresária e consultora

que se escolhe de

de moda brasileira, Glória Kalil, explica:

manhã para vestir, no

“a moda tem sido tremendamente influen-

look de um punk, de

ciada pelas ruas. Se perguntarmos hoje a

um skatista e de um

qualquer estilista importante do mundo de

pop star, nas passa-

onde ele tira a inspiração para suas co-

relas do mundo, nas

leções ele vai responder: das ruas. Anti-

revistas e até mesmo

gamente, os costureiros eram verdadeiros

em um político ou no

ditadores: impunham um comprimento de

vestido das avós.

saia, a altura da cintura, essa ou aquela cor, e o mundo inteiro obedecia”. Mas, segundo Glória, hoje o cenário mudou, a moda está mais democrática,

Moda ou marketing? Marketing

é

a

inspirada nos esportistas que andam pe-

“arte” de influenciar

las ruas, nos uniformes, nos novos hábi-

pessoas.

tos como a eletrônica e também no mundo

também a “arte” de

dos espetáculos, ou seja, no modo como

fazer de um desejo, uma necessidade,

artistas e celebridades se vestem. Por

mas, antes de mais nada, no mundo atual,

isso cabe a cada um de nós selecionar o

globalizado e virtual, atender de uma for-

que combina com a nossa personalidade

ma muito eficaz o cliente. Para se praticar

e estilo. Nada de copiar ou aceitar só por-

marketing, pressupõe-se que de um lado

que está na moda ou porque celebridades

exista alguém que queira vender alguma

estão usando. “Moda é oferta, gente. Esti-

coisa ou uma ideia, de outro, alguém que

lo é escolha”, explica Glória.

esteja predisposto a comprar. É assim

Sem dúvida, a moda é um sistema que

244

Anuário Brasileiro

Pode

ser

que vem funcionando a prática do marke-

ting desde a revolução industrial. Por isso o marketing está muito ligado à moda, mas isso começou antes da revolução industrial, onde o mundo consumia o que tinha para comprar. Segundo a professora de marketing do curso de desenho de moda da Faculdade Sta. Marcelina, Gláucia Salles Ferro, a produção em série só veio atender o desejo das classes menos favorecidas que puderam passar a


Moda os de hoje, em que a reciclagem é não só

São Paulo Fashion Week: o evento que movimenta milhões! A cidade de São Paulo recebeu no último Fashion Week, em junho de 2009, 38 mil pessoas de fora, turistas, nacionais e internacionais, que vêm à capital paulista para o evento e que, somados aos interessados que vivem na metrópole, formam um público que a SPTuris, órgão municipal de fomento turístico, estima em 100 mil pessoas. “A SPFW não é o maior evento da cidade em número de público, mas é um evento que projeta São Paulo como uma cidade de vanguarda, uma cidade que tem como valor econômico os seus talentos criativos”, afirma o presidente da SPTuris, Caio Luiz de Carvalho. De acordo com o órgão, as pessoas que frequentam o evento devem movimentar cerca de R$ 85 milhões na cidade. Para Edson Pinto, diretor de relações institucionais da Abresi (Associação Brasileira de Gastronomia, Hospedagem e Turismo), mais importante que os investimentos que a semana de moda traz é a publicidade. “As pessoas que vêm para a SPFW têm um poder aquisitivo diferenciado, então, gastam em restaurantes, teatros, baladas e hotéis”, afirma. “Mas muito mais que a movimentação de dinheiro, o evento ajuda na divulgação da cidade”, diz. Fonte : Folha de São Paulo

uma alternativa viável, mas necessária à sobrevivência humana. Reaproveitar é a palavra de ordem até na moda. Personalizar, customizar e reconstruir as roupas, transformando-as em novas peças ou simplesmente valorizando-as com bordados e pinturas é uma ótima alternativa para estes tempos de pouco dinheiro. Por isso já existem profissionais que trabalham na reciclagem de roupas, onde transformam uma simples calça jeans velha em uma saia novinha em folha e super moderna. No site da Restaura Jeans (www.restaurajeans.com.br/site) é possível conferir algumas ideias para estilizar aquela sua peça que está largada no armário e assim torná-la super linda. Customizando e reformando é possível

Não use nada que não reflita sua personalidade ou que não combine com você. Escolher é o ato mais civilizado que se possa imaginar. E você sabe, ninguém é chic se não for civilizado”. (Glória Kalil) se vestir, como se tivessem condições financeiras semelhante às dos ricos. “Todos sabemos que hoje uma roupa pode valer infinitamente mais do que ela custa pelo simples fato dela ser um objeto do desejo. Deste modo, o marketing na moda é essencial para a sobrevivência do negócio”, completa Gláucia. Na natureza nada se perde, tudo se transforma A célebre frase de Lavoisier parece estar ainda mais atual em tempos como Foto: Divulgação

246

Anuário Brasileiro


atualizar aquelas roupas que você não usa mais, transformando-as em artigos bem contemporâneos! Por isso trouxemos algumas dicas para mudar aquela peça que estava esquecida no guarda-roupa. Confira! Manga bordada O primeiro passo é apoiar um papelão por baixo da manga, para deixar a superfície reta. Entre a roupa e o desenho, coloque uma folha de papel carbono. Então, risque o modelo com lápis e borde os vidrilhos seguindo o traçado. Comece com os pretos e depois complete com os dourados. Use cerca de 200 gramas de cada cor. Broche nos pés Costurando, colando ou apenas prendendo um broche nos sapatos e sandálias, eles ficam diferentes, estilosas e prontos para a festa. O mesmo método pode ser usado para suas sandálias de praia, que ficam lindas e originais. Hora de tingir! Vestidos, blusas, saias Para começar, dilua um tubo de corante preto em quatro litros de água fervente. Coloque a peça (de cor clara) nessa mistura e deixe por 30 minutos em fogo alto, sempre mexendo. Espere esfriar e então te um tubo de fixador de corante em quatro litros de água fria, deixando de molho por 20 minutos. Então, enxágue e deixe secar à sombra. Para dar um charme extra, borde a peça com miçangas prateadas.

Fotos: Gucci_milan-fashion-week

enxágue a peça. Em uma bacia, acrescen-

sac@vozdebrasilia.com.br

247


Artigos Doutores da luz e do conhecimento

P

arabéns para os professores doutores Charles Kuen Kao,

sino-britânico,

76

anos; Willard Boyle, canadense, 85 anos, e George Smith, 79 anos, americano, ganhadores, esse ano, do prêmio Nobel de física. Seus feitos extraordinários, primeiro, a transmissão da luz em fibras para comunicão ótica, descoberta por Kao, e, segundo, o desenvolvimento sensor de captação de imagens, que modernizou os telescópios, garantindo alta sensibilidade e resolução, elaborados por Boyle e Smith, ocorreram há mais de 40 anos e, somente, agora, a Academia Nacional da Suécia coloca tais façanhas no topo máximo da realização humana em favor do desenvolvimento social e econômico que revolucionaram o mundo. Por meio das fibras óticas, foi possível enviar luz ao longo de grandes distâncias. Houve ganho real de 500.000% na transmissão de dados. Na década de 1960, a luz percorria, apenas, 20 metros através de fibras normais. Com as fibras de vidro puro, essa distância aumentou para 100 km. Depois disso, foi aberto, com o trabalho do doutor Charles Kuen Kao, espaço para que as imagens digitais - obtidas graças ao CCD - dispositivo de carga acoplada - , desenvolvido pelos doutores Willard Boyle e George Smith. O efeito fotoelétrico, como pressuposto para o trabalho elaborado por Smith e Boyle, teve por base o que, em 1921, Albert Einstein, mostrou, ou seja, como a luz se converte em sinais elétricos. Os dois professores, canadense

Foto: Arquivo

e americano, trabalhando em empresas

e a distribuição das imagens concentra-

privadas, como o laboratório Bell, conse-

das. Tal invento espetacular, por sua vez,

guiram ler sinais de um número imenso de

ganharia velocidade com o trabalho do

pontos de imagem (pixels) em um curto es-

doutor Charles Kuen Kao, ao adaptar as

paço de tempo. Descobriram que o CCD é

invenções nas propriedades da transmis-

o olho eletrônico da câmera digital. Revo-

são por fibra ótica. As comunicações a lon-

lucionaram a fotografia, já que a luz pode-

ga distância, em tempo real, tornaram-se

ria ser capturada, eletronicamente, com a

factíveis. E as memórias para computador,

forma digital, facilitando o processamento

usando cargas elétricas, possibilitaram

sac@vozdebrasilia.com.br

249


Artigos o avanço dos circuitos engenhosos, os

espetaculares descobertas, certamente,

nos só teriam a ganhar. O trânsito caótico,

fantásticos sensores de luz. Tudo, evi-

estão por vir. Os governos, nesse momen-

devido ao excesso de veículos, que infer-

dentemente, parte do mais simples, como

to, em que a Academia Sueca decide pre-

nizam a vida das pessoas, a carência de

explicou o professor Boyle, em entrevista

miar inventos realizados a mais de duas

espaço de circulação e o estresse geral,

ao jornalista Rodrigo Craveiro, quanto ob-

décadas, que levaram o homem a uma

etc., poderá ser solucionado pela econo-

servou o movimento dos elétrons. Ao mo-

altura científica impressionante, precisam

mia da informação e do conhecimento, a

verem, disse, “deixamos nossa cabeça ir

democratizar as oportunidades de trabalho

partir das novas oportunidades abertas

à direção deles, pensando na interação da

que foram proporcionadas pela ciência.

pelo avanço científico e tecnológico. Es-

luz e no armazenamento da informação”.

Não há mais necessidade de deslocamen-

pecialmente, quando o país se prepara

Genial.

tos físicos de imensas massas humanas,

para viver tempos de intensos desenvolvi-

nos grandes centros, ao trabalho. A orga-

mentos que se abre para o Brasil, detentor

nização das atividades produtivas, graças

de riqueza sustentável, a viver, igualmen-

aos inventos desses três extraordinários

te, as emoções dos eventos de amanhã,

Trabalho com qualidade de vida A

partir

elaboraram

daí, dia-

gramas, dos quais nasceram,

como

que por encanto, o CCD, desenvolvendo-se por si mesmo,

pratica-

mente. Focaram a

melhor

como a Copa do Mundo e as Olimpíadas. Donas de casa, aposentados,

...eles abriram as cortinas do universo para a verdadeira e total integração humana, pelo trabalho, pela criatividade e pela sensibilidade.”

luz os dois profes-

imagem se fez. Quando se aperta, agora, um botão de disparo da câmera digital, tudo parece fácil demais mas, há 40 anos, a humanidade, em relação a isso, encontrava-se nas trevas. As fibras óticas, hoje, nos colocam diante de qualquer acontecimento, instantaneamente, e os poderosos sensores nos levam aos espaços siderais, configurando o universo em seu mecanicismo maravilhoso, ampliando os conhecimentos da astronomia. E o futuro? Mais

250

Anuário Brasileiro

seus lares, têm diante de si novas oportunidades e,

consequentemente,

intensas interatividades, capazes de proporcionar meios de sobrevivência, de estudos e, especialmente, de qualidade de vida, bem como de for-

sores, que trabalharam juntos, e a

jovens, pais e filhos, em

talecimento das famílias, cientistas, pode ser realizada a partir da

de modo a construir a nova sociedade di-

própria residência das pessoas, facilitando

namizada pelo avanço proporcionado por

a vida delas e, igualmente, das empresas

esses geniais cientistas. No silêncio dos

e das administrações públicas. Os legis-

laboratórios, eles abriram as cortinas do

lativos de todo o mundo, o do Brasil, em

universo para a verdadeira e total integra-

particular, necessitam de legislações prag-

ção humana, pelo trabalho, pela criativida-

máticas, a fim de se adequarem a essas

de e pela sensibilidade.

inventividades maravilhosas, que elevam a produtividade e abrem oportunidades de ganhos significativos, proporcionado pelas inventividades. Os grandes centros urba-

Antonio Fábio Ribeiro Empresário / Ex-Presidente da FIBRA afr@antoniofabio.com.br


Artigos REFLEXÃO SOBRE A GERAÇÃO DE EMPREGO NO DISTRITO FEDERAL Concebida para ser uma cidade administrativa, a Capital da República, com vocação predominantemente voltada para o serviço público, paulatinamente foi compelida a alterar esta característica marcante, uma vez que passou a ser o local de destino de brasileiros de todas as regiões que para cá vieram em busca de melhores condições de vida. O Governo do Distrito Federal hoje tem de preocupar-se com atendimento das demandas de uma população de aproximadamente 2,7 milhões de pessoas, aos quais são acrescidos cerca de 1,8 milhão de pessoas que moram no entorno, contudo, estão umbilicalmente ligados a economia do Distrito Federal e dependendo de seus equipamentos públicos. Uns dos grandes problemas enfrentados pelos governantes das três esferas, é o desemprego. Os dados estatísticos demonstram a necessidade de políticas públicas capazes de diminuir de forma incisiva este problema. A busca de soluções requer dos governantes uma ação imedia-

B 252

Foto: Gabinete

rasília, perto de completar 50 anos de sua fundação, apresenta um cenário econômico, social e político totalmente distinto do preconizado quando de sua fundação.

Anuário Brasileiro


assim aumento do emprego e da renda. O Distrito Federal apresentou em outubro de 2009 uma taxa de desemprego de aproximadamente 15%, o que representa 210 mil pessoas. Não existe a possibilidade, na atual conjuntura, do setor público expandir significativamente o seu quadro de pessoal de modo a influir representativamente na queda do índice de desemprego. Contudo, é de fundamental importância que o governante viabilize outros setores da economia como geradores dos empregos tão clamados pela sociedade. É possível a criação de emprego, principalmente nas regiões administrativas fora do plano piloto, pela adoção de políticas públicas que comprometam minimata, sem titubear, sob pena de aumentar a

setores de 6 a 9, ao tempo em que contri-

mente a receita tributária do GDF. A polí-

crise social.

buem apenas com 30 % da arrecadação,

tica de desenvolvimento deverá apóiar-se

são os grandes geradores de emprego.

no Trinômio:

Por este motivo, as soluções do problema de desemprego apóiam-se nos dados

Cabe ressaltar que os setores de 1 a 5

de arrecadação da maioria dos estados,

suportam uma carga tributária congruente

a)FORTALECIMENTO DA EMPRESA;

bem como nos dados sobre emprego e

aos segmentos, não havendo assim, de

b)GERAÇÃO DE EMPREGO;

desemprego veiculados pela Secretaria do

plano, demanda por uma adequação ime-

c)RECEITA CONSTANTE.

Trabalho.

diata.

Como é de conhecimento da maioria

Por outro lado, os setores de 6 a 9,

Para alcançar os objetivos dos progra-

dos técnicos fazendários e de planejamen-

com vocação eminente para geração de

mas propostos, é imprescindível a partici-

to, o grupo de empresas que responde

emprego, sofrem uma tributação predató-

pação do Banco de Brasília – BRB, que

pela fatia mais expressiva da arrecadação

ria. Assim sendo, é desejável que se esta-

contudo, terá de mudar a sua filosofia de

não tem o mesmo comportamento na ge-

beleça uma política tributária diferenciada

atuação, que atualmente é pautada emi-

ração de empregos, por outro lado, as em-

para estes segmentos.

nentemente pela lógica do mercado pri-

presas de menor importância como arre-

É importante frisar que, além destes

vado, e estabelecer uma nova matriz de

cadadoras são as grandes empregadoras.

setores representarem uma menor fatia do

ação, passando a ser o grande banco de

Destaque para o setor de serviços.

bolo da arrecadação, a desoneração dos

fomento que Brasília tanto necessita.

Conforme se depreende do gráfico aci-

segmentos não representará impacto sig-

ma, os setores de 1 a 5 são responsáveis

nificativo na receita tributária, pois ao se

por 71 % da arrecadação e geram menos

diminuir o dispêndio com impostos a ativi-

de 10% dos empregos, ao posso que os

dade se tornará mais competitiva, gerando

Miguel Lunardi Administrador do SIA - Distrito Federal

sac@vozdebrasilia.com.br

253


Artigos Combate à pirataria e apoio ao setor produtivo

Q

de mais recursos para o poder público fa-

dos os anos em decorrência da pirata-

zer frente às necessidades da população.

ria. Empresas e indústrias comumente

Por tudo isso, a repressão à pirataria,

fecham as portas por não conseguirem

inclusive com medidas de cunho penal

competir com os piratas que praticam

(porque, afinal, trata-se de atividade cri-

preços muito abaixo do mercado, uma

minosa cuja perniciosidade é indiscutível),

vez que, além de burlar o Fisco, não

traz inestimáveis benefícios ao país. Em-

têm custos com pesquisa nem com sa-

bora muitos não percebam, a pirataria só

lários e seus encargos. O combate à pi-

traz desemprego. Ela só traz exclusão so-

rataria significa, assim, o fortalecimento

cial. A pirataria, embora tantos nem quei-

da economia formal e do setor produ-

ram perceber, só traz empobrecimento

tivo, o fomento a novos investimentos

para o povo e para o país, ao passo que

e a geração de emprego e renda para

traz riqueza, muita riqueza, mas apenas

o país.

para as organizações criminosas por ela responsáveis.

Foto: Gabinete

uero começar desconstruindo a imagem equivocada de que a pirataria promove

a inclusão social e que a informalidade associada a tal prática é alternativa ao desemprego para, em seguida, concluir que a pirataria, em verdade, mais se aproxima do crime organizado, além de representar uma afronta ao direito do consumidor e às convenções trabalhistas internacionais, utilizando-se, inclusive, do trabalho infantil. Seu combate e repressão devem aliar os esforços dos governos, da polícia e da população. O Conselho Nacional de Combate à Pirataria (CNCP), do Ministério da Justiça, estima que cerca de 2 milhões e duzentos

254

mil empregos deixam de ser criados to-

Anuário Brasileiro

Segundo o Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais (Unafisco), o Brasil

Estamos fazendo a nossa parte. Na

deixa de arrecadar R$ 27,8 bilhões por

Câmara Legislativa, aprovamos a Lei

ano em virtude da pirataria. Assim, a

4.195/2008, de minha autoria, que repre-

pirataria constitui um grande obstáculo

senta um duro golpe na venda de produtos

ao desenvolvimento nacional e à redu-

falsificados, contrabandeados ou fruto de

ção das desigualdades sociais. Sangra

descaminho. Esses estabelecimentos te-

os cofres públicos, que perdem arreca-

rão a inscrição no ICMS cancelada por até

dação, em prejuízo das políticas públi-

dois anos, além de ter o nome publicado

cas de inclusão social.

numa espécie de “lista suja” no site da Secretaria de Fazenda. Nossa contribuição

Além disso, é ilusória a crença de que o vendedor ambulante de produto

sincera no firme propósito de livrar o país deste mal.

pirateado está trabalhando: ele está, isto sim, sendo explorado por uma rede criminosa e, no que depender dela, nunca sairá da informalidade. O combate à pirataria significa, portanto, a promoção de inclusão social pela disponibilização

*CHICO LEITE é procurador de Justiça licenciado, professor de Direito Penal e deputado distrital, presidente da Comissão de Defesa do Consumidor.


Artigos Título da pág. Tenho Medo!

O

“medo” é algo que nos an-

qualquer tipo de medo. E ainda mais, cura

gustia, nos entristece e que

sem deixar sequelas. Ninguém mais do

as vezes nos dificulta a vi-

que Jesus passou por situações de extre-

ver. Há diferentes tipos de intensidade de

mas dificuldades. Marcos nos fala da “Su-

medos. Nos dias que antecedem minhas

prema Angústia” Mc 14.32-39 dizendo (...)

palestras na rádio, fico ansioso. O desco-

Jesus teve pavor e angústia; mas co-

nhecido nos assusta; tive temor e tremor.

locou tudo na presença do Pai. E Jesus

Algumas vezes, quando perdi o sono,

disse que para chegar ao Pai fazia-se

aproveitei para falar com Deus e combina-

necessário passar por Ele. Este mesmo

va com Ele, propondo e pedindo. Quanto

Jesus que curou cegos, aleijados e para

mais eu falo com Deus, mais minha fé se

líticos, pode nos curar de nossos medos e

fortalece. Para estar aqui falando, preci-

anseios. É preciso crer, buscar e a exem-

so não ser eu, mas partículas do Espírito

plo de Jesus, orar sem cessar. Falar com

Santo. A mensagem não é minha, pois

Jesus, com confiança, e mostrar-lhe onde

devo usar as palavras de Jesus.

nossos medos se encontram, se em casa,

O medo nos acompanha por toda a vida. E onde temos mais medo? É na cidade? No bairro? Em casa? Dentro de nós? Se em casa, com quem?

ou dentro de nós. E se dentro de nós, em que área de nossa vida. Vamos orar pelas madrugadas e desenvolver nossa fé.

Se dentro de nós, em que área de nossas

Como este medo se apresenta? Ele

vidas? Precisamos definir onde se encon-

nos apavora, nos revolta? Jesus é a so-

tra ou de onde ele provém. Mas como é

lução.

este medo? Ele provoca calafrios, nos apavora,

Foto: Arquivo

E é através da oração e firmes propósitos que venceremos isso.

com esperanças renovadas e fortalecidas na fé.

nos aniquila, quando ficamos, quando

Quando percebemos que o medo está

Não importa como nossos medos sur-

saímos, quando agimos, ou quando nos

se aproximando, nossa fé tem que ser

giram, se por causa de outrem ou nós mes-

omitimos? Precisamos perceber quando

mais forte!

mos os desenvolvemos. O que importa é

nossos medos nos fustigam mais e quan-

A oração é o antídoto contra ele.

confiarmos na ação renovadora de Jesus.

do eles se tornam um empecilho para

Assim, nos colocamos sempre na pre-

E deixar Jesus operar em nossas vidas.

bem vivermos. Por que temos medo?

sença de Deus, até o porque de nossos medos se esvaem.

A culpa é nossa? É conseqüência de

Jesus diante da angústia e pavor orou

algo que provocamos, ou somos vítimas

muito. Jesus é nosso médico, Jesus é

das circunstâncias? Também é importan-

curador de qualquer mal. Ele transforma

te sabermos o porque dos medos que nos

nossas vidas. Temos tantos exemplos de

afligem.

vidas transformadas. Vidas que enterra-

Estou convencido de que Jesus cura

256

Anuário Brasileiro

ram o passado de medos e vivem agora

Conforme Mt 11.28 “Vinde a mim vós que estais cansados e oprimidos; e eu vos aliviarei.”

Ev. Ladir J. P. Salvador


Artigos JESUS CRISTO O MESTRE POR EXCELÊNCIA

N

Foto: Arquivo

o início de Seu ministério,

soais, nos atritos, na can-

Jesus chamou quatro pes-

seira, nas hospedagens e

cadores do mar da Galiléia

nas refeições.

e lhes disse:

“Vinde após mim, e eu vos farei pescadores de homens.”

O contato era tão intenso que, mais tarde, o próprio Sinédrio, reconhe-

(Mc 1.17).

ceu que Pedro e João “ha-

Estes deixando tudo, crendo, O segui-

viam estado com Jesus”

ram. Naquele dia, Jesus assumiu um sério e ousado compromisso.

(At 4.13). 2. ESTÁGIOS - Os Evangelhos

dizem

que

Até então aqueles homens, simples

“chamou Jesus os doze,

pescadores, nunca haviam pensado em

e começou a enviá-los a

ministério religioso.

dois e dois” (Mc 6.7), “a

Não conheciam a mente de Deus nem a psicologia humana. Não tinham preparo teológico, missio-

pregar o reino de Deus, e a curar os enfermos” (Lc 9.2). Muitas coisas só se aprende fazendo.

nário ou acadêmico. Não amavam o suficiente nem eram pacientes. Os defeitos pessoais pesavam mais do que as virtudes. Cada um queria ter maior privilégio que o outro. Mas Aquele a quem chamamos de o

3. CORREÇÕES - Qualquer erro de interpretação, de conduta ou de reação cometidos pelos apóstolos eram com amor, imediatamente corrigidos por Jesus. Apenas um exemplo: “Por que sois tímidos? Ainda não tendes fé?” (Mc 4.40).

“Mestre dos mestres”, deu conta do reca4. ASSIMILAÇÃO - Jesus deu aos

do. O sucesso absoluto de Jesus como

apóstolos a capacidade de se apropria-

preparador e treinador de pescadores de

rem progressivamente de sua autoridade,

homens veio através das seguintes provi-

idéias e sentimentos.

dências:

Graças a este processo de aprendizagem, Pedro e João declararam ao Si-

1. CONVIVÊNCIA - Jesus os designou

nédrio: “Pois nós não podemos deixar de

“para que estivessem com Ele” (Mc 3.14).

falar das coisas que temos visto e ouvido”

Eles estavam sempre com o Senhor

fato de que o ensino deles está firmado naquilo que eles ouviram, viram e apalparam com as próprias mãos. *Ora, o resultado fantástico que Jesus obteve no preparo da liderança só é visto no livro de Atos. *Por maior que seja a influência do Pentecostes sobre os apóstolos, não se deve desprezar a parte que coube ao próprio Jesus, no período imediatamente anterior ao derramamento do Espírito. *Jesus de fato transformou aqueles pescadores de peixes em pescadores de homens, exatamente de acordo com o compromisso assumido às margens do mar da Galiléia. Jesus não mudou. Hoje, como há dois mil anos, ele deseja operar a mesma transformação em nossas vidas.

(At 4.20).

– nos ensinamentos, nas viagens, nas

Em suas cartas, tanto João (1 Jo.1.1-

curas, nos milagres, nas conversas pes-

3) como Pedro (2 Pe 1.16-21), insistem no

Pastor - Marivaldo Silverio marivaldosilverio.blogspot.com

sac@vozdebrasilia.com.br

257


Entrevista Aposentadoria, empresas inscritas no Simples Nacional... O ministro da Previdência Social, José Pimentel, fala com exclusividade sobre as novas ações e ainda, sobre os planos para o próximo ano

por Rodrigo Fayad

U

m dos maiores especialistas brasileiros comanda há anos, com esforço e pla-

nejamento, uma verdadeira reforma da seguridade brasileira. Eleito por quatro vezes deputado federal pelo PT do Ceará, o ministro da Previdência Social, José Pimentel, participou da elaboração das principais emendas constitucionais que reformaram nossa previdência. Nesta entrevista exclusiva ao Anuário Brasileiro, o ministro mostra como a previdência vem possibilitando que setores que integram as classes D e E da nossa sociedade migrem na pirâmide social para classes mais elevadas. José Pimentel fala ainda das empresas inscritas no Simples Nacional, e como já demonstrou ser muito importante para o país, já que é constituído de microempreendedores que têm receita bruta anual de até R$ 36 Foto: Campos Sales

mil. Esse grupo é formado por pedreiro, encanador, eletricista, manicure, cabeleireiro, pipoqueiro, borracheiro e costureira, entre outros, e está estimado, de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e

agências da previdência estão atendendo

Estatística (IBGE), em aproximadamente

em até 30 minutos. E claro, abordou tam-

11 milhões de homens e mulheres

bém os principais projetos da previdência

O ministro ainda fez uma análise so-

para o final do ano que vem.

bre o Brasil e a China, e porque esses países conseguiram sair antes da crise. Falou também sobre o superávit e como as

258

Anuário Brasileiro

Anuário Brasileiro - Quando o senhor resolveu aceitar o convite para assumir

o Ministério da Previdência? Eu assumi o mandato de deputado federal em 1995. E, naquele ano, fui indicado pelo Partido dos Trabalhadores (PT) para ser relator de matérias previdenciárias e para integrar as comissões especiais que tratam desta matéria no Congresso Nacional. Em abril de 1995, o governo encaminhou a


PEC 33, que tratava da reforma previdenciária e que resultou na emenda número 20. Na sua aprovação em 1998, eu era vice-presidente desta comissão. Quando foi instalada uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) sobre a Previdência Complementar em 1996, eu fui membro titular desta comissão, que resultou na aprovação das leis complementares 108 e 109. Em 2003, com a posse do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o governo decidiu reformular a previdência do setor público brasileiro e eu estava habilitado para colaborar com a proposta. AN - Quais são os principais programas na sua gestão? Optamos por dar continuidade às