Issuu on Google+

FF S Folha de São Francisco “Que todos sejam um”

1ª Edição – Março de 2011

Paróquia São Francisco de Assis, uma história de luta! N e s t a primeira edição abordaremos o começo da história de nossa Paróquia e evolução dos primeiros anos de sua história. Entenda de onde vem o “Que todos sejam um”. No ano de 1977, na cidade de São José surgia uma nova Comunidade, Forquilhinhas. Após a execução do Plano Habitacional do BNH (Banco Nacional de H a b i t a ç ã o ) , imigrantes, vindos de várias partes do interior de Santa Catarina, começaram a tomar a região, e assim surge uma nova comunidade católica orionita. Página 2

Pastoral da comunicação

Forquilhinhas, sede do Congresso Nacional do MLO

A paróquia São Francisco de Assis cria a pastoral da comunicação, com o intuito de levar aos seus paroquianos informações sobre o que esta acontecendo na matriz e nas capelas. Página 4

Caminho para o céu Saiba um pouco mais sobre a vida de São Francisco de Assis, como o santo de nossa paróquia chegou ao encontro com Deus e aos altares. Página 3

Especial Carnaval, quaresma e campanha da fraternidade, saiba mais sobre este tempo tão importante para os cristãos. Página 4

“Fazer o bem sempre, o bem a todos, o mal nunca a ninguém”. (São Luis Orione)

O evento é uma iniciativa do MLO (Movimento Laical Orionita), de São José, juntamente com as outras Paróquias Orionitas da Província Sul. E acontecerá de 27 a 29 de maio na Paróquia São Francisco de Assis, terá inicio com um jantar na sexta-feira (27) e se estenderá até o inicio da tarde de domingo. Página 3

A comunidade de Santos Saraiva convida todos a participar do grandioso bingo que se realizará no dia 19 de março. Todo valor arrecadado será revertido para a construção da capela. Colabore com este evento!


Folha de São Francisco Paróquia São Francisco de Assis Março de 2011

Capa

2

Orionitas e Franciscanos, em prol de um bem comum! Nesta primeira edição abordaremos o começo da história de nossa Paróquia e evolução dos primeiros anos de sua história. Entenda de onde vem o “Que todos sejam um”. Boa leitura!

N

o ano de 1977, na cidade de São José surgia uma nova Comunidade, Forquilhinhas. Após a execução do Plano Habitacional do BNH (Banco Nacional de Habitação), imigrantes, vindos de várias partes do interior de Santa Catarina, começaram a tomar a região. Em geral, eram, moradores de Angelina, São Pedro de Alcântara, Bom Retiro e outras regiões afins. E como, nestas regiões, a prática da religião sempre foi um fato determinante para formação básica e familiar, logo se sentiu a necessidade de um local para este fim na nova comunidade. Num primeiro momento, receberam a ajuda do Padre Neri José Holffman – Na época, pároco de São José. As celebrações e catequeses passaram a ser realizadas nas Escolas Básicas de Forquilhinhas (Escola Marcília de Oliveira e Cecília Rosa Lopes). O ano era 1982, cinco anos após sua fundação, nossa comunidade já possuía 4.732 casas (Sendo que inicialmente possuía apenas 1.200) No mês de julho deste mesmo ano, Forquilhinhas recebeu Dom Afonso Niehues, Arcebispo Metropolitano, e foi decidido que a Comunidade deveria ter uma casa de oração. No início do próximo ano, março de 1983, as i r m ã s d a Congregação Beneditinas da D i v i n a Providência vieram residir na casa, embora a i n d a n ã o estivesse acabada. O intuito desta aproximação era contribuir para a evangelização da comunidade. A inauguração da P e d r a Fundamental da

Igreja Matriz aconteceu no dia 4 de Dezembro de 1983. Porém, durante os trabalhos de estaqueamento, houve vários problemas técnicos. E mesmo com a união do Povo em prol desta obra, não se conseguiu chegar a erguer a construção. A maior dificuldade para que a Igreja fosse construída consistia no fato de que, na época Forquilhinhas não possuía um Pároco Permanente. Entretanto, a comunidade não desistiu e continuou lutando unida, por sua casa de oração. O desejo somente se realizou em 1985, quando o Padre José Nascimento, da Congregação de Dom Orione, que trabalhava como Vigário Paroquial da Paróquia de São João Batista, do bairro de Capoeiras, se dispôs em vir trabalhar na comunidade de Forquilhinhas com aceitação de Dom Afonso Niehues. Dessa ligação nasce o carisma de Dom Orione, presente até hoje em nossa Paróquia. Então, após a certeza de um Padre Permanente, ficou mais fácil. Porém, a construção continuou embargada, e a Paróquia São Francisco de Assis ficou com sede física no galpão que ficava no terreno, até se resolverem os problemas do embargo com a Prefeitura. No dia 2 de março de 1985, aconteceu a Missa de Fundação da Paróquia, presidida pelo Arcebispo Dom Afonso Niehues, concelebrada pelo, Pe. Néri Hoffman, pároco de São José, e pelo Pe. José Nascimento, que foi empossado como Pároco. A primeira Missa Festiva foi realizada no dia 3 de março. Ao final desta celebração houve uma festa em comemoração a nova Paróquia. Na época, a paróquia São Francisco de Assis era constituída das seguintes Capelas: Nossa senhora Aparecida, no Morro do Avaí; Sagrado Coração de Jesus, na Cova da Onça (hoje Santos Saraiva); Nossa Senhora das Graças, em Picadas do Norte; São João Batista, em Forquilhas; Imaculado Coração de Maria, em Sertão do Imaruí; Santa Isabel, em Picadas do

1ª comunhão realizada no Galpão (1985)

Sul. Todas e s t a s informaçõ es estão presentes no livrotombo. Nele há o registro oficial de acervo. T o d a Igreja ou entidade possui e s t e document o. O livroEquipe de catequistas (1985) t o m b o Solange Maria do Nascimento. conta em detalhes a história da Igreja, Em julho a Paróquia conseguiu sendo também usado como documento os Engenheiros e os Arquitetos do DAE oficial em casos quando se precisam (Departamento de Construção do enviar informações ao episcopado, em Estado), que elaboraram as plantas da Roma. Padre José Nascimento futura Igreja. No dia 29 de julho reconhece que se precisa aumentar o começou um mutirão para construção c o n h e c i m e n t o r e l i g i o s o n a da Igreja Matriz. comunidade. A partir dessa constatação, Em 12 de outubro a Paróquia começa a organizar junto a seus realizou uma grande celebração, dentro paroquianos, cursos de formação da nova Igreja, já quase pronta, para religiosa: curso de batismo, casamento, inauguração do Altar. crisma e catequese de primeira Neste ano, além da construção eucaristia, e coroinhas. Caminha-se, da Igreja Matriz foram realizadas, em assim para uma tentativa de unidade todas as capelas, festas de primeiras entre Capelas e Matriz. A troca de comunhões, sendo que, na Matriz cerca experiências nesses cursos fez a de 135 crianças foram preparadas para a comunidade crescer e vivenciar, cada primeira eucaristia. vez mais, a fé, reconhecendo que o A missa de inauguração da encontro com o outro nos enriquece e nova Igreja Matriz, presidida por Dom nos fortalece. Afonso Niehues, foi celebrada no dia 21 A Paróquia começa, então, a se de setembro de 1986. Na celebração, o organizar em Pastorais. Com a ajuda Coral São Francisco fez sua primeira das Irmãs Beneditinas, surgem as e x i b i ç ã o , a g r a d e c e n d o à t o d a pastorais de Liturgia e Catequese. comunidade pelo empenho dedicado Também nessa mesma época, três durante a construção da Igreja. seminaristas vieram para a comunidade, Estes foram os primeiros anos, os quais ajudaram na implantação da de nossa Paróquia São Francisco de Pastoral da Juventude, que na época Assis. Na próxima edição, não perca, fundou cinco grupos de jovens. Por esse entrevista exclusiva com fundadores da motivo, mais jovens começaram a Paróquia. Até a próxima! participar ativamente também de outras pastorais, tais como liturgia, catequese e ação social. O primeiro casamento realizado na Jornal Folha de São Francisco Paróquia foi no dia Publicado por Paróquia São Francisco de Assis 17 de abril, deste Rua Artur Mariano, nº880 – Forquilhinhas/SJ – SC mesmo ano CNPJ: 83.932.343/0053-42 (1985), a união d e u - s e e n t r e Produzido pela pastoral da comunicação Antônio Vicente e Contato – folhadesaofrancisco@gmail.com


Folha de São Francisco Paróquia São Francisco de Assis Março de 2011

Atualidades Matriz sediará Congresso Nacional do MLO

O evento é uma iniciativa do MLO (Movimento Laical Orionita), de São José, juntamente com as outras Paróquias Orionitas da Província Sul. E acontecerá de 27 a 29 de maio na Paróquia São Francisco de Assis, terá inicio com um jantar na sexta-feira (27) e se estenderá até o inicio da tarde de domingo. E n t r e o u t r o s acontecimentos, o Congresso promoverá palestras, oficinas, visita a entidade de caridade,

uma noite cultural e musical, que terá a apresentação da Opereta de São Francisco. Este encontro o b j e t i v a integração, crescimento na fé, e ampliação da obra de Dom Orione. A t é o primeiro dia de maio a Imagem de São Luis Orione, estará visitando todas as Paróquias e Capelas Orionitas de São José. Algumas cidades não receberam o Santo, essas ficaram responsáveis para fazer as orações em interseção às visitas. O evento é aberto e não tem acessão de público. Receberemos irmãos também de outros Estados, Porto Alegre, Paraná, Mato Grosso do Sul e São Paulo. Na edição de Abril o Folha de São Francisco estará disponibilizando a programação do Congresso.

Palavra do Pároco Caros amigos Paroquianos e irmãos em Cristo. Neste mês de março, além de celebrarmos o tempo quaresmal, como tempo intenso de preparação para a Páscoa, a Igreja nos convida a olharmos para duas personagens essenciais na História da Salvação: Maria e José. Sim, em Maria, somos chamados a meditar na entrega total que ela fez de si mesma, como serva do Senhor, ao acolher em seu seio virginal o Verbo de Deus. Esta é a festa que celebraremos no dia 25 de março, dia da A n u n c i a ç ã o d o S e n h o r. Ao olharmos para José, reconheceremos nele o casto guarda da Sagrada Família de Nazaré, também ele totalmente obediente à vontade do pai e entregue à graça de Deus. Sua festa, celebrada a 19 de março, é para nós ocasião de agradecimento pela sua poderosa intercessão sobre toda a I g r e j a e , particularmente, sobre nossas famílias, por isto venho lembrar a todos que estamos iniciando nossa caminhada, quero salientar em especial a Catequese que é a

verdadeiro valor da v i d a passou a fazer parte de seu São Francisco, uma vida de alegria cotidiano. Seus anseios Francisco nasceu na cidade mudaram, mas o sonho de guerra Italiana de Assis, no ano de 1182. Seu permanecia. pai, um rico comerciário de tecidos, No ano de 1205, uma nova deu-lhe este nome homenageando a guerra ocorria e Francisco novamente França. Teve uma juventude boemia estava pronto para participar e juntou-se regada por farras e festas com amigos. ao exército que ajudaria o Papa Ambicioso, sonhava em ser conhecido Inocêncio III na defesa dos interesses da como herói de guerra, ser famoso e Igreja. Indo para a guerra ao chegar ao receber títulos da nobreza. No ano de povoado de Espoleto, Deus conversou 1202, com 20 anos, as cidades de Assis e com Francisco em sonho: "A quem Perusia envolveram-se em guerra em queres servir: ao Servo ou ao Senhor?" defesa dos interesses da nobreza. Francisco respondeu prontamente: "Ao Francisco, pensando na Senhor, é claro!" A voz tornou a lhe realização de seus sonhos, alistou-se, falar: "Por que insistes então em servir junto de seus amigos de festa, para o ao servo? Se queres servir ao Senhor, combate. Logo no início, foram retorna a Assis. Lá te será dito o que capturados e tornaram-se prisioneiros deves fazer!" por um ano. Neste período Francisco Francisco entendeu, então, que adoeceu e passou muitos meses acamado. Ao melhorar e retornar a sua estava buscando apenas a glória cidade teve uma mudança radical de humana e passageira. Estava fazendo a vida. Os desejos mudaram e o vontade de pessoas ambiciosas e

Caminho para o céu...

3

verdadeiramente iniciação a vida Cristã, que tem sua base alicerçada na “rocha”, que é o Cristo o centro da Vida. A Pastoral da Catequese é a responsável pela evangelização de crianças e adolescentes. Os encontros semanais buscam levá-los a uma experiência com Deus, a partir da interação entre fé e vida. Tudo isso com o objetivo de atingir a maturidade cristã. A catequese está presente em todas as idades e deve ser uma trajetória contínua de educação na fé. Por isso, é importante que os pais tenham o cuidado de levar as crianças desde pequenas para irem descobrindo as maravilhas de Deus. Entendam todos que a catequese tem também o dever de conscientizar e capacitar os pais que sejam, de fato, os iniciadores de seus filhos, no seguimento de Jesus Cristo. Caros amigos Paroquianos povo de Deus, que este ano seja pleno de graças e bênção, e que todos nós possamos alcançar nossos objetivos, pautado com certeza numa caminhada Santa, e que São Francisco de Assis, São Luiz Orione continue nos abençoando e protegendo. Como já dizia São Luiz Orione “Ave Maria e avante”.

mesquinhas e não a vontade do Senhor do Universo. Retornando a cidade de Assis, enfrentando o desdenho da população e seu pai, Francisco deu início a um longo período de oração e a meditação, buscando entender os planos de Deus para ele. No ano de 1206, cavalgando nos arredores de Assis, um leproso lhe pediu esmola. Em um ato de repudio, arqueou o cavalo fugindo, porém, uma forte vontade fez Francisco voltar beijando e abraçando o leproso. Este foi o início da conversão deste Santo. Muito alegre e sorridente Francisco, passou a viver rezando e cantarolando, o que insultava seu pai que foi em busca de auxilio junto ao bispo da cidade. Sei pai, Pedro Bernardone, exigia que Francisco devolvesse tudo que recebera fruto do trabalho dele. Francisco prontamente despiu-se em frente a todos, negando a herança rica de seu pai. Uniu-se a irmã Pobreza e passou a trabalhar pelos necessitados e doentes começando a atrair muitos seguidores. Fundou a Ordem dos Frades Menores, que em poucos anos se transformou numa das maiores da Cristandade.

Pe. Roberto (Pároco) No ano de 1212, Clara de Assis procura São Francisco para iniciar a mesma vida que ele então levava. Foi o início do ramo feminino da Ordem. Posteriormente, para os leigos que desejavam ser fiéis ao espírito de pobreza e participar das graças e privilégios da espiritualidade franciscana, Francisco fundou a Ordem Terceira. No ano de 1224, durante oração no Monte Alverne, apareceu-lhe um anjo Serafim que imprimiu em seu corpo as cinco chagas de Cristo. Os estigmas foram fontes de muita fraqueza física e São Francisco foi chamado ao Reino dos Céus dois anos mais tarde. Foi canonizado em 1228 por Gregóri o IX e s u a s marcas continu a m presente s até os dias de hoje.


Folha de São Francisco Paróquia São Francisco de Assis Março de 2011

Especial

4

Pastoral da Comunicação: qual a sua missão?

Caro leitor, é com grande satisfação que lhe apresentamos a 1ª edição da Folha de São Francisco, que passa a ser um dos principais meios de informação da recém criada Pastoral da Comunicação da paróquia de São Francisco de Assis. O ano de 2011 será um ano de muitas transformações em nossa paróquia. No decorrer deste ano, os fiéis poderão acompanhar várias inovações que

já estão ocorrendo em nossa comunidade. A primeira delas é a própria criação da Pastoral da Comunicação, a qual será responsável por manter a comunidade sempre bem informada do que ocorre tanto na comunidade, quando na arquidiocese. O que motiva a criação da Pastoral da Comunicação é o desejo pela unidade. Sabemos que o ideal de unidade é defendido pela Igreja desde sua origem em Cristo, quando orava a Deus dizendo: “que eles sejam um, como nós somos um.” (Jo 17,11) Ora, como seremos um se não soubermos o que ocorre dentro de nossa própria paróquia? Eis aqui a grande missão da Pastoral da Comunicação: o trabalho incessante pela unidade da Igreja. Dentro dessa missão, não deixemos também de considerar seu papel missionário, na medida em que também deve sempre procurar ir ao encontro daqueles afastaram-se da fé em Cristo, ou ainda não o conhecem. A missão de informar a verdade aos católicos do Brasil deve começar pelas paróquias. Nesse trabalho missionário pela unidade da Igreja através da informação, no presente jornal você entrará em

Páscoa, a alegria da ressurreição Já dizia São Paulo na carta aos Filipenses: “Alegrai-vos no Senhor... E a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará o vosso coração e a vossa mente em Cristo Jesus.” (Fil. 4. 4,7)

H

á poucos dias a Igreja Católica e o mundo presenciaram, a festa do carnaval. Esta Palavra, carnaval, tem dois significados: “adeus a carne” ou “carne vale”. Ela nasceu antes de Cristo e milenarmente vem evoluindo pela história, embora nos tempos modernos, se perdeu em seu sentido. Essa festa marca o período que antecede a quartafeira de cinzas, pois seu intuito é consumir liberadamente carne e outras comidas. A quaresma se inicia com o advento da Quarta-Feira de Cinzas, a primeira após a terça-feira de carnaval. São colocadas, nesse dia, as cinzas sobre a testa dos fiéis, ato que simboliza a promessa firmada de seguir Jesus para sempre. A cinza é produzida dos restos dos ramos queimados após o “Domingo de Ramos”, do ano anterior. Durante a Quaresma acontecem as preparações para reviver a caminhada de Jesus Cristo no deserto. Os cristãos se dedicam ao aprofundamento da fé, através de penitência, jejum, oração e silêncio. É um período de preparação para a Páscoa do Senhor, que dura cerca de quarenta dias. No decorrer desses dias não se colocam flores na Igreja, não devem ser usados muitos instrumentos e não se canta o Glória, em respeito ao tempo litúrgico, e para que as manifestações de alegria sejam expressadas de forma mais intensa no tempo que se segue, a Páscoa. A Quaresma termina na manhã de Quinta-feira Santa. Durante esses dias a Igreja se veste de roxo, em

contato com séries de reportagens que abordarão, dentre outros temas, a história da paróquia desde sua fundação, bem como das capelas. Lendo-o, você estará por dentro do que acontece dentro de paróquia. Saberá, por exemplo, do trabalho desenvolvido pelos outros movimentos e pastorais atuantes em nossa comunidade. Falamos que haverá muitas transformações, pois não contaremos somente com a criação deste jornal, mas também com outros veículos de informação. Está em etapa de elaboração o site de nossa paróquia, no qual também existirá uma versão on-line do jornal, além de outras informações sobre. Outras novidades, envolvendo a internet como meio de evangelização, então sendo estudadas e, em breve, serão aqui divulgadas. No site será possível publicar mais matérias (vídeos e fotos) sobre a Igreja e abordar mais profundamente questões da atualidade. A internet é um poderoso veículo de informação, com inúmeras possibilidades. Nossa paróquia apenas começa a utilizar os recursos das novas tecnologias. Mas temos a convicção de que maravilhas esperam por nossa comunidade, se utilizarmos com sabedoria as potencialidades das novas tecnologias. Há muito a ser feito. Muito trabalho espera aqueles que estiverem dispostos a atuar nessa missão de evangelizar através dos meios de comunicação.

Campanha da Fraternidade 2011 sinal de respeito e silêncio a Paixão de Jesus Cristo. O Tríduo Pascal (como chamamos os três dias que antecedem a crucificação, até a ressurreição de Jesus Cristo), começa na Quinta-Feira Santa com a Missa da Santa Ceia. Nesse dia o sacerdote lava os pés de doze pessoas, simbolizando o gesto de humildade de Jesus ao lavar os pés dos discípulos. Na Sexta-Feira Santa não ocorre celebração normal, somente um Ato Litúrgico, em horário determinado pela Paróquia. Na noite do Sábado Santo encerra-se o Tríduo Pascal, com a celebração da Vigília Pascal. Nessa ocasião é acesso o Círio Pascal, que fica apagado durante toda a quaresma. No Sábado e no Domingo Santo, a Igreja se veste de branco em sinal de alegria pela volta de Jesus. A festa da Páscoa começa no Domingo Santo, da Ressurreição de Jesus Cristo e se estende até a festa de Pentecostes. São cerca de cinquenta dias de muita exultação e alegria, pois cremos firmemente no amor de Cristo e em sua ascensão eterna.

O lançamento nacional da Campanha da Fraternidade 2011 será no dia 9 de março (Quarta-feira de Cinzas), quando a Igreja Católica dá início a Quaresma, tempo de preparação para a Páscoa. O lema da Campanha da Fraternidade este ano, não poderia ser mais atual, “A criação geme em dores de parto” Rm 8,22. A comparação da Criação Divina, ao ato do nascimento humano “gemer em dores de parto”, faz deste tema um dos mais interessantes que a Campanha da Fraternidade já apresentou. Embora seja um tema muito debatido, muitas pessoas ainda não têm a real consciência do que significam aquelas lições básicas que aprendemos quando pequenos: “Não jogue lixo no chão”, “Respeite o irmão”, “Não faça queimadas” e tantas outras. Parece algo meio pitoresco, pensar que a Criação Divina, Deus no mais sagrado do seu ser, se resume a um simples ser humano, como em “dores de parto”. Porém, é completamente aceitável pensarmos assim, se compararmos que, quando destruímos a natureza, não fazemos ideia de como podemos atingir aos nossos irmãos. A religião, que também por muitos anda esquecida, vem lembrar através desta Campanha a grande importância da Natureza e também de Deus para nossa vida. Afinal de contas, a Criação Dele é a maior atingida.

folhadesaofrancisco@gmail.com Nosso muito obrigado a todos os parceiros:Cantinho do Pastel, Centro de dança Passo a Passo,Comercial Lupana, Farmácia Josiane, Glamour modas, Kapryshus modas, Lanchonete Auau, Sacolão Forquilhinhas, TS Telecomunicações, Vidraçaria Weber.


Edição Março 2011